Você está na página 1de 96

MORFOLOGIA E

ESTRUTURA DA CÉLULA
BACTERIANA
FORMA E ARRANJO

• COCOS

• BACILOS
(cilíndricas)

• ESPIRAL
Cocos Bacilos Espirilos

Diplobacilos

Estreptobacilos

Bacilos isolados

espiroqueta
Características Gerais das Bactérias
• Morfologia
• Cocos: bactérias ovais ou esféricas
• - diplococos: 2 cocos
• - tétrade: 4 cocos
• - sarcina: 8 cocos (cúbico)
• - estreptococos: cocos em cadeia
• - estafilococos: cocos agrupados
Características Gerais das Bactérias

• Bacilos: bactérias cilíndricas ou em forma de


bastão
• - diplobacilos: 2 bacilos
• - estreptobacilos: bacilos em cadeia
• - cocobacilos
Características Gerais das Bactérias
• Espirilos e espiroquetas: bactérias helicoidais

Campylobacter sp

Leptospira sp

Helicobacter sp
ESTRUTURAS BACTERIANAS
Estrutura da Célula Bacteriana e
suas Funções
1. Estruturas externas à parede celular:
- cápsula
- flagelo
- filamento axial
- fímbria ou pilus
2. Parede celular
3. Estruturas internas à parede celular
- membrana citoplasmática
- região nuclear
- estruturas citoplasmáticas
Estruturas
• CÁPSULA bacterianas e suas funções
Composição: polissacarídeos ou polipeptídios → Substâncias
poliméricas extracelulares substância gelatinosa
Funções:
• Difícil de ser observada ao microscópio;
 Visualizada com tinta nanquim;
 Não é indispensável para o crescimento bacteriano; porém
importante para a sobrevivência no hospedeiro;
• Adesão celular (biofilme): receptores específicos
• aumento da capacidade invasiva: escapam da fagocitose
• Ex: Streptococcus pneumoniae
• Reservatório de água e nutrientes: proteção ao dessecamento
• Limitam a capacidade de Fagocitose das células de defesa do
organismo (Neutrófilos)
Estruturas bacterianas e suas funções

• FLAGELOS
 Confere movimento à célula;
 Formado pela proteína flagelina;
 Mais comum em bacilos que em cocos;
 Quimiotaxia
 Localização
Polar (1 flagelo)
Polar (vários flagelos)
Peritríquio (muitos flagelos)
Estruturas bacterianas e suas funções
• FÍMBRIAS, PÊLOS ou “PILI”
 Menores, mais curtos e mais numerosos que os flagelos;
 Visto ao microscópio eletrônico;
 Aderência às células do hospedeiro e outras superfícies;
 Fímbria sexual – condutor de material genético durante a
conjugação bacteriana
Estruturas bacterianas e suas funções
• CROMOSSOMO
 1 único cromossomo
 Circular
 Duplo filamento
 Encontrado na região nucleóide;
 Não são necessárias histona para conformação do DNA
Estruturas bacterianas e suas funções
• PLASMÍDIOS
 DNA menores
 Circulares
 Extracromossomais
 Mais encontrados em G-
 Não são essenciais, mas quando presentes,
conferem vantagem seletiva (Ex: resistência aos
antibióticos)
Estruturas bacterianas e suas
funções
• RIBOSSOMOS
 Formado pelas subunidades 30S + 50S (70S)
 Diferente do ribossomo 80S dos eucariontes;
 Alvo importante para drogas antibacterianas;
Estruturas bacterianas e suas
funções
• PAREDE CELULAR
Gram +

Funções :
- dar forma à célula
- proteção osmótica

Gram -
Estruturas bacterianas e suas funções
• Membrana plasmática
• MEMBRANA CELULAR
• Formada por duas camadas de fosfolipídeos,com proteínas
inseridas.
• Diferencia-se da dos seres Eucariotas por não conter
esteróis, sendo uma estrutura fluida, que permite a mobilidade de
proteínas (permeases, enzimas respiratórias, enzimas hidrolíticas,
etc.).
Estruturas bacterianas e suas funções
• Membrana plasmática
• Funções :
• Permeabilidade seletiva
• Reações de obtenção de energia
• Produção de enzimas celulares
• Contém proteínas transportadoras;
 Mesossomo – Invaginação da membrana plasmática Onde ocorre a
divisão da célula pela metade ligar e separar cromossomos das
células filhas na divisão celular;
• Membrana plasmática
Estruturas bacterianas e suas
funções
• ESPOROS
 Algumas bactérias G+ (mas nunca as G-) formam esporos;
 Condições adversas- estado vegetativo - estado dormente;
 EX: Clostridium e Bacillus
 Resistência ao Calor e a compostos químicos
 Não são morto pela fervura 100ºC são mortos APENAS a 121ºC
Estruturas bacterianas e suas funções
Célula vegetativa

esporo
Estruturas bacterianas e suas funções
Formação dos Esporos

Esporulação Germinação
Coloração de Gram
• Hans Christian Gram
(1884)
• Fundamental para a
taxonomia e identificação
das bactérias
• Rotina da Bacteriologia
• Permite dividir as
bactérias em dois grupos:
 Gram positivas
 Gram negativas
Coloração de Gram
• A técnica de coloração de Gram consiste em expor as
células bacterianas à seguinte sequência:

