Você está na página 1de 46

Fisiologia do

Exercício
Funcionamento dos sistemas
fisiológicos com o exercício físico

Dr. Lúcio Flávio Soares Caldeira


• Unidade de Ensino: 3

• Competência da Unidade: Conhecer e compreender o funcionamento dos


principais sistemas corporais envolvidos em situações de testes de esforço e em
diferentes tipos de exercício físico.

• Resumo: Compreender o funcionamento dos principais sistemas corporais


envolvidos e sua interação com o exercício físico e desempenho.

• Palavras-chave: Frequência cardíaca, ventilação pulmonar, consumo máximo de


oxigênio, limiar ventilatório, limiar de lactato, limiar anaeróbio

• Título da Teleaula: Funcionamento dos sistemas fisiológicos com o exercício físico

• Teleaula nº: 3
Estrutura e função
do sistema
cardiovascular
Sistema circulatório

Fonte: Adaptado de Powers e Howley (2017, p.191)


Valores
representativos para
(DC), (FC) e (VS) de
homens treinados e
destreinados.

Fonte: Livro didático, unidade 3.


Princípio de Fick

Fonte: Livro didático, unidade 3.


 Durante o exercício físico, ocorrem mudanças fisiológicas a fim de
atender as demandas energéticas e outras funções vitais.

Fonte: McArdle, Katch, Katch (2016, p. 351).


Mecanismos de
controle cardíaco
 Outro aspecto importante sobre o controle da atividade de
bombeamento cardíaco diz respeito aos mecanismos intrínseco e
extrínseco que agem no coração.

Mecanismos intrínsecos Mecanismos extrínsecos

capacidade elétrica própria Sistema nervoso


que o coração tem sobre o autônomo
seu ritmo (SNA)
Estrutura e função
do sistema
cardiorrespiratório
L., McARDLE, William D.; KATCH, Frank I.; KATCH,
V. Fisiologia do Exercício - Nutrição, Energia e
Desempenho Humano, 8ª edição. Grupo GEN, 2016.
[Minha Biblioteca]. P. 279
 No músculo, a troca gasosa ocorre devido a uma molécula carreadora
de oxigênio – mioglobina para o seu transporte até as mitocôndrias.
Assim como a hemoglobina, a mioglobina é uma molécula
transportadora de O2 existente nos músculos esquelético e cardíaco.

Fonte: Plowman e Smith (2009, p. 491).


Frequência
cardíaca e exercício
físico.
Será que uma elevação da FC em virtude da emoção ou do calor poderia
conferir ao indivíduo os mesmos benefícios que seriam conferidos por
uma elevação da FC induzida pelo exercício?

Ou seja...

É possível aprimorar a função cardiovascular enquanto sentado em uma


sala ou uma banheira quente ou quando se fica
assustado, raivoso ou ansioso?

(Plowman e Smith, 2009).


Resposta
 Uma elevação regular e sustentada na FC é reconhecida como sendo
importante no sentido de aprimorar a aptidão cardiovascular.
Entretanto, as respostas da FC ao exercício funcionam principalmente
como um indicador do estímulo do treinamento para o corpo (aumento
do dispêndio de energia, aumento do consumo de oxigênio, etc...).

 Quando a emoção ou a temperatura acarreta uma elevação na FC,


porém, ocorrem mudanças mínimas no dispêndio de
energia, pois não existe estímulo do treinamento
(resposta meramente aguda).

Fonte: Plowman e Smith (2009, p. 323).


Momento para
perguntas.
Limiares de
transição
metabólica
Domínios de esforço
• Ausência de estado estável de
Severo respostas fisiológicas como VO2,
lactato e pH
Limiar ventilatório 2
• Estabilização precária ou tardia de
Intenso respostas fisiológicas como VO2,
lactato e pH
Limiar ventilatório 1
• Respostas fisiológicas como VO2,
Moderado lactato e pH estáveis, após aumento
transitório inicial
Exemplificação do
efeito do
treinamento
sobre os limiares
de lactacidemia.

Fonte: Kraemer, Fleck e Deschenes (2016, p. 59).


Os limiares de lactacidemia são obtidos por diferentes metodologias e
testes, tendo como base as alterações nas capacidades de produção e
remoção de lactato pelo músculo esquelético em diferentes
intensidades de esforço.

