Você está na página 1de 21

A RECICLAGEM DENTRO DAS AULAS DE EDUCAÇÃO FISICA

Juciane Pereira da Conceição


Vieira Sidney Roberto Vieira
Universidade do Vale do Itajaí- UNIVALI

INTRODUÇÂO

Esse texto tem por objetivo principal abordar um tema bastante relevante para as
instituições de ensino, que é a reciclagem. Atualmente existe uma grande produção de
lixo nas escolas, com a grande quantidade de descartáveis, como copos, garrafas pets,
canudos, sacolas entre outros.
A quantidade de lixo é elevada, e a maioria dos alunos não possui uma consciência a
respeito do que fazer com esse lixo, ou o que fazer para transformar esses materiais em
algo positivo.
Nesse sentido existe uma necessidade em se trabalhar com a sustentabilidade nas
escolas, desenvolvendo atividades e oficinas de reciclagem.
Essa é uma maneira de preservar o nosso meio ambiente, bem como transformar
alunos críticos e conscientes do seu papel dentro da sociedade em que estão inseridos.
Nesse sentido podemos dizer que a reciclagem não vem apenas para preservar o meio
ambiente e reutilizar materiais, bem como vem para trabalhar o desenvolvimento
social e cultural desses alunos, trabalhando a criatividade e explorando as suas
características físicas e artísticas.
Dentro da disciplina de Ed. Física essa problemática vem para responder o seguinte
questionamento: É possível trabalhar com a reciclagem dentro das aulas de Ed. Física?
Nesse sentido esse texto visa demonstrar maneiras de se utilizar a reciclagem para
desenvolver ferramentas para auxiliar os alunos na prática de exercícios e brincadeiras,
que venham a desenvolver as suas habilidades físicas e mentais.

É de suma importância que os professores desenvolvam mecanismos que possam


auxiliar a fazer uma junção de reciclar para brincar, ou seja, fazer objetos que possam
ser usados em aulas dinâmicas de exercícios físicos, visando despertar o maior

1
interesse dos alunos pelas as atividades, através das oficinas de reciclagem
brincadeiras. Portanto esse texto tem o intuito de trabalhar e desenvolver as
competências socioemocionais, bem como a cultura esportiva dos participantes do
espaço escolar. Visando auxiliar os educadores na diversificação dos seus planos de
aulas e atividades educativas.

Palavras – chave: Reciclagem na escola, Anos Iniciais, Escola.

DESENVOLVIMENTO

PROBLEMÁTICA:
É POSSÍVEL TRABALHAR COM A RECICLAGEM DENTRO DAS AULAS DE
EDUCAÇÃO FISICA?

OBJETIVOS GERAIS:

Demonstrar a importância da inserção da reciclagem nos ensinos da Educação Física.

ESPECÍFICOS

Despertar o interesse pelas atividades envolvendo criatividade e dinâmica nas aulas de


Educação física.
Trabalhar a interdisciplinaridade com temas transversais nas aulas de Educação Física.
Promover um entendimento a respeito da reciclagem como papel fundamental para a
preservação do nosso meio ambiente.
Com base em pesquisas científicas é possível se aprofundar nessa questão tão
importante para a sustentabilidade e preservação do nosso meio ambiente, bem como
temos a oportunidade de encontrar novos métodos para trabalhar com a reciclagem
dentro do espaço educativo.
A situação problema em questão busca responder a um questionamento a respeito da
reciclagem nas aulas de Ed. Física.
Nesse sentido entendemos que existe uma necessidade em se trabalhar com essa
temática, buscando desenvolver métodos para unir a reciclagem, a prática de exercícios
e atividades esportivas. É possível desenvolver diversos itens que serão utilizados nas
aulas de Ed. Física.

2
A ideia é criar brinquedos produzidos com materiais recicláveis, esse serão utilizado
de forma lúdica, como auxílio para práticas esportivas.

