Você está na página 1de 32

Problemas Resolvidos de

Cinemática de Física
Cinemática
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
31 pag.

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática

1. Movimento rectilíneo com dependência em t

1.1. Um corpo percorre uma trajectória rectilínea de acordo com a lei x ( t ) = t 3 − 6t 2 − 15t + 40 (SI).

Determine:
a) a velocidade média do corpo entre os instantes t = 2 s e t = 5 s;
b) a expressão geral da velocidade;
c) a velocidade no instante t = 1 s;
d) as posições em que a velocidade se anula;
e) a aceleração média do corpo entre os instantes t = 1 s e t = 4 s;
f) a expressão geral da aceleração;
g) a aceleração no instante t = 3 s;
h) os intervalos de tempo em que o movimento é acelerado ou retardado.

1.2. Um corpo move-se ao longo do eixo Ox segundo a lei x ( t ) = 2t 3 − 15t 2 + 24t + 4 (m). Determine:

a) as dimensões das constantes numéricas;


b) a expressão geral da velocidade;
c) a expressão geral da aceleração;
d) os instantes em que o corpo passa pela origem;
e) a posição do corpo nos instantes em que a velocidade se anula;
f) a distância percorrida pelo corpo ao fim de 5 segundos.

1.3. A aceleração de um corpo em movimento rectilíneo é directamente proporcional ao tempo. Para t = 0 s, a


velocidade do corpo é v ( t = 0 ) = −16 m⋅s−1. Sabendo que a velocidade e a coordenada de posição são nulas

quando t = 4 s, determine a aceleração, velocidade e posição do corpo num instante genérico.


Resolução
A aceleração é proporcional ao tempo,
a = kt (m⋅s−2)
e as condições iniciais do movimento são
v ( t = 0 ) = −16 (m⋅s−1)

v ( t = 4 ) = 0 (m⋅s−1)

x (t = 4) = 0 m

Para determinar o valor da constante k,


4
dv ⎡1 ⎤
dv ⇒ ⎢ kt 2 ⎥ = [ v ]−16
4 0
∫ ∫
0
a= ⇒ adt = dv ⇒ ktdt = ⇒ 8k = 16
dt 0 −16 ⎣ 2 ⎦0
ou seja

M. Faria – Dez 2007 1/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
−3
k = 2 (m⋅s )
A aceleração é
a = 2t (m⋅s−2)
Tem-se
v( t )
⎡t 2 ⎤ = [ v ]v( t )
dv
⇒ t 2 = v ( t ) + 16
t
∫ ∫
t
a= ⇒ adt = dv ⇒ 2tdt = dv ⇒ ⎣ ⎦0 −16
dt 0 −16

e a velocidade é
v ( t ) = t 2 − 16 (m⋅s−1)

Tem-se
t
x( t ) ⎡1 ⎤
∫ (t )
dx x( t )
dx ⇒ ⎢ t 3 − 16t ⎥ = [ x ]0
t
v= ⇒ vdt = dx ⇒ − 16 dt = ∫ ⇒
2
dt 4 0 ⎣3 ⎦4
1 128
⇒ x ( t ) = t 3 − 16t + (m)
3 3

1.4. Considere uma partícula que se desloca em movimento rectilíneo com uma velocidade dada por
v ( t ) = e −2t (m⋅s−1). Sabendo que a partícula parte da origem do referencial Ox, determine:

a) a aceleração;
b) a posição para qualquer instante;
c) o tempo que a partícula demora a parar.
Resolução
a) A aceleração obtém-se por derivação da velocidade
dv
a (t ) = ⇒ a ( t ) = −2e −2t (m⋅s−2)
dt
b) A posição em qualquer instante obtém-se por integração, sabendo que x ( 0 ) = 0 . Tem-se:
x( t )
dx
x (t ) =
1
( )
t
∫ ∫e
−2 t
= v ⇒ dx = vdt ⇒ dx = dt ⇒ 1 − e −2 t m
dt 0 0 2
c) A partícula pára quando a sua velocidade se anula. Se for T o instante em que a velocidade se anula
deve ter-se
v (T ) = 0 ⇒ e −2T = 0 ⇒ T → +∞

ou seja a partícula nunca pára.

1.5. Considere uma partícula que se desloca com movimento rectilíneo sujeita à aceleração dada por
a (t ) = 10e − t (m⋅s−2). Sabendo que no instante inicial t = 0 s a partícula se encontra em repouso na origem do
referencial, determine:
a) a lei de velocidade num instante genérico;
b) a posição em qualquer instante;
c) a distância percorrida entre os instantes t = 1 s e t = 2 s.
M. Faria – Dez 2007 2/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática

1.6. Uma partícula descreve uma trajectória rectilínea sujeita a uma aceleração a ( t ) = k1 − k2t (SI), onde k1 e

k2 são constantes. Sabendo que no instante inicial a partícula se encontra em repouso na origem do
referencial, e que nos instantes t = 1 s e t = 2 s as velocidades são respectivamente v ( t = 1) = 0 m⋅s−1 e

v ( t = 2 ) = −2 m⋅s−1, determine:

a) o valor das constantes k1 e k2 e respectivas unidades;


b) a lei da velocidade e a lei do movimento;
c) a distância total percorrida ao fim de 4 s.
Resolução
a) Comecemos por obter a lei da velocidade
t
dv v( t ) ⎡ k ⎤ v( t )
∫0 ( k1 − k2t ) dt = ∫0 dv ⇒ ⎢ k1t − 2 t 2 ⎥ = [ v ]0
t
a= ⇒ adt = dv ⇒ ⇒
dt ⎣ 2 ⎦0

k2 2
⇒ v ( t ) = k1t − t
2
Conhecidos os valores particulares da velocidade
v ( t = 1) = 0 m⋅s−1

v ( t = 2 ) = −2 m⋅s−1

ficam determinadas as constantes


⎧ k2
⎪⎪v (1) = k1 − 2 = 0 ⎪⎧k1 = 1 m ⋅ s
−2

⎨ ⇒ ⎨ −3
⎪v ( 2 ) = 2k − k2 4 = −2 ⎪⎩k2 = 2 m ⋅ s
⎪⎩ 1
2
b) Usando os valores das constantes na expressão da velocidade vem
v ( t ) = t − t 2 (m⋅s−1)

Por integração e sabendo que no instante inicial a partícula se encontra na origem do referencial, obtém-se a
lei do movimento
t
x(t ) ⎡1 1 ⎤
∫ (t − t ) dt = ∫
dx x(t )
dx ⇒ ⎢ t 2 − t 3 ⎥ = [ x ]0
t
v= ⇒ vdt = dx ⇒ 2

dt 0 0 ⎣2 3 ⎦0

1 1
⇒ x ( t ) = t 2 − t 3 (m)
2 3
c) Primeiro temos de verificar se há inversão no sentido do movimento até ao instante t = 4 s. Para
haver inversão do sentido do movimento é necessário que o sinal da velocidade mude, e deve portanto
anular-se. Como a velocidade se anula para t = 1 s e muda de sinal, há inversão no sentido do movimento e a
distância total percorrida é
d ( 0 ≤ t < 4 ) = d ( 0 ≤ t < 1) + d (1 ≤ t < 4 ) = x (1) − x ( 0 ) + x ( 4 ) − x (1) =

M. Faria – Dez 2007 3/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
1 1 ⎛ 16 64 ⎞ ⎛ 1 1 ⎞
= − + − ⎟ − ⎜ − ⎟ = 13,5 m
2 3 ⎜⎝ 2 3 ⎠ ⎝ 2 3⎠

1.7. A aceleração dum ponto material é definida por a = kt 2 . Sabendo que para t = 0 s, v0 = −24 m⋅s−1,

x0 = 50 m e que quando t = 4 s, v = 40 m⋅s−1, escreva a lei do movimento da partícula.

1.8. A aceleração de um corpo com movimento rectilíneo é dada por a ( t ) = 4 − t 2 (SI). Sabendo que

v ( t = 3) = 2 ms−1 e x ( t = 2 ) = 9 m, estabeleça a lei do movimento.

