Você está na página 1de 9

O começo da sabedoria é a decisão de se amar e respeitar a Deus e à sua

única lei.

Reflexões

A sabedoria germina na alma no momento em que eu percebo a minha


ignorância. A sabedoria, porém, morre e se esvanece e volto de novo a ser
possuído pela ignorância quando julgo que sou sábio.

As oportunidades não podem ser percebidas se estamos embriagados pelo


conformismo.

O conformismo é esculpido em nós pelo gume da desesperança.

A desesperança é a conseqüência de se abrir mão do direito de pensar a


realidade.

Romper com o conformismo exige um enorme esforço de se questionar os


fundamentos sobre os quais se erigiu o nosso eu.

Ninguém é livre até libertar-se de si mesmo.

Ninguém é livre se não conhece o que há para além de seus


condicionamentos. Conhecer o que há além deles é o primeiro passo para
superá-los.

Ninguém é livre até enxergar que a liberdade absoluta, se existisse, nos


arrancaria a condição de humanos que somos e nos transformaria em meros
animais.

A liberdade precisa de limites. A liberdade, ao ser desejada e vivida por


humanos, se contamina. Transformaria em confusão e anarquia o convívio
social se não fosse limitada por valores que exaltam sobre a própria
liberdade a importância de si mesmos.

Um dos maiores flagelos humanos é o que o leva a agir como se o futuro


não estivesse sob sua responsabilidade.

1
Olhei com atenção e observei que, no mundo humano, existe uma praga
que assola as mentes desde muito cedo: “A disposição para negligenciar”.

Ter uma profunda clareza daquilo que se quer é pré-requisito básico pra o
êxito.

O êxito verdadeiro e fundamental quando alcançado, leva aquele que o


alcança a comemorar sua vitória exaltando sobre si aqueles que o ajudaram.

A sorte não ajuda a suprir a necessidade de clareza.

Ter clareza daquilo que se quer exige um bocado de sinceridade consigo


mesmo.

A sinceridade é impossível se me nego a olhar e reconhecer o que existe


dentro de mim.

A sinceridade nos impede de obscurecer com dissimulações e justificativas


astutas aquilo que, apesar de repudiarmos, queremos.

Quanto mais o homem compreende a sua condição, mais humilde, mais


tolerante e generoso se torna. Quanto menos a compreende, mais rico ele se
faz e mais pobres ele produz.

Enquanto o outro for a unidade de medida com que nos medimos, a dúvida
e a confusão não nos permitirá perceber a nossa verdadeira grandeza.

As palavras dizem de onde vieram.

As palavras exalam o cheiro daquilo de que foram forjadas.

Um sábio que se cala faz mais mal aos homens do que o pior criminoso.

Resolva de imediato, priorize aquilo que a própria vida nos impõe como
imprescindível.

Quanto mais cedo alguém se torna consciente do imprescindível e o


assume, menor será a lista de sofrimentos a atormentá-lo na velhice.

O homem ao orgulhar-se deve fazer tantas ressalvas que seria mais


proveitoso se ele simplesmente se humilhasse. Afinal, quem muito fala de
sua grandeza, certamente pouco faz para acreditar que seus atos falem a seu

2
favor o suficiente. Caso contrário é um estúpido que ainda acredita que o
mundo é o útero de sua mãe.

Fonte de enorme sabedoria é a morte e ,a vida, é o campo onde a sabedoria


se faz útil.

A insanidade nos ronda de perto, e às vezes, se disfarça, escondendo-se por


detrás da coerência.

Quanto mais lúcidos, quanto mais bem informados, mais somos obrigados
a confessar que o número de dúvidas e incertezas é sempre maior do que
aquilo que se sabe.

Toda verdade é circunstancial.

Nem sempre o esquecimento é involuntário.

Todo ponto de vista é, por natureza, incompleto.

