Você está na página 1de 8

CURSO: ARQUITETURA E URBANISMO

DISCIPLINA: SISTEMAS, TÉCNICAS E MATERIAIS CONSTRUTIVOS


PROFESSOR: YURI ABAS FRAZÃO
ALUNO: BEATRIZ DE SOUSA PEREIRA

ARQUITETURA VERNACULAR E BIO ARQUITETURA:


A UNIÃO DA MATÉRIA PRIMA NATIVA COM A ARQUITETURA SUSTENTÁVEL

SÃO LUÍS – MA
2021
Arquitetura Vernacular

Exemplo de arquitetura vernacular nordestina – viva decora

Pode-se definir esse termo da Arquitetura como um tipo de obra que utiliza
recursos naturais e técnicas da região em que ela será construída, ou seja, são
utilizados materiais e recursos locais do ambiente onde ela estará inserida. Segundo
Paul Oliver no seu livro Built to meet needs, ele afirma que, diante de uma
necessidade de definição mais afunilada para o termo, pôde concluir que a arquitetura
vernacular inclui não somente as habitações, mais também outras construções dos
povos, com relação ao contexto ambiental e recursos disponíveis.

Quando surgiu?
Não é possível afirmar uma data concreta de quando iniciou esse tipo de
construção, pois ela sempre existiu. Mas pode-se dizer que essa técnica começou a
ser estudada e analisada mais detalhadamente a partir do fim do século XIX. Foi
quando os arquitetos Frank Lloyd Wright e Le Corbusier fizeram desse estilo típico
uma versão mais sofisticada.

Características da Arquitetura Vernacular:


- A característica mais importante dessa arquitetura em todo o mundo é a busca
pelo respeito e reconhecimento do contexto local, se baseando sempre nas condições
do meio geográfico em que está inserido.
- Outra característica bastante encontrada nesse tipo de arquitetura, é que nela não
existem excessos, ela é projetada com o mínimo de mão de obra possível, para que
seja pequena a quantidade de quaisquer que sejam os materiais utilizados.
- Esse tipo de edificação está totalmente adaptada ao meio ambiente e ao clima do
local onde ela será construída.
- O que mais é presado nessa arquitetura é a funcionalidade, é feita exclusivamente
para atender as necessidades de um determinado povo, mantendo o foco na
economia de materiais para agredir menos a natureza.
- Ela promove um convívio social, diante da afirmação de que a maioria das habitações
construídas nesse contexto arquitetônico é elaborada e executada pelo proprietário.

Importantes obras da Arquitetura Vernacular:

 Iglu, Canadá

Casa de inverno e moradia de caça dos esquimós, encontrado principalmente


no Canadá e na Groelândia. Ele é construído a partir de blocos de neve e têm forma
de cúpula.
Os esquimós retiram a neve do fundo das camadas de gelo, Com uma faca são
feitos os blocos retangulares que medem cerca de 60 cm x 1,20 cm, com espessura
de 20 cm.
Não há um tamanho ideal para os iglus, as dimensões podem variar, chegando
a abrigar ate 20 pessoas, mas geralmente é construído para abrigar apenas uma
família, e por ser uma moradia temporária e emergencial o tempo de construção é
mínimo, levando cerca de duas horas para ficar pronto.

 Casas Colmeia em Harran, Turquia

São casas com moldes de colmeia que já serviram de habitação popular. Era
construída a partir de tijolos, adobes e pedras encontradas no ambiente local. A
construção pode ser concluída rapidamente por conta do seu formato, fazendo dela
uma boa opção para os nômades, pois se trata de uma estrutura resistente ao calor e
ao frio. No período de calor tem o auxilio das aberturas laterais que proporcionam uma
ventilação cruzada e no período frio o seu formato pouco volumoso representa que
existe pouca perda de calor.
Hoje em dia as casas colmeias não são mais utilizadas como habitações, mas sim
com um espaço de armazenamento.

 Casas de Junco em Ma’dan, Iraque

Casas construídas a partir da matéria prima chamada junco, que cresce ao


redor dos pântanos em uma quantidade considerável, tornando possível que o povo
Ma’dan utilize desse recurso para construir suas habitações. Elas são compostas
por colunas, arcos e paredes.
Elas levam cerca de 3 dias para serem construídas, quando é necessário mudança
em função dos níveis da água, ela é reerguida em menos de um dia.
Apesar de seu material e execução serem simples, esse tipo de habitação pode
chegar a durar cerca de 25 anos.

 Casa Mugsum, Camarões

Mais uma vez a matéria prima Junco aparece nesse tipo de habitação. O junco
é coberto de lama para produzir as cabanas. Essas casas tem formato de arcos
catenários (seguem uma curva de centenária invertida, bem comum em edifício nos
tempos antigos). Os arcos chegam a medir cerca de 9 metros de altura. Essas casas
eram bem populares por conta do seu baixo custo, mas hoje é vista como
ultrapassada.

A Arquitetura Vernacular no Brasil:

O ponta pé inicial da Arquitetura Vernacular no Brasil foi dado pelo arquiteto


Lúcio Costa, na segunda metade do século XX, quando ele encabeçou um projeto da
história arquitetônica nacional. Da mesma forma que nos outros países já citados,
esse tipo de Arquitetura no Brasil não foi diferente. O uso da matéria prima nativa é a
principal característica desse estilo simplório de edificação habitacional. O contexto
histórico e popular de cada local está na identidade dessas construções.
Exemplos de Arquitetura Vernacular brasileira:

 Oca
Famosa moradia dos Índios no Brasil, a oca é bastante comum nas regiões
indígenas brasileiras, elas formam diversas aldeias. Construídas com galhos e troncos
de árvores, ela é coberta com palha ou folhas de palmeira. As ocas podem ser
pequenas e abrigar apenas uma família ou podem ter até 40 metros de comprimento
e várias famílias viverem ali dividindo o mesmo espaço. Elas não possuem divisões
internas, não possuem janelas, a circulação do ar acontece devido a presença de mais
de uma porta. A construção de uma oca acontece entre 7 e 15 dias, e essa edificação
chega a durar até 15 anos.

