Você está na página 1de 93

DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS

Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados.

A reprodução deste Manual só pode ser feita mediante download, após


cadastro individual e pessoal através do site de cada entidade
signatária, ouautorizada para este fim.

Nenhuma parte ou todo desta publicação pode ser reproduzida,


alteradaou transmitida de outra forma ou meio, sem autorização
expressa daComissão Gestora dos Manuais

“In Memorian”

Ao término deste longo e árduo trabalho, no momento da celebração da sua con-


clusão, lamentavelmente perdemos o colega, amigo e incansável batalhador pelas
causas da cadeia produtiva da indústria da construção civil e em particular do setor de
projetos: ROBERTO AMÁ.

Por isso dedicamos a ele todos os Manuais de Escopo de Projetos e Serviços.

4
FASE Apresentação Geral

A definição prévia, clara e cuidadosa do escopo dos serviços envolvidos na elaboração de projetos, é
uma necessidade para o início de qualquer projeto em qualquer tipo de empreendimento.
No entanto, nem sempre acontece dessa forma. Muitos projetos (grandes ou pequenos) começam
com acordos mal-ajustados entre seus idealizadores e os responsáveis pela preparação dos projetos.
Dúvidas sobre o que, quando e como deveria ser elaborado, desenvolvido e entregue pelos projetistas
são comuns em todas as etapas do projeto, gerando situações desconfortáveis para todos os envolvidos. De
um lado, os empreendedores, com a impressão de que pagaram por serviços que não foram efetivamente
realizados. De outro, profissionais e empresas de projeto, que apesar de cumprirem todas as tarefas que
imaginaram fazer, têm sua imagem desgastada pelo descontentamento dos contratantes.
A situação não é benéfica para nenhuma das partes e, muitas vezes, nasce de um contrato mal-
redigido, ou com lacunas importantes, que poderiam ser evitadas se houvesse um padrão para servir de
referência para as contratações.
Para pôr fim a esse estado de coisas, as entidades representativas do setor de projetos, Abece,
Abrasip, Asbea, com a participação das entidades setoriais representativas dos contratantes de projetos
do setor imobiliário e da construção, Secovi-SP, Sindinstalação e Sinduscon-SP, uniram esforços para
oferecer ao mercado uma ferramenta capaz de esclarecer de uma vez por todas como desenvolver bons
projetos, com toda a segurança, cumprindo todas as etapas necessárias: um guia completo do que deve
fazer parte dos projetos e qual o nível de detalhamento requerido, cuja utilização evitará os desgastes,
mal-entendidos e desencontros tão comumente observados no mercado.

Assim nasceu o conjunto de Manuais de Escopo de Projetos e Serviços para Indústria Imobiliária
voltados inicialmente para as áreas dos projetos de Arquitetura e Urbanismo, Estrutura, Sistemas Elétricos
e Hidráulicos, perfeitamente integrados e compatibilizados entre si. O que se espera é que este conjunto
de manuais seja um começo, referência para a criação de outros manuais abran
gendo outras especialidades de projeto. Posteriormente seguindo a mesma sistemática, foram
desenvolvidos os Manuais de Escopo de Serviço para Coordenação de Projetos e o Manual de Escopo
de Projetos e Serviços de Ar Condicionado e Ventilação Mecânica.
A idéia que sustenta essa iniciativa não é cercear a liberdade dos procedimentos de contratação,
mas facilitar esse processo, contribuindo para que os projetos se tornem uma ferramenta importante na
otimização e aumento de produtividade dos serviços nos canteiros de obras, a partir da disponibilidade
de referências claras, corretas e completas quanto ao que deve ser executado.
A definição clara do escopo dos projetos é um primeiro passo de uma mudança cultural importantíssima
para o setor da construção brasileira. A partir da organização das etapas do próprio empreendimento, isso
levará a uma revisão de todos os relacionamentos entre os agentes que interagem em seu desenvolvimento.
Além disso, ele tende a melhorar a definição das responsabilidades envolvidas, atendendo às exigências
do novo Código Civil.

Arq Henrique Cambiaghi Eng.Augusto Pedreira de Freitas Eng.Fabio Pimenta

Eng.Marcelo Rozenberg Eng.Levon Sevzatian


Arq. Roberto Amá

Eng. Carlos Massaru Kayano Eng. Ricardo Bunemer Arq. Eliane Adesse

Eng. Raul José de Almeida Eng. Silvio Melhado Arq. Márcio Luongo

Arq. Cecília Levy Eng. Marco Antonio Manso

5
6
RELAÇÃO DE MANUAIS DE
FASE ESCOPO DE PROJETOS E SERVIÇOS

Esperamos que estes Manuais, propicie um novo ciclo de aprimoramento entre projetistas, contratantes,
órgãos de fomento da construção, e construtores e que sejam um estímulo ao aperfeiçoamento de todos
os elos da cadeia produtiva dos empreendimentos imobiliários no país. Colocado agora à disposição de
todos, torna-se guia de orientação de entidades e profissionais, para que todos possam adotá-lo como
referência já em seus próximos projetos e empreendimentos.

Volume I

Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Arquitetura e Urbanismo

Volume II

Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Estrutura

Volume III

Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Instalações Prediais - Elétrica

Volume IV

Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Instalações Prediais - Hidráulica

Volume V

Manual de Escopo de Serviços para Coordenação de Projetos

Volume VI

Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Ar Condicionado e Ventilação Mecânica

Outras Especialidades

A idéia do grupo que originou este Manual de Escopo de Projetos não é se restringir a essas especiali-
dades, mas oferecer um roteiro aos demais sistemas componentes das edificações de como continuar a
definição de escopo de todas as disciplinas profissionais envolvidas com os empreendimentos.
Aos poucos, a construção brasileira irá ganhar orientações mais precisas de quais projetos são ne-
cessários para cada tipo de empreendimento e o que deve ser considerado por cada um deles no que
se refere à documentação técnica necessária, para que alcancem um nível de excelência não só em sua
construção, mas também durante toda a sua vida útil.

7
8
Sumário
ÍNDICE GERAL
10
FASE SUMÁRIO - ÍNDICE GERAL

INTRODUÇÃO 15

ESTRUTURA GERAL DO MANUAL


Escopo e Objetivos Gerais de cada uma das Fases do Projeto de Hidráulica 23

FASE A - Concepção do Produto

Serviços Essenciais
VAC-A 001 Estudo de implantação do empreendimento 27

Serviços Opcionais
VAC-A 201 Avaliação preliminar dos sistemas de ar condicionado viáveis de serem adotados 28

FASE B - Definição do Produto

Serviços Essenciais
VAC-B 001 Cálculos de carga térmica e de vazões de ar 30
VAC-B 002 Definição de compartimentos e espaços técnicos, acesso de equipamentos, estimativas de
pesos, consumos de energia e água 31
VAC-B 003 Dimensionamento de dutos e tubulações principais para identificação preliminar de interferências 32

Serviços Específicos
VAC-B 101 Estudo técnico e econômico para a definição do tipo de sistema a ser adotado 33

FASE C - IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES

Serviços Essenciais
VAC-C 001 Consolidação dos cálculos anteriores e seleção de equipamentos 38
VAC-C 002 Definição e layout de casas de máquinas 39
VAC-C 003 Definição e layout de forros 40
VAC-C 004 Definição do dimensionamento e caminhamento da rede de dutos e tubulações, em formato unifilar
VAC-C 005 Definição e layout de furações verticais e horizontais 41

11
FASE SUMÁRIO - ÍNDICE GERAL

FASE D - PROJETO DE DETALHAMENTO

Serviços Essenciais
VAC-D 001 Detalhamento das instalações em planta 44
VAC-D 002 Desenho de cortes localizados 45
VAC-D 003 Detalhamento de casas de máquinas 46
VAC-D 004 Elaboração de diagramas de alimentação elétrica 47
VAC-D 005 Elaboração de memoriais descritivos e especificações técnicas 48

Serviços Específicos
VAC-D 101 Elaboração de fluxogramas de processos 49
VAC-D 102 Elaboração de diagramas de controle 50

Serviços Opcionais
VAC-D 201 Elaboração de plantas específicas de marcação de lajes e de vigas 51
VAC-D 202 Marcação e especificação de suportes de dutos e tubulações 52
VAC-D 203 Elaboração de diagramas de comando elétrico 53
VAC-D 204 Detalhamento de quadros elétricos e de rede de distribuição elétrica 54
VAC-D 205 Elaboração de planilha de quantidades de materiais e serviços 55
VAC-D 206 Elaboração de orçamento 56
VAC-D 207 Elaboração de minutas contratuais 57

FASE E - PÓS ENTREGA DOS PROJETOS

Serviços Essenciais
VAC-E 001 Apresentação do projeto 60

VAC-E 002 Esclarecimento de dúvidas 61

12
FASE SUMÁRIO - ÍNDICE GERAL

Serviços Opcionais
VAC-E 201 Análise técnica de propostas de fornecedores 62
VAC-E 202 Análise de soluções alternativas 63
VAC-E 203 Alterações de projeto 64
VAC-E 204 Análise dos desenhos de detalhamento de obra e planilhas de seleção de equipamentos
ofertados pelo instalador 65
VAC-E 205 Desenhos de detalhamento de obra 66
VAC-E 206 Acompanhamento técnico da obra 67
VAC-E 207 Orientação sobre procedimentos de execução 68
VAC-E 208 Inspeção de equipamentos na fábrica 69
VAC-E 209 Acompanhamento de testes, balanceamentos e partida dos sistemas e recebimento da obra
VAC-E 210 Desenhos as built 70
VAC-E 211 Preparação de manual de operação e manutenção dos sistemas 71

FASE F - PÓS ENTREGA DA OBRA

Serviços Opcionais
VAC-F 201 Participação em atividades de avaliação e/ou assessoria 74
VAC-F 202 Projetos de alterações 75

ANEXOS 76

13
14
Introdução
16
FASE INTRODUÇÃO

Os conceitos dos Manuais

A elaboração de um projeto é um processo complexo que envolve, além dos projetos em si, diversas
interfaces com outras especialidades técnicas. Portanto, a contratação e coordenação racional de um
projeto devem considerar a necessidade de integração das equipes, dos conhecimentos e experiências.
Além disso, a dinâmica atual da indústria imobiliária tem exigido uma otimização cada vez maior dos pro-
jetos para garantir um melhor planejamento e controle das obras.
Para que seja possível essa otimização, torna-se necessário o estabelecimento de um fluxo de trab-
alho estável e padronizado na elaboração dos projetos de um empreendimento, onde as etapas a serem
cumpridas atendam adequadamente às necessidades de todos os intervenientes e contribuam para a
interação eficiente entre as diversas equipes.
A partir desta ótica foram elaborados estes Manuais, sendo o principal objetivo apresentar diretrizes
para que as responsabilidades sejam bem definidas, procurando eliminar as chamadas “zonas cinzentas”
entre os contratantes, projetistas, fornecedores e executores das obras; oferecendo orientações precisas
de como identificar os itens envolvidos e suas soluções assim atendendo às expectativas dos projetos.

