Você está na página 1de 3

Editorial

Este número da nossa Newslet-


ter dá conta de uma série de ini-
ciativas que decorreram na nos-
sa escola ou em que a nossa
escola esteve envolvida. Foram
Newsletter nº 6 Fevereiro_Março de 2011
muitas iniciativas e aqui se assi-
nalam algumas delas.

A já tradicional peregrinação a
Colégio dos Órfãos do Porto
Santiago de Compostela já ( 25 de Março 1651 - 25 de Março de 2011 )
começou! Damos conta do per-
Passam exactamente no próximo dia 25 de Mar-
curso realizado no passado ço, 360 anos da fundação do Real Colégio de
domingo até ao Mosteiro do Nossa Senhora da Graça dos Meninos Órfãos da
cidade do Porto, o nosso Colégio dos Órfãos. Foi
Balio e que foi orientado pelo Dr. seu fundador o Pe. Baltasar Guedes no local onde
Joel Cleto. hoje se ergue o edifício da Reitoria da Universida-
de do Porto (aos Leões). Foi um momento mar-
O destaque, no entanto, vai para cante para a vida da cidade do Porto. Desde esse
momento que o Colégio vem despenhando a
a passagem de mais um aniver- função para que foi criado: uma instituição de
sário da fundação do nosso colé- acolhimento e instrução dos órfãos e desprotegi-
gio em 25 de Março de 1651. A dos na cidade e do seu bispado. Esta obra perdu-
ra ainda hoje, desde 1951 nas mãos dos Salesia-
lembrança desse momento pro- nos de D. Bosco, adaptada aos novos tempos,
cura por em relevo, acima de ocupando o edifício, sobranceiro ao rio Douro, no
tudo, o seu fundador, o Pe. Bal- “Monte do Seminário”, para onde tinha sido
mudado no ano de 1903 e onde ainda hoje o
tasar Guedes bem como, os encontramos.
que, a partir de 1951, tomaram
nas suas mãos a direcção dos 360 anos de uma existência com História
destinos desta instituição multis- Não é certamente neste espaço que poderemos ter a veleidade de contar a História do
secular, os Salesianos. No próxi- nosso colégio. No entanto, não queremos deixar passar em claro uma data tão significativa
quanto esta: 360 anos da fundação do Real Colégio de Nossa Senhora da Graça dos
mo dia 25 de Março completam- Meninos Órfãos da Cidade do Porto. O seu fundador, o Pe. Baltasar Guedes, ergueu uma
se 360 anos da fundação do
Villanova_1833
Real Colégio de Nossa Senhora ( SUL↑ )
da Graça dos Meninos Órfãos da
cidade do Porto, No próximo
número do nosso jornal escolar
Ribadouro daremos o relevo que
esta memória merece.

Aproveitem bem a interrupção


lectiva que se avizinha e até
Abril!
obra de vulto na cidade de meados do século XVII. Foi em instalações cedidas pelo Colé-
De 4 a 8 gio que desde o século XVIII, se iniciaram os estudos que vieram a contribuir para o nasci-
mento da Universidade do Porto que, ape-

de Março sar de apenas instituída em 1911, em tem-


po de 1ª República, encontra as suas ori-
gens no espaço onde existia o colégio, mas
que aos poucos, à medida que se construía
nos o edifício da Academia Real de Marinha e
Comércio da Cidade do Porto, o ia envol-
vendo e acabaria por sufocar originando o
Caminhos de inevitável: a sua mudança em finais do
século XIX. (continua na página seguinte)

Santiago Edifício actual


Feed-back da Newsletter 5
Newsletter nº 6 Página 2
O nosso agradecimento a todos os que

A Peregrinação a Santiago já começou!


acompanham a vida nesta casa com
interesse. Sentimos que estamos todos
sintonizados e isso é muito bom.
No passado dia 27 de Fevereiro realizou-se uma caminhada de preparação para a
grande caminhada a Santiago de Compostela. Destinou-se aos grupo que irá percorrer
o caminho de 4 a 8 de Março e, sob a orientação do Dr. Joel Cleto, percorreu-se uma
das etapas do Caminho Português a Santiago entre S. João do Telheiro e o Mosteiro de
Leça do Balio. Apontamentos histórico-culturais enriqueceram os participantes. A foto,
que acompanha este pequeno texto, ilustra o acontecimento que, refere quem partici-
pou, foi do agrado de todos. Este convívio visou criar grupo antes do início da caminha-
da em terras da Galiza. Em Compostela, lá nos encontraremos!

360 anos de uma existência com


História (continuação)

