Você está na página 1de 76

CANNABIS

AUTO-CULTIVO

COMO SE TORNAR
AUTO-SUSTENTÁVEL
PRIMEIRAS
CONSIDERAÇÕES

Esse e book foi desenvolvido com o intuito

de auxiliar pessoas no cultivo de cannabis,

este podendo ser utilizado para mera

pesquisa cientifica, ou por aqueles que tem

HC para uso Medicinal.

O Autor  não é responsável pelo mal uso do

material, não fazemos apologia ao uso de

drogas, nem compactuamos com qualquer

tipo de VENDA, este fato sendo altamente

repudiado, inclusive sendo intuito do e-

book, para que usuários cultivem seu

próprio suprimento, não mais do que

necessário para seu uso pessoal,como

consta no ART.28 podendo assim de

alguma forma IMPACTAR e ENFRAQUECER

o MERCADO ILEGAL.

No mais desejamos uma boa leitura e bom

proveito do conhecimento aqui contido.


AVISOS
LEGAIS
A divulgação de material e luta pela legalização da

cannabis é um Direito Constitucional Protegido por uma

decisão do Supremo Tribunal Federal -ADPF 187.

A divulgação deste material é protegida pela lei de

DIREITO a EXPRESSÃO.

Voto do Min. Celso de Mello quanto a marcha da

maconha, que tambem se aplica em todo material de

divulgação sobre o assunto Cannabis:

Declaração de Chapultepec revela-nos que nada mais

nocivo, nada mais perigoso do que a pretensão do Estado

de regular a liberdade de expressão ( ou de

ilegitimamente interferir em seu exercício), pois o

pensamento há de ser livre permanentemente livre ,

essencialmente livre , sempre livre !!!

O cultivo doméstico é um ATO de DESOBEDIÊNCIA § 1º Às mesmas medidas


CIVIL, e Apesar de não muito divulgado pelo submete-se quem, para seu
ESTADO, o ART. 28 que se refere ao usuário ainda
consumo pessoal, semeia,
em vigor também estabelece que o cultivo para uso
cultiva ou colhe plantas
PESSOAL , não é punível de privação de LIBERDADE
e sim, Sujeito a penas ALTERNATIVAS como segue a destinadas à preparação de
baixo. pequena quantidade de
substância ou produto capaz de
Art. 28. Quem adquirir, guardar, tiver em depósito, causar dependência física ou
transportar ou trouxer consigo, para consumo
psíquica.
pessoal, drogas sem autorização ou em desacordo

com determinação legal ou regulamentar será

submetido às seguintes penas:

I - advertência sobre os efeitos das drogas;

II - prestação de serviços à comunidade;

III - medida educativa de comparecimento a

programa ou curso educativo.


SUMÁRIO

Origem da Cannabis

Cannabis na História e no Brasil

Legalização

Tipos de Cannabis

Insumo e Equipamento no Cultivo:

1. Substratos

2. Nutrientes

3. Medidores

4. Iluminação e Ventilação

5. Monte seu Grow

Etapas do Cultivo de Cannabis

1. Germinação

2. Vegetativo

3. Floração

4. Colheita

5. Secagem

6. Cura

7. Armazenamento
ORIGEM
Cannabis,  possuí seu primeiro registro em 12.000 a.C. Entretanto,

novas pesquisas do Vegetation History and Archaeobotany

apontam segundo o artigo, que a cannabisteve  sua origem precisa

pelos lados do Planalto do Tibete (asia central), próximo ao Lago

Qinghai, uma parte especial do planeta. Depois de surgir por ali,

os estudiosos apontam que a cannabis deve ter espalhado primeiro

para a Rússia e Europa, há pelo menos 6 milhões de anos. E

também para o leste, atravessando a China, há cerca de 1,2

milhão de anos. Para os pesquisadores, esse foi o roteiro que as

sementes de cannabis fizeram para ganhar toda Eurásia.

Na mitologia, a Cannabis era a comida preferida do deus Shiva,

portanto, tomar bhang, uma bebida que contém cannabis, seria

uma forma de se aproximar da divindade. Na tradição Mahayana

do budismo, fala-se que antes de Buda alcançar a iluminação,

ficou seis dias comendo apenas uma semente de maconha por dia

e nada mais. Como medicamento a planta era usada para curar

prisão de ventre, cólicas menstruais, malária, reumatismos e até

dores de ouvido.

Romanos e gregos usavam-na para a fabricação de tecidos,

papéis, cordas, palitos e óleo. Heródoto, o pai da História,

menciona a utilização do cânhamo (presente no caule da

cannabis), para fazer cordas e velas de navios. Inclusive, é bom

mencionar o quão presente esta planta esteve na formação do

Brasil, pois as velas e cordas das caravelas portuguesas que aqui

chegaram também eram feitas de cânhamo, assim como muitas

vestimentas dos portugueses. 

O cultivo da cannabis se expandiu da Índia para a Mesopotâmia,

depois Oriente Médio, Ásia, Europa e África.

Na renascença a cannabis tornou-se um dos principais produtos

agrícolas europeus, ainda sendo pouco usada como

A primeira Bíblia impressa


entorpecente. Johannes Gutemberg, inventor e gráfico alemão,

da história usou Cannabis


teve sua maior e mais famosa obra A Bíblia de Gutemberg, a

como matéria prima.


primeira Bília impressa, feita com papel de cânhamo. Irônico,

não?! Com a "Santa Inquisição", os católicos passaram a condenar

o uso medicinal da maconha feito por "bruxas", estas por sua vez

foram queimadas por usarem a planta no feitio de remédios.


CANNABIS
NA HISTÓRIA
E NO BRASIL
No final do século XIX, a cannabis virou moda entre os artistas

e escritores franceses, mas era também utilizada como

fármaco para dilatar brônquios e curar dores. Dentre

os intelectuais que faziam o uso, podemos citar: Eugene

Delacroix, Victor Hugo, Charles Buadelaire, Honoré de Balzac e

Alexandre Dumas. Eles se reuniam para fumar haxixe e

pesquisavam sobre o efeito da droga no tratamento de

doenças mentais. Nessa época o Brasil vendia cigarros de

cannabis em farmácias!

A cannabis foi trazida para a América do Sul pelos

colonizadores e as primeiras plantações foram feitas no Chile,

por espanhóis. No Brasil, como já citei, além das caravelas,

durante o século XVI os escravos africanos traziam-na

escondida na barra dos vestidos e das tangas, para que

fossem usadas em rituais de Candomblé. Vale lembrar que a

afirmativa de que a planta tenha sido trazida por africanos

muitas vezes repercutiu como forma de preconceito, e nada

prova que ela não possa ter sido trazida por marinheiros

portugueses também. Inclusive o uso de cachimbos d'àgua,

principal técnica utilizada para fumar a erva até a primeira

metade do século XX, teria sido introduzida pelos portugueses,

estes por sua vez haviam trazido o hábito das culturas

canábicas com as quais tiveram contato na Índia,

principalmente na nossa boa e velha Goa!


Em 1783, o Império Lusitano instalou no Brasil a Real Feitoria do

Linho-cânhamo (RFLC), uma importante iniciativa oficial de

cultivo de cannabis com fins comerciais por causa da

demanda de produtos a base de fibras. Segundo historiadores

e pesquisadores estudiosos da área, há inúmeros indícios de

que Portugal investiu alto na plantação de cannabis no Brasil.

Para que isso ocorresse, a Coroa financiou não só a

introdução, mas também a adaptação climática da espécie

em Hortas de estados como o Pará, Amazônia, Maranhão, Rio

Grande do Sul, Rio de Janeiro e Bahia.

Feitoria Linho-Canhâmo - São Leopoldo - RS

Uma História Abandonada a iniciativa estatal de cultivar

Cannabis sativa no RS para produzir fibra têxtil durou 41 anos,

mas é tida pela historiografia geral como um fracasso. O

linho-Cânhamo enviado à Coroa nunca foi suficiente a ponto

de compensar o investimento feito. Houve várias causas, como

solos impróprios, erros administrativos e a instabilidade política

fruto da guerra com a Espanha. Mas Renata Finkler se alia à

tese do pesquisador Maximiliano Menz: “Ele acredita que

houve problemas, mas que a Feitoria provavelmente acabou

por causa dos escravos terem uma autonomia relativa”.

Segundo pesquisas de Menz, os negros souberam usar as

falhas estruturais a seu favor, inviabilizando a monocultura do

cânhamo gaúcho. A Feitoria foi desativada em março e, em

25\07\1824, sua sede recebeu os primeiros imigrantes

alemães que chegaram no Brasil. Por causa disso, essa é a

data da fundação de São Leopoldo, cidade que, como

Canguçu, foi erguida ao redor de um cultivo estatal de

cannabis. A recente repressão à Cannabis transformou o fato

em um tabu que adquiriu contornos racistas em um reduto

alemão: “São Leopoldo por muito negou seu passado negro”.


INICIO DE UMA
GUERRA
No século XX, a cannabis ainda era uma droga lícita e

economicamente positiva, mas se tornou pouco aceita por

representar as baixas classes sociais, pois a erva representava

as raízes culturais do continente africano. Vale destacar que

até então, colonizadores, senhores de engenho e Agentes do

Império Lusitano já estavam habituados com o cultivo e uso da

erva, mas o preconceito foi mais forte.

O primeiro documento proibindo o uso da maconha foi da

Câmara Municipal do Rio de Janeiro, em 1830. Este documento

penalizava o uso da erva, mas não houve repercussão sobre o

assunto. Porém, no inicio do século XX, com a industrialização

e urbanização, o hábito de "puxar um" ganha adeptos, além

de ex-escravos, mestiços, índios e imigrantes rurais, os

moradores do meios urbanos passaram a utilizar a Cannabis, e

é aí que autoridades começam a se preocupar com a

repercussão da droga. Apesar da planta ser utilizada como

matéria-prima para fibra textil principalmente da elite, sua

imagem ficou marcada e associada pelos pobres, negros e

indígenas. No final do século XIX e inicio do XX, o processo de

urbanização fez com que a população imigrante fosse vista

como fonte de problema sanitário. Grupos higienistas e

médicos  passaram a estudar e controlar a população através

de instituições específicas. Criaram-se delegacias, Inspetoria

de Entorpecentes, Tóxicos e Mistificações, que era responsável

por reprimir práticas religiosas africanas ou indígenas, em

geral, consideradas como feitiçaria, candomblé ou magia

negra. A capital brasileira tinha que servir de modelo, e desta

forma a população pobre que vivia nos centros urbanos

passaram e ser perseguidas, tiveram suas casas e cortiços

destruidos, passaram assim dos centros para as margens da

cidade, formando as famosas favelas do Rio de Janeiro.


Começa uma proibição baseada em

preconceitos raciais
Um fato curioso não confirmado: em 1924 o repudio contra a

cannabis piorou, e querem saber o pior? O culpado disso tudo

foi um brasileiro! Durante uma reunião da Liga das Nações

(antecessora da ONU), governantes estavam reunidos para

discutir sobre o ópio, porém, o colega brasileiro aproveitou o

momento para fazer um discurso sobre a cannabis, afirmando

que a droga matava mais que o ópio. Pode isso?! E foi desta

forma que a cannabis entrou na lista das substâncias passíveis

de punição. Já com a ONU formada, em 1961, a cannabis, junto

com a heroína, foram consideradas as drogas mais perigosas e

nocivas. Porém, são justamente os anos 60, do Movimento

Hippie, que fizeram as drogas serem mais difundidas e vistas

como combustível criativo.

Foi um plano maléfico visando interesses econômicos e sociais

como forma de controlar uma parcela da população.

Mas atualmente fica cada vez mais obvio que a PROIBIÇÃO

traz mais problemas que benefícios.

Precisamos lutar para que ela tome seu lugar de direito como

tantas outras plantas, não vou dizer que é algo fácil, pois

estamos lutando com os grandes tubarões que são

beneficiados por esse sistema, como industria farmacêutica,

industria do álcool, cigarro, e políticos.

A cannabis vai revolucionar e mexer em todos os setores

existentes, afinal se pode produzir mais de 25 mil produtos a

partir da planta. Uma das plantas mais versáteis desse

planeta, a proibição é criminosa e um total desrespeito com

nossa própria história como humanos e com nossos ancestrais

que a cultivaram por séculos.


LEGALIZAÇÃO

Como podemos ver, a proibição foi um grande equivoco, e que

alguns países já começam a voltar atras, como Uruguay,

Canadá, vários estados dos EUA, inclusive vários países da

América do sul como Colômbia, Chile, entre muitos outros, a

cada ano a lista não para de crescer comprovando o enorme

erro que foi a Guerra as drogas. Tudo que você proíbe acaba

gerando problemas, as pessoas esqueceram mas vamos

relembrar, o Álcool, o Café e ate quele Chimarrão já foram

proibidos. Proibição nunca será a solução, é necessário

informação e educação. Deixaram as pessoas mergulhadas na

ignorância criaram consequências desastrosas, ainda teremos

muito trabalho a fazer, para desfazer todas as mentiras e

pânicos que foram instaurados sobre uma planta que sempre

esteve com o ser humano desde os primórdios da vida.

