Você está na página 1de 48

EMPREENDEDORISMO

Nº 26 | JULHO | 2019

••
•• P R

GO

M
É

T
&

IO R
S TA
PRÉMIOS
START&GO
2019
• Parteam P. 4
• Lacovale P. 5 MARKETING
• Fairmeals P. 6
• O futuro
• Evox Tecnologias P. 7 veste jaqueta INOVAÇÃO
• Medbone P. 8 amarela P. 19 • Inovação
= Caos +
• Tomi P. 9 • Como comunicar uma Disciplina
• Extradireccional narrativa de marca P. 28
My City P. 11 através do formato
• Axfilia P. 13
de vídeo? P. 20
ABERTURA

Índice
PRÉMIOS START&GO 2019
Editorial
• Prémios Start&Go P. 3
• Parteam P. 4 Mónica Monteiro
• Lacovale P. 5
monicamonteiro@startandgo.pt
• Fairmeals P. 6
• Evox Tecnologias P. 7
• Medbone P. 8

N
• Tomi aproxima as cidades das pessoas P. 9 este número damos a conhecer um pouco
• Extradireccional premiada pela aplicação My City P. 11
• Axfilia desenvolve vestuário de trabalho P. 13 mais as empresas vencedoras da primeira
edição do prémio Start & Go. Com este
GESTÃO prémio pretendemos distinguir as pequenas e médias
• O BEO: o gestor da boa governança empresas portuguesas, que, apesar de inúmeras
e ética empresarial P. 15
dificuldades e escassos recursos, conseguem
VENDAS afirmar-se no mercado nacional e internacional
• 19 dicas para desmistificar o preço numa venda! P. 17 pela sua vertente inovadora.
Este tipo de reconhecimento é fundamental
MARKETING
• O futuro veste jaqueta amarela P. 19
no posicionamento da marca das empresas,
• Como comunicar uma narrativa de marca especialmente em setores muito competitivos. Definir
através do formato de vídeo? P. 20 e estabelecer uma estratégia de marca, que hoje em
dia passa obrigatoriamente pela presença online, é
GESTÃO DE QUALIDADE
• O Prémio Nobel da gaivota P. 22 fundamental. Assim, aconselho a leitura do artigo
• Ferramentas da Qualidade – a sua utilização na resolução do João Miguel Lopes que nos explica a importância
de problemas e na melhoria da sua organização! P. 23 da criação de uma narrativa quando comunicamos
• Reforçar conexões – clientes e fornecedores internos P. 25 no formato de vídeo (não deixem de ver também os
EMPRESAS FAMILIARES vídeos sugeridos).
• Eu, membro de uma família empresária, enfrento o mercado Os artigos dedicados à gestão de recursos humanos
P. 26 alertam-nos para a importância da construção da
INOVAÇÃO
felicidade organizacional nas empresas (artigo da
• Inovação = Caos + Disciplina P. 28 Daniela Moreira), bem como a necessidade de
potenciar os recursos humanos como fonte de
GAMMING vantagem competitiva (artigo do Prof. Luis Lobão).
• Gamification para gestores de talento P. 30
Acredito que, na atual economia do conhecimento,
GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS são de facto as pessoas a base do sucesso de qualquer
• Felicidade organizacional P. 31 negócio.
• Busque o potencial máximo das pessoas P. 32
Nesta que é a última edição antes de férias, não posso
FINANCIAMENTO deixar de recomendar o artigo do Rui Pedro Oliveira
• Portugal Ventures abre call para turismo P. 33 “Alfabeto positivo do primeiro semestre em Portugal”
• Portugal Tech mobiliza mais de 200 milhões de em jeito de balanço.
investimento em startups e PME em Portugal P. 35

O QUE APRENDI COM AS MINHAS VIAGENS Boas férias, boas leituras e


• Islândia – o sol da meia-noite P. 36 Just Start & Go!!!

FORA DA CAIXA
• Alfabeto positivo do primeiro semestre em Portugal P. 38
TI
• A tecnologia pode provocar uma
sensação de isolamento P. 41
• Cloud Computing P. 42 REVISTA EM FORMATO DIGITAL | Nº 26 – julho 2019

DICAS P. 44 COORDENADORA Mónica Monteiro (monicamonteiro@startandgo.pt)


PAGINAÇÃO Flávia Leitão
• 70/20/10. Será um mito? Será que (flavialeitao@vidaeconomica.pt)
funciona para desenvolver líderes? PARTICIPAM NESTE NÚMERO Adriano Ribeiro; Ana Isabel Lucas; André
• Gostaria de trabalhar 6 horas por dia? É brincadeira? Pinheiro; Daniela Areal; Daniela Moreira; Fernanda Teixeira; Hays Portugal;
Não. É verdade e alguns já o fazem! High Play; João Miguel Lopes; José Carlos Pereira; Luis Lobão; Mónica
Monteiro; Pedro Amendoeira; Portugal Ventures; Renata Abranchs; Rui
Carvalho; Rui Pedro Oliveira; Samuel Soares; Vitor Briga
PRODUTIVIDADE E BEM-ESTAR PUBLICIDADE PORTO
• Mindset vencedor P. 45 Rua Gonçalo Cristóvão, 14 R/C, 4000-263 Porto
• Superação é ir além dos próprios limites P. 46 Tel: 223 399 400 • Fax: 222 058 098
E-mail: Geral@startandgo.pt
• Não tenho tempo P. 47

2 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

Prémios Start&Go
considerados no mesmo relatório “ inova-
dores fortes”. A Comissão Europeia não
deixou, no entanto, de salientar o desem-
penho das nossas PME, referindo a sua
inovação interna, bem como os produtos
e processos inovadores por elas gerados.
Foi exactamente este sentimento e vonta-
de de fazer mais e melhor que se fez sen-
tir na cerimónia de entrega dos prémios
Start&Go, que, dentro das categorias ino-
vação, internacionalização, gestão e start-
-up, premiou, de acordo com resultados
alcançados, cinco empresas portuguesas
– Lacovale (Gestão); Medbone e PART-
TEAM (internacionalização); Fairmeals
(Start-up) e EVOX (Inovação) – às quais

Adriano Ribeiro
CEO & partner bwd

A
bwd teve o orgulho de patro-
cinar a 1ª edição dos prémios
Start&Go, que premiaram peque-
nas e médias empresas, no panorama na-
cional, cujo ação empreendedora as des-
tacou das restantes.
Pouco tempo após a entrega dos prémios
era publicado, pela Comissão Europeia,
um relatório que classificava Portugal
como país “Inovador moderado”, ficando
atrás de países como a Suécia e Finlândia,

aqui presto o meu tributo, a par do louvor


por esta iniciativa à revista Start&Go. Nun-
ca será de mais promover uma cultura de
inovação empresarial em Portugal, dando
a conhecer ao mercado os exemplos do
que melhor se faz para que as suas prá-
ticas sejam imitadas. Ao mesmo tempo,
será bom recordar que as melhorias do
desempenho e eficiência das PME estão
mais ao alcance do que muitas vezes os
gestores e empresários têm presente. A
eficiência dos processos organizacionais e
adequação das ferramentas utilizadas são
duas componentes-chave que resultam
em "quick-wins" para as PME e que nunca
deverão ser subestimadas.

3 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

Partteam

A
PARTTEAM nasceu há dezanove ponentes de última geração tecnológica, a político e económico mais complicado,
anos pela mão de Miguel Soares preços competitivos. mas em exponencial expansão e reduzida
dedicada ao desenvolvimento e O plano de internacionalização definido concorrência.
fabrico de quiosques multimédia, mupis previa a expansão para os mercados eu- Hoje, a PARTTEAM & OEMKIOSKS é reco-
digitais e outras soluções digitais para ropeus, pela sua proximidade geográfica, nhecida internacionalmente pela vertente
todo o tipo de setores e indústrias. Desde
então e com mais de 15.000 unidades pro-
duzidas, para mais de 35 países diferentes,
a PARTTEAM & OEMKIOSKS é hoje uma re-
ferência a nível mundial.
O caminho internacional deu-se desde
cedo. Miguel Soares rapidamente perce-
cionou o potencial de mercado existente
e decide criar a marca OEMKIOSKS, proje-
tada estrategicamente para o lançamento
da empresa no mercado externo.
A estratégia era clara. A expansão no
mercado internacional teria por base a
procura de parceiros interessados na co-
mercialização de quiosques portugueses,
produzidos integralmente pela PART-
TEAM, mas com as marcas dos seus clien-
tes. Embora a PARTTEAM contasse, já na
altura, com diversos modelos próprios e
patenteados, a sua estratégia passou por
proporcionar aos clientes e parceiros in-
ternacionais a possibilidade de conceber cultural e política, seguindo-se os merca- inovadora dos seus produtos e direciona
os seus próprios desenhos, as suas ideias, dos da CPLP (Comunidade dos Países de 50% a 60% das suas vendas para o merca-
com características únicas e exclusivas, fi- Língua Portuguesa), pela sua ligação cul- do externo. A comprovar este esforço de
cando assim a empresa reconhecida pelo tural, linguística e histórica com Portugal. inovação, a empresa foi recentemente dis-
seu modelo de negócio altamente versátil Os países europeus dispunham de um tinguida com o European Product Design
e adaptável aos mais variados conceitos e cenário macroeconómico estável, de ele- Awards, prémio que reconhece designers
mercados. Estava assim garantida a vanta- vada demanda tecnológica e bom poder internacionais de produtos, que procuram
gem competitiva da OEMKIOSKS - Quali- de compra. No seu inverso, os países de melhorar o dia a dia com as criações práti-
dade da produção portuguesa, com com- língua lusófona dispunham de um cenário cas e bem pensadas.

4 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

Lacovale

F
undada em 1996, a LACOVALE know-how acumulados ao longo de mais ADN “empresa familiar”, uma cultura que
– Technology and Innovation é de duas décadas, procurando sempre im- reflete no ambiente familiar da sua gestão
uma metalomecânica, sediada em plementar a melhoria contínua nas suas interna, bem como, no modelo de negócio
Gondomar, que dispõe de vários serviços soluções, responder às necessidades de de proximidade, disponibilidade e flexibili-
ligados à transformação do metal – corte mercado e antecipar tendências. dade que promove junto de fornecedores,
laser, quinagem cnc, soldadura e pintura O compromisso com a qualidade dos ser- parceiros e clientes.
electrostática – suportados por processos viços e produtos que apresenta e o foco A capacidade de produção diversificada e
e materiais da mais alta tecnologia e ino- na satisfação dos seus clientes garantiram as oportunidades aliadas ao mercado da
vação. à LACOVALE, em 2015, a certificação – do mobilidade elétrica (sobretudo no merca-
Considerada uma referência nacional seu Sistema de Gestão de Qualidade – do europeu), visando alcançar a redução
no setor da metalomecânica, a LACOVA- pela norma ISO 9001. do risco de negócio, o aumento do seu
LE assume um posicionamento bastan- Formada por uma equipa de 70 colabo- volume de vendas e a angariação de uma
te competitivo pela experiência e forte radores, a LACOVALE tem inscrito no seu superior quota de mercado, quer nacional
quer internacional são os drivers para o
futuro.
“Procuramos sempre inovar e aperfei-
çoar, mantendo-nos em constante atua-
lização. Procuramos sempre responder
às exigências do mercado e investimos
na sustentabilidade ambiental, sendo
que os nossos produtos são quase todos
recicláveis. No mercado da metalomecâ-
nica encontramo-nos num nível bastante
competitivo, no entanto, temos como ob-
jetivo levar a nossa qualidade mais lon-
ge… Chegar ao mercado internacional”
afirma Carla Soares, diretora-geral da
empresa.

5 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

Fairmeals
T
odos os anos, 1,3 mil milhões de
toneladas de alimentos produzidos
são perdidos ou desperdiçados, o
que representa cerca de 1/3 de todos os
alimentos produzidos globalmente. Só em
Portugal, estima-se que 1 milhão de tone-
ladas de alimentos comestíveis sejam des-
cartados anualmente, correspondendo a
97 kg por pessoa. Alguns países europeus,
como a Dinamarca e a França, já imple-
mentaram leis para limitar o desperdício,
acredita-se que outros se seguirão em
breve.
As soluções alternativas existentes, como
a doação, são válidas e importantes, po-
rém nenhuma delas possibilita ao em-
preendedor o retorno financeiro do que
foi investido. Foi assim que surgiu a plata-
forma digital FairMeals, que já conta com
app para Android e em breve lançará a
versão para iOS.
Destinada fundamentalmente às empre-
sas da Restauração, a FairMeals é uma
plataforma inovadora que pretende redu-
zir o desperdício alimentar e conta já com
cerca de 60 empresas de restauração par-
ceiras e 1200 utilizadores registrados na
plataforma (site e aplicativo).
A plataforma permite que as empresas
da restauração vendam os excedentes
de alimentos do dia ou próximos ao ven-
cimento da validade, que seriam descar-
tados, garantindo uma receita com ven-
das adicionais e ao mesmo tempo agem
de forma mais sustentável, diminuindo a
quantidade de resíduos produzidos. Atra-
vés da plataforma, ganham, também, no-
vos clientes que se podem converter em
clientes regulares.
Já para os Clientes, estes têm a oportu-
nidade de adquirir refeições mais econó- no Norte de Portugal, para campanhas nos mercados dos EUA, Brasil e demais
micas, podem descobrir novos espaços e de sensibilização e consciencialização am- países da União Européia.
experimentar novos pratos. O ambiente biental. A Fairmeal foi distinguida com o primeiro
também sai beneficiado, já que, se reduz A internacionalização do projeto é já uma lugar na categoria Startup da primeira Edi-
o desperdício alimentar, há também uma realidade. No primeiro trimestre de 2019 ção do Prémio Start&Go.
poupança dos recursos naturais. deram-se os primeiros passos para a en- “Num planeta onde 800 milhões de pes-
Recentemente foram desenvolvidas par- trada no México e que iniciará a operação soas estão subnutridas, é hora de usar
cerias com a IPSS portuguesa Zero Desper- ainda este ano. “Os preparativos estão nossos recursos de maneira sustentável.
dício, com o intuito de doar os alimentos quase completos e montamos uma pe- Assim, através da nossa parceria com a
não comercializados na plataforma, e com quena equipe que realizou algumas cam- Zero Desperdício podemos ajudar pessoas
a Lipor, entidade responsável pela gestão, panhas locais para entender o mercado”, que precisam de comida”, dizem-nos.
valorização e tratamento dos Resíduos afirma Carlos Pereira. Da nossa parte só podemos desejar muito
Urbanos produzidos por oito municípios A partir de 2020 está prevista a entrada sucesso e parabéns!

6 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

Evox Tecnologias

A
EVOX é uma startup portuguesa tecnológicos para a recolha de resíduos. e com perspetiva de crescimento para di-
fundada e sediada em Castelo Atualmente, a recolha de resíduos é uma ferentes vertentes” afirma.
Branco, especializada na área atividade dispendiosa. As empresas de É com satisfação que falam dos resul-
das tecnologias da informação, com foco recolha de resíduos gastam em média tados obtidos: “Através de uma equipa
no desenvolvimento de sistemas máqui- 1,5€ por Km, o que representa uma gran-
na-máquina (M2M) e Internet das coisas de fatia do seu orçamento. “O nosso pa-
(IoT). Os seus produtos são desenvolvi- pel enquanto empresa com uma solução
dos pela equipa de engenharia da empre- tecnologicamente avançada é oferecer
sa tanto ao nível de hardware, software e uma gama de produtos que permitam
mecânica. “Sermos uma empresa do In- ao cliente reduzir custos operacionais”.
terior de Portugal tem-nos colocado ver- Foi nesse sentido que surgiu a 360Waste.
Este é um serviço dedicado em facilitar
e minimizar os procedimentos de recolha
de resíduos às entidades. Dotado de uma
tecnologia com avançados algoritmos e
sensores de volume, permitem aos ges-
tores de resíduos reduzir os seus custos
de recolha.
A recolha dos dados volumétricos em
tempo real torna possível reduzir os
custos logísticos no processo de recolha proativa e especializada temos alcançado
de resíduos e diminuir a pegada ecoló- e fidelizado clientes alvo – municípios e
gica do mesmo. A tecnologia acrescen- entidades gestoras de resíduos privadas
ta, ainda, outras características de valor – e criado parcerias fundamentais na
para o cidadão: deteção de incêndios em conquista do mercado. “
dadeiros desafios... Somos um país con- contentores e a deteção de contentores A estratégia está definida e o caminho é
centrado nas grandes metrópoles, o que caídos na via pública, contribuindo as- de crescimento. “Acreditamos nos nos-
dificulta o crescimento de empresas que sim para redução de cheiros e aumento sos produtos e estamos concentrados em
pretendem manter-se sediadas no Inte- de segurança. “Além disso, a nossa base oferecer o melhor ao nosso cliente, com
rior. No entanto, o nosso objetivo é de- de dados permite que sejam desenhados uma política de proximidade e de apoio
senvolver uma empresa de referência na mapas de geração de resíduos onde po- imediato. Todos os nossos produtos se
sua área de atuação", diz-nos Hélio Silva, dem ser consultadas estatísticas e outros definem por chave-na-mão, com uma
sócio-gerente e fundador da empresa. dados que permitem um planeamento missão de apresentarmos o produto final
Uma das áreas que têm crescido dentro das entidades gestoras mais assertivo. mais completo, simples e intuitivo para
do seu core business são os produtos Estamos perante uma tecnologia flexível utilização do cliente.”

7 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

Medbone
C
laudia Ranito, Engenheira de Ma-
teriais de formação, perante uma
situação de desemprego, decide
arriscar e desenvolver um projeto que
cruza as competências adquiridas durante
o seu percurso académico e uma área que
sempre lhe despertou interesse, a área da
saúde. Nasce assim, em 2008, com o obje-
tivo de desenvolver e fabricar dispositivos
médicos para os mercados nacional e in-
ternacional, a Medbone. maior relevo na área. Simultaneamente, ses de materiais e outro com serviços de
Apesar das dificuldades iniciais inerentes a pretendem obter a certificação FDA que microbiologia. A criação destes 2 labora-
qualquer projeto inovador e empreende- vai permitir a entrada num outro grande tórios teve um único objetivo para a Me-
dor, em 2010 conseguem a certificação da mercado: os Estados Unidos da América. dbone: conseguir ser mais autónoma ao
unidade fabril, bem como a marcação CE “Acreditamos que esta certificação está nível dos testes necessários realizar aos
dos dois primeiros produtos: adbone®TCP para breve e que nos vai trazer ainda mais produtos regularmente e que até à data
eram realizados através de subcontrata-
ção a empresas internacionais, pois não
existem opções em território nacional.
“No entanto, e com o decorrer do tempo
ponderamos igualmente poder oferecer
também estes serviços para outras em-
presas que necessitem”.
Na carteira estão o desenvolvimento de
dois novos produtos com uma base de
origem animal – trata-se de produtos de
regeneração óssea de tecidos moles, que
se vão complementar com os produtos
que já comercializam atualmente. “Uma
vez que já temos a nossa rede de distribui-
ção montada nos países onde atuamos,
acreditamos que esta será também uma
mais-valia no nosso crescimento enquan-
e adbone®BCP, ambos substitutos ósseos oportunidades de negócio e de cresci- to PME”.
de origem sintética. No final do primeiro mento”, esclarece. A Medbone foi uma das empresas distin-
ano a vender os seus produtos, a Medbo- O ano de 2018 foi marcado pela criação guidas na categoria internacionalização do
ne já tinha atingido uma taxa de exporta- de dois novos laboratórios – um de análi- prémio Start & Go.
ção de 64%. Nos últimos 3 anos a expor-
tação atingiu valores sempre superiores a
90%. “Sempre foi o principal objetivo da
Medbone vender os nossos produtos para
fora de Portugal, fazendo-se representar
no maior número de países possível”, afir-
ma a empreendedora.
Atualmente, os produtos da empresa
estão presentes em mais de 90 países:
“orgulhamo-nos de ser uma marca de
referência na área da regeneração óssea,
fabricando 48 produtos diferentes para o
mercado internacional”, diz-nos.
É objetivo reforçar a presença interna-
cional da marca, garantindo para isso
uma presença assídua nos eventos de

8 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

Tomi aproxima as cidades das pessoas


FERNANDA SILVA TEIXEIRA
fernandateixeira@vidaeconomica.pt

Criado para servir e interagir


com a população e visitantes,
o Tomi já está em cerca de 100
cidades em Portugal, Brasil
e Chile. Presente nas ruas
nacionais há cerca de 7 anos, a
sua evolução e expansão tem
sido constante. A plataforma
tem vindo a integrar novas
funcionalidades, com serviços
inovadores, e tem chegado a
diversas novas localizações.
Assumindo que o objetivo
é “aproximar as cidades das
pessoas que nela vivem,
trabalham ou simplesmente a
trópoles. “Estamos já presentes em cerca
visitam”, José Agostinho, CEO
de 100 cidades, contamos com mais de 7
da Tomi World, salienta que a anos de experiência de rua e disponibiliza-
aposta na “internacionalização O Tomi responde
mos publicamente métricas de utilização e
é muito importante” na interação”, reforça o responsável.
com tecnologia
estratégia da empresa e revela José Agostinho considera que o sistema já inovadora e acessível
estar já “em negociações para faz parte do dia-a-dia das cidades: “O Tomi às necessidades
levar o Tomi para cidades de responde com tecnologia inovadora e das cidades, dos
todo o mundo”. acessível às necessidades das cidades, dos residentes e dos
visitantes

