Você está na página 1de 59

Escrito por: Reinaldo Garcia Vieira

DICAS IMPORTANTES
• Nunca se esqueça de que o objetivo central é aprender o conteúdo, e não
apenas terminar o curso. Qualquer um termina, só os determinados
aprendem!

• Leia cada trecho do conteúdo com atenção redobrada, não se deixando


dominar pela pressa.

• Explore profundamente as ilustrações explicativas disponíveis, pois saiba


que elas têm uma função bem mais importante que embelezar o texto, são
fundamentais para exemplificar e melhorar o entendimento sobre o
conteúdo.

• Saiba que quanto mais aprofundaste seus conhecimentos mais se


diferenciará dos demais alunos dos cursos. Todos têm acesso aos mesmos
cursos, mas’ o aproveitamento que cada aluno faz do seu momento de
aprendizagem diferencia os “alunos certificados” dos “alunos capacitados”.

• Busque complementar sua formação fora do ambiente virtual onde faz o


curso, buscando novas informações e leituras extras, e quando necessário
procurando executar atividades práticas que não são possíveis de serem
feitas durante o curso.

• Entenda que a aprendizagem não se faz apenas no momento em que está


realizando o curso, mas sim durante todo o dia-a-dia. Ficar atento às coisas
que estão à sua volta permite encontrar elementos para reforçar aquilo que
foi aprendido.

• Critique o que está aprendendo, verificando sempre a aplicação do


conteúdo no dia-a-dia. O aprendizado só tem sentido quando pode
efetivamente ser colocado em prática.

1|P ági na
SUMÁRIO
FUNDAMENTOS DA TÉCNICA……………………………………………………..
 A TEORIA DA REFLEXOLOGIA
 OBJETIVO DA REFLEXOLOGIA
 O QUE É REFLEXOLOGIA

O PRINCIPIO DA REFLEXOLOGIA…...…………………………………………….
 TERAPIA ZONAL
 ZONAS ENERGÉTICAS
 BENEFÍCIOS DA REFLEXOLOGIA
 MÉTODOS

COMO FUNCIONA A TÉCNICA…...………………………………………………..


 ESPELHO DE TODO O CORPO – OS PÉS
 CONHECENDO OS OSSOS DOS PÉS
 CONHECENDO ALGUNS PONTOS POR MEIO DE MAPAS

EFEITOS FISIOLÓGICOS E TERAPÊUTICOS…………………………………........


 EFEITOS DO TRATAMENTO
 POSSIVEIS REAÇÕES AO TRATAMENTO

LOCAL APROPRIADO PARA O TRATAMENTO………………………………….


 EQUIPAMENTOS

AVALIAÇÃO ANTES DO TRATAMENTO…………………………………………


 COMO PREENCHER A FICHA DE CLIENTE
 FICHA DE RETORNO

TECNICAS DE RELAXAMENTO……………………………………………………
(VÍDEO AULA)

REFLEXOLOGIA PARA TRATAR DISTÚRBIOS COMUNS……………………...


 AULA PRÁTICA E TÉCNICAS DE PRESSÃO E RECONHECIMENTO DE PONTOS
 PATOLOGIAS, TERAPÊUTICAS E MAPAS

ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL…………………………………………..………....
 EMPREENDEDORISMO

TERAPEUTIZAÇÃO DOS ALUNOS…………………………………………………

 FILME, MÚSICA E DINÂMICA

2|P ági na
FUNDAMENTOS DA TÉCNICA

A Reflexologia dos pés não pode ser considerada uma massagem básica. Por mais que a
massagem promova benefícios como relaxamento e bem estar, a Reflexologia é uma
técnica de aplicar pressão suave em áreas reflexas nos pés a fim de promover um estado de
relaxamento profundo e estimular os processos curativos do próprio corpo. Caracteriza-se
como terapia natural, que pode também estimular o fluxo de energia vital, fortalecendo o
sistema imunológico, deixando a mente mais serena num corpo mais forte.

Desta forma, é um tratamento seguro que auxilia o corpo naquilo que ele precisa, como:
conceber ou levar uma gravidez tranquila, reduzir os sintomas da síndrome do intestino
irritável, emagrecer, dores diversas, efeitos do estresse, enxaqueca, sentir-se mais jovem ou
parecer mais saudável e etc.

A Reflexoterapia como meio de proporcionar benefícios, pode ser aplicada de modo isolado
para a potencialização de outros métodos, sendo utilizada com sucesso por fisioterapeutas,
médicos, psicanalistas e por todos que trabalham para o bem – estar físico e mental de seus
clientes. Além disso, tem se mostrado muito eficiente para o desenvolvimento do
autoconhecimento e equilibirio emocional com resultados positivos demonstrados pelos
clientes e terapeutas.

Neste trabalho, você irá compreender que a Reflexologia Podal tem abordagem holística
em relação à saúde, e como pode te ajudar a atingir objetivos físicos e emocionais.

A TEORIA DA REFLEXOLOGIA
A teoria da Reflexologia entende que os órgãos, nervos, glândulas e outras partes do corpo
estão conectados a áreas ou pontos reflexos nos pés. Essas áreas se localizam nas solas dos
pés, bem como em suas partes superior e lateral. Estimulando-as por meio de uma técnica
de compressão e de massagem com os polegares, dedos e mãos, geramos uma resposta
direta numa área relacionada do corpo. Um exemplo disso, trabalhando o ponto reflexo da
cabeça (localizado no hálux ou dedo grande do pé), ativamos os processos de recuperação
do próprio corpo e ajudamos a alíviar as cefaleias.

Segundo a teoria de Eunice Ingham, o pé direito representa o lado direito do corpo, assim
como o pé esquerdo o lado esquerdo corpo, e de acordo com a “terapia zonal” do Dr.
William Fitzgerald existem dez diferentes zonas no corpo. Os pés são mais comumente
trabalhados na Reflexologia porque, de um modo geral, os praticantes, respondem melhor
à terapia do que com as técnicas aplicadas nas mãos, porque os pés contêm uma área de
tratamento maior sendo mais fácil identificar e trabalhar os pontos reflexos. Além dissso,
como os pés ficam normalmente protegidos por meias e sapatos, são mais sensiveis ao
toque.

Conforme exemplo na gravura abaixo:

3|P ági na
Figura 1 Estudos Eunice Ingham Figura 2 Estudos Zonoterapia

OBJETIVO DA REFLEXOLOGIA
A Reflexologia tem por objetivo restaurar o equilíbrio e a harmonia proporcionando ao
corpo sensação de bem-estar. Às vezes, nos sentimos mal-humorados ou “desligados” e o
nosso corpo precisa de equilíbro a fim de continuar funcionando devidamente. Mesmo um
rápido tratamento de Reflexologia pode ajudar a criar esse equilíbrio.

Atenção:
A Reflexologia não pode ser utilizada para diagnosticar doenças, nem se trata de
tratamento médico. É uma terapia integrativa que auxília o individuo em seus processos.
Ela não cura: Só o corpo pode fazer isso!
A Reflexologia apenas é um mecanismo que auxilia o corpo em sua recuperação, sendo
praticamente impossível determinar um prazo exato para que a pessoa comece a sentir e
gozar os benefícios de tratamento de forma integral.
Ressalta-se que a Reflexologia não pode substituir tratamentos e orientações médicas!

Tudo começa por um pequeno passo, mas a persistência levará a um resultado positivo.

4|P ági na
O PRINCÍPIO DA REFLEXOLOGIA

Figura 3 Antiga pintura mostrando a prática da Reflexologia foi encontrada na tumba do medico egípicio Ankmahor
(c. 2500 a. C.).

Dois pacientes recebem tratamentonas nas mãos e nos pés, nos desenhos acima traduzido
para o português eles dizem; “Não me machuque”, geme um deles na inscrição, e o
praticante replica: “Devo merecer sua gratidão”.

O mais antigo documento que mostra a prática da Reflexologia foi descoberto na tumba de
um médico egípcio chamado Ankmahor, no ano de 2500 a. C, Ankmahor era considerado
a pessoa mais influente de sua época logo depois do faraó do mesmo período. Dentro de
seu túmulo foram encontradas pinturas relacionadas à prática da medicina, uma das quais
mostrada aqui, é o exemplo mais antigo de Reflexologia.