Mapa referente ao uso a nivel global.

Somos 181.8 Milhoes de usuarios. Um mercado desse porte

não acaba assim, o mercado já esta criado, basta regular.


ESPÉCIES DE
CANNABIS
SATIVA , INDICA E
RUDERALIS
Cannabis Sativa L. : Regra geral, as Sativas são originárias das
regiões equatoriais (Tailândia, sul da Índia, Jamaica, México,

etc.).

Cannabis Indica L. : A maioria das variedades Indica provém


da Ásia Central e do subcontinente indiano (Afeganistão,

Paquistão, norte da Índia, Tibete, Nepal, etc.)

Cannabis Ruderalis : é uma espécie do gênero Cannabis


originária da Ásia Central e Rússia. Floresce mais cedo que a C.

indica e a C. sativa e não cresce tanto em altura, suportando

climas mais rigorosos do que qualquer das outras espécies.

Diferença entre Sativa e Indica


Aspecto Físico:As Indicas são mais compactas e resistentes, com
botões densos, pesados e aromáticos.As plantas de canábis

produzem nós em intervalos regulares ao longo das suas hastes e é

nestes nós que as folhas, os ramos e as flores (botões) se formam.

Os botões da Indica tendem a crescer em aglomerados densos em

torno dos nós na haste e nos ramos, com espaçamentos muito

curtos (conhecidos como espaços entrenós) entre cada

aglomerado.

Nas mesmas condições, as Sativas crescem mais do que as


Indicas.Os botões da Sativa tendem a crescer mais do que os da

Indica, uma vez que crescem ao longo do ramo em vez de se

aglomerarem em torno dos nós. Contudo, secos pesam menos do

que os da Indica, devido à sua baixa densidade.Os botões da

Sativa tendem a ter um odor menos forte, tanto durante o

crescimento como depois de secos.


CARACTERÍSTICAS
NO CULTIVO
As Indicas são as variedades com a floração mais rápida, que

normalmente vai de 45 a 60 dias.

Uma grande diferença entre as Indicas e as Sativas é que as

Sativas demoram mais a florir, necessitando entre 60 a 90 dias.

No entanto, o tempo de crescimento vegetativo antes de florirem é

menor do que nas Indicas, pelo que o tempo total necessário às

Sativas é mais ou menos o mesmo do que o das Indicas (e por

vezes menos em termos de “horas de luz”).

Cannabis Ruderalis, tem


Assim que a floração tem início, as Indicas ganham altura com
quantidades baixas de Thc, mas
grande rapidez, mas, em circunstâncias normais, o crescimento é
devido as suas propriedades de
controlado.
não ser foto-dependente é

Em princípio, uma Indica cresce 50 a 100% da sua altura vegetativa


utilizada mundialmente para

durante o período de floração. cruzamentos por se tornar a

Em regiões tropicais, os dias tendem a ser curtos, cerca de 12 cannabis auto-florescente

horas ao longo de todo o ano, pelo que as Sativas se adaptaram a

crescer e florir ao mesmo tempo, em vez de ter períodos distintos,

como as Indicas.

Num ciclo de florescimento interior 12/12, as Sativas crescem e

florescem ao mesmo tempo, tal como fariam no seu ambiente

nativo.

O crescimento em altura das Sativas durante a floração é muito

rápido e é comum prolongar-se para além desta fase. É normal as

Sativas ganharem 200 a 300% (ou até mais) da sua altura

vegetativa durante a floração.

Cannabis Hybrida
A cannabis Hibrida nada

mais é do que o cruzamento

entre as esécies existentes,

selecionando as

caracteristicas desejadas,

combinando assim sua

estrutura e efeitos

Crescimento ao entrar em floração


EFEITOS
Indica x Sativa

INDICAS
O efeito da Indica é geralmente classificado como 

“profunda" ou seja, concentra-se mais no corpo.

Pode intensificar determinadas sensações físicas, tais como o

gosto, o tacto e o som.

O efeito da Indica é conhecido por ser relaxante – mental e

físico, em grandes doses, pode ter um efeito sonífero.

SATIVAS
Apesar do seu baixo peso e tempo de floração

potencialmente mais longo, as Sativas são apreciadas por

muitos cultivadores pelo seu efeito “eufórico”.

Este efeito “eufórico” pode ser caracterizado como cerebral,

enérgico, criativo, risonho ou até mesmo psicadélico. Portanto

as sativas são menos propensas a dar sono ao usuário do que

na Indica.

Comparativo das flores


Indica x Sativa x Hybrida
CULTIVANDO
CANNABIS

Agora que já vimos a origem, um pouco de história e como

chegamos até aqui, nossas motivações para um mundo melhor,

chegou o momento que tanto esperavam, hora de por a mão

na terra, mas antes de irmos ao que interessa, precisamos

conhecer alguns conceitos básicos do cultivo e da planta que

serão fundamentais para cultivar.

Aquelas perguntinhas básicas:

O que é cotilédones?

Minha planta é macho ou fêmea?

O que é Vegetação?

O que é floração?

Como funciona o Foto-período ?

São Conceitos básicos que precisam ser compreendidos para

darmos prosseguimento.
SEMENTE
Tudo começa pela semente, sem semente nao existe cultivo,

então vamos enteder um pouco o que há na semente de

cannabis.

A semente carrega toda a potencialidade da planta que irá se

tornar,Dentro da semente está tudo que ela precisa para seu

primeiro passo para a vida.

Radícula (Radicle) - é o inicio da raiz, é a parte que faz a

primeira abertura da semente quando se fornece temperatura

e umidade corretas para germinação.

As sementes devem ser


Os cotilédones são aquelas primeiras folhas que vão sair após
armazenadas em um local

ela germinar, que são arredondadas, essas folhas servem


que não tenha oscilação de

como fonte de energia para planta enquanto ela não faz temperatura e umidade, por

que isso queima a energia


fotossíntese ainda, até que saiam as primeiras folhas

necessária para germinação.


serrilhadas esta será a fonte de energia da planta.
Armazenando corretamente

a duração da semente varia

de 5 a 10 anos.
MACHO OU
FEMÊA ?
Talvez essa seja a pergunta mais questionada por aqueles que

estão tendo seu primeiro contato com o cultivo de cannabis.

Como sei se minha planta é macho ou fêmea?

Apesar de alguns falarem em numero de folhas e tamanhos,

esqueça tudo isso, não existe base nenhuma para saber o

gênero de sua planta por essas características.

Se você tirou sementes do prensadinho, suas sementes são

regulares com uma probabilidade 50/50, a menos que você

tenha adquirido sementes feminizadas, ou auto-florescentes.

Você só vai saber o gênero da planta quando ela entrar em

floração ou seja em um foto-período 12h/12h (luz/escuro)

Em um estudo mais avançado falaremos melhor sobre

produção de sementes fêmeas, genótipos e fenótipos.

Mas por enquanto vamos nos atentar a dominar os conceitos

basicos.

Para identificar a planta

fêmea voce deve visualizar

os PISTILOS, esses fios

translucidos que sai do

entre nó na planta.

Esta é a confirmação que

sua planta é Femêa.

Planta macho você Existe um terceiro caso,

encontrara sacos de que é quando sua planta

pólen. apresenta os dois gêneros,

Machos não dão muitas vezes devido algum

semente, eles apenas stress ela se torna

carregam o pólen que hermafrodita.

poliniza as fêmeas.

Somente a fêmea gera

as flores com o

psicoativo e tambem

gera sementes
CICLOS DA
CANNABIS
O que é Foto-periodo ?

Para entender esse termo, devemos lembrar que na natureza

a planta tem ciclos, onde é germinada no inicio da primavera,

período no qual temos mais horas de luz do sol em média 18h

luz e 6h escuridão, período para planta chamado de

VEGETATIVO o que teremos que fazer é replicar essas

condições no cultivo indoor para que ela possa crescer.

Quando chega o verão para outono o ciclo de horas luz,

começa a mudar, então temos 12h luz, 12h de escuridão esse

período para planta é o chamado de FLORAÇÃO, então mais

uma vez para obter as flores da planta, precisamos replicar

esse ciclo 12/12 para ela florescer e finalizar o seu ciclo.

Com esse sistema de foto-período no cultivo indoor

você decide o momento que deseja vegetar ou florir, exceto

em plantas auto-florescentes da qual são cruzas com espécies

Ruderalis, que tem característica de não depender do foto-

período devido a serem originárias de regiões da terra onde

não tem ciclos completos de sol como ocidente.

Foto-Periodo - 18/6 Foto-Periodo - 12/12


INSUMOS E
EQUIPAMENTOS
NO CULTIVO
Vamos falar dos insumos e equipamentos necessários para

começar seu cultivo, no caso de você cultivar outdoor, pode

ignorar a sessão sobre ventilação e iluminação, porem é de

extrema importância que saiba os conceitos de um bom

substrato e uma boa alimentação, seja qual for o sistema de

cultivo

SUBSTRATO
Substrato é um dos fatores mais importantes, pois afinal sua

planta vai passar o ciclo todo neste solo, então é muito

importante que você se dedique a essa parte, pois não tem

como ficar mudando de solo a todo momento.

É no substrato que vão estar o alimento dela, e suas raízes que

sustentam a planta inteira. Lembre - se quanto mais raízes e

mais saudáveis, maior a planta e a qualidade das flores.

Mas então o que se enquadra como um SUBSTRATO bom? O

substrato precisa ter algumas características que vão facilitar

a vida da planta, como aeração (ter oxigênio nas raízes), para

facilitar a expansão das raízes, ter uma granulagem leve,

poder de retenção de líquidos, para que segure a água e os

nutrientes por mais tempo, ao mesmo tempo que tenha uma

boa drenagem para não apodrecer as raízes com excesso de

umidade.

sabe aquela terra comum de floricultura, por favor esqueça

aquilo, normalmente é uma terra pesada, que não deixa água

penetrar, nao retem liquido, vira quase uma argila ao decorrer Esses são exemplos de solos que

do uso, isso dificulta muito o trabalho para as raizes. não vamos querer em nosso jardim.

Terra pesada,compactada e

extremamente úmida.
SUBSTRATO
Vamos conhecer os componentes que compõe um bom

substrato.

SUBSTRATOS INERTES

O substrato inerte contém níveis mínimos (ou nenhum) de

nutrientes. Ele auxilia no aumento da drenagem do solo e

retém o oxigênio.

Pó da Fibra de Coco- Feito  a partir da casca do coco.

Possui uma boa retenção de água. Auxilia na ramificação das

raízes das plantas e também na aeração da terra. Atenção em

caso de utilizar esse substrato, utilize de marcas conceituadas

que fazem a lavagem da fibra para tirar o salinização do

substrato.

Perlita Expandida
Perlita

A perlita é um produto de origem vulcânica e pode ser

encontrada somente em algumas regiões do mundo. A

característica que a difere dos demais minerais vulcânicos é a

capacidade de expandir-se, quando aquecida a altas

temperaturas, de quatro a vinte vezes seu volume original.

Quando a PERLITA moída é aquecida a mais de 900°C, se

expande de maneira similar a pipoca. Este fenômeno se deve

a presença de água retida dentro do mineral cru. A água Pó de Fibra de Coco

contida na perlita se evapora durante o processo de

aquecimento, formando uma infinidade de pequenas bolhas

de ar seladas e conectadas entre si. Este fenômeno, faz da

perlita, um produto de baixíssimo peso com excelentes

propriedades físicas.Excelente para drenagem de água já que

mais da metade de sua composição contém oxigênio. Uma

ótima pedida é seu uso junto com o pó de coco ou turfa para

criar espaços de ar no solo.


Muitos desses substratos

são ótimos para começar

o seu cultivo, porém

Turfa - é encontrada em regiões pantanosas. A turfa substratos INERTES não

consegue reter até 20 vezes o seu peso em água, diminuindo o contem alimentos para

número de regas. plantas, sendo que voce

vai ter que inserir tudo que


Mas fique de olho pois ela tende a deixar o pH ácido.
elas precisam para se

alimentar, com ferts ou

Vermiculita - Sua origem vem dos minerais basálticos. compostos orgânicos, por

Conseguindo reter até 5 vezes o seu peso em água, assim isso aconselho montar um

como a fibra de coco, é excelente para aeração e retenção solo mais orgânico,

fazendo mix com humus e


de água.
outros componemtes que

tenham alimentos. Vou

Húmus - é um composto orgânico feito da decomposição de citar abaixo alguns

diversos organismos e pode ser acelerado com o auxílio de exemplos que vão ajudar

para seu solo ficar mais


minhocas.

nutrido.
Quando formado, libera muitos nutrientes, dentre eles

principalmente o nitrogênio. Muito utilizado para preparação

do solo.