A
Tomi World foi criada com o obje-
tivo de colmatar uma necessida-
de que “entendemos existir em
todas as cidades do mundo: a necessida-
de de encontrar informação e serviços, de residentes e dos visitantes. Pretendemos
forma oportuna, quando e onde são pre- continuar a melhorar o serviço que criá-
cisos”, indica José Agostinho. mos e que acreditamos ser único e funda-
Segundo CEO da empresa, esta é uma ino- mental na dinâmica das smart cities”.
vação que “disponibilizamos às cidades e
aos cidadãos”. Esta é uma solução intera- Tomi foi criado especialmente
tiva de comunicação urbana, user-friendly, a pensar nas cidades
que promove atividades e pontos de in-
teresse como turismo, cultura, comércio Somando inúmeros prémios de reconhe-
local, serviços públicos, entre outros, “no cimento mundial, o Tomi “foi criado espe-
local certo à hora certa”. Nesse sentido, o cialmente a pensar nas cidades”. O equipa-
objetivo do Tomi é “aproximar as cidades mento disponibiliza informação e serviços
das pessoas que nela vivem, trabalham ou inteligentes através dos seus quatro mó-
simplesmente a visitam”. dulos principais: “Notícias, com a atualida-
Depois de cerca de 2 anos de investiga- de da cidade; “Agenda”, com os principais
ção e desenvolvimento, o primeiro Tomi eventos a decorrer; “Procurar”, onde se
foi instalado e, desde então, a empresa pode encontrar pontos de interesse desde
tem vindo a implementar diversas redes onde comer, onde dormir, o que fazer, en-
em pequenas localidades e grandes me- tre outros; e por fim os “Transportes”, no

9 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

qual se podem obter indicações, preços e Sobre o que os levou a concorrer ao Pré-
sugestões de transportes públicos para o Tomi é o melhor mio Start & Go, José Agostinho refere que
destino pretendido. amigo das cidades, a área da inovação “é muito importante
Para além disso, este é também um equi- ao disponibilizar no posicionamento da empresa, e tínha-
pamento acessível e inclusivo, que dispo- mos dois grandes projetos que implemen-
nibiliza estatísticas de utilização e intera-
informação e támos no último ano que mereciam reco-
ção publicamente. Assim, por exemplo, serviços inteligentes nhecimento. Este reconhecimento resulta
é possível aceder diretamente em qual- num reforço nacional do posicionamento
quer Tomi aos serviços públicos e tirar se- na área da inovação para o Tomi”. 
nhas de atendimento para as Lojas de Ci- micas de referência, que vão trazer uma Por um lado, “lançámos a integração dos
dadão e outras entidades públicas. Pode nova linha de serviços e funcionalidades Serviços Públicos no Tomi através de um
também ser solicitado um alerta por sms públicas, às cidades onde o Tomi está im- protocolo com a Agência para a Moder-
quando faltarem 3 senhas para a sua vez, plementado”. nização Administrativa”. Em paralelo, a
evitando que os utilizadores tenham de Para além disso, “estamos a trabalhar empresa lançou também uma inovadora
esperar na loja.  “Estes são apenas alguns para expandir o sistema nas cidades por- forma de promover acessibilidade e inclu-
dos motivos, inovações e funcionalidades tuguesas, de norte a sul do país, levando o são nas cidades com o ‘Tomi For All’, que
que nos diferenciam”, reforça o respon- mesmo a novas cidades e aumentando o permite a disponibilização de informação
sável. número de equipamentos nas localidades e serviços inteligentes de forma adaptada
O posicionamento da marca é o “City’s onde este já existe, “completando a rede a utilizadores em cadeira de rodas, com
Best Friend”, isto é, o Tomi é o melhor ami-
go das cidades, ao disponibilizar informa-
ção e serviços inteligentes, melhorando a
qualidade de vida dos habitantes e a ex-
periência daqueles que visitam a cidade.
Os valores da empresa passam pela cons-
tante inovação, por garantir qualidade e
atualidade de conteúdo e pelo contínuo
investimento em investigação e desenvol-
vimento, assegurando um posicionamen-
to “smart” às cidades que disponibilizam
o sistema.

“Queremos levar o Tomi


para cidades de todo
o mundo”

A Tomi World é a empresa tecnológica de


atividade global. O seu ambicioso projeto
de internacionalização explica que a em-
presa tenha já presença em cerca de 100 nacional que já é utilizada por quem vive e dificuldades auditivas, cognitivas, visuais e
cidades em países como Portugal, Brasil reside em Portugal”. até cegos. “Funcionalidades que tornam o
e Chile. “A internacionalização é muito TOMI ainda mais único e inovador”.
importante na nossa estratégia, por isso Prémio Start & Go atribui Segundo o CEO da TOMI World, o Prémio
estamos atualmente em negociações para Menção Honrosa na categoria Start & Go “é bastante interessante e con-
levar o Tomi para cidades de todo o mun- Inovação à Tomi World ta com um júri de renome, muito diver-
do”, afirma José Agostinho. sificado. Foi uma boa oportunidade para
Com um volume de negócios global de Distinguida com a Menção Honrosa, na ca- partilhar o nosso projeto e contactar com
2,5 milhões de euros no último ano, a em- tegoria de Inovação, na 1ª edição dos Pré- profissionais da área”.
presa assume como objetivo para 2019 mios Start & Go, são já inúmeros os pré- Mais recentemente, a empresa foi ainda
“continuar a crescer, através da inovação mios que a Tomi World tem recebido. Só finalista no Tech Marketing & Innovation
e expansão das funcionalidades do Tomi”, no ano passado, a empresa ganhou quatro Awards, na categoria “Diversidade e Inclu-
tornando as cidades mais inteligentes e prémios mundiais de smart cities: Smart são”, e nos Computing Digital Technology
acessíveis. “Na área da inovação, conti- Cities E-Gov (concedido pela World’s Leaders Awards, e foi distinguido nos Eu-
nuamos a trabalhar para integrar serviços Smart Cities Organization), InovaCidade ropean Product Design Awards, que conta
inovadores e únicos. Estamos a desenvol- (concedido pela Smart City Business Ame- com o Parlamento Europeu como parcei-
ver importantes projetos de investigação rica), Smart 50 Awards (pela Smart Cities ro, com o galardão de ouro na categoria
em colaboração com instituições acadé- Connect) e o Smart Cities UK Awards. Design para Sociedade.

10 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

Extradireccional premiada
pela aplicação My City
Em 2008, a Extradireccional
assumiu, desde logo, o
objetivo de dinamizar a
sinalética direcional em
Portugal. Para tal, procurou
juntar o espírito inovador
e de constante procura por
serviços e soluções ajustados
às necessidades do mercado.
Tendo por base o know-how
adquirido ao longo de vários
anos de atividade, a empresa
lançou, há cerca de um ano,
a My City, uma plataforma
que dá a oportunidade a Ou seja, trata-se de uma plataforma que
habitantes locais e turistas A aplicação permite
dá a oportunidade a locais e turistas de
saberem tudo o que se passa na cidade
de saberem tudo o que se comunicar de forma numa só aplicação e em tempo real. A
passa na cidade numa só distinta e inovadora, plataforma permite ainda que o utiliza-
aplicação e em tempo real. em formato online dor aceda a informação sobre a cidade de
A plataforma veio “ampliar uma forma personalizada, uma vez que
as soluções oferecidas” e pode escolher as áreas de interesse e,
disponibilizar uma outra através da sua localização, o que existe de
a aplicação que nos permitiu esta menção mais próximo.
forma de “encaminhar e de inovação”. Para que os utilizadores tenham acesso à
ligar pessoas e empresas”, A aplicação permite comunicar de forma informação atualizada e possam receber
explica Jorge Santos, CEO da distinta e inovadora, em formato online. alertas e notificações sobre o que mais
Extradireccional.
FERNANDA SILVA TEIXEIRA
fernandateixeira@vidaeconomica.pt


As constantes alterações de merca-
do e as necessidades de comunica-
ção mais direta e acessível levaram
a que, desde cedo, nos empenhássemos
nas reais necessidades dos clientes, tendo
conseguido proporcionar formatos publi-
citários com grande impacto e visibilidade
a um preço muito competitivo”, assegura
Jorge Santos.
Segundo salienta o CEO da Extradireccio-
nal, “através dos nossos postes de sinalé-
tica, os nossos clientes têm espaços que
orientam e guiam os seus visitantes até si.
Encaminhamos e ligamos pessoas e em-
presas. No sentido de ampliar as soluções
oferecidas, criámos, há um ano, a My City,

11 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

lhes interessa na cidade, apenas precisam


de ter o Bluetooth ou os dados móveis li-
gados. “Se não tiverem Internet, podem
aceder na mesma à informação, ainda que
a mesma possa não estar 100% atualiza-
da”.
Ao entrar na My City, a aplicação deverá
conseguir detetar se o utilizador é um tu-
rista ou um residente, ainda que não seja
obrigatório fazer um registo. Se o fizer,
pode personalizar as notificações e aler-
tas que recebe, de acordo com os seus
interesses. No caso dos turistas, as infor-
mações são mais direcionadas para tudo
o que sejam eventos, roteiros e espaços
a visitar na cidade, bem como alertas dis-
poníveis em quatro línguas, português, in-
glês, francês e espanhol. Já no caso dos re- Também por isso, a evolução do volume Sobre este reconhecimento, Jorge Santos
sidentes, a informação acedida está mais de negócios da empresa tem seguido afirma que é cada vez mais “importante
relacionada com aspetos importantes do conforme o previsto e de forma “sempre saber que somos reconhecidos pelo nos-
quotidiano, como o horário dos transpor- positiva”. Nesse contexto, o objetivo para so trabalho”. “Sabemos que a Start&Go é
tes, farmácias de serviço, alertas da Pro- 2019 é que o volume de negócios cresça uma referência e que os clientes procuram
teção Civil, avisos sobre incêndios ou aci- cerca de 30% face a 2018”. referências, daí a nossa participação. A ca-
dentes e até as ruas que estão cortadas. Questionado sobre quais os objetivos tegoria de inovação encaixa na perfeição
De salientar ainda que a Extradireccional estratégicos da empresa a curto/médio no projeto My City e não podíamos deixar
é parte integrante do grupo Shine Media, prazo, o CEO indica que existem objetivos de tentar. Quanto ao prémio, para nós,
juntamente com a Media Channel Comu- distintos para a empresa Extradireccional é um incentivo para que continuemos a
nicação (outdoor de grande formato) e a e para o projeto My City. Assim, relati- projetar o nosso futuro, servindo de fator
Shinecare Comunicação em Saúde. vamente à empresa, “queremos desen- motivacional para a nossa equipa que vê
volver de forma sustentável e reforçar a assim o seu trabalho e esforço serem re-
“Acreditamos que existe nossa imagem institucional; aumentar a compensados”, remata.
sempre margem para sermos rentabilidade económica e assegurar a
diferentes e disruptivos” estrutura financeira equilibrada. Para tal,
estamos focados em posicionarmo-nos
Desafiado a explicar o posicionamento da competitivamente e alinharmos os nossos
empresa, Jorge Santos assume que “acre- produtos, as necessidades e os desejos
ditamos em inovar, mudar e crescer”. dos nossos clientes, a 100%”. Já relativa-
“Contrariamente à tendência de merca- mente à aplicação My City o objetivo é o
do, vemos potencial infinito em todos os de “aumentar o número de utilizadores e
meios que dispomos e acreditamos que potenciar a vertente comercial”.
existe sempre margem para sermos dife-
rentes e disruptivos”. O perfeito exemplo Extradireccional distinguida
desta preocupação em estar na vanguar- com menção Honrosa
da da comunicação exterior é a aplicação na 1ª edição dos Prémios
criada pela empresa, a My City, que, atra- Start & Go
vés de tecnologia beacon, “relaciona os
nossos postes com o utilizador em tempo A Extradireccional foi distinguida com a
real, o que permite criar uma dinâmica in- Menção Honrosa, desta feita na catego-
teressante entre o estático e o dinâmico”. ria de Inovação, na 1ª edição dos Prémios
Embora o seu foco seja, essencialmente, o Start & Go, que decorreu no passado
mercado nacional, a empresa não diz que mês de maio. A iniciativa visou distinguir
não a uma possível internacionalização, a vertente inovadora e empreendedora
“desde que alinhada com a estratégia de- das Pequenas e Médias Empresas (PME)
finida e alicerçada a um desenvolvimento e as boas práticas das empresas nacionais
sustentável”. Não obstante, “neste mo- que, pelos seus resultados, sejam fonte de
mento, queremos construir redes locais inspiração para o restante tecido empre-
com valor”, frisa o responsável. sarial.

12 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

Axfilia desenvolve vestuário de trabalho


e proteção “made in Portugal”
FERNANDA SILVA TEIXEIRA
fernandateixeira@vidaeconomica.pt cil operar sem ser conhecido e reconheci-
do”. Salientando que a concorrência é “um

A
candidatura ao Prémio Start & Go poderoso fator a ter em conta nas nossas
começou com a seguinte frase: decisões”, a responsável afirma que, para
“Era uma vez uma Eng.ª Química além dos seus produtos, “o que nos dife-
acusada de nunca ter trabalhado em chão rencia é, sem dúvida, o serviço que dispo-
de fábrica…”. Maria José Machado fun- nibilizamos. Não há receitas milagre, nem
dou a Axfilia em 2013 e geriu-a como uma uma única forma de trabalhar, por isso a
“one woman show” até 2014. A empresa adaptação ao cliente, desde a pré até pós-
conta atualmente com 4 colaboradores e -venda, é fundamental para o êxito”.
alcançou já uma taxa de exportação supe- Desafiada a concretizar melhor esta dife-
rior a 80% do seu volume de negócios. renciação, Maria José Machado destaca
Assumindo o lema “Great clothing for a aposta na participação em grupos ou
great jobs!”, a Axfilia “desenvolve e ven- plataformas europeias que permitam um
de vestuário” de trabalho e de proteção, envolvimento profundo no setor do ves-
maioritariamente em malha, com carac- tuário de proteção, onde é possível ter
terísticas e funcionalidades técnicas úni- acesso a decisões normativas europeias,
cas, totalmente “made in Portugal”. Tendo pertencer a grupos de discussão técnica,
entre outros. “É um investimento que se
torna impreterível a cada ano que passa,
Assumindo o lema pois queremos continuar a ser um nome
“Great clothing incontornável no desenvolvimento e fabri-
co de vestuário de trabalho e proteção”.
for great jobs!”, Outro fator essencial na afirmação da Axfi-
a Axfilia “desenvolve Questionada em que medida a empresa lia foi a aposta no desenvolvimento de um
e vende vestuário” se diferencia da concorrência, a CEO da projeto de internacionalização imediata-
de trabalho Axfilia explica que o mundo do vestuário mente aquando da sua génese, em 2013,
e de proteção, de trabalho e proteção em que laboram é, focado exclusivamente em 3 países eu-
maioritariamente de facto, “um nicho. Um nicho onde é difí- ropeus: Bélgica, França e Holanda. Hoje,
em malha,
com características
e funcionalidades
técnicas únicas,
totalmente
“made in Portugal”

nascido e crescido em torno do vestuário


de trabalho técnico, muito embora básico,
os produtos da Axfilia rapidamente passa-
ram a ter características mais arrojadas,
mais desafiantes, com exigências de certi-
ficações e marcação CE, obrigatória por se
tratar de produtos de proteção individual.
“A capacidade de abraçar estes desafios
foi imediata e, aos dias de hoje, a empre-
sa é um nome incontornável no fabrico de
artigos de vestuário de trabalho e de pro-
teção”, refere a empreendedora.

13 | START&GO | julho 2019


PRÉMIOS START&GO

a empresa está presente não só nestes


países como também na Alemanha, Suíça
e Portugal, e veste para entidades como a
Proteção Civil Francesa, a Polícia de Basi-
leia, ou o Porto de Antuérpia. “Em 2018
exportámos mais de 80%, por isso os mer-
cados externos são de maior relevância
para a nossa atividade”.
Até 2017, o crescimento da Axfilia pautou-
-se, em média, na ordem dos 30% ao ano
e em 2018 a empresa alcançou um volu-
me de negócios superior a 700 mil euros.
Para o ano corrente, contudo, a previsão é
de “estabilização do crescimento, não só
pela maturidade dos investimentos, mas
por 2019 estar a ser um ano de abranda-
mento económico”, salienta Maria José

“A aposta na equipa,
na capacidade
produtiva e na
penetração em
novos mercados
é ação listada no
nosso plano a curto
e médio prazo”
Imagem que temos reconhecimento, a CEO indica que a “ima-
vindo a criar é focada gem que temos vindo a criar é bastante
na internacionalização focada na internacionalização” e, por essa
Machado. Ainda assim, a responsável as- A Axfilia foi uma das empresas distingui- razão, “um reconhecimento a nível nacio-
segura que o “crescimento só é possível das nos Prémios Start & Go. A empresa re- nal mostrou ser uma forma de podermos
com investimento”. Por isso, a “aposta na cebeu uma Menção Honrosa na categoria ‘ser e parecer’, o que se revela muito im-
equipa, na capacidade produtiva e na pe- Internacionalização. portante na nossa área”. Para além disso,
netração em novos mercados é ação lista- Questionada sobre o que a levou a con- a responsável admite ainda que desde o
da no nosso plano a curto e médio prazo”. correr a este prémio e o que significa este início “nos identificamos com o Prémio
Start & Go, assim como com a própria re-
vista e plataforma, por se focarem no em-
preendedorismo e fomentarem a partilha
de bons exemplos e boas práticas”.
A participação neste tipo de iniciativas e
de prémios representa uma “aposta no re-
conhecimento” da empresa. Porém, “esta
tem de ser uma aposta contínua e, por isso,
temos de nos posicionar e procurar um pal-
co onde possamos comunicar. Por mais fútil
ou desinteressado que possa parecer, este
tipo de reconhecimento e recomendações
são fundamentais”. Prova disso mesmo, no
passado mês de Junho, a Axfilia recebeu
uma comenda em Londres, a propósito dos
Professional Clothing Awards, uma reco-
mendação internacional que tem um “va-
lor bastante difícil de calcular”, finaliza.

