Você está na página 1de 184

CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Nome: Arriel Fermino


MÓDULO I – CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA PARA IGREJAS

01. A palavra "direito" vem do latim directus, a, um, "que segue regras pré-
determinadas ou um dado preceito", do particípio passado do verbo dirigere. O termo
evoluiu em português da forma "directo" (1277) a "dereyto" (1292) até chegar à grafia
atual. Para outros autores, a palavra faz referência à deusa romana da justiça, Justitia,
que segurava em suas mãos uma balança com fiel. Dizia-se que havia justiça quando o
fiel estava absolutamente perpendicular em relação ao solo: de rectum.

02. Direito objetivo é o conjunto de normas que o Estado mantém em vigor. É aquele
proclamado como ordenamento jurídico e, portanto, fora do sujeito de direitos. Essas
normas vêm através de sua fonte formal: a lei. O direito objetivo constitui uma
entidade objetiva frente aos sujeitos de direitos, que se regem segundo ele.

Direito subjetivo é aquele o qual o indivíduo é titular, por ser inerente à sua pessoa; é
a faculdade, que a ordem jurídica lhe assegura, de querer e realizar, ou de reagir e agir
até onde o seu direito ou interesse não colida com o de outrem. É um interesse
tutelado pela lei, que o seu titular pode alienar. O direito subjetivo divide-se em:
absoluto; relativo; principal; acessório; transmissível; intransmissível e indivisível.

03. O Direito Público, pode ser explicado como um grande ramo de normas que
possuem natureza pública, na qual o Estado atua com seu poder, por ser um tema de
relevante caráter social e organizacional da sociedade. Já o Direito Privado possui
outro enfoque, pois visa disciplinar as relações interindividuais, e os interesses
privados. Dessa forma, pode-se dizer que são ramos do Direito Público:
1- Direito Constitucional,
2-Direito Administrativo,
3-DireitoFinanceiro,
4- Direito Penal,
5- Direito Internacional Público,
6-Direito Internacional Privado
7- Direito Processual.
E os ramos do Direito Privado são:
8--Direito Civil,
9-Direito Empresarial,
10-Direito do Trabalho

04. Foram 7 Constituições:


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

1) Constituição de 1824: Após a independência do Brasil ocorreu uma intensa disputa


entre as principais forças políticas pelo poder: O partido brasileiro, representando
principalmente a elite latifundiária escravista, produziu um anteprojeto, apelidado
"constituição da mandioca", que limitava a poder imperial (anti-absolutista) e
discriminava os portugueses (anti-lusitano).
Dom Pedro I, apoiado pelo partido português (ricos comerciantes portugueses e altos
funcionários públicos), em 1823 dissolveu a Assembleia Constituinte Brasileira e no
ano seguinte impôs seu próprio projeto, que se tornou nossa primeira constituição.
CARACTERÍSTICAS:
Nome do país – Império do Brasil
Carta outorgada (imposta, apesar de aprovada por algumas câmaras municipais da
confiança de D. Pedro I).
Estado centralizado / Monarquia hereditária e constitucional. Quatro poderes
(Executivo / Legislativo / Judiciário / Moderador (exercido pelo imperador) O mandato
dos senadores era vitalício
Voto censitário (só para os ricos) e em dois graus (eleitores de paróquia / eleitores de
província) Estado confessional (ligado à Igreja – catolicismo como religião oficial)
Modelo externo – monarquias europeias restauradas (após o Congresso de Viena)
Foi a de maior vigência (durou mais de 65 anos) Obs.: foi emendada em pelo ato
adicional de 1834, durante o período regencial, para proporcionar mais autonomia
para as províncias. Essa emenda foi cancelada pela lei interpretativa do ato adicional,
em 1840.
2) Constituição de 1891: Logo após a proclamação da república predominaram
interesses ligados à oligarquia latifundiária, com destaque para os cafeicultores. Essas
elites influenciando o eleitorado ou fraudando as eleições ("voto de cabresto")
impuseram seu domínio sobre o país ou coronelismo.
CARACTERÍSTICAS:
Nome do país – Estados Unidos do Brasil Carta promulgada (feita legalmente) Estado
Federativo / República Presidencialista Três poderes (extinto o poder moderador) Voto
Universal (para todos / muitas exceções, ex. analfabetos) Estado Laico (separado da
Igreja) Modelo externo – constituição norte-americana Obs.: as províncias viraram
estados, o que pressupõe maior autonomia.
3) Constituição de 1934: Os primeiros anos da Era de Vargas caracterizaram-se por um
governo provisório (sem constituição). Só em 1933, após a derrota da Revolução
Constitucionalista de 1932, em São Paulo, é que foi eleita a assembleia Constituinte
que redigiu a nova constituição.
CARACTERÍSTICAS:
Nome do país – Estados Unidos do Brasil
Carta promulgada (feita legalmente) Reforma Eleitoral – introduzidos o voto secreto e
o voto feminino. Criação da Justiça do Trabalho Leis Trabalhistas – jornada de 8 horas
diárias, repouso semanal, férias
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Remuneradas (13 salários só mais tarde com João Goulart).


Foi a de menor duração / já em 1935, Vargas suspendia suas garantias através do
estado de sítio. Obs.: Vargas foi eleito indiretamente para a presidência.
4) Constituição de 1937: Como seu mandato terminaria em 1938, para permanecer no
poder Vargas deu um golpe de estado tornando-se ditador. Usou como justificativa a
necessidade de poderes extraordinários para proteger a sociedade brasileira da
ameaça comunista ("perigo vermelho") exemplificada pelo plano Cohen (falso plano
comunista inventado por seguidores de Getúlio). O regime implantado, de clara
inspiração fascista, ficou conhecido como Estado Novo.

CARACTERÍSTICAS:
Nome do país – Estados Unidos do Brasil.
Carta outorgada (imposta)
Inspiração fascista – regime ditatorial, perseguição e opositores, intervenção do estado
na economia.
Abolidos os partidos políticos e a liberdade de imprensa.
Mandato presidencial prorrogado até a realização de um plebiscito (que nunca foi
realizado)
Modelo externo – Ditaduras fascistas (ex., Itália, Polônia, Alemanha)
Obs.: Apelidada de "polaca".
5) Constituição de 1946: Devido ao processo de redemocratização posterior a queda
de Vargas fazia-se necessária uma nova ordem constitucional. Daí o Congresso
Nacional, recém eleito, assumir tarefas constituintes.
CARACTERÍSTICAS:
Nome do país – Estados Unidos do Brasil
Carta promulgada (feita legalmente)
Mandato presidencial de 5 anos (quinquênio)
Ampla autonomia político-administrativa para estados e municípios.
Defesa da propriedade privada (e do latifúndio)
Assegurava direito de greve e de livre associação sindical
Garantia liberdade de opinião e de expressão.
Contraditória na medida em que conciliava resquícios do autoritarismo anterior
(intervenção do Estado nas relações patrão x empregado) com medidas liberais
(favorecimento ao empresariado).
Obs.: Através da emenda de 1961 foi implantado o parlamentarismo, com situação
para a crise sucessória após a renúncia de Jânio Quadros. Em 1962, através de
plebiscito, os brasileiros optam pela volta do presidencialismo.
6) Constituição de 1967: Essa constituição na passagem do governo Castelo Branco
para o Costa e Silva, contexto no qual predominavam o autoritarismo e o arbítrio
político. Documento autoritário e constituição de 1967 foi largamente emendada em
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

1969, absorvendo instrumentos ditatoriais como os do AI-5 (ato institucional n 5) de


1968.
CARACTERÍSTICAS:
Nome do país – República Federativa do Brasil
Documento promulgado (foi aprovado por um Congresso Nacional mutilado pelas
cassações)
Confirmava os Atos Institucionais e os Atos Complementares do governo militar.
Obs.: reflexo da conjuntura de "guerra fria" na qual sobressaiu a "teoria da segurança
nacional" (combater os inimigos internos rotulados de subversivos (opositores de
esquerda)
7) Constituição de 1988: Nomeada como "Constituição Cidadã”. Desde os últimos
governos militares (Geisel e Figueiredo) nosso país experimentou um novo momento
de redemocratização, conhecido como abertura. Esse processo se acelerou a partir do
governo Sarney no qual o Congresso Nacional produziu nossa atual constituição.
CARACTERÍSTICAS:
Nome do país – República Federativa do Brasil
Carta promulgada (feita legalmente)
Reforma eleitoral (voto para analfabetos e para brasileiros de 16 e 17 anos)
Terra com função social (base para uma futura reforma agrária?)
Combate ao racismo (sua prática constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à
pena de reclusão)
Garantia aos índios da posse de suas terras (a serem demarcadas)
Novos direitos trabalhistas – redução da jornada semanal, seguro desemprego, férias
remuneradas acrescidas de 1/3 do salário, os direitos trabalhistas aplicam-se aos
trabalhadores urbanos e rurais e se estendem aos trabalhadores domésticos.

Obs.: Em 1993, 5 anos após a promulgação da constituição, o povo foi chamado a


definir, através de plebiscito, alguns pontos sobre os quais os constituintes não haviam
chegado a acordo, forma e sistema de governo. O resultado foi a manutenção da
república presidencialista.

05. - VI = “É inviolável a liberdade de consciência e de crença sendo assegurado o livre


exercício dos cultos religiosos e garantida na forma da lei á proteção aos locais de culto
e suas liturgias”.
Podemos notar que a própria Constituição Federal assegura o livre exercício da
religião. Quando acontecem eventos nas Igrejas ou em outros locais a proteção e
garantida na forma da lei. Não havendo interferência de autoridades.
- VII = “E assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas
entidades civis e militares se intervenção coletiva”.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

E legal nos termos da lei federal que o evangélico exerça sua função de mensageiro
dando assistência religiosa a presos, idosos, crianças, militares, em hospitais. Portanto
em todo o lugar público. Levando uma palavra de ânimo e conforto.
- VIII = “Ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de
convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a
todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei”.
- X = “São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e imagem das pessoas,
assegurado o direito á indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua
violação”.
Entende-se que este inciso dá total segurança `a pessoa que quer manter sua imagem
ou honra intactos, mesmo que cometa falhas não é necessário que o ser humano seja
exposto ao público. Na igreja por exemplo o Pastor deve ter prudência ao tratar do
assunto de um membro que caiu em pecado, sua imagem não deve ser exposta.
- XI = “A casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem
consentimento do morador. Salvo em caso de prestar socorro, ou, durante o dia, por
determinação judicial.”
Assim ninguém estará a salvo se entrar em outra casa que não seja sua e retirar
qualquer objeto, se apropriar dela ou tentar destruir. Há proteção por lei.
- XVII = “É plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter para
militar.
- XLIX = “É assegurado aos presos o respeito á integridade física e moral.”
Os presos são protegidos por lei, dentro dos cárceres, não podem ser agredidos, tanto
física como moralmente. Se todos os funcionários do presídio agissem com respeito
aos presidiários a recuperação realmente seria mais propícia, mesmo com este inciso a
maioria dos presos homens/mulheres não recebem este respeito.
- LXII = “A prisão de qualquer pessoa e o local onde se encontre serão comunicados
imediatamente ao juiz competente e á família ou advogado sobre sua prisão. É um
direito que o cidadão tem revisto neste inciso.
- LXIII = “O preso será informado de seus direitos, entre os quais o de permanecer
calado, sendo=lhe assegurada a assistência da família e de advogado.”
No momento da prisão o preso ouvirá palavras que lhe darão direitos e assegurada
assistência pela família.

06. Faça um breve comentário do artigo 7º da CF, em todos os seus incisos.


-Artigo 7º = “São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que
visem a melhoria de sua condição.”
Este artigo dá o direito aos trabalhadores sob proteção de lei, visando a melhoria de
sua condição.
I= Protege o trabalhador que for mandado embora sem justa causa. Concedendo-lhe
indenização e/ou outros direitos perante a lei e proteção.
II= Seguro desemprego. Em caso de desemprego involuntário.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

III= Fundo de garantia do tempo de serviço.


IV= Salário Mínimo. Capaz de atender as necessidades vitais básicas do trabalhador e
sua família.
V= Piso Salarial proporcional a extensão e a complexidade do trabalho.
VI=Irredutibilidade do salário. Salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.
VII= Garantia do salário, nunca inferior ao mínimo, para os que recebem remuneração
variável.
VIII= Décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da
aposentadoria.
IX= Remuneração do trabalho noturno superior a do serviço diurno.
X= proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa.
XI= Participação nos lucros, ou resultados, desvinculada da remuneração. Participação
na gestão da empresa, conforme definido em lei.
XII= Salário família pago em razão do dependente.

07. -Artigo 150= “Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, e


vedada á união, aos Estados, ao Distrito Federal e aos municípios.”
-VI= “Instituir impostos sobre:
-b= “Templos de qualquer culto”.
As Igrejas são isentas de impostos, taxas, tributos, asfalto, meio-fio, água, IPTU, etc.

08. “O regime de previdência privada, de caráter complementar e organizado em


forma autônoma em relação ao regime geral de previdência social será facultativo,
baseado na constituição de reservas que garantam o benefício contratado, e regulado
por lei complementar”.
Está assegurado participante de planos de benefícios de entidades de previdência
privada o pleno acesso as informações relativas á gestão de seus respectivos planos.
09. Os artigos 194 a 204 da CF com seus incisos e parágrafos, deixa claro os direitos da
seguridade social, sendo estas ações de iniciativa dos poderes públicos, assegurando
os direitos relativos a saúde, a previdência e a assistência social.
A saúde e direito de todos. Cabe ao Estado garantir o controle, da distribuição
financeira e fiscalizar tais procedimentos.
A Previdência Social, dá o direito de: aposentadoria p or tempo de serviço com 35 anos
de contribuição, para o homem e 30 para a mulher ou 65 anos de vida para o homem e
60 para a mulher. Proteção ao trabalhador, salário família, etc.
A Assistência Social, está só será prestada a quem dela necessitar, independentemente
da contribuição. As ações na área da assistência social serão realizadas com recursos
do orçamento da seguridade social. Tem muitos objetivos como:
- O amparo das crianças e adolescentes carentes,
- Garantia de um salário a pessoas portadoras de deficiência e ao idoso,
- Proteção a maternidade e etc.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

10. Da Educação – Educação direito de todos e dever do Estado e da família. Visa o


pleno desenvolvimento da pessoa. Garante o padrão de qualidade, acesso e
permanência na escola,
O ensino fundamental e médio será obrigatório e gratuito na rede regular de ensino
aos portadores de deficiência, terá atendimento educacional especializado, ensino
noturno regular, atendimento ao educando no ensino fundamental através de
programas com material didático. O ensino religioso disciplina dos horários normais
das escolas públicas no ensino fundamental.

Da Cultura – O estado garantira a todos o exercício dos direitos culturais. O poder


público, com a colaboração da comunidade
Promoverá e protegerá o Patrimônio Cultural Brasileiro. A lei incentivará a produção e
o conhecimento de bens e valores culturais. Serão punidos na forma da lei os danos e
ameaças ao patrimônio cultural.
Do Desporto - E dever do Estado práticas desportivas formais e não formais. O Poder
público incentivará o lazer como forma de promoção social.

11. A Ciência e Tecnologia, onde o Estado promoverá e incentivará o desenvolvimento


científico com o apoio do Estado que fornecerá condições especiais de trabalho.
Da Comunicação Social, que sob a forma da lei está protegida a manifestação do
pensamento, a criação, a expressão e a informação sob qualquer forma, não sofrerão
qualquer restrição.
Do Meio Ambiente, dará o direito a todos, ao meio ambiente ecologicamente
equilibrado, da família, da criança, do adolescente e do idoso.
A família tem especial proteção do Estado em todos os ângulos. Os pais têm o dever de
assistir, criar e educar seus filhos menores e os maiores tem por obrigação amparar os
pais na velhice. A família, a sociedade e o estado tem o dever de amparar os idosos.
Dos Índios, Nos artigos 231 e 232 os índios são protegidos e reconhecido suas
organizações sociais, costumes, línguas, crenças e tradições. Compete a União tal
proteção e ao Ministério Público.

12. Dos crimes contra o sentimento religioso:


-Artigo 208 = “Ultraje a culto e impedimento ou perturbação de ato a ele relativo.” –
Ofender alguém por motivo religioso, será sujeito a punição com multa ou detenção. A
lei penal protege a cerimônia e a prática de culto religioso como valores éticos-sociais,
desde que não seja contrariada, a ordem e paz pública, bem como os bons costumes.
Pena = detenção de um mês a um ano ou multa.

Dos crimes contra a honra:


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

- Artigo 138 = Calúnia – caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido


como crime.
Pena = de seis meses a dois anos e multa.
-Artigo 139 = Difamação – difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo á sua
reputação.
Pena = de três meses a um ano, e multa.
- Artigo 140 – Injúria – injuriar alguém, ofendendo lhe a dignidade ou decoro.
Pena = detenção de um a seis meses, ou multa.
É necessária muita cautela, ao dirigir á alguém, seja quem for, evitando a calúnia,
difamação ou injúria, em qualquer lugar, pois, se tal ocorrer estará sujeito á punição
com multa ou até detenção.
- Artigo 238= Simulação de autoridade para celebração de casamento. – atribuir-se
falsamente autoridade para celebração de casamento.
Pena = detenção de um a três anos, se o fato não constitui crime mais grave.
- Artigo 284 = Curandeirismo- exercer o curandeirismo: fica proibido a prática do
curandeirismo, como qualquer tipo de cirurgias físicas. Lícitas, porém, as cirurgias
espirituais, sem cortes ou incisões, e sem tocar nas partes íntimas ou que revelem
pudor.
Proíbe-se também prescrever remédios e fazer diagnósticos e, se cobrar algum valor
econômico estará sujeito a punição com e detenção.
Pena = detenção de seis meses a dois anos.

13. O pastor tem direitos trabalhistas: férias de 30 dias mais 1/3 acima do salário, a
cada 12 meses de trabalho, abono para filhos menores 13 de mais um salário em todo
o natal ou proporcional quando for demitido, FGTS de 8% sobre o salário mensal,
depositado CEF e aumento de multa de 40% quando for acima de 8 horas/dia
(ordinariamente, o trabalho do Pastor são 4 horas no período da tarde, no serviço
burocrático, ou visitas, e a noite, 4horas no culto, incluída preparação, oração e
relações públicas do término), um dia de folga por semana, adicional de mudança, etc.
Direitos previdenciários: aposentadoria por tempo de serviço, 35 anos de contribuição,
ou 65 de vida, registrado como empregado da Igreja ou trabalhando com carne
autônomo, auxílio-doença, acidente, salário família e seguro desemprego; a viúva, ou
os filhos menores e deficientes tem direito a receber a pensão.

14. As Igrejas são isentas de impostos, taxas e tributos, asfalto, meio-fio IPTU, água e
etc. Os veículos não pagam IPVA ou outros impostos.

15. O Pastor não pode exigir confissões de pecados ou segredos. Não pode forçar ao
pagamento de dízimos ou entrega de ofertas. Jamais pode condicionar o dinheiro para
a cura e libertação, nunca desacatar alguém em seu ambiente de trabalho. Se um
pastor ou membro for agredido moralmente pelo rádio, televisão ou jornal, pode
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

requerer em juízo o direito de resposta, no mesmo espaço e hora, desagravar a ofensa.


Além da indenização por danos morais, que vai de 5 a 500 mil reais.

16. - Reintegração de posse= quando o pastor se rebela, o ministério ou matriz, sendo


ele de uma filial e recusa-se a desocupar o cargo e entregar a Igreja.
- Despejo= Por falta de pagamento a Igreja que aluga e não paga, é apreendido os
móveis, sons e bancadas, para garantir o recebimento.

17. - Artigo 1 - “Não terás outros deuses diante de mim.” (Ex20:3)


Proíbe o politeísmo, amar a Deus de todo o teu coração, de toda a alma e de todas as
suas forças. Israel não deveria adorar, nem invocar nenhum dos deuses de outras
nações.
- Artigo 2 – “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que
há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.”
(Ex20:4).
Proíbe a feitura de imagens de Deus ou de criaturas, com o propósito de adoração,
oração ou qualquer outro tipo de auxílio espiritual.
- Artigo 3 – “Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão;” (Ex20:7).
O nome de Deus deve ser santificado, honrado e respeitado por ser profundamente
sagrado, e deve ser usado somente de maneira santa.
- Artigo 4 – “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.” (Ex20:8).
Santificar aquele dia importava em separá-lo como um dia diferente dos demais. A
observância desse dia para Israel era um sinal de que eles pertenciam a Deus.
- Artigo 5 – “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na
terra...”
(Ex 20:12).
Deus atribuiu grande respeito pelos pais. Amá-los e respeitá-los é um mandamento de
Deus e se não cumprido estava sujeito á pena de morte.
- Artigo 6 – “Não matarás” (Ex 20:13).
Proíbe o homicídio deliberado, intencional, ilícito. Se não cumprido estava sujeito a
pena de morte. (Gn 9:6)
- Artigo 7 – “Não adulterarás” (Ex 20:14).
Proíbe a imoralidade e todos os demais pecados sexuais. O adúltero era punido com
pena de morte. (Lv 20:10).
- Artigo 8 – “Não furtarás” (Ex 20:15).
Proíbe o furto de dinheiro ou de qualquer outra coisa que pertence a outrem. Deve-se
manter a honestidade em todos os nossos tratos com as pessoas.
- Artigo 9 – “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.” (Ex 20:16).
Protege o nome e a reputação do próximo. Ninguém deve fazer declarações falsas a
respeito do caráter ou dos atos de outra pessoa.
- Artigo 10 – “Não cobiçarás a casa do teu próximo;” (Ex 20:17).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Proíbe-se o desejo de tudo o que é errado ou que pertence a outra pessoa.


Artigos do 1 a 3: Relação correta com Deus; (1 a 3 moral teológica);
Artigo 4: Relação correta com o trabalho; (4 a 6 moral individual);
Artigos do 5 a 10: Relação correta com a sociedade. (7 a 10 moral social).

18. A lei nº 7.210/1984, a lei de execuções penais, em seu primeiro artigo esclarece
que é a integração social do preso um dos seus principais objetivos, já que não basta a
punição do preso para combater o crime, pois, um dia este retornando e não estiver
devidamente ressocializado, poderá reincidir na criminalidade. A dignidade da pessoa
humana, assim, é a chave mestra, devendo ser respeitada quando se executa uma
pena.
Art. 2º Os crimes hediondos, a prática da tortura, o tráfico ilícito de entorpecentes e
drogas afins e o terrorismo são insuscetíveis de:
I - anistia, graça e indulto;
II - fiança e liberdade provisória.
§ 1º A pena por crime previsto neste artigo será cumprida integralmente em regime
fechado.
§ 2º Em caso de sentença condenatória, o juiz decidirá fundamentadamente se o réu
poderá apelar em liberdade.
§ 3º A prisão temporária, sobre a qual dispõe a Lei nº 7.960, de 21 de dezembro de
1989, nos crimes previstos neste artigo, terá o prazo de trinta dias, prorrogável por
igual período em caso de extrema e comprovada necessidade.
A dignidade da pessoa humana é respeitada desde o início da execução da pena. No
art.3. §único, ao declarar que não haverá distinção de natureza racial, social, religiosa
ou política, o legislador igualou um mendigo branco e adventista ao milionário negro e
católico. Toda pessoa é tratada de forma igual, sem predileções ou regalias ao ser
executada sua pena pelo Estado.
A individualização da pena também é uma caracterização do respeito à dignidade
humana. Não se pode pôr em um mesmo espaço físico pessoas com vida pregressa
criminal totalmente díspares. Ou seja, um réu primário nunca deverá ser aprisionado
na mesma cela que um reincidente contundente que cometeu centenas de crimes
hediondos. Assim, ao classificar o condenado, o legislador e, posteriormente, o juiz da
execução penal, estão respeitando a individualidade do ser humano, um dos direitos
humanos fundamentais elencados pela nossa Constituição Federal de 1988.
A responsabilidade de assistência ao condenado ainda é, por essa lei, unanimemente
estatal, senão vejamos:
Art. 8º O condenado ao cumprimento de pena privativa de
liberdade, em regime fechado, será submetido a exame criminológico
para a obtenção dos elementos necessários a uma adequada
classificação e com vistas à individualização da execução.
Parágrafo único. Ao exame de que trata este artigo poderá ser
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

submetido o condenado ao cumprimento da pena privativa de liberdade


em regime semiaberto
Art. 10- A assistência ao preso e ao internado é dever do Estado, objetivando prevenir
o crime e orientar o retorno à convivência em sociedade.
Várias são as modalidades de assistência: material, à saúde, jurídica, educacional,
social, religiosa e ao egresso.
Destaca-se na assistência educacional a obrigatoriedade do ensino fundamental de
primeiro grau pelo sistema escolar da unidade federativa, isto é, pelo governo
Estadual.
A responsabilidade pela integridade física e moral dos condenados é, conforme o
art.40, das autoridades que estão diretas ou indiretamente ligadas à execução penal.
Qualquer tipo de ilegalidade ou abuso cometido por essas autoridades deverá ser,
indistintamente, julgada e punida para que haja o respeito a todo e qualquer direito
humano fundamental.
Os direitos do preso são enumerados também na lei, no seu art.41. Dentre os
dezesseis, três, pelo contexto atual, são postos em destaque. O primeiro é a proteção
contra qualquer forma de sensacionalismo. Ora, nesse direito, defende-se a
integridade moral do condenado que, na grande maioria dos casos, é dilacerada pela
impressa que julga antecipadamente, sem qualquer critério e movida exclusivamente
pela emoção.

Art. 26 - É isento de pena o agente que, por doença mental ou desenvolvimento


mental incompleto ou retardado, era, ao tempo da ação ou da omissão, inteiramente
incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse
entendimento.
Redução de pena
Parágrafo único - A pena pode ser reduzida de um a dois terços, se o agente, em
virtude de perturbação de saúde mental ou por desenvolvimento mental incompleto
ou retardado não era inteiramente capaz de entender o caráter ilícito do fato ou de
determinar-se de acordo com esse entendimento.
Art. 28 - Não excluem a imputabilidade penal:
I - a emoção ou a paixão;
Embriaguez
II - a embriaguez, voluntária ou culposa, pelo álcool ou substância de efeitos análogos.
§ 1º - É isento de pena o agente que, por embriaguez completa, proveniente de caso
fortuito ou força maior, era, ao tempo da ação ou da omissão, inteiramente incapaz de
entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse
entendimento.
§ 2º - A pena pode ser reduzida de um a dois terços, se o agente, por embriaguez,
proveniente de caso fortuito ou força maior, não possuía, ao tempo da ação ou da
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

omissão, a plena capacidade de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se


de acordo com esse entendimento.
A fuga, entre nós, não caracteriza crime, mas é falta disciplinar (art. 50, II, LEP).
Todavia, a impontualidade na reapresentação ao estabelecimento penal não é fuga,
devendo ser avaliada em cada caso 52.
Outra questão interessante é saber se o condenado pode negar-se a colaborar com a
sua ressocialização, recusando, por exemplo, à progressão de regime. Não nos parece
que possa o preso repelir uma progressão favorável. Trata-se de direito indisponível,
pois, além de seu aspecto individual relacionado ao condenado, tem também
característica de interesse público. É objetivo do Estado que, cumprida a pena, não
volte mais o sentenciado a delinquir. Em contrário, Sérgio Mazina entende que o
condenado, como sujeito da execução penal, não está compromissado com a
progressividade: para ele, o modelo em si é exposto como faculdade de exercitar (ou
não) as graves responsabilidades que lhe decorrem da progressão, podendo, portanto,
recusar o exercício dessa faculdade/responsabilidade e, até mesmo, cumprir
integralmente sua pena sob um regime estático53
O condenado está também sujeito a deveres e, se não os cumpre, pode ser punido
disciplinarmente. Prevê a Lei de Execução Penal as infrações administrativas e suas
sanções. Para serem impostas, exige-se processo administrativo disciplinar em que se
assegure ao sentenciado ampla defesa, com a participação de advogado. É possível
isolamento celular preventivo (art. 60, LEP).

19. Art. 1º - Não há crime sem lei anterior que o defina. Não há pena sem prévia
cominação legal.
Lei penal no tempo
Art. 2º - Ninguém pode ser punido por fato que lei posterior deixa de considerar crime,
cessando em virtude dela a execução e os efeitos penais da sentença condenatória.
Parágrafo único - A lei posterior, que de qualquer modo favorecer o agente, aplica-se
aos fatos anteriores, ainda que decididos por sentença condenatória transitada em
julgado.
Lei excepcional ou temporária
Art. 3º - A lei excepcional ou temporária, embora decorrido o período de sua duração
ou cessadas as circunstâncias que a determinaram, aplica-se ao fato praticado durante
sua vigência.
Tempo do crime
Art. 4º - Considera-se praticado o crime no momento da ação ou omissão, ainda que
outro seja o momento do resultado.
Territorialidade
Art. 5º - Aplica-se a lei brasileira, sem prejuízo de convenções, tratados e regras de
direito internacional, ao crime cometido no território nacional.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

§ 1º - Para os efeitos penais, consideram-se como extensão do território nacional as


embarcações e aeronaves brasileiras, de natureza pública ou a serviço do governo
brasileiro onde quer que se encontrem, bem como as aeronaves e as embarcações
brasileiras, mercantes ou de propriedade privada, que se achem, respectivamente, no
espaço aéreo correspondente ou em alto-mar.
§ 2º - É também aplicável a lei brasileira aos crimes praticados a bordo de aeronaves
ou embarcações estrangeiras de propriedade privada, achando-se aquelas em pouso
no território nacional ou em voo no espaço aéreo correspondente, e estas em porto ou
mar territorial do Brasil.
Lugar do crime
Art. 6º - Considera-se praticado o crime no lugar em que ocorreu a ação ou omissão,
no todo ou em parte, bem como onde se produziu ou deveria produzir-se o resultado.
Extraterritorialidade
Art. 7º - Ficam sujeitos à lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro:
I - os crimes:
a) contra a vida ou a liberdade do Presidente da República;
b) contra o patrimônio ou a fé pública da União, do Distrito Federal, de Estado, de
Território, de Município, de empresa pública, sociedade de economia mista, autarquia
ou fundação instituída pelo Poder Público;
c) contra a administração pública, por quem está a seu serviço;
d) de genocídio, quando o agente for brasileiro ou domiciliado no Brasil;
II - os crimes:
a) que, por tratado ou convenção, o Brasil se obrigou a reprimir;
b) praticados por brasileiro;
c) praticados em aeronaves ou embarcações brasileiras, mercantes ou de propriedade
privada, quando em território estrangeiro e aí não sejam julgados.
§ 1º - Nos casos do inciso I, o agente é punido segundo a lei brasileira, ainda que
absolvido ou condenado no estrangeiro.
§ 2º - Nos casos do inciso II, a aplicação da lei brasileira depende do concurso das
seguintes condições:
a) entrar o agente no território nacional;
b) ser o fato punível também no país em que foi praticado;
c) estar o crime incluído entre aqueles pelos quais a lei brasileira autoriza a extradição;
d) não ter sido o agente absolvido no estrangeiro ou não ter aí cumprido a pena;
e) não ter sido o agente perdoado no estrangeiro ou, por outro motivo, não estar
extinta a punibilidade, segundo a lei mais favorável.
§ 3º - A lei brasileira aplica-se também ao crime cometido por estrangeiro contra
brasileiro fora do Brasil, se, reunidas as condições previstas no parágrafo anterior:
a) não foi pedida ou foi negada a extradição;
b) houve requisição do Ministro da Justiça.
Pena cumprida no estrangeiro
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Art. 8º - A pena cumprida no estrangeiro atenua a pena imposta no Brasil pelo mesmo
crime, quando diversas, ou nela é computada, quando idênticas.
Eficácia de sentença estrangeira
Art. 9º - A sentença estrangeira, quando a aplicação da lei brasileira produz na espécie
as mesmas consequências, pode ser homologada no Brasil para:
I - obrigar o condenado à reparação do dano, a restituições e a outros efeitos civis;
II - sujeitá-lo a medida de segurança.
Parágrafo único - A homologação depende:
a) para os efeitos previstos no inciso I, de pedido da parte interessada;
b) para os outros efeitos, da existência de tratado de extradição com o país de cuja
autoridade judiciária emanou a sentença, ou, na falta de tratado, de requisição do
Ministro da Justiça.
Contagem de prazo
Art. 10 - O dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Contam-se os dias, os meses
e os anos pelo calendário comum.

20. 1) quem semeia, cultiva ou colhe plantas que dão origem a drogas é apenado nos
termos do artigo 28, caput, se o objetivo for consumo próprio e em pequena
quantidade (artigo 28, § 1°);

2) quem induz, instiga ou auxilia alguém a consumir drogas recebe a pena de detenção
de um a três anos (artigo 33, § 2°);

3) quem oferece droga de modo eventual e gratuito a pessoa de sua convivência


recebe a pena de seis meses a um ano (artigo 33, § 3°);

21. Art. 3º: A criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais


inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei,
assegurando-se lhes, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades,
a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em
condições de liberdade e de dignidade.
Art. 4º: É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público
assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à
saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura,
à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.
Parágrafo único. A garantia de prioridade compreende:
a) primazia de receber proteção e socorro em quaisquer circunstâncias;
b) precedência de atendimento nos serviços públicos ou de relevância pública;
c) preferência na formulação e na execução das políticas sociais públicas;
d) destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção
à infância e à juventude.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Art. 5º: Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de


negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na
forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.
Art. 6º: Na interpretação desta Lei levar-se-ão em conta os fins sociais a que ela se
dirige, as exigências do bem comum, os direitos e deveres individuais e coletivos, e a
condição peculiar da criança e do adolescente como pessoas em desenvolvimento.
Art. 7º: A criança e o adolescente têm direito a proteção à vida e à saúde, mediante a
efetivação de políticas sociais públicas que permitam o nascimento e o
desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência.

22. Existência da pessoa natural termina com a morte (artigo 10 do Código de 1916;
novo, artigo 6º). Como com a morte termina a personalidade jurídica (mors omnia
solvit,
a morte tudo resolve), é importante estabelecer o momento da morte ou fazer sua
prova
para que ocorram os efeitos inerentes ao desaparecimento jurídico da pessoa humana,
como a dissolução do vínculo matrimonial, o término das relações de parentesco, a
transmissão da herança etc.
O novo Código Civil, no artigo 157, reintroduz, no ordenamento, a lesão como
modalidade de vício do negócio jurídico: "Ocorre a lesão quando uma pessoa, sob
premente necessidade, ou por inexperiência, se obriga a prestação manifestamente
desproporcional ao valor da prestação oposta. Parágrafo 1º - Aprecia-se a
desproporção
das prestações segundo os valores vigentes ao tempo em que foi celebrado o negócio
jurídico. Parágrafo 2º - Não se decretará a anulação do negócio, se for oferecido
suplemento suficiente, ou se a parte favorecida concordar com a redução do
proveito".
O Código Civil português atual, uma vez abolida a enfiteuse, conceitua a
superfície como "faculdade de construir ou manter, perpétua ou temporariamente,
uma
obra em terreno alheio, ou nele fazer ou manter plantações" (artigo 1.542). O objetivo
é
mais amplo do que na enfiteuse, permitindo melhor utilização da coisa. O proprietário
do
solo mantém a substância da coisa, pertencendo-lhe o solo, no qual pode ter interesse
de
exploração ou utilização do que dele for retirado. Tem esse proprietário, denominado
fundeiro, a fruição do solo e do próprio terreno enquanto não iniciada a obra ou
plantação
pelo direito lusitano. As superficiais tem direito de construir ou plantar. O fundeiro
tem também a expectativa de receber a coisa em retorno com a obra.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Artigo 1.336, parágrafo 2º, o condômino que não


cumprir qualquer dos deveres estabelecidos na lei, na convenção ou no regulamento
interno, pagará multa prevista na lei ou regulamento, não podendo ela ser superior a
cinco
vezes o valor de suas contribuições mensais, independentemente das perdas e danos
que
se apurarem. Não havendo disposição expressa, caberá à assembleia geral, por dois
terços
no mínimo dos condôminos restantes, deliberar sobre a cobrança de multa. Em
qualquer
situação, há que se assegurar direito de defesa ao infrator. Esse dispositivo se refere
àquele infrator esporádico.
Artigo 1337 dispõe: "O condômino, ou possuidor, que não
cumpre reiteradamente com seus deveres perante o condomínio poderá, por
deliberação
de três quartos dos condôminos restantes, ser constrangido a pagar multa
correspondente
até o quíntuplo do valor atribuído à contribuição para as despesas condominiais,
13 conforme a gravidade das faltas e a reiteração, independentemente das perdas e
danos que
se apurem". Parágrafo único: "O condômino ou possuidor que, por seu reiterado
comportamento anti-social, gerar incompatibilidade de convivência com os demais
condôminos ou possuidores, poderá ser constrangido a pagar multa correspondente
ao
décuplo do valor atribuído à contribuição para as despesas condominiais, até ulterior
deliberação da assembleia".
A hipoteca, como direito real acessório de garantia, mantém os mesmos preceitos
da última fase do Direito Romano. Aplicam-se lhe os princípios gerais estabelecidos no
Código Civil (artigos 755 a 767 do código de 1916 e artigos 1.419 a 1.430 do novo
código). Tal como os outros direitos de igual natureza, a hipoteca é acessória a uma
garantia e indivisível. Não se admite entre nós a chamada hipoteca abstrata, existente
por
si mesma, independente de qualquer crédito.
Considera-se direito real a partir do registro imobiliário. Enquanto não
registradas, as hipotecas são válidas e eficazes como garantia entre as partes, tendo
portanto alcance real limitado ou meramente obrigacional.
O usucapião (ou a usucapião) deve ser visto doravante sob uma perspectiva mais
dinâmica, que necessariamente fará acrescer alguns dos princípios básicos que
tomamos
como dogma no sistema de 1916. O novo Código Civil assume uma nova perspectiva
com relação à propriedade, ou seja, o seu sentido social. Como o usucapião é o
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

instrumento originário mais eficaz para atribuir moradia ou dinamizar a utilização da


terra, há um novo enfoque no instituto. Alie-se a isto a orientação da Constituição de
1988, que realça o princípio e alberga modalidades mais simplificadas do instituto.
Desse
modo, a ideia básica no novo diploma é no sentido de que as modalidades de
usucapião
se situam no tempo do período aquisitivo, mais ou menos longo. Sob esse novo pálio
deve ser atentamente analisado o artigo 1.238, que fixa o prazo do usucapião
extraordinário em quinze anos, independente de título e boa-fé. Esse prazo será
reduzido
a dez anos se o possuidor houver estabelecido no imóvel a sua moradia habitual, ou
nele realizado obras ou serviços de caráter produtivo.
A questão da boa-fé atine mais propriamente à interpretação dos contratos. O
código italiano já estabelecera que, no desenvolvimento das tratativas e na formação
do
contrato, as partes devem portar-se com boa-fé (artigo 1.337). Esse dispositivo serviu,
certamente, de inspiração para nosso novo Código Civil. O aspecto guarda muita
importância com relação à responsabilidade pré-contratual.
Importa, pois, examinar o elemento subjetivo em cada contrato, ao lado da
conduta objetiva das partes. A parte contratante pode estar já, de início, sem a
intenção de
cumprir o contrato, antes mesmo de sua elaboração. A vontade de descumprir pode
ter
surgido após o contrato. Pode ocorrer que a parte, posteriormente, veja-se em
situação de
impossibilidade de cumprimento. Cabe ao juiz examinar em cada caso se o
descumprimento decorre de boa ou má-fé. Ficam fora desse exame o caso fortuito e a
força maior, que são examinados previamente, no raciocínio do julgador, e
incidentalmente podem ter reflexos no descumprimento do contrato.
A responsabilidade por fato de animais é regulada pelo artigo 1.527 do Código
Civil de 1916:
"O dono, ou detentor, do animal ressarcirá o dano por este causado, se não provar:
I - Que o guardava e vigiava com cuidado preciso; II - Que o animal foi provocado por
outro; III - Que houve imprudência do ofendido; IV - Que o fato resultou de caso
fortuito,
ou força maior."
Os danos causados pelo fato de animais receberam tratamento de presunção de
culpa no código de 1916. O dono ou detentor do animal somente exonerar-se-á da
responsabilidade se provar um dos fatos descritos na lei. O dispositivo induz inversão
ou
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

reversão do ônus da prova, que não caberá à vítima, nesse caso, mas ao réu. Na
pretensão, basta que a vítima prove o dano e o nexo causal.
No novo Código Civil foram inseridos apenas três dispositivos no artigo 1.597,
Que trata da presunção de filhos concebidos na constância do casamento. Assim, além
dos
Incisos I e II, que cuidam das presunções ordinárias de concepção, dispõe esse artigo
que
Se presumem concebidos na constância do casamento os filhos: III - havidos por
Fecundação artificial homóloga, mesmo que falecido o marido; IV - havidos, a qualquer
Tempo, quando se tratar de embriões excedentários, decorrentes de concepção
artificial
Homóloga; V - havidos por inseminação artificial heteróloga, desde que tenha prévia
Autorização do marido.
Esses dispositivos, únicos no código sobre o tema, cuidam dos filhos nascidos do
Que se convencionou denominar fertilização ou reprodução assistida. O código enfoca,
Portanto, a possibilidade de nascimento de filho ainda que após a morte do pai ou da
mãe,
No caso de fecundação artificial e de embriões excedentários. Frise-se que o embrião
Pode ser albergado no útero de outra mulher, questão que faz surgir a problemática
da
Maternidade sub-rogada, maternidade de substituição ou ventre de aluguel Advirta-se,
de
Plano, que o Código Civil de 2002 não autoriza nem regulamenta essa reprodução
Assistida, mas apenas constata a existência da problemática e procura dar solução
Exclusivamente ao aspecto da paternidade. Toda essa matéria, que é cada vez mais
ampla
e complexa, deve ser regulada por lei específica, por opção do legislador.

23. A partir de 11 de janeiro de 2003, quando o novo Código Civil entrou em vigor,
todas as igrejas passaram a ser associações. A antiga lei as denominava "sociedade pias
e religiosas", se bem que os juristas e tribunais já costumavam a tratar as igrejas como
associações. Até aí, tudo bem. No entanto, com a cristalização dessa compreensão,
algumas mudanças vieram.
A principal mudança é a limitação do poder de auto-regulação por parte das
associações. Isso significa que, a exemplo do que já acontece com outros tipos de
sociedades e de comunhão de interesses - como os condomínios de edifícios, por
exemplo -, a nova lei traz, do seu artigo 53 até o 61, uma série de regras que devem
ser observadas obrigatoriamente pelas associações em seus estatutos. Se essas regras
não forem adotadas pelas igrejas, elas estarão em situação de ilegalidade
irregularidade perante os órgãos competentes, comprometendo a validade de todos
os seus atos.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

O novo código em seu artigo 2.031, estabelece um prazo improrrogável de um ano


para que as associações que já existiam ao tempo da entrada em vigor da nova lei
adaptem seus estatutos às novas regras. Ou seja, as igrejas terão até janeiro de 2004
para mudar seus estatutos.
Uma outra novidade diz respeito à exclusão e disciplinas nas igrejas. O artigo 57 do
novo código concede direitos ao associado (membro da igreja) que está para ser
excluído. A exclusão só é admitida "havendo justa causa, obedecido o disposto no
estatuto; sendo este omisso, poderá também ocorrer, se for reconhecida a existência
de motivos graves, em deliberação fundamentada, pela maioria absoluta dos
presentes à assembléia-geral, especialmente convocada para este fim". Em outras
palavras, antes de excluir algum de seus membros, as igrejas devem observar agora
três coisas: a) O motivo da exclusão deve estar expressamente previsto
Para que haja justa causa, é preciso que o fato que deu ensejo à exclusão já esteja
previsto no estatuto da igreja. Cada igreja deve apresentar em seu estatuto, ou em um
regimento disciplinar que seja elaborado e aprovado conforme se dispuser no
estatuto, quais serão as transgressões que darão ensejo à exclusão ou à aplicação de
penalidade ao membro. É preciso que sejam relacionadas todas as transgressões. Não
se pode aceitar cláusulas genéricas como "pecados", "transgressões contra a Palavra
de Deus", "condutas contrárias a Bíblia Sagrada" ou similares. Além disso, nas
definições das transgressões, devem ser adotados, tanto quanto possível, termos
técnicos jurídicos, para que se possa evitar no futuro eventuais questões que sejam
levadas ao Poder Judiciário por conta dessas imprecisões terminológicas. "Deve se
evitar, por exemplo, o uso de termos como "adultério", que tem um conceito técnico
-jurídico bem restrito e diferente do adotado nas igrejas locais", exemplifica o
Presbítero Caramuru Afonso Francisco, da Assembléia de Deus no Belenzinho, SP, e
doutor em Direito Civil pela Universidade de São Paulo (USP).
b) Definir com clareza as penalidades que poderão ser aplicadas e em que casos
deverão ser aplicadas, devendo sempre ser observado o princípio da
proporcionalidade.
A desproporção de uma penalidade pode ser questionada nos tribunais. Porém, isso
não significa que caso um membro pratique uma transgressão que não seja prevista no
estatuto e constitua-se uma infração à sã doutrina, ele não possa ser disciplinado. Será
preciso, no entanto, que haja uma assembléia-geral especialmente convocada para
este fim e que a maioria absoluta da assembléia seja favorável à disciplina. Se
aprovada, ainda será necessário instaurar-se um processo legal, com a oportunidade
para que o acusado possa se defender.
c) O Novo Código Civil prevê a possibilidade de recurso à assembléia-geral sempre que
for decretada a exclusão.
Em outras palavras, é instituído o direito de defesa ao excluído. "Foi tirado o direito de
auto-regulação das normas referentes à exclusão, fazendo com que, obrigatoriamente,
haja um procedimento que prime pela possibilidade de defesa e pelo duplo grau de
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

julgamento garantindo às associações aquilo que é próprio do domínio privado: o


processo legal", esclarece Caramuru.
Com essas modificações, todo estatuto de igreja deve ter capítulo específico sobre o
procedimento de disciplina, criando um rito pelo qual se estabelecerá a apuração e
penalização de transgressões, e serão identificados os órgãos que poderão apurar os
fatos e os que julgarão esses fatos, havendo uma certa dissociação entre os órgãos que
investigarão os fatos e o que os julgará.
Outros detalhes a serem observados são a entrega, por escrito, a cada membro, do
regimento disciplinar da igreja, para que não possa alegar desconhecimento das
normas da igreja perante a justiça; e o uso do AR/MP (Aviso de Recebimento em Mãos
Próprias), o que significa que o acusado deverá ser informado do processo de
suspensão da Santa Ceia através de notificação via postal, executada pelos correios.
Pela norma do artigo 50 do novo Código Civil, os bens particulares dos administradores
- no caso, os pastores de igrejas - respondem pelos prejuízos causados às igrejas no
caso de desvio de finalidade. Esse artigo não tem correspondente no Código Civil em
vigor, é inovação. "Um exemplo de desvio de finalidade é usar o dinheiro ou outro bem
da igreja em benefício próprio ou de outrem, sem autorização da igreja. Pela confusão
patrimonial, significa dizer colocar um bem da igreja em seu nome", explica
desembargador Júlio Aires, da Assembléia de Deus no Maranhão.
Pareceres de Juristas das Assembléias de Deus indicam que não haverá mudanças
radicais Nas palavras do Desembargador Júlio Aires, da Assembléia de Deus no
Maranhão, as igrejas não têm muito o que se preocupar com a entrada em vigor do
novo Código Civil. "De forma geral, os direitos, deveres e garantias fundamentais dos
membros das igrejas, tanto individuais como coletivos, são os constantes da
Constituição Federal em vigor, em seu artigo 5°. As conquistas obtidas até agora -
liberdade de consciência e de crença, livre exercício de culto e proteção aos locais de
sua celebração, entre outras - estão todas garantidas na Constituição Federal. Quanto
aos estatutos das igrejas, acredito deverão continuar essencialmente como estão. Se
necessário reformá-los, a reforma será de conformidade com os interesses peculiares
de cada igreja. A meu ver, os novos Códigos Civis em vigor não disciplinam essa
questão que é matéria de interesse interna corpórea, ou seja, de interesse privativo
das igrejas", argumenta.
Apesar de ser positivo quanto às implicações, o desembargador só faz uma ressalva:
"Ao elaborar seus estatutos, as associações, o que inclui as igrejas, devem fazê-lo nos
moldes do artigo 54 do novo Código Civil, cujo artigo não tem correspondente no
Código Civil vigente. Nesse ponto, vejo, sim, algo novo. Merece destaque aqui os
requisitos para admissão e exclusão dos associados, que são os membros; a
especificação de direitos e deveres dos associados; e a clarificação das fontes de
recursos para sua manutenção. Ocorre que esses requisitos já constam praticamente
em todos os estatutos das igrejas, pelo menos as Assembléias de Deus. Se não constar,
deverão ser alterados", esclarece.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Sobre as novas competências privativas das assembléias das associações, o


desembargador Júlio Aires também analisa alguns pontos: "Lendo-se os artigos 57 e 59
do novo Código Civil, vemos que os motivos para exclusão de um membro deverão
estar previstos no estatuto. Caso haja omissão quanto aos motivos para exclusão, a
assembléia-geral poderá excluir o membro, desde que saiba tratar-se de um motivo
grave. Acredito, à luz do segundo inciso do artigo 59, que uma igreja reunida possa, em
assembléia geral, destituir seu pastor, desde que se tenha assegurado o direito de
ampla defesa. Mas não só isso. A destituição também poderá se dar por decisão
judicial em ação proposta por qualquer membro da igreja, mas sempre assegurado o
direito de defesa. Essa questão poderá ou não constar do estatuto. Se o estatuto for
omisso, mesmo assim poderá ocorrer a destituição pela assembléia regularmente
convocada, a qual tem competência para isso".

24. O empregado doméstico figurado pela Lei 5.859/78,


Tratando-se dos direitos dos trabalhadores rurais e urbanos, a Constituição Federal em
vigor, não reconhece alguns dos direitos trabalhistas ao empregado doméstico.
Ultimamente, vários direitos, de trabalhadores rurais e urbanos em comum, não são
tão abrangentes quanto ao empregado doméstico, sendo a causa desse não
reconhecimento, e continuar mantendo os encargos trabalhistas e previdenciários.
Assim para o empregado doméstico é assegurada os demais direitos:
Salário - O salário mínimo fixado em lei, é a menor remuneração que pode se pagar
para o empregado doméstico, sendo a partir deste valor a negociação de um salário
superior.
Férias Anuais - O empregado tem o mesmo direito de receber o salário como se
estivesse trabalhando, deste modo o empregador não poderá descontar do salário do
empregado, pelo fato deste estar em férias.
O Art. 130 da CLT, estabelece que as férias serão de 30 dias.
Tendo o empregado trabalhado doze meses, este deverá escolher uma data, para que
se conceda as suas férias dentro dos 12 meses seguintes.
Irredutibilidade Salarial - O empregador não poderá reduzir o salário paga ao
empregado, salvo se disposto em convenção ou acordo coletivo.
Décimo Terceiro Salário - O décimo terceiro salário será uma remuneração integral
recebido empregado, no mês de dezembro.
É bom alegar que a Lei nº 4.090/62, estabelece, em seu art. 1º, que o 13º
“corresponderá a 1/12 da remuneração devida em dezembro, por mês de serviço, do
ano correspondente” (§1), e que “a fração igual ou superior a 15 dias de trabalho será
havida como mês integral” (2§).
Repouso Semanal Remunerado - É o dia em que o empregado tem o seu descanso, que
geralmente é aos domingos, mas caso o repouso não seja aos domingos, é dever do
empregador fixar outro dia da semana.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Licença Paternidade - Sendo o empregado doméstico de sexo masculino, tem como


prazo de licença paternidade é de 5 dias, de acordo com o art. 10, § 1º, do ADCT.
Licença Gestante - Também chamada licença maternidade, sua duração é de 120 dias,
neste período a empregada não poderá ser despedida do emprego e recebe os
mesmos vencimentos salariais pela Previdência Social.
Aviso Prévio - O empregado doméstico quando é dispensado sem justa causa, tem o
direito de aviso prévio, que poderá ser trabalhado, o comunicando no prazo máximo
de 30 dias, assim ele permanece trabalhando até o final do prazo, ou indenizado, assim
o empregador devendo pagar o valor de um salário do empregado à título de
indenização.
Auxílio – Doença - È o benefício em dinheiro pago mensalmente ao empregado que
fique incapacitado de praticar os atos laborais.
O prazo de duração do auxílio – doença, é enquanto o empregado estiver incapacitado
para cumprir o seu trabalho habitual.
Sendo esta incapacidade avaliada pelo Setor de Perícias Médicas do Instituto.
Acidente De Qualquer Natureza - Caso o empregado sofra um acidente no trabalho ou
em casa e fique incapacitado de trabalhar, este direito é concedido.
Auxílio – Reclusão - É o benefício pago pelo INPS ao dependente do segurado detento
que não está auferindo qualquer salário pelo seu serviço.
Aposentadoria - O empregado é dispensado da obrigação de trabalhar, porém
continua a receber sua remuneração que tem direito.

25. Há sete anos, eram concedidas mais aposentadorias por tempo de serviço do que
por idade. A proporção era de 58,2% frente a 41,8% das concedidos por idade (homens
a partir dos 65 anos e mulheres, dos 60 anos). Em 2003, os benefícios por tempo de
contribuição já representavam apenas 27,2% e as por idade, 72,8%, considerando
apenas o total desses dois tipos de benefícios. Estimativas para 2004 apontam para
participação dos beneficiários por idade de 76,7% frente a apenas 23,3% dos
segurados que completam o tempo de contribuição necessário antes dos 65 anos, se
homem, ou 60 anos, se mulher. A aposentadoria para a mulher rural ou micro
produtora, são 55 anos de vida, e homem 60, e também se for pescador.

