Você está na página 1de 36

Revista do abr-jun 2014

Recursos para Líderes de Igreja


Exemplar Avulso: R$ 6,98. Assinatura: R$ 22,20

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


VANDIR
Designer

Editor

Missio Dei C.Qualidade

Depto. Arte

29793_Anciao2T14.indd 1 25/02/14 09:51


DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
Revista do

Você está bem?


Recursos para Lídere

Uma publicação
Igreja Adventista do Sé

Ano 14 – No 54 – Abr-J
Revista Trimestral – ISSN

Editor:
Nerivan Silva
Assistente de Edit

N
Lenice Faye San
osso coração está confiante no Senhor – É a res- De acordo com John Crosby, um executivo america-
Projeto Gráfico e Program
posta que damos, minha esposa Elizabete e eu, no citado pela Sociedade de Gerenciamento de Recursos Vandir Dorta J
Imagem da Cap
com o William (8 anos) e a Elise (6 anos), nossos fi- Humanos, “ter um mentor é ter mais ideias disponíveis. Ilustração de Jo C

lhos, quando perguntados sobre o novo desafio como Se- Ter um ouvido que o ouça é um estímulo para seguir na Colaboradores Espe
Carlos Hein e Herber
cretário Ministerial Assistente da Divisão Sul-Americana. direção correta”. Assim como todo Davi deveria ter um
Temos uma base bíblica em nossa vida: “Confia”, “entre- Natã para abrir-lhe os olhos diante do seu pecado. Colaboradores
Jonas Arrais; Edilson Valia
ga” e “descansa” que são as primeiras palavras dos versos Um pregador que converteu três mil pessoas teve vão; Jair Garcia Gois; Leon
Geovane Souza; Antônio M
3, 5 e 7 do Salmo 37. Jesus, que sempre acreditou no que alguém é capaz Júnior; Horacio Cayrus; Euf
Salomón Arana; Bolivar A
Amamos esta igreja e dedicamos nossa vida ao ser- de se tornar. O apóstolo Paulo teve um Barnabé, que se Romero Marín; Pablo Elías
Caetano; Carlos San
viço dela. Ver famílias, líderes e anciãos felizes e apaixo- arriscou pela certeza de canalizar todo potencial para a
Diretor Geral:
nados por Jesus faz parte de nossa maior alegria. Ellen G. direção correta. José Carlos de Li
Diretor Financei
White escreveu: “Queremos homens que caminhem com Quero sugerir algo mais: a formação de uma dupla Edson Erthal de Med
Redator-Chefe
Deus diariamente, que tenham uma conexão viva com o ou de um Pequeno Grupo de três pessoas experimenta- Rubens S. Less
Céu. O Senhor não pode trabalhar com os autossuficien- das para orar por seu pastor constantemente. A revela-
Visite o nosso si
tes, que exaltam a si mesmos. O eu deve ser escondido ção de Deus através de Ellen G. White nos mostra isso na www.cpb.com.

em Jesus” (El Ministério Pastoral, p. 21). prática. “Feliz é o pastor que tem um fiel Arão e Ur para Serviço de Atendim
ao Cliente:
“Como está seu coração?” Muitas pessoas, inclusive fortalecer suas mãos quando se tornam cansadas, e sus- sac@cpb.com.b

anciãos de igreja, dão a seguinte resposta: “Não aguento tentá-las por meio de fé e oração. Tal apoio é uma ajuda Revista do Ancião na
www.dsa.org.br/an
mais!” Logo depois, muitas coisas vêm à tona. Entre elas: poderosa aos servos de Cristo em Sua obra, e frequente-
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

Todo artigo ou correspon


cansaço, falta de tempo para família, falta de cuidado mente fará a causa da verdade triunfar gloriosamente. a Revista do Ancião deve
com a saúde. Cada ancião precisa estar ligado a um ami- Aqueles que amam o Senhor e Sua verdade se unam a para o seguinte end
Caixa Postal 2600; 70279-9
go com quem possa conversar livremente para abrir o grupos de dois ou de três para buscar lugares retirados DF ou e-mail: ministerial@

coração com sinceridade e confiança, para receber força para orar pedindo a bênção de Deus sobre o pastor…”
e orientação para os desafios da vida. (El Ministerio Pastoral, p. 57, 58).
Ao mesmo tempo, cada ancião precisa de outro an- Creio nesta linda promessa de que a oração “fará a
cião, um líder que se torne seu mentor. E cada ancião causa da verdade triunfar gloriosamente”. Estes, Arão e
CASA PUBLICADORA BR
deveria fazer o mesmo com alguém, no processo do dis- Ur, modernos podem fazer grande diferença um pelo Editora dos Adventistas do
Rodovia Estadual SP 12
cipulado. Daniel Levinson, psicólogo norte-americano, outro e por seu pastor em seus encontros semanais de Caixa Postal 34; 18270-97
conduziu, nos EUA, uma pesquisa entre profissionais oração. Eles podem se encontrar antes ou após o culto
Tiragem: 44.500 exem
bem-sucedidos de várias áreas. Todos enfatizaram a na igreja ou em uma casa também.
Exemplar Avulso: R
VANDIR decisiva importância que a figura do mentor teve em de- Experimente! Caso ainda não tenha, busque um men- Assinatura: R$ 22
Designer
terminada fase de sua carreira. O conceito de mentorea- tor, um amigo verdadeiro e seja também um mentor e
mento ainda não existia, mas a pessoa, sim. amigo leal. Que as bênçãos dos Céus fluam para você!
Editor

C.Qualidade
Herbert Boger Todos os direito
Proibida a repro
Secretário Associado da parcial, por qua
prévia autorizaç
Depto. Arte Associação Ministerial da autor e da Edito
Divisão Sul-Americana
Divulgação DSA

2 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 2 25/02/14 09:51


EDITORIAL
Revista do

Convicção do
Recursos para Líderes de Igreja

Uma publicação da
Igreja Adventista do Sétimo Dia

Ano 14 – No 54 – Abr-Jun 2014

chamado
Revista Trimestral – ISSN 2236-708X

Editor:
Nerivan Silva
Assistente de Editoria:
Lenice Faye Santos
utivo america-
Projeto Gráfico e Programação Visual:
o de Recursos Vandir Dorta Jr.
Imagem da Capa:
s disponíveis.

C
Ilustração de Jo Card

para seguir na Colaboradores Especiais: aro ancião:


Carlos Hein e Herbert Boger
everia ter um O apóstolo Paulo demonstrou profunda convicção de seu chama-
pecado. Colaboradores:
Jonas Arrais; Edilson Valiante; Jim Gal-
do para o ministério em favor das pessoas. Ele afirmou: “Eu não o rece-
pessoas teve vão; Jair Garcia Gois; Leonino Santiago; bi [o evangelho] de homem algum, mas mediante revelação de Jesus Cristo”
Geovane Souza; Antônio Moreira; Eliezer
uém é capaz Júnior; Horacio Cayrus; Eufracio Quispe; (Gl 1:12). E foi assim que ele encerrou seu pastorado, ao dizer: “Combati o bom
Salomón Arana; Bolivar Alaña; Daniel
rnabé, que se Romero Marín; Pablo Elías Carbajal; Jeu combate, completei a carreira, guardei a fé” (2Tm 4:7). Que confiança!
Caetano; Carlos Sanchez.
tencial para a Nesta edição, você vai encontrar uma entrevista com o Pr. Herbert Boger, secre-
Diretor Geral:
José Carlos de Lima tário associado da Associação Ministerial da Divisão Sul-Americana, na qual ele fala
Diretor Financeiro:
de uma dupla Edson Erthal de Medeiros
da influência do ancião em seu ministério pastoral. Ele diz: “Na igreja local, o ancião,
Redator-Chefe:
experimenta- Rubens S. Lessa
como colaborador de todos os departamentos, motiva e inspira os demais líderes.”
nte. A revela- Na seção Igreja em Ação, o Pr. Everaldo Carlos, que atua como pastor distrital na
Visite o nosso site:
mostra isso na www.cpb.com.br região sul do Brasil, traz um artigo muito interessante, intitulado Missio Dei (Missão de
Arão e Ur para Deus). Nele, fundamentado na
Serviço de Atendimento
ao Cliente: Você foi chamado por Deus para
nsadas, e sus- sac@cpb.com.br Bíblia, no Espírito de Profecia e
o é uma ajuda Revista do Ancião na Internet: em missiólogos, ele desenvol- conduzir pessoas ao Céu.
www.dsa.org.br/anciao
, e frequente- ve o pensamento missiológico que deve alcançar a igreja. Ele cita a declaração de Allan

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


Todo artigo ou correspondência para
loriosamente. a Revista do Ancião deve ser enviado
Hirsch: “Quando a igreja está em missão é a verdadeira igreja. A missão de Deus flui
de se unam a para o seguinte endereço:
Caixa Postal 2600; 70279-970, Brasília,
diretamente por meio de cada cristão e de cada comunidade de fé que aceita a Cristo.”
ares retirados DF ou e-mail: ministerial@dsa.org.br Ainda estamos praticamente no início de 2014. Como anciãos, podemos manter
e o pastor…” aquecidas as turbinas do evangelismo em nossas igrejas. Aproveite os eventos da
igreja a fim de preparar pessoas para trabalhar na obra evangelística.
oração “fará a Naturalmente, para que você, ancião, desenvolva liderança espiritual e tenha um
Estes, Arão e envolvimento de ampla dimensão no evangelismo, o apoio e companheirismo da
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
ença um pelo Editora dos Adventistas do Sétimo Dia
esposa é fundamental. Na seção De Mulher Para Mulher, você vai encontrar um forte
Rodovia Estadual SP 127, km 106
semanais de Caixa Postal 34; 18270-970, Tatuí, SP
incentivo nesse aspecto: “Na igreja, o trabalho do ancião está relacionado com sua
após o culto vida familiar, envolvendo esposa e filhos, bem como sua vida espiritual. Caso contrá-
Tiragem: 44.500 exemplares
rio, não estará apto para o desempenho de tão importante obra (ver 1Tm 3:2, 4, 5).
Exemplar Avulso: R$ 6,98
sque um men- Assinatura: R$ 22,20 De fato, há muito o que fazer. À medida que o mundo se aproxima do fim, VANDIR
Designer
um mentor e sendo líderes do rebanho do Senhor, à semelhança do apóstolo Paulo, precisamos
para você! fortalecer nossa convicção do chamado.
Editor

C.Qualidade
Todos os direitos reservados. Nerivan Silva
Proibida a reprodução total ou
parcial, por qualquer meio, sem Editor
prévia autorização escrita do
autor e da Editora. Depto. Arte
William de Moraes
Divulgação DSA

7179/29793

Revista do Ancião abr-jun 2014 3

29793_Anciao2T14.indd 3 25/02/14 09:51


SUMÁRIO
Aquisição da Revista do Ancião
O ancião que desejar adquirir esta revista
deve falar com o pastor de sua igreja ou com o
ministerial do Campo.
2 De Coração a Coração
Você está bem?
3 Editorial
Convicção do chamado
4 Sumário e Agenda 25 Finanças
Administração sábia
5 Entrevista
O ancionato da perspectiva pastoral 26 Ministério Jovem
Conectados com Deus
9 Especial
Evangelismo público 28 Música Sacra
Impressiona poderosamente o coração
10 Pregação Objetiva
com as verdades espirituais
Sermão temático
29 Guia de Procedimento
12 Mídia na Igreja
Reuniões administrativas da igreja
Recebendo os amigos
30 Relacionamentos
13 Mensagem do Presidente
O ancião e o evangelismo
A melhor solução
31 Perguntas & Respostas
15 Esboços de Sermões
Compreendendo o Apocalipse
Amplie os esboços com ilustrações e comentários
33 Saúde
22 Igreja em Ação
A culinária da contracultura
Missio Dei
34 De Mulher para Mulher
A esposa do ancião

O
pa
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

tu
Te
seu Mest
drews Un
pastor di
vários lug
10 30 Nos últim
função de
CALENDÁRIO Paranaens
Data Evento Boger é se
Sábado 5 Programa da Igreja Local da Divisão
Sábado 12 Dia dos Amigos da Esperança
VANDIR Abril Elizabete
Designer
Sábado 19 Semana Santa (Domingo 13-Domingo 20) e Batismo das Primícias
Sábado 26 Programa da Igreja Local

Sábado 3 Programa da Igreja Local


Ancião: Q
Editor
Sexta-Domingo 9-11 Fim de semana da Família Associaçã
Maio Sábado 17 Programa da Igreja Local anciãos?
Sábado 24 Dia da Criança Adventista e Aventureiro
C.Qualidade
Sábado 31 Impacto Esperança Pr. Herbe
ao trabalh
Sábado 7 Programa da Igreja Local
Depto. Arte Sábado 14 Programa da Igreja Local ção Minis
Junho
Sábado 21 Dia do Ancião anciãos, p
Sábado 28 Programa da Igreja Local
materiais

4 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 4 25/02/14 09:51


ENTREVISTA

pr. Herbert Boger Jr.

O ancionato
da perspectiva
Cedida pelo entrevistado
pastoral

O
pastor Herbert Boger Jr. é na- deles. Isso inclui o fortalecimento espiri- Participou de vários projetos de Mis-

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


tural de Ijuí, RS. É graduado em tual de suas famílias, seu estilo de vida e são Global na implantação de igrejas
Teologia pelo UNASP e obteve seu papel como discipuladores apaixo- em diferentes áreas geográficas. Sua
seu Mestrado em Liderança pela An- nados por Cristo e Sua Igreja. Creio que vida era a igreja. Costumava promover
drews University e UNASP. Atuou como esse empenho pelos anciãos produz atividades recreativas para os jovens e
pastor distrital e departamental em líderes espirituais cuja influência con- suas famílias, realizava cultos de pôr do
vários lugares na região Sul do Brasil. tribui significativamente para o cumpri- sol nas casas dos irmãos e desenvolvia
Nos últimos três anos, desempenhou a mento da grande comissão que nos foi um programa de visitação aos mem-
função de presidente na Associação Sul- confiada por Cristo (ver Mt 28:18-20). bros da igreja. Além disso, se envolvia
Paranaense. Atualmente, o Pr. Herbert com as séries evangelísticas, minis-
Boger é secretário ministerial associado Pastor, fale um pouco da influência do trando cursos bíblicos. Ele participa-
da Divisão Sul-Americana. É casado com ancionato em seu ministério. va de tudo isso com alegria. Sempre
Elizabete Rocha Boger e tem dois filhos. Meu ministério teve uma influên- separava algumas horas no sábado e VANDIR
Designer
cia muito positiva do ancionato da domingo para passearmos em família.
Ancião: Quais são seus planos para a igreja. De fato, aprendi muito com os Meu avô também foi um ancião dedi-
Associação Ministerial em relação aos anciãos ao conduzir o rebanho do Se- cado. Agradeço a Deus por ter levan- Editor

anciãos? nhor. Sem dúvida, meu pai foi a maior tado esses e outros anciãos para me
Pr. Herbert: Pretendo dar continuidade influência como ancião em minha vida inspirar no ministério pastoral. Hoje, C.Qualidade

ao trabalho feito até aqui pela Associa- e no meu ministério. Era um homem eles dormem, aguardando o ressoar da
ção Ministerial em favor dos queridos extremamente denominacional. Como trombeta quando ouvirão as seguintes Depto. Arte

anciãos, principalmente na produção de ancião, sempre procurava apoiar os palavras: “Vinde, benditos de Meu Pai!”
materiais e ferramentas para o dia a dia projetos, programas e cultos da igreja. (Mt 25:34).