Turfa 

Vermiculita

Guano de Morcego

Húmus

Farinha de casca de ovos


NUTRIENTES

Ao decorrer das diferentes fases do cultivo de cannabis, as

plantas tem necessidades distintas de certos nutrientes, assim

como podem acontecer travamentos no desenvolvimento, é

essencial que você identifique e os solucione em tempo hábil

para que isso não comprometa seu rendimento.

Existem três categorias de nutrientes necessários para as

plantas de cannabis:

Macro nutrientes: eles são fundamentais para um

desenvolvimento correto das plantas são aqueles necessários

em maior quantidade.

Nutrientes secundários: são essenciais para um

desenvolvimento correto da planta e os requer em grande

quantidade.

Micro nutrientes: são fundamentais para a vida das plantas,

uma vez que intervêm na fotossíntese e outras funções vitais.

Estes tipos de nutrientes são necessários em menor

quantidade.
MACRO
NUTRIENTES
NITROGÊNIO:

Carência: Crescimento mais lento, perda de vigor.


Amarelamento das folhas mais antigas e da parte inferior que

se estende por toda a planta, desfoliação ou perda de folhas,

caule vermelho.

É importante não confundir amarelecimento e desfolhação

com o estágio avançado de floração em que é normal que isso

aconteça, as plantas precisam de mais nitrogênio na fase de

crescimento e é mais comum que essa deficiência ocorra

durante esta fase.

Excesso: Folhas verdes escuras, folhas em forma de garra


apontando para baixo, plantas espiantes com hastes e ramos

frágeis e quebradiços.

 FÓSFORO:

Carência: Crescimento mais lento e mais fraco, folhas verdes


azuladas, nervos roxos. Deixa as pontas mais escuras e baixas,

folhas com necrose (manchas escuras), desfoliação.

Excesso: O excesso de fósforo é difícil de detectar, uma vez


que se manifesta ao bloquear a absorção de outros nutrientes,

como cálcio, magnésio, cobre, ferro e zinco e é muito fácil

causar confusão com a falta de qualquer desses elementos.

POTÁSSIO

Carência: Cor verde escuro das folhas, folhas com necrose,


especialmente na parte inferior da planta, as pontas das

folhas queimam e se enrolam até que finalmente morram.-

Ramos fracos e quebradiços. Com a falta de potássio, as

plantas são mais propensas a doenças e fungos.

Excesso:Tal como acontece com o fósforo, uma sobre


fertilização de potássio é difícil de detectar, pois se manifesta

ao bloquear a absorção de outros nutrientes, como ferro,

magnésio, manganês e zinco, e pode ser confundida com a

falta de alguns desses nutrientes.


ELEMENTOS
SECUNDÁRIOS
MAGNÉSIO

Carência: Clorose (perda de cor verde) entre os nervos das


folhas. Manchas amarelas ou marrons nas folhas, as folhas se

mostram giradas para cima, desfoliação.

Excesso: Bloqueio de outros nutrientes

CÁLCIO

Carência: Crescimento lento e fraco da planta, manchas


amarelas com bordas marrons nas folhas.

Excesso:Bloqueio de outros nutrientes

ENXOFRE

Carência: Folhas amarelas com nervos verdes, pés das folhas


com um tom roxo.
MICRO
ELEMENTOS
FERRO

Carência: Clorose geral nas folhas, em primeiro lugar, inter


veias e depois geral desfoliação, as plantas com estresse são

mais propensas a sofrer deste tipo de carência. 

Excesso: Clorose generalizada

ZINCO

Carência: Clorose nas pontas ou entre os nervos das folhas.


Crescimento lento folhas mais longas e menor distância inter

nodal deformidade das folhas

Excesso: Um excesso de zinco pode causar a morte da planta,


uma vez que o zinco possui uma alta toxicidade.

MANGANÉSIO

Carência: Crescimento mais lento folhas amarelas, começam


da borda em direção ao centro.

BORO

Carência: Queimaduras (manchas marrons) em novos brotos


Excesso: Necrose nas folhas desfoliação

MOLIBDÊNIO

Carência:-Amarelamento inter reta das folhas-Necrose e


desfoliação Inibição da floração

Excesso:-Carga de cobre e zinco

COBRE

Carência: Necrose em novos brotos, clorose nas folhas

CLORO

Carga e excesso: Cor de bronze nas folhas é muito incomum


que a carência de cloro exista em nossas plantas, uma vez que

é encontrada na água e na terra.


A planta sempre vai demonstrar seus excessos e deficiencias

pelas folhas, por isso é importante observar e estar atento.


MEDIDOR DE PH

Controlar o PH e a eletro condutividade da água e do

substrato é fundamental ao realizar nosso cultivo.

Muitas vezes, os cultivadores se concentram em fertilizantes e

acabam negligenciando esses parâmetros.

É essencial controlar o PH e EC, pois a alimentação das

plantas depende da absorção correta dos nutrientes, esses

parâmetros nos ajudam a controlar os alimentos que estamos

fornecendo às nossas plantas de forma precisa. Assim como

deficiência de nutrientes pode ser causada devido ao PH não

estar regulado corretamente.

O que é o PH ?O PH ou Potencial de Hidrogênio é uma medida da Caso contrário, a planta não

acidez ou alcalinidade de uma substância, que é baseada na absorverá os nutrientes

necessários e seus processos


quantidade de íons de hidrogênio presentes. Quando há uma alta

vitais serão paralisados. Para


concentração de íons hidrogênio é ácido, ao contrário, quando a

que isso não aconteça, os


concentração é baixa, diremos que é uma substância alcalina. 

valores de pH, tanto da água


O pH da água de irrigação e do substrato deve ser mantido dentro de
de irrigação como da
certos valores, pois isso permitirá que a planta absorva corretamente
substrato, têm que ficar
os nutrientes e não os bloqueie.
dentro de alguns valores
O PH é medido em uma escala de 0 a 14, sendo 0 o valor com maior
determinados, pois isso nos
acidez e 14 o mais alcalino. Cada vez que o pH é alterado para um
permitirá que a planta
ponto completo, a alcalinidade ou acidez se multiplica por dez. De
absorva corretamente os
fato, se, por exemplo, uma água ou um solo tivessem um pH de 5, sua
nutrientes e não os bloqueie.
acidez seria dez vezes maior que outra que tivesse um pH de 6.

Portanto, se a água tiver 5 pontos, sua acidez é cem vezes maior que

outra água que tem um 7.Portanto, destaque que uma diferença que

é multiplicada por dez em cada ponto da escala merece um controle

muito exaustivo de nossa parte.


Valores apropriados do PH:
Para que a cannabis cresça e absorva os nutrientes

perfeitamente, a gama de pH deve ser de 6,5 a 7.

Dentro desta gama, a cannabis absorve e processa os

nutrientes da melhor maneira possível, extraindo todo o seu

potencial. Se, por outro lado, for menor, os sais ácidos

bloquearão quimicamente os nutrientes, impedindo que as

raízes os absorvam. E se o intervalo for maior, isto é, alcalino,

os nutrientes necessários não estarão disponíveis e os sais

tóxicos acumulados se tornarão um problema.

Diversos sistemas:
Vale a pena notar que, dependendo do tipo de cultivo, o

intervalo de pH irá variar. 

No cultivo hidropônico: a faixa deve ser de 5,8 e 6,8, um


pouco menor do que em terra, de fato, na hidroponia, os

nutrientes são dissolvidos e estão mais disponíveis do que no

solo, o que significa que o pH da solução pode flutuar em meio

ponto e não causar nenhum problema.

Irrigação da água:Se a planta estiver em terra:


Fase de crescimento: varia entre 6,0 e 6,5

Fase de floração; irá variar entre 6,5-6,8

Cultivo em Coco:
Fase de crescimento: 5.7-5.9

Fase de floração: 6.1-6.2

Substrato: O substrato PH deve estar entre 6,0 e 6,6 Como


indicado anteriormente, os valores de PH NUNCA devem ser

inferiores a 4 nem superiores a 8, uma vez que abaixo de 4 o

sistema radicular da planta será severamente danificado e

acima de 8 alguns nutrientes fundamentais não serão

absorvidos, e levará a deficiências em nossa planta.

Medidor de PH & Medidor EC.


Como fazer a medição?O potencial de hidrogênio pode ser

medido com um simples medidor de pH eletrônico, com um


Existem vários tipos e modelos, e

medidor de solo.. Existem kits de medição que também medem você pode encontrar um que seja

o conteúdo geral de nutrientes, misturando o solo com uma acessivel para você.

solução química e comparando a cor com uma tabela de

referências. O mais simples é conseguir um medidor eletrônico

que além de ser barato, é muito fácil de usar.


Tabela referente ao PH x faixa de absorção de nutrientes

Tabela de absorção de nutrientes referente ao PH

Solo x Hidroponia
MEDIDOR EC
Como é feito a medição o EC?
A condutividade elétrica é medida em milissegundos por

centímetro (mS/cm) ou em micro emens por centímetro

(US/CM).

Observe que, como cada nutriente e sal tem uma leitura

eletrônica diferente, um padrão arbitrário foi implementado,

assumindo que um EC específico é equivalente a uma

quantidade específica de solução nutritiva.

Portanto, a leitura em ppm não é precisa; é apenas uma

aproximação.As soluções nutritivas usadas para o cultivo de

cannabis são geralmente entre 500 e 2.000 ppm. Em geral, é

aconselhável manter o EC entre 800 e 1.200 ppm, caso

contrário, a fábrica não poderá executar suas funções vitais

básicas.

Em conclusão , é um erro grave ignorar esses parâmetros

quando se faz uma colheita de cannabis, e provavelmente

vamos pagar as consequências de ignorá-los.

Na verdade, esses parâmetros são ignorados porque , à

primeira vista, não são tão determinantes quanto a falta de

irrigação ou pragas; mas sua influência no produto é

categórica, marcando a diferença entre uma qualidade e uma

excelente qualidade. Então, você sabe, não hesite em

controlar esses parâmetros se quiser obter o máximo de

resultados.

Tabela dos valores corretos para EC no cultivo


ILUMINAÇÃO
Que a cannabis precisa de luz para o seu correto

desenvolvimento é algo básico que todo cultivador ou

entusiasta de cannabis sabe é claro.

Agora, que a luz deve ter uma intensidade adequada, como

um espectro especifico, é algo que nem todos os cultivadores

iniciantes sabem.

Cada cor do espectro envia um sinal separadamente para a

planta e cada cor estimula um tipo de crescimento.

De fato, as plantas usam apenas certas partes do espectro de

luz, especificamente aquelas nas faixas entre azul e vermelho.

CFL  popularmente conhecida como


  luzes fluorescentes.

Estas luzes são fáceis de adquirir, muito baratas e podem ser

usadas por qualquer luminária. Em geral, os mais utilizados

para cultivos de interior são aqueles que excedem 40W.

Este tipo de iluminação é oferecido, não apenas em várias

potências, mas também com espectros de luz diferentes, como

o branco, ideal para a fase de crescimento, ou luz quente, 


Lampada CFL
para a fase de floração por seu espectro avermelhado, porem

elas não tem um bom alcance de penetração deixam a

desejar se comparadas com outros tipos de lâmpadas. Este

tipo de lâmpada foi o mais comum nos primeiros cultivos de

cannabis, mas a sua baixa produção de luz em comparação

com os seus concorrentes fez com que permanecessem em

segundo plano.

Em qualquer caso, eles ainda são uma opção muito boa para

cultivos muito pequenos, para clones ou plantas-mãe.


ILUMINAÇÃO
HID
Lâmpadas HID, também conhecidas como luzes de descarga de alta

intensidade.

 Este tipo de lâmpadas são as mais utilizadas no cultivo de cannabis.

Devido a sua potência de descarga luminosa é uma das lâmpadas

que mais teve desempenho ao longo da história.

Quando falamos de luzes HID, devemos cobrir os dois tipos principais:

Vapor metálico (HQI) e a Vapor de sódio (HPS). Esses dois tipos de

lâmpadas diferem em que os HQI fornecem uma luz azulada “fria”,

enquanto, por outro lado, os bulbos HPS têm um espectro

avermelhado “mais quente”. Portanto, são recomendados o HQI para

a fase vegetativa e o HPS para a fase de florescimento.

Caso você possa usar apenas um tipo de luz, é aconselhável usar a luz

HPS.

