Você está na página 1de 7

DIREITO DA CRIANÇA

E DO ADOLESCENTE
Direito da Criança e do
Adolescente
Franciele Kühl @profrankuhl
SOBRE TRABALHO

Art. 60 do ECA e art. 7º, XXXIII, da CF.

Idade mínima para 16 anos de idade, salvo na condição de aprendiz,


trabalho a partir dos 14 anos de idade.

IDADE TRABALHO

Constitucionalmente não é permitido (art. 7º, inciso XXXIII, da


Menores de 14 anos CF).

Entre 14 e 24* anos Contrato de aprendizagem (art. 60 a 67, do ECA; art. 403 e 428,
de idade da CLT)

Adolescente entre Proibido trabalho:


16 até 18 anos** a) Noturno (22h às 5h);
b) Perigoso;
c) Insalubre;
d) Penoso;
e) Prejudicial à formação ou desenvolvimento físico, psíquico,
moral e social;
f) Realizado em horário e locais que não permitam a frequência
escolar.
*A idade máxima do jovem aprendiz não se aplica à pessoa com deficiência (art.
428, § 5º, da CLT.
** Essas regras aplicam-se aos adolescentes aprendizes também.

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ


sempre vinculado a alguma instituição de ensino.

DISTINÇÃO DE CRIANÇA E ADOLESCENTE


Criança: Adolescente:
0 a 11 anos de idade. a partir de 12 anos completos
até 18 anos.
SOBRE MATERIAIS QUE NÃO PODEM SER VENDIDOS PARA CRIANÇA OU
ADOLESCENTE

Art. 78 até 80 do ECA.

REGRAS DE HOSPEDAGEM

Crianças e adolescentes não podem se hospedar em hotéis, motéis, pensões


ou estabelecimentos similares, exceto se acompanhadas pelos pais ou
responsável.

Art. 82 do ECA.

REGRAS DE VIAGEM

Art. 83 do ECA.
Autorizado viajar sozinho.

Viagem de criança ou
adolescente, se na mesma
Sem necessidade de autorização .
unidade da Federação ou
mesma região metropolitana.

Viagem de criança ou
adolescente de ATÉ 16 anos, Acompanhada de pais ou responsáveis.
dentro do território nacional
Acompanhada de ascendente ou
colateral maior até terceiro grau,
comprovado documentalmente o
VIAGEM parentesco.
Acompanhada de pessoa maior,
expressamente autorizada pelo pai,
mãe ou responsável, com firma
Sozinho; expressamente reconhecida.
autorizado por qualquer dos
genitores ou responsável legal, por
meio de escritura pública ou de Com autorização judicial, válida por dois
documento particular com firma anos.
reconhecida (incluído o
passaporte) (Resolução n.295/2019
do CNJ)
Acompanhada de pais ou responsáveis.

Viagem de criança ou Se na companhia de um dos pais,


adolescente para o EXTERIOR deverá ter autorização expressa pelo
outro, através de documento, com firma
reconhecida

Se desacompanhada ou em A autorização com firma Acompanhada de adulto estrangeiro


companhia de terceiros reconhecida é residente ou domiciliado no exterior,
maiores capazes, designados dispensada se os pais com autorização judicial.
pelos genitores, desde que haja estiverem juntos no
autorização de ambos os pais, momento do embarque
com firma reconhecida. (Lei 13.726/18)
(Resolução 131/11 CNJ)

MEDIDAS DE PROTEÇÃO

Medidas de proteção podem ser aplicadas tanto


a crianças quanto a adolescentes. Por outro lado, medidas
MEDIDAS DE socioeducativas podem ser aplicadas somente aos adolescentes.
PROTEÇÃO

ACOLHIMENTO
ACOLHIMENTO

Somente pode ser feito por decisão judicial, salvo situação de


urgência e emergência. Nessa última hipótese, a instituição
acolhedora deve informar o acontecido ao juízo dentro de 24 horas.

Lembre-se de que o cumprimento de pena


Crianças e adolescentes têm direito de,
restritiva de liberdade não implica na perda do
por meio de visitas periódicas, conviver
poder familiar, exceto: crime doloso punível com
com a mãe e o pai que cumprem pena
pena restritiva de liberdade cometido contra
restritiva de liberdade, independente de
outra pessoa que detenha o mesmo poder
autorização judicial, assim como com a
familiar (por exemplo, do pai das crianças contra a
mãe adolescente que estiver em
mãe delas) ou praticado contra os descendentes.
acolhimento institucional.
Art. 1.638 do CC: Perda do poder familiar.

acolhimento institucional

a criança ou o adolescente é colocado dentro de uma instituição acolhedora.

acolhimento familiar

a criança ou o adolescente é colocado dentro de uma família previamente inscrita no programa de


acolhimento até que se restabeleça à família natural ou substituta.
apadrinhamento

acontece quando uma pessoa física ou jurídica colabora com o desenvolvimento da criança ou
adolescente, permitindo que tenha contato com o ambiente externo, formando um vínculo
temporário.

Família natural pai e mãe

Suspensão do
Família ampliada parentes próximos
poder familiar

Condenação por sentença Art. 25, parágrafo


irrecorrível que exceda dois único, do ECA
anos; pai e mãe que abusa decorrente da guarda,
da autoridade parental, Família substituta tutela e adoção.
faltando com seus deveres
(art. 1.637 do CC).
Diferença entre guarda e tutela
a tutela (acúmulo da guarda com a administração
dos bens da criança ou adolescente) pressupõe a
perda do poder familiar, enquanto a guarda não.
ADOÇÃO
Há três espécies de adoção, que seguem a ordem:
adoção nacional por brasileiros residentes no país;
adoção por brasileiros residentes no exterior;
adoção internacional por estrangeiros.
IMPORTANTE!
A adoção extingue os vínculos anteriores.
O adolescente precisa consentir a sua colocação em família substituta.
Podem adotar os maiores de 18 anos de idade, resguardada a diferença
de idade mínima de 16 anos de idade entre o adotante e o adotado.
Nos procedimentos de adoção, há estágio de convivência.

REQUISITOS

Consentimento
Maiores de 18 Diferença de 16 Manifestação da
dos pais ou
anos de idade anos de idade Precisa de ação criança e
destituição do
(independente entre adotante e judicial consentimento do
poder familiar,
do estado civil). adotado maior de 12 anos.
art 45.
Estágio de convivência (para formação de vínculo):

NACONAL INTERNACIONAL

prazo máximo prazo mínimo de 30 dias


de 90 dias e máximo de 45 dias

→ prorrogáveis por igual período.


→ prorrogáveis por igual período.
Deve ser cumprida em
território nacional.

Resposta do Estado a ato infracional praticado por


adolescente análogo a crime ou contravenção penal.
MEDIDAS
SOCIOEDUCATIVAS
Serão analisados os antecedentes e os motivos que
levaram ao ato infracional.

Medida
Tempo Observação
socioeducativa

Advertência - -

Obrigação de
- -
reparar o dano
Meio
aberto
Prestação de serviço Máximo de 6 meses Pode ser cumprida nos
à comunidade Até 8h semanais feriados e finais de semana

Liberdade assistida Minimo de 6 meses -

Atividade externa
Semiliberdade Máximo 3 anos obrigatória: escolarização e
profissionalização

Restritiva Medida inicial: Com 21 anos ocorre a


de máximo de 3 anos liberdade compulsória
liberdade Internação Pode realizar atividades
Por descumprimento de externas
outras medidas: máximo
3 meses