Você está na página 1de 6

MUDANÇAS NOS PLUGUES E TOMADAS ELÉTRICAS RESIDENCIAIS

O Inmetro anunciou em diversos veículos de comunicação a nova padronização brasileira para as


tomadas e plugues elétricos de nossas casas e estabelecimentos. Entram em vigor até 2010, os 2
formatos diferentes, com dois (bipolar) e três pinos (bipolar com aterramento), em substituição
gradativa aos mais de 10 formatos de tomadas residenciais existentes no mercado nacional.

A Resolução No. 11 do Conmetro – Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade


Industrial – anunciada em dezembro de 2006, ratifica a exigência da norma regulamentadora ABNT
NBR 14136:2002, da obrigatoriedade da certificação definida pelo Inmetro e estabelece os prazos
necessários para que os fabricantes de plugues e tomadas elétricas se adequem às normas.

Como mudanças grandes exigem cuidados ainda maiores e no Brasil as coisas andam muito
vagarosamente, o padrão que teve sua redação alterada em 2002 só será definitivamente
implementado em 2010, último prazo para que formatos incoerentes sejam comercializados. Os
usuários não possuem data para adequação, mas o próprio mercado fará com que o consumidor
adeque suas residências, pois à partir de 2010 não serão mais encontrados aparelhos com plugues
fora do padrão estabelecido à venda no mercado brasileiro.

O QUE MUDA

A nova regra estabelece que os plugues sejam padronizados em dois modelos: pino redondo com 2
terminais e pino redondo com 3 terminais, sendo 1 terminal terra. O encaixe do plugue deverá ter o
formato hexagonal e as tomadas onde o encaixe será feito terão um baixo relevo de 8 a 12 milímetros
de profundidade, criando uma espécie de buraco onde o plugue ficará acomodado, evitando folgas e
exposição dos terminais metálicos e consequentemente diminuindo riscos de choques elétricos –
uma das principais preocupações do novo formato.

Tomada elétrica padrão 3 pinos. NBR 14136:2002

Os pinos chatos deixam de existir com o novo padrão, permanecendo apenas os terminais redondos.
Também será proibida a fabricação dos benjamins (comumente chamados de “T” por conta do
formato), pois serão substituídos por soluções mais seguras e com limites de ligações encadeadas
que a rede elétrica possa suportar. Isso evitará a sobrecarga de um único ponto da rede elétrica,
exigindo mais planejamento nas instalações.
O FIO TERRA

No ano de 2006, o Presidente Lula regulamentou uma lei que obriga que todas as construções
possuam rede de aterramento em suas instalações elétricas. A norma regulamentadora de tomadas e
plugues também determina que alguns eletrodomésticos sejam fabricados seguindo o padrão de 3
pinos, entre eles a geladeira, lavadora e secadora de roupas, por conta de seu alto consumo de
energia. O plugue com 2 terminais continuará sendo utilizado pela maioria dos aparelhos.

ADEQUAÇÃO DAS RESIDÊNCIAS

O padrão NBR 14136 foi feito com base em estudos nacionais e internacionais, levando em conta
uma série de fatores, incluindo-se o fator compatibilidade. É sabido que a grande maioria da
população brasileira terá dificuldades em adequar sua rede elétrica residencial por falta de recursos
financeiros ideais.

Com o lançamento dos padrões, a grande maioria dos aparelhos utilizados em uma residência,
continuará no padrão 2 pinos e o mesmo é 100% compatível com a maioria das tomadas elétricas
existentes nas residências brasileiras. Isso reduzirá drasticamente a necessidade da troca de
tomadas para aquisição de bens como ventiladores, liquidificadores ou ferros de passar – aparelhos
mais baratos e com vida útil reduzida – e reduzindo a obrigatoriedade para aparelhos com alto
consumo como geladeiras e máquinas de lavar roupa, que possuem uma vida útil longa e não estão
acessíveis à população de baixa renda.

