Você está na página 1de 141

OBSTETRÍCIA- 1º -tentar realizar a coleta

do óvulo ou um
aula Teste de permeabilidade
 Ovários tubárica: com uma sonda de
#ovarites: acomete o ovário foley
como o todo;  Injeta a
por via hematológica/ órgão Fenolftaleina a 0,3%
contaminado (indicador de ph,fracamente
#oophorites:acomete somente os absorvida pela mucosa e
folículos (não é muito muito bem absorvida apela
frequente); pela serosa) no corno
A contaminação pode ser por via uterino com sonda de Foley.
hematológica ou secundaria  Permeabilidade= a
quando a um órgão infectado fenolftaleína passa pelo
próximo; uma falha pode ocorrer oviduto e cai na cavidade
devido a punção folicular OPU. abdominal-> rapidamente
 Oviduto absorvida pelas serosas->
eliminada pela urina ->
#salpingite: - fracamente absorvido pela
hidrosalpinge com obstrução mucosa uterina.
nos dois pontos. Não tem
 Avaliação-> sonda de
tratamento,só aspiração
FOLEY-> cateterismo vesical
folicular ou uma
coletando uma amostra de
hemicastração.
urina antes do teste e a
Leptostpirose faz o cada 5 minutos durante o
tratamento preventivo com teste.
estreptopmisina.  Resultado= A ausência
 COMO DETECTAR SE O de urina corada em até 20
ANIMAL ESTAR COM O OVIDUTO minutos indica a obstrução
PERVIO¿ deve-se adicionar algumas
gotas de NaOH (hidróxido de
sódio) 0,1N. #Puerpério Fisiológico
LÓQUIOS NORMAIS- restos da
METRA=prefixo de útero gestação e carúnculas
METRITE=infecção no útero -Até 3 dias: Lóquios
avermelhados- devido ao
-ENDOMETRITES mucosa e processo de involução das
submucosa; MIOMETRITES carúnculas, com
musculatura lisa; características
PERIMETRITES serosa. sanguinolentas. Involução
*Causas: quebra da barreira do útero, distendido por
de ´proteção; causa do bloqueio da
-proteção anatômica progesterona e o aumento de
abertura da cérvix, estrógeno ajuda o útero a
vestíbulo vaginal contrair, em torno de um
-proteção química-muco: mês volta ao tamanho
ausência de muco bactéria normal.
se adere -3 a 7 dias: Lóquios vinho
-proteção imunológica- ou achocolatado-
polimorfos nucleares -7 a 14 dias: Café claro
(PMN)/anticorpo- no período com abundante muco
periparto estçao com uma -14 a 25 dias: Muco
imunossupressão local pela fracamente avermelhado ou
ação duradora da claro.
progesterona e também pela -30 dias: ovário com corpo
cascata do parto que vai lutéo, involução uterina e
reduzir o cortisol. retorna as atividade
-Dependendo da ovariana.
intensidade da resposta
será a reação inflamatória. #Restabelecimento da
ciclicidade
*Hipotálamo: estabilização anorexia, diminuição na
das descargas de GnRH; produção, o atendimento tem
*Hipófise: restabelecimento que ser rápido.Outra
dos níveis de alteração que não está
gonadotrofinas FSH E relacionada ao parto é
LH;circulação do estrógeno quando há a entrada de
ocorre um aporte maior de outro animal portador de um
sangue e células de defesa; agente que vai causar uma
*Ovários: restabelecimento infecção uterina supra-
do desenvolvimento total aguda- ENDOMETRITE PÓS
dos folículos (não ocorre COITAL-TRICOMONÍASE.
durante a gestação= baixo Essa doença venéria
níveis de gonadotrofina). vai ser caracterizada
comvários animais com
#SISTEMA IMUNOLÓGICO: corrimento, durante o exame
manejo que causa estresse as vacas apresentam
por outros animais, bastante dor o manipular o
associado altos níveis de útero.
cortisol e rentenção de
placenta. -crônicas: animais
#LACERAÇÕES: nas éguas há que fazem tempo que
contrações muito violentas- pariram.não há manifestação
Laceração do útero de clinicica significativa.
3ºgrau com uma fístula. Pois já passaram pela etapa
o Classificação das da febre e tals.
-Defeito de
infeccões uterinas-Quanto a
conformação: em éguas, o
forma de apresentação:
posicionamento horizontal
-
da vulva permite que fezes
agudas:comprometimento
contaminem a vagina.
sistêmico.0 parto é o
O correto seria:
principal fator
vulva vertical, períneo
desencadeante com febre,
longo o suficiente para que
a comissura dorsal dois lados, e faz-se uma
permaneça ao nível do sutura dessas bordas para
assoalho da cavidade que aja uma coaptação onde
pélvica. se fez o reavivamento. Se
-Fechamento abre no dia em que o animal
imperfeito de vulva: pode for parir, se não parir se
ter uma vulva horizontal. passa uma pomada para
TESTE: abrir os lábios evitar um grau de processo
vulvares para que possa cicatricial prejudicial.
enchegar enxergar o
vestíbulo vaginal,o correto VULVOPLASTIA DE
é estar fechado. Se estiver GOETZ(bovino): se houver
aberto é pq o animal falha no fechamento do
apresenta uma predisposição vestíbulo vaginal, e prevê
a pneumovagina.Outro teste o aumento da distancia do
é colocar o dedo na períneo tb,ocorre o
comissura vaginal e descolamento e
pressionar até o dedo desbridamento da mucosa
chegar no isquio do animal. vaginal, o excesso de
TÉCNICA DE mucosa que é liberado, é
VULVOPLATIA DE cortado fora e faz uma
CASLICK(égua): superficial, sutura aproximando os
fechando a vulva, aumento a bordos.Forma um
distancia entre o ânus e a rebachamento do vestíbulo
comussira dorsal da vaginal de forma
vulva.Quando o animal for triangular, se faz ponto
parir deve-se abrir para internamente, fio
que não ocorra nenhum tipo absorvivio, faz aproximação
de laceração mais grave.A ate parte externa.
técnica= retira um PORQUE QUE SE FAZ UMA
fragmento do tecido da TÉCNICA COM UM FECHAMENTO
vulva lateral e dorsal nos MAIS SÓLIDO no bovino do
que na égua¿- pq o parto é é presa na posição vertical
mais demorado e o tempo de original.se faz o uso de
dilatação da vulva é maior, uma pomana para que não aja
se tem mais tempo no bovino o contato de fezes.
do que no equino.
GOETZ MODIFICADA
(Mondino Silva e PIPI): não UROVAGINA: ocorre
tem o processo de cortar o um refluxo da urina por
excesso da mucosa, a mucosa vaginoscopia, a criação de
é mantida na região e a uma flora bacteriana e
sutura, ao invés, de ser infecionada o útero, também
uma sutura interna, ela é uma vaginite química
feita com pontos externos irritando a vagina, no caso
por cima dos bordos.durante de bovino é descarte e
a realização é importante equino, há técnica
marcar a comissura dorsal e cirúrgica.
o nível ate onde era fazer
o descolamento, se utiliza
fios para marcação, onde o
auxiliar faz a abertura da
vulva, facilitando o Patologias infecciosas
trabalho.pode usar backaus. inespesificas
Quanto ao tipo de
VULVA HORIZONTAL Secreção:
(técnica de pouret); vulva  Metrite puerperal-
horizontal, em animal mais loquiometra- após o parto
velho com perda muscular, afetam loquios e
faz o descolamento da união sintomatologia clinica.
entre a porsão caudal e a  Endometrite
parte ventral do reto. subclínica- citologica
Traciona a vulva para
posição vertical e a vulva
-CG1- endometrite 1º o animal manifestr
catarral ou catarro genital alterações sistêmicas com
de 1º grau. Sem alteração falta de apetite e febre.
na secreção do muco, no Os lóquis estaram alterados
máximo um aumento da e mais líquidos e podendo
fluidez. ter presença de pus. E mal
 Endometrite clínica- odor dos lóquis.
há presença de pus Se formos fazer um exame de
-CG2- endometrite palpação estará com o útero
mucopurulenta- há pus no mais aumentado e sem nenhum
muco tipo de estrias
-CG3- endometrite longitudinais,
purulenta- maior teor de características de que o
pus em relação ao muco útero está em processo de
 Piometra contração.A falta de
-aberta ou CG4 contração fará que o
-fechada- não tem secreção conteúdo fique dentro do
*Metrite Puerperal: útero por mais tempo.
contaminação do útero no Fazendo com que o animal
parto, esse processo vai absorva toxinas bacterianas
ser agravado quanto maior fazendo essa perda da
for a manipulação, com condição clínica.
cuidados adequados de
higiene, seja no parto
RENTENÇÃO DE PLACENTA:
normal ou ceária o
existe uma falha no
puerpério será patológico.
processo natural, durante a
Se o animal for concorrer fase final de gestação,
com a rentenção placentária existe um processo chamado
terá um ambiente favorável de maturação placentária,em
a desenvolvimento de que vai havendo uma
bactérias infectantes do preparação prévia de
ambiente.
liberação da placenta. Em comprometimento maior desse
ruminantes as vilosidades animal.
placentárias estarão a -tração para saber
aderidas as carúnculas como se a placenta está retida
se fosse dedos de uma luva, para saber se o útero está
para que aconteça esse com a sua contratilidade
desligamento,concorrem o prejudicada.se tiver
sistema imunológico e as resistência irá jogar fora
células de defesas, é essa parte que foi
necessário que ocorra um removida, e melhora a
relaxamento da parte situação ambiental.
materna, uma redução da
circulação sanguínea, da -Quando há uma
parte dos cotiléducos redução da contratilidade:
fazendo com que facilite a usa ocitocina (só funciona
liberação dessa união. qndo há receptores que são
preparados através dos
Retenção causa uma perda níveis de estrogenos).Após
econômica em todo mundo. o parto o nível dos
Reforçar o sistema receptores irá cair,
imunológico dos animais determinando que a
Fornecer uma serie eficiência da ocitocina
nutrientes específicos, reduza. Do momento do parto
irão reduzir esse problema. até 24h irá ter uam redução
Tratamento: desses receptores.Com o
passar do tempo a ocitocina
- o arrancamento não irá atuar no útero e
leva a uma série de lesões sim nos alvéolos mamários.
nas carúnculas dos animais
e ocorrendo resto dos -PGF2a
cotiléducos aderidos na (prostaglandina f2 a): vai
carúncula, abrindouma porta ter a ação na contração
de contaminação bacteriana,
uterina, que será mais FAZER TRATAMENTO DE
duradoura. RENTENÇÃO PLACENTARIA
-Estrógenos: -Antibióticos:
determina um aporte maior Local: afeta a
de circulação sanguínea no atuação dos polimorfos
útero, que seria forma de nucleares.O melhor é a
aumentar a capacidade de Oxitetraciclina (Ginovet),
contração e células de e a função é inibir a
defesa.Nas avaliações de multiplicação
animais que foram feito o bacteriana.Até que o
uso de estrógeno se parentenral conseguisse
observou que o intervalo de atingir a concentração
parto e consepção foi inibitória.O local não
maior,do que os animais que elimina só controla a
não receberam nenhum tipo proliferação bacteriana.Por
de tratamento. ser um local de baixa
A justificativa: quando os oxigenação e alto material
estrogenos atuam no útero biológico.Tabletes
eles também provocam o efervescentes quando ficam
relaxamento da junção em um local do útero causam
útero-tubar (uma válvula uma queimadura
que limita a passagem de química.Precisa definir a
conteudo do útero para dose correta.
dentro do oviduto), esse Parenteral: se
relaxamento determina que considera a produção do
possa entrar contaminação animal, levar m
para dentro do oviduto consideração o tempo de
gerando dificuldade de descarte do leite. Se for
emprenhar uma vaca de corte se usa a
posteriormente.ESTROGENOS Tetraciclina de longa
NÃO SÃO RECOMENDADOS PARA duração, e se for de alta
produção se usa um de nível de polimorfos
duração de repetição de nucleares do útero nessa
dose com menor frequencia. citologia. E saberqual o
Reduz o descarte do leite. agente que esta ocorrendo.
-Colagenases:  No bovino: se faz um
recupera o cordão umbilical exame ginecológico, se faz
da placenta e injeta a uma inspeção do posterior
colágena por dentro da veia do animal (cauda,
e artéria umbilicais pra tuberosidade isquiática )
que cheguem nos cotiletucos pq nem toda vez terá um
e liberem as carúnculas. corrimento no momento, mas
sim, crostas na região.
Durante o exame interno se
 ENDOMETRITES: reflexo faz uma massagem no útero
de uma contaminação que caudalmente, caso tenha
aconteceu no pós parto e o conteúdo acumulado no saco
animal não se recuperou vaginal.
completamente. É importante Na ultrassonografia se
saber se no parto houve avalia se há conteúdo, qual
distorcia. a característica,se há
Diagnóstico: se faz celularidade, no ovários se
uma biopsia do endométrio a seccidade ¿.
para identificar qual a Na vaginoscopia: coloração,
profundidade em que nível grau de umidade, cérvix
tecidual se tem células de fechada ou não, se há
defesa. Não recomendado em secreção.MELHOR QUE O
útero contaminado, pode METRICHECK
virar miometrite. Metricheck: se observa qual
O Melhor o tipo de secreção.
diagnóstico é fazer uma Citologia endometrial;
coleta do material do simples e permite que faça
uterno para identificar o a identificação do estagio.
Pode ser realizada com o interna e detecta apresença
citobrus (escovinha)onde do corpo lútea, não vai
ira contar as células de observa alteração no volume
defesas que há no do útero e nem
esfregaço. Cuidado para não contratilidade.
causar nenhuma lesão que Na vaginoscopia se percebe
pode cuasar uma hemorragia. o prolapso do primeiro
*úteros com 42 dias PÓS anel. Se pega o animal na
PARTO ainda podem fase lútea!
apresentar células de Entra o fundo do saco
defesa PMN. vaginal pálido: enxerga os
pequenos vasos da
*CG1: CartagioNitado de submucosa, um grau de
1ºgrau. Animais que são umidade a mucosa deveria
cobertos e não emprenham estar seca, prolapso do
voltando ao cio em primeiro anel. A cérvix
intervalos irregulares. É a estará aberta.O Certo na
endometrite subclínica ou fase lútea é a mucosa
endometrite citologica.Vai pálida, seca e fechada.
ser detectado pela presença Como já tem um corpo lúteo
dos polimorfosnucleares ou se usa a prostaglandina
no exame ginecológico na para utilizar o efeito do
fase lutéa. Tem que ser na estrógeno aumentando as
fase lutea pq os sinais que defesas locais, e realizar
vão apresentar serão muito um antibiótico que pode ser
superficiais e ficariam parenteral.Pode fazer um
inaparente na fase do tratamento intra uterino
estrogênio. O animal tem que associado co o efeito
dificuldade de emprenhar, do estrógeno pode sarar o
então na fase lútea animal.
(diestro) se realiza o Se o animal não sarar: se
exame. Se faz a palpação faz uma curetagem química,
provoca a descamação das (AMPICILINA). Até o dia 6
células superficiais do quando os embriões entram
endométrio que estão no útero tenha sido curado.
danificadas, ou realizar a *CG3: -Características:
agulização do processo parede mais espersada.
transformando de CG1 para
CG2, que pode ser mais -Aumento de
fácil de ser tratado por volume
antibiótico. -Alteração
do ciclo: alteração
*CG2: endomentrial é tão
-Características: é uma significativa, na fase
secreção purulenta, não inicial ocorre uma grande
existe alteração do ciclo. produção de
Não há alteração no útero. prostaglandina,que ira
Endometrite clínica pq se fazer com que o corpo lúteo
encontra filamento de pus não tenha sua durabilidade
no muco. normal.Com o avanço do
processo o endométrio para
-Secreção de secretar prostaglandina,
muco purulenta determinando o momento em
-Sem que se forma o corpo lúteo
alteração do ciclo ele perdura!, fazendo com
-Sem que o animal fique
aumento de volume acíclico, e o animal
bastante comprometido. Se
IA PROTEGIDA: Se na hora da existe o corpo lúteo pode
inseminação houver uma se fazer uma prostaglandina
sancreçao suja/purulenta. O exógena pq ele vai fazer a
inseminador pode realiazar lise fazendo com que ocorra
o procedimento e até uma a reativa da ciclicidad
hora após se faz uma desse animal.
infusão de antibiótico
-Secreção Antibióticos:
purulenta Desinfetantes
*CG4-Piometra Quimioterápicos
Hormônios
-aberta- cérvix
abriu, é bom não chega a PGF2a- vai elimar a fonte
ser tão grave como na de progesterona, vai
cadela. aumentar a contratilidade e
-fechada- o retorno da atividade
acumulo de pus, no US: estrogênica que auxilia com
conteúdo ecogênico com o aumento da circulação e
pontos que são as aporte de célula de
celularidade.O corpo lúteo defesas.
mantem a cérvix fechada, -antibiótico,no caso de
faz parte do tratamento a rentenção placentária usa
eliminação do corpo lúteo, de acordo com o animal,
quanto maior o tempo de cuidado com vacas leiteiras
acometimento maior o dano Curetagem química: Lugol
no endométrio. base de iodo, usar
 Agentes Causadores corretamente, ou Albocresil
-Escherichia coli-
-Trueperella pyogenes solução a 4%
-Fusobacterium necrophorum Cefapirina benzatina-
-Prevotella melalinogenicus infusão intrauterino CG1 E
-Clostridum spp. CG2, metricuri uma seringa
com uma pipeta.
 Tratamentos
-Específico- se faz a
coleta para realizar um *Endometrite em Éguas:
antibiograma, na metrite  Endometrite Pós-
puerperal não dá tempo. Coital
-Inespecíficos
principalmente animais mais PGF2a=12-24h pós-
velhos, durante o coito cobertura
haverá entrada de
contaminação, havendo uma  Endometrite Clínica:
resposta inflamatória cuidados pricinpalemente na
desses contra esses agentes estação de monta para que
havendo uma migração de não ocorra nenhum problema,
polimorfos nucleares, realizar a vaginoscopia
teremos uma contratilidade o Sintomas: mucosa
ativa do útero expulsando o inflamada e cérvix sem
excesso desse material, fechamento adequado, nesse
terá uma drenagem linfática caso o Tratamento cirúrgico
reduzindo o volume no útero por não conseguir
reduz rapidamente, não restabeleer esse ambientre
tendo o ingresso adequado, fazendo o
significativo de polimorfos reavivamento das bordas. Se
nucleares em função da ação fizer após a estação de
do parto. monta terá uma perda desse
Principalmente em animais animal.
velhos o conteúdo fica  Endometrite sub-
acumulado no útero,há a clínica: avaliação pelo US
drenagem menos ineficiente, de um conteúdo, volume e um
causando uma ENDOMETRITE biofilme no endométrio do
PERSISTENTE. animal, característico de
Administração de bactérias especificas que
antinflamatório pré vão determinar uma maior
cobertura: Dexametasona, eficiência aos
Lavagem uterina antibióticos.
com Sol.Fisiológica ou
Citologia uterina
Ringer+Ocitocina (10-20UI)=
(identificação do agente)
4 a 8h pós-cobertura
S.equi zooepidermicus
E.coli
-Coleta o material do -Mucolíticos:
útero, fazer identificação, orais/ utra uterino,
-fazer esfregaço, quebram a consistência do
pois pode estar agravado útero.
com uma endometrite por -Soluções
fungos, dificultando quelantes tamponas (TRIS-
somente os ANTB. Pode EDTA): quelante, quebra
contar os PLMFOS para moléculas de biofilme.
determinar a endometrite. -DMSO:ação
Uteroscopia; antiinflamatoria e
alguns apresentam lesões impermeabilizante, tomar
localizadas, e pelo cuidado coma dose.
endoscópio encontra essas -Querose:
lesões. NÃO UTILIZA NA curetagem química,
ROTINA E USA SOMENTE EM
ALTO VALOR. Ou papa de plaquetas do
próprio animal.
Lavagem uterina:
Solução salina morna em 38-
40c um ou dois litros de Biópsia de
cada vez. endométrio; em animal
saudável se coleta o
Se colocar o endométrio para saber como
antibiótico na solução ele estar a saúde e as
irá afetar as células de glândulas, pode ser
defesas nesses indivíduos. { coletada com diferentes
dispositivos (boca de
Conteúdo Muco e jacare). A melhor solução
Biofilme: de fixação para mucosa é a
- Sol.Bouin. ou formal a 10%
Antibióticos; ajudar -Exame
Histopatológico:
Sistema 90-150 dias anestro
Kenny: para estabelecer o 9 dias de proestro
grau de dificuldade de uma Um animal com
gestação. predisposição de uma
*Categoria 1: hiperplasia cística, as
normal com raras lesões glandulas endometrias
*Categoria obstruem o núcleo de
IIa: pequena inflamação e drenagem formando cistos,
fibrose ocorrede devido a
sensibilidade de estrógeno
*Categoria e ação da progesterona,
IIb: moderada inflamação e agravando o processo.
fibrose
PROGESTERONA:
*Categoria
III: severa inflamação e -Crescimento
fibrose 10% de chance de Endometrial- cistos
gestação. maiores.

