Você está na página 1de 4

Contextualização

Conceituação

O sistema de parentesco, segundo Murdock, refere-se a um sistema estrutural de relações, no


qual os indivíduos encontram-se unidos entre si por um complexo interligados de laços
ramificados.

A família Segundo Murdock (1969), é um grupo social caracterizado pela residência comum,
com cooperação económica e reprodução, ela consiste em um grupo doméstico na qual os
pais e filhos vivem juntos.

Para Hoijer (1969), definem como um grupo social cujos membros estão unidos por lanços de
parentesco ou ainda um grupo de parentes afins e seus descendentes que vivem juntos. Os
conceitos demostram certa relação entre os autores, no que se refere à família. Todavia, como
toda excepção à regra, há famílias em que os cônjuges não moram juntos.

A família, em geral, é considerada o fundamento universal das sociedades por se encontrar


em todos os grupos humanos embora variem as estruturas e o funcionamento. Toda sociedade
humana, tem regras que abrangem as relações sexuais e a procriação de filhos, situando a
criança em determinado grupo de descendência, todas estas regras não são as mesmas em
toda parte.

Tipos de Família

As sociedades apresentam diferenças na maneira como se organizam ou estrutura seus grupos


familiares variáveis no tempo e no espaço. A família pode ser: Elementar, Extensa,
Composta, Conjugada – fraterna.

A Família Elementar (nuclear, natal-conjugal, simples, imediata, primaria) é uma unidade


formada por um homem, sua esposa e seus filhos, que vivem juntos em uma união
reconhecida pelos outros membros de sua comunidade

A Família Nuclear: encontra-se, em quase toda parte, como tipo dominante ou como
componente de família extensa e composta. Do ponto de vista ocidental, com suas
insistências sobre monogamia, as unidades polígamas podem parecer estranhas ou imorais,
mas o facto é que florescem amplamente.
Para Hoebel e Frost (1981), a família natal-conjugal é limitada, tanto no número dos
membros como na sua duração. Ela se restringe a um casal e os filhos, que podem gerar ou
dotar, e abrange não mais do que duas gerações.

Família Extensa: (grande, múltipla) é uma unidade composta de duas ou mais famílias
nucleares, ligadas por laços consanguíneos; série de familiares próximos pela linha masculino
ou feminina, geralmente não por ambas, e ainda, duas ou mais gerações. Pode abranger, além
de nuclear, avós, tios, sobrinhos, afilhados entre outros.

Família Composta (complexa, conjunta), é uma unidade formada por três ou mais cônjuges
e seus filhos. Pode existir numa sociedade monogâmicas, quando um segundo casamento da
origem as relações de adopção do tipo madrasta, padrasto, enteados, com a presença de dois
cônjuges.

Numa sociedade matrilocal (unilinear), a família compõe-se do ego feminino, seus pais,
irmãs casadas e solteira, irmãos solteiros, os filhos e assim como os de suas irmãs casadas e
respectivos maridos.

Família Conjugada-Fraterna: refere-se a uma unidade composta de dois ou mais irmão,


suas respectivas esposas e filhos. O laco de união e consanguíneo.

Sistemas de Parentesco

O sistema de parentesco é um dos universais da cultura; por oferecer aspectos mais regulares
e recorrentes, permitindo a construção, o teste de generalizações e o entendimento da
estrutura social de sociedade tribais.

Elementos de Parentesco

A família nuclear apresenta três tipos de ralações:

Afinidade (Marital ou Legal): laço criado pelo casamento. Por meio do homem contai laços
de afinidade com a esposa e seus familiares: pais irmãos, irmãs.

Consanguinidade (Biológico): relação entre pais e filhos.

Fictício ou Adoptivos: muitas sociedades aceitam uma terceira categoria de relações


denominada fictícia, incluindo crianças adoptadas, escravos, compadres e parentesco ritual
(irmãos de sangue).
Tipos de Parentes

São três tipos de parentes: primário, secundário e terciários

Primários: aplicado aos que pertencem à mesma família nuclear: pai, mãe, irmãos, (Família
de Orientação) esposo, esposa e filhos (Família de Procriação). Os parentes primários são
ligados por laços de sangue ou parentesco biológico, com excepção de marido e mulher
(afinidade).