Revista do Ancião abr-jun 2014 5

29793_Anciao2T14.indd 5 25/02/14 09:51


Em sua opinião, o que torna o trabalho movido e incentivado pelos anciãos, nicas de visitação, Teologia, História da
do ancião mais eficaz na congregação? bem como o plano mundial de leitura Igreja envolvendo sua estrutura e pro-
Para mim, dois aspectos são funda- da Bíblia Reavivados por Sua Palavra, pósitos e o Manual da Igreja.
mentais: sua conduta espiritual e sua Seminário de Enriquecimento Espiritual
competência como líder comprometi- e as Meditações Diárias. Outro elemento Fale um pouco do relacionamento do
do com a igreja local. importante é o incentivo às famílias da pastor com o ancião.
igreja para a realização do culto familiar. Cristo orou pela unidade da igreja
Que tipo de apoio o senhor pretende (ver João 17). Pessoalmente, vejo nessa
dar ao ancionato da igreja na América Mencione algumas maneiras de como oração a harmonia que deve caracte-
do Sul? o ancião poderá contribuir de modo rizar o relacionamento pastor-ancião,
Nos encontros de capacitação, da- eficaz para as campanhas evangelís- embora ambos vejam as situações de
rei ênfase ao papel do ancião na igreja ticas da igreja. perspectivas diferentes. A igreja pre- Conheç
local. Além disso, o site da Associação Na igreja local, o ancião, como co- cisa viver esse clima de lealdade entre
Ministerial disponibilizará bons ma- laborador de todos os departamentos, o pastor e o ancionato e vice-versa. As
teriais para que os anciãos supram as motiva e inspira os demais líderes. Seu pequenas reuniões que antecedem as
necessidades dos demais líderes de acompanhamento desempenha papel comissões são oportunidades para que
suas igrejas. Entre esses materiais, que- importante na realização dos projetos pastor e anciãos amadureçam e desen-
ro destacar: a Revista do Ancião que da igreja. Uma campanha evangelística volvam consenso a respeito de algum
tem sido excelente ferramenta para o é fruto de bom planejamento do Minis- assunto. Porém, a unidade da igreja
ancião, o novo Guia para o Ancião nes- tério Pessoal. Este possui uma lista de repousa sobre bases espirituais. Nesse
te ano com Power Point e DVD’s com amigos que estão recebendo estudos aspecto, a consagração é fator primor-
capacitação teológica. bíblicos, participando de pequenos dial na vida do pastor e dos anciãos.
grupos, matriculados nas várias classes “Feliz é o pastor que tem um fiel Arão
De que forma o ancião pode exercer bíblicas (adultos, juvenis, desbravado- e Ur para fortalecer suas mãos quando
sua liderança espiritual? res, ASA) e pessoas que acompanham se tornam cansadas, e sustentá-las por
Como líder espiritual, o ancião é re- a programação da Rede Novo Tempo. meio da fé e da oração. Tal apoio é uma
ferência na família e na igreja. “Na au- Penso que, ao acompanhar todo esse ajuda poderosa aos servos de Cristo em
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

sência do pastor, os anciãos são os líde- processo, o Ancião contribui significa- Sua obra, e frequentemente fará a cau-
res espirituais da igreja e por preceito e tivamente para boas campanhas evan- sa da verdade triunfar gloriosamente.
exemplo devem procurar conduzi-la a gelísticas com farta colheita. Aqueles que amam o Senhor e Sua ver-
uma experiência cristã mais profunda e dade se unam a grupos de dois ou de
completa” (Manual da Igreja, p. 75). Isso Que tipo de treinamento o senhor gos- três para buscar lugares retirados para
envolve bom senso, tato, enfim, os fru- taria que os anciãos recebessem? orar pedindo a bênção de Deus sobre
tos do Espírito. Conhecimentos de natureza prática. o pastor” (Ellen G. White, El Ministerio
Liderança cristã, a arte da pregação, téc- Pastoral, p. 57, 58).
Quais contribuições o ancião pode dar Cedida pelo entrevistado

para melhorar a vida espiritual de sua


igreja?
VANDIR Muitas. Quero destacar algumas que
Designer
para mim são fundamentais: A igreja
possui um programa espiritual para a
Editor
vida de seus membros desde seu nas-
cimento. Este programa completou
C.Qualidade recentemente 160 anos. É isso mesmo.
Estou falando da Escola Sabatina. O es-
Depto. Arte tudo sistemático da Bíblia através das
Lições da Escola Sabatina deve ser pro-

Pr. Herbert Boger e família. *Horários de


6 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 6 25/02/14 09:51


istória da
ura e pro-

mento do

da igreja
ejo nessa
e caracte-
or-ancião,
ações de
greja pre- Conheça a história da mulher que foi inspirada por Deus
ade entre
-versa. As
cedem as
para que
e desen-
de algum
da igreja
ais. Nesse
or primor-
s anciãos.

otolia
fiel Arão

gem: F
s quando

i / Ima
tá-las por

ron
oio é uma

a
Mari B
Cristo em

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


ará a cau-
samente.
e Sua ver-
ois ou de
ados para
eus sobre
Ministerio
Cedida pelo entrevistado

VANDIR
Designer

Editor

C.Qualidade

Depto. Arte
Ligue: Acesse:
/casapublicadora 0800-9790606* www.cpb.com.br
*Horários de atendimento: Segunda a quinta, das 8h às 20h / Sexta, das 8h às 15h45 / Domingo, das 8h30 às 14h

29793_Anciao2T14.indd 7 25/02/14 09:51


Eva
Com cr
grande

D
esde s
do Sét
algum
público. De fa
lístico público
não deveria s
século 21, ma
meio de levar
sendo parte vi

Definição d
Evangelism
volve semead
termos mais
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

nido como o
para Cristo e
madas em dis
ja comprome
contexto, é
para que o e
êxito. No todo

Propósito
público
Ao longo d
VANDIR adventista, o
Designer
riu a várias ex

Editor

C.Qualidade

Depto. Arte
Divulgação DSA

29793_Anciao2T14.indd 8 25/02/14 09:51


especial

Evangelismo público
Com critério e sabedoria, ele ainda é uma
grande rede a ser lançada ao mar

D
esde seu início, a Igreja Adventista Muitos “profetizaram” sua extinção. A missão evangelística não termina
do Sétimo Dia está envolvida, de Entretanto, em pleno século 21 ele con- com o batismo, mas continua até que as
alguma forma, em evangelismo tinua a ter apoio significativo e sucesso. pessoas assimilem o discipulado e es-
público. De fato, um movimento evange- Lamentavelmente, um de seus maiores tejam prontas para a volta de Jesus. Foi
lístico público foi seu marco inicial. Então, problemas é a tendência de muitos afir- pensando nisto que os Depositários das
não deveria ser surpresa que, em pleno marem que ele é o único tipo de evange- Publicações de Ellen G. White escreve-
século 21, mais de 150 anos depois, esse lismo ao qual a igreja deve se dedicar. ram: “Evangelismo, o próprio coração do
meio de levar pessoas a Cristo continue Dessa forma, uma igreja irá cumprir cristianismo, é o tema de importância
sendo parte vital do ministério adventista. seu programa regular, durante o ano, capital para quantos são chamados a fim
com pouca ênfase evangelística e então de proclamar a derradeira mensagem de
Definição de evangelismo esperar que as pessoas estejam expos- advertência que Deus faz ao mundo con-
Evangelismo é um processo que en- tas à mensagem adventista, creiam nela denado. Estamos nos últimos instantes
volve semeadura, cultivo e colheita. Em o suficiente para ser batizadas, unam-se da História deste planeta obscurecido
termos mais amplos, ele pode ser defi- à igreja, e façam todas as mudanças de pelo pecado, e a mensagem do advento,

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


nido como o processo de atrair pessoas estilo de vida requeridas, e tudo isso, em com o objetivo de preparar o povo para a
para Cristo e capacitá-las a ser transfor- poucas semanas. volta do Senhor, precisa atingir todos os
madas em discípulos e membros de igre- Obviamente, esse modelo não funcio- confins da Terra” (Evangelismo, p. 5).
ja comprometidos com a missão. Nesse na. E sempre que as igrejas tentam realizar A existência da igreja está acopla-
contexto, é necessário muito preparo esse tipo de evangelismo, normalmente da ao evangelismo (ver Mt 28:18-20;
para que o evangelismo público tenha fracassam. O evangelismo público deve Mc 1:35-39; At 1:8 Ap 14:6, 7). Tire o evan-
êxito. No todo, ele é parte da colheita. ser visto como, de fato, ele é: uma colheita. gelismo da igreja e ela se tornará um clube
Você não pode colher a não ser que tenha social. A igreja é um poderoso movimento
Propósito do evangelismo semeado. Se o processo de preparação missionário sustentado e motivado para
público das pessoas ocorrer com antecedência, a ação por Cristo, sua pedra fundamental.
Ao longo de sua história, no contexto então o evangelismo público se torna Seu propósito é ganhar pessoas para Cristo.
adventista, o evangelismo público ade- uma excelente estratégia que pode alcan- A igreja não tem razão de ser a menos que VANDIR
Designer
riu a várias expressões e níveis de apoio. çar muitas pessoas para o reino de Deus. lance suas redes para alcançar os peixes
Há pessoas dispostas a semear e cul- que povoam o grande mar da humanidade.
tivar, mas nem sempre a colher. Não ha- Sua igreja possui mentalidade evan- Editor

ver a colheita se torna mais perigoso para gelística? Os membros de sua igreja são
Luís Gonçalves a salvação das pessoas do que a tentativa comprometidos com a missão? Lembre- C.Qualidade

Evangelista da Divisão do evangelismo público de buscar colher se: Não basta ser adventista, tem que ser
Sul-Americana
aquilo que não foi semeado ou atropelar evangelista! Em 2014 o evangelismo ofi- Depto. Arte
Divulgação DSA

o processo de preparação das pessoas. cial será sobre A ÚNICA ESPERANÇA.


Ambas as situações estão equivocadas. Participe!

Revista do Ancião abr-jun 2014 9

29793_Anciao2T14.indd 9 25/02/14 09:51


PREGAÇÃO OBJETIVA
isso também

Sermão temático
superficiais, a
preparar um
espaço de tem
ou quatro fra
ço de papel o

Em nossas igrejas e em muitas denominações evangélicas apenas com s


esse método.
é o tipo de sermão predominante 4. Temas
atraentes, são
e apresentado
dade, enfoqu
e publicidade
jáveis vistas c
sermões tem
nesse tipo de
dos sermões t

Pontos fráge
1. O pre
mensagem d
descartando o
2. Depen
unidade pod

N
a publicação anterior desta se- então busca textos bíblicos para formar Como nos demais tipos de sermões, o tificial e, o p
ção, começamos a tratar da es- as divisões principais que vão apoiar o método do sermão temático tem pontos discurso relig
trutura do sermão. É óbvio que tema escolhido. Assim, o tema, o tópi- fortes e outros frágeis: mais um serm
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

o conteúdo é o mais importante. Mas co ou o assunto (essas três palavras têm muitos prega
se o melhor conteúdo for trazido diante o mesmo significado, e não devem ser Pontos fortes: preparar, ou
de uma congregação de modo caótico e confundidas com o título) é o que dá ori- 1. Permite ao pregador discutir qual- temente para
desorganizado só vai resultar em frustra- gem a esse tipo de sermão. Dependendo quer assunto que julgar necessário. Ele elaborado.
ção. Isso se deve ao fato de que a estru- de seus objetivos, da necessidade ou da observa as necessidades de sua congre- 3. O preg
tura é o elemento que dá coesão, ordem, lógica do tema, o pregador propõe um gação e elabora um sermão que vai ao municador e a
dinamismo e fluidez aos argumentos. esboço que direcione, organize e condu- encontro dessas necessidades. Se um ma. Entretant
Portanto, antes que o pregador tenha za seu sermão desde a primeira tentativa ou dois textos bíblicos não tratam de to- dos jornais di
acesso ao coração de seus ouvintes, ele em captar a atenção dos ouvintes até o dos os aspectos que ele deseja abordar, qual ele assis
precisa se preparar adequadamente a apelo final. busca na Bíblia e reúne todos os textos uma emocion
fim de que sua mensagem seja forte, ob- A principal diferença entre o ser- necessários para apoiar sua mensagem. tração. As pes
VANDIR jetiva, graciosa e compatível. Um aspecto mão temático e o textual é que naque- 2. Favorece a unidade. Depois de es- até responder
Designer
importante desse preparo é a organiza- le, o tema vem primeiro e, em seguida, colher e delimitar muito bem seu tema, o foi chamado
ção de seu sermão. Já mencionamos os os textos bíblicos. Por ser considerado pregador pode se manter absolutamente
Editor
sermões textuais (aqueles cuja estrutura o sermão mais fácil de ser elaborado, fiel a seus objetivos, sistematizando e or-
corresponde à ordem das partes de um ele é mais adequado para a apresen- ganizando seus argumentos para chegar
C.Qualidade texto bíblico, extraindo desse texto as tação das doutrinas, principalmente ao fim desejado.
ideias principais). em séries evangelísticas. O sermão te- 3. Parece fácil. Por essa razão, se
Fotografia: William de Moraes

Depto. Arte Outro tipo conhecido de sermão é o mático predomina largamente em nos- torna o tipo de sermão preferido pelos
William de Moraes

temático. Trata-se daquele sermão em sas igrejas e em muitas denominações pregadores principiantes e por aqueles
que o pregador determina o assunto e evangélicas. que não têm formação teológica. É por

10 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 10 25/02/14 09:51


isso também que alguns pregadores de Deus, mas agiu como um ator, hábil, 2. Faça um esboço inicial, indicando
superficiais, apressados e que desejam esperto e enganoso. Os efeitos dessa as áreas relacionadas com o tema e em
preparar um sermão em um curtíssimo “pregação” duram muito pouco. que ordem pretende abranger.
espaço de tempo; anotando apenas três 4. Embora a atualidade, o enfoque 3. Selecione os melhores textos bíbli-
ou quatro frases em um pequeno peda- no que é novo, a variedade e publicida- cos que ajudam na compreensão de cada
ço de papel ou que vão para o púlpito de sejam boas características, pessoal- área.

as apenas com sua Bíblia; são atraídos por


esse método.
mente, acho que elas não estão ligadas
à essência da pregação temática. Elas são
4. Verifique se o uso ou a interpreta-
ção que pretende dar em cada caso está
4. Temas atuais, com títulos muito destacadas nesse tipo de sermão pelo de acordo com o contexto bíblico.
atraentes, são mais facilmente elaborados fato de que os pregadores que preferem 5. Anote e coloque em ordem todas
e apresentados com esse método. Atuali- fundamentar seus sermões num texto as ideias complementares, inserindo-as
dade, enfoque no que é novo, variedade bíblico ou numa passagem mais ampla no esboço.
e publicidade são características dese- se apegam extremamente ao ambiente 6. Adicione as citações, as ilustrações,
jáveis vistas com muita frequência nos bíblico, às nuances do texto e suas apli- os comentários e outras “janelas” que
sermões temáticos. Elas aparecem mais cações mais convencionais. Não gastam vão acrescentar luz e brilho ao sermão.
nesse tipo de sermão do que na maioria tempo e energia para relacionar o tex- 7. Elabore, na forma final, as senten-
dos sermões textuais ou expositivos. to bíblico com as necessidades atuais e ças que definem os tópicos principais de
criar títulos pertinentes e interessantes, maneira que demonstrem unidade e re-
Pontos frágeis: anunciando-os com antecedência para lação entre as partes. Exemplo:
1. O pregador pode manipular a que mais ouvintes sejam atraídos. Em vez
mensagem da Bíblia, adicionando ou de tentar atalhos, creio que vale a pena Tema: O perdão
descartando os textos como lhe convém. ouvir o conselho de James Black. Ele afir-
2. Dependendo do pregador, essa ma: “No início de sua experiência como Tópicos
unidade pode ser completamente ar- pregador, não escolha ‘assuntos’, a não I. O que é o perdão
de sermões, o tificial e, o pior: não bíblica. Um belo ser para ocasiões especiais. Tome a pas- II. Como praticar o perdão
o tem pontos discurso religioso ou palestra, porém, ja- sagem, o texto ou o incidente que esco- III. Resultados do perdão
mais um sermão. Outro problema é que lheu e deduza a conclusão e a mensagem 8. Planeje a conclusão, inclusive o apelo.

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


muitos pregadores não conseguem se de suas premissas. Afinal, é o caminho 9. Prepare a introdução. Analise co-
preparar, ou não se preparam suficien- mais produtivo. ... Não tente apresentar mo você vai captar, de forma curta e
discutir qual- temente para apresentar um tema bem seus próprios pontos de vista mal digeri- objetiva, a atenção das pessoas para que
ecessário. Ele elaborado. dos sobre um grande tópico sem ligação elas se interessem pelo assunto a ser ex-
e sua congre- 3. O pregador pode ser um bom co- com a pedra de toque da verdade bíbli- posto e se disponham a acompanhá-lo
ão que vai ao municador e apresentar um belíssimo te- ca. Descubra as passagens adequadas e até o fim.
ades. Se um ma. Entretanto, fazendo uso de material construa sua mensagem a partir delas 10. Escolha o título do sermão, o
tratam de to- dos jornais diários, ou do último filme ao (The Mistery of Preaching, p. 153). nome pelo qual ele será conhecido,
eseja abordar, qual ele assistiu, ou ainda com base em anunciado e, possivelmente, lembrado
dos os textos uma emocionante experiência ou ilus- Passos para a elaboração de um por muito tempo. Em nenhuma hipóte-
mensagem. tração. As pessoas vão rir, chorar, vibrar e sermão temático se pode ser considerado a mesma coisa
Depois de es- até responder aos apelos de alguém que 1. Escolha o tema, a verdade a ser co- que o tema. Note que um foi definido no VANDIR
Designer
m seu tema, o foi chamado para interpretar a verdade municada. primeiro passo e o outro no último. Em
bsolutamente algum momento, no futuro, vamos dar
atizando e or- elementos para que você desenvolva a Editor

s para chegar habilidade de criar títulos adequados e


Márcio Dias Guarda interessantes. C.Qualidade

ssa razão, se Aposentou-se em 2012, após servir durante Quando estiver elaborando seu próxi-
Fotografia: William de Moraes

40 anos como editor na Casa Publicadora


eferido pelos Brasileira e pastor de igreja no Brasil. mo sermão, se quiser trocar ideias comigo, Depto. Arte
William de Moraes

e por aqueles escreva para: marcio.dg@uol.com.br


ológica. É por

Revista do Ancião abr-jun 2014 11

29793_Anciao2T14.indd 11 25/02/14 09:51


MÍDIA NA IGREJA

Recebendo os amigos Am
A mídia adventista prepara o caminho
para boa recepção na igreja
Ao surg
procure
e espír
R
eceber amigos em casa é ótimo tanto para quem é rece- 4. Se a visita ocorrer em um culto de domingo, valem as
bido quanto para quem recebe. Os milhares de congre- mesmas dicas da quarta-feira. No fim do culto, aproveite para
gações adventistas sul-americanas são a Casa de Deus conversar um pouco com essas pessoas. Tenha interesse em
em pequenas e grandes cidades de oito países que compõem o conhecê-las melhor sem deixar a impressão de invasão de pri-
território da Divisão Sul-Americana. vacidade.
Na Casa de Deus todos são bem-vindos e o objetivo da Igre- 5. Se a visita ocorrer em um culto de sábado, é importante
ja é atender da melhor maneira os que são impressionados pe- explicar como funcionam a Escola Sabatina (divisão por classes,
lo Espírito Santo a assistir a um culto, a pedir uma informação dinâmica da recapitulação do estudo da lição) e o momento do
nas congregações ou mesmo a entrar ali para ter uma devoção Culto Divino. No horário da Escola Sabatina, você ou alguém res-
silenciosa com o Senhor. Percebe-se que há alguns anos, mi- ponsável, pode acompanhar essa pessoa à classe das visitas, que
lhares de pessoas estão sendo impulsionadas a conhecer mais deve funcionar na igreja. Convide-o para o programa da tarde.
sobre a Bíblia Sagrada por meio dos programas e materiais 6. Se porventura, a visita ocorrer no Culto Jovem, sábado
produzidos pela Rede Novo Tempo de Comunicação (TV, Rádio, à tarde, envolva-o com a dinâmica do programa e explique os
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

Internet, Gravadora). objetivos daquele culto mais informal.


