Você está na página 1de 6

Assertividade

O QUE É ASSERTIVIDADE
É falar e agir com sinceridade, sem inibição, temor ou agressividade. É ser claro e
afirmativo, sem deixar dúvidas sobre o que pensamos e sentimos, porém, sem
agredir ou provocar incômodo demasiado na outra pessoa. Assim, assertividade é a
arte de defender nosso espaço vital, nosso “mundinho particular”, sem recuar e
sem agredir.
Nem sempre é fácil nos expressarmos dessa forma porque, desde pequenos, nos
ensinaram que a passividade, a omissão e até mesmo a submissão, em alguns
casos, seriam nossas aliadas para viver em paz e longe dos conflitos. Essa cultura é
o maior obstáculo para que adotemos atitudes assertivas no nosso dia-a-dia. A
assertividade é tida como a mais eficaz forma de defesa do nosso espaço vital.

PRINCÍPIOS DA ASSERTIVIDADE
A postura assertiva fundamenta-se nos seguintes princípios:
1. Na qualidade da comunicação interpessoal.
2. Na aceitação das limitações do outro, sem agressividade.
3. No respeito ao posicionamento do outro.
4. Na confiança entre as partes.
5. No reconhecimento das “reais” intenções do emissor e do receptor da
mensagem.

PERFIL DE UMA PESSOA ASSERTIVA


1. Expressa seus sentimentos com espontaneidade, naturalidade e calma.
2. Adota uma posição clara e transparente, sem disfarces ou máscaras.
3. Diz sim ou não como decorrência de análise imparcial e jamais
tendenciosa.
4. Enfrenta o problema e não a pessoa; seu foco é o “fato” e não o “agente
do fato”.
5. É firme, quando necessário, sem ferir ninguém.
6. Sabe ser flexível, sem abandonar seu espaço vital nem invadir o do outro.
7. Faz valer os seus direitos sem, contudo, negar os direitos dos outros, que
considera tão importante quanto os seus.
Cinco motivos para aumentar sua
assertividade
 Diminui sua ansiedade

Pessoas assertivas são menos tensas e estressadas em situações de


conflito, pois você assume com mais segurança suas próprias opiniões e se
mantém relaxado e alerta o suficiente para defendê-las com presença de
espírito.

Expande sua liberdade

Tomar o controle da própria vida e decidir por você mesmo o que fazer e
por que, desperta um sentimento de liberdade e poder que as pessoas
passivas jamais conhecem. Não há substitutos para o sentimento de tomar
a responsabilidade sobre a própria vida e defende-la com afinco.

Ganha tempo livre

Ajudar outras pessoas é uma atitude positiva que nos torna seres
humanos melhores, mas há muitas oportunidades em que devemos
dizer não. Nosso tempo é precioso, e aprender a dizer não é uma forma de
delimitar o quando estamos dispostos a doá-lo ou usá-lo em proveito
próprio.

Melhora a qualidade dos seus relacionamentos

Se você passou a vida inteira agindo passivamente, as pessoas ao seu


redor não ficarão felizes com sua nova fase assertiva. Naturalmente, será
muitas vezes chamado de egoísta ou arrogante, especialmente por aqueles
que abusavam do seu tempo sem o menor respeito.
Com o tempo, entretanto, a assertividade contribui para que a
qualidade dos relacionamentos melhore muito, pois as relações de
poder se equilibram, as conversas se tornam muito mais sinceras e
construtivas, e as pessoas têm o privilégio de conhecer a melhor parte
umas das outras.

Melhora sua auto-imagem

Muitas pessoas deixam suas opiniões próprias porque têm medo de que
seus parentes ou amigos deixem de gostar deles, ou porque receiam que
suas idéias sejam vistas como inúteis ou imbecis.

Esta atitude não resolve seus problemas, apenas perpetua uma


posição passiva de baixa auto-estima. Naturalmente, ao emitir
posicionamentos próprios, você será eventualmente criticado ou até mesmo
ridicularizado, mas isso não preocupa pessoas assertivas, pois mesmo
falando besteiras vez por outra, já conquistaram antes o respeito das outras
pessoas e, principalmente, de si próprias.

