Você está na página 1de 3

EXCELENTISSIMO SENHOR DIRETOR DO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO

DO ESTADO DE SANTA CATARINA

CARLOS ROBERTO RIBEIRO DE SOUSA, brasileiro, solteiro, empresário, portador do


documento de identidade n° 289.955.05 e inscrito no CPF sob o n° 933.173.529-49, residente e
domiciliado na rua Argentina, n° 222, Bairro Frei Rogério, na cidade de Lages-SC, CEP 88508-
280, e, EMPRESA - ZEBU ESTÉTICA AUTOMOTIVA LTDA ME, inscrita no CNPJ n°
08.951.138/0001-88 com sede na Rua Humberto de Campos, n° 203, Bairro Coração de Jesus,
Lages-SC, CEP 88508-190, vem, tempestivamente, a presença de Vossa Senhoria, apresentar:

DEFESA PRÉVIA

em desfavor ao auto de infração nº 55605949G, promovido pelo órgão nº 281830, pelas


razões de fato e de direito a seguir aduzidas:

1. DOS FATOS

O Requerente, na qualidade de Condutor devidamente habilitado pelo Departamento de


Trânsito Estadual – DETRAN, Carteira Nacional de Habilitação – CNH sob o n° 02152177360,
sempre conduziu o veiculo com total zelo e observâncias às leis de trânsito.

Ocorre que, no dia 25 de maio de 2020, o Requerente foi surpreendido pelo Auto de
Infração em epígrafe, sob o enfoque de Estacionar ao lado de uma marca de canalização,
sendo tipificado no art. 181 inciso VII do Código de Trânsito Brasileiro.
Art. 181. Estacionar o veículo:

VIII - no passeio ou sobre faixa destinada a


pedestre, sobre ciclovia ou ciclofaixa, bem como nas
ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais,
divisores de pista de rolamento, marcas de
canalização, gramados ou jardim público.

Em vista disto, está sendo o Requerente compelido a arcar com pena pecuniária no
valor de R$ 195,23 (Cento e Noventa e Cinco reais e Vinte e Três centavos), e
cumulativamente, penalizado com 5 (Cinco) pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

Permissa vênia, o Auto de infração que ora se combate é insubsistente e deve ser
julgado inconsistente e irregular por Vossa Senhoria, nos termos abaixo, expostos:

ATIPICIDADE DA CONDUTA

O veículo NÃO estava ESTACIONADO na Rua Praça João Ribeiro, 56, às 10:10 horário da
infração, apenas PARADO por alguns instantes. O Auto de Infração foi preenchido por erro
de interpretação do agente fiscalizador que deve ter entendido que o veículo estava
estacionado, mas que na verdade não estava.

No momento em que o veículo ficou parado em poucos instantes, vale destacar que o
Condutor estava acompanhando e prestando assistência para um passageiro idoso embarcar
no veículo.

Ademais, compreende-se também que não havia nenhuma sinalização aduzindo que
seria proibido PARAR, bem como ser proibido ESTACIONAR, como há de se ver em
determinadas localizações a sinalização correta pela cidade.

É importante completar que o Requerente sempre tentou ao máximo seguir as normas


de trânsito, dessa forma, não merece prosperar um fato no qual o mesmo sabe que não
infringiu nenhuma norma.
Pelo exposto, houve uma má interpretação e falta de empatia pelo Agente fiscalizador
por não verificar se de fato havia sinalização no local proibindo o Condutor de parar
momentaneamente. Sendo assim, não havendo sinalização ou não tendo o aviso do agente
de trânsito para se retirar do local ou que aquele local seria um local incorreto para PARAR
ou ESTACIONAR temporariamente o Condutor não agiu contra as regras de trânsito.

2. DOS PEDIDOS

Pelo exposto, vem respeitosamente requerer:

a) Vossa Excelência ao receber a DEFESA ora apresentada, para, ao final, julgá-la procedente,
declarando-se a insubsistência do Auto de Infração nº. 55605949G, sustando todos os seus
efeitos legais e procedendo-se o seu imediato arquivamento, haja vista a perda do objeto da
infração.

b) que o auto em questão seja arquivado em razão da ausência de fundamentação na peça


acusatória contra a requerente;

c) o efeito suspensivo caso a presente demanda não seja julgada dentro do prazo legal.

Nestes termos, pede deferimento.

Lages, 01 de junho de 2020.

CARLOS ROBERTO RIBEIRO DE SOUSA


933.173.529-49