Você está na página 1de 3

Proposta de resolução do teste de avaliação 3

2020-2021
Biologia e Geologia 11.º ano

Grupo I

1. Opção B. Nas células de eucariontes verifica-se a existência de material genético no núcleo, mas também
em organelos como mitocôndrias e cloroplastos, enquanto nos procariontes o material genético se encontra
disperso no citoplasma.
2. Opção A. Enquanto que em M. pilosula as células possuem apenas um par de cromossomas, em cada célula
humana existem 23 pares de cromossomas.
3. Opção C. As proteínas sintetizadas numa célula eucariótica terão origem quer no material genético nuclear,
quer no material genético de organelos, como as mitocôndrias.
4. Opção B. Os dados mostram que o grau de semelhança entre o DNA de organelos como mitocôndrias e
cloroplastos e o DNA de procariontes é maior do que entre o DNA dos organelos e o DNA nuclear das células
onde estes se encontram.
5. Opção B. A fusão de mitocôndrias será um fenómeno aleatório e pode resultar em trocas de material
genético; assim, ao nível do DNA mitocondrial, poderá haver variabilidade entre células de um mesmo
organismo.
6. Opção A. Uma vez que a divisão do genoma de bactérias e cloroplastos é mais lenta do que a divisão da
célula e dos organelos, os autores concluem que dessas divisões podem resultar bactérias e cloroplastos com
variações no número de cromossomas.
7.
- Referência à inexistência de diferenças a nível de mitocôndrias em homens e em mulheres.
- Referência à igual probabilidade de desenvolvimento de doenças associadas a anomalias genéticas em
mitocôndrias em ambos os géneros.
- Relação entre o facto de as mitocôndrias de um zigoto terem origem apenas no oócito e a impossibilidade
de um homem afetado transmitir anomalias relacionadas com esses organelos aos seus descendentes (que as
poderão herdar se a mãe tiver essas anomalias genéticas).

8.
- Referência ao facto do tempo de divisão de bactérias E. coli e de cloroplastos ser inferior ao tempo de
duplicação do genoma.
- Referência à possibilidade de surgirem células ou organelos com diferentes quantidades de material
genético.
- Relação entre o surgimento de células bacterianas (reprodução assexuada) e a divisão de cloroplastos
(reprodução sexuada em eucariontes vegetais) e o consequente aumento da variabilidade genética.

9.
- Referência ao facto de, em cada ciclo (n= ciclo), se obterem 2 n células.
- Referência ao facto de serem necessários 8 ciclos para se formarem 2 8 células.
- Relação entre o tempo de divisão de E. coli a 37 °C (25 minutos) e o tempo necessário para decorrerem 8
ciclos = 8 × 25 = 200 minutos = 3 horas e 20 minutos.
Grupo II

1. Opção A. Margulis propôs a hipótese de mitocôndrias e cloroplastos terem tido origem em relações de
simbiose entre procariontes, apesar da origem endossimbiótica dos eucariontes já ter sido proposta no início
do séc. XX.
2. Opção B. Até ao momento, apenas se conhece um exemplo de endossimbiose entre procariontes, que terá
dado origem às mitocôndrias e cloroplastos, pelo que este poderá mesmo ter sido um evento único.
3. Opção B. Ao contrário da predação, no parasitismo o parasita prejudica o seu hospedeiro, mas sem,
geralmente, causar a sua morte.
4. Opção A. Segundo o texto, os benefícios para seres simbiontes incluem, entre outros, a colonização de
novos habitats e maior resistência, tornando os mutualistas mais competitivos ou permitindo-lhes “escapar” à
competição, por se tornarem melhores exploradores.
5. Opção C. Segundo o texto, uma relação endossimbiótica será inicialmente de predação ou de parasitismo,
logo, o caso dos procariontes aeróbios que terão evoluído para mitocôndrias deverá ser semelhante.
6. (a)- 1; (b)- 4; (c)- 3
7.
- Referência ao facto do parasitismo ser uma relação benéfica para um organismo, mas prejudicial para outro.
- Referência ao facto de nas relações endobióticas um organismo viver no interior de outro, tal como
endossimbiose, ao contrário das relações epibióticas, em que um organismo vive na superfície de outro.
- Referência a uma relação endobiótica como podendo ser inicialmente não-cooperativa e evoluir no sentido
de uma simbiose/relação de benefício mútuo.
- Relação entre o facto de o parasitismo ser comum entre procariontes e a probabilidade desta relação ter
dado origem à simbiose que originou mitocôndrias e cloroplastos.