Como aumentar sua assertividade

Há muitos motivos para se tornar mais assertivo, mas em resumo isso

significa se tornar mais seguro, autêntico e feliz, adaptado às interações

sociais e disputas de poder ao seu redor. Como qualquer outro aprendizado,

envolve consciência do seu padrão atual, estratégia, preparação,

paciência e prática.

Observe seu comportamento antes de tentar mudá-lo

Observe e faça uma lista das situações que o deixam

desconfortável, quando fica aprisionado em padrões passivos ou


agressivos, quando tem dificuldade em expressar opiniões ou simplesmente

dizer NÃO.

Identifique seus medos

Todo comportamento de retração ou passividade envolve algum tipo de

medo. Por que será que às vezes é simplesmente tão difícil defender seus

próprios interesses? Será que tem medo do que vão pensar? Medo do que

vai acontecer depois?

Quando se surpreender com estes pensamentos auto-defensivos,

substitua-os por outros mais afirmativos, afinal, se você não defende

seus próprios interesses, quem é que fazer isso por você? Além disso,

situações desconfortáveis freqüentemente se repetem.

Evite rótulos negativos

Tão grave quanto chamar-se de ‘covarde’ ou ‘fraco’ quando se recua

em uma situação de confronto é chamar-se de ‘egoísta’ ou ‘sem

educação’ quando se recusa a aceitar uma imposição passivamente. A

visão de mi mesma mais justa é a de um ser humano em progresso,

defendendo seu próprio espaço equilibradamente, sem covardia e

também sem exageros.

Prepare-se para respostas negativas

A maneira mais fácil de evitar o confronto é ceder: deixa a outra parte

feliz, mas você sai com 100% de perda. Ao posicionar-se em defesa

própria, você deve se preparar para uma resposta negativa da outra

pessoa, especialmente se ela já estava acostumada a se impor e não

encontrar resistência.
Ao mudar o comportamento e se tornar mais assertivo, você deve

estar pronto para dialogar mais, argumentar mais, saber quais são os seus

valores mais importantes e, sobretudo, agüentar pressão.

Não por coincidência, essa é a descrição de comportamento de uma

pessoa centrada, atenta e confiante.

Comece devagar e dê pequenos passos

Há muitas maneiras de começar a reverter um comportamento passivo,

especialmente em situações corriqueiras e sem cargas emocionais.

Exemplos:

• Chamar o garçom e pedir para trocar um copo que não lhe parece
limpo;
• Dizer ‘não, obrigado, tenha um bom dia’ para o vendedor de
telemarketing;
• Recusar balinhas e exigir moedas como trocado;
• Agradecer o conselho de um colega de trabalho, mas agir de acordo
com seu próprio entendimento;

Aprenda a dizer não, às vezes

Diga sim sempre que puder ou considerar justo, mas saiba dizer não

quando necessário. Ajudar outras pessoas e ser generoso lhe dá

tranqüilidade de espírito também para negar favores, quando não forem

razoáveis, sem se sentir culpado depois.

A melhor maneira de dizer não é usar somente ESTA PALAVRA, três

letras, não mais. Ao menos que a situação exija, ou se trate de uma pessoa

realmente importante, não se deve ficar explicando as razões da negativa

ou pedir desculpas. Dizer não é um opção legítima, que não precisa de

justificativa. Ponto.

Encontre seu ponto de equilíbrio


Para quem decidiu aprender a ser mais assertivo, deve-se ter sempre em

conta o significado e o equilíbrio das suas ações. Sem equilíbrio, há o

risco de se tornar uma pessoa que só sabe dizer não, que não ajuda

ninguém, que erra a mão e impõe sua vontade sobre a dos outros.

Há momentos de dizer não e há momentos de dizer sim, há momentos

de se impor e há momentos de ceder. Conquistar a assertividade significa

estar consciente e confiante sobre seus valores, assumir a

responsabilidade sobre escolhas e agir de forma autêntica,

respeitando o espaço alheio, mas, principalmente, o seu.

Você também pode gostar