 CADELA -Secreção
Glandular
Metrite: relaciona ao
pós parto com sinais -Supressão de
sistêmico. Rentenção de Atividade miometrial-
placenta ou de fetos. diminui a drenagem
 Complexo hiperplasia linfatica
cística do endométrio/ -Acúmulo de
Piometra. secreção uterina
9 dias de proestro
-Supressão da
9 dias destro
resposta lecocitária à
60 dias diestro/prenhez-
infecção (E.coli) comessal
ocorre com a atividade do
do trato reprodutivo.
corpo lúteo idenpendente de
haver uma fecundação ou A PIOMETRA É DETERMINADA
não. PELA HIPERPLASIA CÍSTICA DO
ENDOMÉTRIO EXAGERADA AO mucopurulento (piometra
ESTROGENO E DEPOIS A aberta)
PROGESTERONA E DEPOOIS A -temperatura;
PRESENÇA DA E.COLI, DEPOIS diminuída=septicemia
QUE A CÉRVIX FECHA ELA SE
PROLIFERA. Hemograma; anemia
normocítica normocrômica
 Sintomas: não regenerativa de grau
-Letargia leve a moderada;
-Anorexia
-Poliúria/Polidipsia Leucograma:
-Vômito apresentando uma
-Diarréia leucocitose por neutrolifia
‘Descarga vaginal”SE FOR com desvio a esquerda e
ABERTA neutrófilos tóxicos.
PIOMETRA FECHADA:
Historico: depressão,
Idade de 5 a 6 anos
 Manifestação de estro anorexia,
 Aplicação prévia de aumento de volume
estrógenos ou progestágenos abdominal
(desenvolvimento não após o estre
relacionado ao cio) (diestro)
SINAIS CLÍNICOS;
US
- desidratação
Diferencial:
-aumento de Septos do útero q esta com
volume uterino (piometra liquido.
fechada)
-Falência renal
=corrimento primária
sanguinolento a
-Prenhez
RX: útero ação do LH fazendo
repleto de conteúdo, com ovulação, mas a manutenção
vísceras cranialmente. do corpo luteo é pel
Tratamento: OSH- prolactina. Por isso se
após estabilização deve entrar com o anti
prolactino pra inibir o
 PIOMETRA ABERTA: corpo luteo e diminui a
libera e não absorve todas ação da progesterona.
as toxinas. Pode tentar
fazer a recuperação com o Anti-
tratamento. Com a progesteronico (Alizin): tb
histerectomia pode usar pra interromper a
*Lavagem uterina: pode gestação.
fazer dependendo do
material e do animal. Deve fazer acompanhamento
Anatomia: tem fundo de saco do animal, com us e exames.
e cervis diferente.
DEVE CUIDAR DO
- quando colocar uma sonda
PROXIMO CICLO, pq pode
lembrar que o útero esta
correr o risco da super
friável
estimulação do endométrio
restituindo essas novas
TRATAMENTO: animal estável
bactérias, quando começar o
-antibioticoterapia -GRAM
sinal do proestro se faz o
-Drenagem do conteúdo
tratamento preventivo com
uterino PGF2a natural
antibiótico para que reduza
- Eliminação da
a carla bacteriana no
progesterona
contuto vaginal para que
Luteólise
não entrem pro útero.
PGF2a natural
(dinoprost) após fazer a cópula, e ter
Anti- a garantia que não tenha
prolactinico (galastop e piometra novamente tem que
contralac) a cadela tem fazer o diagnostico da
gestação o mais precoce APLICAR O CLOPROSTENOL TERA
possível, relação da REAÇÃO, USAR DOSE MINIMA.
relaxina e com US. Caso não
tenha gestação, é TÓPICO 2
necessário que faça a
elinação da fonte de
progesterona para que não -Avaliação pré-cobertura:
restabeleça uma nova realizar avalição de escore
piometra. corporal adequada, ciclando e
outros tipo de alteração
No inicio de um estro se
-Diagnóstico ou Acompanhamento
faz a preparação pra não
da gestação: pré-natal
voltar a piometra!!! SÓ EM
CASO DE ABERTA -Sinais de preparação para o
parto: para orientar os
proprietários e realizar
REAÇÕES ADVERSAS DA PGF2a intervenção o mais precoce
possivel
Hipersalivação
-Parto (parturiente e neonato):
Respiração ofegante -Puerpério: recuperação melhor
Dor abdominal e mantenhaa sua capacidade
reprodutiva rápida.
Taquicardia
Febre
Vias Fetais: caminho que o
Vômitos feto irá fazer, do abdomem até
o exterior.
Defecação
*Dura: menor
Cloprostenol= Análogo capacidade de intervenção
sintético da PGF2a 10x mais
*Mole; cervis,
potente
vagina, vestíbulo vaginal e
ATENÇÃO: EDINOTROF- vulva- melhor capacidade de
PROSTAGLANDINA NATURAL SE intervenção.
#Égua: Via Fetal Dura Já a placentação é mais
prolongado para vencer as
-Ossatura não muito pesada,
barreiras anatômicas.
esguia, preparada par que ocrra
um parto rápido. O feto vai se
situar pelo cintural pélvico #Cabra/Ovelha: Via Fetal Dura
interno com o feto em direção
ao solo se a égua estiver em -Ossatura não é tão leve em
estação. relação a espécie, crista
isquiática não é tão
-Caracteristica: sacro plano, proeminente, assoalho da pelve
assoalho da cavidade pelvica é mais aplanado,e há um
plano, não tuberosidade achatamento lateral,
isquiática. Cinturão pélvico característico dos
interno de formato circular, ruminantes.facilidade um pouco
favorecem o parto. maior do que os bovinos.
Por ser um animal de fuga e o
parto tem que ser rápido.
A placenta não permite o
prolongamento do parto e as #Porca e Cadela: Via Fetal Dura
estruturas ajudam no processo -Sacro curto, assoalho plano
tb. sem crista isquiática
proeminente;
#Vaca: Via Fetal Dura Única dificuldade na cadela é a
seleção das raças com caixa
-Ossatura bastante reforçada, craniana muito desenvolvida,
tuberosidade isquiática bem alteração pelo ser humano.
pronunciada e sacro isquiático
côncavo, caracteristcas que
determina alguma dificuldade;  Como avaliar Cinturão
-A presença do anteparo na Pélvico:
tuberosidade isquiática fará -A distancia entre o púbis e o
que aja alguma dificuldade sacro (teto e o assoalho), e a
(crista isquiática proeminente) distancia entre os ísquios
- Na cadela e na gata, é
-Cinturão pélvico é achatado
possível fazer uma radiografia
lateralmente.
para medir a distancia entre os avaliação, se for de alto valor
ísquios. genético pode continuar no
-Em animais grandes se faz a processo de reprodução, como:
PELVIMETRIA (avaliação coleta de embrião e aspiração
indireta), onde pode observer folicular.
as tuberosidades ilíacas e
isquiáticas, realiza a medida
Gordura Localizada:
das distancia e terá a medida
fêmea Jersey, gordura dentro do
da pélvie do animal. Não da pra
cintural pélvico.
avaliar se há alguma obstrução
interna. Animal com
-Pelvimetria (direta): localização na garupa e no
pelvimetro, colocado dentro do externo, tem comprometimento
reto para medir lado-lado e no endócrino e não irão
teto. reproduzir. Não há atividade
-Pelvimetro com bastão folicular do ovário.
hidráulico, não é 100%
eficiente.
#Via Fetal Mole
#ESTREITAMENTO PÉLVICO o Ruminantes: Principal
(fratura: acidentes, preocupação com a cérvix é
principalmente em pequenos constituída por um tecido
animais, considerar cesariana. fibroelástico para que possa se
Ruminantes: fratura da dilatar formada por anéis
tuberosidade ilíaca. Se o circulares que recebem um
cinturão pélvico estiver livre aporte hormonal e força física
sem alteração, animal não através das contrações;
estiver sofrendo, continua com o Ovelha: A espécie com
a gestação. maior número de dilatação
cervical é a espécie ovina, com
Luxação Sacroiíaca: animais em anéis cervicais desenvolvidos e
estro se deixam montar por forms um canal irregular
outros, havendo um rebaixamento (torduoso);
da região articular pélvica, o Suínos: Comprimento
alterando o parto e a marcha, longo dos cornos uterinos,
por só ter estruturas comprimento exagerado pode
musculares.Sempre fazer
determinar que exista se pressione o pênis e haja a
dificuldade de progressão ejaculação;
desses fetos durante o o Égua: se dilata
parto.Antes do parto é facilmente, no estro estará
necessário que diminua a muito dilatado, fazendo com que
quantidade água para que não a glândula se abra e ocorra a
tenha estreitamento da via ejaculação intrauterina.
fetal dura.
o Equinos: cervix formada
por anéis longitudinais, fácil
de dilatar. Faz contrações
fortes que pode levar a ALTERAÇÕES CONGÊNITAS
lacerações cervicais ou
vestibulares. Necessário que se *Dupla Cérvix-
faça a identificação dessas verdadeiraXfalsa: uma cérvix
alterações para que se corrija para cada corno uterino (igual
o mais rápido possível. em coelhos), pode acontecer do
o Canino: corno uterino mesmo feto querer sair pelos
longo,cérvix difícil de dois orifícios, ideal fazer a
dilatar. Mas sem alterações na avaliação antes de colocar o
gestação. Vestíbulo vaginal da animal na reprodução.
cadela é mais desenvolvido. *Lacerações: acontece logo após
o Felino: comprimento dos o parto. égua é mais comum de
cornos uterinos é longo, cérvix acontecer por conta da potencia
sem alteração significativa das contrações. QUANDO SE
dessa espécie. SUSPEITA DE UMA LACERAÇÃO¿
*CÉRVIX: -tamanho do recém
nascido bastante grande, porte
o Cadela: tem um fundo de
do recém nascido, se houve
saco e abertura na vertical;
tração na hora do parto, se a
o Vaca, Égua: anéis
femea teve dificuldade no
cervicais tortuosos; parto, se houve algum tipo de
o Ovelha: anéis cervicais sangramento,tem que identificar
bastante tortuosos; de onde ta vindo o sangue.
o Porca: semelhante a
digititação,para que na cópula
-Fazer sutura logo após o tem a formação em ambos sexo.
parto, todas as estruturas Se houver lesão nos ductos que
estão dilatadas, para que não acontece o colabamento pode
aconteça cicatrização de formar cistos alongados no
segunda intenção e a cérvix fundo do saco vaginal.
possa não se fechar -Bartholin: se houver um cisto
adequadamente. na região do vestíbulo vaginal,
- se não se fechar se trata das glândulas
adequadamente pode acontecer vestibulares responsáveis pela
contaminação, logo endometrite lubrificação da vagina. Fazer
crônica.se o animal já teve o uma abertura significatica e
processo de cicatrização se faz fazer uma curetagem em caso de
o reavivamento dos bordos. recidiva, para que pare de
secretar impedindo novos
SE REGISTRA NO LAUDO:
cistos.
Metodologia do Relógio.

#VULVA:
#SEPTOS/ TABIQUES VAGINAIS:
Quantos mais resistente for o Égua: com maior
esse tecido maior o risco de capacidade de dilatar, evitar
ter um comprometimento na hora que ocorra dilatação do
do parto, se estiver períneo. Se romper o cria-se
estimulação por partes do feto uma fistula retro-vaginal. Para
durante o parto. Quando há não acontecer se faz uma
alguma alteração, se corta a episiotomia, incisão na
estrutura para conter a diagonal de um lado e de
hemorragia com hemostasia mais outro.cuidado com a CADELA TB
forte.
DESENVOLVIMENTO DOS CONCEPTOS E
ANEXOS
#ESTRUTURA CÍSTICAS
-Cistos de Gardner (ductos
mesonéfricos): pode levar ao  Desenvolvimento Inicial:
estreitamento dificultando o primeira divisão é clivagem que
parto, tanto macho quanto femea vai dividir em mitose. Essa
divisões ocorrem no oviduto até animal apresentará o ciclo
chegar ao útero. longo. Importante prestar
atenção nas datas de retorno do
Na mórula as células são
estro do animal, se tem um
totipotentes são células com
animal que retornou no
capacidade de regenerar
intervalo de 20-21 dias foi
individuo completos.vão se
dado como gestante e retornou
formando e ocupando espaço
em 42 dias após a inseminação,
perivitelínico provoca a
aconteceu q não foi observado o
ruptura da zona pelúcida.
retorno dos 21 dias. Mas se
Ocorrendo a exlosão desse
tiver um animal que retornou 35
embrião, entrando em contato
dia de inseminação, é
com o útero para que ocorra a
característico de que houve uma
sequencia do seu
perda embrionária precose
desenvolvimento.
fazendo com que esse ciclo
São fases criticas: estral fosse prolongado. Tomar
PRIMEIRA: ativação do genoma cuidado com 21,42-43 pois
embrionário para que ocorra a acontece uma falha no estro
sinalização embrio materna; desses animais.