Sem dúvida essa técnica era usada tanto para previnir doenças quanto para alíviar os males
do paciente. De um modo ou de outro o praticante fazia de tudo para atender as necessidades
de quem o procurava. Com o passar dos anos, várias formas de Reflexologia foram
desenvolvidas e praticadas na América, na África e no Extremo Oriente. Muitas vezes,
tomaram caminhos diversos em termos de prazo de tratamento, pressão maior ou menor e
mesmo o uso de instrumentos como pequenos bastões.

No século XX o Dr. William Fitzgerald foi um dos pioneiros da Reflexologia moderna.


Esse laringologista americano fez seu trabalho mais importante quando oberservou que os
indígenas de seu país usavam técnicas de pressionar pontos para aliviar a dor. Descobriu
também que havia muitas pesquisas em curso na Europa sobre o funcionamento do sistema
nervoso e os efeitos da estimulação dos percursos sensoriais ao resto do corpo. Inspirado
por esses estudos, o Dr. William decidiu averiguar se a descoberta da “terapia zonal”, que
presupõe linhas de energia que se ramificam pelo corpo e é a partir deste contexto que se
baseia a moderna forma de Reflexologia.
5|P ági na
TERAPIA ZONAL
A terapia zonal consiste em pressionar ou massagear áreas específicas dos pés e das mãos,
estimulando a circulação e os impulsos nervosos para promover a saúde nas diversas
“zonas” do corpo. Com base em sua pesquisa sobre alívio da dor, Dr. William estabeleceu
que a pressão aplicada numa parte do corpo pode ter efeito anestésico em outra, longe do
ponto pressionado. Por exemplo, colocar prendedores de roupa nos dedos gerava um efeito
anestésico na orelha, nariz, face, mandíbula, ombro, braço e mão, permitindo-lhe fazer
pequenas cirurgias usando apenas a terapia zonal, sem anestésicos.

Por fim, ele publicou um livro sobre a terapia zonal em 1917, em que dividia o corpo em
dez zonas longitudinais, cinco de cada lado, e mapeando-as numa sequência numérica
simples.

ZONAS ENERGÉTICAS
Zona 2 – Segundo dedo
Zona 3 – Terceiro dedo
Zona 4 – Quarto dedo
Zona 1 Zona 5 – Dedo míndinho
Hallux

6|P ági na
Em muitas regiões da Ásia, especialmente Taiwan, China e Singapura,
pratica-se o método Rwo Shur de Reflexologia. Esse método é um tanto
doloroso por que envolve uma combinação de deslizamento dos
polegares e técnicas de pressão, além do emprego dos nós dos dedos e
às vezes pequenos bastões de madeira. A pressão deve ser firme e o
terapeuta usa creme em vez de talco, o que permite movimentos mais
rápidos, fluídos e eficientes. Em geral, a sessão dura cerca de trinta
minutos e o enfoque é mais na revitalização do que no relaxamento.
Essa técnica foi desenvolvida pelo padre Joseph Eugster, um
missionário suiço que residia em Taiwan. Tendo ele próprio se
beneficiado da Reflexologia, percebeu que ela poderia ajudar milhares
de pessoas necessitadas e começou a tratá-las para depois treinar outros
praticantes.

MÉTODO DE EUNICE INGHAM


Essa técnica é a base da Reflexologia praticada em todo o mundo nos dias atuais. Surgiu e
foi aperfeiçoada nos Estados Unidos, no inicio dos anos de 1930, pela falecida Eunice
Ingham, que muitos consideram a “mãe da Reflexologia”. Ela fez dos pés o alvo especifico
da Reflexologia por que são particularmente sensíveis e traçou mapas do corpo inteiro
nessas áreas com base em sua experiência terapêutica.

Desenvolveu também um método que usa polegares e dedos, conhecido como técnica de
compressão Ingham. Nesse método, o polegar ou dedo se curva e se estira mantendo pressão
por toda a área tratada. Eunice Ingham apresentou seu trabalho à comunidade leiga por
7|P ági na
achar que a Reflexologia poderia ajudar o público em geral. Suas técnicas eram de aplicação
fácil e as pessoas aprenderiam sem dificuldade a aplicá-las em sí próprias,
em sua família e amigos. Ela escreveu dois livros sobre o assunto, Stories the feet Can Tell
(1938) e Stories the Feet Have Told (1963). O Reflexologista que pratica o método de
Ingham usa talco em vez de creme e a sessão dura geralmente 60 minutos, embora isso
dependa muito da saúde do paciente. O enfoque é no relaxamento e equilíbrio dos sistemas
do corpo, com o terapeuta ajustando constantemente a pressão para evitar desconforto. A
perspectiva é holística e o Reflexologista leva em conta o impacto que o estilo de vida do
cliente excerce em sua saúde. Assim, adequará a sequência de toques a cada pessoa e,
embora trabalhe todos reflexos, uns receberão mais atenção que outros.

ENERGIA E REFLEXOLOGIA

A Reflexologia se baseia em energias positivas que a terapia zonal libera no corpo. Não
notamos a energia passeando por nosso corpo, mas isso não significa que não exista, por
exemplo, percebemos o efeito da energia positiva quando abraçamos um ente querido.
Sendo necessário também entender os efeitos da energia negativa nas estruturas
fundamentais de nosso corpo, por onde correm livremente percursos de energia, porque
essas duas formas de energia criamo a homeostase*, que é o estado natural de equilíbrio
do organismo. Neste sentido, os bloqueios energéticos são atribuidos a áreas que não
funcionam bem ou estão prestes a contrair uma doença.

Uma idéia desenvolvida pelo Dr. Jean Claude Mainguy postula que todos os sistemas vitais
são governados por campos elétromagnéticos existentes tanto dentro quanto fora das
células. Imaginemo-nos como um rádio que recebe e transmite ondas, podendo ser afetado
por campos eletromagnéticos de baixa energia. Vivemos expostos a energias
eletromagnéticas, que afetam o fluxo energético de nosso corpo, a ponto de algumas pessoas
apresentarem sintomas de sensibilidade ao eletromagnetismo, como nausea, pertubação
do sono, vertigem, tensão, fadiga, cefaleia e dor muscular.

A UK’s Health Protection Agency vai aos poucos reconhecendo que as pessoas podem
sofrer de eletrosensibilidade quando expostas a campos eletromagnéticos emitidos por
telefones celulares, postes elétricos e telas de computador. Porém a terapia zonal e a
Reflexologia preceituam o desbloqueio dos percursos energéticos a fim de restaurar o
equilíbrio natural do corpo.

Atenção:
“Ter saúde é equilibrar uma séria de fatores em nossa vida. Somos afetados por aquilo a
que expomos nosso corpo, colocamos sobre ele ou dentro dele”.

Então reorganizar as energias do corpo aplicando a Reflexologia com a intenção de obter a


homeostase é um recurso terapêutico dos mais poderosos.
*O termo “homeostase” siginifica equilíbrio no corpo e na mente. Nossa saúde depende
do funcionamento hamônico das incontáveis partes do corpo e da mente. A sobrecarga
numa determinada área pode abalar todo o nosso organismo. Ninguém sabe o que fazer
8|P ági na
quando está “para baixo”, desiquilibrado ou adoentado; a Reflexologia, porém, ajuda a
gerar o necessário senso de equilíbrio e bem-estar beneficiando nas seguintes situações
por exemplo.

BENEFÍCIOS DA REFLEXOLOGIA

 Ajuda o corpo a restabelecer-se de qualquer distúrbio a que esteja sujeito.


 Diminui os efeitos do stress.
 Estimula o sistema imunológico.
 Alivia a Dor.
 Melhora a circulação.
 Agiliza o trânsito intestinal.
 Elimina os detritos orgânicos.
 Livra o corpo de toxinas.
 Estimula os nervos.
 Promove o relaxamento geral.
 Cria vínculos mais sólidos entre as pessoas.
 Ajuda na recuperação pós-cirúrgica diminuindo a dor e acelerando os processos de
recuperação do próprio corpo, dentre outros benefícios.

COMO FUNCIONA A TÉCNICA

A Reflexologia é um tratamento não invasivo e relaxante que aciona todos os mecanismos


curativos do corpo. É uma das terapias integrativas mais inteligentes à nossa disposição
porque, quando entendemos seu funcionamento, podemos identificar áreas que não estão
funcionando bem e ajudar a melhorar a saúde física e emocional de forma geral.

Os primeiros mapas de Reflexologia dos pés desenhados por Eunice Ingham, com base em
informações obtidas de seu trabalho nesse campo, estabelecem que os mapas não são uma
representação anatômica do corpo e diferem ligeiramente uns dos outros, dependendo do
autor.

