Você está na página 1de 11

1

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Departamento de Ciências de Educação

Curso de Licenciatura em Ensino de Geografia

As Funções do Solo no Meio Ambiente

Marta Fernando Mahocha

Massinga, Abril de 2021


2

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Departamento de Ciências de Educação

Curso de Licenciatura em Ensino de Geografia

As Funções do Solo no Meio Ambiente

Marta Fernando Mahocha

Trabalho de Campo a ser submetido na


Coordenação do Curso de Licenciatura
em Ensino de Geografia do ISCED.

Tutor: Sidónia Albino

Massinga, Abril de 2021


3

Índice

1.0.Introdução ........................................................................................................................ 4

1.1. Objectivos ....................................................................................................................... 4

1.1.1. Geral ............................................................................................................................ 4

1.1.2. Específicos ................................................................................................................... 4

1.2. Metodologia .................................................................................................................... 5

2.0. Funções do Solo para o Meio Ambiente .......................................................................... 6

2.1. Pedologia ou Geografia dos Solos ................................................................................... 6

2.1.1.Pedologia Geral ............................................................................................................. 6

2.1.2. Pedologia Aplicada ...................................................................................................... 6

2.1.3. Breve Historial da Ciência do Solo ............................................................................... 6

2.2. Conceito do Solo ............................................................................................................. 7

2.2.1. Componentes do Solo................................................................................................... 7

2.3. Conceito do Meio Ambiente............................................................................................ 8

2.4. Funções do Solo no Meio Ambiente ................................................................................ 8

3.0. Conclusão ..................................................................................................................... 10

Referências bibliográficas .................................................................................................... 11


4

1.0.Introdução

Esta pesquisa é resultado de uma pesquisa sobre funções do solo no meio ambiente, um tema
proposto como segundo teste da cadeira de Geografia dos Solos leccionada no curso de
Licenciatura em Ensino de Geografia no Instituto Superior de Ciências e Educação à
Distância. O mesmo, tem como objectivo fundamental compreender as funções do solo no
meio ambiente.

Não existe nada em toda a natureza que é mais importante ou que mereça mais atenção do que
o solo. Em verdade, é o solo que faz do mundo um meio ambiente amigável para os seres
humanos. É o solo que alimenta e fornece para toda a natureza; toda a criação depende do
solo que é a base de nossa existência.

De acordo com Sampaio (2014) ” a terra é muita coisa para muitas pessoas. O seu uso é
repartido por vários tipos de interesses e a gestão desse mesmo uso está geralmente na mão de
interesses políticos, os quais, deveriam ser sempre aconselhados por técnicos” (p.1).

Portanto, o solo por sua vez é um componente fundamental do ecossistema terrestre por ser
principal substrato utilizado pelas plantas para o seu crescimento e disseminação. O solo
fornece às raízes factores de crescimento, tais como: suporte, água, oxigénio e nutrientes.

Com este trabalho, pretendemos perceber as funções do solo para meio ambiente, isto é,
descobrir qual é a importância ou utilidade do solo para o meio ambiente.

Quanto a organização o trabalho apresenta de forma sequencial: a introdução, objectivos,


desenvolvimento do trabalho, considerações finais e por fim as referências bibliográficas.

1.1. Objectivos

1.1.1. Geral

Compreender as funções do solo para o meio ambiente.

1.1.2. Específicos

 Definir o conceito de Geografia dos Solos


 Caracterizar diferentes tipos de solos
 Identificar as funções do solo no meio ambiente
5

1.2. Metodologia

Para a concretização desta pesquisa, se privilegiou a revisão bibliográfica, ou seja a procura


de autores, obras que tratam sobre o assunto em estudo.

Segundo Gil, (2002), a pesquisa é bibliográfica “quando é elaborada a partir de material já


publicado, constituído principalmente de livros, artigos de periódicos e actualmente com
material disponibilizado na Internet” (p.44).

Portanto, foram usados diferentes artigos científicos que abordam sobre as funções do solo
para o meio ambiente.
6

2.0. Funções do Solo para o Meio Ambiente

2.1. Pedologia ou Geografia dos Solos

A geografia dos solos ou pedologia pode ser compreendida como sendo a ciência que estuda a
composição e aplicação do solo em diversas situações do dia-a-dia do Homem. Sendo uma
área da geografia muito vasta, a pedologia pode ser subdividida em dois ramos principais
(pedologia geral e aplicada).

2.1.1.Pedologia Geral

Segundo Schroeder (1984, p.13) a pedologia geral centra-se apenas na descrição do solo;
origem e desenvolvimento dos solos; classificação dos solos de acordo com aspectos
pedogenéticos, regionais e funcionais; e o estudo do solo no meio ambiente das plantas vivas,
animais e seres humanos.