14 | START&GO | julho 2019


GESTÃO

O BEO: o gestor da boa


governança e ética empresarial
Ana Isabel Lucas
Consultora & Formadora
Comunicação & Gestão da Qualidade
annalukkas@hotmail.com

A
figura do BEO – Business Ethics
Officer surge no I Congresso de
Ética nos Negócios em Tóquio,
por analogia ao CEO – Chief Executive
Officer.
Neste congresso foi criado um centro es-
pecial de ética empresarial, onde se deu
corpo ao papel dos BEO. Não são polícias
ou padres. São conselheiros, especialistas
em assuntos de ética e, idealmente, de-
vem ocupar cargos de topo nas empresas.
A ética é uma parte da filosofia que estuda
os comportamentos morais de um indivi-
duo, em grupo ou em sociedade. A ética
não é a lei, mas a lei tem por base os prin-
cípios éticos.
A ética empresarial é um conjunto de
princípios práticos que são identificados
no âmbito da atividade empresarial, as-
segurando que o respeito e os interesses
das partes interessadas estão conforme os
valores sociais e culturais onde a empresa mos. Antes de mais, a ética nas empresas código de valores da empresa. Pelo con-
está inserida. deverá partir da ação individual de cada trário, este papel é primordial para criar
Mas a ética empresarial não se limita so- uma cultura ética bem-sucedida.
mente ao país de origem das empresas. Certos traços da personalidade individual
Com a globalização é necessário pensar A ética nas empresas são fatores responsáveis por condutas
a ética de forma global. De acordo com a deverá partir antiéticas. A ganância, a procura de bene-
filosofia Kyosei, “uma empresa que mere- fícios económicos, a falta de competitivi-
ce existir é aquela que deve estar perto e
da ação individual dade, menor grau de instrução, a idade,
coexistir com as pessoas de todo o mun- de cada colaborador, entre outros, são preconizadores de com-
do, para um futuro melhor”. mas não invalida portamentos antiéticos.
A gestão deve ser consciente e sensível as responsabilidades Estudos realizados nos Estados Unidos
às consequências. Não pode existir sem dos gestores revelam que a ambição por lucros a cur-
ter alma e ser mecanicista, mas sim ser que devem ter um to prazo acentua-se nas faixas etárias com
uma gestão empática, sensível ao que menos de 45 anos de idade, o que inten-
faz e sensível às consequências dos seus
papel de promoção sificou uma preocupação com as novas
atos para o meio social e natural. Produ- e manutenção gerações de empresários que se formam.
zir uma única unidade de um produto tem do código de valores O esforço para conseguir uma cultura em-
efeitos mínimos mas a sua produção em da empresa presarial competitiva faz com que se ne-
massa multiplica-os. É urgente aprender a gligenciem princípios fundamentados nas
conviver com o meio envolvente e não a leis e na ética.
dominá-lo! colaborador, mas não invalida as respon- A preocupação com as questões éticas nos
Decidir de forma ética não é um processo sabilidades dos gestores que devem ter negócios não é nova mas carece de mais
simples, tem várias etapas e condicionalis- um papel de promoção e manutenção do publicações e divulgação. Para formar

15 | START&GO | julho 2019


GESTÃO

A prática revela que “fazer o mal” tem


resultados imediatos e efeitos nefastos a
médio/longo prazo. Se demora o mesmo
tempo e são gastos os mesmos recursos
a “fazer o bem” ou a “fazer o mal”, para
quê “fazer o mal”, se o bem dá-nos um ca-
minho para um futuro duradouro e bem-
-sucedido?
É urgente pensar a ética! É urgente formar
e dar corpo aos BEO e destronar a cultura
dos CEO brilhantes e sedentos de lucros a
curto prazo, sem olhar a meios para atin-
gir os fins.
Assiste-se diariamente a situações decor-
rentes de comportamentos antiéticos:
subornos, chantagem, corrupção, extor-
são, recrutamento e seleção sistemática
de membros da família ou critérios de
favoritismo, lavagem de dinheiro, uso im-
próprio de informação confidencial, discri-
minação, assédio moral e sexual, falta de
segurança nos produtos, anúncio de falsos
descontos, condições de trabalho degra-
dantes ou ilegais, poluição ambiental, eva-
boas gerações de gestores é importante mundial: a falência do banco inglês Barin- são fiscal, condições leoninas, etc.
investigar, pensar, ensinar e publicar mais gs em 1995 e a falência do Lehman Bro- A sociedade já não perdoa as maldades
sobre este tema. thers, nos Estados Unidos, que leva à crise e a falta de ética. E exemplo disso são os
A nuvem negra de escândalos que paira e recessão de 2008. Em Portugal, o BES, casos BES, Raríssimas e Berardo, em que
sobre Sillicon Valley mobilizou institui- que chegou aos quatro cantos do mundo, assistimos a manifestações dos públicos
ções de ensino na procura de respostas defraudou várias empresas e clientes par- em força nas redes sociais e à perda da
às preocupações verificadas. Atualmente, ticulares. confiança nestas organizações.
existem mais de 200 cursos de ética nos Quando uma empresa é percebida como
negócios, ministrados nos Estados Unidos. antiética, os seus produtos ou serviços são
A ideia é intensificar o ensino, dar valor
É urgente pensar facilmente rejeitados pela sociedade. Ins-
e relevância às disciplinas de ética, como a ética! É urgente taura-se um ambiente interno de confli-
um primeiro passo para a mudança neces- formar e dar corpo tos, o desempenho e a motivação dos co-
sária. aos BEO e destronar laboradores são fracos, comprometendo a
Nos escândalos recentes dos gigantes tec- a cultura dos CEO sua imagem e reputação e, obviamente, a
nológicos de Sillicon Valley, o do Facebook brilhantes e sedentos sobrevivência da própria empresa.
que envolveu a Amazon, a Apple e outras O uso de instrumentos éticos na gestão é
empresas de tecnologia e o escândalo da
de lucros a curto um caminho para uma gestão sustentável
Google, foram violados o direito à priva- prazo, sem olhar e ajuda a desenvolver uma cultura ética.
cidade dos consumidores e colocaram em a meios para atingir As normas de responsabilidade social, a
causa a autonomia e individualidade des- os fins ISO 26000 ou a SA 8000, e, ainda, a ISO
tes. 10001, Linhas de Orientação dos Códigos
A cultura que caracteriza o Vale é objeto de Conduta nas Organizações, são exce-
de imitação e inspiração para muitos em- Muito tem sido feito para consciencializar lentes instrumentos de orientação nas po-
preendedores pelo mundo fora, mas o o mundo empresarial para os assuntos líticas e práticas éticas de uma empresa.
lucro a curto prazo leva os CEO destas em- éticos. Por todo o mundo a comunidade São de carácter opcional e não possuem
presas a pensar nas questões éticas mais científica organiza-se, investiga e promove certificação, funcionando como um livro
tarde. A cultura que predomina é: “desen- sessões especiais em congressos e confe- de receitas para criar a base inicial de éti-
volve agora, pede desculpas mais tarde”. rências sobre a ética nos negócios. Criam- ca empresarial.
Não só de escândalos tecnológicos vive -se associações com o intuito de elaborar A ética é a base do desenvolvimento sus-
o mundo empresarial. Os maiores escân- programas de ética e são introduzidas dis- tentável e da responsabilidade social das
dalos empresariais dos últimos 20 anos ciplinas nos currículos das instituições de empresas. Não pode existir inovação sem
envolvem empresas do setor financeiro e ensino. Mas o impacto ainda não é rele- ética, pelo que deve estar presente desde
tiveram um grande impacto na economia vante. a ideia de negócio.

16 | START&GO | julho 2019


VENDAS

19 dicas para desmistificar


o preço numa venda!
José Carlos F. Pereira
Expert em vendas e desenvolvimento
de negócios

S
e há uma objeção que todos os
vendedores identificam como a
mais comum de todas, é o preço.
Deixo uma palavra de agradecimento a to-
dos os leitores que seguem os meus con-
teúdos, e que me fizeram sorrir em abril
de 2019 depois de ser mencionado como
um dos autores mais lidos na categoria de
vendas durante o ano de 2018. O prémio
é vosso e só vosso!
Logo, neste artigo da Start&Go, após al-
guns pedidos dos leitores sobre este as-
sunto, tenta-se, de forma muito simples
e prática, contornar a resposta que quase
todos os dias recebemos quando apresen-
tamos uma proposta - “O seu produto/
serviço é caro". 2 A sério? Como chegou a essa con-
clusão? – esta pergunta provoca um
grande impacto no cliente, embora deva
mos os clientes que têm orçamento para
comprar a nossa solução daqueles que
não têm. Para além disso, projetamos
“Saber colocar questões ser usada com um sorriso sincero da nossa que produtos com valor são naturalmen-
e responder a objeções parte. Conhecendo o raciocínio de perce- te mais caros por tudo o que agregam
de preço com outras questões ção de preço, conseguimos conhecer as (produto ou serviço aumentado), facili-
é um dos segredos” expectativas do mesmo. Conhecendo as tando a tomada de decisão e prescrição
expectativas e interesses, fica aberta uma a nosso favor.
Prescrever uma solução de produto/servi- argumentação baseada na racionalidade
ço sem fazer um diagnóstico prévio é uma
má prática. Então, para entrarmos no ra-
ciocínio de quem compra para perceber as
e não na emoção, para que discuta o que
o move como necessidade (a necessidade
de compra é normalmente racional, mas a
5 Qual o custo de não fazer nada? De
não implementar? – normalmente
questionamos sempre o preço ou orça-
suas motivações e decisões, saber fazer as decisão é muito emocional). mento para fazer alguma mudança ou im-
perguntas certas é bem mais inteligente plementação de uma solução, "e qual é o
do que dar respostas. E isso é o que tento
resolver com 19 perguntas e respostas, a
colocar de imediato e a quente, quando
3 Há algum ponto em que falhei no de-
talhe? – fica aberta uma porta para
rever todo o processo de compra e mais
custo de não fazer nada?"... garanto-vos
que normalmente é superior. Os custos
mais elevados estão normalmente escon-
nos “atiram para a cara” que a nossa solu- facilmente conseguimos maximizar as for- didos no "statusquo" de quem compra,
ção, seja ela qual for, é cara. ças da nossa proposta e diminuir as suas as pessoas estão abertas à mudança e a
eventuais fraquezas. Aumentar valor faz experimentar algo novo, mas para isso

1 Muito caro comparado com o quê? –


o termo "caro" admitamos que é real-
mente muito relativo e julgo que não obri-
aumentar o preço na cabeça de quem
compra.
têm de mudar as suas opções. Será que
mudam? ("Queremos mudança mas não
queremos mudar" é o normal perfil que
ga a objeções (!). Se conseguirmos provo-
car uma comparação com outra proposta 4 Percebi. Os melhores produtos são
normalmente os mais caros – a ob-
se encontra.).

ou solução concorrente (se existir), facil-


mente conseguimos desmontar o raciocí-
nio da outra parte. Fazer o cliente pensar
jeção ao preço, segundo alguns especia-
listas referem em literatura, só é objeção
quando o cliente a refere por mais de
6 É um problema de cash-flow ou de
orçamento? – esta questão vai direta
ao coração do cliente, mexe com ele por
é a chave. duas vezes. Com esta resposta separa- ser provocadora. Conhecendo as razões,

17 | START&GO | julho 2019


VENDAS

ficamos mais à vontade para argumentar, talhada mais acima no artigo. Se a respos- nosso dispor. É importante sabermos a
muitas vezes a questão não é preço, mas ta for “não”, devemos identificar espaço nossa margem, mas também percecio-
sim a política comercial: condições de pa- para retornar ao valor ou mesmo abando- narmos a do cliente quando não o conse-
gamento, desejo de um desconto, etc. nar a venda. guimos numa primeira abordagem. Com
esta questão mais facilmente se dá uma

7 Se o preço não tivesse peso na decisão,


optaria pela nossa solução? – pergun-
ta poderosa, não acha? É verdadeiramente
12 Qual o ROI que procura? – o ROI é o
retorno sobre o investimento (“return
on investment” em inglês). Ao apontar-
aproximação à realidade da margem de
negociação disponível (até aonde o clien-
te está disponível a ir para cima no preço,
um desarmar da objeção para focar apenas mos para este valioso indicador, apagamos e nós o quanto estamos dispostos a ceder
e só no valor. Experimente, tem resultados a questão preço de curto prazo e pressão, no mesmo).
incríveis e o cliente desarmado. apontando para o longo prazo do negócio.

8 O que é que é caro? – a pergunta deve


ser colocada gentilmente e provoca
Pode até ser comparado com outras solu-
ções afirmando que a preocupação é ser
rentável para quem nos compra, pensando
17 Qual foi a última compra que fez
apenas baseada no preço? – como
já referido em anteriores questões, nin-
um centrar da questão no valor e bene- sempre primeiro na satisfação da sua neces- guém gosta de se percecionar como a
fícios da solução. Se o cliente especificar sidade, e não no imediatismo da venda. comprar barato. Empurrando para uma
uma ou outra característica, é sinal que experiência barata que teve no passado,
ainda não percecionou o valor. Compete a
quem vende dar mais detalhe sobre o que
a solução vai trazer com impacto positivo
13 Para um semestre pode parecer
caro, mas vamos repartir por um
mês, um dia? – é das perguntas que mais
estamos muito possivelmente a ferir o
cliente de uma má experiência que teve
do tipo “o barato do momento saiu caro
ao negócio do cliente. gosto e serve para quase tudo, produtos no tempo”.
ou serviços, desde que consigamos dar

9 O preço é o único ponto que o impe-


de de assinar contrato? – com esta
formulação eliminamos à partida qual-
alguma tangibilidade ao processo. Aqui
podemos estar a falar de pós-venda, de
assistência, de serviço, de atendimento,
18 Já tive duas situações parecidas
com clientes que hoje nos com-
pram – com esta resposta estamos a pro-
quer outra objeção com exceção do preço. de manutenção, de utilização, tempo de vocar uma ancoragem no raciocínio do
Isso vai colocar o ónus da venda todo do vida, etc…. Fracionando o preço, ele deixa cliente. Demonstramos que não está sozi-
nosso lado, desarmando argumentação de ter significado na decisão de compra. nho na discriminação a nosso favor e que
sobre valor e benefícios, partindo do prin- Quanto mais reduzirmos, o espaço tem- outros já tiveram essa experiência. Para
cípio que já os percecionou e interiorizou. poral em função do preço mais interessan- os clientes “ver para crer” e sempre com
te fica o raciocínio. dúvidas é muito eficaz. Permite também

10 Isto significa que nunca mais te-


remos oportunidade de trabalhar
juntos? – quase dramático, temos de admi- 14 O nosso preço é mesmo mais caro
que o do concorrente? – sendo as-
demonstrar pelo exemplo que em vendas,
assim como na vida em geral, traz normal-
mente bons resultados na decisão.
tir. No que toca a vendas, a palavra “nun- sim, só nos resta apontar para o valor e
ca” é das mais poderosas para ferir (depois
vem o curar para quem domina as técni-
cas). Como a grande maioria das pessoas
para os benefícios. Sugiro uma listagem
e comparação ponto a ponto, do tipo “o
meu produto faz isto… e o do concorrente
19 Pausas ou silêncios de ouro – na
minha opinião, a dica mais pode-
rosa e que leva a maiores e melhores re-
não gosta da palavra, vamos ter sempre não”. Se ganharmos em muitos pontos, o sultados quando somos um expert na ma-
respostas tais como “bem, realmente, nun- preço está explicado naturalmente, pois téria. Os silêncios e as pausas provocados
ca não se aplica, claro que vamos voltar a oferecemos mais valor. nas vendas e negociação são realmente
estar juntos… podemos resolver isto ainda de ouro e podem conduzir a resultados
hoje”. Ficou trabalhada a conexão e o ali-
nhamento ("rapport"), até no subconscien-
te do cliente, e com isso ficou mais permis-
15 Alguma vez comprou um produto/
serviço similar? – esta questão é
importante, pois, por vezes, o cliente não
extraordinários. Quando a resposta é uma
não resposta, neste caso o silêncio, o nos-
so interlocutor tem tendência a querer
sivo ao nosso processo de influência. tem perceção da construção do preço da explicar de imediato o seu raciocínio após
nossa proposta. Para além disso, pode uma objeção, e normalmente dá armas
A questão da objeção "preço" desconhecer soluções de serviço ou pro- gratuitas para que a venda seja fechada
é a mais comum entre os duto próximos, logo constrói um raciocí- por quem vende.
profissionais de vendas, nio sem nenhuma ancoragem e fala de
mas é também das mais preço sem qualquer referência. Com isto Se os benefícios e valor do produto não
desafiadoras quando bem conseguimos desarmar essa má constru- forem bem trabalhados previamente, a
dominada! ção que fez da perceção do preço. questão "preço" estará sempre na or-
dem do dia numa reunião de vendas ou

11 Esquecendo o preço, temos o pro-


duto que precisa? – se a resposta for
um “sim”, podemos recorrer à dica #9 de-
16 Pensa que custa de mais? – é uma
boa pergunta para sabermos qual
a margem de negociação que temos ao
negociação. Logo, só falar de preço ao
cliente quando este já conhece o nosso
valor!

18 | START&GO | julho 2019


MARKETING

O futuro veste jaqueta amarela


Renata Abranches
especialista em Fashion Branding,
A falta de políticas e compromissos rela- Estejam eles no papel de colaborador,
Pesquisa e Consultadoria de Estilo cionados à crise do aquecimento rouba aliado, filho, sobrinho ou consumidor, será
as perspectivas de futuro das novas gera- que estamos preparados para acolher,
ções. “Percebi que ninguém estava fazen- apoiar e desenvolver esses jovens, donos
do nada para impedir que isso aconteça, de uma grande responsabilidade social e
então eu precisava fazer alguma coisa." que sempre precisam expor e debater a

D
ia desses, ouvi numa palestra Simples assim. sua opinião? Que não conhecem o mun-
que a ‘infância seriam as férias Seu inconformismo foi o gatilho para o do sem internet e não separam online e
da alma’. Ou deveriam ser. Em trabalho de formiguinha voadora, iniciado offline (vivem onlife) e são desapegados
muitas paragens (mais perto do que nos em agosto de 2018, quando, incentivada das barreiras geográficas. São hipercogni-
damos conta), tristemente, a realidade pelos pais, começou a faltar às aulas todas tivos, ou seja, não só fazem diversas coisas
é bem diferente. Segundo a ONU, atual- as sextas-feiras para protestar em frente ao mesmo tempo como também pensam
mente existem mais de 150 milhões de ao parlamento sueco. Sempre vestida com e conectam assuntos na “velocidade da
crianças no nosso planeta que estão in- uma icónica jaqueta sinalizadora amare- luz”. Têm extrema ansiedade, mas são
cluídas na lista do trabalho infantil. Uma la, a menina segura o cartaz com a frase agregadores, compreensivos, sensatos,
realidade social trágica e perversa e ques-
tão inadiável.
Porém, em contextos mais justos e éticos,
nesse período da vida, é comum sermos
deveras protegidos e estimulados a viver

Economia
colaborativa,
igualdade social,
bullying, tecnologia,
aquecimento global,
política, liberdade
de gênero são só
o início da lista
de assuntos da vida
dos miúdos

a nossa natureza o mais distante possível


das “preocupações adultas”.
Tantos assuntos que até ontem eram res-
tritos ao mundo dos crescidos, hoje são
pautas da vida dos miúdos. Economia co-
laborativa, igualdade social, bullying, tec- "Skolstrejk för klimatet" (greve escolar inclusivos e flexibilizam tudo. Nada para
nologia, aquecimento global, política, li- pelo clima). O que ela não podia imaginar eles é “ou”, e sim “e”. A geração do “por
berdade de gênero são só o início da lista. é que dava início a um movimento estu- que não?”.
O ano é 2019, e o mundo todo assiste à dantil planetário, arrastando legiões de Assim, refletindo sobre o que ouvi da tal
indicação da jovem sueca Greta Thunberg, jovens de mais de 100 países, que, assim palestrante, concluo que não tem mais
de 16 anos, ao prémio Nobel da Paz por como ela, levam cravados no coração uma essa história de “alma de férias”, não! As
liderar o movimento #FridaysForFuture, “questão de adultos”. crianças estão mais atentas e bem-dispos-
contra o aquecimento global. A jornada Greta representa a geração Z, da verdade tas a trabalharem voluntariamente por
de Greta como ativista ambiental come- e da ética, que, muitíssimo em breve, será um mundo melhor.
çou quando compreendeu a distância en- líder das corporações. Líder do mundo. E Cresçam logo, meninas e meninos! Aguar-
tre o nosso problema ambiental colossal o que isso tem a ver com o meu negócio, damos ansiosos por vocês (e que não es-
e a negligência das autoridades da Terra. Renata? Tudo. tejamos nós de férias nesse dia).

19 | START&GO | julho 2019


MARKETING

Como comunicar uma narrativa


de marca através do formato de vídeo?
João Miguel Lopes
Consultor e Formador na área de Este padrão de narrativa encontra-se pre- Nesta sequência, o personagem vai ficar
transmedia Storytelling sente na maioria das histórias que conhe- num ponto sem qualquer possibilidade de
Docente Universidade Portucalense
IPAM_IADE cemos, sejam estas reais ou ficcionais, e retorno, o que o obriga a entrar num novo
permite que as mesmas tenham uma es- mundo, abandonando a realidade que vi-
trutura que resulta numa experiência pro- via anteriormente.
funda na audiência a elas exposta. Geral- E é neste novo paradigma a que ele está

Q
uando pensamos em criar uma mente aquilo que chamamos o enredo ou exposto que se depara com outras perso-
narrativa (conteúdo), seja esta trama da nossa história! nagens ou acontecimentos que o conven-
para a adaptação a um formato Esta teoria assenta em três estágios princi- cem a aceitar esta nova situação, perso-
de filme, em livro ou outro, devemos per- pais da história: nagens estas que o ajudam e incentivam
ceber que existem uma série de metodo- •︎ O estágio da “Apresentação” em que te- a avançar na ação. Ele é testado perante
logias e técnicas de estruturação da infor- mos o primeiro momento e enquadra- novas realidades, obrigado a enfrentar
mação, para que a narrativa funcione no mento de toda a nossa narrativa; inimigos e desafios de risco, aprendendo
posicionamento da marca. • O estágio do “Conflito”, uma fase em novas regras e conquistando aliados e é,
No caso de um projeto de vídeo, para além que se desenrola a maioria da história; precisamente, nesta fase que se desenrola
do tema central do nosso projeto e do seu •︎ E o estágio da “Resolução”, que culmina a parte mais significativa da nossa história,
objetivo final, seja este mais comercial ou a fase do “Conflito”.
institucional, torna-se importante a reco- Regra geral, o nosso protagonista vence
lha de informação o mais ampla possível No caso de um todos os desafios com êxito e ainda um
acerca da temática que queremos abordar projeto de vídeo, grande obstáculo final que será o dilema
e dos potenciais públicos a atingir. É funda- torna-se importante da narrativa e aquilo que podemos desig-
mental compreender a forma como estes nar da provação extrema da nossa histó-
encaram ou reagem ao nosso tema, e quais
a recolha de ria. Ele atinge finalmente a recompensa,
os “gatilhos” principais que valorizam para informação o mais o prémio por alcançar o objetivo a que se
que possamos provocar neles um compor- ampla possível propôs, dando inicio à viagem de regresso
tamento favorável ao nosso objetivo final, acerca da temática para o seu mundo, aquele que vivia inicial-
que é transmitir determinada mensagem. que queremos mente e onde vai enfrentar novos testes
Após este trabalho inicial, partimos para abordar e dos e mostrar toda a sua transformação para
a criação do storyboard e script da histó- ajudar os outros na conquista de um mun-
ria. O primeiro é uma ferramenta que nos
potenciais públicos do mais justo – a chamada fase da “Reso-
permite de uma forma prática ver as di- a atingir lução”.
ferentes cenas de enquadramento do pro- Resumindo, para conseguirmos uma boa
jeto de vídeo, e o segundo, o documento história necessitamos de desenvolver uma
que descreve a história, ou seja, todo o com o final da aventura. personagem que seja excecional, colocar
contexto e enredo, relação e diálogo entre Para que possamos compreender melhor esta a enfrentar dificuldades excecionais,
personagens. o desenvolvimento de um projeto com procurando atingir um fim memorável
Assim, na criação da narrativa existem vá- base nesta teoria, devemos saber que, re- ou satisfatório para o objectivo a que nos
rias metodologias que podemos utilizar. gra geral, temos um personagem que vive propomos.
No entanto, destaco a Teoria da “Jornada um dia a dia confortavelmente e, numa Como exemplo de um projeto em que se
do Herói”, de Joseph Campbell, usada am- dada circunstância ou momento, este an- aplicou esta teori, a “Donate Life” traba-
plamente na criação de histórias de suces- seia ou é exposto a algo de novo, um de- lhou uma estratégia de storytelling para se
so. safio ou uma conquista que vai alterar por ligar à geração millennial.
Se analisarmos esta teoria, existe uma completo a sua rotina. A doação de órgãos é um tema que, in-
lógica no seu método de criação da nar- Ele é “desafiado” a abandonar a sua roti- felizmente, ainda gera bastante polémica
rativa apoiada no arquétipo “O Herói”, o na, a partir numa aventura completamen- em qualquer sociedade.
individuo capaz de enfrentar de forma co- te estranha, oferecendo a natural resis- Atualmente, existem centenas de pessoas
rajosa os vários desafios e provações que tência que qualquer ser humano tem ao a aguardar a doação de órgãos e, todos os
determinado percurso de vida lhe impõe, enfrentar algo desconhecido e que o co- anos, cerca de 8000 dessas pessoas mor-
conseguindo com sucesso o alcance dos loca perante cenários de medo, recusa e rem por dia, por não conseguirem aceder
seus objetivos. tentativa de fuga. a tempo a órgãos vitais.

