Você está na página 1de 14

5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico

Página 1

Simpósio Internacional sobre Gestão de Aprendizagem e Desenvolvimento de Tecnologia


na Era da Informação e da Internet.
Os caminhos convergentes das organizações públicas e privadas.
Universidade de Bolonha, novembro de 2002

Uma visão geral do governo eletrônico


Shivakumar Kolachalam
Scuola Superiore di Studi Universitari e di Perfezionamento Sant'Anna
Piazza Martiri della Libertà, 33 - 56l27 Pisa, Itália - Telefone: + 39-050-883451 - Fax: + 39-050-883452
Email: shiva@gandalf.sssup.it

Sommario - 1. Introdução. - 2. TIC. - 3. Governo Eletrônico, Comércio Eletrônico, Governança Eletrônica e Administração Pública.
- 4. Os atores do governo eletrônico e suas expectativas. - 5. Democracia e governo eletrônico. - 6. Pilares de E-
governo. - 7. Nova Gestão Pública (NPM) - 8. Do Governo ao Governo Eletrônico. - 9. Potenciais de E-
Governo. - 10. Barreiras do governo eletrônico. - 11. Aplicações do governo eletrônico - 12. Alguns esforços para
Implementações de governo eletrônico. - 13. Conslusão.

Abstrato
Desenvolvimento recente em sistemas de comunicação digital, tecnologia de Internet / Intranet e software de código aberto
resultou na reestruturação dos sistemas de informação de 1ª e 2ª geração em mais baratos, interconectáveis e globalmente
sistemas acessíveis e fáceis de usar, permitindo que as pessoas entrem na era do governo eletrônico.
O governo é uma instituição que atende a algumas das necessidades mais críticas da sociedade e a qualquer / todos os membros da sociedade
uma hora ou outra tem que interagir com o governo.
Este artigo tenta dar uma visão geral do governo eletrônico em geral, discutindo os potenciais e as barreiras envolvidas no
realização disso. A tão necessária gestão da mudança ou Nova Gestão Pública para a governança eletrônica também é brevemente
descrito.

1. Introdução

Um cidadão em algum momento de sua vida tem que interagir com o governo. Governo
por seu tamanho e quantidade de atividades, não só se torna a única maior fonte de criação
e fornecimento de tais informações, mas também processa o mesmo como um serviço para seus clientes.
O cliente do governo inclui: outros departamentos governamentais, empresas privadas
organizações, funcionários do governo e cidadãos comuns. Complexidade na gestão do
o negócio sobe para o governo com uma base de clientes cada vez maior. Isso exige a adoção
Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para gerenciar seu funcionamento, e assim indo
digital / eletrônico.

2. TIC
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 1/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico

Durante 1 st geração de computação, computadores mainframe caros foram além da compra


capacidade de muitos indivíduos e eram propriedade apenas de grandes empresas privadas e do governo
[35], [9]. 2 nd médios de geração e, subsequentemente, 3 rd Microcomputadores com geração

© 2003 www.ea2000.it -

Página 2

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

A rede local (LAN) floresceu devido à redução dos custos com a capacidade de conexão adicionada [35].
A computação de 4ª geração testemunhou a proliferação global da Internet e da Web, portanto
fornecendo conectividade global (além da fronteira) e efetivamente integrando as TIC com base em
padrões [35], [9]. Os custos de desenvolvimento de aplicativos foram reduzidos ainda mais devido à distribuição gratuita de
software de código aberto.

3. Governo eletrônico, comércio eletrônico, governança eletrônica e administração pública

Por definição, o governo eletrônico é simplesmente o uso das TIC para melhorar o processo de governo [9].
O governo eletrônico às vezes é definido em um sentido estrito como serviços ao cidadão, reengenharia com
tecnologia ou compras pela Internet [32].
E-Commerce é marketing e vendas pela Internet. O governo também se dedica ao marketing
e vendas, mas o comércio eletrônico não é o coração do governo eletrônico. A principal tarefa do governo é
governança - a função de regular a sociedade e não apenas o marketing e as vendas [9].
E-governança é definida como a transformação de (governança) processos (resultantes) do
introdução contínua e exponencial na sociedade de tecnologias digitais mais avançadas [17].
A administração pública é o estudo das entidades públicas e suas relações entre si
e com o mundo maior: [36]
- Como as organizações do setor público são organizadas e administradas.

- Como as políticas públicas estruturam o desenho dos programas de governo nos quais confiamos.

- Como nossos estados, cidades e vilas trabalham com o governo federal para realizar seus objetivos
e planejar seus futuros.
- Como nosso governo nacional cria e altera programas de políticas públicas para responder a
as necessidades e interesses de nossa nação.