Essas pessoas, com o interesse despertado para o estudo da 7. É bom dar ao amigo visitante explicações sobre o fun-
Bíblia, procuram as igrejas em busca de paz, esperança e amor. cionamento da igreja. Mas, evite fazê-lo durante o culto, prin-
Por isso, é imprescindível que nos preparemos devidamente cipalmente na hora do sermão. Isso desviará sua atenção da
para receber esses amigos que já nos conhecem muito bem. mensagem do pregador.
Dicas importantes para uma boa recepção 8. Se possível, providencie material que explica o funciona-
1. Organize o Ministério da Recepção em sua igreja para que mento dos departamentos da Igreja Adventista local.
funcione em todos os programas regulares e especiais da igreja. 9. Lembre-se de anotar os dados (nome, telefone, e-mail) a
2. Assista e ouça a TV e Rádio Novo Tempo com alguma fim de que posteriormente seja feito um contato.
regularidade para saber de novos programas e novos apre- 10. Se achar prudente e for confiável, disponibilize para o
sentadores e assim manter um diálogo com esse grupo que é visitante (alguns solicitam) seus dados (e-mail, telefone). Muitos
profundo conhecedor da programação. Isso mostra simpatia e visitantes, dias depois, acabam fazendo contato para solicitar

A
VANDIR


Designer
interesse por aquilo que lhes chama a atenção. uma visita, estudos bíblicos e oração. pa
3. Se a visita de um telespectador da Rede Novo Tempo a
Editor
ocorrer em um culto de quarta-feira, crie um ambiente agradá- m
vel cumprimentando-o, verificando se possui um exemplar da tão forte,
C.Qualidade Bíblia para acompanhar o culto e, se possível, sente-se ao lado Rafael Rossi quando e
© WavebreakMediaMicro | Fotolia

dele. Diga-lhe que, se ele desejar, pode expressar seus pedidos Diretor do Departamento tisfeito co
de Comunicação da
Depto. Arte ou agradecimentos no momento apropriado. Divisão Sul-Americana culto de
Divulgação DSA

Como seu
que, usan

12 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 12 25/02/14 09:51


MENSAGEM DO PRESIDENTE
Erton Köhler

A melhor
solução
Ao surgir algum problema,
procuremos resolvê-lo com oração
e espírito amorável
ngo, valem as
proveite para
interesse em
nvasão de pri-

é importante
ão por classes,
momento do
u alguém res-
as visitas, que
ma da tarde.
ovem, sábado
e explique os

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


sobre o fun-
o culto, prin-
a atenção da

ca o funciona-
ocal.
one, e-mail) a

nibilize para o
efone). Muitos
para solicitar

A
VANDIR


Designer
partir de hoje, não devolvo mais meu dízimo!” Essa foi
a frase que ouvi de um membro da igreja poucas se-
manas atrás. Tentando entender o porquê de atitude Editor

tão forte, imaginei o pior dos cenários. Porém, fiquei surpreso


quando ele me disse que tudo aconteceu porque estava insa- C.Qualidade
© WavebreakMediaMicro | Fotolia

tisfeito com o modo pelo qual era realizada uma das partes do
culto de sábado e havia pedido ao pastor que a modificasse. Depto. Arte
Divulgação DSA

Como seu pedido não foi atendido, resolveu partir para o ata-
que, usando o dízimo para se vingar do pastor.

Revista do Ancião abr-jun 2014 13

29793_Anciao2T14.indd 13 25/02/14 09:51


A
Fiquei pensando: “Por que algumas não resolver seu problema, ainda preju- posto a atender toda oração em busca
pessoas tomam esse tipo de atitude?” En- dica toda a igreja. de sabedoria, paciência e ajuda. Por ou-
tendo que um pouco mais de habilidade Esse tema é muito mais sério do que tro lado, precisamos lembrar que somos
da parte do pastor poderia ter evitado o alguns imaginam e vai além das relações Seus representantes diante do mundo.
problema. Só um pouco mais de flexibili- pessoais abaladas, amizades desfeitas, Se não temos capacidade para conviver
dade para dialogar e modificar detalhes pessoas não valorizadas, atitudes impru- em harmonia e com espírito de tolerân- Introdução
da programação, e não haveria todo esse dentes ou mesmo equivocadas. Qual- cia e perdão, como vamos motivar ou- 1. Deus cham
sito especia
desconforto. Mas um erro justifica outro? quer atitude, mesmo que por motivos tros a sentir o desejo de fazer parte da
de uma gra
Seria essa a melhor solução? Quantas aparentemente justificáveis, que atinja família de Deus? 2. O cumprim
vezes essa história se repete em outras a “menina dos olhos de Deus”, é tomada Veja que exortação solene: “Aproxi- va diretame
situações? Um membro e um ancião dis- contra o próprio Deus. Isso é sério! Lem- mamo-nos do fim do tempo. Muitas serão familiar no
cutem e logo vem a sentença: “Não vou bre-se de que “fraca e defeituosa como as provações de fora, mas não permitam Gn 18:19).
mais pisar nesta igreja!” Alguém que não possa parecer, a igreja é o único objeto que venham de dentro da igreja” (Ellen G. 3. A principal
duzir seus
é eleito para algum cargo parte para o sobre o qual Deus concede em sentido White, Testemunhos Seletos, v. 2, p. 187).
sábio. O es
ataque: “Como o pastor não me escolheu, especial Sua suprema atenção” (Ellen G. Ao surgir algum problema, procu- ridade esta
vou complicar a vida dele. Ele vai ver com White, Atos dos Apóstolos, p. 12). remos resolvê-lo com oração e espírito sofia da ed
quem está lidando!” Certo líder não re- A igreja é como um grande hospital. amorável, nunca permitindo que o ego- ministrar a
cebeu o reconhecimento que deveria, e Por isso mesmo precisamos aprender a ísmo nos leve a conflitos que venham a
decidiu: “Como me escolheram para uma conviver com variados tipos de proble- afetar a igreja, ofender a Deus e enfra- I – Conceito
1. Russel Ch
função inferior, perdi a motivação. Vou mas. Não podemos nos conformar com quecer a força de nossa missão. “Não há
americano e
passar o ano inteiro sem fazer nada, só certas situações, mas precisamos saber coisa alguma que Satanás tema tanto Novo Testam
para me vingar.” Alguém é transferido ou administrar tudo isso com espírito cristão. como que o povo de Deus desimpeça é o desenvo
não é escolhido para continuar no mes- A graça que recebemos de Deus é a mes- o caminho mediante a remoção de todo mático das
mo cargo, logo reage: “Quem fez isso vai ma que precisamos oferecer aos homens. impedimento, de modo que o Senhor meio de en
se arrepender!” Um líder não foi elogiado Infelizmente, pessoas vão cometer possa derramar Seu Espírito sobre uma clui tanto o c
to a experi
quando achava que merecia, e já começa erros, atitudes imprudentes serão toma- enfraquecida igreja” (Ellen G. White,
de habilida
a reunir grupos para criticar e destruir a das, relacionamentos e amizades ficarão Eventos Finais, p. 192). O chamado é cla-
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

de Bíblia, Teo
reputação de outra pessoa. abalados e injustiças também serão co- ro: “Deem os crentes ouvidos à voz do a) Nessa defin
Talvez você já tenha acompanhado metidas. Isso não se justifica nem isenta anjo que disse à igreja: ‘Estejam unidos!’ levantes: en
situações semelhantes em sua congre- os culpados de sua responsabilidade. As- Na união está a sua força” (Ellen G. Whi- 2. O conceito

© karmeny | Fotolia
gação, mas, graças a Deus, elas são mi- sim, não podemos nos esquecer de que te, Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 69). Essa apenas alca
do homem
noria. Normalmente, poucas pessoas somos o povo de Deus. Ele é o soberano é sempre a melhor solução para qual-
mado, mas
estão envolvidas, mas essas situações Juiz, que não falha, estando sempre dis- quer problema. escreveu El
acabam afetando toda a igreja. Quando acerca da e
alguém decide enfraquecer o trabalho damente ac
do pastor, atuar de forma displicente de se ter u
no cargo para o qual foi eleito, lutar con- mais elevad
significa ma
tra a liderança da igreja, deixar de devol-
to ramo de
VANDIR ver o dízimo ou fomentar espírito crítico que a prep
Designer
para resolver questões pessoais, além de te. Visa ao
do da exist
Editor (Educação,
a) A verdadei
Erton Köhler
transforma
C.Qualidade
suas dimen
Presidente da Divisão
Sul-Americana
Depto. Arte II –Trinômio
Daniel de Oliveira

1. A família.
a) O processo
seio da fam
14 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 14 25/02/14 09:51


ESBOÇO DE SERMÃO

A família como centro educacional


ão em busca
ajuda. Por ou-
ar que somos
e do mundo. Gênesis 18:19
para conviver
to de tolerân- Introdução b) Ellen G. White escreveu: “É no lar que a como dirigentes e conselheiros. Para tal
s motivar ou- 1. Deus chamou Abraão com um propó- educação da criança deve ser iniciada. fim, Samuel reuniu grupos de rapazes
sito especial, isto é, que ele fosse o pai Ali está sua primeira escola. Ali, tendo piedosos, inteligentes e estudiosos.
azer parte da
de uma grande nação (ver Gn 12:2). seus pais como instrutores, a criança Eles foram chamados os filhos dos pro-
2. O cumprimento desse propósito esta- terá de aprender as lições que devem fetas. Enquanto estudavam a Palavra
lene: “Aproxi- va diretamente relacionado à sua vida guiá-la por toda a vida – lições de res- e as obras de Deus, Seu poder vivifi-
o. Muitas serão familiar no contexto educacional (ver peito, obediência, reverência, domí- cante despertava neles as energias da
não permitam Gn 18:19). nio próprio. As influências educativas mente e do coração, e os estudantes
greja” (Ellen G. 3. A principal função de Abraão era con- do lar são uma força decidida para o recebiam sabedoria do alto. Os instru-
duzir seus filhos de modo coerente e bem ou para o mal. São, em muitos tores não só eram versados na verdade
v. 2, p. 187).
sábio. O estilo de vida de sua poste- sentidos, silenciosas e graduais, mas divina, mas tinham pessoalmente expe-
lema, procu- ridade estaria relacionado com a filo- sendo exercidas na direção devida, rimentado comunhão com Deus, e ob-
ção e espírito sofia da educação que ele haveria de tornam-se fator de grande alcance em tido concessão especial de Seu Espírito.
do que o ego- ministrar a seus filhos. favor da verdade e justiça” (Orientação Desfrutavam o respeito e a confiança
ue venham a da Criança, p. 17). do povo, tanto pelo seu saber como pe-
Deus e enfra- I – Conceito de Educação Cristã c) A família é o cenário em que os valo- la sua piedade” (Educação, p. 46).
1. R ussel Champlim, teólogo norte- res religiosos, morais, intelectuais e
ssão. “Não há
americano especialista em Teologia do sociais são desenvolvidos e cultivados. III – Resultados da
s tema tanto Novo Testamento, escreveu: “Educação 2. A igreja. Educação Cristã
us desimpeça é o desenvolvimento e o cultivo siste- a) A igreja é um centro educativo. 1. A educação cristã, através de princí-
oção de todo mático das capacidades naturais, por O culto em sua liturgia contribui para pios morais e espirituais fundamenta-
que o Senhor meio de ensino, exemplo e prática. In- o conhecimento de Deus como Cria- dos na Bíblia:
to sobre uma clui tanto o conhecimento teórico quan- dor, Redentor e Mantenedor. a) Habilita o homem para a boa conduta
to a experiência no desenvolvimento b) Ellen G. White afirma: “Os cânticos de (ver 2Tm 3:16, 17).
en G. White,
de habilidades diversas” (Enciclopédia louvor, a oração, a palavra ministrada b) Transforma o senso de valor do ho-
hamado é cla-

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


de Bíblia, Teologia e Filosofia, v. 2, p. 268). pelos embaixadores do Senhor, são os mem, transferindo-o daquilo que é
dos à voz do a) Nessa definição, três aspectos são re- meios que Deus proveu para preparar transitório para o que é permanente
ejam unidos!’ levantes: ensino, exemplo e prática. um povo para a assembleia lá do alto, (ver Fp 3:7, 8; Hb 11:24-27).
(Ellen G. Whi- 2. O conceito secular de educação busca para aquela reunião sublime à qual c) Desenvolve no educando a consciên-
© karmeny | Fotolia

2, p. 69). Essa apenas alcançar o aspecto intelectual coisa nenhuma que contamine pode- cia de exercer a cidadania com direitos
do homem. Assim, o homem é infor- rá ser admitida” (Testemunhos Seletos, e deveres na sociedade em que ele es-
ão para qual-
mado, mas não transformado, como v. 2, p. 193). tá inserido (ver Mt 22:21; Lc 2:1-4).
escreveu Ellen G. White: “Nossas ideias c) Os pais devem instruir os filhos em to- 2. Estatutos e orientações divinas manti-
acerca da educação têm sido demasia- dos os aspectos da vida espiritual. das na vida humana têm reflexos na vi-
damente acanhadas. Há a necessidade 3. A escola. da social (ver Dt 6:6, 7; Dn 1:8; Rm 13:1-7).
de se ter um objetivo mais amplo e a) Atualmente, a sociedade promove
mais elevado. A verdadeira educação uma educação meramente acadêmica Conclusão
significa mais do que avançar em cer- tendo como pressuposto a competi- 1. O significado do chamado de Deus a
to ramo de estudos. É muito mais do ção no mercado de trabalho. Abraão estava associado à educação
que a preparação para a vida presen- b) Da perspectiva divina, a educação que que ele daria aos filhos. VANDIR
Designer
te. Visa ao ser todo, e a todo o perío- transforma o ser humano vai além do 2. Entre as três instituições educacionais
do da existência possível ao homem” aspecto acadêmico. (família, igreja e escola), é o lar que de-
(Educação, p. 13). c) 
Deus tinha isso em mente quando sempenha papel fundamental. Conclui Editor

a) A verdadeira educação é aquela que orientou o estabelecimento das escolas Ellen G. White: “A sociedade compõe-se
transforma o ser humano em todas as dos profetas: “Essas escolas se destina- de famílias, [...] do coração ‘procedem
C.Qualidade
suas dimensões. vam a servir de barreira contra a cor- as saídas da vida’ (Pv 4:23), e o coração
rupção prevalecente, a fim de prover da sociedade, da igreja e da nação, é
II –Trinômio da Educação Cristã à necessidade intelectual e espiritual o lar. A felicidade da sociedade, o êxi- Depto. Arte

1. A família. da juventude, e promover a prosperi- to da igreja, a prosperidade da nação,


a) O processo educacional tem início no dade da nação, dotando-a de homens dependem das influências domésticas”
seio da família. habilitados para agir no temor de Deus (O Lar Adventista, p. 15).
Revista do Ancião abr-jun 2014 15