20 | START&GO | julho 2019


MARKETING

Gráfico da teoria “Jornada do Herói” de Joseph Campbell o projeto desenvolvido pela marca, em
2014, chamado “Cornetto Cupidity – Love
Stories”, que procura contar histórias do
nosso dia a dia relacionadas com pessoas
e com a forma como estas podem encon-
trar o amor em vários estágios da sua vida.
Cupidity é uma campanha composta por
uma série de vários filmes desenvolvidos
para a web e que contam a história de vá-
rias personagens que procuram o amor.
nem sempre correspondido da forma
como o idealizam.
Vídeo de apresentação da web-
série: https://www.youtube.com/
watch?v=tWVErRJA95s
A marca consegue, por este via, cativar
a sua audiência para uma experiência de
entretenimento, tendo como grande ob-
jetivo a transmissão da sua mensagem
de posicionamento e criando a tal relação
emocional entre os seus valores e os valo-
res do seu público.
Qualquer um dos vídeos criados para esta
Fonte: Wikipedia - http://bit.ly/2JmwX7T campanha tem a sua base numa narrativa
como aquela descrita anteriormente.
Procurando incentivar a geração millen- na sua comunicação o relacionamento Uso como exemplo o filme com o tí-
nial a tornar-se dadora de órgãos, esta ins- amoroso. tulo “The Oasis” que podemos visua-
tituição desenvolveu uma campanha de lizar aqui: https://www.youtube.com/
sensibilização com o título: “The World’s watch?v=afUwmXcAchI
Biggest Asshole”, A marca Cornetto Nesta história, temos o momento chama-
Um argumento com recurso ao humor e do do estágio da “Apresentação”, do qual
alguma insensibilidade torna esta peça re-
tem-nos habituado faz parte um protagonista, que é a rapari-
pleta de criatividade, levando ao extremo a um universo de ga que viaja, e temos também o seu pro-
algumas atitudes do dia a dia de qualquer histórias que nos pósito de viajar.
sociedade. remetem para um Por outro lado, temos o estágio do “Con-
Vídeo da campanha: https://www.youtu- mundo de paixão flito”, onde ela se expõe a um novo uni-
be.com/watch?v=FutGhjdrxT0 e amor, ao recorrer, verso e onde conhece um outro persona-
Este processo adaptado ao formato de gem que a desafia a novos propósitos, aos
vídeo é fundamental para a estratégia
quase sempre, a quais ela não se sente confortável.
de criação de conteúdos na comunicação encontros entre Por fim, entramos na fase da “Resolução”,
da marca, tendo, cada vez mais, um forte dois estranhos em em que a história nos mostra que tudo
poder sobre o utilizador, principalmente, que o único ponto acaba de uma forma surpreendente, já
quando consumido através dos meios e comum entre eles que o personagem ultrapassou todos os
plataformas online. é o saborear de um conflitos e encara agora o seu mundo com
A relação criada através do vídeo é mais uma visão claramente distinta da que ti-
pessoal, próxima, criativa e mais convin-
gelado da marca nha inicialmente.
cente. E esta tendência tem desenvolvido Com esta campanha a marca manteve a
hábitos nas pessoas do uso do vídeo como sua linha de pensamento estratégico ao
base primária de informação, diversão e Desde os clássicos anúncios de TV da dé- nível da comunicação a que sempre nos
até mesmo de transmissão de mensagens cada de 80 até aos dias de hoje, a marca habituou, conseguindo, de uma forma
pessoais. Cornetto tem-nos habituado a um univer- criativa e consistente, transmitir todo o
Para finalizar este tema, apresento um so de histórias que nos remetem para um seu posicionamento.
caso prático que assenta numa estratégia mundo de paixão e amor, ao recorrer, qua- Podem conhecer melhor a campanha
de storytelling desenvolvida pela marca se sempre, a encontros entre dois estra- acedendo ao canal do youtube da marca
Cornetto: nhos, em que o único ponto comum entre https://www.youtube.com/user/Cornet-
Desde sempre que esta marca nos inspi- eles é o saborear de um gelado da marca. toGlobal, ou procurar conteúdo através da
rou com a temática do amor, invocando, Pois bem, nesse sentido, apresentamos hashtag #ShareTheLove.

21 | START&GO | julho 2019


GESTÃO DA QUALIDADE

O Prémio Nobel da gaivota


André Pinheiro
Direção de Qualidade melhor, o Dr. Nikolaas Tinbergen, a ser Provavelmente, muitos dirão “é só um pás-
afpinheiro75@gmail.com galardoado com o Prémio Nobel da Medi- saro estúpido e que estraga tudo”, é o nor-
cina e Fisiologia, em conjunto com Konraz mal.
Lorenz e Karl von Frisch, pelo seu trabalho Mas há cerca de 100 anos alguém se inte-
na deteção de padrões de comportamento ressou por elas, e isso foi o início de uma
pré-programados geneticamente. Este tra- pesquisa que levou a um prémio Nobel,
balho deu origem a muitos outros estudos e, mais do que isso, a pesquisas que nos

E
m Abril de 1907 nasceu um rapaz aplicados também à população humana, afetam a todos hoje, visto que o comporta-
em Haia, na Holanda, chamado nomeadamente as teorias de comporta- mento organizacional é um aspecto fulcral
Niko. Ao crescer, sempre mante- mentos organizacionais. em qualquer empresa ou em estratégias de
ve um interesse pela natureza e animais, E tudo começou com gaivotas e um peque- Marketing. Foi também um dos primeiros
principalmente aves costeiras e peixes, que no detalhe nos seus bicos, elas que estarão passos para as bases da programação neu-
acompanhava nas praias e cursos de água provavelmente entre os animais mais odia- rolinguística.
típicos no seu país. dos em qualquer cidade costeira. Reme- Que outros detalhes na vida corriqueira
Durante o final da adolescência, enquanto xem o lixo, destruindo sacos e espalhando lhe passam ao lado? E na empresa? Quan-
se decidia entre seguir Biologia na Univer-
sidade ou seguir o seu próprio caminho,
acompanhou um casal de biólogos que
analisava e fotografava animais costeiros,
tendo mostrado particular interesse em
seguir a vida das gaivotas, nomeadamen-
te a gaivota argêntea, o tipo mais comum.
Ao estudá-las, o Niko apercebeu-se que
tinham uma marca vermelha no bico, ao
qual os filhotes pareciam reagir. Decidiu
aproveitar os momentos em que os pro-
genitores se ausentavam para realizar ex-
periências, simulando a pinta com outras
cores, mas os filhotes só reagiam quando
esta era vermelha, associando-a aos pais
e assim despoletando pedidos de comida.
Entretanto, formou-se mesmo em Biologia.
Após um período breve nos Estados Uni- resíduos pela rua, enquanto procuram por tos se apercebem de pequenas alterações
dos, o agora adulto Niko decide regressar comida. Os seus dejetos parecem-se com o de comportamento dos colegas mais pró-
a casa, devido à proximidade da II Grande sangue do monstro dos filmes Alien, com o ximos? Quantas vezes foi reportada uma
Guerra Mundial. Acaba mesmo por ser seu efeito corrosivo. redução de um dos KPI de produtividade
preso e passar 2 anos num campo de pri- Eu acho-lhes uma certa piada. Vejo-as que ninguém conseguiu explicar e atribuiu
sioneiros alemão, enquanto a sua mulher como um animal magnífico pelo porte e a “questões pontuais”? Ou quantas vezes
ficou em casa com o filho de ambos. envergadura, com uma reputação terrível uma quebra num KPI levou a uma análise
Após a Guerra, e enquanto dava aulas, re- simplesmente porque há demasiadas. Sem longa e exaustiva, até se perceber que tinha
gressou ao estudo do comportamento ani- controlo populacional não há comida sufi- sido causado por um pequeno detalhe?
mal, nomeadamente às interações entre ciente para todas, pelo que têm que pro- Olhe à sua volta. Repare nos detalhes. Aper-
pais e filhos, tentando diferenciar entre o curá-la onde podem, como sacos de lixo ou ceba-se das alterações de comportamento,
que estes aprendem dos comportamentos roubando comida a turistas distraídos. até mudanças no comportamento físico.
inatos. Disto passou para a análise de como Há dias, reparei que uma gaivota que pas- A fenda que surge entre as sobrancelhas
o seu cérebro processa a informação, e seava perto de mim tinha uma marca ver- quando alguém fica preocupado. Olhos
como ela é estimulada. Conseguiu também melha no bico. De início pensei que fosse cansados depois de uma noite longa porque
provar, por exemplo, que as abelhas mos- algum tipo de infeção ou doença, pelo que o bebé não deixou dormir. Pequenas coisas
tram claramente maior curiosidade pelas fui pesquisar, e foi assim que me deparei que influenciam o nosso comportamento.
cores amarelas e azuis, mesmo em flores com a história do Dr. Nikolaas e o seu pré- Há 100 anos, um miúdo na Holanda repa-
de papel, do que outras cores. mio Nobel. rou que algumas gaivotas tinham uma pin-
As suas pesquisas na interação entre ele- Quantos leitores alguma vez tinham repa- ta vermelha no bico. E isso mudou todas as
mentos de grupos levaram o Niko, ou rado neste pormenor das gaivotas? nossas vidas para sempre!

22 | START&GO | julho 2019


GESTÃO DA QUALIDADE

Ferramentas da Qualidade – a sua


utilização na resolução de problemas
e na melhoria da sua organização!
Ana Monteiro
Diretora Executiva e Consultora
Sénior
https://www.qualityforexcelence.pt
geral@q4e.pt

É
frequente ouvir em consultoria
de Sistemas de Gestão “Fiz o mais
difícil… Implementei o Sistema de
Gestão da Qualidade!”, o que, na minha
perspetiva, não é correto.
Implementar um Sistema de Gestão da
Qualidade, apesar de ser uma tarefa mo-
rosa e trabalhosa, não é de todo o mais
árduo. O desafio é dar o passo seguinte,
é gerir a informação que recolhemos ao Então, se identificamos o problema, basta ferramentas de controlo da qualidade.
longo do tempo. resolvê-lo e obtemos a melhoria dentro Vejamos um caso real:
da empresa. É fácil, não é? Pode de fac- Após a identificação de um problema
to ser fácil, mas também pode ser difícil. numa empresa cliente da Q4E, foram apli-
Mas, então, porque é que na prática não cadas algumas das ferramentas de contro-
Implementar um funciona? Como é que podemos tornar lo da qualidade, tais como: folhas de reco-
Sistema de Gestão trabalhos difíceis em trabalhos fáceis? A lha de dados, Diagrama de Pareto, Diagra-
da Qualidade, apesar resposta passa por utilizar as ferramentas ma de Ishikawa e Brainstorming. Vejamos:
de ser uma tarefa certas, para o trabalho certo, na altura • Problema: Atraso nos serviços ao Cliente
morosa e trabalhosa, certa. • Setor de atividade: serralharia civil e
Essas ferramentas são conhecidas como metalomecânica
não é de todo o mais
árduo. O desafio
é dar o passo
seguinte, é gerir
a informação que
recolhemos ao longo
do tempo

Neste sentido, para que servem os da-


dos/registos que recolhemos? Efetiva-
mente, os dados servem para que as or-
ganizações obtenham informação útil e
deixem o pensamento de “Como recolher
dados” e passem a pensar em “Como ob-
ter dados úteis”. A utilidade dos dados vai
permitir aos gestores da qualidade e, prin-
cipalmente, à gestão de topo das empre-
sas tomar decisões baseadas em evidên-
cias, pois os dados vão indicar qual é o(s)
problema(s) efetivo(s) da organização.

23 | START&GO | julho 2019


GESTÃO DA QUALIDADE

• Objetivo do projeto: reduzir a taxa de recorrendo ao Brainstorming, bem como


atraso da produção, na execução dos ser- Rentabilidade, aos 5 porquês:
viços aos clientes lucro, presença no Identificámos que a causa-raiz do proble-
• Meta: ≤ 9,0% mercado, redução de ma era a inexistência de uma metodologia
• Taxa de atraso dos serviços no ano tran- custos operacionais, definida para o planeamento dos servi-
sato: 11,6% ços, ou seja, a empresa comprometia-se
O envolvimento da Gerência foi funda-
otimização sempre com os clientes como forma de os
mental, na medida em que esta pretendia de recursos e angariar, não verificando os trabalhos pre-
melhorar o processo, com receio de maio- automação de vistos. Para resolver o problema, foi elabo-
res desvios, com o aumento do volume de processos são rado um plano de ações, com a definição
trabalho. alguns exemplos de ações, prazos e responsáveis.
Iniciámos o projeto pela análise dos dados de aspetos que Resultante da aplicação destas ferramen-
recolhidos. Posteriormente, aplicámos o tas, foram obtidos os seguintes resultados:
Diagrama de Pareto para tentar identificar
as organizações • Aplicação do modelo de planeamento
a(s) causa(s) do problema e, considerando procuram sempre dos serviços;
o princípio da ferramenta, podemos con- melhorar • Diminuição da taxa de atraso para 1,7%,
cluir que 80% dos atrasos situaram-se nos apesar do contínuo aumento de trabalho
meses de Outubro e Fevereiro, período (68,2%);
respeitante às férias dos colabodores. estava ainda por apurar. Nesse sentido, • Diminuição do impacto das horas extra
No entanto, apesar de uma causa iden- aplicamos o Diagrama de Ishikawa (tam- pagas no volume de faturação de 1,2%.
tificada, acreditávamos que a causa-raiz bém conhecido como Espinha de Peixe), Rentabilidade, lucro, presença no merca-
do, redução de custos operacionais, otimi-
2015 2016 2017 zação de recursos e automação de proces-
sos são alguns exemplos de aspetos que as
Taxa de Atraso 11,6 % 11,6% 1,7 % organizações procuram sempre melhorar.
Através das ferramentas da qualidade é
Taxa de Aumento do nº de Serviços possível detetar-se a causa de problemas
– 39,7 % 68,2 %
(Anos de referência: 2015) que possam estar a interferir com o bom
desempenho de um processo, produto ou
Aumento Vol. Faturação
– 7,5 % 72,8 % serviço. As mesmas são um excelente re-
(Anos de referência: 2015)
curso para ajudar a estabelecer métodos
Impacto das Horas Extra Pagas no Volume mais elaborados de resolução baseados
1,7 % 1,8 % 1,2% em factos e dados, o que aumenta a taxa
faturação
de sucesso dos planos de ação.

www.startandgo.pt

24 | START&GO | julho 2019


GESTÃO DA QUALIDADE

Reforçar conexões – clientes


e fornecedores internos
Manuela Ribeiro
Consultora e criadora da de seguida níveis elevados de serviço ao fluenciam os resultados da organiza-
metodologia THE CHOICE cliente externo? ção;
– service awareness
Num número significativo de casos, esse • Todas as pessoas são, alternadamen-
elevado nível de serviço prestado ao clien- te, clientes e fornecedores, ao longo
te externo é conseguido à custa de fortes do processo de trabalho;
diminuições nas margens de rentabilida- • Cada pessoa é responsável por ofere-

I
magine que faz um inquérito de satis- de, com meios alternativos de transporte, cer o melhor serviço ao seu cliente.
fação aos clientes internos de uma em- horas extraordinárias e outros custos que Essa pode ser a sua Escolha.
presa, com o mesmo cuidado com que se tornam imprescindíveis para cumprir os Assim escrito parece simples, e é simples,
o faz aos clientes externos. Como seria a requisitos acordados com o cliente final. desde que essa visão seja trabalhada com
resposta? Como alterar este padrão? Será possível os colaboradores, colocada em prática e
Será que a área da Produção estaria satis- alterar este padrão? O que dizem as gran- não apenas teoricamente comunicada e
feita com o seu fornecedor Planeamento? des empresas de consultadoria mundiais? que o exemplo de coerência e qualidade
E a área Comercial, o que diria do seu for- Pesquisas diversas evidenciam que pas- seja manifestado em todos os níveis da or-
necedor Marketing? E a área Financeira samos a maior parte do dia de trabalho ganização, desde os órgãos de gestão até
do seu fornecedor Comercial? em modo reativo, reagindo a problemas, aos trabalhadores das áreas mais opera-
Tente pensar nestas questões e responder respondendo ao chefe, controlando os ou- cionais.

sem elaborar a resposta, permita-se sen- tros e trabalhando menos com um sentido Num tempo em que se escreve imenso
tir a primeira resposta, a primeira sensa- de propósito e paixão, confiando e empo- sobre a felicidade no trabalho de um lado
ção que surgir. Talvez seja uma resposta derando outros e explorando novas, e por e na ameaça do burnout no outro, talvez
aquém do que se gostaria efetivamente vezes bem desafiantes, possibilidades. as respostas estejam bem mais perto do
de responder e muito aquém do que se E de novo se coloca a questão: como con- que pensamos, dentro de cada pessoa
gostaria de sentir. seguir essa alteração de padrão? que se propõe trabalhar a sua Consciên-
Numa era fortemente digital, em que tudo A resposta passa por uma alteração de cia de Serviço, sabendo que cada ação
é muito moderno, rápido e teoricamente mindset, um reforço da Consciência de sua, por mais simples que seja, impacta
eficaz, percebemos que nem sempre é Serviço de cada colaborador, assente no a qualidade de serviço da organização e
simples garantir que clientes e fornecedo- relembrar que: por isso, se percebe como participante
res internos estejam efetivamente satis- • Todas (mesmo todas) as pessoas são ativa na cocriação de empresas, socieda-
feitos com o serviço prestado entre eles. importantes para a organização; de e planeta, mais harmoniosas e susten-
E se isso não acontece, como oferecer • Todas (mesmo todas) as pessoas in- táveis.

25 | START&GO | julho 2019


EMPRESAS FAMILIARES

Eu, membro de uma família


empresária, enfrento o mercado
N
António Nogueira da Costa
(antonio.costa@efconsulting.pt) ascer no seio de uma família em- gócio e uma força gravitacional para a em-
CEO da efconsulting e docente e presária proporciona aos jovens presa da família.
membro do N2i do IPMaia.
Especialista em empresas familiares um contexto caraterizado pela As famílias e o seu meio envolvente, por
e famílias empresárias. presença de dois grandes elementos: ou- muito desproporcional que possa ser em
vir e sentir o impacto de possuir um ne- casa caso particular, proporcionam aos

Os reconhecimentos
existem para ser
conquistados

A
Joana Rafael é uma empreen-
dedora e cofundadora em 2014
da empresa Meta-icg – área de
consultoria em tecnologia onde é CIO
(Chief Innovation Officer) – e, em 2017,
da SENSEI – um spin-off dessa socieda-
de –, onde é COO (Chief Operational
Officer) e responsável pelas operações e
desenvolvimento de negócio e relações
com clientes.

Adquiriu experiência na área da moda permite às lojas de futuro não terem ne-
enquanto desenvolvia projetos de trans- cessidades de caixas para pagamento. O
formação digital e estratégias de ma- cliente visita, seleciona o que deseja e
rketing global para as lojas da empresa sai, sem necessidade de recorrer a uma
familiar - Dielmar: marca 100% portu- caixa com filas para pagar.
O reconhecimento pelo seu desenvolvi-
mento pessoal e profissional, para além
dos títulos académicos alcançados, sur-
ge por diversas vias:
• em maio venceu o “Women Entrepre-
neurship Award 2019” da Católica Lis-
bon Business and Economics;
• em agosto de 2018 a “Wired” conside-
Formada em Arquitetura pela Universi- rou a SENSEI como uma das “hottest
dade de Lisboa, em 2009, efetuou em startups” da Europa,
2012 uma pós-graduação em Sustaina- • em fevereiro de 2018 conquistou a
bility and Environmental Managment na Techstars, o Grupo Metro e Sonae IM
Harvard University e Ph.D. pelo IST e MIT que se tornaram investidores na Sen-
Portugal Program em Sustainable Energy sei com meio milhão de euros.
Systems. Este espírito de formação contínua, de
Fez parte do comité estratégico Indus- guesa, fundada em 1965 por quatro al- abertura e participação em contextos in-
try Fashion & Retail 4.0 e é membro do faiates (Ramiro Rafael, o irmão e mais ternacionais, de trabalho em rede e, em
CIONET Advisory Board (maior comu- dois sócios que eram colaboradores na especial, a enorme paixão e dedicação
nidade mundial de executivos de TI) e alfaiataria do pai: José Marques Rafael pelos projetos em que se acredita acaba-
do Conselho Editorial da “i9 magazine”, em Alcains) e liderada atualmente por ram por ser reconhecidos e o futuro vai
publicação sobre Inovação e Empreen- Ana Paula Rafael. demonstrar que foram meritoriamente
dedorismo. A SENSEI é uma solução escalável que recompensados.

