Você está na página 1de 71

O passo seguinte É fazer à incisão, paralela a clavícula, com

aproximadamente três cm .
Introduzimos a cânula de injeção na carótida
Introduzimos a cânula de injeção na carótida
Introduzimos a cânula de injeção na carótida
Com o dissecador pegamos a carótida e a jugular
Utilizando-se da pinça com bico curvo, passamos as linhas que
irão amarrar a carótida e jugular, após e durante a injeção de
fluidos.
A carótida é separada e limpa e a jugular seccionada
Introduzimos a cânula de injeção na carótida
Introduzimos a cânula de injeção na Artéria Femoral
Introduzimos a cânula de injeção na Artéria Femoral
Introduzimos a cânula de injeção na artéria femoral
Introduzimos a cânula de injeção na Femoral
Introduzimos a cânula de injeção na Arteria Femoral
Com o fim da injeção, retira-se a cânula as linhas são
amarradas e o corpo deverá descansar por mais ou
menos 30 minutos.
Realiza-se uma incisão de 1,5 cm contado dois dedos abaixo do
processo xifoide para introdução da Vara Trocadora ou intracard.
Realiza-se uma incisão de 1,5 cm contado dois dedos abaixo do
processo xifoide ou abaixo da ultima costela do lado
direto/esquerdo para introdução da Vara Trocadora ou intracard.
Aspiramos à cavidade intracraniana, para retirarmos
líquidos e massa encefálica através da narina.
Depois aspirarmos nariz e boca
Tamponamos a incisão feita para a injeção
Sutura
Sutura fechada
Suturamos a incisão abdominal
Tamponamento nasal
Tamponamento da boca
Passa-se a linha para fecha a boca
A boca é fechada e amarrada os Olhos colados
O corpo é lavado
Vestido maquiado e a pós a recomposição do cadáver ele
é entregue ao responsável da funerária para as devidas
ornamentações.
Vestido maquiado e a pós a recomposição do cadáver ele
é entregue ao responsável da funerária para as devidas
ornamentações.
Entregue ao responsável da funerária para as devidas
ornamentações.
Entregue ao responsável da funerária para as devidas
ornamentações.
Níveis de Tanatopraxia

Nível 1: recomendada para corpos que serão


velados por até 12 horas;

Nível 2: recomendada para corpos que serão


velados por até 24 horas e traslados
intermunicipais;

Nível 3: recomendada para corpos necropsiados


e para traslados interestadual.
PROCEDIMENTO NA TÉCNICA DE TANATOPRAXIA
EM CORPOS NECROPSIADO.

Realiza o testa da injeção do produto arterial utilizando a


artéria carótida, se à artéria estiver intacta, prossegue-se
o procedimento normal, lembrando que é realizada uma
abertura na cavidade torácica abdominal de 1cm ao lado
da sutura ou lateral abaixo das ultimas costelas
CURIOSIDADE

SUBCLAVIO

Artéria carótida simples ---------------------- Injetar tanatofluido.


Veia jugular simples-------------------------- drenagem de fluidos

Quadríceps – Vasto medial da Coxa e Musculo reto Femoral

Artéria Femoral simples - -------------------------Injetar tanatofluido


Veia Femoral simples------ ----------------------drenagem de fluidos.
Sutura continua Simples
Atenção

Prazo de duração de uma conservação de cadáver para ser velado.

FORMALIZAÇÃO.....................24 horas. (1 dia);

EMBALSAMAMENTO...............48 horas a mais ( 3 dias );

TANATOPRAXIA............... .......72 horas (5 dias a mais).


Instrumentos utilizados na conservação e Necropsia
CEPO

Liso, com uma concavidade em um dos lados maiores, em que se


observam elevações transversais ao fundo. É utilizado para apoiar a
cabeça ou o tronco do cadáver.
CEPO
liso, com uma concavidade em um dos lados maiores, em que se observam
elevações transversais ao fundo. É utilizado para apoiar a cabeça ou o
tronco do cadáver.
CHAIRA
.

PEDRA
Facas de Virchow

Faca de Collin
São instrumentos destinados a incisão da pele e para a abertura dos tecidos.
Tesoura de Smith

É uma tesoura robusta utilizada para cortes grosseiros que não requerem
regularidade ou precisão, como cortar vestes e bandagens presentes no cadáver.
Tesoura Tramontina
A rugina instrumento utilizado para desgastar o periósteo
craniano por atrito ou por pequenos golpes, deixando os
ossos desnudos, permitindo apurar detalhes, bem como
facilitar a ação da serra.
Serras
As serras podem ser manuais, elétricas circulares e vibratórias. É preciso
cuidado durante a aplicação da serra para não atingir estruturas internas como
meninges e encéfalo.

Serra elétrica vibratória Stryker


Instrumento utilizado para romper a tábua interna da caixa craniana e remover a
calota após a demarcação da linha de menor resistência pela serra.

Osteótomo e Escopro
Instrumento utilizado para romper a tábua interna da caixa craniana e remover a
calota após a demarcação da linha de menor resistência pela serra.

Osteótomo Stiles reto


Diferentes modelos de martelo:
CISALHA, instrumento destinado à retirada do gradil
costal através de corte diretamente sobre o osso da
costela.
COSTÓTOMO, instrumento destinado à retirada do gradil costal através de
corte diretamente sobre a cartilagem da costela.
Cinzel
Instrumento utilizado para romper a tábua interna da
caixa craniana e remover a calota após a demarcação
da linha de menor resistência pela serra.
BOMBA DE INFUSÃO OU INJETORA
-
Utilizada para injetar produtos
químicos conservantes nas
artérias veias e vasos do
cadáver.
BOMBA DE INFUSÃO OU INJETORA

Utilizada para injetar produtos


químicos conservantes nas artérias
veias e vasos do cadáver.
Cânula – Utilizada para introdução de fluidos arterial
CÂNULA DE ASPIRAÇÃO – Utilizada para aspirar os
orifícios , nariz e boca.

Você também pode gostar