Este tipo de lâmpadas pode servir tanto para o crescimento e

floração e seu consumo em relação à luz que produz, a potência da

lampada vai variar conforme a sua área de cultivo. Além disso, esses

tipos de lâmpadas são baratas e fáceis de montar.

A principal desvantagem é que elas emitem muito calor e precisam ser

acompanhados por um bom sistema de ventilação que extrai o calor

que elas geram.

Outra desvantagem é que elas precisam ser substituídos

periodicamente já que sua potência vai diminuindo. Finalmente, deve

ser salientado que, para o seu correto funcionamento, precisaremos

de um refletor.

HQI 250W

HPS 250W
HQI HPS
ILUMINAÇÃO
LED
Uma das opções mais inovadoras nos últimos anos são as luzes

LED. Atualmente, a qualidade e o desempenho obtidos com

lâmpadas LED melhoraram consideravelmente. Tanto que os

cultivos tipo LED deixaram de ser uma opção com poucas

opções, para uma das mais recomendadas.

Isso ocorre porque os novos modelos produzem uma

quantidade maior de lumens por watt, fornecendo uma luz

poderosa o suficiente para o cultivo correto da cannabis. Hoje

em dia, é possível obter a mesma ou até mesmo uma colheita

maior usando luzes LED, do que usar luzes HID. Na verdade, as

luzes LED são as mais eficientes em termos energéticos,

oferecendo menor consumo entre todos os seus concorrentes.

Outra característica positiva para o cultivo interno é que ele

não produz muito calor, portanto, não há necessidade de usar

um sistema de ventilação potente. Nem será necessário um

refletor, uma vez que podem ser conectados a qualquer

corrente.

Mas nem tudo são flores, se você decidir por uma colheita com

luzes LED. Entre suas desvantagens está o alto preço dos

painéis, que excede em muito o preço de seus dois principais

concorrentes, o HPS, o HQI e o CFL.

É um investimento alto de inicio, mas que acaba compensando

a longo prazo, devido a eficiência, consumo e durabilidade.

Porém deve se tomar  cuidado na compra, para se certificar

que o painel entrega a potencia luminosa watts REAL ao

comprar as placas de LED, . Ou seja, existem muitos modelos

de LED e nem todos eles tem a qualidade esperada.

Cultivo com LED COB


INTENSIDADE
LUMINOSA
A Intensidade luminosa é medida na relação lux e lúmens, quanto

maiores esses dois parâmetros, maior a intensidade da luz emitida

pela fonte luminosa.

A intensidade das lâmpadas é apresentada em lúmens/Watts. Por

existirem vários tipos de lâmpadas e cada uma com uma intensidade

luminosa diferente. Exemplificando, uma lâmpada incandescente

comum de 150 W tem uma intensidade muito mais baixa do que uma

HQI da mesma potência.

Importante: A intensidade luminosa é inversamente proporcional ao


quadrado da distância que separa a planta da fonte luminosa, ou

seja, quanto mais longe da luz maior a perda de lúmens.

QUANTIDADE DE LUZ:
Essa é a parte fundamental do dimensionamento das luzes.

A tabela de mais fácil compreensão é a seguinte:

Quantidade de lumens por metro quadrado (lux):

1000 - 5000 lux - Mínimo necessário pra vida;

10 000 - 15 000 lux - Mínimo necessário para um crescimento

consistente porém esparso;

20 000 - 25 000 lux - Mínimo necessário para crescimento robusto;

25 000 - 30 000 lux - Máxima eficiência para espécies sub tropicais;

25 000 - 50 000 lux - Máxima eficiência para espécies equatoriais;

As plantas precisam de 25 000 - 50 000 lux para desenvolverem

rápido.

Máximo: 90 000 lux - Intensidade da luz do sol na superfície da

Terra.
Comparativo de consumo

É muita luz e não é bom pra planta.Obs:


LED X HPS

Não confudam lumens com lux. 1 lux = 1 lumen por m . ²

Comparativo base da distância das plantas entre os tipos da luz


VENTILAÇÃO
A circulação de ar, assim como a ventilação é um dos fatores mais

importantes quando se esta cultivando cannabis. Há muitos fatores

que devemos controlar se quisermos obter uma colheita com bons

rendimentos e de alta qualidade, e o ar é um dos fatores principais.

Na cultivo indoor, o ar pode ser a chave para o sucesso ou o

fracasso. Além disso, no ar há várias variáveis que devemos ter sob

controle, como temperatura, movimento, umidade, CO2, odores.

A função principal deste artigo é fornecer todas as informações

necessárias para manter o ar do seu  cultivo sob controle.

Ar em movimento, se você deseja obter um cultivo saudável,

abundante e de qualidade, devemos controlar dois fatores

essenciais, como ventilação e circulação de ar.


Muitos cultivadores iniciantes não dão tanta importância à

circulação correta do ar e, portanto, negligenciam esse fator

prejudicando o rendimento de sua colheita.

Os produtores experientes sabem a importância do ar e não hesitam

em dedicar seu esforço e dinheiro para montar um sistema de

ventilação adequado às necessidades das plantas.

Manter o ar em movimento, fornecendo às plantas ar fresco do

exterior, é vital para as plantas desenvolverem com sucesso suas

funções vitais.

Dentro do movimento do ar há três fatores principais: estomas,


circulação e ventilação.
Os estômatos da planta, estão localizados na parte inferior das

folhas e são poros de tamanho microscópico que regulam a

quantidade de oxigênio e dióxido de carbono.

Por outro lado, a circulação também é muito importante, pois as

folhas consomem o CO2 em torno delas em poucos minutos.

A ventilção sobre as plantas,

ajuda no fortalecimento da

sua estrutura, para suportar o

peso das flores

Este é um exemplo de como a circulação deve funcionar


Portanto, se as plantas não tiverem ar fresco carregado com

CO2, os estômatos serão bloqueados e o desenvolvimento

correto da planta será interrompido.

Para evitar que isso aconteça, devemos manter o ar em

circulação constante para fornecer à planta um ar novo e não Mas afinal qual potência dos
ter que se conformar com o ar que já foi usado e que,
exaustores necessito?

portanto, é desprovido de CO2.


Cálculo para exaustor:
Por fim, destaque a ventilação, que não consiste em outra
A fórmula que você deve aplicar

coisa se não  em fornecer ar fresco para as plantas que vem para saber a potência do

do lado de fora através de um sistema de extração e intração exaustor que precisa para o

espaço de cultivo, vamos supor


que cria um fluxo de ar no quarto.
que o lugar escolhido tem:
Isto é necessário porque as plantas transpiram a água que
2,0m de largura X 2m de

absorvem no ar, num processo semelhante à evaporação.


comprimento X 2,0m de altura

Dessa forma, se não ventilarmos o ar do quarto, a umidade 2x2x2= 8metros cúbicos

subiria até 100%, bloqueando os estômatos e, portanto, o Contando que temos de evacuar

o ar entre 30 e 60 vezes por hora


crescimento e desenvolvimento das plantas.
(quando menor seja o grow , mais
A ventilação sobre as plantas também serve como
vezes será preciso renovar o ar),

fortalecimento para as raízes e sua estrutura para suportar o


neste caso multiplicaremos 40

peso das flores. vezes, por ser um grow, digamos

médio, a fórmula que aplicaremos

será:8 m3 x 40 vezes=320m3

VPD - Déficit de pressão de Vapor ( Estômatos) /hora então precisamos de um

exaustor que tenha uma potência

de vazão de ar  de no mínimo

320m3/h, ainda que é

aconselhável ter sobrando, para

quando precisar de mais potencia

por meio de um dimmer, a

tenhamos, tudo isto pode ate soar

um exagero, mas as plantas

precisam todo o ar que lhes

possamos dar, estas são as

fórmulas que se utilizam para

Processo de transpiração da planta ventilar os cultivos indoor.

Estufas suplementadas com


CO2 requerem uma troca um
pouco menor, podendo trocar
apenas 8 vezes a cada hora.
TEMPERATURA
Um dos fatores mais importantes no correto desenvolvimento

de um cultivo indoor é a temperatura que encontramos dentro

da estufa.

A faixa de temperatura ideal para uma planta de cannabis

em condições normais é de 22 e 24 graus.

Esta temperatura pode ser reduzida à noite, desde que não

caia abaixo de 8°C, e durante o dia pode subir para 29°C, se


aumentar mais, a planta ficará paralisada.

Portanto, é necessário controlar a temperatura do quarto com

um termômetro preciso, para se manter dentro desses

parâmetros de temperatura, o ideal é utilizar um termo

hygrometro que faz medições e as quedas de temperaturas 

máximas e mínimas; para que se possa controlar a

temperatura de um cultivo indoor com precisão.

Manter a temperatura da nossa estufa dentro dos parâmetros

recomendados determinará o sucesso ou a falha do nosso

cultivo.

Temperaturas recomendadas:
Seedling: Planta recém-nascida, entre 20 º e 25º
Vegetativa : temperatura mínima de 22 º e máxima de 28º.
Floração: temperatura mínima de 20 º e máxima de 28º
Fase final: uma ou duas semanas antes do corte, recomenda-

se manter o quarto de cultivo entre 18º e 24º para estimular a


resina.

Manter a temperatura é de

extrema importância para

saude das plantas


HUMIDADE
A umidade é outro dos fatores mais importantes para o bom

desenvolvimento das plantas.

Dependendo da temperatura, o ar retém uma quantidade específica

de umidade, razão pela qual a umidade é sempre relativa.

Esta variável em questão é medida dependendo da relação entre a

quantidade de umidade no ar e a maior quantidade de água que o

ar pode conter na mesma temperatura.

A proporção é simples, quanto maior a temperatura, mais água

pode conter o ar; enquanto menor temperatura, menos umidade

pode conter.

Se conseguirmos manter os níveis de umidade entre 50% e 60%

durante o período de crescimento e 40% e 50% durante a floração,

garantiremos um desenvolvimento correto em nossa colheita.

De fato, se os níveis de umidade forem baixos, isso será fatal para o

desenvolvimento do cultivo e, ao contrário, se a umidade for maior

do que a necessária, provavelmente aparecerão fungos e outros

problemas que arruínam nossa colheita. Por isso, é fundamental o

fuso de umidificadores e desumidificadores que possam corrigir os

desequilíbrios nos percentuais de umidade e garantir o correto

desenvolvimento do cultivo

Qual a melhor humidade

para o cultivo de cannabis?

Clones 70 - 80 %

Seedling 65 - 70 %

Vegetativo 40 - 70 %

Floração 40 - 50 %

Secagem 40 - 60 %
CULTIVO &
CO2
O dióxido de carbono está sempre presente ao nosso redor.

Como definição, observe que é um gás incolor, inodoro e


não inflamável que é encontrado no ar que respiramos em
uma proporção de 0,03 ou 0,04%.

Se os níveis de CO2 caírem abaixo de 0,02%, a planta não


será capaz de realizar processos vitais como a fotossíntese ou

seu próprio crescimento.

Isso se deve ao fato de que, durante o processo biológico e

fisiológico das plantas, conhecido como fotossíntese, o dióxido

de carbono atua como um estimulante que transforma, pela

luz, o CO2 em glicose e oxigênio, dois dos principais


alimentos das plantas.

Especificamente, a Cannabis é capaz de suportar níveis de

Co2 de até 0,15%, cinco vezes maior do que o teor de CO2 da

atmosfera da Terra. Esta característica fisiológica significa

que, com níveis mais altos de CO2, a cannabis pode suportar

temperaturas mais altas e aumentar sua capacidade

metabólica e, portanto, seu desempenho.

Portanto, é conveniente fornecer nossas plantas com oxigênio,

limpo e rico em CO2.

Isso pode ser muito útil em todo o processo, mas

especialmente nos momentos mais quentes das lâmpadas, já

que a aplicação de CO2 evita a paralisia dos processos

biológicos da planta.

Cilindro de CO2 no cultivo CO2 por Fermentação


FORMAS DE
CO2
Geradores de CO2
Geradores de dióxido de carbono parecem um pouco com

aquecedores  e produzem o gás que você precisa queimando

gases naturais ou propano.

Quando isso acontece, os gases de escape criados são

compostos quase inteiramente de vapor de água e dióxido de

carbono.

Se você usar um gerador, ele deve produzir CO2 suficiente

para manter uma área de crescimento de 800 pés cúbicos.

Você pode configurar seu gerador de CO2 para ligar ou

desligar automaticamente quando os níveis de dióxido de

carbono atingirem um nível predefinido.

Deve ser fácil encontrar propano líquido ou geradores de gás

natural, mas quando você queima esses gases você acaba

com o calor que é difícil de regular em uma pequena sala de

cultivo.

Como resultado, acreditamos que você só deve usar um

gerador de CO2 em um grande espaço.