A forma como os Manuais estão estruturados

Os Manuais partem de uma seqüência de atividades, organizadas em fases bem definidas, que
permitem determinar com clareza cronogramas, medições e outras etapas notáveis.
Os serviços oferecidos durante a elaboração de um projeto foram classificados conforme sua neces-
sidade, em:

• Serviços Essenciais. Produtos que são obrigatoriamente desenvolvidos em cada etapa de pro-
jeto sem exigências específicas.
• Serviços Específicos. Produtos complementares, não usuais, que são adicionais aos Serviços
Essenciais, que poderão ser desenvolvidos pelos escritórios de projeto
mediante contratação especifica.
• Serviços Opcionais. Produtos e serviços especializados, normalmente executados por outros
escritórios ou profissionais, mas que alguns escritórios de projeto, pos-
suem qualificação para executá-los mediante contratação específica.

Para cada etapa de projeto, estes Manuais apresentam claramente a Descrição das Atividades, rela-
cionando os Dados Necessários à realização dessa etapa (documentos ou informações a serem forneci-
dos) e descrevendo com profundidade os Produtos Gerados por esses serviços, identificando o momen-
to oportuno em que as ações devem ocorrer, além de deixar perfeitamente claras as Responsabilidades
por cada atividade, documento e produto gerado.
Desenhos, detalhes, memoriais descritivos, requisições, relatórios, quadros, etc. gerados por cada um
dos serviços de projetos efetivamente contratados são claramente identificados, e estabelecido quando
são necessários.
Com os Manuais de Escopo de Projetos e Serviços, portanto, todos os envolvidos podem identificar
o nível de qualidade requerido e o momento certo de exigir e fornecer dados e informações para que os
projetos respondam corretamente aos objetivos e desejos dos empreendedores e futuros usuários.

17
FASE INTRODUÇÃO

É importante ainda ressaltar que a abordagem dos Manuais se inicia nas definições conceituais de
um empreendimento e vai até a etapa ainda pouco considerada pelos contratantes, que é o acompanha-
mento técnico das obras, sua entrega final, incluindo os desenhos “as built”, passando pela mais impor-
tante atividade prevista nestes Manuais: a compatibilização e consolidação das interfaces dos vários
sistemas em todas as etapas.

Para quem são destinados os Manuais

Os Manuais oferecem inestimável referência a todos aqueles que se relacionam com o processo de
desenvolvimento de empreendimentos imobiliários.
Estabelecem parâmetros do que se espera dos projetistas, contribuindo para a elaboração de pro-
postas de serviços, e para a organização dos trabalhos. Para os projetistas, são um excelente instrumento
de valorização do projeto e do seu trabalho, possibilitando a todos envolvidos um conhecimento pleno
do seu conteúdo e interfaces.
Do ponto de vista dos empreendedores, os Manuais de Escopo de Projetos e Serviços oferecem
recomendações importantes a serem seguidas, de acordo com o que se considera boa técnica na ex-
ecução de projetos. Para os contratantes isso possibilitará a efetiva comparação das propostas técnicas
e comerciais que venham a ser apresentadas para elaboração de projetos, resultando em investimentos
mais equalizados, financeira e tecnicamente adequados a ambas as partes, e portanto mais eficazes
nesta importante e fundamental etapa do empreendimento.
O uso dos Manuais reduzirá a possibilidade de que diferentes empresas ou profissionais de projeto
apresentem propostas com diferentes níveis de rigor técnico, oferecendo a todos um roteiro completo
para o desenvolvimento e cotejo dos serviços, desde a fase de proposta, até o acompanhamento pós-
entrega da obra. Conseqüentemente, ocorrerão menos discrepâncias nos valores de honorários muitas
vezes apresentando custos incompatíveis com o teor e qualidade de projeto desejável.
Como resultado, os projetos serão melhor desenvolvidos e compatibilizados, proporcionando obras
mais eficientes e econômicas, com melhor controle do seu desenvolvimento.

As particularidades de cada Manual

Arquitetura e Urbanismo

0s projetos de arquitetura e urbanismo são sempre o ponto de partida. Iniciam-se a partir de pro-
gramas claros e objetivos. Mas para um bom resultado, é fundamental a participação e o envolvimento
desde o seu inicio dos responsáveis pelos projetos das outras especialidades.
Vale a pena ressaltar que uma das fases mais importantes do projeto é a consolidação das interfaces
dos vários sistemas presentes nos empreendimentos. O ideal é que esta consolidação ocorra sempre
antes da aprovação dos projetos legais junto às autoridades constituídas, com a clara concordância dos
responsáveis pelo empreendimento e execução das obras, pois serão estes que viabilizarão os procedi-
mentos executivos. Infelizmente, em muitos casos isso não ocorre. Alguns empreendedores só vem a se
preocupar com a compatibilização geral dos projetos após a definição do responsável pela construção, o
que, muitas vezes só acontece após o lançamento imobiliário do empreendimento, sendo que isso pode

18
FASE INTRODUÇÃO

ocasionar a perda do controle dos projetos, e portanto o descontrole dos custos das obras reduzindo o
desempenho do empreendimento. Por isto o Manual de Arquitetura e Urbanismo dá um grande destaque
para estas questões.

Estrutura

O ideal para o bom desenvolvimento do projeto de estrutura seria a contratação do escritório de


projeto estrutural ocorrer logo na primeira fase do empreendimento, quando ainda está acontecendo a
concepção do produto. A redução das margens de lucro dos empreendimentos exige uma racionalização
construtiva cada vez maior e as melhores chances de economia para se atingir os objetivos pretendidos
pelos empreendedores podem estar nas definições conceituais do projeto de estruturas em cooperação
com a concepção arquitetônica.

Instalações Elétricas e Hidráulicas

Uma preocupação constante do trabalho de desenvolvimento do escopo dos projetos de sistemas


elétricos e hidráulicos foi identificar os momentos em que é possível a análise das interferências, antes
de exigirem alterações dos demais projetos. Assim, propõe-se a integração dos projetistas de instalações
desde o início dos trabalhos, com a análise dos condicionantes locais, como acesso aos serviços públicos
disponíveis no local do empreendimento.
Os projetistas de sistemas prediais podem contribuir desde a concepção dos ambientes, com as mel-
hores soluções para a acomodação de equipamentos e também com a assessoria para a incorporação
de novas tecnologias nas edificações. O trabalho segue com o traçado e as definições de posicionamento
dos componentes dos sistemas prediais, que levam ao dimensionamento e o detalhamento de cada
sistema.

Instalações de Ar Condicionado e Ventilação Mecânica

Tal qual as instalações hidráulicas e elétricas, as de ventilação mecânica e ar condicionado geram


grande preocupação com interferências, que necessitam ser compatibilizadas adequadamente desde o
início da concepção do empreendimento, com a agravante das avantajadas dimensões físicas de seus
componentes, que necessitam de condições específicas para serem acomodados.
A participação dos projetistas de sistemas de ventilação mecânica e ar condicionado também é fun-
damental para a otimização do consumo de energia e água do empreendimento, bem como pelo cuidado
com a qualidade do ar interno dos ambientes beneficiados, com a manutenção de condições ideais de
conforto térmico e preservação da saúde dos ocupantes.

Conclusões

O fluxo de desenvolvimento dos projetos proposto nestes MANUAIS, implica na quebra de paradig-
mas. A proposta é substituir os termos estudos preliminares, anteprojeto, pré-forma, projeto executivo,

19
FASE INTRODUÇÃO

etc. que comparecem em momentos distintos em cada especialidade e geram interpretações diferentes,
por concepção, definição, soluções de interfaces do produto, e etc., vinculando-os às Fases e objetivos
do trabalho. É fundamental acabar com a produção de projetos isolados, devendo estes ser sempre
pensados como um trabalho em equipe, com todos os profissionais desenvolvendo seus trabalhos sobre
objetivos e procedimentos bem definidos.
As mudanças propostas, uma vez que envolvem a quebra de paradigmas, irão exigir esforços de to-
dos os envolvidos nos empreendimentos imobiliários, pois hábitos terão que ser mudados, assim como
as formas de contratação e procedimentos de desenvolvimento de projetos também deverão ser al-
teradas.
O fluxo de projeto não deve ser voltado para atender apenas ao construtor, mas também para atender
ao cliente final, responsável ou usuário do empreendimento. O sucesso do empreendimento garante o

20
Estrutura Geral do Manual

Escopo e Objetivos Gerais de cada uma


das Fases do Projeto de Ventilação
Mecânica e Ar Condicionado

A estrutura geral do Manual foi desenvolvida com base na Norma


da ABNT NBR13.531/95 adequando a sistematica de desenvolvimento
dos projetos para a Industria Imobiliária.
22
Escopo e Objetivos Gerais de cada uma das
FASE ESTRUTURA GERAL Fases do Projeto de Arquitetura

FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (Estudo Preliminar conforme NBR 13.531)

Levantar um conjunto de informações jurídicas, legais, programáticas e técnicas; dados analíticos e


gráficos objetivando determinar as restrições e possibilidades que regem e limitam o produto imobiliário
pretendido. Estas informações permitem caracterizar o partido das instalações de ventilação mecânica
e ar condicionado, e as possíveis soluções das edificações e de implantação dentro das condicionantes
levantadas. Esta fase está subdividida nas seguintes etapas:

LV - Levantamento de Dados
PN - Programa de Necessidades
EV - Estudo de Viabilidade

FASE B - DEFINIÇÃO DO PRODUTO (Anteprojeto, conforme NBR 13.531)

Desenvolver o partido das instalações de ventilação mecânica e ar condicionado e demais elementos


do empreendimento, definindo e consolidando todas as informações necessárias a fim de verificar sua
viabilidade física, legal e econômica bem como possibilitar a elaboração dos Projetos Legais. Esta fase
está subdividida nas seguintes etapas:

EP - Estudo Preliminar
AP - Anteprojeto
PL - Projeto Legal

FASE C - IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES (Pré-executivo / Projeto Básico, conforme NBR 13.531)

Consolidar claramente todos ambientes, suas articulações e demais elementos do empreendimento,


com as definições necessárias para o intercâmbio entre todos envolvidos no processo. A partir da ne-
gociação de soluções de interferências entre sistemas, o projeto resultante deve ter todas as suas inter-
faces resolvidas, possibilitando uma avaliação preliminar dos custos, métodos construtivos e prazos de
execução. Quando esta fase estiver concluída ainda que o projeto não esteja completo e for necessário
licitar a obra esta fase opcional, se caracteriza como:
PB - Projeto Básico

FASE D - PROJETO DE DETALHAMENTO DE ESPECIALIDADES (Projeto Executivo conforme NBR 13.531)

Executar o detalhamento de todos os elementos do empreendimento de modo a gerar um conjunto


de informações suficientes para a perfeita caracterização das obras/serviços a serem executadas, bem
como a avaliação dos custos, métodos construtivos, e prazos de execução. Executar o detalhamento de
todos os elementos do empreendimento e incorporar os detalhes necessários de produção dependendo
do sistema construtivo. O resultado deve ser um conjunto de informações técnicas claras e objetivas sobre
todos os elementos, sistemas e componentes do empreendimento. Esta fase se denomina:
PE - Projeto Executivo 23
FASE

FASE E - PÓS-ENTREGA DO PROJETO

Garantir a plena compreensão e utilização das informações de projeto, bem como sua aplicação cor-
reta nos trabalhos de campo.