É importante saber que existe uma relação concreta entre os reflexos nos pés e as partes do
corpo às quais eles correspondem. Nisso, os mapas de Reflexologia podem ajudar. A
localização dos reflexos nas solas dos pés, em geral, reproduz a posição correspondente dos
diversos órgãos e partes do corpo, por exemplo, a parte superior do hallux do pé representa
a cabeça e é nela que você aplicará técnicas de Reflexologia para ajudar uma pessoa com
cefaleia. De igual modo, o reflexo espinhal é encontrado ao longo da borda interna de cada
pé, também chamada de aspect medial do pé. Você logo descobrirá que essa parte é muito
sensível. Ela corresponde também aos órgãos reprodutores.
A melhor maneira de usar esses mapas é familiarizar-se com os sistemas orgânicos e suas
áreas reflexas examinando, por exemplo, seus próprios pés. Quando estiver pronto para
ministrar tratamento, poderá recorrer às seguências fáceis descritas adiante deste trabalho.
Escolha aquela que seja adequada a você, um amigo ou um parente e sinta, ao tratar, o
mesmo prazer que a pessoa sente ao ser tratada.
9|P ági na
Identificamos o problema pelo grau da dor ao realizar o estímulo, por várias razões um
determinado reflexo poderá mostrar demasiado sensível ou instável, o que implica
desiquilíbrio energético na área ou congestão de energia na zona correlata do corpo. Muitas
vezes, indica um problema físico crônico, que a pessoa conhece e do qual quer se livrar por
meio da Reflexologia. A Reflexologia pode também detectar efeitos de medicação em
diferentes áreas do corpo, como fígado e rins. Você só precisará aprender a “ler” os reflexos
para identificar o problema.

ESPELHO DE TODO O CORPO – OS PÉS

Todos os órgãos e partes do corpo estão dispostos na mesma ordem nos diferentes mapas
de Reflexologia. Linhas mestras, cruzando os pés, ajudam-nos a associar áreas específicas
com suas correlações nos pés; você encontrará, por exemplo, os órgãos respiratórios entre
a linha do ombro e a do diafragma. Todos os pontos reflexos, que são muitos, se localizam
dentro das linhas mestras. As principais são:

10 | P á g i n a
Na linha 1, na parte superior você irá encontrar a região da cabeça, o osso occipital, a
glândula pituitária, o ouvido interno, os dentes, a mandíbula, os seios da face, os olhos, a
trompa de Eustáquio, o ouvido externo, a garganta e os reflexos dos ombros.

Na linha 2, encontra-se sob a base dos metatarsus. Um traço característico é a alteração de


cor dessa área – a pele se apresenta mais escura em volta dos metatarsus e mais clara
embaixo. Entra as linhas do ombro e do diafragma, temos os pulmões, tireoide, esôfago,
hérnia de hiato, pâncreas e reflexos da vesícula biliar.

Na linha 3, entre as linhas do diafragma e do peito, temos o rim/supra renal, o estômago, o


fígado, o baço, o cólon transverso, os reflexos do fígado e da dobra do baço, e uma parte
do intestino delgado.

Na linha 4, entre as linhas do peito e pélvica estão o cólon ascendente e descendente, parte
do intestino delgado e a bexiga. A área ciática se estende transversalmente pelo meio da
linha pélvica.

A linha de ligação é a única que corre da parte de cima à de baixo do pé e não


transversalmente.

11 | P á g i n a
CONHECENDO OS OSSOS DOS PÉS

Ossos do tarso: os ossos são classificados em sete e em duas fileiras: a distal e a proximal.
Na fileira distal a gente tem: cuboide, navicular, cuneiforme lateral, cuneiforme medial,
cuneiforme intermédio (médio). Já na fileira proximal encontramos: calcâneo (túber do
calcâneo) e Tálus (tróclea). Para quem não sabe onde se localiza o tarso, o mesmo é a parte
superior dos mamíferos.

Ossos do Metatarso: tem sua configuração constituída por 5 ossos metatarsianos que tem
sua numeração cravada no sentido medial para a lateral em I, II, III, IV, V e correspondem
aos conhecidos dedos do pé, sendo que o primeiro é denominado de hálux e o quinto
denominado de mínimo. São considerados ossos longos e apresentam uma epífise proximal
que é a base, e uma epífise distal que é a cabeça do mesmo.

E por fim, os dedos do pé: que apresentam no total 14 falanges: do 2º ao 5º-> 1ª falange
proximal, 2ª falange média e 3ª falange distal. Já no hálux temos-> 1ª falange proximal e
2ª falange distal.

12 | P á g i n a
EFEITOS FISIOLÓGICOS E TERAPÊUTICOS
O corpo mantém sua saúde fisiológica por meio de um processo que se denominou
“homeostase”, conforme Cannon, a capacidade do corpo de manter sua integridade
homeostática exige que os processos de feedback em todo o corpo estejam conectados, e
que a informação que viaja nessa rede de rodovias de feedback seja fluida e precisa. Por
exemplo, se você ligar um termostato a uma fornalha, de maneira que sempre que a
temperatura da sala descer abaixo do nível definido no termostato, o sinal do termostato
ligue a fornalha e vice-versa, a temperatura será mantida. O termostato fornece o feedback,
o resultado é a homeostase entre você e a sala. O que o faz funcionar é a conexão de
feedback apropriado dentro do sistema, ou seja, as conexões de feedback são fundamentais
não só para a saúde e integridade fisiológica, mas para a saúde e integridade em todos os
níveis de energia.

A natureza é perfeita em seus detalhes e, como um construtor constrói uma casa, a natureza
constrói nosso corpo começando pela sua base que tem sua fundação no DNA
(MIESCHER, 1844-1895) baseado em um banco de dados biológico que é constituído por
ligações matemáticas elétricas magnéticas constituindo o ser humano em um organismo
multidimensional, sendo dividido em 3 partes principais:

1ª = Fisiológica: que é constituída dos sistemas nervoso, reprodutor, digestório, endócrino,


circulatório e sensitivo.

2ª = Energético: que é subdividido em eletromagnético, quântico ou atômico e nervoso.

3ª = Emocional: que é baseado no sistema endócrino (a emoção funciona através dos


hormônios).

A Reflexologia Podal é uma terapia completa, porque além de tratar o corpo físico, trata-se
também a autoestima do cliente e a abertura da sua consciência para que ele tenha noção de
que tipo de complexo o ser humano é. Freud afirmou que, as pessoas criam sintomas no
corpo em resposta a conflitos emocionais. Portanto 50% do resultado do tratamento
depende do cliente e do nível de abertura do mesmo.

Para entendermos melhor como age a Reflexologia Podal no corpo humano se faz
necessário revisarmos um pouco sobre o funcionamento do Sistema Nervoso, pois é ele que
ajuda o organismo a perceber as variações e a gerar respostas adequadas para se manter o
equilíbrio interno do corpo controlando funções orgânicas, a integração ao meio ambiente
e ao receber estímulos interpreta-os desencadeando respostas adequadas a eles e nos dá a
ideia geral de quem somos.

13 | P á g i n a
EFEITOS DO TRATAMENTO
Os efeitos do tratamento são muitas vezes sentidos logo após a sessão. Por exemplo, o
cliente pode notar que sua dor de cabeça desapareceu ou que seu ombro rígido se tornou
bem mais flexível. Em certos casos, porém, são necessárias de três a cinco sessões para
obter uma completa ou pelo menos considerável recuperação da doença ou incomodo do
seu cliente.

De um modo em geral, distúrbios que a pessoa vem padecendo há anos levam mais tempo
para melhor. Isso que o terapeuta e o cliente devem aceder num plano de tratamento por
alguns meses. Infelizmente, vivemos numa sociedade apressada. A maioria das pessoas
exige resultados imediatos, mas um único tratamento talvez não resolva um problema que
persiste há muito tempo. Por isso recomendamos um prazo maior para todas as condições,
indo de duas vezes por semana a uma vez por mês.

Por isso entenda a doença, a Reflexologia podal estimula os processos de recuperação do


próprio corpo, podendo às vezes perturbar o equilíbrio do organismo porque altera seu
ambiente interno. Como consequência do tratamento, podem ocorrer então mudanças no
corpo e na mente. Quase sempre, as pessoas constatam que após a Reflexologia passam a
dormir melhor e a encarar com mais disposição os desafios da vida, além de perceber uma
redução nos sintomas que as atormentavam.