4. Jogadores do governo eletrônico e suas expectativas

Indivíduos e organizações que interagem direta ou indiretamente com o governo são conhecidos como
os atores do governo eletrônico. As interações podem ser chamadas de governo para governo
(G2G) , Governo para Negócios (G2B) , Governo para Funcionário (G2E) e Governo para
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 2/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico

Cidadão (G2C) .
Pessoas responsáveis do governo realizam todas as transações acima e, além disso, todas
os jogadores além de estarem cientes de seu status de transação, enfatizam mais em rapidez e sem erros
transações.
O governo eletrônico promete tornar o governo mais eficiente , ágil , transparente e
legítimo [9].

2 © 2003 www.ea2000.it -

Página 3

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

5. Democracia e governo eletrônico

A democracia tem sido vista como a forma de governança mais amplamente praticada. Em uma nação democrática,
todos os cidadãos são tratados da mesma forma e todos os cidadãos são identificados independentemente de raça, língua e
Gênero sexual. A legitimidade da democracia é filosoficamente baseada na ética e na moralidade. Isso é
refletida pela liberdade de expressão, direito de voto, eleições livres e justas, proteção de
religião / minorias sociais / culturais, etc.
A governança eletrônica se concentra em como as tecnologias de TIC podem ser usadas para fortalecer a voz do público
como uma força para remodelar os processos democráticos e reorientar a estrutura de gestão, e
supervisão do governo para melhor servir ao interesse público [17].
Nas democracias modernas, a responsabilidade e o poder de regulação são divididos e compartilhados entre
os ramos legislativo , executivo e judiciário do governo.
- Legislativo - responsável pela formulação de políticas na forma de leis.

- Executivo - para a implementação da política e aplicação da lei.


- Judiciário - para a resolução de conflitos jurídicos.

Então, o governo eletrônico é sobre como melhorar todos esses ramos do governo e não apenas o público
administração em sentido estrito [9].
O governo eletrônico não é uma mera infraestrutura ou estratégia tecnológica, mas sim um novo
estilo integrado de organização e funcionamento da Administração Pública [10].

6. Pilares do governo eletrônico

A estrutura básica do governo eletrônico é construída em torno dos quatro pilares a seguir:
1) Liderança / Visão: Deve haver visão de longo prazo e liderança comprometida
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 3/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico
entre as seções políticas e administrativas de primeira linha do governo. Isso é
mais preocupados com o poder legislativo do governo.
2) Governança / Administração: A responsabilidade do planejamento meticuloso agora recai sobre
a burocracia de segundo nível e outras estruturas de serviço público. Política clara
declarações devem ser declaradas e aplicadas, por exemplo: saindo com uma ordenança para e-
transação. Se necessário, disposições devem ser feitas para revisar a arquitetura de
sistema governamental, ou seja, Nova Gestão Pública (NPM). Isso está preocupado com
poderes legislativo e judiciário do governo.
3) Integração / Colaboração: Visando fornecer qualidade razoável de serviço em
custos acessíveis, é necessário caçar as melhores práticas. Para eficientemente / efetivamente
satisfazer as necessidades; A governança eletrônica promove parcerias e colaborações daqueles que
têm interesse em enriquecer os processos. Isso inclui todos os níveis de governo, privados

- © 2003 www.ea2000.it 3

Página 4

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

setor, comunidade acadêmica e fundações [17]. Isso está mais preocupado com
o ramo executivo do governo.
4) Tecnologia e infraestrutura: Reengenharia e implantação de governança
processos por meio de tecnologias avançadas de Internet é um processo evolutivo de
e adaptação funcional [17]. Informações públicas, serviços, programas e bens podem
torne-se acessível a qualquer pessoa, em qualquer lugar e a qualquer hora pela Web [17]. Por exemplo:
Infraestrutura de chave pública (PKI), segurança de TI, etc. Tudo isso exige infraestrutura certa
e programa de implementação com responsabilidade clara pelos resultados. Isso é
preocupados com os ramos legislativo e judiciário do governo.

7. Nova Gestão Pública (NPM)

As instituições públicas foram criadas por governos com a única intenção de servir o público.
No entanto, tradicionalmente a abordagem adotada pelos funcionários da administração pública era mais de
processar as informações de seu cliente, em vez de envolver ou considerar suas opiniões no
todo o processo de processamento / tomada de decisão. As opiniões do cidadão posteriormente poderiam ser culminadas
em processos de negócios mais eficientes, eficazes e econômicos, garantindo assim a qualidade dos
serviço e satisfação do cliente.
As desvantagens na prática tradicional da administração pública se deviam principalmente ao profundo
estrutura hierárquica da organização, complexidade burocrática entre os departamentos, excessiva
e duplicação / multiplicação demorada de papelada, mercado de trabalho protetor, etc, que
levar a uma espera interminável de tempo para os clientes.
A necessidade de fornecer um melhor serviço público foi mais amplamente reconhecida desde