A cidade, quando mais não seja,


deve ter uma dívida de gratidão aos
que, sacrificando-se abriram caminho
à maior Universidade do País. Temos
uma marca bem visível no nascimen-
to e desenvolvimento do ensino
superior nesta cidade. Sacrifício foi
Visita ao passado do nosso colégio
para os que penaram, ao longo do A oportunidade surgiu e foi aproveitada. Não é
século XIX, enquanto assistiam ao todos os dias que podemos viajar tão longe no
“emparedamento” das estruturas
tempo. Estar perante estruturas do edifício da
colegiais. Várias são as vozes que se
fundação do nosso colégio em 1651, foi, para
levantaram contra essa situação. Os
documentos atestam-no bem.
os que puderam participar na visita, certamen-
te uma experiência inesquecível.
Hoje, mais do que nunca, a ligação
entre a história do Colégio “dos Meni-
A viagem que a Dra. Márcia Monteiro da reito-
nos Órfãos” e a da nossa Universida-
ria da Universidade do Porto nos proporcionou,
de do Porto não pode nem deve ser
esquecida, antes pelo contrário,
permitiu-nos confirmar o que alguns de nós,
devemos por todos os meios valori- mas nem todos, sabíamos ser a origem do
zar esse “cordão umbilical” da Histó- nosso colégio. Ali, diante de nós, estava a pro-
ria. Se hoje são de novo visíveis as va viva de que foi no espaço hoje ocupado
antigas estruturas colegiais na Reito- pela Reitoria da Universidade do Porto, junto à
ria da Universidade do Porto, tudo Praça dos Leões, que nasceu o nosso Colégio
devemos fazer para que essa memó- dos “Meninos Órfãos”. 360 anos separam
ria seja permanentemente visível e
estes momentos. Como ainda não se sabe o
até visitável para que seja “palpável”
destino a dar a estas estruturas, pode bem ter
a ligação que existiu entre as duas
instituições e que o tempo e os sido uma última oportunidade. Esperemos que
homens quase conseguiram apagar. tal não aconteça!
Noutra oportunidade abordaremos,
de forma mais aprofundada, essa O Corpo docente reuniu-se
questão! para cantar os parabéns ao
Hoje, mais do que nunca, é preciso nosso Pe. Taveira pela passa-
olhar para o passado e, sem cons- gem do seu aniversário. Foi
trangimentos de qualquer espécie, mais uma oportunidade para
aceitá-lo como ele foi. estarmos juntos e para, na
Podia ter sido doutra maneira? Claro ocasião, ouvirmos as palavras
que podia! do nosso director, palavras de
Nelson Araújo ânimo e de confiança no futuro
Professor de Historia do Colégio dos Órfãos do Porto desta casa. Parabéns!
Newsletter nº 6 Fevereiro_Março de 2011 Página 3

Aprender a ser solidários Notícias breves


Ontem, dia 23 de Fevereiro, fomos à horta colher o coração que plantámos. Depois decidimos o Teatro “Falha de Cálculo”
que fazer com ele e a professora disse se queríamos dar o coração à escola para a cozinha ou
dar à Cozinha Comunitária para ajudar famílias carenciadas. Nós escolhemos a Cozinha Comu-
nitária. Então metemos tudo numa saca, para a nossa professora levar. Ontem foi canja e hoje
vai ser sopa que vão fazer com o coração que apanhámos. A sopa vai ficar muito, muito boa! A
sopa é de graça, porque é para famílias carenciadas e lá também dão fruta.
Foi muito divertido ir à horta ontem e gostámos muito de ajudar a fazer a sopa. Na horta ainda
temos muitas couves para apanhar, para a próxima vez.
Bruno Alexandre, Maria Inês e Miriam – 2º ano

No dia 26 de Janeiro, eu e os
meus colegas do 1º e 2 anos,
fomos ao Teatro do Campo Alegre
assistir à peça “Falha de Cálcu-
lo” . Nós gostámos muito de ir ao
teatro. Maria Inês Barros, 2º ano

Formação Qualidade da
educação religiosa
Os professores de Educação Moral
e Religiosa Católica (EMRC), entre
eles a professora Rute Silva, e os
Coordenadores de Pastoral das
escolas salesianas de Portugal
reuniram-se domingo, dia 6 de
Fevereiro, em Fátima. Repensar e
dialogar, desenvolver sinergias,
criar um novo modelo de Educação
Religiosa nas escolas que melhore
as actividades da EMRC e da pas-
toral escolar foram os objectivos do
encontro realizado.

Vem aí a Feira do Livro


De 10 a 18 de Março os livros
serão “reis e senhores” do nosso
Salão Nobre pois aí decorrerá mais
uma Feira do Livro. Muitos serão os
A exposição "À Medida do Tempo" é uma exposição interactiva que pretende realçar a Mate- títulos que poderás encontrar,
mática envolvida na medição e conta- folhear e, se vires que tal, apaixo-
gem do Tempo, através dos instru- nar-te completamente. Verás que
mentos utilizados ao longo da Histó- não será tempo perdido! Ter na
mão um livro, “sentir-lhe o cheiro”,
ria. Vários são os módulos expositi-
percorrer as suas páginas … são
vos com destaque para os calendá- sensações inesquecíveis.
rios, o relógio de sol, as ampulhetas,
a longitude e os fusos horários, o
Vem aí o “Grande
relógio mecânico …de destacar apli-
cações informáticas relacionadas a
Musical da Química”
temática do tempo. entre outras, Os ensaios já começaram e a 21
saber Esta exposição foi montada no e 22 de Junho, no Teatro Rivoli,
será a apresentação do trabalho
Salão Nobre por iniciativa do Departa-
produzido. Vamos acompanhar
mento de Ciências Exactas e foi visi- esta iniciativa na Newsletter e
tada, com muito interesse, pelos nos- no nosso jornal escolar. Está
sos alunos. Na imagem o Carlos, a atento! Os teus colegas vão …
Renata e o Francisco representar para ti!

Largo Padre Baltazar Guedes


4300-059 Porto • Portugal
T +351 22 589 82 50 • F +351 22 510 30 30
www.cop.pt • geral@cop.pt
www.facebook.com/escolasalesiana.cop