29793_Anciao2T14.indd 15 25/02/14 09:51


ESBOÇO DE SERMÃO

Jesus e as profecias apocalípticas


Mateus 24:32, 33
Introdução peradamente abandonaram o cerco b) Teólogos adventistas dizem que esse pe- INTRODUÇÃO
1. Um dos sermões mais conhecidos de quando tudo parecia favorável a um ríodo é inigualável na história mundial. 1. Ao longo d
Cristo está relatado em Mateus 24. ataque imediato. Os sitiados, perden- 1) C. Mervyn Maxwell escreveu: “A tribu- têm suas sin
2. O assunto do segundo advento de do a esperança de poder resistir, esta- lação dos 1260 dias/anos foi a maior a) A época at
Cristo interessa à igreja desde o mo- vam a ponto de se entregar, quando da história no sentido de haver per- cia, imorali
mento em que foi proferido até os dias o general romano retirou suas forças sistido durante séculos e pelo fato multiplicam
finais da história terrestre. sem a mínima razão aparente. Entre- de, periodicamente, haver produzido ciedade.
a) Ellen G. White escreveu: “A vinda do tanto, a misericordiosa providência grande porcentagem de mortalidade b) Homens e m
Senhor tem sido em todos os sécu- de Deus estava dirigindo os aconte- na população” (Uma Nova Era Segundo Deus para e
los a esperança de Seus verdadeiros cimentos para o bem de Seu próprio as Profecias do Apocalipse, p. 36). tória, a fim
seguidores. A última promessa do povo” (O Grande Conflito, p. 30). 6. Em resposta, Cristo descreveu uma arrependim
Salvador no Monte das Oliveiras, 7. A predição de Cristo se cumpriu no série de sinais cósmicos associados ao esperança e
de que Ele viria outra vez, iluminou ano 70 d.C. , quando Jerusalém, diante fim da grande tribulação.
o futuro a Seus discípulos, encheu- das forças do exército romano, foi sa- 7. Os adventistas identificaram esses si- I–D  EUS CH
lhes o coração de alegria e esperan- queada e destruída. nais nos seguintes acontecimentos: OUSADOS
ça que as tristezas não poderiam a) O terremoto de Lisboa em 1755. 1. A narrativa b
apagar nem as provações ocultar” II – o significado para b) O escurecimento do sol em 19/5/1780. sadia e cora
(O Grande Conflito, p. 302). o tempo do fim c) A chuva de meteoritos em 1833. por Deus em
1. Ler Mateus 24:3. 8. Os acontecimentos na história mun- a) Em Gênesis
I – o significado imediato 2. A pergunta dos discípulos envolve um dial deixam evidente o cumprimento chamado q
1. Ler Mateus 24:1, 2. aspecto escatológico, ou seja, abran- das predições de Cristo em Mateus 24. ra deixar su
2. Apesar de o tema imediato desse dis- ge o tempo do fim. lugar que E
curso ter sido a queda de Jerusalém, o 3. A expressão “Consumação do século” Conclusão 1) Deus o cham
assunto está ligado a outro mais amplo. na língua grega, entre outros signifi- 1. Ler Mateus 24:44. para um pr
3. A queda de Jerusalém se torna um cados, aponta para o fim da presente 2. “Jesus fala sobre os sinais de Sua volta 2) Ele seria pa
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

símbolo do mundo antes da segunda ordem, isto é, o fim do mundo. para manter viva em nossa mente a viria a ser o
vinda de Cristo. a) Esse significado parece se encaixar promessa de Sua vinda. 3) Com fé, cor
4. Jesus começou com a descrição apoca- bem no contexto de Mateus 24. 3. O cumprimento dos sinais, como foi aceitou o ch
líptica do futuro com os eventos que iriam b)  Essa expressão aparece em outras predito por Jesus, serve para fortale- b) O rei Ezeq
suceder durante a vida dos discípulos. passagens bíblicas no evangelho de cer nossa fé nas promessas e aprofun- que Deus c
5. É interessante perceber que Ele come- Mateus (ver Mt 13:39, 40, 49; 28:20). dar a conexão com a realidade de Sua pecial em I
çou com Roma pagã, o quarto reino de 4. Ellen G. White escreveu: “Cristo apre- segunda vinda. 1) Ele começo
Daniel 7. sentou diante deles um esboço dos a) A segunda vinda de Cristo é a bendita es- liderança d
6. Em Suas advertências, Cristo enfatizou importantes acontecimentos a ocor- perança da igreja, o grande ponto culmi- um dos tem
dois aspectos: rerem antes do fim do tempo. Suas nante do evangelho. Quando Ele voltar, ficativos em
a) A necessidade de buscar um lugar de palavras não foram então completa- os justos falecidos serão ressuscitados e, 2) Em meio a g
refúgio ou segurança para evitar mor- mente entendidas; mas a significação juntamente com os justos que estiverem espirituais,
te ou sofrimento desnecessários co- seria revelada quando Seu povo ne- vivos, serão glorificados e levados para o rica experiê
mo resultado do ataque militar contra cessitasse da instrução contida nelas. Céu, mas os ímpios irão morrer. O cum- 3) U m dos ato
VANDIR
Designer
Jerusalém. A profecia que Ele proferiu era dupla primento quase completo da maioria dos durante o r
b) Não haveria tempo suficiente para re- em seu sentido: ao mesmo tempo aspectos da profecia, a condição atual do abertura do
colher pertences pessoais. Essa demo- em que prefigurava a destruição de mundo indicam que a vinda de Cristo é ministério s
Editor
ra seria fatal. Jerusalém, representava igualmen- iminente. O tempo exato desse aconteci- 4) E le conclam
1)  Ellen G. White escreveu: “Nenhum te os terrores do último grande dia” mento não foi revelado, e somos, portan- e pôr a casa
C.Qualidade
cristão pereceu na destruição de Jeru- (O Grande Conflito, p. 25). to, exortados a estar preparados em todo c) Neemias é m
salém. Cristo havia dado a Seus discí- 5. A partir da queda de Jerusalém, Cristo o tempo” (Nisto Cremos, p. 409). 1) Ao chegar a
pulos o aviso, e todos os que creram apontou para a grande tribulação pre- um quadro
Depto. Arte
em Suas palavras aguardaram o sinal dita em Daniel 7:25. Ángel Manuel Rodriguez é ex-diretor do 2) O s muros d
prometido. Depois que os romanos, a) Essa tribulação indica o período dos 1260 Instituto de Pesquisa Bíblica, na Associação dos. Isso o
sob Céstio, cercaram a cidade, ines- (538-1798) anos de perseguição à igreja. Geral, reside no Texas, EUA durante a n

16 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 16 25/02/14 09:51


ESBOÇO DE SERMÃO

as Chamados para esse tempo


m que esse pe- INTRODUÇÃO 3) Em meio a circunstâncias desencora- dos passos rápidos que estamos dan-
ória mundial. 1. A
 o longo da História, todas as épocas jadoras, ele fez de Deus seu baluarte do rumo à grande crise de nossa histó-
eveu: “A tribu- têm suas singularidades. seguro. Ele pôs toda a confiança em ria. Os anjos de Deus estão segurando
os foi a maior a) A época atual é marcada pela violên- Suas promessas. os quatro ventos, e isso leva muitos a
de haver per- cia, imoralidade e desespero que se d) Em Atos 9:1-19, Lucas descreve a con- clamar: Paz e segurança! Mas não há
e pelo fato multiplicam em todos os níveis da so- versão e o chamado de Saulo para tempo para a vaidade, para ninharias,
ver produzido ciedade. uma época especial na igreja cristã. para ocupar a mente com questões
e mortalidade b) Homens e mulheres são chamados por 1) Ele era homem destemido e firme em sem importância. Devemos esvaziar o
a Era Segundo Deus para esse tempo especial da His- suas convicções. templo de Deus de toda contamina-
e, p. 36). tória, a fim de conduzir pecadores ao 2) Ao longo de sua vida, como ministro ção, e deixar que o Espírito Santo de
screveu uma arrependimento, proporcionando-lhes do evangelho, enfrentou as situações Deus tome plena posse do coração,
associados ao esperança em meio às suas lutas. mais difíceis (cf 1Co 9:19-22). para que o caráter possa ser transfor-
. 3) Preconceito, intolerância e persegui- mado” (Review and Herald, 26/4/1892).
aram esses si- I – DEUS CHAMOU HOMENS ções foram marcas em seu ministério 2. Como povo de Deus, somos chama-
ecimentos: OUSADOS na pregação do evangelho. dos para este tempo especial da His-
m 1755. 1. A narrativa bíblica dá testemunho da ou- 2. Eles foram chamados para ocasiões tória do mundo, a fim de proclamar as
em 19/5/1780. sadia e coragem de homens chamados especias para cumprir os propósitos boas-novas de salvação (cf 1Pe 2:9).
m 1833. por Deus em épocas especiais na História. de Deus para Seu povo. a) Estatísticas de crimes, de sequestros,
história mun- a) Em Gênesis 12:1-4, Moisés registrou o a) A braão foi chamado para lançar a se- de doenças e epidemias, de desequi-
cumprimento chamado que Deus fez a Abraão pa- mente do povo de Deus. líbrio econômico e psicológico entre
em Mateus 24. ra deixar sua terra natal e ir para um b) Ezequias foi chamado para reavivar todas as camadas sociais e de alto ín-
lugar que Ele lhe mostraria. uma nação voltada para a idolatria. dice de suicídio têm demonstrado que
1) Deus o chamou num tempo especial e c) Neemias foi chamado para reconstruir a História terrestre marcha acelerada-
para um propósito especial. os muros de Jerusalém e restaurar a fé mente para seu fim.
s de Sua volta 2) Ele seria pai de uma grande nação que e a esperança do povo, que estavam b) A presente época requer homens e

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


ossa mente a viria a ser o povo de Deus. em ruínas. mulheres ousados e determinados na
3) Com fé, coragem e determinação, ele d) P aulo foi chamado para testemunhar defesa dos princípios morais e espiri-
ais, como foi aceitou o chamado divino. em seu tempo, levando o evangelho tuais da Palavra de Deus. “A homens
para fortale- b) O rei Ezequias é outro personagem às nações gentílicas. de princípios, fé e ousadia, o mundo
sas e aprofun- que Deus chamou para um tempo es- deve as grandes reformas. Por tais ho-
lidade de Sua pecial em Israel. II – TAMBÉM SOMOS CHAMADOS mens tem de ser levada avante a obra
1) Ele começou a reinar em 716 a.C. Sua PARA ESTE TEMPO de reforma para este tempo” (Ellen G.
é a bendita es- liderança de 29 anos contribuiu para 1. Paulo afirmou: “nos últimos dias, so- White, O Grande Conflito, p. 460).
e ponto culmi- um dos tempos religiosos mais signi- brevirão tempos difíceis” (2Tm 3:1). c) 
Isaías escreveu: “Dispõe-te, resplan-
ndo Ele voltar, ficativos em Israel. a) Como igreja e indivíduos estamos vi- dece, porque vem a tua luz, e a glória
essuscitados e, 2) Em meio a grandes desafios políticos e vendo nesse tempo. do Senhor nasce sobre ti. Porque eis
que estiverem espirituais, ele levou o povo a ter uma b) À semelhança do passado, Deus tem que as trevas cobrem a Terra, e a escu-
levados para o rica experiência com Deus. chamado homens e mulheres para ridão, os povos; mas sobre ti aparece
morrer. O cum- 3) Um dos atos mais corajosos e ousados cumprir propósitos especiais para es- resplendente o Senhor, e a Sua glória
VANDIR
da maioria dos durante o reinado de Ezequias foi a re- te tempo. se vê sobre ti” (Is 60:1, 2). Designer
ndição atual do abertura do templo e a restauração do c) Nosso tempo tem sido caracterizado
da de Cristo é ministério sacerdotal. pela transgressão das leis (ver Is 24:5), CONCLUSÃO
desse aconteci- 4) Ele conclamou os sacerdotes a agir irreverência aos princípios morais e 1. É hora de confiarmos em Deus e as- Editor

omos, portan- e pôr a casa em ordem (2Cr 29:5). espirituais (cf 2Tm 3:2-4) e a angústia sumirmos nossa posição ao Seu lado.
rados em todo c) Neemias é mais um exemplo a ser imitado. entre as nações (cf Lc 21:25, 26). Pela fé seremos vitoriosos no cumpri- C.Qualidade
409). 1) Ao chegar a Jerusalém, ele contemplou 1) Ellen G. White escreveu: “Não está mui- mento de nossa missão!
um quadro extremamente desolador. to distante o tempo em que o povo de 2. Deus nos chama para que, com Ele,
z é ex-diretor do 2) Os muros da cidade estavam destruí- Deus será chamado para dar seu tes- cumpramos Seu propósto de espe- Depto. Arte

a, na Associação dos. Isso o levou a dolorosas reflexões temunho diante dos governantes da rança e salvação para o mundo neste
de no Texas, EUA durante a noite. Terra. Nem um em vinte tem uma ideia tempo especial.

Revista do Ancião abr-jun 2014 17

29793_Anciao2T14.indd 17 25/02/14 09:51


ESBOÇO DE SERMÃO

O santuário: essência do adventismo


Êxodo 25:8-9, 40
Introdução 1850, Tiago White fez o seguinte co- por Moisés, conforme o modelo a ele
Introdução
1. O povo de Deus é peculiar, especialmen- mentário: ‘O assunto do santuário deve mostrado no monte. Era uma figura
1. O apóstolo
te quanto às suas crenças e práticas. ser cuidadosamente examinado, visto para o tempo então presente, no qual
ópago, uma
2. A doutrina do santuário é uma men- que está relacionado com o fundamen- se ofereciam tanto dons como sacri-
perto da ac
sagem oportuna para os últimos dias to de nossa fé e esperança’” (citado em fícios. Seus dois lugares santos eram
2. Entre a mu
e uma verdade presente confiada ao Cristo em Seu Santuário, p. 11). ‘figuras das coisas que estão no Céu’;
lósofos e t
povo do advento. b) “A estrutura básica do sistema doutriná- Cristo, nosso grande Sumo Sacerdo-
últimas nov
a) “O livro do Êxodo introduz o santuá- rio dos primeiros adventistas sabatistas te, é ‘ministro do santuário, e do ver-
3. Paulo come
rio israelita como centro de adoração, foi estabelecida durante o período en- dadeiro tabernáculo, o qual o Senhor
cas religios
mediação e sacrifício. Descreve a es- tre 1844 e 1850. Nesse período houve fundou, e não o homem’” (Ellen G.
sentou-lhes
trutura física e o mobiliário desse lugar a formação de uma estrutura teológica White, Patriarcas e Profetas, p. 356).
dor dos céu
singular. O livro também dá instruções em que o santuário e as três mensagens 4. A doutrina do santuário reflete
para todos.
sobre a consagração dos sacerdotes e angélicas integraram doutrinas como a aguns fatores que fortalecem nossa
4. E ntão, o dis
apresenta algumas das mais impor- perpetuidade da lei de Deus e do sá- fé e esperança.
com a adve
tantes ideias teológicas relacionadas bado, o ministério celestial de Cristo, a a) Como cristãos, temos livre acesso ao
se aproxim
com o santuário” (Tratado de Teologia segunda vinda de Cristo, a imortalidade trono da graça – (Rm 5:1, 2; Hb 4:16).
Adventista do Sétimo Dia, p. 424). condicional da alma e o dom profético” b) Encontramos perdão e justificação da
I – Permanecendo
3. Como igreja remanescente da profe- (Alberto R. Timm, O Santuário e as Três parte de Deus – (Ef 2:4-10).
1. Ler Salmo 7
cia, cabe-nos o privilégio e a respon- Mensagens Angélicas, p. 205). c) Em meio ao grande conflito, somos as-
2. Depois do
sabilidade de compreender e ensinar sistidos continuamente pela intercessão
rente silên
essa verdade presente, no contexto II – centro de nossa esperança de Cristo – (Is 53:12; Rm 8:31-34; Hb 9:24).
abandorna
das três mensagens angélicas de 1. Ler Hebreus 9:23, 24. 1) Ellen G. White escreveu: “A intercessão
3. Entretanto,
Apocalípse 14. 2. A epístola aos hebreus enfatiza a su- de Cristo no santuário celestial, em fa-
demonstram
perioridade do ministério do santuá- vor do homem, é tão essencial ao pla-
antigo: Asa
I – eixo doutrinário rio celestial em relação aos sacrifícios no da redenção, como o foi Sua morte
nheceu sua
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