1.9. A aceleração de um corpo com movimento rectilíneo segundo a direcção Oz é dada por a ( t ) = − gt ,

onde g é uma constante, e a sua posição inicial é z ( 0 ) = h . Determine o instante em que o corpo passa pela

origem do referencial e a sua velocidade nesse instante para os diferentes casos em que a velocidade inicial é:
a) v0 = 0 ;

b) v0 = k , com k uma constante positiva;


c) v0 = −k , com k uma constante positiva.

1.10. Um corpo movendo-se com velocidade inicial de 3 m⋅s−1, é submetido a uma aceleração constante de 4
m⋅s−2 com o sentido oposto ao da velocidade. Qual a velocidade do corpo e a distância percorrida após 20s.

2. Movimento rectilíneo com dependência em v

2.1. Um ponto material em movimento rectilíneo está sujeito a uma força de atrito proporcional à velocidade,
de tal modo que a sua aceleração é dada por a = −3v , em unidades SI. No instante inicial, v0 = 60 m⋅s−1.
Determine:

a) A distância percorrida até o ponto material atingir o repouso.

b) O tempo necessário para a velocidade se reduzir a 1% do seu valor inicial.

Resolução
a) A aceleração é
a = −3v
e no instante inicial
v ( t = 0 ) = 60

Tem-se

M. Faria – Dez 2007 4/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
dv dv v( t ) ⎛1 ⎞ 1 v( t )
[t ]t0 = − [ ln v ]60 ⇒
t
a=
dt
⇒ dt =
a (v)
⇒ ∫ dt = ∫
0 60
⎜ − ⎟ dv ⇒
⎝ 3v ⎠ 3

1 v (t )
⇒ t = − ⎣⎡ln v ( t ) − ln 60 ⎤⎦ ⇒ − 3t = ln ⇒ v ( t ) = 60e −3t (m⋅s−1)
3 60
O ponto material atinge o repouso quando a sua velocidade se anula, ou seja no instante t = T tal que

v ( t = T ) = 0 ⇒ 60e −3T = 0 ⇒ T → +∞

Se no instante inicial o ponto material se encontra na posição de coordenada x0,


dx x( t ) x( t )
dx ⇒ ⎡⎣ −20e−3t ⎤⎦ = [ x ]x
t
∫ ∫
t
v= ⇒ vdt = dx ⇒ 60e −3t dt = ⇒
dt 0 x0 0 0

⇒ (
x ( t ) = x0 + 20 1 − e −3t )
Como a velocidade é sempre positiva, o ponto material nunca inverte o sentido do movimento e a distância
percorrida d ( t ) no instante t é

(
d ( t ) = x ( t ) − x0 = 20 1 − e −3t )
No instante T → +∞ a distância percorrida é

(
d (T → +∞ ) = lim 20 1 − e −3T = 20 m
T →+∞
)
ou seja, embora nunca pare, a distância máxima que o ponto material percorre é de 20 metros.
b) Seja τ o instante em que a velocidade se reduz a 1 % do seu valor inicial. Tem-se
v ( t = τ ) = 0,01v ( t = 0 ) = 0,06

Usando a lei da velocidade,


1
v ( t = τ ) = 0,06 ⇒ 60e −3τ = 0,06 ⇒ τ = − ln 0,01 ≈ 1,535 s
3

2.2. Um corpo executa um movimento rectilíneo com aceleração dada por a ( v ) = − kv 2 . Sabendo que em

t0 = 0 s o corpo está na origem do referencial com velocidade v0 = 20 m⋅s−1 e em t1 = 10 s a velocidade é

v1 = 2 m⋅s−1, determine:

a) o valor de k, as suas dimensões físicas e unidades SI;


b) a posição em t1 = 10 s.

2.3. A aceleração de uma partícula é definida através da relação a ( v ) = 0, 4 (1 − 4v ) , onde k é uma constante.

Sabendo que em t = 0 a partícula parte do repouso em x = 4 m, e que quando t = 15 s a velocidade é 4


m⋅s−1, determine:
a) a constante k;
b) a posição da partícula quando v = 6 m⋅s−1;
c) o valor máximo da velocidade.

M. Faria – Dez 2007 5/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática

3. Movimento rectilíneo com dependência em x

3.1. Uma partícula oscila numa calha rectilínea, entre x A = 40 mm e xB = 160 mm com uma aceleração

a = k (100 − x ) (mm⋅s−1). A velocidade da partícula é de 18 mm⋅s−1 quando x = 100 mm e torna-se nula para

as posições xA e xB. Determine:


B

a) o valor de k;
b) a velocidade quando x = 120 mm.

3.2. A aceleração de uma partícula é dada por a ( x ) = 90 − 6 x 2 (m⋅s−2). Sabendo que para x = 0 a velocidade

é nula, determine:
a) a velocidade quando x = 5 ;
b) a posição onde a velocidade se anula novamente;
c) a posição onde a velocidade é máxima e o valor da velocidade.

kv0
3.3. Considere uma grelha difusora de ar. A velocidade do ar é dada por v( x ) = , em que k é uma
x
constante, x representa a posição do ar relativamente à grelha difusora e v0 é a velocidade em x0 = k .

Sabendo que v0 = 0, 4 m⋅s−1 e que em x A = 0, 4 m a aceleração é a A = −0,1 m⋅s−2, determine:


a) a aceleração em função da distância e o valor numérico da constante k;
b) a posição em função do tempo, supondo que t0 = 0 s;
c) a velocidade em função do tempo;
d) a velocidade e posição no instante t = 2 s.

3.4. Um corpo ligado a uma mola, oscila num plano horizontal sem atrito. O corpo passa em x A = 0 m com

velocidade v A = 24 m⋅s−1 e em xB = 6 m com velocidade vB = 0 m⋅s−1. Sabendo que a aceleração do corpo é


proporcional à coordenada x, determine a constante de proporcionalidade.

Resolução
A aceleração é
a = kx
e as condições iniciais são
v ( x = 0 ) = 24

v ( x = 6) = 0

Tem-se sucessivamente

M. Faria – Dez 2007 6/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
dv dv dx
⇒ a ( x) = ⇒ a ( x ) dx = vdv ⇒
6 0
a=
dt dx dt ∫0
kxdx = ∫
24
vdv ⇒
v

6 0
⎡1 ⎤ ⎡1 ⎤
⇒ ⎢ kx 2 ⎥ = ⎢ v 2 ⎥ ⇒ 36k = −576 ⇒ k = −16 s−2
⎣ 2 ⎦ 0 ⎣ 2 ⎦ 24

3.5. A aceleração de uma partícula é dada por a ( x ) = 6 x − 14 (SI). Sabendo que para x = 0 a velocidade é 4

m⋅s−1, determine:
a) a velocidade da partícula quando x = 1 m;
b) a velocidade da partícula quando esta percorreu a distância de 15 metros;
c) a distância máxima da partícula à origem.

3.6. Um corpo desloca-se no sentido positivo do eixo dos xx, sendo a sua aceleração dada por
a ( x ) = −10 x (m⋅s−2). Sabe-se que no instante t = 0 , v ( 0 ) = 10 m⋅s−1 e x ( 0 ) = 0 m. Determine:

a) a velocidade como função de x: v = f ( x ) ;

b) a posição do corpo para a qual a velocidade vale 8 m⋅s−1;


c) a lei do movimento;
d) a lei da velocidade.

3.7. A aceleração dum ponto material é dada por a = 25 − 3x 2 . Sabendo que parte do repouso para x = 0 ,
determine:
a) a velocidade após ter percorrido 2 m;
b) a posição onde a velocidade se anula;
c) a posição onde a velocidade é máxima.

3.8. A aceleração dum ponto material é dada por a = 90 − 6 x 2 . Sabendo que para x = 0 , v0 = 0 , determine:
a) a velocidade quando x = 5 m;
b) a posição onde a velocidade se anula novamente;
c) a posição onde a velocidade é máxima e o valor da velocidade.