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 4/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico
1992, quando Osborne e Gaebler [20] publicaram seu livro intitulado “Reinventing Government”. Dentro
uma tentativa de trazer reformas na gestão pública, eles descreveram 10 princípios em torno dos quais
organizações públicas empreendedoras devem ser construídas.
Sobre a reforma da gestão pública e governo eletrônico, Jones [11] compilou pontos de vista de vários
acadêmicos de todo o mundo na área de administração pública e ciência política. O
os diálogos incluem - diferença de opinião sobre a definição de NPM, necessidade de NPM, impacto de
NPM, futuro do NPM e soluços na implementação do NPM.
McLaren [16] enfatiza no sentido de contribuir mais do que o que é definido pelo NPM sob o
título de “Serviço ao cliente”, enfatizando mais o desenvolvimento do cliente do que apenas
fornecer o serviço básico.
New Public Management é um tipo de teoria de gestão sobre como reformar o governo
substituindo estruturas organizacionais hierárquicas rígidas por redes mais dinâmicas de pequenas
unidades organizacionais; substituindo as práticas autoritárias de decisão de cima para baixo e de formulação de políticas por
uma abordagem mais consensual de baixo para cima que facilita a participação de tantos
partes interessadas quanto possível, especialmente os cidadãos comuns; adotando uma abordagem mais "orientada para o cliente"
atitude em relação aos serviços públicos; e aplicação de princípios de mercado para aumentar a eficiência e produtividade
[9].

4 © 2003 www.ea2000.it -

Página 5

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

8. Do governo para o governo eletrônico

É impossível esperar a transformação da noite para o dia do governo tradicional / convencional em e-


governo devido ao seu tamanho enorme, juntamente com um conjunto complexo de políticas, processos, cultura de trabalho,
Além disso, a adoção do NPM e das TIC exige tempo e treinamento para todos.
A Rede Online das Nações Unidas em Administração Pública e Finanças (UNPAN) [33]
descreve cinco estágios de desenvolvimento do governo eletrônico:
1) Presença emergente na web - informações online estáticas sobre serviços públicos, entre em contato
pessoas, horário de trabalho, detalhes de contato, perguntas frequentes, etc.
2) Presença aprimorada na web - acesso a informações atualizadas, links para vários links
organizações, disponibilidade de boletins informativos, postagem de comentários, etc.
3) Presença interativa na web - download de formulários, envio de inscrições online,
acesso seguro para pesquisa de banco de dados, etc.
4) Presença transacional na web - transação bidirecional segura, uso de digital autêntico
assinaturas, portais de balcão único em nível local / regional para pagamento de impostos, obtenção
certidões de nascimento / óbito, etc.
5) Presença na web perfeita ou totalmente integrada - portais universais conectados a cada um e
cada departamento do governo nacional / global, etc.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 5/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico

9. Potenciais do governo eletrônico

O potencial de transformação da administração pública ainda não é totalmente conhecido. No entanto


envolve [32]:
- Disponibilizar informações e serviços amplamente aos cidadãos

- Reduzir o fosso digital, proporcionando igualdade de acesso à informação.

- Capacitar os cidadãos ao interagir com eles, ou seja, comunicação bidirecional.

- Criar e conectar comunidades online locais e globais.

- Estimular estilos inovadores de liderança.

- Negócios do setor público com custos de transação reduzidos.

10. Barreiras do governo eletrônico

Ao transformar o governo de entrega de serviço convencional em digital (governo eletrônico),


as barreiras potenciais enfrentadas são agrupadas em cinco dimensões:
1) Organizacional: o pessoal em diferentes níveis e em diferentes departamentos precisa
interagir coletivamente no verdadeiro espírito de trabalho em equipe para administrar o show. É altamente

- © 2003 www.ea2000.it 5

Página 6

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

essencial para adotar mudança na cultura / atitude de trabalho devido ao influxo de TIC e NPM. Se
o treinamento / habilidade necessária deve ser transmitido ao pessoal de trabalho.
2) Socioeconômico: recursos necessários a serem fornecidos - integrando os serviços existentes,
implantação de interfaces de usuário e extensão dos serviços ao seu alcance máximo.
Cuidado especial a ser tomado contra a exclusão social e esforços a serem feitos para reduzir
fosso digital.
3) Democrático: deve haver consenso entre os partidos políticos para a busca de um
planejamento de reformas de longa data, que essencialmente não deve ser interrompido em caso de
mudança de liderança / poder.
4) Jurídico: os setores executivo e judiciário devem sair com evolucionários
medidas de apoio às reformas públicas. Isso significaria essencialmente implementação
com suporte legal para novas políticas.
5) Tecnológico: com toda a tecnologia agora disponível, tem muito menos importância.
Exceto em casos como o uso de assinaturas digitais, privacidade de dados, transações eletrônicas seguras,

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 6/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico
etc. Trabalhar em padrões abertos e software de código livre certamente ajudará em
integração de aplicativos e menores custos de desenvolvimento de aplicativos, respectivamente.