1. Ler Daniel 8:14. e rituais oferecidos no santuário ter- sobre a cruz” (O Grande Conflito, p. 489).
der como a
2. “Foi pelo estudo dos rituais do santuário restre (ver Hb 8:6).
aparentem
terrestre e de sua significação simbóli- a) Martin Pröbstle, teólogo adventista, es- Conclusão
a) Esse grupo
ca, tomando Daniel 8:14 como ponto creveu: “O livro de Hebreus ensina que 1. Ler Apocalipse 21:3, 4.
salmista com
de partida, que o adventismo nasceu Cristo está ministrando no santuário 2. Leroy Edwin Froom, teólogo adven-
preocupaçõ
como movimento histórico, desenvol- celestial como nosso Sumo Sacerdote. tista, escreveu: “Cabe-nos, pois, não
maldosas e
veu sua identidade doutrinária e iden- Ali, Sua obra está focalizada em nossa só crer profundamente na verdade
b)  São pesso
tificou sua missão” (Tratado de Teologia salvação, porque Ele “[comparece], ago- do santuário e ensiná-la hoje, mas
Deus e, da
Adventista do Sétimo Dia, p. 449). ra, por nós, na presença de Deus” (Hb também conceder-lhe lugar central
cem desfru
3. A compreensão da doutrina do santuá- 9:24). Ele simpatiza conosco, dando-nos em nossa distinta e identificadora ên-
c) Nesse conte
rio estendeu aos pioneiros adventistas a certeza de que não seremos rejeitados, fase da atualidade. [Ela] é a essência
ta: “Nossos
possibilidade de ver o evangelho e sua mas, em vez disso, receberemos miseri- do adventismo. Consequentemente,
planos de D
glória nos ritos e serviços do santuário. córdia e graça (Hb 4:15, 16) por causa do qualquer enfraquecimento, negação
térios que a
4. O ministério sacerdotal e sumo sacer- que Jesus fez por nós. Como ocorria no ou supressão da verdade do santuário
VANDIR pontaram s
dotal de Cristo no santuário celestial se santuário terrestre, o santuário celestial é questão séria, mesmo crucial. Qual-
Designer
que as oraç
tornou a plataforma sobre a qual os pio- é o local em que é feita a “propiciação” quer desvio ou abandono dela fere o
didas e as
neiros da igreja interpretaram o desa- (expiação ou reconciliação) pelos peca- coração do adventismo, sendo um de-
lugar entre
Editor
pontamento de 22 de outubro de 1844. dos dos crentes (Hb 2:17). O Jesus que safio à sua própria integridade” (Minis-
(A Ciência do
5. A verdade do santuário é, sem dúvida, morreu por nós é o mesmo que ministra tério Adventista [jul/ago de 1971] p. 13).
3. A resposta
o ponto cardeal do sistema doutriná- no Céu em nosso favor” (Lições da Escola 3. O ensino do santuário é a conclusão
C.Qualidade
para nós, ve
rio adventista. Sabatina, 4º trimestre 2013, p. 8). lógica e a inevitável consumação de
palavras: “A
a) “Os pioneiros do advento entenderam 3. A ordem e orientação divinas para a nossa fé.
de Deus, e
Depto. Arte
a verdade do santuário como básica construção do santuário tinha em vista a
no dos ímp
para toda a estruturação da doutri- exposição do evangelho em miniatura. Deilson Storch de Almeida, escritor,
4. P ara ele, o
na dos adventistas do sétimo dia. Em a) “O santuário terrestre foi construído reside em Vitória, ES
que Deus e
18 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 18 25/02/14 09:51


ESBOÇO DE SERMÃO

mo O dia do juízo está vindo


Atos 17:30, 31
modelo a ele
Introdução Deus estava em Seu trono (ver Is 6:1, 2; nós também cremos em Cristo Jesus
a uma figura
1. O apóstolo Paulo estava em pé no Are- Ap 4:2-4) e tinha tudo sob Seu controle, para sermos justificados pela fé em
sente, no qual
ópago, uma colina rochosa localizada inclusive a erradicação final do pecado. Cristo, e não pela prática da lei, porque
s como sacri-
perto da acrópole de Atenas. a) Ellen G. White afirma: “No templo ce- pela prática da lei ninguém será justifi-
santos eram
2. Entre a multidão reunida, estavam fi- lestial, morada de Deus, acha-se o Seu cado” (Gl 2:16, 17).
estão no Céu’;
lósofos e transeuntes ansiosos pelas trono, estabelecido em justiça e juízo. 1) Ellen G. White escreveu: “Não deve-
umo Sacerdo-
últimas novidades. No lugar santíssimo está a Sua lei, a mos absolutamente confiar em nós
ário, e do ver-
3. Paulo começou a falar sobre as práti- grande regra da justiça, pela qual a mesmos nem em nossas boas obras;
qual o Senhor
cas religiosas que tinha visto, e apre- humanidade toda é provada. A arca mas quando, como seres erradios e
m’” (Ellen G.
sentou-lhes o Deus verdadeiro, Cria- que encerra as tábuas da lei se encon- pecadores, nos chegamos a Cristo,
as, p. 356).
dor dos céus e da Terra, a fonte de vida tra coberta pelo propiciatório, diante encontramos descanso em Seu amor.
uário reflete
para todos. do qual Cristo, pelo Seu sangue, plei- Deus aceitará cada um dos que se
alecem nossa
4. Então, o discurso chegou ao seu auge teia em favor do pecador” (O Grande achegam a Ele, confiando inteiramen-
com a advertência: O dia do juízo está Conflito, p. 415 ). te nos méritos de um Salvador crucifi-
vre acesso ao
se aproximando. 5. Para nós, o santuário celestial nos dá a cado. Brota o amor no coração. Pode
2; Hb 4:16).
garantia de que o dia de juízo se apro- não haver êxtase de sentimentos, mas
ustificação da
I – Permanecendo firmes xima e aniquilará o mal para sempre. haverá uma duradoura e pacífica con-
0).
1. Ler Salmo 73:2, 3. fiança. Todo peso se tornará leve; pois
ito, somos as-
2. Depois do holocausto, diante do apa- II – transformados pela graça leve é o jugo imposto por Cristo. O de-
ela intercessão
rente silêncio divino, muitos judeus 1. Ler Apoclipse 14:7. ver se torna um deleite, e um prazer o
31-34; Hb 9:24).
abandornaram sua fé em Deus. 2. Em muitas igrejas, a doutrina do juízo sacrifício. O caminho que antes pare-
“A intercessão
3. Entretanto, as palavras do salmista quase que desapareceu. E quando ela cia envolto em trevas, se torna ilumi-
lestial, em fa-
demonstram que o problema é mais é pregada, quase sempre são enfatiza- nado pelos raios do Sol da Justiça. Isso
encial ao pla-
antigo: Asafe, autor do salmo 73, reco- das somente a justiça e a ira de Deus. é andar na luz, como Cristo na luz está”
foi Sua morte
nheceu sua dificuldade em compreen- 3. N ós, adventistas do sétimo dia, mante- (Fé e Obras, p. 39).

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


onflito, p. 489).
der como aqueles que rejeitam a Deus mos essa verdade bíblica como compo- d) O registro celestial de nossa vida, em-
aparentemente prosperam. nente de nossa teologia. Cremos nesta bora sozinho não forneça esperança,
a) Esse grupo de pessoas é descrito pelo mensagem simbolizada por três anjos. é importante para mostrar o rumo de
salmista como pessoas sadias, livres de a) Portanto, a mensagem que os adven- nossa vida. Somos fracos e com todas
ólogo adven-
preocupações, prósperas, orgulhosas, tistas do sétimo dia devem anunciar ao as pausas e recomeços, a graça de
os, pois, não
maldosas e arrogantes (ver Sl 73:4-12). mundo, inclui a mensagem do juízo. Cristo nos tem transformado.
na verdade
b) São pessoas que nem pensam em 4. O apóstolo Paulo declarou que Deus
la hoje, mas
Deus e, da perspectiva humana, pare- julgará o mundo por meio do homem Conclusão
lugar central
cem desfrutar uma vida boa. que escolheu, Aquele a quem ressusci- 1. Ler 2 Coríntios 3:18.
tificadora ên-
c) Nesse contexto, Ellen G. White comen- tou dentre os mortos: Jesus Cristo (ver 2. Alguns adventistas temem o juízo. Vi-
é a essência
ta: “Nossos planos nem sempre são os At 17:31). vem apreensivos de que não são bons
quentemente,
planos de Deus... Na vida futura, os mis- 5. A mensagem do juízo é o evangelho o suficiente. Você nunca o será em si
nto, negação
térios que aqui nos inquietaram e desa- eterno, isto é, as boas-novas a respei- mesmo.
e do santuário
pontaram serão esclarecidos. Veremos to do Deus-homem que providenciou 3. Cristo é perfeito e Sua justiça imacula- VANDIR
crucial. Qual-
que as orações na aparência desaten- nossa salvação e que em breve voltará. da. Seu sacrifício, oferecido uma única Designer
no dela fere o
didas e as esperanças frustradas têm 6. No juízo, a questão crucial envolve vez (ver Hb 9:28), foi perfeito e, para
sendo um de-
lugar entre as nossas maiores bênçãos” nosso relacionamento com Cristo. sempre, suficiente.
idade” (Minis- Editor
(A Ciência do Bom Viver, p. 473, 474). a) No plano da salvação, o desenvolvi- 4. Se você O aceitou como Salvador e
e 1971] p. 13).
3. A resposta para o salmista, e também mento de nossa vida espiritual está Senhor, Ele o representará devida-
é a conclusão
para nós, vem por meio das seguintes ligada à pessoa de Cristo. mente no juízo divino. C.Qualidade
nsumação de
palavras: “Até que entrei no santuário b) No juízo, nossa justiça é o manto de 5. O dia do juízo está vindo! Louvado seja
de Deus, e então compreendi o desti- Cristo posto sobre nós (ver Lc 15:20-22). Deus! Depto. Arte
no dos ímpios” (ver Sl 73:17). c) Paulo afirmou: “Sabemos que ninguém
lmeida, escritor,
4. Para ele, o santuário era a garantia de é justificado pela prática da lei, mas William Johnson é ex-editor da Adventist
de em Vitória, ES
que Deus estava vivo e ativo. Para ele, mediante a fé em Jesus Cristo. Assim, Review. Reside nos Estados Unidos.
Revista do Ancião abr-jun 2014 19

29793_Anciao2T14.indd 19 25/02/14 09:51


ESBOÇO DE SERMÃO

Uma oferta de amor


Mateus 26:6-13 agen
ni / Im
Baro
Mari

: Dan s
iel de
Olive
ira

INTRODUÇÃO nossa resposta? Gratidão é o mínimo que – Interessante: Maria doou o que era
O fato relatado em Mateus 26:6-13 ocor- devemos expressar. dela, e quem nada tinha que ver com
reu em Betânia, uma aldeia a poucos – Judas queria desviar aquela oferta para isso a reprovou! Lendo as quatro narra-
quilômetros de Jerusalém, mais pre- os pobres. Ele prezava mais o social do tivas bíblicas, deduzo que somente os
cisamente na casa de Simão, o fariseu que o divino (Mc 14:7). irmãos de Maria (exatamente os seus
que havia sido curado por Jesus. Era – Hoje, algumas pessoas só doam se pu- herdeiros diretos) não quiseram anular
um banquete oferecido como gratidão derem ver no que será empregada sua a doação dela.
a Cristo. Deve ter ocorrido na terça- doação. – Imagine, quem não ajudou a ganhar
-feira da semana da crucifixão. Entre – A opção pelos pobres, frequentemente aquele dinheiro, achava que sabia me-
outros, estavam presentes: Cristo (o encobre o desejo de autopromoção. lhor do que ela como gastá-lo!
homenageado), os discípulos, Simão (o – Muitas vezes valorizamos mais a cari- – Saiba, nessa questão de ofertas, siga seu
anfitrião), Lázaro (ressuscitado), Maria e dade (dar coisas) do que a entrega (dar a coração; os outros sempre vão criticar!
Marta. Esse banquete foi também rela- si mesmo).
tado em Marcos 14:3-9; Lucas 7:36-50 e – Judas tinha iniciativa própria; suposta- 6. A oferta de Maria excedeu, sobrou –
João 12:1-8. mente queria fazer uma boa ação; mas João 12:3
a oferta de Maria era uma reação, uma – Não foi uma pequena ampola; foi qua-
PARALELOS ENTRE A OFERTA DE resposta ao perdão de Jesus. se meio litro de perfume!
MARIA E AS NOSSAS OFERTAS – Ela não borrifou com spray, mas que-
3. Essa oferta demonstrou fé e amor – brou o vidro e gastou tudo. Uma parte
1. A oferta foi custosa para Maria – Mt 26:7 Mc 14:8 (1ª parte) deve ter caído no chão e se perdido.
Lendo os quatro relatos, aprendemos que: Paulo disse em Gálatas 5:6 que só vale “a – Alguém poderia dizer que isso jamais
– Custou mais de 300 denários, o salário fé que atua pelo amor”. acontece com as ofertas, pois elas são
mínimo de quase um ano de trabalho. – O amor é a medida da nossa fé; e a vo- sempre menores que as necessidades.
– Maria deve ter economizado durante luntariedade para doar é a medida do Nem sempre! Na construção do santuá-
muito tempo para dar aquela oferta. nosso amor. rio, no deserto, Moisés precisou mandar
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

– Não era uma dádiva comum; ali estavam fechar o caixa recebedor!
todos os seus bens! Ela deu o máximo! 4. A oferta de Maria veio na hora certa
– No Oriente havia os melhores per- – Mc 14:8 (2ª parte) 7. 
A oferta de Maria não podia ser
fumes. E ela trouxe cerca de uma libra – Há um momento certo para demons- devolvida
(quase 400 gramas) do melhor perfume trarmos nossa gratidão. – Ela quebrou o frasco! Foi uma en-
do Oriente. No caso de Maria, foi antes da morte de trega total, sem reservas, sem esperar
– Alguns têm uma religião de palavras; Cristo; no nosso caso, deve ser antes do retribuição.
Maria gastou todo o seu dinheiro com a decreto dominical. Depois, não vai ter
religião! nenhuma utilidade prática! CONCLUSÃO
– Dando pouco para Jesus, transmiti- Ungir os pés e/ou cabeça era uma corte- À luz do que aprendemos hoje, nossas
mos a ideia de que Ele não é importante sia da época. Assim como entregar flores ofertas devem ser:
para nós! ou dar um presente. Maria fez isso en- 1. Resultado da salvação, do perdão.
quanto Jesus vivia. Hoje, frequentemen- 2. Um reflexo de nosso amor a Deus.
2. 
Essa oferta era uma resposta ao te deixamos para dar flores aos mortos! 3. Dadas pela fé, confiando na melhor
VANDIR
Designer
perdão – Lc 7:47 – Depois que Jesus morreu, apareceram aplicação.
Em 1 Timóteo 1:12-16, Paulo diz o mesmo. Nicodemos e José de Arimateia, porém 4. Disponibilizadas na hora certa (agora);
– Por isso, Paulo e Maria deram tudo o Maria chegou antes; e Jesus foi confor- não depois do confisco da perseguição.
Editor
que tinham! tado pela sua oferta. As outras colabo- 5. Voluntárias, por gratidão, não com-
– Temos que dar não só testemunho, rações podem ter sido até mais vultosas, pulsórias.
C.Qualidade
mas também os bens e a vida! mas não consolaram Jesus! 6. De acordo com nosso coração.
– A dádiva deve ser uma consequência 7. Planejadas; não só quando se fazem
do perdão; jamais a causa. 5. A oferta de Maria foi mal-interpretada apelos.
Depto. Arte
– Nossas dádivas devem expressar nos- por alguns – Mc 14:4; Mt 26:8
sos sentimentos. A salvação e a vida eter- – Não só os discípulos se indignaram, Márcio Dias Guarda
na são as ofertas de Cristo a nós; qual é a como também Simão. Obreiro jubilado

20 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 20 25/02/14 09:51


Mari
Baro
ni / Im
agen
: Dan s
iel de
Olive
ira

ou o que era
que ver com
quatro narra-
e somente os
ente os seus
seram anular

dou a ganhar
ue sabia me-
-lo!
ertas, siga seu
ão criticar!

deu, sobrou – ior)


a
n
i
ú
mpola; foi qua-
j
l
se
í
ray, mas que-
fam l ê

o. Uma parte
n g

perdido.
i s,

ue isso jamais
guê

pois elas são


necessidades.
t u
a

ão do santuá-
o r

cisou mandar
(p

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


a
inho
d

o podia ser
u
o
m i g

Foi uma en-


t
sso a

sem esperar
a
o •n
r

hoje, nossas
0
a
2 .

o perdão.
p
o

arias
nexã

or a Deus.
br

do na melhor
s

livr
om.

VANDIR
• Co

Designer
a

ssas
cpb.c

certa (agora);
e: s

a perseguição.
t

aces

no
de

ão, não com-


a de

Editor
s
a ú

m
06
se a u
S
evi

ração.
7906
e

C.Qualidade
ndo se fazem
a

a-
• Vid

i j
-9
dir

Depto. Arte
0800
R

Ou
e:
Assin

cio Dias Guarda


Obreiro jubilado

29793_Anciao2T14.indd 21 25/02/14 09:51


igreja em ação
Ela está n

Missio Dei
tauração e lib
e povo” (ver A
dade da igreja
enraizada nos
É por isso

Deus é o maior demos dizer q


caso, a missão
interessado na salvação O cumprimen
do Espírito Sa
do ser humano meio da pesso
estende aos p
Imagine o qu
sem isso de f
Isso levaria a i
mesma, mas n
Johannes
la que é envi
estamos mer
estamos fora
sendo diligen
mos da área d
somos profes
te, dando exe
nossos recurs
ciais sem inte
tar bem os im
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

diferentes da
Dessa ma
Francisco de
rio, use palav

V
ivemos num tempo profético em que a Missio Dei tem Assim como este autor, Ellen G. White dá sequência a esta linha membros da i
sido restaurada. “Missio Dei é um termo em latim que ao afirmar: “A igreja é o instrumento apontado por Deus para a cisa ser mais a
significa Missão de Deus. “Missio” é a palavra latina que salvação dos homens. Foi organizada para servir, e sua missão é igrejas, o líder
significa “enviado”, ou seja, é o “envio” da igreja.”1 Deus é mis- levar o evangelho ao mundo.”3 do e todos. A
sionário. E o que queremos dizer é que Deus enviou Seu Filho. Portanto, como igreja e indivíduos, estamos envolvidos nu- na missão de
O Filho, por Sua vez, também é missionário. Ambos, Pai e Filho ma grande missão. A Missio Dei é a nossa missão. No dizer de que a obra de
enviaram o Espírito Santo. Na verdade, o Espírito Santo também Moltmann, “não é uma igreja que ‘tem’ uma missão. Ao contrá- Não somente
VANDIR é enviado. Ele foi enviado ao mundo com um propósito especial. rio, é na missão de Cristo que se cria uma Igreja. A missão não é dade de sair a
Designer
Cristo disse: “Paz seja com vocês! Assim como o Pai Me en- compreendida a partir da igreja, mas de Cristo.”4 Ele é bem es-
viou, Eu os envio” (Jo 20:21). O tema do envio ou da Missio Dei se pecífico quanto à missão da igreja. A importância de sua com-
Editor
estende a cada cristão. Somos todos enviados. Em sua natureza, preensão do que é missão deve nos orientar a uma estratégia
a missão evangelística testifica de que não há cristão que não eficaz no cumprimento da mesma em nossos dias.
C.Qualidade tenha sido enviado e que não participe dos propósitos eternos Moltmann destaca o pensamento de que a Missio Dei envol-
de Deus através de Sua igreja. A todos nós compete o envolvi- ve o Filho, o Espírito Santo e, através deles, a igreja. Esta, por sua
mento na missão evangelística. vez, se envolve na missão quando, aos poucos, rompe os limi-
Ilustração de Jo Card

Depto. Arte
Cedida pelo autor

Kraemer foi enfático ao afirmar que “de todas as instituições tes do judaísmo e se lança no mundo gentílico. Nesse contexto,
no mundo, a igreja é a única fundada numa comissão divina.”2 a igreja percebe que sua missão é a própria missão de Deus.