• Corante primário – violeta de cristal: cora o citoplasma de


púrpura, independentemente do tipo de célula.
• Mordente – solução de iodo: aumenta a afinidade entre o violeta
de cristal e a célula e forma com o corante um complexo insolúvel
dentro da célula.
• Agente descolorante – álcool, acetona ou ambos: solvente
lipídico.
• Contrastante – safranina ou fucsina básica: cora o citoplasma de
vermelho.
Coloração de Gram
DIFERENÇAS ENTRE AS
MEMBRANAS EXTERNAS
Gram
Negativas:
contém uma
membrana
externa de
lipídeos e
peptídeos
glicanos
delgados
perdem o
corante púrpura
quando tratadas
com álcool-
cetona.
Coloração de Gram
• BACTÉRIAS- renovação do protoplasma e execução de
todas suas atividade
PRECISAM DE:
• FONTES DE ENERGIA
• FONTE DE MATÉRIA-PRIMA

Protoplasma: Parte viva da célula


FONTE DE MATÉRIA-PRIMA
• Para a renovação da matéria viva, os elementos
quantitativamente mais importantes são:
• Carbono
Hidrogênio
Oxigênio
Nitrogênio
Enxofre
Fósforo
FONTES DE CARBONO

• AUTOTRÓFICAS – única fonte de Carbono é o CO2 ou


HCO3
As bactérias autotróficas fabricam o seu próprio alimento por meio
da fotossíntese ou da quimiossíntese. Na fotossíntese, a energia
utilizada na produção do alimento vem da luz solar. Na
quimiossíntese, a energia vem de algum composto químico a ser
"queimado".
Carboidratos (D-glicose)
HETEROTRÓFICAS (maioria)- exigem fontes orgânicas
Aminoácidos
de carbono Lipídeos
Amido
celulose

• As bactérias heterotróficas, alimentam-se principalmente da


matéria orgânica que conseguem decompondo organismos mortos.
São chamadas de decompositores ou saprófitas
ÍONS INORGÂNICOS ESSENCIAIS

• MACRONUTRIENTES- necessitam em
maior quantidade: P , S , K , Mg , Fe

 P – síntese de ácido nucléico e fosfolipídio;


 S – cisteína e metionina; vitaminas: tiamina, biotina, coenzima A;
 K – enzimas envolvidas na síntese de proteínas;
 Mg – estabilizador de ribossomos, membranas celulares e ácidos
nucléicos;

• MICRONUTRIENTES-
Cu , Co , Zn , Mn , Na
FATORES DE CRESCIMENTO
• Compostos orgânicos indispensáveis a um determinado
microrganismo, mas que ele não consegue sintetizar.
Ex: vitaminas do complexo B
aminoácidos
nucleotídeos
ÁGUA

• Não constitui um nutriente, mas é


absolutamente indispensável para o
crescimento

o Bactérias se nutrem pela passagem de


substâncias em solução pela m. plasmática;
o Regula a pressão osmótica;
o A maioria das bactérias morre pela dessecação
(quando não são esporos);
OXIGÊNIO ATMOSFÉRICO
• AERÓBICAS (exigem presença de O2 livre)

• MICROAERÓFILAS (exigem O2 mas não toleram a


pressão atmosférica)

• ANAERÓBIA ESTRITA (não tolera O2 – morre)

• ANAERÓBIA NÃO-ESTRITA (não utiliza O2, mas


ele não é tóxico)

• ANAERÓBIA FACULTATIVA (cresce tanto na


presença quanto na ausência de O2 livre)
OXIGÊNIO
a) AERÓBIOS
ESTRITOS

b) ANAERÓBIOS
ESTRITOS

C) ANAERÓBIOS
FACULTATIVOS

d) MICROEAEÓFILOS

e) ANAERÓBIOS
AEROTOLERANTES
Crescimento Bacteriano
Temperatura de Crescimento dos Microrganismos
Fatores Extrínsecos

Classificação Quanto a Temperatura


Crescimento Bacteriano
Classificação Quanto ao Ph
• Diferentes espécies de microrganismos têm diferentes tolerâncias
de pH e estes pH específicos refletem a adaptação do organismo
ao seu ambiente natural. No entanto, há determinadas espécies que
estão adaptadas para crescer a vários valores da escala de pH
• Acidófilos: desenvolvem-se em baixos valores de pH (1- 5,5)
• Neutrófilos: desenvolvem-se em pH 5,5-8
• Alcalófilos:desenvolvem-se a valores elevados de pH (8,5-11,5)
Reprodução das bactérias: divisão binária
Assexuada
Parede celular
Duplicação do DNA
Membrana
plasmática

