Você está na página 1de 7

ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

O QUE É ?

Chama-se de elementos pré-textuais aqueles que precedem o texto dos trabalhos


acadêmicos, auxiliando sua apresentação, de acordo com padrões pré-estabelecidos.

A preparação de um trabalho acadêmico seja ele uma lição de casa, uma pesquisa
encomendada por um professor, um artigo, uma monografia, uma dissertação ou uma
tese, não pode prescindir de sua apresentação gráfica. O aspecto visual dos trabalhos
apresentados, a estética e a correta utilização de capas, papel, impressão, margens,
diagramação, espaçamento e numerações constituem elementos importantes para a
avaliação do trabalho tanto quanto o conteúdo propriamente dito. São assim
constituídos:

Título, e subtítulo (se houver) - palavras, expressões ou frase que designa o assunto ou
o conteúdo de um trabalho.

Nome do autor – pessoa física responsável pela criação do conteúdo intelectual ou


artístico de um trabalho.

Resumo na língua do texto - apresentação concisa dos pontos relevantes de um texto,


fornecendo uma visão rápida e clara do conteúdo e das conclusões do trabalho.

Palavras-chave na língua do texto – duas ou três palavras representativas do conteúdo


do trabalho.

COMO SE FAZ:

Título e Subtítulo

Deve ser redigido com um número pequeno de palavras e transcrever de forma


adequada o conteúdo do trabalho. O título e subtítulo (se houver) devem figurar na
página de abertura do artigo na língua do texto. Não se deve sobrecarregá-lo, evitando
informações expressas em forma de abreviatura (exceto quando universalmente
conhecidas ou nomes de projetos), informações entre parênteses;

Nome do(s) Autor(es)

O(a) autor(a) do artigo deve vir indicado na margem esquerda. Caso haja mais de um
autor, os mesmos deverão vir em ordem alfabética. Um breve currículo que o(s)
qualifique na área de conhecimento do artigo.

Resumo da Língua do Texto:

Texto, num único parágrafo, sem recuo, em espaços simples, onde se expõe o objetivo
do artigo, a metodologia utilizada para solucionar o problema, os resultados alcançados
e as conclusões do trabalho de forma concisa, deve ter de 100 a 250 palavras. Deve
ser constituído de uma sequência de frases e não de uma simples enumeração de
tópicos. O verbo deve estar na voz ativa e na 3ª pessoa do singular.

Palavras-chave na Língua do Texto:

São palavras características do tema que servem para indexar o artigo, até 5 palavras
no máximo. Elemento obrigatório e devem figurar abaixo do resumo, antecedidas da
expressão, Palavras-chave: separadas entre si por ponto.
INTRODUÇÃO

O QUE É ?

A introdução expõe o tema do artigo, relaciona-o com a literatura consultada, apresentando


os objetivos e a finalidade do trabalho, definições, conceituações, hipóteses, pontos de vista
e abordagens, e a justificativa da escolha do tema. Trata-se do elemento explicativo do autor
para o leitor. “Não se aconselha a inclusão de ilustrações, tabelas e gráficos na introdução”.
Desta forma, a introdução é a parte inicial do texto, em que consta a delimitação do assunto
tratado, objetivos da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do
trabalho.

Este capítulo deve apresentar uma visão geral do assunto, de tal forma que o leitor possa
ter uma noção do conteúdo do trabalho, devendo apresentar, na sequência, os seguintes
dados: apresentação do assunto ou do tema, local onde foi efetuado o estágio e que originou
a pesquisa, a justificativa da escolha, a especificação do problema, o objetivo geral e
os específicos e a organização do trabalho.

COMO SE FAZ

Deve responder as seguintes questões, nesta sequência:

O QUE PESQUISAR? É o assunto a ser desenvolvido, bem como seus limites e


sua extensão.
POR QUE FAZER? Descreve a razão do projeto, argumentos que comprovem a
importância do tema, a contribuição para a pesquisa.
O QUE FAZER? Apresenta a questão a ser resolvida no decorrer da pesquisa,
sendo que esta deve, primordialmente, partir de um problema.
O QUE FAZER? Demonstra uma “suposta” resposta em torno do problema da
pesquisa.
PARA QUE FAZER? Indicam o que se pretende alcançar com a pesquisa.
Objetivo Geral: visão abrangente do tema (o que se quer com a pesquisa?)
DESENVOLVIMENTO

O QUE É ?

O desenvolvimento ou corpo, como parte principal e mais extensa do artigo, visa expor as
principais ideias abordadas no artigo. É, em essência, a fundamentação lógica do trabalho.
A palavra desenvolvimento não deve aparecer como título dele mesmo, ficando a critério do
autor utilizar os títulos que mais se adequarem à natureza do trabalho.