22 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 22 25/02/14 09:51


Ela está no mundo para ser cooperadora de Deus na res- A existência da igreja é justificada por sua missão. Andrew
tauração e libertação das pessoas de “toda nação, tribo, língua Kirk afirma: “A igreja é missionária por natureza ao ponto de
e povo” (ver Ap 14:6). Assim, “a missão não é apenas uma ativi- que, se ela deixa de sê-lo, ela não falha simplesmente em uma
dade da igreja. Ao contrário, é o resultado da iniciativa de Deus, de suas tarefas, mas deixa de ser igreja em seu dia a dia. Todo
enraizada nos propósitos de restaurar e curar a criação.”5 aquele que houver recebido a Cristo é chamado a trabalhar
É por isso que, ao mencionar as atividades missionárias, po- pela salvação de seus semelhantes.”9 O grande missiólogo
demos dizer que a igreja é missionária em sua natureza. Nesse David Bosch acrescenta: “A missão não é primordialmente
caso, a missão precede a igreja. Ela é, antes de tudo, de Deus. uma atividade da igreja, mas um atributo de Deus. E Ele é um
O cumprimento da missão parte da igreja para o mundo através missionário.” 10
do Espírito Santo. Deus está ensinando, curando e salvando por Na igreja, o que é mais importante não é o papel das pes-
meio da pessoa de Cristo. E isso ocorre pela graça divina que se soas e sim como os líderes espirituais as prepara para realizar
estende aos pecadores como um ato de amor e misericórdia. o serviço cristão no mundo. Se a missão precede a igreja, e,
Imagine o que seria da igreja se todos os membros entendes- de fato, ela o faz, não haverá cristãos “passivos” na Missio Dei.
sem isso de forma clara e levassem a sério a Missão de Deus! O batismo de novos conversos será concebido como resultado
Isso levaria a igreja a entender que ela não está centrada em si do cumprimento da missão. E esta, por sua vez, será vista como
mesma, mas no que Cristo chamou de Reino de Deus. parte da vida cristã, e não somente como algo esporádico ou
Johannes Blaw afirma: “Não há outra Igreja a não ser aque- em datas exclusivas.
la que é enviada ao mundo. Somos uma igreja não quando Allan Hirsch declara: “O verdadeiro e autêntico princípio
estamos meramente dentro de um edifício, mas sim quando de organização da igreja é a missão. Quando a igreja está em
estamos fora dele sendo pais graciosos; cônjuges amorosos; missão é a verdadeira igreja. A missão de Deus flui diretamente
sendo diligentes e honestos em nosso local de trabalho; se so- através de cada cristão e de cada comunidade de fé que aceita a
mos da área de saúde, tratando os pacientes com cuidado; se Cristo.”11 Certamente, isso inclui evangelizar outros países com
somos professores, sendo responsáveis com o meio ambien- suas culturas exóticas, mas não se restringe a isso. Sem dúvida,
te, dando exemplo de cidadania para os alunos; partilhando muitos membros da igreja são chamados para cumprir a missão
nossos recursos com os necessitados; realizando projetos so- em terras longínquas. Entretanto, é bom lembrar que todos os
ciais sem interesse; usando uma linguagem inclusiva ao tra- cristãos são convocados para ministrar as riquezas do evange-
tar bem os imigrantes e compreender as pessoas de crenças lho em sua vida diária onde quer que estejam.

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


diferentes da nossa.”6 Deus é o grande Missionário. Ele confiou à Sua igreja essa
Dessa maneira, a missão se revestirá de um estilo de vida. missão. Precisamos do auxílio divino para o cumprimento da
Francisco de Assis afirmou: “Pregue a Palavra. Se for necessá- Missio Dei, pois o maior interessado na salvação do ser humano
rio, use palavras.” A tarefa missionária é a missão de todos os é o próprio Deus. Seu desejo é de “que todos os homens sejam
ia a esta linha membros da igreja. Renold Blank escreveu: “todo membro pre- salvos e cheguem ao conhecimento da verdade” (1Tm 2:4).
or Deus para a cisa ser mais ativo no contexto da missão da igreja.”7 Em muitas
e sua missão é igrejas, o líder religioso, aparentemente é o responsável por tu- Referências
do e todos. A ideia é bem clara: todos devem estar envolvidos 1. MOREAU, A. Scott, Evangelical Dictionary of World Missions, 2001.
nvolvidos nu- na missão de Deus. Ellen G. White escreveu: “É erro fatal supor 2. KRAEMER, H, The Christian Message in a Non-Christian World, 1938, p. 358.
o. No dizer de que a obra de salvação de pessoas dependa só do ministério. 3. WHITE, Ellen G. Atos dos Apóstolos, 2010, p. 9.
ão. Ao contrá- Não somente sobre o pastor ordenado repousa a responsabili- 4. MOLTAMN, Jurgen, The Church in the Power of the Spirit, 1993, p. 10.
missão não é dade de sair a cumprir essa missão.”8 5. GUDER, Darrel. Missional Church: A Vision for the Sending of the Church VANDIR
Designer
Ele é bem es- in North America, 1998, p. 66.
a de sua com- 6. BLAW, Johannes, A Natureza Missionária da Igreja, 1962.
ma estratégia 7. BLANK, Renold J. Ovelhas ou protagonistas? A Igreja e a Nova Autonomia Editor

s. do Laicato no Século 21. 2006, p. 38.


ssio Dei envol- Everaldo Carlos (@everaldocarlos1) 8. WHITE, Ellen G., idem, p. 110. C.Qualidade

. Esta, por sua Pastor na Região Sul do Brasil 9. KIRK, J. Andrew, O que é Missão? Teologia bíblica de missão, 2006.
ompe os limi- 10. BOSCH, David, Missão transformadora: Mudança de Paradigma na
Ilustração de Jo Card

Depto. Arte
Cedida pelo autor

esse contexto, Teologia da Missão, 2002, p. 391.


ssão de Deus. 11. HIRSCH, Alan, The Forgotten Ways: Reactivating the Church, 2006, p. 82.

Revista do Ancião abr-jun 2014 23

29793_Anciao2T14.indd 23 25/02/14 09:51


Adquira o material que irá
complementar seu estudo diário
da Lição da Escola Sabatina. Adm

Cr sto e Sua lei


A
má ad
causa
gústia
moderna esti
mais do que
para atender
consumistas d
doméstico e,
portantes da v
se: o relaciona
rompidas, e
nas atividades
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

Sugestões
Administr
que precisa s
vida por mu
A seguir, algu
lhos importan

Mari Baroni / Ilustração: Lobo 1. Fidelidade


Desde o p
para o homem
coisas (ver Êx

© michelangelus | Fotolia
VANDIR voluntárias for
Designer
bênção ao hom
dízimos tem p
Editor

C.Qualidade

Depto. Arte
Ligue Ou dirija-se a uma das livrarias da CPB
Cedida pelo autor

0800-9790606* Consulte a relação de endereços no site www.cpb.com.br


Acesse *Horários de atendimento: Segunda a quinta, das 8h às 20h
/casapublicadora www.cpb.com.br Sexta, das 8h às 15h45 / Domingo, das 8h30 às 14h

29793_Anciao2T14.indd 24 25/02/14 09:51


Finanças

ário
a. Administração
sábia
to
lei
A
má administração do dinheiro é radouro como a lei de Deus. Esse sistema prar a prazo, é bom considerar o seguin-
causa de sérios problemas e an- foi uma bênção ao povo judeu, do contrá- te: se hoje não há dinheiro sobrando na
gústia em muitas famílias. A vida rio o Senhor não lho haveria dado. Assim poupança, amanhã também não haverá.
moderna estimula as pessoas a gastar será igualmente uma bênção aos que o
mais do que podem. Gastos excessivos observarem até ao fim do tempo. ... Nosso 4. Resistência à tentação.
para atender exclusivamente desejos Pai celestial... viu que o referido sistema era Aprenda a dizer não à vitrine atraen-
consumistas desequilibram o orçamento exatamente o que o homem necessitava” te; não à sociedade imediatista; não ao
doméstico e, na sequência, fatores im- (Ellen G. White, Conselhos Sobre Mordomia, supérfluo. Movidas por impulso, as pes-
portantes da vida pessoal entram em cri- p. 67, 68). Demonstramos total confiança soas compram desnecessariamente até
se: o relacionamento conjugal, amizades em Deus quando separamos a parte que o que não querem. O pior se dá quando
rompidas, e até mesmo a participação Ele designou para ser usada na pregação do chega o extrato do cartão de crédito.
nas atividades da igreja. Evangelho. Sua promessa é que jamais se- Vem o arrependimento de ter ido àquele

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


Sugestões práticas remos desamparados (ver Ml 3:10; Sl 37:25). restaurante caro, da calça que não tinha
Administrar as finanças é uma arte necessidade de comprar, da bolsa que es-
que precisa ser aprendida e desenvol- 2. Cuidado com instituições financeiras tava em grande liquidação. Cuidado com
vida por muitas famílias adventistas. Pessoas sensatas evitam ao máximo os cartões de crédito! Eles têm sido causa
A seguir, algumas orientações e conse- fazer empréstimos com bancos e agio- de angústias, conflitos na família, insônia.
lhos importantes: tas, principalmente quando os juros são
exorbitantes. Para não se tornar escravo 5. Quitação de débitos.
1. Fidelidade na mordomia cristã de uma dívida impagável, muitas vezes é A eliminação de gastos desnecessá-
Mari Baroni / Ilustração: Lobo

Desde o princípio, Deus Se apresentou preferível se desfazer temporariamente rios é imprescindível para quitar dívidas.
para o homem como o Criador de todas as de alguns bens. Em algumas situações a O consumismo desmedido é um dos ma-
coisas (ver Êx 20:8). O dízimo e as ofertas venda do carro ou a troca por outro mais les principais da vida moderna.
© michelangelus | Fotolia

voluntárias foram instituídos para ser uma velho pode ser uma alternativa. “Decida nunca mais incorrer em outro VANDIR
Designer
bênção ao homem. “O sistema especial de débito. Negue-se mil e uma coisas antes
dízimos tem por base um princípio tão du- 3. Comprar à vista de entrar em outra dívida. Essa tem sido
Débito prolongado e mal planejado a maldição de sua vida: entrar em dívida. Editor

tem que ver com disciplina pessoal e Evite-a, como evitaria a varíola. Negue
Érico T. Xavier revela a incapacidade de se viver com o seu gosto, negue a condescendência com C.Qualidade

Professor no IAENE dinheiro que recebe. Muitas vezes, é mais o apetite, economize seu dinheiro e pa-
fácil comprar em suaves prestações do gue suas dívidas. Esforce-se para pagá-las Depto. Arte
Cedida pelo autor

que à vista. Porém, as suaves prestações o mais depressa possível” (Ellen G. White,
podem virar pesadelos. Antes de com- Conselhos Sobre Mordomia, p. 257).

Revista do Ancião abr-jun 2014 25

29793_Anciao2T14.indd 25 25/02/14 09:51


MINISTÉRIO JOVEM
de jovens tem

Conectados
seu grupo a c
que a igreja
a Escola Saba
contros evan

com Deus oração e, prin


é estendida a
adoração.
Essa mot
meio de boa

A verdadeira ções sobre o


espirituais da
adoração nos leva são fundame
envolvem no
a ter profundo
senso da presença Elementos
Assim com
de Deus chegada do sá
mos para o cul
temunhos pes
Alguns el

A
lgo essencial no ministério jo- Pai em espírito e em verdade” (Jo 4:23). Entretanto, é necessário que, de for- tes na adoraçã
vem é a necessidade de uma As palavras de Cristo atravessaram os sé- ma contínua, avaliemos os cultos da igre- 1. Arrepen
clara compreensão do conceito culos e se aplicam à igreja do tempo do ja, buscando revitalizá-los, a fim de que mente do ado
e significado de adoração. Adoração fim. Isso quer dizer que devemos adorar as atividades litúrgicas não caiam em ência do arrep
não significa meramente estar na igreja. a Deus “com toda a sinceridade, com as rotina, perdendo seus objetivos. Além 2. Confissã
O exercício religioso do culto consiste em mais elevadas faculdades do ser, apli- disso, é reconhecida a necessidade de a portante na a
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

apresentar-se diante de Deus, reverente- cando à vida os princípios da verdade. igreja local desenvolver uma liturgia que santuário de
mente, e buscar integrar na vida diária o Jesus afirma ser esta a genuína adoração; proporcione a todos os presentes uma ção aberto pa
que aprendemos durante o culto. tudo o mais é falso” (Comentário Bíblico atmosfera de adoração a Deus. 3. Interces
Quando falamos de culto jovem é Adventista do Sétimo Dia, v. 5, p. 1041). Ellen G. White escreveu: “Nossas reu- pírito de inte
fundamental que o associemos com o ato O ato de adoração genuína é a maior niões devem oferecer o maior interesse estão ao nos
de adorar. Cultuar a Deus corresponde a oferta que podemos dar a Deus. Coisa possível. Deve imperar nelas a própria familiares, am
adorá-Lo. Por isso, devemos desenvolver alguma é mais importante que a doação atmosfera do Céu. As orações e discursos escola, univer
correta visão de Deus em Sua soberania. de nós mesmos. não devem ser prolixos e enfadonhos, 4. Louvor
No contexto do ministério jovem, os Pessoas, com base nos tempos mo- apenas para encher o tempo. Espontane- louvor exerce
encontros sociais para desenvolvimento dernos, querem propor formas diversi- amente e com pontualidade, todos de- al. Músicas e
de companheirismo e, até mesmo, pe- ficadas de adoração, estabelecendo na vem contribuir com sua parte e, esgotada ção dos adora
VANDIR quenas reuniões de cunho religioso, não igreja uma linha divisória, isto é, a igreja a hora, a reunião deve ser pontualmente 5. Testemu
Designer
devem jamais substituir o culto de adora- do passado e a igreja do futuro, ou la- encerrada. Desse modo será conserva- temunho do q
ção que implica em contemplação, admi- mentavelmente, como alguns dizem, a do vivo o interesse. Nisso está o culto
Editor
ração, reconhecimento e profundo senso igreja da “velharada” e a igreja da “mo- agradável a Deus. Seu culto deve ser in-
Vandir Dorta Jr. e © mostafa fawzy | Fotolia

da presença de Deus. çada”. Isso parece deixar na mente do jo- teressante e atraente, não se permitindo
C.Qualidade vem a ideia de que a adoração, em seus que degenere em formalidade insípida”
A essência da adoração princípios espirituais, está condicionada (Testemunhos Seletos, v. 2, p. 251, 252).
Depto. Arte À mulher samaritana, Cristo afirmou: ao contexto social e à faixa etária dos Os jovens devem ser motivados a
Divulgação DSA

“Os verdadeiros adoradores adorarão o membros da igreja. participar das reuniões de culto. O líder