Porém é de suma importância que durante a criação desses brinquedos, o professor


busque desenvolver a criatividade dos alunos, bem como demonstrar a importância da
reciclagem, visando despertar o interesse dos alunos pelos os cuidados com o nosso
meio ambiente, compreendendo o quanto é essencial à reciclagem para o nosso
planeta. Podemos citar alguns itens recicláveis que possuem bastante relevância para
ser trabalhado dentro das aulas de Ed. Física, como por exemplo: Lança discos;
Boliche; Bate bola; Biloquê; bola de retalho; peso para praticar exercícios; peteca;
Jogo da Argola; Jogo de botão; entre outros.
A orientação metodológica para o Professor é buscar explicar para os alunos a maneira
de produzir os itens, porém é de suma importância que os alunos possam utilizar a
criatividade, bem como, que eles possam explorar as suas estratégias e habilidades
durante a reciclagem.
Cabe ao professor a observar o desenvolvimento e interesse dos alunos no decorrer das
atividades, assim o professor precisa se preocupar em envolver todos os alunos nas
atividades oferecidas sobre a conscientização da reciclagem unida com a prática de
exercícios.
Com a elaboração desses itens, é possível trabalhar a coordenação motora, equilíbrio,
criatividade, trabalho em equipe, raciocínio lógico, condicionamento físico, resistência
entre outros.
Destaca-se que durante essas atividades os alunos terão a oportunidade de
desenvolverem os seus aspectos culturais e sociais, dando liberdade para a criatividade
se tornando cidadãos conscientes, autônomos e críticos, e dando a importância
necessária dentro do espaço social em que se encontram.
O conteúdo apresentado busca utilizar o esporte como ferramenta indispensável para
trabalhar a inclusão da reciclagem no espaço escolar, bem como desenvolver os
aspectos sociais e culturais dos alunos, potencializando a criatividade e a socialização.
Nesse sentido podemos afirmar que é possível trabalhar com a reciclagem dentro das
aulas de Ed. Física.
Essa prática colabora para a elaboração de diversos mecanismos para auxiliar os
professores a transmitirem e conhecimento, bem como possui eficácia em despertar o
interesse dos alunos pela a participação na preservação do meio ambiente, descobrindo

3
maneiras de reaproveitar os materiais recicláveis jogados no lixo.

REFERENCIAL TEÓRICO:

RECICLAGEM NA ESCOLA

A prática da reciclagem dentro das escolas é de suma importância para a criação social
e cultural de todos os participantes do espaço escolar. Nesse sentido entende-se que a
reciclagem não só contribui para com a preservação do nosso meio ambiente, bem
como contribui para com a o desenvolvimento dos alunos e professores, a respeito de
seus direitos e deveres dentro da sociedade.
Seguindo a ótica de TRAVASSOS (2006: 18): podemos afirmar que: O papel da escola
não se reduz simplesmente a incentivar a coleta seletiva do lixo, em seu território ou em
locais públicos, para que seja reciclado posteriormente. Os valores consumistas da
população tornam a sociedade uma produtora cada vez maior de lixo. A necessidade que
existe é, na verdade, de mudanças de valores.
Nesse sentido podemos dizer que é de suma importância que as instituições de ensino,
busquem adaptar o espaço escolar para a elaboração de atividades envolvendo a
sustentabilidade e oferecer a estrutura adequada para as oficinas de reciclagem.

Dessa maneira se torna possível buscar a compreensão e conscientização dos alunos e


de toda a classe escolar, visando promover os valores e mudanças necessárias para a
preservação do meio em que vivemos. Partindo desse pressuposto KRASILCHIK
(2005:192) diz: A educação ambiental deverá ter um enfoque global e integrado, não
podendo ser reduzida a uma disciplina escolar. Deverá ser responsabilidade de toda a
escola e permear todo o currículo escolar, visando, em última instância, que a
comunidade se estruture e se organize para o desenvolvimento de pesquisas permitindo
que, com recursos próprios e tecnologia adequada, sejam resolvidos os problemas
prioritários. Portanto é de suma importância que a sustentabilidade e reciclagem sejam
trabalhadas em todas as disciplinas, ou seja, esse é uma temática de bastante relevante
para a formação do caráter social e cultural dos alunos.
A reciclagem vem para somar com o desenvolvimento do potencial criador dos alunos,
promovendo a criação de cidadãos autônomos que são capazes de reconhecer a sua
função e o seu potencial dentro do espaço social em que se encontram inseridos.