Prazos (data limite) para comercialização dos produtos em desacordo com a norma ABNT NBR 14136:2002.
SEGURANÇA CONTRA CHOQUE ELÉTRICO E SOBRECARGA*
As tomadas Padrão Brasileiro (por exemplo as tomadas da Pial Legrand) foram projetadas para
impedir o contato acidental com os pinos do plugue quando estes estão energizados, evitando-se,
assim, eventuais choques elétricos.

Outro grande benefício da norma a NBR 14136 é a padronização de plugues e tomadas em apenas
duas versões de correntes: 10 A e 20 A. Como cada uma delas possui uma configuração diferente
no diâmetro dos pinos, fica impossível ocorrer sobrecarga* de energia.

Na prática, um aparelho eletro-eletrônico com corrente de 20 A não pode ser conectado a uma
tomada de 10 A, já que seu plugue é compatível apenas com tomadas de 20 A.

Já um aparelho com corrente de até 10 A pode ser conectado tanto na tomada de 10 A quanto na de
20 A, pois não existe nenhum risco de sobrecarga nesse circuito.

Um rebaixo de segurança impede


Mesmo durante sua retirada, o E, quando esse contato já for
que os pinos sejam tocados
contato com os pinos possível, os pinos não mais se
acidentalmente quando da
energizados fica impossibilitado. encontrarão energizados.
inserção do plugue.
DÚVIDAS FREQUENTES
1) Por que o Brasil precisa de um padrão?

Hoje, no Brasil, existem mais de dez modelos de plugues diferentes e quantidade semelhante de
tomadas, gerando uma situação de risco de choque elétrico ao usuário (conforme ilustrado na figura
abaixo) e de sobrecarga na instalação elétrica (conexão de aparelhos projetados para tensões e
correntes diferentes da tomada) e desperdício de energia, através da dissipação de calor (uso de
adaptadores inadequados para conectar muitos equipamentos em uma única tomada). O padrão é
sinônimo de segurança.

2) Por que o Brasil não adotou o padrão internacional de plugues e tomadas?

Porque o padrão internacional não existe. Cada país desenvolveu o seu próprio padrão,
impossibilitando a criação de um padrão único. O padrão estabelecido no fórum da Associação
Brasileira de Normas Técnicas – ABNT foi desenvolvido considerando a conectividade com os
plugues hoje existentes. O padrão é conectavel com 80% dos aparelhos elétricos atuais.
Alguns países possuem um padrão: Argentina, Uruguai, Estados Unidos, Canadá, México Chile,
França, Portugal, Espanha, Itália, Suíça, Japão, Austrália, entre outros. Cada um deles adota um
padrão diferente.

3) Quais são as vantagens do padrão?

Com a tomada padrão, em novo formato de poço, sextavada (talhada em seis faces), os
consumidores, principalmente as crianças, não correrão mais o risco de tomar choques elétricos.
Outras vantagens são a de que o padrão promove a adaptação de voltagens diferentes que existem,
hoje, em nosso país e ajuda a combater o desperdício de energia.

4) Mas como funciona o formato padrão?

No formato atual (sem o poço), no momento do encaixe do plugue na tomada, o usuário entra em
contato com os pinos do plugue, que estão em contato com a parte viva da tomada, o que acarreta o
risco de tomar choques elétricos, conforme demonstra a ilustração abaixo:
Com o padrão o consumidor não correrá o risco de tomar choques no momento da conexão do
plugue com a tomada, pois o contato acidental com o dedo não é possível, conforme ilustram figuras
a seguir:

5) Vou ter que mudar todas as minhas tomadas de casa e vou ter que comprar produtos com
plugues novos?

Não. A mudança não é drástica, uma vez que a maioria dos plugues de dois pinos comercializados
em aparelhos eletroeletrônicos, fabricados no Brasil nos últimos anos, já se encontra adequada ao
novo padrão, mostrando que o mesmo é totalmente compatível com a tomada atual.

6) Quer dizer que os plugues novos vão encaixar nas tomadas atuais?

