Você está na página 1de 52

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA

FARMACOGNOSIA PURA

Profª Drª Silvana Araújo


ÁREAS DE
ATUAÇÃO

ESPECIALIDADES FARMACÊUTICAS

De acordo com a Resolução do CFF nº 572, de 25 de abril de 2013, as especialidades


farmacêuticas são agrupadas 10 linhas de atuação: alimentos; análises clínico-
laboratoriais; educação; farmácia; farmácia hospitalar e clínica; farmácia industrial;
gestão; práticas integrativas e complementares; saúde pública e toxicologia. Hoje,
para efeito de registro de certificados e títulos na carteira profissional, estão previstas
135 especialidades, sendo que 4 delas foram publicadas após a edição desta
resolução. Segue a lista:
CONTEMPLADAS NA RESOLUÇÃO CFF Nº 572, DE 25/04/2013

https://www.cff.org.br/pagina.php?id=14&menu=14&titulo=%C3%81reas+de+atua%C3%A7%C3%A3o
FARMACOGNOSIA
FARMACOGNOSIA

FARMACOGNOSIA FARMACOGNOSIA
PURA APLICADA
APRESENTAÇÃO
EMENTA
• INTRODUÇÃO À
FARMACOGNOSIA:

• CONCEITOS GERAIS,
IMPORTÂNCIA E
HISTÓRICO;

• ÊNFASE AO
COMÉRCIO;

• COLETA;

• PREPARO;

• CONSERVAÇÃO DE
DROGAS NATURAIS
• ASPECTOS GERAIS DO METABOLISMO
PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO:
• CONCEITOS DE METABOLISMO E
SUBDIVISÃO

• PRINCIPAIS METABÓLITOS
PRIMÁRIOS E SUAS

• GENERALIDADES E FUNÇÕES

• GLICOSÍDEOS

• POLISSACARÍDEOS

• ÓLEOS E RESINAS
• FITOQUÍMICA
APRESENTAÇÃO
EMENTA

• MÉTODOS DE EXTRAÇÃO
• CONCEITO;

• FATORES
INTERFERENTES;

• PROCESSOS DE
EXTRAÇÃO;

• EXTRAÇÃO A FRIO,
VANTAGENS E
DESVANTAGENS;

• EXTRAÇÃO A QUENTE,
VANTAGENS E
DESVANTAGENS;
APRESENTAÇÃO • ALCALÓIDES, CUMARINAS,
HETEROSÍDEOS FLAVÔNICOS,
EMENTA TANINOS, SAPONINAS

CONCEITO GERAL
EXCEÇÕES DO GRUPO
ESTRUTURA E QUÍMICA DOS
ALCALÓIDES
PROPRIEDADES
FARMACOLÓGICAS
REAGENTES GERAIS DOS
ALCALÓIDES
FARMACOBOTÂNICA E
PRINCIPAIS REPRESENTANTES
DO GRUPO
MICROEXTRAÇÃO E
IDENTIFICAÇÃO DOS
ALCALÓIDES
APRESENTAÇÃO EMENTA

AULA TEÓRICA
AULA EXPERIMENTAL:
Divisão da turma
(normas de segurança)
AVALIAÇÃO:
Atividade Complementar
Prova Prática
Prova teórica
Farmacognosia - histórico
É o ramo mais antigo das ciências farmacêuticas e tem como
alvo de estudo os princípios ativos naturais, sejam animais ou
vegetais.

Apenas a partir de 1815 foi introduzido


o termo farmacognosia, que deriva do
grego pharmakon (droga,medicamento,
remedio) e gnosis (conhecimento). Este
termo foi usado pela primeira vez pelo
medico austríaco Johann Adam
Schmidt em 1811
Farmacognosia - histórico
Originalmente – durante
o século XIX e começo do
século XX – o
termo farmacognosia era
utilizado para definir o
ramo da medicina que
tratava das commodities
cientificas, que tratavam
das drogas vegetais
brutas ou não
processadas.
Farmacognosia - histórico
As fontes de apoio para a fármaco-
história são os papiros, monumentos,
tradições, escritas

• Papiro de Ebers - 1872


Farmacognosia - histórico
Jacob Scheiden : diferenciar várias espécies vegetais

Citologia

Histologia
Etnobotânica

Farmacologia Agronomia

Química farmacognosia Bioquímica

Fitoterapia
Fitoquimica

Microbiologia
Etnofarmacologia
Farmacognosia - histórico
Apesar da maioria dos estudos farmacognósticos focar nas
plantas e derivados, outros tipos de organismos também são
considerado de interesse farmacognóstico, como por exemplo,
bactérias e fungos e também organismos marinhos.
Farmacognosia – Propriedades gerais

▪ A etnobotânica “ estudo
das inter-relações diretas
que existem entre os seres
humanos e as plantas”. 1

▪ A etnofarmacologia “
exploração científica
interdisciplinar dos agentes
biologicamente ativos,
tradicionalmente
empregados pelo homem”. 2

1 Martins et al., 2005


2 Elaine Elisabetsky, 2001
Farmacognosia – Propriedades gerais

Fonte. http://slideplayer.com.br/slide/5589862/
Farmacognosia – Propriedades gerais
▪ Mostra o perfil de uma comunidade e os usos em relação aos produtos da
florestas, pois cada comunidade tem seus costumes e peculiaridades,
visando extrair informações que possam ser benéficas, principalmente o
uso na medicinais de planta.