3.9. Um ponto material desloca-se no sentido positivo do eixo dos xx, sendo a sua aceleração dada por
a = ( 4 x − 2 ) m⋅s−2, onde x vem expresso em metros. Sabe-se que no instante t = 0 , v0 = 10 m⋅s−1 e x0 = 0 .

a) Determine v = f ( x ) .

b) Determine a posição do ponto material para a qual o módulo da velocidade vale 8 m⋅s−1.

M. Faria – Dez 2007 7/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática

4. Movimento rectilíneo – outros problemas

4.1. Uma tartaruga veloz corre a 10 cm⋅s−1 e uma lebre é 20 vezes mais rápida. Numa corrida, ambas partem
no mesmo instante, mas a lebre pára para descansar 2 min, acabando a tartaruga por ganhar por 20 cm.
Quanto tempo durou a corrida e qual a sua extensão?

4.2. Um automobilista desloca-se a 80 km⋅h−1 quando observa que o semáforo, a 250 m, passa a vermelho. O
semafóro está regulado de tal modo que o vermelho permanece 15 segundos. Se o motorista quiser passar
sem precisar de parar no momento em que o sinal passa verde, determine a desaceleração constante que
deverá imprimir ao carro, e a velocidade do carro ao passar pelo semáforo.

4.3. Qual o tempo necessário para um automóvel que se desloca a 60 km/h, ultrapassar outro automóvel com
velocidade de 40 km/h se estiverem a uma distância de 100 m.

4.4. Dois automóveis A e B estão inicialmente distanciados 9 m. A está a deslocar-se com velocidade
constante de 8 m⋅s−1 e B inicia o seu movimento com uma aceleração de 2 m⋅s−2 com o objectivo de atingir o
carro A (os movimentos de A e B são rectilíneos).
a) Qual a lei do movimento e a lei da velocidade de cada carro.
b) Ao fim de quanto tempo os dois carros têm a mesma velocidade.
c) Ao fim de quanto tempo o carro B atinge o carro A.
d) Represente graficamente a velocidade e a posição de cada carro.

4.5. Os móveis A e B inicialmente a uma distância de 3 m, executam movimentos rectilíneos de acordo com
as velocidades v A = 2 + t e v B = 6 − t respectivamente. Determine:
a) ao fim de quanto tempo os móveis têm a mesma velocidade.
b) o instante em que os móveis se encontram supondo que A se encontra inicialmente à frente de B;
c) o instante em que os móveis se encontram supondo que B se encontra inicialmente à frente de A.
d) Represente graficamente as situações correspondentes às alíneas anteriores.

5. Movimento curvilíneo (sem integração)

5.1. Um ponto material desloca-se de acordo com a lei r ( t ) = 4cos ( 2t ) u x + 6sin ( 2t ) u y .

a) Escreva a equação cartesiana da trajectória e represente-a graficamente.


b) Escreva a expressão dos vectores velocidade e aceleração.
c) Represente sobre o gráfico da trajectória os vectores velocidade e aceleração no instante t = 0 .

M. Faria – Dez 2007 8/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
d) Mostre que em qualquer instante o vector aceleração tem o sentido oposto ao de r .
Resolução
a) Usando as equações paramétricas obtém-se a equação cartesiana do movimento
⎧⎪ x ( t ) = 4cos 2t x2 y 2
r ( t ) = 4cos 2tu x + 6sin 2tu y ⇒ ⎨ ⇒ + =1
⎪⎩ y ( t ) = 6sin 2t 16 36

Trata-se de uma elipse centrada em ( 0,0 )

y
6

4 x

b) Os vectores velocidade e aceleração são


dr
v (t ) = = −8sin 2tu x + 12cos 2tu y
dt
dv
a (t ) = = −16cos 2tu x − 24sin 2tu y
dt
c) No instante t = 0 tem-se
r ( 0 ) = 4u x v ( 0 ) = 12u y a ( 0 ) = −16u x

y
v (0)

a ( 0) x

d) A aceleração é
a ( t ) = −16cos 2tu x − 24sin 2tu y ( )
⇒ a ( t ) = −4 4cos 2tu x + 6sin 2tu y = −4r ( t )

e portanto o vector aceleração tem a direcção de r ( t ) e sentido oposto.

5.2. A lei vectorial do movimento de um ponto é r ( t ) = ⎡( t − 2 ) + 1⎤ u x + ⎡( t − 2 ) + 1⎤ u y .


2 2
⎣ ⎦ ⎣ ⎦
a) Represente graficamente a trajectória.
b) Escreva a expressão analítica de v e a e determine as suas normas.

M. Faria – Dez 2007 9/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
c) Classifique o movimento.
d) Calcule o espaço percorrido durante os primeiros 5 segundos.

1
5.3. A trajectória de uma partícula é descrita pelo vector posição r ( t ) = sin 2tu x − cos 2tu y + t 3u z . Escreva
2
os vectores velocidade e aceleração e os seus módulos no instante t = π 2 s.

5.4. Seja r ( t ) = t 2u x + 2tu y o vector que define a trajectória de uma partícula. Para o instante t = 5 s, calcule

a velocidade, a aceleração e as componentes tangencial e normal da aceleração.

( ) ( )
5.5. O vector posicional de um ponto material é r ( t ) = 4 − t 2 u x + 6 − t 2 u y + 6tu z . Determine:

a) o vector velocidade e o seu módulo;


b) o vector aceleração e o seu módulo;
c) Represente graficamente o vector posição, a velocidade e a aceleração em cada eixo, até t = 6 s.
d) Indique o tipo de movimento a que está sujeito o corpo, em cada um dos eixos, até t = 6 s.

5.6. Considere a curva C caracterizada pela equação r ( t ) = 3cos 2tu x + 3sin 2tu y + ( 8t − 4 ) u z . Determine:

a) o vector unitário ut ;
b) o raio de curvatura;
c) a normal principal u n

5.7. As equações paramétricas do movimento de uma partícula são


⎧x = t + 1

⎨ y = −t + t
2


⎩ z = t − 2t
3

Determine, no instante t = 2 s, a velocidade, a aceleração, a aceleração tangencial, a aceleração normal e o


raio de curvatura da trajectória.

5.8. A equação vectorial do movimento de uma partícula é


r ( t ) = −5sin ( πt ) u x + 3cos ( πt ) u y

a) Obtenha a equação da trajectória da partícula. Represente-a graficamente, assinalando o ponto onde


se inicia o movimento.
b) Verifique que o movimento é periódico. Em 10 s, quantas vezes a partícula percorre a sua
trajectória?
c) Obtenha a expressão da velocidade da partícula, representando-a graficamente da trajectória, entre os
instantes t = 0 e t = 2 s. O movimento processa-se no sentido directo ou retrógrado?

M. Faria – Dez 2007 10/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
d) Mostre que a aceleração da partícula é sempre dirigida para a origem do referencial e que o seu
módulo é proporcional à distância a que a partícula se encontra da origem do referencial.

5.9. As equações paramétricas do movimento de uma partícula são dadas por:

⎧ x(t ) = 10sin t

⎩ y (t ) = 20cos t

a) Escreva a equação da trajectória da partícula e represente-a graficamente.


b) Determine as leis de velocidade e aceleração.
c) Mostre que a = −r e represente graficamente o vector aceleração nos pontos A e B definidos por
rA = 20u y e rB = 10u x .

d) Escreva as componentes normal e tangencial da aceleração nos pontos A e B. Justifique.