SEGUNDA: eclosão do EQUINO: Se não houver a


blastocisto, saindo da zona fecundação do óvulo, não existe
pelucida a produção de prostaglandina-E,
 RECONHECIMENTO EMBRIO- que faz com que ocorra a
MATERNO: dilatação da junção útero-
SE o embrião não conseguir tubárica, o ovulo não fecundado
fazer essa sinalização o animal nem chega no corno uterino.
irá apresentar um ciclo longo. Se houver a fecundação, o
Ex: Embrião de bovino não embrião chegará no corno
consegue fazer a sinalição do uterino e irá secretar grandes
interferon-tal por volta do 15- volumes de estrógenos e vai
16 dia do ciclo, o animal vai acontecer a contratilidade do
ciclar dentro de 21 dias.Se útero do animal fazendo com que
houver essa sinalização e esse migre até 1/3 do corno contra
embrião não conseguir fazer seu lateral da ovulação,que é onde
desenvolvimento continuo, o se imagina que ocorre a
distribuição dos fatores
necessários para que ocorrer o mesma sobrevida, 60 dias de
reconhecimento embrio-materno, atividade, o que aumenta a
para que ocorra a produção de chance da cadela desenvolver a
prostaglandina pelo endométrio, piometra.
fazendo a lise do corpo-lúteo. Há dois momentos decisivos para
OBS: no equino ainda não é que o embrião possa sobreviver:
completamente elucidado quais
os fatores que concorrem para 1º- ativação do genoma para que
que se tenha a lise do corpo produza os fatores necessários
luteo. para sinalização embrio-materna
e as células se multipliquem de
Porca: existe uma derivação da forma adequada.
prostaglandina,também acontece 2º- capacidade de fazer a
uma grande produção de ruptura da zona pelúcida, se
estrógeno por parte do embrião, não conseguir não terá chance
se aplicar o estrógeno na porca de restabelecer essa gestação.
por si só não irá fazer com que
ocorra a manutenção da #Organogênese: indenpendente da
gestação. No caso da porca forma que ocorre a sinalização
deverá ter o numero mínimo de do desenvolvimento do embrião é
embrião para fazer essa similar. Terá o desenvolvimento
sinalização e também ocorre uma do embrião que é formado pela
produção normal da zona pelúcida.Dentro há o
prostaglandina, é diferente na blastocisto com células
porca: que a prostaglandina não iniciais e já começa a forma a
cai na corrente circulatória cavidade da blastocele,
não chegando ao corpo lúteo, as células da parte exterma são
nessa maneira ele será os trofloblastos são
preservado. São características necessários para fazer o
de abordagem diferentes em desenvolvimento dos envoltórios
diferentes espécies, mas sempre fetais.o espaço perivitelineo é
vai ocorrer manutenção do corpo preenchido rompendo a camada
lúteo. delgada.
Se houver embriões viáveis,
Cadela: é independente se tiver irão começar a desenvolver os
a presença ou não dos folhetos embrionários: quando
embriões,corpo lúteo tem a há a formação da endoderme,
mesoderme. O botão embrionário Polimelia: falha na divisão
que é responsável pelo gêmeos ou de membros a mais,
desenvolvimento do individuo em importante é o grau de
si. Mamíferos não tem vitelo dificuldade no parto.
propriamente dito. Amelia: não teve a formação de
A medida que há o um membro completo. Na
desenvolvimento das estruturas, obstetrícia pode identificar
se formas as pregas que que o membro esta flexionado
envolvem o embrião, e o saco Eschistossoma reflexo: defeito
vitelineo diminui. Ocorrendo o grave da formaçação da coluna
desenvolvimento da bolsa veetebral acompanhada pela
alontoide, principalmente pelas abertura da cavidade abdominal.
excretas do embrião, com fundo
renal. Há o fechamento para #ANEXOS FETAIS irão formar
cavidade aminiotica que terá duas bolsas completamente
contato direto com o embrião, e diferentes,
formará outra estrutura, o saco
alontóide que irá envolver a Imagem da placenta: cotiléducos
primeira bolsa, aminiotica. A estão justapostos as carúnculas
parte externa é o córion, é a no útero do animal. Dentro
porção da placenta, que entra estará o líquido alantóide.E
em contato com o endométrio que mais pra dentro tem a bolsa que
irá acontecer as trocas, é um fica em contato com o feto, a
tecido delgado. Alontóide é a bolsa aminiótica.
parte interna. Formando uma Parte externa: córiom= contato
estrutura chamada de cório com o endométrio, onde ocorre
alontoide. as trocas.

#VIABILIDADE DA GESTAÇÃO:
#Falhas no desenvolvimento
US: anexos fetais
Mola Hidatiforme: forma cistos
com líquidos, é o -Equinos: são bastante
desenvolvimento de um tecido acometidos de placentites, na
disforme, pode confundir com US pode fazer a medição da
rentenção de placenta. espessura desses envolvotórios,
determinando se estão mais
espessados na altura da cérvix POIS DIFICULTA A PASSAGEM DO
é característicos de que existe FETO
um edema, há uma inflamação. O Bolsa amniótica
líquido alontóide é um líquido Bolsa alantoide, é
límpido, imagem bem escura. a primeira que se rompe
(liquido escuro por tingido por
O líquido amniótico é bem mais
sangue e urina fetal)
viscoso apresenta maior
ecogenicidade, a medida que a
gestação avança.
Se as estruturas estiverem
soltas e boiando é
característica de uma gestação
perdida. Bolsa amniótica=interna
Ruminantes: branco azulado
Equideos: cinza-claro ou
#Anexos Fetais azulado
*Bolsa Líquido VISCOSO
alantoideana=externa, contato Secreção dos folhetos
com o endométrio através da amnióticos
porção chamada de CÓRION. Saliva, secreção
nasal e urina (via uretra)
Relativamente escura
Pelos, células
com reflexos azulados
epiteliais
Líquido aquoso= urina “mecônio”- se o
fetal (via úraco) feto estiver em estresse fetal
FUNÇÕES DURANTE: irá defecar.
FUNÇÕES DURANTE:
1. Gestação: Proteção 1.GESTAÇÃO: Proteção
contra choques mecânicos, contra choques mecânicos
fazendo o deslocamento do feto Movimentação
antes que a causa o atinja. fetal
2. PARTO: Dilatação da
cérvix, através de uma Preenchimento do trato
atividade física. NÃO PODE digestório, a maior parte do
ROMPER ESSA BOLSA mecanicamente líquido ficará no estomago do
feto. O rumem e o abomaso do
bezerro retem esse liquido, justapõe a abertura
quando auxiliam um bezerro a
cervical interna, nesse
respirar esse liquido sai pela
boca e pelas narinas, ISSO NÃO ponto a placenta deveria
FACILITA A RESPIRAÇÃO, pois as estar se rompendo e a
alças intestinais comprimam o parte interna está
diafragma.Beber agua do parto
voltando para fora. SE
ocorre em toda gestação, o
problema é quando tem alguma NÃO ACONTECER ESSE
deficiência no aporte sanguíneo PROCESSO DE FORMA
e SN ocasionando uma lesão ADEQUADA, a placenta se
cerebral.
descolou do endométrio =
Mecônio: não tem colonização
bacteriana, o problema é o EMERGENCIA, abri a bolsa
estresse que afetará a rapidamente terá grande
oxigenação. chance desse potro morrer
2.PARTO: Lubrificação das
com hipóxia e anóxia.A
vias fetais moles, qnto mais
demorado o parto menos placenta irá morrer
lubrificação fisiológica irá naquea região.
ter.
O NORMAL é a parte interna da
ATENÇÃO: No Momento do parto placenta ser branco-azulado
a placenta deve se romper e
sair invertida. FISIOLOGICO
Descolamento Prematuro da #AMNION: Placas Epiteliais:
placenta (red bag)em Éguas todas são estruturas de
que passam por indução do parto maior aumento (parece
por meio de prostaglandinas a alteração fungica).
Bolsa ficará vermelha de #CORDÃO UMBILICAL: região
aspecto aveludado mais próximas do animal
(CÓRION), haverá uma semelhante a papilas
estrutura avermelhada em #Bolsa Alantóide: equinos-
HIPOMANE. Bovinos-BOOMANE,
forma de estrela, STAR,
são estruturas amorfas e
que é a porção que
achatadas em áreas seja suficiente e ele ceda no
pequenas, com estruturas de fundo desse útero, ocorrem em
células e sais. São achados 100 dias de gestação. A maioria
desses fetos vão apresentar a
normais.
cabeça voltada para cérvix e o
#Cordão umbilical. dorso para o fundo do útero,
Alanto-âmnio+alanto- chamando de dorsopubica. O
córion+vasos umbilicais. cordão umbilical há inúmeras
SANGUE COM OXIGENIO=artéria circovolucoes, se forem muito
SANGUE COM GAS CARBONICO= intensa podem levar ao
veia estrangulamento fetal e a perda
do feto.
CIRCULAÇÃO FETAL
Dentro da circulação fetal: da
A veia umbilical carreia placenta até a veia umbilical
sangue com maior oxigênio terá a entrada na região do
As duas artérias fígado, forma o ligamento
umbilicais: carreiam sangue falciforme. O sangue rico em
com alto ter de gas oxigênio chegará ao coração
carbônico. pelo lado direito, irá para o
O uraco vai passar pelo ventrículo direito, e iria para
o pulmão, SO QUE, esses pulmões
cordão umbilical drenando o
não estão ativos, estão
conteúdo para a bolsa utilizando oxigênio e energia
alantóide. para multiplicar as células.
QUEM FAZ O SUPORTE DE OXIGENIO
*Em ruminante a diferença de É A MÃE E NÃO O FETO. No caso o
aderência entre as bolsas de sangue sai do ventrículo e
alantóides e a aminiótica, desvia para a câmara do lado
determinando que o feto não esquerdo, retornando para a
gire no útero da femea. circulação geral.Esse sangue
tem teor de gas carbônico mais
*No equino não existe a elevado. Nas artérias
ligação, o feto e a bolsa umbilicais haverá as trocas
aminiotica podem girar gasosas liberando gas carbônico
livremente dentro do útero da e absorvendo oxigênio.
femea ate que o peso do feto
Após o nascimento terá o
fechamento do forame oval e do
shunts, determinando a grande e
pequena circulação.
Há presença de um sopro na
auscultação do recém nascido,
característico da contração
retornando o sangue do lado
direito para o esquerdo.

TROCAS PLACENTÁRIAS:
-Difusão simples
-Difusão facilitada
-Transporte ativo
-Agentes anestésicos: irão
deprimir o feto.

TIPOS DE PLACENTA:
-Não contato do sangue materno
com o fetal, qndo há cria uma
memória imunológica da femea
para as próximas gestações.
Endotéliocapilar /
endométrio
tecido conjuntivo /
tecido conjuntivo
epitelio coriônico /
endotélio do cap. Materno

Outra forma de classificar é


por meio do:
-Padrão das vilosidades
coriônicas
DIFUSA: suína: cada um dos

rca: toda a superfície placentaria mantem contato com o endométrio


das as estruturas da placenta são mantidas,
acenta se desliga , facilidade de regenerar o útero para prox.gest
ua: pequenos aglomerados, não gera perda, característica gera cio
potro, antes de involuir o ultro pode estabelecer nova gestação
minantes: igual aos anteriores .não gera perda no parto

rnivoro:vilosidades em pequenas áreas formando um anel,a perda de


a das camadas e precisa de um tempo maior para recuperar o utero
lher e macaca: ele não falou nada

leitões terá sua placenta,


Classificação de
extremos necróticos.
barreira é importante
Vilosidades distruibui por toda
para saber Qual o grau
a placenta realizando as
de imunidade q ira
trocas. Cada placena se liga ao
passar para o feto
corno uterino e o cordão
umbilical se liga na plancenta,
EpiTÉLIO CORIAL: elas são eliminadas como se
todas as seis camadas são fosse uma só.
mantidas-suinos,equinos e
ruminantes
Égua: microcotileducos, em toda
Endoteliocorial: profundamento estrutura placentária. 35-45 se
do contato dos envolvotórios forma os cálices endometriais
fetais aproximando da ECG e acessórios para manter a
circulação sanguínea. Passagem gestação
de defesa para os fetos.
HEMOCORIAL: mergulhado no
Carnívoros: forma um anel, com
sangue materno, descolamento
pequenos sangramento com
placentário.
piguimento verde após
nascimento, se for antes do
nascimento dos filhotes quer
dizer que houve um descolamento dos 45 dias de gestação, onde
da placenta.causa lesão no vai identificar esse útero na
endométrio após o parto terá cavidade pélvica com pequena
sangramento, cuidar com a assimetria do corno uterino,
diminuição dos glóbulos podendo palpar a vesícula
vermelhos. aminiótica e presença do corpo
lúteo lateral.
60 dias: se faz a palpação do
Primatas: disco no fundo do
feto, demais sinais presentes.
útero, midação: o embrião cola
no endométrio 90 dias; o peso do útero força
a descida para cavidade
Ruminantes: cotiledonaria:
abdominal e o feto está no
passagem de algumas seres de
tamanho de um rato.
oriegem fetal, são binucleadas
responsável por secretar a 120 dias: frêmitos da artéria
proteinaB, que pode ser usada já é permitido, ao ser palpado
no diagnostico de gestação. Ela sente uma vibração.
permanece após o parto por 5 mês de gestação: o útero
longo tempo, não é eficiente. A estará no fundo da cavidade,
placenta forma a união coma difícil de alcançar o feto.
carúncula de forma convexa. Exame de confirmação é a tração
Cotiledonária forma como se da cérvix contra o assoalho da
fosse uma luxa, em carpinos cavidade pélvica e o frêmito
elas são pigmentadas, ligação das artérias uterina médias.
na parte interna, côncava. 6 mês de gestação: feto ocupa
espaço projetando-se contra a
cavidade pélvica sendo mais
#Diagnótico de gestação fácil de fazer sua
-Determinação da idade identificação, dispersando a
gestacional: realização de outros exames
complementares como tentativa
SISTEMA ALEMÃO: da palpação do ovário, com
posicionamento do útero na
certeza o corpo lúteo estará
cavidade pélvica e abdominal
presente.
tratatando dos volumes e
assimetrias. Se faz a partir
A precisão do mês de gestação se der condições pode
vai caindo apartir do 6 mês. sobreviver
Maturo: gestação a termo
SISTEMA AMERICANO: Busca com condição de sobreviver
uma forma mais específica Hipermaturo: ultrapassou o
de fazer a determinação da período normal de gestação,
gestação. Usando a escala altera o SNC e falhas no
de 1cm por dedo,medindo o desenvolvimento.
diâmetro vesícula
aminiótica, correspondendo
os dias de gestação. Com o *Aproximação do parto:
passar da gestação mão é
-Maturação SNC-hipotálamo-
mais possível realizar a
responsável de identicar o
medição pela vesícula,
nível de estado de
então passa a medir A
maturação
cabeça do feto com os
dedos.4 meses com a mão -Aumento na atividade de
inteira. enzima hepática
neoglicogenicas-
US: diagnostico precose,
mede a nuca até a primeira -Acúmulo de gordura marrom-
coxigena. Gestação mais mitocôndrio e energia em
adiantada se faz a temperatura baixa
avaliação e identificação -Acúmulo de surfactante
do sexo, determinar a idade pulmonar- em fetos imaturoa
a partir de ossos, diâmetro terá a dificuldade de
da orbita ocular realizar as trocas gasosas.
-Hormônio da tireóide-
MATURAÇÃO FETAL órgãos funcionam de forma
adequada
Imaturo ou Prematuro:
dificuldade de sobreviver, Durante a gestação
Ph-CaCO3- avaliar glanduras de saponificação dos
mamarias surfactantes pulmonares)
Amniocentese: coleta de Shake test= L.A + etanol
líquido, avalia a 95%+ AGITAÇÃO 15 SEG= 15min
concentração de sulfactante avaliação tempo de duração
pulmonar nesse do halo de bolhas.(esse
organismo.sem que coloque a halo é característico da
vida da femea em risco. maturidade do individuo)
Tap test= L.A + éter
Prematuro: Pequeno tamanho dietílico+HCL
ao nascer, pelagem mais Imaturo
curta, não tem reflexo de Maturo
sucção, dificuldade com
termorregulação baixa de TESTE DE CLEMENTS= L.A
gordura marrom, +etanol 95% em diferentes
diluições +agitação 15seg=
Hipermaturo: peso normal 15min avaliação tempo de
ou aumentado trazendo duração do halo de bolhas.
dificuldade ao parto,
cobertura pilosa mais longa
no cordão umbilical, tem GESTAÇÃO INTERROMPIDA
limitações pela falha do
*Peso fetal-se esta de
SNC. DIFICIL DE RESGATAR
acordo com a especie
ESSE INDIVIDUO,caso de
cãozinho único permanece em *Comprimento fetal
um período maior (KARINE) (occipital-1º coccígea)
*Presença e comprimento dos
pelos: olhos, calda,
TESTE DE MATURIDADE
membro, região umbilical,
PULMONAR
orelhas.
Líquido Amniótico= teste do
menisco de bolhas (reação
*Desenvolvimento e posição
dos órgãos: se o testículo EM SUINOS 2 DIAS antecipado
esta na bolsa escrotal. já corre risco de perda.
O período de gestação na
SUPERFECUNDAÇÃO: numero de vaca pode variar de 270-290
óvulos maior que o normal dias, entretanto, a media é
e/ou machos diferentes de 283 a 284 dias. Para
(cadela/vaca) calcular a provável data do
SUPERFETAÇÃO: óvulos de parto pode-se empregar a
diferentes ciclos: duas seguinte formular:
coberturas com intervalo de A partir da data de
15 dias cobertura subtrair 3 meses
e adicionar 14 dias.

