Você está na página 1de 2

Perguntas TGD

1.Indique quais são as fontes do direito admitidas no nosso ordenamento jurídico


apontando se existe hierarquia entre as mesmas.

Fontes formais e não-formais; fontes formais: a principal fonte de direito é a lei, se,
através dela não for possível aplicar o direito recorre-se à analogia, costumes e
princípios gerais do direito (art. 4º da LICC); leis não-formais: auxiliam na busca da
aplicação do direito através da doutrina e da jurisprudência.

2.O direito do trabalho é considerado direito público ou privado? Fundamente.

O direito do trabalho pode ser considerado tanto parte do direito privado como do
direito público. No primeiro caso porque a relação que acontece no direito trabalhista
tem um caráter contratual, ou seja, é uma relação jurídica que acontece entre
particulares; no segundo caso se afirma que o direito do trabalho não se confina à
organização das relações individuais de emprego, pois se estende às relações coletivas
de trabalho.

3.Distinga os conceitos de direito subjetivo e direito objetivo.

Direito subjetivo é a possibilidade que a norma dá de um indivíduo exercer determinada


conduta descrita na lei. (EX: se uma pessoa te deve um valor em dinheiro, a lei te
concede o direito de cobrar a divida por meio de um processo judicial de execução) e,
Direito objetivo são os normas e leis que nos são impostas (EX: é proibido matar
alguém).

4.O que é vacation legis?

O período de tempo que decorre entre o dia da publicação de uma lei e o dia em que ela
entra em vigor (45 dias)

5.No plano da eficácia, explique se há efeito repristinatório das leis no direito


brasileiro?

Não há efeito repristinatório das leis no Brasil, ou seja, uma lei A é revogada por uma
lei B que posteriormente é revogada por uma lei C, quando isso acontece a lei A volta q
entrar em vigor, essa ação não é permitida no Brasil, salvo, se a lei revogadora (C)
conter expressamente declarado que a lei A voltará a entrar em vigor.

6.Explique se as leis brasileiras podem surtir efeitos extraterritorialmente.

Podem surtir efeito extraterritorial mas vai depender dos indivíduos envolvidos e da lei
do país do exterior (Aplica-se a lei em estado de guerra, questões diplomáticas, por
motivos de soberania, dentre outros).

7.Explique se houve unificação do direito civil e do direito empresarial no direito


brasileiro.

Houve uma unificação parcial (moderados) do direito civil com o direito empresarial no
qual defendem-se os direitos de obrigação.
8.A lei, no ponto de vista estático, pode conter lacunas. Indique se esta afirmação está
correta. Fundamente.

Sim, as lacunas da lei são uma previsão intencional do legislador e têm a finalidade de
generalizar sua aplicação, devido a impossibilidade de prever todas as situações
presentes e futuras.

9.Explique quais as modalidades de revogação da lei.

Revogação expressa: a lei indica o que está sendo revogado; Revogação tácita: a norma
revogadora é implícita e a revogação resulta da incompatibilidade entre as normas. Ex:
revogam-se as disposições em contrário; Revogação de fato: Quando a norma cai em
desuso; Revogação total (ab-rogação): a lei posterior/superior revoga todo o diploma
anterior/inferior. A lei toda desaparece, mediante a publicação de uma nova lei;
Revogação parcial (derrogação): norma posterior/superior, revoga parcialmente a outra
norma. Há supressão de trechos de seu texto.

10.Explique porque as leis, normalmente, possuem caráter permanente.

Isso acontece porque as leis são criadas e não possuem uma data de validade, uma lei
vigora até que uma nova lei entre em vigor e revogue a outra.

11.Explique qual foi o modelo de codificação adotado pelo atual código civil brasileiro.

O código civil brasileiro se baseia no modelo Germânico que se divide em duas partes:
parte geral que literalmente cuida das regras jurídicas que nos são impostas em geral e,
parte especial que se divide em obrigações, coisas, família e sucessões.

12.Indique quais são os antecedentes históricos do atual código civil, isto é, quais
legislações vigoraram no território nacional ao longo dos tempos.

De 1521 a 1603 vigoraram as Ordenações Manuelinas: atendiam mais ao interesse da


realeza do que os das outras instituições, fortalecendo o poder absoluto do império.
A partir de 1603 foram promulgadas as Ordenações Filipinas: seguiram os métodos e as
sistematizações manuelinas (com a independência do Brasil e a proclamação da
república foi previsto um novo CC que só veio a entrar em vigor em 1916).
.