Dependendo do assunto tratado, existe a necessidade de se subdividir o desenvolvimento


nas etapas que seguem em seções e subseções, podendo ser subdividido em: material e
métodos (metodologia), resultados e discussão.

A descrição dos métodos deve ser o mais detalhada possível numa sequência cronológica,
para que a experiência possa ser repetida com os mesmos resultados obtidos.
Consequentemente deve ser redigido com os verbos no pretérito, considerando que se está
relatando o que já foi feito. Deve incluir referencial teórico, o tipo de pesquisa, as variáveis,
instrumentos utilizados, técnica de coleta, a tabulação e análise de dados de acordo com a
especificidade do tema.

COMO SE FAZ:

O desenvolvimento pode ser subdividido em etapas, conforme segue:

a) Faça uma revisão teórica, revisão empírica ou ainda ser uma revisão histórica. A revisão
de literatura é fundamental, porque fornecerá elementos para fundamentar a análise dos
dados coletados na pesquisa.

b) Faça uma descrição precisa dos métodos, materiais, técnicas e equipamentos utilizados
na investigação, devem ser expostos com a maior clareza possível de forma que outros
autores possam contextualizar e aplicar em suas pesquisas. Nela devem ser destacados
os tipos de pesquisa quanto aos objetivos (explicativa, exploratória e/ou descritiva), à
natureza (básica ou aplicada), à abordagem do problema (quantitativa e/ou qualitativa) e
quanto aos procedimentos técnicos (bibliográfica, documental, estudo de caso,
levantamento, experimental, expost-facto, participante, ação, entre outros); bem como o
universo da pesquisa, o instrumento de coleta de dados (observação,
entrevista, questionário e formulário) e a forma como serão organizados e analisados os
dados coletados.

c) Consiste na apresentação dos dados encontrados na parte experimental, visa discutir,


confirmar ou negar hipóteses indicadas anteriormente. Eles podem ser ilustrados com
quadros, tabelas, fotografias, entre outros recursos.

d) Restringe-se aos resultados do trabalho e ao confronto com dados encontrados na


literatura.
CONSIDERAÇÕES FINAIS

O QUE É ?

Parte final do trabalho que visa apenas concluir as ideias apresentadas no desenvolvimento
do artigo, não devendo conter elementos novos nem citações. Apresenta a síntese
interpretativa dos principais argumentos usados, onde será mostrado se os objetivos foram
atingidos e se a(s) hipótese(s) foi(foram) confirmada(s) ou rejeitada(s). Deve constar uma
recapitulação sintetizada das seções e a autocrítica, onde você fará um balanço dos
resultados obtidos pela pesquisa, de forma breve, exata e convincente.

Deverá ser concisa, exata e convincente, onde o autor deverá expor um novo conhecimento
ou reformulação de um conhecimento existente e ainda sugerir outros estudos para
respostas daquilo que não se obteve explicação. É a descrição do que foi apresentado na
introdução e exposto em material e método, resultados e discussão.

COMO SE FAZ:

Assim, na conclusão, deve-se descrever:

a) A revisão e interpretação dos principais resultados obtidos;

b) A demonstração de como os resultados e suas interpretações concordam ou contrastam


com pesquisas anteriores, apresentando razões possíveis para os resultados obtidos;

c) A indicação da relevância dos resultados do estudo para a área em que se insere e até
para outras com as quais tenha relação;

d) A discussão de implicações teóricas do trabalho e de possíveis aplicações que o trabalho


oportuniza;

e) As recomendações e sugestões para futuros estudos de ampliação ou aprofundamento


de questões discutidas no trabalho, com possível abertura de lacuna a ser preenchida por
novas pesquisas.
ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS
O QUE É :

Os elementos pós-textuais compreendem aqueles componentes que completam e


enriquecem o trabalho acadêmico, sendo alguns opcionais, variando de acordo com a
necessidade.

São elementos complementares ao trabalho que devem se colocar, como o próprio nome
diz, após o texto.