11. Aplicações de governo eletrônico

As aplicações mais comuns de serviços de governo eletrônico incluem aquelas para [32]:
- Entrega de serviços públicos online, incluindo serviços de transação (e-portais), por exemplo, certificados
aplicação, pagamento de impostos, etc.
- Tele-consultoria, por exemplo, e-assistência

- Tele-votação, por exemplo, e-votação

- E-fóruns, por exemplo, painéis de mensagens

- Pesquisas de opinião online, vagas de emprego.

- Dados estatísticos online, informações de tráfego GIS.

- Suporte de TIC para trabalho voluntário e instituições de caridade, por exemplo, comunidades online

- TIC na polícia e nos tribunais e TIC na formulação de políticas.

12. Alguns esforços para a implementação de governo eletrônico

Nova Gestão Pública (NPM): Qualquer reforma administrativa lida com a relação entre
Estado e sociedade ou entre o setor público e os cidadãos. Nikos [18] discute sobre o novo
paradigma das reformas administrativas na Europa em que, semelhança de diferentes
sistemas oferece uma oportunidade para convergência.

6 © 2003 www.ea2000.it -

Página 7

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

Jones e Mussari [11] colocaram esforços para melhorar os sistemas de controle de gestão e
processos - incluindo orçamento, contabilidade e relatórios, dentro do contexto de uma responsabilidade
nos Estados Unidos e na Itália.
e-Planning: O governo do Reino Unido tomou medidas para prosseguir com sua política de e-commerce
[28]. Nesse processo, a British Telecom saiu oferecendo tarifas mais baratas para ligações pela Internet.
Para impulsionar a economia digital, o governo planejou ajudar pelo menos 100.000 famílias de baixa renda
fornecendo computadores em aluguel.
O governo russo aprovou o programa de US $ 2,6 bilhões “Electronic Russia 2002-
2010 ”para impulsionar o comércio eletrônico e o uso da Internet em seu país [7]. O E-Rússia está planejado para
entrega de serviços governamentais online, reduzindo a burocracia para seus cidadãos e empresas.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 7/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico
Este plano de 9 anos aborda quatro áreas principais: Ambiente regulatório e legal, Internet
infraestrutura, governo eletrônico e educação eletrônica.
O plano de ação e-Europe 2005 baseia-se em dois grupos de ações que se reforçam.
[5]. Por um lado, visa incentivar serviços, aplicativos e conteúdos, abrangendo tanto online
serviços públicos e e-business; por outro lado, trata da banda larga subjacente
infra-estrutura e questões de segurança.
O inquérito baseado na Web sobre os serviços públicos eletrónicos faz parte do programa eEurope [8]; esta
medição do progresso executada pela Cap Gemini Ernst & Young , benchmarks 25 serviços básicos
nos 15 Estados-Membros da UE, além da Islândia, Noruega e Suíça.
O governo italiano em trazer reformas na administração pública baseia sua estratégia
modelo de referência em governo eletrônico composto por 6 elementos-chave: prestação de serviços, digital
identificação, canais de acesso, agências de prestação de serviços, interoperabilidade e cooperação,
e infraestrutura de comunicações [6]. O governo formulou sua política em sua 13 ª
legislatura e apresentou seu plano de ação de governo eletrônico.
Colaboração público-privada: continuando nas linhas de NPM e formulação de políticas,
Lawrence e Abramson [13] narram como eles criaram com sucesso um Northern Virginia
Parceria Regional (parceria público-privada) para superar a escassez regional de tecnologia
trabalhadores.
Os líderes destacados Potts [23] e Agostinho [1] em uma entrevista apresentam seus pontos de vista sobre a ética
no setor público e privado, respectivamente.
Professores de Relações Públicas (Arizona State University) Denhardt e Denhardt [4] apresentaram
um relatório sobre a criação de uma cultura de inovação com base em sua experiência na cidade de Phoenix
(EUA), que no ano de 2000 foi eleita uma das duas prefeituras mais bem administradas do
mundo. O relatório descreve 10 lições principais, que podem ser aplicadas a todos os públicos / privados
organizações.
A falta de habilidades e conhecimentos especializados no setor público, sem dúvida, exige parceria
com empresas privadas. British Telecom, UK [27] descreve brevemente a possibilidade de
parceiro privado e as apostas envolvidas.
Tecnologia da Informação e Comunicação: Perkins [22] descreve como Hampshire
County Library lançou o primeiro protocolo de aplicativos sem fio (WAP) habilitado localmente

