Você está na página 1de 7

Na condição de investidores institucionais, temos o dever de

priorizar os melhores interesses de longo prazo de nossos


beneficiários. Neste papel de fiduciários, acreditamos que temas
como meio ambiente, desenvolvimento social e governança
corporativa (ESG – Environmental, Social and Corporate
Governance) podem afetar o desempenho das carteiras de
investimento (variando em níveis por empresas, setores, regiões,
classe de ativos e através do tempo). Também reconhecemos que a
aplicação desses Princípios pode melhor alinhar os investidores aos
objetivos mais amplos da sociedade. Por conseguinte,
comprometemo-nos a:

1 Incluir as questões de ESG nas análises de investimento e nos


processos de tomada de decisão.

Recomendações:

• Enfatizar as questões de ESG nas políticas de investimentos;


• Apoiar o desenvolvimento de ferramentas, métricas e
métodos de análises relacionados aos fatores de ESG;
• Avaliar as capacidades dos gestores de investimentos internos
de incorporar os fatores de ESG;
• Avaliar as capacidades dos gestores de investimentos
externos de incorporar os fatores de ESG;
• Solicitar aos provedores de serviços em investimentos (como
analistas financeiros, consultores, corretores, firmas de
pesquisa ou agências de avaliação) que integrem os fatores
de ESG em suas pesquisas e análises;
• Motivar pesquisas acadêmicas entre outras sobre o assunto;
• Promover o treinamento em ESG para profissionais da área de
investimentos.

2 Sermos proprietários ativos e incorporar os temas de ESG nas


políticas e práticas de detenção de ativos.

Recomendações:

• Desenvolver e divulgar uma política de acompanhamento de


participação ativa de acordo com os Princípios;
• Exercitar os direitos de voto ou supervisionar a conformidade
com a política de voto (no caso de terceirização);
• Desenvolver capacidade de engajamento (por meios diretos
ou por terceirização);
• Participar no desenvolvimento de políticas, regulamentação
e estabelecimento de padrões (tais como a promoção e
proteção dos direitos dos acionistas);
• Registrar as resoluções dos acionistas consistentes com a
visão de longo prazo dos fatores de ESG;
• Atuar com as empresas no engajamento sobre as questões de
ESG;
• Participar de iniciativas de engajamento colaborativo;
• Solicitar aos gestores de investimentos que comprometam-se
e relatem sobre o compromisso relacionado a ESG.

3 Buscar a transparência adequada nas empresas em que


investimos quanto às questões de ESG.

Recomendações:

• Solicitar relatórios padronizados sobre as questões de ESG


(usando ferramentas como Relatórios de Responsabilidade
Sócio Ambiental, entre eles o Global Reporting Initiative -
GRI);
• Solicitar que as questões relacionados a ESG sejam
integrados dentro dos relatórios financeiros anuais;
• Solicitar informações a empresas no que se refere a adoção
ou aderência às normas relevantes, padrões, códigos de
condutas ou iniciativas internacionais (tais como o Pacto
Global das Nações Unidas);
• Apoiar as iniciativas e resoluções dos acionistas que
promovem a divulgação de ESG.

4 Promover a aceitação e a implementação dos princípios no


conjunto de investidores institucionais.

Recomendações:

• Incluir requisitos relacionados aos Princípios nas solicitações


de propostas (RFPs – Requests for Proposals);
• Alinhar mandatos de investimentos, procedimentos de
monitoramento, indicadores de desempenho e estruturas de
remuneração de forma adequada (por exemplo, garantir que
processos de gestão de investimentos considerem horizontes
de longo prazo quando apropriado);
• Comunicar as expectativas com relação aos fatores de ESG
para prestadores de serviços de investimentos;
• Rever as relações com os prestadores de serviços que não
cumpram as expectativas de fatores de ESG;
• Apoiar o desenvolvimento de ferramentas para a avaliação da
integração à ESG;
• Apoiar o desenvolvimento de regulações ou de políticas que
permitam a implementação dos Princípios.

5 Trabalhar juntos para reforçar nossa eficiência na


implementação dos Princípios.

Recomendações:

• Apoiar/participar de redes de relacionamento e informação


para compartilhar ferramentas e recursos e fazer uso de
relatórios de investidores como fonte de aprendizagem;
• Endereçar coletivamente assuntos emergentes relevantes;
• Desenvolver ou apoiar iniciativas de colaboração
consideradas adequadas.

6 Divulgar nossas atividades e progressos em relação à


implementação dos Princípios.

Recomendações:

• Divulgar como os fatores de ESG estão integrados com as


práticas de investimento;
• Divulgar atividades de acompanhamento das empresas
(votação, engajamento, políticas de diálogo);
• Divulgar o que é solicitado aos prestadores de serviços em
relação aos Princípios;
• Comunicar aos beneficiários sobre as questões de ESG e os
Princípios;
• Relatar sobre o progresso e/ou realizações relacionadas aos
princípios usando uma abordagem Comply or Explain*;
• Buscar determinar o impacto dos Princípios;
• Fazer uso dos relatórios para estimular a consciência de um
grupo mais amplo de atores-partes interessadas.

