Você está na página 1de 10

Capítulo 1 | O que é interrogação Elaborativa ...................... Pág.

03

Capítulo 2 | Como aplicar a técnica ................................... Pág. 05

Capítulo 3 | Interrogação elaborativa + autoexplicação ......... Pág. 08

Fontes ............................................................................ Pág. 10


Uma das melhores técnicas para quem precisa estudar de forma
mais eficiente para o concurso público é a interrogação
elaborativa, que é também um recurso que exige prática e vai
melhorando com o tempo.

Como o nome já diz, é uma técnica pautada na capacidade de


saber interrogar-se (fazer perguntas) que elaboram o conteúdo
estudado (que o desenvolvem na sua mente).

Quando lemos, vemos ou ouvimos algo geramos apenas input de


informação, você pode armazená-la sem o processamento, mas
isso é contraproducente, é preciso trabalhá-la por meio de um
processamento eficaz, para então termos um bom output.

Quando processamos a informação de forma adequada


conseguimos facilmente externalizá-la por meio de uma redação,
por meio de questões etc.

Para isso a informação precisa ser transformada em


conhecimento. Nós transformamos uma informação por meio de
perguntas. Falando de novo, de novo, de novo, em cima de
perguntas.

A interrogação elaborativa significa você, ao longo do tempo que


está estudando, fazer as suas próprias perguntas.

Trata-se de utilizar os "porquês" para fazer conexões enquanto


estuda, reforça o conteúdo ou mesmo na hora de criar resumos ou
fazer revisões, por exemplo.

O primeiro passo é estudar o conteúdo original sobre determinado


assunto. O segundo passo é criar questionamentos para si próprio
referente ao que aprendeu.

Perguntas e respostas na interrogação elaborativa - O estudante


utiliza certas perguntas para conseguir responder e levar a uma
compreensão melhor do assunto estudado e, principalmente,
memorizar com mais facilidade - este é o objetivo da técnica.
Você pode criar os seus próprios questionamentos sobre a matéria
estudada, mas em geral, é usada esta sequência de perguntas na
interrogação elaborativa:

 O Quê (fato)?

 Quem (sujeito)?

 Quando (tempo)?

 Onde (local)?

 Como (modo)?

 Conclusão (final)?

 E outras questões mais específicas que deseja utilizar.

Vamos supor que você esteja estudando Direito Constitucional


para um concurso público. E o assunto é “princípios fundamentais
da Constituição Federal de 1988, para a construção de uma
sociedade livre”.

Esta é a sequência de perguntas da interrogação elaborativa: O


quê (fato)? Quem (sujeito)? Quando (tempo)? Onde (local)? Como
(modo)? Conclusão (final)?

Um exemplo bem simples: Em Direito Constitucional, você está


estudando a parte sobre defensoria pública, especificamente o
cargo de defensor público, de forma ainda superficial:

 O que é?

Conforme a Lei Orgânica Nacional da Defensoria Pública -


LONDP (Lei Complementar 80, de 12 de janeiro de 1994), a
Defensoria Pública é instituição permanente, essencial à função
jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe, como expressão e
instrumento do regime democrático, fundamentalmente, a
orientação jurídica, a promoção dos direitos humanos e a
defesa, em todos os graus, judicial e extrajudicial, dos direitos
individuais e coletivos (artigo 1º), incluindo, dentre seus
objetivos, a primazia da dignidade da pessoa humana, a redução
das desigualdades sociais e a prevalência e efetividade dos
direitos humanos (artigo 3º-A).
 Quem?

Sobre o defensor público, este tem a função de promover o acesso


direto das pessoas hipossuficientes aos direitos que a Constituição
e as leis lhes garantem.

 Onde?

Em todo o território nacional.

 Como?

(como são aplicados os seus objetivos) I - a primazia da dignidade


da pessoa humana e a redução das desigualdades sociais; II - a
afirmação do Estado Democrático de Direito; III - a prevalência e
efetividade dos direitos humanos; e IV - a garantia dos princípios
constitucionais da ampla defesa e do contraditório.

 Conclusão

Trata-se da sua conclusão ao assunto.


A técnica da autoexplicação refere-se a explicar, de preferência
com voz audível, se possível, o conteúdo a si mesmo como se
estivesse explicando para outra pessoa.

Basicamente consiste em explicar para você mesmo em voz alta


aquilo que você acabou de entender, não é ler em voz alta, é
explicar o que acabou de entender, como se tivesse explicando
para outra pessoa.

Afinal, você só pode explicar o que sabe e o que compreendeu e


isso valida o seu aprendizado.

Uma dica para potencializar a técnica é fazer uso conjuntamente


com a interrogação elaborativa, utilizando as questões acima
mencionadas na hora da autoexplicação.

A ideia é fazer conexões entre os assuntos, unindo informações, a


fim de ajudar o cérebro a aprender e memorizar.
 Simplicidade e eficiência

Estas duas técnicas estão entre as mais utilizadas por estudantes


de todo o mundo e é muito fácil de aplicar em qualquer contexto
ou em qualquer fase dos seus estudos.

Depois de um tempo praticando a elaboração interrogativa, o


processo passa a ser quase que automático.
https://endireitados.jusbrasil.com.br/noticias/

https://www.estrategiaconcursos.com.br/blog/

http://vannacabral.blogspot.com/

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/editorias/2.790/colu
na/dicas-de-concursos-1.192/

https://www.proximosconcursos.com/

https://colecionadordeaprovacoes.com.br/

http://www.tudosobreconcursos.com/

Você também pode gostar