FASE F - PÓS-ENTREGA DA OBRA

Analisar e avaliar o comportamento da edificação em uso para verificar e reafirmar se os condiciona-


ntes e pressupostos de projeto foram adequados e se eventuais alterações, realizadas em obra, estão
compatíveis com as expectativas do empreendedor e de ocupação dos usuários.

24
FASE A

CONCEPÇÃO DO PRODUTO
(Estudo Preliminar conforme NBR 13.531)

Levantar um conjunto de informações juridicas, legais,


programáticas e técnicas; dados analíticos e gráficos
objetivando determinar as restrições e possíbilidades que
regem e limitam o produto imobiliário pretendido. Estas
informações permitem caracterizar o partido das instalações
de ventilação mecânica e ar condicionado, e as possíveis
soluções e de implantação dentro das condicionantes
levantadas. Esta fase está sub-dividida nas seguintes
etapas:

LV - Levantamento de Dados

PN - Programa de Necessidades

EV - Estudo de Viabilidade
26
FASE A CONCEPÇÃO DO PRODUTO VAC-A001

Serviços Essenciais Estudo de implantação do empreendimento

Descrição das Atividades

Analisar, obter informações preliminares e orientar o empreendedor quanto aos condicionantes locais que
possam ter influência na concepção do produto, incluindo:
- Condições locais de atendimento pelos serviços públicos (água, esgoto, gás combustível e energia elétrica).
- Condicionantes relacionados à topografia do terreno, incidência solar, edificações na vizinhança e influência
das condições do meio externo.
- Condicionantes locais de atendimento às normas de segurança contra fumaça, em caso de incêndio.
- Outros aspectos.

Dados Necessários

- Dados gerais do empreendimento (áreas, número de pavimentos, tipo de ocupação, etc.).


- Croquis do terreno com dados preliminares de níveis.
- Planta de situação.

Produtos Gerados

Relatório preliminar de condicionantes locais, contendo as seguintes informações:


- Comentários e recomendações preliminares sobre variáveis arquitetônicas que influenciam no de-
sempenho dos sistemas, tais como: altura de entre forros tipos de vidros, materiais de construção, som-
breamento, afastamento com vizinhos, orientação solar, etc..
- Informações preliminares sobre a necessidade de implantação de sistemas de controle de fumaça.

27
FASE A CONCEPÇÃO DO PRODUTO VAC-A201
Avaliação preliminar dos sistemas de ar condicionado
Serviços Opcionais viáveis de serem adotados

Descrição das Atividades

Análise preliminar entre os diversos tipos de sistemas viáveis de serem adotados.

Dados Necessários

- Dados gerais do empreendimento (áreas, número de pavimentos, tipo de ocupação e uso, etc.).
- Estudos de conceito de arquitetura.
- Planta de situação.
- Dados de disponibilidade e confiabilidade de fornecimento de serviços públicos (energia elétrica,
gás, água, esgoto, etc.).

Produtos Gerados

Relatório contendo a descrição geral dos sistemas alternativos em estudo e indicação de dados es-
timados de:
- Investimento inicial.
- Ponto de força e reserva de água.
- Espaços ocupados.

28
FASE B

DEFINIÇÃO DO PRODUTO
(Anteprojeto conforme NBR 13.531)
Desenvolver o partido arquitetônico e demais elementos
do empreendimento, definindo e consolidando todas
informações necessárias a fim de verificar sua viabilidade
física, legal e econômica bem como possibilitar a elaboração
dos Projetos Legais. Esta fase está sub-dividida nas
seguintes etapas:

EP - Estudo Preliminar

AP - Anteprojeto

PL - Projeto Legal
FASE B DEFINIÇÃO DO PRODUTO VAC-B001

Serviços Essenciais Cálculo de carga térmica e vazões de ar

Descrição das Atividades

- Coleta de dados necessários para o cálculo de carga térmica.


- Zoneamento dos ambientes.
- Elaboração dos cálculos.
- Análise dos resultados.
- Elaboração de planilha com dados resultantes.

Dados Necessários

Empreendedor ou cliente final


- Tipo de uso, lotação e horários de ocupação.
- Áreas a serem condicionadas e ventiladas.
- Requisitos especiais de temperatura, umidade relativa, pressão, filtragem e dissipação térmica de
equipamentos.

Arquitetura
- Projeto preliminar com plantas e cortes de todos os pavimentos. (ver observação 1)
- Características dos elementos construtivos.

Produtos Gerados

- Planilha de capacidade térmica total da instalação, perfil de carga térmica (se necessário) e capaci-
dade dos sistemas parciais.
- Planilha de vazões de ar por ambiente.

Observação

1. Vide ARQ-B 002 a ARQ-B 006

30
FASE B DEFINIÇÃO DO PRODUTO VAC-B002
Definição de compartimentos e espaços técnicos, acesso de eq-
Serviços Essenciais uipamentos e estimativas de pesos, consumos de energia e água

Descrição das Atividades

Determinação das dimensões dos equipamentos a serem adotados, e por decorrência, das áreas ne-
cessárias à implantação dos mesmos, bem como a definição dos espaços destinados ao caminhamento
das redes de dutos, de fluidos de resfriamento, parâmetros requeridos pelas utilidades (elétricas, hidráu-
lica predial, etc.) e a acessibilidade dos equipamentos às casas de máquinas.

Dados Necessários

Arquitetura
- Projeto preliminar com plantas e cortes de todos os pavimentos. (ver observação 1)

Empreendedor
- Definição das etapas de implantação do empreendimento.

Produtos Gerados

Desenhos esquemáticos com Indicação dos ambientes e espaços técnicos, contendo os pesos dos eq-
uipamentos, aberturas nas fachadas e as necessidades de pontos de força, combustíveis, de água e ralos.

Observação

1. Vide ARQ-B 002 a ARQ-B 006

31
FASE B DEFINIÇÃO DO PRODUTO VAC-B003
Dimensionamento e caminhamento das redes de
Serviços Essenciais dutos e tubulações principais

Descrição das Atividades

Elaboração das plantas de todas as áreas beneficiadas pelo projeto e cortes esquemáticos em repre-
sentação unifilar do caminhamento de dutos e tubulações principais.

Dados Necessários

Arquitetura
- Projeto preliminar com plantas e cortes de todos os pavimentos. (ver observação 1)

Estrutura
- Lançamento preliminar de formas. (ver observação 2)

Produtos Gerados

Desenhos esquemáticos com a indicação dos espaços ocupados pelas redes de dutos e tubulações,
visando fornecer dados para compatibilizar os espaços com as demais instalações.

Observações

1. Vide ARQ-B 002 a ARQ-B 006


2. Vide STR-C001 e STR-C 002

32
FASE B DEFINIÇÃO DO PRODUTO VAC-B101
Estudo técnico e econômico para a definição do tipo de
ServiçosEspecíficos sistema a ser adotado

Descrição das Atividades

Elaborar estudo técnico e econômico comparativo para a definição do tipo de sistema a ser adotado.

Dados Necessários

Arquitetura
- Dados gerais do empreendimento (áreas, número de pavimentos, tipo de ocupação e uso, etc.).
- Projeto preliminar de arquitetura. (ver observação 1)
- Planta de situação.

Serviços Públicos
- Tarifas.
- Disponibilidades e confiabilidade de fornecimento.

Produtos Gerados

Relatório contendo a descrição geral dos sistemas alternativos em estudo e indicação de dados com-
parativos, incluindo as seguintes informações:
- estimativas de custos iniciais.
- estimativas de custos operacionais, incluindo custos de manutenção.
- confiabilidade.
- espaços ocupados.
- características físicas e operacionais dos sistemas.

Observação

1. Vide ARQ-B 002 a ARQ-B 006

33
34
FASE C

IDENTIFICAÇÃO E
SOLUÇÃO DE INTERFACES
(Pré-executivo/Projeto Básico conforme
NBR 13.531)

Consolidar claramente todos ambientes, suas articu-


lações e demais elementos do empreendimento, com as
definições necessárias para o intercâmbio entre todos en-
volvidos no processo. A partir da negociação de soluções
de interferências entre sistemas, o projeto resultante deve
ter todas as suas interfaces resolvidas, possibilitando uma
avaliação preliminar dos custos, métodos construtivos e
prazos de execução. Quando esta fase estiver concluída
ainda que o projeto não esteja completo e for necessário
licitar a obra esta fase opcional, se caracteriza como:

PB - Projeto Básico
36
FASE C IDENTIFICAÇÃO DE SOLUÇÃO DE INTERFACES VAC-C001
Consolidação dos cálculos anteriores
Serviços Essenciais e seleção de equipamentos

Descrição das Atividades

- Revisão dos cálculos elaborados na Fase B, considerando as atualizações de arquitetura ou do uso


dos espaços condicionados.
- Seleção dos equipamentos de condicionamento e movimentação de ar, a partir dos dados resul-
tantes da revisão de cálculos, para a definição do lay-out das casas de máquinas e dos consumos de
energia e de água.

