Você está na página 1de 2

E.T.E.C.

Guaracy Silveira
Curso de Sociologia – UNIDADE 1: A FUNDAÇÃO DA SOCIOLOGIA: O POSITIVISMO – Abr/2009
TEXTO 3: A SOCIOLOGIA DE AUGUSTE COMTE (1798-1857)
Texto extraído de Maria Cristina Castilho Costa, Sociologia: Introdução à Ciência da
Sociedade.1986
--- o o O o o ---

A primeira corrente de pensamento naturalmente a níveis de maior


sociológico propriamente dita foi o complexidade e progresso na escala da
positivismo, a primeira teoria a organizar evolução social, até atingir o “topo”, isto
alguns princípios a respeito do homem e é, a sociedade industrial européia.
da sociedade tentando explica-los DUAS FORMAS DE AVALIAR MUDANÇAS SOCIAIS
cientificamente. Seu primeiro
Entretanto, apesar do otimismo
representante e principal sistematizador positivista em relação ao caráter apto e
foi o pensador francês Auguste Comte
evoluído da sociedade européia, o
(1798-1857). desenvolvimento industrial fazia emergir
O positivismo derivou do
a todo momento novos conflitos sociais.
“cientificismo”, isto é, da crença no Os empobrecidos e explorados, operários
poder exclusivo e absoluto da razão
e camponeses, organizavam-se exigindo
humana em conhecer a realidade e mudança políticas e econômicas. Seriam
traduzi-la sob a forma de leis naturais.
essas reivindicações sinal de que a
Essas leis seriam a base da sociedade industrial não era tão
regulamentação da vida do homem, da
adaptada e evoluída? A essa questão, os
natureza como um todo e do próprio primeiros pesadores sociais positivistas
universo. Seu conhecimento viria
responderam com as idéias de o r d e m e
substituir as explicações teológicas até progresso.
então aceitas.
Haveria, então, dois tipos
...Essa tentativa de derivar as característicos de
ciências sociais das ciências físicas é
movimentos na sociedade. Um levaria à
patente nas obras dos primeiros a evolução, transformando as sociedades
estudarem metodicamente a realidade
segundo a lei universal da mais simples à
social. O próprio Comte deu inicialmente mais complexa, da menos avançada da
o nome de “física social” às suas
mais simples. Outro procuraria ajustar
análises da sociedade, antes de criar o todos os indivíduos às condições
termo “Sociologia”.
estabelecidas que garantiam o melhor
Entretanto, não era apenas quanto ao funcionamento da sociedade, o bem
método de investigação que essa filosofia
comum e os anseios da maioria da
social positivista se aproximava das população. Esses dois movimentos
ciências da natureza. A própria sociedade
revelariam a mudança de toda a
foi concebida como um organismo sociedade em direção à o r d e m , isto é,
constituído de partes integradas e coesas
integração e ajustamento dos elementos
que funcionavam harmonicamente, aos princípios reguladores do organismo
segundo um modelo físico ou mecânico.
social, e ao p r o g r e s s o , a transformação
Por isso o positivismo foi chamado visando formas mais evoluídas de vida.
também de organicismo.
Os movimentos reivindicatórios
Podemos apontar, portanto, como deveriam ser contidos sempre que
primeiro princípio teórico dessa escola a
pusessem em risco a ordem...
tentativa de constituir seu objeto, pautar Auguste Comte identificou na
seus métodos e elaborar seus conceitos à
sociedade esses dois movimentos vitais:
luz das ciências naturais, procurando chamou de dinâmico o que representava
dessa maneira chegar à mesma
a passagem para formas mais complexas
objetividade e ao mesmo êxito nas de existência, como a industrialização; e
formas de controle sobre os fenômenos
de estático o responsável pela
estudados. preservação dos elementos permanentes
...Os primeiros cientistas sociais
de toda organização social, isto é, as
positivistas, combinando as concepções instituições que mantinham a coesão e
organicistas e evolucionistas inspiradas
garantiam o funcionamento da sociedade:
[em] Darwin, entendiam que as família, religião, propriedade, linguagem,
sociedades tradicionais encontradas na
direito etc. Comte relacionava os dois
África, Ásia, América e Oceania não eram movimentos vitais de modo a privilegiar o
senão “fósseis vivos”, exemplares de
estático sobre o dinâmico, a
estágios anteriores, “primitivos”, do conservação sobre a mudança. Isso
passado da humanidade. Assim, as
significava que, para ele, o progresso
sociedades mais simples e de tecnologia destinava-se a aperfeiçoar os elementos
menos avançada deveriam dirigir-se
da ordem, e não destruí-la.
Assim, se justifica a intervenção do na
sociedade sempre fosse necessário
assegurar a ordem ou elevá-la ao
progresso. A existência da sociedade
burguesa industrial era defendida [pelos
positivistas] tanto em face dos
movimentos reivindicativos que
aconteciam em seu próprio interior
quanto em face da resistência das
sociedades agrárias e pré-mercantis em
aceitar o modelo europeu.
DA FILOSOFIA SOCIAL À SOCIOLOGIA
O positivismo foi, portanto, o
pensamento que glorificou a sociedade
européia do século XIX em franca
expansão. Buscava justificar, através de
um método científico adequado, os
padrões burgueses e industriais de
organização social. Procurava resolver os
conflitos sociais por meio da exaltação à
coesão, à harmonia natural entre os
indivíduos, ao bem-estar do todo social.
Por mais evidentes que se tornem hoje
os limites, interesses, ideologias e
preconceitos inscritos nos estudos
positivistas da sociedade, por mais que
eles tenham servido como lemas de ação
política conservadora, como justificativa
para as relações desiguais entre
sociedades, é preciso lembrar que eles
representaram o primeiro esforço
relevante de análise científica da
sociedade.
A maioria dos primeiros pensadores
sociais positivistas permanece, pois,
presa a uma reflexão de natureza
filosófica sobre a história e a ação
humanas. Procedimentos de natureza
científica, análises sociológicas baseadas
em fatos observados com maior critério
só serão introduzidos por Émile Durkheim
e seu grupo...