Científico Conhecimento
tradicional

Agregação de valor
Farmacognosia – Importância
• Em nosso país, possuidor de uma das
floras mais variadas do mundo, riquíssima
em plantas medicinais, a oportunidade
para o exercício da farmacognosia assume
importância maior – Amazônia!!

• A Organização Mundial de Saúde (OMS)


estima que aproximadamente 40% dos
medicamentos disponíveis no mercado são
desenvolvidos direta ou indiretamente a
partir de fontes naturais.

• Hoje, o consumo de plantas medicinais e


fitoterápicos chega a crescer 15% ao ano
em todo o mundo.

https://www.portaleducacao.com.br/farmacia/artigos/6906/os-caminhos-da-farmacognosia
Farmacognosia – Importância
• O Conselho Federal de Farmácia, através da
Resolução CFF n° 477 de 28 de maio de 2008
(que dispõe sobre as atribuições do
Farmacêutico no âmbito das plantas
medicinais e fitoterápicos) determina que o
Farmacêutico deve:

• acompanhar e avaliar o cultivo das plantas


medicinais, observando o cumprimento das
boas práticas de cultivo;

• verificar a identidade das espécies medicinais


e o controle farmacognóstico e microbiológico,
visando assegurar a qualidade da matéria-
prima vegetal a ser empregada na produção de
medicamentos.
Farmacognosia – Importância

• A Farmacognosia é a disciplina que


prepara o futuro Farmacêutico para
atuar na pesquisa, no desenvolvimento
e na avaliação das propriedades físicas,
químicas e biológicas das plantas e das
drogas vegetais de interesse
farmacológico ou com potencial
tóxico.
Farmacognosia – Importância
Outros tipos de tarefas importantes igualmente
estudadas pela farmacognosia:

• Coleta
• Cultivo
• Conservação e armazenamento de drogas.
• Comercialização
• A pesquisa de novas plantas medicinais, buscando
o isolamento de princípios ativos e sua
identificação,
• A verificação da atividade farmacodinâmica destes
princípios ativos bem como a do extrato do vegetal
envolvido, constitui atividade relevante.
Farmacognosia – Coleta
• Colher preferencialmente em condições
ambientais secas.
•Manter limpas as instalações de apoio

•Eliminar partes danificadas e doentes

•Controlar a contaminação a todo momento


Farmacognosia – Coleta - secagem

•Evitar o dano mecânico ou contato com o solo


• Manter o menor tempo entre colheita e secagem
• Proteger de dano biológico, químico e físico
Farmacognosia – Cultivo

• Uso de solos sem contaminantes nem resíduos


• Água livre de contaminação
• Densidade das plantas ajustadas a necessidade das
espécies
• Descarte das plantas doentes
• Uso preferencial de fertilizantes e defensivos orgânicos
Farmacognosia – Conservação e armazenamento de
drogas

• Embalar imediatamente o material seco


• Armazenar em local seco, arejado e ao abrigo da luz
Farmacognosia – Comercialização

• Transportar evitando contato com contaminantes


• Etiquetar adequadamente todo o material
Farmacognosia – Comercialização

Ligado ao IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos


Recursos Naturais Renováveis), foi criado em 2002, o Núcleo
Nacional para Conservação, Proteção e Manejo Sustentável
de Plantas Medicinais.

Além de controlar a exploração, monitorar o comércio interno e


externo e reduzir a biopirataria, este núcleo também tem como
objetivo ensinar as comunidades tradicionais e indígenas a
explorar as plantas medicinais de forma sustentável (FUZÉR e
SOUZA, 2003), já que o processo de extrativismo desenfreado
contribui para o perigo de extinção das espécies.
Farmacognosia – Comercialização

Com o aumento do consumo de


medicamentos fitoterápicos, a
produção de ervas medicinais é
uma alternativa para os pequenos
produtores