- © 2003 www.ea2000.it 7

Página 8

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

site da autoridade. O site foi desenvolvido usando o kit de ferramentas WAP da Nokia e foi
escrito usando Wireless Markup Language (WML). O site pode ser acessado usando qualquer WAP
dispositivo habilitado
Robb [25] escreve sobre o desenvolvimento de infraestrutura de chave pública (PKI) para certificação cruzada
acordo entre a Federal Bridge Certification (FBCA) e o estado de Illinois. Além do FBCA
outros fornecedores de PKI / segurança, como RSA, Cylink, Verisign e Spyrus, também coordenados no
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 8/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico
projeto. Em vez de depender de senhas e PINs, a PKI foi adotada para dispositivos eletrônicos seguros
transações.
e-Learning: Laurillard, um professor de uma universidade aberta no Reino Unido [30] pede que seja repensado
a maneira de trabalhar e estudar para programas de aprendizagem online. Eles devem parecer mais profissionais e
interativo. O Metadata for Education Group (MEG) está desenvolvendo recomendações para
padrões, examinando as melhores práticas no Reino Unido e em todo o mundo.
O Governo Local e Agência de Desenvolvimento (IDeA) [31] criou um pool online de
materiais de treinamento para seu pessoal. Este projeto está dividido em três grandes áreas: consultoria,
conhecimento e aprendizagem e governo eletrônico. Este sistema foi desenvolvido em parceria com
especialistas em e-learning Epic Group of UK.
Fóruns eletrônicos: Na cidade de Esslingen, na Alemanha [32], a participação dos cidadãos com base na Internet foi
realizado como uma discussão informal para o planejamento de projetos de desenvolvimento de bairro. O
os cidadãos expressaram suas opiniões sobre a favor e contra o projeto de desenvolvimento. As tarefas do
os moderadores não se limitaram a evitar contribuições ofensivas ou lembrar os participantes de
fique no tópico.
DEMOS [24], um projeto de P&D E-democracia financiado pela Comissão Europeia oferece Internet
serviços de formação da opinião pública. As discussões democráticas incluem questões políticas no
nível local, nacional e europeu. O sistema DEMOS é projetado em conjunto por AiS e FOKUS
institutos de Frauhhofer, Alemanha e usa Zeno, um sistema de groupware de código aberto da Internet
escrito em Java.
e-Portals (governo único): E-Portals são pequenos passos em direção à E-Administration.
Quase a maioria dos serviços públicos inicia seus programas de governo eletrônico implementando um balcão único
governo. Os E-Portals permitem aos cidadãos acesso 24 horas por dia, 7 dias da semana a partir de
em qualquer lugar usando a Internet.
Desde 1998, as administrações municipais (comuni) na Itália foram totalmente responsáveis por todos
ações administrativas relativas a atividades empresariais de empresas privadas e públicas que operam em
seu município [26]. As atividades incluíram a emissão / renovação de licenças para iniciar qualquer atividade,
construção de novas fábricas e definição de suas localizações, etc. Na administração municipal de Bolonha, todos
os serviços foram integrados para fornecer um acesso de janela única. Junto com a prefeitura
(comune di Bologna) e governo central, o projeto também incluiu administrações locais
(Regione Emilia Romagna e Provincia di Bologna), bem como o Serviço de Saúde e o
Serviço de Segurança Social. Agência Regional de Atenção ao Meio Ambiente (ARPA) e Corpo de Bombeiros
também contribuiu para o projeto. Quiosques eletrônicos e vitrines com caixas foram fornecidos para o
usuários para acessar o portal.

8 © 2003 www.ea2000.it -

Página 9

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

eGov [37] um projeto financiado pela CE que visa desenvolver uma plataforma integrada para realizar
governo de balcão único. Este consórcio é composto por 10 parceiros vindos da Áustria, Finlândia,
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 9/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico

Alemanha, Grécia e Suíça. Esses parceiros consistem em pesquisas públicas e privadas