Limiar Aeróbio
Limiar de Lactato Equivalentes
Limiar Anaeróbio
Limiar de Lactato Mínimo
Limiar Anaeróbio Individual
Máxima Fase Estável de Lactato
Limiar Aeróbio
(LAer),
Limiar de Lactato
(LL),
Limiar Anaeróbio
(LAn).

Fonte: Livro didático, unidade 3.


Limiares
ventilatórios.
 Outra forma de determinar os limiares metabólicos de transição
aeróbio e anaeróbio é por meio dos limiares ventilatórios.

 Esses limiares podem ser avaliados com auxílio de analisador de


gases, quando é possível medir as taxas ventilatórias, consumo de O2
e produção de CO2 pela utilização dos substratos energéticos (via
metabólica), e não-metabólica pelo tamponamento do H+.

Limiar ventilatório 1 Limiar ventilatório 2


Possíveis fatores
relacionados com
o aumento da
ventilação.

Fonte: McArdle, Katch, Katch (2016, p. 295).


 liminar ventilatório 1 (LV1) pode ser determinado pela razão da
ventilação (l/min) pelo valor do consumo de O2 (VO2) (VE/VO2).

 A intensidade que corresponde ao LV1 pode ser avaliada ao observar


o primeiro aumento não-linear da Ventilação, somente analisando o
seu comportamento.
 O limiar ventilatório 2 (LV2) indica a intensidade do ponto de
compensação respiratória durante o teste progressivo.

 O LV2 pode ser observado pelo segundo aumento não-linear da


ventilação, ou pela quebra da linearidade da razão da VE/VCO2.
Ventilação pulmonar,
concentração
sanguínea de lactato e
consumo de oxigênio
durante o exercício
gradativo até a
intensidade máxima.

Fonte: McArdle, Katch, Katch (2016, p. 294).


Adaptações
endócrinas ao
exercício físico
 Os hormônios exercem papel importante na regulação das funções
corporais e celulares atuando como mensageiros através do sistema
endócrino, formado por órgão hospedeiro (glândulas), hormônios e
órgão alvo (receptor).
 Neurotransmissores
 Hormônios endócrinos
 Substâncias neuroendócrinas
 Substâncias parácrinas
 Substâncias autócrinas
 Citocinas
Principais glândulas
endócrinas e órgãos
que sintetizam
hormônios.

Fonte: Kraemer, Fleck e Dechenes (2016, p. 216).


Resposta das
catecolaminas ao
ciclismo de
intensidade crescente

Fonte: McArdle, Katch, Katch (2016, p. 428).


Eixo GH/IGF-1

Fonte: Rowland (2008, p. 23).


 A maioria dos hormônios responde a estímulos periféricos de acordo com
as necessidades. Outros são liberados a intervalos regulares durante um
ciclo de 24 h que recebe a designação de padrão diurno de secreção (ou
circadiano).

Exemplo de um
padrão circadiano
para o hormônio
cortisol.

Fonte: Fleck, Kraemes e Deschenes, (2016, p. 221).


Padrão das concentrações
plasmáticas de cortisol e de
testosterona durante uma
temporada de treinamento
para natação

Fonte: McArdle, Katch, Katch (2016, p. 432).


Prescrição de
treinamento e
domínios de
esforço
Identificar faixas de intensidade para orientar, de
acordo com dos domínios moderado, intenso e
severo, os diferentes tipos de treinamento de
corrida (contínuo e intervalado). Assim, quais são
as metodologias invasivas e não invasivas que
podem ser aplicadas?
O método invasivo: concentrações sanguíneas de lactato
para identificação dos limiares de lactacidemia. Resposta
Os métodos não-invasivos, são os limiares ventilatórios e o
limiar de esforço percebido.
Existem outros métodos, como limiar de frequência
cardíaca e da sua variabilidade.
Basicamente, o limite entre os domínios de esforço
moderado e intenso é pelos limiares aeróbios (ex: LAer, LL,
OPLA e LV1). Já o limite entre os domínios intenso e severo
é pelos limiares anaeróbios (LAn, OBLA, LACmin, IAT,
MFEL, LV2 e LEP).
Momento para
perguntas.
Recapitulando
Estrutura e função do sistema cardiovascular
Mecanismos de controle cardíaco
Estrutura e função do sistema cardiorrespiratório
Adaptações endócrinas ao exercício físico
Limiares de transição metabólica