4
De acordo com MOREIRA (2006: 15) podemos dizer que: A aprendizagem
significativa ocorre quando a nova informação ancora-se em conceitos relevantes
(subsunçores) preexistentes na estrutura cognitiva. Ou seja, novas idéias, conceitos,
proposições, relevantes e inclusivos estejam, adequadamente claros e disponíveis, na
estrutura cognitiva do indivíduo e funcione dessa forma, como ponto de ancoragem às
primeiras.
Nesse sentido podemos afirmar que se faz necessário trabalhar com metodologias
dinâmicas e inovadoras, pois é bastante relevante para a criação de um ambiente
escolar mais receptivo, que busca promover conceitos e valores essenciais, para a
formação de novas idéias, que visam o desenvolvimento educativo.

ENSINO FUNDAMENTAL – SERIES INICIAL


1° e 2° anos.

A primeira etapa do ensino fundamental chama-se Anos Iniciais. O Ensino Fundamental


– anos iniciais vai do primeiro ao quinto ano, ele é obrigatorio e atende crianças a partir
dos 6 anos de idade. Nesta fase, a criança participa de algumas atividades de
entretenimento, essas atividades são favoráveis ao seu movimento, cognição,
desenvolvimento social e outros aspectos. É no início do ensino fundamental que se
inicia o processo de alfabetização do aluno. Freire (1989), em seu livro, “A importância
do ato de ler” defende que, antes mesmo da leitura da palavra é na leitura do mundo que
se cria, se recria e se participa. Neste sentido, Machado (2001), também defende que:

“A leitura permite sonhar, enfrentar medos, vencer angústias, desenvolver a


imaginação, viver outras vidas, conhecer outras civilizações. Além disso, nos dá acesso
a uma parte da herança cultural da humanidade.” (MACHADO,2001, p.21).

O currículo da educação básica no Brasil tem uma base nacional comum e, desde que
atenda aos princípios norteadores, deve ser complementado por cada sistema de ensino
de acordo com as características regionais e sociais. De acordo com a BNCC, nos
estágios iniciais da educação básica, os recursos pedagogicos devem ser utilizados de
forma lúdica para que a aprendizagem do aluno possa se expandir. Ainda no ensino
fundamental, as crianças ganharam autonomia intelectual, compreendem normas e

5
valores sociais e desenvolvem um senso mais claro de cidadania sem ter que se impor
aos outros. No 1° e 2° ano do ensino fundamental dar-se inicio ao ciclo de alfabetização
da criança, o mais importante neste ciclo e que a criança desenvolva um desejo pelo
aprendizado e conhecimento. Nessa fase educacional é importante integrar e dar
continuidade nos processos de aprendizagem adquiridos durante a educação infantil.
Além de se trabalhar os conteúdos especificados, há também conteúdos horizontais,
como os conceitos de educação ambiental e saúde, que trabalham muito para que as
crianças adquiram o conceito de cidadania. Portanto, o conteúdo de ensino do 1° e 2°
ano se esforça para desenvolver as várias formas de comunicação, expressão, criação e
movimento das crianças para compreender a sociedade e o ambiente natural a partir da
experiência de brincar.