26. - Aposentadoria = deixar o serviço, ou atividade, conservando o ordenado inteiro


ou parte dele. Após os 60 anos mulheres e 65 homens.
- Pensão = É uma renda anual ou mensal paga a alguém durante toda a vida.
- Amparo = para quem nunca contribuiu ou tem pouca contribuição, é apropriado para
pessoas acima de 65 anos, ou menos, desde que seja inválido para o trabalho e se a
família for pobre. Agora já pode coexistir dois ou mais amparos na mesma residência .
Súmula 11. Em caso de falecimento do assistido, a LOA não deixa pensão para o
dependente.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

27. PRINCÍPIOS DO PROCESSO DO TRABALHO


1º - CONCENTRAÇÃO - Todos os atos processuais da justiça do trabalho se realizam
num momento só - É um momento processual único - Ex.: A audiência da justiça do
trabalho, formalmente, é única, no entanto, hoje, acontece em três etapas ( Art. 845 a
850 - CLT ).
2º - ORALIDADE - não há necessidade de peças escritas. Há uma prevalência da fala.
Ex.: Em uma reclamação trabalhista, o reclamante, perante a justiça, o faz oralmente,
que é tomada a termo, instaurando-se, aí, o processo trabalhista.
3º - IMEDIATIDADE - Os atos processuais são realizados em audiência com a mediação
entre juízes e partes. Os atos são praticados de imediato. Ex.: O reclamado apresenta
sua tese, aí o reclamante apresenta a sua impugnação imediatamente, sob pena de
preclusão. (Normalmente tem ocorrido, em determinados casos, de o juiz suspender
aquela audiência oportunizando ao reclamante um prazo maior ). Princípio ius
postulandi as partes podem postular em juízo, sem advogado.
4º - PRECLUSÃO - Quando ocorre a perda da faculdade de praticar qualquer ato pela
transposição de um momento processual. É a perda do direito processual, por não tê-
lo exercido.
5º - INFORMALIDADE - Há uma simplificação dos atos. Ex.: A reclamação oral tomada a
termo indica a formalidade.
6º - CELERIDADE - É a agilidade, rapidez dos atos processuais (Litígio entre empregador
e empregado é conflito social e não pode demorar muito tempo sem solução. Daí a
necessidade de rapidez, sob pena de estender o conflito a toda a classe).
7º - EVENTUALIDADE - O evento é único. O empregado tem que alegar tudo na inicial.
O empregador deve apresentar a sua defesa num único ato, na impugnação.
8º - PEREMPÇÃO - Extinção do direito de praticar um ato processual, quando, dentro
de certo tempo não se exercita esse direito de agir. Não impugnando os tópicos
apresentados dentro do prazo para fazê-lo, está perempto.
9º - SUBSTITUIÇÃO PROCESSUAL - É possibilidade das partes serem substituídas no
processo. Ex.: o trabalhador pode ser substituído pelo sindicato.
10º - CONTRADITÓRIO - tudo o que uma parte fizer a outra pode manifestar-se, ter
vista. Oportunidades iguais às partes.
11º - INQUISITIVO - O processo do trabalho move-se por iniciativa do juiz. O juiz é que
dá o impulso processual.
12º - BUSCA DA VERDADE REAL - Todos os atos processuais devem buscar a verdade, a
realidade. Admite-se provas de ofício (vistorias e perícia).
13º - ECONOMIA PROCESSUAL - Diminuição do tempo da prestação jurisdicional
(reunião dos processos) desde que não prejudique a defesa.
14º - IRRENUNCIABILIDADE - São normas de direito público cogente irrenunciáveis
pelas partes. Ex.: arrolar testemunhas.
15º - MOTIVAÇÃO DAS DECISÕES - As sentenças da justiça do Trabalho devem ser
fundamentadas legalmente.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

16º - DUPLO GRAU DE JURISDIÇÃO - A parte que perder tem direito de recorrer. 1ª
instância: Juntas de Conciliação; 2ª instância: TRT; Instância Especial: TST e STF
17º - CONCILIAÇÃO: É a busca pelo acordo. A conciliação pode ser feita a qualquer
momento. A norma obriga o juiz a propor a conciliação. Se não vier expresso nos
autos, o processo é nulo.
18º - NON REFORMATIO IN PEJUS: O recurso não pode prejudicar o recorrente.
19º - IRRECORRIBILIDADE DAS DECISÕES INTERLOCUTÓRIAS: Não sendo decisões
terminativas, não cabe recurso. Só tem Apelação de sentença. Não tem Agravo.
DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO 20/08/97.

28. Depois de receber a notificação da multa, a pessoa tem 15 dias (após a emissão da
notificação) para protocolar seu requerimento de defesa. Nesta primeira fase, é
importante apontar as inconsistências da multa, como modelo diferente de carro ou o
fato de a rua apontada como local da infração não existir. O requerimento deve ser
entregue pessoalmente ou pelos Correios aos órgãos competentes de cada cidade ou
Estado.
Há como sugestão um modelo disponível de requerimento, porém a forma de
argumentação é livre. Dados do requerente (nome completo, endereço, qualificação);
dados do veículo (placa, marca, modelo, ano, cor); dados da autuação (número do
Auto de Infração de Trânsito - AIT, data da autuação, local da infração e tipo da
infração); alegação do requerente (motivo que expõe para solicitar o cancelamento da
autuação); data e assinatura.
É preciso ainda anexar uma cópia simples do Auto de Infração de Trânsito – AIT ou da
Notificação da Autuação; cópia simples do Certificado de Registro do Veículo – CRV ou
Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo – CRLV; cópia simples de
documento de identidade do requerente que comprove a autenticidade da assinatura
(RG, CNH, OAB, CREA, etc.); cópia simples da Indicação do Condutor responsável pela
infração, no caso de já ter sido efetuada, acompanhada de cópia simples Carteira
Nacional de Habilitação – CNH ou Permissão para Dirigir do condutor indicado. Para
alegação de Divergência de cor do veículo, é importante anexar uma fotografia
colorida do veículo onde seja visível sua placa.
Se não houver recurso dentro do prazo, o órgão de trânsito irá emitir a notificação de
multa, com o valor a ser pago pela infração. Ao contrário da notificação de infração,
que deve ser emitida em 30 dias, a multa emitida não tem prazo para ser enviada.
Esse primeiro recurso será analisado por funcionários do Departamento de Operação
do Sistema Viário (DSV). Se o pedido de anulação da notificação for aceito pelo DSV, a
multa será anulada. Se for indeferido, o proprietário então recorrerá ao Juiz, onde o
julgamento é feito por representantes de entidades civis.
O caso é julgado, em média, em 14 dias.
Não adianta alegar que o carro era dirigido por outra pessoa quando a infração foi
cometida. O proprietário tem que preencher um formulário que vem com a notificação
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

indicando quem dirigia. Os dois devem assinar o formulário, antes de entregá-lo para a
autoridade de trânsito. Mas, atenção, isso não isenta o proprietário de pagar a multa.
Todo o processo pode ser feito pelo dono do veículo, sem a necessidade de contratar
advogado ou despachante. Empresas especializadas em recorrer de multas também
deve ser evitadas. De acordo com especialistas, elas chegam a prejudicar o cliente.

29. São dois códigos usados pela justiça. Conduzem os fatos para uma sentença final.
- Processo Penal = Geralmente, começa com BO na delegacia, com inquérito ou TCO, e
depois o delegado faz o relatório e passa para o fórum, onde o MP faz a denúncia e o
juiz colhe as provas, ouve as partes e prolata a sentença, se for crime contra a vida, vai
a júri popular.
- Processo Civil = Regula as relações da vida civil entre as pessoas. Inicia com a
provocação e pedido de uma parte e o juiz manda citar a parte contrária, recebe a
contestação, ouve as partes, colhe testemunha e documentos e prolata a sentença,
dando ou não direito ao pedido pleiteado. Geralmente, cabe recurso para as capitais
dos Estados e Brasília.

30. Capelão é um ministro religioso autorizado a prestar assistência religiosa e a


realizar cultos religiosos em comunidades religiosas, conventos, colégios,
universidades, hospitais, presídios, corporações militares e outras organizações. Ao
longo da história, muitas cortes e famílias nobres tinham também o seu capelão
particular.

31. -Quando= 1934 e 1937.


-Quem= Os padres.
-Porque= Para consolar, assistir, orientar, levantar a alta estima, oferecer apoio
moral e estender a mão amiga ao triste, doente, abatido, caído, preso, sentenciado de
morte, enfermo e necessitado psicologicamente.

32. Com o aumento dos evangélicos, a partir dos anos 70 começaram a ser
implantados capelães evangélicos, em lugares oficiais.
Havia um número considerável de oficiais militares, pacientes e médicos, graduados e
povo em geral que eram evangélicos, então ficava incoerente um evangélico ser
consolado e assistido espiritualmente por pessoa de outro credo.

33. Consolar, assistir, orientar, levantar, a autoestima, oferecer apoio moral e estender
a mão amiga ao triste, doente, abatido, preso sentenciado de morte, enfermo e
necessitado psicologicamente.

34. Valoriza a palavra do orador, principalmente em reuniões fora da igreja e aumenta


o repertório valorizando o auditório.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

35. O pastor trabalha com pessoas das diversas áreas das profissões liberais e
intelectuais e quanto mais apresentar saber mais conquistará moral e a simpatia dos
fiéis.

36. O Âmbito do Aconselhamento Pastoral é uma área bem ampla, segue além dos
terrenos cotidiano, social e moral das circunstâncias que a ele associam, por suas
razões conscientes e inconscientes, e suas determinadas histórias casuais.

Estas áreas são as seguintes:

— Religiosa: Um gabinete pastoral deve ser o mais apropriado, sendo a entrevista


sobre o assunto, o pastor falará da vida espiritual dirigida pelo Espírito, neste campo
não precisa temer, pois o seu preparo teológico não o deixará mostrar ser fraco e
inexperiente. Como pastor, exercerá a sua autoridade espiritual, seu conhecimento
bíblico, seu poder de comunhão com Deus e sua fé inabalável alicerçado pela
fidelidade, mansidão, capacidade de perdoar e principalmente no temor a Deus.

Demonstrar mais compreensão, firmeza, equilíbrio, sabendo guardar as confidências


reservadas que lhe sejam confiadas.

— Social: O pastor é uma figura universal, o que implica dizer que ele atinge todas as
esferas da vida dos seus semelhantes dando sua parcela de participação nas alegrias e
nas tristezas, na fartura, na carência, na solidão, no matrimônio ou nas crises
conjugais, no que vê e ouve deve conservar em sigilo.

— Emocional: É a reação proveniente da afinidade com um apelo produzindo


ansiedade para sua solução; nas áreas emocionais, o pastor deve ter bastante cuidado
espiritual para discernir as emoções verdadeiras das falsas, sem deixar-se envolver por
eles.

— Mental: A enfermidade mental é um distúrbio causado por diversas emoções, não


chegando a ser loucura propriamente dita, mas associando-se a ela, em menor grau,
demonstrando-se por complexos de inferioridade, ou ansiedade não justificáveis e por
desejos insatisfeitos.

Nestes casos o aconselhado deve ser orientado a procurar um psiquiatra, buscando


auxílio nos familiares de modo discreto, segundo a abrangência do problema.

37. Pastor culto é aquele que procura apresentar-se apto diante de Deus, não só
espiritual, mas também intelectualmente. Quanto melhor puder expressar a sua
mensagem mais valerá á pena ouvir o que ele diz.

O pastor culto é instruído, letrado, sábio. É um homem livre de inibições, podendo


manejar bem a palavra da verdade. (Ef 6:17).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Pastor leigo é alheio ao mundo secular, sem conhecimento, sem cultura. Se ele deseja
se mostrar aprovado diante de Deus e dos homens, é imprescindível que ele adquira
toda a instrução possível e absorva o máximo do que os mestres e os livros possam lhe
ensinar, extraindo deles todo o conhecimento disponível.

O obreiro deve se esforçar para aprender tudo o que puder, porque a falta de
instrução pode ser um tropeço no exercício de seu ministério.

38. Aquele que entrega sua vida totalmente á Deus, é um pastor cheio do poder, bem
sucedido tem vida regada com oração conhecimento geral da Palavra de Deus.
Pouco se faz para Deus sem oração e sem a leitura da Bíblia, sem jejum e vigilância,
tudo isso, acompanhado de humildade faz de um pastor ou qualquer pessoa ficar cheia
do Espírito Santo.
Estudar é muito mais que necessário, é dever do líder, jamais pode contar somente
com sua sabedoria humana e conhecimento crescimento precisará também da unção
do Endêmico se não se tornará um pastor de letra morta, a edificação da igreja e seu
espírito Santo, através da oração vigilância e jejum.

MÓDULO II – TEOLOGIA PRATICA E ECLESIÁSTICA


TEOLOGIA GERAL

39. -Teologia Secular = Traz conhecimento cultural. Estuda as coisas relativas á Deus, a
sua natureza, obras e relações com os homens.
Estuda não apenas a doutrina específica de Deus, mas também todas as doutrinas que
se referem ás relações que Deus mantém com o universo.
- Teologia Evangélica = Estuda as questões referentes ao conhecimento da divindade
de Deus e de suas relações com os homens descrevendo as doutrinas através dos livros
da Bíblia.

40. Teologia Exegética, Teologia Histórica, Teologia Dogmática, Teologia Bíblica,


Teologia Sistemática.

41. A Pentecostal aceita os dons relacionados pelo apostolo São Paulo, que estão
relacionadas suas cartas como em At 2. e 1ª Co 12.4-11. Já os tradicionais se
mantem com os hábitos e costumes da época e não cultivam determinados dons como
os pentecostais, não creem no batismo com o (ou) Espírito Santo, por meio de
evidência de falar línguas estranhas etc...

42. A Teologia Básica estuda a: Bibliologia, Teontologia, Pneumatologia, Angeologia,


Antropologia, Harmatiologia, Soteriologia, Eclesiologia, Escatologia, Heresiologia,
Evangelismo, Discipulado, Síntese Velho Testamento e Síntese Novo Testamento.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

A Teologia Média estuda a: Hermenêutica, Homilética, Liturgia, Administração


Eclesiástica, Apologética, Teologia Moral (ética crista), Teologia Pastoral, História da
Teologia, Dispensações e Alianças, Religiões Mundiais I e II, Período Inter bíblico,
Maneiras e Costumes da Bíblia, Geografia Bíblica, A Bíblia e a Ciência, Tipologia,
Arqueologia, Português Instrumental, Metodologia do Ensino Científico, Direito
Canônico e outros.

43. Porque estas igrejas se preocupam mais com o louvor. Evangelizam e discipulam
por meio dos louvores. Dá a entender que estão mais preocupados com a quantidade
e não com a qualidade dos seus seguidores. As pessoas aceitam a Cristo
eventualmente e muitos se afastam com muita facilidade e sem nenhum temor, pois
não recebem mensagens de ensinamentos, não são solidificados na Palavra de Deus,
então não valorizam o alto valor da Bíblia e o conhecimento íntimo com Deus.
Geralmente existe um pequeno ministério e pouco tempo dedicado ao estudo da
palavra e da doutrina.

TEOLOGIA SISTEMÁTICA

44. 1- A ciência de Deus... Um resumo da verdade religiosa cientificamente arranjada,


ou uma coleção filosófica de todo o conhecimento religioso (W.Lindsay Alexander).
2- A ciência de Deus e dos relacionamentos de Deus com o universo (A.H.Strong).
3- A Teologia sistemática tem por objetivo sistematizar os fatos da Bíblia, e
averiguar os princípios ou verdades gerais que tais fatos envolvem (Charles Hodge).
4- Uma ciência que se preocupa com o infinito e o finito, com Deus e o universo. O
material, portanto, que abrange e mais do que qualquer outra ciência. Também é a
mais necessária de todas as ciências (W.G.T.Sheda)
5- Uma ciência que segue um esquema ou uma ordem Humana de
desenvolvimento doutrinário e que tem o propósito de incorporar no seu sistema a
verdade a respeito de Deus e o seu universo, a partir de qualquer fonte (Lewis Sperry
Chafer).

45. 1-Teologia Natural.


2-Teologia Prática.
3-Teologia Bíblica.
4-Teologia Histórica.
5-Teologia Dogmática.

46. A Teologia Sistemática é um estudo, abrangente de toda a doutrina de Deus.


Subdivide-se em várias ramificações e a organização coordenada dos estudos da Bíblia,
sendo agrupados em tópicos.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

PENTATEUCO

47. 1. Gênesis: Significa “a geração”, sucessão da vida a das coisas. Em hebraico.


Chama-se “Bereshith”, significando “O começo”.
2. Êxodo: Significa “Saída”, no grego ou imigração.
3. Levítico: Trata do regulamento e observação do Sacerdócio Levitico.
4. Número: O título é da Versão dos Setenta, porque narra dois recenseamentos.
5. Deuteronômio: 5⁰ Livro de Moisés.No grego é “Segunda lei” ou Repetição da lei.

48. a) Pentateuco é os cinco primeiros livros da Bíblia, Penta. Escritos por Moisés.
Conhecidos como a lei de Moisés.
b) Torá. Para os hebreus a Bíblia começa e termina no Pentateuco. Formando um
só pergaminho indivisível.

49. a) Onde? Provavelmente começou no Egito e terminou no deserto do Sinai.


b) Quando? Do século XV ao século XIV a.C.
c) Por quem? Por Moisés.

BÍBLIA

50. A Bíblia começou a ser escrita no deserto do SINAI, no Oriente Médio, ao norte da
África e do Egito, ao Sul da Rússia, do Mar negro da Turquia e da Grécia, ao Leste do
Mar Mediterrâneo e ao oeste da Jordânia e Síria ou sul do Líbano e Europa. (Sul).

51. A palavra “APÓCRIFO” significa literalmente: “ESCONDIDO”, “OCULTO”, no sentido


religioso, o termo significa: “NÃO GENUÍNO”, “ESPÚRIO”.
São 14 os apócrifos. Sendo 10 livros e 04 acréscimos a livros canônicos. No entanto a
Igreja Católica aceita somente 11. Sendo 07 livros e 04 acréscimos.
- Os sete livros apócrifos da Bíblia católica são:
* Tobias (após o livro de Esdras);
* Judite (após o livro de Tobias);
* Sabedoria de Salomão (após o livro de Cantares);
* Eclesiásticos (após o livro de Sabedoria de Salomão);
* Baruque (após o livro de Jeremias);
* 1 Macabeus (após o livro de Malaquias);
* 2 Macabeus (após 1Macabeus).
Os quatro acréscimos do apêndice:
*Ester (a Ester 10:4 – 16:24);
*Cântico dos três santos filhos (a Daniel cap.13);
*Bel e o dragão (a Daniel cap.14).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

A Igreja romana aprovou os Apócrifos em 18 de abril de 1546 como meio de combater


a Reforma Protestante, então recente. Nessa época os protestantes combatiam
violentamente as novas doutrinas romanistas do purgatório, a oração pelos mortos,
salvação mediante obras.

52. A Bíblia é um livro diferente de todos os demais livros, O que diferencia a Bíblia dos
demais livros é a sua inspiração divina “Toda Escritura é inspirada por Deus... porque
nunca qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens (santos)
falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo" (II Tm 3:16 a e II Pe 1:21).
Na Bíblia encontramos a revelação de Deus a toda humanidade, ao revelar que: "o
único Deus e a Jesus Cristo, a quem Ele enviou" (Jo 17:3). Sendo as Escrituras a
revelação de Deus, tanto o AT como o NT, é o Seu esforço de revelar a sua salvação,
através de Jesus Cristo. Como alguém já disse: "A Bíblia é Deus falando ao homem, é
Deus falando através do homem, é Deus falando com o homem, é Deus falando a favor
do homem, mas, á sempre Deus falando".
É a influência sobrenatural do Espírito Santo, sobre os escritores da Bíblia,
capacitando-os a receber e transmitir a mensagem divina sem mistura de erro.
A Bíblia é sempre atualizada. Por quê?
“... As palavras que Eu vos disse são espírito e vida.”
Se a palavra e vida ela está presente e atuante constantemente e nunca será
desatualizado porque ela e espírito e vida e o próprio Deus.

53. O que diferencia a Bíblia dos demais livros e a sua inspiração divina, é devido á
inspiração divina e que ela é chamada a Palavra de Deus. Essa inspiração é a influência
sobrenatural do Espírito Santo, sobre os escritores da Bíblia, capacitando-os a receber
e transmitir a mensagem divina sem mistura de erro.
Prova da inspiração divina, isto é, a ação do Espírito Santo nas Escrituras e que Jesus
aprovou a Bíblia. Ele leu em Lc.4:16. Portanto, o Espírito Santo está embutido na Bíblia
devido a sua magnífica inspiração.

54. O vocábulo Bíblia não se acha no texto bíblico. Esta expressão vem do grego. É
derivada do nome que os gregos davam a folha de papiro preparada para a escrita-
Bíblos.Um rolo de papiro do tamanho pequeno era chamado Biblion e vários destes
era uma Bíblia, quer dizer “coleção de livros pequenos”.

55. Os três maiores livros do Antigo Testamento é:


a) Velho Testamento = Salmos 150 capítulos.
b) Jeremias é o segundo maior livro da Bíblia, pois contém mais palavras (não
capítulos) do que qualquer outro livro, exceto Salmos. Jeremias possui 52 capítulos.
c) Isaías. 66 capítulos.
E do Novo Testamento é:
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

a) Mateus 28 capítulos.
b) Atos 28 capítulos.
c) Lucas 24 capítulos.

56. O valor da Bíblia não é religioso, mas sim vital, pois são palavras de Deus Vivo, e
são palavras que vivificam se crermos. (João 5:24). O caráter religioso da Bíblia está em
sua mensagem que é a sua maior riqueza e transforma a Bíblia no livro sagrado por
excelência.

57. A partir de 1250 d.C., pelo Cardeal Hugo de Saint Cher, monge domiciniano.

58. -João Ferreira D`Almeida.


-Matos Soares.

59. A Bíblia toda foi o primeiro livro impresso no mundo após a invenção do prelo, isso
em 1452 d. C. em Mainz. Alemanha.

60. Para que o povo não viesse descobrir a verdade contida em suas mensagens que
Jesus cura, salva, liberta e leva ao céu, sem a interferência de ninguém acreditando nas
falsas doutrinas e fundamentos deturpados e fora da realidade cristã. Para
continuarem ajudando financeiramente enriquecendo cada vez mais os lideres.

61. a) Papirus: Extraído de uma planta aquática desse mesmo nome. Depapirus deriva
o termo papel, seu uso na escrita vem de 3000 a.C. no Egito.
b) Pergaminho: Pele de animais, curtida e preparada para escrita. Material superior
ao papiro, porém de uso mais recente. Teve seu uso, á partir do início do século I na
Ásia Menor.

GEOGRAFIA BÍBLICA

62. Foi gerado na Galiléia na cidade de Nazaré e nasceu na Judéia cidade de Belém.

63. Jesus morreu e foi crucificado fora da cidade em um lugar chamado Gólgota ou
(caveira) na cidade de Jerusalém e foi ascendido em Betânia. No Monte das Oliveiras.
(Lc.24:50).
64. Fora a cidade residencial do Senhor Jesus e do seu discípulo Pedro, (Mt 5:1; 8;14-
17). Além de realizar em Cafarnaum o maior número de milagres pronunciou ali os
mais profundos ensinamentos.

65. Egito e Israel.


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Quando criança Jesus foi levado ao Egito pelos seus pais para fugirem da fúria de
Herodes. (Mt.2:13).
O Senhor Jesus pregou somente em Israel, seus apóstolos e discípulos até os confins
da terra.

66. Israel foi muito próspero, inicialmente no reinado de Salomão. Ele implantou a
siderurgia do alumínio e cobre e aumentou os impostos, levando o povo á miséria.
Após sua morte seu filho Roboão não quis atender as reivindicações do povo,
oprimindo ainda mais a combalida e azeda nação hebraica, não baixar os impostos
nem melhora as condições de vida de seus irmãos. Aproveitando –se dessa situação
caótica, Jeroboão assume a liderança das tribos descontentes. E, assim, em 923 a.C., o
reino de Israel divide-se. As tribos de Judá e Benjamim permanecem fiéis á dinastia
davídica. Entretanto, as do norte, encabeçadas por Efraim, formam um novo reino.
As tribos do norte foram invadidas pela Assíria, em 722 a.C. e as do sul foram levadas
em cativeiro em 586 a.C. pelos babilônios.
1. Samaria: Foi capital do reino do norte durante duzentos anos. Essa cidade foi uma
das mais importantes e influentes na vida de Israel.
2. Galiléia: Um pequeno “circuito” de território, no qual estavam vinte cidades que o
rei Salomão deu ao rei Hirão (1Rs 9:11).
3. Judéia: Designação grega e romana da terra de Judá.

67. - Assíria em 722 a.C.


- Babilônia em 604 a.C.
- Domínio do império babilônico = 605 a 586 A.c
- Início do domínio persa – 539 a.C. Ciro, imperador da Pérsia, ordena a volta dos
judeus – 538 a.C.
- Alexandre, o Grande, governa a Palestina: domínio macedônio – 333 a 323 a.C.
- Domínio dos Ptolomeus sobre a Palestina – 323 a 198 a.C.
- Domínio dos selêucidas sobre a Palestina – 198 a 166 a.C.
- Domínio da família de Judas e seus descendentes, os asmoneus, sobre a Palestina
– 166 a 63 a.C.
- Conquista de Jerusalém por Pompeu, general romano, anexando a Palestina ao
Império Romano – 63 a.C.
- Destruição de Jerusalém – 70 d.C.

RELIGIÕES E SEITAS

68. 1. Cristianismo: É a maior religião do mundo com cerca de 2.106.962.000 de


seguidores. É monoteísta e se baseia na vida e nos ensinamentos de Jesus de Nazaré.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

2. Islamismo: Possui aproximadamente 1.283.424.000 fiéis, é a segunda religião


mais praticada no mundo. Além disso, é também um sistema que monitora a política, a
economia e a vida social.
3. Hinduísmo: Com cerca de 851.291.000 de fiéis, é a terceira maior religião e a
mais velha do mundo. A religião se baseia em textos como os Vedas, os Puranas, o
Mahabharata e o Ramayama.

69. Os muçulmanos estão divididos em dois grandes grupos, os sunitas e os xiitas.


Essas tendências surgem da disputa pelo direito de sucessão a Maomé. A divergência
principal diz respeito à natureza da chefia:
Para os xiitas, o Imã ou "Imam" (líder da comunidade) é herdeiro e continuador da
missão espiritual do Profeta.
Para os sunitas, o Imã é apenas um chefe civil e político, sem autoridade espiritual, a
qual pertence exclusivamente à comunidade como um todo (umma).
Sunitas e xiitas fazem juntos os mesmos ritos e seguem as mesmas leis (com diferenças
irrelevantes), mas o conflito político é profundo.
Sunitas – Os sunitas são os partidários dos califas abássidas, descendentes de all-
Abbas, tio do Profeta. Em 749, eles assumem o controle do Islã e transferem a capital
para Bagdá. Justificam sua legitimidade apoiados nos juristas (alim, plural ulemás) que
sustentam que o califado pertenceria aos que fossem considerados dignos pelo
consenso da comunidade.

A maior parte dos adeptos do islamismo é sunita (cerca de 85%). No Iraque a maioria
da população é xiita, mas o ex-governo (2003) era sunita...
Xiitas – Partidários de Ali, casado com Fátima, filha de Maomé, os xiitas não aceitam a
direção dos sunitas.
Argumentando que só os descendentes do Profeta são os verdadeiros imãs: guias
infalíveis em sua interpretação do Corão e do Suna, graças ao conhecimento secreto
que lhes fora dado por Deus. São predominantes no Irã e no Iêmen.
A rivalidade histórica entre sunitas e xiitas se acentua com a revolução iraniana de
1979 que, sob a liderança do aiatolá Khomeini (xiita), depõe o xá Reza Pahlevi e
instaura a República Islâmica do Irã.
Outros grupos – Além dos sunitas e xiitas, existem outras divisões do islamismo, entre
eles os zeiitas, hanafitas, malequitas, chafeitas, bahais, drusos e hambaditas. Algumas
destas linhas surgem no início do Islã e outras são mais recentes. Todos esses grupos
aceitam Alá como deus único, reconhecem Maomé como fundador do Islamismo e
aceitam o Corão como livro sagrado. As diferenças estão na aceitação ou não da Suna
como texto sagrado e no grau de observância das regras do Corão.

70. O judaísmo é comumente dividido nos seguintes movimentos:


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Judaísmo ortodoxo (separado entre grupos “chassídicos” e “não-chassídicos”,


chamados mitnagdim).
Judaísmo conservador: (fora dos Estados Unidos é conhecido por Judaísmo
Masorti).
Judaísmo reconstrucionista: é a denominação do judaísmo mais recente entre
todas, fundada em 1922 pelo rabino Mordecai Kaplan (1881 - 1983) nos Estados
Unidos.
Judaísmo da reformista: (fora dos Estados Unidos também é conhecido como
Judaísmo progressista e, no Reino Unido, Judaísmo liberal).

71. São: Católicos Romanos,


Católicos Ortodoxos e Protestantes.

72. 1-Pentecostais (Os Pentecostais são identificados pelo movimento pentecostal que
começou quando Pedro fez seu primeiro discurso convertendo mais de 3000 almas e
pregando em outras línguas.)
2 - Neo Pentecostais (Os Neo Pentecostais, posso dizer que seriam os Pentecostais
da Nova Era, como o homem muda, eles também mudaram).
3 – Tradicionais (Os Tradicionais, aqueles que não aceitam o movimento
pentecostal, mas creem na Bíblia e nos ensinamentos de Jesus).
4 – Transculturais (Os Transculturais, aqueles que têm o alicerce firmado na Rocha
dos Séculos, e que mesmo em meio a tradições e costumes diferentes de sua
concepção, ele não se deixa influenciar e começa a difundir o Reino de Deus por
intermédio de sua conduta).
5 – Fanáticos (Os Fanáticos - aqueles que por medo de se "contaminarem" acabam
por menosprezar e criticar o raciocínio alheio, e até causam intrigas e confusões em
"defesa" de sua fé! - Estes eu considero um tanto agressivos, mas compreendo seu
"calcanhar de Aquiles")

73. “A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: visitar os órfãos e as
viúvas nas suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo” (Tg 1: 27).

74. 1) A PÁSCOA. (EX.12:18-19 E 13: 3-1-0)


-Era a comemoração do livramento dos Israelitas do Egito.
Começava no décimo quarto á tarde, ou seja no início do décimo quinto dia do mês
Abide ou Nisã , com a refeição sacrificial , quando um cordeiro ou um cabrito inteiro
eram assados e comidos pelos membros de uma família com ervas amargas e pães
ázimos: nessa ocasião o chefe da família contava a História da Redenção do Egito.
Os sacrifícios significavam expiação e dedicação:
As ervas amargas faziam lembrar da amargura da servidão Egípcia.
Os pães ázimos simbolizavam a Pureza (cf Lv2;11)’
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

2) A FESTA DAS SEMANAS. (Ex.23:6, 34:22, Lv.23:17 e 20, Nm.28;26, Dt.16:9-10,


OU DA SEGA, OU O DIA DAS PRIMÍCIAS OU PENTECOSTES.
-Observada no quinquagésimo dia ou sete semanas depois do segundo dia da
Páscoa,era a segunda das três festas anuais do Santuário.Limitava-se a um só dia
porque apenas uma parte dos produtos do ano fora colhida.
Eram oferecidos ao Senhor dois pães levedados, representando as primícias da sega.
Eram imolados dez animais apropriados em Holocausto ao Senhor; um bode como
oferta de expiação do pecado e, dois cordeiros como ofertas Pacíficas.
3) A FESTA DOS TABERNÁCULOS OU DA COLHEITA. (Lv.23:34; Dt16:13) -Era a
última das festas anuais.A determinação era que se celebrasse essa festa no sétimo
mês quando terminava a estação agrícola e todos os produtos do ano tivessem sido
colhidos. Durante sete dias celebrava-se o Holocausto diário que incluía um total de
setenta bezerros distribuídos em escala decrescente durante sete dias, e , além
desses , dois carneiros e catorze cordeiros diariamente; e para oferta de expiação do
pecado , um bode era sacrificado cotidianamente(cf. Nm.29:12-34.Durante a
celebração dessa festa , o povo habitava em tendas feitas de ramos.(Lv.23:42).

75. O médico e professor Frances Hipoliyte Léon Denazard Rivail, nascido em 1804,
influenciado por um amigo, passou a frequentar reuniões espíritas e, por fim, tornou-
se médium. Adotou o nome Allan Kardek, alegando ser este o seu nome na outra
encarnação.
Religião fundada por Kardec em 1857, formulado em seu livro “O livro dos Espíritos”.
Reúnem-se em centros, não seguem nenhum ritual. Considerando o homem
responsável pela própria felicidade. Prega o amor ao próximo como meio de chegar á
maturidade espiritual. Pregam também a reencarnação.

76. a) Budismo = Busca o nirvana (estado total de paz e plenitude) através de disciplina
mental e vida correta. É uma mistura filosófica com espiritismo e idolatria. Se salva por
meio de várias reencarnações ou karma,creem em vários deuses.
b) Confucionismo = Busca o caminho (Tao) que garante o equilíbrio entre o céu e a
terra. Adora milhares de deuses e até animais.

77. Batista - A história academicamente sobre a origem das Igrejas Batistas é a sua
inserção como um grupo de dissidentes ingleses no século XVII. A primeira igreja
batista nasceu quando grupo de refugiados ingleses que foram para a Holanda em
busca da liberdade religiosa em 1608, liderados por John Smyth, um clérigo e Thomas
Helwys, um advogado, organizaram em Amsterda, em 1609 uma igreja de doutrinas
batistas. John Smyth era pastor da igreja anglicana e discordava de alguns pontos da
doutrina da igreja, examinado a Bíblia, creu na necessidade de batizar-se com
consciência e em seguida batizou os demais fundadores da igreja constituindo-se assim
a Primeira Igreja Batista organizada. Até então o batismo não era por imersão. Em
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

1644, a confissão de Londres, foi a primeira a defender o imersionismo no batismo,


prática que tornou comum a todos os batistas.
Depois da morte de John Smith e da decisão de Thomas Helwys  e seus seguidores de
regressarem para a Inglaterra, a igreja organizada na Holanda desfez-se e parte dos
seus membros uniram-se aos menonitas. Thomas Helwys organizou a igreja batista em
Spitalfields, nos arredores de Londres, em 1612. Nos Estados Unidos a primeira Igreja
Batista nasceu através de Roger Williams, Providence em 1639, na colônia que ele
fundou com o nome de Rhode Island e John Clark que organizou a Igreja Batista de
Newport, também em Rhode Island em 1648. Em terras americanas os batistas
cresceram principalmente no sul, onde hoje sua principal denominação, a Convenção
Batista do Sul, conta com quase 15 milhoes de membros.
Em 1871, o primeiro grupo batista em Santa Bárbara SP, fundou em 10 de setembro a
Primeira Igreja Batista em solo brasileiro, os fundadores foram os pastores Richard
Ratcliff e Robert Porter Thomas.
Em 2006, segundo o IBGE a Convenção Batista Brasileira (CBB) possuía 6000 igrejas
organizadas, 1200 congregações ou missões espalhadas em todo o território nacional e
mais de 1.100.000 membros, a mesma possui vários colégios, seminários, orfanatos,
faculdades, hospitais, centros de recuperação para drogados, etc.
A Convenção Batista Nacional (CBN), nasceu em 1958 quando foi aceito o batismo
pentecostal por alguns batistas em Belo Horizonte – Mg. Em 1967 o Pr Enéas Tognini
organizou a CBN, reunindo 60 igrejas. Grande parte destas igrejas denominam-se
“Batistas Renovados”. Hoje a CBN, segundo o IBGE, conta com 1500 igrejas
organizadas, 1208 congregações ou missões, e 390.000 membros espalhados pelo
Brasil (dados de 2006).
Presbiteriana – Uma das primeiras igrejas presbiterianas dos Estados Unidos foi
organizada em Snow Hili, Marvland, em 1648, pelo reverendo Francis Makemie, da
Irlanda. Makemie mais seis ministros reuniram-se em Filadélfia, em 1706 e uniram
suas igrejas em um presbitério. Em 1716, as igrejas e seus ministros, havendo
aumentado em número, e bem assim penetrado em outras colônias, decidiram
organizar-se em sínodo, dividiu em quatro presbitérios incluindo dezessete igrejas.
O surgimento do presbiterianismo no Brasil resultou do pioneirismo e desprendimento
do jovem reverendo Ashbel Green Simonton (1833-1867). Chegou no Rio de Janeiro
em 12 de agosto de 1859, aos 26 anos de idade. Em 1860, Simonton dirigiu seu
primeiro culto em português, em janeiro de 1862, recebeu os primeiros conversos,
sendo fundada a Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro. Após a morte de Simonton
(Simonton morreu aos 34 anos com febre amarela) o homem que mais contribuiu para
a criação de outras igrejas presbiterianas no Brasil foi o notável reverendo José Manoel
da Conceição (1822-1873), um ex-sacerdote católico romano, que se tornou o primeiro
brasileiro a ser ordenado ministro do evangelho (1865). Conceição visitou
incansavelmente dezenas de vilas e cidades no interior de São Paulo, Vale do Paraíba e
sul de Minas, pregando o evangelho da graça.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Assembleia de Deus – A Assembleia de Deus chegou ao Brasil por intermédio dos


missionários suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg, que aportaram em Belém /Pará em
19 de novembro de 1910, vindos dos Estados Unidos da América. A princípio,
frequentaram a igreja Batista, denominação de ambos nos Estados Unidos. Eles
traziam a doutrina do batismo no Espírito Santo, com a glossolalia – o falar em línguas
estranhas. A nova doutrina trouxe muita divergência. Enquanto um grupo aderiu,
outro rejeitou. Os adeptos do pentecostalismo foram desligados e, em 18 de junho de
1911, juntamente com os missionários estrangeiros, fundaram uma nova igreja e
adotaram o nome de Missão de Fé Apostólica, a partir de então, passaram a reunir-se
na casa de Celina de Albuquerque. Mais tarde, em 18 de janeiro de 1918 a nova igreja
por sugestão de Gunnar Vingren, passou a chamar-se de Assembleia de Deus.
Em 1924 Gunnar Vingren se transferiu de Belém para o Rio de Janeiro, então capital da
República. Um fato que marcou a igreja naquele período foi á conversão de Paulo
Leivas Macalão, filho de um general, através de um folheto evangelístico. Foi ele o
precursor do assim conhecido Ministério de Madureira.
As Assembleias de Deus estão organizadas em forma de árvore, onde cada ministério é
constituído pela Igreja Sede com suas respectivas filiadas, congregações e pontos de
pregação. Os pastores das Assembleias de Deus podem estar ligados a convenções
estaduais que, por sua vez, se vinculam a uma Convenção de caráter Nacional.
A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil- Ministério de Madureira
(CONAMAD), fundada em 1988 e presidida pelo pastor (hoje Bispo) Manoel Ferreira,
hoje com cerca de 2 milhões de membros, no Brasil e exterior.
A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), é atualmente presidida
pelo pastor José Wellington Bezerra. Possui sede no Rio de Janeiro, hoje conta com
cerca de 3,5 milhões de membros em todo o Brasil (dados do ISER) e centenas de
missionários espalhados pelo mundo.
IURD – A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), uma igreja cristã protestante de
tendência neo pentecostal, fundada no Brasil, onde a atuação é mais conhecida. Ela é
presente em vários países. Sua sede mundial, o Templo da Glória do Novo Israel, está
localizada no bairro de Del Castilho, no Rio de Janeiro. Está presente em mais de 172
países pelo mundo (até 2007, de acordo com a IURD).
A IURD foi criada a partir de reuniões ao ar livre feita pelo bispo Edir Macedo, (eram
chamadas de Cruzada para o Caminho Eterno), mais tarde, as reuniões passaram a
acontecer em um antigo cinema (Bruni Méier) e após em outro cinema (Ridan). Em 9
de julho de 1977, nasceu oficialmente a igreja a princípio sob o nome de Igreja da
Benção, três anos depois foi aberto o primeiro templo nos EUA.
Atualmente, a sede da IURD é a Catedral Mundial da Fé, localizada na Zona Norte do
Rio de Janeiro, também conhecida como Templo da Glória do Novo Israel.
Em oito anos de existência, a IURD já dispunha de 195 templos em 14 estados
brasileiros e no Distrito Federal, número que quase dobrou dois anos depois. Dados
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

mais recentes apontam 15 milhões de fiéis, com presença em todos os estados


brasileiros.

78. a) Santa Inquisição = Queimavam vivos em fogueira nas praças públicas as pessoas
que tentavam fundar outras igrejas e que desobedeciam aos artigos do código
canônico e as ordens da igreja.
b) Indulgencias= pagar em moeda corrente o preço do pecado e ainda deixar
depositada determinada quantia no caixa da igreja, para ter credito de pecado.

79. Rezas para mortos para alienar o sentimento da família no domínio da igreja. A
igreja católica romana cobrava valores em dinheiro para aliviar as almas do purgatório
e passar rapidamente para o céu.

80. 1. As tradicionais: compostas por congregações mais antigas, aderem às doutrinas


reformistas de cerca de quinhentos anos atrás, sendo que, diferente das pentecostais
e das neo pentecostais, não creem nos milagres instantâneos e nas formas explicitas
do poder de Deus. Suas doutrinas brasileiras são análogas às originais criados na
Reforma Religiosa.
2. As igrejas Pentecostais: implantadas no Brasil no início do séc. XIX, tem como
diferença das tradicionais a crença na manifestação do Espírito Santo e na validade do
Batismo. Têm uma conduta mais rígida em relação às Neopentecostais e uma série de
normas e costumes válidos para os fies, como o modo de se vestir, de usar barbas,
cabelos, maquiagem, de o que fazer nas horas de lazer entre outras coisas. É
obrigatório para os fiéis seguir as normas de conduta, e se não o fizerem não são
considerados nem ao menos “crentes”, a denominação mais comum aos seguidores
desse tipo de religião, Assembleia de Deus.
3.As igrejas ecléticas: também aceitam o Espírito Santo e o Batismo, porém são
menos rígidas que o Pentecostalismo quanto a costumes e usos, buscando atrair seus
fiéis insatisfeitos com cultos mais animados, vivos, etc. Devido á grande quantidade de
propaganda, este é o ramo que mais cresce. E por levar em conta manifestações do
poder de Deus consideradas pelas Igrejas mais rígidas “duvidosas” como milagres ou
sinais também atraem mais seguidores.

81. O surgimento do Neopentecostalíssimo no Brasil está primeiramente ligado a


sujeição da cultura norte americana. A igreja acaba consumindo o que se produz nos
E.U.A. Dentro desse contexto, segundo alguns estudiosos, esta é uma gama de
fatores, que estão ligados á fragilidade teológica da igreja. “O Evangelho
neopentecostal” volta todas as suas atenções para uma cultura de consumo e sucesso.
A ênfase se da mensagem neopentecostal recai quase que exclusivamente na Fé, como
instrumento não de salvação, mas de trazer para a existência a prosperidade financeira
e a saúde perfeita. Eles trabalham muito mais a dimensão física da pessoa do que a
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

dimensão espiritual, (ICo 15:19). As inovações no movimento neopentecostal fazem


parte com grande apreço nos cultos, algumas coerentes, mas na maioria, sem nenhum
sentido a luz do evangelho. As inovações têm por objetivo despertar a curiosidade das
pessoas, no entanto, vale destacar que nenhuma inovação pode atrair mais as pessoas
a Cristo do que o testemunho individual de cada crente, bem como o da igreja no seu
sentido coletivo, (AT 20:24).
O objetivo do neopentecostal é também morar com Cristo no céu e verdadeiramente
comprometido com uma visão voltada para o céu.
A igreja de Cristo deve salientar que a reflexão bíblica visa dar elementos para que o
fortalecimento espiritual ao mundo, que valeu a pena Jesus morrer na cruz, e que
todos: Pentecostais, neopentecostais e tradicionais, possam ver a Cristo ressurreto e
buscar os perdidos para o crescimento do reino de Deus e juntos morarmos na cidade
santa.

TEOLOGIA PASTORAL

82. a) Vocação = Não é inclinação natural que uma pessoa possa ter para a música ou
medicina, ou outra ciência qualquer. É aquele interior que se percebe inconfundível e
que se exige do vocacionado sensibilidade e sinceridade.
A vocação se manifesta num desejo forte, inconfundível e continuamente de fazer do
ministério a ocupação suprema de sua vida. Um vocacionado precisa ter convicção (Fé
– hb.11:1); um líder sem convicção naquilo que lidera não tem vocação naquilo que
lidera.O vocacionado é dirigido por Cristo, é impulsionado pelo amor de Deus, é
atraído com grande amor pela obra, mesmo com todas as dificuldades e espinhos que
ela tem.
b) Chamado = Determinado por Deus para um serviço designado por Ele. Aquele
que é chamado por Deus precisa ter visão, ser obediente á voz do Senhor e andar com
Ele. Ter conhecimento, ser regenerado e ser um seguidor de Cristo.

83. a) Chamado Universal= Esta chamada é destinada a todos os salvos. Todos os


salvos são feitos participantes do qual o Espírito Santo opera para abençoar o mundo
(at.1:8),” Todos os homens podiam se chegar a Deus e não só uns poucos.” Lutero.
b) Chamado Específico= É o chamado para um ministério específico de tempo
integral em determinados lugares Deus contempla alguns com um chamado específico
especial, a fim de viverem para o evangelho e do evangelho.

84. a) Pastor = Tem a responsabilidade de pastorear o rebanho de Deus; alimentar as


ovelhas do senhor (Jo 21:15-17) visitar, ensinar e admoestar esse rebanho.
b) Evangelista = O evangelista proclama as boas novas da redenção para os
perdidos. O evangelista não é digno do ministério que tem se não for capaz de amar as
almas uma a uma.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

c) Presbítero= Na prática, o presbítero exerce as mesmas atividades do pastor,


quando por este autorizado. Assim ele pode batizar celebrar casamentos, celebrar ceia
ungir os enfermos, dirigir congregações, etc. O presbítero deve sempre ter em mente
que ele não é o pastor, mas deve trabalhar sob sua direção e orientação e prestar-lhe
conta.

ESCOLA DOMINICAL

85. Na cidade de Gloucester no sul da Inglaterra no ano de 1780, fundada pelo


jornalista evangélico Robert Raikes, de 44 anos. No Brasil foi em Petrópolis-RJ fundada
pelo missionário Robert Kalley e sua esposa Sara Kalley, em 19 agosto de 1855.

86. Pastor sendo o primeiro obreiro da escola bíblica dominical, pela natureza do seu
cargo, é o principal responsável por ela. O pastor constituirá grupos para uma boa e
perfeita administração. Congregará, depois de orado, pessoas de acordo com seus
dons e talentos, para exercer em determinadas funções na E.B.D como: Professores,
tesoureiros, secretários, superintendente, etc. Dividirá as classes de acordo com suas
idades dentro das possibilidades e situações, e o mais importante, é procurar alcançar
seus objetivos.

87. Porque a Escola Dominical pode ser vista como uma oficina de fazer discípulos para
o Senhor Jesus, tendo como alvo crianças, adolescentes, jovens e adultos. Atua na
formação do caráter cristão dos alunos na E.B.D. que o povo de Deus aprende a Bíblia,
se preparando para enfrentar os inimigos da igreja do Senhor. A E.B.D proporciona
possibilidades da igreja cumprir a comissão dada por Jesus, pregar e ensinar,
evangelizar enquanto ensina e assim, o crente fortalecido na palavra de Deus estará
preparado para vencer e continuar vencedor, não um crente vazio, mas cheio do
Espírito Santo, venha o que vier.

88. Pedagogia a arte e a ciência de ensinar e educar. Conduzir, guiar e despertar a


mente do aluno para que o mesmo venha ao encontro de novas experiências, no
processo da aprendizagem. É privilégio de o professor conduzir o aluno ao encontro
das experiências e contra os ensinamentos errados do mundo, e o professor com o
dom do ensino e a pedagogia, certamente estará despertando em seus alunos o
interesse pela palavra de Deus desejoso pela próxima lição.

89. Atualmente existem 7, que são:


Rol do Berço: 0 a 3 anos
Jardim da Infância: 4 a 6 anos
Primário: 7 a 9 anos
Juniores: 10 a 12 anos
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Adolescentes: 13 a 15 anos
Jovens: 16 a 21 anos
Adultos.
Seria bom ter pelo menos 4. Primário, Adolescentes, Jovens e Adultos...

90. Ao frequentarem a Escola Bíblica Dominical estarão aprendendo a manejar a


palavra da verdade, a Bíblia, a arma do verdadeiro adorador de Deus. Tornam-se
membros com melhores desempenhos espirituais em todas as áreas, não só da igreja,
mas da vida também. Quando se aprende a palavra de Deus, tornam-se ótimos
crentes, porque são ensinamentos infalíveis, matérias, espirituais e eternos.

91. Para que o professor tenha em mãos um material com temas e nunca se apresente
diante da classe, sem saber o que vai ensinar. A revista ou estudos são guias para a
preparação do professor transmitir á classe, o ensinamento de tema bíblico com
proveito e sucesso. Hoje temos muitas fontes para se fazer estudo bíblico.

ECLESIOLOGIA

92. A palavra igreja como aparece no Novo Testamento é tradução do grego EKKLESIA.
Que quer dizer CHAMADO ou CONVOCADO e não como erradamente muitos a
referem apontando para o prédio que abriga. Vocábulo que era usado por uma
assembleia ou congregação que fosse convocado para diversos fins.

93. As figuras da Bíblia estão relacionadas com:


a) Espelho = revelação (Tg 1:23-25)
b) Semente = poder de gerar vida (Tg 1:18; 1Pe 1:13)
c)  Água = purificadora (Ef 5:25-27; Jo 15:3; Sl 119:9)
d) Lâmpada = poder de iluminar (Sl 119:105)
e) Martelo e Espada = poderosa é a sua capacidade de equipar o soldado cristão (Jr
23:29; EF 6:17)
f) Ouro e Adorno = beleza e capacidade de enriquecer ( Sl 19:10;1Pe 3:3-5)
g) Leite, Mantimento Sólido, Mel = nutrição, sustento necessário e satisfatório (1Pe
2:2; 1Co 3:1,2; Mt 4:4; Jó 23:12; Jo 6:35; Hb 5:12-14; Sl 19:10).
94. CRISTO - ÚNICO FUNDAMENTO
De que pedra se trata em Mateus 16:18: "... sobre esta pedra edificarei a minha
igreja..."? Alguns há que têm sugerido que a pedra, ou fundamento desta estrutura
espiritual, era o apóstolo Pedro, aquele que tinha uma autoridade especial e que
possuía as chaves do reino dos céus.
Assim, pois, Jesus é o fundamento, deste edifício, e os verdadeiros crentes são pedras
vivas, edificadas para formarem uma casa espiritual (ler 1ª de Pedro 2:5).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

95. 1- Igreja de Éfeso = Éfeso capital da província romana. Uma das três maiores
cidades do litoral leste do mar mediterrâneo. O apóstolo Paulo permaneceu dois anos
em Éfeso ( At 19:10).
2- Igreja de Esmirna = Esmirna antiga e fluorescente cidade na costa ocidental da
Ásia menor. Atualmente, cidade principal da Turquia chama-se Izmir.
3-Igreja de Pérgamo = Pérgamo a mais importante cidade da Mísia , á beira do
Caíco e 30km distante do mar. A cidade tornou-se muito importante para a obra de
Cristo.
4- Igreja de Tiatira  = Tiatira cidade  que ficava na estrada que de Pérgamo vai para
Sardes.
5- Igreja de Sardes = Sardes antiga capital da Lídia, situava no sopé da montanha
Tmolo á beira do pactolo. Foi a primeira cidade dessa região a receber o evangelho
pelo apóstolo João.
6- Igreja de Filadélfia = Filadélfia cidade á 45km de Sardes , um porto importante da
Turquia. Chama-se hoje Alasehir.
7- Laodicéia = Laodicéia cidade ao sudeste da Ásia menor cerca de 160 km a leste de
Éfeso.
8- Igreja de Filipo = Filipo cidade da Macedonia oriental. A igreja de filipos foi
fundada pelo apóstolo Paulo e sua equipe de cooperadores ( Silas, Timóteo e Lucas),
na sua segunda viagem missionária.
9- Tessalonica = Tessalonica cidade situada a pouco menos de 160 km a sudeste de
Filipos, o apóstolo Paulo fundou a Igreja na sua segunda viagem missionária. (At 18:1-
17).
10- Corinto = Corinto cidade antiga da Grécia. O apóstolo Paulo juntamente com sua
comitiva apostólica ( At 18:5), fundou a igreja em Corinto, durante seu ministério de
dezoito meses ali, na sua segunda viagem missionária. (At 18:1-17).

96. É a igreja visível, é a verdadeira igreja, composta de seres humanos sujeitos ao


erro, mas lavados e remidos pelo sangue de Jesus, que foi derramado na cruz. Apesar
das fraquezas de certas igrejas locais, elas demonstram sinais de uma verdadeira Igreja
de Deus, apresentando união, espiritualidade, serviço social, louvor genuíno,
evangelização e outros.

97. É a Igreja que prioriza o ensino da palavra de Deus. Busca a direção do Espírito
Santo, adora á Deus como verdadeiro adorador e nunca esquece que Jesus morreu na
cruz para a salvação de todos. Tem uma organização com todos os departamentos e
busca as almas para Cristo.

98. Pastor, Evangelista, Presbítero, Diácono – Diaconisa, Professor EBD, Lideres de


Departamentos ( tesouraria, secretaria, mocidade, senhoras e crianças).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

99. Deus, é um Deus de ordem, assim deve haver disciplina na igreja. A disciplina é
uma benção e uma necessidade da igreja, não deve ser vista como um castigo.
Jesus ensinou como disciplinar: (Mt.8: 15-18).
1- Na medida do possível, deve-se tratar o problema entre as pessoas afetadas.
2- Duas ou três testemunhas.
3- Não se arrependendo o ofensor, ou se o caso tomar proporções e chegar ao
conhecimento de muitos, deve ser levado á igreja. – Caso se recuse
humildade e reconhecer sua falta deve ser excluído do rol de membros.
4- Se o caso for flagrante escândalo, deve ser excluído imediatamente, porém com
justiça.

100. A palavra batismo origina do grego, significa “imersão, mergulho, submersão.”


Portanto, pelo significado original da palavra só existe uma forma de
batismo: Imersão.

101. - PÃO: Uma recordação do corpo de Cristo. Ele não somente nos lavou no seu
sangue, levou também nossas dores e as nossas enfermidades no seu corpo.
- VINHO: Uma recordação do sangue de Cristo. O fruto esmagado da videira,
símbolo de seu sangue derramado pelos nossos pecados.

102. As funções gerais da igreja são:


a) Adoração - Prestar culto ao verdadeiro Deus, com o firme propósito de colocar o
nome de Deus acima de todos os nomes com brados de júbilos (Sl. 98:4).
b) Evangelização - Anunciar a salvação. A Bíblia é um livro missiológico, vamos
encontrar do início ao fim, a vontade expressa de Deus em resgatar o homem perdido
através do seu grande amor (Jo. 3:16). Ganhar almas é a maior missão da Igreja.
c) Edificação - Edificar os seus membros. Fortalecimento, aperfeiçoamento e
crescimento dos salvos. Esta é uma missão qualitativa que a Igreja tem consigo
mesma.

103. A verdadeira Igreja há de persistir no tempo, visto que tem um ministro singular e
insubstituível para o mundo de hoje. Pode surgir o que for inovações, mídias, o
crescimento tecnológico, jamais irão tirar a verdade da Igreja conquistada pelo Senhor
Jesus na cruz. Ficar preso aos usos e costumes, ou viver sem se preocupar com o
exterior jamais vai mudar o coração do verdadeiro adorador. Sendo assim a Igreja
moderna vive e vencerá, seja qual for o obstáculo, espera a volta de Cristo santa e fiel.

104. 1.Doutrina: é culto de ensinamento, onde é repassado os conceitos retos para


uma vida cristã sadia.
2. Oração é o culto onde os crentes buscam a união com Deus. Pois é através das
orações que os filhos de Deus recebem força para vencer as astutas ciladas do inimigo.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

3.Os estudos bíblicos, são periódicos. Acontecem apenas em congresso ou em


assembleias gerais.
4.Libertação, é um culto de auto ajuda, onde os crentes procuram se libertar de
suas aflições e traumas. Pois é através do poder de Deus que somos libertados.
5. Evangelização é o culto mais importante, devido o valor de resgatar almas para
o reino de Deus.
6.Culto familiar é um culto onde as famílias se reúnem para buscar ajuda para
aquela família onde estar se realizando o culto familiar.
Todos os são cultos de suma importância para a vida espiritual do crente. Nestes cultos
a igreja aprende a palavra de Deus – A Bíblia – aproxima-se mais de Deus nas orações,
encontram respostas e conforto para seus problemas cotidianos e aprendem a buscar
as almas lá fora para Cristo.
Mesmo porque o crente estando mais na igreja terá mais tempo para se defender das
astutas ciladas do diabo, não se envolverá tanto com o que ele tem oferecido ao
mundo.

PSICOLOGIA PASTORAL

105. Estudo científico do comportamento e da experiência dos seres humanos e dos


animais. Como se sentem e o que pensam em relação ao meio ao qual se adaptam.

