Você está na página 1de 4

DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II – HEIDER RODRIGUES

Alunos:

1. Bruno Ferreira Monteiro


2. Lucas Mafra Cavalcante
3. Adrieli Silva de Matos
4. Amanda Ferreira lima
5. Cleytiane Oliveira da Silva

a) A finalidade principal do IPTU é a arrecadação de recursos financeiros


aos municípios, tendo vista em que não é um imposto vinculado a alguma
finalidade. Dessa forma, ele pode ser utilizado nas mais diversas
atividades do governo municipal, que não precisam estar relacionadas
aos interesses do proprietário. Explique sobre a progressividade do IPTU,
bem como a sua razão e a qual princípio Constitucional Tributário está
ligado.

A Constituição de 1988 possibilitou que o Estado, em determinadas situações,


possa tratar seus cidadãos de maneira diferente na hora de arrecadar recursos
financeiros para o seu financiamento, chamando isso como princípio da
capacidade contributiva. A previsão no texto constitucional se encontra no art.
145, § 1º. Vejamos:

Art. 145. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão


instituir os seguintes tributos:

§ 1º Sempre que possível, os impostos terão caráter pessoal e serão


graduados segundo a capacidade econômica do contribuinte, facultado à
administração tributária, especialmente para conferir efetividade a esses
objetivos, identificar, respeitados os direitos individuais e nos termos da lei, o
patrimônio, os rendimentos e as atividades econômicas do contribuinte.

Tal princípio constitucional é um dos fundamentos para a possibilidade de


incidência da progressividade do IPTU, que tem como base de cálculo para
cobrança o valor venal do imóvel (art. 33, do Código Tributário Nacional).
Assim, o valor do IPTU irá variar de acordo com o valor do imóvel, ao passo
que terá momentos em que determinado cidadão pagará certa quantia,
enquanto outro pagará mais ou, quem sabe, menos.

b) O Senhor Marcos André Barros Pereira, vulgo Batman, de 78 anos, com


discernimento total e muito bem de saúde, possui 5 imóveis que valem
cerca de R$ 200.000,00 (duzentos mil) cada um, na cidade de Gotham City,
no interior do Estado do Amapá, e resolveu doar um dos seus imóveis ao
seu neto mais velho, que mora em Belém, do Pará, e irá casar em breve.
Depois de assinado o termo de doação, Batman resolveu ir no cartório e
lá lhe visaram sobre a incidência do imposto que ele deveria pagar. Neste
sentido, discorra acerca das principais características do imposto que lhe
foi cobrado, citando-o, bem como critério temporal, quantitativo, espacial,
material e pessoal do mesmo.

Para o caso apresentado, averígua-se a incidência do Imposto sobre


Transmissão Causa Mortis e Doação – ITCMD, que é previsto no artigo 155,
inciso I, da Constituição Federal de 1988. O referido imposto tem alguns
critérios.

Material: é a doação por atos inter vivos de bens, sejam móveis ou imóveis.

Temporal: no caso de doação, será a transmissão do bem.

Espacial: será no Estado do domicílio do doador ou, no caso de imóvel, no


local em que ele se encontra.

Pessoal: no polo ativo, tem-se o Estado ou Distrito Federal, e no passivo o


doador ou o donatário.

Quantitativo: tem como base o valor venal do bem, com a alíquota não
podendo ser superior a 8%.

c) Ao conceituar o direito das sucessões, tem-se como fundamental


salientar que, sua finalidade é cuidar da transmissão de bens, direitos e
obrigações em decorrência da morte. Resta, assim, concluir que, são
pressupostos da sucessão: A morte do de cujus e a vocação hereditária.
Neste sentido, explique as espécies de renúncia ao direito hereditário e
seus efeitos tributários. Dê exemplos.
Como exposto pelo enunciado, o direito sucessório tem como finalidade a de
cuidar da transmissão de bens, direitos e obrigações do de cujus, repassando
aos herdeiros. Todavia, nem sempre os bens da herança são repassados aos
herdeiros, pois, nesse tempo, pode ocorrer a renúncia.

A renúncia, segundo a doutrina especializada no tema, pode ocorrer de duas


formas: a abdicativa e a translativa, com aquela sendo a situação em que há a
aceitação da herança, mas ela é transferida para terceiro, enquanto esta é o
caso que, de fato, o herdeiro recusa a herança, renunciando-a.

O entendimento é importante para verificar a diferenciação dos efeitos


tributários, pois se na renúncia abdicativa há a incidência de imposto apenas
uma vez, na outra os impostos serão cobrados por dois motivos e momentos,
quais sejam a quando e pela transferência causa mortis, bem como pela
doação.

Na prática, na renúncia abdicativa o herdeiro não aceita a herança,


renunciando, momento em que os bens e direitos são repassados aos seus
herdeiros, razão pela qual há a incidência única de imposto. Por outro lado, na
renúncia translativa, tem-se que houve preliminar aceitação, momento que se
tem a incidência de imposto, e logo é repassado a terceiro, em regra os
herdeiros, ocasião em que novo imposto é incidido.

d) Impostos municipais são os tributos cobrados pela administração


pública de cada município, com o objetivo de arrecadar recursos
financeiros e, assim, garantir a o cumprimento das obrigações públicas
perante à sociedade. Discorra um texto sobre as principais características
do Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza.

A Constituição Federal, em seu art. 156, I, prevê o Imposto sobre Serviço de


Qualquer Natureza que, em síntese, terá incidência sobre a prestação de
variados serviços devidamente estabelecidos em lei. No caso, a previsão está
na lista anexa da Lei Complementar nº 116/03.

O recolhimento dos valores oriundos do imposto é de competência do


Município, bem como do Distrito Federal, sendo este o denominado sujeito
ativo, em que o prestador, empresa ou profissional autônomo, será o sujeito
passivo, aquele que deverá arcar com o pagamento.

Por sinal, o local de incidência será no Municipio em que se encontrar o


estabelecimento do prestador do serviço e, na ausência, no lugar da residência
do prestador.