ESCOLA - ESPAÇO FORMAL

É uma instituição que disponibiliza um processo de ensino e aprendizagem entre alunos


e docentes, a mesma tem o objetivo de formar e desenvolver a todos nos aspectos
culturais, sociais e cognitivos. A palavra "escola" vem da palavra grega scholé, que
significa "lazer" - o mesmo que "lazer ou tempo livre". Esse significado vem do
conceito da antiga escola grega, eram encontros onde os cidadãos gregos reservavam
um tempo para discutir a filosofia e alguns comportamentos sociais.
A Instituição Escola é de grande importância na vida de uma pessoa, talvez também
seja fundamental para a família, pois na atualidade é fundamental que a criança ingresse
na escola a partir da sua infância finalizando - a na aproximação da sua vida adulta. Na
escola a educação acontece de maneira formal, intencional, organizada e sistematizada.
Saviani aponta a escola como sendo o lugar de socialização do saber sistematizado;

“[...] não se trata, pois, de qualquer tipo de saber. Portanto, a escola diz
respeito ao conhecimento elaborado e não ao conhecimento espontâneo; ao
saber sistematizado e não ao saber fragmentado; à cultura erudita e não à
cultura popular (SAVIANI, p. 2.1984).

A escola deve trabalhar com o conhecimento ciêntifico, possibilitanto o aluno a ter

6
acesso ao saber sistematizado, o acesso à ciência por meio do seu currículo. Para a
formação de uma boa sociedade é de suma importancia que a escola tenha um bom
curriculo onde todos os elementos educacionais estejam correlacionados. Saviani (1984)
define o currículo como sendo a organização do conjunto das “atividades nucleares
distribuídas no espaço e tempo escolares” é o instrumento que viabiliza a função real da
escola, seu elemento central é a aprendizagem;

Vê-se, assim, que para existir a escola não basta a existência do saber sistematizado. É
necessário viabilizar as condições de sua transmissão e assimilação, isso implica dosá-
lo e seqüenciá-lo de modo que a criança passe gradativamente do seu não domínio ao
seu domínio. Ora, o saber dosado e sequenciado para efeitos de sua transmissão-
assimilação no espaço escolar, ao longo de um tempo determinado, é o que nós
convencionamos chamar de “saber escolar”. (SAVIANI, p.4,1984)

A escola tem a função de formar o homem para a sua inserção no mercado de trabalho e
também para que seja um sujeito critico e criativo. Deve trabalhar com a participação da
comunidade, ser democratica, para que todos possam ter o direito de decisão,
possibilitar o desenvolvimento da autonomia dos alunos.

Relatório Analítico – Educação Física Escolar

O presente relatório traz a analise da Educação Física Escolar, abordando relatos de


experiências na escola, a realidade dos alunos e as mudanças que ocorreram no decorrer
dos anos.
Destaca-se a importância da educação Física na Educação e a valorização dessa
profissão incrível.
Registra-se abordagens e métodos, trocas de experiências, avaliações e a didática, assim
tendo o objetivo de apresentar de forma clara e reflexiva a relação do Professor X escola
X Aluno, visando o funcionamento da escola, problemas existentes e a solução deles,
trazendo a BNCC em destaque e o aluno.
Observa-se na escola alguns problemas existentes que envolvem os alunos, podendo
citar alguns deles:

7
 Desmotivação
 Sedentarismo
 Desanimo
 Desvalorização da Educação Física.

Ressalta-se que primeiro de tudo o profissional dessa área precisa ter o conhecimento e
acreditar no seu trabalho. E pensar sobre:

 O que o professor de Educação Física faz?


 Como é seu trabalho?
 Quais os resultados que podemos obter?

É preciso ter em mente que a Educação Física é uma profissão que se faz com e por
amor, onde precisa se envolver por inteiro, para obter grandes resultados e ser um
trabalho satisfatório.
É notório as grandes mudanças e transformações que ocorreram em meados de 2008 e
2020, com a implementação da BNCC e relação do Professor X Aluno. Assim
compreendem-se os motivos das dificuldades de cada aluno. O professor precisa
aprender a ouvir o aluno. Neste sentido observar a cultura e a bagagem que cada aluno
traz consigo, valorizando sua historia, suas experiências e envolver em todo o contexto.
Nesta perspectiva traçar objetivos, metas e ter bons resultados, sendo eles significativos
para o aluno.
Constata-se que a escola passa por grandes mudanças e dificuldades no decorrer dos
anos, são fotos presentes no cotidiano escolar. Muitas escolas não tem material
adequado, e às vezes material algum para utilizar com os alunos.
O professor de Educação Física precisa ter e abusar da criatividade e estar sempre
inovando com novas metodologias e novas didáticas, é preciso ter a sensibilidade e
empatia, é preciso ainda ter um olhar diferenciado para a educação e para os alunos.
Neste sentido, contribui-se um trabalho colaborativo entre a escola e professores, se
organizando e criando, planejando estratégias dentro da grade curricular, onde são
colocados metas, objetivos e resultados esperados. Reconhece-se que é preciso ter um
olhar especifico, um cuidado especial para com os alunos.