Molécula de DNA

Separação das células


Crescimento Bacteriano
Crescimento de uma cultura Bacteriana
1 única bactéria que sofre divisão binária o aumento da
população na cultura é :
2 4 8 16 32...
1
Crescimento Bacteriano
Crescimento de uma cultura Bacteriana
Esse aumento no numero de células bacterianas pode
ser expresso por uma progressão geométrica:
2¹ 2² 2³ ... 2n
1

N = ao numero de gerações

Durante o crescimento ativo de uma cultura de bactérias


(sem morte), as células crescem exponencialmente,
aumentando por meio dessa progressão geométrica.
Crescimento Bacteriano
Tempo de Geração:
É o intervalo de tempo requerido para que cada microrganismo se
divida.
• Cada especie tem seu tempo de geração

• Ex: E.coli O tempo de geração em meio liquido pode ser apenas de


12,5 min
• Ex Mycobacterium tuberculosis é de 13 a 15 horas

• O tempo de geração são fortemente influenciados pela


composição nutricional do meio de cultura e pelas condições
físicas de incubação.
Crescimento Bacteriano
Curva de crescimento de Microrganismos Unicelulares em um Sistema
Fechado
Crescimento Bacteriano
Curva de crescimento de Microrganismos Unicelulares em um
Sistema Fechado
Crescimento Bacteriano
Curva de crescimento de Microrganismos Unicelulares em um
Sistema Fechado
Crescimento Bacteriano
Curva de crescimento de Microrganismos Unicelulares em um
Sistema Fechado
Crescimento Bacteriano
Curva de crescimento de Microrganismos Unicelulares em um
Sistema Fechado
Caracterização dos Microrganismos
Caracterização dos Microrganismos
• Uma população microbiana no ambiente natural possui
diversas espécies não somente de bactérias , mas
também de leveduras, bolores, algas, protozoários. E
também vírus.

Protozoário Algas

Fungos

Virus Bactérias
Caracterização dos Microrganismos

• Como fazer para identificar quantos e quais são os tipos


de microrganismo que estão presentes em um ambiente
particular?
• Qual é a importância dessa identificação?
Caracterização dos Microrganismos

Importância da Caracterização dos microrganismos:

• Verificar a portabilidade da Água – Ausência de E.coli


• Isolar bactérias que causam doenças para dar um
diagnostico médico preciso
• Definir as populações de bactérias existentes nos
ambientes aquático, terrestre ou no ar.
Caracterização dos Microrganismos

Técnica de Cultura Pura


• Para determinar as características de um
microrganismo, ele deve estar em Cultura Pura.

• Cultura Pura: Todas as células presentes deverão ser


idênticas morfologicamente e geneticamente. Isso quer
dizer que essas células partiram de uma mesma célula
parental.
“Uma cultura que tem apenas um tipo de microrganismo é conhecida por cultura
pura, uma cultura que tem mais do que um tipo de microrganismo é uma cultura
mista”
Caracterização dos Microrganismos

Isolamento e Cultivo de Culturas Puras


Em laboratório os microorganismos são cultivados em
material nutriente chamado Meio de Cultura.
Caracterização dos Microrganismos
CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MEIOS DE CULTURA

• Para a cultura de microrganismos é necessário existirem meios de


cultura apropriados que simulem ou até melhorem as condições
naturais do ambiente em que se desenvolvem.
• Um meio de cultura é um substrato nutritivo capaz de permitir a
nutrição e o crescimento dos microrganismos (bactérias, fungos,
algas, parasitas) fora do seu ambiente biológico natural, ou seja, é
uma preparação de nutrientes utilizada para o crescimento de
microrganismos em laboratório.
• A sobrevivência e o crescimento dos microrganismos depende de
um adequado suprimento de nutrientes e de um ambiente físico
favorável. No entanto, há uma grande diversidade de necessidades
nutricionais e ambientais entre os microrganismos e por isso é que
só compreendendo as suas necessidades que se consegue ter
sucesso na cultura de microrganismos no laboratório.
Caracterização dos Microrganismos

Composição dos meios de cultura


• Os meios de cultura devem conter os nutrientes em quantidades e
proporções corretas para a manutenção e multiplicação dos
microrganismos. A maior parte dos microrganismos utiliza
substâncias de baixo peso molecular que são, freqüentemente,
derivadas da degradação enzimática de nutrientes complexos. Por
isso, os nutrientes indispensáveis ao organismo em causa devem
estar sob forma assimilável.