Duração da gestação: (=a adição de 284dias)

Ovelha: 140-159 Ex.: IA EM 12.04.19

Suínos: 114, mais curta (4-3=1) MÊS DE JANEIRO


mais prematura (12+14=26) PARTO EM
Caes- 60-63 26.01.20

Gata: 56-65 siame 63-69 70% DAS EGUAS MANTEM UM

Coelho: 30-32 PADRÃO

Roedor 7-13
Elefante 615-650 Interrupção de gestação:
HOLANDES: 280-264 PERIODO Equino: características
MINIMO 270 EM VACAS dos níveis hormonais na
ATENÇÃO NAS RAÇAS E égua: Progestagenos são
LINHANHES bastante elevados na fase
inical, depois uma queda
com o aumento dos níveis corpo luteo, fazendo com
de estrógenos. Qual o que cicle novamente.
problema que levará a uma FEMEAS NA FASE FINAL DA
interrompição¿ o ESTAÇÃO REPRODUTIVA: se
diagnostico de uma fizer germinação ela pode
gestação gemelar, é ter dificuldade de
interrompidas por uma emprenhar, passando um
falha no desenvolvimento ano sem poder gestar.
de uma das vesículas pq
não existe um espaço No inicio da estação
adequedado. Se for reprodutiva pode
biveterino elas estarão conseguir um semem,
em contato em uma área de eliminar os dois e tentar
tamanho variado,qnto de novo.
maior for a área de Pode tentar fazer
contatos dessas placentas restrição alimentar, faz
maior serão as trocas com com quea vesícula menos
a femea e levara a morte viável seja absorvida,
dos fetos. existe o risco de perder
VAMOS SUSPEEITAR QNDO: as duas. Pode trazer
for de grande porte, problemas.
quando tiver doios Pode fazer a
folículos se restrição física, até o
desenvolvendo e folículos 16 sexto dia de gestação
ovulando, risco de pode deslocar a vesícula
gestação gemelar. AS manualmente, ate a
FORMAS DE ELIMINAÇÃO: com extremidade do corno.pode
prostaglandina, lise do provocar a perda da
outra.
vaca é polestrica
FEMEA EM FASE continua. Pode
MAIS ADIANTADA DA interromper gestação com
GESTAÇÃO: através de prostaglandina até 120
aspiração pela US, se o dias de forma segura,
feto for mais adiantado aplica mais de uma dose,
se aplica o produto na apartir de 120 há a
câmara cardíaca ou fz formação de
tamponamento com progestagenos.
penicilina, morrendo o Esmagamento por via
feto, mumificando, retal, quanto mais cedo
sobrando o outro. menor vai ser o problema,
OU abre a cérvix para a ligação da placenta com
elimar a gestação. o útero vai ser menos
solida.
Mais adiantada se faz a
indução do parto, aborto. Ou de forma acidental com
femeas gestante ocorrendo
Se aplicar ocitocina ela o abordo traumático.
faz epulsção,
prostaglandina é mais FORMA DRATICA É COM
agressiva,SÓ EM CESARIANA, SÓ em femea
INDIVIDUOS COM SITUAÇOES com risco de morte,
CLINICAS. Risco de antes se faz uma indução
laminite. do parto, prostaglandina.

EM BOVINOS: não tem


estação de monta tão OVELHAS: prostaglandina
marcada como na égua, ate 50 dias de gestação
Glicocorticooides: Cloprostenol-sinttetica
dexametasona 16mg IM// mais forte)
Betametasona 10=12mg IM. Efeitos colaterais(pré-
EM ANIMAIS COM TOXEMIA DE medicação=sulfato de
GESTAÇÃO, interrompendo atropina)
gestação
Dinoprost=25ug/kg BID OU
Em femeas com condições TID 4-7 DIAS
ruim se faz cesariana.
d-cloprostenol= 2,5 ug/kg
intervalo 48h/>4DIAS
CABRA: corticoide, -Antiprolactinicos
estradial em altas doses. (>30dias)em piometra, a
Prostaglandina ou análogo prolactina faz a
em quaser fase. atividade do corpo luteo,
caindo a progesterona
CADELA: estrógeno causa circulando, faz a lise no
mais risco para cadela corpo luteo

ANTIPROGESTAGENOS (>25 (bromocriptina e


DIAS) ocupa os receptores cabergonina )= PO,IM OU
de progesterona, mas não SC/ 6-10 dias
bloqueia a contração Usa o antiprogesteronico,
-aglepristone depois prostaglandina e
10mg/kg/dia/2dias ultima alternativa;

Leteoliticos (>25 DIAS ) *Dexametasona >25 dias


0,4mg/kg/dia 7,5-10=
Prostaglandina absorção/aborto (efeitos
(Dinoprostx D- colaterais-
anorexia,poliuria, Hérnia abdominal com a
poilidipsia). presença do útero ou
corno uterino através do
anel herniário. Se for em
alça intestinal irá ouvir
borburinho.

 GESTAÇÃO MÚLTIPLA
PATOLÓGICA; Maior que 3.
Os ovinos tem algumas
linhagem que aportam um
número variado de fetos
pelo gene Burula, Acaria.
Até três fetos é comum de
encontrar na espécie
PATOLOGIAS DA GESTAÇÃO ovina.
 Gestação ectópica: O que pode causar o
embrião não é captado número supranumerário de
pelo útero, SÓ EM fetos quando não se tem
PRIMATAS. Não ocorre em essa adaptação
animais domestico por genética¿ Os tratamentos
causa da Bursa ovariana hormonais através de
bem desenvolvida. gonadotrofina coriônica
bovina quando são muito
elevadas.
 HÉRNIA ABDOMINAL X Nos bovinos-até dois é
GESTAÇÃO ECTÓPICA-o mais fisiológico, se for mais
próximo que irá encontrar a perda é significativa,
pode trazer lesão nas folículos que podem ou
fêmeas, e o indicativo de não ovularem nesse ciclo.
volume pode trazer lesão Se ovularem haverá uma
na fêmea. Aplicação de gestação gemelar que é
hormônios pode provocar uma gestação de risco.
uma superestimulação: Ecg DG precoce= confirmação
e uma Iatf, ou uma dose DEVE SER DIAGNÓTICADA DE
de FSH na tentativa de UMA FORMA MAIS PRECOSE
uma coleta de embriões POSSIVEL! Para diferir de
não foi bem sucedida, por cisto endometriais. Se
exemplo: não foi feita o for cistos ele estará no
procedimento de lavagem mesmo lugar, que pode
uterina correta, não fez impedir a passagem d o
a coleta de todos os embrião para o corno
embriões, e não se uterino, fazendo com que
aplicou uma a gestação não avance.
prostaglandina pra elinar
a falta de prostaglandina Gestação gemelar é
nesse ovário. difetente de cistos
endometriais. No caso da
 Gestação mútipla gestação vamos ter a
movimentação do embrião
patológica:
pelo útero para que
2 folículos: em é éguas aconteça o processo
grandes durante o embrio-materno, observado
controle da fase estral, em momentos distintos do
para determinar o aumento exame. Se tem a presença
da inseminação na fase de um cisto ele estará
estral, se observa a presente no mesmo local,
presença de grandes impedindo que o cisto
avance em ocasiões camadas musculares, muito
especificas. doloroso, o tratamento é
sintomático fazer uma
bandagem abdominal para
Ruptura do tendão pré- que a musculatoria dorsal
púbico: é um tendão que dê suporte para abdominal
liga desde a região do para gerar conforto.
púbis até a extremidade
external da cavidade
abdominal, o abdomem cai, PERDA GESTACIONAL
com animal com bastante Precoce- MORTE
dor, no momento do parto EMBRIONÁRIA- antes da
dificulta a contração conclusão de
para o parto vaginal, tem diferenciação e
que fazer cesariana. A placentação pode fazer a
possibilidade de um -US identificando em 21
tratamento dias os batimentos
superovulatório do cardíacos para determinar
embrião na tentativa de se o feto ta vivo ou não;
recuperação das -Avaliação dos anexos
estruturas e o erro de fetais, presença de
não fazer a aplicação da volume adequado, adesão
prostaglandina após a dos anexos a parede do
aolicação da coleta. útero.
Se houver o descolamento
DESGARROS MUSCULARES: da placenta descolando do
excesso de peso provoca a útero, mesmo com
laceração da musculatura, batimento cardíaco, é o
com sangramento entre as sinal de uma gestação
comprometida.Avaliar a temperaturas,principalmen
ecogenicidade do líquido te qndo vão vacinar.
alantóide deve ser Infecciosa:
anecoico. Iatrogenica: aplicação de
MORTE FETAL corticoide que leva a
indução de parto
 Aborto: eliminação prematuro.
do concepto vivo ou
morto, se for vivo não  Mumificação; morte
irá sobreviver, do feto com a sua
corrimento sanguinolento rentenção sem
e está ocorrendo um contaminação
processo de dilatação bacteriana.Quando há a
cervical.se fizar uma US limitação de espaço entre
encontrará o útero em essas placentas,um dos
processo de involução e fetos irá receber menos
sem conteúdo no seu oxigênio sofrendo o
interior. Na fase precose processo de mumificação.
a ligação da placenta com  Diagnóstico em
o útero ta menos bovinos: histórico
consolidada. completo do animal, irá
 Causas: encontrar um útero
Acidentais: cordão reduzio de volume com
umbilical torcido conteúdo firme no
Hipóxia: femea sofrendo interior sem líquido sem
anemia-tristeza a presença de um corpo
parasitária bovina lúteo que está mantendo o
Hipoglicemia: reunião por conteúdo dentro do útero,
longo tempo em altas a progesterona mantem a
cérvix fechada. Na US a múmia cai no canal
encontrará uma estrutura vaginal e entra em
ecogenia sem a presença contato com bactéria e
de líquido no interior. sofre putrefação.
Classificação dessas  Casos atípicos,
múmias é classificada quando não é rsponsivel a
como papilacia, só uma prostaglandina se
hemácica... faz o uso de estrógeno,
 Prognóstico: quando pode usar pq não existe
não há infecção indica contaminação nesse
que as glândulas caso.OU fazer remoção
endometriais estão cirúrgica.
preservadas, ao eliminar  A mumificação pode
o conteúdo a o identificar casos de
restabelecimento de Freemartinismo,(quando a
gestações normais, se for placeta de dois fetos de
um animal que tenha sexos diferentes ocuparem
recidiva considerar os mesmos placentonios)
descarte da reprodução. sem o histórico deter o
 TRATAMENTO: PGF2a gene macho. Gestação de
para fazer a lise do uma femea e a morte por
corpo lúteo, para que o mumificação de outro
útero retorne a macho que passar
capacidade de contração; desapercebido.
remoção do canal vaginal  Origem infecciosa,
48h após, por palpação viral, problemas
retal ou via vaginal. sanitário em suinos
Tamanho de 3-4 meses. SE
NÃO ELIMINAR O MATERIAL,
 Maceração:processo endometriais não há o
crônico, morte do feto, restabelecimento da
com abertura da cérvix, gestação.
como rentenção associado  Tratamento: aplica
a contaminação. Resta prostaglandina aumenta a
apenas a parte óssea.Um defesa e antibiótico
processo agudo que passou parenteral para diminuir
despercebido carga bacteriana, pode
 Historico: tentar retirar o conteúdo
confirmação de gestação e mas existe risco de
não evoui e não cicla, agravamento. Só de faz
útero com o volume tratamento se for de alto
reduzido e parede valor genético.
espessada em função do  Suínos ; houve
processo inflamatório, na comprometimento na
palpação a crepitação questão sanitária desses
óssea. PRESENÇA DE CORPO animais
LUTEO, presenste no HIDROPSIAS
ovário em função da
destruição das glândulas  Envoltórios fetais:
endometriais em pela ação  Edema (placentite)-
das bactérias, não principal em equinos pode
havendo glândulas cauaa da cérvix que é
endometriais produzindo fácil abertura e parto
prostaglandina. agressivo. Se observa um
 Prognostico: enchimento prematuro das
desfavorável e glândulas mamárias, é um
reprodutivo, não havendo sinal que ocorreu algum
mais glândulas erro de alteração dos
níveis hormonais Égua com a gestação de
circulantes. Acaba risco com fluidoterapia
apresentando um acumulo na região do abdomem do
de fluido no seu animal para fazer o
interior. Na avaliação acompanhendo de como se
ginecológica usa US- comporta o feto,
para avaliar a espessura mobilidade, avaliação o
dos envoltórios fetais volume de liquido e
próximo a cérvix que é tratamento suporte.
onde vai ocorrer a Hidropisias: aumento de
contaminação ascendente. volume do abdomem- semrpe
Se houver uma coleção de fazer diagnostico
liquido na região é diferencial (timpanismo é
indicativo que o animal bilateral)- para
ta desenvolvendo uma difenrenciar dos dos dois
placentite e a gestação se faz uma punção. Se for
se torna de risco. mais liquido. Percursão
-Tratamento deve ser com sinal característico
sintomático eliminando a de ascite,na palpação
ação do agente, com bastante liquido sem
antibiótico terapia, impedimento.
antifúngico, hidratação Hidroâmnio- menos
para controlar. Se a frequente, menor volume
cérvix estiver aberta se de liquido abdominal,na
faz uma cerclagem pra punção é um líquido mais
reduzir a possibilidade viscoso- Esta associado a
de penetração de uma teratogenia, fetos
contaminantes no útero. buldog alteração
craniana.
Equinos com má formação final se faz um
craniana tratamento conservativo,
 Hidroalantóide- cateterizado do útero
mais frequente, maior pelo flaco ao lado
volume de liquido direito, com bloqueios,
abdominal, na punção é um faz a drenagem lenta pra
liquido tipo urina, sofre não ocorrer um choque
desidratação, sem se hipovomico, se o animal
alimentar. apresentar uma retomada
Placenta adventícia que do volume desconsidera a
forma cotilecducos desrupição da gestação. E
acessórios que tem pontos a condição clinica for
de ligação coma prejudicada e tiver que
carúncula, menos fazer a drenagem varias
gravidade do quadro. vezes, se faz o uso de
-Equinos: mais frequente, corticoide pra induzir o
tem uma placentação parto, dependendo da
difusa idade.
microcotiledonaria, EQUINOS: intervenção
alteração no cordão sintomática com bandagem
umbilical, no aborto ou pra não romper tendão pre
após o parto. púbico.
Na US- modo B quantidade
de liquido maior que o  Fetais:
esperado  Hidrocefalia-
- BOVINO: granulação nas aumento do volume na
parede do útero, aumento cabeça do feto que pode
BILATERAL. Caso a ocorrer uma distocia,
gestação esteja na fase quando quadros avançados.
 Ascite- origem avançada e perda de
cardíaca ou origem condição corporal tb
hepática, dependendo do influencia. Existe
volumen do do abdomem. relatos de casos que
Pode fazer um parto ficam deitados em um
vaginal ou drenar o anglo que força a
conteúdo, tras cavidade pélvica exponto
dificuldade ao parto da vagina.
 Anasarca- edema Classificação em 4 graus
generalizado. específicos:
O teto ou o
PROLAPSO DE VAGINAL assoalho da parede da
Alguns fatores vagina fica exposto no
desencadeantes: aumento ambiente, há o problema
da pressão abdominal, de contaminação com a
animais que já tem troca de temperatura e
predisposição tenham percebido como um corpo
maior flacidez de tecido estranho ocorrendo o
vaginal e ocorre a tenesmo;
exposição, na fase final O tecido vai estar
da gestação a o aumento exposto em animal com
do rumem por causa da decúbito como estação;
baixa alimentação do III- Exposição da cérvix
animal, o feto em direção vaginal o volume é
a cavidade pélvica exposto e chama atenção.
acentua o estimulo e Sempre quando há
acelera o processo de necrose
prolapso. A idade
Perguntas sobre a faz intervenção menos
propriedade em geral cruentas com o usos de
Definição da ação limitadores da rima
vulvar, muito cuido ao
-Gestante maior casox usar as faixas que irão
não gestante provocar o fechamndo da
-Cévix fechada maior vulva. Pode falhar por
caso x aberta, se estiver conta desse cuidado
faz o trabalho de parto continuo. Ou pode fazer
uma vulvoplastia, com
técnicas de CASLICK- para
CRITÉRIOS DE ELEIÇÃO DO a redução da rima vulvar,
MÉTODO DE RETENÇÃO impede que a vagina saia
1: para foram.
-Intensidade da contração No 1 grau a vagina tende
-Disponibilidade de a evoluir por conta desse
atendimento- em caso de tenesmo que é provocado
parto pela alteração de
-Acessibilidade em caso circulação sanguínea,
de recidiva temperatura e
2: contaminação.
=Grau de contaminação da Em situações mais graves
sutura se faz a Colpectomia
-Grau de lesão tecidual parcial- remove parte do
(cruencia) tecido que ta sendo
exposto, cuidado pra não
Um animal com prolapso lesionar a uretra.
vaginal de 1 ou 2 grau, Grande maioria vai ser o
femea não gestante, se prolapso de 3 grau-
presença da cérvix Se faz a epidural para
exposta,o tecido pode ser cortar o peristaltismo do
recuperado com animal para que consiga
reavivamento. fazer higenização
completa sem que o animal
Quando se tem a cérvix defeque, se faz a
aberta que pode ser suspenção do tecido
evidenciada pela prolapsado por causa de
dilatação completa da uma drobra e evita a
cérvix ou exposição dos passagem da urina.
envoltorios fetais- se Localizar o divertículo
faz o parto. Quando a uretral e liberar, ou se
prolapso na hora do parto faz a canulação com sonda
não se faz bloqueio de foley pra esvaziar a
anestésico com epidural bexiga, reaviva as lesões
pq se corta o auxilio na com fio absorvível.
contração, Reduzir o edema- conforme
o tempo passa a
Quando se tem o tampão musculatura do vestíbulo
mucoso isolando o vaginal vai comprimir
ambiente uterino, se faz esse tecido ele vai ter
a reintrodução do uma dificuldade de
material pra posição retorno venoso, usa agua
fisiológica para que o gelada para auxiliar na
parto ocorra. redução. Se faz a
Se faz a anamse, bandagem com plástico
contenção, exame clinico para proteger a muscosa,
geral, exame especifico. a bandagem é no sentido
caudo cranial, em
prolapsos tubulares é altura do tendão pré
mais fácil. Comprime o púbico- o fato de fazer
fluido pro corpo da esse procedimento a cegas
femea. Nos prolapso mais corre o risco de alcançar
globosos se usa açúcar estrutururas indesejável-
pra ajudar a desidratação sutura ou fixação da
e contra agentes. Após bexiga com o risco de
isso se usa as técnicas: estrangulamento de um
-Boot lace ureter. Como vantagem,
technique: tipo cadarço, não precisa de auxilio ao
usa agrafes, essa fita parto- cérvix dilata e o
ficará externa a vulva. feto saira livremente-
Quando um animal não se não terá contaminação pq
faz contrações muito os pontos são internos. O
forte, pode contaminação prolapso vaginal é
média por causa do decorrente de uma
acumulo de fezes, ajuda fragilidade do animal.
se usar unguento. -MINCHEV-
-Cervicopexia- tamanho da agulha tem que
winker technique, ser compatível com o
procedimento a cegas tamanho da musculatura da
pegando o fundo do saco garupa. Usa rolos de
vaginal, se fará a gases como capton mas
fixção da pelve no acaba formando uma
assoalho da cavidade vaginite- melhor
pélvica, será realizada substituir por plástico.
em um procedimento feito Se usa um capton com 3
à cegas no fundo do saco orificios- se introduz
vaginal, ficará fixado na dentro do conduto vaginal
do animal cuidado pra não perfuração no períneo e
transfixar o reto e algum a até baixo da vulva, tem
vaso. BAIXA CONTAMINAÇÃO- que ser por dentro da
se aplica ungunto e musculatura do lábio da
antibiótico. Os cuidados: vulva, puxamos o fio para
com vasos calibrosos, baixo. Se passa a agulha
deve se desviar o reto, pelo outro lado da vulva
pode passar um especulo. saindo pelo mesmo
A transfixação é orifício e puxando para
unilateral para não baixo, se fecha os
transfixar o reto e reter orifício com ponto
as fezes. Ocorrera que a isolado simples. Usa
cérvix irá se aderar ao antibiótico intramamario
teto da na fita- se faz um nós
cavidade.recomenda-se simples e uma abertura
excluir esse animal da com 3 dedos.
reprodução. Classicado como alta
-Sutura de Buhner: usa capacidade de rentenção,
agulha de Gerlach- tem um tem que ter atendimento
orifício na ponta, ao parto e deverá
BISTURI, uma fita de desmanchar o nó e retira
algodão ou material a fita. Os problemas
sintético, material podem ser do animal não
sintético. Com essa conseguir abrir por a
técnica ira reduzir o vulva permanecer
vestíbulo vaginal, não se fechada,pode acontecer a
fecha os lábios da ruptura do tecido
vulva.causa menos lesões formando uma fistula teto
e falhas. Fará uma vaginal. Se tem uma médio
contaminação das fezes e  Desvios de Técnica
a cruencia é de média a  Torção uterina:
alta dependendo da vulva. fica suspenso pelo
-FLESSA: usa os pintos de ligamento largo que se
flessas, se tem um pino- fixa ao teto da
para trafixação do tecido cavidade.Em algumas
retira esse capto ou essa situações o útero gira em
rosca. Na pratica se usa torno do seu eixo, quando
uma nacula. Para melhorar se faz a palpação sente o
a captonagem se usa ligamento largo no
placas- para fechar o sentido cruzado no útero,
vestíbulo vaginal. Os indicando uma torção no
pinos devem ser removidos sentido horário.
para o parto. -pode causar torção; a
forma como o animal
--FLESSA MODIFICADO: usa
levanta, o relevo do
fio de nylon captonado,
terreno.
risco de tracionar o fio
o Diagnóstico: se o
impedindo que ocorra a
elinação adequada da animal vai apresentar
urina. dores abdominais
semelhantes a cólica.
Recomendações: parto Deverá fazer um
dever acompanhado para diagnóstico diferencial.
reverter a técnica e pode o Torção de 90 graus
acontecer uma laceração, até 360 graus, quanto
o animal deve ser mais grave for a torção
removido da reprodução maior vai ser o problema.
PATOLOGIAS DA GESTAÇÃO Provoca o estancamento da
artéria uterina média,
perdendo a viabilidade do distendido sobre o útero.
feto. A torção pode ser Tem que saber pq ajuda a
pré cervical ou pós corrigir a torção e não
cervical. agravar
o Em torção pós o Primeira coisa que
cervical se encontrará tem que saber se a cérvix
sinal de torção no ta dilatada ou não, se
conduto vaginal. Pode tem acesso ao feto ou
fazer palpação por via não. Se tiver acesso ao
vaginal ao introduzir a feto usará como ele como
mão não conseguirá chegar ponto de fixação do útero
no fundo do saco vaginal, para fazer com que ele
existindo pregas na retorne a sua forma
parede da vagina inicial, isso depende do
conduzindo a mão no espaço disponível e da
sentido horário ou força pra realizar o
sentido anti-horário de procedimento. Pode fixar
acordo com o lado que no flaco do feto fazendo
aconteceu a torção do o movimento de rotação
útero. Se confirma fazendo com que
através de uma restabeleça o
vaginoscopia. funcionamento do útero.
o Se tem um torção no Quando não tem força pra
sentido horário o fazer o movimento ou se a
ligamento do lado femea estiver deitada: o
esquerdo estará veterinário faz a fixação
distendido sobre o útero. do feto enquanto
No sentido anti-horário o auxiliares giram o
ligamento direito estará animal, qndo o animal
completar o giro o útero o Se não tiver
estará em condição sucesso no procedimento,
fisiológica novamente. se faz uma laparotomia
o MÉTODO DE SHAFFER; realizando a cesariana,
quando não tem dilatação tem um risco de morte do
cervical, não tem acesso animal por conta do tempo
ao feto para utilizar e grau de torção. Se
como ponto de fixação. ocorrer a torção pré
Ex: ligamento do lado cervical no corpo do
esquerdo útero não se tem condição
distendido,torção no de fazer a palpação
sentido horário, se abdominal- se faz a
coloca o animal em palpação por via retal.
decúbito lateral para o
lado direito, exerce uma
força sobre o abdomem
fazendo com que o útero CONVENÇÕES OBSTÉTRICAS
permaneça parado,girando
o corpo do animal. Se não
funcionar repete. Em São termos aceitos por
equinos tomar cuidado em todos os profissionais
gestação avançada e para realizar um laudo.
condição clinica da Apresentação: relação
femea, animal tem que ta entre o eixo longitudinal
sedado. Quanto maior o do feto e a pelve materna
peso do útero melhor a (anteior, posterior,
fixação pq o útero e transversal ou vertical),
abdomem tem parede lisa. Quando há somente os
membros e não sabe se é
anterior ou posterior, se
observa o lado que ocorre
a flexura das
articulações:
articulações distais
flexionando no mesmo
sentido é o membro (apresentação transversal
anterior. Se tiver as ventral com a cabeça para
articulações distais o lado esquerdo)
flexionando em sentido
diferente será membro
posterior.