8
Ressalta-se que a Educação Física, utiliza os jogos para criar objetivos na vida do aluno
dentro das atividades oferecidas. Assim trazendo a motivação necessária e criando uma
identidade.
O PPP descreve que a avaliação da aprendizagem aconteça por meio do manejo
responsável dos instrumentos de avaliação utilizado pelos educadores. Desta maneira,
espera-se que os educadores tenham pleno conhecimento da realidade de aprendizagem
que vivenciam e utilizem corretamente os instrumentos de avaliação mais apropriados
para cada situação especifica, oferecendo ao educando, em suas dificuldades,
oportunidades de superá-las e desenvolver-se plenamente, considerando todo o processo
realizado durante a avaliação.
Sendo assim, levando em conta a vivência de cada educando, de acordo com a
concepção da Rede e que demonstre o desenvolvimento de cada um a fim de se
acompanhar o processo de ensino-aprendizagem, percebendo os saberes que já foram
desenvolvidos.
E, que não seja apenas um instrumento técnico. Ademais, é fundamental que considere
a autoestima e a cultura do educando, estimulando o desenvolvimento da cidadania,
sendo uma fonte geradora de aprendizagem.
O professor precisa ter uma rotina no dia a dia com seus alunos, elencando a afetividade
e o bom relacionamento com os alunos, sendo eles uma influência positiva na vivencia,
assim despertando o interesse do aluno.
Destaca-se que é preciso ter um olhar cuidadoso e compreensivo na avaliação dos
alunos, percebendo se realmente o aluno compreendeu tal atividade, dando espaço e
segurança para que o aluno possa se expressar naturalmente.
É fundamental que o professor crie estratégias para desenvolver a comunicação com as
famílias desses alunos, assim fazendo com que a família seja participativa na rotina
escolar.
Os desafios que os professores encontram para trabalhar é a nova implementação da
BNCC. A base traz o desenvolvimento das competências dos alunos. Sendo um
desenvolvimento integral de forma ampla e mais completa. É preciso entender que o
mesmo poderá colaborar no desenvolvimento cognitivo do aluno, de forma a conseguir
inclusão e não resultar em diferenciações em relação aos alunos.
O conhecimento do Documento BNCC (Base Nacional Comum Curricular) é de
extrema importância na área da educação, podendo assim estabelecer contextos
similares nas escolas, assim todos os alunos receberam o mesmo ensino, o mesmo

9
conhecimento.
A BNCC tem a responsabilidade de definir os conhecimentos fundamentais no ensino
aprendizagem da educação básica, definindo os conhecimentos essenciais, desta forma
colocando a educação em prática.
A empatia e a cooperação, o processo participativo, trabalhos coletivos, assim
fornecendo melhores condições para os alunos.
A equipe gestora tem recebido formação e informação necessária para conhecimento e a
inclusão das práticas abordadas no documento.
Além de oferecer formação continuada para os professores, a equipe tem estudado e
feito pesquisas que são apresentadas em reuniões, novas estratégias e metodologias,
para aplicar na prática com os alunos, seguindo a BNCC, garantindo a aprendizagem do
aluno de formas diversificadas.
Cada área tem uma competência específica, que vai dizer aquilo que precisa ser
trabalhado, depois temos os componentes curriculares da área.

 Linguagens. = Língua portuguesa.

