Você está na página 1de 2

A educação interdisciplinar e seus benefícios para os alunos tem sido um

ponto de grande discussão, pesquisas mais recentes fornecem evidências dos


benefícios observáveis da educação interdisciplinar. A educação interdisciplinar
conecta áreas de disciplinas tipicamente distintas, como matemática, alfabetização,
música e ciências, situando as disciplinas em problemas da vida real que requerem
a combinação de habilidades e compreensão das diferentes áreas de conhecimento,
“ela busca responder à necessidade de superação da visão fragmentada nos
processos de produção e socialização do conhecimento” (THIESEN, 2008).
Assim, ao conectar diferentes áreas de estudo, a educação interdisciplinar
visa facilitar uma maior compreensão conceitual nos alunos do que se eles
aprendessem o conteúdo de cada matéria isoladamente. Ao empregar técnicas
interdisciplinares, professores de diferentes disciplinas podem colaborar e apoiar uns
aos outros, dando espaço para a significação do conhecimento. Esta abordagem
reconhece e que construir conexões significativas entre as áreas disciplinares pode
tornar a aprendizagem mais contextual ou significativa para os alunos, mas ainda
valoriza as áreas individuais de estudo (Gadotti 2004 apud THIESEN, 2008).
Dentro dos estudos acerca da temática da interdisciplinaridade podemos
observar dois grandes enfoques: o epistemológico e o pedagógico, que mesmo
apresentando conceitos variados, em muitos casos se relacionam e complementam-
se. No campo da epistemologia, adota-se como categorias para seu estudo o
conhecimento em seus aspectos de produção, reconstrução e socialização; a
ciência e seus paradigmas; e o método como mediação entre o sujeito e a realidade.
Já para a abordagem pedagógico, procura-se essencialmente questões de natureza
curricular, de ensino e de aprendizagem escolar (THIESEN, 2008).
Em relação à construção de conceitos, ou de um conceito, para
interdisciplinaridade, encontramos múltiplas significações, em um processo ainda em
construção. A interdisciplinaridade, que, como já mencionamos, é uma noção muito
polissêmica, é implementada em uma variedade de campos da atividade humana
com base em objetivos sociais distintos, rejeita uma definição unívoca e definitiva,
ou, como afirma Leis (2005, p. 7 apud THIESEN, 2008), “a tarefa de procurar
definições finais para a interdisciplinaridade não seria algo propriamente
interdisciplinar, senão disciplinar”.
A interdisciplinaridade prática refere-se à experiência prática que um indivíduo
adquire e usa para resolver problemas cotidianos de gestão da vida individual e
social. A educação interdisciplinar permite que os alunos vejam diferentes
perspectivas e trabalhem em grupos com a síntese das disciplinas como objetivo
final. Incentivar os alunos a irem além das restrições típicas de uma única área de
conteúdo e se envolverem na aprendizagem interdisciplinar estimula o pensamento
crítico, a criatividade, a colaboração e as habilidades de comunicação (Freire, 1987
apud THIESEN, 2008).
A aprendizagem interdisciplinar permite que professores e alunos façam
conexões entre a aprendizagem, explorando links claros e relevantes em todo o
currículo. Apoia o uso e a aplicação do que foi ensinado e aprendido de maneiras
novas e diferentes, oferecendo oportunidades para aprofundar. Os estudos
interdisciplinares desenvolvem uma estrutura para os professores que permite
relações mais autênticas com os alunos e a capacidade de ensinar habilidades
cognitivas (por exemplo, cooperação e pensamento crítico) que se conectam a
cenários de aprendizagem da 'vida real'. Além disso, a educação interdisciplinar
ajuda na flexibilidade curricular e integrando informações que mudam rapidamente
com maior eficiência.