• As necessidades nutricionais dos microrganismos são satisfeitas no


laboratório através da variedade de meios de cultura existentes. Os
microrganismos têm necessidades nutricionais variáveis de acordo
com a espécie, no entanto, há determinadas substâncias cuja
necessidade é comum a todos.
Caracterização dos Microrganismos
Composição dos meios de cultura
• Constituintes essenciais ou básicos:
» Água
» Fonte de energia
» Fonte de carbono
» Fonte de hidrogénio e de oxigénio
» Fonte de azoto
» Fonte de enxofre e de fósforo
» Elementos metálicos
» Factores de Crescimento
» Substâncias Inibidoras:
» Indicadores de pH
» Substâncias solidificantes (inertes)
Caracterização dos Microrganismos
Composição dos meios de cultura
Água
• A água é um componente importante e sempre presente
em altas quantidades. Todas as células requerem água
no meio para que os nutrientes de baixo peso molecular
possam atravessar a membrana celular.
• A água utilizada nos meios de cultura deve ser
destilada, pois a água de consumo contém minerais que
podem reagir com os constituintes do meio formando
precipitados, além de substâncias antisépticas (ex.
cloro) que podem interferir com o crescimento
microbiano.
Caracterização dos Microrganismos
Composição dos meios de cultura
Fonte de energia
• As atividades metabólicas das células só podem ocorrer
se houver energia disponível na célula.
RELEMBRANDO....
• Os microrganismos podem ser divididos em duas
categorias de acordo com a sua fonte de energia:
• - Fototróficos: usam a energia radiante como única
fonte de energia, através da fotossíntese.
• - Quimiotróficos: dependem da oxidação de compostos
químicos como fonte de energia. Alguns microrganismos
usam moléculas orgânicas (como a glicose), enquanto
outros usam compostos inorgânicos (como o H2S e o
NaNO2).
Caracterização dos Microrganismos
Composição dos meios de cultura

Fonte de carbono
• O carbono é um elemento essencial necessário ao crescimento
microbiano.
RELEMBRANDO... Entre os microrganismos há duas categorias de
acordo com as suas necessidades nutricionais:
• - autotróficos: usam carbono inorgânico na forma de dióxido de
carbono como única ou principal fonte de carbono. Estes
microrganismos podem ser cultivados num meio de cultura só com
compostos inorgânicos, pois não necessitam de compostos
orgânicos e podem ser inibidos por eles.
• - heterotróficos: usam compostos orgânicos como principal fonte
de carbono. Estes microrganismos não podem ser cultivados num
meio só com compostos inorgânicos, pois eles necessitam de
nutrientes orgânicos, principalmente glicose.
Caracterização dos Microrganismos

Composição dos meios de cultura


Fonte de hidrogénio e de oxigénio
• As necessidades de hidrogénio e de oxigénio são,
geralmente, satisfeitas ao mesmo tempo que as de
carbono, uma vez que esses elementos fazem parte de
muitos compostos, usados como fonte de carbono e de
energia.
Caracterização dos Microrganismos

Composição dos meios de cultura


Fonte de azoto
• O azoto é também um elemento essencial para a síntese de muitas
macromoléculas celulares particularmente proteínas e ácidos
nucleicos.
• Alguns microrganismos utilizam o azoto atmosférico (N2), outros
contam com compostos inorgânicos como a amónia e os sais de
nitrato, enquanto outros necessitam de compostos orgânicos que
contêm azoto como os aminoácidos.
• Uma das principais fontes de azoto de origem comercial são as
peptonas. Estas são obtidas a partir da hidrólise ácida, alcalina ou
enzimática de matérias proteicas de origem animal ou vegetal e
incluem aminoácidos, peptídeos e polipeptídeos.
• As peptonas são hidrossolúveis e não coaguláveis pelo calor o que
permite que os meios de cultura sejam esterilizados no autoclave.
Caracterização dos Microrganismos

Composição dos meios de cultura


Fonte de enxofre e de fósforo
• O enxofre faz parte de alguns aminoácidos e por isso é
um componente das proteínas. As suas fontes incluem
compostos orgânicos como os aminoácidos sulfurados,
compostos inorgânicos como os sulfatos, e ainda o
enxofre elementar.
• O fósforo é necessário para a formação dos ácidos
nucleicos e para a síntese dos compostos orgânicos de
alta energia - adenosina trifosfato (ATP). O fósforo é
fornecido na forma de sais de fosfato para ser usado por
todas as células microbianas.
Caracterização dos Microrganismos

Composição dos meios de cultura


Elementos metálicos
• A maior parte das células necessita de alguns iões
metálicos como cálcio, potássio, magnésio, ferro,
manganésio, zinco, cobre, molibdénio, níquel, cobalto e
sódio para as suas várias actividades celulares. Estes
iões são necessários em quantidades ínfimas
(micronutrientes), sendo usados como cofactores e
activadores de enzimas.
Caracterização dos Microrganismos

Composição dos meios de cultura


Factores de Crescimento:
• São substâncias essenciais para o metabolismo bacteriano, pois
são componentes celulares ou precursores desses componentes
que não podem ser sintetizados pelos microrganismos
(aminoácidos, purinas, pirimidinas e vitaminas). Os microrganismos
que não conseguem sintetizar esses componentes dentro da célula
necessitam de uma fonte externa.
• As vitaminas são substâncias orgânicas que contribuem para o
crescimento celular e são essenciais, em pequenas concentrações,
para as atividades celulares. São também fontes de coenzimas que
são necessárias para a formação de sistemas enzimáticos ativos.
• São factores de crescimento o sangue (factores x e v e soro),
aminoácidos, extrato de leveduras, líquido ascítico, etc. A ação de
algumas destas substâncias reside na sua capacidade de adsorver
substâncias tóxicas do meio exterior.
Caracterização dos Microrganismos
Composição dos meios de cultura
Substâncias Inibidoras
Incluem corantes, antibacterianos, sais biliares, NaCl,
alteração do pH, etc.
Indicadores de pH
• Indicam se o microrganismo é ou não capaz de utilizar o
substrato alterando o pH e originando mudanças de cor
do meio de cultura.
Substâncias solidificantes (inertes)
• São aquelas que conferem consistência ao meio.
Utilizam-se o Agar ou gelose, a gelatina e o gel de sílica.
Caracterização dos Microrganismos
Condições de incubação dos meios de cultura