Arte
Educação Física
Língua Inglesa.

 Matemática. = Matemática.

 Ciências da Natureza. = Ciências

 Ciência Humana. = História

Geografia.
 Ensino Religioso.= Ensino Religioso.

Cada componente tem uma competência específica, dessa forma, poderá saber o que vai
ser desenvolvido naquele componente que está em diálogo com a competência geral.
Trabalhando a perspectiva da progressão.
Tal organização busca favorecer a comunicação entre os conhecimentos e
aprendizagens das diversas disciplinas e os componentes curriculares.

10
O professor precisa ter o espírito investigativo, tendo uma mudança radical, sendo que
agora o aluno é o centro do currículo. O aluno é p protagonista, o produtor!
E um ponto importante que devemos dar atenção é a tecnologia que vem com toda a
força na base, ela não é somente uma metodologia ou uma ferramenta, ela é um objeto
de conhecimento.
É importante essa atuação da equipe pedagógica para a organização da escola, essas
relações contribuem de forma transformadora, para alcançar os objetivos da escola neste
processo.
Destaca-se conhecer a realidade da escola e principalmente a realidade do aluno. Nesta
perspectiva trazemos a diversidade no âmbito escolar, valorizando a cultura do aluno,
podendo fazer a inclusão nessa realidade. O relacionamento interpessoal e a base do
trabalho da escola, trazendo o acolhimento, afetividade, a dinâmica entre alunos x
professores.
E a escola precisa que todos possam caminhar juntos na mesma direção, fortalecendo
essa relação de Direção x Equipe pedagógica. Sendo um trabalho colaborativo,
democrático e coletivo.
A criação de projetos que sejam mais significativos, planejados para dialogar com as
outras disciplinas e acompanhados pelos professores durante o desenvolvimento de todo
o processo, levando em consideração a realidade do aluno é o ambiente em que ele
viver.

- Determinar a posição estratégica, pontos positivos, relevância, objetivos, voltado -


para o ensino aprendizagem dos alunos;
- Desenvolver um plano de ação estratégico significativo;
- Distribuir o plano traçado para todos;
- Manter todos como responsáveis e fazer o acompanhamento.

Deve-se priorizar nas escolas, espaços de escuta participativa dos estudantes,


destacando o seu protagonismo no processo de aprendizagem, com foco no processo de
formação as aprendizagens se tornam significativas, relevantes e contextualizadas.
A Interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo de ensino.
A interdisciplinaridade é um articulador, assim fazendo com que as disciplinas não
mudem os objetivos, mas sim que haja uma relações entre elas. A relação na
organização curricular, à fragmentação interdisciplinar foi à busca da transversalidade.

11
Buscando temas que abordasse todas as disciplinas, de forma significativa.
Podendo citar q questão dos valores que pode desenvolver a cooperação e cidadania.
Podemos citar a criação de projetos para desenvolver com os alunos, abordando as
disciplinas, assim o desenvolvendo na prática a interdisciplinaridade e transversalidade,
integrando as disciplinas, trabalhando temas específicos que não está no currículo
escolar, passando a ser estudado em conjunto.
Define-se que o aluno que frequenta a escola para que possa aprender a ler o mundo.
Analisando as questões ambientais podemos desenvolver em qualquer disciplina, tudo é
influenciado nesta questão.
Podendo deixar mais claro o entendimento e compreensão aos alunos, interligando as
matérias e não oferecendo um ensino isolado.
Nesta perspectiva é um foco de cultura, um foco de pensamento, de discussão e de
argumentações.
Desta forma deixando as aulas mais dinâmicas e convidativas, facilitando a
aprendizagem dos alunos. A transversalidade e a interdisciplinaridade são partes de um
movimento que aparece contra posição a um jeito de organizar o pensamento que surgiu
no século XVII.
Desta forma podemos trazer a teoria para a prática, para o real, se apropriando das
coisas.
Despertando o sentimento de empatia e a construção empírica são essenciais para
processo de aprendizagem. Fazendo com que a mente se abra para novas ideias.
É importante ressaltar que a Educação Física vai além de jogos e competição.
Assim constata-se que o professor de Educação Física são formadores de pessoas
conscientes. É gratificante ver as conquistas realizadas e os resultados adquiridos nesse
processo. O professor precisa ter um olhar humanizado, e entender que o cuidado vem
antes de tudo. Assim podendo entender o contexto histórico de cada comunidade.
Conclui-se que a Educação Física é uma área ampla, dessa forma podendo trabalhar
com todas as modalidades, sendo ela coletiva ou individual. Vale lembrar que o
professor trabalha com seres humanos que estão em constante formação.