26 | START&GO | julho 2019


EMPRESAS FAMILIARES

seus membros um mundo em contínuo e coberta da construção lógica; mília: permitem alargar o seu âmbito de
desafiante crescendo: • da execução à conceptualização; descoberta e exercem uma força magnéti-
• do colo de amamentação à alcofa, com • da mesa de refeições à de conversas de- ca que, tal como na presença de dois íma-
elementos vistosos e apelativos; bate; nes, pode ser num movimento fortemen-
• da cama ou espaços com grades à imen- • do assimilar do saber ao prazer de fazer; te atrativo ou totalmente repulsivo.
sidão do chão sem barreiras; • da execução ao “fazer fazer” (liderança); Sendo natural que a família empresária
• do quarto de dormir e brincar à diversi- • da aceitação à afirmação por convicção. pretenda atrair os seus membros mais
dade de odores da cozinha; As famílias que são empresárias acrescen- jovens para o negócio da família – estes
• dos armários fechados às infindáveis no- tam dois elementos diferenciadores que são um elemento preponderante na sua
vidades quando escancarados; se podem cruzar com todos os outros: o continuidade –, também deve ser reco-
• dos passeios em espaços fechados à lar alarga-se ao espaço da empresa e as nhecido que uma diversidade de vivên-
imensidão e variedade da rua; conversas incluem os temas ligados ao ne- cias externas à empresa familiar pode ser
• da casa protetora com adultos ao infan- gócio. uma significativa vantagem comparativa e
tário com pares desafiantes; Estas duas impactantes variáveis exercem originadora de elixires da vida que contri-
• da repetição das letras e números à des- uma enorme influência nos jovens da fa- buam para a sua eternidade.

Código da Insolvência Novidade!


e da Recuperação de Empresas
Breves notas e Jurisprudência

Atualizado até à Lei n.º 8/2018, de 2 de março


Uma obra que surge na sequência das alterações efetuadas
no âmbito do “Programa Capitalizar” do Governo, cujo obje-
tivo principal foi o relançamento da economia portuguesa e
que estabeleceu como prioritária a alteração do Código das
Sociedades Comerciais (CSC) e do Código da Insolvência e da
Recuperação de Empresas (CIRE).

Inclui:
• Regulamento (UE) 2015/848 do Parlamento Europeu e do
Conselho, de 20 de maio de 2015
• Estatuto do Administrador Judicial
• Estatuto do Mediador de Recuperação de Empresas
• Regime Jurídico da Conversão de Créditos em Capital
• Regime Extrajudicial de Recuperação de Empresas (RERE)

Autoras Maria José Esteves e Sandra


Alves Amorim
Págs. 528
PVP € 28.90 PVP c/desconto € 26.01

Compre já em http://livraria.vidaeconomica.pt
encomendas@vidaeconomica.pt 223 399 400

27 | START&GO | julho 2019


INOVAÇÃO

Inovação = Caos + Disciplina


Hugo Gonçalves Desenvolver a Criatividade no âmbito da menta essa transformação é uma mescla
Executive Coach | Senior
Organizational Engineer | Blogger @
empresa faz com que as nossas compe- de risco, reconhecimento e liberdade con-
www.knowmad.pt tências, skills e personalidades individuais ceptual.
possam perscrutar o horizonte que nos ro- Para que exista um verdadeiro empreen-
deia e assim realizar o que podemos cha- dedorismo organizacional, a empresa pre-
mar de business insights. Inovar é criar a cisa de viver em duas realidades distintas:
ligação entre o novo e as oportunidades a realidade da busca e a realidade da exe-


Os Três Príncipes de Serendip”, de que existem para beneficiar, ajudar, resol- cução:
Horace Walpole, conta as aventuras ver problemas. Empreender é agir, é pas- • Na realidade da busca, a organização re-
de três príncipes do Ceilão, atual Sri sar dos drafts à prática, é ser um sonhador flete sobre o seu propósito e de que forma
Lanka, que faziam descobertas inespera- que faz! este está alinhado com o que a sociedade
das nas suas viagens e demandas e cujos Tudo isto é possível apenas quando as espera e deseja dela (resolver problemas,
resultados surgiam por acaso e não conse- pessoas possuem um comportamento proporcionar experiências, fazer poupar
quência de alguma reflexão ou experiên-
cia realizadas. Graças à sua capacidade
de observação e sagacidade, descobriam
“acidentalmente” a solução para dilemas
impensados. Esta característica tornava-
-os especiais e importantes, não apenas
por terem um dom especial, mas por
terem a mente aberta para as múltiplas
possibilidades. Ou seja, percorrer um ca-
minho sem destino é uma fonte de conhe-
cimento e novas soluções.
De facto, não faltam exemplos na história
de novos produtos, serviços e abordagens
de negócios que foram encontradas “por
acaso”. Mas acaso é uma palavra um pou-
co complexa e até mesmo assustadora
para as organizações e principalmente
para os gestores. Acaso está associado
a risco, à falta de controlo, a caos, a não
garantia de resultados. Mas, como dizia tempo, etc.). Nessa busca, precisa de per-
Louis Pasteur, o acaso favorece a mente Para que exista ceber o que ela é e o que esperam dela.
preparada (leia-se organização). E se existir um desalinhamento, quais as
A evolução empresarial está intimamente
um verdadeiro consequências atuais ou futuras. Nesta
ligada à fluidez da ligação entre Criativida- empreendedorismo fase da busca, as pessoas abraçam o risco,
de, Inovação e Empreendedorismo. Esta organizacional, flexibilizam as regras, valorizam o percur-
ligação nem sempre se materializa de for- a empresa precisa so de criar e melhorar do que os próprios
ma sequencial, pois Inovar pode ser “pe- de viver em duas objetivos e existe um caos (orientado ou
gar” numa ideia, conceito, tecnologia ou realidades distintas: talvez não) no sentido de que as pessoas
abordagem já existente e criar um novo colocarem os seus talentos, competências
produto, serviço ou aplicação. Empreen-
a realidade da busca e personalidades ao serviço desse caos.
der “dentro” de uma organização pode ser e a realidade • Quando existe o “fit” entre a organiza-
simplesmente combater o sistema e per- da execução ção e os seus clientes, utilizadores e bene-
mitir que uma ideia ou nova oportunidade ficiários, a organização avança para a rea-
de criação de valor consiga “atravessar” lidade da execução. Pensa como pode oti-
todos os obstáculos que a rigidez empre- criativo e empreendedor no seio de uma mizar recursos e competências no sentido
sarial coloca no caminho (procedimentos, empresa, iniciando de forma proativa um de materializar o fit atrás referido. Avalia
aversão ao risco, desconhecimento por conjunto de atividades que têm por obje- qual a melhor forma de o fazer, com me-
parte de quem decide do contexto onde a tivo transformar uma ideia em lucro, de nos riscos. Define processos e atividades
inovação|nova abordagem vai ser imple- preferência com um propósito ou impacto de controlo para não perder o fio à mea-
mentada). positivo na sociedade. A energia que ali- da. Define e valoriza os ambientes estru-

28 | START&GO | julho 2019


INOVAÇÃO

turados e a consequência de todas essas não existe muita disponibilidade ou fle- mental. Cada um de nós pode assumir
atividades tem de ser, de forma isolada ou xibilidade para alocar os devidos recur- um papel crucial na exploração de novas
em conjunto com outros resultados espe- sos financeiros ao desenvolvimento ou oportunidades. Numa equipa, é sempre
rados, o lucro. exploração de uma nova abordagem de preciso alguém que agite as águas, alguém
Estamos a falar de realidades, abordagens negócio ou produto/serviço. Mas pior que que faça o papel de advogado do diabo,
e palavras-chave distintas. Estamos a falar não ter novas ideias é ter várias e não as alguém que motive, alguém que nos apre-
de organizações ambidextras. Empresas conseguir desenvolver ou explorar. Uma sente as pessoas certas, alguém que pes-
que saibam definir um fio condutor de possibilidade é fazer uma análise apro- quise, alguém que nos faça questionar. Al-
Criatividade | Inovação | Empreendedo- fundada das ideias e avaliar quais as que guém que contabilize e mapeie. Tudo isto
rismo ao mesmo tempo que consegue ser obtém as melhores probabilidades, atra- requer personalidades diferentes.
disciplinada o suficiente para entregar o
Valor esperado aos seus clientes, utiliza-
dores e beneficiários da forma mais oti-
mizada possível. E este equilíbrio começa
nas pessoas. E no potenciar individual-
mente e de forma coletiva o melhor mix
de personalidades.
O intraempreendedorismo (intrapre-
neurship) é um sistema cujo propósito é
acelerar as inovações dentro de grandes
empresas, através do uso melhor dos seus
talentos empreendedores. O termo intra-
preneur foi pela primeira vez utilizado por
Gifford Pinchot em 1985. Estamos a falar
de alguém que, na posse de uma ideia ou
insight que possa ser materializado em
novos negócios e lucro, desbrava caminho
“por entre a organização” para materiali-
zar essa ideia. Luta contra a inércia. Remo- Formalizar a inovação numa empresa
ve obstáculos. Partilha a sua paixão com pode ser feito com pequenas decisões e
outros. Sonha mas Faz! O perfil desta “tri- Para transformar abordagens que passam mensagens mui-
bo” é o seguinte: novas ideias to importantes. Desde criar um budget
• Movidos pela paixão e bem maior da or- e abordagens dedicado à Inovação (independentemente
ganização (Visão) em produtos e do valor), “oferecer” parte do tempo se-
• Correm riscos (de forma responsável) serviços de valor, manal do trabalho para que os colabora-
• Persistentes dores possam dedicar-se à exploração de
• Flexíveis com as regras (de forma hones-
é necessário que a novas abordagens ou definir um sistema
ta) empresa promova o de reconhecimento que permita recom-
• Acreditam na comunicação (escuta ativa ambiente adequado pensar o facto de a pessoa dedicar os seus
e feedback) para que o caos da talentos, interesses e personalidade a en-
• Não evitam divergências se estas forem procura e busca contrar algo que beneficia a organização
necessárias para a inovação vencer seja devidamente como um todo são algumas abordagens
• Possuem uma fantástica network que proporcionam ótimos resultados.
Dando como certo que todas as organiza-
enquadrado com a Comunicar também é fundamental. Tor-
ções possuem o capital humano (ou pelo disciplina e lógica da nar visível o sentido de urgência, apre-
menos o seu potencial) para transformar execução sentar tendências e desafios futuros para
novas ideias e abordagens em produtos todas as áreas de negócio; refinar novas
e serviços de valor, é necessário que a ideias com várias pessoas (vários feedba-
empresa promova o ambiente adequado vés da validação segundo 2 critérios (por cks) são importantes ferramentas de vali-
para que o caos da procura e busca seja exemplo, facilidade de implementação vs. dação de novas ideias e abordagens.
devidamente enquadrado com a discipli- impacto|ganhos previstos). Esta triagem Cabe às organizações proporcionar aos
na e lógica da execução. permite que a organização foque os seus seus colaboradores um caminho. Para
Como pode então uma organização fo- recursos nas abordagens que mais facil- que a exploração desse caminho por parte
mentar esse ambiente adequado para a mente vão originar valor e novas oportu- dos colaboradores apresente novas pers-
inovação? nidades de negócio. petivas, abordagens que de outra forma
Comecemos pelos recursos e prioridades. Quanto ao ambiente organizacional, a nunca teriam tido hipótese de ser consi-
Hoje em dia as coisas não estão fáceis, e diversidade de personalidades é funda- deradas.

29 | START&GO | julho 2019


GAMMING

Gamification para gestores de talento


Helder Barbosa
Licenciado em Gestão e Mestre em
Marketing

O
conceito gamification tem vin-
do a ser desenvolvido e adotado
por várias empresas, em diversos
contextos, o que demonstra a sua versa-
tilidade e aplicabilidade. Não obstante, a
crescente adoção do conceito é, ainda, inci-
piente, apesar de existirem elevadas expec-
tativas de crescimento e desenvolvimento.
A carência de estudos empíricos que sus-
tentem a utilização da gamification, com
efeitos práticos e resultados sustentáveis,
explica, em parte, uma adoção mais lenta
(que o esperado), por exemplo, no contex- Figura 1 – Vantagens da aplicação da Gamification na Gestão de Talento.
to organizacional.
A falta de formação e experiência em ‘ga- fissionalização dos gestores intermédios. Porém, isto não significa que se deva trans-
mification’ por parte dos gestores intermé- Nesse sentido, a prática de gamification formar o trabalho num ‘Game’, mas sim
dios (por exemplo, uso de mecânicas, dinâ- permite desenvolver competências de ges- beneficiar dos elementos, pensamento e
micas, design e elementos de jogos) pode tão, motivação e engagement dos gestores design dos ‘games’ para captar, envolver,
também influir na adoção e utilização de comprometer, influenciar, desenvolver e
ferramentas de gamification. aprimorar os colaboradores.
No entanto, é reconhecida a importância A falta de formação Por conseguinte, a gestão de Talento atra-
destes gestores intermédios na imple- vés de práticas de gamification deve ainda
mentação e execução da estratégia nas
e experiência em considerar todos os estádios da relação
organizações. Eles são considerados key ‘gamification’ por dos colaboradores com a organização, no-
players pelo que podem aportar, alavancar, parte dos gestores meadamente: acolhimento, recrutamen-
influenciar ou bloquear. Nesse sentido, a intermédios (por to, seleção, formação, desenvolvimento
introdução de ferramentas de gamification exemplo, uso e ‘curvas de experiência’ ou, mesmo, em
em contexto organizacional passarão ‘qua- de mecânicas, atividades processuais que permitem a
sis obrigatoriamente’ pela sua ‘aprovação’, aprendizagem e interação com os cola-
adoção e influência.
dinâmicas, design boradores (ex., sites e plataformas inter-
Sendo adotada, a gamification enquanto e elementos de nas). O engagement dos colaboradores
ferramenta de implementação e alinha- jogos) pode também com a Organização é também uma forte
mento estratégico, pode potenciar o Talen- influir na adoção ‘vantagem’ para potenciar o ‘employer
to nas Organizações. e utilização de branding’, i.e., um reconhecimento do
Aliás, são inúmeras as vantagens (Figura ferramentas de mercado per si capaz de captar Talento.
1). Primeiro, permite desenvolver as com- Perante este enquadramento, a gamifica-
petências dos gestores intermédios, por
gamification tion poderá ser aplicada em todos os es-
exemplo, melhorando a qualidade de ges- tádios referidos ou em parte deles, como
tão de pessoas. Segundo, contribui para asseveram vários exemplos de práticas de
uma avaliação de desempenho mais as- intermédios para potenciar as característi- gamification.
sertiva, continua e justa. Terceiro, contribui cas únicas e distintas de cada colaborador, Por fim, enumeram-se duas questões para
para uma frutuosa experiência dos colabo- sem esquecer a tríade de objetivos referida reflexão:
radores e, não menos importante, permite supra. Implicará, assim, desafios, aprendi- (1) as organizações estão a potenciar o
focar todos os colaboradores nos objetivos zagem, criatividade, desenvolvimento, pra- Talento ou estão, meramente, a consumir
individuais, coletivos e da organização. zer, satisfação e um propósito. recursos? E,
Na verdade, gerir e potenciar ‘Talento’ Gerir Talento pode in fact ser um verdadei- (2) qual o papel da Gamification na gestão
implica, necessariamente, uma maior pro- ro ‘Game’ para Gestores Intermédios. integral de Talento?

30 | START&GO | julho 2019


GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

Felicidade organizacional
Daniela Moreira
da felicidade, partindo do pressuposto que é obviamente algo partilhado pela organi-
Managing Director o aumento da riqueza pessoal conduziria a zação e pelo colaborador.
BWS Consulting maior felicidade individual Sendo já indiscutível o papel que o tema as-
dfmoreira@bws-consulting.pt
Baker, Greenberg e Hemingway, referên- sumiu no dia a dia das organizações, estas,
cias no estudo da felicidade, relatam, após se querem alcançar bons resultados, têm
a análise de estudo de casos, que, numa de brindar os colaboradores com algo mais
organização feliz, os profissionais são mais do que uma remuneração atraente, ou uma
criativos e têm mais capacidade de provo- simples “palmadinha nas costas”, como é


Ganhar a vida não é mais suficiente. car mudanças, pensam sobre o que é "pos- ainda tão comum nas organizações, para
O trabalho tem de nos permitir viver sível" e não apenas na solução dos proble- deixar os colaboradores comprometidos.
a vida também”, refere Peter Drucker. mas, os líderes incentivam um ambiente A construção da felicidade organizacional é
O que parece ser uma simples constatação que promove a colaboração, a cooperação um processo cujos resultados não são ime-
tem a capacidade de resumir importantes e a responsabilidade, onde é fomentado o diatos, à semelhança dos processos relacio-
alterações verificadas nas últimas décadas trabalho em equipa e existe um compro- nados com a cultura organizacional e o en-
na relação laboral, com impactos no equilí- misso de todos com a visão e a missão da gagement, e apesar da geração de vanta-
brio entre a vida pessoal e profissional, no organização. gens competitivas a nível da produtividade
estilo de gestão e liderança, etc. Num mundo instável, até um pouco es- e motivação, da criatividade, da inovação,
A temática da felicidade no trabalho tem tranho, como o que vivemos, a felicidade da satisfação, da flexibilidade, da redução
assumido uma importância crescente no tem vindo a distinguir-se como um objetivo do absentismo, da baixa rotatividade, da
mundo corporativo e também no contex- central na vida dos colaboradores e tam- fixação de valores, da crescente notorie-
dade e confiança na marca, do sentido de
pertença e do compromisso com a empre-
sa, acabar por se verificar. É imperioso não
apenas o comprometimento e o envolvi-
mento da gestão de topo como também
que os gestores estejam preparados para
que os resultados demorem a aparecer,
não desistindo, por estes não serem tão
imediatos, quanto desejavam.
Compreendo que os mais céticos e/ou de-
fensores de que o foco das empresas deve
ser a criação de riqueza, tenham dificul-
dade em aceitar esta nova realidade. Os
estudos mais recentes têm demonstrado
que as empresas que mais se destacam são
as que se focam na criação de felicidade,
com o envolvimento implícito da gestão de
topo.
Assumindo que é aceite por todos que as
empresas têm de investir em atividades
to individual, o que tem impulsionado o bém na existência das empresas, em que que visem a melhoria da qualidade de vida
aumento do número de estudos que têm ser feliz assumiu um interesse fulcral para a dos colaboradores e atitudes que procu-
aproximado os termos felicidade e bem-es- maioria das pessoas, e a felicidade passou rem a melhoria contínua do ambiente de
tar. Neste âmbito, surgem estudos a apon- a ser considerada como um sentimento de trabalho, para não se deixarem ultrapas-
tarem que não há uma relação directa, tal extrema importância para a sociedade. Fi- sarem pela concorrência, que, como sabe-
como era defendida, entre dinheiro e felici- lósofos e pesquisadores apontam a que a mos, salvo raras excepções, é global, que
dade (Hosie e Sevastos, Layard…). Esta nova felicidade pode ser considerada como um atividades são essas? Infeliz, ou melhor, fe-
tendência é antagónica à filosofia económi- estado de triunfo, sucesso e de prazer, sen- lizmente, cada organização tem de assumir
ca defendida por diversos economistas, en- do que o ser humano busca prolongar o a sua unicidade e ainda que o benchma-
tre os quais Paul Samuelson, nome conhe- máximo de tempo possível esse estado. Ti- rking faça parte do processo, deve trilhar
cido por qualquer estudante de Economia, picamente, um profissional feliz apresenta o seu próprio caminho, tentando de forma
que materializava a economia como a pro- um melhor desempenho, eficácia e melhor permanente, encontrar e implementar o
cura da riqueza, em detrimento da procura avaliação por parte dos seus líderes, o que melhor para cada uma.

