Você está na página 1de 5

Resumo Teórico: Biomas terrestres

2ª série - Colégio ETAPA


Prof. Rodrigo

Bioma: conjunto de ecossistemas que possuem vegetação


semelhante.
Principais fatores responsáveis pela formação dos biomas
terrestres
• Latitude (distância em relação ao equador): influencia a
luminosidade e temperatura média anual.
• Disponibilidade de água (umidade do ar ou a precipitação
média anual)

Principais biomas terrestres

I. Tundra

Encontrada acima do círculo polar ártico, é um dos biomas


mais frios do planeta. O inverno é rigoroso e dura 9 ou 10 meses,
enquanto no verão a temperatura média não passa dos 5ºC. A
precipitação média anual é muito baixa.
Durante o verão, somente a camada superficial do solo
degela. As partes mais profundas permanecem sempre congeladas
(solo permafrost). Isso impede o desenvolvimento de plantas com
raízes profundas.
A vegetação é formada por gramíneas, arbustos, musgos e
liquens.
A maioria dos animais imigra para a tundra durante o verão
em busca de um local para reprodução (há menos predadores e
competidores) e emigra durante o inverno. Poucos permanecem e
hibernam durante o período mais frio.
II. Taiga (floresta boreal ou floresta de coníferas)

É a maior floresta do mundo, encontrada ao sul da tundra,


principalmente no Canadá, Alasca e Rússia.
O inverno é rigoroso, com muitas nevascas e baixa umidade
do ar.
O verão é mais quente do que na tundra e o solo degela
completamente. Isso permite o estabelecimento de árvores nesse
bioma.
A vegetação é predominantemente composta por coníferas
(um grupo de gimnospermas). Isso pode ser explicado pelas folhas
aciculiformes (menor superfície de contato com o ar seco e a neve)
e pela independência em relação aos animais para a polinização e
a dispersão de sementes.
Os animais, assim como na tundra, devem emigrar para o sul
durante o inverno ou hibernar.

III. Floresta Temperada

Ocupa principalmente o leste dos Estados Unidos, quase toda


a Europa, Japão, Coréia e parte da China.
Apresenta inverno e verão bem definidos. No primeiro há neve
e no último há calor e umidade elevados.
As plantas geralmente são caducifólias (perdem as folhas no
outono) e florescem durante a primavera.
As folhas que caem são decompostas e enriquecem o solo.

IV. Floresta Tropical Pluvial

Ocupa menos de 10% da superfície terrestre, distribuídos


principalmente na bacia Amazônia, bacia do Congo e no sudeste
asiático. No entanto, abriga mais da metade das espécies de
animais e plantas do mundo.
É composta por uma mata densa, composta por árvores altas,
perenifólias (sempre verdes) e latifoliadas (folhas com grande
superfície). Apresenta estratificação de comunidades, ou seja,
existem várias faixas de altura da vegetação, cada faixa apresenta
um conjunto de seres vivos diferentes.
Sua grande biomassa pode ser explicada pela intensa
radiação solar à qual está submetida. Esta energia obtida pelas
plantas sustenta um número elevado de indivíduos, organizados em
teias alimentares complexas.
A elevada biodiversidade pode ser explicada pelo grande
número de nichos disponíveis devido à grande diversidade de
habitats (também relacionada com a estratificação da floresta).
Esse bioma apresenta umidade e temperatura média anual
elevadas. O solo é sombreado, o que contribui ainda mais com a
taxa de decomposição de restos de plantas e animais. No entanto,
devido à grande taxa de precipitação, a maioria dos minerais livres
no solo é lixiviada para rios e lagos. As plantas necessitam de uma
relação mutualística com fungos chamada micorriza.
As micorrizas ocorrem com fungos que invadem as raízes em
busca de seiva elaborada. Em troca passam minerais por difusão
para as plantas. Caso contrário, as plantas não sobreviveriam.

V. Campos

Distribuídos por todos os continentes, apresentam clima


variável. No entanto, todos os campos apresentam as gramíneas
como vegetação característica.
Outra característica comum entre os campos é a baixa
disponibilidade de água. Em alguns campos há baixa precipitação o
ano todo e em outros há alternância entre seca e período de
chuvas. Este fator (escassez de chuvas) somado às queimadas
freqüentes evita que o capim seja substituído por uma vegetação
mais densa.
As gramíneas sustentam grande número de herbívoros que,
por sua vez, são alvos de vários carnívoros caçadores e carniceiros.
São exemplos de campos: estepes (leste da Ásia central),
pradarias (Estados Unidos), savanas (África e cerrado brasileiro),
pampas (América do Sul) entre outros.

VI. Desertos

São biomas com índices pluviométricos muito baixos, sendo


que alguns são quentes o ano todo e outros são gelados durante o
inverno.
Os desertos áridos apresentam plantas anuais, que só
germinam quando chove. Após alguns dias de crescimento e
produção de sementes, essas plantas secam e suas sementes
aguardam as próximas chuvas.
Os desertos semi-áridos apresentam chuvas concentradas em
curtos períodos do ano. Nestes locais, é possível observar a
ocorrência de plantas xerófitas (adaptadas à falta de água) perenes.
Estas estão adaptadas a captar muita água da chuva (presença de
sistema radicular bem desenvolvido) e a armazená-la (presença de
parênquima aqüífero desenvolvido).
Há várias espécies de insetos, répteis e roedores no deserto.

VI. Montanhas

Do mesmo modo que a variação de latitude causa a uma


variação climática, a variação de altitude também causa. As regiões
mais altas das montanhas são mais frias do que as suas bases.
Desta forma, podemos observar em uma montanha uma
variedade de biomas (biomas de altitude).