Você está na página 1de 15

Estruturas de

Concreto IV

Prof. Jardim
Sapatas de Fundação
Sapatas Associadas

Revisão 2017
2. Sapata Associada
Sapatas Isoladas → mais econômico.

Sapatas Associadas → são utilizadas quando a distância entre


2 pilares é tal que causa a sobreposição das sapatas isoladas.

Viga de Rigidez

Sapata
Associada
Situação Ideal
• 2 lajes em balanço com vão = b/2
• carga uniforme
• viga simplesmente apoiada nos pilares 1 e 2

P1 P2
bo b

PLANTA
a
Pilar

Viga de Cb
Rigidez

‘ hsap d sap hsap

ELEVAÇÃO σ at ELEVAÇÃO
LATERAL FRONTAL
q = σ at .b b
Esforços na Viga de Rigidez
• Considera-se procedimento normal de viga isostática sobre dois apoios

+
DV
-

-
DM
+
Coordenadas “L” do Centro de Carga

P1 P2

( P1 + P2 )
L1 L2
L

( P1 + P2 ) . L1 = P2 . L

Portanto:

P2 . L
L1 = e L2 = L − L1
P1 + P2
Dimensionamento da Base

P2 > P1 Nk 1,1 ( P1 + P2 )
A = a. b = =
σs σs

2,5cm
C.C. = C.G.

divisa
P1 P2  ap 
a = 2 .  L1 + + e 
bo b  2 

b = 1,1 .
( P1 + P2 )
a .σs
e ap L1
2
a
PLANTA
Forma da Sapata Associada

Cb bo Cb
bp  2  h
• Cb •
h sap ≥ 3 ho ≥  3
• 20 cm • 20 cm

d sap h sap b − bo
Cb =
ho 2

b • b p1
bo ≥ 
ELEVAÇÃO • b p2
Verificação ao cisalhamento: compressão diagonal

τ sd ≤ τ Rd 2 seção resistente : a × d sap

Vd
τ sd =
a . d sap

Para largura de 1m, tem-se:


Vd
d sap A = Cb . a τ sd =
d sap

τ Rd 2 = 0,27 .α v . f cd f ck
αv = 1 − , com f ck em MPa.
Em que: 250
- τsd é a tensão de cisalhamento solicitante de cálculo;
- Vd é a força cortante de cálculo na seção resistente;
- τRd2 é a tensão de cisalhamento resistente de cálculo.
Força cortante na seção resistente
A d sap

Cb σ at
bo

a ELEVAÇÃO
PLANTA

V = σ at . A ⇒ V = σ at .a.Cb

Para largura de 1m, tem-se: V = σ at .Cb


Dimensionamento da sapata rígida por Momentos
bo Cb
σ at
M= (Cb + 0,15 bo ) 2
2

tomando: z = 0,8 d sap


d sap hsap
A resultante de tração será dada por:

M
T=
Cb + 0,15 bo 0,8 d sap

E a armadura será dada por:

γ f .T
As = p/ CA-50 → fyk = 50kN/cm²
f yd
Disposições Construtivas

Armadura de Tração: Armadura de Distribuição:

As , mín ≥ ρ mín .bw . h • 0,2 As


 NBR 6118:2014
A s , dist . ≥ • 0,9 cm² m Item 19.3.3.2
bw = 100cm • 0,5 A
 s , mín

φs ≥ 10mm φs , dist . ≥ 4mm


8cm ≤ S ≤ 20cm S dist . ≤ 33cm

AS 100cm
n= S=
ASφ n
Exercício
Dimensionar as sapatas rígidas para os pilares P1 e P2, indicados
abaixo, adotando a taxa admissível do solo igual a 0,15MPa. Adotar
aço CA-50 e concreto C20.
Obs.: a bitola do aço utilizado no arranque do pilar P1 é de 10mm e
do pilar P2 é de 16mm.

divisa P2=600kN
P1=300kN
(20x30)
(20x20)

22,5cm 180cm
PLANTA
Bibliografia

ALONSO, U.R. Exercícios de Fundações. São Paulo. Edgard


Blucher, 1983.

REBELL0, Y.C.P. Fundações: Guia Prático de Projeto, Execução e


Dimensionamento. São Paulo. Zigurate Editora, 2008.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (2014). NBR


6118:2014 – Projeto de Estruturas de Concreto. Rio de Janeiro.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (1996). NBR


6122:1996 – Projeto e Execuções de Fundações. Rio de Janeiro.
www.cruzeirodosul.edu.br