As reações ao tratamento diferem conforme a pessoa. Tipo de vida, alimentação, exercício,


emoções e estado de saúde determinam essas reações.

Atenção: Regra geral, pode-se tratar quase todas as pessoas com o método reflexológico;
mas é aconselhável não fazer com as que apresentarem as seguintes contraindicações à
Reflexologia Podal.

 Doença contagiosa

 Febre alta

 Gangrena

 Primeiro trimestre de gravidez

 Trombose venosa profunda

 Diabetes

 Marca - passo

Evite trabalhar partes dos pés, calcanhares e pernas onde apareçam veias varicosas, pois
poderá agravar o problema. Sempre trabalhe em volta das áreas que apresentem dermatite
ou eczemas; clientes com esses problemas geralmente preferem que você use óleo em lugar
de talco ou cremes.
14 | P á g i n a
Atenção: Nesses casos citados acima use sempre luva descartável.
Muitas pessoas experimentam uma sensação de bem-estar, revigoramento,
rejuvenescimento ou relaxamento profundo. Mas às vezes, pode ocorrer uma “reação ao
processo de recuperação” em que os sintomas parecem piorar antes de melhorar. Trata-
se de um processo de limpeza pelo qual o corpo se livra de toxinas. Devemos ver isso de
maneira positiva, pois é uma modificação importante no padrão da doença.

Clientes com muita impureza em seu sistema ou em plena crise emocional estão mais
sujeitos a essa reação – que, no entanto, quase sempre passa em 24 horas e pode ser
amenizada ingerindo dois litros de água um dia antes e um dia depois do tratamento. A água
ajuda a expelir as toxinas do organismo e reduz a intensidade da reação.

POSSÍVEIS REAÇÕES AO TRATAMENTO


 Agravamento temporário dos sintomas

 Sensação de completo relaxamento

 Sono mais pesado que o normal

 Sensação de frio

 Maior necessidade de sono

 Sensação de vigor crescente

 Sensação de calor

 Aumento de frequência na micção e na evacuação

 Diarreia leve

 Intensificação das emoções / preocupações

 Reações na pele

 Irritabilidade / impaciência

 Aumento da secreção nasal

 Náuseas / vertigens

 Sede excessiva

15 | P á g i n a
Você perceberá que as vezes o cliente começa a sentir frio no meio do tratamento,
recomenda-se cobrir o cliente com um lençol antes de prosseguir. E não se surpreenda se
ele dormir durante a sessão isso é normal acontecer.

LOCAL APROPRIADO PARA O TRATAMENTO


O profissional habilitado em Reflexoterapia geralmente trabalha numa clínica, em sua casa
ou em domicílio. Usa uma maca de massagem ou uma poltrona reclinável. Porém não é
necessário de início fazer um alto investimento, um orçamento limitado não o impedirá de
fazer um trabalho bom e profissional em Reflexologia. Receber o Reflexologista em casa é
ótimo para o cliente, pois isso significa que poderá ficar à vontade após a sessão.

Atenção: Nessa situação recomenda-se mulheres ou homens a não ficarem a sós com o
cliente em sua residência, pois existem casos de abusos e isso é muito perigoso. Verifique
se realmente tem mais alguém em casa caso descida dar o atendimento residencial.

Ao dar o atendimento, certifica-se sempre de que você e o cliente permaneçam sentados de


maneira confortável durante todo o tratamento e de que o acesso aos pés dele seja fácil.

MÓVEIS RECOMENDADOS PARA ATENDIMENTO

ESPREGUIÇADEIRA DE PRAIA

Recomendada para atendimento residencial, eventos, demonstrações em geral, fácil de


carregar pois é dobrável.

16 | P á g i n a
CADEIRA DO PAPAI

Recomendável para atendimento em consultório geralmente são cadeiras mais confortaveis


e muitas vezes são mais baixas por isso é nescessário que tenha uma cadeira também baixa
no qual terá conforto ao seu atendimento e, se possível, tenha uma almofada para regular a
altura do pé do cliente.

MACA DE MASSAGEM

Você poderá usar tanto uma maca massagem quanto uma cama ou sofá, com um banquinho
na extremidade para ter fácil acesso aos pés. Poderá também colocar dois travesseiros sob
a cabeça do cliente, para maior conforto e para você observar suas expressões faciais
durante a sessão. O contato visual é importante porque cada pessoa reage de uma maneira
quando um reflexo dolorido é trabalhado.

17 | P á g i n a
Atenção:
Tenha sempre um ambiente agradável ao seu cliente para que ele se sinta acolhido em seu
espaço.

Use uma música suave isso ajuda a criar um ambiente relaxante; portanto, escolha uma
melodia agradável, que você já ouviu inteira com antecedência. A “música ambiental” nem
sempre é uma boa escolha, pois pode agravar fobias.
Uma boa maneira de aromatizar o ambiente é usar um difusor de óleos essenciais
relaxantes ou ascender velas aromáticas 30 minutos antes da sessão. Não esqueça de
apagá-los cinco minutos antes do inicio do tratamento, pois um ar saturado de perfume
poderá agravar alguma condição respiratória. Se seu cliente tiver asma não aromatize o
recinto mas’ ventilhe-o antes de começar.

O controle da luz é da máxima importância: mantenha os níveis de luminosidade baixos


para criar um ambiente relaxante, profissional.

Tenha sempre ao alcance um copo de água, para oferecê-lo ao cliente depois da sessão.
Lembre-se: A água ajuda a expelir do corpo as toxinas liberadas pelo tratamento.

VOCÊ TERAPEUTA, PREPARE-SE PARA O ATENDIMENTO

Esteja sempre preparado ao que vai dizer ao seu cliente, se ele for pela primeira vez no
atendimento, escolha palavras fáceis ao entendimento dele e explique basicamente como
funciona, nessa apostila temos mapas nos quais poderá recorrer sempre que for preciso para
auxilia-lo no tratamento, informe ao seu cliente quanto tempo durará a sessão, esclarecendo
que irá avisa-lo quais reflexos estão com desiquilíbrio. Assegure-lhe que suspenderá a
pressão em qualquer área muito sensível e que será ótimo se ele adormecer durante o
trabalho.

Fique sempre inteirado do que está escrito na ficha de cliente é muito importante saber o
porque ele procurou o tratamento, pois esses dados podem esclarecer sua situação atual. Os
antecedentes clínicos também permitirão averiguar se existem contraindicações para o
tratamento. Relembramos que este não deve ser ministrado nos três primeiros meses de
gravidez e nos casos de febre alta, gangrena ou noenças infecciosas como turbeculose.

Atenção: Caso você trate clientes, amigos ou familiares, ficará inteirado de seus
antecedentes clínicos. Estes lhe serão passados em confiança e você deve garantir logo de
ínicio que não a desmentirá, para criar um relacionamento baseado na discrição e no
profissionalismo.

Use sempre a ficha de cliente e de retorno como base para elaborar um plano de tratamento.
Determine quantas sessões serão nescessárias: todos os dias, três dias por semana ou uma
vez por semana. Concentre a terapia nas áreas de maior stress do corpo e assinale quais
reflexos se relacionam com elas.
Lembre-se: sempre a pressão deve começar suave e depois firme, dependendo de quem
esteja sendo tratado. Um aperto não muito forte nos pés será reconfortante, porém a pressão
18 | P á g i n a
deve ser firme, nosso objetivo é tratar a causa do problema, se o cliente reclamar que está
doendo muito diminua a pressão e fique ali por mais tempo.

Atenção: Tome muito cuidado com crianças, pessoas idosas e diabéticos, estes tem muita
sensibilidade nos pés e se a pressão for muito forte pode lesionar algum ponto.
Observe atentamente todas as expressões faciais de seu cliente, ou se ele puxar o pé ou se
reclamar de dor, uma área dolorida pode indicar que a parte correspondente do corpo não
está funcionando bem. Quando uma área se mostrar sensível, concentre-se nela e descreva
pequenos círculos com o polegar até o incômodo desaparecer. Se notar a presença de
bolhas de sangue continue trabalhando a área até dissolver a maior parte possivel delas.
No entanto, às vezes são nescessárias varias sessões para dissolver todas essas bolhas
detectadas.

Algumas sensações que poderá ter:

 Áreas que parecem vazias


 Susperficies onduladas
 Áreas endurecidas
 Áreas que parecem borbulhar ou estalar ao toque.

Atenção: Todo Reflexologista e terapeuta deve cuidar da saúde física e emocional


própria, nunca atenda um cliente se você mesmo tiver desiquilíbrado, se estiver assim,
marque o atendimento do seu cliente para outro dia.