(apresentação vertical,
ventral com a cabeça
(eixo longitudinal não está voltada para baixo )
alinhado com o eixo
longitudinal da fêmea,
apresentação é transversal
com o dorso voltado para
abertura da cavidade
pélvica, apresentação
transversal dorsal com a
cabeça do lado direito)
(apresentação vertical,
dorsal com a cabeça
virada para cima)
Apresentações verticais e
transversais são
alterações irregulares e
anormais causam a
distocias.
Posição: relação entre o (Apresentação posterior e
dorso do feto e os posição dorso-sacra)
quadrantes da pelve
materna:
-dorso-sacra:
posição fisiológica
-dorso-púbica:
alteração de estática, se (apresentação anterior
faz manobras para dorso-púbica)
transformar em dorso
sacras
-dorso-ilíaca
esquerda ou direita:
alteração de estática, se
faz manobras para
transformar em dorso (apresentação anterior
sacras. dorso-iliaca esquerda)

Postura ou Atitude:
situação das extremidades
do feto em relação ao seu
próprio corpo.
-cabeça, pescoço e sempre que for considerar uma
membros estentidos, menor apresentação anterior com o individuo distendido, se
avalia a distancia entre a extremidade do membro e o
vai ser seu diâmetro focinho deve ta na altura do metacarpo ()

menor vai ser a passagem


por via fetal mole. Ela
preve que quando não tem
alteração de determinada
parte não precisa
descrever
-cabeça e pescoço (fucinho esta ao mesmo
flexionados (direita ou nível do membro pq a
esquerda, dorsal, ventral articulação proximal do
ou external) cotovelo esta flexionada
provando o aumento do
-membros anteriores diâmetro do feto).
flexionados.

(apresentação anterior, posição dorso sacra, postura


membro anterior esqueder está flexionado na (apresentação posterior
articulação escapulo umeral)
insinuado para pelve
apresentação em posterior
posição ou atitude dorso
sacra, flexão bilateral
da articulação coxo feto retorne para dentro
femural) da cavidade uterina,
repelindo, o objetico é
criar um espaço
necessário para fazer a
correção de algum tipo de
alteração postural ou de
posição.
o Rotação: posição
(apresentação posterior
dorso-ilíaca ou dorso
posição dorso sacra e
púbica fará com que
flexão bilateral dos
retorne a posição dorso-
membros em articulação
sacra. – faz com que o
escapulo umeral,cabeça
feto gire em torno do
exposta) problema em
eixo longitudinal
relação ao
o Reversão 90º:
extrangulamento que o
vestíbulo vaginal pode apresentação transversal
causar na cabeça ou vertical retornando
para posição posterior
1-apresentação pois terá dois membros
2-posição para fazer a correção
3-postura ou atitute (poderia ser anterior mas
teria que corrigir dois
membros e a cabeça tb).
Tem o máximo de
MANOBRAS OBSTÉTRICAS movimento, girando em
torno do seu eixo
o Repulsão: faz com sargital
que o feto ou partes do
o Extensão das comprimindo o abdomem
extremidades: membro pelo cinturão pélvico
flexionado= estendido. dessa fêmea

DESCRIÇÃO
DESCRIÇÃO
1- Apresentação
transversal dorsal com a
cabeça para esquerda

1- Apresentação
anterior, posição dorso-
sacra, postura estendida.
2- Apresentação
anterior, posição dorso-
sacra, postura: cabeça
flexionada para esquerda:
membros com flexão
bilateral art. do carpo.

2- Apresentação
posterior, posição dorso
sacra, postura
estendida.parto tem que
Apresentação transversal
ser rápido nesse caso,
ventral tem que fazer a
por causa da articulação
disferenciação de uma
do jarrete que está
gestação gemelar, no
momento do parto o feto
corre o risco de sair ao
mesmo tempo, sendo
chamado de insinuação
simultânea. Ou também
pode acontecer de uma
outra alteração como o
echistossoma reflexo é
uma teratogenia com uma
torção na coluna
associado a abertura da
cavidade abdominal;

retenção do membro vara


com que ocorra a o
aumento do diamentro do
feto impedindo a
progressão do feto,
podendo haver o
estrangulamento pelo
vestíbulo vaginal
provocando um edema
principalmente na língua.
A manobra indicada é a
Repulsão para dentro do
útero, nesse caso ele não
morre asfixiado por ter o
contato com o cordão
umbilical podendo
realizar as suas trocas.

na
primeira foto: alteração
de cabeça mostra que os
membros estão insinuados,
apresentação anterior,
posição dorso sacra,
postura flexão esternal
da cabeça.
terceira foto: posição da cabeça ventral abdominal

membro estendido sobre a


cabeça principalmente no
caso dos equinos gerando
o risco de uma laceração
causando uma perfuração (Pos
da via fetal. Parto do tura e atitude de flexão
equino é bastante de cabeça, flexão dorsal-
VIGOROSO. posição anterior- dorso
sacro)
dorso-púbica com flexão
bilateral na articulação
coxo femural)
(Na
primeira-apresentação
anterior posição dorso
púbica, postura e atutude
flexão d articulação do
carpo metacarpo e e
flexão external da
cabeça)
(aprese
ntação posterior, posição
dorso sacra)

(membro
(Primeira: Apresentação
em má flexão bilateral na
anterior dorso púbica,
articulação coxo
flexão no membro anteior
femural )
esquerdo, está flexionado
na articulação carpo-
metacarpo)
(Segunda:apresentação
posterior, apresentação
INTERVENÇÃO OBSTÉTRICA Parto normal= eutócico –
Regras de ouro sem intervenção

1-Segurança: ao Parto anormal=distócico


veterinário segurança –com intervenção,
física, como coice e
ataque, zoonoses,usar Causas de distocia
IPS- Paciente- cuidar com
alterações para q não o Obstrutivas:
ocorra morte * desproporção feto
maternal (absoluta- uma
2-Higiene e lubrificação-
femea com desenvolvimento
principalmente na hora de
normal e feto
auxiliar, lubricação
exagerado /relativa- o
ajuda em distocia
feto com tamanho nomral e
3-Uso de duas forças a femea é subsenvolvida,
1º=geração de principalmente em femea
espaço- ex: força que não completaram o
extremidade de um membro desenvolvimento hormonal)
anterior em direção ao *Redução do canal
corpo do individuo do parto (ex.; fratura,
fazendo com que a luxação)
articulação se flexione.
*Falha de
2º= correção da dilatação cervical (
alteração- falha na
Ocorrem erros de quem não liberação hormonal,
sabe realizando uma força problemas em ovinos)
de tração direta. *Erros de
apresentação(FETO NÃO
PASSA PELO CINTURÃO CONTENÇÃO DA FEMEA- de
PELVICO),posição ou acordo com a índole
postura fetal EXAME CLÍNICO GERAL
*Má formação (condição geral da
fetal (teratogenia, paciente)- primeiro
membros parasitas) corrige alteração, tipo
Outros (ex: hérnias, desidratação,
torção uterina) hipocalcemia, timanismo

o Inércia uterina: HIGIENIZAÇÃO PERIVULVAR-


sempre manter o local
qndo o útero não tem
limpo.
capacidade de fazer a
contração EXAME CLÍNICO ESPECÍFICO
Primária= não Grau de dilatação da
inicia o parto (ex: via fetal mole- vulva e
hipocalcemia) ocervix se estão
dilatadas
Secundária=
fadiga uterina (ex: Condições das
tornção uterina) bolsas fetais- se estiver
integra ainda há tempo
para parto
ANAMNESE- coletar o
Lubrificação da
máximo de informação
via fetal
INSPEÇÃO- do local e do
Características
animal, melhor que não
morfológicas e
esteja contido para
viabilidade do feto-
obervar alteração
comparar os membros do
animal em relação a mão
Apresentação. -Reflexo de
Posição e postura fetal deglutição – comprime a
região da glote

Determinação da -Reflexo ocular


ação: - se não responder é um
feto inviável- comprime o
-parto vaginal globo ocular e ele mexe a
-extração forçada cabeça
-fetotomia- feto Apresentação posterior
inviavel -Reflexo
-sinfiseotomia- interdigital
aumento da via fetal dura -Reflexo anal-
-histerotomia esfíncter tem que
(cesariana) contrair
VIABILIDADE FETAL- -Pulso no cordão
movimentação boa umbilical
Serotonina= 5-HT
Apresentação anterior
-Reflexo
interdigital- PÓS PARTO
viabilidade normal ele Exame uterino:
vai retrair
Outro feto¿
-Reflexo de
sucção- com os dedos Trauma/hemorragia
Exame físico
Sinais vitais
Tônus Muscular- induzir o prolapso
sempre fazer o animal uterino
ficar em pé
Hemostasia- em caso de COMPRESSÃO NERVOSA
laceração
Vitamina K- auxilia em
caso de hipovitaminose
Ocitócicos- contrair
vasos
Tocolíticos (B-
Feto fica retido no canal
miméticos)- se for no
do parto- compressão dos
útero, relaxamento do
nervos impedindo que mova
tecido uterino inibe a
os nervos anteriores,
contração uterina,
aplica
induzindo o prolapso
antiinflamatiorios,
uterino para localizar a
neurotonicos, evitar
hemorragia, não pode ser
complicação anteriores
aplicado o ocitocico
para não romper
antes.
ligamento.
Clembuterol (330ug)-
Não pode deitar
dilatação bronquiolar em
lateralmente e tem se
equinos
mexer varias vezes
Cloridrato de isoxsuprina
Pode acontecer por causa
“INIBINA”- interro o
do próprio nervo, em
parto prematuro humano
local com piso muito duro
ADRENALINA=EPINEFRINA- compromentendo o tarso e
relaxar útero para
metatarso, comprimindo o Atenção= Aumento de
nervo Peroneo. doses= tóxico
Melhor sistema colocar o
animal em uma banheira
para movimentar a
musculação e inibir a
inflamação.