5.10. O movimento de uma partícula é definido pelas equações x ( t ) =


( t − 6 )3 t 3 ( t − 1)
2

+ t 2 e y (t ) = − ,
12 12 2
nas quais x e y são expressos em metros, e t em segundos. Determine:
a) as expressões da velocidade e da aceleração da particula;
b) o instante para o qual a aceleração é nula;
c) a intensidade da menor velocidade alcançada pela partícula.
Resolução
a) O vector posição escreve-se
⎡ ( t − 6 )3 ⎤ ⎡ t 3 ( t − 1)2 ⎤
r (t ) = ⎢ + t 2 ⎥ ux + ⎢ − ⎥ uy
⎢⎣ 12 ⎥⎦ ⎢⎣ 12 2 ⎥

Derivando em ordem a t obtém-se o vector velocidade
dr ( t ) ⎡t2 ⎤ ⎡t2 ⎤
v (t ) = = ⎢ − t + 9 ⎥ u x + ⎢ − t + 1⎥ u y
dt ⎣4 ⎦ ⎣4 ⎦
e derivando uma vez mais, obtém-se o vector aceleração
dv ( t ) ⎡t ⎤ ⎡t ⎤
a (t ) = = ⎢ − 1⎥ u x + ⎢ − 1⎥ u y
dt ⎣ 2 ⎦ ⎣ 2 ⎦
b) A aceleração é nula no instante T para o qual
⎡T ⎤ ⎡T ⎤
a (T ) = 0 ⇒ ⎢ − 1⎥ u x + ⎢ − 1⎥ u y = 0 ⇒ T = 2 s
⎣2 ⎦ ⎣2 ⎦
c) A intensidade da velocidade é
2 2
⎡t2 ⎤ ⎡t2 ⎤ t4 3
v ( t ) = ⎢ − t + 9 ⎥ + ⎢ − t + 1⎥ = − t + 7t 2 − 20t + 82
⎣4 ⎦ ⎣4 ⎦ 8

e será máxima (ou mínima) no instante τ em que a derivada de v(t) (no fundo a aceleração tangencial) se
anula,
M. Faria – Dez 2007 11/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
dv ( t ) d ⎛ t4 3 ⎞
=0 ⇒ ⎜ − t + 7t 2 − 20t + 82 ⎟ = 0 ⇒
dt dt ⎜ 8 ⎟
⎝ ⎠

d ⎛ t4 3 ⎞ τ3
⇒ ⎜ − t + 7t − 20t + 82 ⎟ = 0 ⇒
2
− 3τ2 + 14τ − 20 = 0
dt ⎝ 8 ⎠ 2

A única raíz do polinómio é τ = 2 , e nesse instante a intensidade da velocidade é

24
v (t = 2) = − 23 + 7 × 22 − 20 × 2 + 82 = 8 m⋅s−1
8
Nesse instante a velocidade é mínima (e não máxima) porque podemos comparar esse valor com o da
velocidade em qualquer outro instante, por exemplo t = 0

v ( t = 0 ) = 82 ≈ 9,06 m⋅s−1

5.11. Uma partícula move-se de modo que as suas coordenadas, como funções do tempo são dadas por

⎪⎧ x ( t ) = v0t

⎪⎩ y ( t ) = y0 sin ωt
a) Faça os gráficos de x e y como funções de t.
b) Faça o gráfico da trajectória da partícula.
c) Calcule os módulos da velocidade e da aceleração como funções do tempo.

5.12. O movimento de um ponto material é definido pelas equações:


⎧ x = 6 sin t

⎩ y = 8 sin t
a) Faça a representação gráfica da trajectória do ponto material.
b) Escreva a lei do movimento sobre a trajectória.
c) Indique o valor máximo da velocidade e da aceleração, e as posições onde esses valores se verificam.
d) Qual o valor da velocidade na posição ( 3, 4 ) .

5.13. Uma partícula move-se segundo a equação


r ( t ) = A cos ( αt ) u x + B sin ( αt ) u y

onde A e B são constantes.


a) Represente graficamente a trajectória da partícula, indicando a posição inicial.
b) Classifique o movimento. Em que instantes há inversão do sentido do movimento?
c) Mostre que a aceleração aponta para a origem e é proporcional a r .

6. Movimento curvilíneo (com integração)

M. Faria – Dez 2007 12/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
6.1. A velocidade de uma partícula é dada por v ( t ) = 6cos 2tu x − 6sin 2tu y . No instante t = 0 , a partícula

encontra-se na posição ( 0,3,0 ) .

a) Escreva a lei vectorial do movimento e classifique-o.


b) Represente graficamente a trajectória e as grandezas r , v e a para t = π 2 .
c) Escreva a lei do movimento sobre a trajectória.
d) Mostre que se trata de um movimento periódico e determine o seu período.
Resolução
a) Dado o vector velocidade
v ( t ) = 6cos 2tu x − 6sin 2tu y

o vector posição obtém-se por integração do vector velocidade

r ( t ) = v ( t ) dt = ( 3sin 2t + c1 ) u x + ( 3cos 2t + c2 ) u y + c3u z



e as constantes de integração determinam-se pelas condições iniciais

⎪⎧r ( 0 ) = 3u y
⎨ ⇒ c1 = c2 = c3 = 0
⎪⎩r ( 0 ) = c1u x + ( 3 + c2 ) u y + c3u z
donde, a lei do movimento é
r ( t ) = 3sin 2tu x + 3cos 2tu y

Trata-se de um movimento circular no plano xOy (como veremos na alínea seguinte) e uniforme pois o
módulo da velocidade é constante

v (t ) = ( 6cos 2t )2 + ( −6sin 2t )2 =6 2

sendo nula a componente tangencial da aceleração


d
at ( t ) = v (t ) = 0
dt
e portanto a componente normal da aceleração é constante

an ( t ) = a ( t ) = 12 2

e trata-se pois de um movimento circular e uniforme.


b) Usando as equações paramétricas e eliminando t obtém-se a equação da trajectória

⎪⎧ x ( t ) = 3sin 2t
⎨ ⇒ x2 + y 2 = 9
⎪⎩ y ( t ) = 3cos 2t
Esta última equação é a equação da circunferência centrada na origem e de raio 3. Quanto à aceleração ela é
dv
a (t ) = = −12sin 2tu x − 12cos 2tu y
dt
No instante t = π 2 , os vectores posição, velocidade e aceleração são

r ( π 2 ) = −3u y v ( π 2 ) = −6u x a ( π 2 ) = 12u y

Representamos a trajectória e os vectores v e a no instante t = π 2

M. Faria – Dez 2007 13/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
y

a ( π 2)
x

v ( π 2)

c) A lei do movimento sobre a trajectória é dada por

s (t ) = ∫ v ( t ) dt = ∫ 6
t t
2 dt = 6 2t
0 0

d) Por definição o movimento diz-se periódico se


r ( t ) = r ( t + nT ) ∀t , n ∈ {0,1, 2,…}

sendo T o seu período. Usando as equações paramétricas do movimento


⎧⎪ x ( t ) = x ( t + T ) ⎧⎪3sin 2t = 3sin ( 2t + 2T )
r (t ) = r (t + T ) ⇒ ⎨ ⇒ ⎨ ⇒ T =π
⎪⎩ y ( t ) = y ( t + T ) ⎪⎩3cos 2t = 3cos ( 2t + 2T )

6.2. Um corpo desloca-se à velocidade 1,5 m⋅s−1 na direcção e sentido do semi-eixo positivo Oy. Ao passar
pela origem (semi-espaço x ≥ 0 ) o corpo fica sujeito a uma aceleração de 5 m⋅s−2 na direcção e sentido do
semi-eixo positivo Ox. Determine:

a) a equação da trajectória;

b) o módulo da velocidade em t = 1 s;

c) as componentes normal e tangencial da aceleração, e o raio de curvatura em t = 1 s.