COMO SE FAZ:

Elementos pós-textuais - Os elementos pós-textuais são assim descritos:

a) Título, e subtítulo (se houver) em língua estrangeira (opcional) - palavras, expressões ou


frase que designa o assunto ou o conteúdo de um trabalho na língua inglesa, espanhola ou
francesa.

b) Resumo em língua estrangeira (opcional) - apresentação concisa dos pontos relevantes


de um texto, fornecendo uma visão rápida e clara do conteúdo e das conclusões do trabalho
na língua inglesa, espanhola ou francesa. Formatação: texto corrido sem parágrafos, com
pontuação adequada, justificado e com espaçamento entrelinhas simples.

c) Palavras-chave em língua estrangeira (opcional) - duas ou três palavras representativas


do conteúdo do trabalho na língua inglesa, espanhola ou francesa.

d) Nota(s) explicativa(s) (opcional) - Nota usada para comentários, esclarecimentos ou


explanações, que não possam ser incluídos no texto.

e) Referências (obrigatório) - As referências devem contemplar todas as bibliografias


utilizadas para o desenvolvimento do TCC e os links dos sites pesquisados, além de outras
fontes de pesquisa (seguir as orientações da ABNT NBR6023) – mínimo de 10 referências.
O seguinte link que pode ajudar:http://www.rexlab.ufsc.br:8080/more/

f) Glossário (opcional) - relação de palavras de uso restrito acompanhadas das relativas


definições que tem como objetivo esclarecer o leitor sobre o significado dos termos
empregados no trabalho. Apresenta-se em ordem alfabética, depois dos anexos e antes das
referências bibliográficas.

g) Apêndice(s) (se houver) - Os apêndices são elaborados pelo autor e são opcionais
conforme o desenvolvimento do trabalho: são identificados por letras maiúsculas
consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Ex: APÊNDICE A –

h) Anexo(s) (se houver) - Os anexos são extraídos de alguma fonte de pesquisa, portanto,
devem conter a referência completa e são identificados por letras maiúsculas consecutivas,
travessão e pelos respectivos títulos. Exemplo: ANEXO A –
REFERENCIAIS BIBLIOGRÁFICAS
Deve seguir os exemplos das descrições abaixo:

ARNS, Dom Paulo Evaristo. A técnica do livro segundo São Jerônimo. São Paulo: Cosac
Naify, 2007, 208p.:

SECAF, Victoria. Artigo científico: do desafio à conquista. 3. ed. São Paulo: Green Forest
do Brasil, 2004. 147 p.

GONÇALVES, Carlos Eduardo S.; GUIMARÃES, Bernardo. Economia sem Truques: o


mundo a partir das escolhas de cada um. São Paulo: Campus-Elsevier, 2008, 224 p.

CONTEÚDO DA RESENHA
O QUE É?

A resenha é uma espécie de resumo, de síntese de um objeto, o qual pode ser um


acontecimento qualquer da realidade (jogo de futebol ou outro esporte, exposição de arte,
peça de teatro, uma feira de produtos, uma comemoração solene etc.) ou textos e obras
culturais (filme, livro, capítulo de livro, peça de teatro, artigos acadêmicos, teses).

A resenha deve ser pequena, ocupando geralmente até três laudas de papel A4 com
espaçamento duplo. A resenha é um texto corrido, isto é, não devem ser feitas separações
físicas entre as partes da resenha (com a subdivisão do texto nas partes abaixo:

COMO SE FAZ

a. O resenhista inicia com uma breve apresentação da estrutura


organizacional da obra, apresentando suas partes, capítulos, itens e
subitens.
b. Depois, supõe-se que o aluno tenha realmente entendido a obra que está
resenhando, pois deverá apresentar a ideia principal do texto, as
motivações que o autor teve ao escrevê-la, sua problematização,
finalidade da produção e método utilizado. O objetivo e o método de uma
obra podem ser encontrados no prefácio ou em sua introdução.
c. Trata-se da exposição clara e lógica do conteúdo resenhado, destacando
os pontos originais, sem deturpações e sem prolongar-se
demasiadamente. Aconselha-se a seguir a estrutura da obra (capítulos).
d. Agora é a parte principal da resenha, pois é o momento em que o
resenhista realiza uma apresentação crítica da obra, destacando sua
coerência interna, originalidade, contribuição científica, clareza na
exposição da ideia central e nos argumentos, êxito no objetivo proposto,
avaliação da disposição de sua estrutura (capítulos), do método, da
linguagem e do estilo utilizados.
AUTORIA DA RESENHA
O aluno ou aluna deve colocar a identificação abaixo:

Nome completo, matrícula, curso, turma, período.

COMENTÁRIOS DE CORREÇÃO
Para o aluno:

- Após desenvolver a sua resenha você deve solicitar a análise ao seu tutor. Clique no botão
correspondente. Ao fazer isso, até que o seu tutor avalie a resenha, você não poderá mais
editar o conteúdo. Caso o tutor entenda que você precisa realizar alterações na resenha,
ele não aprovará, e você poderá novamente editar o conteúdo.

Para o tutor:

- Utilize esse espaço para registrar a sua análise da resenha do aluno. Você poderá aprovar
ou devolver a resenha para que o aluno continue trabalhando no documento.

- Se você aprovar registre a nota aqui, e lance no SIA nos prazos estabelecidos.