Neonato
Reserva energética
pequena,
Reposição
Gordura marrom
Hidroeletrolítica
“Drench” Pequeno e a perda de
calor é grande
É um procedimento,
respeita o volume de peso Glicose armazenada no
vivo do animal 5 fígado é pouca, e se não
porcento. tomar cuidado ele entra
em tríade neonatal e
Componentes:
morre de hipoglicemia.
Propileno glicol- glicose
Pode não ter uma
lenta , dose altas cauasa
boa nutrição, e pode
atonia ruminal
entrar em acidose
Glicerol- metabólica por gasto de
Bicarbonato de sódio- energia.
muito aumento causa Precisa saber se a mãe
desequilibrio teve diabete gestacional,
o que pode agravar o Em equinos e felinos deve
quadro de hipoglicemia. se fazer o teste do
Faz a limpeza das vias colostro da mão, se for
aéreas e limpa as negativo pode ter
membranas. Deixa em problema como
posição external e em eristoblatose fetal
também se faz uma -Anasarca-aumento
massagem no dorso e subcutâneo- genético,
tração nas costelas alimentação ou ficoupreso
fazendo um aumento na no canal vaginal. O
caixa toraxica.se faz tratamento: massagem
rotação de forma lateral. linfática se fizer
Pode colocar agua gelada diurético pode ocorrer um
na cabeça para aumentar a quadro de desitração.
respiração, puxar a Se usa o ringer lactato;
língua, suawb nasal. Fenda palatina animal se
Ao intubar e usa 5% de alimenata via sonda
concentração de oxigênio quando por fenda palatina
em forma constante, e até
e 20mm de mercúrio e Parto- mecanismo; mão faz
sempre com o proporfol ao a manutençao de oxigênio
lado. Se usa mascara. Uma e energética pela
incubador é o ideal. placenta e cordão
Deixar aquecido umbilical.
Ao oferecer aliementaação Estresse fetal: causado
ela deve ser na mesma pela baixa quantidade de
temperatura. glicose disponivel e pelo
quadro de hipóxia.Esse
estresse fetal faz com - no fígado o
que o hipotálamo fetal animal tem o acumulo de
(hormônio liberador de glicogênio que deve ser
corticotrofina- CRH) irá armazenado para que o
agir na Adenohipófise animal tenha a energia.
(hormônio -presença de gordura
adrenocorticotróficos- marrom, tecido adiposo
ACTH)irá atuar na Córtex multi locular que fica
Adrenal (produzindo alojado próximo aos rins,
corticoide fetais- subcutâneo e locais que
cortisol) no caso de passam a artéria para
estresse terá uma grande manter a termo regulação
liberação de cortisol do corpo.
fetal- desencadeando o
parto. O aumento do cortisol
também vai ter efeito no
O Aumento de cortisol placentoma tendo uma
fetal é necessário para diminuição da
ter um feto maduro! progesterona (sendo
Considera um feto maduro necessária para
quando; manutenção da gestação),
-no pulmão, os aumento de estrógeno e
pneumócitos tipo 2 aumento de prostaglandina
começam a produção de que são importante para a
sulfactantes; contração do miométrio

- tireoide tem
produção de T3 e T4, mês
não estando madura.
parto) o receptor muda

{ permitindo que a ocitocina


Progesterona

Estrogênio
se ligue fornecendo a
Placentoma Prostaglandina F2a
contratilidade necessário
para o momento do parto.
A progesterona que ainda ta
O estrogênio faz também uma
circulante sofrerá uma
maior estimulação cervical,
metabolização em
aumenta a concentração de
estrogeneo. Aumento o nível
ocitocina para expulsão dos
de estrogênio no organismo.
fetos e dos envoltórios
O aumento da prostaglandina
fetais.
é responsável pela
luteolise do corpo luteo O estrogênio também é
para não ter a secreção de responsável pela
progesterona, o aumento do lubrificação do trato
hormanio relaxina reprodutivo.
responsável pelo O contado do feto na cérvix
relaxamento dos ligamento auxilio no aumento de
para o canal do parto. O ocitocina para estimular a
aumento das contrações do contração através da
miométrio. sinalização da hipófise,
Todo o momento da gestação pode ser chamado de Reflexo
a progesterona tá alta de Flexon,
etambem tem ocitocina Feto anencefálico não
cirlulante, quando desencadeia o
progesterona tá alta se tem parto¿ verdade, se não tem
uma mudança nos receptores hipotalo não terá a
de ocitocina impedindo que liberação do cortisol então
ela se ligue ao receptor, não terá o fato de
com a queda de progesterona desencadeiamaneto do parto.
e sua conversão em
estrógeno (próximo ao Sindrome do feto único
prolonga a gestação ¿
Sim, em gestação *Terapia intensiva:
multiperas, a -Suporte ventilatório;
disponibilidade de oxigênio
-Massagem cardíaca;
e energia ainda estará
disponível, mesmo tento uma -Manutenção circulatória;
gestação longa pq a demanda -Aquecimento;
ainda esta sendo atendida. -Controle da glicemia;
Não é necessário o uso de -Imunidade Passiva.
corticoide para a indução
de parto- feto viável¿
Neonato: 2 primeiras semanas de
Falso,o cortisol é vidas
responsável pela *Levam ao óbito:
viabilidade na maturação do
-hipóxia ao nascimento;
fígado, tireoide e pulmão
e deposito de gordura -hipotermia;
marrom,, sempre aplicar -hipoglicemia;
corticoide ao induzir o -desidratação
parto.
-infecções.
* Cuidados iniciais com o
neotato canino:
-sempre que possível deixar sob
Cuidados básicos e intensivos responsabilidade materna;
-ruptura da membrana fetal;
com neonato canino -corte do cordão umbilical;
*Prevenir: -limpeza e secagem do filhote;
-termorregulação deficiente, -estímulo torácico por
-risco de desidratação lambedura para movimentos
respiratórios;
-hipoglicemia (tríade neonatal)
-imaturidade imunológica
- interferência em caso de Tônus muscular: manutenção da
cesariana ou inexperiência e postura corporal por
negligencia materna. arqueamento da coluna tóraco-
lombar, formado C ou cifose.
Irritabilidade reflexa:
*Outros cuidados
resposta do recém-nascido ao
-limpeza e desobstrução das estímulo, por movimentação
vias aéras (narina e boca) repulsiva ou vocalização.
compressa limpa e seca;
Coloração de mucosa: cor da
-à fricção do tórax para oro-nasal, deve permanecer
estimular respiração; rósea a rósea intenso.
-secagem do filhote para Hígidos escore >7 5min do
prevenção da hipotermia; nascimento
-aspiração do conteúdo Escore 4-7 precisa reanimar
amniótico por meio de bombas de
Escore <3 cuidados emergenciais
sucção.
Cesarianas baixo escore-
precisam de intervenção
intensivista.
*Avaliação clínica neonatal *Cuidados Intensivos
-Utiliza-se o escore Apgar- -Ressuscitação cardiopulmonar,
em caso de respiração naão
espontânea após desobstrução de
vias aéreas e estimulo
torácico.
-Suporte ventilatório: fluxo
contstante de oxigênio com
FC: auscultação estéto neonatal máscara facial.
e com pontas dos dedos.
-Não iniciar a respiração
FR: esforço respiratório pela espontânea em 1 min pu for
observação dos movimentos de detectada bradicardia: se faz
expansão da região abdominal. pressão positiva com máscara
ajustável acoplada ao balão
autoinflável (ambu) com o -Epinefrina é o fármaco de
objeivo de inflar os pulmões. eleição em casos de parada
cardíaca (10-200mg/kg) IV ou IO
-INTUBAÇÃO ENDOTRAQUEAL: caso
sempre diluída para permitir a
não haja reversão da apneia ou
acuraria da dose.
bradicardia em 30 segundos.
Dificuldade por haver ampla -Acesso venoso veia jugular e
base lingual, pequena via pode cateterizar para
respiratória, fragilidade fluidoterapia.
tecidual e pode causar --Porçoes proximais do úmero,
laringoespasmos. Pode ser do fêmur e proximal medial da
realizada com cateteres tíbia são locais de escolha
intravenosos tamanho 12 a 16 G, para administração intraóssea.
escapa ar ao redor do tubo por
ausência de cuff. -Adequada manutenção da
temperatura corpórea, visto que
--Expandir o pulmão com uma os reflexos de termorregulação
pressão de insuflação de 20cm (vasocontrição e capacidade de
de coluna de água e manter a produzir tremores)são
frequencia respiratória em afuncionais ao nascimento.
30mpm pausadamente, para
avaliar a capacidade de -A temperatura corpórea do
respiração espontânea. neonato deve manter-se entre 35
a 36ºC na primeira semana e 37
--Tubo endotraqueal poderá ser a 38ºC na segunda e terceira
removida após estabelecida a semanas de vida;
respiração espontânea e o
fornecimento de oxigênio deverá -O próprio ato de mamar ajuda a
ser mantido com máscara. controlar a temperatura
corpórea, pois o leite materno
-Bradicardia neonatal é possui temperatura de 3 a 4ºC
consequencia de hipóxia do superior à corpórea;
miocárdio, corrigida com
suporte ventilatório. -A fonte de calor poderá ser
por meio de lâmpadas
--Bradicardia persistente, incandescentes (20 a 40 W)
iniciar estimulação cardíaca, acopladas à caixa maternidade,
por meio de compressões aquecedores ambientais mantidos
laterais do tórax de 1 a 2 a distância segura dos
batimentos por segundo.
filhotes, ou bolsas térmicas, calota craniana para pesquisar
cuidando-se para evitar o a abertura de fontanela).
resfriamento dos filhotes; *PESO AO NASCIMENTO
-A hipotermia compromete -Importantes fatores
negativamente a imunidade, a influenciadores, tais como:
oxigenação pulmonar, a digestão idade e estado de saúde da mãe,
e a assistência materna eficiência placentária, tamanho
-temperatura retal inferior a da ninhada, fatores
35ºC, o filhote torna-se nutricionais, infecciosos e
incapaz de mamar por falta do ambientais;
reflexo de sucção, resultando -Os filhotes devem ser pesados
em redução do aporte energético imediatamente após o
e fraqueza generalizada; nascimento, após doze horas e
-casos de hipotermia, o diariamente até o final do
aquecimento corpóreo do filhote período neonatal (14º dia),
deve ser lento, entre 1 e 3 sempre anteriormente à
horas, evitando a vasodilatação amamentação. A partir deste
periférica e anóxia de órgãos momento, devem ser pesados a
vitais, seguido de cada três dias até um mês de
fluidoterapia, se necessário. A vida.
alimentação só deve ser -O fornecimento adicional de
estabelecida após a normotermia alimentação sucedânea pode ser
ser alcançada iniciado com 5 mL/100 g/ dia ao
-realizar o exame de inspeção nascimento e aumentar de 1 a 2
geral em cada um dos filhotes, mL/dia, até 20, 25, 30 e 35
no sentido de identificar mL/100 g/ dia, durante a 2ª,
eventuais malformações 3ª, 4ª e 5ª semanas de vida,
congênitas, como por exemplo: respectivamente. A temperatura
lábio leporino e fenda palatina do leite deve estar entre 37-
(abrir a cavidade oral para 38ºC e o intervalo entre as
examiná-la), hérnias refeições deve ser inicialmente
umbilicais, atresia anal a cada 3 horas durante os dois
(verificar a abertura anatômica primeiros dias, espaçando
do ânus) e distúrbios da progressivamente para 4 horas,
formação craniana (palpar a 5 horas e 6 horas, na primeira
semana, até os 15 dias e até o *Desidratação e hipoglicemia
desmame (3-6 semanas), -Diversos fatores intrínsecos e
respectivamente extrínsecos podem levar à
*Aleitamento natural ou desidratação em neonatos
artificial caninos, tais como extensa
superfície corpórea, pele mais
-O oferecimento do sucedâneo
permeável, alta constituição de
lácteo poderá ser feito por
água (80% do seu peso), além da
meio de mamadeiras ajustadas ao
imaturidade renal para
tamanho do filhote ou por
concentrar a urina. A
sondagem orogástrica, na
desidratação normalmente está
dependência das condições de
associada à prematuridade,
saúde do filhote e presença do
diarréia, pneumonia, alta
vigoroso reflexo de sucção.
temperatura ambiental ou
-O filhote deve permanecer em amamentação inadequada;
posição horizontalizada,
-Para a identificação do estado
apoiado sobre uma superfície
de hidratação, recomenda-se
firme e sem distensão
observar a coloração da urina,
exacerbada do pescoço. Já a
pois a coloração amarelada
passagem da sonda orogástrica
indica desidratação, enquanto o
requer habilidade e pode
normal é estar diluída e
provocar falsa via, sendo mais
translúcida. Para tanto, a
indicada no caso de ninhadas
micção pode ser estimulada
numerosas, para os filhotes de
através da massagem suave no
baixo vigor de sucção ou sem
prepúcio ou vulva com algodão
adequado ganho de peso.
umedecido. Além disto, a mucosa
-A alimentação excessiva é oral pode estar seca e pálida
considerada uma das principais em animais desidratado;
causas de diarréia não
-A reidratação por via oral é
infecciosa em filhotes;
preferível sempre que a função
-Em contrapartida, choro intestinal estiver normal e o
constante, extrema inatividade, animal não estiver hipotérmico.
reflexo de sucção fraco e ganho Porém, na dependência do estado
de peso insuficiente são de desidratação dos neonatos,
indícios de ingestão inadequada pode ser necessário
de leite;
fluidoterapia (60 a 180 de dano ósseo e deve ser
mL/kg/dia) aquecida a 37ºC por utilizada por até no máximo 72
via de administração horas. Sinais de hidratação
parenteral, contudo, é excessiva incluem descarga
necessário cautela durante a nasal serosa, taquipnéia,
administração intravenosa ou dispnéia, ascite e edema
intraóssea de grandes volumes.; pulmonar;
-A menor capacidade de -A desidratação pode estar
concentração urinária, somada à acompanhada de hipoglicemia
diminuição da taxa de filtração (Moon et al., 2001). Em função
glomerular provocada pela da reduzida reserva de gordura
hipotermia, predispõe o neonato corporal, limitada capacidade
à hiper-hidratação. A metabólica para produzir
velocidade do fluido de glicose e imaturidade hepática,
manutenção para o neonato o neonato depende da
deverá ser de 6 a 18 mL/100 g alimentação para manter os
de peso corporal ao dia; níveis normais de glicogênio;
-Durante o período neonatal, os -Portanto, intervalos de 2 a 3
desafios terapêuticos são horas de jejum podem resultar
grandes, portanto, o uso de em hipoglicemia neonatal
velocidades conservadoras de (glicemia inferior a 35 a 40
administração e o cuidadoso mg/dL), a qual se manifesta por
controle durante a terapia incoordenação, flacidez,
podem ser benéficos no fraqueza ou coma;
tratamento de animais imaturos; -O tratamento deve ser
-A administração subcutânea estabelecido rapidamente, com
pode ser utilizada para uso de solução de dextrose 5 ou
pequenos volumes de fluido, já 10% por via intravenosa (veia
a via intraóssea é jugular externa), administrada
particularmente útil quando os lentamente (0,5 a 1 g/kg) ou
vasos periféricos são muito dextrose 10% (2 a 4 mL/kg). A
pequenos ou estão colapsados administração de glicose em
(colapso circulatório e/ou bolus deve ser sempre seguida
parada cardíaca). No entanto, de infusão contínua, para
exige cautela devido ao risco
evitar o risco de hipoglicemia parto, nas primeiras quatro
“de rebote”; horas ocorre a maior absorção
intestinal de anticorpos IgG,
- A suplementação por via oral
diminuindo progressivamente até
pode ser realizada com solução
cessar por volta das 24 horas
de dextrose 10% (2 a 4 mL/kg)
de vida ;
para neonatos alertas e
normotérmicos nascidos por -Para os casos em que se
parto cesariana até completa desconhece a ingestão de
recuperação da parturiente colostro logo após o nascimento
(Lourenço, 2015). É necessário por todos os recémnascidos, é
monitorar a glicemia antes de possível determinar as
administrar doses de glicose concentrações das enzimas
adicionais para neonatos que fosfatase alcalina (FA) e gama
não respondem ao tratamento, glutamil transferase (GGT) no
devido ao risco de soro sanguíneo, pois os
hiperglicemia (Johnston et al., filhotes que ingeriram
2001). adequadamente o colostro
possuem altas concentrações
*Imaturidade imunológica
enzimáticas por até 10 dias
-Durante a gestação, cães após o nascimento;
recebem entre 5 e 10 % dos
-Os neonatos que não ingeriram
anticorpos maternos através da
colostro podem receber
placenta. Portanto, recém-
anticorpos através da
nascidos possuem o sistema
administração de soro ou plasma
imune pouco desenvolvido ao
de animais adultos vacinados da
nascimento e são completamente
mesma espécie, caso não seja
dependentes da transferência de
possível a amamentação em outra
anticorpos através do colostro;
fêmea recém-parida. Em até 24
-Há alta correlação entre a horas após o nascimento, o
mortalidade neonatal em cães e oferecimento pode ser por via
a menor concentração de oral, porém, para filhotes com
imunoglobulinas no soro mais de 1 dia de vida, deve-se
sanguíneo ao segundo dia de fazer a administração por via
vida (Mila et al., 2014). A subcutânea em “bolus”.
ingestão adequada de colostro
deve ocorrer prontamente após o
CESARIANA
# Eletiva- quando não possibilidade de parto vaginal
# Emergência:
 Estresse fetal: presença de mecônio
 Feto enfisematoso: perdeu a viabilidade há um tempo, não é
possível fazer manobras e nem fetotomia, pq o veto esta com o
volume aumentado por causa do aumento de gases devido a
putrefação e o útero estará justaposto a esse feto. Terá que
fazer uma cirurgia que será delicada devido ao grau de
contaminação.
*Indicações
 Desproporção feto-maternal: pode ser absoluta ou lativa
 Incompleta dilatação do cérvix: é um processo de diatação
da cérvix quando não tem condições de fazer com que a cérvix
dilate atráves de estimulação física, não pode persistir por
muito tempo.
 Torção uterina irredutível
 Monstros fetais
 Estática fetal (apresentação, posição ou postura)
 Enfisema fetal