Secundário: refere-se ao pai do pai, pais da mãe, (avós); irmão do pai da mãe (tios). Terceiro
refere-se bisavó, espoa dos tios outros parentes mais remotos.

Sistema de Parentesco em Moçambique

Em Moçambique, existem dois sistemas de linhagem, patrilinear e matrilinear. Sob o sistema


patriarcal, a mulher e os filhos pertencem ao marido e sua família, é o marido que concede ao
seu cônjuge do sexo feminino acesso à terra. No sistema matriarcal, a mulher e os filhos
continuam a ser considerados membros da família matrilinear da mulher.

Sociedades matrilineares Norte de Moçambique

No sistema matrilinear, cada indivíduo pertence à família da mãe, o que significa, em


concreto, que o homem não pode transmitir os seus bens e os seus títulos honoríficos aos seus
filhos varões, mas sim aos varões mais próximos da linha materna, designadamente um tio ou
um primo. Os seus próprios filhos, que não pertencem à estirpe, não poderão sucederlhe, mas
recebeu, em contrapartida, a herança dos seus tios maternos.

Linhagem Matrilinear - todos os filhos e filhas pertencem a mesma linhagem, mas elas é que
transmitem a descendência, eles não. Os filhos delas serão da linhagem, mas os deles não. A
herança e a residência é por via feminina.

Contudo, o sistema matrilinear não se identifica com o de matriar-cado, já que não confere às
mulheres o poder de direcção e superintendência dos negócios, nem qualquer autoridade
política. Apenas diz respeito às regras de transmissão dos bens. Nos vários regimes ou
sistemas de parentesco os papéis a desempenhar variam consideravelmente no seio da
família, sobretudo no que respeita à postura perante o pai.

Sociedades Patrilineares Sul de Moçambique


Linhagem Patrilinear - a descendência transmite se por via masculina ainda que todos os
filhos pertençam a linhagem. A residência neste caso é virilocal e neolocal. Viro localidade:
há a transferência da mulher para a povoação do marido por ocasião do casamento;
Propriedade do marido, é designada por nuti, constituída por produtos do seutrabalho, casa e
os presentes que recebe.

No sistema patrilinear, os homens herdam do pai os bens e os títulos honoríficos. Só se


reconhecem como parentes os que o são pela linha paterna, não podendo os eventuais
contactos com a família materna atingir de qualquer forma a sua pertença ao grupo do
respectivo pai. As características essenciais do sistema de parentesco patrilinear são as
seguintes: A descendência é por via paterna ou agnática. Isto significa que são apenas os
homens que transmitem a descendência;

Está instituída a compensação matrimonial, pela qual o noivo faz “o pagamento de bens
económicos em relação ao casamento, segundo normas consuetudinárias. Os pormenores
formais concretos desta prática variam dentro do mesmo grupo étnico, tribo, clã e mesmo a
nível de famílias (BERNARDI, 2007).

A residência matrimonial é virilocal, pois, “os esposos se estabelecem perto do grupo de


parentesco do marido”. Também é um dos fundamentos justificativos da compensação
matrimonial (BERNARDI, 2007).

Os membros de uma mesma classe familiar não vivem, todavia, conjuntamente. A filha
casada vai geralmente residir no seio do tronco familiar do marido, embora a sua prole possa
voltar ao grupo familiar materno. E é usual chamar família alargada ao conjunto composto
por homens de determinada estirpe e por mulheres pertencentes a estirpes diferentes e
respectiva prole. É mais verificado nas zonas Sul e Centro do país

Hoje, não se pode falar em pureza étnica nem tribal, porque ocorre diariamente o processo de
mestiçagem, em que pessoas se juntam pelo matrimónio, pela migração, pela religião e pelos
espaços residencial e profissional, sem descurar a grande influência que a integração regional
e a globalização exercem sobre o país. Na prática, novas identidades estão sendo elaboradas
ininterruptamente.

Você também pode gostar