Apenas imagine sua sala de crescimento é 10 x 10 x 10 pés. Em

média, um gerador de CO2 aumentará a temperatura em até

5 graus e a umidade aumentará para 7%.

 Se você já está tendo problemas para manter a temperatura

e a umidade sob controle, o gerador pode causar mais

problemas.

Como resultado, os produtores experientes usam apenas

geradores no inverno e preferem o CO2 comprimido no verão.


CO2 comprimido
Você deve ser capaz de encontrar tanques de CO2

comprimido em uma loja de hidroponia ou mesmo em uma loja

de cerveja ou gás comprimido.

O gás é produzido pelo fabricante e é coletado primeiro,

depois comprimido em tanques.

Como resultado, você pode introduzir uma quantidade

controlada de dióxido de carbono na sala de cultivo sem a

necessidade de comprar um gerador.

Portanto, você não está produzindo calor ao liberar o gás,

portanto, não há preocupações com temperatura e umidade.

Um tanque de CO2 comprimido é perfeito para uma pequena

sala de cultivo.

Ele deve incluir um 'dosador', um medidor de pressão, um

medidor de vazão, um temporizador, uma válvula solenoide e

um comprimento de tubulação.

Conecte o dosador ao tanque e abra a válvula do tanque.

Pré-ajuste o medidor de vazão e ajuste o temporizador para

abrir a válvula solenoide pelo tempo necessário.

Lembre-se, a fotossíntese ocorre somente quando as luzes

estão acesas, então ajuste o temporizador para desligar à

noite.

Como as plantas liberam o gás através da respiração durante

a noite, é comum que os níveis de CO2 excedam 600 ppm na

manhã seguinte.

Quando você ajusta o temporizador para iniciar a dosagem de

CO2 cerca de 60 minutos depois que as luzes se acendem e

ajusta a última dose 60 minutos antes das luzes se apagarem,

você fornecerá à sua sala de cultivo CO2 suficiente de

maneira econômica.

Fermentação
Isso envolve o uso de processos naturais para produzir

dióxido de carbono. 

Pode ser uma forma econômica de quebrar o galho, até

que você possa investir em sistemas mais sofisticados, é

um método  relativamente fácil, porém não tem uma

eficiência tão boa quanto outros os outros tipos, e

normalmente causa um odor ruim durante o processo de

fermentação. 
CO2 CASEIRO
FERMENTAÇÃO
Como montar um gerador CO2 caseiro por fermentação:

Materiais:
1 garrafa de plástico de 2 litros, com tampa;

1 garrafa de plástico de 500ml, com tampa;

1 mangueirinha fina de plástico (dessas usadas em aquários em

bomba ar);

Silicone para aquário. 

Procedimento: Faça um furo na tampa da garrafa, de modo que a


mangueira passe bem apertada por ele.

Insira a mangueira até ela entrar cerca de 3 cm abaixo da tampa,

e depois passe silicone em volta do furo para selar. Deixe secar

por 1 dia.

A mangueira deve ser comprida o suficiente para ir da garrafa de

2L ate a garrafa de 500ml até o fundo.

Apos isso fure e coloque outra mangueira que atinja apenas 3cm

nessa garrafa pequena, mas que não alcance o liquido.

Material para a mistura:


Na Garrafa de 2L:
1 saque de 10g fermento BIOLÓGICO (preferencialmente em

pó);

2 a 3 copos americanos de açúcar refinado;

2 colheres de chá de Bicarbonato de Sódio;

1,5 litros de água (preferencialmente de filtro, sem cloro).

Procedimento: Dissolva bem o fermento, o açúcar e o bicarbonato


na água, despeje dentro da garrafa e feche bem.

As bolhas em geral levam cerca de 1 hora para começarem a sair.


Ao final seu gerador co2

Na segunda garrafa você vai colocar cerca de 450ml de água, a


deve ficar assim

mangueira que vem da garrafa que esta fazendo fermentação fica

ate o fundo desta garrafa pequena, e outra mangueira pequena

que capta o co2 e joga para sua sala de cultivo.

Um gerador bem montado vai ficar produzindo bolhas por cerca

de 10-15 dias.

Esta é uma das formas de se fazer um gerador co2 por

fermentação, mas existem outras formas que podem ser

encontrados em outros artigos pela internet.


ODORES
O aroma que adoramos tanto,pode ser um problemas se não

tomarmos as devidas precauções, por isso é um dos fatores

essenciais para manter o sigilo do seu cultivo indoor.

A discrição é sempre um dos maiores aliados do cultivador de

cannabis.

É por isso que é sempre uma boa opção comprar um filtro

anti-odor (carvão ativado) ou qualquer sistema que nos ajude

a evitar a expulsão de odores que alertam nossos vizinhos ou

visitantes curiosos.

Como todo cultivador de cannabis sabe, os cultivos de

interior produzem muito cheiro, já que as plantas estão num

espaço pequeno e o aroma é concentrado e poderoso.

Para evitar o inconveniente em questão, há toda uma série de

possibilidades e artigos que podem tornar seu quarto de

cultivo um lugar imperceptível para seus vizinhos e visitantes.

Geralmente é usado sistemas de extração com saída para o

exterior e um filtro de carvão ativo que filtra o ar e remove o

odor característico da cannabis.

Lampadas HID com


Outra opção é o gerador de íon negativo ou deionizador,
Filtro de Carvão-Ativado

embora exista uma grande variedade de itens, tais como

comprimidos anti-odor, líquidos ou spray. Encobrir odores só

funciona para pequenos cultivos, é mais difícil encobri um odor

do que filtrar.

Painel de LED com

Filtro de Carvão-Ativado

Funcionamento do Filtro de Carvão - Ativado


MONTE SEU
GROW
Montando sua sala de cultivo, você poderia adquirir uma grow

box em lojas de cultivo indoor, mas como a ideia proposta aqui

é se tornar o mais sustentável possível, estarei passando um

projeto de como você pode montar seu grow com apenas uma

pequena parte do valor que teria que investir em um

equipamento pronto.

Nosso projeto vai utilizar estrutura de madeira, porém você

pode adaptar e fazer com estrutura de PVC, não é a nossa

preferência pois dependendo os equipamentos que você for

instalar, você vai precisar de uma estrutura que seja firme e

aguente o peso das lampadas, paineis, ventiladores e filtros.

Necessário ter conhecimentos básicos de marcenaria e

elétrica, sempre priorizando a segurança na montagem do seu

cultivo.

Utilizaremos como base do nosso projeto um grow de 1m X 1m

x 1,80m , para fazer maior basta ajustar os tamanhos dos

materiais para seu projeto.

Material:
Custos Aproximados
14 ripas plainadas espessura 3x4cm de 1m
Madeiras + Parafusos
4 ripas plainadas espessura 3x4cm de 1,80m
+ grampos = 185

2 ripas plainadas espessura 3x4cm de 2m


Duplalon= R$ 78

35 parafusos de 6cm ou mais proximo que conseguir


Fita alum. = R$15

1 caixa de grampos
Velcro = R$15

6m x 2m de Lona Duplalon 200micras (encontra em sites de

cultivo) ela é preta por fora e branco por dentro, sendo Grow 1m2 por
altamente reflexiva, ou MYLAR. Total: R$293,00
1 fita aluminizada

6m de velcro auto-colante

obs: Utilize caibros ou madeiras firmes, nada de madeira mole ou


que envergue.

Dou preferencia pela duplalon, pois o branco abre mais que o

mylar.

Ferramentas:
Uma serra, ou serrote, pois normalmente as madeiras vem em

padrão de 3m.

Uma parafusadeira, para fixar as ripas.

Estilete, tesoura, grampeadora.


MONTAGEM
É mais simples do que parece, com as ferramentas em mão e

todos os materiais, vamos ao procedimento.

Você deve começar montando os quadros, que serão a base

do grow. Parafusando pelos cantos as ripas.

uadros
1m 2Q

1m 1m

1m
Monte 2 quadros conforme a imagem acima, um sera sua base

de baixo, e a outra sera o teto do grow.

Após isso coloque um dos quadros no chão, pois chegou a

hora de fixar as ripas dos cantos que vão sustentar a estrutura.

As ripas da estrutura são colocadas por dentro do quadro,

agora basta parafusar pelo lado de fora do quadro ate atingir

as ripas de sustentação.

1,8m 1,8m

1,8m 1,8m

Quadro Exemplo de estrutura


Agora utilizando o mesmo sistema de fixação da parte de

baixo, vamos instalar o quadro superior.

Tomando a forma de um cubo, mais uma vez fixando as ripas

de sustentação por dentro do quadro, e fixando o quadro,

parafusando por fora.

1m
1m 1m
1m Quadro cima
1,80
1,80 Ripas sustentação

1,80 1m

1,80
1m 1m
Quadro baixo

1m

Agora só falta fixar as ripas de reforço, e as ripas de suporte

onde os equipamentos serão pendurados depois de tudo

pronto.

Serão intaladas 2 ripas de reforço na diagonal, necessário

fazer corte de 45 º nas pontas, e 1 ripa de reforço de 1m na


horizintal, que deve ser parafusada pelo lado de fora se

fixando nas ripas de sustenção, assim dando mais estabilidade

para o grow

4 Ripas de suporte 1m

Reforço 2m

Reforço 1m

suporte cooler
Reforço 2m
1m

10cm de entre espaço

Em uma das laterais do grow, sera instalada uma ripa de 1m,

se fixando na ripa horizontal de reforço e p´roxima a ripa de

sustentação, o espaço deve ser ajustado conforme o tamanho

dos seus exaustores, neste caso será 10cm, por usar exaustor

de 100mm.
INSTALAÇÃO
INTERNA
Agora com toda estrutura pronta, vamos forrar o espaço com

a lona DUPLALON.

B C
A

Abra a lona e comece fixando por dentro da estrutura com a

grampeadeira, a parte branca fica dentro do grow, a parte

preta virada para fora, e então comece pela parte de cima no

ponto A, depois no ponto B, com ela fixada dessa forma fica

mais fácil de esticar e fixar todos os outros pontos.

Fixe todos pontos superiores primeiro, se certificando de ficar

bem esticada, depois fixar meio e embaixo, fixe a esquerda, o

fundo, e a direita.

1
3

4
2

Exemplo de como deve

ficar com a duplalon

Agora vamos instalar a lona por cima da estrutura, para fechar

o teto com a duplalon, estique bem e fixe os quatro cantos.

Faça o mesmo procedimento no solo do grow, onde os vasos

vão ficar.
Agora, a ultima parte da lona, fixando apenas na parte de

cima do ponto A ao ponto C.

Nas ripas frontais, instalar o velcro duplo, que vai ser a porta

do cultivo e para que possa selar totalmente o espaço do

grow.

C
A

Velcro Velcro
Velcro
Com o forro interno totalmente instalado, basta adicionar os

equipamentos de sua escolha como vimos nos capítulos anteriores.

O estilete sera utilizado para fazer as aberturas necessárias, a fita

aluminizada para selar os coolers, na lona, para nao ter vazamento de

ar ou luz, e para fixar os cabos, de preferencia para fixar os cabos em

cima, para evitar acidentes com agua e eletrecidade, caso vaze um

pouco da rega pelo fundo dos vasos. Exemplo de um grow


totalmente instalado

Filtro Carvão- Ativado Saida de AR


Exaustores

Entrada de AR
Exaustores

Os dutos são instalados na entrada de ar para puxar o ar

limpo para o grow, e na saída de ar para jogar para fora,

fazendo o resfriamento e a renovação do ciclo de AR.


CULTIVANDO
GANJA
Emfim depois de tanto estudo, chegamos a parte que todos

desejavam, colocar a mão na terra, fazer acontecer e não

depender do mercado negro para consumir uma erva de

qualidade.

Vale lembrar, também a importância do ciclo lunar, nas fases de

todo o cultivo, alguns podem achar besteira, porém o magnetismo

da lua sobre os fluidos na terra são importantes e sempre foram

levados em conta pelos nossos ancestrais na agricultura.

Fases da lua e fluidos nas

plantas.

O Fluxo da seiva O Fluxo da seiva


O Fluxo da seiva O Fluxo da seiva
começa a subir e começa a cair e se
desce e se começa a subir e
se concentra sobre
concentra no
concentra na raiz se concentra no
a copa, caules
caule e raizes.
caule e galhos.
frutos e flores.

Vamos ver agora em qual fase da lua é aconselhado cada

procedimento do seu cultivo.


CANNABIS E
CICLO LUNAR

Uma vez que estamos familiarizados com os ciclos lunares e sua

influência, podemos começar a interpretar nosso conhecimento e

aplicá-los no cultivo de cannabis.

