Você está na página 1de 4

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ


INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E ENGENHARIAS
FACULDADE DE COMPUTAÇÃO E ENGENHARIA ELÉTRICA

História e Estrutura da Faculdade de Computação e Engenharia


Elétrica

Este trabalho será apresentado


como complemento avaliativo
para Introdução a Engenharia
Elétrica.

Marabá – PA, 2021.


TÍTULO DO TRABALHO: HISTÓRIA E ESTRUTURA DA
FACULDADE DE COMPUTAÇÃO E ENGENHARIA ELÉTRICA

Fillipe Rodrigues Ribeiro – filliperodrigues@unifesspa.edu.br*

Unifesspa - Engenharia Elétrica*

Resumo: Este documento apresenta um trabalho de pesquisa sobre a história e estrutura da


FACEEL, Faculdade de Computação e Engenharia Elétrica.

Palavras-chave: História. Estrutura. Engenharia Elétrica.

1 INTRODUÇÃO

Antigamente, a atual UNIFESSPA (Universidade do Sul e Sudeste do Pará) era o Campus


Universitário UFPA (Universidade Federal do Pará) em que iniciou os primeiros passos da
criação de vários cursos, entre eles os de computação e engenharia elétrica. Desse modo,
apresentaremos a história e estrutura da FACEEL (Faculdade de Computação e Engenharia
Elétrica) e um pouco sobre o curso de engenharia elétrica.

História

A primeira experiência com um campus universitário no sul e sudeste do Pará se deu com a
instalação, em 15 de outubro de 1971, do "Campus Avançado da USP" na cidade de Marabá
(CAUSP). O campus era uma extensão da Universidade de São Paulo fora de sua área
geo-educacional. A suspensão de praticamente todas as das atividades de ensino do CAUSP,
em meados de 1985, deixou Marabá sem uma instituição de ensino superior no seu sentido
mais clássico, já que o campus passou a funcionar somente voltado para a pesquisa e
extensão. Rapidamente a prefeitura iniciou as negociações para suprir a lacuna em Marabá,
fato que culminou na instalação do Campus Universitário da UFPA ( Universidade Federal do
Pará) com sede em Belém, em 5 de janeiro de 1987. Logo depois o Campus Universitário de
Marabá desmembrou-se da Universidade Federal do Sudeste do Pará – UFPA, dando origem a
Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará –UNIFESSPA, que foi criada através da Lei
12.824 de 5 de junho de 2013.
Com a criação da Unifesspa, se fez necessário a institucionalização de Unidades
Acadêmicas, e diante disso, o reitor pró-tempore, professor Dr. Maurilio de Abreu Monteiro,
assinou a Portaria nº 60 em 19 de setembro de 2013 dando origem ao Instituto de Geociências
e Engenharias, uma Unidade Acadêmica de formação superior em graduação e
pós-graduação, voltada para a área de conhecimento das Engenharias, Computação e
Geociências, formada por quatro cursos distribuídos em subunidades acadêmicas
denominadas Faculdade de Computação e Engenharia Elétrica (Faceel), Faculdade de
Engenharia de Materiais (Femat), Faculdade de Engenharia de Minas e Meio Ambiente
(Femma) e Faculdade de Geologia (Fageo).
Através da criação da Unifesspa em Junho de 2013, todos os cursos passaram a ser vinculados
a Institutos. Sendo criado um total de 11 Institutos, dos quais 7 estão localizados no Campus
Universitário de Marabá. Os Institutos criados foram oficializados pela resolução nº 019 de 01
de Outubro de 2014–Unifesspa. E dentre eles estão o Instituto de Geociências e Engenharias
(IGE), que agregou 4 Faculdades do antigo Campus Universitário da UFPA, em Marabá.
Entre elas a Faculdade de Computação (FACOM).
Devido à criação dos institutos como unidades acadêmicas, os cursos do antigo Campus
Universitário de Marabá foram vinculados a sete novos institutos. E o curso de Sistemas de
Informação, juntamente com sua Faculdade de Computação (FACOM), passou a pertencer ao
Instituto de Geociências e Engenharias (IGE). No primeiro vestibular da Unifesspa, que
ocorreu no ano de 2014, novos cursos universitários foram oferecidos à comunidade local e
regional. Dentre eles os cursos de Engenharia da Computação e Engenharia Elétrica, que
foram vinculados à FACOM. Com a vinculação dos cursos de Sistemas de Informação,
Engenharia da Computação e Engenharia Elétrica, a FACOM recebeu nova nomenclatura a
partir da portaria nº 065/2014 – Unifesspa/IGE, sendo nomeada a partir de então como
Faculdade de Computação e Engenharia Elétrica (FACEEL). A nova Faculdade também foi
oficializada através da Resolução nº 019 de 01 de Outubro de 2014, da Unifesspa.

Estrutura
A estrutura inicial da FACEEL foram resultados de um convênio entre a UFPA, antiga
UNIFESSPA, e a Empresa Vale S.A. que viabilizou a construção dos primeiros Prédios de
salas de aula e laboratórios do Campus II, além do Auditório, da Biblioteca e da Lanchonete
mais conhecida como “Tapiri”. Além da construção desses espaços, esse convênio também
ensejou a aquisição dos primeiros equipamentos de vários laboratórios desses cursos.

Atualmente a FACEEL possui laboratórios de eletrotécnica e automação com convênio com


a IFPA (Instituto Federal do Pará). Além disso, a Empresa Júnior na qual mostra-se como uma
associação civil sem fins lucrativos, constituída e gerida por alunos de um curso superior, cujo
principal objetivo é fomentar o aprendizado prático do universitário em sua área de atuação e,
assim, criar melhores profissionais e empreendedores para o mercado de trabalho e para a
vida.

O curso de engenharia elétrica da FACEEL


O objetivo principal do curso de Bacharelado em Engenharia Elétrica é formar engenheiros
eletricistas aptos a atender uma demanda diversificada de profissionais na área, com uma
visão crítica e inovadora, através de uma sólida formação básica, geral e holística, associada a
sua formação específica. Em suma, deverá prover uma formação que capacite o profissional
para a solução de problemas de engenharia, de forma técnica, criativa e calcada na ética
profissional.
Competências e habilidades
Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia
elétrica; Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados; Conceber, projetar e
analisar sistemas, produtos e processos; Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos
e serviços de engenharia; Identificar, formular e resolver problemas na área de engenharia
elétrica; Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas; Supervisionar a operação e a
manutenção de sistemas; Avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas;
Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica; Atuar em equipes
multidisciplinares; Compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais; Avaliar o
impacto das atividades da engenharia elétrica no contexto social e ambiental; Avaliar a
viabilidade econômica de projetos de engenharia elétrica; Assumir a postura de permanente
busca de atualização profissional.
No mercado de trabalho
Além de uma sólida formação em matemática, física, química e computação, o engenheiro
eletricista deve ser capaz de lidar com uma gama de conhecimentos que passam pelas grandes
subáreas da engenharia elétrica, tais como: Eletromagnetismo, circuitos elétricos, eletrônica,
telecomunicações, automação, controle, processamento de sinais, instalações elétricas,
conversão de energia, sistemas elétricos de potência, entre outras.

2 REFERÊNCIAS

https://faceel.unifesspa.edu.br/infraestrutura.html
https://ige.unifesspa.edu.br/historico.html#:~:text=Nossa%20Hist%C3%B3ria,anos%20de%2020
02%20e%202005.