Uma das primeiras coisas que se deve ensinar a uma pessoa é a atitude de
assumir suas idéias não como verdades absolutas, mas como passos que se
deve dar na infindável busca delas.

O egoísmo está no homem como estão em suas mãos os seus cinco dedos.

A bondade está no homem como estão presas em seus braços as suas mãos.

A inteligência é incapaz de conhecer a realidade. Tudo que pode é conhecer


é uma interpretação dela.

Somente as grandes catástrofes fazem o homem refletir sobre a hipótese de


abandonar aquilo que esconde debaixo de sua hipocrisia.

O bem que o homem julga às vezes, no tempo, produz o mal. O mal que o
homem julga não necessariamente está proibido de produzir coisas boas.

A vida é paradoxal.

Se algum dia o homem encontrar solução pra todos os seus problemas, isto
não significará que os problemas acabaram, mas que o homem deixou de
existir. A existência é problemática e as nossas soluções são, na verdade,
máquinas de fabricar outros problemas.

3
O que nós chamamos de problema, o universo, se pudesse falar, chamaria
de “fato”.

A coisa mais difícil de perceber é aquilo a que estamos conformados. Se é


difícil perceber tal coisa, quanto mais difícil é questioná-la. Somente as
mentes geniais vão além desse ponto.

Às vezes, encontro por aí, no subterrâneo dos altruísmos, a lava


incandescente do egoísmo.

Falar a verdade sem recorrer ao uso de símbolos metafóricos é uma chatice


tanto pra quem fala quanto pra quem ouve. O símbolo da á ela a poesia que
encobre a nudez de sua frieza.

Todo julgamento que um homem faz de outro é injusto. Mas pior do que a
injustiça do julgamento humano é usar tal limitação para deixar impune o
malfeitor.

O nome daqueles que fazem, às vezes, entram para a história, mas o nome
daqueles que só criticam jamais são lembrados.

Qualquer gesto se torna grandioso se é feito com paixão.

Não existem heróis.

Não existe vitória individual.

O orgulho é um sentimento que se abriga unicamente no coração do


imbecil, o qual, com a sua ignorância, o alimenta e o fortalece.

A independência do ser é uma piada. Neste planeta só existe dependência.


Aliás, a dependência é o que tornou possível o nosso universo. Portanto,
não só aqui, neste astro que chamamos de Terra, mas em tudo, não existe
nada, absolutamente nada, que seja independente.

Uma das maiores virtudes e que dificilmente se cultiva é a coragem em


admitir a possibilidade de erro no coração do nosso ponto de vista. Aqueles
que a possuem tendem a valorizar e a se interessar pelas idéias alheias,
mesmo que sejam diferentes das suas.

O tempo parece tirar de todos os ímpetos a sua razão de ser; ou de pelo


menos; de modificá-los.

4
A compreensão que se busca determina “como” e “o que” se deve observar.

A observação que se reduz ou que se limita a uma mera contemplação dos


fatos nada contribui para a realização de mudanças.

Jamais assuma uma postura diante das pessoas que as ensine a te tratar
como se fosse um menino.

A raiva nem sempre é o melhor meio de defender seus direitos. No entanto,


para este fim, a inteligência sempre funciona melhor.

O homem é ao mesmo tempo ser “racional e emocional”, sendo impossível


a ele escolher ser apenas um ou outro. Mais do que isto, não podemos nem
dizer que existam dois tipos de ser, duas possibilidades, porque a emoção e
a razão não existem separadas, uma esta contida na outra. Uma depende da
outra.

O cristianismo é a negação da animalidade! É, em essência, a humanização,


no seu aspecto supremo, do que há de animal em nós.

Que saudade da inocência!

Deixem-me dizer uma verdade sobre a minha era: A ingenuidade não


diverte. A inocência não tem graça! O que é que diverte? O que é que tem
graça? Eu vos direi o que vos diverte:
_mutilações, decapitações, sangue, gritos, sujeira, orgias, barulho,
pancadaria, medo, susto, bagunça, ostentação e o espetáculo do sofrimento
alheio. Aliás, a dor e o sofrimento alheio quase vos levam ao delírio.