 Casa de Pau a Pique


Mais conhecida como casa de taipa ou de barro, esse tipo de edificação é bem
comum nas regiões menos favorecidas do norte e nordeste brasileiro. Se trata de uma
arquitetura vernacular fiel, pois apresenta características fortes desse estilo, são
habitacionais, possuem um ótimo isolamento térmico, possui baixo custo e reduz
consideravelmente os impactos ao meio ambiente. A sua construção é feita através
do entrelaçamento de bambus ou varas de eucalipto, amarradas com cipós e depois
preenchidas com barro, sua cobertura simples é feita com palha. Se bem executada
essa edificação pode durar diversos anos.

Arquitetura Vernacular Contemporânea

Com o passar do tempo essa Arquitetura estava sendo cada vez mais deixada
de lado, com a vinda da Arquitetura moderna, os olhares e desejos foram além de
uma simples habitação.
Mas essas construções regionais estão voltando gradativamente devido o aumento
do custo da energia. Os arquitetos têm utilizado da sua sustentabilidade e grande
eficiência em termos energéticos para construir novas habitações funcionais.
Bioarquitetura

Casa charmosa com diferentes níveis de telhado verde. Fonte: Pinterest

A Bioarquitetura é a união de diversos elementos arquitetônicos, é o enlace do


bonito, funcional e sustentável. Tudo é aproveitado para que essas construções
atinjam o objetivo de estarem totalmente integradas ao ecossistema.

Materiais utilizados:

Os materiais utilizados nesse tipo de construção devem estar em um equilíbrio


entre as tecnologias atualmente disponíveis e a arquitetura vernacular.
Diversos tipos de materiais sustentáveis estão sendo utilizados para obras
ecologicamente corretas. Alguns deles:

 Tintas ecológicas
Hoje encontra-se tintas que são produzidas a partir de produtos naturais, sem
produtos tóxicos. Tintas elaboradas para agredir menos o meio ambiente, feita com
matéria prima orgânica, ela torna possível existir paredes bonitas e sofisticadas de
uma forma totalmente sustentável.

 Tijolo ecológico
Esse material apresenta ainda mais vantagens do que o tijolo padrão feito de
barro. O processo de fabricação desse material é totalmente sustentável, pois eles
não são levados ao forno e com isso não liberam gases poluentes. Os ecotijolos são
moldados em uma prensa e possui grande resistência e capacidade de isolamento
térmico e acústico.
 Madeira de Demolição
Esse material é um material reaproveitado que nasce da demolição de casas e
edifícios antigos. A madeira de demolição é reaproveitada para ser inserida em uma
determinada decoração dando um ar de rusticidade ao local onde ela estará inserida.

A Bioarquitetura é vista como algo um pouco distante de se tornar comum, por


causa do seu custo elevado. Mas atualmente os arquitetos têm buscado alternativas
que reduzam esse custo, utilizando de materiais naturais, característica vinda da
Arquitetura Vernacular.
Referências

OLIVER, Paul. Built to meet needs: cultural issues in. 1ª edição 2006. pag. 27. Built
to meet needs: cultural issues in. Architectural Press - 17 outubro 2006.

CAMILA GHISLENI, 2020. O que é Arquitetura Vernacular. Disponivel em:


www.archdaily.com.br. Acesso: 15 de março de 2021.

VIVA DECORA, 2019. Arquitetura Vernacular. Disponível em:


www.vivadecora.com.br. Acesso: 15 de março de 2021.

ENTENDA ANTES, 2020. O que é Arquitetura Vernacular. Disponível em:


entendaantes.com.br. Acesso: 15 de março de 2021.

BRUNO DAMASCENO, 2016. O que é Arquitetura Vernacular. Disponível em:


brasiliaconcrete.com.br. Acesso: 15 de março de 2021.

PAUL OLIVER, 2006. Problems of definition and praxis pag. 27. In: OLIVER, P. Built
to meet needs: cultural issues in

VIVA DECORA, 2020. Casa de taipa. Disponível em: www.vivadecora.com.br.


Acesso: 15 de março de 2021.

JULIA DAUDÉN, 2020. Casas brasileiras: 9 exemplos da arquitetura residencial


vernacular. Disponível em: www.archdaily.com.br. Acesso: 16 de março de 2021.

PORTAL 44 ARQUITETURA, 2019. Arquitetura Vernacular. Disponível em:


44arquitetura.com.br. Acesso: 16 de março de 2021.

TATIANA ARCOLINI E PAULA BARRADAS. Madeira de demolição confere estética


e sustentabilidade a ambientes internos. Disponível em: www.aecweb.com.br.
Acesso: 17 de março de 2021.

AECWEB / E-CONSTRUMARKET. O que é Bioarquitetura. Disponível em:


www.aecweb.com.br. Acesso: 17 de março de 2021.

ALINE MELO, 2020. Sustentabilidade: 21 materiais sustentáveis para uma obra


ecologicamente correta. Disponível em: revistacasaejardim.globo.com. Acesso: 17 de
março de 2021.

Você também pode gostar