106. a) Estruturalismo = Para a escola estruturalista o importante é determinar os


dados imediatos da consciência, as características principais e específicas dos
processos de consciência e seus elementos fundamentais.
b) Funcionalismo = Privilegia o estudo das funções mentais, em detrimentos de
sua morfologia e estrutura. Em vez de investigar somente “o que é”, o psicológico
estudará “para que serve” e “como se efetua” o processo psíquico.

107. É uma mente capaz de captar o ambiente diversificado da igreja, empresa, ter um
reflexo de pensamento rápido, quando estiver diante de um grupo com várias culturas
e idades. Tem que ser muito psicológico, ou seja, “vivo”, esperto e sábio, perceber as
coisas no ar, ler e compreender os reflexos dos olhos e das faces dos liderados.

108. Psicologia é o estudo da Psyché ou alma. Sabemos, porém que a alma não pode
ser encontrada na ponta de um bisturi ou num tubo de ensaio, pois está intimamente
ligada, unidas à matéria como princípio vivificante. Quem vê matéria viva, vê corpo e
alma unida para formar um único principia substancial ou uma única natureza. Assim
sendo, por isso, não podemos prescindir da experimentação ou da observação dos
fenômenos psíquicos. Assim nossa atenção no estudo da Psicologia Filosófica estará
versando diretamente sobre a Alma Humana, que é simultaneamente intelectiva,
sensitiva e vegetativa.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

1) A palavra alma vem do latim anima; que significa o princípio vital ou o princípio
animador (vivificador) de um corpo organizado o que significa dizer ou afirmar que:
2) Todo ser humano tem alma;
3) O espírito: é o ser real que não tem corpo. Mas é dotado de inteligência e
vontade. Vê-se assim, que o conceito tem aplicação mais ampla do que o vocábulo
alma e a contém (podemos falar em Espírito de Deus, e em Alma de Deus filho, por
exemplo.). A chave abaixo exprime a diferença:
a) Espírito incriado, não unido à matéria: Deus.
b) Espírito criado, não unido à matéria (inteligências e vontades livres)
c) Espírito criado e unido à matéria para nela, servir amar e reverenciar a Deus.
Assim o espírito intelectivo que é o princípio vital do organismo humano no que lhe é
próprio de humano, é chamado de alma humana. Esta é, portanto, espiritual ou não
material (donde Deus não se confunde com as coisas criadas, além de seu FILHO
ÚNICO). Se a alma humana (no que lhe é propriamente humano, é alma intelectiva) e é
espiritual (vontade e inteligência livres, embora não licenciosa), também é imortal,
pois a imortalidade é a propriedade de todo espírito.

109. A medicina psicossomática tem se preocupado cada vez mais com as relações
entre os aspectos biológicos e psicológicos da saúde. Existe uma interdependência
entre corpo, mente e emoções em todos os estágios de doença e de saúde. Não há
distúrbio que tenha causa puramente psicológica, assim como não existe doença
puramente orgânica, sem qualquer componente psicológico. Pesquisas mostram que
todos os distúrbios são psicossomáticos, ou seja, envolvem uma interação contínua de
corpo e mente em sua origem, desenvolvimento e cura.
A principal preocupação do terapeuta é a cura do paciente e todo o seu procedimento
direcionado para essa cura. Doença é a estagnação, o bloqueio da energia vital,
surgindo então os sintomas.
A psicologia tem desenvolvido muitas técnicas para mobilização da energia bloqueada
transformando os sintomas em experiências. Não que devamos ficar presos às
técnicas; elas são recursos a serem utilizados quando necessário. Porém o mais
importante é saber ouvir. Ouvir com todos os órgãos do sentido. E mais do que isso
ainda, permitir ao paciente que se ouça, pois é ele quem promove a cura.

110. Porque em uma igreja aparece todo tipo de problemas para o pastor e os obreiros
resolverem, tanto sociocultural como afetivos. O ser humano é carente, sempre
procurando amor e afeto. O pastor, principalmente nesses últimos dias do fim, de
tribulação e de muitos problemas, tem então um campo muito grande para atuar e
arrastar inúmeros para a fé. É necessário que os líderes estejam preparados na área de
aconselhamento, como sabemos o ser humano é uma somatória de motivos ocultos e
inconscientes. Se não houver uma preparação o pastor ou o obreiro não saberá ajudar
determinada pessoa sair de seus problemas e se tornar um feliz servo de Deus.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

SOCIOLOGIA

111. Na luta de estratificação, de acomodação das camadas sociais, que se percebe


paralela á revolução da independência, as classes sociais não eram estáticas; não
existindo, como em sociedade mais antiga, um critério de nobilitarão, com o
nascimento, a pessoa podia mudar de posição na escala social, seja enriquecendo-se e
subindo, seja perdendo os bens e descendo, em dura competição. Também eram
importantes as irmandades e associações religiosas como expressão de separação
social e racial.
Em se tratando da igreja infelizmente não é diferente, pois, sempre houve e haverá
separação na classe social onde famílias ricas não gostam de estar em sociedade com
as famílias pobres, sempre procuram os do mesmo grupo social. Muitos até esforçam
em fazer como Jesus fez, frequentar a casa dos mais simples, mas é um esforço muito
grande.

112. É a ciência que estuda relações entre pessoas que vivem em uma comunidade ou
em um grupo social ou entre grupos sociais diversos.

113. A Sociologia estuda a estrutura e a função da sociedade.


Estuda a forma em que as estruturas sociais, as instituições e os problemas sociais que
influem na sociedade. A sociologia é uma ciência que pretende entender,
interpretando-a, a ação social para, desta maneira, explica-la causalmente em seu
desenvolvimento e efeitos. A “ação social” é o sentido indicado por seu sujeito, ou
sujeitos, refere-se á conduta de outros, orientando-se por estar em se
desenvolvimento.

FILOSOFIA

114. a) Sócrates = O autoconhecimento do ser humano era um dos pontos


fundamentais da filosofia socrática. Desenvolvia diálogos críticos com seus
interlocutores. Não vendia seus ensinamentos, era nas praças públicas, conversando
com os jovens sempre dando demonstrações de que era preciso unir a vida ao
pensamento. “Conhece-te a ti mesmo”.
b) Platão = Um dos aspectos mais importantes da filosofia de Platão e sua teoria
das ideias, procura explicar como se desenvolve o conhecimento humano. Para ele o
conhecimento sensível (crença e opinião) alcança mera aparência das coisas, enquanto
que o conhecimento intelectual (raciocínio e intuição intelectual) alcança a essência
das coisas, as ideias.
c) Aristóteles = Para ele, o conhecimento vai sendo formado e enriquecido por
acumulação das informações. Definia o ser humano como o ser racional e considerava
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

a atividade racional, o ato de pensar ou de conhecer, como a essência da natureza


humana. Para ser feliz, o ser humano deveria viver se acordo com sua razão, sua
essência. “O ser enquanto ser.”

115. É procurar, analisar, verificar e criticar os fundamentos da fé buscando a verdade


sobre Deus, mal, fé e razão. Despertar o homem para consciência do mundo e da sua
religião.

116. a) Filosofia = É a busca incessante do saber, é a procura da verdade e o ponto de


partida para a compreensão reflexiva do universo.
b) Ideologia = Pensamento teórico que pretende desenvolver-se sobre seus
próprios princípios abstratos, mas que na realidade é expressão dos fatos,
principalmente sociais e econômicos que não são levados em conta ou não como
determinantes daqueles pensamentos são expressamente reconhecidos.

HISTÓRIA DE ISRAEL

117. Jerusalém = capital interna, onde ficam o parlamento e sede nacional


Tel-Aviv = a capital internacional, onde ficam as embaixadas.

118. Dentre todos os livros conhecidos na história humana, nenhum é tão peculiar em
sua origem, tão extraordinário em suas afirmações, tão dinâmico em suas promessas,
tão abarcante em sua mensagem, como a Bíblia. Na verdade, a Bíblia não é um livro
apenas, mas uma coleção de livros – 39 no Antigo Testamento (AT) e 27 no Novo
Testamento (NT). Sua composição demandou séculos e sua autoridade perdura por
milênios. O primeiro dos 40 autores inspirados (Moisés) está separado do último autor
(João) por aproximadamente 1.600 anos. Os escritores provieram de diferentes
contextos sociais, e tiveram diferentes níveis de educação, desde os mais baixos até os
mais altos. Eles eram diferentes tanto entre si quanto no que faziam. Alguns eram
criadores de gado, pastores de ovelhas, soldados e pescadores, enquanto outros eram
reis, legisladores, estadistas, cortesãos, sacerdotes, poetas e médicos. Inevitavelmente
seus estilos literários refletiram as diferenças entre eles. Alguns escreveram leis,
outros, poesia; e outros ainda, história; alguns, prosa lírica; outros, poesia lírica e
parábolas e alegorias; outros, biografias ou memórias e diários pessoais; alguma
profecia e outros, simplesmente, correspondência pessoal.Com toda essa diversidade,
como esses 66 livros vieram a ser considerados suficientemente diferentes e santos, e
incluídos no que chamamos de “cânon” das Escrituras?
Durante os 70 anos do exílio babilônico, as palavras dos profetas então existentes
vieram a ser muito valorizadas. Judá, como uma nação, deixara de existir, e com ela
sua capital e o templo. Mas, o Livro da Lei e os livros dos profetas continuaram.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

O Talmude judaico declara que Esdras, quem liderou o povo no retorno do exílio,
coligiu e editou a Lei e os Profetas. Também declara que a “Grande Sinagoga” foi
convocada, e durante anos toda a Lei, os Profetas e os Escritos foram discutidos. Além
do que foi feito por Esdras, muitos pesquisadores sugerem que durante décadas os
membros da Grande Sinagoga continuaram o trabalho de edição.
Os livros do AT são geralmente divididos em quatro seções: o Pentateuco (os livros de
Moisés), os livros históricos (Josué a Ester), os cinco livros de poesia e ética (Jó a
Cantares de Salomão), e os livros dos profetas (Isaías a Malaquias).
A tarefa de formar o que hoje chamamos de AT começou, graças a Esdras e à Grande
Sinagoga, por volta de 450 a.C. É opinião da maioria dos estudiosos que no tempo de
Cristo o AT já existia na forma como indicamos acima.
Após a queda de Jerusalém no ano 70 a.D., houve uma grande discussão acerca do
cânon bíblico. Um rabino chamado Yochanan ben Zakkai obteve permissão escrita das
autoridades romanas para convencer o Concílio de Jamnia a discutir o cânon da
Escritura. O debate, porém, se limitou a quatro livros que eram considerados
“periféricos”: Provérbios, Eclesiastes, Cantares de Salomão e Ester. Depois que os prós
e os contras desses livros foram discutidos, o concílio decidiu incluí-los no cânon,
juntamente com os outros livros que hoje fazem parte do AT. Na verdade, o concílio
poderia haver feito algo mais; “os livros que eles decidiram reconhecer como
canônicos já eram geralmente aceitos, embora houvesse algumas interrogações acerca
deles. Os livros que recusaram admitir nunca foram incluídos. Eles não expulsaram do
cânon nenhum livro que já houvesse sido previamente admitido.”2
O Concílio de Jamnia não investiu os livros da Bíblia de autoridade ao incluí-los numa
espécie de lista sagrada. Eles foram incluídos na lista – o cânon – porque já eram
reconhecidos como inspirados por Deus e autoritativos, e isso, na maioria dos casos, já
por vários séculos.
Um escritor judeu contemporâneo de Cristo, Filo de Alexandria, aceitava o cânon do
AT da forma como o fazemos hoje. O mesmo é verdade acerca de Flávio Josefo, outro
escritor judeu do primeiro século. A mais antiga lista cristã conhecida dos livros do AT
foi feita por Melito, bispo de Sardes, cerca de 170 a.D., e preservada por Eusébio no
quarto volume de sua História Eclesiástica.3
Os livros descartados do cânon do AT foram chamados Apócrifos. Outro grupo de
livros erroneamente atribuídos a certas pessoas – chamados de Pseudoepígrafos –
também foi descartado. Os apócrifos continham histórias e declarações de sabedoria.
Os pseudoepígrafos continham muita mágica e pouca história.
Os livros incluídos foram aqueles aceitos como inspirados por Deus, que provaram sua
utilidade em ajudar homens e mulheres, e tornar Cristo conhecido. Eles foram
reconhecidos como tendo sido escritos por homens próximos a Jesus e envolvidos na
grande aventura do primeiro século, que levou o evangelho cristão aos limites do
mundo conhecido da época.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Um escritor grego, contemporâneo de Atanásio, falou do “eco de uma grande alma” e


afirmou ouvir esse eco nos livros canônicos do NT. William Barclay, conhecida
autoridade em NT, diz: “O som do sublime é encontrado nos livros do NT. Eles levam a
grandeza em sua face. Eles são auto evidentes”.
Quando o tradutor bíblico J. B. Phillips comparou os livros do NT com aqueles que
foram excluídos pelos pais da Igreja, não pôde senão “admirar a sabedoria deles”. E
continuou: “É provável que a maioria das pessoas nunca teve a oportunidade de ler os
‘evangelhos’ e as ‘epístolas’ apócrifos como os especialistas. Posso apenas dizer que
nesses livros vivemos num mundo de mágica e faz-de-conta; de mito e fantasia. Em
toda a tarefa de traduzir o NT, nunca, por um único instante, mesmo que provocado e
desafiado, senti que estivesse sendo levado para um mundo de fantasmas, bruxarias e
poderes mágicos tal como aqueles presentes nos livros rejeitados do NT. Foi aquela fé
constante e que toca o coração dos escritores do NT, que me transmitiu o senso
inexprimível do genuíno e do autêntico”.5
O ponto “auto evidente” aparece de forma mais poderosa quando lemos os livros que
acabaram fazendo parte do NT. No segundo século, vários livros chamados
“evangelhos da infância” foram escritos. Os quatro evangelhos canônicos dão poucas
informações acerca das três décadas da vida de Jesus antes do início de Seu ministério
público. Os evangelhos da infância se destinavam a “preencher as lacunas”.
O chamado “evangelho de Tomé” contém um suposto registro da infância de Jesus.
Enquanto brincava, o menino Jesus é retratado como criando pardais vivos a partir do
barro, e fazendo com que um garoto morresse só porque correu e se chocou contra
Ele. Jesus, quando ainda aprendiz de carpinteiro, é descrito alongando vigas de
madeira como se fossem feitas de material elástico, e exercendo uma variedade de
poderes mágicos sem qualquer propósito prático.
Ninguém provavelmente aceitaria isso como Escritura. De fato, a Escritura é auto
evidente. Quando você compara os evangelhos com esses livros, não há dúvida quanto
às razões pelas quais eles foram excluídos. A linha de separação é clara o bastante.
Não há sequer espaço para discussão.
Muito cuidado foi tomado para garantir que aqueles que escreveram os livros aceitos
no cânon tivessem de fato conhecido a Jesus. O selo de qualidade desses homens
consistia na preocupação de demonstrar que os atos de Jesus no passado continuam
no presente, por meio do Cristo vivo.
No livro de Atos, cada sermão termina com o episódio da ressurreição. Para o NT,
Jesus é, acima de tudo, o Cristo vivo. Foi porque os quatro escritores dos evangelhos
falaram acerca do Cristo vivo, que eles deram um espaço desproporcional para a
última semana da vida de Jesus e Sua ressurreição. O ponto central dos discípulos, do
cristianismo, da teologia cristã, é a morte e a ressurreição de Jesus. Os livros em que
esse não era o ponto central, foram simplesmente desconsiderados ou
deliberadamente excluídos do cânon.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

“Podemos acreditar”, declara o Prof. F. F. Bruce, “que aqueles cristãos primitivos


agiram com uma sabedoria superior à deles mesmos a esse respeito, não apenas com
relação àquilo que aceitaram, mas também àquilo que rejeitaram”, “É particularmente
importante notar que o cânon do NT não foi demarcado por um decreto arbitrário de
qualquer concílio eclesiástico. Quando finalmente um concílio eclesiástico – o Sínodo
de Hipona, em 393 a.D. – relacionou os 27 livros do NT, não conferiu a esses livros
nenhuma autoridade que já não tivessem, mas simplesmente registrou sua
canonicidade, a qual já havia sido previamente estabelecida”.
Em suma, o processo pelo qual os livros do NT vieram a ser aceitos, foi, em todos os
principais aspectos, o mesmo do AT. Assim, esses dois livros – a Bíblia dos apóstolos e
a Bíblia que os apóstolos escreveram – vieram juntos a compor o que os cristãos
aceitam como a Palavra escrita de Deus, da qual o princípio unificador é o próprio
Cristo, o Agente da salvação. Desse modo, a Palavra inspirada teve sua origem,
autoridade e genuinidade em Cristo, a Palavra encarnada.

119. Judeus = Vocábulo que originalmente descrevia qualquer habitante de Judá (2Rs
16:6). Pelos tempos neotestamentário, o plural “judeus”, se tornara um termo familiar
para incluir todos os israelitas.
Não judeus = Entende-se que aquele que não nasceu em Judá não é judeu. Não
pertence á Israel.

120. Literatura rabínica, no seu sentido mais abrangente, pode se referir a todo o
espectro de escritos rabínicos ao longo da história do judaísmo.
Este artigo discute a literatura rabínica em ambos os sentidos do termo. Começa com a
literatura rabínica clássica da era talmúdica (Sifrut Hazal), e acrescenta um amplo
panorama dos escritos rabínicos de períodos posteriores.
1- O que é o tempo?
2-Tudo sobre o Messias
3-Reparos mundiais
4-A tradição oral
5-O povo escolhido.

121. 1- Páscoa (ou festa dos Pães Asmos, Lv 23:5), estabelecida para comemorar o
livramento histórico da escravidão no Egito (Ex 10:12; 12:8,14). Durante sete dias era
comido pão sem fermento e nenhum trabalho servil podia ser efetuado.
2- Pentecostes (ou festa da colheita e dia das primícias, Ex 23:16; 34:22).
Celebrava cinquenta dias depois do sábado que começava com a páscoa.
3- Tabernáculos (ou festa da colheita, Lv 23:34; 23:39-43).). Duravam sete dias. As
frutas eram colhidas e o povo habitava em cabanas feitas de ramos e galhos de
árvores.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

4- Festa das Trombetas (ou memorial, Nm 29:1). Sacrifícios eram oferecidos, e o


trabalho árduo cessava.
5- Dia da expiação (ou dia de convocação santa, Lv 23:26-31). As almas se
afligiam e uma expiação anual era efetuada pelo pecado. Era realizado apenas uma vez
por ano. (Ex 30:10).

122. Judaico = O ano judaico continha 354 dias divididos em doze meses de 29 e 30
dias alternadamente, ele era menor que o ano solar cerca de 10 dias e ¼. Havia o ano
sagrado e o ano civil. O sagrado iniciava-se em marco ou abril conforme a lua, como
lembrança do mês que os israelitas saíram do Egito, e os profetas usavam o primeiro, e
os que tinham que tratar das coisas civis usava o último. O ano era dividido em doze
meses lunares, mas de três em três anos tinham treze meses. Até a volta do cativeiro,
esses meses não tinham nomes distintos, a não ser o primeiro que se chamava Abibe
ou Nisa.
Romano = O calendário romano é o que usamos. O Ano contém 365 dias divididos
em doze meses de 30 e 31 dias alternadamente, sendo que o segundo mês do ano,
fevereiro tem 28 dias normalmente e 29 dias de 4 em 4 anos, (chamado ano bissexto,
este ano tem 366 dias por haver um dia extra em fevereiro).

123. Judaísmo Messiânico é considerado por seus partidários como a mais recente
fase no desenvolvimento histórico do autêntico Judaísmo Bíblico. É a religião de
Abraão, Moisés, Davi, e dos profetas, cumprida pela vinda de Jesus – Messias.
O Judaísmo tradicional ensina que o Tanach (Escrituras hebraicas) e o Talmud são
a Palavra Eterna de Deus, que ao Novo Testamento falta esta autoridade, e aquele
Yeshua não é o Messias. O Judaísmo Messiânico, em contraste, ensina que o Tanach e
as Escrituras do Novo Testamento são junto a Palavra Eterna de Deus, que o Talmud
não tem esta autoridade, e que Yeshua é o Messias.

124. Sinagoga - Na septuaginta é designada a Congregação de Israel, um lugar de


reunião e adoração dos judeus. Nas Escrituras trata-se da reunião de indivíduos de
uma localidade com o fim de adorar ou de fazer alguma coisa em comum (Lc 12:11;
21:12). Acabou designando o edifício onde tais reuniões eram efetuadas.
Mesquita = Templo dos muçulmanos. O segundo templo está em Jerusalém, no
Monte Moriá, chama-se Mesquita de Omar.

125. O candelabro do Tabernáculo continha sete lâmpadas a óleo para alumiar. As


lâmpadas acesas representavam a luz de Deus, a Sua presença no meio do arraial. ( Ex
25:31,37).

126. Uma compilação das tradições dos judeus. A parte primeira apareceu em 450 a.D.
e a segunda em 500 a.D.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

DOUTRINA DE DEUS

127. Para que possamos ter a certeza que Deus existe, tornar-se imprescindível e
sumamente importante saber se Ele pode ser conhecido.
A Bíblia é o único livro no qual está fundamentado o ensinamento sobre Deus. É ela
que declara que Deus pode ser conhecido. Confira, então, as seguintes referências: (Is
11.9; Os 6.3; Hc 2.50; Jo 17.3). Pelo fato de sermos criaturas á sua semelhança, já
podemos crer em sua existência. A Bíblia não procura comprovar que Deus existe, mas
ela declara a sua existência através de seus atributos e muitos deles são exclusivos,
outros existem em parte no ser humano, pelo fato de ter sido criado á imagem de
Deus. Sua imagem.

128. 1-Argumento Ontológico – ONTOS (Ontoj) = ENTE, SER E LOGOS (LOGOJ) =


ESTUDO: Argumento baseado na Crença universal da existência de um ser supremo.
“Este argumento foi apresentado em várias formas por Anselmo, Descartes, Samuel
Clark, e outros, foi apresentado em sua forma mais perfeita por Anselmo. Este
argumenta que o Homem tem a ideia de um ser absolutamente perfeito; que
existência é atributo de perfeição; e que, portanto, um ser absolutamente perfeito tem
que existir.” Louis Berkhof.
2-  Argumento Cosmológico – Cosmos (Kosmoj) = Universo e Logos (Logoj) =
Estudo. “Argumento baseado na lei da causa e efeito, sendo a causa distinta do efeito.
Este argumento também tem aparecido em diversas formas. Em geral apresenta como
segue: Cada coisa existente no mundo tem que ter uma causa adequada; sendo assim,
o universo tem que ter uma causa adequada; isto é, uma causa indefinidamente
grande.” Louis Berkhof.
3 – Argumento Teleológico. TELEOS (Teleoj) LOGOS (LOGOJ)= Estudo. Argumento
baseado no desígnio, propósito ou adaptação. “O Argumento Teleológico pode ser
enunciado assim: Ordem e Organização útil em um sistema evidenciam inteligência e
propósito na causa que o originou; O universo é caracterizado por ordem e
organização útil, portanto, o universo tem causa inteligente e livre, Sl 94:9”. Henry
Clarence Thienssen.
4 – “Argumento Histórico ou Etnológico." Em geral este argumento toma a
seguinte forma: Entre todos os povos e tribos da terra há um sentimento religioso que
se revela em cultos exteriores. Visto que o fenômeno é universal, deve pertencer á
própria natureza do homem. “E se a natureza do homem leva naturalmente ao culto
religioso, isto só pode achar sua explicação num ser superior que constitui o homem
num ser religioso”. Louis Berkhof.
5- Argumento Moral. “Kant mostra que as provas teóricas não podem nos dar
nenhum conhecimento de Deus como um ser moral; para isto, dependemos da razão
prática. Ele afirmou que o fato da obrigação e do dever era pelo menos tão garantido
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

como o fato da existência. Com base na consciência, ele argumenta em favor da


liberdade e imortalidade de Deus. A Bíblia apela também para o argumento moral para
provar a existência de Deus. Rm 1:19,32; 2:14-16.” Henry Clarence Thienssen.

129. É a união de três pessoas santas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, em uma só
divindade. As três pessoas são distintas, iguais e por consequência coeternos em uma
só e individual natureza. Cada uma dessas pessoas é Deus, portanto, só há um Deus.
Deus pai, Deus filho e Deus Espírito Santo, habitam no meio da igreja. Deus pai reside
na glória (3º céu), o filho já deixou o mundo e está á destra do Pai e o Espírito Santo
subirá aos céus com a Igreja de Jesus.

130. Antigo Testamento = Desceu em conjunto e confundiu a língua em Babel (Gn


11:7)
A Trindade Santa está presente na criação do homem. Dando a ele o domínio sobre
todo o restante da criação, (Gn.1:26).
Novo Testamento = As três divinas pessoas da trindade, estão presentes no
batismo de Jesus. Esta é a doutrina da Trindade. Expressando a verdade de que dentro
da essência una de Deus (Mc. 1:1).
Subsistem três pessoas distintas, compartilhando uma só natureza divina comum.

131. Através dos tributos dados a Deus sabemos que Deus é eterno, poderoso,
onipotente, onisciente, é criador. Ele entristece, arrepende, sente ciúmes, ira, etc.
Todas essas emoções e atitudes são características de uma pessoa.

132. Pai - É Ele quem origina.


Filho – Eternamente gerado do Pai, é Ele quem revela.
Espírito Santo – Procede eternamente do Pai e do Filho, é Ele quem executa.
Todas as três pessoas são divinas e eternas. Podemos dizer que a criação vem do Pai,
através do Filho, pela agencia do Espírito Santo.

CRISTOLOGIA

133. Em Isaías 9:6. No princípio eterno, isto é, antes que o universo fosse criado, Cristo
já existia, Jo 1.1; Cl 1.17, e possuía a mesma essência divina, gloriosa, Jo 17.3-5.
Assim como Deus é desde a eternidade (Sl 90.2), assim também Jesus o é!. Portanto,
desejamos não somente provar a eterna existência de Cristo com o Pai, como também
mostrar a colaboração ativa entre ambos.
A – Cristo antes da fundação do mundo: o plano de salvação.
Deus, na sua onisciência, previu desde a eternidade, que o homem, ao ser criado,
haveria de cair em pecado, sujeito a perdição eterna. Ele então, no seu grande amor,
preparou o caminho da salvação, por meio do sacrifício do seu próprio filho Jesus.
Jesus participou deste planejamento. Desde então estava disposto a dar a sua vida
pela humanidade. Por isso a Bíblia se expressa “...o Cordeiro que foi morto desde a
fundação do mundo”, (Ap 13.8b). A vida eterna foi-nos prometida “... antes dos
tempos dos séculos”, (Tt 1.2), quando Deus nos elegeu para em Jesus sermos santos e
irrepreensíveis (Ef 1.4).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

B – Jesus também participou com Deus da criação do mundo


A Bíblia afirma “... tudo foi criado por Ele e para Ele”, (Cl 1.16b, 17) e “Ele é antes de
todas as coisas, e todas as coisas subsistem por Ele”. Lemos em João 1.3 que “todas as
coisas foram feitas por Ele e sem Ele nada do que foi feito se fez”

134. A vida terrena de nosso mestre é a mais importante história da Bíblia Sagrada e
da História da Humanidade. O pai terreno Jesus foi José o carpinteiro e sua mãe Maria
prima de Isabel mãe de João Batista. (Lc 2:4-7). Cristo é o filho de Deus e a segunda
pessoa da Santíssima Trindade, que veio ao mundo para pregar o Evangelho e morrer
pela a humanidade (Jo 3.16) A vida terrena de nosso mestre é a mais importante
história da Bíblia Sagrada e da História da Humanidade. O pai terreno Jesus foi José o
carpinteiro e sua mãe Maria prima de Isabel mãe de João Batista. (Lc 2:4-7). Cristo é o
filho de Deus e a segunda pessoa da Santíssima Trindade, que veio ao mundo para
pregar o Evangelho e morrer pela a humanidade (Jo 3.16)

135. Morte = O tema central das Escrituras desde a eternidade, a morte do Senhor
Jesus já era plano de Deus. A morte expiatória de Cristo é o que caracteriza a religião
cristã, o Senhor Jesus subiu ao gólgota para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si
mesmo (Hb.9:26).
Ressurreição = Comprova que Cristo é o filho de Deus, garante a eficácia da sua
morte redentora, confirma a verdade das escrituras. Garante ao crente a sua futura
herança celestial.

136. 1- Profeta = Representante de Deus diante do povo. (Mt.13:57; 21:11).


2- Sumo-Sacerdote = Representava os homens diante de Deus (Hb.2:17).
3- Rei = O plano de Deus para o governante.

137. Corpo de Cristo – O pão representa o corpo de Cristo, quer dizer que comer o pão
significa proclamar e aceitar os benefícios da morte sacrifical de Cristo. (I Co 11:24).
Sangue de Cristo - O cálice da ceia é o sangue de Cristo derramado como
sacrifício na cruz. O “cálice” representa seu sangue derramado no Calvário para
ratificação do “Novo Testamento”. (I Co 11:25).

138. É a comunhão que dá aos membros limites, normas e regras a serem seguidas,
para que suas vidas estejam voltadas somente para as coisas que dizem respeito á
Deus e sua obra e se tornem verdadeiros adoradores.

139. A tradição de José ser viúvo, com filhos da primeira mulher, baseia-se, talvez no
dogma da virgindade perpétua de Maria. Porém não é assim que fala a Bíblia.

SOTERIOLOGIA

140. A doutrina da Salvação é de suma relevância para todos que se propõem em


estudar as Escrituras e percorrer a vida cristã vitoriosa, porque este é assunto é tão
significativo ao cristão que quer fundamentar a sua vida em conformidade a vontade
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

divina. Podemos dizer portanto, que a Doutrina da Salvação é o estudo sistemático dos
processos que envolvem a salvação.

141. O amor de Deus em Cristo Jesus. Transmitidos aos crentes pelo Espírito Santo, e
que lhes outorga a misericórdia, perdão, querer e poder para fazer a vontade de Deus.
Toda atividade da vida crista, desde o seu início até o fim, depende desta graça divina.

142. A escolha de Deus, de homens para a salvação e privilégios, baseada na escolha


que, inicialmente, eles fizeram de Deus. A escolha que Deus fez de Cristo para a tarefa
de consumar a salvação, mas também Sua escolha dos que estão “em Cristo” para a
salvação.

143. Chamado = Separar-se de tudo quanto possa impedir o propósito divino na vida
daquele que quer proclamar o Evangelho de Cristo.
Vocação = O escolhido, eleito, para viver inteiramente para Deus. Escolhido por
Deus para convencer o mundo incrédulo do pecado.
144. Salvação = É o fruto da fé, é o ato ou efeito de salvar-se, tirar do perigo.
O homem não pode fazer nada para merecer a salvação. Sabemos que não é a fé que
salva, mas Cristo salva através da fé.
Livramento = ato ou efeito de livrar-se, dar liberdade. Tirar de embaraço ou
posição difícil.
Em Cristo Jesus recebemos livramentos todos os dias das laçadas do adversário.

145. Regeneração: é a transformação espiritual total da pessoa. Obra sobrenatural e


instantânea de Deus que concede nova vida ao pecador que aceita a Cristo como seu
salvador. O homem tem vida espiritual. A disposição moral do homem se torna
semelhante a Deus através da regeneração
Santificação: é a separação total do mundo , tornando o homem santo e o
apartando do pecado, a fim de ter ampla comunhão com Deus e servi-lo com alegria. É
a obra da livre graça divina, pela qual o homem renovado no seu interior, segundo a
imagem de Deus, habilitado a morrer cada vez mais para o mundo e viver em retidão.

146. O arrependimento torna possível o homem voltar-se para Deus. Sente profunda
tristeza pelo pecado e não o deseja. O arrependimento ocorre quando a pessoas
resolve deixar o pecado, reconhecendo que necessita de um salvador.
Fé é a confiança na lealdade, no saber e na veracidade de alguém. Fé inclui
arrependimento. Fé não é somente uma confissão a respeito de Cristo, mas também
uma ação dinâmica, que brota do coração das pessoas que quer seguir a Cristo como
Senhor e Salvador. “A certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se
não que se não veem”. (Hb.11:1). A fé une a alma com Deus e resulta em salvação, é a
causa instrumental da justificação. (Rm.3:1).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

147. A união faz com que as pessoas lutem por uma causa em comum, fiquem em
harmonia e concórdia pelo mesmo objetivo (existe um ditado que diz: A união faz a
força) . A Igreja de Cristo deve estar em união pela luta contra o inferno em favor das
almas perdidas, tentando arrancá-las das mãos do inimigo e levá-las até Jesus Cristo, o
nosso Salvador.

148. O Pecador salvo é homem que aceita Cristo como seu Senhor e Salvador, seu
velho “eu” pecador fora morto mediante a identificação com o Salvador crucificado e
que lhe fora concedida vida nova mediante a comunhão com o salvador vivo.
(Gl.2:19,20). Homem liberto da escravidão do pecado
O Pecador perdido é o homem escravo do pecado e dos poderes das trevas. Seu
pecado o condena á morte, torna-se excluído do céu por causa do seu pecado. Incapaz
de viver uma vida perfeita. Todo homem em que pecar está condenado á morte.
(Gl.3:13).

149. Porque a natureza pecaminosa é uma herança de Adão , o pecado de Adão


introduziu a morte no mundo. O homem está sentenciado á morte. Deus proferiu a
sentença para o pecador, portanto terá de julgá-lo. “... a alma que pecar, essa
morrerá.” (Ez.18:4).
1 - Todos pecaram, (Rm 3.23).
2 - O salário do pecado, (Rm 6.23).4

150. A separação do espírito do homem e de Deus. Se o homem estiver


espiritualmente morto, praticando o pecado, permanecerá eternamente separado de
Deus.

DOUTRINA DO BASTIMO

151. “Evidentemente é de grande importância que tenhamos opiniões sãs e Bíblicas e


condições claras no tocante ás ordenanças; pois através de toda história cristã, desde
os tempos mais primitivos até agora, esses ritos sagrados têm dado ocasião para
grandes, longos e, frequentemente, furiosos debates”. - Dargan.
A palavra “Ordenança” se deriva de dois vocábulos latinos que, em seu sentido final,
significa: “Aquilo que foi ordenado ou mandado”. Esse termo tem sido usado para
descrever as duas instituições, o batismo e a ceia do Senhor, que Cristo deixou para as
Igrejas observarem.

152. “O Batismo simplesmente apresenta, através de símbolo visível, a morte, o


sepultamento e a ressurreição de Cristo, como também a nossa morte para com a
antiga vida de pecado, nosso sepultamento na semelhança de sua morte, e nossa
ressurreição para andarmos com ele em nossa vida”. Gooldchild. (Rm 6.3-5; Cl 2.12).
- Razões que demonstram que devemos ser batizados
a - O exemplo deixado por Cristo. (Mt 3.15-17).
b - Ordenado por Cristo. (Mc 16.16; Mt 28.19,20).
c - Praticado pela Igreja Primitiva. (At 2.41,42; 16.14,15; 22.14-16).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

O crente depois de se arrepender dos seus pecados e aceitar a Jesus Cristo pela fé,
tendo plena consciência do significado do batismo, deve ser batizado.

153. A Bíblia Sagrada não determina a idade para a pessoa se batize. Exige-se no
entanto, que a pessoa tenha consciência do elevado significado do ato do batismo.
a - quando crer. (Mc 16.16a).
b - ao arrepender. (At 2.38).

154. O que salva o homem é a sua fé em Jesus Cristo, aceitando-o como Senhor e
Salvador de sua alma, arrepender de seus pecados e se batizar para estar em
comunhão com Ele e com a igreja.

155. Quem for batizado, automaticamente já entra na comunhão da igreja, pode


participar da Santa Ceia e das atividades espirituais da igreja, num primeiro período,
aprende e depois tem todo o direito de exercitar o dom que recebeu de Deus, também
podendo participar em assembleia geral ordinária e extraordinária como membro
tendo direito a voto e tudo mais.

156. Nas águas, por imersão em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo ou em nome
de Jesus, (At.8:37; Mt. 28:19;At.2:38).

157. É errado batizar qualquer pessoa que não crer em Jesus e não lhe obedece
guardando os seus mandamentos. Mais errado é "batizar" por asperção. Deve ser por
imersão. A partir que a criança ou adolescente já consiga ler as escrituras e tomar
decisões, ela já pode ser batizada. A idade varia da maturidade espiritual de cada uma!
Na Bíblia nós encontramos uma tradição de dedicação especial no templo aos 12 anos
de idade. Hoje as convenções recomendam que batize com a idade acima de 12 anos
mulher e acima de 13 anos o homem.

PNEUMATOLOGIA

158. Ele sempre existiu, mesmo antes da criação da terra, antes da criação dos
homens... O Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus. O Espírito Santo é
Deus, sempre existiu e nunca terá fim.

159. Em Relação à humanidade, ele: Convence Jo 16.7-11, Produz salvação, Batiza Jo


1.32-34; 1 Co 12.12,13; At 1.5, Habita, 1 Co 6.5-19; Jo 14.17; Rm 8.9; 2 Tm 1.14; 1 Jo
2.27:3, 24; Ez 2.27; Ap 3.20, Capacita, 2 Co 3.5; Ef 3.16, Guia, Rm 8.1 e Liberta, Rm 8.
2.

160. O Espírito Santo será tirado da Terra logo após o arrebatamento da igreja. Pois
até este período é ele o Consolador dos crentes.

161. Sendo o Espírito Santo o próprio Deus, devemos crer que Ele é sábio e poderoso,
pois, Deus é. (Pv 12:13).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

162. Todos os atributos de uma pessoa são pela Bíblia atributos ao Espírito Santo.
1 - Pronomes pessoais aplicados ao Espírito Santo. Jo15.26; 16.7,8,13,14.
2 - Características pessoais atribuídas ao Espírito Santo.
a) Inteligência (1 Co 2.10,11; Rm 8.27).
b) Vontade (1 Co 12.11).
c) Sentimentos
- Amor (Rm 15.30).
- Tristeza (Ef 4.30)
- Bondade (Ne 9.20)
3 - Atividades pessoais atribuídas ao Espírito Santo.
a) Ensinar, Jo 14.26.
b) Lembrar, Jo 14.26.
c) Perscrutar, 1 Co 2.10.
d) Falar, Ap 2.7; Gl 4.6; At 13.2.
e) Testificar, Rm 8.16; Jo 15.26.
f) Interceder, Rm 8.26.
g) Guiar ou conduzir, Rm 8.14; Jo 16.13; At 16.6,7.
h) Chamar ou comissionar, At 13.2; 20.28.
4 - O uso de tratamento pessoal para com o Espírito Santo.
a) Rebelar-se contra o Espírito Santo, Is 63.10.
b) Entristecê-lo, Ef 4.30.
c) Mentir, At 5.3.
d) Blasfemar Mt 12.31,32.
e) Resistir, At 7.51.

163. A Pneumatologia é a doutrina teológica que trata da natureza da ação, da obra do


Espírito Santo e de Sua relação com o universo, o homem, e particularmente, o cristão.
Pneumatologia é um termo composto derivado do grego que significa o estudo do
Espírito Santo. Pneuma (Pneuma) = Espírito, Vento.Logia (Logoj) = Estudo.

164. Convence através da Palavra de Deus, produzindo salvação.


Coloca o amor de Deus aos corações endurecidos. Produz no coração do homem a
retidão, levando ao conhecimento das verdades bíblicas e sua obediência ás mesmas.

ANGELOLOGIA

165. Ao aceitarmos o fato dos anjos, naturalmente desejamos saber em seguida algo
mais a respeito de sua natureza.
1- Não são seres humanos glorificados, (Mt 22.30; 1 Co 6 3; Hb 12.22, 23).
2 - São seres espirituais e incorpóreos, (Mt 8.16; 12.45; Ef 6.12; Sl 104.4; Hb 1.7,14).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

3 - São seres criados: os anjos não existem desde a eternidade, (Ne 9.6; Sl 148.2,5; Cl
1.16; Jó 38.4-7).
4 - São seres pessoais: aos anjos são atribuídas características pessoais; são
inteligentes, dotados de vontade e atividade, (2 Sm 14.20; 2 Tm 2.26; Ap 22.8,9;
12.12).
5 - São imortais: os anjos não estão sujeitos à dissolução - nunca morrem, (Lc 20.35,
36).
6 - Não se reproduzem: de acordo com o ensino bíblico os anjos não se casam, no
entanto, em parte alguma das Escrituras diz que os anjos são seres assexuados. Os
anjos mencionados nas Escrituras são designados pelo sexo masculino, (Mc 12.25; Mt
22.30; Gn 18.1,2; Dn 8.16,17).
7 - São seres poderosos: a Bíblia ensina que os anjos são uma classe de seres criados
superiores aos homens, (Sl 103.20; 2).

166. - Existem dois tipos de anjos:


1- Anjos bons
a) Ocupar-se da adoração direta a Deus, ( Sl 89.7; 99.1,2; Is 6.2,3; Mt 18.10).
b) Regozijam-se na obra de Deus, (Jó 38.4,7; Lc 15.10).
c) Executam a vontade de Deus, (Sl 103.20).
d) Guiam e guardam os crentes, (Sl 91.11; At 8.26; Hb 1.14).
e) Ministram ao povo de Deus, (Hb 1.14).
2- Anjos maus
a) Opõem-se aos propósitos de Deus, (Zc 3.1; Dn 10.10-14).
b) Afligem o povo de Deus, (2 Co 12.7; Lc 13.16).
c) Executam os propósitos de Satanás, (Mt 25.41; 12.26,27).
d) Impedem os santos e servos de Deus, (Ef 6.11,12; 1 Ts 2.18).

167. O Número dos Anjos É Inumerável, (Dt 33.2; Hb 12.22).


Nas regiões celestiais existem incontáveis miríades de tronos angelicais (Dn 7:10; Ne
9:6; Sl 68:17).

168. Arcanjos = Primeiro entre os anjos. O arcanjo parece que tem a responsabilidade
específica de proteger e fazer prosperar a Israel. De anunciar o nascimento do Salvador
(Lc.1:26-28), de derrotar satanás e seus anjos, e de tentar assassinar o filho varão e a
mulher (AP.12:8-12). De anunciar o retorno de Cristo aos céus (1Ts 4:16-18). Miguel é
o único a ser chamado de arcanjo.
Serafins = Os serafins estão em pé acima de Deus (Is.6:2). Lideram os céus na
adoração á Deus e purificam os servos de Deus para o culto e serviços aceitáveis, se
preocupam com o culto e a santidade mais do que com a justiça e o poder. Em
humildade eles se desenconchem do seu ministério.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Querubins = São cheios de olhos e guardam a entrada do paraíso (Gn.3:24),


observam o propiciatório e constituem a carruagem de que Deus se serve para descer
á terra (2Sm 22:11). Mais que outras criaturas eles foram destinados a revelar o poder,
a majestade e a glória de Deus, e a defender a santidade de Deus no jardim do Éden,
no tabernáculo, no Templo e na descida de Deus na terra.

ANTROPOLOGIA

169. O evolucionismo é uma tentativa naturalista para explicar a origem e o


desenvolvimento do universo. Pressupõe que não existem nenhum criador pessoal e
divino, mas tudo veio a existir mediante uma série de acontecimentos que decorreram
por acaso, ao longo de bilhões de anos. Afirmam que o homem e o animal vieram de
um mesmo tronco, evoluindo há milhões de anos. Os evolucionistas supõem que pelo
fato do homem ter, em comum com outros animais, muitos ossos, músculos e órgãos,
os quais são um tanto parecidos entre si, que isso prova que o homem descende dos
animais irracionais.

170. Um dos ensinos cardeais da Bíblia é que o homem foi criado à imagem e
semelhança de Deus (Gn 1.26). As Escrituras demonstram com clareza que os seres
humanos, embora descendentes de Adão e Eva e já caídos (ao invés de criados
diretamente por Deus), continuam a levar a imagem de Deus como também sua
semelhança (Gn 5.1; Tg 3.9; Gn 9.6; 1 Co 11.7).

171. A terra tem aproximadamente 8 mil anos.

172. 58 idiomas.

173. O homem é um ser criado à imagem e semelhança do Criador, mas que tem a
capacidade de escolher seu próprio caminho, conforme princípio do livre-arbítrio. A
segunda pergunta diz respeito à personalidade, pois cada pessoa tem um imaginário
próprio que o diferencia entre seus semelhantes. A personalidade de um homem
define seu comportamento, suas ideias e anseios, seus valores, tornando o deslinde da
mesma um grande e enigmático desafio.

174. Quando Deus criou o homem, Ele soprou em suas narinas o fôlego da vida.
(Gn.2:7), dando a ele o seu hálito, em sua vida. Fez dele um ser trino e uno (corpo,
alma e espírito), que possui mente e vontade.

175. Deus criou a mulher para ser companheira do homem, pois ele estava só, por isso,
foi criada do osso da costela, não da cabeça para não comandar e nem dos pés para
não ser humilhada, mas da costela para ser companheira.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

176. Embriologia é a Ciência que trata da formação e do desenvolvimento do embrião.


Genética é o ramo da Biologia que estuda as leis da transmissão dos caracteres
hereditários nos indivíduos.

177. É o estudo da estrutura e formação de palavras. Baseia-se nas formas que a


matéria pode tomar quanto relacionado com estudos das línguas.

178. O homem originou-se da criação, depois de ter criado os anjos, seres angelicais,
criou os seres físicos: terra e tudo que existe, e então criou o homem e a mulher. O
homem foi uma criação por cima de uma primeira criação e elementos daquilo que já
havia sido criado, mas foi uma criação especial e completamente diferente dos demais
seres criados um coroamento da criação, infelizmente desobedeceu as ordens de
Deus. Livremente optou por cair. Olhou, desejou, tomou, comeu e morreu. A morte
chegou tanta física, quanto espiritual, rompendo a comunhão com Deus e sofrerá até a
volta do Senhor Jesus.

179. A ciência da psicologia confirma que a alma de todo ser humano,


obrigatoriamente, tem que descender de um só tronco e deve existir algo que interliga
o ser humano a um Ser superior. Com o código genético e o DNA, a própria ciência
provou que a teoria de Darwin e outros eram infundidas e sem base científica e já se
pode provar que toda raça humana descende de um tronco e que todos os animais
irracionais descendem de seus troncos específicos e que então seria impossível o
homem descender do macaco. Características físicas que o homem possui distingue-o
dos outros animais confirmando ainda mais, como: postura ereta, a separação entre os
dedos, a capacidade de rotação do braço, o cérebro mais desenvolvido, o intrincado
sistema nervoso e assim por diante.

180. - Hb. 11:3 = Deus criou do nada todas as coisas.


- Gn. 1:21,24,25 = Deus criou cada criatura vivente.” Conforme a sua espécie.”
- Gn. 1:11 = Deus criou a bela natureza.
- Cl. 1:16 = Deus é o criador ativo de todas as coisas.

181. -Tricotomia = De acordo com esta escola de pensamento o homem é constituído


de três elementos ou divisões (corpo, alma e espírito). O corpo é a matéria de sua
constituição, a alma é o princípio da vida animal que o homem possui em comum com
os irracionais, a ela pertencem o entendimento, a emoção e a sensibilidade, que
terminam com a morte, o espírito é o princípio do homem racional e da vida imortal.
Possui razão, vontade e consciência e se entende á eternidade após a morte do corpo.
(Gn. 5:1; Tg. 3:9).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

- Dicotomia = De acordo com a corrente dicotômica o homem é formado por


duas partes ou divisões (corpo e alma), estas duas substancias constituem o homem, o
corpo é matéria, alma e espírito. A alma vivifica o corpo, quando a alma é retirada, o
corpo morre. A alma é a sede da personalidade. (1Rs 17:21; Sl 42:6).

182. Alma = Fonte e motor de todos os atos humanos. Continua a viver após a morte.
Existe dentro e fora do corpo ligada ao espírito.
Espírito = A parte do homem que inclui a razão, á vontade e a consciência e que é
imortal. Identifica e demonstra a natureza do homem.
A alma e o espírito são tão ligados e inseparáveis que muitas vezes se confundem.
Alma e espírito representam um lado e o corpo o outro.

183. O progresso moral do ser humano tem a sua gênese e se desenvolve através das
descobertas de uma consciência inquieta ou por meio de indivíduos criativos.
Insere em sua própria natureza o senso daquilo que é certo ou errado. É capaz de
saber o que deve ser, aí constitui a esperança da humanidade.

184. Deus criou um ser trino, isto é, possui alma, corpo e espírito, portanto possui
mente, emoção e vontade, para que possa comunicar-se espontaneamente com Ele
como Senhor, adorá-lo e servi-lo com fé, lealdade e gratidão. Tanto que quando
Satanás fez Eva e Adão pecar, no Jardim do Éden, Deus prometeu enviar um Salvador
para redimir a humanidade das consequências do pecado.

HARMATIOLOGIA

185. A Bíblia ensina que o pecado, na história da humanidade teve início com a
transgressão de Adão no Paraíso, ato perfeitamente voluntário da parte do homem. O
tentador veio até ao homem para dizer-lhe que ele poderia tornar-se semelhante a
Deus. Adão rendeu á tentação e cometeu o primeiro pecado. Desobedeceu a Deus e
comeu do fruto proibido e passou a ser escravo do pecado que teria efeito não
somente sobre Adão, mas também sobre toda a raça humana.

186. Portanto o estado mau da alma é universal, que todos nascem com esta natureza,
tendo a corrupção com parte componente em seu ser. O pecado tornou-se universal
sendo assim, abrange o reino vegetal que foi amaldiçoado, o reino animal também
sofre as consequências do pecado do homem. Mas esses dois reinos serão redimidos e
compartilharão da paz e da glória do milênio.

187. A raça humana sofre consequências do pecado como: a morte física com suas
dores e tristezas; a morte humana; a exclusão da presença de Deus e a morte eterna.
(Ap 11:14; Gn 3;8; Gn6:5; SL14:3; Rm7:18; Ef 2:1,5;Ef 4;18). Apesar da atitude errada
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

do homem, Deus proveu a obra redentora de Cristo a favor da humanidade. A salvação


para o homem somente teve efeito quando o preço estabelecido para Deus foi pago,
isso é, foi necessário que Jesus morresse, pagando assim um alto preço para
reconciliar o homem com Deus. Jesus Cristo morrer na cruz do Calvário para a expiação
do pecado da humanidade.

188. Por que na Nova Terra Deus habitará no meio de um povo fiel e santo, numa terra
purificada de todo mal. Nessa Nova Terra os santos verão ao Senhor Jesus e com Ele
habitarão, o Cordeiro de Deus, que pelo seu amor os redimiu mediante a sua morte na
cruz, não pode habitar no meio do pecado. Será arrebatado somente aquele que
aceitar ao Senhor Jesus como Senhor e Salvador de sua alma, procurará viver uma vida
santa e correta diante de Deus, da igreja e do mundo, praticando a justiça negando a si
mesmo e levando a sua cruz, vivendo em santidade até o fim.

ÉTICA PASTORAL E CRISTÃ

189. É a ciência dos costumes ou atos humanos, e seu objeto é a moralidade. Abrange
diferentes campos da atividade humana. A ética natural prescinde de toda revelação
divina (mas não conhecimento moral de Deus). Busca a análise e o aprofundamento
dos atos morais de que podem ser deduzidas as normas para qualquer ato humano.

190. É um conjunto de regras, de condutas, hábitos julgados válidos. Costumes


estabelecidos entre os homens.

191. Uma estabilidade mental e emocional. Prudente. Estado de um corpo, solicitado


por forças opostas, que se anulam sobre um ponto de resistência.

192. Maneira de se comportar, procedimento, conduta. Ato de portar-se bem.

ARQUEOLOGIA

193. É um estudo científico, realizado por meio de escavações e pesquisas, dos restos
materiais da vida e costumes dos homens da época da Bíblia. É a Ciência aplicada as
questões relacionadas à Bíblia ou diretamente mencionadas ao registro bíblico.

194. 1 - Rei Saul.


2 - Rei Davi.
3 - Rei Salomão.
4 - Rei Dario.
5 - Rei Ciro.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

195. 1 - Rei Saul.


2 - Rei Davi.
3 - Rei Salomão.
4 - Rei Nabucodonosor.
5 - Rei Tito.

196. 1 - Senhor Jesus Cristo.


2 - Rei Davi.

197. A arca repousou sobre as montanhas de Ararate, o planalto chamado


antigamente Ararate, é uma parte do país, chamado atualmente de Armênia, na Ásia
ocidental. É o lugar das nascentes dos rios Eufrates, Tigre e Aras.

HERMENÊUTICA

198. Método que visa á interpretação de textos. A ciência da interpretação. Com a


hermenêutica descobre-se o exato sentido das palavras no texto em estudo.
Hermenêutica é a “parte da teologia exegética, ou seja, a que trata da reta inteligência
e interpretação das Escrituras bíblicas”. O termo vem do grego: hermenevein que
significa interpretar.

199. Por ignorar ou mesmo por violar o princípio de que a Bíblia é interpretada por ela
mesma é que muitos tem incorrido em funestos erros. Fixando-se em palavras e
versículos arrancados de conjunto e não permitindo á Escritura explicar-se a si mesma,
encontraram os papistas aparente apoio na Bíblia para o erro do papado e das
matanças com ele relacionadas, para não falar da Santa Inquisição e outros erros do
mesmo estilo. Ignorantes pretensos doutos, sempre se tem constituído em heresias,
desde os falsos profetas da antiguidade até os papistas da era cristã.
Infelizmente o catolicismo durante 500 anos, cegou e ainda vem cegando todo o Brasil,
de uma maneira muito profunda, com metódicas rezas, usos e costumes pagãos.
Religião morta e cega que nunca mostrou a cultura espiritual aos seus fiéis, afetando
assim uma boa camada da nossa sociedade.

200. 1ª = As palavras devem ser tomadas, tanto quanto possível, em seu sentido usual
e comum. Não se tomar as palavras ou as frases ao “pé da letra”.Ex: Gn 6:12, lemos:
“Porque toda carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra”. Carne e caminho
aqui no sentido literal. Perde o significado por completo. Mas, no sentido comum,
como figuras, carne em sentido de pessoas e caminho no sentido de costumes, já tem
um significado terminante.
2ª = As palavras devem ser tomadas no sentido que indica o conjunto da frase. Na
linguagem bíblica, existem palavras que variam muito em seu significado. Ex: Gl 1:23,
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

“Agora prega a fé que outrora procurava destruir”. No conjunto desta frase vimos
claramente que a fé, aqui, significa crença, ou seja, a doutrina do evangelho. A palavra
fé ordinariamente significa confiança.
3ª = É necessário tomar as palavras no sentido indicado no contexto, a saber, os
versículos que precedem e seguem ao texto que se estuda. O significado que as
palavras que se quer compreender devem ser entendidas os versículos que vem antes
e os que vem depois delas. Ex: Jo 3:36, “quem crer no Filho tem a vida eterna”, a
palavra crer pela expressão oposta é: “o que todavia, se mantém rebelde contra o filho
não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.”
4ª = É preciso tomar em consideração objetivo ou desígnio do livro ou passagem
em que ocorrem as palavras ou expressões obscuras. O objetivo ou desígnio de um
livro ou passagem se adquire, lendo-o e estudando-o com atenção repetidas vezes,
tendo em conta a ocasião em que foi escrito e a que pessoas foram dirigidas. Ex: Uma
pessoa se dirige a Jesus e pergunta-lhe o que fazer para receber a vida eterna (Mt
19:16, Lc18:18), e Jesus lhe responde: “guarda os mandamentos.” O desígnio de Jesus,
neste caso , foi o de usar a lei qual “aio”, para conduzir o pecador á verdadeira fonte
de salvação, e eis aqui porque lhe indica os mandamentos. Porque para ser salvo é só
ter fé no Salvador Jesus.
5ª = Consultar as passagens paralelas. São aquelas que fazem referência uma á
outra; que tenham entre si alguma relação, ou tratem de um modo ou de outro de um
mesmo assunto. “Explicando cousas espirituais pelas espirituais” (1Co 2:13). Ex: N a
carta aos Gálatas 3:27, diz: ”De Cristo vos revestes”. Em que consiste estar revestido
de Cristo? Pelas passagens paralelas em Rm 13:13,14 e Cl 3:12,14, tudo se esclarece. O
estar revestido de Cristo, por um lado consiste em ter deixado as práticas carnais, e
por outro em haver adotado como vestido decoroso a prática de uma vida nova. Assim
é que, consultando os paralelos, aprendemos que o estar revestido de Cristo não
consiste em haver ter adotado esta ou aquela túnica ou vestido “sagrado”, mas em
adornos espirituais ou morais próprios do Cristianismo simples, santo e puro (1Pe 3:3-
6).