Dados Necessários

Todas as Especialidades
- Confirmação dos conceitos a serem aplicados ao empreendimento e aceitação e/ou comentários
sobre a concepção básica dos sistemas de condicionamento de ar e ventilação mecânica apresentados
na Fase B.

Arquitetura
- Plantas de todos os pavimentos.
- Cortes passando por todos os pavimentos..
- Plantas dos forros com luminárias.

Produtos Gerados

- Planilhas revisadas de resultados de carga térmica e de vazões de ar.


- Confirmação dos dados de consumos energéticos e de água dos equipamentos.

37
FASE C IDENTIFICAÇÃO DE SOLUÇÃO DE INTERFACES VAC-C002

Serviços Essenciais Definição e layout de casas de máquinas

Descrição das Atividades

- Lay-out, dimensionamento e indicação das necessidades de espaço físico das casas de máquinas.
- Indicação da necessidade específica de tratamento acústico, amortecimento de vibrações, con-
dução e tratamento de emissões, hidráulica, elétrica e estrutura.

Dados Necessários

Dados listados na etapa VAC-C 001, acrescidos de:

Instalações
- Definição da tensão elétrica da instalação.
- Definição das áreas técnicas, shafts e dos espaços ocupados nos entre forros.

Estrutura
- Pré-formas da estrutura de todos os pavimentos.

Construtor
- Tecnologias de construção a serem aplicadas.

Produtos Gerados

- Desenhos das casas de máquinas em plantas e cortes, indicando dimensões, pés-direitos, portas,
aberturas, janela, forros, condições de acesso de pessoas e equipamentos, espaços de manutenção,
proximidade de outros ambientes ou condições, etc.
- Indicação nos desenhos de furos na estrutura, tratamento contra transmissão de ruídos e vibrações,
ralos, necessidades de suprimento de água e energia.

38
FASE C IDENTIFICAÇÃO DE SOLUÇÃO DE INTERFACES VAC-C003

Serviços Essenciais Definição de Lay-out de forros

Descrição das Atividades

Estudo do lay-out dos elementos de difusão de ar, compatibilizado com os lay-outs de luminárias,
sprinklers e sonorizadores.

Dados Necessários

Dados listados nas etapas C001 e C002.

Produtos Gerados

Desenho de lay-out dos elementos de difusão e retorno de ar, o qual servirá de base para o projeto das
redes de dutos de distribuição e de retorno de ar (se houver).

39
FASE C IDENTIFICAÇÃO DE SOLUÇÃO DE INTERFACES VAC-C004
Definição do dimensionamento e caminhamento das
Serviços Essenciais redes de dutos e tubulações

Descrição das Atividades

Em função do lay-out dos elementos de difusão, e do estudo de níveis das redes de instalações, será
elaborado o dimensionamento e desenho unifilar das redes de dutos de distribuição e de retorno de ar
e rede de tubulações hidráulicas.

Dados Necessários

Dados listados nas etapas C001 e C002.

Produtos Gerados

- Plantas de todos os pavimentos com traçado das redes de dutos e tubulações em unifilar, com di-
mensões.
- Cortes necessários para a compatibillização entre as diversas modalidades de projeto.

40
FASE C IDENTIFICAÇÃO DE SOLUÇÃO DE INTERFACES VAC-C005

Serviços Essenciais Definição e layout de furações verticais e horizontais

Descrição das Atividades

- Estudo, definição e arranjo de dutos e tubulações, em shafts verticais.


- Estudo, definição e arranjo de dutos e tubulações, em entre-forros e pipe racks.
- Definição de furações em lajes para passagem de sistemas instalados em shafts verticais.
- Definição de furações em vigas para passagem de sistemas instalados em entre-forros e pipe racks.

Dados Necessários

Dados listados nas etapas C001 e C002.

Produtos Gerados

- Desenhos com indicação do posicionamento e dimensões dos dutos e tubulações em shafts verticais
e furos em lajes.
- Desenhos com indicação do posicionamento e dimensões de arranjo de dutos e tubulações em en-
tre-forros e pipe-racks e furos em vigas da estrutura.

41
42
FASE D

PROJETO DE
DETALHAMENTO
(Projeto Executivo/Detalhamento conforme
NBR 13.531)
Executar o detalhamento de todos os elementos do
empreendimento de modo a gerar um conjunto de referên-
cias suficientes para a perfeita caracterização das obras/
serviços a serem executadas, bem como a avaliação dos
custos, métodos construtivos, e prazos de execução. Exe-
cutar o detalhamento de todos os elementos do empreen-
dimento e incorporar os detalhes necessários de produção
dependendo do sistema construtivo. O resultado deve ser
um conjunto de informações técnicas claras e objetivas
sobre todos os elementos, sistemas e componentes do
empreendimento.
Esta fase se denomina:

PE - Projeto de Execução
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D001

Serviços Essenciais Detalhamento das instalações em plantas

Descrição das Atividades

- Detalhamento da rede de dutos em formato bifilar e definição do caminhamento das tubulações


hidráulicas em toda extensão verificando eventuais interferências com os projetos complementares.
- Complementação dos desenhos, com as listas de equipamentos e materiais de difusão de ar, com
indicação de suas características técnicas.

Dados Necessários

Todas as Especialidades e Coordenação


- Aceitação e/ou comentários dos desenhos que compõem o anteprojeto dos sistemas de condicio-
namento de ar e de ventilação mecânica, apresentados na Fase C.

Arquitetura
- Desenhos de plantas e cortes atualizados com as adequações definidas na compatibilização
dos projetos complementares.

Instalações
- Projetos básicos.

Estrutura
- Formas definitivas da estrutura de todos os pavimentos.

Produtos Gerados

Desenhos finais de plantas de todas as áreas beneficiadas pelo projeto, complementados com as
listas de materiais e as características técnicas dos equipamentos, e os detalhes construtivos necessári-
os para a execução dos sistemas.

44
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D002

Serviços Essenciais Desenho de cortes localizados

Descrição das Atividades

Preparação de todos os cortes necessários para a compreensão do projeto e indicação de compati-


bilização vertical entre os projetos complementares.

Dados Necessários

Dados listados na etapa VAC-D 001.

Produtos Gerados

Desenhos finais de cortes de todas as áreas beneficiadas pelo projeto.

45
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D003

Serviços Essenciais Detalhamento de casas de máquinas

Descrição das Atividades

Detalhamento das casas de máquinas, indicando cortes, aberturas nas paredes, piso e teto, ralos,
pontos de água, pontos de alimentação elétrica e demais detalhes construtivos necessários.

Dados Necessários

Dados listados na etapa VAC-D 001.

Produtos Gerados

Plantas, cortes, detalhes de montagem, bases de equipamentos, incluindo o posicionamento e dis-


criminação de equipamentos, dutos, tomadas de ar externo, tubulações e seus acessórios, com indica-
ção de diâmetros e/ou dimensões, compatibilizados com as plantas e esquemas correspondentes.

46
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D004

Serviços Essenciais Elaboração de diagramas de alimentação elétrica

Descrição das Atividades

Concepção e elaboração dos diagramas elétricos unifilares para os quadros de alimentação elétrica
dos equipamentos e dispositivos específicos, componentes da instalação.

Dados Necessários

Dados listados na etapa VAC-D 001.

Produtos Gerados

Diagramas elétricos unifilares, indicando as capacidades de cada circuito e todos os dispositivos de


proteção, medição e manobra.

47
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D005

Serviços Essenciais Elaboração de memoriais descritivos e especificações técnicas

Descrição das Atividades

- Elaboração de memoriais descritivos.


- Elaboração de especificações de serviços e recomendações técnicas e administrativas para uso e
aplicação das informações contidas no projeto.
- Elaboração de especificações de materiais e equipamentos.

Dados Necessários

Ventilação e Ar Condicionado
- Projeto Executivo completo e aprovado.

Empreendedor e/ou Construtor


- Informações adicionais sobre as modalidades de contratação e gerenciamento específicas a
serem adotadas.

Produtos Gerados

- Memoriais descritivos da instalação.


- Especificações de execução, ensaios de desempenho e entrega dos sistemas.
- Especificações de fornecimento para os materiais e equipamentos selecionados, e respectivos
testes de fábrica, a serem requeridos.

48
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D101

Serviços Específicos Elaboração de fluxograma dos processos

Descrição das Atividades

Concepção e elaboração dos fluxogramas de ar, água ou frigorígeno de todos os sistemas, incluindo
esquemas horizontais e verticais, indicando todos os elementos componentes dos sistemas, conforme
indicados nos desenhos de plantas e cortes.

Dados Necessários

Dados listados na etapa VAC-D 001.

Produtos Gerados

- Fluxogramas de ar, com a indicação das vazões de ar e dispositivos de regulagem e filtragem.


- Fluxogramas de água, com a indicação das vazões de água, dimensões das tubulações e válvulas,
bem como isométrico das ligações dos equipamentos.
- Fluxograma das redes frigorígenas, com a indicação dos diâmetros das tubulações.

49
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D102

Serviços Específicos Elaboração de diagrama de controle

Descrição das Atividades

Concepção e elaboração dos esquemas de controles, indicando todos os loops de controle, e a


identificação e especificação dos componentes de controle.

Dados Necessários

Dados listados na etapa VAC-D 001.

Produtos Gerados

Diagramas de controle com a indicando todos os loops e parâmetros de controle, e a identificação,


função e especificação dos componentes de controle.

50
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D201
Elaboração de Plantas Específicas
Serviços Opcionais de Marcação de Lajes e Vigas

Descrição das Atividades

Marcação de furos em laje e vigas de quaisquer dimensões nos desenhos de formas da estrutura
para os pavimentos e/ou setores especificados.

Dados Necessários

Dados listados na etapa VAC-D 001.

Produtos Gerados
Desenho de formas de estrutura com a indicação de dimensões e posicionamento cotado de todos
os furos em laje e vigas.

51
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D202

Serviços Opcionais Marcação e especificação de suportes de dutos e tubulação

Descrição das Atividades

Marcação e especificação de suportes para sustentação e ancoragem de dutos, tubulações, caixas


e outros acessórios dos sistemas elétricos.

Dados Necessários

Dados listados na etapa VAC-D 001.

Produtos Gerados

- Plantas de posicionamento de suportes para dutos, tubulações, caixas e outros acessórios dos
sistemas elétricos;
- Detalhes construtivos e especificação de suportes e dispositivos de fixação e seus acabamentos.