Especialmente no início, é difícil realizar o trabalho durante o

momento em que as condições mais adequadas ocorrem.

Pouco a pouco, a observação e a experiência nos permitirão melhorar

nosso cultivo da cannabis de acordo com a lua.

Em seguida, para facilitar o trabalho, resumimos as condições ideais

para cada trabalho da nossa cultura:

Germinar: Recomendado com a Lua Descendente, entre os 3 dias


anteriores a fase da Lua nova e Lua Crescente.

Da cannabis, queremos principalmente suas flores, por isso nos ajuda

a germinar as sementes de cannabis enquanto a Lua passa pela

constelação de Ar.

Planta e transplante: Com a lua descendente na fase crescente


as condições ideais são dadas para mover as plantas para vasos

maiores, também para plantar as sementes germinadas.

No caso da cannabis, o momento mais influente é a passagem da lua

através de uma constelação de ar.

Poda: Realizando a poda em Lua Descendente e fase minguante,


facilitamos a recuperação da planta e reduzimos o estresse

causado. É aconselhável podar quando a lua passa por uma

constelação de água, embora este aspecto não seja tão

importante.

Recomendado evitar os nós, perigeu e equinócios, no mesmo dia, o


anterior e o posterior.

Ferts de crescimento: Recomenda-se na lua descendente e de

fase crescente utilizar fertilizantes naturais ou preparados, se

utilizar fertilizantes minerais, é recomendado em fase minguante.

Aplicando fertilizantes sob a influência das constelações de água,

a cannabis responderá desenvolvendo folhas e caules

vigorosamente.
Ferts de floração: Cultivar de acordo com a Lua você de aplicar
fertilizantes de naturais e estimulantes de floração durante a

passagem pelas constelações de ar, promovendo assim a

formação e engorda dos botões. Na Lua descendente e fase

Crescente, as condições ideais são dadas para a assimilação de

nutrientes de liberação lenta pela terra. Fertilizantes minerais são

recomendados na fase de lua minguante.

Cortar estacas: Se esperarmos no final da Lua crescente,


obteremos clones fortes e cheios de seiva.

Ao cortar neste ciclo, a planta madre sofrerá mais, por isso, é

aconselhável que com lua minguante aplique micorrizas para

estimular a regeneração de tecidos danificados para superar o

estresse.

Plantando clones: Se cortarmos os clones nos últimos dois dias da


Lua crescente, podemos deixá-los pelo menos 2/3 dias em um

recipiente com água e estimulador de raízes, esperando no início

da Lua minguante para plantar. Coincidindo estas fases de os

clones são mais propensos ao sucesso, o desenvolvimentos das

raízes é melhor estimulado.

Colheita de flores: Se quisermos estimular a concentração de


resina, recomenda-se colher na fase do Crescente para  Lua

Cheia.

Por outro lado, as colheitas da Lua minguante fornecem cannabis com

sabores e cheiros mais aflorados.

A secagem é mais rápida e menos problemática se for realizada na

Lua minguante, embora, se não houver risco de mofo e as condições o

permitam, o ideal é colher no Ciclo da lua cheia.

Em ambos os casos, é recomendado durante a passagem das

constelações de Lua por Ar.

Colheita de sementes: As sementes são mais viáveis se forem


trabalhadas durante a passagem da Lua através de uma

constelação de Fogo. Para coletar as sementes, é recomendável

esperar até que a Lua esteja no ciclo crescente.

Pragas e doenças: Na Fase da Lua Descendente e Minguante, as


condições ideais para aplicação de preventivos. A eficácia

aumenta se coincidir com uma constelação de água. Os fungicidas

para a cannabis são mais eficazes na fase minguante.


CALENDÁRIO
LUNAR

Através desse calendário cedido pela THGROW você pode


se guiar para fazer os procedimentos no momento correto
GERMINAÇÃO

º
A temperatura ideal é entre 22 C e 25 C º
A umidade relativa do ar ideal é entre 70% a 90%

O ambiente ideal deve ser úmido mas não encharcado.

Vamos apresentar aqui 3 formas de germinar suas


sementes.

Germinação em um Copo de Água:

Coloque as sementes em copo de vidro ou tigela cheia de água a

uma temperatura de 22 º º
a 25 C. 

Após 3-5 dias você deve ver minúsculas pontas brancas, e as

sementes deverão abrir.

Essas pontas são o começo das sementes; você pode remover suas

sementes da água quando as raízes alcançarem 2-3mm, com extremo

cuidado.

Agora você pode movê-las para o solo, cultura hidropônica ou

qualquer método que você preferir. Basta colocar no solo com a

radicúla virada para baixo, e tapar a casca da semente. Não é

necessário afundar muito a semente, basta tapar com o solo para que

nao fique em contato com a luz.

É importante não usar muita água; e sempre usar um spray.

Basta deixar a semente no solo desejado no escuro ate que termine

de brotar. Assim que brotar basta colocar dentro do grow

Obs. Germinar na água não garante os melhores resultados.

Seeds na água Plantando no solo


Germinação no papel toalha:
Umedeça duas camadas de papel toalha com água, coloque em um

prato.

Coloque as sementes de cannabis entre as duas camadas e feche

com outro prato por cima, e cheque todos os dias para verificar se

estão úmidas o suficiente.

Em poucos dias, as sementes provavelmente começarão a germinar e

podem ser movidas para seu substrato de sua preferência.

Germinação direta no substrato ou célula de germinação:


Germinar diretamente no solo é uma técnica muito usada.

Não é preciso transplantar suas plantas, e as frágeis sementes não

são incomodadas no seu processo de crescimento.

Para esse método, basta colocar a semente no substrato, com aquele

olho da semente virada para cima, para facilitar o desenvolvimento.

Se usar a jiffy ou vasos pequenos voce pode passar um filme por cima

para segurar melhor a umidade, caso for maior, se certifique de

borrifar o solo durante o dia para manter a umidade.

Após 5 a 7 dias ela deve brotar.

Este lado para cima

Germinação completa
VEGETATIVO
As sementes germinadas saem do solo e se transformam em

pequenas plantas verdes em formato de adaga, nesse estágio

elas ainda são muito frágeis.

Agora vamos falar sobre o crescimento da planta.

O período vegetativo é o estagio do crescimento, sendo um

fator importante para determinar o tamanho da sua produção.

Um bom crescimento é muito importante pois é nessa fase que

ela vai desenvolver a estrutura necessário para a floração.

Colocar a planta em vegetativo significa manter as plantas em

seu período vegetativo por várias semanas, e fazemos isso

colocando o timer da lâmpada em 18/6. Isso quer dizer 18 horas

de luz e 6 horas de sono e escuridão para as plantas. Dessa

forma a planta aproveita o máximo a luz, ao mesmo tempo que

descansa para crescer melhor.

O tempo necessário para vegetativo no cultivo indoor é uma

decisão de preferência do cultivador, analisando espaço e

tamanho de plantas que o cultivador deseja alcançar.

Quanto mais a planta crescer, mais vai se desenvolver, com

mais folhas, e mais caules desenvolvidos  pode naturalmente

crescer mais rápido devido ao aumento de luz que ela pode

absorver.

Por isso que no começo de sua vida o crescimento da planta é

lento, pois ela ainda não desenvolveu suas folhas.

Nesse momento você vai ver claramente que um dia de


Plantas na fase vegetativa 18/6

crescimento faz toda a diferença.

Mais crescimento significa mais nutrientes para fornecer, mais

oxigênio. Para atingir um bom crescimento você deve manter

todos os fatores sob controle. Se houver deficiência de oxigênio

no Grow, por  pouca ou nenhuma exaustão, as plantas

crescerão lentamente.
Na fase você pode determinar o formato, a dimensão e o rendimento

de suas plantas. Existem diversas formas de cultivar cannabis. Você

pode colocar várias plantas num metro quadrado; nesse caso é

importante não dar muito tempo de crescimento vegetativo a elas.

Elas não podem ficar muito grande, ou começarão a tapar a luz umas

das outras.

Quanto menos plantas você escolher cultivar, mais tempo pode

vegetar.

Uma semente passa por vários estágios e amadurece após cerca de

um mês de crescimento. Quanto mais experiente você for ficando,

mais rápido será para amadurecer uma planta.Isso não depende

apenas do tempo, mas da estrutura da planta.

Se você observar um clone, verá que os caules secundários crescem

de forma lenta. Já as plantas oriundas de semente possuem galhos

secundários simétricos. Assim que a planta de semente atingir a

maturidade, seus galhos secundários também começarão a crescer

mais lentamente. Ao controlar o crescimento delas, você controla seu

tamanho.

Mas lembre-se que simplesmente deixar uma planta ficar grande não

necessariamente significa melhor rendimento. Como grower iniciante,

é importante lembrar que as plantas ainda crescem, e muito, durante

a floração.

Ela continuará crescendo por mais três semanas durante a flora, até

atingir seu tamanho final.

Um crescimento saudável é quando as plantas atingem o tamanho

ideal assim que iniciaram a floração, e quando todas as plantas

conseguem se desenvolver sem atrapalhar as outras.

O metro quadrado inteiro pode ser preenchido pelas plantas sem

espaço entre elas, mas não pode estar demasiado cheio que as

plantas precisem brigar por espaço e recursos.

Ao permitir crescimento em excesso ou usar muitas plantas, elas

acabarão se desenvolvendo menos.

Uma planta precisa de espaço para permitir o crescimento de seus

galhos secundários. Senão, ela vai aumentar apenas em altura. A

parte ruim é que com isso os galhos secundários serão fracos e não

desenvolverão buds pesados. Para obter uma boa colheita, é preciso

desenvolver igualmente os caules secundários.

Qualquer um consegue cultivar um grande bud principal; o difícil


é conseguir iguais buds dos caules secundários.
Mas se você conseguir, é dessa forma que você consegue ótimas

colheitas de apenas algumas plantas.


Geralmente voce deve monitorar as plantas q quando atingir 50

centímetros de altura e se tornaram pequenos adultos, estão prontas

para florir, lembre se que sativas triplicam, e indicam duplicam seu

tamanho na floração ainda.

Uma planta muito grande não permitirá a passagem de luz até os

galhos mais baixos, que não desenvolverão muitos buds. É, portanto,

um desperdício de tempo e energia deixar suas plantas crescerem

muito, desordena mente, se deseja plantas grandes no cultivo indoor

você deve moldar a estrutura através de técnicas de poda e amarras,

para que recebam luz igualmente.

Você é limitado pela potência de sua lâmpada, que apenas garante

bom desenvolvimento de buds nos 20 centímetros mais altos da

planta, por isso moldar a estrutura é tão importante para o máximo

rendimento possivel.

Nutrientes no Vegetativo:
Durante o período de crescimento as plantas precisam principalmente

de nitrogênio e potássio. Se as plantas ficarem deficientes em algum

desses nutrientes elas se tornarão amarelas. Se você iniciar o cultivo

com um substrato orgânico de boa qualidade, não precisará adicionar

nutrientes nas primeiras três a quatro semanas.

Você evita vários problemas futuros.Um mix de solo barato pode leva

a deficiências porque há pouco nutriente disponível às plantas. Então

você precisa começar a adicionar fertilizantes, o que não é algo ruim

em si, porém muitos growers inexperientes acabam causando overfert

em suas plantas.

Portanto, é sempre melhor fertilizar com cautela no inicio de suas

plantas. Agora, é impossível não cometer erros ao cultivar cannabis.

No final, você acaba aprendendo com eles.Se você aprender com

seus erros e souber o que fez de errado, você não os repetirá. Acima

de tudo, siga as instruções contidas na embalagem dos nutrientes, e

utilize uma seringa para medir exatamente a quantidade que você

adiciona à água. Nutrição equilibrada resultará em plantas lindas e

saudáveis.Quanto maiores as suas plantas ficarem, mais fertilizante

elas exigirão. Você perceberá que se continuar a fornecer as mesmas

quantidades, a um certo ponto elas desenvolverão folhas amarelas. A

planta quer mostrar que precisa de mais comida. A dose de nutrientes

deve, portanto, ser aumentada ou dada mais frequentemente.


TÉCNICAS DE
CULTIVO
Podas: As técnicas de podas, consistem em ter mais topos em
uma unica planta, com isso você consegue ter uma planta mais

baixa, mas que peguem luz igualmente, em vez de ter apenas 1

top bud.

Poda apical (top): ao regenerar teremos 2 topos no lugar de um.


Poda Fim: ao regenerar teremos de 3 a 4 topos no lugar de um.

Local do corte para técnica


Amarras (LST - low stress training): Consiste em amarrar o
topo e ir guiando a planta no formato desejado, para que assim

fortaleça seu caule e desenvolva mais os galhos secundários.