31 | START&GO | julho 2019


GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

Busque o potencial
máximo das pessoas
te para entregar resultados cada vez passa para a equipe é que ela deve con-
maiores. tratar uma meta que possa entregar.
Prof. Luis Augusto Lobão
Mendes
Toda organização, por mais medíocre que A verdadeira fonte de vantagem compe-
Professor e consultor HSM seja, consegue com o tempo aprender titiva hoje está no talento humano. Infe-
os mecanismos de condicionamento do lizmente, continuamos subestimando as
comportamento humano. pessoas e subutilizando suas habilidades.
Estes instrumentos são úteis no início, Na maioria das empresas, pessoas que

J
amais imaginámos que as empre- mas com o passar do tempo acabam não nunca serviram nas “trincheiras” cuidam
sas chegariam perto de colocar em atendendo mais, pois as pessoas apren- da contratação e desenvolvimento das
prática o que se tornou o clichê dem a “trabalhar” com eles. Chamo de equipes. Chamam isso de RH. A melhor
empresarial supremo: “os nossos cola- mecanismos de condicionamento do forma de fazê-lo é pôr os melhores pro-
boradores são nosso maior patrimônio!” comportamento humano: definir uma fissionais da organização diante deste
Venho escutando isto de presidentes e meta, colocar uma estrutura de contro- processo.
diretores a alguns bons anos. le e ter um plano de consequências para Com a aceleração da dinâmica da com-
Mas esta é uma tendência que as empre- aqueles que conseguem atingir e superar petição, o patrimônio humano das orga-
sas terão que por em prática com mais a meta. A grande questão que quando nizações talvez seja a única forma ver-
intensidade daqui para frente. Em tempos as pessoas conseguem “trabalhar” com dadeiramente sustentável de vantagem
de “apagão de mão de obra” e “falta de os mecanismos, elas aprendem que a competitiva. Acreditamos que as pessoas
talentos”, um maior número de empresas recompensa sempre é dada pelo atingi- são dotadas de uma curiosidade inata
estão gastando mais tempo e dinheiro no mento e nuca pelo desafio. Neste mo- e estão imbuídas da motivação natural
recrutamento, desenvolvimento e manu- mento a organização começa a valorizar para agir e aprender. Portanto, devemos
tenção de suas equipes. o “subdesempenho satisfatório”. aproveitar a engenhosidade de nossas
Isto é um bom começo, mas é somen- Não existe prêmio para aqueles que bus- equipes e recompensar os melhores,
te o início da batalha. Mesmo que você cam mais, mas somente para aqueles que para que sejam importantes agentes de
assuma o compromisso de contratar os alcançam. Isto faz com que a organização desenvolvimento. Isso pode ser feito
melhores profissionais e incentivar seu comece a contratar metas menores. O com a introdução de novos e métodos e
desenvolvimento, existe ainda outro interessante neste processo é que a em- processos de gestão de pessoas, além de
importante passo a ser dado: engajá- presa fica satisfeita com o atingimento outras atividades inovadoras que estimu-
-los. Se você realmente acredita que destas metas e vai perdendo a capacida- lem a competitividade e o crescimento
eles são a razão do seu sucesso, precisa de de buscar resultados maiores. da organização.
garantir que permaneçam na empresa O sistema valoriza o fazer/atingir e não
e principalmente motivados o suficien- o querer fazer mais, no final a ideia que * artigo escrito em Português do Brasil

Práticas de GHR num contexto em transformação


• Como reter e motivar talentos?
• Como desenvolver de forma criativa pessoas e equipas?
• Como envolver os colaboradores numa gestão participativa?
• Como acelerar, de forma sustentada, processos de decisão em RH?
• Como conceber postos de trabalho com foco no futuro?
• Como capacitar os líderes mais focados em competências técnicas e tecnológicas para os desafios da gestão
de equipas?
• Qual o contributo do executive coaching para lidar com as exigências da economia 4.0 depois dos 40?
• Que outras ferramentas poderão auxiliar a função atemporal de avaliação de desempenho e desenvolvimento de
pessoas?
• Como reforçar a imagem e identidades interna e externa das marcas empregadoras num contexto de trans-
formação digital?
Todas estas questões e respetivas respostas fazem parte dos artigos contemplados no livro.
Autoras Ana Cláudia Rodrigues, Ana Isabel
Couto, Eva Petiz Lousã e Marlene Silvas
Págs. 128 PVP €11.90
Compre já em http://livraria.vidaeconomica.pt

32 | START&GO | julho 2019


FINANCIAMENTO

Portugal Ventures
abre call para turismo
do está focado em hotéis-boutique, eco-
• Abertura de Call -resorts de gama alta e pequenas cadeias
para Turismo; hoteleiras. Em Portugal já se encontram
• Portugal Ventures disponíveis em unidades do Douro, Algar-
investe em 4 ve e Lisboa. A equipa liderada por Daria
novas startups no Maximova pretende com o investimento
da Portugal Ventures atingir o crescimen-
setor do Turismo: to e internacionalização da marca Oliófo-
Oliófora, XLR8, em fase seed, startup ou early stage, que ra em Europa, Médio Oriente e mercado
Homeit e Tripwix; tenham até ao momento do investimento asiático. Para isso será fundamental a
• O processo menos de 7 exercícios económicos com- aquisição de equipamento que irá permi-
de análise das pletos, desde a data de início da atividade. tir o aumento do volume de produção, a
candidaturas está Os projetos tecnológicos devem apresen- criação de uma embalagem ecológica e
tar um protótipo, com validação de mer- o desenvolvimento de produto exclusivo
aberto até dia cado e, de preferência, com os primeiros para clientes que procuram diferenciação.
16 de setembro, clientes angariados. Os não tecnológicos O investimento também será dirigido para
através de www. devem garantir que os eventuais proces- participação nas feiras profissionais, ma-
portugalventures.pt; sos de licenciamento obrigatório estejam rketing e criação de parcerias estratégicas.
já concluídos por altura da submissão da Criada em 2015 a XLR8 desenvolveu o seu
candidatura à Portugal Ventures. Revenue Management System, um soft-

A
Portugal Ventures investe 3 mi- A OLIÓFORA é uma pequena empresa ware utilizado para prever a ocupação diá-
lhões de euros em 4 novas star- industrial que consiste de unidade de ex- ria, mensal e anual de uma unidade hote-
tups, Oliófora, XLR8, Homeit e tracção de óleos vegetais prensados a frio leira, fornecendo ferramentas e relatórios
Tripwix, que resultam da primeira edição de alta qualidade e unidade de produção que ajudam a otimizar o preço de venda
da Call Tourism. de cosméticos naturais desenvolvidos na e disponibilidade de números de quartos
Nesta Call dedicada ao Turismo, a Portu- base destes óleos com extratos de ervas, ao mesmo tempo que permite maximizar
gal Ventures garante um novo processo algas e essenciais florais. Os produtos são o crescimento da receita. Cria uma visão
de análise mais célere e mais simplificado: destinados para indústria hoteleira, SPA, clara dos resultados de vendas atuais e fu-
15 dias após a submissão das candidatu- termas e venda ao público. O seu merca- turos, com o suporte dos dados históricos
ras os promotores são convidados a apre-
sentar o projeto a um painel de avaliação,
que terá mais 15 dias para decidir sobre a
apresentação de uma proposta de inves-
timento.
Conforme anunciado pela Secretária
de Estado do Turismo na Conferência
Thinking of Innovation in Tourism promo-
vido pelo NEST (Tourism Innovation Cen-
ter), a Call para o Turismo está à procura
de turismo (tecnológicos e não tecnoló-
gicos) que contribuam para os objetivos
estratégicos de desenvolvimento do turis-
mo em Portugal, quer quanto à sustenta-
bilidade quer quanto ao alargamento do
turismo ao longo do ano e ao longo do ter-
ritório. As candidaturas estão abertas até
16 de setembro.
Os projetos devem ser promovidos por em-
presas já constituídas ou a constituir, loca-
lizadas em Portugal (continental ou ilhas),

33 | START&GO | julho 2019


FINANCIAMENTO

e de previsão (com base em Inteligência ligente que abre as portas através de um interiores da Tripwix, criando desta forma
Artificial) e é através destes que a unida- código criado pelo proprietário ou através uma garantia ao cliente na satisfação das
de hoteleira pode analisar os padrões de da app, permitindo anular o uso da cha- suas férias. O aluguer de casas de curta
comportamento do mercado e tomar me- ve tradicional. Assim, o proprietário pode duração tem vindo a registar um cresci-
didas atempadamente para melhorar os criar acessos para os seus hóspedes/turis- mento significativo, bem como a exigência
seus resultados de curto, médio e longo tas, staff e manutenção à distância e criar dos clientes que pretendem experiências
prazo. Com um potencial de mercado su- tudo através da internet. Atualmente na únicas em família, representando atual-
perior a 3 biliões de euros na Europa, com- Europa existe um mercado de 5 milhões mente um mercado de 57 biliões de dó-
posto por mais 610 mil estabelecimentos de Alojamentos Locais e a Homeit está lares a nível mundial. O investimento da
hoteleiros, José Almeida, CEO, pretende presente em 15 países com quase 2000 Portugal Ventures irá permitir o aumento
com o investimento da Portugal Ventures boxes ativas no momento e desde o seu da equipa liderada por José Murta, nas
iniciar o processo de internacionalização e lançamento já abriu cerca de 3 milhões de áreas de vendas, tecnologia e marketing
desenvolvimento de produto com o refor- portas. O investimento da Portugal Ventu- de modo a potenciar a procura deste tipo
ço na equipa nas áreas de programação e res tem como objetivo o desenvolvimento de produto e abrir outros destinos de so-
Inteligência Artificial. de produto e a continuação da expansão a nho. Atualmente a Tripwix encontra-se
Uma das tarefas que mais preocupam os nível mundial. em Portugal, México e Espanha, Itália e
proprietários e clientes do Alojamento Lo- A Tripwix é uma marca de viagens de luxo Turquia.
cal é o acesso às suas propriedades, onde para clientes exigentes. Funciona como Para além destes 4 novos investimen-
a disponibilidade de conciliar os horários uma agência de viagens on-line onde to- tos, decorrem ainda negociações com os
pode dificultar o acesso ao serviço. A dos os alojamentos são sujeitos a eleva- promotores de mais 8 projetos com boas
Homeit, liderada por André Roque, apre- dos padrões de curadoria. As casas são perspetivas de serem concluídas com su-
senta a solução com uma fechadura inte- avaliadas pessoalmente por designers de cesso.

A RESIDÊNCIA FISCAL
DAS PESSOAS SINGULARES
Um livro que explica de uma maneira simples, mas exaustiva,
tudo sobre as consequências de ser residente ou não residen-
te fiscal.
A recente Reforma do IRS trouxe mudanças importantes na
tributação de quem sai de Portugal ou vem residir para Por-
tugal.
Trata-se da residência fiscal das pessoas singulares, que inclui
uma das grandes novidades desta reforma do IRS: a residên-
cia parcial, que se veio juntar ao estatuto dos residentes não
habituais, e que foi agora complementada com o regime dos
ex-residentes, isto é dos emigrantes que decidam regressar a
Portugal.

Autora Helena Gomes Magno


Págs. 144
PVP € 16

Compre já em http://livraria.vidaeconomica.pt
encomendas@vidaeconomica.pt 223 399 400

34 | START&GO | julho 2019


FINANCIAMENTO

Portugal Tech mobiliza mais


de 200 milhões de investimento
em startups e PME em Portugal

O
programa Portugal Tech, lançado evolução positiva da economia nacional”.
em dezembro de 2018 pela Insti- Sublinha, ainda, que “o Programa reforça
tuição Financeira de Desenvolvi- o compromisso do Governo no apoio à
mento (IFD), em parceria com o Fundo Eu- inovação, empreendedorismo e emprego
ropeu de Investimento (FEI), já selecionou qualificado”.
três fundos de venture capital e private O Presidente Executivo da IFD, Henrique
equity e investiu numa dezena de empre- Cruz, sublinha que “a parceria Portugal
sas Portuguesas. Tech com o FEI vem compensar a quebra
Lançado há menos de seis meses, em ce- O financiamento concedido pelo Portugal de investimento institucional em capital
rimónia presidida pelo ministro Adjunto e Tech, enquanto cornerstone investor, as- de risco. O Portugal Tech tem contribuído
da Economia, e com o objetivo de atrair sociado ao selo de qualidade do rigoroso para alavancar o investimento privado em
capital privado e institucional para investi- processo de seleção liderado pelo FEI, foi Portugal e fez chegar às empresas de base
mento em empresas de base tecnológica, determinante para que estes fundos na- tecnológica novo financiamento num cur-
startups, PME e Midcaps portuguesas, o cionais atingissem o seu primeiro closing to prazo de implementação.”
programa Portugal Tech já começou a che- no primeiro semestre de 2019, mobilizan- Pier Luigi Gilibert, Diretor Executivo do
gar aos seus beneficiários finais. do ainda 140 milhões de euros adicionais FEI, refere que “o Portugal Tech é uma
Dos 100 milhões de euros inicialmente por parte de investidores institucionais das mais bem sucedidas parcerias eu-
acordados entre a Instituição Financeira portugueses e estrangeiros. ropeias com bancos de fomento dos Es-
de Desenvolvimento (através de fundos Embora cada um dos fundos tenha 4 a 5 tados Membros – não só pela qualidade
nacionais) e o Fundo Europeu de Inves- anos para selecionar e investir em star- das equipas já selecionadas, mas também
timento (através de fundos europeus do tups e PME, o programa conta já com 10 pela rápida implementação desde a nego-
Banco Europeu de Investimento e Plano empresas investidas (algumas ainda não ciação até chegar ao mercado e aos em-
Juncker), foram comprometidos até ao anunciadas), das quais se destacam a preendedores Portugueses”.
momento cerca de 60 milhões de euros Vawlt Technologies, SA a SoundParticles, O programa Portugal Tech, que se insere
em três fundos privados geridos por equi- a Bitclic, a Attentive, a Barkyn e a Zenklub. na Estratégia de Inovação Tecnológica e
pas Portuguesas: Para o Ministro Adjunto e da Economia, Empresarial para Portugal, tem ainda 40
• Indico Capital Partners (venture capital) Pedro Siza Vieira, “o crescimento econó- milhões disponíveis para alocar a novas
• Armilar Venture Partners (technology mico sustentável exige mobilização de equipas, estimando-se que o capital mo-
transfer) financiamento, sendo o Programa Portu- bilizado na economia portuguesa venha a
• Vallis Capital Partners (private equity) gal Tech um contributo essencial para a superar os 300 milhões de euros.

Academia Start & Go


Formação Start & Go: Curso Disponíveis
• Formação personalizada e sectorial • Gestão de PME;
• Aprendizagem formal e não formal • Liderança e Gestão de equipas em PME;
• Competências reais de trabalho • Gestão Vendas;
• Orientada à inovação • Desenvolvimento Pessoal;
• É ensinado o que é praticado e o que é ensinado é • Gestão de Marcas em PME;
praticado • Marketing Digital.

Ambiente de aprendizagem: TRAGA UMA SITUAÇÃO REAL


• Ferramentas práticas DA SUA EMPRESA E DEIXE-NOS
• Desenvolvimento em rede AJUDAR A RESOLVÊ-LA!

www.startandgo.pt
• Discussão em grupo
• Problema-Solução-Feedback

35 | START&GO | julho 2019


O QUE APRENDI NAS MINHAS VIAGENS

Islândia – o sol da meia-noite


Vítor Briga
Formador de Criatividade cerveja Viking na mão, se aproximou e nos Daí que o princípio da escassez seja um
e Comunicação perguntou como estávamos. Responde- dos princípios da psicologia de influência
www.vitorbriga.eu
mos, ainda em estado de deslumbramen- propostos por Robert Cialdini.
to, que tínhamos acabado de ver o sol da Este princípio diz que a atratividade de um
meia-noite numa colina junto à costa. Eis a dado serviço, objeto ou situação é inversa-
mente proporcional à sua disponibilidade.

E
m 2008, fui visitar o meu amigo Ivo Cialdini concluiu, nos seus livros, com es-
à Islândia. O Ivo, português, tem tudos consistentes cuja leitura aconselho,
uma relação muito especial com A atratividade de que as pessoas tendem a valorizar mais
a Islândia. Começou por emigrar para tra- um dado serviço, aquilo que percecionam como sendo raro
balhar neste belíssimo país, no entanto, o objeto ou situação ou exclusivo (não importando se realmen-
seu lado curioso e aventureiro levou-o a é inversamente te é ou não). Ou seja, a escassez desperta
aproveitar todos os momentos livres para proporcional à sua o desejo: queremos mais aquilo que é úni-
descobrir os recantos e mistérios da ilha. co ou que só alguns podem ter.
Atualmente, partilha o seu conhecimento
disponibilidade Daí as estratégias publicitárias do "produ-
e as suas histórias, enquanto guia turísti- to disponível por tempo limitado" ou "ex-
co, com grupos de todo o mundo. Poderão clusivo para..." ou "tiragem limitada" ou,
conhecer melhor a história dele no meu sua resposta: “Apesar de sempre ter vivido ainda, dos famosos avisos dos sites de re-
blogue 'Human at Work' ( human-at-work. aqui, eu nunca vi. Estava em casa de uma serva de hotéis, que querem acionar este
com). amiga onde o poderia ter visto bem hoje, princípio e fazer-nos agir, com os irritantes
Depois de passar um dia em Reykjavík,
apanhei um pequena avioneta para Aku-
reyri, no norte do país, onde estava a viver
o Ivo. Decididos a explorar zonas da ilha
que só estão acessíveis no verão, alugá-
mos um carro e fizemos cerca de dois mil
quilómetros mágicos com vista para vul-
cões e glaciares. Num desses dias, fomos
a uma vila numa zona remota da Islândia,
localizada num fiorde do noroeste da ilha.
Um belo lugar para se ver o sol da meia-
-noite, uma vez que era 21 de Junho e a
luz do dia tinha 24 horas. Nessa pequena
comunidade aproveitámos para ver este
fenómeno único de o sol pousar sobre a
linha do mar e voltar a subir pouco de-
pois. O anoitecer e o amanhecer fundem-
-se criando inesquecíveis paletas de cores
púrpura no céu e nas montanhas. Depois,
e uma vez que era sábado, fomos beber
um copo ao único bar do local. Foi interes-
sante verificar que, apesar de ser de dia, mas pensei cá para mim, que se f…! Fica avisos a vermelho "rápido, já só resta um
todos os comportamentos eram iguais aos para o ano, vou mas é beber uns copos…”. quarto a este preço!"
que se podem ver numa ‘noitada’ de sába- Isto fez-me pensar que, de facto, aquilo Importa ter esta consciência dos nossos
do. E no que se refere aos excessos alcoó- que para uns é surpreendente e motiva- automatismos mentais para saber con-
licos, os islandeses são campeões. Nesse dor, para outros pode ser comum e indi- trariá-los quando o que verdadeiramente
bar estavam os personagens que tínha- ferente. Não depende apenas da qualida- importa está em causa. Além disso, às ve-
mos visto ao longo do dia: o empregado de do produto, mas depende em grande zes aquilo que parece abundante pode ser
do hotel, o rapaz da bomba de gasolina, parte do contexto de cada um e do grau mais escasso do que pensámos. Há que
o responsável pelo posto de turismo… Foi de originalidade e novidade daquilo que é saber valorizar o que vivemos, e o que te-
exatamente este último, um jovem alto, oferecido. Outro fator importante a consi- mos, principalmente quando falamos de
de cabelo comprido louro e olhos azuis, derar é que temos tendência a desvalori- momentos e de pessoas importantes na
que, já bastante feliz com a sua caneca de zar aquilo que possuímos em abundância. nossa vida. Como escreveu G.K. Chester-

36 | START&GO | julho 2019


O QUE APRENDI NAS MINHAS VIAGENS

ton: "Para amar qualquer coisa basta per- seu entusiasmo quando exclamava, olhan-
ceber que ela pode ser perdida." Nestes eventos do para todo o lado, "Isto é tudo tão dife-
internacionais, (...) rente do sítio de onde eu venho!".
INGLATERRA – O JOVEM é mais interessante No final do curso, propus que ficásse-
NEPALÊS QUE SÓ TINHA mos em contacto nas redes sociais, ao
TINDER
a oportunidade de
que ele responde; "Não tenho Facebook,
Estive, recentemente, em Manchester a
conhecer colegas de Instagram ou Twitter. Decidi fechar essas
receber um curso sobre gestão emocional distintos países e ver contas para me poder concentrar mais
e microexpressões faciais. Nestes eventos como cada cultura na realidade, e no que acontece nesta
internacionais, habitualmente, tão inte- interpreta os temas viagem, e não no telefone e em publicar
ressante quanto o próprio curso, é a opor- e participa nas posts". Claro que compreendi e pensei
tunidade de conhecer colegas de distintos atividades que, se calhar, ele está mais certo do que
países e ver como cada cultura interpreta eu, que passo, provavelmente, demasia-
os temas e participa nas atividades. Este do tempo das minhas viagens no Insta-
foi o caso: éramos doze formandos de gram.
onze países diferentes! Um dos meus co- jovem nepalês de vinte anos. Enquanto Reparei, no entanto, que mantinha a apli-
legas, que me chamou imediatamente à caminhávamos pelas ruas de Manchester cação de encontros Tinder no seu telefo-
atenção quando entrou, ainda atordoa- após o curso, disse-me que era a primeira ne. A procura de 'amor' não se desinsta-
do pelo jet lag, era o Aaryan, um tímido vez que saía do seu país. Era contagiante o la....

VIAGENS SEM JULGAMENTOS Novidade!

Este livro reúne um conjunto de 31 crónicas com o relato


de detalhes e episódios reais vividos pelo autor em via-
gens por si efetuadas nos cinco continentes.
Apesar das referências a diferentes geografias, as persona-
gens principais são as pessoas com que o autor se cruzou
e procurou observar sem quaisquer julgamentos.

