Você está na página 1de 3

Universidade Federal de Goiás

Especialização Interdisciplinar em Patrimônio, Direitos Culturais e


Cidadania

Alunos (as): Wellington Ribeiro Lopes,

Kamilly Cordeiro dos Santos,

Telma Neris Rocha,

Marcos Vinícius de Melo Oliveira

Atividade - Eixo Temático II

AÇÕES DA COMISSÃO GOIANA DE FOLCLORE

Esse texto trata de um resumo das ações culturais desenvolvidas, apoiadas e


registradas pela CGF, sigla que identifica a Comissão Goiana de Folclore. Tal
comissão foi criada por intelectuais goianos em 21 de dezembro de 1948, um
ano após a criação da Comissão Nacional de Folclore, com o objetivo de
incentivar e coordenar pesquisas, estudos bem como defender e divulgar o
folclore e a cultura popular no âmbito do Estado de Goiás, colaborando assim
nos atos cívico culturais com os poderes públicos, entidades estatais,
paraestatais e privadas e está relacionada com o IBECC da UNESCO (Instituto
Brasileiro de Educação, Ciência e Cultura).

Ao pesquisar sobre a atuação local desse órgão governamental, identifica-se


alguns eventos importantes que foram realizados nos anos de 2016 e 2017.
Em 2016 a Comissão Goiana de Folclore apoiou eventos culturais na
Academia Goiana de Letras, apoiou o encontro de folclore realizado no
Hospital Geral de Goiânia e na semana do folclore realizada pela Assembleia
Legislativa do Estado de Goiás. Também participou do III Festival Internacional
de Folclore na cidade de São Luiz capital do Estado do Maranhão. Vê-se então
que a CGF além de valorizar o folclore goiano, também o divulga e faz
intercambio com o forte folclore do nordeste do Brasil.

Ainda em Novembro de 2016 a Comissão Goiana de Folclore sediou em


Goiânia o 1º Encontro das Comissões Municipais de Folclore do Estado de
Goiás. Esse evento foi apoiado pela Lei de Incentivo a Cultura do Município de
Goiânia e reuniu vários municípios de Goiás. Palestras e apresentações
culturais, fizeram parte da programação do encontro, que analisou as atuações
de cada comissão municipal envolvendo folcloristas, mestres, estudiosos e
professores, assim como também realizou uma mostra do rico folclore goiano.
Eventos como esse são extremamente importantes para a sociedade, pois
além de permitirem que os indivíduos conheçam o folclore regional, reforçam a
ideia de que cada município deve se organizar para valorizar seu folclore.

Segundo o site da prefeitura de Indiara em fevereiro de 2017, a CGF esteve na


cidade de Indiara para debater a criação de uma comissão de folclore para
essa cidade. O incentivo a criação dessas comissões locais é muito importante,
pois reafirma a importância de que cada cidade valorize sua cultura. Nesta
ocasião percebe-se então o impacto do 1º Encontro das Comissões Municipais
de Folclore do Estado de Goiás, pois se vê que municípios que ainda não
possuem uma organização para preservação do folclore local se abram para o
debate.

Além de apoiar e realizar eventos folclóricos em Goiás a CGF tem preocupado


em realizar os registros fotográficos de todos os eventos folclóricos que
acontecem no estado. Tais registros também são utilizados para divulgação
nas redes sociais. Um exemplo de eventos registrados é o da Folia de Reis
em Ponte Nova de Palmeiras de Goiás e a dança dos Catireiros Pai Eterno em
Olhos D’Àgua-GO. Destaca-se o fato de que as pessoas que trabalham em
preservar tradições estão atualizadas com as tecnologias modernas. A
utilização das redes sociais é muito importante para democratizar e levar ao
conhecimento de todos as tradições, provérbios, danças, músicas e mitos das
antigas gerações.

Tendo em vista o que foi mencionado, destaca-se o ato nobre de pessoas e


governo se unirem para tentar garantir que as tradições e manifestações
populares constituído por lendas, mitos, provérbios, danças e costumes sejam
preservadas. O avanço tecnológico, a globalização, e as forças econômicas,
tendem a afastar o povo de suas tradições, mas é importante que existam
indivíduos dispostos a resgatar a identidade cultural de nossos ancestrais para
que as futuras gerações disfrutem da magia que o folclore proporciona.

Referências:

https://producao.ciar.ufg.br/ebooks/patrimonio-direitos-culturais-e-
cidadania/edicao1/cnt/modulo4/cnt/cntnt/1-2-4.html;

https://pos.historia.ufg.br/up/113/o/OLIVEIRA__Guilherme_Talarico_de.pdf;