Bem vindo à era do exagero e da liberdade irresponsável.

Todas as vitórias objetivas do homem são um imenso nada, são como a


poeira que o vento arranca do cume das montanhas e que depois se
acumula no fundo dos vales. Têm mais utilidade para aqueles que virão
depois dele do que para ele mesmo.

A verdade e a paz são a mesma coisa.

Um homem nadou bravamente para atravessar um rio caudaloso e sujo.


Usou todas as suas forças para alcançar o outro lado e salvar sua vida.
Quase exaurido chegou à margem e a ela se agarrou com o resto de suas
forças, e já esgotado, conseguiu sair da água pondo–se a salvo sobre a

5
grama. Eis aqui, amigos, a única vitoria permanente do homem. Todas as
outras são efêmeras e o efeito mais longínquo delas é diluírem-se no tempo.

Que vantagem há em viver do que é provisório? Seria sem dúvida algo bom
e proveitoso se o definitivo não fosse possível e se vivêssemos o transitório
sem confundi-lo, sem tratá-lo como se fosse o eterno. Quanto sofrimento
seria poupado.

Ao olhar para o homem, para a raça a que pertenço, me sinto obrigado a


concluir que somos inimigos deste planeta. Somos inimigos da condição
natural em que ele se dá. Tal condição na nos presta, não a queremos senão
como enfeite de nossos jardins que não são naturais, são sim planejados.
Somos inimigos do vinculo que temos com ele. Somos inimigos de nós
mesmos. Mas isto não é nada mais do que a conseqüência da inteligência
produzida pela própria natureza. O fluir da vida é contraditório.

No mundo, felicidade não é o destino, mas o caminho que percorremos na


direção dela.

Um sonho realizado não demora muito a ser substituído por outro a


realizar.

A maioria de nossas necessidades, pelas quais muito sofremos, é nada mais


do que objetos fictícios. Os fantasmas são mais reais do que elas.

De que você realmente precisa? Ou de que você realmente necessita? Em


verdade, as coisas mais indispensáveis e importantes você já tem desde o
dia em que nasceu.

Um único vislumbre do brilho solar e ofuscante da verdade torna cego


para sempre o nosso eu.

Como dirigimos as nossas vidas? Através de nossas decisões, de nossas


escolhas.

De onde vêem nossas escolhas e decisões? O que as motiva? O que nos


leva a escolher estas e não aquelas? Se dirigirmos nossa vida com base nas
respostas destas perguntas então nossa vida andará em círculos. Mais
proveitoso é respondermos a outra pergunta: Quem esta tomando as
decisões? Quem está escolhendo? Quem descobre de fato as respostas
destas perguntas é um homem livre.

Um homem precisa de amigos, e o maior deles deve ser seu filho.

6
A humildade, a sinceridade e a tolerância juntas te cumularão de amigos e
deixarão em evidencia os que te querem mal.

O orgulho, a falsidade e a arrogância juntos fazem da vida de quem as têm


um sopro solitário e esvaziam o velório dos que as praticam.

Não há nada mais eficiente para prolongar a vida do que a paz de espírito.

Não há nada mais eficiente para se fabricar a paz do que o perdão. Todos
devem saber isto: O perdão é a matéria prima com a qual se constrói a paz.

O perdão é mais do que um ato da vontade; é uma conseqüência da


compreensão de algo maior que ela. Tal compreensão me leva a querer.
Perdôo porque compreendi, não apenas porque quero. Perdoar sem
compreender é o mesmo que comer sem estar com fome.

Preciosos são os laços familiares. Aquele que os despreza terá uma vida
amarga.

Pessoas arrogantes e intrometidas terão uma grande oportunidade de


aprenderem algo da vida se receber como resposta para as suas
intromissões o seu absoluto silêncio.