52
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D203

Serviços Opcionais Elaboração de diagramas de comandos elétricos

Descrição das Atividades

Concepção e elaboração dos esquemas elétricos unifilares e funcionais típicos, indicando intertrava-
mentos e interfaces com o sistema de automação predial (se houver)

Dados Necessários

Dados listados na etapa VAC-D 001.

Produtos Gerados

Desenhos de esquemas elétricos funcionais, indicando as lógicas de partida em função da potência,


sinalizações, bem como os intertravamentos e as interfaces com o sistema de automação predial (se
houver).

53
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D204

Serviços Opcionais Otimização do Sistema de Sprinklers por Cálculo Informatizado

Descrição das Atividades

- Detalhamento e dimensionamento dos componentes dos quadros elétricos.


- Representação e dimensionamento das redes elétricas entre os quadros elétricos e os equipamentos.

Dados Necessários

Ventilação e Ar Condicionado
- Diagramas Elétricos Unililares e Funcionais.
- Localização de todos os equipamentos e quadros elétricos.

Produtos Gerados

- Desenhos de detalhamento dos quadros elétricos, com esquemas elétricos unifilares e funcionais,
dimensionamento dos componentes, lay-out, legendas;
- Desenhos de caminhamento das redes elétricas, devidamente dimensionadas e esquemas de
distribuição elétrica.

54
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D205

Serviços Opcionais Elaboração de planilha de materiais e serviços

Descrição das Atividades

Elaboração de planilha com quantidade estimada de equipamentos, componentes, materiais e de


serviços, para instalação dos sistemas de condicionamento de ar e ventilação mecânica.

Dados Necessários

Ventilação e Ar Condicionado
Projeto de Detalhamento e Especificações Técnicas

Produtos Gerados

Planilha de materiais e serviços estimativos, sem preços.

55
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D206

Serviços Opcionais Elaboração de Orçamento

Descrição das Atividades

Elaboração de orçamento estimativo para instalação dos sistemas de condicionamento de ar e ven-


tilação mecânica, com preços tomados no mercado.

Dados Necessários

Ventilação e Ar Condicionado
Planilha de Materiais e Serviços

Produtos Gerados

Planilha de materiais e serviços preenchida com preços estimativos tomados no mercado, para os
itens que compõem a instalação dos sistemas condicionamento de ar e ventilação mecânica abrangi-
dos pelo projeto.

56
FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO VAC-D207

Serviços Opcionais Elaboração de Minutas Contratuais

Descrição das Atividades

Elaboração de minutas contratuais e anexos para contratação da empresa instaladora.

Dados Necessários

Ventilação e Ar Condicionado
Projeto de detalhamento completo

Construtora
- Escopo de fornecimento desejado
- Forma de contratação
- Prazo de execução desejado

Produtos Gerados

- Minuta de contrato.
- Relação de documentos a serem encaminhados aos fornecedores.
- Relação de documentos a serem solicitados aos fornecedores.

57
58
FASE E

PÓS-ENTREGA DO
PROJETO
Garantir a plena compreensão e utilização das infor-
maçãos de projeto, bem como sua aplicação nos trabal-
hos de campo.
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E001

Serviços Essenciais Apresentação do Projeto

Descrição das Atividades

Realizar reunião com o objetivo de apresentar o projeto final com os conceitos técnicos e premis-
sas adotadas, solicitações do contratante e outras peculiaridades, e esclarecer eventuais dúvidas dos
participantes
(ver observação 3).

Dados Necessários

- Projeto executivo de Sistemas Condicionamento de Ar e Ventilação Mecânica, incluindo memoriais


técnicos e outros documentos textuais
- Análise prévia dos projetos por parte dos participantes da reunião.

Produtos Gerados

Esclarecimento sobre a organização e forma de utilização dos documentos de projeto

Observação
3. Recomenda-se a participação do Contratante, Coordenador do Projeto, Gerente da Construtora,
Gerente da Obra, representante da Instaladora e Projetista.

60
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E002

Serviços Essenciais Esclarecimento de Dúvidas

Descrição das Atividades

Esclarecer eventuais dúvidas sobre os projetos elaborados e sua utilização, desde que para isso não
haja necessidade de diligência externa (ver observação 4).

Dados Necessários

Solicitante
- Ter conhecimento dos projetos executivos de Sistemas Condicionamento de Ar e Ventilação
Mecânica, incluindo memoriais técnicos e outros documentos textuais.

Produtos Gerados

Observação
4. Os contatos para esclarecimento não terão caráter instrutivo, e deverão sempre ser realizados
com interlocutor qualificado e familiarizado com os sistemas de Condicionamento de Ar e Ventilação
Mecânica.

61
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E201

Serviços Opcionais Análise Técnica de Proposta de Fornecedores

Descrição das Atividades

Dar suporte técnico aos processos de recebimento, equalização e análise das propostas das insta-
ladoras e outros fornecedores, incluindo as seguintes atividades:
- Preparação dos textos técnicos para inclusão no Edital de Concorrência.
- Assistência e esclarecimento de dúvidas dos proponentes.
- Analise técnica das propostas de fornecedores, incluindo esclarecimento e equalização sob os
aspectos técnicos.

Dados Necessários

Contratante
- Relação de proponentes de interesse do Contratante e respectivas propostas.
- Definição da forma de contratação.

Produtos Gerados

- Textos relativos a aspectos técnicos para inclusão no Edital de Concorrência.


- Orientação e esclarecimento aos proponentes.
- Planilha comparativa das condições de fornecimento propostas.

62
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E202

Serviços Essenciais Análise de Soluções Alternativas

Descrição das Atividades

Análise técnica e/ou de custos de soluções alternativas propostas para os sistemas de ventilação e
ar condicionado, por sugestão de participantes do empreendimento. (ver observação 5)

Dados Necessários

Propostas de soluções alternativas, devidamente identificadas em relação aos objetos tratados bem
como em relação aos seus proponentes.

Produtos Gerados

Relatório de análise das soluções propostas.

Observação
5. O contratante e o projetista deverão definir, de comum acordo, antes do início dos serviços, quais
serão os objetivos, as tarefas e regimes de trabalho a serem cumpridos, os produtos a serem gerados e
sua forma de apresentação.

63
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E203

Serviços Opcionais Alterações de Projeto

Descrição das Atividades

Alteração de documentos de projeto por solicitação do cliente, devido à alteração de conceitos,


materiais, equipamentos e/ou sistemas anteriormente estabelecidos ou sugestões de alteração de
soluções adotadas.
(ver observação 5).

Dados Necessários

Documentos que proponham a alteração dos conceitos, materiais, equipamentos e sistemas diferentes.

Produtos Gerados

Projeto alterado conforme a solicitação.

Observação
5. O contratante e o projetista deverão definir, de comum acordo, antes do início dos serviços, quais
serão os objetivos, as tarefas e regimes de trabalho a serem cumpridos, os produtos a serem gerados e
sua forma de apresentação.

64
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E204
Análise dos desenhos de fabricação, e planilhas de seleção
Serviços Opcionais de equipamentos oferecidos pelo instalador

Descrição das Atividades

Análise dos desenhos de fabricação (ver observação 6) elaborados pelo instalador, verificando a sua
compatibilidade com o projeto original.

Dados Necessários

Instalador
Desenhos de fabricação completos, incluindo quadros e diagramas elétricos e de controle.

Fabricante
Dolha de dados de características técnicas e de desempenho dos equipamentos.

Produtos Gerados

Relatório apontando eventuais desvios existentes nos desenhos de fabricação em relação ao projeto
executivo original, tanto no dimensionamento quanto no conceito adotado.

Observação
6. Os desenhos de fabricação se caracterizam por conter detalhamentos de produtos e de execução
da obra, característicos de cada fornecedor, bem como as adequações requeridas devido a interferên-
cias específicas encontradas na obra, incorporando ainda eventuais alterações de projeto pela aprova-
ção de alternativa de solução apresentada na proposta do instalador.

65
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E205

Serviços Opcionais Elaboração dos desenhos de fabricação

Descrição das Atividades

Elaborar dos desenhos de fabricação, tendo em vista solucionar interferências não previstas ante-
riormente, detalhes construtivos a serem aplicados e a definição dos equipamentos e suas bases nas
dimensões e disposições reais e atualizadas. (a ser executado na falta deste serviço pelo instalador)

Dados Necessários

Construtora
Detalhes das modificações executadas na obra, que acarretam ou modificam as condições de inter-
ferência com as instalações de Condicionamento de ar e Ventilação Mecânica.

Fornecedores de equipamentos
- Catálogos, desenhos e detalhes de conexões dos equipamentos fornecidos.
- Detalhes construtivos a serem aplicados

Produtos Gerados

Desenhos de fabricação.

66
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E206

Serviços Opcionais Acompanhamento Técnico da Obra

Descrição das Atividades

Acompanhamento da obra por meio de visitas, conforme programação a ser estabelecida e relação
de atividades definidas.

Dados Necessários

Produtos Gerados

Registro das atividades desenvolvidas em obra ou em decorrência do serviço de acompanhamento da obra.

67
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E207

Serviços Opcionais Orientação sobre Procedimentos de Execução

Descrição das Atividades

- Fornecer orientação na execução de serviços a cargo da obra civil, nos detalhes que interferem
com a instalação de ar condicionado, técnicas construtivas, aplicação de materiais, logística de monta-
gem e/ou realização de testes e ensaios.
- Opinar sobre o andamento dos trabalhos conforme o cronograma pré-estabelecido
- Orientar a contratante quanto a liberação do pagamento de parcelas devidas à instaladora por
serviços executados.

Dados Necessários

Produtos Gerados

Informações para subsídios da execução, na forma de Relatórios, Treinamento, Croquis, diagramas e outros.

68
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E208

Serviços Opcionais Inspeção dos equipamentos na fábrica

Descrição das Atividades

- Visita à fábrica do fornecedor de equipamentos para vistoria e liberação para envio à obra.

Dados Necessários

Produtos Gerados

Relatório com registro da atividade.

69
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS HID-E209
Acompanhamento de testes, balanceamentos e partida dos
Serviços Opcionais sistemas e recebimento da obra

Descrição das Atividades

Inspeções de verificação final e/ou acompanhamento do start-up de sistemas, podendo abranger as


seguintes atividades:
- Verificação da conclusão física da totalidade dos fornecimentos e de sua adequação.
- Acompanhamento dos testes finais e partida e balanceamento dos sistemas.
- Análise dos documentos de entrega da obra consistindo de desenhos as built da instalação,
manuais de operação e manutenção com catálogos dos equipamentos fornecidos, termo de garantia e
ART de execução.