Resolução
a) Começando a contagem do tempo no instante em que o corpo passa na origem, trata-se de um
movimento com aceleração
a ( t ) = 5u x

e com as condições iniciais


v ( t = 0 ) = 1,5u y

r (t = 0) = 0

Tem-se
dv v (t )
⇒ 5tu x = v ( t ) − 1,5u y
t
a=
dt
⇒ adt = dv ⇒ ∫ 5u dt = ∫
0
x
1,5u y
dv ⇒

⇒ v ( t ) = 5tu x + 1,5u y (m⋅s−1)

r (t )
∫ ( 5tu )
dr
⇒ r ( t ) = 2,5t 2u x + 1,5tu y (m)
t
v=
dt
⇒ vdt = dr ⇒
0
x + 1,5u y dt = ∫0
dr

M. Faria – Dez 2007 14/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
A equação da trajectória obtem-se partindo das equações paramétricas e eliminando o parâmetro t

⎪⎧ x = 2,5t
2
2
x ⎛ y ⎞ 10 2
⎨ ⇒ =⎜ ⎟ ⇒ x= y
⎪⎩ y = 1,5t 2,5 ⎝ 1,5 ⎠ 9

b) No instante t = 1 s,

v ( t = 1) = 5u x + 1,5u y ⇒ v ( t = 1) = 52 + 1,52 ≈ 5,154 m⋅s−1

c) O módulo da velocidade é

v = 25t 2 + 2, 25
donde
dv d ⎡
= ⎢ 25t 2 + 2, 25 ⎤⎥ =
25t
at =
dt dt ⎣ ⎦ 25t 2 + 2, 25

No instante t = 1 s,
at ( t = 1) ≈ 4,789 m⋅s−2

a ( t = 1) = 5u x ⇒ a ( t = 1) = 5 m⋅s−2

a 2 = at2 + an2 ⇒ an ( t = 1) = a 2 ( t = 1) − at2 ( t = 1) ≈ 1, 437 m⋅s−2

v2 v 2 ( t = 1)
an = ⇒ ρ ( t = 1) = ≈ 18,97 m
ρ an ( t = 1)

6.3. Uma partícula desloca-se com aceleração constante a = −4u y . A posição e a velocidade iniciais são

respectivamente r ( 0 ) = 2u x e v ( 0 ) = 8u y .

a) Escreva a equação cartesiana da trajectória, representando-a graficamente. Represente os vectores


velocidade e aceleração no instante t = 1 .
b) Classifique o movimento, justificando.
c) Há inversão no sentido do movimento? Em caso afirmativo, quando?
d) Escreva a lei do movimento sobre a trajectória.
Resolução
a) Por sucessiva integração do vector aceleração
a = −4u y

e usando as condições iniciais


⎧⎪r ( 0 ) = 2u x

⎪⎩v ( 0 ) = 8u y
obtém-se o vector velocidade
v ( t ) = ( 8 − 4t ) u y

e o vector posição

M. Faria – Dez 2007 15/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
(
r ( t ) = 2u x + 8t − 2t u y 2
)
As equações paramétricas do movimento são

⎪⎧ x ( t ) = 2

⎪⎩ y ( t ) = 8t − 2t
2

e trata-se de um movimento rectilíneo


y
8 t =0

2 x

No instante t = 1 tem-se
r (1) = 2u x + 6u y v (1) = 4u y a (1) = −4u y

y v (1)
6

a (1)
2 x

b) Até ao instante t = 2 , o movimento ao longo do eixo dos yy é uniformemente retardado, e a partir


desse instante passa a ser uniformemente acelerado.

v>0 v<0
8 a<0 a<0

vy

2 t
-4 ay

c) A inversão do movimento dá-se quando v muda de sinal, ou seja no instante t = 2 .

d) s(t ) = 8t − t 2

6.4. A aceleração de um corpo é dada por a = 10u x + 10e−5t u y (SI). Sabendo que no instante inicial o corpo

está na origem do referencial com velocidade v0 = 2u z (m⋅s−1) , determine a velocidade e posição num

M. Faria – Dez 2007 16/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
instante genérico.

Resolução
A aceleração é
a = 10u x + 10e−5t u y

e as condições iniciais são


r (t = 0) = 0

v ( t = 0 ) = 2u z

Tem-se sucessivamente
v (t )
∫ (10u )
dv t
a=
dt
⇒ adt = dv ⇒
0
x + 10e −5t u y dt = ∫2u z
dv ⇒

( )
⇒ v ( t ) = 10tu x + 2 − 2e −5t u y + 2u z (m⋅s−1)

r (t )
∫ ⎡⎣10tu + ( 2 − 2e ) u
dr t
+ 2u z ⎤ dt = ∫
−5 t
v= ⇒ vdt = dr ⇒ dr ⇒
dt 0
x y ⎦ 0

⎛ 2 2⎞
⇒ r ( t ) = 5t 2u x + ⎜ 2t + e −5t − ⎟ u y + 2tu z (m)
⎝ 5 5⎠

6.5. Um homem inicialmente no centro de um carrocel que gira com velocidade angular constante de 0,2
rad⋅s−1, desloca-se ao longo do raio da plataforma, com velocidade constante de 0,1 m⋅s−1 relativamente à
mesma.

a) Determine as componentes radial e transversal da velocidade e aceleração em qualquer instante.

b) Sabendo que o diâmetro da plataforma é de 10m, qual a velocidade e aceleração na extremidade da


plataforma?

Resolução
a) As componentes radial e transversal da velocidade e da aceleração são assim definidas
r = rur

dr d dr
v= = ( rur ) = ur + r ω uθ
dt dt dt vθ
vr

dv d ⎛ dr ⎞ ⎛d r ⎞ ⎛ dr ⎞
2
a= = ⎜ ur + r ωuθ ⎟ = ⎜ 2 − r ω2 ⎟ ur + ⎜ rα + 2 ω ⎟ uθ
dt dt ⎝ dt ⎠ ⎝ dt ⎠ ⎝ dt ⎠
ar aθ

Os dados do problema são


ω = 0, 2 rad⋅s−1
vr = 0,1 m⋅s−1

r (t = 0) = 0

M. Faria – Dez 2007 17/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
Daqui tira-se
dr r (t ) d 2r
0,1dt ⇒ r ( t ) = 0,1t ⇒
t
vr =
dt
⇒ dr = vr dt ⇒ ∫ 0
dr = ∫
0 dt 2
=0


ω=0 ⇒ α= =0
dt
e as componentes radial e transversal escrevem-se

⎪⎧vr = 0,1 m ⋅ s ⎪⎧ar = −0,004t m ⋅ s


-1 -2

⎨ ⎨
⎪⎩vθ = 0,02t m ⋅ s ⎪⎩aθ = 0,04t m ⋅ s
-1 -2

b) Se o diâmetro é de 10 m, na extremidade da plataforma r = 5 m. Tem-se


⎧vr = 0,1
⎨ ⇒ v = 0,1ur + uθ (m⋅s−1)
⎩vθ = r ω = 1

⎧ar = − r ω2 = −0, 2

⎨ dr ⇒ a = −0, 2ur + 0,04uθ (m⋅s−2)
⎪aθ = 2 ω = 0,04
⎩ dt

6.6. O acesso a um parque automóvel é efectuado por uma pista em caracol de raio 10m e distância entre
pisos de 2 m. As equações da trajectória dos veículos nesta pista são z = k1θ e R = k 2 .

a) Calcule k1 e k2.

b) Determine a direcção da velocidade de um automóvel que sobe a pista.

c) Supondo que a velocidade de subida é 18 km⋅h−1, determine a posição do automóvel em função do


tempo.

d) Calcule o tempo necessário para atingir o parque de estacionamento a partir da entrada na pista.

e) Qual a aceleração do automóvel nesse instante?

Resolução

10 m

2m

M. Faria – Dez 2007 18/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
a) O raio da trajectória é 10 m, donde
⎧ R = k2
⎨ ⇒ k2 = 10 m
⎩ R = 10
Se a distância entre dois pisos é de 2 m, o automóvel sobe 2 m quando descreve um ângulo completo de 2π,
ou seja
⎧ z = k1θ 1
⎨ ⇒ 2 = k1 2π ⇒ k1 = m⋅rad−1
⎩ z = 2, θ = 2π π

b) Recorde-se que em coordenadas cilíndricas o vector posição se escreve


r = ρuρ + zu z

e neste caso
1
r = 10uρ + θu z (11.1)
π
Derivando em ordem a t obtém-se o vector velocidade
dr dθ 1 dθ ω
v= = 10 uθ + u z = 10ωuθ + u z
dt dt π dt π
ω ω

com módulo
ω
v= 100π2 + 1 (11.2)
π
A orientação deste vector (que é a orientação do movimento porque o vector velocidade é sempre tangente à
trajectória com o sentido do movimento) é dada pelo seu versor, o versor tangencial u t ,

