Você está na página 1de 3

BOCA AMARGA NA GRAVIDEZ

Ter um gosto metálico ou amargo na boca, também conhecido por disgeusia, é um dos


sintomas mais comuns durante a gravidez, especialmente durante o 1º trimestre, que acontece
essencialmente devido às alterações hormonais características desta fase.
Além disso, outros fatores podem estar na origem deste sintoma, como sofrer de azia ou tomar
suplementos para a gravidez. Porém, embora seja raro, a disgeusia na gravidez pode ser um
sintoma de uma condição de saúde, como hepatite, infecção ou diabetes, por exemplo.
O gosto amargo não tem tratamento e tende a desaparecer ao longo da gravidez, porém
algumas medidas podem ajudar, como mascar uma chiclete ou chupar um picolé de limão, por
exemplo.

Porque acontece
As grávidas relatam o sabor amargo e metálico, como se estivessem a beber água por um
utensílio metálico ou como se tivessem uma moeda na boca.
A causa mais comum da boca amarga ou com gosto metálico na gravidez, é a alteração dos
níveis hormonais, principalmente do estrogênio, que está relacionado com a sensação de
paladar. Porém, em alguns casos, este sintoma pode estar relacionado com os efeitos
colaterais da suplementação em ácido fólico.
Este sintoma é muito comum durante o 1º trimestre de gestação e vai desaparecendo ao longo
da gravidez. Porém, em alguns casos, o sabor amargo é causado pelo refluxo gastroesofágico,
que é mais comum no último trimestre, devido ao aumento do volume uterino, que comprime o
estômago, levando ao relaxamento do esfíncter do esófago.

Como aliviar
Na maior parte dos casos, o sabor amargo ou metálico na boca vai desaparecendo ao longo da
gravidez. Entretanto, algumas medidas podem aliviar o gosto metálico e amargo da boca,
como:
 Mascar chiclete ou chupar uma bala, de preferência sem açúcar;
 Chupar sorvetes, como um picolé de limão, por exemplo;
 Comer bolachas de água e sal, ao longo do dia;
 Beber sucos de frutas cítricas;
 Escovar os dentes com mais frequência, com o cuidado de escovar também a
língua e usar um enxaguante bucal, que também ajuda a eliminar esse sabor.
Outras causas de boca amarga
A boca amarga na gravidez, geralmente é causada por alterações hormonais, porém, embora
seja menos comum, também pode ocorrer devido a má higiene oral, uso de antibióticos ou
antidepressivos, hepatite, fígado gordo, cirrose, infecções, cetoacidose diabética ou exposição
a metais pesados. 

GENGIVA INFLAMADA NA GRAVIDEZ


A gengivite, caracterizada pela inflamação e sangramento das gengivas ao escovar os dentes,
é uma situação muito comum durante a gravidez, especialmente devido às alterações
hormonais que acontecem após o segundo mês de gestação, que tornam as gengivas mais
sensíveis.
No entanto, a gengivite durante a gravidez não é grave e nem é indicativo de má higiene bucal.
Normalmente o dentista recomenda que a mulher continue realizando a higienização bucal
corretamente e, caso os sintomas continuem a aparecer, pode ser indicado o uso de creme
dental para dentes sensíveis, por exemplo.

Principais sintomas
A gengivite na gravidez, normalmente, não é sinal de má higiene bucal, podendo acontecer
mesmo quando o nível de bactérias está normal e a grávida escova corretamente os dentes.
Os principais sintomas incluem:
 Gengivas vermelhas e inchadas;
 Sangramento fácil das gengivas ao mastigar ou escovar os dentes;
 Dor intensa ou constante nos dentes;
 Mau hálito e sensação de mau gosto na boca
A gengivite deve ser tratada o mais rápido possível, pois se continuar se desenvolvendo, pode
levar ao surgimento de complicações como risco aumentado de parto prematuro ou de baixo
peso, do bebê, à nascença.
O que fazer em caso de gengivite
Em caso de gengivite durante a gravidez, o mais recomendado é manter os bons hábitos de
higiene bucal, escovando os dentes pelo menos 2 vezes por dia e com uma escova de cerdas
macias, passar fio dental 1 vez por dia e utilizar um enxaguante bucal sem álcool depois de
escovar os dentes.
Porém, se a gengivite continuar se agravando ou a dor e o sangramento nas gengivas
continuarem acontecendo, é aconselhado consultar um dentista, pois também pode ser
necessário fazer uma limpeza profissional da placa de bacteriana.
Em alguns casos pode ser que o dentista recomende o uso de um creme dental para dentes
sensíveis, como o Sensodyne, por exemplo, e o uso de um fio dental extremamente fino, para
diminuir a irritação e as chances de sangramento da gengiva.
Após o bebê nascer é recomendado que a mulher volte ao dentista para que este veja se a
gengivite não voltou ou se não há outros problemas dentários como cáries, necessitando de
obturação ou canal.