Dados Necessários

Construtora ou Instaladora
- Desenhos de fabricação de Sistemas Condicionamento de Ar e Ventilação Mecânica, incluindo me-
moriais técnicos e outros documentos textuais
- Documentação técnica da instalação consistindo de desenhos as built, Manuais de Operação e
Manutenção, termos de garantia de equipamentos e ou sistemas adquiridos e ART de execução.

Produtos Gerados

- Registro das atividades desenvolvidas em obra ou em decorrência do serviço de acompanhamen-


to da obra.
- Relatório contendo os comentários a respeito da análise da documentação de entrega da obra.

70
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E2010

Serviços Opcionais Desenhos As Built

Descrição das Atividades

Elaborar conjunto de desenhos do projeto de sistemas Condicionamento de Ar e Ventilação Mecâni-


ca, atualizados conforme ajustes e/ou alterações geradas durante a execução dos mesmos.
A preparação de desenhos as built não inclui a verificação técnica de soluções ou dimensionamen-
tos alternativos que possam ter sido adotados sem autorização do projetista, e que não será responsável
por essas modificações.

Dados Necessários

Construtora ou Instaladora
Conjunto completo dos desenhos do projeto executivo dos sistemas Condicionamento de Ar e
Ventilação Mecânica, contendo todas as anotações de ajustes e/ou alterações ocorridas, assinadas por
engenheiro responsável pela instalação desses sistemas.

Produtos Gerados
Conjunto completo de desenhos de projeto de sistemas Condicionamento de Ar e Ventilação
Mecânica, atualizados conforme executado na obra.

71
FASE E PÓS-ENTREGA DOS PROJETOS VAC-E2011
Preparação de Manual de Operação e Manutenção
Serviços Opcionais dos Sistemas de Ventilação e Ar Condicionado

Descrição das Atividades

Elaboração de Manual Técnico de operação e manutenção dos sistemas de ventilação e ar condi-


cionado de forma otimizada, para utilização do responsável pelo gerenciamento e operação do em-
preendimento.

Dados Necessários

Projeto executivo de Sistemas de Ventilação e Ar Condicionado, incluindo memoriais técnicos e


outros documentos textuais.

Produtos Gerados

Manual de Operação e Manutenção dos Sistemas de Ventilação e Ar Condicionado, contendo as in-


formações e orientações necessárias para a melhor utilização e preservação destes sistemas, incluindo:
- Descrição das características de cada equipamento e sistema, inclusive documentação técnica.
- Forma e cuidados de operação.
- Orientação e programa de manutenção preventiva, inclusive testes e ensaios.
- Relação de fornecedores.
- Garantias.

72
FASE F

PÓS-ENTREGA DA OBRA
Analisar e avaliar o comportamento da edificação em
uso para verificar e reafirmar se os condicionantes e pres-
supostos de projeto foram adequados e se eventuais alte-
rações, realizadas em obra, estão compatíveis com as ex-
pectativas do empreendedor e de ocupação dos usuários.
FASE F PÓS-ENTREGA DA OBRA VAC-F201

Serviços Opcionais Atividades de Avaliação e /ou Assessoria

Descrição das Atividades

Atividades de avaliação do funcionamento, estado ou desempenho dos sistemas de Ventilação e Ar


Condicionado e/ou assessoria relativa a estes sistemas. Esses serviços serão realizados por meio de
visitas, reuniões e/ou outros tipos de atividades (ver observação 1)

Dados Necessários

Projeto executivo de Sistemas de Ventilação e Ar Condicionado, incluindo memoriais técnicos e


outros documentos textuais

Produtos Gerados

- Cumprimento das atividades estabelecidas (ver observação 1)


- Registro das atividades desenvolvidas no empreendimento ou em decorrência dos serviços solicitados.

Observação
1. O contratante e o projetista deverão definir, de comum acordo, antes do início dos serviços, quais
serão os objetivos, as tarefas e regimes de trabalho a serem cumpridos, os produtos a serem gerados,
bem como a forma de apresentação.

74
FASE F PÓS-ENTREGA DA OBRA VAC-F202

Serviços Opcionais Projetos de Alterações

Descrição das Atividades

Alteração ou elaboração de novos documentos de projeto por solicitação do cliente, em função de


alterações de condicionantes, materiais, equipamentos e/ou sistemas instalados (ver observação 1).

Dados Necessários

Projeto executivo de Sistemas de Ventilação e Ar Condicionado, incluindo memoriais técnicos e


outros documentos textuais

Produtos Gerados

Projeto alterado ou complementado, conforme a solicitação (ver observação 1)

Observação
1. O contratante e o projetista deverão definir, de comum acordo, antes do início dos serviços, quais
serão os objetivos, as tarefas e regimes de trabalho a serem cumpridos, os produtos a serem gerados,
bem como a forma de apresentação.

75
76
ANEXOS
78
FASE ANEXO I

Relação de Projetos e Consultorias Especializadas

Dependendo das características do projeto e/ou local


poderá ser necessário desenvolver projetos ou con-
sultorias específicas a seguir relacionadas:

Serviços
Levantamento Plani-altimétrico
Levantamento Arbóreo
Levantamento Cadastral (reformas, ampliações, etc.)

Sondagens Geológicas
Poços de Visitas

Memoriais de Incorporação
Memoriais de Construção
Caderno de Encargos
Editais de Concorrência
Planilhas Orçamentárias
Planilhas de Áreas Equivalentes (NB 12721)

Perspectivas
Plantas Humanizadas
Maquetes eletrônicas
Maquetes
Cadernos de Apresentação

Projetos de Engenharia
Fundações
Mecânica de Solos

Estrutura
Concreto Armado
Concreto Pré-moldado
Lajes Protendidas
Metálica
Madeira
Alvenaria Armada (alvenaria estrutural)

79
FASE ANEXO I
Relação de Projetos e Consultorias Especializadas

Sistemas Prediais Planejamento de obras


Água Fria e Quente
Esgoto Produtividade de obra
Água Pluvial
Projetos Legais por Especialidade
Combate e Proteção contra Incêndio
Hidrantes Projetos Especializados
Extintores Projeto de Paisagismo
Sprinklers Projeto de Arquitetura de Interiores
Detectores de Fumaça Projeto de Vedações
Projeto de Produção
Energia Projeto de Cozinha Industrial
Gás Projeto de Lavanderia
Elétrica
Geradores de Energia Instalações Mecânicas
Geradores de Água Quente Ar condicionado
Água Gelada Exaustão Mecânica
Ventilação Mecânica
Comunicações Pressurização
Telefonia Interna Aspiração Central
Telefonia Externa
Infra-Estrutura
Sonorização Abastecimento de água
Circuito de TV Drenagem
TV a Cabo Redes de Esgoto
Redes de Internet Iluminação Pública
Redes de Fibra Ótica Sistema Viário
Projetos Geométricos
Consultorias Especializadas Mecânica de Solos
Acústica
Conforto Ambiental Inteligência
Esquadrias Redes de Informática
Iluminação / Luminotécnica Supervisão Predial
Impermeabilização Sistema de Automação
Revestimentos Sistemas de Segurança Predial
Transporte Vertical (Elevadores) Sistemas de Controle de Acesso

80
FASE ANEXO II

Apresentação dos Produtos Finais de Projetos

Desenhos
Os desenhos do escritório de projetos de Arquitetura e Urbanismo deverão ser desenvolvidos em
CAD, exceto eventuais desenhos de estudos, croquis de fachadas, que poderão ser desenhados à mão.
O produto final de cada etapa de trabalho será preferencialmente entregue em duas vias de cópias
em papel sulfite e / ou xérox para análise e aprovação pelos responsáveis designados pelo Empreend-
edor / Contratante. Estes deverão retornar uma das copias com os comentários e aprovações, podendo a
aprovação se dar também através de relatórios ou atas de reunião.
Os arquivos dos desenhos serão disponibilizados através de disquetes, CD Rom, Sistema de Arma-
zenamento e Gerenciamento de Dados via Internet (através de provedor especializado designado pelo
Empreendedor / Contratante) ou enviados através de correio eletrônico (e-mail) para o Empreendedor
/ Contratante e para os responsáveis pelos projetos complementares, que, assim, desenvolverão seus
trabalhos também em CAD nas versões compatíveis, pactuadas entre as partes.
Deverão ser utilizados mecanismos de nomenclatura e controle definidos no Manual de Intercambiali-
dade de Projetos em CAD da ASBEA.
Serão necessariamente entregues da seguinte forma:
- Bases em DWG ou qualquer sistema que possa gerar arquivos DXF para intercâmbio entre outros
sistemas;
- Folhas em DWF ou PLT para plotagens nos equipamentos pré-estabelecidos

Ajustes / Modificações durante o Desenvolvimento do Projeto


Caracterizam-se como ajustes normais, decorrentes do próprio desenvolvimento do projeto, aqueles
que não impliquem alterações de projeto, alterações programáticas e de tecnologia empregada.

Alterações de Projeto
Uma vez concluída e aprovada cada etapa de trabalho, as alterações que vierem a ser solicitadas e
não se caracterizarem por falhas ou omissões do escritório de Arquitetura e Urbanismo serão consid-
eradas alterações passíveis de serem remuneradas, mediante acordo prévio no momento da solicitação
formal feita pelo Empreendedor / Contratante.
Enquadram-se nestas alterações:
Soluções alternativas
Alterações programáticas e conceituais
Alterações por omissão ou incorporação de novos dados - não fornecidos pelo Empreendedor / Contratante
em tempo hábil
Alterações de sistemas construtivos que implicarem alterações do projeto ou alterações por problemas
de execução na obra

81
FASE ANEXO II

Registro das Modificações/Alterações


A cada modificação / alteração deverão ser feitas amebas (marcações) específicas nas regiões al-
teradas, indicando no espaço pertinente junto ao carimbo o nº. da alteração, o resumo das alterações
efetuadas e as respectivas datas. A cada nova modificação / alteração, as amebas anteriores deverão ser
apagadas, mantendo-se o conteúdo, sem destaque.