26 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 26 25/02/14 09:51


de jovens tem o dever cristão de ajudar vida causam grande impacto na vida de vens, Encontro Jovem ou simplesmente
seu grupo a compreender que, sempre outros jovens. JA, o que revela tentativas de se adequar
que a igreja for aberta, quer seja para 6. Mensagem – A exposição da Pa- à linguagem e ao formato;
a Escola Sabatina, o culto divino, os en- lavra é elemento indispensável na con- • Que as redes sociais têm promovi-
contros evangelísticos, as reuniões de gregação. Vidas são transformadas pelo do mudanças no comportamento social
oração e, principalmente, o culto jovem, poder de Deus através de Sua Palavra. dos jovens;
é estendida a todos a oportunidade de Ellen G. White declara: “Os cânticos
adoração. de louvor, a oração, a palavra ministra- Propomos:
Essa motivação pode ocorrer por da pelos embaixadores do Senhor, são • Que tenhamos a reafirmação do
meio de boa comunicação de informa- meios que Deus proveu para preparar culto jovem como um programa espiri-
ções sobre os eventos e programações um povo para a assembleia lá do alto” tual, tendo o apoio e a participação da
espirituais da igreja. Ordem e informação (Testemunhos Seletos, v. 2, p. 193) Igreja para resgatar esse ideal;
são fundamentais para todos os que se • Que o Culto Jovem seja realizado
envolvem no serviço de adoração. Consenso da Divisão nas tardes de sábado sem que haja, no
Sul-Americana mesmo horário, concorrência de outras
Elementos do culto jovem Com o intuito de fortalecer as ativida- atividades oficiais da Igreja;
Assim como nos preparamos para a des do culto jovem, a Divisão Sul-Ameri- • Que a liderança da igreja, inclusive o
chegada do sábado, também nos prepara- cana chegou ao seguinte consenso: pastor, assista e participe do Culto Jovem;
mos para o culto. Ele envolve: cânticos, tes- • Que o lançamento do novo formato
temunhos pessoais, oração e mensagem. Considerando: do Culto Jovem, seja no dia 7 de dezem-
Alguns elementos se fazem presen- • Que a juventude necessita de um bro pelo canal executivo com transmis-
o que, de for- tes na adoração: culto que expresse sua realidade e cujo são via satélite;
cultos da igre- 1. Arrependimento – O coração e a conteúdo a sustente diante das lutas e • Que em 2014 haja capacitação para
a fim de que mente do adorador devem viver a experi- desafios; o diretor do ministério jovem da igreja
ão caiam em ência do arrependimento diante de Deus. • Que muitas atividades, como ação por meio de cursos de liderança;
jetivos. Além 2. Confissão – É outro elemento im- missionária, comissões e reuniões admi- • Que o formato do Culto Jovem prio-
essidade de a portante na adoração. Ao entrarmos no nistrativas, concorrem com o culto jovem rize o louvor, a intercessão, o testemunho

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


ma liturgia que santuário de Deus, devemos ter o cora- e o enfraquecem; e a mensagem;
resentes uma ção aberto para a confissão. • A importância de reafirmar um dia • Que o nome deste programa espiri-
eus. 3. Intercessão – Devemos ter o es- e hora, para fortalecer a programação; tual seja Culto Jovem;
: “Nossas reu- pírito de intercessão pelas pessoas que • A necessidade de ter a presença • Que a Revista Ação Jovem e outros
aior interesse estão ao nosso redor (cônjuge, filhos, dos líderes da igreja no culto jovem; materiais promovam esse novo formato,
las a própria familiares, amigos, vizinhos, colegas de • Que a iniciativa de fortalecer o culto auxiliando o diretor local a se adaptar às
es e discursos escola, universidade). jovem precisa ter o envolvimento de to- novas necessidades;
enfadonhos, 4. Louvor – No culto, o momento de da a liderança da igreja; • Que as redes sociais da igreja local
o. Espontane- louvor exerce grande influência espiritu- • Que o formato atual do culto jovem divulguem e incentivem o debate anteci-
de, todos de- al. Músicas e hinos sacros falam ao cora- não tem atraído os jovens em sua maioria; pado dos temas do Culto Jovem de cada
te e, esgotada ção dos adoradores. • Que o culto jovem, em sua história, sábado.
pontualmente 5. Testemunho – Jovens que dão tes- já teve vários nomes como programa MV Com o apoio da liderança da igreja, VANDIR
Designer
erá conserva- temunho do que Deus tem feito em sua (missionários voluntários), Liga dos Jo- você, que é líder de jovens, pode abra-
está o culto çar essa ideia e promover em sua igreja
o deve ser in- um Culto Jovem iluminado e aprovado Editor
Vandir Dorta Jr. e © mostafa fawzy | Fotolia

se permitindo por Deus. Assim, jovens, idosos e crian-


dade insípida” Areli Barbosa ças serão abençoados nesse culto. Sua C.Qualidade

. 251, 252). Diretor do Ministério Jovem igreja será impactada espiritualmente no


da Divisão Sul-Americana
motivados a encontro de sábado à tarde, com louvor, Depto. Arte
Divulgação DSA

culto. O líder intercessão, testemunho e mensagem.


Essa é a nossa missão. Participe!

Revista do Ancião abr-jun 2014 27

29793_Anciao2T14.indd 27 25/02/14 09:51


adoracão

Reu
Música sacra da i
Impressiona poderosamente o coração Em algum
com as verdades espirituais pastor: “Neste
ja, porque nã
do ano, realiz
É possível que
delas sejam m
Em se trat

A
melodia de louvor é a atmosfera citar pensamentos e despertar simpatia, assunto dos louvores e ações de gra- de quantas reu
do Céu e, quando o Céu vem em para promover a harmonia de ação e ba- ças do coro celestial em redor do trono ou quatro ano
contato com a Terra, há música e nir a tristeza e os maus pressentimentos, e, despertando-se o eco do cântico dos o acompanha
cântico – “ações de graças e voz de melo- os quais destroem o ânimo e debilitam anjos em nossos lares terrestres, os cora- As igrejas
dia” (Is 51:3). o esforço. ções serão levados para mais perto dos Igreja têm exp
Sobre a Terra recém-criada, linda É um dos meios mais eficazes para cantores celestiais. A comunhão do Céu membros no
e sem mácula, sob o sorriso de Deus, impressionar o coração com as verdades começa na Terra. Aqui aprendemos a no- evangelismo e
“as estrelas da alva juntas alegremente espirituais. Quantas vezes, ao coração ta tônica de seu louvor. oficiais da Ass
cantavam, e todos os filhos de Deus re- oprimido duramente e pronto a desespe- Fazia-se com que a música servisse
jubilavam” (Jó 38:7). Assim, os corações rar, vêm à memória algumas das palavras a um santo propósito, a fim de erguer Recomenda
humanos, em simpatia com o Céu, têm de Deus – as de uma estrofe, há muito os pensamentos ao que é puro, nobre,
Reunião adm
correspondido à bondade de Deus em tempo esquecida, de um hino da infância edificante, e despertar na alma devoção
notas de louvor. Muitos dos fatos da his- – e as tentações perdem seu poder, a vida e gratidão para com Deus. Que contraste
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

“As reun
tória humana se têm ligado a cânticos. assume nova significação e novo propósi- entre o antigo costume e os usos a que menos uma
A história dos cânticos da Bíblia está to, e o ânimo e a alegria se comunicam a muitas vezes a música hoje é dedicada! consulta com
repleta de sugestões quanto aos usos e outras pessoas! A música faz parte do culto de Deus, da Igreja, p. 1
benefícios da música e do canto. A mú- Nunca se deve perder de vista o valor nas cortes celestiais, e devemos esforçar-
sica muitas vezes é pervertida para ser- do canto como meio de educação. Que nos, em nossos cânticos de louvor, por
“Em gera
vir a fins maus, e assim se torna um dos haja cântico no lar, hinos suaves e puros, nos aproximar tanto quanto possível da uma ou du
poderes mais sedutores para a tentação. e haverá menos palavras de censura e harmonia dos coros celestiais. do sábado, d
Corretamente empregada, porém, é um mais de ânimo, esperança e alegria. Haja Quando os seres humanos cantam reunião” (Ma
dom precioso de Deus, destinado a er- canto na escola, e os alunos serão leva- com espírito e entendimento, os músicos
guer os pensamentos a coisas altas e no- dos para mais perto de Deus, dos profes- celestiais captam a harmonia e se unem
“Os assu
bres, a inspirar e elevar o coração. sores e uns dos outros. ao cântico de ações de graças. Deus é
© aleksander1 | Fotolia

numa reuniã
VANDIR Assim como os filhos de Israel, jor- Como parte do culto, o canto é um glorificado por hinos de louvor prove-
Designer convocada”
nadeando pelo deserto, suavizavam sua ato de adoração tanto quanto a oração. nientes do coração puro e cheio de amor
viagem por meio da música de cânticos Efetivamente, muitos hinos são orações. e devoção para com Ele.
Editor
sagrados, Deus ordena a Seus filhos hoje Se a criança for ensinada a compreender “A agend
que alegrem sua vida peregrina. Poucos isso, ela pensará mais no sentido das pa- obra da igre
C.Qualidade meios há mais eficazes para fixar Suas pa- lavras que canta, e se tornará mais susce- Ellen G. White relatórios co
lavras na memória do que repeti-las em tível à sua influência. Texto extraído do livro relatórios, de
Mensagens aos Jovens,
Depto. Arte cânticos. E tal cântico tem maravilhoso Ao guiar-nos nosso Redentor ao li- p. 291-294
ção de um p
poder. Tem poder para subjugar as na- miar do Infinito, resplandecente com relatórios e p
dos por escr
turezas rudes e incultas; poder para sus- a glória de Deus, podemos aprender o
A. F. C.

28 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 28 25/02/14 09:51


GUIA DE PROCEDIMENTOS

Reuniões administrativas
da igreja

Em algumas igrejas, é muito comum os líderes dizerem a seu


pastor: “Neste mês não precisamos reunir a Comissão da Igre- “A fim de conservar um espírito de cooperação entre
as igrejas da associação, a igreja deve buscar conselhos dos
ja, porque não temos assuntos.” Existem igrejas que, ao longo
administradores do Campo para todos os assuntos de maior
do ano, realizam apenas três ou quatro reuniões da comissão.
importância” (Manual da Igreja, p. 131).
É possível que, em razão disso, os desafios para o crescimento
delas sejam maiores.
Em se tratando de reuniões, é bom fazer um levantamento Comissão da igreja
ções de gra- de quantas reuniões administrativas a igreja teve nos últimos três
edor do trono ou quatro anos, a fim de avaliar o planejamento do evangelismo, “Quando a comissão dedica seu primeiro interesse e suas
mais vigorosas energias ao evangelismo por parte de cada
o cântico dos o acompanhamento dos projetos realizados durante o ano.
membro, os problemas, em sua maioria, são aliviados ou pre-
stres, os cora- As igrejas que seguem as recomendações do Manual da
venidos. Uma forte e positiva influência é sentida na vida espiri-
ais perto dos Igreja têm experimentado os efeitos benéficos ao envolver seus
tual e no crescimento dos membros” (Manual da Igreja, p. 131).
unhão do Céu membros no planejamento de atividades, principalmente no
ndemos a no- evangelismo em seus vários segmentos, bem como nos planos
oficiais da Associação/Missão, União e da Divisão Sul-Americana. “É bom agendar a reunião mensal para a mesma semana e
o mesmo dia de cada mês” (Manual da Igreja, p. 133).
úsica servisse
fim de erguer Recomendações do Manual da Igreja
puro, nobre, “A reunião da comissão deve ser anunciada no culto regular
Reunião administrativa:
alma devoção de sábado e todos os membros devem ser incentivados a com-
Que contraste “As reuniões administrativas devem ser realizadas pelo parecer” (Manual da Igreja, p. 133).

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


os usos a que menos uma vez por ano. O pastor ou a Comissão da Igreja em
é dedicada! consulta com ele e com seu apoio convoca a reunião” (Manual
“A comissão estudará as recomendações da Associação pa-
culto de Deus, da Igreja, p. 130).
ra os programas e métodos evangelísticos e como eles podem
mos esforçar-
ser implementados localmente” (Manual da Igreja, p. 133).
e louvor, por
“Em geral, uma reunião administrativa é anunciada com
o possível da uma ou duas semanas de antecedência no culto regular
ais. do sábado, dando-se detalhes sobre o horário e o lugar da Cronograma anual sugestivo para as reuniões
anos cantam reunião” (Manual da Igreja, p. 130). administrativas
to, os músicos ATIVIDADES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

nia e se unem Reuniões Administrativas X


“Os assuntos principais da igreja devem ser decididos
raças. Deus é
© aleksander1 | Fotolia

Comissão de Nomeações X
numa reunião administrativa regular ou extraordinariamente
ouvor prove- reuniões de planejamento X X X X VANDIR
convocada” (Manual da Igreja, p. 130). de evangelismo
Designer
cheio de amor Comissões da Igreja X X X X X X

“A agenda da reunião deve incluir os relatórios sobre a Editor

obra da igreja. Pelo menos uma vez ao ano, deve apresentar Caro ancião:
relatórios cobrindo as atividades da igreja. Com base nesses A Associação Ministerial da Divisão Sul-Americana é quem C.Qualidade

relatórios, deve ser apresentada uma proposta para aprova- responde. Escreva para Guia de Procedimentos – Caixa Postal
2600; CEP 70270-970, Brasília, DF, ou ministerial.dsa@adventis-
ção de um plano para o ano seguinte. Quando possível, os
tas.org.br. A proposta deste espaço é esclarecer dúvidas sobre Depto. Arte
relatórios e planos para o ano seguinte devem ser apresenta- assuntos ligados à administração da igreja. Dentro do possível a
dos por escrito” (Manual da Igreja, p. 130, 131). resposta será publicada nesta seção.
A. F. C.

Revista do Ancião abr-jun 2014 29

29793_Anciao2T14.indd 29 25/02/14 09:51


RELACIONAMENTOS
Comp

O ancião e o o Ap
Quais pr

evangelismo do livro d
apresentar

Princípio 1

Fatores importantes na dinâmica “Toda a Esc


“nenhuma p
missionária da igreja tação. Pois,
dos homens
laram movid

A Bíblia é
la mesma. Se

F
19) compara
“ aça a obra de um evangelista.” Essa
admoestação do apóstolo Paulo,
O evangelismo dentro da própria co-
munidade deve ser prioridade de toda
No contexto evangelístico da igreja
local, os anciãos podem ministrar vários
2:13, At 17:1
textos. Por e
em 2 Timóteo 4:5, também se apli- congregação adventista. O pastor não cursos de capacitação. Certamente, al- seiscentas r
ca aos anciãos. Eles não apenas auxiliam pode ser o único da liderança envolvido guns terão como conteúdo principal seu significado d
o pastor no cuidado pastoral da congre- na atividade evangelizadora, se, de fa- exemplo. O estudo da Bíblia nos lares A pesqu
gação, mas também compartilham o pla- to, o propósito da igreja é cumprir essa ainda é um dos meios mais eficazes para coerente de
nejamento evangelístico. tarefa. Todos os líderes e membros da levar pessoas a Cristo. O instrutor desse interpretaçã
A questão de liderar nossos mem- congregação devem participar, em seus estudo disponibiliza para os alunos lições Antigo Testa
bros da igreja na atividade evangelísti- vários segmentos, na ação evangelística. simples que apresentam o plano da sal- em Cristo, e,
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

sociado a dis
ca é um poderoso desafio a cada líder Capacitar pessoas para o evangelis- vação. Esse programa poderá ser mais
cas ou étnica
e obreiro na causa de Deus. Creio firme- mo deve ser uma das prioridades do pla- amplamente utilizado se os membros fo-
dimensão cr
mente que a velocidade com que a obra nejamento de atividades da igreja. Ellen rem preparados para o evangelismo que
de Deus será concluída depende, em G. White escreveu: “Em toda igreja, os faz uso de estudos bíblicos.
grande medida, de como nos relaciona- membros devem ser preparados de ma- A comissão de anciãos pode desig- Princípio 2
mos com esse plano. neira tal que dediquem tempo para atrair nar um deles para supervisionar esse Estudo conj
A igreja foi chamada com o propósi- pessoas para Cristo. Como poderá ser ministério na igreja. Outro pode capa-
to de evangelizar. A ordem é clara: “Ide, dito da igreja: ‘Vós sois a luz do mundo’ citar os membros para ministrar esses O livro do A
livro de Dan
portanto, fazei discípulos de todas as (Mt 5:14), a menos que seus membros es- estudos, e outros orientam os novos ins-
que para as
nações” (Mt 28:19). Porém, bem poucos tejam realmente comunicando luz? Des- trutores quanto à geografia do território
sentam um
© .shock | Fotolia

compreendem a plena importância da pertem e compreendam seu dever os que missionário, ou seja, ajuda a encontrar
desde os dia
VANDIR comissão. Com muita frequência, presu- estão encarregados do rebanho de Cristo, pessoas que recebam estudos bíblicos reino de De
Designer
me-se que seja um apelo para ingressar e ponham muitos membros a trabalhar” em seus lares.
no ministério ou para ser missionário. (Serviço Cristão, p. 61). O tempo e a su- A aborda
Editor
Creio ser correto dizer, sem exagero, que pervisão requeridos para capacitar esses tar as profeci
boa parte dos anciãos da Igreja Adven- membros estão além do que o pastor po- calipse 13, a
C.Qualidade tista do Sétimo Dia não tem visto essa de realizar sozinho. Os anciãos precisam Joel Sarli partes dos q
comissão evangelística como individual, prover recursos humanos a execução e Ex-editor da Revista clara, o pode
Elder’s Digest
Depto. Arte isto é, a cada filho de Deus, para ir a seu expansão do evangelismo proposto pela cial direta da
mundo pessoal e ser uma testemunha igreja. Para isso, eles também precisam Kenneth
do evangelho. da orientação e capacitação do pastor. tinuidade ve
A. F. C.

