Você está na página 1de 3

Formulário para Atividade Online – AO 02

Nome da Disciplina: Conteúdos e processos de ensino em Língua Portuguesa I


Natureza: Obrigatória
Cursista: Franklin Lira
Polo: Cidade Ocidental - GO
Tutor: Eloíza Cardoso Louzeira
Turma: 1 “A”

Atividade:
1 – Faça a leitura minuciosa dos dois textos: 01. Discurso e leitura. 02. Produção textual,
análise de gêneros e compreensão.
2 – Anote os principais conceitos e proposições;
3 – Depois da leitura, você deve realizar a AO02: Envio de tarefa – Resumo. Para essa atividade,
você deve produzir um resumo, envolvendo os dois textos trabalhados;
4 – O resumo deve apresentar as ideias principais dos textos;
5 – O resumo deve conter no mínimo duas ou no máximo quatro páginas.
6 – Baixe o formulário do aluno e digite nele os resumos de cada texto;
7 – Salve o arquivo em PDF e poste no AO02: Envio de tarefa – Resumo.

Resumo 01:

Uma das práticas que fazem parte da rotina escolar na alfabetização é a


produção textual. Nos anos iniciais, a produção textual tem o objetivo de desenvolver e
enriquecer a capacidade linguística da criança aprimorando a escrita, despertando a
criatividade e associando a imaginação de cada um. O trabalho da produção textual
precisa começar desde cedo com as crianças ainda na Educação Infantil. Existe uma
grande contradição que as crianças só devem escrever textos depois de estarem
alfabetizadas. Na verdade, são nas práticas de leitura e escrita que elas refletem sobre
o funcionamento do sistema alfabético, na interação entre os pares e objetos de
conhecimento. No uso da língua as crianças se apropriam de habilidades que as levam
a avançar na aprendizagem e em seu processo de alfabetização. Na produção textual,
as crianças começam contando, recontando e criando histórias oralmente, o professor
em algumas ocasiões é o escriba dessas narrativas. Depois passam as escritas com o
apoio do professor até chegar à escrita com mais autonomia.
Os gêneros são formas presentes já em povos de cultura essencialmente
oral, e passam a se multiplicar com o advento da escrita alfabética. Isso significa que
tratar da gênese dos gêneros é falar da relação do homem com a linguagem ao longo
de toda a história. Só podemos nos comunicar por meio de gêneros. Gêneros textuais
definem-se principalmente por sua função social. São textos que se realizam por uma
ou mais de uma razão determinada em uma situação comunicativa, seria uma espécie
de contexto, para promover uma interação específica. São tratadas de unidades
definidas por seus conteúdos, suas propriedades funcionais, estilo e composição
organizados em razão do objetivo que cumprem na situação comunicativa. Podemos ter
um exemplo claro de gênero podendo considerar, por exemplo, que um correio
eletrônico guarda muitos traços comuns com a carta que costumávamos mandar pelo
correio. Essa origem pode mesmo ser atestada pelo nome em português "correio
eletrônico", em inglês chama-se "e-mail". A partir de uma ideia existente, a da carta,
podemos perceber uma forma nova, mas que guarda a familiaridade do gênero de onde
provém, adaptada às funções e objetivos do contexto em que é gerada. Se antes a
carta estava contida em um envelope contendo algumas informações paratextuais, os
endereços de remetente e destinatário, no gênero correio eletrônico (e-mail) essas
informações passam a constar da mensagem, ainda que de forma periférica, mas com
implicações na forma como redigimos. Uma ótima alternativa para o professor explorar
os diferentes gêneros textuais seria dividir a sala em grupos e sugerir que os alunos
levassem cartas, anúncios de revistas ou jornais, receitas para a sala de aula. Os
gêneros textuais são inúmeros e ao utilizar o trabalho com os diversos gêneros textuais,
a escola contribuirá para uma nova perspectiva no processo de leitura, de escrita e de
produção textual, tornando o aluno um leitor e escritor competente e crítico.
Toda criança é um leitor que realiza um esforço cognitivo para processar,
atribuir e interpretar o significado ao que está escrito. As atividades de compreensão
muitas vezes estão distantes de propostas de reflexão crítica, ficando resumidas a
perguntas e respostas que pouco estimulam o posicionamento crítico dos alunos diante
do texto. Fica claro que o foco das atividades de compreensão preconiza os aspectos
formais do texto e do uso da língua. Compreender um texto é entender a mensagem
que ele está transmitindo de maneira objetiva. A compreensão textual envolve a
decodificação da mensagem que é realizada pelo leitor. Levar os alunos a entender
tudo o que leem exige explorar diferentes gêneros e procedimentos de estudo. Para ser
bem-sucedido na tarefa, é necessário o envolvimento dos professores. Toda criança é
um leitor que realiza um esforço cognitivo para processar, atribuir e interpretar o
significado ao que está escrito.