201. A lei do uso comum é sumamente natural e simples, porém de grande


importância. Pois, ignorando ou violando-a em muitas partes da Escritura não terá
outro sentido que aquele que queira conceder-lhe o capricho humano. Por exemplo,
houve quem imaginasse que as ovelhas e os bois que menciona o Salmo 8 eram os
crentes, enquanto as aves e os peixes eram incrédulos, donde se concluía, em
consequência, que todos os homens, queira ou não, estão submetidos ao poder usual
e comum das palavras, não teria caído em semelhante erro. O propósito da lei da
linguagem é destacar que alguma semelhança ou igualdade entre duas coisas, pessoas
e fatos justifica a comparação. Assim, pois, se houver certa correspondência entre o
sentido figurado de uma palavra e seu sentido literal, não é necessário que tudo
quanto encerre a figura se encontre no sentido literal, pois isso é mesmo impossível.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Quando Cristo chama de ovelhas a seus discípulos, é natural que não apliquemos a
eles todas as qualidades que encerra a palavra ovelha. Em caso como este é bastante o
sentido comum para determinar os pontos de comparação.

202. O valor hermenêutico das passagens paralelas, tanto dos reais ou verbais,
consiste na possibilidade de comparar textos que nos afigurem algo um tanto obscuro
com outros que, tratando do mesmo assunto ou empregando certa palavra ou frase
cujo sentido procura associar, venha projetar sobre eles uma nova luz.

203. Há determinadas passagens bíblicas para cujo esclarecimento não são suficientes
os paralelos de palavras e ideias, já vistos, a própria Bíblia determina ensinar conforme
as Escrituras, de ser anunciada esta ou aquela coisa por boca de todos os profetas, e
de usarem os profetas ou (pregadores) seu dom conforme a medida da fé, isto é,
segundo a analogia ou regra da doutrina revelada. (1Co 15:3,14; Rm 12:6).

204. É o período de tempo durante o qual os homens são provados a respeito da


obediência a certa revelação da vontade de Deus. As dispensações em que Deus,
pouco a pouco vai revelando sua vontade para com a humanidade. Ás vezes, essa
revelação é para toda raça humana, outras vezes é só para Israel.

205. - 3 = No sentido espiritual, o número três representa a trindade, o Pai, o Filho e o


Espírito Santo.
- 6 = Seis é o número do homem, tudo que se relaciona com o home, na Bíblia
Sagrada é representado pelo número seis.
- 7 = O número sete tem uma das posições mais destacadas entre os números
sagrados das Escrituras, e está associado com algo completo, cumprimento, perfeição,
totalidade, repouso.
Sete é considerado o número de Deus, pois nele se resume toda perfeição, tudo se
completa nele e nele tudo tem seu cumprimento.
- 9 = O número nove representa o Espírito Santo.
Em Efésios 1:3-14 o número nove está em ação, mostrando-nos os nove aspectos da
Trindade, que também chamamos de propósitos divinos.

206. Para que o crente cresça espiritualmente e aprenda o verdadeiro significado da


palavra de Deus, buscando encontrar Cristo em toda Escritura. Estudar a Bíblia tem
que ter em mente que ela é um livro singular e especial e não se pode compreendê-la
por meio só da inteligência, mas pela ajuda do Espírito Santo.

HOMILÉTICA
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

207. É aquele que tem ampla preparação no estudo da Palavra de Deus, vida dirigida
pelo Espírito Santo. Deve ser uma pessoa de oração para aprovação da mensagem,
preparar ordenadamente se discurso, sua pregação deve ser fundamentada na Bíblia,
aquele que convence ao auditório do significado da sua mensagem. A sua preleção não
deve ser superior a 40 minutos e nem inferior a 20 minutos. Todo pregador deve se
organizar corretamente seu tempo de uma maneira equilibrada, e que possa ter
tempo para estudar a Bíblia.

208. -Escolha o texto


-Leia cuidadosamente o texto (no mínimo 50 vezes)
-Encontre um objetivo
-Faça uma introdução resumida
-Encontre um tema
-Encontre uma Palavra-chave
-Faça as divisões necessárias
-Faça uma lista das ilustrações que lhe chamaram a atenção
-Fixe-se na maneira de aplicar os ensinamentos do sermão
-Observe a natureza do desenvolvimento e faça a conclusão
-Deve ser empregado unicamente o material de elaboração mais apropriado.

209. Canaliza e organiza as atividades do culto para alcançar os objetivos trazendo a


ordem e a decência no culto. O planejamento produz motivação e inspiração. Como
um processo participativo, o planejamento dá aos outros um senso de “pertencer ao
time”.

210. A administração de um culto é um roteiro idôneo para orientar e ajudar aqueles


que amam a organização na Casa de Deus. Administrar um culto torna o trabalho do
pastor mais fácil. Agiliza o crescimento do trabalho. Habilita o pastor
administrativamente dirigir a igreja, visando todos os obreiros e líderes dando –lhes
honras para o crescimento qualitativo e quantitativo da igreja, distribuindo
oportunidades para aqueles que tem talentos e dons com inteligência e tornando os
cultos satisfatórios á todos.

TIPOLOGIA

211. Tipologia é o estudo de figuras e símbolos da Bíblia, com os quais Deus procura
mostrar, por meio de coisas terrestres (objetos e pessoas).
a) Não se pode conhecer o antítipo sem antes ter conhecimento do tipo.
b) E isto significa afirmar que se entende bem o Novo Testamento conhecendo-se bem
o Antigo Testamento.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

É um meio determinado por Deus de comunicar verdades divinas através de


ilustrações ou figuras, são geralmente constituídos de pessoa, coisa e evento.

212. 1 - Adão = tipo de Cristo que viria. O primeiro Adão prefigura o segundo Adão (Rm
5:14)
2 - A serpente de metal = crucificação de Cristo (Nm 21:8-9)
3 - Tabernáculo e o Templo = tipificavam Jesus e a Igreja (Hb 8:1-5; 9:1-10).
4 - José = o mais perfeito tipo de Jesus.
5 - Casamento de Isaque = tipo das Bodas do Cordeiro (Gn 24:1-67).

213. Adão é o tipo de Cristo que viria. Assim como o pecado entrou no mundo por
Adão, assim o perdão entrou por Jesus. Adão é o homem morto, em Jesus o homem
está vivificado. (1 Co15:21,22).

ESCATOLOGIA

214. A escatologia é o aspecto da doutrina bíblica que lida com as “últimas coisas” (do
grego eschatos, “final”). Em 1 Jo 2.18, João descreve o momento em que escreveu
como sendo a “última hora”, evidenciando que ele, como em todas as gerações, vivia
em expectativa imediata da segunda vinda de Cristo e via o seu tempo como um no
qual a presente evidência parecia afirmar que a sua geração era mesmo a última. Não
é uma atitude doentia: Cristo Jesus deseja que as pessoas aguardem ansiosamente a
sua volta (Mt 25.1-3; 2Tm) As coisas futuras, estuda a vinda de Cristo, os eventos que
precederão sua vinda. Conversão de Israel, a vinda do anticristo, a morte, a
ressurreição, o milênio, o juízo e o estado dos homens depois.Grego = escatos e logos
= últimas coisas.

215. O Pai, o Filho e o Espírito Santo formam a Trindade Santa. São distintos, porém se
entendem se amam e se honram mutuamente. O Pai criador, o Filho Salvador e o
Espírito Santo o Consolador.
– É o único Deus. As três pessoas, são Deus atuando em conjunto e também em
momentos separados. Tudo em favor da humanidade.

216. Na rochosa e solitária ilha de Patmos (Ap 1:9), no Mar Egeu, a sudeste de Éfeso. A
linha tinha o aspecto triste, por isso, serviu de detenção para criminosos.

217. As cinco igrejas que mais se identificam são: IURD, catolicismo, ecléticos, neo
pentecostal, pentecostal.

218. Capítulo 4.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

219. O julgamento devastador de Deus contra o mundo. São chamados “a ira de


Deus.” O sétimo selo contém as sete trombetas. O sétimo selo estende-se até ao
drama final da tribulação: a destruição sobrenatural da besta e seus exércitos, em
Jerusalém e Armagedom, culminando a volta pessoal de Jesus com os seus santos.

220. Juízos parciais de Deus á terra. Trombetas são usadas na Bíblia para convocar o
povo, como em (Ex19:16-19). São também usadas para anunciar juízo, como no caso
da tomada e destruição de Jericó. Nesta cidade também, foram tocadas 7 trombetas.
Em Apocalipse elas serão tocadas por anjos trazendo destruição.

221. Grande tem sido a contenda dos estudiosos para identificar estas duas
testemunhas. Serão dois homens. A Igreja do Senhor já estará na glória quando as
duas testemunhas estiverem atuando na terra. As duas testemunhas ministrarão na
terra na primeira metade da Grande Tribulação. Muitos acreditam que as duas
testemunhas serão Moisés e Elias. Outros acreditam que são Elias e Enoque. Prefiro
achar que será dois homens que Deus usará na Grande Tribulação para exercer a árdua
tarefa de evangelizar naqueles terríveis dias, independente de quem sejam.

222. A mulher simboliza os fiéis de Israel, e o dragão, Satanás.

223. -Rússia = Magogue corresponde á moderna Rússia. (Ez 38:2-6).


-Pérsia = A antiga Pérsia é a atual Ira. O novo nome foi adotado em 1935. (Ez
38:5,6).
-Etiópia = A Etiópia é a antiga Abissínia. Identifica-se com “Cuxe” ou “Cush”(forma
hebraica). Apesar de sua pobreza e fome, tem o maior exército da África. (Ez 38:5).
-Pute = É a atual Líbia de Muamar Khaddafi. (Ez 38:5).
-Gomer = Veio a ser a Germânia, e modernamente a Alemanha (agora
reunificada). (Ez 38:6)
-Togarma = Turquia e Armênia. (Ez 38:6)
-Japão, China e Coréia = Os reis do Oriente (Ap 16:12,16)
Portanto serão: Rússia, Iran, Etiópia, Líbia, Alemanha, Turquia, Armênia, Japão, China,
e Coréia.

224. Os católicos professam servir á Deus enquanto, na realidade, adoram e servem a


outros deuses. A grande prostituta (Ap17:1), trata-se da Babilônia religiosa, e abrange
todas as religiões falsas, inclusive o cristianismo apóstata. Esta grande prostituta será
destruída pelo anticristo (Ap17:16).

225. QUEM = Na Nova Terra os únicos habitantes serão os redimidos do Senhor. Coisa
nenhuma interromperá o gozo do povo de Deus e a comunhão que experimentarão
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

com seu Senhor. Não haverá mais nada das cenas terrestres serão novas todas as
coisas.
COMO = Os habitantes da Nova Terra terão novos corpos serão imortais e
incorruptíveis, não mais sujeitos ao pecado, à morte ou à degeneração de qualquer
espécie. (I Co. 15:52-54) Serão novas todas as coisas.

226. (Salmos 53:1-4)


53:1 DISSE o néscio no seu coração: Não há Deus. Têm-se corrompido, e cometido
abominável iniquidade; não há ninguém que faça o bem.
53:2 Deus olhou desde os céus para os filhos dos homens, para ver se havia algum que
tivesse entendimento e buscasse a Deus.
53:3 Desviaram-se todos, e juntamente se fizeram imundos; não há quem faça o bem,
não, nem sequer um.
53:4 Acasos não têm conhecimento os que praticam a iniqüidade, os quais comem o
meu povo como se comessem pão? Eles não invocaram a Deus.
(Salmos 14:1-4)
14:1 DISSE o néscio no seu coração: Não há Deus. Têm-se corrompido, fazem-se
abomináveis em suas obras, não há ninguém que faça o bem.
14:2 O SENHOR olhou desde os céus para os filhos dos homens, para ver se havia
algum que tivesse entendimento e buscasse a Deus.
14:3 Desviaram-se todos e juntamente se fizeram imundos: não há quem faça o bem,
não há sequer um.
14:4 Não terão conhecimento os que praticam a iniquidade, os quais comem o meu
povo, como se comessem pão, e não invocam ao SENHOR?

227. 300 kgs.

228. 22 autores conhecidos e alguns desconhecidos como: Juízes, Rute, 1 e 2 Samuel, 1


e 2 Reis, o livro de Ester, Jó, alguns Salmos, alguns Provérbios. Uns são autores
anônimos outros incertos.

229. Após sua saída de Ur, na Mesopotâmia, em direção à Palestina, os hebreus


dividiram-se em tribos formadas por clãs patriarcais que cultuavam a um único Deus,
acreditando ser seu povo eleito, onde Deus escolheria determinados membros do
grupo para que estes fizessem com que os planos divinos fossem cumpridos. Os
hebreus permaneceram por três séculos na Palestina, até a ocorrência de uma violenta
seca que abalou a região. Algumas tribos, sob a liderança de Jacó, migraram para o
Egito e lá ficou por quatrocentos anos, período que coincidiu com a dominação dos
hicsos, que cooperaram com os hebreus. Quando os hicsos foram expulsos os hebreus
passaram a sofrer perseguições e foram condenados a pagar altos impostos e até
mesmo foram transformados em escravos. Essa opressão só terminou com o
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

aparecimento de Moisés que liderou o povo hebreu na marcha em direção a Canaã (a


Terra Prometida). Esse episódio ficou conhecido como Êxodo. Moisés, de acordo com a
bíblia, recebeu de Jeovà, no Monte Sinai, os Dez Mandamentos que continha
princípios éticos morais e religiosos que deveriam orientar a conduta do povo hebreu
e, principalmente, reforçar a crença em um só Deus. Moisés e o povo hebreu
permaneceram por quarenta anos no deserto do Sinai. As dificuldades encontradas na
caminhada do retorno a Terra Prometida foram acompanhadas, em vários momentos,
do retorno a idolatria e ao politeísmo, obrigando Moisés a reforçar cada vez mais sua
autoridade. Entretanto, Moisés morreu antes da chegada à Palestina. O sucessor de
Moisés fora Josué, que acabou por concluir a longa jornada a Palestina. Porém a terra
já estava ocupada por outros povos como cananeus e filisteus. Seria necessário, então,
lutar para reconquistar Canaã. Como os patriarcas eram líderes religiosos e não
guerreiros, eles deram lugar aos juízes, chefes militares que passariam a comandar os
hebreus na luta pela terra. Mais tarde, para unir mais o povo e centralizar os poderes
religiosos, políticos e militares, foi fundada a monarquia. Saul, o primeiro rei hebreu,
suicidou-se após uma humilhante derrota, sucedeu-lhe então Davi, que havia matado
o gigante Golias com uma pedrada. Em 966 a.C., Davi morreu e em seu lugar foi
coroado Salomão. Nesse momento os hebreus já possuíam um exército uma
administração e um governo centralizado. Tudo isso favoreceu Salomão, mas o alto
custo do padrão de vida da corte real obrigava o povo a pagar altos impostos, isso
gerava descontentamento. Com a morte de Salomão ocorreu a Cisma – divisão da
monarquia em dois reinos: o de Israel, ao norte formado por dez tribos e cuja capital
era Samaria e o de Judá, ao sul constituído por duas tribos e com Jerusalém como
capital. Em 722 a.C. o reino de Israel foi conquistado pelos assírios e aproximadamente
duzentos anos depois o reino de Judá foi conquistado pelos babilônios, com isso os
hebreus viraram escravos – esse evento ficou conhecido como Cativeiro da Babilônia.
O Cativeiro da Babilônia acabou em 539 a.C. quando Ciro, imperador persa conquistou
a Babilônia e libertou os judeus. Após a contenção da revolta judaica iniciada em
meados da década de 60 d.C. e a destruição de Jerusalém em 70 d.C., os judeus se
dispersaram pelo mundo - foi a Diáspora.
No século XIX, o movimento sionista, organizado por Theodor Herzl, passou a ocupar
terras na Palestina e com o apoio da Inglaterra, interessada em pender o equilíbrio
político e econômico para seus interesses. Dessa forma, a presença judaica passou, aos
poucos, a superar a de palestinos, descendentes dos antigos filisteus. Em 1948, a
Assembleia Geral da ONU, sob impacto do holocausto criou o Estado de Israel, assim, o
povo hebreu, agora conhecido como judeu, está de volta à Terra Prometida, enquanto
os palestinos perderam sua pátria. O Retorno.

230. Pai matando filho; Filho matando pai; Fome; Guerras; Falsos profetas.

231. As Escrituras indicam que há três lugares chamados céus.


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

O primeiro céu é a atmosfera que circunda a Terra (Os 2:18; Dn7:13).


O segundo céu é o das estrelas (Gn 1:14-18)
O Terceiro céu, também chamado Paraíso (2Co 12:3,4; Lc 23:43; Ap 2:7), é a habitação
de Deus e o lar de todos os salvos que já daqui partiram. (2Co 5:8) Sua localização
exata não está revelada.

232. Paraíso Terrestre - é na tradição das religiões abraâmicas o local da primitiva


habitação do homem.
Paraíso Celeste – Em 2Co 1:2-4, Paulo escreve na terceira pessoa do singular acerca de
sua experiência ao ser arrebatado até o paraíso, onde ouviu palavras que não é lícito
repetir. Nesse caso o paraíso celeste é o céu com sua glória, o mesmo que em Lucas
23.

233. - Tobias
- Judite
- 1 e 2 Macabeus
- Sabedoria de Salomão
- Oração de Manasses.

234. Daniel 9:24 = “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a
tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e expiar a
iniquidade, e trazer justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e ungir o Santo dos
santos.”
As setenta semanas de Daniel é uma profecia indispensável á Escatologia. Este período
de tempo irá se cumprir sobre o povo judeu (“o teu povo” – 9:24) e sobre a cidade de
Jerusalém (“a tua santa cidade”). Portanto esta profecia é destinada toda ela para
Israel, sendo assim, não devemos confundir Israel com Igreja.
Como uma semana é constituída de sete dias, mas estas semanas que a profecia de
Daniel se refere ao invés de dias, são anos, para cada dia da semana conta-se um ano,
formando assim uma semana de ano.
De acordo com Daniel capítulo 9:24-27, as setenta semanas se dividem em três partes:
• 07 semanas = Dn 9:25 – 49 anos.
• 62 semanas = Dn 9:25 - 434 anos.
• 01 semana = Dn 9:27 - 7anos.
- A primeira divisão - sete semanas = 49 anos - Na data de 445 a.C., iniciou-se a
contagem da primeira divisão, e terminou aproximadamente no ano 397 a.C., o que é
relativo á 49 anos (7 semanas de ano).
O rei Artaxerxes ordenou que Neemias restaurasse e edificasse Jerusalém (Ne 2), onde
no final deste período a cidade estava totalmente reconstruída.
- A segunda divisão - sessenta e duas semanas 434 anos.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

A segunda divisão tem início aproximadamente no ano 397 a.C. e vai até os dias da
pregação dos Apóstolos de Cristo. Neste período o Cristo iria nascer, morrer e logo
após Jerusalém seria invadida e destruída pelo império Romano, o que de fato ocorreu
de forma literal em todos os sentidos. (Dn 9:25-26).
- A terceira divisão - uma semana = 7 anos
A última divisão das setenta semanas é ainda futura, ainda não se cumpriu, devido o
povo judeu não estar na cidade santa (Dn 9:24), os Romanos invadiram
aproximadamente no ano 70 d.C. e expulsaram os judeus da santa cidade e os mesmos
foram dispersos para muitas nações (Ez 36:19,20; Lc 21:24).
Para esta última divisão se cumprir o povo judeu deve estar em Jerusalém. Para que
esta profecia seja totalmente cumprida terá que acabar O Tempo dos Gentios, tempo
que Deus separou para salvar os gentios, e converte-los á Cristo sem pecado algum, é
o período em que a graça de Deus é oferecida aos pecadores. Se esta última semana
não fosse interrompida, com certeza as setenta semanas de Daniel já estariam
totalmente cumprida e desta forma não haveria salvação para ninguém. O Tempo dos
Gentios terminará com o arrebatamento da Igreja, com a salvação daqueles que
aceitaram Jesus Cristo, com um dos maiores propósitos de Deus sendo alcançado.
No dia 14 de maio de 1948, os judeus começaram a voltar para a santa cidade onde se
cumpriu a profecia de Isaías 66:8. Á partir desta data muitos judeus retornaram á sua
pátria, mês a mês. Na verdade os judeus já residem na cidade santa, porém não tem o
domínio de Jerusalém.
A última semana de Daniel terá a duração de 7 anos, que será dividida em duas partes
de três anos e meio, (Dn 9:27; Ap 11: 1-3; Ap 13:15), onde: quarenta e dois meses é
igual a três anos e meio.
- Mil duzentos e sessenta e dois dias é igual á três anos e meio.
- Tempos e tempos e metade de um tempo é igual á três anos e meio.
O assolador de Dn 9:27 é o anticristo, que fará um concerto com Israel por sete anos
(uma semana) e na metade da semana (três anos e meio) irá quebrar o concerto com
os judeus. A 70ª semana de Daniel também é chamada de Grande Tribulação (Mt
24:21). A Igreja de Cristo não passará por esta última semana (Dn 9:24).

235. Profecia da carne são as profecias falsas que tem como objetivo simular a
manifestação da Glória de Deus através de uma suposta mensagem aos Seus servos.
Os mensageiros que profetizam por si (profecia da carne como é chamada) podem ser
os mesmos que já receberam o dom, mas não conseguem compreender que a
revelação só é dada sob o princípio da soberania divina. Ele usa a quem, como e
quando quer.
Profecia de Deus são aquelas expiradas por DEUS para exortar, consolar, ensinar a
igreja ou uma pessoa específica. Esse tipo de profecia se cumpre na vida da igreja e é
até necessário, pois a Palavra afirma que a igreja sem profecia é morta.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

236. O livro de Mórmon, a bíblia dos mórmons, que ainda não completou cento e
oitenta anos, já passou por 3913mudancas. A primeira edição foi publicada em 1830, a
edição atual tem um texto completamente diferente da primeira edição. Não é uma
escritura de confiança. Seguir o que está neste livro e não acreditar na Bíblia é uma
grande heresia. A Bíblia Sagrada, desde que foi escrita, nunca precisou de nenhuma
alteração em seu texto. O mormonismo prega um Jesus polígamo, cuja única diferença
entre ele e nós é que ele é primogênito. O ensino deles sobre Cristo é uma blasfêmia;
inclusive negam a sua concepção virginal. Usam muitas palavras da fé cristã, mas com
sentido completamente diferente. Segundo os mórmons, os fiéis chegarão serem
deuses, como Deus-Adão, ainda, se os esposos são “selados”, no templo, o matrimonio
é eterno. O homem com sua esposa ou esposas rainhas, reinará sobre o planeta de sua
responsabilidade. Continuarão procriando filhos espirituais eternamente. Entretanto o
Senhor Jesus ensinou que a vida matrimonial não existe no céu (Mt 22:29,30; Lc 20:34-
36).

TEMPO DOS GENTIOS

237. Começou quando uma parte de Israel foi levada em cativeiro para Babilônia em
586 a.C. (2Cr 36:1-21; Dn 1:1,2). Terminará, provavelmente, quando Cristo começar
seu governo terreno sobre todas as nações (Ap 20:4; Jr 23:5,6; Zc13:9; Rm11:25,26).

238. Havia também pequenos grupos de vida mística, reunidos em comunidades de fé


e trabalho, de uma das quais provavelmente se originou João Batista. Um dos mais
importantes desses grupos era a comunidade de Qumran, radicada à margem do mar
Morto, sem dúvida vinculada aos essênios. Sua existência só veio a ser revelada pelos
manuscritos do mar Morto, descobertos em 1948. Tais comunidades consideravam a si
mesmas como o remanescente fiel da história judaica. Guardavam a lei, mantinham
rituais de purificação periódica, renovavam constantemente sua adesão à aliança com
Deus e participavam de uma refeição sagrada de pão e vinho. Acreditavam no
estabelecimento próximo de um reino trazido por um novo profeta.
Os essênios, outro grupo de tipo monástico, existiram, segundo o historiador Flávio
Josefo, desde o ano 150 a.C. Suas comunidades se distribuíam por várias vilas da
Palestina e exerciam grande influência na vida judaica. Apoiavam os fariseus, contra os
saduceus, embora diferisse dos primeiros por praticarem o celibato, rejeitarem o
sacrifício de animais e negarem a ressurreição do corpo. Aceitavam a imortalidade da
alma e o castigo ou recompensa após a morte. Alguns estudiosos afirmam que tanto
João Batista como Jesus pertenceram à comunidade dos essênios.

239. Por não existir a possibilidade de cópias dessas cartas naquela época, era
necessário que as mesmas passassem de mãos em mãos, de vila em vila, afim de que
os ensinamentos de Paulo fossem fixados nas determinadas regiões.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

240. Papa leão.

241. Sérgio III, (904-911 d.C.), tinha uma amante por nome Marózia. Ela, sua mãe
Teodora (esposa ou viúva de um senador romano) e sua Irmã, puseram na cadeira
papal seus amantes e filhos bastardos, transformando o palácio pontifício numa cova
de salteadores. Isto é conhecido na História como pornocracia, ou domínio das
meretrizes. (904-963). “João X (914-928), foi trazido de Ravena para Roma e feito papa
por Teodora (ainda tinha outros amantes), para mais convincentemente satisfazer as
suas paixões.” Foi morto asfixiado, por Marózia, para sucedê-lo ao pontificado, pessoal
seu.

242. O papado fora vitorioso em sua luta de 200 anos contra o Império Germânico.
Mas, agora, o rei da Franca se tornara o monarca-líder da Europa. Filipe, o belo, com
quem a história da Franca começa, assumiu luta contra o papado. A sede pontifícia foi
removida para Avinhão, no limite sul da Franca e, durante 70 anos, o papado foi mero
instrumento, da corte francesa. (1305-1377).

243. Vários cristãos e líderes nacionalistas na Inglaterra, Franca, Alemanha,


começaram a lutar contra a corrupção, isto no ano um mil, e foram queimados de
imediato.
Aqueles que os padres e papa considerava herege, que não pensavam o mesmo que o
papa pensava, eram queimados também.

244. Porque a crença e a busca dos fiéis pelos dons do Espírito Santo, levariam a um
conhecimento maior das Escrituras. O que por certo se chocaria com os dogmas da
Igreja Católica.

245. Por solicitação do Papa Estevão II, Pepino, rei dos francos (povo germânico que
ocupava o oeste da Alemanha e o norte da Franca) e pai de Carlos Magno, conduziu
seu exército á Itália, venceu os lombardos, cujas terras (grande parte da Itália) deram
ao Papa. Foi esta a origem dos “Estados Pontifícios” ou “Domínio Temporal” dos
Papas.
Mais tarde, Gregório VII – 1073-1085 – Com seu grande objetivo de reformar o clero,
devida sua grande depravação, os dois pecados predominantes nos padres eram a
imoralidade e simonia, (compra de cargo eclesiástico por dinheiro) ele insistiu, no
celibato para curá-los da imoralidade, e para afastá-los da simonia, insurgiu-se contra
o direito de o Imperador nomear dignatários para a Igreja. Todos os bispos e padres
compravam os seus cargos, visto que a Igreja pertencia a metade de todas as
propriedades e tinha grande rendimento, levando-os ao luxo.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

246. 1- Arnaldo de Bréscia- Foi enforcado, a pedido do Papa Adriano IV. Pregava que a
Igreja não devia ter propriedades e que Roma devia ser liberta do domínio do papa.
2- João Huss – Foi um grande reformador que ajudou a Igreja a retornar para as
verdades fundamentais da Bíblia. Reitor da Universidade de Praga, Boemia. Foi
martirizado por sua fé em Cristo, em 1414, quando foi queimado vivo pela Inquisição.
3- Jerônimo de Praga – Um grande reformador na Europa durante o mesmo
período do seu amigo João Huss. Após uma carreira de fé, como pastor e testemunha
de Jesus Cristo, encontrou o martírio na fogueira por afirmar que a Bíblia era a fonte
de doutrina e não os concílios e tradições a Igreja.
4- Bispo Latimer – Foi um grande reformador na Inglaterra, que restaurou a Bíblia
ao seu lugar de honra nas Igrejas em toda a nação. Pela Inquisição.
5- João Wyclif – Professor em Oxford, Inglaterra. Pregava contra a dominação
espiritual do clero e a autoridade do papa. Defendeu o direito, que o povo tinha, de ler
a Bíblia. Morreu em 1384.
6- Savonarola – Foi enforcado e queimado na grande praça de Florença, em 1498.
Pregava contra a sensualidade e o pecado da cidade e contra os vícios do papa.
7- Martinho Lutero – Mesmo tendo sido um sacerdote e teólogo católico,
Martinho Lutero não encontrou certeza da salvação pessoal nas obrigações religiosas e
obras exigidas pela Igreja Medieval. Finalmente, após anos de obras agonizantes,
dúvidas e sofrimentos, Martinho Lutero encontrou a verdade da salvação nas palavras
das santas Escrituras: “O justo viverá pela fé”, era o ensino fundamental da Palavra de
Deus. Esta doutrina bíblia da justificação pela fé na obra redentora de Jesus Cristo na
cruz tornou-se a palavra de ordem da Reforma que libertou milhões de prisioneiros de
uma religião morta. Martinho Lutero morreu em 1546. Quando se aproximava de sua
morte, ele disse:” Tu me redimiste, ó Senhor Deus da verdade. Morrerei confiado em
Cristo e na doutrina que preguei.”

247. 1- Venda de indulgências


2- Luxo e ostentação dos papas e bispos em contraste com a população, que vivia
na pobreza.
3- Adoração de santos como se fossem deuses, incluindo a Virgem Maria.
4- Exemplos de desonestidade, hipocrisia e depravação no Vaticano. Havia papas
que viviam praticando orgias sexuais e tinham muitas amantes, enquanto fingiam ser
celibatários.
5- A Igreja desencorajava a leitura da bíblia, que para ele deveria ser estimulada.
6- Celibato dos padres e freiras.
7- O uso da cruz, um antigo instrumento de tortura, como objeto de culto além de
adoração de imagens.
8- Igrejas com ornamentação luxuosa, contrastando com a vida simples que Jesus
levava e estimulava.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

9- A excessiva autoridade, arrogância e empáfia das autoridades eclesiásticas,


quando deveriam ser vistos como simples e humildes servos de Deus.
10- O ato da confissão feita a um padre. Para Lutero as pessoas deveriam se
confessar a Deus, e não a um ser humano.

248. Presbiteriana, Batista, Luterana, Congregacional e Metodista.

ARREBATAMENTO

249. O arrebatamento da Igreja não será um acontecimento visto por todos. Será
muito rápido num abrir e fechar de olhos (1Co 15:22), não se sabe nem o dia e nem a
hora, não haverá tempo para despedidas, será muito rápido como um piscar de olhos.
Ninguém sabe, só é possível saber que o evento é iminente, pois os sinais se
identificam no decorrer da História. Agora se deve evitar ao máximo especulações, que
sempre caem no terreno arenoso de heresias, fantasias e fanatismos. Quando Cristo
adverte que o dia e hora não podem ser previstos, isso não significa que o ano ou
século ou o milênio poderão! Ora, muitos empolgados com a escatologia falam
besteiras como: “estamos na última geração”, “somos o último avivamento antes da
vinda de Cristo”, “Cristo voltará logo, pois sempre algo acontece num período de dois
mil anos” etc. Lembremos sempre das palavras de Jesus: “Não vos pertence saber os
tempos ou épocas que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder” (Atos 1.7).
Os cristãos devem vigiar e orar, sempre preparados para a vinda de Cristo, mas nunca
obcecados em querer especular sobre a proximidade do fim do mundo. Você então
pergunta: Então porque os sinais? Ora, sinais não devem ser objetos de especulação,
mas simplesmente advertências sobre a malignidade que o cristão enfrentará no
decorrer da história eclesiástica antes da vinda de Cristo. Como esperar o
arrebatamento? Nunca pegar calculadoras ou “mapas escatológicos” para dizer que
essa é a última geração, mas sim esperar a vinda de Cristo recebendo o poder do
Espírito Santo e testemunhando até que Cristo volte (At 1.7-8).
A vinda de Jesus não pode ser marcada!

250. Os mortos em Cristo de todas as épocas ressuscitarão em corpos gloriosos,


semelhantes ao de Cristo quando ressuscitou. Na glorificação dos santos os frágeis
corpos mortais serão revestidos de imortalidade. Serão os primeiros a ressuscitarem,
como Paulo lembra em I Ts 4.16. Os santos que hoje morrem mais cedo encontrarão
com o Noivo. “Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados.“ (I Ts 4.17).
“Nem todos dormiremos (ou seja, morreremos), mas todos serão transformados” (I Co
15.51).
251. Quem salva é Jesus. Para ser salvo precisamos aceitar Jesus como Senhor e
Salvador de nossa alma, e isso, só acontecem se tivermos fé e não obras. Somente
aqueles que creem podem de fato obedecer ao Senhor.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

As obras sem a fé são obras mortas. A fé sem obras é fé morta. A fé e as obras nunca
poderão estar separadas uma vez que as obras procedem naturalmente da fé.

252. Uma profissão de fé, completamente por obras de justiça comprova aquela “fé
viva”, que realmente salva. Tanto o Apóstolo Paulo quanto o Apóstolo Tiago, declaram
enfaticamente que a verdadeira fé salvífica produzirá infalivelmente obras de amor.
(Tg 1:27; 2:8; Gl 5:6)

253. Lc. 6:35.

254. Os salvos estão no céu, até o dia da ressurreição do corpo. Não são espíritos
incorpóreos e invisíveis, mas seres dotados de uma forma corpórea celestial
temporária (Lc 9:30-32; 2Co 5:1-4). O céu é como um lar, um lugar de repouso e
segurança ( Ap 6:1). No momento da morte, o crente é conduzido á presença de Cristo.
(2Co 5:8; Fl 1:23). Permanecem em plena consciência. (Lc 16:19-31)

255. Estão no inferno. (Ap 20:13), um lugar de tormento.

256. Como sabemos estes servos do Senhor tiveram experiências especiais em suas
vidas. Elias e Enoque foram elevados ao céu. (2Rs 2:11;Gn 5:24). Enoque foi arrebatado
antes do dilúvio, assim como Elias foi arrebatado antes do cativeiro babilônico. Como
foram homens de Deus e há um só lugar para aqueles que partiram deste mundo com
Cristo, eles estão no céu aguardando o arrebatamento da Igreja.

257. Os sinais proféticos que mais indica a proximidade do arrebatamento são:


a) Falsos Profetas – (Mt 24:5,11). São cegos guiando a outros cegos ao abismo
eterno. São lobos, camuflados no sincretismo religioso reinante no mundo.
b) Guerras – (Mt 24:6). Em 5.560 anos de história, o homem fez, oficialmente,
14.531 guerras (dados da ONU até a década de 80).
c) Fome – (Mt 24:7). Cientistas afirmam que a idade da fome iniciou-se em 1974,
quando muitas nações africanas e asiáticas foram surradas por este terrível pesadelo.
A fome aumentará no planeta por quatro razões: Aumento do preço do petróleo.
Poluição em todos os níveis. Chuva ácida – 38.000Km2, Buraco da Camada de Ozônio e
Explosão População Nacional.
d) Pestes e terremotos em vários lugares. (Mt.24.7) É que já estamos
contemplando neste século, temos muitas pestes ou doenças que nossos cientistas
não consegue descobrir nenhuma vacinas e vários terremotos em vários lugares
causando grandes destruições.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

258. Porque não creem que Jesus Cristo é o único que salva, liberta e leva para o céu.
Não creem unicamente em Deus, e acima de tudo não aceitaram a Cristo como Senhor
e Salvador de suas almas, a crer em Deus.

259. “Aprendei, pois, esta parábola da figueira: quando já os seus ramos se tornam
tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.”
A alguns intérpretes creem que a figueira representa a restauração de Israel como um
Estado Político (Lc 13:6-9). A figueira se destaca das demais árvores, assim como Israel
foi chamado para ser um povo separado. Israel foi expulso de suas terras pelo
imperador Tito no ano 70 d.C. O verão aqui mostrado é a própria pessoa do Senhor
Jesus Cristo.

260. A nação de Israel foi altamente privilegiada por Deus, como nenhuma outra nação
o foi. Deus escolheu a nação de Israel para o estabelecimento de seu plano salvífico,
beneficiando toda a raça humana. O maior privilégio que a nação de Israel recebeu da
parte de Deus foi Cristo. Como Deus começou tudo com a nação de Israel, esta nação
passou a ser a chave da profecia da salvação da humanidade através da morte de
Cristo.

261. Afirmam que “um mil passará e dois não inteirará”, a vinda de Jesus Cristo. Não
está na Bíblia inspirada, consta apenas na epístola apócrifa de Barnabé e no evangelho
Espírita de Alan Kardec, Já passaram os anos previstos e até agora o Senhor Jesus não
voltou, portanto não merecem credibilidade e agora, que já entramos no terceiro
milênio, Roma e os seguidores de Alan deveriam ficar mais envergonhados e deveriam
expurgar esse livro de suas bíblias e desmerecer os demais apócrifos e os espíritas
desprezar o seu “best-seller”. Não adianta ninguém querer adivinhar o dia da volta de
Jesus, na hora de Deus isto vai acontecer.

262. Os que ouviram a palavra de Deus e creram; Os que creem em Jesus Cristo e o
seguem; os que confessam a fé em Cristo e os que amam a sua vinda. Além de
guardarem seus estatutos e zelarem pela sua Obra aqui na terra e ter AMOR pelas
almas.

263. Porque Deus prometeu em tirar sua Igreja do mundo antes de derramar sua ira
(1Ts 1:10). Deus preservará da grande tribulação sua Igreja, através do arrebatamento,
quando os fiéis encontrarão o Senhor nos ares; esse livramento é uma recompensa
para aqueles que perseverarem em guardar a palavra de Deus, mantendo a fé
verdadeira. O Arrebatamento ocorre antes da Tribulação porque o Senhor prometeu
nos livrar deste período horrível, conforme diz as Escrituras:
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

a) Apocalipse (3:10)"Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te


guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que
habitam na terra."
b) I Tessalonicenses (1:10)"E [de maneira que temos que] esperar dos céus a seu
Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura
[que trará punição aos impenitentes]."
c) I Tessalonicenses (5:9) “Deus também diz nas Escrituras que os cristãos não
estão destinados à ira do Senhor.” Outro detalhe importante é que a igreja está
ausente entre os capítulos 4 e 18 do livro de Apocalipse, mostrando que a igreja não
passará por este período.

264. No céu, lá em cima (Gl 4:26), onde Deus habita e Cristo reina á sua destra. Deus e
o cordeiro reinarão para sempre no seu trono, na Cidade Santa.

265. Todos os salvos terão corpos semelhantes ao corpo ressurreto de Cristo, corpo
real, visível, porém incorruptível, poderoso e imortal (Rm 8:32; 1Co 15:51-56). Os
salvos se lembrarão de somente das coisas santas que valem a pena ter em memória;
não se lembrarão do que lhes causaria tristeza (Is 65:17). Creio que teremos relações
de intensa alegria e eterno amor.

266. “Porque todos deveram comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um
receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal.” ( 2Co 5:10).
I- Quem = Todos os salvos serão julgados; não haverá exceção (Rm 14:10,12). Será
um julgamento somente para os remidos por Cristo, não haverá discriminação nesse
lugar. Os salvos e remidos irão prestar contas diante do Senhor.
II- Como = Deus examinará e revelará abertamente ma sua exata realidade. O
crente terá que prestar contas da sua fidelidade ou infidelidade a Deus (Mt 25:21,23) e
das suas práticas e ações, tendo em vista a graça, a oportunidade e o conhecimento
que recebeu (Lc 12:48) “cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer.”( Ef 6:8),
será julgado um por um, não em massa (1Co 3:13).

267. - As obras praticadas pelo crente serão submetidas ao julgamento naquele dia
para determinar se são boas ou más.
Todas as obras feitas por impulso carnal para a ostentação da carne não suportarão o
calor do fogo de Deus, por mais bonitas que sejam, serão desaprovadas. Obras
praticadas sem utilidade. Palha, materiais frágeis e não resistem ao juízo de fogo.
- As obras praticadas com materiais resistentes como o ouro, prata, e pedras
preciosas serão aprovadas, pois, são resistentes ao fogo, feitas com muitas
dificuldades, mas com amor e carinho. Se praticadas com responsabilidades passarão
pelo fogo do julgamento de Cristo. Serão aprovados ou purificados os salvos que
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

conseguiram dominar o velho homem, resistindo às ofertas do adversário,


conservando-se santo, e limpo. O crente fiel terá lugar superior no céu.

268. São Cinco coroas:


1. Coroa incorruptível, para aqueles que venceram a carne, o mundo e o diabo.
2. Coroa de gozo, para aqueles que ganharam almas para o reino de Deus.
3. Coroa de justiça, para os que esperam a vinda de Cristo.
4. Coroa da vida, para aqueles que forem fiéis até a morte.
5. Coroa de glória, para os ministros fiéis que promoveram o reino de Deus na
terra, sem esperar recompensa material.

269. Quanto ao tamanho da Cidade Celeste, é impossível descrever com algarismo de


matemática. A cidade será imensurável! Vejamos (Apocalipse 21:16), diz que a cidade
é descrita como um cubo: 12 mil estádios multiplicados por 185, e o resultado elevado
á terceira potência, dará a medida cúbica da cidade: dez bilhões , novecentos e
quarenta e um milhões e quarenta e oito mil quilômetros. Mas esse número é ainda
pequeno para calcular o que em realidade, são as grandezas do altíssimo, e a
maravilhosa cidade Celestial! (Jo 14:2).

270. Um grande alto muro com doze portas e nas portas doze anjos. Da banda do
Nascente, tinha três portas; Da banda do Norte, três portas; Da banda do Sul, três
portas; Da banda do Poente, três portas; As doze portas são doze pérolas. O muro da
cidade tem doze fundamentos com os nomes dos doze apóstolos. O seu cumprimento
é tanto como a sua largura e a altura também. Sua praça é de ouro puro, como vidro
transparente. Seu muro é de jaspe, adornado de toda pedra preciosa. A cidade de ouro
puro, semelhante a vidra puro. Não tem templo, porque o Senhor é o seu templo, não
tem sol, nem lua, porque quem a alumia é a glória de Deus e o cordeiro é a sua
lâmpada. (Ap 21:12,13,14,16,18,19,21,22 e 23).

GRANDE TRIBULAÇÃO

271. Durará uma semana de anos, sete anos, (Dn 9:27), a semana será dividida em
duas etapas de três anos e meio. A Grande Tribulação propriamente dita será á
segunda parte da semana, (Ap 11:2). Durará quarenta e dois meses, (Ap 13:5) e durará
um mil duzentos e sessenta dias ( Ap 11:3; 12:6). Durará tempos, tempo e metade de
um tempo, ( Ap 12:14).
Ocorrerá logo após o arrebatamento (2Ts 2:1-3,7,8; Ap 3:10). Será um período de
grande aflição, um período do derramamento da ira divina, de angústia para Israel e
será marcado pelo surgimento do anticristo. (Mt 24:21; Is 26:20; Dn 12:1; 2Ts 2:3; 1Jo
2:18)
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

· Primeira fase = Por algum tempo a morte ausentar-se-á da terra, (Ap 9:6), o
anticristo fará uma hipócrita aliança com Israel, (Jr 30:7; Dn 12:7), haverá a operação
plena da iniquidade no mundo, (2Ts 2:10). Na metade da semana de sete anos o pacto
será rompido, ( Dn 9:27; Zc12:9; Is 25:9).
· Segunda fase = Manifestar-se-ão as pragas, as taças e os ais da ira do Todo-
poderoso, ( Ap 9), morrerá um terço da população mundial, (Ap 9:18) e por fim o
toque das sete trombetas, que demonstram o supremo poder julgador de Deus, ( Ap
8;9;11).

272. Um governante mundial. Conhecido na Bíblia como: o homem do pecado, filho da


perdição, a besta que sobe do mar, a besta da cor escarlate e a besta. (2Ts 2:3; Ap
13:1-18). O maior líder de toda a história. Personificando o diabo, será portador de
faculdades sobrenaturais: oratória, sabedoria, intelectualidade, estratégia, liderança,
carisma, popularidade, e uma personalidade irresistível.
Na primeira metade da Grande Tribulação fará uma falsa aliança com Israel, tentará
estabelecer a paz sobre a terra, sobretudo no Oriente Médio oferecendo um tratado.
Se levantará de uma forca política mundial. Fará grandes sinais, maravilhas e milagres
a fim de propagar o engano ( 2Ts 2:9) “prodígios de mentira”, pois fará tudo isto e
muito mais de poder satânico, tais demonstrações possivelmente serão vistas no
mundo inteiro, pela televisão e com o avanço da mídia, internet e todos os meios de
comunicação da época, milhões de pessoas ficarão impressionadas, devido a falta de
importância a palavra de Deus e amor suas verdades, serão enganados por esse líder
altamente convincente. O mundo todo o honrará e o admirará naqueles dias.
Na segunda metade, romperá com a aliança, declarará ser Deus, perseguirá
severamente quem permanecer leal á Cristo (Ap 11:6,7; 13:7,15-18). Exigirá adoração,
certamente sediada num grande templo que será usado como centro de seus
pronunciamentos. Cristo o destruirá com todos os seus exércitos e aqueles que não
obedecerem ao Evangelho (Ap 19:15-21), no final da Grande Tribulação, na guerra do
Armagedom.

273. Durante o período da Grande Tribulação muitas pessoas serão salvas, pois, o
Evangelho será pregado por anjos e pelas duas Testemunhas e possivelmente por
judeus (Ap 7:1-14). Muitos judeus se voltarão para Cristo nesta época, (Rm 11:25,26;
Ap 7:1-8)

274. A super-igreja mundial, a igreja apóstata, liderada pelo falso profeta. Matará
muitos santos de então (Ap 13:15; 17:6).
O movimento religioso do ecumenismo já está hoje bem figurado por toda parte,
visando unir todas as igrejas, aceitando pessoas de todas as procedências religiosas,
bastando que creiam em Deus, sem temor e reverencia ao Supremo Senhor Jesus. Já
está tudo armado visando o futuro. O enganador religioso será generalizado.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

275. Deus enviará duas testemunhas para pregar o evangelho e profetizar na Grande
Tribulação, apresentar a verdade do evangelho e bradar fielmente contra os pecados
do povo. As duas testemunhas serão grande ameaça ao anticristo e a todo mundo
ímpio durante um período de 1260 dias, isto é, três anos e meio, neutralizarão os
sinais e maravilhas dos profetas e da besta (Ap13:13,14). As duas testemunhas têm
poder como Moisés e Elias (Ml 4:5).
Testemunharão na terra na primeira metade da Grande Tribulação (Ap 11:3), terão
grande poder sobrenatural, terão poder para fechar o céu para que não chova nos dias
da sua profecia, poder sobre as águas, para converte-las em sangue e ferir a terra com
toda sorte de pragas.

276. O anticristo é a besta que sobe do mar (Ap 13:1-10).


Será um grande rival, usurpar o nome e as prerrogativas que pertencem unicamente a
Cristo é o seu objetivo maior. Dirá ser ele mesmo o Deus verdadeiro. Procurará imitar
a Cristo no seu papel de salvador. Estará na terra já durante a primeira metade da 70ª
semana, mas não se revelará como o anticristo até a metade da mesma. Fará aliança
com Israel, colocará sua imagem no templo já construído em Jerusalém e exigirá
adoração dela. Com os modernos meios de comunicação espacial ele alcançara o
mundo todo com sua demagogia saturada de poder maligno, terá inigualável
habilidade de influenciar as massas a ação com seus discursos inflamados, procurará
matar aqueles que não possuírem a sua marca. Será derrotado por Cristo quando Ele
voltar á terra para estabelecer o seu reino.

277. O falso profeta é a besta que sobe da terra (Ap 13:11-18). Procurará imitar o
Espírito Santo. Terá poder político e religioso “... possuía dois chifres...” (Ap 3:11). Ele é
chamado de “falso profeta”. Será sim um super líder religioso. Promoverá uma religião
universal em torno da primeira besta. Terá figura de um cordeiro (Ap 13:11), terá um
aspecto de docilidade e mansidão, todavia, logo revelará a personalidade do dragão, o
diabo. Essa besta não será o diabo, nem um homem ressuscitado, mas um homem
vivendo naqueles dias, personificando o diabo. Exercerá a autoridade da primeira
besta e compele todos a sua adoração, pois, fará uma imagem da primeira besta
(anticristo) para ser adorada.
Essas duas bestas, a 1ª e a 2ª, representam dois grades movimentos mundiais nos
últimos dias dos tempos dos gentios: uma confederação de nações para fins políticos e
uma confederação (também mundial) de igrejas para fins religiosos.

278. O anticristo tem um nome: “a besta”, mas também tem um número: 666.
É número de homem, ou humano (Ap 13:18). O número do homem é seis, o de Deus é
três, sendo assim seis três vezes (6,6,6=666) deve referir-se a um homem que se
apresenta como se fosse Deus. O diabo tenta imitar á Deus mais uma vez.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

279. Estarão preservados na terra durante a Grande Tribulação para testemunharem


de Cristo em lugar da Igreja (Ap 7:3,4).
Trata-se de um grupo de Judeus, salvos servos de Deus provenientes das tribos dos
filhos de Israel. Deus marcará ou assinalará as suas testas para indicar sua consagração
a Deus e que pertencem a Ele. Mais tarde aparecem nos céus triunfantes (Ap 14:1-5).

280. No Arrebatamento, Cristo descerá do céu para buscar sua Igreja. Os crentes
devem estar prontos e esperar constantemente por esse evento iminente. Jesus Cristo
virá de modo inesperado, pois o momento exato não poderá ser calculado. Os crentes
serão livrados da ira vindoura. Os crentes que viverem nessa ocasião receberão corpos
transformados. E os salvos que morrerem antes desse evento ressuscitará e serão
arrebatados com Cristo.
A 2ª Vinda visível de Cristo é quando Cristo voltará com os crentes salvos e os seus
anjos, reunirá os santos da tribulação. As nações ficarão enfurecidas diante desse
evento (Ap 11:18). Os salvos se regozijarão diante deste acontecimento. Cristo julgará
e destruirá os ímpios inclusive o anticristo e satanás. Os santos da tribulação nesta
época receberão galardões e vão compartilhar da glória de Cristo e do seu reino.

281. O fim da Grande Tribulação se dará com a volta triunfante de Cristo com a Igreja
glorificada, (Ap 19:1-13). No fim da Grande Tribulação, será o período mais terrível de
aflição mundial de toda a história universal. Tempo de sofrimento terrível para os
judeus. Deus derramará a sua ira sobre os ímpios e a igreja apóstata será destruída. Os
judeus lutarão desesperadamente, quando não houver mais esperança de salvação
para os judeus, eles clamarão a Deus (Is 64:1-12), nesse momento Jesus descerá
visivelmente com seus santos. o verão isso (Ap 1:7). Terminará na ocasião da Batalha
do Armagedom e da plena ira de Deus contra os ímpios, então Cristo triunfará sobre o
anticristo e os seus exércitos.

282. Deus removerá todos os efeitos do pecado. A terra será destruída totalmente,
aqui, o pecado terminou o seu curso. As estrelas e galáxias também serão destruídas
se derreterão (Is 34:4). O céu e a terra serão abalados e desaparecerão como fumaça
(Is 51:6) e todos os elementos serão dissolvidos (2Pe 3:7,10,12). Então, surgirá uma
Nova Terra e um Novo Céu, tornar-se-ão como eram no princípio sem pecado e mal.
Terra e Céu serão renovados, para sempre continuará o eterno e perfeito estado. A
Nova Terra se tornará o Quartel – Geral de Deus. (Ap 21:1-13)

283. Os perdidos serão “como areia do mar”.


Quanto aos salvos, “muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos”.

MILÊNIO
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

284. A Igreja e todos os santos martirizados na Grande Tribulação. (Ap 2:26,27).


Ingressarão no milênio as nações que forem poupadas no julgamento das nações,
bem, como os judeus que escaparem da batalha do Armagedom. Todos que não
adoraram a besta viverão e reinarão com Cristo durante esse espaço de tempo (Ap
20:4).

285. Os filhos de Deus terão descanso, a natureza será restaurada á sua ordem,
perfeição e beleza original. Haverá paz, segurança, prosperidade e justiça em toda
terra. A fertilidade da terra será extraordinária. Os animais voltarão a ser dócil,
somente a serpente não terá sua natureza removida como os demais animais, ela
comerá o pó da terra. As armas se converterão em objetos de lavoura. Haverá grande
fertilidade. Haverá abundancia de águas. Os desertos desaparecerão. Tudo será como
um jardim bem regado. (Am 9:13,14; Is 35:1,6; Is 30:25; Is 11:6-9; Is 2:4; Mq 4:3).

286. A Igreja terá sido glorificada, estará na Jerusalém Celeste, a Jerusalém Celeste
pairará sobre a terra (Ap 5:9,10; 20:4-6; Rm 8:17,18; Cl 3:4; Is 2:2; Mq 4:1).

287. Satanás estará preso (Ap 20:2,3), para não enganar as nações. Será amarrado e
lançado no abismo. A besta e o falso profeta estarão no lago de fogo, onde serão
lançados vivos por Cristo. (Ap 19:20).

288. Os homens voltarão a antiga longevidade, terão seus dias como as árvores, (Is
65:22). A duração da vida humana será muito mais longa do que agora. Uma pessoa de
cem anos de idade será considerada jovem, e morrer antes dessa idade será
considerado uma maldição. (Is 65:20). No entanto a vida será prolongada os
falecimentos com certeza serão reduzidos. Haverá um grande índice de natalidade (Zc
8:5; 10:8).

289. Acredito que uma grande porcentagem das enfermidades será banida da face da
terra na era milenar, Deus trará recursos da própria natureza para curar as poucas
enfermidades.
Haverá abundancia de saúde (Is 33:24; 35:5,6), as águas que fluirão debaixo do templo,
as folhas e frutos das árvores que brotarem das margens desse rio servirão como
remédio (Ez 47:8-12). Os cegos, os surdos, os mudos e os coxos receberão cura nesta
época (Is 35:5,6). Portanto, haverá morte e enfermidades no milênio, mas em
proporções resumidas. Os que não adorarem ao Senhor no tempo milenar receberão
as devidas pragas. (Zc 14:12,17-19).

290. No milênio as nações perderão a noção bélica, será um povo pacífico.


Transformarão a terra inteira numa imensa cultura de mantimentos, (Is 2:4). Onde
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

viverão com grande fartura sem necessidades de moeda, para comprar e vender,
sendo assim não haverá concorrência e rivalidade. Todos viverão em paz com o que a
terra produzir, que será com abundância.

291. Porque a natureza será restaurada à sua condição original de ordem, perfeição e
beleza, não sendo necessárias indústrias ou tecnologia, pois será um período de paz,
segurança e prosperidade.

