Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

Faculdade de Ciências Humanas

MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO:

- ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR -

DISCIPLINA: TEORIA E PRÁTICAS DAS ORGANIZAÇÕES EDUCATIVAS

Professor Doutor José Maria de Almeida

FICHA DE LEITURA: Cabral, R.F. (1999). Gestão e organização escolar: do controle à


23-10-2010 emergência. In O novo voo de Ícaro (pp. 63-85), Lisboa: Escola Superior de Educação João de
Deus.

1. A perspectiva mecanicista, ou Krishnamurti1 e as vacas loucas


A PERSPECTIVA MECANICISTA
A organização é entendida como uma máquina (Morgan, 1993)2 - racional, predizível,
obediente, ordeira, harmoniosa, produtiva, …
Elementos identificadores:
 Uniformização e estandardização: curricula, tabelas, formatos, normas, regulamentos,
procedimentos, …
 Previsibilidade e determinismo: rotina, previsão, formatação, perfis, moldes, …
 Hierarquia: ordem, importância, poder, autoridade, lealdade, conformidade,
obediência, seguidismo, …
 Linearidade causal: sucessão linear de causa-efeito, simplismo, realidade prescrita,
determinada, …
 Segmentarização do saber: ausência de interdisciplinaridade, perspectiva circular,
rigidez, inflexibilidade, mono valência, individualismo, …
 Departamentalização e burocratização: cadeia de transmissão, unidade hierárquica,
definição do campo de acção, …
Metáfora: A perspectiva mecanicista, ou Krishnamuri e as vacas loucas
Krishnamurti - defende que a educação se caracteriza actualmente pela rotina, pela estreiteza
e especialização.
Doença das vacas loucas - associada à criação intensiva de gado alimentado a ração.
A relação metafórica entre estas duas referências tenta pôr em evidência o carácter
mecanicista e, consequentemente, redutor de uma educação demasiado prescrita, sem
liberdade nem criatividade.

2. A perspectiva emergente, ou o novo voo de Ícaro


A perspectiva emergente surge em oposição ao modelo mecanicista e passa pelo aparecimento
de novas maneiras de conceber o processo educacional.
A escola deve ser reinventada, não é aceitável que as suas crianças sejam peças da
organização dos processos de fabrico (ensino), colocadas numa cadeia produtiva em série
(saber compartimentado ministrado em períodos de tempo constante que se sucedem ao toque

1 Krishnamurti, J. (1988). Cartas às escolas, Lisboa: Livros Horizonte.


2 Morgan, G. (1993). Imaginization, London: Sage Publications Ltd.
de campainhas), sujeitas a uma moldagem assistida por manual (currículos e livros iguais para
todos), cujo resultado final deveria ser igual para todos.
A máquina já não funciona nem como modelo nem como máquina.
Preocupação dos educadores:
 O que vão os estudantes fazer depois de formados.
 O que é preciso saber para o fazerem bem feito.
A educação em vez de preparar os jovens para a vida é a própria vida a construir-se.
A escolaridade deve basear-se mais na aprendizagem que no ensino.
Líderes com sucesso em mudança:
 Combinam liderança com aprendizagem.
 Encorajam a aprendizagem.
 Aprendem de uma maneira que informa e guia aqueles que desejam liderar.
 Combinam direcção clara com a criação de espaços para que outros possam tomar
iniciativas.
 São de falas directas, incisivos, mas com uma capacidade altamente efectiva de ouvir.
O fim do paradigma mecanicista e a ansiedade de encontrar novos paradigmas:
 Num mundo indeterminado, descontínuo, complexo, paradoxal, incerto, toda a receita
esvazia-se antes mesmo de ser implementada.
 Os novos caminhos passam por encontrar as respostas com as pessoas que fazem parte
da organização.
A mudança:
 A mudança não pode ser efectuada mecanicamente.
 A mudança só acontece quando nós nos transformarmos.
 As organizações não são organogramas, mas pessoas.
As tendências:
 O trabalho de equipa.
 A gestão em equipa.
 Todos devem e têm a responsabilidade de participar na construção contínua de um
qualquer projecto humano.
 Ênfase na aprendizagem.
 Procura do aperfeiçoamento ilimitado e contínuo.
Gestão escolar numa realidade emergente
Nesta escola:
› nada é rígido, mas flexível: horários, distribuição de trabalho, etc.
› o docente poderia ensinar de acordo com as suas competências (secundarização
do diploma).
É necessário recorrer ao pensamento sistémico, i. é, a capacidade de conseguir ver e pensar
todos, sistemas inteiros, com os seus subsistemas e as suas interacções.

Novo voo de Ícaro


 O voo de Ícaro é preciso ser treinado, não em direcção ao sol, mas à luz do sol.
 É necessário aprender a ver a realidade total em todas as suas manifestações e é à luz
dessa mesma realidade que a escola deve ser construída.
 Neste voo de Ícaro não vemos só a nossa casa, mas o bairro e as ruas e a cidade e os
campos e as pessoas que conhecemos e que poderemos vir a conhecer e o horizonte sem
fim.

Página 2
3. A perspectiva do possível3: Da fantasia e da realidade

Elementos identificadores:
 Flexibilidade
 Livre noção de dogmatismo
 Visão ampla sobre a realidade
 Criatividade
Perfil do Gestor:
 Democrático
 Imparcial
 Liderança efectiva
 Espírito de equipa
 Perspectiva crítica e construtiva
 Inter-relacionamento organizacional
Soluções possíveis:
 Desformatar as pessoas que se orientam pelo modo mecanicista, construir peças únicas,
capaz de olhar o mundo à luz do sol e conhecer o horizonte sem fim.
 Dar autonomia às escolas.
 Criar núcleos centrais de apoio às escolas.

Ideias a reter
“Nós só aprendemos uma coisa quando estamos convencidos de que a não sabemos.”

“ Estamos a deixar a idade das organizações organizadas e a entrar numa era em que a
capacidade de compreender, facilitar e encorajar processos de auto-organização se tornará
numa competência fundamental.”

“Cada educador dispõe da liberdade de experienciar vivências inovadoras,


transformadoras e ambiciosas.”

Trabalho realizado por: Augusto Viola, Juvita da Costa e Maria Dulce Gomes.

3 Mintzberg, H. (1994). The rise and fall of strategic planning. Hertfordshire: Prentica Hall Internacional (UK) Limited.

Página 3