Resumo 02:

No período em que as crianças estão começando a desenvolver interesse


por coisas novas, nessa fase qualquer novidade apresentada elas tendem a captar a
informação e começar a processar seu interesse redescobrindo cada vez mais. Esse
momento da leitura pode ser exibido com ilustrações, fazendo com que as crianças
comecem a observar os desenhos e desenvolver sua curiosidade de descobrir como
será o seguimento das histórias que estão sendo apresentadas. O professor pode
utilizar livros, de preferência que todas as crianças tenham o mesmo, ocorrendo assim
um diálogo entre todas elas no sentido de começar a formar os diversos seguimentos
que as histórias podem ter. Nosso sentido mais aguçado é a visão, e é justamente aí
que a leitura começa, com os olhos. Podemos observar que quando olhamos um texto
nos lembramos melhor dele do que quando apenas o ouvimos. É bem clara a
necessidade da utilização da leitura nas escolas como uma das principais fontes de
conhecimentos adquiridos, contribuindo para que as crianças possam desenvolver o
hábito de ler desde muito cedo. Nas séries iniciais, o impacto da leitura na vivência do
aluno faz despertar o costume de conhecer o mundo ao seu redor, através de livros que
podem auxiliá-lo no crescimento e em sua formação crítica. A leitura tem por finalidade
evoluir o crescimento educacional da criança. Quem tem o hábito de ler, tem mais
chances de conhecer diversos assuntos sem ao menos sair de casa. Ela enriquece,
gera um vocabulário extenso e rico, motiva uma escrita com mais qualidade, levando o
leitor a se ver em diversos mundos, onde o mesmo pode trafegar em diferentes rotas e
tempos distintos, possibilitando dessa forma o encontro com o imaginário e renovando o
já conhecido com o desconhecido um encontro com o presente e o passado.
Ler não é somente pegar um texto e proferir palavras de qualquer jeito, é
necessário que haja a interpretação e entonação da maneira correta. Nesse período os
professores precisam conduzir os alunos a entender o modelo correto que devesse
explanar uma textualização, para facilitar o gosto pela leitura a ajuda dos pais é de
relevante importância, pois se comparar uma criança que chega à escola com uma
bagagem de conhecimento formada sobre o ato de ler, podemos observar que elas
conseguem se expressar melhor, terem um vocabulário mais rico, falar de forma mais
explicada, serem crianças mais seguras ao realizarem suas atividades. A leitura
trabalha de forma correta levando a criança a imaginar e captar suas formas, suas
cores, sua beleza, sua magia, seu mundo imaginário que nele tudo é possível, toda
invenção, por mais surreal que seja neste mundo de leitores tudo se tem vida e
continuidade.
O ato de ler precisa ser algo prazeroso, a criança não deve ser forçada a
isso, esse processo precisa ser desenvolvido com muito cuidado para não se tornar
uma tarefa exaustiva para elas. Tudo que se ensina as crianças elas tendem a tirar
alguma informação, essa pode ser algo positivo ou negativo, por isso que é muito
importante que os professores saibam manusear a leitura como algo agradável, algo
lúdico, que traga para o cotidiano da sala de aula um momento de desconcentração,
uma aula com muita troca de conhecimento, deve ser algo que deixe o aluno a vontade,
para escolher os livros que mais lhe chamam a atenção. Na proposta da leitura para
crianças precisa haver um objetivo específico, com foco no crescimento intelectual e
social do aluno, para que o processo de formar leitores possa se propagar nos anos
seguintes, para que essa prática ganhe um lugar importante na vida da criança, que
esse processo seja contínuo e crescente, de forma que se torne um hábito, algo
praticável no dia-a-dia e não só na sala e aula, a leitura deverá se tornar uma prática
recreativa e não apenas informativa e obrigatória.
É importante ressaltar o valor da família para trabalhar em conjunto com a
escola, essa junção acrescenta uma melhoria de comportamento para o desempenho
da criança, essa parceria acarreta o compromisso de estabelecer uma relação afetiva
da escola com as famílias dos alunos, assim o aluno sela um acordo comportamental
em função das atividades que a instituição aplica ao decorrer de cada ano letivo.

Você também pode gostar