292. Os animais terão mudança de instinto: perderão a ferocidade e deixarão de ser


carnívoros, passando a herbívoros (Is 11:6-9; 65:25), pois, segurança e paz
caracterizarão o reino messiânico. Os animais, antes selvagens, se tornarão mansos, e
harmonia perfeita existirá entre eles.

293. A cidade de Jerusalém terrestre será a cabeça, nela estará à sede do governo, e
santos. O domínio de Cristo será no universo (Is 2:2-4; 4:2,3).

4ª GUERRA E JUIZO FINAL

294. Sete anos durará a Grande Tribulação em dois períodos de três anos e meios. A 4ª
Guerra mundial terá a duração dos últimos três anos e meios.

295. Satanás e os seus demônios reunirão muitas nações sob a direção do anticristo a
fim de guerrearem contra Deus, contra seus exércitos, contra seu povo e para destruir
Jerusalém (Ap 16:13,14,16). Israel será quase destruído. Dois terços dos judeus
morrerão na investida destruidora das forças do Anticristo. Os judeus lutarão
desesperadamente. Será grande o morticínio em Israel (Zc 13:8). A capital (Jerusalém)
será tomada, com grande perversidade, vandalismo e abusos contra a população,
especialmente as mulheres (Zc 14:2). Quando não houver mais esperança de salvação
para os judeus, eles clamarão a Deus (Is 64:1-12), e nesse momento Jesus descerá
visivelmente com Seus santos. A presença e a palavra da boca do Senhor eliminarão
num instante os exércitos do Anticristo (Ap 19:11-21). Embora o ponto central esteja
na terra de Israel, a última guerra da terra envolverá a totalidade do mundo. O mundo
inteiro sofrerá com terremotos e destruições de todos os tipos enviados por Deus.

296. O profeta Ezequiel descreve Gogue como: “o príncipe e chefe de Meseque e de


Tubal, da terra de Magogue”. (a palavra “chefe” é o vocábulo hebraico de “ro,s”, que
significa cabeça). Ou seja, Gogue é um líder que arregimentará suas tropas e
promoverá um avanço contra a nação de Israel, no início da Grande Tribulação. Pela
descrição profética, acreditamos que Gogue será um governante russo que tentará
expandir seus domínios em escala mundial. ( Ez 38:2). Gogue e seu exército serão
mortos nos montes de Israel. (Ez 39:4). Magogue, corresponde a moderna Rússia.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

297. Muita expectativa pela aplicabilidade da sentença final. O Senhor em seu trono.
Os livros abertos e os mortos, grandes e pequenos, tentando esconder seus rostos por
causa da vergonha e do desespero que a presença do Senhor e dos livros abertos lhes
causarão. A terra e o céu fugirão da presença da glória do Senhor em seu trono;
imaginamos assim o Lago de Fogo bem presente ao julgamento, ao lado dos ímpios,
tornando mais angustiante o julgamento. Serão julgados um por um, segundo as suas
obras (Ap 20:13) e os condenados serão jogados no Lago de Fogo ... “Ali haverá pranto
e ranger de dentes” (Mt 8:2). Exatamente aqui se conclui o círculo temível desse juízo.
A justiça divina está cumprida. Encerra-se a história da humanidade pecadora, que
desagradou a Deus. É o fim de todo tipo de ilusão, maldade, corrupção, mentira e
pecado.

298. “Tantos como a areia do mar” (Ap 20:8).

299. No fim do reino de Cristo, Satanás será solto, ao sair da prisão ele fará o que mais
lhe agrada, ou seja, enganar. Estando solto ele agirá com muita pressa, arrastará uma
multidão para se opuser a Deus e aos santos. Esta é a última rebelião contra Deus. O
poder de Satanás acabará então, pois Deus o lançara no seu lugar definitivo: o Lago de
Fogo para todo o sempre (Ap 20:10).

300. O juízo final será sem misericórdia (Tg 2:13). Será o dia de acerto de contas entre
Deus e os ímpios de todas as épocas. Os ímpios falecidos haverão de ressuscitar nessa
ocasião para serem julgados, a ressurreição será literal, (Dn 12:2; Mt 10:28; Ap 20:11-
15). Os ímpios não ressuscitarão com um corpo glorioso, como os que os fiéis haverão
de ter, mas sim, com o corpo da vergonha, da ignomínia, do pecado. E como
recompensa da humanidade rebelde, pelo desprezo do plano salvífico de Deus para o
homem e rejeição da salvação em Cristo Jesus e perseguição dos judeus será o lago de
fogo. E então o poder de Satanás acabará para sempre.
O juízo final será diante do Grande Trono Branco. O trono é grande porque representa
o poder infinito de Deus. É branco porque representa sua justiça perfeita e completa.

301. Os ímpios de todos os tempos ressuscitarão: grandes e pequenos vão ressuscitar,


isto é, ricos e pobres, famosos e infames, os analfabetos e intelectuais, os sem-terra e
os latifundiários, ateus e religiosos, os simples e os refinados da alta sociedade, os
feios e os belos. Todos os ímpios que foram engolidos pelos oceanos, mares e rios. Por
exemplo: O exército de Faraó, o Naufrágio do Transatlântico Titanic, que afundou em
1912, morrendo 1.513 pessoas. Os mortos por afogamento (nas praias), os mortos em
combate marítimos. Os mortos do Dilúvio (Gn 7:21-23), enfim todos aqueles que
morreram no mar e seus corpos não foram encontrados.
Serão em grande número, “tantos como a areia do mar” (Ap 20:8).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

302. É possível que 25 milhões de pessoas perecessem no dilúvio. O livro de Genesis


não conta a data da criação.

303. Tanto os salvos como os condenados são contados na Bíblia “tantos como a areia
do mar”. (Ap 20:8) .

304. Apesar de ser imprevisível, alguns estimam que os salvos sejam mais ou menos
1/5 da população e o restante das pessoas serão condenadas. Somente depois do
Julgamento Final é que saberemos esta quantidade.

305. No tempo de Cristo eram cerca de 100 milhões de pessoas.


No tempo do descobrimento eram cerca de 1 bilhão de habitantes.

306. Cerca de 10 bilhões de habitantes.

307. Viverão na Nova Terra, os judeus, os que venceram e viveram fisicamente na


época do Novo Testamento e as nações que ficarem após a Grande Tribulação.
A Jerusalém Celeste é para os salvos arrebatados por Jesus Cristo. A Igreja do Senhor.

308. A nação de Israel foi altamente privilegiada por Deus, como nenhuma outra nação
o foi. Deus escolheu esta nação para o estabelecimento de seu plano salvífico,
beneficiando toda a raça humana. O maior privilégio que a nação de Israel recebeu da
parte de Deus foi Jesus Cristo. Depois da 2ª vinda de Cristo e tudo consumado os
judeus e os salvos reinarão com Ele para sempre na Terra Prometida. É promessa de
DEUS.

309. Cerca de 30 bilhões de anos.

310. O juiz será o Senhor Jesus Cristo (Jo 5:22,27-29). Pessoalmente o Senhor Jesus
julgará os rebeldes que rejeitaram sua obra vicária. O lugar do julgamento será tomado
pela glória do Senhor Jesus Cristo e o céu e a terra fugirão. A glória de Jesus em seu
aspecto mais maravilhoso fará recuar a terra e o céu. (Ap 20:11). Aleluia!

311. Os perdidos de todas as épocas, aqueles que não deram crédito á Palavra de
Deus, rejeitaram seu plano salvífico, disseram não a Jesus Cristo, grandes e pequenos
que serão: os analfabetos e intelectuais, os pobres e milionários, os sem-terra e os
grandes latifundiários, os ateus e os religiosos, os simples e os refinados da alta
sociedade, os feios e os belos, os maus e os chamados bons todos estarão ali diante do
Trono Branco para passarem por este julgamento. O mar, a morte e o inferno darão
conta de todos os mortos que neles há, para ser julgado, cada um segundo as suas
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

obras, todos os ímpios mortos serão ressuscitados para enfrentar o juízo. Muita
expectativa pela aplicabilidade da sentença final. O Senhor em seu trono. Os livros
abertos, e os mortos, grandes e pequenos, tentando esconder seus rostos por causa da
vergonha e do desespero que a presença do Senhor e dos livros lhe causa. A terra e o
céu fugiram da presença da glória do Senhor em seu trono. Aqueles que não foram
encontrados seus nomes escritos no livro da vida, serão lançados no Lago de Fogo.

312. Inferno é lugar de destruição pelo fogo. (Mc.9.43 a 48).


Lago de Fogo é um lugar que arde com fogo e enxofre. Lugar de punição eterna. Lugar
onde a besta, o falso profeta e os perdidos serão aniquilados, isto é, reduzidos a nada.
O diabo será lançado no lago de fogo para todo o sempre. Ali ele não reinará, sendo
sempre atormentado, dia e noite, eternamente. (Ap 19:20; 20:10).
A morte e o inferno serão lançados no lago de fogo. (Ap 20:14).

NOVO CÉU E NOVA TERRA

313. Céu e terra serão renovados. O Novo Céu lar dos salvos e habitação de Deus.
O Novo Céu será o lar dos salvos e habitação de Deus.
A Nova Terra se tornará então o Quartel-Geral de Deus (Ap 21:1-13). Deus removerá
todos os efeitos do Pecado.
Nessa nova terra, todo santo verá ao Senhor Jesus Cristo e habitarão com Ele. Todo o
verão o rosto de Deus e Ele habitarão com seu povo, numa terra purificada de todo o
mal (Ap 22:4).

314. Esta terra manchada de sangue, onde a tristeza, a dor e as lágrimas dominaram,
será transformada num lugar de gozo e paz. O grande conflito acabou e Deus
transformou tudo isso em um lugar de eterna paz. A terra e o céu serão abalados e
desaparecerão como fumaça, (Is 51:6;). O céu se enrolará como um pergaminho, as
estrelas se derreterão (Is 34:4) e todos os elementos serão dissolvidos, (2Pe 3:7,10,12)
e então surgirá um novo céu e uma nova terra, para habitação de Deus e os salvos (Ap
21: 2,3 10; 22:3-5). Amém. Esta destruição é eterna em seus efeitos, e a renovação do
céu e da terra também serão.

315. O apóstolo Pedro fala de três mundos:


1. O “mundo que então existia” (o mundo antidiluviano),
2. Os “céus e a terra que agora existem.” (o mundo presente),
3. E o “Novo Céu e a Nova Terra.” (o mundo porvir). (2Pe 3:6,7,13).
Ele quer despertar os cristãos sobre a vida de Cristo deixando claro que falsos profetas
surgirão e que estes negarão que Cristo voltará para destruir os ímpios e o mundo. A
igreja do Senhor Jesus não pode se apegar ao sistema deste mundo, nem as suas
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

coisas. Nossos valores, alvos e propósitos na vida devem centrar-se em Deus e na


esperança de novos céus e nova terra.

316. O apóstolo João em Ap. 21:1, disse que na Nova Terra o “mar já não existe.” Na
Nova Terra não haverá só uma nova humanidade, mas também uma nova geografia.
Este presente mundo tem muito mais água em sua superfície do que terra; com efeito,
três quintos da superfície da terra estão cobertos por oceanos. Os oceanos parecem
essenciais ao nosso presente mundo, eles constituem um grande sistema de
saneamento bem como de suprimento de água, cuja evaporação resulta na formação
das nuvens, mas na Nova Terra será diferente. “Não haverá mais maldição” ( Ap 22:3).
Em Ap. 4:6, diz que João viu um mar como de vidro, não se agita. A paz do céu é
imperturbável, apesar dos juízos na terra. Um como mar sem água!

317. O jardim do Éden foi um lugar que Deus preparou para Adão viver com sua
companheira Eva. Depois da queda foram expulsos e a terra sofreu com o pecado de
Adão. Mais a terra será transformada, voltará ao estado de perfeição original, como
era antes da entrada do pecado. Agora com moradas novas para seus novos habitantes
acredito que não haverá necessidade de outro jardim do Éden. A nova Jerusalém terá
seus jardins para descanso dos salvos e não para sobrevivência física do homem.

318. Jesus foi preparar nova morada, para aqueles que o aceitaram como Senhor e
Salvador de suas almas. (Jo 14:2,3) e aqueles que não foram achados seus nomes
escritos no Livro da Vida (registro dos nomes dos eleitos) serão lançados no Lago de
Fogo (Mt 8:12). Portanto quando não houver mais espaço na terra para a humanidade
o Senhor Jesus voltará para sua Igreja.

319. Os habitantes da Jerusalém Celeste são os salvos glorificados. Onde Deus habita e
Cristo reina a destra do Pai; de lá, Ele derrama suas bênçãos; e de lá, Jesus voltará. A
Jerusalém Celeste descerá á Nova Terra que será a sede do reino eterno de Deus.

320. O próprio Deus declara quem herdará as bênçãos do Novo Céu e da Nova Terra:
aqueles que perseverarem fielmente como vencedores em Cristo Jesus. (Ap 2:7).
Quem viveu no pecado e na iniquidade será lançado no lago de fogo.
Os habitantes da Nova Terra será Deus e os homens. Todos os redimidos terão corpos
semelhantes ao corpo ressurreto de Cristo, incorruptível, poderoso e imortal (Rm 8:23;
1Co 15:51-56) Ser fiel até o fim é o passaporte para o Novo Céu e Nova Terra.

BIBLIOLOGIA

321. Porque Deus deu conhecimento aos escritores da Bíblia de coisas desconhecidas e
que por eles mesmos não poderiam jamais saber. Através da inspiração divina
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

entendemos que todas as partes da Bíblia são igualmente inspiradas; e que houve
cooperação vital e contínua entre os escritores e o Espírito Santo de Deus que os
capacitava. (2Pe 1:20).No entanto tudo que o homem sabe intuitivamente é revelado a
ele.Todo conhecimento que reside no intelecto do homem é obra da Mao do Criador.

322. a) A Lei trata da origem de tudo, da lei mosaica, estabelecimento da Nação


Israelita.
b) Profetas. Em hebraico esta palavra refere-se á porta-voz ou arauto. O profeta é
um mensageiro de Deus, ele anuncia a mensagem de Deus. Os profetas eram enviados
por Deus para entregar a mensagem divina de advertência da última oportunidade a
um povo rebelde, para suplementar o ensino negligenciado pelo sacerdócio e para
fazer o povo ver o plano completo de Deus para suas vidas.
c) Os Escritos são documentos. São os escritos de Moisés. Embora em algumas
vezes um escrito, é usado pelo Novo Testamento, e é encontrado no emprego grego
no sentido de pronunciamentos legais.

323. A versão de João Ferreira de Almeida, em todas as suas edições, tem-se sujeitado
á norma de ordenar os livros de acordo com o seu caráter e conteúdo.
A Bíblia como um livro está dividida em duas partes, Antigo e Novo Testamento, tendo
66 livros; sendo 39 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento.
Antigo Testamento:
· Lei: São cinco livros que tratam da origem de tudo, da Lei mosaica e
estabelecimento da Nação Israelita. O Pentateuco.
· Históricos: São doze livros que tratam da história de Israel em seus vários
períodos.
· Poéticos: São cinco livros:
· Proféticos: Profetas Maiores são cinco livros relativos ao período profético.
Profetas Menores são doze livros relativos ao curto período profético.
Novo Testamento:
· Biografia: São os quatro Evangelhos que descrevem a vida terrena de Jesus
Cristo.
· Histórico: O livro de Atos registra a história da Igreja Primitiva.
· Epístolas: São vinte e uma epístolas. Contém a doutrina da Igreja.
(Epístolas paulinas, Epístola aos Hebreus, Epístolas Universais).
· Profético: Apocalipse (ou revelação) de João.

324. A ciência e a arqueologia moderna provam que as afirmações dela sobre a


História, a genealogia, povos antigos são corretos. A autenticidade de um livro é a sua
legitimidade. Uma epístola de Paulo é autentica, pois pode ser comprovada que o
apóstolo Paulo a escreveu. A autenticidade da Bíblia é usualmente manejada com
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

provas do Novo Testamento em primeiro lugar e depois, usando o testemunho do


Novo Testamento, provar a autenticidade do Velho Testamento.

325. Porque são livros relativos ao curto período profético do povo de Deus. Sua
abordagem dos fatos não era tão longa, mas a intensidade das suas mensagens tinha
as mesmas proporções de um profeta maior. O trabalho dos Profetas Menores foi tão
importante quanto o dos Profetas Maiores. Deus preparou e ungiu todos, portanto,
todos eram legítimos porta-vozes do Senhor.

326. As Palavras da Vida (At 7:38)


As palavras de Deus (Rm 3:2; Hb 4:12)
Escrituras ( Mt 22:29)
Escrituras dos Profetas (Mt 26:56; Rm 16:26)
Santas Escrituras (Rm 1:2; 2Tm 3:15)
Os livros (2Tm 4:13; Hb 10:7)
A Lei de Moisés, Profetas e Salmos (Lc 24:44)
A Lei e os Profetas (Mt 7:12; Lc 16:16)

327. “A palavra apócrifos significa literalmente escondido”, isto em referência a livros


de então que tratavam de coisas secretas, ocultas, mas no sentido religioso o termo
significa “não genuíno, espúrio”.
São 14 os apócrifos, sendo 10 livros e 4 acréscimos a livros canônicos. A igreja Católica
aceita somente 11, sendo 7 livros e 4 acréscimos. A igreja romana aprovou os apócrifos
em 18 de abril de 1546, como meio de combater a Reforma Protestante, então
recente.

328. É a influência sobrenatural do Espírito Santo, sobre os escritores da Bíblia


capacitando-os a receber e transmitir a mensagem divina sem mistura de erro. (2Tm
3:16,17)

329. Mesmo que não tenhamos os manuscritos originais, é errado supor que Deus não
supervisionou a Sua providencia as cópias dos originais para preservar as palavras
originais ao ponto que podemos, com grande certeza, usando a crítica textual, chegar
á leitura dos originais.
“É melhor ter uma cópia imperfeita de um original infalível do que ter uma cópia
perfeita de um original falível” (T.P Simmons, pg 64).

330. Quem irá combater com ele será o nosso Deus, pois sua palavra diz:- ai daqueles
que acrescentar ou retirar uma vírgula da palavra Bíblia. Sendo assim deveremos estar
em vigilância para com aqueles que duvidam da Palavra de Deus.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

PERGUNTAS GERAIS DA BIBLIA

331. “Deus é Espírito, infinito, eterno, imutável em seu ser, sabedoria, poder,
santidade, bondade e verdade.” E está no céu assentado no seu trono rodeado e
adorado pelos serafins. (Is 6:2,6).

332. A Bíblia fala em anjos bons e anjos maus, embora ressalte que todos os anjos
foram originalmente criados bons e santos (Gn 1:31). Portanto Deus criou somente
anjos bons. As espécies são :anjos, arcanjos, serafins e querubins. Os demais anjos
tiveram o livre arbítrio, numerosos anjos participaram da rebelião de Satanás (Ez
28:12-17) e abandonaram o seu estado original de graça como servos de Deus, e assim
perderam o direito á posição celestial.

333. Gabriel é um Anjo de alta categoria. Gabriel é o anjo que assiste “diante de Deus”
(Lc 1:19), isto é, que ocupa uma posição especialmente altas nas fileiras angelicais.
Enviado a Zacarias para anunciar o nascimento de João Batista (Lc 1:11-22), bem como
á Maria para anunciar o nascimento de Jesus (Lc 1:26-38). Foi enviado para interpretar
para Daniel a visão sobre o Carneiro e o Bode, e voltou para apresentar a profecia
sobre as setenta semanas (Dn 8:16; 9:21). Na Bíblia, Gabriel é o anjo mensageiro.
Miguel = É o único a ser chamado de arcanjo, comanda seus próprios anjos (Ap
12:7), é como príncipe do povo de Israel.O anjo da guarda de Israel (Dn 12:1), Miguel
pelejou no céu contra o dragão. (Ap 20:2). Miguel é o anjo guerreiro.

334. No 3º dia, Deus criou os continentes e as plantas; 4º dia, Deus criou os luzeiros ou
luminares- o sol, a lua e as estrelas; 5º dia, Deus criou os peixes e as aves e no 6º dia,
Deus criou os animais terrestres e o homem.

335. Deus abençoou o sétimo dia. Fez do dia de sábado uma benção para o seu povo.
O destinou tanto como o dia sagrado e especial de repouso, como um memorial do
término de todas as suas obras criadas.

336. O domingo no calendário romano é um dia de descanso. Para o servo de Deus


deve ser um dia de descanso, de culto, adoração e comunhão com Deus.
Constantino fez do dia de reunião dos cristãos, o domingo, dia de descanso, proibindo
nele todo o trabalho ordinário e permitindo aos soldados cristãos assistirem ao culto
nas igrejas.

337. Deus adota na criação do homem um critério singular. Desde o primeiro instante
demonstra-lhe grande ternura e amor, pois o criou a sua imagem e semelhança. A
criatura humana foi á obra prima do criador. O homem foi criado com uma biforme
natureza: material e espiritual a natureza material procede do pó da terra (Gn 2:7).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Deus pegou do pó fez barro, com este barro fez um boneco, o homem, assoprou em
suas narinas o fôlego de vida que é a natureza espiritual.

338. Com o mesmo poder e cuidado que Deus fez o homem do pó da terra, também
tomou uma parte do seu corpo e formou uma mulher, para ser sua companheira.
“Adão caiu em profundo sono, Deus tomou uma de suas costelas e cerrou a carne em
seu lugar e da costela do homem, Deus formou uma mulher e levou-a até Adão.”

339. O jardim estava localizado perto da planície aluvial do rio Tigre e do rio Eufrates.
Alguns acreditam que o Éden estava localizado na região correspondente ao atual sul
do Iraque, outros sustentam que não há dados suficientes no relato bíblico (Gn 2:10-
14), para a determinação do local específico.

340. O homem e a mulher desfrutavam do jardim livremente. Deus alertou: “mas da


árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás...” (Gn 2:17). Neste período
certamente controlada por Satanás efetuou a tentação declarando que aquilo que
Deus dissera a Adão não era verdade (Gn 3:3,4), causando em Eva a dúvida na palavra
de Deus. Eva começou a observar como o fruto era atraente aos olhos, de ótimo
paladar e capaz de lhe conceder novos conhecimentos. Cobiçando o fruto, Eva
“...tomou do seu fruto, e comeu, e deu também ao seu marido, e ele comeu com ela.”
(Gn 3:6). “Imediatamente, com a consciência despertada, o que se seguiu foi á nudez
física e espiritual, a vergonha, o medo, a solidão, a morte...” e coseram “folhas de
figueira e fizeram para si aventais.” (Gn 3:7). Contudo Deus amou a raça humana de tal
maneira que decidiu derrotar Satanás, reconciliando o homem e o mundo com Ele,
mediante a morte do seu filho Jesus Cristo na cruz do calvário.

341. É um estado mau da alma ou da personalidade, ou seja, pecado é sair planos


salvíficos de Deus, e voltar para o Egito.Os cincos principais são:
1- Blasfêmia contra o Espírito Santo, (Mc 3:29)
2- Murmuração (Nm21:7; 1Co 10:10,11)
3- Desprezo ao próximo (Pv 14:21)
4- Prática do orgulho e arrogância (PV 21:4
5- Desobediência (Jr 3:25)

342. O primeiro homicídio na terra ocorreu quando Caim matou seu irmão Abel.
Caim e Abel os dois primeiros filhos de Adão e Eva, foram até a presença de Deus levar
suas ofertas. Caim era lavrador e Abel pastor de ovelhas. Caim trouxe ao Senhor frutos
da terra e Abel trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura (Gn 4:3,4).
Abel se apresentou diante de Deus com uma fé genuína e consagração (hb 11:4), e
Caim destituído de sua fé sincera se tornou desobediente agindo diante de Deus de
qualquer maneira, por isso sua oferta foi rejeitada, suas obras eram más. Caim com
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

muita ira e ciúme não gostou de Deus ter rejeitado sua oferta e recebido a de Abel,
aproveitando que eles estavam sós no campo assassinou Abel, derramando sangue
inocente e por causa deste crime a terra tornou-se amaldiçoada.

343. Enoque foi primeiro homem trasladado ao céu por Deus. Enoque andava com
Deus e Deus o tomou para si. Homem que temia a Deus, obediente, com 65 anos
começou a andar com Deus e assim foi durante 300 anos. Enoque venceu pela fé. Sua
vida, mensagem e espiritualidade, agradaram tanto ao Senhor que Ele honrou-o,
tirando-o da terra para estar eternamente na sua presença sem conhecer a morte.

344. Matusalém é geralmente conhecido por ser o personagem mais longevo de toda a
Bíblia, tendo vivido por 969 anos. (Gênesis 5:21-27), e que teria sido filho de Enoque e
o avô de Noé.

345. Arca de Noé era semelhante a uma barcaça de tamanho colossal. Sua capacidade
de carga corresponde á mais de 300 vagões ferroviários. Calcula-se que a arca podia
comportar cerca de 7000 mil tipos de animais. Foi construída de tábuas de cipreste e
calafetada com betume (Gn 6:14), o comprimento foi de 300 côvados e a largura de 50
côvados e a altura de 30 côvados. Na nossa linguagem um côvado corresponde a 57,15
cm (segundo Petrie), o comprimento foi de 171 metros, a largura de 28,5 metros, e a
altura de 17 metros. Foi pela fé. E divinamente instruído que Noé construiu a arca.

346. Noé, o patriarca, sua mulher, seus três filhos, Sem, Cam e Jafé e suas respectivas
esposas.
Sem, o filho primogênito, a sua posteridade habitou as melhores terras da Ásia.
Jafé, o segundo filho de Noé, seus descendentes formaram os povos indo-
europeus ou arianos.
Cam, o terceiro filho de Noé. Sua descendência estabeleceu na África, no litoral
mediterrâneo da Arábia na Mesopotâmia.

347. a) Animal Puro eram animais limpos para os judeus, eles poderiam comê-los. Os
animais puros são aqueles que têm unhas fendidas, que tem a unha dividida em duas e
que remói. (Dt 14:6).
b) Animal Impuro eram aqueles os judeus não podiam comê-los, eles somente
remoem e não tem a unha fendida ou tem a unha fendida e não remoem. (Dt 14:7).

348. Hebreus 11:7, assinala a arca como um tipo de Cristo, aquele que é meio de
salvação do crente, para livrá-lo do juízo e da morte.

349. 40 dias e 40 noites (Gn 7:12).


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

350. 150 dias (Gn 7:24; 8:3).

351. As cores do arco-íris representam a nobreza e a grandiosidade de um símbolo da


natureza em um conjunto de cores, cuja união significa a paz após a tormenta. Cada
uma destas cores tem um significado próprio:
Vermelho - Coragem.
Alaranjado - Visão de futuro.
Amarelo - Desafio em casa, família e comunidade.
Verde - Crescimento individual como pessoa e como cooperado.
Azul - É a cor do céu e dos montes visto á distância. O azul sugere a perfeição
celeste, sob a dispensarão antiga, só podia ser contemplada de longe.
Anil - necessidade de ajudar a si próprio e aos outros através da cooperação.
Violeta - Beleza, calor humano e coleguismo.

352. O pecado de Cam consistiu em não honrar, nem respeitar seu pai Noé, ao invés
de cobri-lo, ele expôs a sua condição deplorável. (Gn 9:22). Quando Noé ficou sabendo
do ato desrespeitoso de Cam, pronunciou uma maldição, para Canaã, filho de Cam (Gn
9:25), e não sobre o próprio filho.Talvez Canaã estivesse de alguma maneira envolvido
no pecado de Cam, ou tivesse os mesmos defeitos de seu pai.

353. Após 120 anos do dilúvio o povo começou a construir uma torre, chamada de
Torre de Babel. O Senhor desceu até a cidade e ali confundiu a língua do povo. “Assim,
o Senhor os espalhou dali sobre a face de toda a terra”. Essas divisões foram inúmeras.

354. As duas cidades foram Sodoma e Gomorra, (Gn 19:24).


Sodoma e Gomorra foram destruídas com enxofre e fogo. O pecado dessas duas
cidades era tão grande que Deus as destruiu com fogo, livrando somente Ló e suas
duas filhas.
A sodomia, o vício de Sodoma, subia até as narinas de Deus como um mau cheiro. Os
sodomitas eram prostitutos-cultuais, homens e mulheres dedicados á idolatria
licenciosa, impuros e imorais.

355. Em Gn. 11:2 fala de Sinar.


Sinar é o nome que o Antigo Testamento dá ao território da antiga Suméria e,
posteriormente chamada Babilônia ou termo geral Mesopotâmia.
- A fundação da 1ª Babilônia se associa a Ninrode por volta de 2230 a.C., local onde
começaram a construir a torre de Babel. (Gn10:10).
- Egito, descendentes de Cam, através de Misraim. Na antiguidade o Egito, tinha como
capital Menfis, onde José foi encarcerado e depois a governou. Naquela época e por
muito mais tempo o Egito foi uma das grandes potências mundiais.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

356. Ur dos caldeus hoje está na região do Iraque.

357. Segundo a Bíblia, Deus havia escolhido Israel como povo seu e Israel era a única
nação a obedecer exclusivamente a Deus no princípio.

358. José filho de Jacó tinha 17 anos. (Gn 37:2).

359. De 1445 a 1015 a.C. Foram 430 anos de escravidão. Começou após a morte de
José e do faraó amigo de José. O faraó cruel da opressão talvez fosse faraó Ramsés II.
O do Êxodo (saída) dos israelitas do Egito Meneptá II.

360.66 pessoas viajaram com Jacó para o Egito (Gn 46:26), e no versículo 27 do mesmo
capítulo diz que 70 incluindo José, seus dois filhos e Jacó e Atos 7:14 conta o número
de pessoas como 75, incluindo, assim, os netos de José. Retornaram 430 anos depois
sob a liderança de Moisés para Canaã, 3.500.00 pessoas.

361. Pela sua fidelidade á Deus Jó era um homem muito rico e recebia sempre suas
bênçãos. Jó um homem não israelita, era temente, sincero, reto e desviava-se do mal.
Satanás foi acusá-lo diante de Deus, dizendo que ele adorava a Deus somente porque
tirava proveito disso, e deixou claro que o amor de Jó por Deus não era sincero pelas
riquezas que Deus o havia concedido e se ele não tivesse nada ele blasfemaria contra
Deus. Para provar o amor de Jó Deus deixou que Satanás tocasse em tudo que ele
possuía, menos em sua vida. Satanás tirou tudo de Jó e ele se tornou o homem mais
pobre daquele lugar, e mesmo assim continuou fiel e reto diante do seu Deus. Ele se
humilhou diante de Deus mesmo doente, pobre, sem família, sem amigos, Jó
continuou puro e temente. Jó reconcilia-se com Deus e recebe Dele tudo em dobro,
passando a ter uma vida abundantemente abençoada.

362. Os dez mandamentos foram escritos pelo próprio Deus em duas tábuas de pedra
e entregues a Moisés e ao povo de Israel. Para que o povo vivesse em retidão diante
de Deus, agradecidos pelo seu livramento do Egito. Os dez mandamentos são o
resumo da lei moral de Deus para Israel e descrevem as obrigações para com Deus e o
próximo. Guardá-los não é apenas uma questão de práticas externas, mas também
requer uma atitude de coração.
1º mandamento. “Não terás outros deuses diante de mim” (Ex 20:3) – este
mandamento proíbe o politeísmo que caracterizava todas as religiões do antigo
Oriente Próximo. Israel não devia adorar nem invocar nenhum dos deuses de outras
nações. Deus lhe ordenou a temer e a servir somente a Ele (Dt32:29; Js 24:14,15).
2º mandamento. “Não farás para ti imagem de escultura...” (Ex 20:4). A proibição
da adoração a outros deuses determina que nenhuma imagem deles seja feita. (Dt
4:19,23-28). Fica proibido a qualquer pessoa fazer uma imagem de escultura de
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

pessoas, animais, objetos ou da natureza, com o propósito de adoração ou qualquer


outro tipo de auxílio espiritual. (Dt 4:15,16).
3º mandamento. “Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão;...” (Ex
20:7). O nome de Deus deve ser santificado, honrado e respeitado por ser
profundamente sagrado, e deve ser usado somente de maneira santa (Mt 6:9).
4º mandamento. “Lembra-te do dia do sábado, para santificá-lo.” (Ex 20:8).
Santificar aquele dia importava em separá-lo como um dia diferente dos outros,
cessando o labor para descansar, servir a Deus e concentrar-se nas coisas respeitantes
á eternidade, á vida espiritual e á glória de Deus. (Gn 2:2,3).
5º mandamento. “Honra a teu pai e a tua mãe...” (Ex 20:12). Este mandamento
abrange todos os devidos atos, de bondade, ajuda material, respeito e obediência aos
pais (Ef 6:1-3), abrange, também, palavras maldosas e agressão física aos pais.
6º mandamento. “Não matarás.” (Ex 20:13). O sexto mandamento proíbe o
homicídio deliberado, intencional, ilícito. Deus ordena a pena de morte para a violação
desse mandamento. (Gn 9:6).
7º mandamento. “Não adulterarás.” (Ex 20:14). Proíbe-se aqui o adultério e
abrange a imoralidade e todos os demais pecados sexuais. (Lv 20:10; Mt 5:27-32).
8º mandamento. “Não furtarás.” (Ex 2015). Este mandamento demanda
honestidade em todos os nossos tratos com as pessoas.
· 9º mandamento. “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.” (Ex 20:16).
Devemos falar de modo justo e honesto a respeito de quem quer que seja. (Lv 19:16).
10º mandamento. “Não cobiçaras.” (Ex 20:17). A “cobiça inclui o desejo ou
concupiscência por tudo quanto é errado ou que pertence a outra pessoa”.

363. Em Êxodo 14:15,16, 21 relata a passagem dos Israelitas pelo meio do Mar
Vermelho, nos diz que Moisés levantou sua mão sobre o mar e estendeu sua vara e
fendeu as águas como um ato de obediência a Deus, pois, Deus ia pelejar pelo seu
povo naquele momento de tanta angústia. E como ato milagroso as águas do mar se
abriram e o povo passou em terra seca.

364. Jonas foi um profeta do reino do norte, durante o reinado de Jeroboão II, Deus o
chamou para advertir Nínive a capital do império da Assíria que era uma cidade
sanguinária, (Na 1:11; 2:12,13) e então Deus, disse a Jonas para ir até Nínive e adverti-
los, concernente ao juízo divino, Jonas desobedeceu a Deus, pois, não queria que Deus
tivesse misericórdia e salvasse Nínive (Jn 4:2), então fugiu para Társis ( hoje Espanha)
dentro de um navio, tentando fugir da presença de Deu, mas uma tempestade fez com
que Jonas fosse jogado pelos tripulantes no mar e então foi engolido por um grande
peixe e, por três dias e três noites. Jonas ficou nas entranhas do peixe, depois de orar
com sinceridade e disposição reconheceu que desobedeceu a Deus e estava
arrependido. Depois de se arrepender e ter reconhecido que de Deus não se foge,
orou e foi vomitado na praia, (Jn 2:10), certamente no litoral palestino.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

365. Com uma queixada de jumento Sansão feriu mil filisteus (Jz 15:15), mas no
momento de sua morte ele morreu e matou mais do que matara em sua vida (Jz
16:30). A grande força física de Sansão não provinha dele mesmo, mas do Espírito de
Deus ter descido sobre ele (Jz 14:19).

366. Sansão foi escolhido por Deus para livrar seu povo das mãos dos filisteus. Navalha
nunca havia subido á cabeça de Sansão, suas sete trancas escondiam seu segredo com
Deus. (Jz 16:17-20). Sansão confiou mais na mulher Dalila do que em Deus, ele brincou
com o que Deus havia lhe dado e revelou todo seu segredo á sua mulher, que o traiu e
contando aos filisteus, eles raparam suas trancas e ele enfraqueceu. Arrancaram seus
olhos e o amarraram e andava moendo no cárcere no lugar dos animais. Sansão
morreu junto com os filisteus. O que os filisteus mais queriam era matá-lo, mas com
sua força Sansão sempre os vencia.

367. Davi pegou uma pedra em seu alforje e colocou na funda e atirou e feriu o gigante
Golias na testa, o gigante caiu e Davi o matou com sua própria espada e cortou lhe a
cabeça com ela. (1Sm 17:49-51). Davi matou Golias por que ele afrontava o povo de
Deus e os insultava.

368. Salomão foi o terceiro rei de Israel, filho de Davi. Ele começou seu reinado com fé
no Senhor (1Rs 3:3), em oração Salomão pede a Deus sabedoria e um coração
entendido para reinar sobre aquela nação, (1R 3:5-9) Deus agradou do seu pedido e
atendeu sua oração fazendo de Salomão não só o homem mais sábio da terra como o
mais rico também.

369. Conforme podemos ler em 1Reis 17-21 e 2Reis 1-2, Elias profetizou durante o
reinado de Acabe, que o quadro cronológico bíblico coloca entre os anos 874 e 853
antes de Cristo. O texto declara que Elias desafiou e derrotou os profetas do deus Baal
sobre o Monte Carmelo, onde demonstrou a potência de Deus acendendo a lenha
verde e molhada. Depois disso, junto ao rio Kison, degolou todos os 450 sacerdotes de
Baal. Então fugiu para uma caverna, onde recebeu alimento de um anjo e falou com
Deus. Eliseu foi chamado para ser seu sucessor. Finalmente foi arrebatado aos céus
por uma carruagem de fogo e desapareceu.

370. A história de Daniel, cronologicamente é mais difícil de datar. Isso é devido ao


fato que o livro foi escrito muito tarde, por volta do ano 200 antes de Cristo, durante a
perseguição, contra os judeus, da parte de Antíoco IV. O protagonista do livro é Daniel,
cuja história é ambientada durante o período do Exílio dos judeus em Babilônia (587 –
539 antes de Cristo). A história de Daniel na cova dos leões é contada em Daniel
capitulo 6, o profeta era ministro do rei Dario (aC. 549 a.C. - 485 a.C.), que o estimava.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Os outros ministros, com inveja, procuravam uma armadilha para desprestigiá-lo


diante do rei. Então é proposto por eles ao rei um decreto: “Todo aquele que dirigir
uma prece a quem quer que seja, deus ou homem, exceto a ti, seja lançado na cova
dos leões”. O rei então assinou o decreto. Daniel não deu ouvidos à decisão e
continuou a fazer como era seu costume: três vezes por dia ele se punha de joelhos,
orando e confessando o seu Deus. Instigado pelos outros ministros, o rei lançou Daniel
na cova dos leões, dizendo a Daniel que “teu Deus, a quem serviste com perseverança,
ele te salvará”. No dia seguinte o rei foi até à cova dos leões e gritou: “Daniel, servo do
Deus vivo, o teu Deus, a quem serves com tanta constância, foi capaz de te livras dos
leões?” Daniel então lhe responde: “Meu Deus enviou-me seu anjo e fechou a boca
dos leões”. O rei então ficou contente e condenou todos os outros ministros à cova
dos leões.

371. O rei Nabucodonosor mandou fazer uma estátua de ouro e no dia da sua
consagração, todos os que estavam presentes ao ouvir som da buzina e outros
instrumentos (Dn 3:4,5), deveriam se prostrar e adorar a estátua. Os três jovens,
Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, servos do Deus poderoso, não se prostraram e
nem adoraram a imagem de ouro do rei Nabucodonosor. Quem não adorasse a
estátua seria lançado na fornalha de fogo ardente.

372. Jesus é o centro da história do mundo como da história da Bíblia. Jesus é o


Salvador da humanidade (Fp 3:20); o Filho de Deus (Mt 16:16,17); o Verbo (Jo 1:1); O
Senhor, autoridade e soberania (At 9:17); criador do universo (Jo 1:1-3); perdoador
(Mt 9:5; Lc 5:20); doador da vida eterna (Jo 17:2; 10:28), através da sua morte na cruz.

373. Foi gerado em Nazaré da Galiléia (Lc 1:26), nasceu em Belém da Judéia (Lc 2:4).

374. Maria foi agraciada mais do que todas as mulheres. Deus a escolheu porque ela
achou graça diante dEle (Lc 1:30). Sua vida santa e humilde agradou tanto a Deus, que
Ele a escolheu para tão sublime missão.

375. Porque estava havendo festa na cidade todos os lugares estavam cheios. Então
José levou Maria para uma estrebaria, onde guardava gado, e dentro de uma
manjedoura (espécie de gamela) onde o gado se alimentava, foi colocado. Seu
nascimento ocorreu da maneira mais simples e humilde. Jesus sendo o Rei dos reis,
não nasceu neste mundo como rei, nem viveu com um rei aqui na terra. Somos
sacerdotes e reis, mas nesta vida devemos ser como Ele era – humilde e simples.

376. Segundo o relato do evangelista Mateus, Jesus teria recebido a visita dos magos
do oriente, (Lucas 2:1 dos pastores) os quais, segundo a tradição natalina, seriam três
reis da Pérsia. Os magos teriam chegado a Jerusalém seguindo a trajetória de uma
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

estrela que anunciaria a vinda do Messias ao mundo. E, ao encontrarem Jesus numa


casa com Maria, adoraram-lhe e ofertaram ouro, incenso e mirra representando,
respectivamente, a sua realeza, a sua divindade e a sua imortalidade. Por causa desta
visita Herodes teria se decidido a matar aquele que lhe iria tomar o trono. Tal notícia
teria chegado a José, que então foge com Maria e o menino para o Egito. Jesus e sua
família teriam permanecido no Egito até a morte de Herodes, quando então José, após
ser avisado por um anjo em seus sonhos, retorna para a cidade de Nazaré.

377. A visita dos magos ocorreu quando Jesus tinha entre 40 dias e 2 anos de idade
(Mt 2:16) Vieram do oriente – Pérsia, região hoje chamada Ira e Babilônia, Pérsia e
Arábia (Sl 71:10)

378. Ouro = Rei


Incenso = (resina aromática) Sacerdote
Mirra = Profeta e servo.

379. Aproximadamente 2 anos de idade. (Lc 2:13,14).

380. Com doze anos de idade (Lc.2:42).

381. Ainda muito jovem Jesus começou a trabalhar na oficina de carpintaria com José.
“Tektwn”, artesão de madeira, esta era sua profissão humana, fabricava móveis,
carroças, janelas, etc.

382. No rio Jordão, por imersão, por João Batista (Mt 3:13-17; Lc 3:21-23). Ao emergir
das águas, os céus se abriram e o Espírito Santo desceu sobre Jesus em forma de
pomba e pousou sobre Ele. (Mc 1:10).

383. A formação apresentada da ordem dos nomes dos discípulos é a que


encontramos em Mateus, capítulo 10, do versículo 1 ao 4.
1. Simão Pedro - nasceu em Betsaida, mas residia em Cafarnaum, na Galiléia; era
pescador de profissão; foi o primeiro líder da igreja cristã. Escreveu as epístolas que
levam seu nome; tinha pouco estudo, impulsivo, amoroso, tímido, explosivo e
entendia com dificuldade os ensinamentos; morreu em Roma, crucificado de cabeça
para baixo;
2. André - também era de Betsaida; era sócio de seu irmão Pedro na indústria da
pesca; foi um homem zeloso, sincero e dedicado em sua tarefa de apóstolo; foi quem
apresentou Pedro a Jesus. Um dos primeiros discípulos e também o primeiro
missionário no estrangeiro; morreu martirizado na Acássia, onde pregou. Foi
crucificado em uma cruz em forma de “x’’.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

3. Tiago - era de Betsaida, onde trabalhava com a pesca; tinha personalidade forte
e ambiciosa; foi um dos mais íntimos discípulos de Jesus. Pregou na Judéia; tornou-se o
primeiro mártir entre os apóstolos, morrendo pela espada de Herodes Agripa I.
4. João - também era de Betsaida e trabalhava com seu irmão Pedro na pesca; a
princípio era de espírito exaltado e indisciplinado; fazia parte, também do rol dos
discípulos mais chegados ao mestre. Trabalhou pregando em Jerusalém. Escreveu o
evangelho e as epístolas que levam seu nome, e também o apocalipse. Terminou seu
ministério em Éfeso e Ásia menor; morreu de morte natural, provavelmente com 100
anos de idade, o único que não foi martirizado.
5. Filipe - nascido em Betsaida, provavelmente exercia a profissão de pescador;
possuía uma personalidade tímida e inicialmente um pouco incrédulo; teve um
brilhante ministério na Ásia menor, trabalhou também na frigia; foi sepultado em
Hierápolis, desconhece-se, porém, o motivo de sua morte, provavelmente foi um
mártir.
6. Bartolomeu - era de Caná da Galiléia, sua profissão é desconhecida; foi uma
pessoa em quem não se via dolo, fraude, era honesto (Jo 1:47); acredita-se que tenha
trabalhado na índia e na grande armênia; de acordo com o martirológio romano, ele
foi esfolado vivo pelos bárbaros e recebeu o golpe de misericórdia através da
decapitação.
7. Tomé - originário da Galiléia, onde era pescador por profissão; foi uma pessoa
determinada, mas no momento propício não creu na ressurreição de Jesus; trabalhou
pregando o evangelho na Síria, na Pártia, na Pérsia e na India; sobre sua morte há duas
versões, uma diz que foi traspassado por uma flecha enquanto orava, e a outra, é de
que foi torturado em Madras.
8. Mateus - era de Cafarnaum, onde trabalhava como cobrador de impostos
(publicano). Podemos observar sua humildade quando seu nome aparece na lista dos
apóstolos após Tomé (Mt 10:3), em outras listas aparece antes de Tomé. O fato de ter
abandonado a sua profissão que apesar de ser mui desprezada, também, demonstrava
sua humildade. Recebeu poderes apostólicos de milagres e sinais. Esteve no cenáculo
em Jerusalém (At 1:13 e 14) após a ascensão de Jesus ao céu. Escreveu o evangelho
que leva o seu nome. Ao que se presume trabalhou em prol do evangelho na Judéia,
no Egito, na Etiópia e na Pártia. A igreja ocidental o alista entre os mártires.
9. Tiago, de Alfeu - originário da Galiléia, sua profissão é desconhecida; era o
mais jovens dos apóstolos; escreveu a epístolas que leva o seu nome, pregou na
Palestina e no Egito; há duas versões sobre sua morte, uma é que os judeus o
expulsaram do templo e o apedrejaram, morrendo por fim através de um golpe de
paulada; a segunda hipótese é de que foi crucificado no Egito.
10. Judas, o Tadeu - nascido na Galiléia, a sua profissão também é
desconhecida; era bastante temeroso e um pouco incrédulo; escreveu a epístola que
leva o seu nome, pregou em Edessa, na Síria, na Arábia e na Mesopotâmia; morreu
martirizado na Pérsia.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

11. Simão, o zelote - originário da Galiléia, a sua profissão está também entre as
desconhecidas; era uma pessoa zelosa e cuidadosa em sua vida e ministério; pregou o
evangelho na Pérsia; morreu crucificado.
12. Judas Iscariotes - nasceu na Judéia, provavelmente em Queriote-Hesrom;
sua profissão é desconhecida, mas é provável que tivesse uma formação
administrativa, que fez com que exercesse o cargo de tesoureiro do grupo; era egoísta,
ambicioso e possuía um espírito egocêntrico; suicidou-se após ter traído Jesus.

384. O apóstolo Pedro era empresário e poliglota.

385. Tiago, Judas, José, Simão (Mt 13:55), Jesus teve irmãs cujo os nomes a Bíblia não
revelam (Mt 13:56).

386. Os milagres de ressurreição do Senhor Jesus Cristo foram três.


1- A filha de Jairo (Mt 9:18-26).
2- Lázaro (11:1-44).
3- O filho da viúva de Naim (Lc 7:11-15).

387. Cumprir a promessa de Deus de enviar um libertador para a humanidade. (Gn


3:15). Morrer e salvar a humanidade (Jo 18:37), Jesus é a verdade que liberta o homem
da escravidão do pecado.

388. Duas vezes:


A primeira vez Jesus multiplicou cinco pães de cevada e dois peixinhos e
alimentou quase cinco mil homens além de mulheres e crianças. Sobraram doze cestos
cheios. (Mt 14:13-21),].
A segunda vez Jesus multiplicou sete pães e alguns peixinhos, e alimentou quatro
mil homens, além de mulheres e crianças (Mt 15:29-39), e sobraram sete cestos de
pedaços.

389. “Cuspiu na terra e com a saliva, fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego.”
Então Jesus mandou o cego se lavar no tanque de Siloé, ele foi lavou os olhos e voltou
vendo. (Jo 9:1-7).

390. A emancipação significou para os judeus ao mesmo tempo oportunidade e crise,


como só hoje podemos ver mais claramente. A tarefa mais importante consistia em
manter ou redefinir a identidade judaica em um mundo transformado. Com isso
postulou-se também para a Prússia um problema básico da história judaica desde o
início da emancipação: não se podia mais persistir no isolamento tradicional, era
necessário integrar-se na sociedade moderna para poder ter um futuro. Ao mesmo
tempo era preciso resolver o difícil problema de encontrar uma nova identidade
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

judaica a partir de relações substancialmente diferentes. Justamente na Prússia, a


pressão para a adaptação foi para os judeus especialmente fortes, enquanto por outro
lado o início de uma nova autoconsciência judaica se impôs de modo mais forte do que
em qualquer outro lugar. (Bildarchiv, 1981, pp. 38, 256). (21)

391. Judas Iscariotes, com um beijo na face de Jesus, por 30 moedas de prata; o preço
de um escravo. (Mt 26:14,15).

392. O governador romano da Judéia, Pôncio Pilatos (Jo 18:29). O rei Herodes Antipas,
filho de Herodes, o Grande (Lc 23:8).

393. Jesus caminhou com os pés descalços pelas ruas de terreno irregular, cheias de
pedregulhos. Os soldados o puxam com as cordas. O percurso foi a cerca de cerca de
600 metros. Jesus, fatigado, arrasta um pé após o outro, frequentemente caia sobre os
joelhos.

394. Com cravos, ou seja, pregos com que se fixavam na cruz os pés e as mãos dos
supliciados. Eram de ferro quadrados e pesados.

395. Seu ministério de evangelização foi de 3 anos, por isso cremos que Ele morreu aos
33 anos de idade.

396. - “Orai, para que não entreis em tentação.” (Lc 22:40);


- “Pai, se queres, passa de mim este cálice.” (Lc 22:42);
- “Todavia, não faça a minha vontade, mas a tua.” (Lc 22:42);
- “Por que estais dormindo?” (Lc 22:46);
- “Levantai-vos e orai para que não entreis em tentação” (Lc 22:46);
- “Judas, com um beijo trais o filho do homem.” (Lc 22:48);
- “Deixai-os, basta.” (Lc 22:51);
- “Pai, perdoa-lhes.” (Lc 23:34);
- “Hoje estarás comigo no paraíso.” (Lc 23:43);
- “Mulher, eis aí o teu filho... eis aí tua mãe.” (Jo 19:26,27);
- “Deus meu, Deus meu por que me desamparaste?” (Mc 15:34);
- “Tenho sede.” (Jo 19:28);
- “Está consumado.” (19:20);
- “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito.” (Lc 23:46).

397. Sexta feira, em Jerusalém (Mt 26:47), Jesus foi preso, no jardim Getsemane,
situado à nascente de Jerusalém (Mt 26:36). Ele morreu na sexta feira.

398. Jesus morreu em Jerusalém e ascendeu em Betânia (Lc 24:50-52)


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

399. Ás três horas da tarde (hora nona). (Mc 15:25-34)

400. De 9:00 horas da manhã até ás 3:00 horas da tarde. (Da hora terceira até a hora
nona). (Mc 15:25; Mt 27:46).

401. Um dos soldados furou-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. (Jo
19:34).

402. A Bíblia não nos diz nomes, diz apenas que eram dois salteadores (malfeitores)
um em Seu lado direito e ou a Sua esquerda.

403. - “Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo e a nós.”


- “Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação?”
- “E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que nossos feitos
mereciam, mas este nenhum mal fez.”
- “Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.”(Lc 23:39-42).
O que blasfemou com certeza não foi encontrar com Jesus Cristo, mas o outro que
reconheceu que o Senhor Jesus é o verdadeiro Cristo foi com Jesus para o paraíso. (Lc
23:43).

404. O sol se escureceu (Lc 23:45).

405. O sangue de Jesus Cristo é o sangue da salvação e da redenção. A humanidade e


tudo o mais no universo se unificam e harmonizam sob Cristo. E para os que creem e
aceita Jesus como Senhor e Salvador é lavado pelo sangue e guardado da grande
tribulação.

406. José de Arimatéia. Era um ilustre membro do sinédrio, não deu sua aprovação á
sentença de morte de Jesus. (Lc 23:50,51), era senador (Mc 15:43).

407. A Bíblia não fala em caixão, diz que o corpo de Jesus foi envolvido em lençóis
com especiarias, como os judeus costumam fazer na preparação para o sepulcro e O
colocaram em um sepulcro novo, onde ninguém havia sido sepultado. Depois de
colocar o corpo de Jesus no túmulo, José de Arimatéia rolou uma grande pedra para
fechar a entrada (Mt 27:60); (Jo 19:40-42).

408. A Bíblia não fala em caixão, diz que o corpo de Jesus foi envolvido em lençóis com
especiarias, como os judeus costumam fazer na preparação para o sepulcro e O
colocaram em um sepulcro novo, onde ninguém havia sido sepultado. Depois de
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

colocar o corpo de Jesus no túmulo, José de Arimatéia rolou uma grande pedra para
fechar a entrada (Mt 27:60); (Jo 19:40-42).

409. Muitos corpos de santos foram ressuscitados, (Mt 27:52,53).

410. Ficou quase três dias. Jesus foi sepultado na sexta feira e ressuscitou no domingo
pela manhã, primeiro dia da semana. (Mt.27:57-66).

411. Novecentas e sessenta horas.

412. - Dia = domingo (Mt 28:1).


- Hora = Mateus 28:1 – no fim do sábado. Despontando o primeiro dia.
Marcos 16:1 – de manhã cedo, ao pôr do sol.
Lucas 24:1 - muito de madrugada.
Joao 20:1 - de madrugada, ainda escuro.

413. 40 dias (At 1:3).

414. - Maria Madalena – Junto ao túmulo em Jerusalém (Mc 16:9-11).


- Dois viajantes - Estrada de Emaús (Lc 24:13-32).
- Pedro - Jerusalém (Lc 24:34).
- Dez discípulos no cenáculo – Jerusalém (Jo 20:19-25).
- Onze discípulos no cenáculo – Jerusalém (Jo 20:26-31).
- Aos onze discípulos – num monte em Jerusalém (Mt 28:16-20).
- Mais de 500 crentes – Lugar desconhecido (1Co 15:6).
- Tiago – Lugar desconhecido (1Co 15:7).
- Aos discípulos – Monte das oliveiras em Jerusalém (Lc 24:44-51).

415. 50 dias.

416. 50 dias.

417. Para revestir de poder e capacitar aqueles que recebem a Jesus Cristo como
Senhor e Salvador, para testemunhar e dar continuidade ao trabalho do Senhor Jesus
aqui na terra.

418. Aproximadamente 2000 anos.

419. Aproximadamente 2000 anos.


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

420. “...ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de
poder.” (Lc 24:49).

421. Quando uma pessoa crê no Senhor e se batiza nas águas, o Espírito Santo vem
morar no seu interior. Todos os cristãos têm o Espírito de Deus habitando em seu
interior (Rm 8:9) Existe um momento em que o Espírito Santo opera em nós de forma
mais poderosa, nos enchendo de virtude, poder e manifestando seus dons. Esta
experiência é chamada Batismo no Espírito Santo.

422. A multidão era de quase 120 varões Galileus.

423. A Bíblia não relata a quantidade de pessoas, e sim de nações, que são quinze
conforme Atos 2:9.

424. 15 idiomas.