O primeiro sinal externo a estampar na vida de alguém que viu a verdade é


a atitude de total desapego dessa pessoa por tudo que não é permanente.
Alguém que conhece a verdade não se contenta com nada menor do que
ela.

Não se permita moldar ou se adequar ao ambiente onde está se o que nele


se pratica contradiz aquilo em que acredita. Toda mudança começa com
uma contradição. Cuidado, porém, pois não é raro a realidade nos dizer
aquilo que temos que repensar, que a mudança deva ocorrer em nós.

Um homem livre não é aquele que faz o que quer, mas aquele que escolhe
aquilo que pode querer. Não se liberta um escravo soltando-o de suas
correntes de ferro somente, mas também soltando das correntes do egoísmo
aqueles que se acham livres para acorrentar os seus semelhantes.

É espantoso saber que todos nós estamos em liberdade condicional.

Às vezes as aparências mostram alguém absurdamente incompetente como


um exemplo a ser seguido! Não confie em aparências somente.

7
Vivemos para ajudar outros a nos ajudar. Ninguém se realiza sem estar
integrado aos demais.

A pior coisa que uma comunidade pode fazer é não deixar claro para as
novas gerações quais as regras por quais ela mesma é regida.

O destino, o futuro me parece sombrio. Quais serão as conseqüências de


um mundo sem famílias? De um mundo onde as crianças crescem sozinhas
a mercê de si mesmas? De um mundo onde a baixaria é o orgulho
nacional? De um mundo de pessoas entorpecidas? De um mundo onde as
pessoas constroem suas próprias regras em detrimento das outras? Não sei!
Talvez nos transformemos num gigantesco bando de hienas, ou, quem sabe,
numa enorme matilha de chacais!

Não existe meio mais eficiente para enxergarmos melhor a nossa hipocrisia
do que tentar, com consciência, ensinar uma criança a ser sincera.

Uma das coisas mais entediantes da vida é quando alguém tenta nos ensinar
algo que já conhecemos. E este tédio é um grande perigo, pois pode
funcionar como um tapa-olho que nos impede de ver algo que conhecemos
por outro ponto de vista.

Quando alguém se compreende, então ela se torna absurdamente paciente.


A paciência jorra ininterruptamente dentro dele porque conhece e sofre
todas as limitações comuns a toda a realidade. Ele sabe que suas próprias
limitações são parte da realidade.

Você quer ficar rico? Não importa a resposta. Na verdade tanto o “sim”
quanto o “não” são a mesma mentira. Quem for sábio desvende este
provérbio. O tolo ou o homem comum é aquele que tem como razão de sua
vida uma grande mentira universalmente aceita.

A primavera da vida é o amor.

O inverno da vida é a indiferença.

Queres ter nas mãos a atenção das pessoas? Deixe que elas percebam que
você as ama pela sua disposição se doar a elas.

Não seja precipitado a ponto de tomar uma decisão sem consultar a opinião
de sua alma.

8
A vida não valeria a pena se nela não pudéssemos nos apaixonar, se não
pudéssemos esquecer o que chamamos de vida adulta e sermos ao longo de
toda nossa efêmera experiência de existir, a cada dia, uma nova criança.

Diga a verdade! E se alguém lhe pedir para ajudá-lo a encobri-la este é um


dos seus piores inimigos.

Até hoje ainda não encontrei um pessoa se quer que fosse discípulo fiel da
imparcialidade. Aliás , eis aqui o meu critério magno: avaliar-me não pelo
que me dizem ser mas pela minha capacidade em derrotar a minha própria
atitude parcial diante da vida e dos meus semelhantes.

A fé sem amor é uma fantasia de carnaval.

Se no meu existir não existe nada em harmonia com o meu ser, então, estou
a caminho da condenação. Pois harmonizar o fazer com o ser é o trinunfo
da vontade , tão indispensável a qualquer um que queira ser mais do que já
é.

Interesses relacionados