• Para que haja crescimento microbiano é necessário que


um meio de cultura forneça nutrientes, mas também é
preciso que forneça um ambiente físico adequado a cada
microrganismo.
• A temperatura, o pH e a atmosfera gasosa são três dos
mais importantes fatores físicos que influenciam o
crescimento e sobrevivência dos microrganismos.
Caracterização dos Microrganismos

Composição Química do Meio de Cultura


• Quimicamente definidos ou sintéticos
• São constituídos por quantidades conhecidas de substâncias
orgânicas e/ou inorgânicas quimicamente puras e bem definidas, ou
seja, a sua composição química é conhecida.
• Estes meios são, geralmente, usados na cultura de microrganismos
autotróficos, como as algas, ou de microrganismos heterotróficos
pouco exigentes.
• Podem ser usados para determinar as necessidades nutricionais
precisas de um microrganismo. Adicionando ou retirando um
constituinte a este tipo de meios permite verificar se esse
constituinte é essencial ou não para o crescimento de um
determinado microrganismo.
Caracterização dos Microrganismos

Composição Química do Meio de Cultura


Quimicamente complexos ou artificiais

• Resultam da adição de substâncias naturais de composição química mal


definida a um meio sintético, ou seja, a composição química exata não se
conhece.

• São usados para simular e até melhorar o ambiente natural dos


microrganismos a ser estudados. São usados por rotina na cultura de
microrganismos

• São compostos por um número limitado de substâncias complexas, extrato


de plantas ou animais, cujas composições químicas exatas não são
conhecidas: extratos de carne, peptonas (proteínas parcialmente
degradadas por enzimas como os hidrolisados de caseína do leite e os
hidrolisados de proteínas de soja), extrato de leveduras, sangue, soro, leite,
extrato de solo, etc.
• Todos estes produtos adicionados ao meio de cultura estimulam a
crescimento da maior parte dos microrganismos heterotróficos.
Caracterização dos Microrganismos

Estado Físico do Meio de Cultura


• Líquidos ou caldos
• São aqueles que não têm agente solidificante. Não permitem
distinguir os diferentes tipos de microrganismos pelo aspecto
morfológico porque não há formação de colônias organizadas.

• São usados para o estudo da morfologia bacteriana, para aumentar


o número de microrganismos e para várias provas bioquímicas (ex.
provas fermentativas).
Caracterização dos Microrganismos

Estado Físico do Meio de Cultura


• Sólidos
• Obtêm-se a partir dos meios de cultura líquidos após adição de uma substância
solidificante em determinada quantidade.

• Os meios sólidos têm a vantagem de apresentar uma superfície endurecida onde os


microrganismos podem crescer, formando colónias. Cada colónia é um aglomerado
de células visível macroscopicamente que teve origem a partir da multiplicação de
uma só célula e que representa o crescimento de uma só estirpe de microrganismos.

• Estes meios permitem observar a morfologia das colónias, isolar culturas puras,
conservar e armazenar estirpes bacterianas e observar reacções bioquímicas
específicas.

• Um meio completamente sólido requer uma concentração de agar entre 1,5 e 2%,
enquanto para se obter um meio semi-sólido são necessárias concentrações entre
0,2 e 0,5%.
Caracterização dos Microrganismos

Estado Físico do Meio de Cultura


• Semi-sólidos
• Obtêm-se também a partir de meios de cultura líquidos após
adição de um agente solidificante em menor proporção que
nos meios sólidos.

• Estes meios de cultura são usados no estudo da mobilidade


activa dos microrganismos. Podem também ser usados em
estudos fermentativos e na promoção de crescimento
anaeróbio.
Caracterização dos Microrganismos

Objetivos Funcionais dos Meio de Cultura


• Simples ou básicos
• São os meios que apenas possuem os nutrientes básicos ou
essenciais, por isso só crescem microrganismos pouco exigentes
que tenham grande capacidade de síntese.
• Como são meios pobres em nutrientes são insuficientes para
suportar o crescimento de microrganismos mais exigentes.
– Exemplos:
» Água Peptonada: contém água, peptonas e cloreto de
sódio.
Caracterização dos Microrganismos