Recomendação para cada atendimento / intervalos:

 Prepare o ambiente 10 minutos


 Inteirar-se da ficha de cliente 5-20 minutos
 Técnicas de massagem no ínicio 5 minutos e mais 5 minutos no términio
 Informações do cliente após o tratamento 5-10 minutos

Ao atender seu cliente lembre-se que o tempo é muito importante de cada sessão que deve
durar no maximo 45 minutos.

TÉCNICAS DE RELAXAMENTO

As técnicas a seguir tem por objetivo proporcionar conforto e aliviar a tensão – não apenas
nos pés, mas também no resto do corpo. Podem ser usadas tanto no começo quanto no fim
do tratamento. Os idosos preferem que se aplicam primeiro as técnicas de massagem, uma
vez que aliviam a dor e o desconforto ao mesmo tempo que estimulam a circulação de
energia.

Essas técnicas de massagem também podem ser usadas em crianças, como parte de uma
rotina antes da hora de ir dormir para que seu sono seja melhor. Procure sempre atender as
necessidades imediatas de cada pessoa.
19 | P á g i n a
Empregue sempre um toque suave e confiante, numa sequência fluida de movimentos,
trabalhe primeiro o pé direito em seguida o pé esquerdo.

Ao tratar uma pessoa concentre-se primeiro no relaxamento dos pés

Existem cinco técnicas básicas: torcer, amassar, esticar, rotação dos dedos e acariciar.
Estas técnicas são mais eficazes quando utilizadas nessa sequência.

Torcer: ajuda a amaciar os pés, esticando os músculos. A esta, segue-se a técnica de


amassar, que relaxa a pessoa e estimula a energia do corpo.

Esticar: estica literalmente os músculos, permitindo aos ossos um movimento mais livre.
Quando utilizada nos pés, dá ao corpo inteiro uma sensação de estar puxando-o para cima.
De fato, ajuda a alongar os pés que estiveram em sapatos apertados um dia inteiro.

A rotação dos dedos é usada nos pés como uma ótima opção para relaxar a pessoa. Se o
seu cliente está muito tenso, esta técnica pode ser utilizada, antes de iniciar o tratamento.

A técnica de acariciar é um ótimo calmante para eliminar a tensão.

Todas estas técnicas podem ser aplicadas nos pés. Tal como as técnicas dos pontos de
pressão, ajuste a quantidade de pressão que vai exercer conforme a pessoa que vai tratar.
Para ter êxito nas massagens ponha um pouco de creme nas mãos para deslizar sobre os pés
antes de iniciar a massagem. Verá que as suas mãos se movem sobre os pés do cliente com
mais facilidade.

ALERTA:
É sempre importante praticar estas técnicas antes de aplicar numa pessoa.

20 | P á g i n a
REFLEXOLOGIA PARA TRATAR DISTÚRBIOS COMUNS

Para obtermos bons resultados no tratamento é importante que o terapeuta faça uma
manobra de respiração no início e no final de cada sessão de tratamento. Peça ao cliente
que respire profundamente buscando se desligar da rotina do dia ao aplicar as manobras de
relaxamento.

ASMA
É uma doença dos pulmões caracterizada por episódios recorrentes de falta de ar devido à
constrição das vias aéreas. Durante uma crise de asma, os músculos das paredes internas
dos pulmões se retraem, provocando o aumento na secreção de muco e inflamação, o que
torna muito dificil respirar normalmente. Os sintomas típicos da crise são tosse,
arquejamento, sensação de peso no peito e dificuldade para respirar. O stress e a ansiedade
podem provocar uma crise.

ÁREAS E PONTOS REFLEXOS

 Hipófise
 Pulmão
 Diafragma
 Glândulas Suprarrenais
 Vértebras Toráxicas
 Plexo Solar
 Circulação

GRIPE
A gripe afeta o trato respiratório superior e é altamente contagiosa, pois seus germes são
espalhados pela tosse e pelo espirro. Os sintomas, a princípio, lembram os do resfriado e
incluem dor de cabeça, dores no corpo e sensação de cansaço; à medida que o mal progride,
é acompanhado por febre alternada com calafrios. As vezes o cliente se queixa de garganta
seca e tosse.

ÁREAS E PONTOS REFLEXOS

 Cabeça
 Vasos Linfáticos
 Pulmão
 Tireoide
 Baço
 Vértebras Toráxicas

21 | P á g i n a
GARGANTA INFLAMADA
È uma infecção viral ou bacteriana muito comum e pode ser o primeiro sintoma de um
resfriado, gripe ou infecção nas vias respiratórias superiores. A inflamação às vezes é
provocada por algo que irrita o fundo da garganta: infecção dos dentes ou gengivas, tosse
crônica, poeira, bebidas ou comidas muito quentes, poluentes atmosféricos ou fumaça. O
problema afeta a região frontal do pescoço e a passagem que desce da parte traseira da
garganta e do nariz para a porção superior do esôfago, provocando dor e sensibilidade. Ao
engolir, o doente sente dor e incomodo.
PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Mapear todo halux e 2º dedo


 Pineal
 Hipotálamo
 Fígado
 Hipófise
 Pescoço
 Esôfago
 Pontos de Tensão

RESFRIADO
Os sintomas típicos incluem: inflamação de garganta, espirros, olhos lacrimejantes,
congestão de cabeça, cefaleia, febre e dores no corpo. A maioria dos refriados desaparece
em no máximo oito dias, mas quando a pessoa tem o sistema imunológico debilitado ou
imaturo – o problema pode provocar infecções mais sérias como bronquite, pneumonia ou
gripe.
PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Cabeça
 Hipófise
 Garganta
 Córtex Externo
 Área geral do olho/ouvido
 Vértebras Toráxicas
 Vasos Linfáticos
 Sinús

22 | P á g i n a
SINDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL
A sindrome do intestino irritável atinge um em cada cinco adultos tendo maior incidência
nas mulheres. Esta sindrome é uma condição crônica que atinge o intestino delgado ou
grosso, tendo como principais sinais dor, incomodo, alteração do meio intestinal e a duração
dos movimentos peristálticos provocando movimentos intestinais irrregulares causando os
seguintes problemas: prisão de ventre, dor abdominal, diarrréia, nauseas, flatulência e etc.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Cólon ascendente
 Cólon transverso
 Cólon sigmoide
 Cólon descendente
 Reto
 Hipófise
 Suprarrenais

HIPERATIVIDADE
O transtorno do decifit de atenção e hiperatividade (TDAH) se manifesta na primeira
infância tendo reflexos na vida adulta do indivíduo por causar uma série de problemas
comportamentais e de aprendizado. Caracteriza-se por inúmeros problemas, como
dificuldade para concluir tarefas, acessos de mau humor e irritabilidade baixa tolerância em
diferentes contextos falta de concentração podendo contribuir para atitudes alto destrutivas,
dentre outros. A partir do senso comum, recomenda-se que pessoas que possuem esse
transtorno evitem o consumo de açucar e adiditivos enérgéticos elementos que contribuem
enfáticamente para o comportamento hiperativo.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Hipófise
 Pâncreas
 Suprarrenais
 Cólon ascendente
 Cólon transverso
 Fígado
 Toda a coluna

23 | P á g i n a
PRISÃO DE VENTRE
A prisão de ventre pode acontecer pela baixa ingestão de fibras e líquidos na alimentação
do indivíduo ou pela idade avançada, pouco ou nenhum exercício físico, distúrbios
intestinais, dentre outros.Isto acontece quando o rolo fecal se movimenta devagar pelo
intestino grosso, provocando uma eliminação demorada e dolorosa de fezes endurecidas.
A prisão de ventre pode ocasionar, na maioria das vezes, outros problemas como:
hemorroidas, insônia, inchaço no abdômem, cefaleia, fadiga e depressão.
PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Todo o intestino
 Tireoide
 Hipófise
 Glândulas Supra renais
 Rins
 Vértebras Lombares