30 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 30 25/02/14 09:51


PERGUNTAS & RESPOSTAS
Compreendendo (essas profecias fazem uso de simbologia fantástica, longos
o Apocalipse períodos de tempo e o princípio “dia-ano”). Verticalmente,
tais profecias apresentam uma relação muito próxima entre
o Céu e a Terra (ver Ap 4) demonstrando que Deus está no
Quais princípios devem nortear a interpretação controle dos acontecimentos, e atua em favor do Seu povo.
do livro do Apocalipse? Por limitação de espaço, Horizontalmente, elas apresentam uma continuidade,
apresentarei apenas quatro princípios básicos. isto é, um histórico contínuo que contrasta com as profecias
clássicas. Por exemplo, na sequência simbólica da imagem
Princípio 1 de Daniel 2, das quatro bestas e dos chifres de Daniel 7, é
traçada uma linha histórica desde o ano 605 a.C. até o es-
“Toda a Escritura é divinamente inspirada” (2Tm 3:16) e tabelecimento do reino de Deus. Já em Apocalipse, essa
“nenhuma profecia da Escritura é de particular interpre- mesma linha histórica é traçada desde o primeiro século do
tação. Pois, a profecia nunca foi produzida por vontade cristianismo conforme é apresentado nos sete selos.
dos homens, mas os homens santos da parte de Deus fa-
laram movidos pelo Espírito Santo” (2Pe 1: 20-21). Princípio 3

A Bíblia é a chave indispensável para a compreensão de- O princípio “dia-ano” é indispensável para a compreen-
la mesma. Sendo bem usada em seu conjunto (ver Ap 22:18- são das profecias apocalíticas de tempo.
19) comparando coisas espirituais com espirituais (ver 1Co
tico da igreja 2:13, At 17:11), ela ajuda a esclarecer o significado de seus Enquanto nas profecias clássicas o tempo é longo e in-
inistrar vários textos. Por exemplo, o Apocalipse, com aproximadamente dicado literalmente (ver Jr 25:11), nas profecias apocalípti-
rtamente, al- seiscentas referências ao Antigo Testamento, apresenta o cas os períodos são descritos em reducionismo simbólico
principal seu significado de sua simbologia (ver Ap 1:20; 12:6, 14; 17:15). e de maneira anormal, por exemplo: um tempo, tempos
blia nos lares A pesquisa deve ser cuidadosa, diligente, equilibrada e e metade de um tempo (Ap 12:6, 14) e 42 meses (Ap 13:5).
eficazes para coerente de modo especial com o Novo Testamento, que é a Uma evidência do uso do princípio “dia-ano” em Daniel 8
nstrutor desse interpretação e o cumprimento, em Cristo, das profecias do é o aparecimento de nações simbólicas, tempo simbólico e
s alunos lições Antigo Testamento. Sendo o Apocalipse um livro centrado ações simbólicas, enquanto em Daniel 11 aparecem nações
plano da sal- em Cristo, e, por extensão em Sua igreja, não deveria ser as- literais, tempos literais e ações literais. Mesmo por pragma-

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


sociado a distorções, quer sejam alegóricas, literais, simbóli- tismo, a profecia das 70 semanas de Daniel 9 pede o uso do
derá ser mais
cas ou étnicas. Nele, as profecias se cumprem em uma única princípio “dia-ano”.
membros fo-
dimensão cristológica, eclesiológica universal (Ap 14:6-14).
ngelismo que
Princípio 4
pode desig- Princípio 2
visionar esse Estudo conjunto dos livros de Daniel e Apocalipse Considerar declarações e comentários de Ellen G. White
o pode capa-
inistrar esses O livro do Apocalipse deve ser estudado em união com o Sendo que os escritos de Ellen G. White são relevantes
livro de Daniel, pois este é sua principal raiz com desta- para um número cada vez maior de pessoas não adventistas,
os novos ins-
que para as profecias dos capítulos dois e sete que apre- devemos incluir nos estudos desses livros proféticos suas
a do território
sentam uma sequência paralela de impérios universais
© .shock | Fotolia

a a encontrar declarações e comentários de modo especial em referência


desde os dias do profeta até o estabelecimento do eterno ao cumprimento de profecias apocalípticas. Como sugestão,
udos bíblicos reino de Deus. VANDIR
leia o que ela escreveu no livro O Grande Conflito em relação Designer

ao cumprimento profético dos livros de Daniel e Apocalipse.


A abordagem historicista é a mais confiável para interpre-
tar as profecias desses livros. Por exemplo, a profecia de Apo- Editor

calipse 13, apresenta uma fantástica besta composta com Caro ancião:
partes dos quatro animais (reinos) de Daniel 7. A indicação é Dr. Wilson Borba, diretor do Seminário Adventista Latino-Ame- C.Qualidade

clara, o poder ali mencionado está na linha profética sequen- ricano de Teologia (SALT), sede FAAMA é quem responde. Escreva
para Perguntas e Respostas – Caixa Postal 2600; CEP 70270-970,
cial direta das quatro potências mencionadas nesse capítulo.
Brasília, DF ou ministerial.dsa@adventistas.org.br. A proposta des- Depto. Arte
Kenneth A. Strand, teólogo adventista, propôs uma con- te espaço é esclarecer dúvidas sobre assuntos ligados à doutrinas
tinuidade vertical e horizontal nas profecias apocalípticas da igreja. Dentro do possível a resposta será publicada nesta seção.
A. F. C.

Revista do Ancião abr-jun 2014 31

29793_Anciao2T14.indd 31 25/02/14 09:51


Ac

O que é
um “As

N
estes
trabal
te pel
o território d
Observar a riq
e provar de s
do os rigores
eventual priva
constantes de
Foi com m
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

exemplo, qu
um paladar a
“de tudo o q
sem nada per
posso comer
o pequi (frut
do Brasil e de
vertido) a coe
não estava ha
que pode ser
para mim, nã
VANDIR vida em difere
Designer
para formar n
litando a preg
Editor

C.Qualidade
Douglas Assunção / Imagem: Fotolia

Depto. Arte
Divulgação DSA

29793_Anciao2T14.indd 32 25/02/14 09:51


SAÚDE

A culinária da
contracultura
O que é posto na mesa precisa refletir
um “Assim diz o Senhor”

N
estes últimos anos, em razão do Descobri que rejeitar um alimento mos a vinda do Senhor, também estamos
trabalho, tenho viajado bastan- é considerado por alguns como ofensa, vivendo nesse processo de contracultura,
te pelos oito países que formam simplesmente porque simboliza a rejei- isto é, de mudança de mente. Na verda-
o território da Divisão Sul-Americana. ção à sua cultura. Claro! A culinária é tão de, não importa nossa cultura de origem.
Observar a riqueza cultural de cada país importante em uma cultura que ambas Neste tempo, o Senhor nos chama para
e provar de sua culinária tem ameniza- não podem ser dissociadas. Pela comida, uma nova cultura, a cultura de Céu. Con-
do os rigores de uma agenda apertada, geralmente se identifica a cultura. É pro- sidero grande privilégio fazer parte des-
eventual privação de sono e comida e de vável que tenha sido por isso que Deus ta geração escolhida, nação santa, povo
constantes deslocamentos. não Se limitou a uma mudança geográ- adquirido, para anunciar as virtudes do
Foi com meus pais, e eles davam o fica quando quis transportar os israelitas Senhor, que nos chamou das trevas para

27770 - Revista do Ancião 2Trim 2013


exemplo, que aprendi a desenvolver para Canaã. a luz (ver 1Pe 2:9).
um paladar amplo, comendo com gosto Deus conhecia a necessidade de mu- É por isso que a culinária dos adven-
“de tudo o que se puser diante de vós, dança radical na culinária. Não bastava tistas do sétimo dia deve ser diferente.
sem nada perguntar...” (1Co 10:27). Hoje, tirar do Egito os israelitas; era necessário Eles sabem que não se trata apenas de
posso comer com alegria desde a jaca e também tirar deles o Egito com sua cultu- uma questão de saúde ou longevidade.
o pequi (frutas típicas do Centro-Oeste ra e culinária. Quando ocorre a mudança Isso tem implicações mais amplas. Tem
do Brasil e de sabor considerado contro- na culinária, a mente passa por transfor- que ver com escolhas (inclusive na ali-
vertido) a coentro, alimentos a que antes mação (há uma relação da mente com o mentação) cujos resultados são eternos.
não estava habituado. E essa facilidade, corpo). Parte dos israelitas no deserto se Assim, nas igrejas, nos escritórios, nas
que pode ser desenvolvida, tem sido útil rebelou contra a mudança e queria voltar instituições (colégios, hospitais, acampa-
para mim, não apenas para sustentar a para o Egito – para sua comida e cultura mentos) e eventos (encontros de casais,
vida em diferentes culturas, mas também (uma representa a outra). reuniões) nossa culinária deve sempre VANDIR
Designer
para formar novos relacionamentos, faci- Nós, “sobre quem tem chegado o fim refletir os princípios de saúde que, por
litando a pregação da Palavra de Deus. dos tempos” (1Co 10:11), que aguarda- revelação, recebemos de Deus.
Editor

Alimentação adventista: Conheça também:


Marcos Faiock Bomfim C.Qualidade
Orientações para reuniões, escritórios ou instituições: Programa de trabalho do Ministério da Saúde Adventista:
Diretor do Ministério http://adv.st/orientacoesalimentacaoadventista http://adv.st/planotrabalhosaude
Douglas Assunção / Imagem: Fotolia

da Saúde da Divisão Orientações para hotéis e restaurantes que recebem adventistas: Calendário 2014 do Ministério da Saúde Adventista:
Sul-Americana http://adv.st/alimentacaoadventistaemrestaurantes http://adv.st/calendariosaude2014 Depto. Arte
Divulgação DSA

Orientações para a publicação de receitas na mídia adventista: Novo logotipo do Ministério da Saúde Adventista:
http://adv.st/receitasecardapiosadventistas http://adv.st/logosaude

Revista do Ancião abr-jun 2014 33

29793_Anciao2T14.indd 33 25/02/14 09:51


DE MULHER PARA MULHER
Na igreja,

A esposa do ancião
vida familiar,
espiritual. Cas
de tão impor
esposa do anc
esposo como

Ela desempenha papel importante na vida lavras de Ellen


para a esposa
do marido e na congregação ancião. Ela es
decidida, ineq
ela. Ou a esp
Seletos, v. 1, p.
No princíp
estivesse só,
idônea (ver G
vidades do an
sua esposa em
ao lado um b
uma mulher v
Todo anci
cujo objetivo
deu a fim de a
junto ao reba
tender que De
Isso também
A questão
tante papel q
29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

Lamentavelm
muitos memb
tiçadas, incap
Por outro
ciadas pelos m
© Kurhan | Fotolia

oficiais da igre
do assim de d
vezes, para qu
de seu papel
esposo na igre
Casar sign
VANDIR panheirismo g
Designer
tem um senti

O
cargo de ancião é relevante na igreja. Em várias ocasiões, a Bíblia faz referência àqueles que são fica mais do q
Editor
nomeados, de forma cuidadosa e prudente, para essa função e cuja ocupação, tanto dentro
quanto fora da igreja, requer responsabilidade com respaldo moral e religioso (ver Êx 18:21;
C.Qualidade 12:21; 19:7; Nm 11:16; 1Tm 3:1-7). “Os anciãos devem ser reconhecidos pela igreja como fortes líderes
espirituais e devem ter boa reputação tanto na igreja quanto na comunidade. Na ausência do pastor,
Depto. Arte os anciãos são os líderes espirituais da igreja e por preceito e exemplo devem procurar conduzi-la a
Divulgação DSA

uma experiência cristã mais profunda e completa” (Manual da Igreja, p. 74, 75).

34 abr-jun 2014 Revista do Ancião

29793_Anciao2T14.indd 34 25/02/14 09:51


Na igreja, o trabalho do ancião está relacionado com sua companheiro é: aquele que participa da vida ou das ocupações
vida familiar, envolvendo esposa e filhos, bem como sua vida de outro; colega, camarada; aquele que acompanha alguém;
espiritual. Caso contrário, não estará apto para o desempenho intimidade; solidariedade (Dicionário de Português Online).
de tão importante obra (ver 1Tm 3:2, 4, 5). Nesse contexto, a Isso também se estende a diversas situações da vida, inclu-
esposa do ancião desempenha papel fundamental junto a seu sive em servir à igreja. Ser companheiro do cônjuge é estar sem-
esposo como líder espiritual da congregação. Embora as pa- pre ao seu lado e assisti-lo em todo momento (ver Ec 4:9-12).
lavras de Ellen G. White, originalmente, tenham sido dirigidas Quando não há companheirismo ambos ou um dos cônjuges
para a esposa do pastor, elas também se aplicam à esposa do se sobrecarrega por não estar a par das dificuldades, necessida-
ancião. Ela escreveu: “A influência da esposa fala de maneira des ou angústias que um e outro estejam enfrentando.
decidida, inequivocamente em favor da verdade, ou contra Por que o companheirismo é extensivo à obra da esposa
ela. Ou a esposa ajunta com Jesus, ou espalha” (Testemunhos do ancião? É bom lembrar que o trabalho do ancião assume
Seletos, v. 1, p. 38). dimensões pastorais. Na congregação, as atividades dos depar-
No princípio, percebendo que não era bom que o homem tamentos estão sob a coordenação dos anciãos. Em relação a
estivesse só, Deus criou a mulher para ser uma auxiliadora detalhes e situações no dia a dia da igreja, a mulher tem maior
idônea (ver Gn 2:18). Na congregação, o desempenho das ati- sensibilidade e capacidade de percepção e poderá assessorar o
vidades do ancião está ligado ao apoio e acompanhamento de esposo em sua liderança espiritual.
sua esposa em seu dia a dia como líder espiritual. Sendo assim, O âmbito de atuação da esposa do ancião é amplo: ela po-
ao lado um bem-sucedido ancião de igreja, certamente existe derá acompanhar o marido e ajudá-lo durante a ministração
uma mulher virtuosa (ver Pv 31:10-31). de um estudo bíblico; poderá usar seus dons de decoração em
Todo ancião necessita da companhia e auxílio da esposa, conjunto com as diaconisas, principalmente quando o esposo,
cujo objetivo deve ser o uso dos dons espirituais que Deus lhe a pedido do pastor, ministrar uma cerimônia de Santa Ceia;
deu a fim de assistir ao seu marido em sua liderança espiritual poderá ser um estímulo para aqueles que trabalham com as
junto ao rebanho do Senhor. Para que isso ocorra é preciso en- crianças.
tender que Deus não criou o homem para que ficasse sozinho. No seio da família, a esposa do ancião desempenha papel
Isso também se aplica ao seu trabalho na igreja. importantíssimo. Ela tem a oportunidade de orar com o marido
A questão é: a esposa do ancião tem consciência do impor- e também de orar por ele, principalmente quando ele estiver
tante papel que desempenha nas atividades de seu esposo? administrando alguma situação de cunho eclesiástico. Além

29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014


Lamentavelmente, diante de intensa cobrança por parte de disso, ela preza pela aparência do seu esposo com respeito ao
muitos membros da igreja, esposas de anciãos se sentem injus- vestuário (combinação de roupas, gravatas), equilíbrio e perícia
tiçadas, incapazes e incompreendidas. no orçamento financeiro da família. “Disse mais o Senhor Deus:
Por outro lado também, muitas delas se sentem negligen- Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora
ciadas pelos maridos que, por não delegar atividades a outros que lhe seja idônea” (Gn 2:18).
oficiais da igreja, se sobrecarregam demasiadamente, impedin- De fato, com esse perfil, a esposa não deve temer ser uma
do assim de dar a atenção devida à esposa. Isso contribui, às adjutora de seu marido no ancionato da igreja. Embora haja
vezes, para que esposas de anciãos percam a visão e o objetivo adversidade ao longo do caminho, ela desfrutará imensa satis-
de seu papel como auxiliadora idônea nas atividades de seu fação, pois, “a fisionomia dos homens e mulheres que andam e
esposo na igreja. trabalham com Deus, expressa a paz do Céu. São circundados
Casar significa celebrar o prazer de estar junto, e o com- da atmosfera celeste. Para essas pessoas começou o reino de
panheirismo gera laços fortes entre o casal. Ser companheiro Deus. Elas possuem a alegria de Cristo, a satisfação de ser uma VANDIR
Designer
tem um sentido mais amplo do que podemos imaginar. Signi- bênção à humanidade. Têm a honra de ser aceitas para o servi-
fica mais do que estar ao lado fisicamente. O dicionário diz que ço do Mestre; é-lhes confiado realizar Sua obra em Seu nome”
(Ellen G. White, O Lar Adventista, p. 535). Editor

Querida esposa de ancião, ao longo da história, Deus tem


Lílian C. de Oliveira agido de diversas formas para salvar pessoas sinceras e forta- C.Qualidade

Esposa de pastor e reside na lecer Sua igreja. Ele a convida para ser cheia do Espírito Santo
cidade do Rio de Janeiro
para, juntamente com seu marido, anunciar as boas-novas ao Depto. Arte
Divulgação DSA

mundo e cuidar do rebanho do Senhor.


Lembre-se: Deus escolheu você. Ele a capacitará!

Revista do Ancião abr-jun 2014 35

29793_Anciao2T14.indd 35 25/02/14 09:51


29793 - Revista do Ancião 2Trim 2014

VANDIR
Designer

Editor

C.Qualidade

Depto. Arte

29793_Anciao2T14.indd 36 25/02/14 09:51

Você também pode gostar