2) por conta do esgotamento e viabilidade feto


ou da fêmea que pode estar desidratada ou com
temperatura reduzida, a femea deve ter condições
para sobreviver ao procedimento caso não esteja
se opta por eutanásia.
3)via paramamária, se consegue exterioriza o
útero com o feto e o material contaminado,
evitando caia material contaminando a cavidade
abdominal.

4)Pois se utiliza o rúmem como antero das alças


intestinais, deslocando o rumem para o lado
direito e tracionando o útero para o lado
esquerdo evitando a saída de alças intestinais.
5) pode ser empregada paravertebral ou pode
fazer o L invertido na musculatura do flanco.
A anestesia epidural tem bloqueio regional
especifico e corta o estímulo de esforço
expulsivo evitando que as vísceras se
exteriorizem e a cavidade se encha de ar podendo
causar ceromas e piomas futuras

Fetotomia
 QUANTO REALIZAR:
Quando tiver uma situação em que o parto
vaginal não é viável e não se justifica a
realização de uma cesariana para fazer uma
preservação maior da condição da fêmea.
 OBJETIVO:
Reduzir o tamanho do feto ao modo que ele
possa se removido pela via vaginal sem causar
nenhum tipo de lesão, sem causar nenhum
transtorno significativo para essa fêmea.

 CONDIÇÕES NECESSÁRIAS:
A principal é um feto inviável,a existência de
uma espaço suficiente ára ser realizado as
manobras. E a femea tem que ter condições
clínicas que possam sustentar o procedimento, é
indispensável que tenha disponível auxiliares
para o procedimento.
Membros parasitas podem ser complicações também.
MORTE FETAL
Ausência de reflexos
Líquidos amniótico avermelhado= 12 horas post
morten
Enfisema=24-48 horas post morten, não se tem o
feto efisematoso clássico, se tem um grau de
contaminação devido as manipulações que foram
realizadas.
Opacidade de córnea=72 horas pot morten
Desprendimento e degeneração da placenta-
ocorreu autólise da placenta caracterizando a
morte fetal.

Material-
Carboxi metil celulose, mucilagem: pode ser que
não seja suficiente para realização do
procedimento, de acordo com o grau de manobras
que terão que realizar, manobras mais simples ou
mais completas. Se não tiver uma boa
lubrificação uma manobra mais duradoura vai
fazer com que ocorra uma lesão da mucosa, da via
fetal da fêmea causando uma edemasiação da luz.
Desinfetante: para manter a higiente no local
EPIs: manipulação , luvas longas
Pomada oxido de zinco: UNGUENTO- para fechar os
poros do braço e vitar foliculite.
No caso da fetotomia: as intervenções mais
prolongadas vão se usar lubrificantes a base de
petróleo ou óleos vegetais.
Material:
-bisturi de dedo
-gancho simples com ponta aguda, facilita a
fixação do feto, pode causar lesão na femea
-gancho articulado, cada vez que for
tracionado vai diminuir mais.
-passador de fio
- passador de laço ou fio
-cabo, corrente e corda.
-fetotomo
-curetagem

Possibilidades da fetotomia:
o Parcial: remoção de uma parte ou de um
membro do feto.
Subcutânea= procedimento realizado
sobre a pele do feto para que se faça a
remoção da parte muscular e óssea,
mantendo a pele mais intacta possível para
ser utilizada como ponto de tração.Em
posição dorso sacra apresentada no lado
dereito, se faz a fixação e usa a cureta,
se protege a femea com a mão para não
afetar na hora do descolamento. Retira a
parde muscular e óssea, retira a articula
e deixa uma pele para colocar a fixação.
Em apresentação posterior se tem a
articulação coxo femural se provocando a
fratura da articulação
o Percutânea= tira a parte muscular e
óssea e se faz um corte longitudinal na
estrutura que vai permitir que se faça o
descolamento do membro. FETOTOMIA PARCIAL
SUBCUTÂNEA= se precisa de uma lamina para
fazer o acesso inicial, para depois fazer
o descolamento da pele através do uso de
curetas. Pode usar ar comprimido para
remover a pele.
Se utiliza lamina em forma de gancho,
bisturi obstétrico. Pode usar o ar
comprimido antes.
Quando se vi fazer com um fio serra:
Gigli
Liess
Pode ser parcial ou total,
Precisa do fetotomo, a cabeça do fetotomo
pode fazer cortes em: ângulo,
longitudinal, transversal e oblíquio.
Fetotomia parcial- Fio serra com Acesso:
Se usa a guia. A estrutura que vai remover
deve ser amarrada com uma corda ou com uma
corrente, se leva o fetotomo até o ponto
que é necessário fazer a incisão, e se
puxa o fio. Não levar o fio com a
extremidade do fetotomo pois dificulta do
processo.
Se tentar fazer uma amputação do membro
anterior, se remove o pescoço do feto
cortando em ângulo.
Se quiser colocar a posição do fetotomo na
posição axilar, se corta com o bisturi
para que o fio fique preso na escapula.
Pode montar o fetotomo parcialmente, se
usa o passador de aço, se passa o fio por
volta da estrutura que quer amputar.fio
causa o corte através da lesão e atrito
o Total:
Percutânea= realizada com o fio de
corte, fio serra, para fetos de porte
maior em que são utilizados cortes para
reduzir o tamanho.

Tópico 8
 Sinais de preparação para o parto
 Bovinos= enchimento da glândula mamária,
mais evidente em novilhas. Pode encher até
meses antes do parto. Devido o aumento de
circulação sanguínea pode se criar um edema
da glândula mamária, pode ocupar a região do
abdomem chegando até a região do peito do
animal.Se estiver em uma fase final da
gestação, acima de 270 dias, é essencial que
se faça uma avaliação se é necessário a
indução do parto para evitar que se tenha um
desconforto evitando que o edema acabe
afetando a capacidade produtiva; dilatação
da genitália externa, vulva aumenta em
resposta a ação hormonal,
enzimas,colagenases fazendo que aumento o
teor de agua no espaço intersticial;
dilatação do sistema de ligamentos- bem
expressivo no ligamento sacro isquiático,
dando a impressão que a base da calda se
elevou; tampão mucoso-próximo do parto com
uma secreção espessa branca amarelada.
 Equipamentos Detectores de parto-
 Pique de parto limpo, baia maternidade que
consiga remover a cama, com a areia é de
difícil substituição, e acumulo de sujeira.
 As fases do parto: contrações uterinas,
animal busca um local mais tranquilo,
insinuação do feto no canal da cérvix
apresenta o reflexo de Ferson com mais
ocitocina e aumentando as contrações
uterinas somando as contrações abdominais
afetuando o processo expulsivo,ruptura da
bolsa alantoide. As vezes o animal tende a
deitar. Após o parto a femea limpa o feto
que logo irá procurar por colostro.
 Femeas que parem em locais idadequados, não
calmos, parem em estação. O feto cair dessa
altura nao gera danos significativos. O
ideal que o animal se sinta a vontade então
não precisa forçar a deitar.
 O ideial que seja um lugar seguro para o
recém nascido.
 O animal pode comer a placenta, sem
problemas.

CASOS DE DISTOCIA

-Quando o parto não avança de forma normal,


formas gritantes.
A maioria dos problemas vão acontecer com
femea de primeira cria, nem sempre os
animais vão ter um completo desenvolvimento
corporal e vão passar por um processo de
dilatação que ira acontecer nesse primeiro
parto.
Quando considerar que é o momento de uma
intervenção¿
- quando se observa uma femea fazendo
esforços expulsivos bastante vigorosos e não
se observa a progressão do parto, pode haver
insinuação da bolsa e dos membros e não se
nota uma progressão desse feto.
-Animal estava em processo de contração e
parou, pode signicar uma fadiga da femea, se
faz uma intervenção;
-Femea em trabalho de parto desenvolvendo
inercia uterina onde a principal causa é
hipocalcemia,tratando já se tem a progressão
do parto ou da a sequencia com um parto
assistido.

Anamnese:
-Historico. Propriedade, Animal
-Inspeção- se apresenta aumento da glandura,
presença de muco, vulva aumentada, verificar
o comportamento.
-Contenção: se preocupar se há a necessidade
de liberar de forma rápida em caso de
problemas.
-Clínico Geral; se encontra o animal
desidratado em caso de distocia, pode se por
via oral tb,
- sempre lembrar que a femea deve estar em
condições necessária para o parto.
Material: cuidado com material absorvente de
líquidos,, luva de procedimento por cima da
de plástico. Uso de lubrificante, carboxi é
hidrossolúvel e fácil de remover. Amonia
quartenaria ajuda também.

Higienização: se fixa a calda no corpo do


animal.
Exame Clínico Específico: Posição de
trabalho, animal em estação corre o risco do
animal defecar, necessário higienizar
novamente.
Em decúbito lateral as vezes caem na
lateral, só que dificulta a forma de
trabalho.

Atenção as Anormalidades:
-Vulva da fêmea, se presta atenção no
conduto vaginal para possibilidade de haver
algum tipo de torção. Qualquer tipo de prega
que possa conduzir a mão no sentido
antihorário deve ser considerada.
-Em caso de vaginoscopia se faz a
confirmação por via retal para determinar o
lado da distenção do ligamento largo do
útero.

DILATAÇÃO DAS VIAS FETAIS: verifica se a


cérvix está dilatada e qual o nível de dilatação
Integridade dos envoltórios, se estão
íntegros
- Se os envoltórios romperam qual o nível
de Lubrificação existente.
- Lubrificante natural se expele e é
necessário que faça a substituição e não ocorra
lesão na mucosa,a manipulação frequente pode
causar uma edemaciação e diminuição da luz.
-Se a cérvix não estiver completamente
dilatada, tem que observar se o animal está em
trabalho de parto, esse processo é idenpendente
do processo de desencadeamento do parto através
das alterações de hormônio de níveis circulantes
(Prolacsina e ocitocina.
-Se deparar com uma situação em que a cérvix
fechada o animal pode não estar em trabalho de
parto. Quando se confirmar que o animal está em
trabalho de parto se faz o Teste de Clements, se
verifica os sulfactantes pulmonares no líquido
amniótico,a cérvix quando dilatada pode
identificar as saliências dos anéis cervicais.
Se confirmar que o indivíduo está em situação de
trabalho de parto e a cérvix está dilatada,
antes de tomar uma desição como cesariana se
tenta fazer uma dilatação física, se força com
um dedo de cada vez. Se passar de 20-30 min, se
avalia outra possibilidade.
Pontos de acupuntura BL30-31-34
Vaca= 2horas- Se passar de duas se faz
intervenção
Novilha= 4horas- se passar por um processo mais
intenso, se tiver sangramento, mecônio, liquido
aminiotico, contrações fortes sem evolução- se
aguarda.

Viabilidade Fetal
Apresentação anterior
-Reflexo Interdigital
-Reflexo de sucção
-Reflexo de deglutição
-Reflexo ocular

Apresentação posterior
-Reflexo interdigital
-Reflexo Anal
-Pulso no cordão umbilical

Caracteristicas do Feto
Calfscale Birthweight Tape- tabela para saber
qual o tamanho do feto e verificar se há risco
de distocia. De acordo com o peso da femea se
espera que o feto tenha 10% do peso da femea.se
exceder essa proporção a chance de um parto
complicado aumenta.
Posterior= 1 a 1,5cm a menos
Se o feto estiver insinuado se verifica se há
espaço entre as estruturas fetais e a cavidade.
No caso, se estiver a cabeça do feto e o membro
estendido e o cinturão pélvico estiver estendido
é característico que se tenha uma desproporção
feto maternal.
Quando o feto estiver dentro da cavidade se tem
como parâmetro só a mão, e se compara o seu
diâmetro só com a mão.

DEPOIS DE COLHER TODAS AS INFORMAÇÕES:


Parto vaginal:
-Tração simples: as contrações da femea não são
suficientes
-Correção de estática: necessário fazer as
manobras possíveis, de rotação.
-Episiotomia: parto está evoluindo porque a
vulva não tem uma dilatação suficiente.
-Fetotomia: parto vaginal
-parcial
-total
-Sinfisiotomia (pelvic spitting): mais draticas,
casos que a cesariana não é possível.
-Histerotomia: cesariana

Desproporção absoluta= feto grande/ mãe normal


Desproporção relativa= feto normal/ mãe
subdesenvolvida
Erro de escolha de tamanho da mãe na hora de
escolher embriões.

Quando o parto for normal se realiza uma manobra


assistida, no processo de tração se usa as mãos,
uma tração leve já pode ser suficiente, sempre
respeitar a linha de parto, se desvia a
tuberosidade isquiática e sempre em direção ao
solo se o animal estiver em estação, se o animal
estiver em decúbito lateral se traciona em
direção aos membros e ao solo.cuidado para não
tracionar para lados opostos.

Se pode usar equipamentos, fórceps, fetotomo,


fio obstétrico, curetas,muleta obstétrica,
corrente, cordas, gancho articulado, espéculo.
Uso de cordas e correntes, a corrente é
diferenciada mais longas ou mais curtas. As
cordas de padrão arrendodados tem que ser finas,
se for quadrada tem que ser achadado. Corrente
acima do boleto do animal, a segunda abaixo do
boleto para distribuir a força. Abaixo somente
para fazer a externção do membro.
Tração: Feto com posição anterior
Se colocar os dois membros na mesma corrente as
estruturas da escápula vão entrar em contrato
com as mesmas paredes da via fetal dura da femea
ao mesmo tempo.Na hora de fazer a tração se faz
de forma alternada com o membro,e de forma
intercalada. Quando a femea faz a contração se
faz a tração,quando para de contrair se mantem a
tensão na corda. Quando a femea fizer a próxima
contração se traciona no outro lado. Fazendo com
que tenha uma acomodação mais fácil no cinturão
da femea.