425. Enfermidades e atormentados de espíritos imundos. (At 5:15,16).

426. No livro de (2Re2:9) Elizeu pediu a Elias a porção dobrada do seu espírito. Elizeu
estava pedindo que seu pai espiritual lhe conferisse uma medida abundante do seu
espírito profético, para, deste modo, ele executar a missão de Elias. Deus atendeu o
pedido de Elizeu, sabendo que o jovem profeta estava disposto a permanecer fiel a Ele.

427. Paulo.

428. A Bíblia foi escrita num período de 16 séculos.

429. Deus inspirou cerca de 40 homens que pertenciam a diversas classes sociais e de
continentes diferentes, em épocas e condições diferentes.

430. Livros = 66
· Capítulos = 1.189
· Versículos = 31.278 (algumas traduções possuem menos).

431. Na Bíblia de edição Católica Romana, o total de livros é de 73 a mais, desde o


Concílio de Trento em 1546 d.C., incluiu no Canon do Antigo Testamento 7 livros
apócrifos, além de 4 acréscimos ou apêndice a livros canônicos, sendo assim um total
de 11 escritos apócrifos. São 14 no total os apócrifos, sendo 10 livros e 4 acréscimos a
livros canônicos. No entanto a Igreja Católica aceita somente 11, sendo 7 livros e 4
acréscimos.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

1 – Os sete livros apócrifos da Bíblia Católica são: Tobias (após o livro de Ester);
Judite (após o livro de Tobias); Sabedoria de Salomão (após o livro de Cantares);
Eclesiásticos (após o livro de Sabedoria de Salomão); Baruque (após o livro de
Jeremias); 1 Macabeus (após o livro de Malaquias); 2 Macabeus (após o livro de 1
Macabeus).
2 - Os quatro acréscimos do apêndice são: Ester (á Ester 10:4-16:24); Cântico dos
três Santos Filhos (á Daniel cap. 3:24-90); História de Suzana (á Daniel cap. 13); Bel e o
Dragão (á Daniel cap. 14).
A igreja romana aprovou os apócrifos em 18 de abril de 1546 como meio de combater
a Reforma Protestante, então recente. Nessa época os protestantes combatiam
violentamente as novas doutrinas romanistas do purgatório, oração pelos mortos,
salvação mediante obras, etc. Os romanistas viam nos apócrifos base para tais
doutrinas e apelaram para eles, aprovando-os como canônicos.

432. A Bíblia começou a ser escrita no deserto do Sinai, no Oriente Médio, ao norte da
África e do Egito; ao sul da Rússia, do Mar Negro, da Turquia e da Grécia; ao leste do
Mar Mediterrâneo e ao oeste da Jordânia e Síria; ao sul do Líbano e Europa (sul).

433. As línguas originais da Bíblia são: o hebraico e o aramaico para o Antigo


Testamento e o Greco para o Novo Testamento.
O missionário Willian Corey, em 1830 traduziu a Bíblia para mais de 30 idiomas ( a
terça parte dos habitantes do globo).

434. A primeira bíblia pesava exatamente 300 quilos, eram rolos.

435. Não se pode prever. Existem alguns sinais que antecedem a sua vinda, mas ainda
assim, não há possibilidade de nenhum ser humano datar a sua volta. Só o Pai
conhece.

436. Aqueles que dormiram no Senhor, que se entregaram ao Senhor Jesus


ressuscitarão e subirão para o céu juntamente com os que ficarem vivos, no
arrebatamento da Igreja, para estarmos para sempre com o Senhor. (1Ts 4:16,17).

437. Existem moradas preparadas para os salvos por Jesus Cristo (Jo 14:2). E está
habitada por Deus Pai, Deus Filho e os anjos. (Sl 11:4; Mc 16:19).

438. O inferno é um lugar de tormento destinado ao suplício das almas dos perdidos.
As almas que partiram deste mundo sem aceitar a Cristo como Senhor e Salvador de
suas almas. (Sl 9:17) Só sairão de lá para o juízo final.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

439. Quando a Igreja for arrebatada, irá para o terceiro céu, isto é, para a Jerusalém
Celeste, e lá inicialmente passará por um período de 7anos. 3 anos e meio no Tribunal
de Cristo (Rm 14:10; 2Co 5:10). Todos os salvos estarão frente a frente com o Senhor
Jesus, que irá recompensar os que trabalharam em prol de sua obra aqui na terra, a
premiação será com galardões e coroas. Os outros três anos e meio será a Boda do
Cordeiro, a festa de casamento entre Cristo e a Igreja (Ap 19:14).

440. Passará pela Grande Tribulação, o período em que Deus irá derramar a sua ira
sobre os gentios que não aceitaram o amor de Cristo. Sete anos divididos também em
dois períodos. Três anos e meio de falsa paz e outros três anos e meio de tribulação
declarada, com atuação do anticristo, besta e falso profeta, no final dos sete anos
acontecerá o juízo das nações e mil anos de paz.

441. Haverá no céu as Bodas do Cordeiro (Ap 19:7). O casamento de Jesus Cristo com
sua Igreja santa, lavada e remida no seu sangue. A Igreja foi toda purificada no Tribunal
de Cristo, agora está pronta para esta tão grande festa. Todos estarão felizes.
Deus nosso Pai celeste, Jesus Cristo nosso noivo amado, o Espírito Santo, os anjos e
todos os salvos reunidos juntos no céu para sempre.

442. a) Anticristo é a besta que sobe do mar. A 1ª besta (Ap 13:1-10), nos três anos e
meio iniciais, trará uma falsa paz fazendo acordo com Israel. Representará um
movimento político de grande poder. Procurará imitar a Cristo no seu papel de
salvador. Não se revelará ser o anticristo antes de terminar a primeira metade dos sete
anos. Colocará sua imagem no templo já construído em Jerusalém e exigirá adoração
dela.
b) Besta é a outra besta que sobe da terra (Ap 13:11-18). A 2ª besta. Procurará
imitar o Espírito Santo. Será um super líder religioso, levará toda a adoração do
anticristo.
c) Falso Profeta é a besta que sobe da terra será também o falso profeta. Falso
profeta de uma religião falsa. O falso profeta será ministro de cultos, que estará á testa
da igreja mundial de satanás (Ap 13:11-16). Obrigando o povo a adorar o anticristo.

443. a) Juízo das Nações ocorrerá depois da Grande Tribulação. Os que escaparem da
Tribulação serão agora julgados. A base do julgamento será a maneira como as nações
trataram os judeus. Nações serão poupadas e ingressarão no milênio. Nações serão
destruídas ali mesmo, isto é, seus habitantes serão eliminados. (Mt 25:31-46). Pessoas
vivas serão julgadas aqui, na Jerusalém terrestre, que receberão suas recompensas
segundo as determinações do Juiz, mas que continuarão vivendo.
b) Juízo Final é quando os mortos ímpios ressuscitarão aqui e serão julgados
conforme suas obras e enviados para o seu destino eterno: o Lago de Fogo e enxofre.
Nessa ocasião a Morte também encerrará sua missão (Ap 20:11-15).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

c) Juízo do Trono Branco este juízo é assim chamado devido as palavras do


versículo 11 de Apocalipse cap. 20: “... um grande trono branco...” . É o juízo dos
ímpios mortos desde o tempo de Adão. Nenhum morto faltará a esse julgamento. Este
julgamento não é coletivo, mas individual. Não haverá injustiça; segundo, porque o
julgamento será conforme as obras de cada um. Assim sendo, o grau de castigo de
cada um variará. A morte, o inferno e aqueles que não foram achados escritos no
“livro da vida” foram lançados no lago de fogo. (Ap 20:11-15).

444. As nações perderão a noção bélica, a estratégia da guerra será de paz (Is 2:4),
pacíficas, vão desfrutar de grandes privilégios espirituais. A terra inteira se
transformará numa imensa cultura de mantimentos. Haverá neste período bênção e
salvação da parte do Senhor (Zc 8:13). As nações que restarem será grandemente
beneficiado durante o período milenal e gozarão de grandes privilégios (Ap 21:26). No
milênio as condições da terra em todos os sentidos serão maravilhosas.

445. O Novo Céu será o lar para os salvos. Somente o vencedor herdará o reino. Será
um lugar onde habitará a justiça e a lembrança do pecado estará apagada (Is 65:17).
Não haverá mais maldição. Não haverá ali tempo. Será uma cidade santa, pois seus
moradores serão santos, justos, comprados pelo sangue de Cristo na cruz.

446. Todos os ímpios desde o tempo de Adão, que morreram sem Cristo. O apóstolo
João viu grandes e pequenos, isto tem a ver com importância, posição e prestígio.
Ricos e pobres serão julgados no juízo do Grande Trono Branco. (Ap 20:12).Diante do
Trono Branco estarão grandes nomes da história: Os Faraós do Egito, reis maldosos
como Eglom (rei de Moabe), homicidas como Caim, traidores como Judas Iscariotes,
mentirosos. Ali estarão os governantes que praticaram verdadeiras atrocidades como
Hitler, Mussolini e outros. Estarão também os falsos lideres religiosos que conduziram
milhares de almas para a perdição eterna, com suas heresias, como Masaharu
Taniguchi, Jin Jones, Reverendo Moon. O s astros de Hollywood que incitaram todo
tipo de infidelidade conjugal, violência, etc. Ali comparecerão. Estarão diante do Trono
Branco os mafiosos, os terroristas, os aliciadores de menores, os patronos das escolas
de samba, os políticos corruptos que saquearam os cofres públicos. Porém, estarão
diante do Trono Branco, cabisbaixos, aqueles que conheceram a Jesus como Senhor e
Salvador, mas depois, a vaidade, o orgulho, o pecado os venceu, (Mt 7:21-23). Todos
citados acima se não aceitaram Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas almas,
serão julgados no juízo final.

447. O lago de fogo abrigará para sempre o anticristo, o falso profeta e os que não
foram achados escritos no livro da vida, serão aniquilados, isto é, reduzidos a nada. A
morte e o inferno também serão lançados lá. (Ap 19:20; 20:10,14,15).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

448. Receberão corpos espirituais para subirem para Jerusalém Celeste e viverão
eternamente com cristo.

449. 8mil.

450. Obadias, Filemom, II João, III João e Judas.

451. Lamentações, Jonas e Naum.

452. II João (possui somente 13 versículos)

453. Salmos (possui 150 capítulos).

454. Salmos 117 (possui 2 versículos).

455. Salmos 119 (possui 176 versículos).

456. Jó 3:2 (possui 07 letras).

457. Ester 8:9 (possui 415 caracteres).

458. 773.693 palavras.

459. 3.566.480 letras

460. 1.189 capítulos e 31.102 versículos (em algumas traduções e editoras possuem
alguns versículos a mais, pois, desdobraram um em dois ou três).

461. Ester e Cantares de Salomão.

PERGUNTAS DA BIBLIA LIVRO POR LIVRO

GÊNESIS

462. O bígamo foi Lameque. (Gn 4-19). Era filho de Metusael e foi pai de Jabal e de
Tubalcaim, filhos de duas mulheres diferentes. De acordo com a Bíblia, foi o primeiro
homem bígamo. Ada, era uma das mulheres do Lameque da linhagem de Caim. Nada
se sabe sobre ela além daquilo que e dito aqui. Seu nome significa “beleza” ou
“adorno”. Ela teve filhos distintos, visto que tiveram importância suficiente para serem
mencionados no livro de Genesis. Zilá. Esse nome que dizer sombra. Mas outros lhe
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

dão de “proteção” ou de “tela”. Ela foi mãe de Tubalcaim, “artífice de instrumento


cortante, de bronze e de ferro”.

463. Foi Jabal. (Gn 4-20). Seu nome significa mestre. Ele foi o inventor das tendas e
criava gado, uma característica das tribos nômades. Suas invenções facilitaram a vida
nômade.

464. Foi Jubal. (Gn 4-21). Esse nome significa riacho. Ele descendia de Caim através de
Lameque e de Ada. Ele aparece na Bíblia como o inventor dos instrumentos que em
hebraico são chamados kinnor e ugab,e que alguns traduzem, respectivamente, por
“harpa” e “órgão”, mas que outros dizem ,”lira” e “gaita”. Nesse caso, como musico
que era seu nome estava associado àquele instrumento musical de sopre. Seu pai nos
forneceu o primeiro poema da Bíblia (Gn 4:23-24). Assim, havia um talento artístico na
família.

465. Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus
Altíssimo. Ele era rei de Salém e sacerdote de Deus abençoou Abraão e recebeu o
dízimo dele depois da vitória do patriarca contra Quedorlaomer. As Escrituras não
relatam nada sobre antepassados nem descendentes de Melquisedeque (o ponto de
Hebreus 7:3). Ele servia como sacerdote antes do nascimento de Isaque, então não era
descendente da tribo de Levi (um dos netos de Isaque). Era sacerdote aprovado por
Deus, independente de linhagem (Gn.14.18,19,20).

466. Sara foi a grande matriarca de Israel, mãe de Isaque, seu filho único, por meio de
quem passou a linhagem messiânica. Ela é a única mulher cuja idade, por ocasião da
morte, é mencionada na Bíblia, o que, sem dúvida, lhe serve de honraria (ver Isaias
51:2). Paulo honrou-a de modo especial quando, em uma alegoria, fez de Sara um tipo
da igreja de Cristo, a dimensão espiritual do pacto Abrâmico (Gn 15:18; 23.1)

467. Devido à viagem ter sido muito longa, o servo de Abraão estaciona sua caravana
perto da cidade de Arã. Os camelos tinham passado dias sem beber água, pelo que era
mister dar-lhes de beber fora ainda da cidade, fontes e poços de água eram e
continuam sendo facilidade das mais importantes naquela terra sedenta. Os camelos
ajoelharam-se para beber, embora ainda não tivessem sido descarregados. (Gn.24..11)

468. Zinrá. Esse nome poderia significar célebre, pois pode derivar de zimra (cântico,
fama). Zinrá era filha de Abraão e Quetura;
Jocsã. No hebraico, armador de ciladas ou passarinheiro, nome do segundo filho
de Abraão e Quetura;
Medã. No hebraico, contenção. Ele era filho de Abraão e Quetura (Gn 25:2 e I);
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Midiã. No hebraico, contenda. Ele foi o quarto dos seus seis filhos de Abraão e
Quetura (Gn 25:2 e I Crô 1:32);
Jisbaque. Seu nome também aparece como Isbaque e;
Suá. Não encontramos informações seguras a seu respeito, nem sobre seus
descendentes;
Isaque. (Filho de Sara) significa” riso”, envolvendo o riso de Abraão (Gn 17:17) e o
riso de Sara (Gn 18:12) e;
Ismael. (Filho de Hagar). Gênesis 25-2,9.

ÊXODO

469. Foi Joquebede, mãe de Moisés. (Êx 2-8,9,10) Quanto a informação sobre a mãe de
Moisés somente em Êx.6:20 ficamos sabendo o seu nome Joquebede e ela chegou a
ser remunerada pelos seus serviços pela filha de Faraó. (Êxo 2:9)

470. Em (Êx 4-24,2), fala que Zípora esposa de Moises tomou uma faca de pedra,
circuncidou o prepúcio de seu filho e, lançando-o aos seus pés, e disse: “Com efeito, é
para mim um esposo sanguinário”

471. Foi Anrão, pai de Moisés. Um levita que se casou com sua tia, irmã de seu pai, e
teve com ela Miriã, Arão e Moisés. Os anrameus eram seus descendentes,
encarregados de deveres especiais no tabernáculo, no deserto. Anrão morreu aos
cento e trinta anos de idade, provavelmente antes do Êxodo. (Êx.6:18-20; Núm.3.19;
26.59).

472. Em Êxodo 15-23, 24,25. Poços e fonte de água salobra são frequentes nas regiões
desérticas. Os israelitas, ao encontrarem água imprópria para o uso humano,
chamaram-na de “amarga”, significado da palavra hebraico Mara. O extremo amargor
do gosto da água das fontes da extremidade sul do deserto de Sur é confirmado por
todos os que por ali viajam. Há diversas dessas fontes. Essa foi a sexta parada de Israel
durante suas vagueações pela península do Sinai, depois do Êxodo (Êx 15.23-24 e Nm
33.8) as águas do lugar era amargosa, o que explica tal locativo. No entanto,
miraculosamente, Moisés tornou-as boas para o consumo humano (por orientação
Divina), após te lançado nelas certa árvore.

473. Em Êxodo 21-27. Se um homem maltratasse se escravo, corria o perigo de perdê-


lo pelo que sofreria uma perda financeira porque também teria que comprar outro
escravo. Danos seriam sofridos por um escravo podiam resultar em sua libertação.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

474. Em Êxodo 23-20,21. Era muito importante demonstra o máximo de respeito para
com o anjo. Porque Ele era o agente plenamente autorizado de propósito e de poder
de Deus.

LEVÍTICO

475. A lei da oferta de manjares (Lv 6:14-18).


A lei da oferta da consagração dos sacerdotes (Lv 6:19-23).
A lei da oferta do holocausto (Lv 6:9).

476. A festa do tabernáculo é a terceira maior festa que o povo hebreu comemora (Lv
23:33-43). Era comemorada de 15 a 22 de Tisri. ( Tisri: setembro-outubro – 1Rs 8:2).
Era assim chamada, porque o povo deixava suas casas e morava em cabanas ou tendas
temporárias, feitas de ramos de árvores, por sete dias (Lv 23:40-43).
Esse ato lembrava ao povo a bondade de Deus para com ele durante seus quarenta
anos nO deserto, sem habitação permanente. Também era chamada festa da colheita,
porque ela comemorava o término da colheita dos frutos e nozes do verão.

477. O propósito de Deus ao instituir esse ano especial (o ano do jubileu), era garantir
a justiça e impedir os ricos de acumular riquezas e adquirir terras ás custas dos pobres.
No ano jubileu três características se distinguiam:
Todos os escravos israelitas eram libertados. - Toda propriedade dos ascendentes
que tivesse sido vendida era devolvida á família original.
A terra permanecia em repouso sem cultivo.
Este ano ocorria a cada cinquenta ano.

NÚMEROS

478. Foi Balaque, rei de Moabe. (Números 22-5,6,12;23-11, 1.Balaão não era israelita,
mas, um sacerdote-adivinho conhecido entre as nações daquele tempo. Balaque
acreditava que esse homem podia lançar maldições sobre o povo. Influindo na vontade
dos deuses e espíritos mediante seus conhecimentos ocultos de feitiçaria, de
sortilégios e das manipulações misteriosas.

479. Foi Balaão. (Nm 22-25). A jumenta continuou sendo importunada pelo Anjo, e não
pode seguir na direção de umas vinhas. O animal tentou forçar passagem entre dois
muros, que passavam pela vinha, mas uma vez mais ficou assustado. Disso resultou
que a jumenta chocou-se contra uma mureta, e o pé de Balaão ficou preso entre o
animal e a mureta. Então Balaão espancou sua montaria pela segunda vez.

480. Nos capítulos 1 e 26 encontramos dois censos do povo.


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Capítulo 1:1-54 = o primeiro censo, o censo dos soldados de Israel.


Capítulo 26:1-65= o segundo censo o censo da nova geração.
O propósito do censo era organizar Israel como nação e também seu exército (Nm
1:3).
A realização do censo ressaltou o fato que cada indivíduo era importante nos
propósitos de Deus e que todos deveriam ser dirigidos por Ele, e prestar-lhe conta de
tudo.

DEUTERONOMIO

481. Em Deuteronômio 20-19.Uma provisão humanitária é determinada aqui. As


árvores produtoras de alimento não podiam ser cortadas, nem como ato de ódio nem
como ato de crueldade, e nem para prover madeira para fabricar instrumentos de
guerra ou baluartes. As árvores são fontes de vida e devem ser respeitadas. Essa é uma
sabedoria antiga, que nos tempos modernos continua sendo negligenciada por muitos,
por causa da ganância e maldade dos homens.

482. Vários alimentos principalmente o pão e vinho. (Dt 29-5,6). As provisões


especiais, durante os 40 anos de perambulação pelo o deserto, incluíram até milagre.
Assim o elemento miraculoso acompanhou Israel do começo ao fim. Nas andanças
pelo o deserto roupa e sapatos não podia ser obtido por meio de comércio, por isso os
objetos dessa natureza foi conferido pelo Senhor um grande poder de permanência.
Se não tinha pão comum para comer, Eles receberam o miraculoso maná que foi
produzido pela intervenção divina. Os filhos de Israel também não tiveram vinho nem
bebida alcoólica, mas receberam uma bebida miraculosa, a água saída da rocha.

483. Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim. Deuteronômio 29-23. De Adma e de Zeboim.


Essas duas cidades estavam compactuadas com Sodoma e Gomorra, e sofreram a
mesma sorte.

484. Foi Moisés. (Dt 34-5,6). Este o sepultou num vale. Moisés viveu uma vida especial,
e foi-lhe conferido um sepultamento especial. E podemos ter certeza de que ele ocupa
um lugar especial no céu.

JOSUÉ

485. Foi Arba. (Josué 14-15)

486. Pará, em Josué 18-23 e Belém, em Josué 19-15.


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

487. Josué, antes de assumir a liderança do povo, já vinha sendo o “servo de Moisés”,
que nunca se apartava da tenda (Ex 33:11). Por isso Deus o nomeou sucessor de
Moisés, capacitando-o para tal obra. Josué se tornou:
Um valente comandante militar (Ex 17:8-16);
Um ministro pessoal e assistente (Ex 24:13,14);
Um espião corajoso (Nm 14:24).
Josué não somente servia fielmente a Moisés, como também tinha comunhão pessoal
com Deus. Aprendeu permanecer longo tempo a sós com Deus. Essa dedicação
preparou-o para ser o sucessor de Moisés.

JUÍZES

488. Adoni-Bezeque, rei de Bezeque. (Jz 1-6,7).

489. Eglom, rei dos moabitas. (Jz 3-17).

490. Sangar. Juízes 3-31.

491. Foi Baraque. (Jz 4-4,6,8,9). Só iria para a batalha se Débora fosse junto com ele.

492. Foi Jael. (Jz4-18,21). Ela matou Sísera na sua tenda.

493. Era a Mãe de Sísera que aguardava a volta de seu filho. (Jz 5-28).

494. Abimeleque, filho de Davi. (Jz 9-1,2,3,4,5,6).

495. Foi Jair. As cidades chamavam-se Havote-Jair e ficavam na terra de Gileada. Jair
julgou Israel vinte e dois anos. Morreu e foi sepultado em Camom (Jz 10-4).

496. Foi Jefté. Sua filha foi a primeira pessoa que ele lhe saiu ao encontro. Não
devemos fazer votos precipitado. (Jz. 11-30, 31,32,34,35,39,40).

497. Foi Sansão. (Juízes 16-30).

RUTE

498. Era Rute. (Rute 4-13,16,17).


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

499. O autor do livro de Rute é desconhecido. Porém o Talmude e a tradição judaica


sugerem que o livro foi escrito por Samuel por causa da semelhança de linguagem
entre os livros de Rute, Juízes e Samuel.

500. Um homem de Belém, parente de Noemi e esposo de Rute. Seu nome consta na
genealogia de Cristo (MT 1:5). Boaz como parente próximo de Noemi, cuidou dela e de
Rute. (Rt 2:4).

I SAMUEL

501. Foi Eli quando soube que a Arca do Senhor tinha sido tomada e seus filhos tinham
morrido. (I Samuel 4-18).

502. A mulher de Finéias. (I Samuel 4-19,20).

503. Foram os filisteus. (I Samuel 7-10).


504. Foi Saul. (I Samuel 9-2, 3,17).

505. Jônatas, filho do rei Saul, e povo foram os Filisteus. (I Samuel 14-13,14).

506. Em I Samuel 17-18.

II SAMUEL

507. Um moço amalequita por matado o rei Saul. (II Samuel 1-1 a 16).

508. Foram Recabe e Baaná, por terem matado Isbosete filho de Davi. (II Samuel 4-8,
9, 10, 11,12).

509. Absalão filho do rei Davi. (II Samuel 14-25).

510. Absalão. (II Samuel 14-25, 26).

511. Foi o geteu Itai. II Samuel 19-23.

512. Foram Jônatas e Aimaás. (II Samuel 17-17, 18,19,20,21).

513. Foi Aitofel. (II Samuel 17-23).

514. Foi Joabe. Ele matou seu irmão Amasa. (II Samuel 20-9,10).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

515. Jônatas, irmão de Davi. (II Samuel 21-20,21).

516. São: Josebe-Bassebete, Eleazar e Samá. (II Samuel 23-8, 9,10,11,12).

I REIS

517. Foi Simei. (I Reis 2-40,42,46).

518. Escreveu Três mil provérbios. (I Reis 4-32).

519. Salomão compôs Mil e cinco cânticos. (I Reis 4-32).

520. Por causa das muitas guerras que ele teve de enfrentar contra os seus inimigos. (I
Reis 5-3).

521. Foi tirada do Líbano. (I Reis 5-6).

522. Foi Hirão, rei de Tiro e Salomão, rei de Israel. (I Reis 9-27).
523. Duas vezes. I Reis 11-9.

524. Jeroboão. (I Reis 14-1,2,17).

525. Foi Zinri, quando a cidade de Tirza foi tomada. (I Reis 16-18).

II REIS

526. Em II Reis 2-23,24. Quando Eliseu subia de Betel, estes jovens o chamaram de
calvo e eles foram amaldiçoados e foram despedaçados por duas ursas. Morreram
quarenta e dois jovens.

527. O filho da mulher de Suném. (II Reis 4-17, 18, 19,20).

528. Foi Eliseu quando ordenou o seu servo distribuir “vinte pães de cevada e espigas
verde para cem homens”. Todos comeram e ainda sobrou. (II Reis 4-42,43,44).

529. Foi Eliseu no rio Jordão. (II Reis 6-6).

530. Neustã. (II Reis 18-4).

531. O Rei Ezequias. (II Reis 20-1, 2,3,4,5,6).


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

532. Manassés, rei de Judá. (II Reis 21-6,11).

I CRÔNICAS

533. Por ter profanado o leito do seu pai. (I Crônicas 5-1).

534. Seerá. O nome edificou as cidades de Bete-Horon e a Uzém-Seerá (I Crônicas 7-


24).

535. Por causa da sua transgressão contra o Senhor, por não ter guardado a Palavra do
Senhor e por ter consultado uma necromante. (I Crônicas 10-13,14).

536. Foi Uzá, ele estendeu a mão para segurar a arca. (I Crônicas 13:9,10).

537. Foi Ornã. (I Crônicas 21-20).

538. Era Jedutum. I Crônicas 25-3.

II CRÔNICAS

539. As três festas anuais eram: (II Crônicas 8-13).


Festa dos Pães Asmos,
Festa das Semanas (Pentecostes) e
Festa dos Tabernáculos.

540. Foi o profeta Micaías. Ele levou uma bofetada do rei Zedequias (II Crônicas 18-
23,24).

541. Do reinado de Salomão, (2Cr 1:1-9), até a história do reino de Judá até o cativeiro
em Babilônia – (2Cr 10-36).

ESDRAS

542. Em Esdras 3-12,13. Quando foram lançados os alicerces do templo.

543. Adoração verdadeira, Avivamento, Reforma.

544. Era sacerdote, escriba e o escritor do livro de seu nome. Era um dos cativos de
Babilônia, onde provavelmente nasceu. Homem de profunda humildade. (Ed 9:10)
“Escriba versado na lei” (Ed 7:6), revisou e editou as escrituras depois de voltar do
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

cativeiro. Morreu com 120 anos. Os judeus dizem que se a lei não tivesse sido dada por
Moisés, Esdras mereceria a honra de ser o legislador dos hebreus.

NEEMIAS

545. Porque Neemias tinha grande apreço pelo seu o povo e pela obra de Deus em
Judá. Durante quatro meses derramou seu coração diante de Deus, em Jejum e oração
com muitas lágrimas por causa do problema que afligia o povo de Deus em Jerusalém
e em Judá (Ne 1:4). Ele pediu á Deus que o abençoasse e usasse o rei Artaxerxes com
permissão para ele ir edificar os muros de Jerusalém e fortificá-la. Era um homem de
oração.

546. Reconstrução dos muros de Jerusalém, dirigida por Neemias (Nm 1:1-7),
Avivamento em Jerusalém, liderado por Esdras (Nm 8:1-10:39),
Neemias promove a reforma da nação (11:1-13:31).

547. Cerca de 430-420 a.C.

ESTER

548.Quais os nomes dos 3 reis, que tiveram insônia?


Assuero, rei da Pérsia (Ester 6-1,2) ;
Nabucodonosor, rei da Babilônia (Daniel 2-1) e
Dario, rei da Pérsia (Daniel 6-18).

549. Hamã. (Ester 7-10). Morreu enforcada na forca que ele mesmo fez para enforcar
Mordecai.

550. Provavelmente, porque foi transcrito de narrativa persa. Mas não existe História
em que o nome de Deus seja mais evidente.

551. Foi Jó em (Jó 1-18,19).

552. Jó. (Jó 13-4).

553. Jó. (Jó 29-14,16).

554. A avestruz. (Jó 39-13,14,15,16).


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

555. Por cerca de 1 ano.

SALMOS

556. Salmo 14 e Salmo 53.

557. Salmo 118-8.

558. Salmo 147-4.

559. Selá tem significação incerta. Não se sabe se serve de sinal para uma pausa, ou
uma mudança de piano para forte, ou para uma exclamação dos adoradores, como
“amém” ou “aleluia”. Palavra usada 71 veze em 39 salmos e no salmo de Habacuque.
Higaion, vocábulo musical de significação incerta. A mesma palavra é traduzida
por “som solene” em salmo 92:3 e meditação em salmo 19:14.
Jedutum, aparentemente o nome dos diretores musicais (Salmos 39;62;77).
Masquil, Salmo didático. São poemas bíblicos que visam comunicar princípios
espirituais ao povo. (Sl.52:55)
Mictão, Salmos áureos de Davi (Salmos: 16, 56 a 60).

PROVÉRBIOS

560. Em Provérbios 17-22.

561. A preguiça é ainda mais tentadora na esfera espiritual do que na física. Deus nos
exorta a procurar fazer cada vez mais a nossa vocação (2Pe 1:10).
É vergonhoso ser preguiçoso quando a trabalho por fazer (Pv 6:9-11). Ainda mais
vergonhoso é o crente recusar egoisticamente, a trabalhar na colheita de almas para
Deus! Prestemos atenção ás palavras de Jesus Cristo e laboremos juntamente com Ele
pela salvação do mundo (Mt 9:37,38).

562. Salomão produziu 3000 provérbios e 1005 cânticos. Nos versículos de 1:1; 10:1 e
25:1 encontramos evidências de sua autoria. (IRs 4:32).

ECLESIASTES

563. Em Eclesiastes 7-3. Porque com tristeza no rosto se faz melhor o coração.

564. No livro de Provérbios 7:22.


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

565. Porque alguns dizem respeito à conduta moral do ser humano, ou seja, entende-
se que seja por ser muito filosófico, algo natural do homem e não o sobrenatural que
vem de Deus.

566. Rei Acaz. (Isaías 7-2).

567. Em Isaías 65-25.

CANTARES

568. Tipologicamente, esse amor é a união que deve haver entre Cristo e a sua Igreja.

569. 1- O anelo da noiva pelo noivo (1:2-2:7),


2- A busca e o encontro dos noivos amados (2:8-3:5),
3- O cortejo nupcial (3:6 – 5:1),
4- A noiva teme perder o noivo (5:2 – 6:3),
5- A formosura da noiva (6:4 – 8:4),
6- A suprema beleza do amor (8:5 – 14)

570. O rei Salomão fez uma carruagem para o dia do seu casamento. Este carro foi
ornamentado com madeira de cedro do Líbano, (3:9). Com ouro, prata e púrpura.
As palavras do rei á sua noiva demonstra um grande amor... “Como é formosa, querida
minha, como és formosa!”(4:1). O rei enaltece a elegância de sua futura esposa.
Salomão deseja que sua amada se deleite totalmente nele, esquecendo o passado,
centralizando a sua vida no relacionamento com ele. Ele declara o seu profundo amor
a ela (4:9,10). A alegria do rei é evidente quando sua amada aceita o seu convite e
declara ser completamente dele. Os seus amigos são convidados a comerem e
beberem fartamente em sua festa nupcial.

ISAÍAS

571. Isaías contém mais promessas a respeito de Cristo do que qualquer outro livro do
Antigo Testamento. O próprio Cristo citava trechos de Isaías. (Is 61:1-2; Lc 4:18,19).

572. 1- Profecia de juízo e repreensão (Is 1:1-35).


2- Interlúdios histórico acerca de Ezequias (Is 36:1-39).
3- Profecias de salvação e esperança (Is 40:1-66).

573. Nos capítulos de 1 a 12, Isaías adverte e denuncia Judá pela sua idolatria,
imoralidade e injustiças sociais durante um período de prosperidade enganadora.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

574. Isaías 52:13-15


Isaías 53:1-12

JEREMÍAS

575. Veada. (Jeremias 14-4,5).

576. Profeta Hananias. (Jeremias 28-15,16,17).

577. Profeta Semaías. (Jeremias 29-31,32).

578. Em Jeremias 49-22.

579. O profeta foi Jeremias.


A cidade foi Babilônia
O rio foi Eufrates.
(Jeremias 51-60, 61,62,63,64).

580. Rei Joaquim. (Jeremias 52-33,34). O rei Evil-Meroque da Babilônia ,deu ao rei
Joaquim uma subsistência vitalícia, uma pensão diária até a sua morte.

LAMENTAÇÕES

581. 1- Devastação de Jerusalém.


2- Ira de Deus e a tristeza de Jerusalém.
3- A aflição e a esperança do povo de Deus.
4- Passado, futuro e presente de Sião.
5- Oração pela restauração.

582. O objetivo principal do poema de Jeremias são as consequências terríveis do


pecado do povo de Deus. Jeremias destaca que ainda que Deus seja longânime e
paciente quanto á execução dos seus juízos, o seu julgamento virá inevitavelmente. O
poema enfatiza também a misericórdia de Deus, sempre manifesta em resposta ao
arrependimento, ou seja, lamentar a aflições que vieram a Jerusalém, (Lm 1.1-7).

583. O livro de Lamentações é pouco conhecido entre os cristãos, mas é muito popular
entre os Judeus. Ele foi escrito para ser estudado e memorizado. Faz parte de um
conjunto de cinco livros conhecidos como os “Escritos”, os quais são lidos em duas
espécies de festas e de jejum. Lamentação ainda hoje é lido num determinado dia de
jejum, em meados do mês de julho, para relembrar a destruição do Templo.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

EZEQUIEL

584. Foi Ezequiel. (Ezequiel 5-1).

585. Foi o profeta Ezequiel. (Ezequiel 21-1,2,3).

586. Em Ezequiel 30-25.

DANIEL

587. O rei Nabucodonosor, rei da Babilônia. (Daniel 4-33).

588. O Rei Dario. (Daniel 6-18).

589. O Rei Dario, quando Daniel foi para a cova dos leões. (Daniel 6-16 a 19).

OSÉIAS

590. O povo de Israel. (Oséias 4-16).

591. O povo de Samaria. (Oséias 10-5).

592. O rei de Samaria. Oséias 10-7

JOEL

593. 1- Joel 2:28,29;


2- Atos 2:16,17.

594. A data do livro gira em torno do ano 835 a.C. Naqueles dias houve vários ataques
de pragas de lacustas. A história registra descrições destas pragas. Testemunhos
fidedignos comentam que os enxames destas pragas cobriam dezenas de alqueires,
chegando ás vezes, a cobrir 50 km de largura por 120 de comprimento. Os insetos
destruíam tudo na lavoura e ainda entravam nas casas, trazendo uma verdadeira
destruição. (Jl 1:4).

595. Em consequência da devastação da terra, e aflição entre o povo. Naquela época,


devido á grande rebeldia do povo de Deus, eles haviam sido atingidos por uma terrível
catástrofe. Para Joel tal catástrofe fora enviada por Deus para que os anciãos e o povo
voltassem ao Senhor.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

AMÓS

596. Eram as mulheres de Basã.


E elas foram comparadas com Vacas. (Amós 4-1).

597. Foi Amós. (Amós 7-7,8).

598. Em Amós 4-7.

OBADÍAS

599- O livro de Obadias foi escrito cerca de 840 a.C.

600. 1- Itália
2- Rússia
3- Coréia do Norte
4- Japão
5- China

601. - Regozijaram com o sofrimento de Judá (Ob 1:10-14).


- Soberba – segurança geográfica (Ob 1:3)

JONAS

602. Conforme 2Rs 14:25, Jonas era da aldeia de Gate-Hefer, situada perto de Nazaré,
na Galiléia.

603. Jonas tentou escapar da missão imposta por Deus á ele, fugindo para Társis
(Espanha), enquanto tinha que ir para Nínive, ordem de Deus (Jn 1:2,3), com isso ele
tentava escapar da presença de Deus. Deus havia comissionado Jonas para advertir a
Nínive, capital do Império da Assíria, concernente ao juízo divino, que está prestes a vir
sobre ela em consequência de seus muitos pecados. Uma nação cruel, perversa e
imoral (Na 1:1; 2:12,13; 3:1,4,16,19). Nínive era uma ameaça á sobrevivência de Israel.

604. Enquanto Jonas dormia, os marinheiros corriam grande perigo. Hoje, muitos
crentes estão dormindo no leito espiritual despreocupado, enquanto ao seu redor
almas preciosas perecem nas tempestades da vida.

MIQUÉIAS

605. Em Miquéias 3-11.


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

606. Miquéias escreveu acerca da libertação de Judá, (assim como Isaías), do jugo da
Assíria e da conquista por Babilônia: ambos veem, no futuro. O retorno ao
arrependimento do povo de Deus e fala também do milênio e das graças que Ele trará.
(Mq 4: 1-5)
Miquéias prediz o nascimento de Cristo na pequena vila de Belém Efrata. (Mq 5:2).

607. Estabelecer Israel com poder novamente, trazendo paz e prosperidade. Trará
justiça, ricas bênçãos e total harmonia entre os homens. O povo de Deus será uma
nação poderosa.

NAUM
608. O ministério de Miquéias foi exercido durante os reinados de três reis de Judá:
Jotão (751-736 a.C.),
Acaz (736-716 a.C.) e
Ezequias (715-687 a.C.).

609. Significa a magnífica misericórdia de Deus em perdoar o mais vil pecador, por
maiores que sejam os pecados cometidos, o desejo de Deus é que o pecador se
arrependa e Ele remova o seu pecado para longe.

610. Porque não havia pessoas justas e piedosas em Israel (Mq 7:2). Eram todos
desprezíveis e havia acabado a moralidade e a salvação entre eles. (Mq 7:3-5).

HABACUQUE

611. O nome Habacuque significa literalmente “que abraça.” Aquele que acolhe outro
no seu coração e nos seus braços, “como alguém que consola uma criança que chora,
fazendo-a acalmar-se.” (Martinho Lutero).

612. Habacuque escreveu este livro para ajudar o remanescente piedoso a


compreender os caminhos de Deus no tocante á sua nação pecaminosa, e ao seu
castigo iminente. Garante aos fiéis que Deus lidará com toda a iniquidade no tempo
determinado, e que o justo viverá pela fé. (Hc 2:4; Rm 1:17).

613. 1- Ai do avarento (Hc 2:6-20)


2- Ai do cobiçar (Hc 2:9-11)
3- Ai do que pratica a crueldade (Hc 2:12-14)
4- Ai do corrupto (Hc 2:15-18)
5- Ai do idólatra (Hc 2:19-20)
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

SOFONIAS

614. O profeta Sofonias era tataraneto do rei Ezequias. (Sf 1:1)

615. “O dia do Senhor.” (Sf 1:7)

616. Homens que profanaram o santuário de Deus e fizeram violência á lei. (Sf 3:4)
Profanavam a casa de Deus ao violarem seus princípios e viverem vidas imorais em
nome de Deus para seu benefício próprio.

AGEU

617. Porque é um dos profetas pós-exílio, supõe-se que ele retornou com um novo
grupo de exilados. Provavelmente Ageu testemunhou a crescente apatia durante
aquele período, e, ao chegar á idade apropriada, o Espírito de Deus sobre ele operou
com o dom da profecia entregando aos líderes daquela época a mensagem de Deus
para a reedificação do Templo.

618. O povo foi obediente á voz de Deus, com uma renovada consagração ouviu o que
o profeta dizia e começou a trabalhar. (Ag 1:12-15).

619. Nos dias atuais cada igreja tem desafios específicos. É necessário que os líderes
ensinem cada vez mais a Palavra de Deus e que todos reconheçam a necessidade do
crescimento da igreja em relação á salvação das almas. Cada cristão deve ver a
necessidade da igreja e fazer sua parte exercendo o dom que Deus atribuiu a cada um
e empregá-los bem para o desenvolvimento do reino de Deus.

ZACARIAS

620. “Santidade ao Senhor”. (Zacarias 14:20).

621. A primeira parte do livro contém uma exortação aos judeus para que voltem ao
Senhor para que o Senhor também se volte a eles.

622. Acontecerá no final dos tempos.

MALAQUIAS

623. Em Malaquias Deus encerra a mensagem profética do A.T, ficando 400 anos em
silencio profético: a longa ausência profética terminaria no surgimento de João Batista.
Foi este o previsto por Malaquias como o antecessor do Messias. (Ml 3:1).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

624. Malaquias faz cair sobre os ombros de seu povo a responsabilidade de toda a
situação caótica que estava imperando na nação. Suas plantações estavam sendo
devastadas pelo “devorador” acirrando ainda mais a crise econômica no país. Qual
seria a razão disso tudo? Na teimosia do povo eles estavam roubando de Deus nos
seus dízimos. Essa sonegação estava acarretando prejuízos nas mais diversas áreas.
As suas bênçãos encontravam-se sob maldição: “com maldição sois amaldiçoados,
porque me roubais a mim, vós, toda a nação” (Ml 3:9). Mesmo falhando com Deus Ele
nos promete bênçãos. É só dizimar como Ele nos recomenda em sua Palavra, que a
benção é certa: “e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos
abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma benção tal, que dela vos
advenha maior abastança”.

625. Na lei de Deus, os israelitas tinham a obrigação de entregar a décima parte de


tudo que possuíam como reconhecimento e gratidão pelas bênçãos divinas (Lv 27:30-
32; Nm 18:21,26; Dt 14:22-29). O dízimo era usado primariamente para cobrir as
despesas do culto e o sustento dos sacerdotes, mas os israelitas na época de
Malaquias não estavam agindo de acordo com a lei, mas se o povo se arrependesse e
se voltasse ao Senhor, e como sinal de seu arrependimento passasse a sustentar a
obra de Deus e os seus ministros com os dízimos e ofertas o Senhor os abençoaria de
forma abundante (Ml 3:10).A igreja de hoje também tem que dizimar e ofertar não
somente os israelitas daquela época, para que as bênçãos do Senhor nos alcance. As
bênçãos que acompanham a fidelidade na contribuição financeira virão tanto nesta
vida como na do porvir.

626. A revelação de Deus cessar-se-ia temporariamente. A lei deveria ser a regra de


vida e conduta do seu povo, Malaquias foi o último profeta usado no A.T. Agora
reinicia com João Batista, preparando o caminho para o Profeta dos profetas, Jesus
Cristo. Este período de silêncio durou 400 anos.

MATEUS

627. 1. Pedro (Simão Cefas)- Pescador


2. André – Pescador
3. Tiago (o maior) – Pescador
4. João (o amado) – Pescador
5. Tiago (o menor)
6. Judas (Tadeu)
7. Felipe
8. Bartolomeu (Natanael)
9. Mateus (Levi) – cobrador de impostos
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

10. Tomé (Dídimo)


11. Simão (Cananeu Zelote)
12. Judas (Iscariotes)

628. O evangelho segundo Mateus foi escrito para os crentes judaicos. A origem
judaica deste evangelho se sobressai. Não é um evangelho exclusivamente judaico,
visava á igreja inteira, revelando fielmente o escopo universal do evangelho, mas dá
muita ênfase aos crentes judaicos. (Mt 1-17; 1:1; 9:27).

629. Cerca de 60 d.C.

MARCOS

630. Marcos registra em seu evangelho dezoito (18) milagres de Jesus,


A cura do leproso – (Mc 1:40-42)
A cura da sogra de Pedro – (1:30-31)
A cura de dois homens de Gadara – (5:1-15)
A cura do paralítico – (2:3-12)
A cura da mulher hemorrágica – (5:25-29)
A cura do homem da mão mirrada – (3:1-5)
A cura da filha da mulher Cananéia – (7:24-30)
A cura do menino endemoninhado – (9:17-29)
A cura de dois cegos (inclusive Bartimeu) – (10:46-52)
A cura um surdo-mudo – (7:31-37)
Um endemoninhado na sinagoga – (1:23-26)
Um cego de Betsaida – (8:22-26)
Ressurreição da filha de Jairo – (5:22-24
Acalmou uma tempestade – (4:37-41)
Andou sobre o mar – (6:48-51)
Alimentou cinco mil pessoas – (6:35-44)
Alimentou quatro mil pessoas – (8:1-9)
Secou uma figueira (11:12-14, 20-25)

631. Marcos escreveu este evangelho para os crentes romanos. Sua intenção era
fortalecer os alicerces da fé dos crentes romanos, que estavam sofrendo de grande
perseguição pelo imperador romano, Nero. Foi escrito de 55 a 65 d.C.

632. Era Maria (At 12:12)

633. Para Maria Madalena. (Marcos 16-9).


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

LUCAS

634. Foi Zacarias. (Lucas 1-18, 19,20).

635. Foi Simeão, o qual servia no templo. (Lucas 2-25,26).

636. Em Lucas 13-29 e Gênesis 13-14.

637. Zaqueu, por causa de sua baixa estatura. (Lucas 19-4).

JOÃO

638. Em João 8-6,7,8.

639. Em Hebraico, Latim e Grego. João 19-19,20.

ATOS

640. A cura de Enéias, homem que era paralítico havia oito anos, foi curado por Pedro.
(Atos 9-33, 34,35).

641. Em Antioquia, os discípulos foram chamados cristãos pela primeira vez. (Atos 11-
26).

642. Foi o profeta Ágabo. (Atos 11-27,28).


643. Barnabé foi chamado de Júpiter e
Paulo, de Mercúrio. (Atos 14-12).

644. Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus. (Atos 16-14).

645. Ágabo, um profeta da Judeia. (Atos 21-10,11).

646. O apóstolo Paulo foi de aos pés Gamaliel. (Atos 22-3).

647. Em Atos 23-12, 13,14. E a pessoa era o apóstolo Paulo.

648. Foi apóstolo Paulo na ilha de Malta. (Atos 28-3,5).

ROMANOS

649. As mulheres foram Trifena, Trifosa e Pérside. (Romanos 16-12).


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

650. Tércio. (Romanos 16-22).

651. a) Justificação é o perdão dos pecados. O pecador arrependido passa a ser visto
por Deus como um justo.
b) Santificação é uma necessidade espiritual, porque sem ela ninguém verá o
Senhor. (Hb 12:14). A santificação é uma posição que garante ao crente uma contínua
vitória sobre o pecado.

I CORINTIOS

652. 1- Divisão na Igreja- (1:10-4:21).


2- Problemas morais na Igreja (5:1-6: 20)

653. 1- A mulher cobrir a cabeça na igreja. (11:2-16).


2- A conduta na Ceia do Senhor. (11:17-34)
3- Os dons espirituais. (12:1-14:40).

654. A Santa Ceia é um ato de comunhão com Cristo e participação nos benefícios da
sua morte sacrificial e ao mesmo tempo comunhão com os demais membros, deve o
visitante se examinar e se não encontrar indigno, mas em comunhão com Cristo e com
os irmãos, não deve ser impedido de participar desta tão grande festa. (1Co11:28)

II CORINTIOS

655. O apóstolo Paulo chegara a Corinto cerca de 50 d.C. Enquanto morava ali com o
casal Áquila e Priscila ele ficou um ano e seis meses ensinando a palavra de Deus.
Escreveu 2CORÍNTIOS, na Macedônia (outono de 55 ou 56 d.C.), no decurso da sua
terceira viagem missionária (2Co 2:12,13).

656. Em Macedônia (2 Co 2:12,13).

657. Sim. O pastor tem direitos trabalhistas e merece um amparo, visto que dá a vida
pela obra e sempre o ministério cresce.

GÁLATAS

658. Certos mestres judaicos estavam inquietando os novos convertidos da Galácia,


impondo-lhes a circuncisão e o jugo da lei mosaica como requisitos necessários á
salvação e ao ingresso na igreja, com isso estavam abandonando a fé genuína em
Cristo, ensinadas por Paulo. (Gl 3:15-24).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

659. Porque sem o amor é impossível agradar ao Nosso Deus.

660. Em 64 a.C. a Galácia se tornou vassala dos romanos e, depois da morte de


Amintas, seu último rei, foi-lhe dada plena posição de província romana (25 A.C.). A
nova província da Galácia incluía não somente o antigo território étnico, mas
igualmente algumas regiões do Ponto, da Frígia, da Licaônia, da Pisídia, da Paflagônia e
da Isáuria. Dentro da província da Galácia ficavam as aldeias que o apóstolo Paulo
evangelizou por ocasião de sua primeira viagem missionária, a saber, Antioquia da
Pisídia, Icônio, Listra e Derbe (At 13 e 14). Estas duas últimas cidades eram colônias
romanas, enquanto que as duas anteriores foram romanizadas pelo imperador
Cláudio. Grande número de romanos, gregos e judeus eram atraídos a esses centros
populacionais por causa de sua localização geográfica estratégica.

EFÉSIOS

661. Esta é chamada a epístola do 3º céu de Paulo, pois aparece cinco vezes a frase:
“As Regiões Celestiais”, (1:3; 2:6; 3:10). Aparece também à palavra “Graça”, doze
vezes, a epístola é realmente “o Evangelho da Graça de Deus”.

662. Os judeus convertidos nas igrejas primitivas se inclinavam a ser exclusivos e a


separar-se de seus irmãos gentios. Esta situação na igreja de Éfeso pode ter motivado
o apóstolo a escrever esta carta, cuja ideia fundamental é a unidade cristã. (Ef 4:13)

663. Sim, durante o primeiro encarceramento do apóstolo Paulo em Roma, ele


escreveu algumas epístolas inclusive, Efésios e Colossenses. Apesar de estar confinado
á prisão durante quatro anos ou mais, e sem justa causa, notam-se como estas
epístolas transbordam de “ação de graças”, regozijo e amor.

FILIPENSES

664. Porque é muita carta é muito pessoal e afetuosa, refletindo assim o estreito
relacionamento entre Paulo e os crentes filipenses. Revela também estreita comunhão
de Paulo com Cristo. É a “Epístola da Alegria” no N.T (1:4; 4:4).

665. O apóstolo Paulo escreveu da prisão em Roma esta carta aos crentes filipenses,
além de outros assuntos, ele queria que os irmãos filipenses ficassem informados do
seu estado pessoal na prisão, (Fl 1:12-30). Mesmo preso o apóstolo Paulo estava
pregando a salvação em Cristo Jesus, diz que sua prisão “contribuiu para maior
proveito do evangelho” e que os crentes receberam mais coragem para continuar a
pregar o evangelho. (Fl 1:13-14). Deus deu ao apóstolo Paulo a tarefa importante de
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

defender o conteúdo do evangelho e ajudar sua igreja a se defender daqueles que


distorcem a fé em Cristo Jesus. Ele mesmo na prisão não deixou de levar a salvação
aqueles que estavam próximos a ele.

666. Certamente em Roma. Paulo escreveu aos crentes filipenses para agradecer-lhes
pela sua oferta generosa e para informá-los do seu estado pessoal. (1:7, 13,14; At
28:16-31).

COLOSSENSES

667. Cerca de 60 d.C., o autor foi o Apóstolo Paulo (Cl 1:1)

668. Teoria do conhecimento. Estudo do conhecimento fundamentado na razão, e se


opõe á fé, conhecimento fundamentado na revelação. O gnosticismo procura conciliar
todas as religiões por meio do conhecimento e da sabedoria negando a genuína fé.

669. Porque a vida eterna é obra redentora de Deus em Cristo Jesus sobre a
humanidade. O Senhor Jesus nos conquistou a vida eterna através do seu sofrimento
na cruz do Calvário e pela fé aquele que aceita Cristo já toma posse da vida eterna,
desde que viva uma vida santa e reta diante Dele, coisa que o homem com toda sua
infinita sabedoria jamais pode fazer.

I TESSALONICENSES

670. Em I Tessalonicenses 5-19.

671. O Apóstolo Paulo descreve em 1Tessalonicenses o Arrebatamento da Igreja da


seguinte forma: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de
arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão
primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com
eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o
Senhor.” (1Ts 4:16,17). Os mortos em Cristo ressuscitarão na mesma ocasião em que o
Senhor Jesus voltar para buscar sua Igreja. Levarão todos, os mortos ressuscitados e
nós que ficarmos vivos O encontraremos nas nuvens para estarmos para sempre com
Ele. (1Ts 4:14-18).

672. Cronologicamente esta é a primeira das epístolas do Apóstolo Paulo. Escrita de


Corinto, d.C. 52, não muito depois da partida de Paulo de Tessalônica, na sua segunda
viagem missionária.

II TESSALONICENSES
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

673. Igreja que se desviou da fé. Deixou de seguir ao Senhor e passou a adorar outros
deuses. Muitos falsos profetas enganarão a muitos crentes, nestes últimos dias da
Igreja do Senhor aqui, na terra, fazendo com que muitos se apostatam de sua fé no
Senhor Jesus, entregando-se á fábulas. (2Tm 4:1-3).

674. Aquele que, segundo Apocalipse 13-17, virá antes do fim do mundo, semear a
impiedade, até ser vencido por Cristo. Aquele que se opõe a Cristo. Usurpando o nome
e as prerrogativas que pertencem somente a Cristo. O anticristo se apresentará como
se fosse Deus com poder sobrenatural demoníaco (2Ts 2:4,9). Isso levará o povo a
adorá-lo. A religião do anticristo ensina a divinização da humanidade como está
divulgando a Nova Era (Gn 3:5). Ao invés da verdade de que em Cristo Deus se tornou
homem (Jo 1:14), o anticristo propaga a mentira de que, nele mesmo a humanidade é
parte de Deus (2Ts 2:4). Atualmente, a Nova Era já enfatiza claramente a doutrina do
anticristo, sem dúvida preparando as massas para a aceitação posterior e final dessa
doutrina.

675. A segunda vinda de Cristo se dará em duas etapas: a primeira quando Ele voltar
nos ares para arrebatar sua Igreja e levá-la ao céu. Depois do arrebatamento, virá um
tempo de sofrimento e ira sobre os ímpios, então acontecerá a segunda fase da vinda
de Cristo, quando então, Ele virá para julgar os ímpios e reinar sobre a terra. (Mt
24:42-44).

I TIMÓTEO
676. Uma vez. I Timóteo 1-17.

677. Foram Himeneu e Alexandre. (I Timóteo 1-20).

678. O apóstolo Paulo dirige esta epístola diretamente a Timóteo em Éfeso


concernente ao cuidado pastoral das igrejas. Timóteo representante de Paulo na igreja
de Éfeso, juntamente com 2Timóteo, ressalta mais do que qualquer outra epístola do
Novo Testamento. A responsabilidade pastoral de manter o evangelho puro e livre de
falsos ensinos enfraqueçam o seu poder salvífico. O apóstolo Paulo comissionou
Timóteo como seu representante apostólico para ministrar em Éfeso, da Macedônia o
apóstolo Paulo escreveu sua 1ª carta a Timóteo.

