Você está na página 1de 3

Questões tecido adiposo:

1-Quais as diferenças funcionais entre tecido gorduroso marrom e branco?


O tecido adiposo marrom (TAM) é especializado na produção de calor, regula a
temperatura corporal, porém está praticamente ausente em humanos adultos, sendo
encontrados em fetos de recém- nascidos.
Apresenta adipócitos, com 30-40um de diâmetro médio. Possui várias gotículas
de triglicerídeos de diferentes tamanhos, citoplasma relativamente abundante e
numerosas mitocôndrias. A coloração escurecida se da pela alta concentração de
citocromo oxidase das mitocôndrias. Essas mitocôndrias não possuem o complexo
enzimático necessário para a síntese de ATP e utilizam a energia liberada
principalmente dos ácidos graxos para a termogênese, produzindo o calor.
O tecido adiposo branco (TAB) tem papel relevante na preservação da
temperatura corporal, tem capacidade de armazenar energia e de fornecê-la quando
necessário. Seu adipócito é maior que o marrom, com média de 60-100um. Apresenta
uma capacidade funcional ampla e abrangente, apesar de não apresentar boa
participação na termogênese. Distribui-se por quase todo o organismo, região
subcutânea, órgãos e vísceras ocas da cavidade abdominal ou do mediastino e diversos
agrupamentos musculares. Sua função é fornecer proteção mecânica, amenizando o
impacto de choques.

2- Sumariza todas as adipocitas produzidas nos adipócitos e suas principais funções.


LEPTINA: A LEP é importante na regulação da balança energética, primeiro por que
em uma população de neurônios parvos – celulares, estimula a expressão de
neuropeptídios, que induzem a inibição da ingestão alimentar e aumento do gasto
energético total, neste caso envolvendo uma população de neurônios similares do núcleo
paraventricular (PV) que promovem aumento do tônico simpático. Segundo porque em
outra população de neurônios do ARC, inibe a expressão do neuropeptídeoY (NPY) e
peptídeo agouti (AGRP), envolvidos no aumento da ingestão alimentar e na redução do
gasto energético.
Ainda a LEP, modula a reprodução, a angiogênese, a resposta imune, o controle
da pressão sanguínea e a osteogênese. Também é necessário para a maturação do eixo
reprodutivo. Possíveis mutações do gene da LEP comprometem seriamente os ciclos
menstruais e não atuam Na gestação e na lactação.
Aumenta a produção de citocinas no sistema imune, além de estimular a
proliferação das células T, levando ao aumento da competência imunológica. Quanto ao
metabolismo lipídico, ativa a adenieciclase, aumenta a oxidação lipídica no músculo
esquelético e reduz a síntese de TAG no fígado.

FATOR DE NECROSE TUMORAL – a (TNF- a)


É uma citocina multifuncional, age diretamente em processos dependentes da
insulina, incluindo a homeostase do metabolismo de carboidratos e de lipídeos. Inibe
lipogênese e estimula lipólise. Sua expressão e secreção estão aumentadas na obesidade,
correlacionando-se positivamente com o índice de massa corporal (IMG). Em humanos
obesos, existe uma forte correlação inversa entre TNF-OF e metabolismo de glicose.
Também está envolvida na indução de aterogênese, participando da migração de
monócitos e de sua conversão em macrófagos na parede endotelial por meio da ativação
do fator nuclear K-B. ocorrendo mudanças inflamatórias na parede muscular.

ADIPONECTINA
A ADP apresenta função metabólica regulatória e sensibilizadora da insulina no
fígado e nos músculos atua como citocina anti-inflamatória e vasculho-protetora, além
de exercer importante fator cardioprotetor na presença da síndrome de isquemia e
reperfusão.

RESISTINA
Apresenta papel importante na resistência à insulina. Os níveis de resistina
aumentam na obesidade genética ou induzida por dieta, portanto estão ligados à
resistência insulínica associada à obesidade. Outra função é o bloqueio da ação central
da leptina, hormônio produzido pelo tecido adiposo, que induz a saciedade. A resistina é
uma proteína com propriedade pró-inflamatória.

IL-6
Tem efeito pró-inflamatório e ação no metabolismo de carboidratos e lipídeos,
promove a lipólise.

PAI-1
Promove a formação de trombos e ruptura e placas aterogênicas
VISFATINA
Predominante no TA Viceral desempenha um importante papel na regulação da
homeostase glicêmica ao se ligar ao receptor da insulina.

APELINA
Tem função relacionada a ingestão alimentar.

Você também pode gostar