Você está na página 1de 13

PSICOGÊNESE DA

LÍNGUA ESCRITA
Prof. Jonathan Melo
A LÍNGUA ESCRITA

• Qual a relevância da língua escrita?

• Quando surgiu a língua falada?


A LÍNGUA ESCRITA
• Algumas outras teorias informam que a fala foi a princípio uma
imitação de sons naturais ou de gestos
• Com a necessidade de uma comunicação mais elaborada, a
linguagem gestual vai evoluindo para uma língua mais
sofisticada
• Quando a fala começou ampliar seu vocabulário através dos
tempos, não havia como preservar a história de
acontecimentos importantes a não ser que a guardassem na
memória
• A evolução da língua permite um processo de acumulação dos
saberes e a possibilidade de criação de novos conhecimentos a
partir dos acervos já disponíveis
A EVOLUÇÃO DA ESCRITA
• A escrita tem origem no momento em que o homem
aprende a comunicar seus pensamentos e sentimentos por
meio de signos

• A escrita é considerada um marco de passagem da pré-


história para a história

• Relacionado ao desenvolvimento da arte, agricultura e


comércio
A EVOLUÇÃO DA ESCRITA
• Segundo Voltaire “a pintura da voz”

• Segundo Diringer “a expressão gráfica do discurso, a


fixação da linguagem falada de forma permanente ou
semipermanente”

• A escrita pictográfica antecede a escrita formal e tem


característica descritiva (sem ligação com fala ou idioma)
A EVOLUÇÃO DA ESCRITA
• Da pictográfica para a mnemônica (ou representativa)
• Uso de símbolos semelhantes aos usados por outros homens,
empregados com o auxílio da memória.
• De individual, o símbolo adquire característica social
• Constitui fator fundamental para o desenvolvimento da escrita

• Escrita logógrafa
• A mesma representação assume significados associados. Ex: Sol –
“brillhante”, “dia”
A EVOLUÇÃO DA ESCRITA
• Escrita cuneiforme
• Com a organização do estado e desenvolvimento da economia,
tornou-se necessária maior exatidão
• O signo passou a ter valor fonético
• Ex: discórdia – duas mulheres brigando – mulher e corda – disco e
corda
• Signos normatizados; valores silábicos definidos; regras de
orientação
• O Chinês é a única língua importante que não possui um
sistema alfabético de escrita. No chinês existem milhares de
caracteres que significam palavras
A EVOLUÇÃO DA ESCRITA
• A escrita baseada em fonemas chega ao Egito
• 24 sinais para as consoantes
• Existem diferentes versões acerca de quando o alfabeto
propriamente dito foi criado
• Alguns autores atribuem a invenção do alfabeto aos fenícios
• Os gregos se apropriaram de algumas consoantes e usaram os
sinais que sobraram para expressar os sons das vogais que,
unidas aos signos silábicos, converteram as sílabas em simples
signos consonânticos (signos com sons individuais)
• Surge o alfabeto como o conhecemos
ALFABETIZAÇÃO COMO PRÁTICA
HISTÓRICA E CULTURAL
• Na Revolução Francesa (1789) se iniciou a história de
alfabetização como prática escolar
• O ensino no entanto só foi difundido quase um século depois
por medidas do governo francês houve a garantia do ensino
• Primeiro aprendia-se a ler (por anos), depois a escrever (quase
uma arte)
• Gradualmente foi se iniciando o ajuste nas escolas para o
ensino, influenciada por diversos métodos de outros países
• Incluindo a padronização da alfabetização (aprendizagem
coletiva e simultânea)
EMÍLIA FERREIRO E A
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
• Utilizou a teoria de Piaget para explorar a língua escrita

• Para Ferreiro (2007), existe um processo de aquisição da


linguagem escrita que precede e excede os limites escolares

• É um processo de autoconstrução no confronto e na interação


da criança com o seu meio

• É de fundamental importância avaliar as crianças antes de


determinar estratégias para sua alfabetização
EMÍLIA FERREIRO E A
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
• A escrita infantil segue uma linha de evolução regular que
pode ser dividida em três grandes períodos
• Distinção entre o modo de representação icônico e o
não icônico (distinção desenhar e escrever)
• Construção de formas de diferenciação (controle
progressivo das variações sobre os eixos qualitativo e
quantitativo)
• Critérios entrefigurais e interfigurais
• Fonetização da escrita (se inicia no período silábico e
culmina no alfabético)
• A escrita não está relacionada ao objeto, mas à fala
EMÍLIA FERREIRO E A
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
• Níveis de alfabetização
• Pré-silábico – rabiscos e desenhos, não relaciona letras com sons
• Silábico - criança começa a perceber a correspondência entre as
letras daquilo que é falado. Interpreta a letra a sua maneira,
atribuindo valor de sílaba a cada uma, cada sílaba representa
uma letra (ex: KVL – cavalo)
• Silábico-alfabético - Começa a compreender que as sílabas
possuem mais que uma letra (fará a transição de ora utilizar uma
letra para cada sílaba, ora reconhecer os demais fonemas das
palavras e passar a empregá-los) (ex: Kvalo, Cavlo - cavalo)
• Alfabético – reproduz adequadamente todos os fonemas de um
palavra (escrita convencional)