Você está na página 1de 3

WikiLeaks

24) CABLEGATE DE HEARNE


246840/ 2/2/2010 19:13/ 10RIODEJANEIRO32/ Consulate Rio De Janeiro/
NCLASSIFIED//FOR OFFICIAL USE ONLY
Excertos dos itens “não classificados/para uso exclusivamente oficial” do
telegrama 10RIODEJANEIRO32.
A íntegra do telegrama não está disponível.
ASSUNTO: Ideias sobre possíveis candidatos a vice-presidente para José
Serra
RESUMO. 1. (SBU) Observadores políticos e atores do PSDB no país entendem
que há possibilidade de candidato do PSDB à presidência (na dianteira, nas
pesquisas de intenção de voto) convidar a candidata Marina Silva, do Partido
Verde, para sua chapa, como vice-presidente. Embora pareça pouco provável,
nesse ponto, que Marina Silva aceite esse papel, muitos creem que, pelo menos,
ela apoiará Serra num eventual segundo turno contra a candidata do PT Dilma
Rousseff. Apesar de a hipótese Marina não estar descartada, analistas do PSDB
veem, como cenário mais provável, que o governador de Minas Gerais, Aecio
Neves (PSDB) venha a completar a chapa com Serra, como candidato à vice-
presidência, apesar de Neves já ter declarado publicamente que concorrerá ao
Senado. Mas, com a vantagem de Serra encolhendo nas pesquisas recentes,
ressurge a especulação de que Serra possa renunciar a favor de Neves como
candidato do PSDB. Até aqui, Serra é o candidato mais provável, e muitos dos
nossos interlocutores declararam que uma chapa Serra-Neves seria o melhor
caminho para Serra enfrentar com chances de sucesso os esforços do presidente
para traduzir sua popularidade pessoal em votos para Dilma Rousseff, na
sucessão. FIM DO RESUMO.
NO RIO, ANALISTAS DISCUTEM ALTERNATIVAS PARA A VICE-
PRESIDÊNCIA
2. (SBU) Em almoço privado dia 12 de janeiro, o importante colunista político da
revista Veja Diogo Mainardi disse ao cônsul dos EUA no Rio de Janeiro que a
recente coluna [de Mainardi] na qual propõe o nome de Marina Silva como vice-
presidente na chapa de Serra foi baseada em conversa entre Serra e Mainardi, na
qual Serra dissera que Marina Silva seria a “companheira de chapa de seus
sonhos”.
Naquela conversa com Mainardi, Serra expôs as mesmas vantagens que, depois,
Mainardi listou em sua coluna: a história de vida de Marina e as impecáveis
credenciais de militante da esquerda, que contrabalançariam a atração pessoal que
Lula exerce sobre os pobres no Brasil, e poriam Dilma Rouseff (PT) em
desvanagem na esquerda, ao mesmo tempo em que ajudariam Serra a superar o
peso da associação com o governo de Fernando Henrique Cardoso que Dilma
espera usar como ponto de lança de ataque em sua campanha. Apesar disso,
Mainardi não acredita que Marina associe-se a Serra, porque está interessada em
fixar sua própria credibilidade, concorrendo, ela mesma, à presidência. Mas
Mainardi disse que crê – como também Serra – que Marina Silva pode bem vir a
apoiar Serra num eventual segundo turno contra Dilma.
3. (SBU) Em plano mais realista, Mainardi disse ao cônsul que o governador de
Minas Gerais Aecio Neves dissera a Mainardi, no início desse mês, que Neves
permanecia “completamente aberto” à possibilidade de concorrer como candidato
a vice, na chapa de José Serra. (Nota: Dia 17/12/2009, Neves declarou
oficialmente encerrada a discussão sobre sua pré-candidatura à presidência e
mostrou interessem em concorrer como vice-presidente [referido em outro
telegrama. FIM DA NOTA).
Apesar das declarações públicas de que concorrerá ao Senado, Mainardi disse que
Neves planeja esperar um cenário no qual o PSDB, talvez à altura do mês de
março, convide Neves para compor a chapa, com vistas a aumentar a chance do
partido contra Dilma. As ambições pessoais de Neves e seu desejo, intimamente
ligado àquelas ambições, de não atrapalhar o PSDB nas próximas eleições,
levariam Neves a compor a chapa, ao lado de Serra – na opinião de Mainardi.
É a mesma opinião de Merval Pereira, colunista do jornal O Globo, o maior