Grupo III

1. Opção D. A resistência dos tardígrados a condições extremas poderá ter origem em genes que
determinam o aparecimento dessas características.
2. Opção A. Nos tardígrados, as trocas gasosas dão-se por hematose cutânea, isto é, através da superfície
do corpo, enquanto que, nos mamíferos, a hematose é pulmonar.
3. Opção D. Nos insetos, a existência de um hemocélio leva a que o fluido circulante se misture com a linfa.
Ao contrário do transporte de nutrientes, a distribuição dos gases respiratórios, realizada por difusão direta,
não fica comprometida pela mistura do fluido circulante com a linfa.
4. Opção C. Quando os ursos-de-água se reproduzem por mecanismos sexuados, associados a fenómenos
de meiose e fecundação, responsáveis pela introdução de variabilidade genética, aumenta a capacidade de
adaptação da população.
5. Opção B. Muitas espécies de tardígrados são herbívoros, ou consumidores de primeira ordem, pelo que
a abundância de produtores poderá condicionar a sobrevivência e abundância de tardígrados.
6. Opção C. É previsível que sejam encontrados tardígrados nos fundos marinhos pois sabe-se que estes
organismos são resistentes a condições extremas de temperatura e pressão, características desses ambientes
(I – V); O gráfico da figura 1 mostra que, nas espécies estudadas, não existem diferenças significativas na taxa
respiratória (II – V); A taxa respiratória varia na razão direta com a massa, para ambas as espécies
estudadas/com o aumento da massa corporal, verifica-se um aumento proporcional na taxa respiratória
(III – F).
7. O grupo de controlo no trabalho descrito na figura 2 é o grupo de indivíduos mortos da espécie R.
coronifer.
8.
- Referência ao facto de a criptobiose permitir reduzir a taxa metabólica a cerca de 0,01% do habitual.
- Relação entre a redução da taxa metabólica e a redução do consumo de oxigénio e nutrientes ao nível das
células.
- Referência ao facto de a criptobiose permitir a sobrevivência em condições adversas, por longos períodos
de tempo.
9.
- Referência aos habitats com condições extremos ocupados pelos tardígrados já identificados;
- Referência às dimensões microscópicas dos tardígrados;
- Relação entre as características morfológicas e ambientes ocupados e a possibilidade de existirem
espécies de tardígrados ainda não identificadas.

Grupo IV

1. Opção D. Dependendo dos mecanismos de reprodução, sexuada ou assexuada, as informações genéticas


poderão ser transmitidas de forma diferente à descendência.
2. Opção D. Lamarck defendia que o meio impunha necessidades aos organismos, que responderiam com o
desenvolvimento de características – Lei do uso e desuso.
3. Opção A. Segundo o texto, os mecanismos epigenéticos podem inibir a transcrição, isto é, a formação de
mRNA. Lamarck propôs que o ambiente poderia provocar alterações nos indivíduos, que seriam transmitidas à
descendência, o que parece ser apoiado pelos dados da epigenética.
4. Opção D. O texto refere que os descendentes de indivíduos que foram sujeitos a períodos de fome
poderão sofrer nascer com baixo peso, mas apresentam risco aumentado de obesidade.
5. Opção C. O texto refere que as alterações epigenéticas podem afetar as células a nível fisiológico e
metabólico.
6. Opção A. Darwin propunha a existência de variabilidade de características entre os indivíduos de uma
população, em que alguns indivíduos apresentariam um conjunto de características que aumentavam a
probabilidade de sobrevivência e reprodução, como descrito na afirmação.
7. Por exemplo: períodos de fome, poluição ou stresse social.

Você também pode gostar