“Era inevitável que, em algum tempo da sua vida, o Rafael


publicasse um livro. Mas tinha de ser um livro como este.
Um livro em que consegue conciliar precisamente as 3 coi-
sas que mais o encantam na vida: as viagens, a literatura e
as pessoas.”
Mariana Campos Pereira, in prefácio

Autor Rafael Campos Pereira


Págs. 160
PVP € 11.90 PVP c/desconto € 10.71

Compre já em http://livraria.vidaeconomica.pt
encomendas@vidaeconomica.pt 223 399 400

37 | START&GO | julho 2019


FORA DA CAIXA

Alfabeto positivo do primeiro


semestre em Portugal
Rui Pedro Oliveira este ano, os Estaleiros de Viana voltam a mais baixa nas últimas décadas (6,3%).
Gestor
rpo@imaginew.pt
ser referência mundial na indústria naval e Turismo, investimento, exportações, anos
empregam neste momento mais de 1200 de maior e melhor formação académica e
pessoas. Ninguém, nem os mais céticos da sem dúvida os jovens terem hoje em dia
altura, faltou à fotografia quando o NPO mais “mundo”, e, claro, conjeturas e go-
Setúbal foi batizado em Fevereiro de 2019. vernantes dos últimos anos, tudo isto con-

A Airbus escolheu a companhia de ban-


deira portuguesa TAP para entregar o
primeiro A330-900 neo. O mais moderno C Casillas. Iker Casillas. Não é português,
mas o Porto adotou-o como tal, de tal
tribui para estes valores recorde. Sempre
de ressalvar.

avião do construtor europeu para viagens


de longo curso. Com mais tecnologia, mais
silencioso e poupando mais combustível
forma que quis o destino que este adorá-
vel, simpático e profissional ser tivesse a
infelicidade de ser no nosso país que tivesse
E Elétricos. Cada vez mais em Portugal
o carro elétrico é o meio mais prefe-
rido pelos portugueses quando compram
foi estreado num vôo entre Lisboa e Miami que pôr fim a uma carreira fantástica e um um carro novo. Só no primeiro semestre
em Março deste ano. Ser o primeiro é sem- grande embaixador do futebol em todo o de 2019, as vendas superaram todo o ano
pre um sinal de reconhecimento, antecipa- mundo. Também teve a felicidade de tudo de 2018. Claro que oferta é maior, o preço
ção e de desenvolvimento. ter corrido pelo melhor e ter sentido de tal ainda pesa, mas a longo prazo a vantagem
forma o calor portuense que se quer manter é substancial para todos, para o bolso de

B Barcos talvez o mais correto seja na-


vios na linguagem técnica, a serem
construídos nos estaleiros de Viana de
em Portugal por mais uns anos com a família.
Força, Iker, força, Sara, não há bem que sem-
pre dure nem mal que nunca acabe.
cada um e para o ambiente. Números que
superam alguns países desenvolvidos eu-
ropeus, não obstante eles terem adotado
Castelo. Quando há uns anos davam os es- os métodos anteriormente. Fica a devida
taleiros como mortos em 2011 e se iniciou
o processo de privatização dos mesmos, D Desemprego em Portugal chegou,
em Março deste ano, à sua marca
nota de mudança, que parece ter vindo
para ficar.

38 | START&GO | julho 2019


FORA DA CAIXA

F Farfetch, primeiro unicórnio portu-


guês com o um IPO na bolsa de Nova
Iorque que no segundo dia já atribuíam
uma matéria destes, pois nunca deveria
ter acontecido, mas como era um facto
e mudou tudo para melhor, é um aspeto
mente dos clubes e agentes envolvidos, é
obra de todos. Oxalá o rapaz não se perca
e seja mais um grande português no mun-
uma capitalização de mais de 51%. Este de evolução que muito saúdo e qualquer do da bola como tantos temos e tivemos.
ano não pararam de expandir e graças ao criança merece, principalmente as que, Boa sorte, João.
seu visionário, José Neves, que afirmou há pelos motivos que sabemos, têm que lá
dias: “A Farfetch dará lucro no dia que nós
quisermos” após dizer aos 44 anos que vai
permanecer.
K Kg, cerca de menos 2137. Foi o que
o Banco Alimentar contra fome re-
doar 2/3 da sua fortuna para combater a
iliteracia digital em Portugal. Toda a moda
internacional de Portugal para o mundo.
I Instituto Português de Oncologia do
Porto administrou pela primeira vez em
Portugal, em Maio, com base na modifi-
gistou na primeira campanha do ano em
Maio, resultando numa quebra de 5% e re-
lação ao ano passado. Tal como em outras
cação genética de células, uma terapia no causas, certamente no segundo semestre

G Gastronomia portuguesa. Não pára


de surpreender, mais estrelas Michelin
este ano, pela primeira vez seis duplas es-
tratamento ao cancro do sangue. A taxa de
sucesso espera-se na ordem dos 40%. Com
esta nova terapia os doentes que se encai-
rebatemos esta caída como é nosso tim-
bre, voltando a valores sempre crescen-
tes, como esta causa bem merece e tantos
trelas e vinte estrelas em todo o território. xem nos 40% de casos de sucesso, terão portugueses alimenta, com mais de 1200
Começam a aparecer estrelas fora dos lu- a doença controlada ou definitivamente voluntários por média em cada ação.
gares do costume, nomeadamente em Trás curados ao fim de dois anos. Número an-
os Montes e no Minho. Descentralização
de estrelas, embora a descentralização de
“tascos” cada vez melhores por todo o país
tes que, falhando uma opção destas, da-
ria uma estimativa média de vida de seis
meses. Uma boa notícia com excelentes
L Liga das Nações. Futebol português
mais uma vez no topo. Desenhada
em Portugal, acolhida por Portugal na sua
prolifere cada vez mais invadindo as grandes perspetivas. primeira edição e, naturalmente de forma
urbes, tudo ao gosto de cada freguês. “limpinha”, em campo, Portugal levou o

H Hospital de São João no Porto, ala


pediátrica. Finalmente as crianças
J João Félix. Quase anónimo para a
maioria dos portugueses no início do
semestre, hoje um nome conhecido em
troféu. Um torneio que veio tornar os ob-
soletos jogos amigáveis em mais um meio
lucrativo para todos no ópio do povo que
saíram dos contentores que os albergava todo o mundo por ter jogado 6 meses e agrada às massas. O nosso futebol, o nos-
para instalações dignas de um país de- tornar-se a 4ª maior transferência a nível so bom futebol com excelentes resultados
cente. Não devia ser motivo de regozijo mundial por 120.000.000€. Independente- praticado em Portugal.

39 | START&GO | julho 2019


FORA DA CAIXA

M Matilde, a união dos portugueses


quando sentem que realmente algo
injusto, sem a mão do Estado (no início cla-
res, e não passam disso nos últimos meses,
dizem que poderia ser substituído por uma
co-organização entre Portugal e Espanha,
V Vinhos portugueses. Dos vinhos do Por-
to aos magníficos vinhos do Douro. Do
Dão e do Alentejo sobretudo que se come-
ro) ou alguma causa que possa ser inalcan- entre outros. Que bom seria ter cá a fes- çam cada vez mais a revelar sejam os brancos
çável, dota o mais pobre ou mais rico anó- ta de um Mundial, a exemplo do que foi o os tintos e até bons rosés, nas palavras dos
nimo no maior poço de altruísmo alguma Euro 2004. Mas atenção: só estas três fra- entendidos. Portugal não para de exportar,
vez imaginado. O coração português não é ses é que podem ser um rumor, o resto são os grandes produtores de investir e o setor a
grande, é gigante. factos. evoluir, a qualidade sempre a aumentar e os
apreciadores sempre a distinguir. Inclusive no

N Nascimento de Salvador, o bebé


milagre. A mãe, Catarina, entrou
em morte cerebral após um violento
R Rui Pinto, herói ou vilão? Há quem
tenha a duas visões sobre este “miú-
do”. O que é certo é que muito do que ele
concurso anual desta vez em Adelaide na Aus-
trália, um galardão atribuído a Portugal de um
“Best of Wine Tourism”.
ataque de asma ainda no ano passado, descobriu já abanou com muita “fartar vi-
porém o pai manteve a mulher artificial-
mente em vida. Em finais de Março o Sal-
vador vinha ao mundo. Embora não seja
lanagem” que existia por este mundo fora.
E isto é o que sabemos até agora para já
no mundo do desporto… Um assunto cla-
W Web Summit, investimento para
10 anos na maior feira de alta tec-
nologia mundial. Oradores convidados de
caso único, foi notícia além-fronteiras ramente a acompanhar neste semestre. renome mundial, um alargamento para
pelo tempo que a mãe esteve cerebral- o maior centro de congressos do país re-
mente morta e o bebé saudável no seu
corpo. Sempre é bom saber que nunca
nada está perdido até ao destino final.
S Segurança. Para todos os efeitos, ti-
rando alguns piquetes de “stalkers”
de uma televisão ou jornal espalhados por
ceber na próxima década as centenas de
milhar de visitantes, impulsionando a eco-
nomia e visibilidade de Portugal. Um “in-
Acreditar sempre. todos os lados para alguns crimes, geral- come” em todos os aspetos. Uma década
mente passionais entre familiares ou vi- é muito tempo hoje em dia tecnologica-

O ONU. O Secretário-Geral da ONU, o


português António Guterres, foi capa
da revista Time a alertar numa fotografia ti-
zinhos, Portugal é cada vez mais um país
que cresce a nível de confiança global na
sua segurança. Bom para quem nos visita,
mente falando, por isso que se reinvente
sempre. A expectativa está alta.

rada em Tuvalu, de fato e gravata e um ar


carregado, para o efeito das alterações cli-
máticas em todo mundo e a subida do nível
excelente para nós que o habitamos e fa-
zemos a nossa parte. X Xeque-Mate, o nome do cavalo aba-
tido após uma tourada em Coruche.
Primeiro alguém pôs o dedo na ferida,
da água dos mares, arrasando milhares de
ilhas e invadindo cidades inteiras neste sé-
culo. A última capa da Time a falar de Portu-
T Turismo. Apenas não gosto de chegar
a alguns restaurantes e ter que pagar
como um americano ou inglês, de resto, ci-
depois começaram a demolir praças de
touros, por fim, depois de infelizmente um
cavalo abatido e dois toureiros no hospi-
gal foi em 1975, apelando à “Lisbon Troika. dades e arredores recheadas de pessoas, tal, onde o touro desta vez levou a melhor
Red Threat in Portugal” com a “foice” e a gera mais emprego, promove a economia (também merece de vez em quando), pa-
troika da altura na capa. Salazar e Spínola e o país. Quem se recorda outrora, há pou- rece que é desta que por cá acaba esta fes-
também já tinham sido protagonistas da cos anos, centros de cidades desertas e ta medieval.
mesma. que hoje por via do mesmo exultam cul-

P Partidos políticos, os novos que apa-


recem e prometem mexer com o sis-
tura, diversidade e alegria todos os dias.
Como dizia o Zeca Afonso: “Seja bem-vin-
do quem vier por bem”.
Y Youngquest e Luma Grothe, o ca-
sal de namorados que são a cara de
perfumes de Paco Rabanne, trocaram há
tema. Hoje em dia não há nenhum espaço poucos dias Paris pela Ericeira (onde já vi
político que não cubra qualquer tendência
ou ideologia, só mesmo a apatia ou a pre-
guiça podem continuar a alimentar altos
U Uber e outras plataformas eletró-
nicas de transporte de passagei-
ros já são obrigadas desde há 3 meses
isto?) juntando-se a Madonna, Louboutin,
Monica Bellucci e Starck, que já se instala-
ram em Portugal por imensas temporadas.
níveis de abstenção. Sempre salutar numa a identificação exposta, com uma placa Ao que parece, podem-se seguir, a estas
democracia, rostos e ideias novas para to- (TVDE). Finalmente já não precisam de estrelas, Scarlett Johansson e Phil Collins.
dos os portugueses. Alternativas não fal- andar escondidos com medo dos taxistas “Portugal Fashion”.
tam, depois, não se queixem. enfurecidos, e estes últimos só perdem

Q Quatar. O mundial de 2022 está em


causa realizar-se neste país do Golfo
se não perceberem o que quer dizer ci-
vismo, educação, limpeza e utilização de
meios eletrónicos de pagamento. Pelo
Z Zebinix, fármaco desenvolvido em
Portugal, este ano já representa mais
de 30% da faturação da Bial e a liderar no
Pérsico que tinha sido atribuída por Blatter que tenho verificado, parece que já têm mundo no combate à epilepsia. Parabéns
e Platini (remete para a letra seguinte) a evoluído, mas só alguns. Também a Uber ao laboratório na sua investigação e de-
organização do mesmo numa decisão iné- começa a decair em alguns serviços, mas senvolvimento, e pelo seu enorme cresci-
dita de nesse ano anunciar dois mundiais a convivência sem ter que ser escondida mento a nível mundial, alavancando mais
de uma vez. Este é o de 2018, na Rússia. já é um avanço enorme num país civili- uma vez tudo que de bom na área da saú-
Tudo soou estranho desde o início. Rumo- zado. de Portugal exporta.

40 | START&GO | julho 2019


TI

A tecnologia pode provocar


uma sensação de isolamento

U
ma dependência excessiva da tec-
nologia quando se comunica no lo- A limitação do número de interações cara-a-cara
cal de trabalho pode levar a que os entre colegas influencia muitos colaboradores
colaboradores se sintam isolados, segundo
os especialistas em recrutamento da Hays.
a sentirem-se isolados no local de trabalho
Com escritórios cada vez mais modernos,
significa que os profissionais estão mais
conectados do que nunca. No entanto, isso no bem-estar dos colaboradores. Também a combater qualquer sentimento de iso-
limita o número de interações cara-a-cara pode resultar numa maior rotatividade de lamento, por interagirem apenas com os
entre colegas, o que está a influenciar para colaboradores, se estes quiserem ir à pro- colegas por computador ou por telefone.
que muitos colaboradores se sintam isola- cura de uma outra oportunidade devido à Aos profissionais, eu aconselho que eles
dos no local de trabalho. Na última edição infelicidade no trabalho atual. Isto pode ser fiquem atentos aos colegas, especialmente
do Hays Journal, analisou-se como é que as um enorme problema para as empresas aqueles que passam muito tempo longe do
empresas podem garantir que os colabora- que se deparam com a escassez de talentos escritório, muitas vezes é uma pessoa que
dores não se sintam isolados. com qualificações e a retenção é uma prio- pode fazer a diferença ”
ridade fundamental.
Joana Santos, HR Manager da Hays Portu- Trabalhar remotamente é visto como um Emma Mamo, Head of Workplace Well-
gal "Visto que a era digital aproximou co- benefício para muitos colaboradores, pois being na Mind, constata que a solidão e a
legas de diferentes países, é contraditório oferece flexibilidade. No entanto, trabalhar sensação de isolamento não são um pro-
que tenha criado um maior distanciamento a partir de casa pode ser um fator que con- blema de saúde mental, mas podem ser
entre colegas no mesmo local de trabalho. tribui para que os trabalhadores se sintam um fator que contribui.
É importante que os profissionais de RH e isolados. Ter uma boa relação com um cole- "A sensação de isolamento pode contribuir
líderes de negócios identifiquem os colabo- ga de trabalho pode fazer uma grande dife- para o desenvolvimento de coisas como
radores que possam estar a sentir-se mais rença no bem-estar de uma pessoa. a ansiedade e a depressão, enquanto as
solitários, caso contrário, o custo de não fa- pessoas que vivem com questões de saúde
zê-lo pode ser grande e afetar o desempe- Joana Santos, HR Manager da Hays Por- mental são mais propensas a sentirem-se
nho geral da empresa através da baixa pro- tugal “Os líderes empresariais precisam sozinhas."
dutividade e pouca retenção de talentos.” de garantir que os trabalhadores remotos
Este tipo de sensação pode ter um impacto vão com regularidade ao escritório, pelo
direto no desempenho, no compromisso e menos uma vez por semana. Isso ajudará

41 | START&GO | julho 2019


TI

Cloud Computing

Rui Carvalho
Consultor SI na WebAppsGlobal delas poderá servir propósitos e neces- dade está fisicamente num fornecedor de
sidades diferentes. Antes de uma imple- datacenters e é acedido remotamente, no
mentação de Cloud deverá ser avaliado entanto a rede onde funciona é totalmen-
o nível de necessidade que cada projeto te privada e de acesso exclusivo da entida-
tem de forma a poder implementar a mais de cliente.
indicada.

O
conceito “Cloud” baseia-se A Cloud Híbrida combina a Pública e a
numa rede global de servidores A Cloud Pública é fornecida por operado- Privada através de ligações que permitem
que em conjunto disponibilizam res de serviços externos. São disponibili- a interação entre ambas, partilhando to-
serviços informáticos de redes, servidores, zados servidores, armazenamento, bases dos os recursos disponibilizados online de
armazenamento, bases de dados, softwa- de dados, projetos de “BigData” e inteli- forma transparente. Esta situação permi-
re, projetos de “BigData”, inteligência arti- gência artificial entre outros serviços, em te uma maior flexibilidade com inúmeras
ficial, entre outros. Estes serviços estão ao forma contratual de aluguer onde o ope- vantagens a nível de evolução e otimiza-
dispor de qualquer pessoa ou entidade, rador é responsável por toda a infraestru- ção dos serviços utilizados, tanto em pro-
permitem oferecer tecnologia e inovação tura física ou virtual e efetua a gestão ge- dutividade como em segurança, tirando
de forma continua a custos muito reduzi- ral dos sistemas. Habitualmente, o acesso partido do melhor que disponibilizam as
dos, sem a necessidade de recursos com do cliente aos serviços é efetuado por pla- duas soluções.
conhecimentos técnicos especializados. O taforma disponibilizada via navegador ou
acesso é efetuado “online” através da In- outro meio mais específico. Maiores vantagens e benefícios
ternet. Tudo isto ajuda a reduzir custos e na utilização da Cloud
permite ter a última tecnologia dimensio- A Cloud Privada está presente na infraes-
nada às necessidades de cada entidade, trutura e recursos informáticos das pró- Custos - A utilização da Cloud reduz o
numa base imediata e escalável. prias entidades, estão implementados investimento em aquisição de hardwa-
e são geridos em instalações próprias. re, software, serviços de configuração e
As implementações de Cloud poderão ser Poderão existir situações em que o alo- suporte que um Datacenter requer, tais
públicas, privadas ou híbridas. Cada uma jamento de toda a infraestrutura da enti- como bastidores, servidores, consumo

42 | START&GO | julho 2019


TI

de energia, refrigeração e técnicos para a mo “Cloud”. Exemplo disso é o correio Outros tipos de serviço menos
gestão e manutenção, esta é a maior das eletrónico (Email) e os web sites de em- conhecidos, como:
vantagens, com impacto imediato nos or- presas, são os serviços mais conhecidos,
çamentos das entidades. no entanto existe uma enorme lista de DaaS – Development as a Service (Desen-
serviços que vai crescendo cada vez mais volvimento como serviço)
Disponibilidade – Todos os operadores com a inovação constante e necessidade Disponibilização de ferramentas para de-
de serviços na Cloud dispõem de imensos de Transformação Digital de todos os pro- senvolvimento de sistema/software “we-
recursos que poderão ser disponibilizados cessos. bbased” (baseados na Internet) e serviços
no momento, a pedido, sempre que seja baseados em “mashup”, códigos, aplica-
necessário aumentar a capacidade das in- Tipos de Serviços ções, APIs, WebServices, Widgets e outros
fraestruturas, o mesmo será concretizado disponibilizados na Cloud que juntos permitem formar aplicações
num espaço de tempo curto (horas), dan- funcionais.
do flexibilidade e evitando planeamentos Todos os tipos de serviços são disponibi-
demorados, eliminando a pressão das ne- lizados em sistema de aluguer, usando CaaS – Communication as a Service (Co-
cessidades pontuais e imediatas. um modelo de pagamento por utilização, municações como serviços)
podendo aumentar e reduzir as necessi- Utilização de soluções de comunicações
Escalabilidade – Disponibilidade de recur- dades sempre que necessitar sem a obri- unificadas disponíveis em Datacenters dos
sos imediatos, permitindo redimensionar gação de investimentos avultados iniciais fornecedores das mesmas, por exemplo,
parte ou toda a infraestrutura existente para aquisição de equipamentos, licencia- centrais telefónicas virtuais.
(de armazenamento, processamento, me- mentos ou técnicos especializados.
mória e largura de banda) consoante as DBaaS – DataBase as a Service (Base de
necessidades do momento, na localização IaaS – Infraestruture as a Service (Infraes- dados como serviço)
ideal. truturas como serviço) Disponibilização de serviços de Bases de
Consiste na disponibilização de infraestru- Dados para tratamento de grandes quan-
Produtividade – Liberta os recursos hu- turas informáticas a nível de servidores fí- tidades de dados, por exemplo, análises
manos de TI/SI para tarefas de apoio às sicos ou virtuais, redes e sistemas operati- de dados “BigData”.
áreas de negócio mais pertinentes da em- vos a pedido e consoante as necessidades,
presa, através da eliminação da necessida- com disponibilidade imediata, continua e SECaaS – Security as a Service (Serviços
de de operações de manutenção e supor- total escalabilidade. de segurança como serviço)
te à infraestrutura a nível de hardware e Funcionalidades de segurança como ser-
software, com a eliminação de tarefas de PaaS – Platform as a Service (Plataforma viço, por exemplo, Firewalls, ferramentas
configurações, atualizações, entre outras como serviço) de deteção de Anti-Virus, Anti-Spam e ou-
tarefas habituais necessárias na gestão de Disponibiliza ambientes completos para tros.
um Datacenter. desenvolvimento, testes e implementa-
ções de aplicações na internet (web sites, EaaS – Everything as a Service (Tudo
Desempenho – Com a existência de re- aplicações empresariais e para dispositi- como serviço)
dundância de Datacenters a nível mundial, vos móveis) de forma rápida sem neces- Define a utilização de todos os serviços de
pela regularidade das atualizações efetua- sidade de ter conhecimentos de gestão e TI disponíveis na Cloud, infraestruturas,
das, utilizando sempre equipamentos de configurações técnicas da infraestrutura plataformas, software, bases de dados,
última geração mais rápidos e eficientes, que disponibiliza os mesmos. Toda a in- comunicações e outros como serviços em
a dispersão geográfica permite níveis de fraestrutura necessária (IaaS) está incluí- regime de aluguer por utilização.
latência de redes inferiores para utilização da.
das aplicações nas diversas localizações, Resumindo, os serviços na Cloud vieram
todas estas situações permitem elevados SaaS – Software as a Service (Software para ficar e trazem, além de inovação,
desempenhos. como serviço) muitas funcionalidades que nos ajudam
Permite a disponibilização de aplicações cada vez mais, no nosso dia a dia, a ser
Segurança – A segurança disponibilizada completas, geridas pelo fornecedor do mais produtivos com menor esforço e a
é mantida através de atualizações regula- serviço, por exemplo CRMs e ERPs, entre custos reduzidos. Além dos aqui apresen-
res, políticas rígidas e controlos efetivos, outros, sem necessidade de ter conhe- tados, existem outros tipos de serviços e
permitindo uma proteção da infraestrutu- cimentos técnicos de configurações. O irão aparecer novos, a evolução é cons-
ra, dados e aplicações, evitando eventuais acesso é efetuado através da Internet via tante e o limite estará para além do que
ameaças. navegador e o modelo de comercialização atualmente conseguimos visualizar. O pre-
é de aluguer por utilizador. Toda a infraes- sente é Cloud e o futuro?...
Os serviços Cloud não são recentes, já trutura necessária para o funcionamento
existem e são utilizados por todos nós das aplicações está incluída (Iaas e PaaS) Na WebAppsGlobal auxiliamos as em-
há imenso tempo, apenas se tornaram e são garantidas todas as condições para presas a implementar projetos na Cloud.
mais conhecidos pela utilização do ter- disponibilidade total. Contacte-nos!