AZIA
Azia é uma sensação de queimação vinda da parte de trás do externo, um osso localizado
na parte anterior do tórax. Pode se apresentar como uma dor que se irradia pelo peito,
pescoço ou a garganta. Os episódios de azia podem ser ocasionais ou frequentes, podendo
interferir na rotina e qualidade de vida do paciente, e até ser sinal de algum problema mais
grave.
A azia é causada pelo refluxo de ácido gástrico (responsável pela digestão dos alimentos):
ele segue do estômago para o esôfago, como se fosse retornar à boca. Esse refluxo, por sua
vez, é causado pelo mau funcionamento de uma espécie de válvula, chamada esfíncter: ela
se abre para o alimento passar do esôfago para o estômago e, em seguida, deve se fechar
para reter o que foi ingerido e também os sucos gástricos que circulam por ali.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Diafragma
 Esôfago
 Pâncreas
 Estômago
 Pulmão
 Vértebras Toráxicas

24 | P á g i n a
STRESS
O stress é qualquer reação a um estilo físico, emocional ou mental que afete o equilíbrio
natural do corpo gerando efeitos físicos prejudiciais na pessoa. De modo geral, surgem os
seguintes sintomas: hipertensão, síndrome da fadiga crônica, depressão, perda de memória,
irritabilidade e etc. Como cuidado nutricional sugere-se que pessoa evite o consumo de
cafeína e estimulantes e que realize exercícios físicos e correção da respiração.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Diafragma
 Tireoide
 Hipófise
 Toda a coluna
 Rins
 Suprarrenais
 Pâncreas
 Pontos de Tensão
 Plexo Solar
 Hipotálamo

DEPRESSÃO
É uma doença que afeta o corpo inteiro causando problemas na rotina de sono, na
alimentação, atitudes e reações do indivíduo diante de diferentes contextos, assim como o
modo de como ele se vê. Tem como sintomas dores diversas, pricipalmente nas costas,
ansiedade, alta irritabilidade, sensação de desvalia, alterações no apetite e distúrbios
digestivos. Os exercícios físicos ajudam no controle da depressão por liberarem endorfinas
que contribuem para a pessoa obter sensação de bem-estar.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Cabeça
 Hipotálamo
 Toda a coluna
 Tireoide
 Fígado
 Rins
 Coração
 Pulmão
 Plexo Solar
 Todo o intestino

25 | P á g i n a
ANSIEDADE
A ansidade afeta pessoas de todas as idades e condições físicas, trata-se de uma crise
repentina, intensa e curta quando o corpo ativa em momentos inoportunos reações de luta,
medo e sentir-se sozinho. Essas respostas levam o sujeito a estafa, que pode ser aflitiva e
perturbadora para quem sofre dessa crise. Recomenda-se para pessoas que sofrem de
ansiedade que evitem o stress, o açúcar, os alimentos processados, a cafeína, o excesso de
álcool e as drogas e que utilizem técnicas de relaxamento.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Cabeça
 Glândula Pituitária
 Diafragma
 Pulmão
 Rins
 Glândulas Supra renais
 Vértebras Toráxicas
 Vértebras Cervicais
 Pontos de Tensão
 Coração
 Pescoço

CÓLICA MENSTRUAL
Conhecida também como dismenorréia, ela consiste na dor pélvica antes ou durante
a menstruação que atinge cerca de 90% das mulheres em idade reprodutiva no mundo,
sendo que 10% dessas sentem dores incapacitantes. A cólica pode coincidir apenas com o
ciclo menstrual ou estar associada a alguma enfermidade orgânica.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Circulação
 Útero
 Ovário
 Lombar
 Glândula Pituitária
 Hipotálamo
 Tálamo
 Pineal
 Suprarrenal

26 | P á g i n a
FALTA DE APETITE EM CRIANÇAS
Muitas vezes, a falta de apetite em crianças por si só não se caracteriza como um distúrbio
e sim, como um alerta para um outro problema que esteja afetando a criança, como fatores
emocionais ou problemas em casa.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Hipotálamo
 Glândula Pituitária
 Diafragma
 Estômago
 Todo o intestino
 Supra renais
 Toda coluna

DESMAIO
O desmaio acontece quando você perde a consciência por um curto período de tempo. O
termo médico para o desmaio é síncope. Um desmaio geralmente dura de alguns segundos
a alguns minutos.
Em alguns casos, o desmaio é precedido por sensações como vertigem, tontura,
fraqueza e náuseas. Uma recuperação completa geralmente leva apenas alguns minutos
após o desmaio. Se não houver nenhuma condição médica subjacente causando-lhe a
desmaiar, o tratamento não é necessariamente obrigatório.
Na maioria das vezes, os desmaios não indicam doenças graves. Mas, em algumas
situações, ele pode ser um sintoma de um problema de saúde sério. De qualquer forma, os
desmaios devem ser motivo para uma consulta médica, principalmente se acontecem
episódios recorrentes, mais de uma vez por mês.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Glândula Pituitária
 Plexo Solar
 Pontos de Tensão
 Vértebras Cervicais
 Circulação

27 | P á g i n a
DORES EM GERAL
A dor aguda, na sua maior parte, é resultado de uma doença, inflamação ou lesão de tecidos.
Este tipo de dor geralmente surge de repente, por exemplo, após trauma ou cirurgia, e pode
ser acompanhada de ansiedade ou angústia emocional. A causa da dor aguda geralmente
pode ser diagnosticada e tratada. A dor é auto-limitante, ou seja, é limitada a um
determinado período de tempo e de gravidade. Em alguns casos raros, pode se tornar
crônica.

A dor crônica é amplamente acreditada como representando uma doença em si. Ele pode
ser piorada por fatores ambientais e psicológicos. A dor crônica persiste durante por um
maior período de tempo do que a dor aguda, e é resistente à maioria dos tratamentos
médicos. Ela pode muitas vezes causar graves problemas para os pacientes.

Uma pessoa pode ter duas ou mais condições co-existentes de dor crônica. Tais condições
podem incluir a síndrome da fadiga crônica, síndrome dolorosa miofascial, fibromialgia,
doença inflamatória do intestino, disfunção da articulação temporomandibular.
PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Hipotálamo
 Suprarrenal
 Circulação
 Pontos de Tensão + ponto da dor

LABIRINTITE
Inflamação do ouvido interno ou dos nervos que ligam o ouvido interno ao cérebro. A
labirintite geralmente é desencadeada por uma infecção, como um resfriado ou gripe.

Perda auditiva, tontura e sensação de tontura (vertigem) são sintomas comuns. O


diagnóstico de labirintite é um desafio, pois esses sintomas também são comuns em muitos
outros problemas.

A labirintite geralmente desaparece por conta própria. Medicamentos podem ajudar a


controlar os sintomas. A terapia de reabilitação vestibular pode ajudar em alguns casos.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Cerebelo
 Córtex externo
 Hipotálamo
 Fígado
 Toda área do olho / ouvido
 Suprarrenais
 Glândula Pituitária
 Circulação

28 | P á g i n a
SINUSITE
Sinusite é uma inflamação da mucosa dos seios da face, região do crânio formada por
cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos. A doença pode ser secundária
a uma infecção, quadro alérgico ou qualquer fator que atrapalhe a correta drenagem de
secreção dos seios da face. O nome mais utilizado para esse problema é rinossinusite, pois
o processo inflamatório atinge tanto a mucosa dos seios da face como a mucosa nasal.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Sinús
 Rins
 Supra renal
 Hipotálamo

DIFICULDADE PARA DORMIR


A dificuldade para dormir inclui qualquer combinação de dificuldade para adormecer ou de
permanecer nesse estado, falta de sono intermitente e despertar nas primeiras horas da
manhã. Os episódios podem aparecer e desaparecer (transitório), durar até duas ou três
semanas (curto prazo) ou ter longa duração (crônico). Fatores comuns associados à insônia:
Doença física, depressão, Ansiedade ou estresse, ambiente insatisfatório para o sono (p. ex.:
com barulho ou luz excessiva), cafeína, álcool ou outras drogas, uso de
determinados medicamentos, fumo em excesso, desconforto físico, cochilos durante o dia,
deitar-se cedo e passar muito tempo acordado na cama.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Pineal
 Glândula Pituitária
 Supra renais
 Plexo Solar
 Ponto do Sono
 Pontos de Tensão

______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________

29 | P á g i n a
IMUNIDADE BAIXA
Fala-se em imunidade baixa - cientificamente chamada imunodeficiência - quando o
organismo do paciente está com o sistema imunológico fragilizado. Normalmente, isto
ocorre por conta de uma doença crônica ou passageira. A doença mais conhecida que
provoca baixa imunológica é a Aids (síndrome da imunodeficiência adquirida). Distúrbios
do sono e quadros de depressão também estão nesta lista. Além disso, alguns hábitos de
vida, tais como sedentarismo, tabagismo, consumo exagerado de álcool, estresse e má
alimentação reduzem as defesas do organismo.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Baço
 Gânglios Linfáticos
 Rins
 Circulação
 Fígado