* A abordagem Comply or Explain requer que os signatários relatem


como os princípios estão sendo executados ou forneçam uma
explicação sobre os itens que eles não estão de acordo.

Os princípios de responsabilidade social e de governança nos


investimentos foram desenvolvidos por um grupo internacional de
investidores institucionais a fim de refletir sobre a importância
crescente de questões ambientais, sociais e de governança
corporativa para as práticas de investimento. Este processo foi
conduzido a convite do Secretário Geral das Nações Unidas.

Ao aderir aos Princípios, nós, na condição de investidores,


comprometemo-nos publicamente a adotá-los e implementá-los,
onde forem consistentes com nossas responsabilidades fiduciárias.
Também nos comprometemos a avaliar sua eficácia e aprimorar
seu conteúdo ao longo do tempo. Acreditamos que isto irá
melhorar nossa habilidade de cumprir nossos compromissos com os
beneficiários, bem como melhor alinhar nossas atividades de
investimento com os mais amplos interesses da sociedade.

Encorajamos outros investidores a adotarem os Princípios.

+++

The Principles for Responsible Investment

As institutional investors, we have a duty to act in the best long-


term interests of our beneficiaries. In this fiduciary role, we
believe that environmental, social, and corporate governance
(ESG) issues can affect the performance of investment portfolios
(to varying degrees across companies, sectors, regions, asset
classes and through time). We also recognise that applying these
Principles may better align investors with broader objectives of
society. Therefore, where consistent with our fiduciary
responsibilities, we commit to the following:

1 We will incorporate ESG issues into investment analysis and


decision-making processes.

Possible actions:

• Address ESG issues in investment policy statements


• Support development of ESG-related tools, metrics, and
analyses
• Assess the capabilities of internal investment managers to
incorporate ESG issues
• Assess the capabilities of external investment managers to
incorporate ESG issues
• Ask investment service providers (such as financial analysts,
consultants, brokers, research firms, or rating companies) to
integrate ESG factors into evolving research and analysis
• Encourage academic and other research on this theme
• Advocate ESG training for investment professionals

2 We will be active owners and incorporate ESG issues into our


ownership policies and practices.

Possible actions:

• Develop and disclose an active ownership policy consistent


with the Principles
• Exercise voting rights or monitor compliance with voting
policy (if outsourced)
• Develop an engagement capability (either directly or through
outsourcing)
• Participate in the development of policy, regulation, and
standard setting (such as promoting and protecting
shareholder rights)
• File shareholder resolutions consistent with long-term ESG
considerations
• Engage with companies on ESG issues
• Participate in collaborative engagement initiatives
• Ask investment managers to undertake and report on ESG-
related engagement

3 We will seek appropriate disclosure on ESG issues by the


entities in which we invest.

Possible actions:

• Ask for standardised reporting on ESG issues (using tools such


as the Global Reporting Initiative)
• Ask for ESG issues to be integrated within annual financial
reports
• Ask for information from companies regarding adoption
of/adherence to relevant norms, standards, codes of conduct
or international initiatives (such as the UN Global Compact)
• Support shareholder initiatives and resolutions promoting ESG
disclosure

4 We will promote acceptance and implementation of the


Principles within the investment industry.
Possible actions:

• Include Principles-related requirements in requests for


proposals (RFPs)
• Align investment mandates, monitoring procedures,
performance indicators and incentive structures accordingly
(for example, ensure investment management processes
reflect long-term time horizons when appropriate)
• Communicate ESG expectations to investment service
providers
• Revisit relationships with service providers that fail to meet
ESG expectations
• Support the development of tools for benchmarking ESG
integration
• Support regulatory or policy developments that enable
implementation of the Principles

5 We will work together to enhance our effectiveness in


implementing the Principles.

Possible actions:

• Support/participate in networks and information platforms to


share tools, pool resources, and make use of investor
reporting as a source of learning
• Collectively address relevant emerging issues
• Develop or support appropriate collaborative initiatives

6 We will each report on our activities and progress towards


implementing the Principles.

Possible actions:

• Disclose how ESG issues are integrated within investment


practices
• Disclose active ownership activities (voting, engagement,
and/or policy dialogue)
• Disclose what is required from service providers in relation to
the Principles
• Communicate with beneficiaries about ESG issues and the
Principles
• Report on progress and/or achievements relating to the
Principles using a 'Comply or Explain'1 approach
• Seek to determine the impact of the Principles
• Make use of reporting to raise awareness among a broader
group of stakeholders
1
The Comply or Explain approach requires signatories to report on
how they implement the Principles, or provide an explanation
where they do not comply with them.

The Principles for Responsible Investment were developed by an


international group of institutional investors reflecting the
increasing relevance of environmental, social and corporate
governance issues to investment practices. The process was
convened by the United Nations Secretary-General.

In signing the Principles, we as investors publicly commit to adopt


and implement them, where consistent with our fiduciary
responsibilities. We also commit to evaluate the effectiveness and
improve the content of the Principles over time. We believe this
will improve our ability to meet commitments to beneficiaries as
well as better align our investment activities with the broader
interests of society.

We encourage other investors to adopt the Principles.