Objetivos Funcionais dos Meio de Cultura


• Ricos ou enriquecidos
• A partir dos meios básicos, por adição de outros nutrientes, produzem-se todo
o tipo de meios complexos e ricos. Estes meios são usados para a cultura de
microrganismos exigentes que têm necessidades nutricionais altamente elaboradas
e específicas. Estes microrganismos não crescem ou crescem com dificuldade em
meios básicos e por isso requerem a adição de fatores de crescimento (são
substâncias essenciais para o seu metabolismo, mas que eles não são capazes de
sintetizar). Nestes meios pode haver também capacidade de adsorção de
substâncias tóxicas.
• Estes meios permitem o crescimento generalizado de todos os
microrganismos da amostra. Assim, utilizam-se quando se quer quantificar os
microrganismos de uma amostra ou se pretende fazer crescer todos os
microrganismos que existam num produto que em princípio deveria estar estéril (ex.
sangue), já que qualquer crescimento é sinal de patogenicidade.
• Um meio rico contém uma grande variedade de substâncias orgânicas como:
extratos de carne, extrato de levedura, sangue, soro, líquido ascítico, infusão de
coração e cérebro, etc.
Caracterização dos Microrganismos
Objetivos Funcionais dos Meio de Cultura
• Ricos ou enriquecidos
• Exemplos:
• Agar Sangue: é composto por 5 a 10% de sangue desfibrinado, animal
ou humano, o que vai enriquecer o meio em nutrientes. O sangue só é
adicionado ao meio liquefeito quando a temperatura se encontra entre
45-48º C, para que os glóbulos vermelhos fiquem intactos.

• Agar Chocolate: é também composto por sangue, mas este é


adicionado ao meio quando a sua temperatura é de 80º C. É utilizado
para o crescimento de microrganismos exigentes como os do género
Neisseria.

• Brain-Heart infusion: é um meio muito rico que contém infusão de


cérebro e coração de vitela. É utilizado para microrganismos exigentes
como os do género Streptococcus e Neisseria.
Caracterização dos Microrganismos

Agar Chocolate Agar Brain-Heart


Agar Sangue
infusion
Caracterização dos Microrganismos
Objetivos Funcionais dos Meio de Cultura
• Seletivos (sólidos) ou de enriquecimento (líquidos)
• Além dos nutrientes necessários para o crescimento de
todos os microrganismos, estes meios específicos
contêm um ou mais compostos químicos que são
essenciais devido à sua especificidade funcional.
• Estes meios são usados para isolar grupos específicos
de microrganismos, pois selecionam um determinado
microrganismo de um produto polimicrobiano
(expectoração, fezes, saliva, etc.).
• No entanto, é preciso ter em conta que não há meios de
cultura 100% seletivo, podendo crescer eventualmente
outros microrganismos.
Caracterização dos Microrganismos
Objetivos Funcionais dos Meio de Cultura
• Seletivos (sólidos) ou de enriquecimento (líquidos)
• São meios que permitem o crescimento de um tipo de microrganismos em
detrimento de outro ou de outros, pois são formulados para suprimir o
crescimento dos microrganismos que não interessam ao fim em vista,
permitindo o crescimento dos microrganismos que se desejam isolar.
• Assim, o favorecimento de um tipo de microrganismo pode dever-se a uma
ação inibidora sobre os restantes (condiciona o crescimento de uns) ou à ação
estimuladora do microrganismo pretendido (mais raro) ou ambas, ou seja,
inibe o crescimento de um tipo de microrganismos enquanto aumenta o
crescimento de outro.
• Os meios líquidos com inibidores do crescimento microbiano não permitem
uma seleção tão precisa como nos meios sólidos, há é um enriquecimento do
conteúdo microbiano do meio. Estes caldos estimulam o crescimento de um
microrganismo específico, que se torna assim a espécie dominante porque se
sobrepõe aos seus competidores. Permitem aumentar a concentração de
microrganismos que estão em minoria no ambiente.

• Os agentes de seleção podem ser produtos químicos, corantes (eosina, verde


de malaquita, azul de metileno, violeta cristal, verde brilhante, etc.),
antimicrobianos, sais minerais (tetrationato de sódio, nitrato de potássio,
telurito de potássio, cloreto de sódio, etc.), sais biliares, asparagina (promove
o crescimento), etc.
Caracterização dos Microrganismos
Objetivos Funcionais dos Meio de Cultura
• Seletivos (sólidos) ou de enriquecimento
(líquidos)
• Exemplos:

• Agar Sabouraud: favorece o crescimento dos fungos, pois tem um pH baixo


(5,6) e uma alta concentração de glicose, além disso o crescimento
bacteriano está inibido devido à presença de um antibacteriano no meio.

• Caldo Verde Brilhante: condiciona o crescimento de cocos Gram positivo e


favorece o crescimento de bacilos Gram negativo, principalmente da família
Enterobacteriaceae devido à presença de sais biliares e do corante verde
brilhante.