GASTRITE
Gastrite é a inflamação aguda ou crônica da mucosa que reveste as paredes internas do
estômago, essa alteração pode ser provocada por diferentes fatores.A doença pode ser aguda
(surge de repente) ou crônica, quando o processo inflamatório se instala aos poucos e leva
muito tempo para ser controlado.
Gastrite pode acometer toda mucosa estomacal, ou parte dela, podendo provocar
inflamação intensa, sem destruir o revestimento do estômago, ou resultar numa inflamação
leve, mas acompanhada de lesão na parede do órgão e perda da mucosa estomacal.
Denominada gastrite erosiva, esse tipo de gastrite pode provocar a formação de úlceras e
sangramentos.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Estômago
 Córtex externo
 Vértebras Torácicas
 Duodeno externo

30 | P á g i n a
ESGOTAMENTO
O esgotamento emocional é um grande vilão que se não for tratado com seriedade pode se
transformar em depressão. Tudo começa de forma discreta e você não dá importância, acha
que é apenas cansaço e assim que tiver um tempo tira uma folga para relaxar e tudo ficará
bem.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Glândula Pituitária
 Plexo Solar
 Pontos de Tensão
 Hipotálamo
 Pâncreas
 Fígado
 Rins
 Tireoide
 Supra renal

ENJÔO E NÁUSEA
Enjôo é a sensação de desconforto no estômago com uma vontade urgente de vomitar.
A náusea também é uma defesa do organismo, já que é a preparação para o vômito e a
expulsão de substâncias que podem estar causando problemas ao organismo. É o caso da
náusea que ocorre após consumo de grande quantidade de bebidas alcoólicas. A náusea é
um sintoma geral e inespecífico, que chama a atenção para um problema do organismo que
nem sempre é facilmente detectável.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Gânglios
 Estômago
 Fígado
 Pontos de Tensão
 Ouvido
 Intestino todo
 Vértebras Cervicais
 Vértebras Torácicas

______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________

31 | P á g i n a
TENSÃO PRÉ - MENSTRUAL
A tensão pré-menstrual (TPM) atinge cerca de 70% das mulheres sendo causado por
desiquilíbrio hormonal, ex: muito estrogêno em níveis inadequados de progesterona. Os
sintomas incluem cólicas mudanças de humor, cefaleias, dores nas costas, sensibilidade nos
seios, ansiedade, depressão, insônia, retenção de líquido, dentre outros. Tensão pré-
menstrual acontece de uma a duas semanas antes da mestruação, quando os níveis de
hormônios se alteram.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Pontos de Tensão
 Fígado
 Rins
 Coração
 Glândula Pituitária
 Tireoide
 Pâncreas
 Ovários
 Útero
 Supra renais
 Toda a coluna

Protocolo de Relaxamento
PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

 Hipotálamo
 Glândula Pituitária
 Pineal
 Supra renal
 Pontos de tensão
 Plexo solar

32 | P á g i n a
ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

 Apresentação Pessoal e Comportamento Profissional


Atualmente o mercado de trabalho e atuação de profissionais que trabalham com
embelezamento, saúde, fisioterapia e terapias integrativas como a Reflexologia tendem a
utilizar o branco como traje para desenvolvimento de suas atividades. Isso acontece para
evidenciar a limpeza e higiene do profissional e do ambiente de trabalho e transmitir um ar
de tranquilidade para o cliente.
É melhor adotarmos uma aparência mais sóbria e neutra ao invés de exagerarmos na
composição da apresentação pessoal. Outro ponto importante que vale atenção no dia a dia
profissional é o uso de cremes, óleos e perfumes, porque pode tornar-se desagradável uso
desses produtos de forma exagerada, ainda que para você pareça ser fraco ou suave, uma
gota a mais pode incomodar o cliente que estará ali bem próximo a você por um período de
aproximadamente 1 hora.
Além disso, podemos adotar outras dicas para estabelecer bom relacionamento com o
cliente:
1. Seja consciente e cortês
Atenda bem a qualquer pessoa que se dirigir ao seu consultório. Para isso, esqueça seus
próprios preconceitos, religião/espiritualidade, opiniões políticas. Cuidado para não formar
impressões distorcidas dos clientes de forma antecipada.
Cumprimente a todos com um sorriso, aperto de mão e abraço – caso perceba receptividade
para isso, desta forma, nos mostrarmos agradáveis e receptivos, o que facilita o contato com
o cliente. Sempre que possível, chame-o pelo nome, procurando pronunciá-lo corretamente.
Nas áreas de terapias alternativas e integrativas como a Reflexologia é importante que o
profissional demonstre boa vontade, alegria e compromisso com sua terapêutica, porque na
maioria dos casos estamos lidando com pessoas fragilizadas por razões de saúde ou fatores
emocionais o que demandará certa atenção ao cliente. Neste contexto, é importante destacar
a importância pela ética profissional no zelo das informações pessoais dos clientes.
Lembre-se que sua imagem pessoal está ligada diretamente a qualidade do seu trabalho!
2 Cumpra com os horários conforme seus agendamentos
Nunca deixe seu cliente ou parceiro de negócios esperando. Para quem espera, um minuto
torna-se uma eternidade. A pessoa sendo inicialmente atendida e informada de possíveis
intercorrências que podem gerar atraso, a pessoa aguarda com mais calma, evitando assim
situações desagradáveis.

3 Estabeleça boa relação com seu cliente


Muitas vezes o cliente fica inibido diante da Reflexologia, por isso busque deixar o cliente
a vontade para realizar perguntas e tirar as dúvidas sobre as técnicas que serão
desenvolvidas e nesse processo preste um atendimento eficiente, orientando-o sobre o que
se trata, benefícios, indicações, possíveis efeitos colaterais e etc. sempre de maneira clara e
educada.

Nesse processo, você conhece a terminologia técnica dos processos que serão
desenvolvidos durante a terapia, tenha cuidado para não confundir ou inibir o cliente, por
33 | P á g i n a
isso recomenda-se utilizar linguagem clara, objetiva e simples para explicar o que está
sendo realizado, lembrando que abreviações e siglas também devem ser evitadas.

4 Dê atenção às reclamações
Fique atento a qualquer reclamação, queixa ou sugestão vinda do cliente, realize análise
cautelosa e se for o caso encaminhe-as ao superior imediato para verificação. Essas
colocações são importantes para possíveis melhorias.

5 Cuide do seu consultório ou sala de atendimento


Faça a manutenção diária da limpeza e cuide dos móveis e objetos de trabalho. Deixe
sempre à mão os objetos de que necessita. Em um ambiente limpo e organizado, todos
desempenham melhor suas funções.

 Biossegurança
Outro aspecto que o profissional Refloxoterapeuta precisa considerar ao desenvolver suas
atividades é a biossegurança, infelizmente em nosso contexto social a falta de uma cultura
prevencionista tem sido o principal obstáculo para as pessoas agirem com precaução nos
locais de trabalho. Muitos trabalhadores executam sus terapêuticas sem estarem
familiarizados com os procedimentos de segurança biológica, contribuindo para o aumento
do risco à saúde em suas atividades. Esses fatores ampliam-se por ignorância e dificuldade
de compreensão, aceitação e cumprimento das medidas preventivas.
Os profissionais da área da saúde/beleza/terapias devem ter as noções, hábitos e cuidados
necessários para não contraírem enfermidades ocupacionais, sofrerem algum acidente ou
contaminarem seus pacientes (clientes), área de trabalho ou os próprios colegas de trabalho.

Equipamentos de Proteção Individual


 Máscara;
 Luvas de Procedimento;
 Jaleco.
No desenvolvimento das atividades deve-se:
 Retirar todos os adornos (pulseiras, anéis e relógios).
 Manter unhas tão curtas quanto possível.
 Proceder a lavagem das mãos, secar com papel toalha e realizar a antissepsia com
álcool a 70%. Repetir o procedimento antes e após cada atendimento e sempre que
se fizer necessário.
 Utilizar Equipamento de Proteção Individual (avental, luvas de procedimentos,
máscara) durante todo o atendimento.
 Retirar as luvas de procedimentos ao término de cada atendimento e desprezá-las na
lixeira
 Dê preferência a instrumentos de metal, inox ou plástico, evitando a madeira,
material mais propenso a desenvolver bactérias e etc.
 Higienizar os instrumentos de massagem com água e sabão e em seguida com álcool
a 70%.
 No trato com o cliente deve-se:
 Realizar anamneses do cliente e da área a ser trabalhada, preenchendo ficha
específica.
34 | P á g i n a
 Faça higienização superficial, com produtos apropriados de limpeza da pele e álcool
a 70%.
 Verificar se a área a ser trabalhada está integra, ou seja, sem lesões, vermelhidão,
machucados ou irritações. Caso exista esses aspectos, converse com o cliente e faça
avaliação se será possível desenvolver a técnica sem ônus a pessoa atendida.
 Ficar atento as reações do cliente nos procedimentos desenvolvidos, principalmente
em relação ao nível de dor.
 Não orientar o cliente a suspender medicação, tratamento ou terapias prescritas por
médicos.
 Alerte o cliente sobre possíveis efeitos colaterais.