instituições, administrações públicas locais e globais e fornecedores de tecnologia. O Portal iria
ser habilitado para WAP com uma Government Mark-up Language (um derivado de XML), com base em
padrões para troca de informações e dados. eGOV fornece acesso flexível, para todos,
de qualquer lugar e a qualquer hora.
e-jobs: Jobsgopublic.com [34] é o único canteiro de obras no Reino Unido dedicado a carreiras no setor público
em todo o Reino Unido. Oportunidades no governo eletrônico também podem ser encontradas.
e-Healthcare: desde 1996, um modelo de dados de referência de domínio de saúde (HRDM) está sendo
desenvolvido em Creta por ICS-FORTH, Centro de Informática Médica e Telemática em Saúde
Applications, Germany [15]. A ideia é integrar heterogêneos geograficamente distribuídos
sistemas autônomos de informação em saúde. Entidades HRDM incluem registro de pacientes, médicos,
recursos médicos (por exemplo: hospitais, ambulâncias, kits e equipamentos), prescrição e diagnóstico
detalhes do paciente, etc.
Serviço Nacional de Saúde (NHS) do Reino Unido sobre sua estratégia 'Informação para a saúde', tendo em vista
modernizando-se, adotou a Telemedicina - o uso da tecnologia para possibilitar o atendimento à saúde
colocar à distância [29]. O NHS esperava fornecer dados mais rápidos, baratos e relevantes para clínicas
pessoal. Incentivando a telemedicina, links de dados foram configurados entre acidentes e emergência
departamentos de hospitais de Glasgow e Turo e comunidades de ilhas escocesas e da Cornualha.
O professor Carl May, da University of Newcastle, acredita que não há base para a expectativa de custos
economia com a telemedicina.
E-Voting: A eleição presidencial dos EUA no ano de 2000 foi um alerta para os funcionários eleitorais como
expôs as fragilidades do sistema eleitoral americano. Patterson [21] cita um exemplo de
Eleição.com no Arizona, que testemunhou mais do que o dobro da participação anterior de cidadãos.
Embora a votação eletrônica no sentido futurista signifique o uso de computadores e Internet, muitos tocam
sistemas de votação de tela estão disponíveis, o que garante - segurança, autenticidade, preserva os eleitores
identidade, auxilia na contagem e recontagem e também fornece acesso aos deficientes.
Em 6 de outubro de 2002, urnas eletrônicas foram usadas para o primeiro turno do Brasil
eleições presidenciais [14]. Mais de 115 milhões de eleitores usaram essa votação que funciona perfeitamente
máquinas, que foram projetadas e construídas no Brasil. Nesta mesma semana o Brasil assinou um acordo
com as Nações Unidas para compartilhar sua tecnologia de votação eletrônica com os países membros.
e-Democracia: a democracia digital é a visão futura do governo eletrônico. E-Democracia
abrange todo o processo democrático. O espectro do E-Democracia varia de eleitor
registro, votação, pesquisa de opinião pública, comunicação entre representantes eleitos e
seus constituintes, acesso universal à tecnologia, corpos legislativos conectados e legislativos
processos que estimulem uma maior participação do cidadão [32].
Clift [2] enquanto coordenava os esforços online do Estado de Minnesota, elaborou os dez principais e-
Democracia “Lista de tarefas pendentes” para governos em todo o mundo.
Clift [3] enfocando especificamente o elemento de governança e-democracia representativa
governança na era da informação, relatórios sobre o progresso feito pela Austrália e Nova Zelândia

- © 2003 www.ea2000.it 9

Página 10

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 10/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico
Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

rumo à e-democracia. Ambos os países reuniram ideias e aplicações inovadoras em torno do


mundo e os adaptou para se adequar à sua cultura. O estudo inclui o desenvolvimento de políticas e políticas
liderança, acesso aprimorado a informações e notificação por e-mail, estratégias representativas em
parlamentos e conselhos locais, e consulta online e comunidades de prática.

13. Conclusão

Em 1998, o vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, declarou sobre a Parceria para Reinventar o Governo (Virtual
Governo), “No longo prazo, temos que construir agências ... que trabalhem mais na horizontal do que
linhas verticais. Parcerias e organizações fluidas são a chave, porque redes - não hierarquias -
definir o governo no século 21 ”.
Para criar um governo que funcione melhor e custe menos, o serviço público deve ser modelado
em padrões como cortesia, oportunidade, clareza e exatidão das informações, tudo isso com um
notável quantidade de profissionalismo. Isso, por sua vez, oferece um melhor resultado comercial, o cliente
satisfação e satisfação dos funcionários.
O governo eletrônico é uma estratégia e um elemento na modernização do governo em que o NPM
paradigma está substituindo o modelo tradicional de administração pública. NPM acredita que cidadão
o envolvimento não apenas ajuda na implementação, mas também torna os programas melhores.
Se a Internet tem a ver com alguma coisa, é sobre interatividade. O governo eletrônico deve encontrar e financiar
maneiras de usar a tecnologia para proporcionar um diálogo significativo entre o governo e o cidadão. E
isso significa participação igual, não apenas uma barragem eletrônica de informações de uma via.
O desafio é se concentrar menos nas ferramentas e técnicas e mais no desenvolvimento deste novo
O governo eletrônico para servir melhor aos nossos cidadãos do que seu precursor baseado em papel.
A gênese do governo digital do século 21 é o planejamento inteligente, colaboração e
cooperação entre tomadores de decisão nos níveis federal, estadual e local. Para os cidadãos deveria
seja um governo; eles não deveriam ter que navegar entre várias jurisdições.