II TIMÓTEO

679. Esta é a última carta do apóstolo Paulo. Ela foi escrita quando o imperador Nero
procurava impedir a expansão da fé crista em Roma, perseguindo severamente os
crentes. O apóstolo Paulo estava prisioneiro do imperador em Roma (2Tm 1:16,17).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

680. O apóstolo Paulo exorta a Timóteo a:


Defender o evangelho,
A pregar a palavra,
A perseverar na tribulação e
A cumprir sua missão.

681. Foi Onesíforo (2Tm 1:16).

TITO

682. Cerca de 70-66 d.C.

683. Irrepreensível,
Que tenha uma mulher só,
Reter firme o testemunho apostólico,
Amigo do bem,
Justo, santo e temperante,
Saber ensinar, encorajar e exortar com a palavra de Deus.
Saber corrigir os que ensinam coisas contrárias. (Tt 1:6-8; 2Tm 4:2; 2Tm 2:24-26).

FILEMON

684. O apóstolo Paulo, escreve essa carta, um tanto pessoal, a um homem chamado
Filemon, mais provavelmente durante sua primeira prisão em Roma (At. 28:16-31),
Filemon morava em Colossos e tinha muitos escravos (Fl 1:16), pertencia a igreja de
Colossos. Um de seus escravos chamado Onésimo fugiu e em Roma conheceu o
apóstolo Paulo e se converteu ao Senhor Jesus Cristo. Onésimo ao fugir provavelmente
tenha levado alguns bens do seu senhor (Fl 1:18,19). O apóstolo Paulo pede a Filemon
seu irmão em Cristo e amigo, que receba a Onésimo de volta, com amor, bondade e
perdão.

685. O apóstolo se identificou tanto com um escravo que o chamou de meu “coração.”
(Fl 1:12).

686. Em Roma os escravos se tornavam automaticamente cidadãos. Dessa maneira, o


vasto influxo de escravos para a Itália, teve o efeito de internacionalizar a república
romana, antecipando a própria orientação política do governo de estender a cidadania
em círculos cada vez maiores. No tempo do apóstolo Paulo não se encontrou uma
porcentagem adequada de que havia escravos romanos.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

HEBREUS

687. Este livro foi destinado originalmente aos cristãos de Roma, seu conteúdo, revela
que foi escrito a cristãos judeus. A expressão “os da Itália vos saúdam” (Hb 13:24),
significa provavelmente que o autor escrevia para Roma, e que na ocasião incluiu
saudações de crentes italianos que viviam longe da pátria.

688. Os crentes judaicos, um grupo insignificante em contraste ao grande número de


seus patrícios estava tentando a abandonar sua fé e voltar aos ritos da lei de Moisés
sacrificando animais, pois através do derramamento de sangue eles poderiam
reconciliar-se com Deus.

689. Porque o sangue do Senhor Jesus Cristo é o ponto principal do conceito de


redenção no Novo Testamento. Cristo ao morrer na cruz, deu seu sangue inocente a
fim de remover nossos pecados e nos reconciliar com Deus. (Hb 9:14; Rm 5:19)

TIAGO

690. Abraão. (Tiago 2-23).

691. Este livro está repleto de sabedoria divina e instruções práticas, visando a uma
vida cristã realista, está escrito em estilo sucinto, com preceitos diretos e analogias
realistas.

692. Ás vezes, as provações vêm sobre os crentes afins de que Deus possa testar a
sinceridade da sua fé. Nossa fé somente pode chegar à plena maturidade quando
confrontada com dificuldades e oposição. (Tg 1:3, 4).

I PEDRO

693. O tema, do sofrimento sobressai em toda esta epístola. O apóstolo Pedro


escreveu esta epístola de alegre esperança aos “estrangeiros dispersos” nas províncias
Romanas da Ásia Menor (1:1).
Os cristãos que estavam sob o fogo do sofrimento entre pagãos. O cuidado do
apóstolo Pedro visava evitar que os crentes não perturbassem, sem necessidade, o
governo, e sim seguissem o exemplo do Senhor Jesus Cristo no sofrimento, sendo
inocente, mas portando-se com retidão e dignidade.

694. 1Co 10:13 = O apóstolo Paulo assegura aos coríntios que nenhum crente precisa
cair da graça e da misericórdia de Deus, quando está sendo tentado. A fidelidade de
Deus expressa-se de duas maneiras neste versículo: Deus não permitirá que sejamos
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

tentados além do que podemos suportar e ocorrendo a tentação, Ele, proverá os


meios de suportamos e vencermos.

695. Em Babilônia, (1Pe 5:13).

II PEDRO

696. A falsa doutrina distorce a verdade da Bíblia que é infalível. O cristão que ouve e
segue falsas doutrinas não suporta as dificuldades do dia-a-dia fica sem alicerce firme e
em sua fé, sem certeza da salvação, sem valor moral, sem mensagem para pregar, sem
nenhuma esperança da volta do Senhor Jesus Cristo.

697. Apostatar significa cortar o relacionamento salvífico com Cristo, ou apartar-se da


união vital com Ele e da verdadeira fé nEle. (Hb 3:12).

698. Só Deus sabe a hora exata. No momento de Deus a trombeta irá tocar. A igreja
pode contribuir para encurtar o tempo que precede a volta de Cristo, mediante maior
dedicação ao evangelismo, é a obra missionária mundial. (2Pe 3:9).

I JOÃO

699. Provavelmente em Éfeso, onde João residia, cerca de 90-95 d.C. (Ap 1:11).

700. Porque sempre estava próximo do mestre, era afetivo, amável e carinhoso.
Jesus tinha total confiança em João, que ao pé da cruz entregou sua mãe aos seus
cuidados. (Jo 19: 26).

701. Porque Deus exige que seu povo se separe do mundo e de seus pecados, para
terem uma vida santa com Ele, (2Co 6:17,18). Viver em santidade é perseverar na
salvação. É preciso convencer o mundo incrédulo da verdade e das bênçãos do
evangelho. (Jo 17: 21). Porque nesses últimos dias em que a igreja está passando aqui
neste mundo, é necessário que os líderes ensinem a igreja do Senhor Jesus ficar longe
do pecado mundano, principalmente dos vícios, arma poderosa de Satanás para levar
muitos ao inferno.

II JOÃO

702. O Espírito Santo adverte várias vezes nas escrituras que surgirão falsos mestres
dentro das igrejas. Os falsos mestres negam o Senhor Jesus e fazem com que muitos
deixem o caminho certo e se desviem, tornando-se pessoas contrárias ao que tudo que
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

diz a Bíblia e se afundam cada vez mais no pecado, sem forças para voltar aos braços
do Senhor Jesus. (2Pe 2:1; 2Jo 1:7-11).

703. Segundo Jean-Paul Sartre, a essência do homem é não ter essência, a essência do
homem é algo que ele próprio constrói, ou seja, a História. “A existência precede a
essência”; nenhum ser humano nasce pronto, mas o homem é, em sua essência,
produto do meio em que vive construído a partir de suas relações sociais. O homem
produz o seu próprio ambiente e esta produção da condição de existência é
predeterminada. O homem pode fazer a sua História, mas não pode fazer nas
condições por ele escolhidas. O homem é historicamente determinado pelas
condições, responsável por todos os seus atos por ser livre para escolher. As teorias de
Marx estão fundamentadas naquilo que é o homem – a sua existência.

704. É combater os desejos da carne para usufruir dos frutos do Espírito Santo. É dizer
não ao diabo e todos as suas ofertas malignas com aparência agradável, mas com
sabor de destruição e dizer sim, para Jesus Cristo, negar a si mesmo e seguir a Cristo
até Sua volta.

III JOÃO

705. Diótrefes foi um homem petulante, que recusava hospitalidade aos irmãos
viajantes enviados da parte do Apóstolo João . Resistia com arrogância á autoridade de
João. (3Jo 1:9,10).

706. Era um fiel hospedeiro e ajudava aos fiéis obreiros viajantes. Um cristão dedicado
que graciosamente acolhia e auxiliava ministros viajantes de confiança, ao contrário de
Diótrefes. (3Jo 1:1-8).

707. Incentivar, orar e ajudar no que for possível, pra que a obra do Senhor cresça e
fortaleça.
É um privilégio contribuir para suprir as necessidades da obra missionária.

JUDAS

708. Esta epístola foi escrita contra os falsos mestres, que ensinavam que a salvação
pela graça lhes permitia pecar sem haver condenação. Judas queria através desta carta
conclamar todos os verdadeiros crentes a resolutamente “batalhar pela fé que uma
vez foi dada aos santos.” (v 3).

709. Pai= José, o carpinteiro.


Irmão= Tiago, dirigente da igreja em Jerusalém e irmão de Jesus também.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

(Jd 1:1; Mt 13:55; Mc 6:3).

710. José e Simão (Mt 13:55).

Apocalipse

711. Os 7 candeeiros representam as 7 igrejas da Ásia e as 7 estrelas representam os 7


anjos das igrejas. Ap 1:20.

712. Em Apocalipse 5-5.

713. “...sua cabeça e cabelos eram brancos como a lã branca, como a neve,...” (Ap
1:14)

714. E cantavam um cântico novo, dizendo:


“Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu
sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo e nação; e para o
nosso Deus os fizeste reino, e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra. “(AP:5 ,9:1o)

715. a) Tribunal de Cristo = Os crentes terão, um dia de prestar contas “ante o


Tribunal de Cristo”, de todos os seus atos praticados por meio do corpo, sejam bons ou
maus. Todos os crentes serão julgados; não haverá exceção (Rm 14:10,12; 2Co 5:10).
Esse julgamento ocorrerá logo após o arrebatamento da Igreja (1Pe 5:4). O juiz será o
Senhor Jesus Cristo (2Tm4:7,8). O instrumento de juízo será o fogo (Ap 1:14). A base
do julgamento será a fidelidade dos crentes (A conduta cristã, as obras, o tratamento
dispensado aos irmãos, a evangelização, obediência aos pastores, (1Co 4:2; 2Co 5:10;
Jr 48:10; Rm 14:10; 1Co 9:16; Hb 13:17). O Tribunal de Cristo terá lugar nas regiões
celestiais (1Ts 4:17). O propósito do julgamento do Tribunal de Cristo é galardoar os
servos que forem achados fiéis (Ap 22:12). A Bíblia fala do julgamento do crente como
algo sério e solene, porque inclui para este a possibilidade de dano ou perda, de ficar
envergonhado diante de Cristo “na sua vinda” e de queimar o trabalho de toda a sua
vida. (1Co 3:15 e 2Jo 8; 1Jo 2:28; !Co 3:13-15). Esse julgamento, não será para
salvação, ou condenação. Será um julgamento de obras. Em suma, o crente terá que
prestar contas da sua fidelidade ou infidelidade a Deus e das sua práticas e ações, (Mt
25: 21,23; Lc 12:48). As recompensas de cada um serão coroas gloriosas que estão
reservadas aos fiéis do Senhor por toda a eternidade.
b) Tribunal do juízo do Grande Trono Branco = É assim chamado devido ás
palavras do versículo 11 de Apocalipse capítulo 20, “... um grande trono branco...”. O
grande trono branco foi visto por João. O trono é grande porque representa o poder
infinito de Deus. É branco porque representa sua justiça perfeita e completa. É o juízo
dos ímpios mortos desde o tempo de Adão.O juízo será sem misericórdia (Tg 2:13).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Será o dia de acerto de contas entre Deus, que estabeleceu um plano salvífico
beneficiando toda humanidade, e os ímpios, de todas as épocas, que recusaram-se em
atender a proposta divina. Nenhuma desculpa será aceita para justificar os pecados
que macularam a vida de homens e mulheres de todos os tempos. Não haverá
advogado de defesa. Não haverá perdão naquele dia. Serão julgados “grandes e
pequenos” (Ap 20:12), isto é, diante do trono branco estarão grandes nomes da
história: Os Faraós do Egito, reis, maldosos como Eglom (rei de Moabe), homicidas
como Caim, traidores como Judas Iscariotes, mentirosos como Ananias e Safira. Ali
estarão os governantes que praticaram verdadeiras atrocidades como Hitler,
Mussolini, Id Amim Dadá, etc. Estarão também os falsos líderes religiosos que
conduziram milhares de almas para a perdição eterna, com suas heresias, como Jin
Jones, Reverendo Moon, etc. Os astros de Hollywood, que incitaram todo tipo de
infidelidade conjugal, violência e irreverência, ali todos comparecerão. Estarão
presentes diante do trono branco os mafiosos, os terroristas, os aliciadores de
menores, os patronos das escolas de samba, os políticos corruptos que saquearam os
cofres públicos. Porém, estarão diante do trono branco, cabisbaixos, aqueles que
conheceram a Jesus como Senhor e Salvador, mas depois, a vaidade, o orgulho, o
pecado os venceu, (Mt 7:21-23). O juiz será o Senhor Jesus Cristo, ele julgará
pessoalmente os que o rejeitaram (Jo 5:22,27-29). A igreja estará presente no
julgamento do juízo final. No entanto, já julgada e galardoada, e em posição
privilegiada, num júri, para julgar, (1Co 6:2,3). A Igreja não será julgada com os ímpios
no trono branco (Rm 8:1). A justiça divina está cumprida. Aqueles que não foram
achados seus nomes escritos no Livro da Vida (registro dos nomes dos eleitos) serão
lançados no lago de fogo “... Ali haverá pranto e ranger de dentes (Mt 8:12).
716. A morte não será tirada da terra (Is 65: 20). O último inimigo que será destruído é
a morte. Somente no fim do milênio a morte e todos os poderes infernais serão
totalmente destruídos, na completa obra de Cristo no seu reinado (Hb 2:14,15; ICo
15:55,56). Portanto, a morte no milênio, ocorrerá em proporções resumidas, mas no
milênio haverá morte sim.
Nesta época a terra será de uma fertilidade nunca vista – um jardim bem regado (Jr
31:12). Os apetrechos de guerra serão mudados em ferramentas agrícolas (Is 2:4). O
milênio consiste em plantar, comer beber, viver em paz e em adorar ao Senhor. Será
um período de muita paz e prosperidade, no entanto não precisará de moeda e
comércio no milênio.

717. Linho fino, puro e resplandecente. Porque o linho fino são as justiças dos santos.
(Ap 19:8).

718. Coroa da Vida, para os que foram fiéis, mesmo nas horas mais difíceis, e não
recuaram em face da morte. ( Tg 1:12; Ap 2:10).
Coroa de Glória, para os que agiram com humildade e submissão. (1Pe 5:4).
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Coroa da Justiça, para aqueles que ansiosamente aguardavam a vinda de Cristo.


(2Tm 4:8).
Coroa da alegria, para os ganhadores de almas. (Fp 4:1; 1Ts 2:19,20).
Coroa incorruptível, para aqueles que venceram a carne, sujeitando-se a Deus.
(1Co 9:25-27).

719. Judas Iscariotes. É chamado de Iscariotes, por ser natural de Queriote, cidade
situada ao sul da Judéia, portanto, o único que não era da Galiléia (Js 15:25).

720. Quando se fala em Judas Iscariotes, surgem opiniões de todo lado. Jesus escolheu
seus discípulos após uma noite inteira de oração, inclusive Judas (Lc 6:12-14). Ele não
foi escolhido para ser traidor, e sim, um apóstolo. O fato é que aos poucos, como
acontece com todos que se desviam, foi se transformando, vestindo aos poucos a capa
da traição. O único com sotaque sulino, talvez se sentisse humilhado, discriminado,
magoado, etc. Ninguém se torna traidor da noite para o dia. Há sempre alguns passos
preliminares, passos que levam ao desastre.
As Escrituras já haviam profetizado que um deles trairia Jesus. Mas, será que precisava
ser Judas? Judas deixou-se dominar, ele se entregou aos convites discretos de satanás
e não procurou se arrepender, mas traiu Jesus com trinta moedas de prata que era o
preço de um escravo da época. Infelizmente morreu por enforcado. Arrebentou-se ao
meio e suas vísceras foram derramadas (At 1:18)

721. Martinho Lutero, descobriu que para ganhar o perdão de Deus, é somente ter fé
nEle, sem precisar se castigar. Aprofundado em seus estudos, seus ensinamentos,
difundiram pela Alemanha e acirrou uma disputa entre os nobres e príncipes e o
império dos Habsburgos, apoiado pela igreja católica e apoiava boa parte das terras
alemãs e outros.
Baseados na doutrina de Lutero, os cavaleiros alemães lutavam para tomar os bens da
igreja do domínio dos Habsburgo. Carlos V tentou colocar fim a esta agitação. Ele
tentou forçar a submissão dos nobres alemães ao catolicismo. Os nobres protestaram
o que originou o novo nome da religião luterana: Protestantes.

722. Martinho Lutero nasceu na Alemanha, foi monge da ordem dos monges
Agostiniano. Preocupava-se muito com o perdão de Deus decepcionado com a
corrupção que constatara no alto clero. Concluiu que o homem só se pode salvar pela
fé incondicional em Deus, não pelas indulgencias compradas, a fim de arrecadar
fundos para financiar a reconstrução da Basílica de São Pedro, o papa Leão X havia
permitido o perdão dos pecados a todos que contribuíssem financeiramente com a
igreja.
A Reforma = Em 1517, a campanha das indulgencia estava a todo vapor. Lutero fixou
95 teses, condenando o uso das indulgencias. O papa Leão X ameaçou Lutero de
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

excomunhão. Já era tarde. As teses já haviam sido distribuídas por toda Alemanha.
Com suas teses Martinho Lutero cria a Reforma. E sua reforma conquista todo o
mundo, suas ideias atingiram rapidamente o povo, que aprenderam que não precisa
pagar para ir ao céu, bastava somente crer em Deus e viver pela fé.

MÓDULO III – ORATÓRIA, DISCURSO, PREGAÇÃO E MINISTÉRIO

723. É um dom com exercícios práticos. Dominar o tema e o assunto, orar e treinar
pelo menos uma hora por dia, no mínimo, meditação bíblica (uma por dia no mínimo)
e a vida consagrada 24 horas por dia, conhecer a Bíblia por completo e depender da
unção e do poder do Espírito Santo, só assim o orador estará apto para ser um grande
pregador.

724. Pregação = É o ato de pregar ou declarar um sermão.


Ministração ou pregação é a homilia proferida em igrejas e festividades religiosas,
sempre com o intuito de persuadir, seguir e viver o que se explica para o bem da fé
cristã. Deve ser assunto específico e ordenado com começo, meio e fim.
Homilética = Origina-se de “homilia”, que significa conversar e discursar. É o
sermão propriamente dito, resumido em preleção, que é a divisão de temas e tempos
e dramatizado em arte. A homilética torna mais fácil a pregação do sermão, auxilia e
analisa o texto do sermão. Homilética é a “arte de pregar sermões.” “A ciência da
pregação.”

725. O sermão tem vários objetivos, entre os quais posso citar:


Persuadir os perdidos a aceitarem a Cristo como Senhor e Salvador.
Instruir os crentes sobre as grandes verdades da fé e como aplicá-las.
Desenvolver nas crentes um sentimento de amorosa emoção para com Deus,
despertando o sentimento de louvor.
Estimular os crentes a dedicarem talentos, tempo, bens, influencia, vida, etc., ao
serviço de Deus.
Orientar os crentes para pautarem suas condutas diárias e relações sociais de
acordo com os princípios cristãos.
Fortalecer e alertar os crentes no meio de crises pessoais ou comunitárias.

726. a) Sermão doutrinário = É um sermão didático. O dom de ensino era muito


difundido no cristianismo nascente. Jesus era intitulado de “mestre” e seus seguidores
de “discípulos.” Atende o desejo de aprender que existe na vida do crente; dá
embasamento á ação; previne contra as heresias; contribui para o crescimento dos
ouvintes e do próprio pregador.
b) Sermão vocacional = Estimula a igreja para a vocação, abertura de novos
trabalhos, ofertas missionárias, sermão de consagração.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

727. a) Sermão moral = Orientar os crentes de acordo com os princípios morais como:
matrimonio, adultério, divórcio, justiça social, racismo, dignidade da pessoa
b) Sermão de alento (ou pastoral) = Focaliza o cuidado de Deus para com o seu
povo e o livramento que o Senhor opera.

728. 1- Sermão tópico ou temático.


2- Sermão textual.
3- Sermão expositivo.

729. O sermão tópico ou temático trata de um tópico e não de um texto bíblico em


particular. As divisões derivam-se do tópico ou (temas), seu tema deriva de um texto,
mas as divisões são aleatórias, arranjadas. As divisões nada têm a ver com o texto.

730. 1- As escrituras.
2- A experiência do povo e do pregador.
3- Calendário da igreja, da denominação, do país.
4- Momento histórico.
O sermão deve ter um título:
Claro, o que vai ser tratado,
Específico, não deve ser genérico,
Breve, de duas a sete palavras,
Original.
731. Texto é a passagem bíblica que serve de base para o sermão. O texto bem
escolhido é aquele que apresenta a ideia central do sermão em uma sentença clara e
definida, e deve estar de acordo com a natureza da pregação, deve ser vantajoso para
o povo e levar o povo a crescer no conhecimento da Bíblia.

732. A estrutura do sermão é indispensável para um bom pregador. Uma boa estrutura
ajuda a compreensão do sermão, a aceitação tem que ser convincente e fácil de ser
lembrada a mensagem do sermão.

733. Introdução: textual, contextual, de problema, de objetivo, de citação, de


ilustração, de introdução de experiência, de perguntas, de ocasião especial e de
estatística.

734. É um meio pedagógico eficiente, auxiliam a memória e o povo se lembra de mais


das ilustrações do que das argumentações. Ajudam a convencer e despertam reação
emotiva.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

735. A conclusão é o ponto alto do sermão. Põe abaixo ou salva o sermão. A conclusão
deve ser clara e breve, pessoal, positiva, deve ter vida, mas deve ser amorosa.

736. - Cuidado com a aparência,


- Cuidado com regionalismo
- Use seu próprio estilo,
- Fale ás pessoas (bancos, paredes não convertem.),
- Module a voz,
- Evite os vícios de linguagem (tá, Né, etc),
- Evite chavões (como acompanhar um sermão de 30 minutos com mais de 60
“aleluias”).

737. Preparar um tema para um sermão onde se pode pregar com facilidade e alcançar
o objetivo desejado dentro daquele sermão, falando fluentemente um tema específico
para um auditório comovido e interessado no “assunto colocado”.

738. Medo, temor, sudorese, gagueira, perda parcial da memória, trepidar das
palavras, balbuciar da voz, desbotamento da fisionomia, o sangue foge da pele, etc.
Para vencer tudo isso é necessário ir acostumando com o local, dar testemunhos,
cantar louvores, dar avisos, enfim, fazer algum trabalho ambienta, o cérebro vai se
acostumando com os reflexos psicológicos. O nervosismo controlado produz melhor
retórica.

739. a) Discurso = Não é pregação oficial do celebrante. Deve ficar cerca de 3 minutos
elogiando o homenageado e enaltecendo os convidados ilustres. É uma reunião
solene. Uma ministração em casamento, na residência ou salão de festa. Faz discurso
em aniversário, funeral, noivado e evento festivo. Deve ser sempre ministrado por
pessoa célebre, para enriquecer a festa de gala.
b) Arte de falar em público = Não se faz oratória todos os dias ou no mesmo
lugar todas as semanas. A oratória não pode ser costumeira.
c) Aulas dominicais = Lecionar, conversar, fazer perguntas e sanar dúvidas
pedagogicamente. O ministrante precisa ter conhecimento e deve preparar a semana
toda. O professor tem que possuir muito preparo e falar de perto os olhos nos olhos de
todos.

740. Persuadir é convencer uma pessoa a deixar alguma coisa ruim para ingressar num
caminho promissor. Conduzir o ouvinte a reconhecer o estado de perdido pecador e
levá-lo ao reconhecimento da necessidade de perdão e de reconciliação com o criador.
Dissuadir é comover a pessoa a deixar algo errado ou inconveniente. Levar o pecador a
deixar os caminhos que conduzem á perdição e sofrimento eterno, além da morte.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

741. É fazer exercícios e trabalho de melhoria de voz para adquirir uma voz agradável e
gostosa de ser ouvida.

742. Pronunciar as palavras com uma mímica, a fim de exprimir dupla mensagem para
o ouvinte reter e assimilar com maior penetração, facilidade e rapidez. Fazer a
pregação com gestos melhora 50% a compreensão do ouvinte. Oratória é a arte mais
bela da comunicação, se acompanhada com todas as expressões nos momentos
certos.

743. O corpo, pernas e pés, braços e mãos, cabeça, ombro, olhos e sobrancelhas, bater
no peito, unir as mãos e braços.

744. Não pronunciar palavras feias, de baixo calão, ridícula e indecoros, vestir
elegantemente, social, terno limpo e bem passado, deve estar barbeado e cabelo feito,
super social, não ficar olhando para o teto, nem para o relógio, no púlpito. Deve ser
um exemplo de elegância e comportamento social porque é um lugar santo e de
reverência.

MÓDULO IV - DÍZIMOS E OFERTAS ALÇADAS.

745. Nada demonstra melhor a teoria secular do dizimo do que:


Abraão, “E de tudo lhe deu Abrão o dízimo.” (Gn. 14.20) e
Jacó “e, de tudo quanto me conceder certamente eu te darei o dízimo.” (Gn.
28.22)
"Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas;” (Mt. 5.17,18)
"A décima parte das colheitas (Lv 27.30) e ,
“provai-me nisto, diz o SENHOR” (Ml 3.10).
A doutrina do dízimo é ensinada em toda Bíblia (Gn 14.18-24; Lv 27.30-34; Nm
18.21-26; Dt 12.6, 14.28; Mt 23.23; Lc 11.42 e 18.12; Hb 7.1-10).

746. A igreja Católica para se mantiver, pede os dízimos, ofertas, e, cobra missas,
casamentos, batizados, vende imagens, velas, indulgências, terços, rosários e no
tempo da festa do (da) padroeiro (a) da cidade, pedem esmolas e fazem leilões. Já o
centro espírita engana as pessoas com ecos caríssimos, feitura de santo, limpezas
corporais e ambientes, lojas, despachos e bênçãos malignas.

747. O grau máximo da fé de um cristão se mede pelo amor que ele demonstra pela
obra de Deus, e isto implica em quanto ele pode ser como ofertante e fiel dizimista.

748. a) O dízimo é 10% do valor de renda bruta.


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

b) A oferta alçada tem valor igual ou superior ao dízimo, mais é voluntária, e


desobrigada, enquanto o dizimo, é do Senhor, e deve ser a Ele entregue. (Ml 3: 9,10).
Oferta alçada é a levantada com uma finalidade específica. No Antigo Testamento
foram usadas principalmente para a construção do templo (I Crônicas 29). No Novo
Testamento era usada principalmente para suprir as necessidades dos discípulos.
c) Oferta voluntaria é a que oferecemos ao Senhor (ou ao necessitado, como ao
Senhor), espontaneamente, por livre vontade.

749. Não entregar o dizimo é roubo configurado na Bíblia - Ml. 3: 8-9 “Roubará o
homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e
nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação
toda”.

750. Porque estamos devolvendo o que é do Senhor. Devemos entregar aos nossos
dízimos com amor e alegria e orar para que os recursos possam ser utilizados com
sabedoria pelas pessoas que irão administrá-los, e que possam ser aplicados,
fielmente, para que novas igrejas sejam abertas para que a obra de Deus se realize.
Tenhamos confiança no Senhor porque Ele é Santo; justo e a tudo observa. Devemos
provar (experimentar) o Senhor. Ele abrirá as janelas do céu e derramará as bênçãos
sem medidas. O contribuinte fiel não passa necessidade. Deus faz do seu pouco
prosperar e ser suficiente.

751. Dizimar e ofertar são passos decisivos de fé. Inicia-se através da fé, o pastor deve
com sabedoria e excelência ensinar incentivar o novo convertido (a) a contribuir com o
dízimo e oferta alçada logo no início do discipulado.

752. Deus é dono de tudo que existe e que temos e que nos confiou para que
administrássemos com sabedoria e amor, e que 10% Ele destinou para que fosse usado
em sua obra de um modo geral e as ofertas para cobrir eventuais necessidades extras.
Leia as seguintes referências: (Is. 43: 1 – Dt 7: 6 – Lv 27: 30 – Ml 3: 8 a 10 – Lv 27: 31 –
Dt 28: 1 a 8).

753. Oferta alçada é aquela oferta ou esforço extra, para uma necessidade de
momento. Em Êxodo no capítulo 35, Moisés chama o povo e começa a passar a ele as
instruções recebidas de Deus. No versículo 5 ele diz: “Tomai de entre vós uma oferta
para o Senhor”; v 21 “E veio todo homem e trouxeram a oferta alçada do Senhor”. A
uma estimativa de que a alçada é de igual ou maior valor que 10%.

754. 1. Porque o dízimo é santo. (Lv 27,30-32) –


2. Porque quero ser participante das grandes bênçãos (Ml 3,11-12) –
3. Porque amo a obra de Deus na face da Terra (Ml 3,10) –
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

4. Porque quero ser abençoado (Ml 3,9)


5. Porque não ficarei devendo a Deus (Lv 27,13-31) –
6. Porque Deus é o dono de tudo. (Sl 24;Ag2,8) –
7. Porque serei participante da casa de Deus (Dt 14,23) –
8. Porque é mais aventurado dar do que receber (At 20,35)
9. Porque Deus ama quem dá com alegria (2Cor 9,7) –
10. Porque tudo vem das mãos de Deus (1Cor 29,14) –
11. Porque não quero ser avarento (1Tm 6,10) –
12. Porque meu tesouro está nos céus (Mt 6,19-21)
13. Porque tudo o que peço, recebo (Mt 7, 7-9) –
14. Porque receberei de Deus com redobrada medida (Lc 6,3)
15. Porque a minha descendência não mendigará o pão (Sl 37,25) –
16. Porque Deus diz: “Fazei prova de mim”. (Ml 3,10)
17. Porque meu salário não será pago em bolsa furada(Ag 6) –
18. Porque também é de minha responsabilidade o sustento da Igreja (Ml 3,10)
19. Porque quero ter a consciência tranquila (1Tm 1,19)
20. Porque suprirá toda necessidade (Fl 4,19)
“Por isso, faça a experiência do dízimo e verá como derramo minhas bênçãos sobre
você, muito além do necessário - diz o Senhor ao Profeta Malaquias (3,10)”

755. As primeiras citações referem-se ao período patriarcal, a Palavra mostra-nos


Abrão (“E de tudo lhe deu Abrão o dízimo.” Gn. 14.20) e Jacó (“e, de tudo quanto me
concederes, certamente eu te darei o dízimo.” Gn. 28.22) como observadores desta
prática.

756. Gálatas 6.6-10 - "Mas aquele que está sendo instruído na palavra faça
participante de todas as coisas boas àquele que o instrui. Não vos enganeis: de Deus
não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que
semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o
Espírito do Espírito colherá vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque há
seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos”.
“Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas
principalmente aos da família da fé”.

757. 1º Nas despesas da Igreja.


2º Na proclamação e divulgação do Evangelho,
3º No salário do Obreiro,
4º Nas construções dos templos.
5º Em obras e assistências sociais evangélicas, ligadas à igreja.
6º Em Escola Fundamental, Instituto e Faculdades Evangélicas.
7º E mídia.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

758. O ideal é que ele seja entregue a seu pastor ou caso você não tenha uma igreja
onde congregue entregue a uma igreja compromissada com Deus. Leia (Hb 7:5). Neste
versículo afirma que apenas os filhos de Levi aqueles que se tornarem sacerdotes
podem receber os dízimos, ou seja, apenas aqueles que forem ungidos por Deus e
responsáveis pela obra do Senhor devem recolher os dízimos, do resto não podem
receber o seu dizimo.

VOL.II - MÓDULO V – ADMINISTRAÇÃO ECLESIÁSTICA


1 – Localização, divisão e departamento.

759. Deve-se escolher o centro da cidade para afluir pessoas de todos os bairros. Com
um simples programa de rádio já pode vir duas ou três pessoas de cada bairro e mais
as pessoas do centro da cidade.

760. O tamanho deve ser retangular de 1 por 2, pois se considera 15% para o púlpito e
20% na entrada para secretaria ou gabinete pastoral, livraria e secretaria, assim para
uma igreja de 10 por 20, temos um púlpito de 3x10 metros e uma secretaria/gabinete
e livraria de 4x10 e sobram 134 metros para a nave da igreja.

761. Num prédio de igreja é necessário haver rampa na entrada para que idosos
deficientes possam ter acesso fácil, banheiros apropriados que caibam cadeiras de
rodas no caso de deficientes com portas largas e guarda mão; a luminosidade tem que
ser perfeita e água gelada à vontade. Na falta de ar condicionado, deve ter corrente de
ar natural ou bons ventiladores, poltronas macias; a sala das crianças tem que ser
separada, uma sala pastoral, uma livraria, um painel de avisos na entrada da mesma,
tanque batismal e algumas coisas mais que supra as necessidades daquela
comunidade.

762. A terceira classe social geralmente, de povo carente, procura mais por um
amparo social e milagres e por ser mais humildes é mais fácil ser agregados.

763. A elite, de nível social mais elevada prefere as igrejas centrais até mesmo por uma
questão de status.

764. Pastoral, evangelístico, missionário, social, administrativo.

765. Os cinco principais departamentos de ordem social são:


Escola dominical,
Círculo de oração,
Departamento infantil,
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Departamento de mocidade
Departamento de senhoras

2 – Igreja de cura e libertação

766. São aquelas igrejas populares, de povão e vive exclusivamente da mídia, onde os
membros têm permanência temporária. Igrejas assim sobrevivem mesmo sós com a
mídia e são pouquíssimas as famílias que se firmam na Palavra, não tem grupos de
jovens e nem de senhoras ou de oração que é a coluna da igreja. Apenas um pastor
preside na matriz e possuem vários pastores ajudantes nas filiais para revezar na
persuasão.

767. Porque o ministério de cura divina vem sendo usado enganosamente para
arrecadar fundos financeiros e tem dado bons resultados, por isto, é mais cobiçado
pelas igrejas neopentecostais intituladas de curas e milagres imediatas, e como Deus
disse que tudo que pedires em meu crendo receberás, então o SENHOR cura para
honra a sua palavra. Além disto, a cura espiritual ninguém ver r fica mais fácil de
enganar as pessoas.

768. Igrejas de curas e milagres não se interessam na formação de ministros


missionários e pastores, porque tem já um grupo formado de ministros diretores que
comandam diáconos e assim tem rendas sem despesas. Pois não há interesse em
apascentar o rebanho uma vez que é rotacional.

769. A principal vantagem das igrejas populares é a desobrigação do cuidado com as


ovelhas, e isto, promove a rotação que torna o movimento mais rentável.

770. Quando falamos sobre cura interior, falamos sobre cura da alma. Quando nós nos
convertemos, o nosso espírito é vivificado pelo Espírito Santo e é curado da culpa do
pecado (este é o maior milagre de Deus). Está livre para ter comunhão com Deus. Seja
sincero com você mesmo, conheça a verdade e a verdade te libertará. Jo 8: 32. A cura
está na Palavra de Deus. Devemos ter fé e não subestimar o poder de Deus. Ele pode
mudar tudo. Ele pode curar todas as pessoas.

771. Infelizmente o povo carente que têm entre nós e os de pouco conhecimento em
geral procuram e gostam desse tipo de movimento, e é isto que as igrejas populares
oferecem e lotam. Além disto, estas igrejas não têm doutrina.

772. A cura pertence-nos pela Obra de Cristo e o pagamento do resgate que Ele fez
para nos trazer libertação. A cura faz parte da cruz. Jesus vela pelo seu nome. Isaías
53:4, 5 – “Verdadeiramente, Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

dores levou sobre Si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas Ele
foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que
nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras, fomos sarados.”

3 – Igreja de louvor e avivamento

773. As igrejas de louvor e avivamento têm a característica de evangelizar e discípula


através do louvor e é muito frequentada pela classe social mais elevada
financeiramente e vive uma doutrina mais liberal quanto aos usos e costumes.

774. Em matéria eclesiológica, costumes são aquelas disciplinas comportamentais e


ritos adotados por um grupo religioso. Consistem em usos, abstenções, linguajar,
peculiaridades litúrgicas, que influenciam no estilo de vida e devoção de seus
membros, cooperando para uma identidade denominacional.
Por causa das interpretações sem a devida hermenêutica, comumente são
confundidos como doutrina bíblica, embora se assemelhe na prática, há pelo menos
três diferenças fundamentais:
1. Quanto à origem: a doutrina é divina, o costume humano;
2. Quanto ao alcance: a doutrina é universal, o costume local;
3. Quanto à duração: a doutrina é eterna, o costume temporário.

775. Porque o louvor liberta a alma, faz bem ao espírito e alegre a carne. E é o louvor
que vai permanecer no céu.

776. As igrejas de louvor deveria sim inserir mensagem e um pouco de doutrina para
que houvesse vida espiritual entre os membros e mais amor a Deus e sua santa Palavra
que é Jesus, e houvesse transformação e conversão a Deus.

777. Porque os mais idosos são mais conscientes da verdade e a procuram com
veemência nas igrejas mais tradicionais.

4 – Igreja de doutrina, obreiros e ministério

778. Uma igreja de doutrina refere-se àquela que preza, ensina e aplica em seus
membros de acordo com a Palavra de Deus.
Obreiro é aquele que empenha sua vida ou parte dela na obra de Deus.
Ministério é o ato de ministrar, um ministro não tem que ser necessariamente um
religioso pode ser político, esportivo, etc. Mais em se tratando de um evangélico pode
ser um pastor ministrante da Palavra, doutrina, estudo, ou uma organização
evangélica.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

779. Hoje em dia já temos na hierarquia das igrejas:


Apóstolos,
Bispos,
Pastores,
Ancião,
Evangelistas,
Missionários,
Presbíteros,
Diáconos e
Obreiros cooperadores.

780. Uma igreja em fase de crescimento, o pastor deve agir e participar ativamente da
referida obra. Buscar a orientação de Deus, em jejum e oração. Coloca-se no mínimo
20% do número de fiéis no corpo de obreiros, 2 evangelistas, 3 presbíteros, 1
missionário, 3 diáconos e outros 20% como auxiliares de obra.

781. Um líder espiritual e democrático é aquele que age segundo coração de Deus
como Davi – (Atos 13: 22; 1Sm 13.14) - age no espírito de sabedoria. Homens fiéis,
idôneos. Procura apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se
envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. Instruindo com mansidão, os que
resistem, desprendendo-se dos laços do diabo, conduzindo a igreja com amor e
compreensão entendendo-se com os demais obreiros e a própria igreja. (II Tm. 2).

782. O corpo ministerial da igreja deve reunir seus obreiros a cada mês para que haja
entrosamento, com palavras abertas entre todos e diretrizes ministerial, doutrina,
disciplina e ordem na igreja. Elas são necessárias para acatar ideias, sugestões,
convergir conselhos e delegar poderes.

783. As nossas igrejas consideradas de doutrina se preocupam na formação teológica


de seus obreiros para que haja conhecimento da verdade e maturidade espiritual
entre seus obreiros e consequentemente seus membros.

784. O liberalismo é a pior enfermidade que pode acometer a vida de uma igreja. Estas
igrejas seguem um evangelho alterado segundo os seus interesses e fazem da bíblia
seu ponto de apoio para seguir o que melhor lhes aprazem dentro de textos que
isoladamente se baseia as suas doutrinas e não seguem o evangelho genuíno de Cristo.
Pode se perceber que uma igreja se tornou liberal não apenas por aquilo que prega,
mas também por aquilo que deixa de pregar. Pode acontecer de não se detectar faltas
graves nos ensinamentos desses homens, porém, quem conhece teologia e teme a
Deus, observará com clareza, que esses falsos profetas não pregam certas doutrinas
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

eminentemente cristãs e protestantes. No púlpito liberal, por exemplo, não se ouvirão


nada sobre:
Inspiração das Sagradas Escrituras;
Morte de Cristo como propiciarão pelos nossos pecados;
Necessidade de arrependimento;
Fé no sacrifício de Cristo para a redenção do pecador;
Juízo final, como resposta inevitável da santidade divina ao desamor humano;
Igreja pura, que não negocia a verdade em nome do amor ecumênico.

785. Porque nestas igrejas de doutrina, os batismos e casamentos são mais frequentes
devido ao fato de uma atenção maior ao discipulado, a sã doutrina, o aconselhamento
familiar com instruções de vida a dois dentro dos parâmetros da Bíblia, além dos
jovens serem mais compromissado com a obra de Deus.

5 – Costumes

786. Ao iniciar uma igreja em determinado local deve antes fazer uma pesquisa nas
igrejas já estabelecidas no local para que possa abrir uma igreja em um nível de
costumes aceitável pela população local.

787. Uma nova igreja ao inaugurar, no geral, 80% a 90% já são crentes vindos de
outras igrejas e cerca de 10% a 20% de pessoas convidadas a assistir aos cultos, se
convertem, iniciando assim uma nova igreja a crescer.

788. Deveria ser de alegria, pois seria mais uma porta aberta para a evangelização.
Porém não é assim, pois surgem ciúmes entre as igrejas já existentes na cidade com
medo de perder seus membros e congregados.

789. Devemos receber com oração uma nova igreja em nossa cidade e pedir sim a
benção de Deus sobre eles para que haja o agir de Deus em seus ministérios.

790. Costume é aquilo que procede do regimento e normas usadas e aplicadas pela
igreja, e cada igreja nova tenta modificar seus costumes para atrair mais pessoas,
principalmente àqueles que querem uma igreja de acordo com suas necessidades.

791. São chamadas de igrejas pentecostais àquelas que ensinam que o batismo com o
Espírito Santo é uma experiência não necessariamente ligada a conversão, logo, para
os pentecostais, nem todo cristão verdadeiro e realmente salvo é batizado com o
Espírito Santo. Para eles, a prova disso é que alguns não falam em outras línguas e
associam o falar em línguas com o batismo com o Espírito Santo. Segundo afirmam,
somente é realmente capacitado para pregar quem foi batizado com o Espírito Santo
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

(o que significa para eles falar em outras línguas), pois para as igrejas pentecostais,
somente foram revestidos do poder quem recebeu o dom de línguas. Por este motivo,
nestas igrejas, um dos principais critérios para a separação de obreiros é o falar em
línguas. Os movimentos pentecostais como conheceram hoje em dia, é recente
(aproximadamente 100 anos) dentro do contexto das igrejas no que se refere ao
tempo, sendo que já se subdividiu em outro ramo chamado de neopentecostal.

São chamadas de igrejas tradicionais àquelas que ensinam que o batismo com o
Espírito Santo, apesar de não ser a conversão, está associado à mesma, sendo que,
todo cristão verdadeiro e realmente salvo é batizado com o Espírito Santo. O dom de
línguas não é uma evidencia do batismo com o Espírito Santo; pois nem todos os salvos
o possuem.
Segundo afirmam, todo aquele que se converteu, nasceu de novo e foi batizado com o
Espírito, logo, todo cristão verdadeiro é capacitado para testemunhar a respeito de
Cristo. Nas igrejas tradicionais, os cultos são marcados pela liturgia inflexível,
valorização do ensino e há certo desprezo com relação a tudo o que for sobrenatural;
não se crê que os dons sobrenaturais possam se manifestar nos dias de hoje.
As igrejas tradicionais, em sua grande maioria, são oriundas da reforma protestante,
sendo, portanto, muitíssimo mais antigas que as pentecostais, que, na verdade, saíram
das tradicionais.

792. A Igreja Batista é uma denominação cristã caracterizada pela rejeição ao batismo
infantil, optando em seu lugar pelo batismo de fé, sempre através da imersão. O nome
é derivado de uma comissão para que os seguidores de Jesus Cristo fossem batizados,
os batistas interpretam o batismo — imergir em água — como uma exposição bíblica e
pública de sua fé.

Presbiterianismo se refere às igrejas cristãs protestantes que aderem à tradição


teológica reformada (calvinismo) e cuja forma de organização eclesiástica se
caracteriza pelo governo de uma assembleia de presbíteros, ou anciãs. Há muitas
entidades autônomas em países por todo o mundo que subscrevem igualmente o
presbiterianismo. A Igreja Presbiteriana é oriunda da Reforma Protestante do Séc. XVI,
e mantém o caráter católico da Igreja (traduzida literalmente e especificamente só
como "Igreja Universal"), como declarado no Credo dos apóstolos.

793. A Igreja Internacional da Graça de Deus é uma igreja cristã neopentecostal


fundada pelo Missionário Romildo Ribeiro Soares (conhecido como Missionário R.R.
Soares) em 1980, Romildo fundou a sua própria denominação logo após se separar de
seu cunhado, o então pastor Edir Macedo (hoje bispo). De acordo com a lei, sua casa
de orações oferece fé e milagres e coisas muito boas para recuperar as pessoas da vida
errada em que vivem. As doutrinas da Igreja Internacional da Graça de Deus são
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

semelhantes a de outras confissões cristãs evangélicas, em particular as de linha


pentecostal.
A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) é uma igreja cristã neopentecostal. As
doutrinas da Igreja Universal do Reino de Deus são semelhantes a de outras confissões
cristãs evangélicas, em particular as de linha pentecostal. Entretanto, existem outras
diferenças fundamentais, como o caráter sobrenatural dado pela IURD às celebrações
do batismo por imersão e da Ceia do Senhor. Suas doutrinas estão resumidas no livro
"Doutrinas da Igreja Universal do Reino de Deus", de Edir Macedo, onde ele proíbe o
casal de ter filhos (os jovens que são obreiros e vão se casar, eles tem fazer
vasectomia) e só vão para o campo casais sem filhos.
Quanto à organização eclesiástica, a IURD segue um modelo episcopal, cada
congregação local da IURD conta com vários obreiros, principalmente jovens que são
subordinados aos pastores e encarregados de trabalhos menores, como o convite de
pessoas à participação nos cultos, recepção das pessoas que chegam aos templos,
visitas aos lares de enfermos e a hospitais, e auxílio aos pastores, durante os cultos ou
não.

794. Desde os tempos de Israel o povo sempre optou pelo mais fácil, por isto, entre as
igrejas de mídias e populares os usos e costumes simplificados funciona e o povo
aceita, pois nem todos tem o compromisso de deixar o mundo para seguir os preceitos
de Deus.

6- Corpo de obreiro, diretoria e ministério

795. É necessário ter formação em teologia equivalente ao nível superior, se possíveis


cursos na área de missiologia, como também formação acadêmica ou complementar
nas áreas de administração, pedagogia ou psicologia. Um líder que saiba ouvir, capaz
de compreender as pessoas e motivá-las à ação e aos resultados. Uma pessoa com a
versatilidade de agir sob autoridade e com autoridade, com auto motivação, energia,
empreendedorismo, espírito inovador e perseverança. Para assumir a função é
necessário que o obreiro tenha experiência de liderança, no aconselhamento, no
ensino, na evangelização transcultural, no levantamento de recursos, como também
ter habilidade de aprender a negociar, a solucionar problemas, e ser criativo. Antes de
tudo, o obreiro deve ser um cristão de sólida convicção e práticas bíblicas, em
comunhão produtiva com uma igreja evangélica local.

796. O trabalho precisa ser feito com o auxílio de pessoas idôneas, que tenham as
características que Moisés procurou em seus auxiliares, tenham também as
características que o apóstolo Paulo disse a Timóteo e a Tito, que bispos, pastores,
presbíteros e diáconos deveriam ter (1 Tm. 3.1-13; Tt. 1.5-9), e que tenham as
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

características que foram buscadas para a consagração de diáconos na igreja primitiva


(At. 6.1-7).

797. O pastor presidente deve coordenar a reunião de obreiros, porem precisa ouvir e
sempre que for possível acatar as opiniões seus obreiros, cada um por sua vez e assim
administrar cada solução junto a todos os obreiros.

798. Em primeiro lugar deve ser chamada atenção. Cada um de maneira diferente. Os
maus obreiros são aqueles que, buscam seus próprios interesses, usando sua fé ou a
dos outros para benefício próprio e fazem os outros tropeçarem, que dificilmente leva
uma pessoa a conhecer e ter um contato íntimo com Deus. Movidos pela vaidade se
autopromove, e veem nas pessoas o patamar ideal para seu crescimento. Gostam de
vencer para mostrar o quanto são abençoados por Deus. Com o obreiro fraco, deve ser
feito um estudo para orienta- ló sobre a palavra de Deus encoraja ló a seguir em
frente, vencer os seus medos e dar sempre lhe oportunidades para ir em frente. Com
este tipo de pessoas, têm que mostrar a eles que estão errados e com carinho e amor
levá-los a consertar-se perante as pessoas e com Deus.

799. O obreiro esteio, pilar ou coluna é aquele obreiro que está preparado para toda
boa obra, porque ele sempre estará disposto a ajudar e a cooperar com a igreja e estar
lado a lado com seu pastor. Deus dá o dom diversificado cada obreiro recebe um
chamado e são úteis para a edificação da igreja, por isso que justifica o trabalho de
todos em conjunto.

800. Todos os domingos devem ser ministrados:


Escola Dominical (geralmente pela manhã);
Evangelismo (geralmente à tarde);
A noite no culto fazer com muita alegria a apresentação dos visitantes e hinos
para recepção;
O culto da noite deve haver louvores intercalados por oportunidades para
testemunho, com reserva de um bom período de tempo para a exposição da Palavra
de Deus;
Retirada dos dízimos e ofertas;
Apelo para os visitantes;
Oração final e as bênçãos apostólicas.
Em caso de festas deve haver ordem na programação para que a palavra seja
ministrada em tempo proporcional a dimensão dos trabalhos a serem realizados.

801. O pastor dirigente pode e deve elogiar o sermão que o outro obreiro ministrou,
parabenizando pelas palavras que falou correta e não criticar pelas palavras que foram
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

faladas erradas. “Uma boa palavra, um tema que realmente chegou na hora certa, pois
a igreja estava precisando”, esse irmão é uma benção.

802. Em uma igreja com poucos obreiros uma reunião a cada 30 dias está de bom
proceder.

803. Reunião de obreiros em qualquer situação deve ser ministrada de 30 em 30 dias,


porém em casos especiais a reuniões de nível de obreiros pode haver reunião com
grupos diferentes todas as semanas caso se faça necessário.

804. Porque determinados temas e problemas que ocorrem na igreja deve ser tratado
em reuniões ministeriais, pois, a igreja pode não entender a situação e gerar polêmica,
porém depois de encontrar uma solução para o problema aí sim deve ser participado a
toda igreja.

07 – Diretoria hierárquica

805. a) Deuteronômio 32: 28 – “Porque o meu povo é gente falta de conselhos, e


neles não há entendimento”. A única forma de uma igreja crescer e prosperar e tendo
um corpo de obreiros que se identificam uns com os outros e seguem um mesmo sábio
conselho e entendimento com perfeita união.

b) I Crônicas 13: 1 – “E Davi tomou conselho com os capitães dos milhares, e das
centenas, e com todos os líderes”. É um bom exemplo a seguir.
c) Provérbios 11: 14 – “Havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão
de conselhos há segurança”. É assim que conselho de obreiro; da igreja tem que se
portar.
d) Atos 5: 41 – “Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de
terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus”.

808. Em se tratando de um grupo de obreiros deve governar com sabedoria,


distribuindo posições e trabalhos dentro da competência, capacidade e condições de
cada um para que haja harmonia no crescimento da igreja.

807. Os vices presidentes ministeriais assumem o trabalho na falta do ministro oficial.


Os auxiliares devem ajudar na direção do trabalho, pois é uma forma de aprendizado
ao lado de seu ministro.

808. Porque os pastores mais experientes e vividos na fé têm maior experiência e


podem e devem auxiliar sabiamente os novos obreiros em sua jornada ministerial.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Realmente os líderes novos têm que serem prudentes humildes e não quererem fazer
tudo sozinho, procurando sempre juntos o crescimento da obra de Deus.

809. Um novo pastor de pouca experiência e conhecimento deve sim cursar Teologia
no SITE, pois é de grade importância o conhecimento geral que se aprende neste, e
nos dá conhecimento que nos adiante em pelos menos 15 anos de vida ministerial ou
mais.

810. Quando temos muitos obreiros na igreja, é hora de abrirmos novas congregações,
caso contrário deve se distribuir oportunidade com tempo menor a cada um, para que
todos participem em um tempo mais curto de uma participação a outra, para que não
perca o ânimo. Caso esqueçamos alguém, este deve ser compensado em um trabalho
especial.

811. Igreja em crescimento deve dar a seus membros oportunidades de:


Fazer visitas as famílias, principalmente as doentes;
Testemunhar curas e libertação;
Expressar a palavra para que os mesmos se entusiasmem e se dediquem ao
ministério que melhor os identifiquem;
Louvar hinos em adoração a Deus;
Orar por pessoas doentes ou possessas;
Dar as bênçãos apostólicas e outras mais.
No final de cada culto ou na reunião de obreiros, o pastor presidente deve conversar
com um por um e principalmente com aquele que não ganhou oportunidade e dizer
que no próximo culto ou tal dia já pode se preparar para ser chamado. Se todo pastor
presidente soubesse o retorno que isso faz, com certeza ficava o tempo todo só
administrando e distribuindo oportunidades para cada um obreiro exercitar o “dom”,
seja ele qual for.

812. Há pastores que não tem sua própria identidade espiritual e têm medo de que
outros obreiros passem a sua frente e assuma o ministério. Para evitar que isto ocorra,
estes, não dão oportunidade a seus obreiros e isto faz a obra emperrar e os obreiros
migrarem de sua igreja.

813. O que mais interessa nesta parceria é que sem o “Sangue de Cristo” não haveria
evangelização, pois a obra de Cristo começou no calvário exatamente com o poder do
sangue que redime o homem de seus pecados, e este é o puro evangelho que
devemos pregar.

814. Quando olhamos para Cristo enxergamos Santidade e um caminho para a


salvação e quando olhamos dentro de nós (hoje), vemos um pecador remido e lavado
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

com o precioso sangue de Cristo. Mas que ainda estamos sujeitos ao pecado, pois ele
rodeia bem perto, porém se pecarmos tem um Advogado a nosso favor.

815. Obediência é fundamental entre os obreiros para o bom andamento da obra de


Deus; o menor sempre deve observar a obediência ao maior em sua hierarquia. Do
Auxiliar ao Evangelista deve obedecer ao seu Pastor, e este, a sua Convenção Estadual
e Federal.

816. Um evangelista, o nome de seu próprio ministério já diz que deve acima de tudo
ter grandes projetos de evangelismo, e sua principal responsabilidade e sua mais alta
honra no serviço é pregar a Palavra Deus e ganhar almas para Jesus. Pv 11:30b. Como
também ajudar abrir novas portas de trabalho, organizar cruzadas evangelísticas e
conferencias porem tudo de acordo com seu pastor e com a participação da igreja,

817. Sua principal função é simplesmente pregar o Evangelho, ou seja, fazer missão
dentro do panorama geográfico que Jesus nos deixou relatado em Atos 1:8. Um
missionário é sem dúvida um emissário de Deus diretamente às almas perdidas e sem
salvação. E o principal trabalho na obra de Deus é levar a mensagem, espalhar a
semente, e abrir novos campos de trabalho (dentro ou fora do país) para os pastores
apascentarem as novas ovelhas do rebanho do Senhor.