Os benefícios alcançados pelo cultivo e


exploração sustentada de plantas medicinais
no Brasil não se restringem apenas às suas
propriedades medicinais, mas constituem
também um bom negócio para os
agricultores dispostos a investir em seu
cultivo, como alternativa de renda, ou até
LOURENZANI et al, 2014 mesmo como atividade principal.
Conceitos Gerais
em Farmacognosia
Farmacognosia – Conceitos básicos
• Planta medicinal: é qualquer planta que contenha substâncias
que possam ser usadas com fins terapêuticos ou que possam
servir como precursores para semi-síntese (OMS, 1978)
• Droga vegetal: todo vegetal ou
animal ou parte ou órgãos destes,
ou produtos derivados deles que
após sofrerem processos de coleta,
preparo e conservação, possuam
composição e propriedades que
possibilitem o seu uso como forma
bruta de medicamento ou como
necessidade farmacêutica.
Conceitos Farmacognósticos

Matéria-prima vegetal: planta


fresca, droga vegetal ou
preparado fitoterápico
intermediário empregado na
fabricação de produto
fitoterápico.

Extrato: são preparações


concentradas, obtidas de
drogas vegetais ou animais,
frescas ou secas, por meio de
um solvente apropriado,
seguido de evaporação total
ou parcial.
DESTILAÇÃO A VAPOR

MACERAÇÃO

DECOCÇÃO
Conceitos Farmacognósticos

• Fitoterápicos
São medicamentos obtidos
empregando-se, como
princípio-ativo, exclusivamente
derivados de drogas vegetais.

• Princípio ativo:
Substância ou conjunto de
substâncias quimicamente bem
definidas, cuja ação
farmacológica é conhecida e
responsável, total ou
parcialmente, pelos efeitos
terapêuticos do produto
fitoterápico.
Extratos

Óleo essencial alcaloides taninos flavonóides cumarinas


ENSAIOS ANALÍTICOS
síntese Metabolismo degradação
METABOLOMA
Apresenta as rotas
metabólicas nas quais
são formados os
metabólitos

Metabólitos: são todas as


moléculas produzidas por
um sistema biológico

Metabólitos Metabólitos
primários secundários
Metabólitos primários:
Essencial para o crescimento,
desenvolvimento e para a
manutenção das células.
Metabólitos secundários: compostos orgânicos que não
estão diretamente envolvidos nos processos de
crescimento, desenvolvimento e reprodução dos
organismos. Essencial para a sobrevivência e continuidade
da espécie
dentro do ecossistema

Funções:

• Defesa contra herbívoros e microrganismos;


• proteção contra os raios UV;
• atração de polinizadores ou animais dispersores de
sementes
• alelopatias
• elevada capacidade biossintética.
FATORES QUE INFLUENCIAM O CONTEÚDO DE
METABÓLITOS SECUNDÁRIOS

Sazonalidade, ritmo circadiano e desenvolvimento

Sazonalidade
A época em que uma droga é
coletada é um dos fatores de
maior importância, visto que a
quantidade e, às vezes, até
mesmo a natureza dos
constituintes ativos não é
constante durante o ano.
FATORES QUE INFLUENCIAM O CONTEÚDO DE
METABÓLITOS SECUNDÁRIOS

Variações circadianas

Existem, também, cada vez mais estudos mostrando que a


composição de metabólitos secundários de uma planta pode variar
apreciavelmente durante o ciclo dia/noite
Variações circadianas

Foi notada, por ex., uma variação de


mais de 80% na concentração de
eugenol (Figura 2b) no óleo essencial da
alfavaca (Ocimum gratissimum), o qual
atinge um máximo em torno do meio-dia,
horário em que é responsável por 98%
do óleo essencial, em contraste com
uma concentração de 11% em torno de
17h
FATORES QUE INFLUENCIAM O CONTEÚDO DE
METABÓLITOS SECUNDÁRIOS

Desenvolvimento

A idade e o desenvolvimento da planta, bem como dos diferentes órgãos


vegetais, também são de considerável importância e podem influenciar
não só a quantidade total de metabólitos produzidos, mas também as
proporções relativas dos componentes da mistura.
Desenvolvimento

o caso, por ex., das lactonas sesquiterpênicas produzidas


em Arnica montana, consideradas os principais princípios
ativos desta planta utilizada como antiinflamatório.
Desenvolvimento

Em um estudo com Papaver somniferum


(papoula), o conteúdo de morfina (Figura
2c) aumentou de menos de 20 μg g-1 no
50º dia após a germinação para mais de
120 μg g-1 no 75º dia; já o conteúdo de
codeína se mostrou praticamente
constante
Temperatura

As baixas temperaturas têm influências significantes


nos níveis de metabólitos secundários
Outro exemplo notório foi observado
em Artemisia annua: após estresse
metabólico causado por geada,
verificou-se um aumento de cerca de
60% nos níveis de artemisinina
(atividade contra cepas susceptíveis e
resistentes de Plasmodium falciparum,
agente causador da malária)

Você também pode gostar