12
CONCLUSÃO

Esse texto proporcionou uma reflexão a respeito da importância da reciclagem,


preservação do meio ambiente e da coleta seletiva de lixo, bem como demonstrou
maneiras em se trabalhar com essa temática dentro das aulas de Ed.. Física nos anos
iniciais do ensino fundamental. No 1° e 2° ano do ensino fundamental, a criança
participa de algumas atividades de entretenimento, atividades essas, que são favoráveis
ao seu movimento, cognição, desenvolvimento social e outros aspectos, se torna
importante o trabalho com a reciclagem na escola, pois além de desenvolver o lado
criativo da criança contribui para a percepção de valores importantes para a
preservação do meio ambiente.
Assim sendo os jogos e brinquedos podem e devem ser confeccionados através de
materiais recicláveis. Nestee sentido a criança pode compreender que a reciclagem vai
muito além de apenas reutilizar materiais descartáveis, mas a reciclagem também
trabalha com questões profundas de valores sociais e culturais.
Portanto essa temática deve ser abordada em todas as disciplinas. É de suma
importância que toda a equipe escolar busque desenvolver atividades e projetos que
foquem nessa conscientização e priorização do nosso meio ambiente.
Pois é tarefa da escola complementar os valores que os alunos trazem de suas casas, no
intuito de somar para a criação de cidadãos responsáveis e conscientes do seu papel
dentro da sociedade.
Nesse sentido podemos concluir que a escola deve focar em inovar práticas
pedagógicas que possibilitem a elaboração de atividades voltadas para essa temática.
Dentro das aulas de Ed. Física, podemos concluir que, a elaboração dos brinquedos e
dos jogos, vem a somar para despertar o interesse dos alunos pelas as atividades físicas
e esportivas, pois através de trabalhos manuais de reciclagem os alunos podem
trabalhar a criatividade, bem como desenvolver itens que serão utilizadas em aulas
lúdicas e divertidas.
Podemos dizer que a inclusão da reciclagem e das brincadeiras nas aulas de Ed. Física
é bastante relevante para o aprendizado e desenvolvimento dos alunos.

13
REFERÊNCIAS

AGUIAR, J. S. Jogos para o ensino de conceitos. Campinas: Papirus, 1998, p.33- 40.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.


Brasília, DF: Senado, 1988.

MACHADO, Ana Maria. A literatura deve dar prazer. Revista Nova Escola. Setembro
de 2001, p. 21.

MOREIRA, Marco Aurélio. A teoria da aprendizagem significativa e sua


implementação em sala de aula. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2006.

Paulo Freire: A Importancia do Ato de Ler: https://educacaointegral.org.br/wp


content/uploads/2014/10/importancia_ato_ler.pdf Acesso em: 21 de NOV de 2020.

KRASILCHIK, Myriam. Prática de Ensino de Biologia. São Paulo: Editora da


Universidade de São Paulo, 2005.

SAVIANI, Demerval. Sobre a Natureza e a Especificidade da Educação.


Disponível em <ead.bauru.sp.gov.br/.../Sobre-a-natureza-e-especificid..>
Acesso em: 21 de NOV de 2020.

TRAVASSOS, Edson Gomes. A prática da educação ambiental nas escolas. Porto


Alegre: Mediação, 2006. e Distribuidora

14
15
16
17
18
19

19
20

20
21

21

Você também pode gostar