Você está na página 1de 2

ATIVIDADES

Com base nos conhecimentos adquiridos nessa aula, vamos responder as


questões abaixo, de acordo com o enunciado.

1. CESAR foi eleito para o cargo de direção da Comissão Interna de Prevenção


de acidentes (CIPA) de sua empregadora, a empresa GAMA Ltda”. Seu
mandato termina em junho de 2021. Porém, por motivos de grave crise
financeira, a empresa GAMA LTDA encerrará as suas atividades com o
fechamento do estabelecimento. Dessa forma, em razão da extinção do
estabelecimento, a empresa rescindirá o contrato de todos os seus
funcionários. Considerando que é vedada a dispensa arbitrária ou sem justa
causa do empregado eleito para cargo de direção da CIPA, até um ano após
o final de seu mandato, CESAR poderá ser dispensado? Justifique

Cesar poderá ser dispensado mesmo com a estabilidade especial


súmula. Os dirigentes eleitos da CIPA também receberam o amparo da
garantia temporária de emprego por 1 ano desde sua candidatura ao
cargo até 1 ano após o final do mandato, salvo a pratica de falta grave.
A estabilidade provisória do cipeiro não constitui vantagem pessoal,
mas garantia para as atividades dos membros da CIPA, que somente
tem razão de ser quando a empresa estiver em atividade. Extinto o
estabelecimento, não se verifica a despedida arbitraria, sendo
impossível a reintegração e indevida a indenização do período
estabilitário.

2. JÚLIO, que é empregado contratado pela empresa BETA, sofreu acidente de


trabalho, motivo pelo qual está afastado de suas atividades pelo período de
90 dias e recebendo o benefício previdenciário do INSS. Sabemos que,
durante o período de afastamento de JÚLIO, seu contrato de trabalho será
suspenso, razão pela qual a empresa BETA será dispensada, no citado
período, do pagamento de salários. Nessa situação hipotética, considerando
as regras aplicáveis ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, a empresa e
deverá efetuar os recolhimentos de depósitos na conta vinculada de JÚLIO?
Fundamente.
No caso de serviço militar, o contrato é suspenso e recomeça quando o
empregado retorna a empresa, mas existe a obrigatoriedade do
recolhimento do FGTS nesse período de prestação de serviço militar. A
empresa deve permanecer fazendo o recolhimento mensal de 8% do
FGTS no período de afastamento do empregado para prestação de
Serviço Militar.
Preciso mandar
minha atividade! ATENÇÃO:

As respostas deverão ser enviadas por intermédio do Portfólio da plataforma


UNIGRAN NET dentro do prazo assinalado, sob pena de não serem
consideradas.

Em caso de dúvidas, entre em contato pelo e-mail: jkrewer@unigran.br;