Você está na página 1de 1

Tudo o que fazemos é politico. Se quiserem me acusar de qualquer coisa, sinto muito.

Não me
furto ao debate não só em horário de aula, mas dentro da sala mesmo. Sempre fiz isso.

Em 16/03/2016 08:45, "José Attayde" <cocattayde@gmail.com> escreveu:


Carlinhos, não só podemos como devemos pensar o Brasil dentro da universidade, mas todo
cuidado é pouco e foi isso que eu e Priscila alertamos! Pode parecer paranóia só que um
simples encontro para discutirmos a atual conjuntura politica em horário de aula pode ser
usado por alguém de má fé para dizer que estamos fazendo doutrinação politica partidária
dentro de uma instituição publica de ensino. Eu tenho minhas convicções políticas e adoro
debate-las com colegas professores e alunos amigos, mas nunca discuto politica em sala de
aula com alunos pois pode parecer para alguns assédio moral ou doutrinação ideológica. 

A coisa está caminhando de um jeito que existe até um projeto de lei em andamento que torna
crime qualquer tipo de doutrinação marxista em universidades, você sabia? Para qualquer
pessoa que se interesse por ciências sociais e nós ecólogos nos interessamos é simplesmente
impossível ignorar a critica contundente ao capitalismo feita por Marx no século XIX. Isso não
implica dizer que o cara estava certo em tudo, obviamente não estava, mas ele soube fazer
perguntas muito relevantes e sua teoria prediz que economias capitalistas são estruturalmente
instáveis. Ele acreditava que as flutuações de longo prazo nessas economias levariam a uma
superação da ordem capitalista. Todos sabemos que a utopia do sonho socialista de Max não
se realizou e provavelmente nunca se realizará. Também sabemos que ela foi totalmente
deformada pela experiência do comunismo das repúblicas ditas socialistas no século XX. Mas
muitas das criticas de Marx às economias capitalistas permanecem validas até hoje. No fundo
trata-se de um modelo que pressupõe que sistemas econômicos estão fora do equilibrio e não
tendem ao equilibrio de longo prazo como defendiam os economistas clássicos de seu tempo
(Smith, Ricardo e outros) e defendem os economistas neoclássicos até hoje, os assim
chamados ortodoxos. Enfim, a teoria de Marx é apenas uma dentre outras teorias cientificas
que fundamentam as Ciências Sociais, mas se este projeto de lei for aprovado, esta teoria não
poderá mais ser ensinada nas universidades pois será considerada (novamente) subversiva à
ordem politica e econômica. Não consigo imaginar uma coisa dessas em pleno século XXI ... é
como se alguém propusesse um projeto de lei proibindo a doutrinação Darwinista na
universidade por considera-la subversiva à ordem. Que retrocesso .... 

Todos sabem que a minha visão de mundo é uma visão de não-equillibrio, para mim sistemas
dinâmicos complexos e não lineares como são os sistemas ecológicos e sócio-econômicos
estão fora de qualquer ponto de equilibrio ou ciclo limite estável. Flutuam caoticamente dentro
de um atrator estranho dentre outros possiveis. Por isso eu me identifico com as teorias
econômicas de Keynes e Kalecki (este último fortemente influenciado por Marx) e defendo a
intervenção moderada do Estado na economia para manter estados mais desejáveis do ponto
de vista social e evitar os estados indesejáveis. Essas convicções me fazem um pensador de
esquerda, mas ser de esquerda hoje está virando (novamente) sinônimo de comunista,
bandido, safado, corrupto e essa perda da racionalidade do debate politico de hoje tem me
incomodado profundamente. A perda de racionalidade também é comum entre gente de
esquerda que prefere tapar o sol com a peneira e não ver que o PT palaciano traiu o próprio PT
de base para se manter no poder e prefere se sentir vitima injustiçada de "coxinhas" que
odeiam ver a ascenção social dos pobres e odeiam o Lula por ser nordestino e ter se tornado
presidente vindo de baixo da piramide social. É muita cegueira e irracionalidade juntas ...

Uma coisa é certa para mim: Dilma foi eleita democraticamente pela maioria do povo Brasileiro
(gostemos dela ou não) e não existe até agora nenhuma prova concreta de que ela está
envolvida com algum ato ilegal que possa incrimina-la e justificar o impeachment. Não
compactuo com esse movimento golpista que se instalou no Brasil e irei nesta sexta dia 18/03
novamente protestar na rua contra o golpe e em defesa da nossa jovem e sofrida democracia! 

Um abraço, 
Coca