Diferença entre plantas sem treinamento, e com treinamento


TÉCNICAS DE
DESEMPENHO
Lollipopping – é o processo de remover os ramos de baixo

da planta. Conhecida como limpeza das canelas, Isso

permite que ela foque toda sua energia nos topos.

Scrog (Screen of Green ou "tela verde") – quando uma tela

ou rede é colocada a uma altura desejada em cima das

plantas.

Isso permite que as plantas comecem a crescer

horizontalmente depois que as mesmas alcançam o limite de

altura, fazendo assim com que você mantenha as copas na

mesma altura para que todas recem luz igualmente.

Muitos growers conseguem altos rendimentos no cultivo indoor

ao utilizar esse método, pois voce utiliza aréa total do grow.


SOG (Sea of Green, ou “mar de verde”) – técnica que

consiste em preencher a área do grow com plantas

menores que possuem uma flor principal.

Super Cropping – dobrar (quase quebrando) os ramos ou o

galho principal quebrando as fibras internas mas sem partir

o galho totalmente, isso vai aumentar a ingestão de

nutriente da planta, resultando em um crescimento forte e

um bom rendimento.

Super-crooping aplicado
CLONAGEM
Clonagem é um forma prática de propagar seu cultivo, sem

precisar de sementes.

Os clones (ou estacas), são as mudas feitas a partir de uma planta

adulta na fase vegetativa, perpetuando assim as características de

estrutura e gênero da planta madre, um clone é uma cópia

idêntica.

Basta seguir os passos:

º Passo - O primeiro passo é cortar uma parte da planta que


1

º
queremos clonar em um ângulo de 45 , 0,5cm abaixo do nó, e

descasque um pouco o caule para facilitar a produção de raízes.

Tirar folhas laterais caso houver, deixando algumas folhas na parte

de cima, mas fazendo pequeno corte para que a planta foque na

raiz e não em foto-síntese.

2 º Passo - O segundo passo é colocar esta estaca em um


recipiente com água até que se desenvolva raízes ou em solo

úmido.

3 º Passo - Terceiro, você deve enterrar a parte inferior da muda e


regar muito continuamente.

Aconselhável usar um gel enraizador, e colocar a estaca em uma

célula de germinação ou em um substrato que mantenha umidade

alta 80 -90%.

Se você fizer tudo corretamente, em apenas uma ou duas semanas

você terá uma nova planta clonada completamente independente

de seu progenitor assexuado, isto é, a planta mãe. Em geral, se

você seguir estes passos, não deve haver problema, já que a

marijuana é uma espécie vegetal que tem uma grande facilidade

para se reproduzir e multiplicar assexuadamente, isto é, através do

sistema de mudas.

1º 2º º
3
FLORAÇÃO DA
CANNABIS
Depois de semanas de trabalho emfim chegamos a fase de florir

nossas plantas, é nessa fase que a planta vai mostrar o sexo e

começar a crescer seus brotos.

As flores começaram a crescem em frente aos nossos olhos e em

mais algumas semanas estaremos prontos para colher finalmente.

Mas para obter o máximo potencial de cada planta, precisamos

sincronizar todos os fatores que aprendemos até aqui, pois cada

centímetro de esforço conta no final.

Neste período você deve programar o timer do seu grow em 12/12,

lembrando de estar tudo sobe controle com temperatura e

umidade.

A floração está à todo vapor, e após algumas semanas, pequenos

cabelos brancos (pistilos) começaram a surgir em vários lugares da

planta.

A formação das flores está lentamente acontecendo. Lembre-se

que caso você não queira sementes, este será o momento de

selecionar e retirar os machos caso houver

As primeiras três semanas de floração suas plantas ainda estarão

em crescimento, sativas chegando a triplicar de tamanho, e indicas

duplicar.

O cheiro característico das plantas começa a surgir, e você já mal

pode esperar para experimentar o resultado.

Condições ideais para


Muitos cultivadores continuam a fornecer nutrientes de
floração

crescimento nas primeiras semanas de florescimento, pois se trata

de um período de transição, e as plantas ainda requerem Temperatura º


20 - 28 ºC

nitrogênio para se construir.


Umidade 40 - 50 %

Ao fazer isso, as plantas ficarão ainda maiores, pois os nutrientes

específicos para floração estimulam a planta a mudar seu foco, de

crescimento para florescimento. Se suas plantas já são grandes e

você não deseja que elas cresçam mais, pode usar apenas

nutrientes para florescimento. Se elas ainda estão pequenas, você

pode aumentar seu tamanho fornecendo nutrição de crescimento

por algumas semanas.


Após as três primeiras semanas, você perceberá que a planta

atingiu seu crescimento máximo.

Elas agora param de crescer em altura, e começam a aumentar

suas flores.

Nesse momento é importante fornecer nutrientes para a flora, pois

as plantas precisam muito de fósforo e potássio. Eles são os

principais nutrientes da formação das flores.

Cada planta floresce de um jeito, portanto, algumas strains vão ter

um rápido aumento no tamanho das flores durante a terceira e

quinta semana de flora, enquanto outras vão aumentar mesmo nas

semanas finais.

Isso significa que você terá que observar o desenvolvimento das

suas plantas, e entender as necessidades, nutricionais. Muitos

cultivadores iniciantes começam bem, e por isso pensam que tudo

está bem.

Após algumas semanas, as necessidades da planta mudam, e o

cultivador continua dando os mesmos nutrientes. Isso pode resultar

em uma colheita baixa.

Para obtermos uma boa floração, é necessário que as plantas

tenham dióxido de carbono suficiente.

Elas precisam de CO2 para um crescimento vigoroso durante as

horas de luz.

Quanto mais CO2 no ar, mais rápido suas plantas crescerão, e

melhor será sua tolerância a altas temperaturas.

Cuide da ventilação, pois pouca ventilação produz plantas fracas.

Um ventilador rodando é outro equipamento muito importante.

Ele não apenas garante circulação de ar no espaço, misturando o

ar quente e frio, como as plantas também adoram um bom vento.

Graças a ele, suas plantas desenvolverão caules grossos,

resultando em flores pesadas.

Como você já sabe, um caule grosso vai determinar a qualidade

de suas flores em muitos aspectos.

As semanas mais importantes no período de flora são entre a

terceira e a quinta, para a maioria das plantas.

Nesse momento a maioria das plantas estará mandando toda

energia para desenvolver suas flores.

Nessas semanas elas crescerão rapidamente, agora é a hora de

garantir que tudo aconteça perfeitamente.


O começo da terceira semana também é o último momento

para borrifar suas plantas com preventivos orgânicos, as flores

ainda não estão compactas, pode ser boa ideia borrifar

preventivamente, ao invés de esperar a quinta semana e

descobrir que sua planta está cheia de insetos, pois depois

não há muita coisa a se fazer, a não ser fornecer os nutrientes

e apreciar a formação das flores.

Mais e mais pistilos estão sendo produzidos e lentamente

algumas flores se juntam, criando flores maiores, emfim

estamos próximos de colher nossas flores mais ainda devemos

por fim aplicar algumas técnicas para que possamos ter o

melhor proveito de rendimento e sabor.


COLHEITA
Emfim estamos próximos do fim, voce ja consegue viasualizar

aquelas belas flores, e chegou o momento de colher,espero

sinceramente que este ebook tenha te ajudado a se tornar um

cultivador Dedo Verde e colher suas flores de qualidade, a

sensação de colher sua própria ganja é insubstituivel, voce tem

conhecimento exatamente do que de fato tem em sua erva.

Esse é o final do ciclo desse cultivo, porém sua jornada esta

apenas começando amigo grower, agora voce tem a habilidade

para cultivar cannabis de alta qualidade, mesmo como iniciante, e

cometendo alguns erros, vai ser um produto muito superior ao que

o mercado negro oferece.

Lembre-se disso voce nao precisa deles para adiquirir erva de

qualidade. Se por acaso algumas coisas deram errado neste

ciclo,voce vai aprender com seus erros e a cada ciclo vai

melhoraraté acertar.

No final, geralmente no inicio são erros bestas que cometemos,

pela falta de prática portanto, nunca pare de pesquisar.

Informação é poder!

Se tudo saiu como esperado nas ultimas 8-12 semanas de floração,

que é o tempo que a maioria das variedades precisa para florir, é

hora da colheita.

Desde que você não tenha causado uma overdose de fertilizantes,

você deverá ter belos buds com cores vivas e perfumados, esse é o

cheiro da liberdade cannábica.

Overfert pode causar danos às plantas, e é melhor dar pouco

nutriente do que muito.

Ao chegar na penúltima semana da colheita, deve-se cortar o uso

de fertilizantes, o excesso de nutrientes ainda vão alimentar ela

nessa ultima semana, agora é momento de limpar este excesso

para que isso não afete o sabor de sua colheita ou até mesmo

cessar completamente na última semana. Se as plantas

amarelarem, é na verdade um bom sinal. As plantas estão sugando

as últimas gotas de nutrientes de suas próprias folhas, o que

significa menos resíduos de nutrientes nos buds. O resultado será

um fumo mais suave.


Ponto da colheita
Antes de definitivamente fazer o corte final, você precisa se

certificar que ela está no ponto. Essa análise pode ser feita

através dos pistilos quando 70% estiver marrom, embora devemos

lembrar que esta não é a forma mais precisa.

O ponto exato só pode ser visto através dos Tricomas (cristais de

THC) , você vai precisa de um microscópio de no minimo 60x para

poder fazer esta visualização.

Ponto de colheita
Tricomas 50% ambar - 50% leitosos

Este é o ponto mais indicado por ter seus efeitos equilibrados


se voce cortar muito cedo, os efeitos ficam muito eufóricos, e se
passar do ponto fica muito narcótico
Flush
Após ter cortados os nutrients, devemos fazer flush para eliminar

residuos de sais mineirais que podem ter ficado devido a meses de

aplicação dos fertilizantes. Para uma limpeza com eficácia você

deve fornecer 3x de água a litragem do vaso. Por exemplo um vaso

de 20L vai precisar de 60L de água para eliminar totalmente estes

sais, hoje em dia já existem produtos especificos das marcas de

ferts que ajudam a fazer esta limpeza FLUSH.

Após realizar o flush, voce precisar deixar que sua planta absorva o

resto de agua de forma que ela fique seca, este flush deve ser

realizado com 2 a 4 dias de antecendencia da colheita para que

de tempo da planta beber toda essa rega.

Com a pausa dos nutrientes, flush realizado, e vaso seco após a

absorção, voce deve colocar sua planta no escuro total de 24-

48h, pois isso vai estimular mais produção da resina, lembre-se que

o THC é um mecanismo de defesa da planta, ao procurar luz e não

encontrar,devido a este stress ela vai dar uma produzida extra de

resina antes de voce fazer a colheita.

Manicure
Há várias formas de colher suas plantas. Isso pode depender

principalmente do número de plantas e do tamanho delas.

O método mais comum e o que eu prefiro, é sempre manicurar as

plantas com ela ainda "úmida".

Nós limpamos os buds, tirando as folhas em ficam nas flores

imediatamente após a colheita.

Essas folhas contém THC, portanto, vamos guardá-las para depois

fazer hash.

Para melhorar a qualidade de seu haxixe, não misture as folhas

grandes, que nao contem  quase nenhum THC, com as folhas

pequenas e cheias de cristais, próximas dos buds.

As folhas grandes podem ser removidas 2-3 dias antes da colheita,

ao fazer isso você torna a manicure ainda mais fácil e rápida, pois

facilita o trabalho de manicurar suas flores.

Você pode decidir se faz isso ou não. Uma vantagem de remover

as folhas maiores mais cedo, por exemplo uma semana antes da

colheita, é que os buds menores vão receber uma luz extra, pois

normalmente eles ficam na sombra da própria planta por essas

folhas.
Ao manicurar os buds com eles ainda úmidos, é possível fazer uma

limpeza mais detalhada as flores do que seria possível com ele já

seco.

O começo pode ser difícil, mas em dez minutos você se acostuma e já

terá encontrado a melhor técnica.

Não se trata de um trabalho difícil, existem vários modelos de tesouras

para manicure, então você terá que experimentar até encontrar a que

melhor funciona para seu modo de manicurar. Tesouras baratas que

não são afiadas o suficiente logo se mostrarão inúteis, elas no final

causam mais trabalho, inclusive desconforto ao manusear e tornam a

manicure mais longa. Após um curto período de limpeza, você terá

uma boa quantidade de THC em suas lâminas.

Manicure Seca
Um segundo método usado é a manicure das plantas já secas. Nessa

técnica, você primeiro permite que as plantas sequem antes de limpá-

las. 

Os galhos são cortados e pendurados na sala de secagem. Secar as

flores dessa forma leva um pouco mais de tempo do que com a

manicure úmida.