43 | START&GO | julho 2019


DICAS

70/20/10. Será um mito? Será que


funciona para desenvolver líderes?

D
urante muitos anos acreditámos
que os líderes deviam crescer
passando 70 por cento do tempo ‘A vida é muito rápida. Por isso
a aprender com as experiências no traba- não paramos, e quando não
lho, 20 por cento a aprender com outras paramos não reparamos.
pessoas, seja num processo de coaching E quando não reparamos não reparamos.’
ou mentoring, e 10 por cento em pro- Gonçalo M. Tavares
gramas formais de desenvolvimento de
liderança. Este rácio nasceu da pergunta a
líderes eficazes sobre como tinham cresci-
do. Passadas algumas décadas sobre esta
análise, tentámos ir à procura das mudan-
ças impostas pela evolução dos tempos.
Os estudos mais recentes, um dos quais qual o rácio ótimo para desenvolver lí- – 52/27/21. Menos tempo a experimen-
realizados pelo The Conference Board e deres. O Estudo revelou que atualmente tar? Não, mais tempo para parar e pensar
DDI, envolvendo mais de 13.000 líderes, se tende a praticar o rácio – 55/25/20. sobre o que se experimenta. Mais insis-
1500 gestores globais de recursos huma- Mas quando se pergunta qual o rácio tência em fazer, mas aprender com o que
nos e 2000 empresas, procuraram saber que gostariam de praticar, a resposta foi se faz.

Gostaria de trabalhar 6 horas por dia?


É brincadeira? Não.
É verdade e alguns já o fazem!

A
lgumas empresas e países estão
a quebrar certos paradigmas do
trabalho. A ideia é trabalhar me-
nos horas para aumentar a produtividade ´Mais horas não equivale
e satisfação das pessoas. Ou seja, recriar o necessariamente a mais
jogo da vida no trabalho, onde se trabalha resultados.’
menos em quantidade e mais em qualida- John Pencavel
de. Tudo isso, enquanto o lado pessoal e
familiar reocupa o espaço perdido nas úl-
timas décadas. Já imaginou começar a tra-
balhar às 8h30 e sair às 15h30? Ou chegar
às 10h30 e sair às 17h30? Paraíso!? Não, é
já uma realidade.
As opiniões dos CEO que optaram por online a ‘encher chouriços’ desaparecem A moda começou na Suécia, mas muitas
este novo horário de trabalho são consen- por completo. Isto mesmo com uma hora empresas em Inglaterra têm ‘copiado’
suais – ‘as pessoas têm tempo extra para de intervalo para almoço. O objetivo deixa esta nova forma de estar. A verdade é que
a sua vida pessoal, melhoram a sua per- de ser "estar presente" e passa a ser "ser o trabalho excessivo coloca-nos numa es-
formance no trabalho e são mais felizes.’ dinâmico". São formas diferentes de ver piral negativa em termos de performance.
A experiência tem mostrado que as pes- as pessoas no seu horário de trabalho. O Um estudo da Universidade de Stanford
soas aumentam significativamente a con- tempo hoje é tão ou mais valioso que o comprova isso, concluindo, através dos re-
centração no trabalho, as reuniões de 1 dinheiro. Ter mais tempo pessoal e para a sultados da investigação feita, que não há
hora são reduzidas para menos de metade família pode ser decisivo para as pessoas qualquer aumento de produtividade entre
do tempo, enquanto os gastos de tempo aumentarem a sua qualidade de trabalho. quem trabalha 55 e 70 horas.

44 | START&GO | julho 2019


PRODUTIVIDADE E BEM-ESTAR

Mindset vencedor
Daniela Areal ver problemas e riscos inerentes a cada mento da consciência, da “atenção ple-
High Performance Expert situação. Baseado no medo, procura dis- na”, uma excelente solução para ativarem
Life Mentor
CEO DeRose Douro Foz suadir-nos de tudo o que seja desconhe- o seu mindset vencedor!
www.DeRoseDouroFoz.pt cido; é fatalista e pessimista. Não dá para
desinstalar. 3 - O SEU CÉREBRO
• O mindset vencedor, um software mais É UM “MÚSCULO”
recente, calibrável rumo à excelência. Não Ao perceber o seu cérebro como um

Q
ual é o mindset para o sucesso? é o primeiro a aparecer perante uma nova “músculo”, compreenderá que, para estar
Quais os segredos dos top per- situação, mas tem a capacidade de se so- em forma , é fundamental:
formers? brepor aos instintos primitivos, quando • exercitá-lo - técnicas de mentalização e
Tudo começa na mente. Pensar em co- devidamente treinado. Está focado em meditação diárias têm excelentes resul-
meçar um negócio, internacionalizar a soluções, na quebra de padrões que não tados.
empresa, fazer novas contratações, o que
quer que seja que queira criar ou mudar,
saiba que tudo começa numa ideia, no seu
cérebro, um dos “músculos” mais impor-
tantes e tantas vezes subaproveitado.
Numa economia em que a maior parte de
nós é remunerado pela capacidade desse
“músculo mental”, nunca foi tão impor-
tante perceber como extrair o seu máxi-
mo potencial. No entanto, a maioria das
pessoas não sabe que o seu cérebro pode
ser hackeado, para ter mais foco, memó-
ria, performance e lucidez.
É sobre isso que hoje vamos falar neste
artigo: como hackear o seu cérebro para
viver em alta performance!
Interessado? Continue a ler que vai valer
muito a pena!
Todos nós recebemos à nascença um pre- nos empoderem; é otimista e procura • boa hidratação - beba um copo de água
sente incrível, um supercomputador com construir um futuro melhor. Permite atua- logo ao acordar; em média recomenda-
capacidades extraordinárias... a nossa lizações. -se que ingira entre 2 a 4 litros de água
mente! O conflito que sentimos na tomada de de- ao longo do dia, dependendo de alguns
O único problema é que não veio com cisão é uma batalha diária entre os dois fatores como o seu lifestyle, peso, altura
manual de instruções e a maioria des- softwares. Os Top Performers sabem que, e atividade física.
conhece as suas reais potencialidades. A para vencer, têm que fazer uma escolha • oxigenação - aprenda técnicas respira-
boa notícia é que existem técnicas e há- diária consciente sobre qual mindset dei- tórias que captem e bombeiem mais
bitos apoiados pela ciência que podem xarão prevalecer! oxigénio para todo o seu corpo e cére-
ajudá-lo a otimizar sua máquina mental bro.
para alcançar um desempenho fora de 2 - MINDFULNESS • boa alimentação - inclua na sua dieta
série! Menos de 5% das ações diárias do ser hu- alimentos que protejam e forneçam vi-
Quer conhecê-los? mano são conscientes, pelo que, quando talidade ao seu cérebro, tais como aba-
Eis 3 segredos que os Top Performers sa- em piloto automático, a tendência é que cate, mirtilos, nozes, brócolos e outras
bem (e que talvez desconheça): repitamos os nossos comportamentos verduras.
condicionados. Ansiedade, dificuldade em • descanso - dormir bem e fazer algumas
1 - TEMOS DOIS relaxar, em aprender coisas novas, cansa- pausas ao longo do dia vão exponenciar
“SOFTWARES” A FUNCIONAR ço, e dificuldade de mudar de mindset são a sua produtividade e criatividade!
EM SIMULTÂNEO problemas atribuídos ao hábito de não Se gostou deste artigo, fique atento por-
• O mindset primitivo, o software que estar presente. Os verdadeiros campeões que em cada edição partilharei novas di-
vem de origem e cuja função é garantir sabem a importância de estarem presen- cas para hackear o seu corpo e cérebro
a nossa sobrevivência. Deriva dos nos- tes em tudo o que fazem, e vêem no treino para ter mais desempenho, mais entusias-
sos instintos primitivos e está focado em de mindfulness, a ciência do desenvolvi- mo e mais qualidade de vida!

45 | START&GO | julho 2019


PRODUTIVIDADE E BEM-ESTAR

Superação é ir além dos próprios limites


Samuel Soares
Diretor Geral da Samsys
Samuel.soares@samsys.pt

N
uma empresa com mais de 22
anos de existência, se há coisa
que eu e o meu irmão Ruben Soa-
res tentamos fazer, dia após dia, é desper-
tar nos outros a vontade de fazer ou, pelo
menos, tentar que fiquem sensíveis a isso.
O segredo, ao longo destes anos, tem sido
conseguir plantar uma semente que es-
teja alinhada com os valores e cultura da ajudámos a comunidade a desenvolver-se Acredito que não é possível obrigar
Samsys e conseguir que cada talento desta pessoal e profissionalmente. alguém a crescer e a desenvolver-se,
equipa reveja nesta premissa um caminho Levámos conhecimento de forma gratuita, mas podemos comunicar de forma
a percorrer. pelo mais genuíno gosto de sentir cumpri- a inspirar a que isso aconteça!
Se cada um de nós sente dificuldade em do o nosso dever no âmbito de responsa- A nossa existência enquanto seres
manter o foco para chegar ao fim da sua bilidade social. humanos não faz sentido se não ti-
missão? Claro que sim, é possível que, em O feedback não poderia ser mais positivo, vermos um propósito, uma missão a
algum momento, venhamos a sentir que inspirámos milhares de pessoas a “fazer cumprir, uma causa e objetivos bem
não somos capazes de atingir os objetivos acontecer” e a não ter medo de falhar, já definidos. Assim, quando as dificul-
a que nos propomos. que tentar e não abrir mão de ir até ao fim dades aparecerem, vamos ter uma
é motivo de orgulho. causa à qual nos vamos agarrar.
O que define o nosso carácter é a
nossa resiliência para vencer e nun- Aquilo a que assistimos no DDC tem Durante um dia inteiro, assistimos a pa-
ca desistir. Manter a consistência origem na escolha do tema, que se lestras sobre comunicação, liderança, em-
pode ser o nosso maior desafio no relaciona com a minha história de preendedorismo, PNL e foram partilhadas
dia-a-dia, mas estarmos conscien- vida. A maior lição que tive foi que histórias inspiradoras que são verdadeiros
tes disto pode ser o primeiro passo posso ir além dos limites que eu exemplos de superação. Aquelas seis pes-
para nos lembrarmos de que só um próprio coloquei. soas criaram a sensação no público de que
foco inabalável nos leva a chegar as suas histórias podiam ser as nossas e que
mais longe. Há uns anos cheguei a pesar 106 kg, es- está ao nosso alcance mudar o nosso rumo.
tava irreconhecível… não me revia no ser A 8ª edição do DDC Samsys revelou a im-
E se vos disser que acabo de resumir humano em que me tinha tornado e que portância de definir objetivos, acreditar,
aquilo que aprendemos na 8ª edição do via ao espelho. Um dia disse que bastava, ser persistente, relativizar quando algo
DDC? queria mudar! E foi então que regressei à corre menos bem e ser consistente.
Verdade, o evento que surgiu com o nome prática de desporto e comecei a reeducar A próxima edição promete trazer um novo
“Dia do Cliente” e que recebeu cerca de a minha alimentação. Foi um desafio diá- ciclo: o DDC passa a ser associado não a
300 pessoas na 1ª edição, este ano alcan- rio tremendo! Eu tinha imensos maus há- “Dia do Cliente”, passando a ser associado
çou o recorde de 2500 visitantes, no Pavi- bitos tão enraizados, que só depois de pa- a “Dia do Conhecimento”, já que é aberto
lhão Multiusos de Gondomar! rar para refletir percebi que deixaram de à sociedade.
O dia 6 de junho de 2019 foi um dia his- fazer sentido. Passei por avanços e recuos, Já estamos a trabalhar no próximo DDC
tórico para a nossa equipa. Não porque até conseguir chegar aos 76 kg que peso e para já, para além desta novidade, que
tenhamos tido a oportunidade de apre- hoje. Valeu muito a pena todo o sacrifício. avançamos em primeira mão, podemos
sentar a nossa empresa a 2500 pessoas, Hoje sou viciado em desporto e nunca me dizer que será um evento focado em lide-
não porque tenhamos batido recordes senti tão bem, nem com tanta energia! rança e que será motivador e revelador.
de vendas, não porque tenhamos fecha- Foi isso que fizeram André Leonardo, Pau- Vamos contar com mais de 3000 partici-
do parcerias que cobrissem os custos de lo Azevedo, Tim Vieira, Jorge Coutinho, pantes, naquela que será a melhor edição
um evento desta dimensão, até porque Carla Rocha e Luís Fernando nas suas pa- de sempre.
o intuito não é falar da Samsys nem dos lestras, com o mote “Vamos Superar Limi- As inscrições já estão abertas e continuam
seus produtos e serviços, mas sim porque tes”, tema do DDC 2019. gratuitas, em ddc.samsys.pt!

46 | START&GO | julho 2019


PRODUTIVIDADE E BEM-ESTAR

Não tenho tempo

Pedro Amendoeira ções a que estamos expostos e aos quais Não encontrei soluções mágicas para fazer
Partner na Expense Reduction
Analysts dedicamos a nossa atenção. Isso cansa-nos as tarefas importantes e não as que se in-
e, pior, faz-nos sentir que perdemos o mais trometem, só algumas práticas que me pa-
valioso dos nossos recursos, porque insubs- recem resultar e que luto por implementar
tituível: o tempo. progressivamente, com pequenos passos.
Se não tínhamos tempo disponível há uns Algumas delas são:

A
frase “gostaria muito mas não te- anos, como conseguimos encaixar horas de • Começar pequeno - se não tenho tem-
nho tempo” soa familiar? Sentida Facebook ou de vídeos? Como toleramos po para fazer exercício, posso começar só
por nós, dita por familiares, ami- interrupções de mensagens instantâneas a com uma flexão, ao acordar. Ou 10. Uns 30
gos ou colegas, parece aflorar em todo o cada minuto? Porque temos 24 horas por segundos tenho seguramente, posso co-
lado. Noto que surge com frequência em dia um telefone pronto a tocar? meçar por aí. À medida que incorporo esse
temas como fazer exercício, voluntariado A resposta parece óbvia: temos todos exac- hábito, posso ir incrementando mais uma
ou face a um novo projecto pessoal ou pro- tamente os mesmos 1440 minutos num dia flexão à rotina. E começar o dia com um ob-
fissional. e, se encaixamos agora espaços que antes jectivo já cumprido é poderoso.
É certo que somos bombardeados com não existiam, então no passado tínhamos • Reduzir distracções - posso escolher um
solicitações de uma quantidade de formas mesmo tempo disponível (e não sabía- dia da semana sem redes sociais, televisão
que não cessa de aumentar e isso talvez mos). Se assim for, e porque continuare- ou ambas. De repente criei umas horas.
ajude a explicar este fenómeno. mos inevitavelmente a encaixar novas apps Que faço com elas? Decido antecipamen-
Há 30 ou 40 anos (sim, sou desse antiga- ou distracções, decorre que agora também te se vou passá-las a ler, a ter formação ou
mente) para contactar com alguém, além temos tempo disponível (e não sabemos). meditar.
de o encontrar na rua ou em casa, podía- Se existem pessoas que conseguem resul- • Reduzir interrupções - interromper um
mos ligar para um número fixo e esperar tados melhores que os meus com esses trabalho é a melhor forma de garantir que
que estivesse, escrever uma carta ou, com mesmos 1440 minutos - seja na parte físi- se prolonga. Se substituir ver o e-mail a
outros meios, usar um dos canais de televi- ca, profissional ou espiritual, pode dever-se cada 2 minutos por 3 ou 4 vezes ao dia, te-
são (eram 2), rádio ou imprensa. E ponto. a que façam uma gestão de tempo melhor nho ganhos de produtividade garantidos.
Depois de acrescentar ferramentas de pro- que a minha. Que posso aprender com Se cortar todas as demais notificações, o
ductividade extraordinárias como os tele- eles? Posso modelá-los de alguma forma? ganho será exponencial.
móveis, sms, mail, internet, ficamos todos Talvez a sensação de que o tempo é um es- Sei que nunca vou ter tempo para tudo o
com mais tempo disponível? E depois de coadouro infindável se deva a uma gestão que quero fazer, mas luto pelo dia em que
mil redes sociais, smartphones, tablets, de blocos de minutos que não advém de em vez de dizer “gostaria muito mas não
WhatsApp, YouTube e Netflix? uma definição consciente das prioridades. tenho tempo” sairá automaticamente ou
Aumentaram as ferramentas de produtivi- Deixamos que o mais fácil seja com fre- “não está nas minhas prioridades de vida,
dade, é certo, mas com elas incrementou quência a decisão: exercício ou televisão? por isso não irei fazer” ou então “sim, faço”.
exponencialmente o número de solicita- Voluntariado ou Facebook? Só.

47 | START&GO | julho 2019


Se a vida te dá limões, faz limonada!

Novidade
LEMON - Uma viagem para a felicidade

“Bravo pela obra e pelo legado deixado


às novas gerações “
Hélder Preza, Presidente do CA da TAAG Linhas Aéreas de Angola

“Para ti leitor, não duvides,


vai-te ajudar no dia-a-dia profissional!”
Francisca Adelantado Aliaga, Diretora Geral, ESEM Business School
Madrid

“Definindo-o numa só palavra: Visionário!”


Gisela H. Maia, Fundadora da Medibrain

“Trabalhar com o Sérgio torna-nos melhores


profissionais mas fundamentalmente melhores
pessoas.“
Nuno Ricardo, Diretor de Formação da ANJE

LEMON – Uma viagem para a felicidade faz uma


abordagem fresca e profunda sobre o desenvolvimento
IMEDIATO
pessoal e a felicidade individual, num contexto de mudança
tecnológica e global. Através de exemplos, dinâmicas,
histórias pessoais e ciência, o leitor é desafiado a refletir se
vencer ou fracassar depende mais da sua atitude interna ou
de fatores externos.
Título LEMON - Uma viagem para a felicidade
Enquanto seres humanos nascemos para sermos felizes.
Autor Sérgio Almeida O que pode então levar, tantos de nós a seguir mais o
Páginas 160 software cultural do que o líder interior? Ter sucesso é uma
PVP normal € 13.90 consequência, ser feliz é uma decisão.

PVP c/ desc. € 12.51 As respostas aparecem quando colocamos as perguntas


certas: como posso alcançar a felicidade e o equilíbrio?
Estará o nosso cérebro preparado para os desafios atuais?
Existe algum método que nos permita alcançar uma
felicidade sustentável?

Nas encomendas de valor inferior a 20€ acrescem 3€ para despesas de expedição.

R. Gonçalo Cristóvão, 14, r/c • 4000-263 PORTO

Compre já em http://livraria.vidaeconomica.pt
encomendas@vidaeconomica.pt 223 399 400

Você também pode gostar