• Caldo de Tetrationato e Caldo de Selenito: o tetrationato e o selenito de


sódio são substâncias inibidoras de bactérias intestinais e de muitos cocos
Gram positivo. Estes meios são utilizados no isolamento de Salmonella e
de Shigella a partir de produtos (água, alimentos, fezes, urina, etc.) onde a
concentração destes patogénicos é baixa em relação ao resto da
população normal.
Caracterização dos Microrganismos

Agar Sabouraud
Caracterização dos Microrganismos
Objetivos Funcionais dos Meio de Cultura
Seletivos (sólidos) ou de enriquecimento (líquidos)
Diferenciais
• Estes meios permitem separar grupos de microrganismos através da
sua aparência no meio (características morfológicas ou bioquímicas).

• Têm incorporado substâncias químicas (indicadores) que, após a


inoculação e a incubação, assinalam alterações características na
aparência do crescimento microbiano (colônias) e/ou no meio que
rodeia as colônias (geralmente por mudança de cor do meio onde
existe a colônia) o que permite a sua diferenciação e identificação.
Dão informação acerca do comportamento e do metabolismo dos
microrganismos, permitindo a visualização de atividades metabólicas.

• Um meio com um hidrato de carbono e um indicador de pH permite


detectar se o açúcar foi ou não metabolizado, pois este quando
fermentado origina como produtos terminais ácidos orgânicos que
fazem diminuir o pH e por isso mudam a cor do meio assinalando as
características fermentativas do microrganismo em estudo.
Caracterização dos Microrganismos

• Exemplos:
• Meio de Simmons: o citrato é neste meio a única fonte de carbono, assim
se houver crescimento microbiano significa que o citrato está a ser
metabolizado. Isto origina uma variação de pH (aumento de pH) que é
detectada pelo azul de bromotimol que passa de verde a azul.

• Agar Sangue: este meio com glóbulos vermelhos intactos fornece


informação acerca da capacidade hemolítica dos microrganismos.
Distingue as bactérias não hemolíticas (gama-hemólise) das bactérias alfa-
hemolíticas (hemólise parcial) e das bactérias beta-hemolíticas (hemólise
total).

• Agar Cled (Cystine Lactose Electrolyte Deficient Media): é um meio


diferencial, pois como contém lactose e um indicador de pH (azul de
bromotimol) permite detectar se o açúcar foi ou não metabolizado. É usado
para cocos Gram positivo e para bacilos Gram negativo, e permite travar o
crescimento em toalha dos Proteus.
Caracterização dos Microrganismos
Objetivos Funcionais dos Meio de Cultura
Seletivos (sólidos) ou de enriquecimento (líquidos)

• Simultaneamente seletivos e diferenciais


• Exemplos:
• Agar SS: a presença de sais biliares e do corante verde brilhante tornam-no um meio
seletivo, pois inibem muitas bactérias Gram positivo. É bom para o isolamento de
Salmonella e Shigella. É um meio diferencial devido à presença de lactose e de um
indicador de pH (vermelho neutro) que permite distinguir os microrganismos
fermentadores da lactose (colônias rosa) dos não fermentadores (colônias da cor do
meio).

• Agar EMB (Eosine Methylene Blue) ou Meio de Levine: é um meio seletivo, pois é
parcialmente inibidor para microrganismos Gram positivo devido ao azul de metileno,
e por conseguinte o crescimento dos Gram negativo é mais abundante.
• É um meio diferencial, pois a presença de lactose e do corante eosina permite
diferenciar as bactérias fermentadoras das não fermentadoras da lactose.
• Os microrganismos fermentadores da lactose levam à baixa de pH, de modo que as
colônias aparecem com aspecto verde metalizado. Os que não fermentam a lactose
produzem colônias incolores, mas devido à sua transparência aparecem com a cor
do meio, ou seja, púrpura. Este meio permite identificar os Gram negativo
patogênicos através da caracterização visual, porque eles raramente fermentam a
lactose.
Caracterização dos Microrganismos

Objetivos Funcionais dos Meio de Cultura


Seletivos (sólidos) ou de enriquecimento (líquidos)
• Simultaneamente selectivos e diferenciais
• Exemplos:
• Agar MacConkey: é um meio seletivo, pois contém sais biliares e o corante violeta de
cristal para inibir o crescimento de bactérias Gram positivo permitindo que as Gram
negativo cresçam. Por outro lado, é um meio diferencial, pois como contém lactose e
um indicador de pH (vermelho neutro) permite distinguir entre as bactérias Gram
negativo que fermentam (ex. E.coli) e as que não fermentam (ex. Salmonella e
Shigella) esse hidrato de carbono.
• As colônias das bactérias fermentadoras de lactose aparecem rosadas enquanto as
outras ficam incolores e até transparentes.