1 10π 1
v = vut ⇒ ut = v = uθ + uz
v 100π + 1
2
100π2 + 1
vρ vz

Facilmente se obtém a inclinação da pista, o ângulo α da figura

v
vz
α

vz 1
α = arctan = ≈ 1,8º
vθ 10π
c) A velocidade de subida é constante e vale
v = 18 km⋅h−1 = 5 m⋅s−1
Também é constante a velocidade angular ω, e de acordo com (11.2)
ω πv
v= 100π2 + 1 ⇒ ω = ≈ 0, 4997 rad⋅s−1
π 100π + 1
2

Sendo ω constante podemos facilmente obter a dependência de θ em função de t, supondo que no instante

M. Faria – Dez 2007 19/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
inicial θ ( t = 0 ) = 0 ,

dθ θ( t )
d θ ⇒ θ ( t ) = 0, 4997t
t
ω=
dt
⇒ ∫ ωdt = ∫
0 0

Usando agora (11.1),


r = 10uρ + 0,159u z (m)

d) O tempo T que leva a dar uma volta completa pode ser determinado por

⎪ (T ) = 0, 4997T
⎧θ
⎨ ⇒ T = 12,57 s
⎪⎩θ (T ) = 2π
e) A aceleração é
dv d ⎡ ω ⎤
a= = ⎢10ωuθ + u z ⎥ = −10ω2uρ = −2, 497uρ
dt dt ⎣ π ⎦
Recorde-se que
⎧ duρ
⎪⎪ = ωuθ
dt

⎪ duθ = −ωu
⎪⎩ dt ρ

6.7. Uma partícula desloca-se no plano xOy com aceleração constante. No instante t = 0 está na origem com
velocidade v0 = 3u x − 2u y e no instante t = 3 s tem velocidade v = 9u x + 7u y . Qual a aceleração da partícula e

a sua lei do movimento.

6.8. A aceleração de um ponto material é a = u x + tu y (m⋅s−2). No instante inicial, o ponto material tinha

velocidade nula e estava na origem do sistema de eixos. Determine:


a) as acelerações tangencial e normal ao fim de 2 segundos de movimento;
b) o raio de curvatura da trajectória no mesmo instante;
c) a distância do corpo à origem ainda no mesmo instante.

6.9. Uma partícula move-se com aceleração dada por a ( t ) = 2cos3tu x + 6e−3t u y − 3sin 3tu z . Sabendo que no

instante t = 0 , a partícula está localizada no ponto ( −1,3, 2 ) e tem velocidade 2u x − 2u y + u z estabeleça as

expressões da velocidade e do vector posição da partícula no instante t.

6.10. Uma partícula move-se com aceleração a ( t ) = −4sin tu x + 4cos tu y . No instante t = 0 a posição é dada

pelo vector r ( 0 ) = 4u y e a velocidade pelo vector v ( 0 ) = 4u x . Determine:

a) a trajectória da partícula;
b) as acelerações normal e tangencial;
c) o raio da curvatura.
M. Faria – Dez 2007 20/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática

6.11. Chico desloca-se no seu VW Polo com uma aceleração 3u x − 2u y (m⋅s−2) enquanto Paula segue no seu

Renault Clio com aceleração u x + 3u y (m⋅s−2). Supondo que ambos partem em repouso do mesmo ponto,

qual a distância entre Chico e Paula ao fim de 5 segundos.

6.12. Um ponto material move-se no plano xOy segundo a lei


⎧d2x
⎪ 2 = −4sin t
⎪ dt
⎨ 2
⎪ d y = 3cos t
⎪⎩ dt 2

Sabendo que para t = 0 se tem

⎧x = 0 ⎧ y = −3
⎪ ⎪
⎨ dx ⎨ dy
⎪⎩ dt = 4 ⎪⎩ dt = 0

determine:
a) a equação da trajectória;
b) o valor da velocidade quando t = π 4 .

6.13. Uma partícula move-se no plano xOy de tal modo que:


⎧ dx
⎪⎪ dt = 4t + 4t
3


⎪ dy = 4t
⎪⎩ dt

e no instante t = 0 encontra-se na origem dos eixos coordenados.


a) Escreva a expressão do vector posição da partícula e indique a posição da partícula para t = 1 .
b) Escreva a equação da trajectória e represente-a graficamente.
c) Determine a aceleração da partícula no instante t = 1 .

6.14. Uma partícula move-se com aceleração a = 2e −t u x + 5 cos t u y − 3 sin t u z (m⋅s−2). Se no instante t = 0 a

partícula se encontra na posição (1,−3,2 ) com velocidade 4u x − 3u y + 2u z (m⋅s−1), determine, para qualquer

instante:
a) o vector velocidade;
b) o vector posição.

6.15. Considere o movimento no plano de uma partícula sujeita a uma aceleração constante a = 2u y (m⋅s−2).

Sabendo que no instante t = 1 s a sua velocidade é v = u x (m⋅s−1) e que no instante t = 2 s a partícula se

M. Faria – Dez 2007 21/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
encontra na posição de coordenadas (1,0 ) m, determine:

a) a sua velocidade em qualquer instante;


b) o vector posição em qualquer instante;
c) a equação da trajectória, representando-a no plano xOy com a indicação da posição inicial e do
sentido do movimento;
d) o versor et (tangente à trajectória) no instante t = 1 s.
Resolução
a) A velocidade obtém-se por integração do vector aceleração sabendo que v (t = 1) = i .

dv v (t )
⇒ v ( t ) − u x = 2 ( t − 1) u y
t

dt
= a ⇒ dv = adt ⇒ ∫ux
dv = ∫ adt
1

ou seja
v ( t ) = u x + 2 ( t − 1) u y (m⋅s−1)

b) O vector posição obtém-se por integração do vector velocidade sabendo que r ( t = 2 ) = u x . Tem-se
r (t )
dr
( )
+ 2 ( t − 1) u y ⎤⎦ dt ⇒ r ( t ) − u x = ( t − 2 ) u x + t 2 − 2t u y
t

dt
=v ⇒ ∫ux
dr = ∫ ⎡⎣u
2
x

ou seja

(
r ( t ) = ( t − 1) u x + t 2 − 2t u y (m) )
c) As equações paramétricas são

⎪⎧ x ( t ) = t − 1

⎪⎩ y ( t ) = t − 2t
2

e a equação da trajectória é obtida eliminando o parâmetro t, ou seja


⎧⎪ x ( t ) = t − 1 ⎧t = x + 1 ⎪⎧ __
⎨ ⇒ ⎨ ⇒ ⎨
⎩⎪ y ( t ) = t − 2t ⎪⎩ y = ( x + 1) − 2 ( x + 1)
2 2
⎩ __

e tem-se
y ( x ) = x2 − 1

t =0

M. Faria – Dez 2007 22/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
d) O versor et é sempre tangente à trajectória, ou seja tem sempre a orientação do vector velocidade.

No instante t = 1 o vector velocidade é dado, ou seja v ( t = 1) = u x . Assim neste instante tem-se

et ( t = 1) = u x

6.16. Um corpo desloca-se à velocidade de 2 m⋅s−1 na direcção e sentido do semi-eixo positivo Oy. Ao passar
1
pela origem o corpo fica sujeito a uma aceleração a = 4u x + u y (m⋅s−2). Determine:
vy

a) a lei da velocidade;
b) a aceleração em função do tempo;
c) no instante t = 1 s calcule:
i. o versor da tangente à trajectória;
ii. o módulo da aceleração;
iii. a componente tangencial da aceleração;
iv. a componente normal;
v. o raio de curvatura.
Resolução
a) Considerando o problema desde o instante em que o corpo passa na origem, trata-se de um problema
cuja a aceleração é
1
a = 4u x + u y (m⋅s−2)
vy

com as condições iniciais


r ( t = 0 ) = 0 (m)

v ( t = 0 ) = 2u y (m⋅s−1)