Deste modo, a pedologia geral é responsável pela descrição dos fenómenos que acontecem no
solo sem no entanto se preocupar com a sua aplicação.

2.1.2. Pedologia Aplicada

Na óptica de Schroeder (1984, p.13) a pedologia aplicada estuda a compreensão da fertilidade


do solo que contribui para um melhor crescimento das culturas e torna possível o
melhoramento ou manutenção da fertilidade.

Além de prover o habitat e alimento paras as plantas, o solo funciona como um filtro, tampão
e sistema de transformação que se contrapõe à poluição ambiental resultante da actividade
humana.

Nesta vertente, a pedologia aplicada interessa-se na aplicação do solo no dia-a-dia do Homem


assim como para o meio ambiente.

2.1.3. Breve Historial da Ciência do Solo

De acordo com Shroeder (1984) a ciência do solo empírica é bastante velha, tendo origem
quando o homem começou a utilizar o solo para as culturas, pastoreio, jardins, videiras
reflorestas; o que é evidenciado pelas figuras e relíquias das antigas civilizações.

Para o mesmo autor, o estudo do solo como uma ciência formal começou na segunda metade
do século dezanove. Um pioneiro foi F.A. Fallou com a obra Pedologia ou Ciência do Solo
Geral e Aplicada, publicada em 1862. Fundadores da moderna ciência do solo foram: V.V.
Dokuchaev, com a obra O Chernozem Russo publicada em 1883; E.Ramann com a obra
7

Ciência do Solo Florestal, publicada em 1893; e, E.W. Hilgard com a obra A Influência do
Clima na Formação e Composição dos Solos, publicada em 1893.

Em suma, a ciência do solo foi também relacionada com outras disciplinas de


agricultura, química agrícola, geografia, geologia, petrologia e biologia.

2.2. Conceito do Solo

O conceito mais simples do solo é o que define o solo como sendo a camada superficial da
terra. Portanto, este conceito é bastante simples olhando para o processo de transformação e
composição do solo. Dai, trazemos conceito do solo dado por Schroeder (1984).

Para Schroeder (1984, p.12) o solo é o produto de transformação das substâncias orgânicas e
minerais da superfície da terra sob a influência dos factores ambientais que operam por um
período de tempo muito longo e apresentando uma organização e morfologia definidas. É o
meio de crescimento para as plantas superiores e a base da vida para os animais e seres
humanos.

Para este autor, o solo é o material mineral ou orgânico, inconsolidado localizado na


superfície da terra, que serve como meio natural para o crescimento e desenvolvimento de
diversos organismos vivos.

De uma forma geral, o solo é o substrato básico de toda vida terrestre. O solo serve não
somente como um meio para o crescimento das plantas e para a actividade microbiana, mas
também como factor de dreno e reciclagem para numerosos grupos de resíduos que podem
acumular e poluir nosso ambiente.

2.2.1. Componentes do Solo

Os principais componentes do solo segundo Shroeder (1984) são:

 Componentes minerais: fragmentos da rocha matriz, minerais primários e


secundários, substâncias amorfas;
 Componentes orgânicos: fauna e flora do solo, raízes de plantas, resíduos de plantas
intactos e em decomposição, substâncias húmicas recentemente formadas (húmus);
 Água; e
 Ar.

Quanto aos componentes minerais, exceptuando-se os solos orgânicos, a matéria mineral


predomina nos solos, o substrato firme onde as plantas lançam suas raízes e se supre
de nutrientes inorgânicos; é o material sólido do solo formando o corpo mineral do solo.
8

Por outro lado, a matéria orgânica do solo é formada de organismos vivos da flora e da fauna
do solo, raízes das plantas vivas ou mortas, as quais podem ser parcialmente decompostas e
modificadas, e substâncias orgânicas novas sintetizadas de origem vegetal ou animal.

Entretanto, compreender os componentes do solo é muito importante pois poderá ajudar na


melhor percepção sua aplicação no meio ambiente, não só, ajudar-nos à estudar com muito
cuidado o solo.

2.3. Conceito do Meio Ambiente

De acordo com Lima, Silva e Silva (2007) o meio ambiente é o conjunto de condições, leis,
influencia e interacções de ordem física, química, biológica, social, cultural e urbanística, que
permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas.

Portanto, pode-se dizer que o meio ambiente corresponde à circunvizinhança em que uma
organização realiza as suas actividades, incluindo-se ar, água, solo, recursos naturais, flora
fauna, seres humanos e suas inter-relações.

Um conceito básico para o meio ambiente é o que define o meio ambiente como sendo tudo
que nos rodeia.