Referências (todos os links acessíveis a partir de 4 de novembro de 2002 às 13h + 1h GMT)


Augustine Norman R (1998) Ethics in Private Sector, IBM Endowment for The Business of Government ,
Setembro / outubro de 1998, pp 2 e 10. http://endowment.pwcglobal.com/pdfs/BizFall.pdf

Clift Steven (2000) Top Ten E-Democracy "To Do List" para governos em todo o mundo, Estratégias públicas para
the Online World , Minneapolis (EUA) http://www.publicus.net/articles/egovten.html

Clift Steven (2002) E-Governance to E-Democracy: Progresso na Austrália e Nova Zelândia em direção à informação-
Age Democracy, Public Strategies for the Online World , Minneapolis (EUA), março de 2002.
http://www.publicus.net/articles/aunzedem.html

Denhardt & Denhardt (2001) Criando uma Cultura de Inovação: 10 Lições da America's Best Run City, The
Pricewaterhouse Coopers Endowment for The Business of Government , janeiro de 2001.
http://endowment.pwcglobal.com/pdfs/denhardtreport.pdf

eEurope 2005: Uma Sociedade da Informação para Todos (2002) Comissão das Comunidades Européias , Bruxelas, 28 de maio,
2002. http://europa.eu.int/information_society/eeurope/news_library/documents/eeurope2005/eeurope2005_en.pdf

10 © 2003 www.ea2000.it -

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 11/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico
Página 11

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

Plano de ação do governo eletrônico (2000) Ministro da Inovação e Tecnologias (MIT ), Itália, 22 de junho de 2000.
http://www.innovazione.gov.it/eng/soc_info/politiche_governo/egovernment_00.pdf

Electronic Russia Program (2001) Business Information Service for the Newly Independent States (BISNIS) , outubro
28, 2001. http://www.bisnis.doc.gov/bisnis/country/011001E-Russia.htm

Relatório de síntese da DG Sociedade da Informação da Comissão Europeia Inquérito baseado na Web sobre o público eletrónico
Serviços (Resultados da segunda medição: abril de 2002) , Ministério de Assuntos Econômicos, Bélgica.
http://europa.eu.int/information_society/eeurope/benchmarking/list/source_data_pdf/2nd_measurement_final_report.
pdf

Gordon F. Thomas (2002) Governo eletrônico - Introdução, ERCIM News No.48, janeiro de 2002.
http://www.ercim.org/publication/Ercim_News/enw48/intro.html

Gouscos Dimitris, Mentzas Gregory e Georgiadis Panagiotis (2001) Planning and Implementing e-Government
A prestação de serviços: Conquistas e Aprendizagens de On-line Tributação na Grécia , 8 ª Conferência Panhellinic em
Informatics, Nicosya (Chipre), 8 a 10 de novembro de 2001. http://imu.iccs.ntua.gr/Papers/C52-EPY-e-Gov.pdf

Jones LR e Mussari Riccardo (2000) Reforma da Gestão Pública nos EUA e Itália: Contabilidade, Medição
and Financial Reporting, International Public Management Review (IPMR) , Volume-1 Issue-1 2000, pp 56-61.
http://www.ipmr.net/articles/IMPR_1_1_Italy.doc

Jones LR (2001) Simpósio sobre Reforma da Gestão Pública e Governo Eletrônico , Gestão Pública Internacional
Review, Volume-2 Issue-1 2001, pp 01-27. http://www.ipmr.net/articles/IPMR_2_1_Symposium.doc

Lawrence Paul R. e Abramson Mark A. (1998) Public-Private Partnership AT Work, IBM Endowment for The
O negócio de Governo , Volume 1 Edição-4 Julho agosto 1998, pp 5-6.
http://endowment.pwcglobal.com/pdfs/BOG4.pdf

Lehman Stan (2002) Máquina de votação surge como primeiro vencedor nas eleições brasileiras , GOVERNO
Soluções de tecnologia para governos estaduais e locais na era da informação, 25 de outubro de 2002.
http://www.govtech.net/news/news.phtml?docid=2002.10.25-3030000000027094

Leisch Erich (1998) Conteúdo e uso de um modelo de dados de referência de domínio da saúde , European Research
Consórcio para Informática e Matemática (ERCIM), Notícias No. 35 de outubro de 1998.
http://www.ercim.org/publication/Ercim_News/enw35/leisch.html

McLaren Robert I. (2002) Organizando para servir o público: Processando ou desenvolvendo a clientela? Internacional
Público Gestão Análise (IPMR), Volume-3 Problema 1 2002, pp 56-67.
http://www.ipmr.net/articles/IPMR_3_1_Organizing.pdf

Mead Bill (2002) e-Governance: Towards a Practioner's Definition, American Society for Public Administration ,
13 th de Agosto de 2002. http://www.aspanet.org/publications/COLUMNS/archives/2002/08/mead0813.html

Nikos Michalopoulos (2001) Tendências da Reforma Administrativa na Europa: Rumo à Convergência Administrativa?
International Public Management Review (IPMR), Volume-2 Issue-2 2001, pp 39-53.
http://www.ipmr.net/articles/IPMR_2_2_Reform_Trends.pdf

Oliver Märker, Hans Hagedorn e Matthias Trénel (2002) Consulta Pública Baseada na Internet: Relevância -
Moderation Software , European Research Consortium for Informatics and Mathematics (ERCIM), News No. 48
Janeiro de 2002. http://www.ercim.org/publication/Ercim_News/enw48/maerker.html