DOR DE DENTE NA GRAVIDEZ


A dor de dente é relativamente frequente na gravidez e pode surgir de forma repentina e durar
horas ou dias, afetando o dente, o maxilar e até causando dor de cabeça e de ouvido, quando
a dor é muito forte. É importante que assim que surgir a dor, a gestante vá ao dentista para que
se possa identificar a causa e iniciar o tratamento caso haja necessidade.
Geralmente, a dor de dente na gravidez é causada pelo aumento da sensibilidade dentária e
pela gengivite, que é a inflamação da gengiva, que é comum durante esta fase. Mas a dor
também pode estar relacionada a outras causas como dente quebrado, abcesso ou dente do
siso crescendo.

O que fazer para aliviar a dor de dente na gravidez


Para aliviar a dor de dente na gravidez o que se pode fazer é:
 Usar anestésicos como Paracetamol ou Ibuprofeno de 8 em 8 horas. Apesar de
alguns medicamentos serem capazes de atravessar a barreira placentária, não
estão relacionados com efeitos sobre o bebê, porém é importante que o seu uso
seja indicado pelo dentista. Outros anestésicos, como a Benzocaína, por exemplo,
pode trazer graves complicações para o bebê, pois consegue diminuir a
circulação placentária, impedindo que quantidade suficiente de oxigênio chegue
para o bebê, o que pode causar o óbito do bebê.
 Fazer bochechos com água morna e sal ajudam a aliviar a dor, além de serem
seguros para a gestante;
 Utilizar pasta para dentes sensíveis, como Sensodyne ou Colgate Sensitive, no
entanto é recomendado que a pasta não contenha flúor ou que contenha poucas
quantidades, pois o flúor em excesso pode diminuir a absorção de minerais
essenciais para a gestação, podendo trazer complicações para o bebê;
 Aplicar gelo, protegido com um pano, sobre o rosto, já que ajuda a aliviar a dor e
o desconforto.
Apesar da ida ao dentista ser um assunto delicado para muitas gestantes e dentistas, inclusive,
é muito importante que a mulher continue com a ida regular ao dentista para que a saúde da
boca seja mantida. Quando o tratamento recomendado pelo dentista é feito conforme a sua
orientação, não há qualquer risco para a mãe ou para o bebê.
É importante que a gestante vá ao dentista assim que sentir dor de dente para verificar a causa
e, assim, iniciar o tratamento ou realizar limpeza, obturação, tratamento de canal ou extração
do dente, que são tratamentos que também podem ser realizados durante a gestação. O
dentista também pode recomendar o uso de antibióticos caso verifique que haja necessidade,
podendo ser indicado o uso de Amoxicilina, Ampicilina ou antibióticos da classe dos
macrolídeos, sendo esses medicamentos seguros durante a gestação.
Remédio natural para dor de dente
Para aliviar a dor de dente em casa pode-se mascar 1 cravo-da-índia ou bochechos com o chá
de macela e própolis, pois têm efeito anti-inflamatório. Além disso, um bom remédio natural
para dor de dente é aplicar uma compressa de salsinha no dente afetado, já que este possui
propriedades anti-inflamatórias que podem ajudar a aliviar a dor de dente.
Principais causas da dor de dente
Geralmente, a dor de dente é provocada pela presença de cárie em um dente, especialmente
quando a higiene bucal não é feita de forma adequada. No entanto, existem outras causas para
a dor de dente que incluem:
 Gengivite: Uma inflamação causada pelo aumento da progesterona na gravidez,
que levam ao sangramento durante a escovação dos dentes;
 Dente quebrado: a rachadura do dente pode não ser visível a olho nu, porém
pode provocar dor em contato com alimentos quentes ou frios;
 Abcesso: provoca o surgimento de um inchaço na boca devido à infecção de um
dente ou da gengiva;
 Dente do siso: provoca a inflamação da gengiva e, normalmente, é
acompanhado de dor de cabeça e de ouvido.
Quando a dor de dente não passa, a pessoa deve consultar um dentista, pois pode ser
necessário tomar remédios como antibiótico, para tratar a infeção ou fazer limpeza, obturação,
tratamento de canal ou extração do dente. As causas de dor de dente podem provocar lesões
graves na polpa do dente e, nesses casos, é necessário fazer o tratamento do canal da raiz do
dente no dentista.