Você está na página 1de 2

Plano

de Aula: Lei de Drogas I. Lei n.11343/2006


DIREITO PENAL IV - CCJ0242

Título

Lei de Drogas I. Lei n.11343/2006

Número de Aulas por Semana

Número de Semana de Aula

Tema

Política Criminal de Drogas. Prevenção e Tratamento usuário. Figuras Típicas

Objetivos

Reconhecer os diferenciados modelos de política criminal adotados para as


condutas típicas de uso indevido e tráfico ilícito de drogas.

Identificar as condutas típicas de uso indevido de drogas.

Identificar os consectários penais das condutas típicas de uso indevido de


drogas.

Estrutura do Conteúdo

Aplicação Prática Teórica

Leia a situação hipotética abaixo e responda, de forma objetiva e


fundamentada, às questões formuladas:

ADALTO foi abordado por policiais militares que faziam ronda próximo a uma
Universidade particular. Ao perceberem a atitude suspeita de ADALTO, os
policiais resolveram proceder a revista pessoal e identificaram que ADALTO
trazia consigo um cigarro (0,279g) e uma porção de maconha (0,594g),
totalizando 0,873g. Alegou inicialmente que se tratava de droga para consumo
pessoal, tendo sido lavrado termo circunstanciado consoante o disposto no
art.48, §2º, da lei n.11343/2006 e designada audiência preliminar. Ante o
exposto, responda de forma objetiva e fundamentada às questões abaixo:

a) Qual a correta tipificação da conduta de ADALTO?

b) Há alguma tese defensiva com vistas à exclusão da


responsabilidade jurídico-penal da conduta de ADALTO?

c) Aplicam-se as medidas despenalizadoras da lei n.9099/1995?

d) Caso ADALTO tivesse sido flagrado dividindo o cigarro de


maconha com sua namorada, sua conduta poderia ser
caracterizada como tráfico ilícito de drogas?

Questão objetiva.

Em relação aos crimes previstos na lei n.11343/2006 para fins de prevenção


do uso indevido, é correto afirmar que: (Concursos Públicos – Modificadas)

a) Aquele que oferece droga, eventualmente e sem objetivo de lucro, à pessoa


de seu relacionamento, para juntos a consumirem, pratica crime equiparado a
hediondo de modo a ensejar a aplicação dos institutos repressores previstos
na lei n. 8072/1990

b) O cultivo de drogas para consumo próprio não configura crime.

c) Prescrevem em 5 (cinco) anos a imposição e a execução das penas,


observado, no tocante à interrupção do prazo, o disposto nos arts. 107 e
seguintes do Código Penal.

d) Para determinar se a droga destinava-se a consumo pessoal, o juiz atenderá


à quantidade da substância apreendida, ao local e às condições em que se
desenvolveu a ação, às circunstâncias sociais e pessoais, bem como à
conduta e aos antecedentes do agente, sendo irrelevante a natureza da
droga.

e) Em se tratando de “posse de droga para consumo pessoal”, previsto no


artigo 28, da Lei n° 11.343/2006, os lapsos prescricionais tanto da pretensão
punitiva quanto da executória são de 2 (dois) anos, reduzidos da metade se o
agente, ao tempo do crime, era menor de 21 (vinte e um) anos, ou, na data da
sentença, maior de 70 (setenta) anos.

Você também pode gostar