Vestimenta do terapeuta

 Roupas discretas (sem decote, transparências ou

curtas) Sapato fechado

 Unhas curtas e limpas

 Não usar perfume, nem desodorante com fragrâncias

fortes

 Mulheres cabelos presos

Obs. Ao realizer demonstrações: Levar uma toalhinha para colocar no colo porque evita sujar
sua roupa e não molha ao borrifar álcool. Sempre bom levar papel toalha descartável.
Trocar e lavar imediatamente as roupas ao término do seu trabalho.

Contaminação

Se o cliente tiver frieira, micose ou ulceras não trabalhar o pé doente. Oriente o cliente a
procurar um podólogo.

Obs. JAMAIS mexa em machucados, corte as unhas ou arranque a pele do cliente.

35 | P á g i n a
DICAS:

 FRIEIRAS NAS UNHAS E


CHULÉ:
Álcool 70%,
10 a 15 unidades de cravo
2 colheres de vinagre de maçã.

Coloque no borrifador e borrife nos pés antes de iniciar o atendimento. Ou

Merthiolate incolor
2 dentes de alho amassados,

Deixe macerar por uma semana e com conta-gotas, pingue nas unhas com micose.

Pode ensinar ao cliente o preparo.

 MICOSE:
Óleo de melaleuca

Colocar no algodão, lustrar a unha e jogar fora o algodão.

 CREMES E OUTROS PRODUTOS:


Hortelã, cânfora, mentol e eucalipto não devem ser usados, pois são antagônicos
(cortam o efeito) de remédios homeopáticos, sais de schusller, florais e homeopatia em
geral.

Deve-se sempre perguntar ao cliente se ele tem alergia antes de utilizar um creme, mesmo sendo
o que ele traz para ser usado.

36 | P á g i n a
ANOTAÇÕES:
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

37
ESTUDO DIRIGIDO (Favor destacar a folha)

NOME: __________________________________DATA: ___/___/____.

1) Em suas palavras explique a fisiologia da Reflexologia.


____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________

2) Qual o objetivo da Reflexologia?


____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________

3) Descreva a anatomia do pé, nome dos ossos.


____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________

4) Cite os principais beneficios da Reflexologia.


____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________

5) Quais as contraindicações e o por que delas.


__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________

6) Quais possiveis reações pode ocorrer após o tratamento com


Reflexologia?
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________

38
CONHECENDO OS PÉS

PROTOCOLOS DE ATENDIMENTO

39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
TÉCNICAS DE RELAXAMENTO

Mostraremos uma série de anobras que irão ajuda-lo a relaxar os pés e,


consequentemente, todo o corpo. Através de técnicas de alongamento e
liberação das regiões reflexas, as manobras relaxamento poderão ser feitas
antes da técnica de Reflexoterapia ou também no ínicio, no fim ou entre uma
estimulação e outra, quando a pessoa estiver tensa ou sentindo dor, a fim de
relaxá-la e poder continuar o trabalho de estimulação.

1. Respiração com harmonia do Plexo Solar – Pressione com os


polegares o centro dos pés, próximo às almofadas superiores, e
empurre-os suavemente em direção ao paciente, ao mesmo tempo
em que ele inspira. Quando ele expirar, puxe os pés delicadamente
para você. Esta manobra trabalha simultaneamente os pés. Deve
ser feita no inicio e, se necessário, no final de cada sessão.

52
2. Soltando a Cintura Escapular – Coloque as palmas de suas mãos
em volta das laterais das articulações dos artelhos de um pé e, sem
muita pressão, faça movimentos rápidos de vai-e-vem alternando
as mãos. Repita no outro pé.

3. Soltando a Cintura pélvica – Coloque as palmas das mãos sobre


os maléolos (ossos laterais do tornozelo) e faça movimentos
rápidos de sobe e desce, alternando as mãos e fazendo com que o
pé balance solto, imitando o “rabo de um cachorro feliz”. Repita
no outro pé.

53
4. Alongando o tendão – Com a mão esquerda apoiada embaixo do
calcanhar do pé esquerdo, puxe-o alongando-o, enquanto a mão
direita, apoiada na almofada superior, faz um movimento de
rotação empurrando para frente e, sem eguida, para a lateral
externa, voltando à posição inicial e repetindo o movimento.
Inverta as mãos para trabalhar o outro pé.

5. Liberando a Cintura Pélvica – Faça pressão com a mão esquerda


(usando a curva entre o indicador e o polegar) contra a articulação
do tornozelo em direção aos maléolos do pé esquerdo, enquanto a
mão direita empurra o pé para a frente, e gire-o para fora numa
suave rotação. No momento em que o pé estiver indo para fora,
libere a pressão da mão esquerda, pressionando-a novamente
quando o pé estiver sendo empurrado para a frente. Inverta as mãos
para trabalhar o outro pé.

54
6. Tracionando a Musculatura do Pescoço – Com o indicador e o
médio dobrados como se fossem um “alicate”, puxe com uma
pressão média e faça uma suave rotação com o hálux. Repita no
outro pé.

7. Alongando a Musculatura do Pescoço – Com o indicador e o


polegar, puxe cada artelho com uma pressão média, em suave
rotação, como se fosse fazê-los estalar, sem que, necessariamente,
isso venha a acontecer. Massageie cada um dos artelhos e repita no
outro pé.

55
8. Liberando a Tensão da Cabeça e do Pescoço – Com os dedos entre
pos artelhos, junte-os com pressão, fazendo uma leve rotação, e,
sem abrir os dedos, deslize-os para fora doa artelhos. Repita no
outro pé.

9. Relaxando a Cabeça – Forme uma conchinha com a mão e


coloque-a sobre os artelhos, com suave rotação. Repita no outro pé.

10.Relaxando o Pulmão – Com as mão esquerda dando apoio sobre


o dorso do pé esquerdo e a mão direita fechada, empurre a almofada

56
superior suavemente até o limite da articulação, em movimento de
vai-e-vem. Inverta as mãos para trabalhar o outro pé.

11.Relaxando o Diafragma – Com a mão direita no dorso do pé


esquerdo, puxe-o contra o polegar da mão esquerda, que
pressionará e caminhará como “minhoca” na linha divisória da
almofada superior no sentido hálux para o 5º artelho, alternando
com movimentos de puxa e solta da mão direita (que faz a pressão).
Inverta as mãos para trabalhar o outro pé.

57
12.Soltando as Costelas – Segure as articulações paralelas do pé
com os polegares da almofada superior. Enquanto os dedos
apoiam as mesmas articulações no dorso do pé, faça movimentos
alternando uma articulação para cima e a outra para baixo.
Repetir em todas as articulações iniciando no hálux em direção ao
5º artelho. Repita no outro pé.

13.Relaxando as Costelas – Com os polegares na almofada superior,


caminhe com “minhoca” e, ao mesmo tempo, pressione os espaços
entre as articulações com intenção de separá-las. Use os outros
dedos no dorso apenas como apoio, sem nenhuma pressão. Repita
no outro pé.

58
14.Liberando as Vértebras da Coluna Vertebral – Com as mãos
juntas, segure a lateral interna do pé e inicie movimento de torção
para cima, para baixo e para cima com uma das mãos próxima aos
artelhos, enquanto a outra apenas segura o pé, dando apoio. Este
movimento em inicio próximo ao tornozelo e desliza com as mãos,
por sequencia de movimento, até os artelhos. Repita no outro pé.

15.Manobra do Abraço – Uma os dedos colocando as palmas das


mãos no dorso e na planta do pé como em um “abraço” e faça
movimentos rotacionais com as mãos, sem descruzar os dedos.
Repita no outro pé.

59

Você também pode gostar