818. No Novo Testamento, as palavras pastor, bispo e presbítero descrevem os


mesmos homens (Atos 20: 17, 28; 1 Pedro 5:1-3; Tito 1:5-7). Eles servem em
congregações locais, cuidando do rebanho de Deus. As várias palavras identificam os
mesmos servos, mas cada palavra tem seu próprio significado. Essas variações de
sentido ajudam para mostrar aspectos diferentes do trabalho dos homens que cuidam
de congregações, mas com placa de denominação diferente:
Pastor é uma palavra comum na Bíblia. Frequentemente se refere aos pastores de
ovelhas, pessoas responsáveis pelos rebanhos. Tais homens protegiam, guiavam e
alimentavam as ovelhas. O Espírito Santo usou esta palavra várias vezes no Antigo
Testamento num sentido figurativo, descrevendo guias espirituais. Deus é chamado de
Pastor desde a época dos patriarcas ( Gn. 49: 24-25). O Salmo 23 descreve o Senhor
como pastor do seu servo fiel. O autor do salmo foi um pastor de ovelhas na sua
juventude, e descreve o carinho e a proteção de Deus para com seus seguidores.
Moisés descreveu o homem escolhido para guiar o povo como pastor (Nm 27: 17).
Infelizmente, nem todos os pastores são bons. Deus condenou fortemente os pastores
egoístas que devoravam o rebanho de Israel (Ez 34:1-10). No Novo Testamento,
homens qualificados foram chamados para pastorear o rebanho, a congregação do
Senhor (1 Tt 3:1-7; At 20:28-35;1 Pd 5:1-3). Geralmente as igrejas pentecostais e as
neopentecostal usam o termo Pastor.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Bispo vem da palavra grega episkopos, que quer dizer supervisor ou


superintendente. Em 1 Pedro 2:25, se refere ao Senhor. Várias outras passagens usam
essa palavra para descrever a responsabilidade de homens escolhidos para guiar os
discípulos de Cristo no seu trabalho na igreja (At 20: 28; Fl 1:1; 1 Tmt 3:2; Tito 1:7).
Presbitério, bispo e ancião é muito usada nas igrejas tradicionais.

08 – Culto de família e evangelismo

819. Em um culto familiar o principal ato é a leitura da Palavra, e rápida explanação da


mesma, para que haja memorização para pensar durante o dia e louvores, conselhos e
confraternização. Sem esquecer-se da oração. Deve haver participação em tudo e por
todos desde o menor até o mais velho. É um momento de gratidão a Deus por aquela
família onde estar se realizando o culto e é uma oportunidade para o pastor conhece
mais o rebanho.

820. Em uma igreja aonde existem mais de uma família do mesmo clã familiar, é
importante que se possível todos compareçam para o culto familiar. Desde as crianças
ao mais velho de umas 40 pessoas.

821. Porque que a família que ora unida, permanece unida e abençoada por Deus.
Porque é na oração que temos a oportunidade de conversarmos com o Deus. Cada
família deve tirar um tempo para juntos, agradecer ao Pai celeste sua proteção
durante a noite e pedir-lhe auxílio, guia e proteção para o dia, além de agradecer pelo
vestir, pelo o calçar e pela alimentação diária.

822. Em Lucas 8: 3 “E Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, e Suzana, e


muitas outras que o serviam com seus bens”. Outras traduções dizem fazendas.

823. Porque as Pastoras são mais sensíveis quando se trata de autoajuda e


aconselhamento familiar. Em certas ocasiões elas apresentam um melhor equilíbrio,
além disto, as mulheres idôneas são mais bem vistas como conselheiras e são mais
dedicadas ao ministério de oração.

824. Porque a família é uma instituição divina, pois ela foi instituída pelo próprio Deus.
A família é a base social de um povo, ou seja, de uma nação, assim como é também a
base fundamental da igreja, pois a igreja começa com a família do pastor. Deus preza
uma família que o ama.

825. Porque a família pastoral unida transmite confiança e serenidade ao Pastor. Pois
se o pastor não governar sua própria família, como administrara a igreja do SENHOR
que é formada por famílias. Um pastor que se apresenta sempre solteiro causa má
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

impressão e não terá confiança dos pais de família, e isso pode trazer transtornos para
a igreja e tem tendência a cair da graça de Deus.

09 – Doutrina, estudo bíblico e culto público

826. O pregador tem como obrigação ser conhecedor de homilética e hermenêutica ou


ser formado em um bom curso de preparação eclesiástica; como formação de pastor,
mestrado e doutorado, bacharel ou pelo menos ter um bom preparo em escola
dominical, ser também conhecedor da palavra de Deus.

827. O culto público e culto com participação popular é a mesma coisa, não existe
diferença. Não se trata de uma reunião em que marcamos o que Deus deve fazer em
nosso favor. O culto público é momento congregacional de adoração, exercício de
dons espirituais, testemunho e pregação do Evangelho ou ensino da Palavra. Também
é um culto com participação popular envolve todos aqueles que se interessar em ouvir
a Palavra de Deus, apresentando louvores ao SENHOR sendo de determinado
ministério ou não, são aqueles que temem ao Senhor.

828. Em um culto popular os louvores devem ter o tempo cronometrado de forma que
não canse o povo para que ouçam a Palavra. Não deve ultrapassar 50% do tempo total
e deve ser distribuídas entre mensagens e saudações, apresentações, orações e
reservando o tempo de mais o menos 30% do tempo final para o preletor e o apelo.

829. Em um culto público pode ser descobertos obreiros para diversas áreas de
atuação no ministério. Para isto se deve dar oportunidade para pregação, saudação,
louvor, leitura da Bíblia e oração. Estes obreiros também podem ser jovens, senhoras e
ate crianças. Menos a doutrinas porque é da competência do pastor geral ou
congregacional.

830. Dos “solos” que vem às gravações de CDs, e com uma igreja com 500 membros,
geralmente tem ou visitam cinco cantores e que devam cantar ao menos uma música,
especialmente no culto de domingo, ou dois ou três cantam e escalam outros dois ou
três para o próximo culto.

831. Paulo não proíbe a participação da mulher no culto, pois em 1 Co. 11: 5 o mesmo
orienta como a mulher deve “orar e profetizar”. Profetizar é ensinar, admoestar,
repreender, consolar, noutras palavras aquilo que toda pregação deve ter como alvo.
Então é simples concluir que a mulher pode pregar/ensinar.
As mulheres têm toda a liberdade de trabalho com as crianças, conjuntos de louvor,
círculo de oração e mesmo de entregar a mensagem da palavra de Deus,
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

832. “Instrui ao sábio, e ele se fará mais, sábio; ensina ao justo, e ele crescerá em
entendimento”. (Pv.9:9). A didática possibilita que haja a organização e sistematização
dos conhecimentos que serão construídos durante a aprendizagem. Ensinar consiste
num arranjo e planejamento de condições externas que levam os estudantes a
aprender.
O professor por mais que tenha muita experiência e conhecimento isso não irá
garantir que seus alunos aprendam se ele não tiver atento para a utilização de
estratégias didáticas que garantam a aprendizagem dos alunos.
A Bíblia é a maior fonte de ensino para cursos bíblicos mais é recomendada uma
infinidade de livros bem elaborados e se faz necessário material de anotação para que
haja melhor aproveitamento do curso.

833. Cada igreja deve fazer escolhas dos melhores obreiros e realizar consagração de
acordo com a hierarquia:
Diáconos;
Presbítero;
Evangelista;
Missionários
E Pastores.
Consagrações não é costume e nem doutrina, é uma necessidade da igreja, pois isso é
benefício para a obra e traz crescimento espiritual. Igreja que não tem esse desejo ou
esse costume de obedecer a doutrina de qualificação dos obreiros, é sem dúvida igreja
fria e sem visão de crescimento.

834. A primeira doutrina a ser ensinada é:


O amor,
A santidade,
A fé,
A oração,
A perseverança na palavra.

835. Estudo bíblico não é prioritariamente um culto de pregação, nem é


prioritariamente culto devocional, mas é um espaço de reflexão e estudo. Em que os
evangelhos não sejam o centro do debate teológico mais também outros assuntos que
envolvam santidade, cooperação, família, amor conjugal, etc, em que vários
participantes se possam expressar livremente num ambiente de verdadeira liberdade
de expressão.

836. O método de testemunho causa emoções e isto facilita o trabalho do dirigente.


Por isto é o preferido das igrejas do povão e de curas e milagres que através destes se
consegue fácil outros adeptos.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

10 – Culto de cura e libertação

837. Porque o culto de libertação é um culto onde a persuasão espiritual tem que
conduzir o povo a crer e a confiar que Deus tem a benção e quer libertar agora e já.
Para trabalhar essas pessoas devem estar em comunhão com Cristo e travar palavras
de ordem contra o mal, ungindo com óleo da unção para completar a libertação das
pessoas possessas.

838. Para que asseguremos de que o novo frequentador fique e seja discipulado e se
firme na verdade devemos fornecer a ele uma bíblia e procurar visitá-lo e admoestá-lo,
ensinando a santa palavra de Deus até que ele se firme e sempre orando por ele.
O serviço de gráfica é essencial para toda a igreja, o povo tem que sempre ter recursos
didáticos nas mãos; modelos de campanha, salmos de orações, folhetos com 10 a 15
corinhos e hinos, apostilas, cursos bíblicos, etc.

839. Todo o material didático para uma campanha de cura e libertação deve ser bem
expressivo e objetivo de fácil compreensão e atrativo, e no final da campanha deve
haver material de apoio e firmeza na fé e sucessivamente uma nova campanha para
que o novo membro fique firme na igreja e na fé.

840. Pode ser usado para campanha nomes como:


Libertação de opressão maligna;
Cura de todas as doenças maléficas;
Depressão;
Problemas financeiros;
Restauração de casais e casamento;
Campanha da família;
Libertação das drogas, etc.

841. Tendo e conta um retorno de 3% para uma visitação de 50 a 200 visitantes


precisa-se distribuir aproximadamente 10 mil folhetos.

842. Sim. A campanha na igreja bem elaborada gera mais a presença dos crentes e por
isto deve haver mais que uma campanha que ande paralelas uma da outra para que
muitos envolvidos se firmem e aprendam sempre mais.

843. Em um culto de cura tem que haver a operação de Espírito Santo. Tem que haver
obreiros consagrados para que aconteçam milagres, curas e libertação. Alem destes
itens acrescente mais a unção com óleo, com as pessoas possessas e para completar a
cura.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

844. A cura física é cura de doenças na carne ou no corpo físico.


A cura espiritual é a salvação da alma através do sangue de Jesus.

845. As igrejas tradicionais estão se aderindo as curas e milagres para que haja
crescimento no número de fiéis.

11 – Campanha ou corrente

846. Oração para cura é a mesma usada na corrente. A única coisa que muda é a
colocação: oração por cura e libertação acontece mais em grupo menores, e na
corrente é feita com a participação de muitas pessoas com o mesmo objetivo.

847. Porque as novenas são usadas nas igrejas católicas e varias de dias, geralmente
são nove dias e correntes são usada nos centros espíritas porem todos tem a mesma
finalidade: atrair fieis.

848. Os recursos didáticos que podem e devem ser usados em campanhas são
envelopes ou panfletos.

12 - Culto de jovens

849. Em igreja de família certa de 70% dos jovens permanecem de um ano para outro
nas igrejas, nas igrejas populares cerca de 30% desviam ou vão para outras igrejas a
procura de namoro ou culto diversificado e de participação jovem.

850. Os jovens gostam de muita música, teatro, jogos mesmo que sejam bíblicos,
gincanas, festa do sorvete, da pipoca, do festival evangélico, do acampamento, dos
jogos esportivos; afinal, jovem gosta de atividade de muito movimento e divertidas.

851. O dirigente dos trabalhos de jovem deve ser um jovem também. Ser pastor,
presbítero, diácono ou simplesmente cooperador, deve ser jovem para que haja
entendimento e acompanhamento do agir deles.

852. O som não deve ultrapassar 65 decibéis, para que não prejudique suas próprias
audição e a dos vizinhos para que não haja reclamação perante a lei.

853. Deve haver orientação sobre sexo pré-conjugal e sobre outros pecados comuns
entre os jovens para que haja santidade ao Senhor e para que eles fiquem na igreja em
comunhão.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

854. Os jovens serão os pastores do amanhã; por tanto devemos dar a eles
oportunidade de trabalho na igreja e participação no culto principalmente de jovem
para o incentivo e desenvolvimento espiritual e amor a igreja e desperte em outros o
desejo de permanência na igreja.

855. Os jovens têm tendência a deixar a igreja para a pratica do pecado, por isto, a
igreja deve suprir no máximo seu tempo e desejos com algo divinamente espiritual e
abençoado, aconselhamento constante com pessoas sábias e mais velhas, que tenham
prudência e amor aos nossos jovens.

856. O trabalho com a mocidade deve e precisa ser de uma frequência proporcional à
quantidade de jovens na igreja se necessário todos os sábados e até alguns domingos
especiais como congresso, encontro de jovens e estudos ou gincana para que os
mesmos se sintam bem e permaneça na igreja sempre aprendendo da palavra que é a
rocha.

13 – Culto das irmãs

857. As mulheres gostam de confraternização, de círculo de oração, de louvar nos


grupos e de trabalhar na recepção nos dias de culto, pois as mulheres são mais
educadas e recepcionam melhor os visitantes, pois todo o trabalho realizado pelas
mulheres é essencial na igreja.

858. Porque as mulheres pastoras são responsáveis por até 80% do sucesso do
ministério do marido pastor, e isto em função de são elas responsáveis por
organizarem trabalhos de crianças, jovens, escolas dominicais, serviços burocráticos,
trabalho com as irmãs, aconselhamento, terapia, psicologia, evangelismo, orações, etc.

859. Tito 2: 3-5 “As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver,
como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem;
Para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a
amarem seus filhos, A serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seus
maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada”. As mulheres idosas são
igualmente exortadas a ser exemplares; devem ser instrutoras do que é bom, para que
possam ajudar as mulheres mais jovens a encarar corretamente suas
responsabilidades como esposas e mães, a fim de não trazerem vitupério sobre a
palavra de Deus.

860. I Cor. 14: 34-35 – “As mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é
permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. E, se querem
aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

indecente que as mulheres falem na igreja.” Além dos versículos acima citados,
devemos ver que o homem é a cabeça da mulher,

861. O dirigente da igreja tem por dever estipular ao menos um dia da semana que
pode ser sábado ou domingo por mês, para as irmãs e seus trabalhos, para que haja
gratidão e reconhecimento pelo trabalho delas e para incentivar as mais novas.

862. É importante que as mais idosas aconselhem sempre as mais novas, para que haja
crescimento obra de Deus e para que elas adquirissem conhecimento e prazer em servi
a Deus.

14 – Escola dominical

863. Os recursos didáticos, ou revistas de estudos teológicos dominicais existem no


mercado evangélico e é de fácil aceitação entre os ministérios que queiram adotar.

864. Maternal - 0 A 5 anos


Infantil- 6 A 9 anos
Pré-adolescentes - 10 A 12
Adolescentes - 12 A 17 anos.

865. Tem que haver o mínimo de cinco pessoas por classe.

866. Para melhorar a frequência de crianças nas classes deve haver brincadeiras,
doces, balas, desenhos, filmes, e louvores infantis.

867. É importante que a esposa do pastor coopere com as organizações das classes
infantil, das jovens, das senhoras, mas é essencial que organize e auxilie com todo o
trabalho com as crianças.

868. Porque a Escola Dominical é o principal instrumento de instrução da igreja. É o


lugar de aprendizagem continua, é onde se forma os primeiros obreiros da casa do
SENHOR, e atinge a todas as idades.

869. Os professores devem estudar com dedicação a revista ou o material didático da


E.B.D. para que não tenha que estar lendo o tempo todo. Ele deve aprender em casa
para ensinar no domingo.

870. Os teólogos e professores didáticos escolares são preparados psicologicamente


para o ensino teológico é bom orientá-los e aproveitá-los nas E.B.Ds.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

871. A didática é a parte da pedagogia que se ocupa dos métodos e técnicas de ensino,
destinados a colocar em prática as diretrizes da teoria pedagógica. A didática estuda os
diferentes processos de ensino e aprendizagem.

15 – Livraria, salas, bancos, púlpito e altar

872. Uma livraria ou biblioteca se faz necessário na igreja para facilitar a aquisição ou
consulta de literatura específica a cada curso ou ministração na igreja

873. Numa livraria evangélica da igreja deve haver pelo menos: Bíblias, literaturas
evangélicas, livros de louvores, apostilas de cursos bíblicos, CDs, DVDs, camisetas, e
utilidades diversas.

874. Nas grandes, têm salas para estúdios, televisão, aconselhamento, classe de escola
dominical e células; as salas de crianças são enfeitadas a rigor, existem também salas
acústicas para ensaios de sons e instrumentos e almoxarifado, sala para livraria,
dormitório, alojamento, departamento social e até alfaiataria e lojas. Nas igrejas
menores no mínimo deve ter uma sala de entrada, para funcionar a secretaria ou
tesouraria, ou funciona junto o gabinete pastoral.

875. Os bancos devem possuir encosto e braseiro, os bancos compridos de madeira


estão sendo trocados por cadeira individual e com braseira e nos lugares utilizados as
cadeiras estão sendo trocadas por poltronas. Os bancos das crianças devem ser
escolares ou cadeiras e mesas.

876. O altar deve ser mais alto à vista de toda congregação, entre 0,50 a 2,00 metros
de altura, varia de acordo com o tamanho da igreja. Um templo com 10 a 15 metros de
comprimento deve ter um púlpito de meio a um metro de altura; de 20 a 30 metros,
deve aumentar para 80 centímetros a um metro e 20 de altura, isso para favorecer
aqueles que estão nos últimos lugares e ver com facilidade sem sentir câimbra no
pescoço ou mal estar. Templos com 40 a 60 metros de comprimento podem ter
púlpito de um e meio a dois metros de altura.

877. O assentar no púlpito já é um bom começo para quem quer ser um ministro da
palavra de Deus, pois ali o novato aprende mais de perto a ficar de frente com o povo,
adquire princípios de etiqueta, de ética, e de comportamento didático e até mesmo
homilético.

878. Para que se divida o tempo e que todos os 10% que formam o corpo de obreiro
tenha participação no culto deve que alguns cantem com a igreja, outros façam
leituras diferentes da bíblia como texto oficial, dízimos e ofertas; outros orem por cura
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

e libertação, outros as apresentações e avisos, outros pregam, apelo. E finalmente a


benção apostólica.

879. O obreiro que se assentar no púlpito não deve ter um os seguintes


comportamentos:
Não deve bocejar espreguiçar,
Não falar com o companheiro do lado,
Nunca deve limpar o suor ou a boca com a mão, mas usar lenço,
Não limpar as narinas,
Mau posicionamento no assento,
Cochilar e não prestar a atenção ao decorrer do culto e da mensagem,
Nunca abrir as pernas ou
Coçar os órgãos genitais ou o corpo;
Estas coisas têm que ser evitadas, pois os obreiros no púlpito são o espelho da igreja.

880. No púlpito as mulheres têm que ter postura idem aos homens com melhor
observação das vestes que tem que ser socialmente descente. Nunca usar roupas
apertadas, sensuais, curtas ou com barriga de fora.

Púlpito é lugar de ética e postura, pois todos ficam sendo espelhos para exemplo e
imitação.

881. A tribuna ou altar na igreja é importante para que todos vejam o corpo
ministerial e o conheça.

882. Todo o auditório presta honrarias ao pregador ficando em silêncio e o ouvindo, o


pregador deve retribuir este gesto olhando a todos com a mesma intensidade.

883. Em uma igreja de médio ou grande porte, as muitas salas servem para estudos
diversificados em prol do aprendizado dos membros e alunos de cursos diversos. E isto
facilita o bom desempenho de ensino na igreja.

16 – Pastor

884. Uma igreja com 250 membros precisa de dois pastores ou mais para que os
trabalhos fluam bem.

885. A igreja em uma boa fase de crescimento deve separar pessoas para auxiliar no
ministério a cada três meses e aplicar consagração de obreiros a cada seis meses, no
máximo um ano.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

886. A oficina de obreiros é desenvolver pelo menos a cada 6 meses estudos e cursos
concernentes a aparecimento de pessoas, dependendo do seu dom e talento para
serem diáconos, presbíteros, missionários evangelistas e pastores. E pode ser realizado
com o auxílio do pastor presidente junto a seus auxiliares.

887. Parceria de obreiros é não ter medo de aprender, crescer em sabedoria e


crescimento espiritual e material, todos juntos e unidos em prol da obra de DEUS.

888. O pastor presidente deve ter orgulho e prazer em consagrar obreiros de valor, e
não medo ou ciúmes, pois Ele mesmo formou e preparou para que a obra cresça. O
que Deus separou para ser o rebanho daquele pastor, não vai haver nada que possa
impedir de isto acontecer.

889. I Tm. 3:6-7: “Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação
do diabo. Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para
que não caia em afronta, e no laço do diabo”. Tito 1:5 “Por esta causa te deixei em
Creta, para que pusessem em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em
cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei.”

890. O pastor que tem um grande rebanho a cuidar, deve e precisa ter tempo integral
para a obra de Deus, para que haja preparo e zelo pela obra.

891. O pastor não deve fazer acepção de nível de poder aquisitivo dentre os
congregados, por isso, deve visitar constantemente os membros e levar uma palavra
de conforto, aconselhamento e fé a todos indistintamente para que haja crescimento
espiritual.

17 – O Líder

892. A palavra “não” pode ser dita sim, mas com bom senso e com muito tato e
sempre justificando o porquê. Um bom líder tende a sempre acatar as opiniões dos
seus companheiros estudá-las e aproveitar os projetos, e dizer a palavra “não agora”, e
sempre dizer que vamos analisar e se possível elogiar a iniciativa do mesmo.

893. O pastor e sua esposa deverão receber muito bem os visitantes demonstrando
sempre carinho. A esposa do pastor deve abraçar a esposa deste visitante (se for um
casal), beijar e ficar segurando nas mãos por alguns minutos, olhando nos olhos e
sempre dizer: ficamos muito felizes com a visita de vocês, voltem sempre,
proporcionando a eles oportunidades de fazer o que Deus mandou. Então os
informem, os dias de cultos no ministério.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

894. Os visitantes sempre que vem querem pregar ou cantar, para que o mesmo se
sinta bem e o culto já esteja com uma escala apertada no domingo devemos dar a
oportunidade para apenas uma saudação e agendar o mesmo para um dia da semana
e volte quando sentir que tem que ali retornar.

895. Um líder tem que ser prudente com os seus problemas e se tem que falar com
alguém saiba escolher a pessoa certa. Ele pode conversar com seus superiores, ou
com um obreiro de sua confiança e nunca para igreja para que o povo não venha a se
desanimar, pois todos veem no seu líder um homem perfeito.

896. Sim. Se houver critica a decisão do líder, então ele deve voltar atrás e rever tudo
junto a seus críticos e sanar a divergência.

897. Um obreiro problema pode estragar todo o corpo ministerial, por isto, deve ter
um tratamento especial disciplinar rigoroso e cuidadoso, não deve abrir mão e
apresentar a situação aos demais obreiros e orientá-los à cerca do mal que isto pode
incorrer.

898. Jesus lavou os pés dos discípulos, isto é, um sinal de que o obreiro é servidor e
não só servido. Deve haver humildade, amor e compreensão e que todos é um perante
o Senhor.

899. Dividir ou fragmentar problema é você saber dividir suas emoções, suas
conquistas, ter uma parceira ou parceiro em quem possas confiar. Ninguém gosta de
ficar sozinho, afinal o ser humano é coletivo, precisamos de alguém muito confiável,
íntimo até e compreender os nossos momentos de dor, de medo, de angustia, pois
uma relação sincera também combate a depressão.

900. Delegar poderes é o processo de transmitir certas tarefas e obrigações de uma


pessoa para outra; em geral, de um superior para um colaborador. Aquele que recebe
o poder delegado tem autoridade suficiente para concluir o trabalho, mas aquele que
delega fica com a total responsabilidade pelo seu êxito ou fracasso.

901. A presença do líder em um culto é fundamental, pois, todos seguem as diretrizes


de seu líder. Jesus era o líder os discípulos e continua sendo de todos nós.

19- Divisões dos trabalhos

902. Os gerentes dos bancos financeiros dividem suas clientelas e grupos de ricos,
médios e pobres e a cada grupo nomeia um gerente e subgerente, sendo que os que
dão mais retorno ficam com o gerente líder da agência.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

903. Se o pastor é rico deverá ter plena comunhão com um obreiro pobre que
auxiliará, ou será interlocutor das mensagens e problemas. Se o pastor for pobre e sem
cultura deverá proceder da mesma maneira para poder compreender melhor o obreiro
rico.

904. O pastor líder deve ser sábio em dividir as oportunidades de trabalho eclesiástico
entre os seus subordinados para que não haja dissensão nem prejuízo pessoal, ou seja,
o pastor presidente deve conhecer o seu rebanho e delegar funções a todos a eles,
executando assim os seus dons.

905. Um evangelista deve elaborar planos de evangelismo seguinte maneiras:


Pessoal ou individual;
Em grupo;
Em estádios;
Nas escolas;
Nos clubes,
Nas praças públicas;
Organizar cruzadas, marchas, panfletadas.
Enfim, deve organizar um grupo de pessoas interessados em aprender e capacitá-los a
obra.

906. O pastor sábio tem sempre uma esposa responsável que o auxilia nos trabalhos
da igreja, separando pessoas aptas a estes trabalhos como:
Pedreiros e serventes;
Eletricistas e auxiliares;
Encanadores;
Pintores;
Enfermeiras e auxiliares;
Cabeleireiras e manicures;
Assim também as mais diversas profissionais.
O pastor divide o trabalho com estas pessoas que queiram ajudar-lhe. Caso tenha
trabalhos a serem concluídos.

907. O pastor tem que seguir o exemplo de Cristo, quando chegou o momento de
entrar em ação com o plano de Deus Ele escolheu 12 apóstolos e fez muitos discípulos
para dar sequência após Ele. Todos devem ajudar a carregar a carga um dos outros.

908. Tem que haver um cronograma bem elaborado de cada obreiro com sua função e
cada ministério com seu obreiro responsável, e isto tudo, escrito e agendado para que
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

tudo seja feito em perfeita harmonia e deve ser lançado pelo secretário em ata para
que tenha respeito pelo escrito.

909. Porque a escala é uma maneira rotativa, dando assim oportunidades a todos
aqueles que querem trabalhar na obra de Deus, procurando assim fazer o melhor cada
vez mais.

19 - Visitantes e visitas

910. Os visitantes devem ser recebidos com muita cordialidade, abraços e apertos de
mãos, a paz transmite segurança para que o mesmo se sinta bem e volte sempre. Aos
que trazem cartas de apresentação fazer isto de forma aplausível não se esquecendo
dos demais que estão visitando e de preferência que sejam abraçados e agrupados
para que se sintam em casa.

911. Fazer um agendamento do visitante em igreja pequena é importante para que


sempre tenha alguém para levar a Palavra de Deus, dar um testemunho, cantar um
louvor e animar a comunidade local. E para que o visitante seja incentivado a voltar
sentir-se útil e auxiliar neste trabalho.

912. Na inauguração de uma igreja é comum que pessoas de várias denominações,


bispos, missionários, pastores presidentes de campo e até mesmo convencionais
estejam presentes, autoridades públicas e eclesiásticas das mais diversas divisões, até
mesmo da igreja cristã católica devem podem estar presentes.

913. A Bíblia recomenda que deva dar honra a quem tem honra. As autoridades
Executivas, Judiciárias, Legislativas, financeiras e públicas devem ser recebidas e
apresentadas distintamente com as devidas honrarias. E de preferência que seja se
possível, oferecido a oportunidade (se forem cristã) para que um faça o
pronunciamento por todos os que ali se encontrem e isto na tribuna da igreja(para os
crentes, e abaixo da tribuna para não crente) para que haja elogios e aplauso.

914. Deve haver recepcionistas, porteiros e porteiras capacitados e orientados na arte


de recepção de pessoa de todos os níveis social e intelectual, idade e sexo. Os mesmos
devem anotar nomes, endereço e telefone para possíveis visitas e o envio de
correspondência no caso de pessoas descrentes. Todos devem ser bem acomodados
de preferência em seus devidos grupos.

915. Em uma visita domiciliar a comissão de visita deve ser objetiva em seus afazeres,
deve cumprimentar a todos, fazer perguntas referentes ao tratado da visita, cantar um
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

louvor, ler a palavra se necessário, fazer o aconselhamento, explanar em breve a


palavra, orar, agradecer pela recepção, fazer os convites necessários e despedir-se.

916. É uma igreja já amadurecida na fé. Cujas características são de formas já


definidas, resistente às criticas, aos escândalos e as tribulações. Tem uma ordenação
especial e fixa, ou seja, pastores e obreiros sólidos que não venha esmorecer diante
das lutas, uma igreja firme que representa a graça de Deus, a unção do Espírito Santo e
a unidade da igreja em Cristo.

917. “O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles
é vencido não é sábio” (Provérbios 20:1).
"Ouve, filho meu, e sê sábio; guia retamente no caminho o teu coração. Não
estejas entre os bebedores de vinho nem entre os comilões de carne. Porque o
beberrão e o comilão caem em pobreza; e a sonolência vestirá de trapos o homem"
(Provérbios 23: 19-21).
“Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja.
2 Convêm, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante,
sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; 3 Não dado ao vinho, não espancador,
não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; 4
Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a
modéstia 5 (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da
igreja de Deus?); 6 Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação
do diabo”. (I Timóteo 3:1-6)

918. Visita em cadeia deve ser feitas por pessoas da organização evangelística, de
preferência com um pastor capelão, obedecendo às ordens da direção do Presídio, e
horários, respeitando o prisioneiro, suas decisões religiosas, e as demais igrejas que
fazem este trabalho no mesmo local.

919. Visita deve ser feita consistentemente aos membros da igreja com hora marcada
e no mínimo de entre 20 a 30 dias deve haver uma rotatividade.

920. A visitação é o meio apropriado para incentivar o novo crente a permanecer na fé,
este trabalho sábio e honroso. Deve ser feito no começo todas as semanas depois vai
diminuindo gradativamente à medida que o novo crente vai adquirindo conhecimento
e firmeza na fé.

921. Desconheço este costume pastoral no meio das congregações pentecostais. Mais
há uma recomendação de que o obreiro é digno de seu salário, então nada mais justo
que o pastor presidente venha a dar a ele o valor merecido. Seria um incentivo a mais.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

922. O objetivo da visita deve ser sempre de incentivo a permanência na fé. Porque
isso fortalece a amizade e a confiança. Em alguns casos por enfermidade ou resolução
de problemas, neste caso, deve ser uma comissão especializada em cada assunto.

923. Deve citar o nome do visitante, sua identidade eclesiástica ou filantrópica,


política, etc. Para enaltecê-lo e para que a igreja saiba de quem se trata e possa o
reverenciar com as devidas honras para que o mesmo sinta-se em casa e volte assim
que possível.

924. As visitas em domicílios devem ser marcadas com antecedência para não ocorrer
constrangimento, não haver desencontros e para que haja preparação para o
encontro.

925. As visitas programadas com dias e horários marcados são mais objetivas, seguras
e de fácil controle das equipes de visitações.

20 - Termômetro espiritual

926. “Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma”. Tiago 2: 17.
O termômetro da nossa espiritualidade é as nossas obras, se realmente crermos no
filho de Deus, e temos intimidade com ele, certamente agiremos como ele agiu e assim
glorificaremos o nome de Deus. O termômetro tem a finalidade de medir o grau de fé
dos cristãos, através das ações de cada um.

927. Deve ser medida em uma divisão de 0 a 50 graus divididos de 0 a 14 e 15 24, e de


25 a 34 35 a 44 e 45 a 50. Baseado na parábola do semeador.

928. De zero a quatorze graus precisa nascer de novo; está morto e não subirá para o
céu. Vão à igreja apenas fisicamente.

929. De 24 a 35 graus são pessoas que procuram serem salvas, já tem o nome escrito
no Livro da Vida, porém, precisam de ajuda e incentivo para permanecer na fé. Tem
necessidade de santificação e busca por isto, jejua ora e busca força em Deus, pode
sair de entre estes grandes obreiros, é só capacitá-los.

930. A riqueza espiritual está com os que se identificam ente 45 a 50 graus. Já


atingiram um grau de santidade satisfatório e com certeza estão cheios da graça e os
dons de Deus. Pode ser pastor ou mesmo congregados que se dedicarão suas vidas a
Deus com toda a sua intensidade, tempo e amor.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

931. Para que haja um incentivo a dinâmica do termômetro pode se organizar uma
tabela baseada na parábola do semeador de 0 a 50 dividido de 0 a 14 e 15 a 24, e de
25 a 34, 35 a 44 e 45 a 50 e elaborar a característica das pontuações e deixar uma
tabela com o crente que deve ser honesto nas anotações e entregue para ser aferidas
em todas as santas ceias. (Irei organizar na nossa congregação)

21 – Tamanho da Igreja

932. Uma média de 10 a 50 membros pode se considerar uma igrejinha ou


congregação.

933. Igreja pequena entre 10 a 70 membros.


Igreja média no momento que atinge 200 membros.
Igreja grande é aquela que tem acima de 800 membros.

934. Crítica construtiva: o G12 busca a evangelização, ou seja, ganhar vidas para Deus,
cumprindo com o mandamento do Senhor: Ide por todo mundo e pregai o evangelho a
toda criatura, usando como estratégia as células, pequenos grupos de oração e estudo
da Bíblia. Outra prática do G12 é a de trabalhar o discipulado nas células,
fundamentado no versículo Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações,
batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo - Mateus 28.19.

Crítica destrutiva: o G-12 não é um grupo evangelicamente sério, não trabalha para o
bem comum do Evangelho e nem vem para somar com as outras igrejas já existentes.
Trata-se de uma organização herética que visa arrebanhar membros de igrejas já
constituídas com fins declaradamente financeiros. O exemplo do que estamos falando
é a solicitação de donativos de toda e qualquer denominação para a sua obra faraônica
intitulada "Canaã aqui na terra", tipificando suas reais intenções.

935. Culto ao ar livre,


Visita pastoral;
Campanha da família;
Evangelismo pessoal.

936. Anual:
Seminário para os jovens
Congresso para departamento feminino.
Conversão para os obreiros;
Seminário para a família.
Mensal:
Encontro de jovens com palestra;
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Reunião com as senhoras;


Reunião com os obreiros;
Cursos para as crianças;
Conferencia de Missão.

937. Trabalho burocrático em uma igreja com 180 membros é o mesmo que uma igreja
grande, porém com menor dimensão. Deve haver contabilidade, secretariado,
departamento de evangelismo, coordenadoria e administração.

938. Uma igreja grande tem uma vantagem de ordem espiritual por ter um grande
corpo de obreiros, anciões e círculo de oração clamando constantemente a Deus em
uma escala que proporcione tempo integral de oração, pois há irmãos o bastante para
a divisão de tempo e financeiramente pode contar com ajuda do estado e prefeituras
para despesas com professores, médicos e auxilio as demais despesas em hospital,
creche e asilo da igreja.

939. Igrejas pequenas ou médias não têm condições financeiras, nem pode manter
pessoal habilitado para manter instituição de ordem de recuperação de pessoas, ou de
ordem médica ou escolar.

940. As visitas hospitalares têm um papel importante de apoio psicológico e emocional


aos doentes internados. O evangelismo em hospital é silencioso, leituras e orações
bem baixinhas. O simples fato de que o pastor (a) é um servo de Deus já fortalece o
paciente, sem levar em consideração tanto o que diz ou faz. Isto não quer dizer, no
entanto, que o que diz ou faz não seja importante.

941. Em uma clínica de viciados precisa de profissionais de diversas áreas:


Psicólogos;
Psiquiatras;
Nutricionistas,
Clínico Geral;
Assistente Social;
Terapeutas Ocupacionais.
Acompanhamento de um pastor com formação teológica e capelânia.
Faz-se necessário também haver a manutenção de hortas e pomares, criação de vacas,
ovinos, caprinos, porcos e todas as atividades manuais possíveis que ocupem o tempo
destes pacientes, além de um rígido tempo de oração e jejum.

942. As leis brasileiras proíbem quaisquer contribuições do estado a igrejas de um


modo geral, mas abre mão para entidades assistenciais, ligadas a igrejas com CNPJ
próprios.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

943. Ponto de culto tem aproximadamente 10 membros. O ideal é que cada ponto de
pregação se torne uma congregação futuramente. Tem a necessidade de fortalecer o
social, estreitando o relacionamento com os amigos convidados. Pode ser um
aniversário, um almoço em grupo, tudo isso ajuda para envolver a pessoa e fazer
amizade.
Congregação é grupo de mais de 10 pessoas reunidas para determinado propósito ou
atividade.

944. Indiferente de quantos homossexuais de ambos os sexos, deve haver pastores ou


cooperadores com formação especializada para tratar com o devido carinho, respeito
e com sabedoria tais pessoas.

945. Uma igreja com três mil membros pode sustentar pelo menos três missionários, e
deve fazer isto com amor a obra. Muitas são as almas sedentes a espera deles.

946. Uma igreja com mais de mil membros deve já ter constituído mais de 15
congregações como campo de apoio e distribuição de obreiros.

22 – Evangelismo:
947. O tempo em um programa de rádio varia entre 30 minutos a 2 horas. Deve
propagar a Palavra, louvores e fazer menção de aniversários e apresentações do
programa da igreja. Nunca deixando de serem dinâmicos e chamativos.

948. O programa de televisão é para atingir um público em massa e de preferência os


não evangélicos. A programação da TV deve ser divulgação de cura, libertação dos
cultos e divulgação de trabalhos e campanhas de diversos seguimentos espirituais e os
endereços das igrejas do ministério.

949. Para evangelizar através de som volante deve observar as leis municipais locais,
como departamentos públicos, hospitais, escolas públicas e particulares, orfanatos,
creches, etc. E deve ser uma mensagem curta e direta ao ouvinte, preservando as e
respeitando o credo de toda a sociedade.

950. Dezenas ou milhares de panfletos devem ser feitos mensalmente, com frases
curtas e objetivas, com endereços, telefones para contato, dias e horários de cultos e
sempre reunir o conselho para decidir, elaborar e rascunhar essas mensagens.

951. Os membros da igreja devem se dividirem em equipes para efetuarem os


trabalhos como arrecadar alimentos, hospedagem, instrumentos, propaganda.
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

Para que haja sucesso em uma festa de realização anual precisa de uma boa
divulgação por cartas, panfletos, cartazes, faixas e mídia e como por serem mais
dinâmicos os jovens distribuem pela cidade todo este material. Precisa de oradores,
preletores e cantores de renome como para o povo de outras igrejas.

952. Uma igreja com 1000 membros deve ter 30 evangelistas voluntários e
consagrados para o bom crescimento da igreja.

953. Em uma igreja com 500 membros pode haver muitos diferentes programas de
evangelização, porém, damos prioridade a:
Abordagem pessoal;
Panfletagem;
Encontros de jovens em estádios e ginásios e clubes,
Mídia (rádio, televisão e internet),
Cultos públicos de evangelismo com convite a pessoas, e através de bênçãos e
cura Divina.

954. Pela internet se evangeliza por meio:


MSN, emails, blogs, sites, facebook, whatsapp, ou sites semelhantes.

955. Porque os Capelães tem um papel especialmente importante, identificando os


pacientes em angústia espiritual, e os ajudando solucionar os problemas religiosos ou
espirituais deles, ou seja eles estão mais preparados espiritualmente e judicialmente
para trabalharem nestas áreas, dando suporte aos pacientes.

23 – Festas (aniversário da mocidade, senhoras, do templo, do ministério, diversos,


do pentecostes, da Bíblia, bodas, etc.)

956. Tanto na sede como nas congregações deve haver festas dos mais variados tipos:
Aniversário do templo;
Aniversario do pastor;
Círculo de oração;
Congresso de mocidade;
Congresso ou encontro de senhoras;
Confraternização dos obreiros;
Semana de pentecostal ou semana da colheita;
Semana de estudos bíblicos ou semana da Bíblia, entre outros.

957. Os convites devem ter uma mensagem bem objetiva (para cada tipo de festa, tem
seu tipo de mensagem), os convites devem ser personalizados indicando o nome a
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

quem vai ser enviado. Já os panfletos devem ser distribuídos de casa em casa e devem
ser enviadas as pessoas que queremos que venham a festas.

958. Autoridades eclesiásticas e civis podem e muito auxiliar uma igreja, se ela abrir as
portas e o coração a eles e pode haver salvação aos não crentes, além do mais as
autoridades são constituídas por Deus.

959. A organização de uma festa inicia-se com uma ou mais semana de oração e
planejamento financeiro para arrecadação de dinheiro por meio bazar, lanches, sorteio
e arrecadação pessoal. Depois começa a convocação de preletores, cantores e
conjuntos de várias igrejas e ministérios.

960. Se tiver autoridade no corpo de obreiros, este pode muito ajudar a igreja em
representações e pedidos junto às entidades públicas.

961. É recomendado que tivesse no mínimo três festas anuais para que o povo se
anime e não queira sair por aí a procura de povo festivo. E para que haja arrecadação
financeira para o crescimento da obra.

962. A fé vem pelo conhecimento da Palavra de Deus, por isto, se faz necessário que
haja estudo bíblico para todos os fiéis de um a três vezes no ano.
24 - Batismo e comunhão, rol e carteirinha.

963. Há ministério que só batiza novo convertida após um período de pelo menos seis
meses para que haja firmeza de fé, frequentando os cultos, apresentando libertação
dos vícios, ou no prazo maior para resolver situação civil. Mas, deve ser este batizado
no máximo em 60 dias e passando principalmente pelo DISCIPULADO, para ter ciência
por que vai ser batizado e firmeza depois do batismo.

964. Com o nome registrado no livro oficial da igreja, o novo convertido se sente parte
da igreja e já começa a ter obrigações para com ela, e a carteirinha é a prova de que
ele foi bem aceito no meio dos companheiros de fé.

965. Comunhão entre presidente e demais obreiros é uma união de poderes e


comando, com obediência e compreensão de igual para igual com mutuo amor entre
ambos. Todos têm a oportunidade de ensinar e também aprender com o seu próximo.

966. A carteira de associado defende e dá o direito de sócio ou participante do corpo


da igreja, mas não dá o direito de participar de ceia ou grupos de louvores e ministério.
Já a carteira de membro é válida em todo o país como membro participativo e ativo
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

em todo o ministério, tendo direito a ceia e as dependências da igreja dentro e em


obediência aos seus estatutos.

967. Além da Bíblia, devem-se usar no mínimo três ou quatro livros. Um para visitas,
um segundo para relacionar os membros colocando ali tudo o que é de importância
saber daquela pessoa; o terceiro livro é o livro de registro dos dízimos, ofertas,
entradas e saídas diárias e dever ser feito balancete mensal; o quarto livro é o de
orações e jejuns. Existem também livros para atas de reuniões, conselhos, casamentos,
etc, hoje temos os Software e aplicativos para fazer esse processo de anotações
simples e com exatidão.

968. O batismo se procede em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo, o corpo é


submergido em águas correntes de preferência quando possível no rio, mas pode ser
realizado sem nenhum prejuízo espiritual em piscina ou tanque batismal. O que
importa é que se pode perder a oportunidade de ganhar esta alma para Jesus.

969. O batismo com o Espírito Santo é o selo com a promessa, e é evidente através dos
dons espirituais como: dons de línguas, de cura, de milagres, expulsão de demônios,
etc. (I Cor. 12: 4 a 11)

25 – Presidente cursado ou de carreira

970. Pastor cursado é aquela pessoa que está iniciando seu pastorado recentemente,
tem formação, mas não tem experiência, sem ainda muita visão das coisas.
Pastor de carreira é aquele que está há muitos anos na obra, passou por todas as
etapas de consagração e sabe como lidar com alguns acontecimentos que possam
ocorrer no decorrer dos anos.

971. Nos 20% da primeira classificação de nível de fé e santidade dos crentes é que
aparecem os Judas, os que se dizem serem homens e mulheres de Deus, mas não são.

972. Não deve fazer distinção de membros na hora de dar o apoio necessário ao
membro. Tem que apoiar a todos, mesmo os Judas, porém deve haver melhor
reconhecimento aos 20% da última classificação em primeiro lugar, e aos 40% da
terceira classificação, que são os que melhor contribuem, procuram servir
corretamente o ministério.

973. Os membros que se encaixam na terceira faixa, os 40% da igreja, é os que


mantêm a igreja financeiramente e socialmente.

974. 1ª fase é a de formação pastoral;


CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

2ª fase é do início do ministério;


3ª fase é o pastor em plena ação e dedicação a obra do Senhor.

26 – Grau espiritual e cultural

975. O grau espiritual se mede através da fé e atitude cristã. Nós alcançamos


conforme os nossos ensinamentos bíblicos vários graus de espiritualidade.
O grau secular ou cultural se mede pelo grau de formação, estudo secular da
pessoa. Se estudarmos muito, lermos bastante, o grau secular será cada vez melhor.

976. Neste nível cultural, não adianta a direção querer implantar tarefas com teologia
média, bacharel ou mestrado. Tem que ensinar dentro de um esboço básico com
várias repetições e reforçar nas explicações.

977. Não é aconselhável ministrar cursos de nível bacharel ou teológico, pois as


pessoas terão dificuldade no aprendizado. Mas deve ministrar teologia básica.

978. É de nível básico a ensino superior.

979. Com mais número de pessoas com faixa de idade de 30/90 anos
aproximadamente. Mas tem crianças, jovens e alguns idosos também.

980. As três maiores igrejas evangélicas de nossa cidade (Içara – SC) diversificam muito
o corpo de membros. Há membros cultos e no mesmo banco este assentado um leigo.
Mas os pastores têm formação acadêmica e também de carreira.

27 - Homossexuais

981. Essa doença é de origem espiritual e abrange duplamente as duas classes de vida
(física e espiritual) para aquele não convertido. Para aquele que se converter, o
espírito maligno e diabólico desaloja e o Espírito Santo de Deus passa a habitar nele
tornando-se liberto espiritualmente.

982. A igreja deve receber os homossexuais com dignidade e respeito, pois são almas
preciosas para o Senhor e havendo conversão devem passar pelo discipulado para que
tenham orientação para deixarem essa pratica pecaminosa...

983. Os ex- gays devem evitar a pratica de tal pecado e ter uma vida de consagração a
Deus sendo libertos totalmente do tal pecado, claro que com a ajuda da igreja...
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

984. Se ficar comprovado à libertação da homossexualidade desta pessoa, casar e tiver


seus filhos, tendo um bom testemunho, então ele pode sim ser separado para o
ministério. Eu tenho um amigo que era travesti e hoje é casado tem dois filhos e um
excelente pastor... Glória a Deus por isso...

985. Não! A igreja não pode ceder a este tipo cerimonial. Pois é anti-bíblico e sem
embasamento nos estatutos da Palavra de Deus e nem igreja.
Embora que uma lei seja aprovada Congresso Nacional que dá o direito desta
ação, a igreja evangélica não tem e não deve faze-la. Só Deus mesmo para ter
misericórdia do Seu povo!

28 - Stress

986. Stress acredito ter duas origens.


Mental, é devido à sobrecarga de preocupações e trabalhos,
e físico, devido ao corpo ficar muito cansado e com isso vem às doenças. Nada
que umas férias não resolvam ou uma terapia.

987. No coração à aceleração dos batimentos cardíacos e diminuição dos vasos


sanguíneos periféricos. Nos pulmões, a adrenalina promove a dilatação dos brônquios
e induz o aumento dos movimentos respiratórios e altera a capacitação de oxigênio.

988. O stress é o resultado de uma reação que o nosso organismo tem, quando
estimulado por fatores externos desfavoráveis, causando assim uma desarmonia no
organismo. Temos como exemplos: problemas financeiros, problemas no trânsito, mau
relacionamento com colegas do trabalho, problemas afetivos e conjugais, entre outros.

989. O exercício físico mais prático é respirar. A meditação é um eficaz método para
restabelecer o equilíbrio do organismo e consequentemente, controlar o stress. Dizem
que através dos exercícios de respiração que alcançamos estados profundos de
meditação, além de caminhar, fazer academia, fazer lazer com amigos ou com a
família, buscar mais a Deus em oração e amar muito.

990. O stress possuiu três fases: alarme, resistência e exaustão. Todos aparecendo
reações físicas e quando o sujeito estressado resiste a se tratar, ele chega à exaustão, e
um dos sintomas é a depressão, pois suas energias estão bastante desgastadas.

29- Conversão

991. Hoje com a liberdade religiosa declarada pela Constituição Brasileira, foram
criadas inúmeras convenções para acolher e agregar nossas igrejas;
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

992. Convenção é um órgão regulador de igreja. Emitindo regimes, normas de


condutas para suas igrejas filiadas e concedem coberturas espirituais, administrativas e
jurídicas. Igrejas devem e precisam ligar a uma determinada convenção.

993. A crença no único Deus, Onisciente, Onipotente, Onipresente; o Pai, o Filho, o


Espírito Santo;
Crê que o Deus -Filho viveu e habitou entre nós, derramou sangue para nos
salvar;
Crê que o Senhor Jesus Cristo, foi morto e ressuscitou, subiu ao céu e está a
direita do Pai intercedendo por nós, e quando Ele lá chegou, o Espírito Santo desceu
em Pentecostes para nos enriquecer com dons espirituais e convencer o homem do
pecado, do juízo e da justiça;
Reconhece a Bíblia Sagrada, sendo a Palavra de Deus e imutável;
Confia e espera a segunda vinda de Cristo para a ressurreição dos santos e o
arrebatamento de todos os fiéis, julgar as nações, implantar o milênio e condenar os
ímpios ao lago de fogo eterno;
Crê no batismo no Espírito Santo e por imersão;
Exige a prática da cerimônia solene da Santa Ceia, simbolizados por pão sem
fermento e o suco de uva para memorizar o corpo e o sangue do Cordeiro Jesus, que
morreu por todos nós;
Considera diabólica a doutrina do purgatório, reencarnação e de todas as seitas
que não consideram a Bíblia como o único livro sagrado;
Aceita a cura divina, libertação espiritual e manifestação de todos os dons, é
contra a regressão e orienta a todos a não amar as riquezas materiais e sim os
tesouros do lar eterno;
Adota a monogamia e exige o casamento no civil e religioso e é proibido o
ministro realizar casamento apenas no religioso e de pessoas impedidas civilmente.

994. A Convenção Pentecostal acredita que o batismo do Espírito Santo foi na época
dos apóstolos para os judeus, para os gentios e ainda hoje ocorre.
A Convenção Tradicional acredita que isso só foi e ocorreu na época dos
apóstolos.

995. Admitir a todos novos convertidos ou transferidos como associados e incluí-los no


livro de associados, sem que haja acepção de pessoas;
Batizar após 30 dias e/ou admitir como membro do ministério, entregar a
carteirinha e credencial do membro. O mesmo deve mostrar que deixou de lado os
desejos da carne e houve mudança de vida;
Permitir como cooperador e auxiliar no louvor, na Palavra e na administração os
membros novos convertidos que tiveram no mínimo 30 dias de frequência, fidelidade,
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

inclusive com os dízimos, e destes separar como obreiros apenas aqueles que
demonstram radical mudança de vida;
Fica proibido o reconhecimento ou a separação a qualquer cargo ministerial de
pessoa amasiada, separada de fato ou homossexuais praticantes;
Se porventura algum obreiro amasiar, abandonar a esposa ou apresentar práticas
de desvio sexual será recolhido todos os cargos e credenciais e rebaixando ao seu
assento do púlpito para a plateia;
Obreiro ou simples membro que vier de outra igreja amasiada não será recebido
como membro e muito menos como obreiro, enquanto não legalizar a situação civil,
será recebido apenas como associado assistente, sem direito a voz.

996. O que deve fazer:


1- Orar o Pai Nosso ou oração espontânea, de joelho, no quarto e no mínimo duas
vezes ao dia. Vigiar e orar em espírito o dia todo. Sempre orar nas suas atividades
diárias. Interceder diariamente por uma lista de nomes de pessoas que precisam de
sua oração;
2- Ler, meditar ou ouvir leitura bíblica todos os dias. Todos os membros devem
participar de vigília, retiro e jejuar no mínimo uma vez ao mês por 24 horas de sólido e
líquido. A cada trimestre ficar confinado e acampado em retiro urbano ou rural um ou
dois dias, para estudo bíblico e oração;
3- Comparecer a igreja no mínimo duas vezes por semana, portar Bíblia e não
faltar à Santa Ceia. Interceder pela família, pela obra de Deus, pelas autoridades, pelos
inimigos, por Jerusalém e abençoar a todos. Orar no mínimo 10 minutos por culto
quando chegar à igreja e glorificar a Deus no mínimo sete vezes durante o culto.
Sempre colocar o dízimo nas mãos do Senhor, se colocar a disposição do presidente ou
dirigente para contribuir com a obra de Deus;
4- Ser dizimista mensalmente, inclusive dedicar 10% de seu tempo nos trabalhos
da igreja;
5- Namorar e noivar decentemente e só no jugo igual e ser fiel no casamento,
proibido sexo pré e extraconjugal;
6- Fazer caridade habitualmente, amar e respeitar o próximo. Contribuir com a
assistência social da igreja todos os meses;
7- Sempre glorificar a Deus com palavras ou frases, respeitar, considerar e
reverenciar o Senhor Jesus como Autoridade digna e máxima;
8- Ser amoroso, cultivar todo fruto do Espírito Santo;
9- Dar graças a Deus por tudo que comer e beber e abster-se de gula e sangue;
10- Trabalhar na obra de Deus, obrigatoriamente e no mínimo aos domingos. No
mínimo ao mês orar e visitar as cadeias, sanatórios ou leito de dor residencial ou em
hospital e levar um visitante a igreja e por semestre apresentar um batizando.
O que não deve fazer:
1- Falar mal, fumar e embriagar-se;
CURSO DE FORMAÇÃO PASTORAL

2- Rezar para santos, possuir ou adorar imagens, usar simpatias ou acender velas.
Somente o Senhor Jesus Cristo é mediador, luz, sacerdócio e merece adoração;
3- Invocar espíritos de mortos ou participar de sessões mediúnicas;
4- Brigar, roubar, matar e mentir;
5- Prostituir, adulterar ou amasiar;
6- Batizar menor de 12 anos, participar da Santa Ceia sem ser batizado, em
pecado ou indignamente;
7- Contar piadas, palavrões, ler e ouvir horóscopo e participar de jogos de azar;
8- Participar na roda dos beberrões, ímpios e viciados;
9- Cantar músicas do mundo ou dançar;
10- Trabalhar aos domingos, salvo imposição patronal de revezamento e escala.

997. Usos e costumes de igrejas são muito distintos entre cada denominação, pois
cada uma tem sua identidade. Agora, a palavra de Deus nos ensina que tudo deve ser
feito com ordem e decência, sendo que os lideres devem ensinar sua igreja que o
temor do Senhor é o princípio da sabedoria, ou seja, se não tivermos temor, não
adiantara fazermos regras, pois as pessoas faram não por temor ao Senhor e sim por
medo dos pastores. Isso é o que creio e ensino....

998. É melhor que quem tenha o dom de profetizar e revelar tenha o discernimento de
fazer conforme o que Deus orienta, pois, a profecia que não é de Deus, traz doenças,
maldições, fraquezas mental e psicológica, vicia e tira a visão espiritual do falso profeta
e de seus seguidores. Examinem a vida do profeta e corte os excessos óbvios.

999. Pastor leigo é aquela pessoa que pensa que possa saber das coisas de Deus e
passa a ministrar sem orientação nenhuma, fazendo com que algumas pessoas que o
procuram achando que estão fazendo o correto e que acabam por muitas vezes
cometendo mais erros. Esses “pastores” se fixam em locais que com o passar do
tempo com um determinado número de pessoas passa a levar e direcionar “cultos”
que aparenta ser algo legal, mas que não passam de verdadeiras igrejas clandestinas.

1000. O povo gosta de ver Deus operar, e quando pensam que isto está acontecendo,
em alguma igreja, correm pra lá, e aí a igreja cresce. Mas quando veem que foram
enganados, migram para igrejas tradicionais ou desviam-se novamente dos caminhos
verdadeiros do Senhor. Mais a rotatividade é devida grande divulgação, o faz crescer
assim.

Você também pode gostar