Prazos
O prazo de desenvolvimento de cada etapa do projeto será avaliado caso a caso, em função das
características, dimensões e complexidade dos Empreendimentos e necessidades específicas. O cum-
primento estará sempre condicionado à aprovação formal de cada etapa do trabalho, à liberação formal
do início da etapa subseqüente e às analises, comentários e assessorias por parte dos responsáveis
pelos projetos complementares.
Caso o Empreendedor / Contratante, por sua conta e risco queira iniciar a etapa de detalhamento do
trabalho antes da aprovação do projeto legal, as eventuais modificações que se tornarem necessárias para
a compatibilização com as exigências legais deverão ser assumidas pelo Empreendedor / Contratante,
gerando remuneração extraordinária para os projetistas.
Em cada projeto / contrato deverá ser estabelecido um cronograma geral, fixando-se prazos de cada
etapa / fase em função das necessidades e metas do Empreendimento. Esta compatibilização de expec-
tativas e possibilidades de prazos deverá ser feita em conjunto com todos os demais projetistas e consul-
tores envolvidos, devendo ser pactuada, de comum acordo entre as partes, durante o desenvolvimento
dos trabalhos.
No sentido de garantir o bom desempenho e andamento dos projetos é necessário estabelecer clara-
mente as responsabilidades de todos os intervenientes conforme se segue:

Responsabilidades de todos os Projetistas e Consultores


- Privilegiar a emissão de dados e informações críticas necessárias às demais equipes do projeto, de
modo a não prejudicar o cronograma geral pré-estabelecido e pactuado entre as partes
- Desenvolver os projetos em fases e etapas (pré-dimensionamento, estudos preliminares, antepro-
jetos, projetos básicos, projetos executivos) sempre vinculados à fase / etapa anterior do projeto ar-
quitetônico e urbanístico, de modo a garantir os subsídios necessários à perfeita compatibilização de
todos os projetos
- A emissão ou remessa de desenhos e informações técnicas devem ser precedidas pela prévia com-
patibilização com os demais projetos pelo emitente, complementados por dados, informações, discrep-
âncias e solicitações de alterações para os demais projetistas. Quando não for possível a resolução entre
os projetistas envolvidos, solicitar a intervenção do coordenador e / ou gerente de projeto
- Comunicar em tempo hábil aos projetistas e ao Empreendedor / Contratante, as eventuais modifi-
cações de projeto
- Assumir integralmente a responsabilidade técnica pelo conteúdo e soluções de seus projetos, bem como,
pelo fornecimento das informações necessárias à compatibilidade geral dos projetos do empreendimento
- Observar e cumprir os cronogramas de desenvolvimento dos trabalhos pactuados entre o Em-
preendedor / Contratante e todos envolvidos no projeto

82
FASE ANEXO II

- Executar todos os trabalhos previstos nos contratos específicos sob sua inteira e exclusiva respon-
sabilidade, atendendo aos preceitos Legais Técnicos Públicos (Municipal, Estadual e Federal) das Con-
cessionárias e posturas e preceitos técnicos e legais da atividade profissional de Arquitetura, regulamenta-
da pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura) e ABNT (Associação Brasileira de Normas
Técnicas)
- Apresentar a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) de cada projeto

Responsabilidades específicas do Escritório de Arquitetura e Urbanismo


- Promover a compatibilização formal e espacial dos sistemas construtivos, estruturas prediais e siste-
mas mecânicos do corpo edificado com os projetos de arquitetura e urbanismo, garantindo a sua integri-
dade e identidade com o anteprojeto original
- Não caberá à CONTRATADA qualquer responsabilidade técnica e outras decorrentes de qualquer
natureza sobre o conteúdo técnico dos projetos complementares envolvidos, de estrita responsabilidade
de seus autores, bem como as relativas à execução de obras envolvidas
- Não caberá também à CONTRATADA qualquer responsabilidade técnica e legal em caso de desen-
volvimento parcial do projeto ou modificações não executadas pela CONTRATADA, cessando inclusive
automaticamente a responsabilidade técnica da CONTRATADA sobre todo o projeto

Responsabilidades do Empreendedor/ Contratante


- Solicitar formalmente cada estudo analítico e / ou preliminar e o desenvolvimento das demais fases,
fornecendo também os elementos e documentos necessários em tempo hábil para o desenvolvimento
dos trabalhos
- Fornecer os subsídios e definições quanto aos sistemas construtivos e materiais de acabamento em
tempo hábil para evitar retrabalhos
- Quando houver, fornecer em tempo hábil os Procedimentos, Instruções e Diretrizes de Projetos, bem
como Normas de apresentações especificas do Empreendedor / Contratante / Construtor
- Solicitar e aprovar formalmente todas as etapas de trabalho diretamente ou através de prepostos
formalmente designados e com poderes para tal
- Definir e / ou contratar na etapa de anteprojeto os responsáveis pelos projetos complementares necessários
- Definir e fazer cumprir, por todas a equipes técnicas ou terceiros envolvidos, o cronograma pactuado
de desenvolvimento de projetos
- Promover a coordenação geral dos projetos envolvidos quanto ao seu processo de desenvolvimento
e garantir o cumprimento do cronograma pactuado entre as partes
- Promover a observância por parte de todos os projetistas e consultores envolvidos num projeto, do
cumprimento das responsabilidades de cada contratado
- Inserir a logomarca da empresa responsável pelo projeto de Arquitetura e Urbanismo em todos os
documentos técnicos ou de divulgação comercial do empreendimento (jornais, revistas, folders, mídia
televisiva, catálogos, etc.) com dimensionamento horizontal nunca inferior a 75% (setenta e cinco por
cento) do dimensionamento da Logomarca do Empreendedor / Contratante e com igual tratamento grá-
fico, independentemente do comparecimento de outras marcas, conforme determinação da Lei Municipal
11.507/94 e Lei Federal dos Direitos Autorais nº. 9610/98

83
FASE ANEXO II

- Propiciar contato entre Agência de Publicidade / Vendas e a empresa de projeto de Arquitetura e


Urbanismo, para que todas as informações sejam transmitidas fielmente
- Responsabilizar-se pela execução e manter fixada a placa da empresa de projeto de Arquitetura e
Urbanismo desde o lançamento do Empreendimento até o final da obra (conforme determinação do art.
16 da Lei nº. 5194/66 do CREA) em local de destaque junto às placas da Empreendedora, Construtora e
empresa responsável pelas vendas, conforme exigência do CREA
- Solicitar formalmente toda e qualquer alteração ou complementação de projetos, detalhes e modifi-
cações das especificações e acabamentos
- Não executar alterações de fachada e de acabamentos sem a prévia autorização da empresa de
projeto de Arquitetura e Urbanismo

Direitos Autorais
A remuneração estabelecida em cada projeto abrange a cessão de uso dos direitos autorais patrimo-
niais do projeto tão somente para a obra e local a que se destina, conforme artigo 24 da Lei 9610/98 de
19/02/98, sobre Direitos Autorais. O autor do projeto, portanto, mantém seus referidos direitos autorais e
integral propriedade de idéias, concepções, soluções e formatos como sua propriedade intelectual, que
poderá a ser cedida em outras ocasiões, mediante documento e remuneração específica para tal, no
caso de sua re-utilização em outro local.

Acompanhamento
É o acompanhamento pela empresa de arquitetura diretamente na obra. Esse acompanhamento
poderá ser contratado para verificação se os responsáveis pela execução da obra o fazem em fiel atendi-
mento e respeito ao projeto e às especificações fornecidas. Essa presença torna-se necessária em maior
ou menor grau em função da complexidade da edificação, sendo que o acompanhamento pode se limitar
aos quesitos do projeto de arquitetura ou se estender aos demais projetos multidisciplinares envolvidos.
O acompanhamento deve ser objeto de entendimento e contratação específica entre a empresa, o em-
preendedor e o responsável pela construção, antes do início das obras.

Compatibilização
Pressupõe-se apenas a verificação da compatibilidade entre o projeto arquitetônico e urbanístico com
os demais projetos complementares.

Consolidação
Pressupõe-se que a consolidação dos projetos deverá ser feita pela verificação da compatibilidade física,
dimensional e sistêmica entre os projetos arquitetônicos e urbanísticos e os demais projetos e consultorias
especializadas. Devem ser observados todos os elementos inerentes ao projeto arquitetônico e urbanístico,
liberando-se os projetos para etapas posteriores até o seu encaminhamento definitivo para a obra.

Coordenação
Pressupõe-se que deverá haver, além da compatibilização do projeto arquitetônico e urbanístico com
os demais projetos e consultorias complementares, a análise de alternativas de projeto, a definição em

84
FASE ANEXO II

conjunto ou não com o Empreendedor / Contratante e a coordenação das diretrizes para os diversos pro-
jetos envolvidos na edificação, visando à obtenção de um conjunto harmônico de projetos que atendam
aos requisitos programáticos, técnicos e financeiros do Empreendedor / Contratante.

Gerenciamento de Projetos
O gerenciamento de projetos pressupõe a gestão técnica e administrativa dos contratos / serviços
envolvidos na elaboração do conjunto de projetos da edificação, podendo ser contratado totalmente com
a empresa de projetos de arquitetura e urbanismo ou sub-contratado parcialmente. Caberá à empresa
responsável pelo gerenciamento de projetos fornecer subsídios, aprovar definições tecnológicas, estabel-
ecer condições contratuais para desenvolvimento de serviços, honorários, cronogramas de desenvolvim-
ento, receber, aceitar e aprovar etapas de serviço, liberar e reter pagamentos, produzir relatórios, arbitrar
sobre interferências e compatibilização dos projetos.

Gerenciamento da Obra
É a supervisão efetiva dos aspectos técnicos e econômicos do desenvolvimento de uma obra. Envolve
a administração com rigoroso controle do cronograma físico-financeiro estabelecido, quantidades e quali-
dade dos materiais empregados, mão-de-obra utilizada e toda a sistemática técnica e administrativa do
canteiro de obra. Pela complexidade e dimensão, o gerenciamento requer minuciosos contratos entre a
empresa de projetos de Arquitetura e o empreendedor, definindo claramente responsabilidades recípro-
cas e condições de efetivação das atividades referidas.

85
FASE ANEXO III

Supervisão, Compatibilização, Coordenação e Gerenciamento Técnico de Projetos


Este documento tem por objetivo deixar mais claro o escopo e conteúdo de cada uma das atividades
complementares dos trabalhos de supervisão, compatibilização, coordenação, gerenciamento de proje-
tos, acompanhamento técnico e gerenciamento das obras. Poderá fazer parte do Escopo de Trabalho
da Empresa de Projeto e Arquitetura e Urbanismo, mediante contratação e remuneração específica .
Atividade Normalmente desenvolvida pelo Empreendedor / Contratante ou seu preposto (que deverá,
entretanto, ter plenos poderes de decisão).

