Você está na página 1de 3

Figuras de linguagem

As figuras de linguagem são recursos que tornam mais expressivas as mensagens.


Subdividem-se em figuras de som, figuras de construção, figuras de pensamento e figuras de palavras.

Figuras de som
a) aliteração: consiste na repetição ordenada de mesmos sons consonantais.
"Belos beijos bailavam bebendo breves brumas boreais" (Luan Farigotini)
b) assonância: consiste na repetição ordenada de sons vocálicos idênticos.
Essa desmesura de paixão
É loucura do coração
Minha foz do Iguaçu
Polo sul, meu azul
Luz do sentimento nu
(Linha do Equador – Djavan)

Figuras de construção
a) elipse: consiste na omissão de um termo facilmente identificável pelo contexto.
“Na sala, apenas quatro ou cinco convidados.” (omissão de havia)
b) zeugma: consiste na elipse de um termo que já apareceu antes.
Ela come pizza; eu, carne. (omissão de como)
c) polissíndeto: consiste na repetição de conectivos ligando termos da oração ou elementos do período.
" No aconchego do quarto, na paciência e no sossego; trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!" assíndeto seria o contrário do
polissíndeto. Ex. Vim, lutei, venci. Não houve a conjunção “e”.

d) inversão ou hipérbato: consiste na mudança da ordem natural dos termos na frase.


São como cristais suas lágrimas.
Batia acelerado meu coração.
Passeava ela pelo jardim florido.
e) anacoluto: consiste em deixar um termo solto na frase. Normalmente, isso ocorre porque se inicia uma determinada
construção sintática e depois se opta por outra.
“Eu, toda vez que chego, você me chama pra conversar.”
“Meu vizinho, ouvi dizer que está muito doente.”
“Eu, ele está sempre querendo conversar comigo.”
f) pleonasmo: consiste numa redundância cuja finalidade é reforçar a mensagem.
Entrei para dentro faz cinco minutos.
O vereador da cidade foi assassinado.
g) anáfora: consiste na repetição de uma mesma palavra no início de versos ou frases.
Amor é um fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer (Camões)
Figuras de pensamento
a) antítese: consiste na aproximação de termos contrários, de palavras que se opõem pelo sentido.
"Eu vi a cara da morte, e ela estava viva". (Cazuza)
b) ironia: é a figura que apresenta um termo em sentido oposto ao usual, obtendo-se, com isso, efeito crítico ou humorístico.
“Fale mais alto, lá da esquina ainda não dá para ouvir.”
“Que pessoa educada! Entrou sem cumprimentar ninguém.”
c) eufemismo: consiste em substituir uma expressão por outra menos brusca; em síntese, procura-se suavizar alguma
afirmação desagradável.
Seu Jurandir partiu desta para uma melhor. (em vez de ele morreu)
d) hipérbole: trata-se de exagerar uma ideia com finalidade enfática.
Estou morrendo de fome. (em vez de estava com muita fome)
e) prosopopeia ou personificação: consiste em atribuir a seres inanimados predicativos que são próprios de seres animados.

“Devagar as janelas olham...” (Carlos Drummond de Andrade)


f) gradação ou clímax: é a apresentação de ideias em progressão ascendente (clímax) ou descendente (anticlímax)
"O primeiro milhão possuído excita, acirra, assanha a gula do milionário." (Olavo Bilac)

Figuras de palavras
a) metáfora: consiste em empregar um termo com significado diferente do habitual.
“Tua mãe está uma fera.”
Comparação – metáfora com uso de conjunção.
“Tua mãe está brava como uma fera.”
b) metonímia A metonímia consiste em empregar um termo no lugar de outro, havendo entre ambos estreita afinidade ou
relação de sentido.
ex.: Sócrates tomou as mortes. (O efeito é a morte, a causa é o veneno).
c) catacrese: A catacrese costuma ocorrer quando, por falta de um termo específico para designar um conceito, toma-se outro
"emprestado". O pé da mesa estava quebrado.
d) antonomásia ou perífrase: consiste em substituir um nome por uma expressão que o identifique com facilidade:
O Rei do Futebol. (em vez de Pelé)
e) sinestesia: trata-se de mesclar, numa expressão, sensações percebidas por diferentes órgãos do sentido.
"Como era áspero o aroma daquela fruta exótica" (Giuliano Fratin)

Questões de concurso
1. Questão 2763.  PM- SC - Nos trechos: "O pavão é um arco-íris de plumas" e "...de tudo que ele suscita e esplende e
estremece e delira..." enquanto procedimento estilístico, temos, respectivamente:
a) metáfora e polissíndeto;
b) comparação e repetição;
c) metonímia e aliteração;
d) hipérbole e metáfora;
e) anáfora e metáfora.