2.4. Funções do Solo no Meio Ambiente

De acordo com Alexandre (2012) o solo desempenha uma função tripla para o meio ambiente
como:

 Meio de produção da biomassa: sustenta 99 % da produção de biomassa para


alimentação humana e animal, produção de madeira e outras fibras, bioenergia;
 Regulador ambiental: Intervém no ciclo hidrológico e nos outros ciclos
biogeoquímicos como acumulador, filtro e transformador;
 Reserva de biodiversidade, como habitat e como banco de genes: existem centenas
de milhar de espécies no solo, muitas ainda desconhecidas, de micro a macro
organismos, e que são uma enorme reserva genética.

O meio ambiente tem sido a grande preocupação de todas as comunidades do nosso planeta
nas últimas décadas, seja pelas mudanças provocadas pela acção do homem na natureza, seja
pela resposta que a natureza dá a essas acções.

Por outro lado, Lima (2006) destaca as seguintes funções do solo para o meio ambiente:
9

 Regulação da distribuição, armazenamento, escoamento e infiltração da água de


chuva e irrigação.
 Acção filtrante e protectora da qualidade da água;
 Substrato ou matéria-prima para obras civis, utensílios e artesanato;
 Habitat para o crescimento e desenvolvimento de macro e micro organismos (inclusive
os vegetais).
 Armazenamento e ciclagem de nutrientes.

Como pode se observar tudo quanto existe tem as suas bases na terra. As belas paisagens, as
belas cidades, entre outros fenómenos estão todos fixados na tem.

O solo é a fonte de alimentação ou produz produtos alimentares para o homem bem como
para diversos organismos localizados no subsolo.

Numa outra abordagem, Doran e Parkin (1996) mostraram que o solo pode atuar em seis
funções críticas:

 Ciclagem de materiais orgânicos para liberação de nutrientes, que posteriormente


serão reutilizado na síntese de nova matéria orgânica (ou seja, um ciclo);
 Estocagem e gradual liberação de água e nutrientes;
 Divisão da água da chuva que chega à superfície do solo: escorrimento superficial e
infiltração;
 Manutenção da diversidade de habitat necessária aos seres vivos do solo;
 Sustentação das raízes e resistência à erosão provocada pelo vento e água;
 Divisão (partição) da energia superficial, importante em processos globais.

De uma forma geral com base em diversos autores foi possível identificar o papel do solo para
o meio ambiente.
10

3.0. Conclusão

Não existe nada em toda a natureza que é mais importante ou que mereça mais atenção do que
o solo. Em verdade, é o solo que faz do mundo um meio ambiente amigável para os seres
humanos. É o solo que alimenta e fornece para toda a natureza; toda a criação depende do
solo que é a base de nossa existência.

Em suma, dentre várias funções do dolo no meio ambiente pode-se citar: a ciclagem de
materiais orgânicos para liberação de nutrientes, que posteriormente serão reutilizado na
síntese de nova matéria orgânica (ou seja, um ciclo); estocagem e gradual liberação de água e
nutrientes; divisão da água da chuva que chega à superfície do solo: escorrimento superficial e
infiltração; manutenção da diversidade de habitat necessária aos seres vivos do solo;
sustentação das raízes e resistência à erosão provocada pelo vento e água; e divisão (partição)
da energia superficial, importante em processos globais.

Também podemos definir a ciência do solo, ou pedologia como sendo a área do conhecimento
que estuda o solo nos aspectos físico, químico e biológico, procedendo à sua caracterização e
classificação, ao mesmo tempo que procura esclarecer a sua distribuição geográfica e o seu
modo de formação e evolução, assim como quaisquer outros processos e fenómenos que nele
ocorram

E por fim, pode-se dizer que o solo é o material mineral ou orgânico, inconsolidado localizado
na superfície da terra, que serve como meio natural para o crescimento e desenvolvimento de
diversos organismos vivos.
11

Referências bibliográficas

Alexandre, C. (2012). Funções, usos e degradação do solo. Universidade Évora: Portugal.

Doran, J.W. & . Parkin.(1996). Defining and assessing soil quality.


https://doi.org/10.2136/sssaspecpub35.c1

Gil, A. C. (2002). Como elaborar Projectos de Pesquisa. 4ª Ed., Editora Atlas, S.A.

Lima, A. M. M. de.; Silva, A. C. da. & Silva, L. C. (2007). Proposição de Implementação de


um Sistema de Gestão Ambiental no Instituto Adolfo Lutz. (Monografia de conclusão
do curso de Pós Graduação em Gestão Ambiental). SENAC: São Paulo.

Lima, M. R. (2006). O solo no Meio Ambiente. IX Encontro Paranaense de Educação


Ambiental, Paraná, Brasil.

Sampaio, E. (2004). O solo e as suas funções. Universidade de Évora: Portugal

Schroeder, D. (1984). Solos: Factos e Conceitos. 4ª Ed., São Paulo: ANNDA.