Usando componentes cartesianas, as componentes da aceleração são


⎧ax = 4

⎨a = 1
⎪ y v
⎩ y

e as condições iniciais são


⎧⎪vx ( t = 0 ) = 0

⎪⎩v y ( t = 0 ) = 2

⎧⎪ x ( t = 0 ) = 0

⎪⎩ y ( t = 0 ) = 0
Na direcção Ox tem-se
dvx dvx vx ( t )
⇒ vx ( t ) = 4t
t
ax =
dt

dt
=4 ⇒ ∫0
dvx = ∫ 4dt
0

e na direcção Oy

M. Faria – Dez 2007 23/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
dv y dv y 1 vx ( t )
⇒ v 2y ( t ) = 2t + 4
t
ay =
dt

dt
=
vy
⇒ ∫2
v y dv y = ∫ dt
0

Das duas soluções (positiva e negativa) apenas interessa a solução positiva, dado que no instante inicial a
velocidade em y é positiva e nunca se anula (para poder ser negativa teria de se anular). Assim, a lei da
velocidade escreve-se

v ( t ) = 4tu x + 2t + 4u y (m⋅s−1)

e no instante t = 1

v ( t ) = 4u x + 6u y (m⋅s−1)

b) Para obtermos a aceleração em função do tempo, derivamos a expressão anterior


dv ( t ) 1
a (t ) = = 4u x + u y (m⋅s−2)
dt 2t + 4
c) O módulo da velocidade é

v ( t ) = 16t 2 + 2t + 4

e no instante t = 1

v ( t = 1) = 22 (m⋅s−1)

i. Como a velocidade é sempre tangente à trajectória, o versor da tangente à trajectória é o


versor da velocidade, ou seja

ut ( t = 1) =
1
v ( t = 1)
v ( t = 1) =
1
22
(
4u x + 6u y =
4
22
ux +
3
11
uy )
ii.
1 1 97
a ( t ) = 4u x + uy ⇒ a ( t ) = 16 + ⇒ a ( t = 1) = (m⋅s−2)
2t + 4 2t + 4 6
iii.
dv ( t )
at ( t ) =
dt
=
d
dt ( 16t 2
+ 2t + 4 = ) 16t + 1
16t + 2t + 4
2
⇒ at ( t = 1) =
17
22
(m⋅s−2)

iv.
10
an ( t = 1) = a 2 ( t = 1) − at2 ( t = 1) = (m⋅s−2)
33
v.
v 2 ( t = 1) 11
ρ ( t = 1) = = 33 m
an ( t = 1) 5

7. Movimento circular

M. Faria – Dez 2007 24/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
7.1. Um corpo executa um movimento circular com velocidade v = 10 − 2t e raio igual a 25 m.
a) Determine e indique numa figura a aceleração da partícula nos instantes inicial e quando pára.
b) Determine a aceleração angular, a velocidade angular e o ângulo descrito até o corpo parar.
c) Determine a posição e o caminho percorrido até aos instantes t = 5 s e t = 10 s.

7.2. Uma partícula tem movimento circular de raio R com velocidade angular inicial ω0. Sendo o movimento
ω0
retardado com aceleração angular constante −α mostre que, passado o tempo a partícula repousa e nesse
α

R ω02
instante percorreu uma distância .

7.3. Uma pista de forma circular tem um diâmetro de 128 m. Um corredor aumenta a sua velocidade
uniformemente no tempo, desde 4,3 m⋅s−1 a 7,3 m⋅s−1, numa distância de 28,9 m.
a) Determine a aceleração tangencial do corredor.
b) Calcule a aceleração normal e o módulo da aceleração do corredor, 2 s após ter começado a aumentar
a velocidade.

7.4. Uma partícula descreve uma trajectória circular de raio 2 m, sendo a aceleração angular dada por
α(t ) = t 2 − 8t + 15 ( rad⋅s−2). Sabendo que no instante inicial a partícula está em repouso e a sua coordenada

angular é θ 0 = 0 rad, determine:


a) a lei da velocidade angular;
b) a lei do movimento angular;
c) os instantes em que a velocidade se anula;
d) a distância percorrida ao fim de 4s.

7.5. Considere que um pequeno corpo executa um movimento circular com velocidade constante igual a π
m.s-1 e com frequência de 5 Hz.
a) Indique numa figura a direcção e o sentido dos vectores velocidade e aceleração.
b) Determine o ângulo descrito ao fim de um período de movimento.
c) Calcule o raio da trajectória.
d) Calcule o vector velocidade em função das suas componentes cartesianas e verifique que o seu
módulo vale π de acordo com o enunciado do problema.

7.6. A figura representa, num dado instante, a aceleração total ( 15 m⋅s−2 ) de uma partícula com movimento
circular. Neste instante determine a velocidade da partícula e as acelerações tangencial e centrípeta.

M. Faria – Dez 2007 25/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática

30º
2,5 m a

7.7. Um rapaz prende uma bola na extremidade de um fio de comprimento 0,6 m fazendo-a girar num círculo
vertical. A velocidade da bola no seu ponto mais elevado é 4,3 m⋅s−1 e no seu ponto mais baixo é 6,5 m⋅s−1.
Qual a aceleração nos pontos mais elevado e mais baixo.

7.8. Considere o movimento de rotação em que é válida a lei da aceleração, α = k θ (rad⋅s−2), sendo k uma
constante e θ o deslocamento angular. Sabe-se que na posição θ A = 0 rad a velocidade angular é

ω A = 10 rad⋅s−1, e que na posição θ B = 1 rad a velocidade angular é ωB = 0 rad⋅s−1. Com base nestes dados

determine:
a) a constante k;
b) a aceleração angular e a velocidade angular para a posição θC = 0,5 rad;
c) as componentes tangencial e normal da aceleração no ponto C, sabendo que o movimento possui um
raio de curvatura constante de valor igual a 20 cm;
d) o módulo da aceleração e a direcção que esta faz com a trajectória.
Resolução
a) A constante K pode ser determinada mediante
dω dω dθ ωB θB
=α ⇒ = α ⇒ ωd ω = α d θ ⇒ ∫ ωd ω = ∫ α (θ) d θ
dt d θ dt ωA θA

ou seja
0 1
0 ⎡1 ⎤
1 ⎡1 ⎤
∫10 0 ∫
ωd ω = K θd θ ⇒ ⎢ ω2 ⎥ = ⎢ K θ2 ⎥
⎣ 2 ⎦10 ⎣ 2 ⎦0
⇒ K = −100 s−2

b) Determinado Κ, a aceleração angular escreve-se


α(θ) = −100θ (rad⋅s−2)
e para a posição θ C = 0,5 rad

α(0,5) = −50 (rad⋅s−2)


A velocidade angular nesse ponto C é
ω
0 1 ⎡1 ⎤ C
∫ ∫
0,5
ωd ω = K θd θ ⇒ ⎢ ω2 ⎥ = ⎣⎡ −50θ2 ⎦⎤ ⇒ ωC = 75 ≈ 8,66 rad⋅s−1
10 0 ⎣ 2 ⎦10 0

c) Para o movimento circular, as componentes tangencial e normal da aceleração relacionam-se com as


grandezas angulares por

M. Faria – Dez 2007 26/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
⎧⎪at = αρ

⎪⎩an = ω ρ
2

Com ρ = 20 cm = 0,2 m, no ponto θC = 0,5 rad tem-se

at ( θ = 0,5 ) = −10 m⋅s−2

an ( θ = 0,5 ) = 15 m⋅s−2

d) O módulo da aceleração é

a = at2 + an2

e quando θC = 0,5 rad vem

a ( θ = 0,5) = ( −10 )2 + 152 ≈ 18,03 m⋅s−2

Como se pode ver na figura, o ângulo ϕ que o vector aceleração faz com a direcção do movimento (tangente
à trajectória) é dado por
an ⎛ 15 ⎞
tan ϕ = ⇒ ϕ = arctan ⎜ ⎟ ≈ 56,3º
at ⎝ 10 ⎠

an
at
ϕ

7.9. Acelera-se uniformemente um carro de corrida, de modo que a sua velocidade passe de 72 km/h para
108 km/h, num percurso curvo de 120 m de comprimento e 200 m de raio. Determine o módulo da
aceleração total do carro, após o primeiro percurso de 80 m na curva. Escreva as leis angulares deste
movimento.

7.10. Uma partícula descreve uma trajectória circular de 20 cm de raio. A lei do movimento é s = 4t − t 2 (m).
a) Determinar as grandezas da velocidade e da aceleração no instante t = 1 s.
b) Ao fim de quanto tempo se inverte o sentido do movimento.
c) Qual o comprimento do arco percorrido pela partícula até ao instante t = 3 s.