Serviços Essenciais
001 Supervisão Geral dos Projetos
Faz parte do escopo de trabalho da empresa de Projeto de Arquitetura e Urbanismo:
Verificar os dados e informações dos projetos complementares e da documentação legal
Compatibilizar o projeto de arquitetura e urbanismo com os projetos complementares
Verificar os projetos complementares (cotas, níveis, compatibilização de dimensões com projeto de
Arquitetura), que será feita a partir do fornecimento das bases dos projetos através de arquivos em DWG,
para que seja permitida a sobreposição de layers no computador
Os erros de cotas e locação serão encaminhados aos projetistas específicos para que providenciem
os ajustes necessários

101 Coordenação de Projetos


Verificar a compatibilização física, dimensional e sistêmica entre os diversos projetos, consultorias e
especialidades
Aprontar e propor as adequações necessárias para permitir a compatibilidade entre os diversos pro-
jetos, consultorias e especialidades
Verificar e aprovar as adequações efetuadas
Liberar e aprovar os projetos, consultorias e especialidades, em suas diversas etapas e fases
Levar à análise e aprovação da Coordenação de Projetos as situações mais complexas de alterações
propostas

Serviços Opcionais
201 Gerenciamento Técnico dos Projetos
Fornecer elementos e documentos em tempo hábil para o desenvolvimento técnico dos trabalhos
Fornecer subsídios, aprovar as definições tecnológicas dos sistemas construtivos, prediais, mecânic-
os, estruturais e os materiais de acabamento em tempo hábil e antecipadamente a qualquer das fases e
etapa de trabalho
Contratar e / ou aprovar as equipes técnicas de projetistas e consultores ainda na fase de anteprojeto,
para dar suporte ao projeto arquitetônico e urbanístico

86
FASE ANEXO III

Supervisão, Compatibilização, Coordenação e Gerenciamento Técnico de Projetos


Definir e fazer cumprir o cronograma de desenvolvimento pactuado por todas as equipes técnicas,
amarrando e condicionando cada uma das fases à aprovação do conjunto de projetos para dar prossegui-
mento às fases subseqüentes
Analisar, comentar e aprovar formalmente todas as etapas de trabalho de cada projeto e especialidades.
Promover reuniões periódicas entre o Coordenador Geral e os coordenadores dos projetos de cada
especialidade, no sentido de transmitir e formalizar claramente todas as observações, recomendações e
compatibilização das interferências entre os projetos
Analisar e arbitrar sobre problemas decorrentes de atrasos de entregas, falhas, omissões de projetis-
tas que impliquem retrabalho para os demais projetistas
Analisar e verificar o cumprimento do escopo, conteúdo e prazos por cada um dos projetistas e con-
sultores contratados

Serviços Essenciais
102 Compatibilização de Projetos
Promover a integração e operacionalização do processo do desenvolvimento dos projetos
Elaborar, controlar e administrar o cronograma do projeto pactuado, adequando-o a eventuais prob-
lemas, sempre solicitando apoio do Gerente do Projeto nos casos em que houver impasses
Analisar a revisar periodicamente as informações produzidas
Produzir as atas das reuniões contendo todas as informações, definições, interfaces assumidas, pra-
zos acordados e as responsabilidades estabelecidas, de modo a garantir que as decisões tomadas sejam
sempre perfeitamente documentadas. As atas, quando não elaboradas e entregues na própria reunião,
devem ser enviadas a todos os participantes e envolvidos em até dois dias úteis, para que cada um possa
se manifestar e encaminhar seus comentários e correções
Produzir relatórios mensais (quando definido por contrato) das atividades executadas, das pendên-
cias, discrepâncias, alterações e responsabilidades de cada uma das especialidades do projeto
Arbitrar sobre interferências e compatibilização dos projetos, com o apoio do Gerente do Projeto

Observações:
1- Poderá fazer parte do Escopo de Trabalho da Empresa de Projeto e Arquitetura e Urbanismo, medi-
ante contratação e remuneração específica.
2- Atividade normalmente desenvolvida pelo Empreendedor / Contratante ou seu preposto (que de-
verá ter plenos poderes de decisão).

87
FASE ANEXO IV

Projetos e Serviços Específicos e Opcionais Solicitados

Projeto:

Local:

Área do Terreno:

Características Gerais do Projeto:

Descrição do empreendimento indicando as suas características principais tais como número de blocos,
número de pavimentos, número de unidades, quadro de área construída:

88
FASE ANEXO IV

Projetos e Serviços Específicos e Opcionais Solicitados

Além dos Serviços Essenciais a Empresa de Projetos e Serviços de Ventilação Mecânica e Ar Condi-
cionado executará os seguintes Projetos e Serviços específicos e Opcionais.

FASE A - Concepção do Produto

s n Serviços Opcionais
• VAC-A 201 Avaliação preliminar dos sistemas de ar condicionado viáveis de serem adotados

FASE B - Definição do Produto

s n Serviços Específicos
• VAC-B 101 Estudo técnico e econômico para a definição do tipo de sistema a ser adotado

FASE D - Projeto de Detalhamento

s n Serviços Específicos
• VAC-D 101 Elaboração de fluxogramas de processos
• VAC-D 102 Elaboração de diagramas de controle

s n Serviços Opcionais
• VAC-D 201 Elaboração de plantas específicas de marcação de lajes e de vigas
• VAC-D 202 Marcação e especificação de suportes de dutos e tubulações
• VAC-D 203 Elaboração de diagramas de comando elétrico
• VAC-D 204 Detalhamento de quadros elétricos e de rede de distribuição elétrica
• VAC-D 205 Elaboração de planilha de quantidades de materiais e serviços
• VAC-D 206 Elaboração de orçamento
• VAC-D 207 Elaboração de minutas contratuais

89
FASE ANEXO IV

Projetos e Serviços Específicos e Opcionais Solicitados

FASE E - Pós Entrega dos Projetos

s n Serviços Opcionais
• VAC-E 201 Análise técnica de propostas de fornecedores
• VAC-E 202 Análise de soluções alternativas
• VAC-E 203 Alterações de projeto
• VAC-E 204 Análise dos desenhos de detalhamento de obra e planilhas de seleção de equipa-
mentos ofertados pelo instalador
• VAC-E 205 Desenhos de detalhamento de obra
• VAC-E 206 Acompanhamento técnico da obra
• VAC-E 207 Orientação sobre procedimentos de execução
• VAC-E 208 Inspeção de equipamentos na fábrica
• VAC-E 209 Acompanhamento de testes, balanceamentos e partida dos sistemas e recebi-
mento da obra
• VAC-E 210 Desenhos as built
• VAC-E 211 Preparação de manual de operação e manutenção dos sistemas

FASE F - Pós Entrega da Obra

s n Serviços Opcionais
• VAC-F 201 Participação em atividades de avaliação e/ou assessoria
• VAC-F 202 Projetos de alterações

90
FASE ANEXO V

Relação de Projetos e Consultorias Especializadas Solicitadas

Relação dos possíveis Projetos, Serviços e Consultorias necessárias, dependendo das características,
complexidade e localização do Empreendimento:

s n Serviços
• Levantamento Planialtimétrico
• Levantamento Arbóreo
• Levantamento Cadastral (reformas, ampliações, etc.)

s n Análise do Solo
• Sondagens Geológicas
• Poços de Visitas
• Análise do Solo (Contaminação)

s n Memoriais / Planilhas / Editais


• Memoriais de Incorporação
• Memoriais de Construção
• Caderno de Encargos
• Editais de Concorrência
• Planilhas Orçamentárias
• Planilhas de Áreas Equivalentes (NBR 12721)

s n Apresentações Especiais
• Perspectivas
• Plantas Humanizadas
• Maquetes Eletrônicas
• Maquetes
• Cadernos de Apresentação

s n Fundações / Solo
• Projeto das Fundações
• Projeto de Mecânica de Solos
• Parecer de Consultor de Solos
• Parecer sobre troca de Solo (Contaminação)

91
FASE ANEXO V

s n Estrutura
• Concreto Armado
• Concreto Pré-moldado
• Lajes Protendidas
• Metálica
• Madeira
• Alvenaria Armada (alvenaria estrutural)

s n Hidráulica
• Água Fria e Quente
• Esgoto
• Água Pluvial

s n Combate e Proteção contra Incêndio


• Hidrantes
• Extintores
• Sprinkers
• Detectores de Fumaça

s n Infra-Estrutura
• Abastecimento de água
• Drenagem
• Redes de Esgoto
• Iluminação Pública
• Sistema Viário
• Projetos Geométricos
• Mecânica de Solos

s n Energia
• Gás
• Elétrica
• Geradores de Energia
• Geradores de Água Quente
• Água Gelada

92
FASE ANEXO V

s n Instalações Mecânicas
• Ar condicionado
• Exaustão Mecânica
• Ventilação Mecânica
• Pressurização
• Aspiração Central

s n Comunicações
• Telefonia Interna
• Telefonia Externa

s n Sonorização
• Circuito de TV
• TV a Cabo
• Redes de Internet
• Redes de Fibra Ótica

s n Inteligência
• Redes de Informática
• Supervisão Predial
• Sistema de Automação
• Sistemas de Segurança Predial
• Sistemas de Controle de Acesso

s n Consultorias Especializadas
• Acústica
• Conforto Ambiental
• Esquadrias
• Iluminação / Luminotécnica
• Impermeabilização
• Revestimentos
• Transporte Vertical (Elevadores)

93
FASE ANEXO V

s n Projetos Especializados
• Projeto de Paisagismo
• Projeto de Arquitetura de Interiores
• Projeto de Vedações
• Projeto de Produção
• Projeto de Cozinha Industrial
• Projeto de Lavanderia

94
FASE A GRADECIMENTOS

A produção deste Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Ar Condicionado e Ventilação envolveu


uma equipe multidisciplinar durante mais de 3 anos através de reuniões de compatibilização de visões e
procedimentos.
Desse esforço de abnegados, representantes de suas categorias profissionais, surgiu o consenso
necessário e fundamental para a construção de um documento de orientação para todo o mercado de
empreendimentos públicos e privados, que envolvam as especialidades da Arquitetura e Urbanismo,
Projetos de Estrutura e de Sistemas Prediais (Elétricas e Hidráulicas).
Nossos agradecimentos às entidades e profissionais que colaboraram com este Manual, a quem os
autores sinceramente:

95