Você está na página 1de 3

RESUMO 4 – ANATOPATO PRATICA

CARDIOPATIA ISQUEMICA
A isquemia cardíaca se produz quando existe um desequilíbrio entre a chegada de sangue oxigenada e
as necessidades do coração, como reduzir a disponibilidade de nutrientes e a retirada de metabolitos.
- Principal causa: lesão aterosclerótica obstrutivas nas artérias coronárias. Por isso a cardiopatia
isquêmica pode levar o nome de arteriopatia coronária (AC) ou cardiopatia coronária.
As manifestações clínicas da aterosclerose coronária se devem ao estreitamento progressivo da luz, que
conduz a uma estenose (obstrução fixa) ou a ruptura brusca da placa com trombose, circunstancias que
põe em perigo o fluxo sanguíneo.

 Placas ateroscleróticas estáveis: causam obstrução do fluxo sanguíneo coronário com isquemia
de miocárdio durante períodos com aumento das necessidades metabólicas, como a angina
estável.
 Placas ateroscleróticas Instáveis: Tende a romper, o que induz agregação plaquetária e a
possibilidade de formação de um trombo, que causa as síndromes coronarianas agudas de
gravidade ascendente, desde a angina instável até o infarto do miocárdio sem ou com elevação
de ST.

INFARTO
Pode afetar o endocárdio, miocárdio, epicárdico ou uma combinação deles.

 Infarto Transmural: afeta toda a parede ventricular e quase sempre ocorrem quando se obstrui
uma só artéria.
 Infarto Subendocárdico: afeta um terço da metade da parede ventricular e são mais frequentes
na presença de artérias com estreitamentos graves.

Hipertrofia Miocárdica:
 Hipertrofia Concêntrica
- Sobrecarga de pressão
- Pressão sistólica
- Aumento de grossura
 Hipertrofia excêntrica
- Sobrecarga de volume
- Pressão diastólica
- Dilatação ou aumento de longitude
Tumores Cardíacos
Os tumores primários do coração são raros, porém as metástases cancerosas ao coração se dão mais ou
menos em 5% das pessoas que morrem desta doença.

Tumores cardíacos primários mais frequentes (os 5 primeiros são benignos e em conjunto representam
80 a 90% dos tumores primários do coração):

1- Mixomas
- Mais frequentes em adultos
- Neoplasia benigna relacionada com anomalias clonais
- Podem surgir em qualquer cavidade cardíaca, quase nunca nas válvulas cardíacas
- 90% estão situados nos átrios (mixomas auriculares)
- Compostos por células mixomatosas estreladas ou globulares imersas em abundante
substancia fundamental constituída por mucopolissacarídeos ácidos
- Normalmente há hemorragias e inflamação mononuclear
- “Tallo Blanco” ponto de união entre o tumor e o tabique auricular

2- Fibromas
3- Lipomas
- Tumores benignos localizados e bem circunscritos
- Composto de adipócitos maduros que se encontram em qualquer camada do coração
- São mais habituais no ventrículo esquerdo, na aurícula direita ou no tabique interauricular
- Deposito neoplásico de gordura no tabique interauricolar = Hipertrofia lipomatosa

4- Fibroelastomas papilares
- Neoplasia benignas atípicas
- Situados sobre as válvulas
- Agregado de prolongações filiformes
- Composto por núcleo de tecido conjuntivo mixoide com abundante matriz de
mucopolissacarídeos e fibras elásticas coberto por endotélio superficial

5- Rabdomiomas
- Mais comuns entre lactantes e crianças
- Pequenas massas miocárdicas de cor branca grisacea
- São múltiplos em numero e afetam sobre tudo aos ventrículos, saindo pelas cavidades

6- Angiosarcomas

7- Outros sarcomas

Você também pode gostar