• Agar Manitol Sal: é um meio seletivo pois, como tem uma grande concentração
salina (7,5% NaCl) inibe a maior parte dos microrganismos permitindo o crescimento
das bactérias da família Micrococcaceae (cocos Gram positivo). É um meio
diferencial, pois tem presente o álcool manitol e um indicador de pH (vermelho de
fenol) que passa de vermelho a amarelo se o microrganismo fermentar o manitol.
Caracterização dos Microrganismos

Meios de transporte
• São meios estáveis que não permitem que os microrganismos se
desenvolvam, mas mantendo a viabilidade de todos os
microrganismos da amostra sem alterarem as suas concentrações.
• São usados para armazenamento temporário de amostras para
serem transportadas para o laboratório, nas mesmas condições em
que se encontravam no momento da colheita.
Meios de manutenção
• Permitem manter as culturas durante algum tempo, pois os
microrganismos vão crescendo, mas lentamente.
Caracterização dos Microrganismos
CULTURA DE MICRORGANISMOS

• Conhecer procedimentos para a cultura de microrganismos.


• Compreender a importância das técnicas assépticas na cultura de
microrganismos.
• Conhecer princípios e procedimentos das diversas técnicas de
semeadura em placa.
• Executar semeaduras em diferentes meios de cultura em placa para
isolamento de colônias a partir de produtos polimicrobianos.
Caracterização dos Microrganismos

• Semear :é a designação microbiológica para a introdução, de um


inoculo de origem biológica ou cultural num meio de cultura
adequado.

• Os instrumentos usados para a execução da semeadura


(inoculação)são:
- alças simples ou calibradas.
- fio reto
- pipeta Pasteur
- Alça de Drigalsky
- zaragatoa
- outros
Caracterização dos Microrganismos

• Os meios de cultura sólidos podem ser distribuídos de forma variada de acordo com
o que se pretende: em balões tipo Erlermeyer ou outros, tubos em rampa, em
cilindro e em placas de Petri.
• Os meios de cultura líquidos (caldos) são habitualmente distribuídos em
balões ou tubos.

• A passagem de bactérias de um meio de cultura para outro é chamada
repicagem.
• Técnicas de semeadura (Inoculação

• Meios sólidos:
- Em picada
- Em estria
- Esgotamento.
- Em toalha
- “Shake.”

• Meios líquidos:
• - Dispersão.
Caracterização dos Microrganismos
CONTAGEM EM SUPERFÍCIE

CONTAGEM EM POUR PLATE


Caracterização dos Microrganismos
Contagem em superfície
• Plaqueamento de um volume de cultivo diluído (não
exceder 0,1ml);
• Alça de Drigalski (alça de vidro);
• Incubação e contagem das colônias;
• Superfície de meio de cultura seca;
Caracterização dos Microrganismos
Contagem em pour plate
• Adiciona volume conhecido da cultura (0,1- 1ml) em placa
de Petri estéril;
• Adição meio com ágar fundido;
• Mistura- movimentos suaves da placa sobre a superfície
da mesa;
• Organismo deve suportar a temperatura de 45oC do ágar
fundido;
Caracterização dos Microrganismos
Observação do crescimento bacteriano
• Em meios sólidos:
• O crescimento traduz-se pelo aparecimento de colônias, isto é, aglomerados de
células resultantes da multiplicação bacteriana a partir de um único ancestral.
• Nessas colônias devem ser averiguadas as seguintes características, principalmente
quando observadas em placas de Petri:
- tamanho – ponta de alfinete, pequeno, médio e grande.
- cor/pigmentação – diversificadas.
- forma - circular, irregular, rizóide e em toalha.
- textura – lisa, rugosa e mucóide.
- brilho – opacas e brilhantes.
- elevação - sem relevo (achatadas), com ligeiro relevo, relevo marcado,
convexo e mamilonadas.
- margens – inteiras, lobadas, onduladas, serradas e filamentosas.
Caracterização dos Microrganismos

Observação do crescimento bacteriano

Em meios líquidos
O crescimento nos caldos pode ser apreciado por:
- turvação - fina, uniforme, floculenta.
- sedimento.
- película ou anel (crescimento à superfície)
Caracterização dos Microrganismos

• O crescimento das populações mede-se estimando as


mudanças:
1) No número de células;
2) Na quantidade de algum composto das mesmas (ex:
proteína);
3) Peso total seco das células;

Existem vários métodos de contar o número de células


ou de determinar a massa celular, adequados para
diferentes organismos e diferentes situações.
Caracterização dos Microrganismos

Contagem de células viáveis


• Célula viável: “aquela que é capaz de dividir-se e dar origem a uma
descendência”.

• Célula viável- Multiplicar repetidas vezes e originar uma colônia


visível a olho nu.

• Determinação de células viáveis- contagem do número de células


da amostra que é capaz de formar colônias sobre um meio sólido
adequado.

• Contagem em placa- método indireto


o Contagem em superfície
o Contagem em pour plate
Caracterização dos Microrganismos
Outros métodos de contagem
Contagem direta- “câmaras de contagem”
O número de bactérias é determinado em um volume fixo de cultura,
usando câmaras com áreas delimitadas.
Ex: Câmara de Newbauer
Caracterização dos Microrganismos

Outros métodos de contagem


Contagem direta- “câmaras de contagem”

•Método rápido para conhecer número de células;

oDesvantagens:
o Não distingue células vivas das mortas;
o Células pequenas difíceis de visualizar no microscópio;
o Método não adequado para baixas suspensões celulares (< 106);