7.11. Um comboio desloca-se a 144 km/h numa curva de 900 m de raio quando são accionados os freios,
imprimindo uma desaceleração constante ao combóio. Após 6 s a velocidade reduziu-se para 96 km/h.
Determine a aceleração (módulo e direcção) do combóio 3 s depois do início da travagem. Qual o espaço
percorrido durante os 6 s?

M. Faria – Dez 2007 27/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
Resolução
Consideramos o inicio do movimento no instante em que o comboio sofre a desaceleração. Trata-se
de um movimento circular de raio R = 900 m, com aceleração angular constante, uma vez que a
desaceleração é constante. A velocidade inicial é
v ( t = 0 ) = 144 km⋅h−1 = 40 m⋅s−1

e a velocidade ao fim de 6 segundos é


v ( t = 6 ) = 96 km⋅h−1 = 26,67 m⋅s−1

No movimento circular tem-se


v
v = ωR ⇒ ω =
R
As velocidades angulares particulares são então
4
ω(t = 0) = rad⋅s−1
90
8
ω(t = 6) = rad⋅s−1
270
A aceleração angular é
dω 6 8 270 2
α=
dt
⇒ αdt = d ω ⇒ ∫
0
αdt = ∫4 90
d ω ⇒ 6α = −
135

1
⇒ α=− rad⋅s−2
405
e a velocidade angular é
dω ω( t ) 1 4 4 1
t = ω(t ) − ⇒ ω(t ) =
t
α=
dt
⇒ ∫ αdt = ∫
0 4 90
dω ⇒ −
405 90

90 405
t (rad⋅s−1)

Escolhendo o referencial tal que a posição inicial do comboio seja θ ( t = 0 ) = 0 , tem-se

dθ t⎛ 4 1 ⎞ θ( t ) 4 1 2
ω= ⇒ ∫ ⎜⎝ 90 − 405 t ⎟⎠ dt = ∫ d θ ⇒ θ (t ) = t− t (rad)
dt 0 0 90 810
As componentes normal e tangencial da aceleração são
⎧⎪ an = ω2 R

⎪⎩ at = αR
e o módulo da aceleração

a = R ω4 + α 2
No instante t = 3 s,
⎧⎪an ( t = 3) ≈ 1, 235

⎪⎩at ( t = 3) ≈ 2, 222

a ( t = 3) ≈ 2,542 m⋅s−2

θ ( t = 3) ≈ 0,122 rad

M. Faria – Dez 2007 28/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática

an t=0

at
29º
a

O comboio pára ao fim de 18 segundos, pois nesse instante a velocidade é nula, isto é
ω ( t = 18 ) = 0

Assim, até ao instante t = 6 s não há inversão do sentido do movimento e a distância percorrida é


d ( t = 6 ) = Rθ ( t = 6 ) = 200 m

7.12. Uma plataforma circular de raio 2 m, inicialmente em repouso, pode rodar livremente em torno do eixo
fixo perpendicular ao plano da plataforma e que passa no seu centro. Sabendo que a plataforma é acelerada
de acordo com: α = 120 t2- 48t +16 (SI), determine:

a) a velocidade angular e a posição em função do tempo;

b) as componentes normal e tangencial da aceleração de um ponto da periferia da plataforma, para t=1s.

Resolução
a) A aceleração angular é
α(t ) = 120t 2 − 48t + 16 (rad⋅s−2)

e escolhendo o referencial tal que no instante t = 0 se tem θ = 0 , as condições iniciais são


ω(t = 0 ) = 0

θ(t = 0 ) = 0
Primitivando sucessivamente tem-se

∫ (120t )
dω t ω (t )
α= ⇒ αdt = dω ⇒ − 48t + 16 dt = ∫ dω ⇒
2
dt 0 0

⇒ ω(t ) = 40t 3 − 24t 2 + 16t (rad⋅s−1)

∫ (40t )
dθ t θ (t )
ω= ⇒ ωdt = dθ ⇒ − 24t 2 + 16t dt = ∫ dθ ⇒
3
dt 0 0

⇒ θ(t ) = 10t 4 − 8t 3 + 8t 2 (rad)

b) As componentes normal e tangencial da aceleração em função das grandezas angulares escrevem-se

M. Faria – Dez 2007 29/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
⎧⎪a n = ρω 2


⎪⎩a t = ρα

Para um ponto na periferia da plataforma o raio é


ρ=2m
e tem-se


n (
⎧⎪a (t ) = 2 40t 3 − 24t 2 + 16t )2

⎪⎩a t (t ) = 240t 2 − 96t + 32

No instante t = 1 s,
⎧⎪a n (t = 1) = 2048 m ⋅ s −2

⎪⎩at (t = 1) = 176 m ⋅ s − 2

7.13. Um corpo descreve uma trajectória circular segundo a lei s = t 3 + 2t 2 (m). Se a aceleração do corpo no

instante t = 2 s for 16 2 m⋅s−2, calcule para esse instante a velocidade linear, o comprimento do arco
percorrido e o raio de curvatura.

7.14. Uma partícula roda sobre uma circunferência de raio 0,1 m. O ângulo que a semi-recta, que une o
centro da circunferência com a partícula, faz com uma direcção fixa do espaço (eixo dos xx) é dado por
θ ( t ) = 5t + 18t 2 rad. Calcule:

a) a velocidade angular em função do tempo;


b) a aceleração normal e tangencial para t = 1 s;
c) o instante em que o vector aceleração faz com o raio um ângulo de 45º.

7.15. A aceleração angular de um veio é definida pela relação α = −0, 25ω , na qual α é expresso em rad⋅s−2 e
ω em rad⋅s−1. Sabendo que para t = 0 s a velocidade angular do veio é de 20 rad⋅s−1, determine:

a) o número de revoluções necessárias para atingir o repouso;

b) o tempo necessário para a velocidade angular do veio sofrer uma redução de 1% do seu valor inicial.

Resolução
a) A aceleração angular é
α = −0, 25ω (rad⋅s−2)
e as condições iniciais são
ω ( t = 0 ) = 20 (rad⋅s−1)

θ ( t = 0 ) = θ0 (rad)

Tem-se

M. Faria – Dez 2007 30/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)
Exercícios de Cinemática
dω dω ω( t ) 1
α ( ω) =
t

dt
⇒ dt =
α
⇒ ∫ dt = ∫
0 20 −0, 25ω
dω ⇒

⇒ t = −4 ⎡⎣ln ω ( t ) − ln 20⎤⎦ ⇒ ω ( t ) = 20e−t 4 (rad⋅s−1)

dθ t θ( t )
∫ 20e ∫
−t 4
ω= ⇒ ωdt = d θ ⇒ dt = dθ ⇒
dt 0 θ0

(
⇒ θ ( t ) = θ0 + 80 1 − e −t 4 (rad) )
O instante T em que o veio atinge o repouso é tal que a sua velocidade angular se anula,
ω ( t = T ) = 0 ⇒ 20e −T 4 = 0 ⇒ T → +∞

ou seja o veio nunca pára. Apesar de o veio nunca parar podemos determinar o número máximo de voltas
que ele dá. O ângulo descrito desde o instante inicial até T → +∞ é

(
Δθ = θ (T ) − θ0 = lim 80 1 − e−T
T →+∞
4
) = 80 rad
e o número de voltas correspondente a este ângulo é
80
nº de voltas = ≈ 12,73

ou seja o veio dá 12 voltas completas antes de parar.
b) Seja T o instante em que a velocidade angular do veio atinge 1% do seu valor inicial. Tem-se
ω ( t = T ) = 0, 2 (rad⋅s−1)

e usando a lei da velocidade angular


ω (T ) = 20e −T 4 = 0, 2 ⇒ T = −4ln 0,01 ≈ 18, 42 s

M. Faria – Dez 2007 31/31

Document shared on www.docsity.com


Downloaded by: erick-michael-mendonca-rudy (ra175398@ucdb.br)