Osborne David e Gaebler Ted (1992) Reinventing Government, Addison-Wesley Publication Company.
http://www.scottlondon.com/reviews/osborne.html

Patterson Darby (2001) Chasing E-Vote Solutions, GOVERNMENT TECHNOLOGY Solutions for State and Local
Governo dentro a Em formação Idade , Maio 15, 2001.
http://www.govtech.net/magazine/sup_story.phtml?magid=1005000000000007&id=2530000000002141.0

Perkins Sarah (2000) Seção Dois: Tecnologia - Protocolo de Aplicação Wireless (WAO) , Boletim de governo eletrônico,
Edição 90 de agosto de 2000. http://headstar.com/egb/issues/April2001.doc

- © 2003 www.ea2000.it 11

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 12/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico

Página 12

Shivakumar Kolachalam
Uma visão geral do governo eletrônico

Potts Stephen D (1998) Ethics in Public Sector, IBM Endowment for The Business of Government ,
Setembro / outubro de 1998, pp 3 e 11. http://endowment.pwcglobal.com/pdfs/BizFall.pdf

Richter Gernot e Gordon Thomas (2002) DEMOS - Delphi Mediation Online System, European Research
Consórcio de Informática e Matemática (ERCIM) , Notícias nº 48 de janeiro de 2002.
http://www.ercim.org/publication/Ercim_News/enw48/richter.html

Robb Drew (2001) afirma trabalhar com os federais para interoperabilidade de PKI, soluções de tecnologia do governo para
Estado e Local Governo dentro a Em formação Era, agosto 14, 2001.
http://www.govtech.net/magazine/sup_story.phtml?magid=1005000000000007&id=3030000000002631.0

Salza Silvio e Marsocci Paola (2000) One-Stop-Government in Italy, One-Stop-Government in Europe: Results of
11 pesquisas nacionais , Universidade de Bremen, Bremen (Alemanha) 2000, pp 375-201 http: //infosoc2.informatik.uni-
bremen.de/egovernment/cost/reports/italy.pdf

Seção Quatro: Análise - Aquisições eletrônicas, Boletim do governo eletrônico , edição 98 de abril de 2001.
http://headstar.com/egb/issues/April2001.doc

Seção Quatro: Análise - A política de comércio eletrônico do governo, Internet Intelligence Bulletin (IIB) , Issue-81
Novembro de 1999. http://headstar.com/egb/issues/November1999.doc

Seção Quatro: Focus Telemedicine - Health Care a distance, e-government Bulletin , Issue-118 July 22, 2002.
http://headstar.com/egb/issues/mid-July2002.doc

Seção Dois: Educação - The Online Learning Revolution, e-government Bulletin , Issue-91 September 2000.
http://headstar.com/egb/issues/September2000.doc

Seção Dois: Foco - Ideia, e-governo Boletim , Edição-106 dezembro 2001.


http://headstar.com/egb/issues/December2001.doc

Tambouris E., Gorilas S. e Boukis G. (2001) Investigação do Governo Eletrônico, 8ª Conferência Pan-helínica
sobre Informática , Nicosya (Chipre), 8-10 novembro 2001. http: //falcon.ifs.uni-
linz.ac.at:8080/eGOV/publications/tambouris_panhellenic.pdf

The Stages of E-government Development, Rede Online das Nações Unidas em Administração Pública e Finanças
(UNPAN), Nova York (EUA). http://www.unpan.org/e-government/stages.htm

Site Líder do Reino Unido para Carreiras no Setor Público, Boletim do governo eletrônico, Issue-110, 21 de março de 2002.
http://headstar.com/egb/issues/midmarch2002.doc http://www.jobsgopublic.com

Walters E. Garrison (2001) The Essential Guide to computing: The Story of Information Technology , Prentice Hall
PTR. http://vig.pearsoned.com/store/product/1,3498,store-562_isbn-0130194697_type-ALL_editmode-
1,00.html_type-ALL_editmode-1,00.html

O que é Administração Pública ?, Departamento de Ciências Políticas , Universidade de Oklahoma, EUA.


http://www.ou.edu/cas/psc/defpa&a.htm

Wimmer Maria e Krenner Johanna (2001) Uma plataforma governamental integrada on-line única: o eGOV
Projeto, In Hofer, Chroust. IDIMT-2001. 9ª Palestras, Procedimentos Interdisciplinares de Gestão da Informação,
Schriftenreihe Informatik, Universitätsverlag Trauner, Linz, pp. 329-337. http: //www.egov-
project.org/egovsite/wimmer-krenner_idimt01.pdf

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 13/14
5/5/2021 Uma visão geral do governo eletrônico

12 © 2003 www.ea2000.it -

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 14/14