Sim. As dimensões e as distâncias entre os furos (pólos) da tomada padrão permitem o encaixe (a
inserção) de plugues redondos com o formato atual em mais de 80 % (oitenta por cento) dos
aparelhos atualmente comercializados, garantindo a conectividade dos plugues e as tomadas atuais
com os plugues e tomadas padrão.

7) Mas o que vou fazer com os 20 % (vinte por cento) dos aparelhos que atualmente não são
contemplados com a conectividade?

Para a conexão desses aparelhos, será necessária a utilização de adaptadores. Mas ressaltamos
que, para estes casos, o ideal é trocar a tomada. O Inmetro ciente da utilização de adaptadores,
elaborou o Regulamento de Avaliação da Conformidade - RAC, que tornará compulsória a
certificação desses produtos.

8) Quando vou perceber as mudanças?

A maior mudança para os consumidores ocorrerá a partir de 2010, quando aparelhos como geladeira,
máquina de lavar roupa e microondas, que necessitam de incorporação do condutor-terra,
apresentarão o plugue de três pinos. Para esses casos, o consumidor terá que trocar a sua tomada.
Nos demais, a troca da tomada será feita a medida que consumidor julgar necessário, uma vez que o
plugue padrão de dois pinos é compatível com a tomada atual.

9) Aquele fiozinho que tem pendurado atrás da minha geladeira, vai desaparecer?

Sim. Aquele fiozinho, da geladeira e de vários outros eletrodomésticos, que a grande maioria das
pessoas nem sabe para o que serve, tem a mesma função do chamado "3° pino" dos plugues e
tomadas do padrão brasileiro: aterrar o equipamento. Só que, como as construções não ofereciam
aterramento, o fio ficava sem função. Agora, o fio desaparece e o aterramento será feito através do
plugue e da tomada com 3 pólos.
10) Mas o meu prédio não tem aterramento?

Especialmente no caso daqueles produtos que necessitam do fio terra, tais como refrigerador,
microondas e máquina de lavar roupa, o benefício total do plugue padrão só será totalmente
alcançado se o consumidor trocar a tomada na qual vai conectar especificamente esses aparelhos,
para fazer o devido aterramento. Aos poucos, com o passar dos anos, mais e mais construções
estarão com o aterramento, mais e mais pessoas terão os benefícios desse aspecto do padrão
brasileiro de plugues e tomadas.

11) Estou pensando em construir uma casa. Vou ter que fazer o aterramento?

Sim. A Lei 11.337, de 26 de julho de 2006, determina que todas as novas edificações precisam ter o
aterramento da rede elétrica. Aproveite e já instale a tomada padrão. Você estará construindo a sua
casa com muito mais segurança. A segurança não é só do consumidor, mas também das instalações.

12) Mas o que ocorrerá com as outros tomadas e plugues?

Atualmente, existem mais de dez tipos de tomadas e plugues no país, e com o padrão além impedir o
risco de choques no momento do encaixe do plugue na tomada, o consumidor não ficará sujeito a
essa confusão atual.

13) Pelo visto essa mudança vai ocorrer de forma muito tranqüila, sem causar nenhum
transtorno para os consumidores, para a indústria eletroeletrônica ou da construção civil?

Sim. Com a ampla divulgação do padrão brasileiro, isto vai acontecer de forma tranqüila como a
esperada. Todos os técnicos das partes envolvidas trabalham tentando ao máximo reduzir os
impactos que uma mudança desta magnitude poderia gerar para os consumidores, para a
indústria e também para os varejistas que vendem plugues e tomadas. A mudança é para valer.
Todo este esforço tem um só objetivo: aumentar a segurança dos usuários de plugues e
tomadas, reduzindo o risco de choques. A frase é antiga, mas vale: uma grande caminhada
começa com o primeiro passo. E é isto que estamos fazendo. Dando o primeiro passo. O nosso
convite é que você caminhe com a gente.

Você também pode gostar