do Rio de Janeiro, que se reuniu com o Cônsul dia 21/1. Pereira disse ao cônsul
que tivera uma conversa com Neves na véspera, na qual Neves dissera estar
“firmemente comprometido” a ajudar Serra fosse como fosse, inclusive como
vice-presidente, na mesma chapa.
Na opinião de Merval Pereira, uma chapa Serra-Neves venceria. Pereira disse
também acreditar que não só Neves aceitará a vice-presidente de Serra, mas,
também, que Marina Silva também apoiaria Serra num eventual segundo turno.
(...)
Visões de São Paulo
6. (SBU) [Nem precisa traduzir tudo: todo o PSDB de São Paulo, incluindo o
Verde mais tucano – “o secretário de esportes de São Paulo, Walter Feldman” (...)
“PSDB Sao Paulo State PSDB President and Federal Deputy Antonio Carlos
Mendes Thame” e “Sao Paulo Municipal Secretary of Government and local
PSDB insider Clovis Carvalho” –, todos, “disseram ao Cônsul que Neves é a
escolha preferencial dos líderes do Partido para a vice-presidência, com Serra”. E
todos , “manifestaram confiar que Neves aceitaria a convocação do Partido”.
Todos “enfatizaram que o PSDB tem de vencer nos estados de Minas Gerais e
São Paulo, para chegar à presidência e que o melhor meio para conseguir isso é
unir Serra e Neves numa mesma chapa”].
Em separado, Bolivar Lamounier, co-fundador do IDESP, Sao Paulo Institute for
Economic and Political Studies (IDESP), e Ricardo Sennes, Director de assuntos
internacionais da empresa Prospectiva Consultoria Brasileira disseram ao Cônsul
que acreditam que Marina Silva manterá sua própria candidatura, mas, num
segundo turno, apoiará Serra, depois de ter “queimado as pontes” ao deixar o PT.
VISÕES DO PSDB EM BRASÍLIA
7. (SBU) [Também nem precisa traduzir tudo: Todo o PSDB em Brasília
preferem “chapa pura”: “os senadores Eduardo Azeredo (Minas Gerais) e Alvaro
Dias (Parana) disseram ao embaixador em Brasília que preferem ter o PSDB com
chapa pura e disseram que há alta possibilidade de que aconteça.” (…) “o
Deputado Federal de Pernambuco e vice-líder do PSDB na Câmara de Deputados
Bruno Araujo disse que é pouco provável que Serra aceite candidato do DEM,
sugerindo que a sempre decrescente popularidade do DEM oferece pouco a
ganhar, a Serra, numa chapa ‘mista’, mesmo no nordeste, onde o DEM tem a
maioria dos seus votos. Em conversa com o embaixador, essa semana, dois altos
membros do PSDB reconheceram que Serra tem muito interesse em ter Marina
Silva na chapa. Mas disseram que Marina Silva seria a última opção para minoria
significativa no Partido, sobretudo no Rio e em São Paulo. Nenhum dos dois
acredita que Marina Silva aceite o convite, mas mostraram-se otimistas quanto a
obter o apoio dela no segundo turno.
(…)
COMENTÁRIO
10. (SBU) Dados a recente subida de Dilma nas pesquisas, a inabalável
popularidade de Lula e o tempo que ainda falta até a convenção do PSDB em
junho, os fatos que determinam quem Serra terá como vice ainda são fluidos, e
nem Serra pode saber com certeza quem será o melhor candidato. As últimas
pesquisas mostram diferença de um dígito entre Serra e Dilma, e já há boatos,
outra vez, de que Serra pode desistir em favor de Neves, se achar que a disputa
estará apertada demais no final de março. Ainda assim, Serra é o candidato mais
provável e segue a procura pelo melhor vice. Uma vez que a possibilidade de uma
chapa Serra-Marina é pequena, e que é pouco provável uma coalizão PSDB-
DEM, os indicadores, hoje, sugerem que haverá chapa “pura”, do PSDB. A
ambição de Neves, seu “star power” e sua lealdade ao partido tornam altamente
provável uma chapa Serra-Neves, apesar de Neves, publicamente, dizer o
contrário.
A popularidade de Aécio Neves no Nordeste (base de poder de Lula) e os votos
que Neves traria para Serra em Minas Gerais, segundo colégio eleitoral do país,
imporiam pesado desafio contra os esforços de Lula para coroar Dilma como sua
sucessora. FIM DO COMENTÁRIO. HEARNE