É um método usado quando há uma maior quantidade de plantas e

menor tempo disponível, flores secas são mais difíceis de manicurar, e

acabam menos limpos.

Há uma perda relativamente maior de THC, pois eles se soltam mais

facilmente com a flor seca mas isso é relativo; ainda há uma enorme

quantidade presente nas flores.

Quanto mais seco, mais facilmente ele se desprende. Esse método é

usado principalmente em cultivos outdoor. As enormes plantas são

penduradas de cabeça para baixo e sistematicamente colhidas.

Ao se cultivar um grande número de plantas menores em indoor, esse

método também é usado. Não há maneira errada de manicurar,

apenas depende do sistema de cultivo que você usar.

Local de manicure
Faça a manicure em um local adequado, bem ventilado, para fazer a

colheita, se o seu espaço de cultivo é grande o suficiente, faça isso lá

mesmo para aproveitar a ventilação.

Se tiver que fazer em um quarto diferente, descobrirá que as plantas

exalam um forte odor, portanto mantenha a porta fechada, só abrindo

para adicionar ou retirar as plantas.

Nunca incomode seus vizinhos, lembre-se. Mesmo o cheiro de

cannabis fresca, que pode ser divino para os cultivadores, pode

revoltar algumas pessoas.

Um pequeno exaustor com filtro de carvão ativado vai manter o cheiro

fraco no momento da manicure. Você perceberá que não sente o

cheiro porque já está acostumado nunca subestime o impacto do

aroma de suas plantas.


SECAGEM
É importante tomar cuidado no final de sua colheita, afinal, após

vários meses de trabalho, a ultima coisa que você vai querer é

colocar tudo a perder para o mofo.

O local ideal para secar seus buds é escuro e fresco, e seco, entre

15ºC e 22ºC.
Não é aconselhado fornecer um clima mais quente porque os

ingredientes ativos precisam de tempo para maturar

apropriadamente, para que você tenha um efeito bom ao consumir.

É melhor secar a cannabis lentamente por duas semanas, ao invés de

colocá-las em um quarto quente para acelerar seu processo de

secagem, isso não melhora a qualidade final do produto.

Secar rapidamente os buds colocando no microondas ou forno porque

você está temporariamente sem cannabis não faz sentido eles não

apenas irão ter um gosto horrível, como você terá um efeito fraco e

desagradável.

A cannabis precisa de tempo para obter seu total potencial, é

exatamente por estes fatores que o produto do mercado negro é

péssimo, pois não dão a devida atenção a secagem e cura.

Não é porque está seca que já está pronta para o consumo. Quando

colocar suas flores para secar, verifique se o ambiente possui boa

circulação de ar.

Não é recomendável colocar sobre jornal ou papelão, existem

suportes de secagem específicos, e eu recomendo que você compre

um em uma loja de cultivo local, estes suportes possuem apoios

vazados, portanto o ar passa por baixo delas. Papelão ou jornal não

são aerados, portanto o lado em contato com o material sempre terá

maior dificuldade em evaporar, o que aumenta chances de mofo.

Não empilhe as flores, espalhe elas sobre o suporte.

Dessa forma, voce evita as chances do surgimento do mofo entre as


O ponto certo da secagem
flores.
Quando dobrar o galho  deve quebrar.
Cerca de 75% do peso das flores é formado por água, que irá

evaporar no processo de secagem, nós temos risco de mofo quando

essa umidade tem problemas em evaporar.

Se você começa com 500 gramas de flores úmidas, você terminará

com 125 gramas de flores secas.

Temperaturas muito baixas podem fazer com que os buds passem

muito tempo úmidos, e isso também aumenta o risco de mofo.

Sempre há esporos de mofo flutuando no ar, mas eles apenas se

desenvolvem quando você cria as condições adequadas. Ventilação

insuficiente, por ficarem em espaços muito pequenos, é a principal

causa de problemas nos buds. Desde que você tome os devidos

cuidados, não há porque se preocupar com mofo.


CURA
Após uma semana os pequenos buds estarão geralmente secos, ao

passo que os buds maiores precisarão de até duas semanas, se você

tiver flores  maiores em seu jardim, eles podem demorar ainda mais

alguns dias.

Você pode escolher secar o bud inteiro, ou desmontá-lo, pois as

flores  maiores é a união de várias flores menores.

O modo para saber se já está seca a cannabis, é pegar um bud e

tentar quebrar seu ramo, quando o ramo quebrar facilmente, a flor

estará seca.

Todos as suas flores precisam estar devidamente secas antes de

curar, lembre-se a ultima coisa que voce vai querer é mofo em suas

flores, as flores secas estarão no ponto de consumo após duas

semanas.

Elas ainda não estarão com a melhor qualidade, mas estarão aptas

para queimar, finalmente, é hora dos primeiros testes, tendo em mente

que elas ainda não estão com seu potencial máximo.

Uma vez que os buds estejam secos e prontos, é hora do

armazenamento e da cura.

Agora eles precisam curar por mais duas semanas, o que soma um

mês de trabalhos após a colheita.

Graças ao processo de cura, o sabor e os efeitos melhorarão com o

tempo, como mencionado, a cannabis precisa de tempo.

Após esse mês o sabor estará muito melhor desenvolvido, embora

algumas variedades precisem de mais tempo de cura, para virarem um

fumo de extrema qualidade.

Os buds estarão bons, é claro, que a cura pode deixá-los ainda

melhores.

No final, tudo acaba bem e ficamos com uma pilha de restos de

folhas, resultado da manicure.

Agora temos um suprimento de fumo e também de haxixe, que

podemos utilizar em conjunto.


GUIA PARA
CURAR
Após ter secado suas flores, voce deve realizar esse procedimento

para curar de forma corretas suas flores, como falamos anteriormente.

1º Passo: Voce deve desagrupar os buds dos galhos, soltando eles


totalmente.

2º Passo: Coloque as flores em potes herméticos. Para que o


processo de cura se inicie, sua erva está seca, porem ainda tem

bastante clorofila em sua composição o processo de cura vai fazer

com que aos poucos a clorofila seja dispersada, dando mais sabor as

suas flores.

Coloque as flores de forma que fiquem com espaços no recipiente,

enchendo-os até 80%do espaço sem compactar ou esmagar as flores.

3º Passo: Feche os recipientes e deixe em um local fresco, seco e


escuro para concluir o processo de cura. No primeiro dia, você notará

que os botões não são mais crocantes e secos do lado de fora, pois a

umidade do interior das flores reidrata as partes externas.

Se possivel é aconselhado que voce utilize um sache de BOVEDA ou

outro, ele ajuda muito no processo de secagem, fornecendo cor,

consistencia e textura ideais, formando aquelas buds crocantes e

secos na medida ideal


4º Passo: Durante a primeira semana, abra os recipientes várias
vezes por dia e deixe as flores “respirarem” por alguns minutos.Para

queaconteça a troca de ar, para que a umidade escape e reponha o

oxigênio dentro do pote.

Se você notar o cheiro de amônia ao abrir um pote, isso significa que

os buds não estão secos o suficiente para serem curados e bactérias

anaeróbias estão se proliferando, o que levará à cannabis a ficar

mofada e podre.

Após a primeira semana, você só precisará abrir os potes uma vez a

cada poucos dias.

Após 2 a 3 semanas nos potes, suas flores deverá estar curada o

suficiente para proporcionar uma experiência de qualidade, mas 4 a 8

semanas de tempo de cura a melhorarão ainda mais.

Algumas cepas se beneficiam de 6 meses ou mais de cura.

O processo de cura é possivelmente o aspecto mais negligenciado da

produção de cannabis.

Com cuidados e atenção a cura, voce pode tirar o que há de melhor

em termos de qualidade da sua colheita.


BÔNUS EXTRA
CONSERVANDO SUA GANJA
POR LONGOS PERÍODOS
Para conservar por longos períodos de tempo, o

armazenamento minucioso, e todo cuidado é pouco.

Muito seco e você pode reduzir a qualidade; muito úmido e

você corre o risco de mofo. 

Esses são fatores muito importantes, certifique-se de que suas

flores esmeraldas estão totalmente curadas para

começar; esse é o primeiro passo para um armazenamento de

longo prazo bem-sucedido. 

A cura permite uma umidade interna perfeita do material. 

Não há maneira perfeita de armazenar cannabis por longos

períodos pois isso depende dos hábitos de cada consumidor. 

Em alguns casos, o usuario vai consumir tão rapido quanto o

cultivo e talvez só precisem ser armazenados por até 8

semanas. Mas dependendo da sua região e tempo voce faça

apenas um ciclo de cultivo por ano, então precise armazenar

seu estoque até a proxima colheita, o que pode variar de 9

meses a 1 ano.

Condições de armazenamento para longo prazo


A faixa ideal de umidade para o armazenamento de cannabis

é de 55 a 62%. Essa faixa inibe o crescimento de fungos, mas

garante a qualidade da gemas e a integridade da resina. 

Um conteúdo de umidade bem equilibrado em sua atmosfera

imediata manterá os botões crocantes, aromáticos e potentes

por meses.

Como muitos alimentos que são armazenados a longo prazo,

você deve "Guardar em um local fresco e escuro".

Um local fresco e com temperatura estável, longe da luz, é

perfeito para armazenar a cannabis a longo prazo. 

A luz degrada o THC e o calor causará mofo.


MÉTODOS DE
ARMAZENAMENTO
Potes Herméticos: Certifique-se de que eles são de qualidade, com
selos de borracha duráveis. 

A integridade segura dos alimentos é o que você precisa, não apenas

um frasco com boa aparência. 

O ar é seu inimigo, uma vez que os botões são curados

corretamente. Encha o jarro com folga e coloque um boveda e feche

bem a tampa.

Umidificador de ervas (boveda) Se você tiver dinheiro, é um

investimento à prova de falhas.

Pois eles são feitos para cannabis, estas unidades mantêm a

humidade perfeitamente estável em tempo real.

Sacos a vácuo : Sacos de selagem a vácuo 1: Este é o tipo de


conservação de alimentos. Dependendo do tamanho da máquina,

você pode armazenar 50-1000g de cannabis. 

Esses sacos retiram todo o ar, o que é um grande fator na limitação

da produção de moldes. Há alguma perda na qualidade das gemas

físicas devido à compressão, mas os sabores e aromas permanecem

intactos. A ganja dura quase indefinidamente quando curada

corretamente e selada a vácuo. 

As bolsas costumam ser armazenadas na geladeira ou no freezer por

muito tempo.
Sacos de vedação a vácuo 2: Estes são os sacos do tipo de
armazenamento de roupas, em que o ar é extraído com um aspirador

de pó. 

Esses sacos mais grossos têm um fecho de correr hermético. 

Um aspirador de pó pode prender-se a um bocal no saco para sugar

o ar e manter os botões durando mais e mantendo-se fresco. 

Estes sacos maiores são ideais para o produtor sazonal. Um

verdadeiro entusiasta precisará armazenar quilos para durar doze

meses. 

Assim como um paciente medicinal fazendo extrações. 

Como os sacos de vácuo acima mencionados, estes também podem

ser armazenados na geladeira ou no freezer.

Boas Prática de armazenamento para longo prazo:


1ºMantenha a calma, evite o calor. 
Mantenha longe dos canos, das costas dos aquecedores, ou de

eletrodomésticos que emitem calor.

Irmãos e irmãs compartilhamos de suas preocupações, e sentimos sua

dor.

2º Guarde no ambiente escuro, a luz degrada o THC.

3º Seja claro, se você estiver processando quantidades significativas


de erva, você não quer inocular nada com esporos que você possa

acidentalmente trazer. Além disso, certifique-se de que os frascos e

as bolsas estejam limpos.

4º Cure corretamente, o armazenamento a longo prazo depende


muito da ganja estar devidamente curada, a cura é uma habilidade

primária para se desenvolver como cultivador de cannabis.

5º Use potes de cerâmica ou vidro, não use plástico pois ele pode
incentivar a transpiração.
MISSÃO
CONCLUIDA

Parabéns meu caro peregrino dedo verde, você agora tem o conhecimento e as habilidades
necessárias para obter sua própria Ganja, se você chegou ate aqui, você vai se deliciar com
suas flores cheirosa pelos próximos meses, você colhe o que planta. Lembre-se aprecie com
moderação, e siga na missão. Continue estudando e ampliando seus conhecimentos, sua
independência cannábica vai depender exclusivamente da sua persistência e da continuidade
dos seus ciclos de cultivo.

Espero de coração que este ebook tenha te ajudado, repasse para seus amigos para que
nossa luta seja cada vez mais forte, vamos deixar este Brasil mais verde! 
Vá em paz irmão, Jah nos acompanha sempre.

Chega de guerra, só queremos paz!

Free Plants Open Minds


,

Você também pode gostar