2. BB - Nos trechos: "...nem um dos autores nacionais ou nacionalizados de oitenta pra lá faltava nas estantes do major" e "...o
essencial é achar-se as palavras que o violão pede e deseja" encontramos, respectivamente, as seguintes figuras de
linguagem:
a) prosopopeia e hipérbole;
b) hipérbole e metonímia;
c) perífrase e hipérbole;
d) metonímia e eufemismo;
e) metonímia e prosopopeia.

3. Prova: IBFC - 2013 - EBSERH - Técnico em Informática


Na frase "O fio da ideia cresceu, engrossou e partiu-se" ocorre processo de gradação. Não há gradação em:
a) O carro arrancou, ganhou velocidade e capotou.
b) O avião decolou, ganhou altura e caiu.
c) O balão inflou, começou a subir e apagou.
d) A inspiração surgiu, tomou conta de sua mente e frustrou-se.
e) João pegou de um livro, ouviu um disco e saiu.

4. Prova: IBGE - No trecho: "...dão um jeito de mudar o mínimo para continuar mandando o máximo", a figura de linguagem
presente é chamada:
a) metáfora
b) hipérbole
c) hipérbato
d) anáfora
e) antítese

5. Questão 2763/  PM-SC -Assinale a alternativa que indica a figura de linguagem que predomina nos versos abaixo. 
Entre o bem e o mal a linha é tênue, meu bem
Entre o amor e o ódio a linha é tênue também 
a) Ironia 
b) Eufemismo 
c) Antítese 
d) Metonímia
e) Anacoluto

6 - Prova: CRSP - PMMG - 2013 - PM-MG - Soldado da Polícia Militar


Marque a alternativa CORRETA. Há zeugma na seguinte assertiva:
A. Minha mãe trabalha numa empresa particular; eu, na pública. 
B. Uma pessoa torpe, uma criatura limitada, um grão de pó perdido no universo, eis o que Roberto é. 
C. Na escuridão da madrugada, corria gente de todos os lados, e atiravam. 
D. Esses escravos que se viram libertos, não penso nada contra eles, mas não servem para nós.

7 - Prova: TJ-SC - 2011 - TJ-SC - Técnico Judiciário - Auxiliar


Assinale a alternativa que contém um exemplo de elipse. 
a) Os candidatos, mesmo estudando um mundo de livros, não obtiveram êxito. 
b) “Tava cansado de carimbar postais...” 
c) Os candidatos soubemos lidar com as questões propostas. 
d) Aos candidatos, nós desejamos-lhes muita sorte. 
e) Ele vestia uma calça dois números menores que o seu.

8 - Prova: IPAD - 2014 - IPEM-PE - Analista - Gestão em Metrologia e Qualidade Industrial - Sistemas Informatizados
As figuras de linguagem são recursos estilísticos da língua portuguesa. Diante desta afirmação, em que consiste a catacrese?
A) Exagero nas ideias.
B) Combinação de diversas impressões sensoriais.
C) Contraste entre duas palavras gerando uma relação de oposição.
D) Se caracteriza pela ausência de um termo adequado a um ser.
E) Omissão de um termo ou expressão.
9 - Prova: CETRO - 2014 - FCP - Operacional Administrativo
Em relação às figuras de linguagem, assinale a alternativa que apresenta uma metonímia.
(A) Ouço Mozart desde criança.
(B) Ele esperou muito tempo por seu doce abraço.
(C) Sua boca é um túmulo.
(D) A perna da mesa estava quebrada.
(E) O ator famoso bateu as botas hoje.

10. PM - TO - Em qual das opções há erro de identificação das figuras?


a) "Um dia hei de ir embora / Adormecer no derradeiro sono." (eufemismo)
b) "A neblina, roçando o chão, cicia, em prece. (prosopopeia)
c) Amo você mais que tudo. (anacoluto)
d) "E fria, fluente, frouxa claridade / Flutua..." (aliteração)
e) "Oh sonora audição colorida do aroma." (sinestesia)
11. Banca UPE - 2014 - Metrô
Nos versos:
“Bomba atômica que aterra
Pomba atônita da paz
Pomba tonta, bomba atômica...”
A repetição de determinados elemento fônicos (consonantais) é um recurso estilístico denominado:
A) hiperbibasmo
B) sinédoque
C) metonímia
D) aliteração
E) metáfora