Tração: Feto com posição posterior


A pelve do feto vai ser mais larga que o
desejável, quando o feto ta em posição dorso-
sacra para facilitar a passagem se faz uma
rotaçao do feto colocando em posição dorso
ilíaca seja ilíaca direita ou esquerda para
adaptar melhor a passagem da pelve do feto pro
cinturão pélvico da femea. Se tem um feto em
posição anterior a passagem do tórax do feto
que está quase se completando, passagem através
da vulva, significa que a pelve está passando
pelo cinturão pélvico da femea e precisa fazer
esse movimento de rotação para facilitar o
processo.
Se tem um feto em apresentação posterior: se faz
a rotação quando o jarrete estiver passando pela
vulva da femea. Quando se passar a pelve pelo
cinturão pélvico da femea retornamos a posição
dorso sacra para que o feto possa se adaptar e
passar com maior facilidade.
Forceps- tração simpes e tração alternada
(equipamento preso no feto)
O excesso de força pode causar lesão no feto,
fratura dos membros, pelve e costela.O tecido é
muito frágil e pode causar lesões viscerais,
coração e pulmão.
Paralisia de nervo femoral, compressçao plexo
braquial.
Além das lesões que pode comprometer o feto pode
ser ter lesões na parturiente; lacereação de
vestíbulo vaginal e vulva, cérvix, pode
acontecer lacerações mais graves como na artéria
uterina média dentro do ligamento largo. Só se
sabe quando for realizar a necropsia.
Compressão Nervosa- avastamento lateral do
nervo, ficar muito tempo deitado. Peroneo.
Fazer um tratamento para que o animal mantenha a
melhor qualidade de vida.
Laceração= Peritonite, evolui para abdomem
agudo, febre acaba vindo a óbito.
Proteção do Períneo: durante a passagem de
porção de maior volume se usa maior
lubrificação, também é necessário que se= faça
uma episiotomia para evitar fístulas.
Laceração de 3º GRAU, se faz o reavivamento dos
bordos.

EPISIOTOMIA: procedimento preservativo, A


incisão é na diagonal 10 ou 2 horas. Se corta a
musculatura e o ligamento sacro
isquiático,apenas um sentido é o suficiente para
aumentar de tamanho. Geralmente o feto já esta
insinuado, a lesão vai parecer maior do que o
incisado. Depois se faz a episiorafia, para que
se coapte as musculatura e não ocorra
pneumovagina, o fio é absorvível, pode se fazer
não absovivel mas precisa de cuidado, ponto
Donnat U deitado,ou um popnto com um melhor
relaxamento da bordo. Tem que fazer o ponto sem
fazer o nó na hora, só depois que se realizar os
nó, se utiliza o ungento para proteção.
Não se faz a incisão pra baixo por causa do
assoalho da cavidade pélvica, pra cima facilita
fistula reto vaginal, na horizontal têm as
tuberosidades isquiáticas.
SINFISIOTOMIA: quando não se pode fazer
cesariana e o feto tem que ser viável. Se usa o
Sinsel, Se coloca a mao por via vaginal e se
controla o sinsel. Se faz uma epidutal baixa, se
faz uma incisão na região do assoalho da
cavidade pélvica com o bisturi. Com a mão por
via vaginal se evita que o instrumento sai a de
posição. Penetra na sínfise púbica.
O animal tem que ter uma restrição de
movimentação para restituir a fratura.
O teto do assoalho pélvico pode evitar que a
cabeça progrida, se faz o uso de corda para
fazer uma tração leve. Nunca se faz a tração na
mandíbula.
Se usa o gancho de olho, se coloca no espaço
subconjuntival. No ângulo interno do olho,
quando mais se puxa se faz tração.em quanto se
faz a tração alternada dos membros.
Uma corta por tras da cabeça.
Se o focinho estiver perto do boleto ou do
carpo, significa que se tem uma flexão das
articulações proximais, aumentando o diamentro
do feto. Se faz a repulsão do feto para voltar a
ter espaço. A femea ira realizar contrações,
espera a contração parar e faz a repulsão. Se a
femea não deixar, se faz a anestesia epidural
baixa.se faz o procedimento de forma mais
higiênica possível.
Repulsão do membro anterior: fixação do membro
que está disponível, deve higienizar a região
exposta e perivulvar, após a repulsão se faz a
extenção do membro flexionado. Flexão escapulo-
umeral se faz a flexão articulação carpo
metacarpa, depois de fazer o processo se flexona
as articulações reforçando o membro contra o
corpo, quando se consegue o espaço se faz a
tração em direção a cavidade pélvica.
Se faz a proteção do casco, a partir que se tem
os dois membros extendidos com a tração sobre
eles se faz a tração assistidida com as mãos ou
corda/corrente. São duas forças, a primeira gera
espaço e a segunda extenção.
Quando não consegue fazer somente com a mão, se
faz o uso de equipamentos para realizar as duas
forças,pode usar a corda no casco para a força
da extenção. Com a muleta obstetrica se faz o
movimento de alavanca, se faz o uso de pano de
campo para proteger a femea.

Caso de uma apresentação posterior dorso sacra;


um parto fisiológico, mas deve ser realizado de
forma rápida por causa do cordão umbilical. Se
tiver acesso aos membros se faz a flexão.
Se faz uma manobra com cuidado por causa d via
fetal mole. Se é flexão unilateral a parte
acessível já deve ser amarrada, e necessário que
faça a repulsão, traciona a articulação do
jarrete até tarso metatarso, para que fique em
90 graus, pra cima e pra fora e a extremida em
direção medial, smepre protegendo o casco do
animal. Se utiliza a mao do mesmo lado que o
membro flexionado, a mao não deve estar cruzada.
Pode usar aa corda e muleta no jarrete.
Quando não consegue com mão, se utiliza a muleta
com a corda pela virilha, a muleta mais cranial
e traciona o membro em movimento de alavanca
suspendendo o jarrete.
Parto pélvico- tem que aumentar o diâmetro da
pelve, só em tamanho especifico, pequeno e que
se tenha um espaço, sem que aja um bloqueio.
Apresentação anterior, fisiológico quando se tem
o focinho em região metacarpa.
Com a cabeça flexionada, utiliza a mao para
extensão da cabeça, feto deve estar lubrificado,
o gloco ocular pode ser utilizado, sempre com
duas forças, uma para o giro e outra extenção.
Protege a boca segunrando as narinas enquanto
se executa a força de geração de espaço
enquanto se executa a tração,para evitar que os
dentes cortem a femea.
Pode usar a corda na mandíbula só para fazer a
extenção. Quando se pode fazer a repulsão.
Pode fazer a repulsão para que a cabeça gire.
Pode usar as orelhas para fazer o giro da
cabeça.
Rotação- em posoção anterior e posterior, com a
mão, pode fixar na pele, axila, fazendo que com
que gire em torno do seu eixo longitudinal com a
mao. Pode se usar a muleta obstétrica de Kuhn OU
Barra de tornção de Cornell ou Gyn-stick,
material plástico e esterilizado.se fixa o
equipamento nos membros e se faz a torção,se
fixa na porção proximal do corpo do animale os
membros tem que ser fixados e estendidos.
Pode usar duas cordas, uma distal e as outas na
axilas se usa Barra de torção de Cornell.

TÓPICO 9
AULA 1- PERDIDA

Obstetrícia na Égua: diferença de níveis de


progestagenos e estrógenos.
Quando se tem uma ovulação vai ter uma produção
de progesterona pelo corpo luteo original que
ovulou. Formação do caceis endometriais ou
promover o desenvolvimento de corpus luteos
acessórios que irão dar um suporte na
progesterona mantendo-a elevada por 100 dias.
A unidade feto placentária vai assumir a
produção de progestagenos mantendo a gestação,
sendo possível fazer a ovarioectomia e a
gestação é mantida, produzindo a
dehydroepiandrosterone (DHA) convertendo a
outros estrógenos que são mensuráveis para
verificar a viabilidade da gestação.
A caracterização de estrógenos na gestação
caracteriza que o individuo ta inviável ou tenha
um comprometimento, nas placentites se tem um
desbalanço na produção de hormônio tipo
enchimento prematuro das gralndulas mamárias.

Saco Vitelino Calcificado:


Calcificação do saco vitelínico, a massa vai ser
encontrada no cordão umbilical após o parto,
septos internos.
No equino vai encontrar estruturas fisiolocias,
cálices endomentriais responsáveis que ecg.
São encontrados os Hipomanes que podem ser
únicas ou múltiplas acumulo de material mineral,
fruto da secreção alantoide, urina.
No saco alantoide e saco alantoide não tem
fixação e o feto fica girando por 100 dias,
podendo torcer o cordão.Geralmente o parto vai
acontecer com o feto em uma apresentação
anterior dorso púbica com os membros
flexionados.
Se deve identificar os animais para realizar os
registros. Nos casos dos equinos o comportamente
ocorre por toda vida. Necessário cuidados com
vacinas e evitar o estresse no período
periparto. Sempre consultar a índole do animal.
Gestações de risco importancia de ter o registro
Relacionado e gestações anteriores:
-Placentites- femea com o acompanhamento mais
próximo, corre o risco de desenvolver.
-Descolamento prematuro de placenta- head baag
-Distocia recorrente-
-Aborto ou parto prematuro
-Prolongamento de gestação

Relacionado a gestação em curso:


-Enchimento prematuro do úbere
-Desenvolvimento de placentite
-Gestação gemelar- verificar se há duas
vesiculas
-Detecção de descolamento de placenta- evitar
que ocorra a perda
-Prolongamento da gestação (em relação a
anteriores)-
-Fraturas/laminite/ hérnias abdominal/ cirurgias
-Cólicas
-Hidropsia- aumento do volume abdomina,
lesionando o tendão pre púbico
-Melanomas no canal pélvico- cada ponto corre o
risco de ruptuta na hora do parto
-Hipoglicemia (anorexia ou apetite caprichoso)-
Pode aparecer placas abdominais, referidas a
edemeas ocorrer devido o aumento da circulação
devido a glândula mamária, também pode ocorrer
devido a desgarros musculares e herniaçoes.
Necessário realizar o diagnostico diferencial.

Varicose vaginal: sangue pode estar na cama,


membros e cauda. Pode ocorrer a ruptura de vasos
da muscosa vaginal, se realiza a cauterização.

Data estimada do parto


GESTAÇÃO: média 320-360 dias
Parto previsto: data da última cobertura- 25
dias
Ex.: cobertura 30/05/19
Parto 05/05/20
Quando o cálcio se eleva no leite é sinal que o
animal vai parir dentro de 24 horas.a secreção
fica mais viscosa ou opaca.
Verificar o grau de dilatação da cérvix.
Característica da secreção.
Teste de clementes, para coletar o liquido
amniótico para avaliar o nível de sulfactantes
do individuo.
O tipo de placentação não mantem o feto por
muito tempo
Animais que desenvolvem a pneumovagina, é
necessário fazer a vulvoplastia de castilig.
Nesse caso uma semana antes do parto faz a
reabertura do dos lábios da vulva,para não
ocorrer uma laceração. Durante o período do
parto se faz uma pomada ou vaselina para que
não cicatrização nos bordos.
Não confundir com episiotomia
Pedir sempre que o animal permaneça em estação
para as contração não serem tao vigorosa.
Recomenda que faz estímulos dolorosos no momento
das contração, dando tempo para chegar na
propriedade.
O uso de sonda nasotraqueal que reduz a potencia
da contração, conhecido como reflexo de
ferbson.é desencadeado quando o feto
ultrapassar a cérvix vai acontecer um estimulo
no sistema nervoso central, tendo o
desencadeamento de ocitosina,com contração
uterina e contração abdominal, é necessário que
o individuo encha a cavidade toraxica com ar,
fazendo uma respiração profunda, bloquei a glote
Para excercer a máxima força da contração
abdominal. Quando se passa a sonda a glote não
consegue ter o fechamento completo, reduzindo a
potenção da contração.
Quando não se tem a possibilidade de colocar a
sonda pode usar produtos tocoliticos, que
reduzam o tonos, clebuterol, vai causar o
relaxamento uterino, a dilatação da arvore
brônquica e tb taquicardia, bom saber as
característica do paciente, evitar em com
problemas cardíacos.
Usar relaxantes e tranquilizando.
Em um trabalho de parto normal, importante que
tenha a possibilidade de quando o problema vai
acontecer,

Identificar quando a doença vai acontecer, uso do


semafaro.
Dentro do trablaho de parto normal, tem processo de
contração. E o segundo estagio de expulsão, participa
femea e feto, femea levanta,deita e rola.para
auxiliar o feto em sua estatica O feto vai estar em
uma apresentação anterior posição dorso púbica com a
extremidades flexionadas.
A maior parte dos problemas de distoci é por causa da
postura e atitude, por causa das suas exterminadas
largas.
Pode acontecer um membro se exteriorsar primeiro,
isso quer dizer que o outro se encontra flexionado,
caso de intervenção.
Quando for em apresentação posterior o parto tem que
ser ainda mais rápido, pq o cordão umbilical é
comprimido e o feto se prova de oxigenação entrando
em hipoxia, dependendo do grau pode afetar SNC do
animal. No caso do equino não precisa fazer a rotação
pq a pelve é circular.
O parto sempre acontece durante a madrugada, quando
for durante o dia é pq não conseguiu segurar as
contração. 3-4 contração vigorosas e permanece
deitada. Durante o período ainda existe a circulação
do cordão umbilical. Ocasiosando um incremento na
volemia do feto, quando se levanda o cordão é
rompindo. Vai lamber o animal, que tentara ficar em
pe e mamara o colostro.
Ksempre verificar se houve laceração em potros muito
grandes, e se houve persistência palatina,
persistência do uraco ou falha da hemostasia do
cordão umbilical.
3 ESTAGIO- se coleta placenta, se rentroduz a bolsa
aminiotica dentro do saco alantoide, em formato bv,
Verificar se tem área de necrose, se não esta
faltando um pedaço, pq pode acontecer de ficar retida
em um dos cornos não gravídico.
O peso tem que ser 11 por centro do potro, se passar
é caso de edema e aconteceu uma placentite.
SEMPRE REGISTRAR NA FICHA DA EGUA.
Placentite: toda a endócrina sofre alteração, baixe
estrógeno e aumente progestagenos, no momento do
parto que auxilia na glan. Mamaria.
Na ultrasom se avalia a espessura dos envoltórios
etais, a característica dos líquidos e se a presença
de liquido entre a placenta e o útero,
As informação das gotas de gl. Mamaaria não se usa em
placentite pq o ph fica alterado.
O animal cursa uma gestação de risco e tem que ter
atenção, fluido e US, acompanhar o batimento e
frequencia fetal, verificar características do feto.
Pode fazer também, a cerclagem em caso de servix
aberta impedindo que entre contaminação no útero.
Quando tem ceeteza de placentite se trata com
bloqueios da contração uterina com progestageno
trinogeste, pode ser VO OU IV. Ou aumenta os níveis
de estrógenos. Se usa antibiótico e antifúngico,
dependendo do histórico. E usa antiflamatorio não
esterioidal impeça o incremendo da cascata de parto
do animal.
Alteração da parede abdominal ppode acontecer e
ruptura do tendão prepubico, mais grave, para reduzir
se usa namdagem para dar suporte a mus. Dorsal
suporte para mus. Abdominal melhorando a condição
clinica.
A ruptura do tendão só se faz cesariana, se o portro
estiver viável.
Torção uterina, menos frequente, por causa da
característica do sistema suspensório do útero da
égua que é mais desenvolvido. Mas sempre que estiver
o terço final e apresentar dor abdominal se faz o
diagnoticos diferencial para torção uterina.
Diferente da vaca, se tem uma torção pre cervical, se
faz palpação retal e verifica os ligamentos
suspensórios. Quanto mais intensa a torção mais grave
a dor.
Importante considerar a condição clinica e o período
de gestação se for menos de 320 dias se faz a manobra
de chafler, (a da tabua). Se não conseguir se faz uma
laparotomia uni ou bilateral.para que se gire em
torno do eixo. Mas só em caso de feto viável.
No fim da getação não é recomendado, se faz uma
cesariana de emergência. Risco de ruptura uterina. Se
restaura o útero e remove o ponto.
CASOS ESPECIAIS:
1 pode levar a distorcia
2 não ocprre o tempo para o sangue passar da placenta
para o cordão umbicçcial
3 parto acontece sob supervisão.

Ruptura da bolsa do saco alontoide e depois das


contração se aparece uma bolsa com tons azulados, que
é a bolsa aminiotica.caso seja em tom de vermelho se
tem o descolamento prematuro da placenta, red bag,
com coloração star, que se refere a sobre posição da
região cervical.
Quando a pplacenta se desloca em blocos deixa de
fszer as trocas gasosas com o útero. O feto ai ter o
corte da oxigenação, passando de hipoxia a anoxia,
vindo a óbito. Se faz rápido a perfuração da bolsa
para que se faça inversão dos envoltórios fetais e o
potro possa nascer e fazer a oxigenação mais rápida
possível. Podendo haver lesões cerebras e
debilidades.
PROLAPSO RETAL; a femea segue fazendo as contração
com rigor.

No 3 estagio pode ter pacientes nervosos com a


placenta tocando os mem. Posteriores. Se pega a
placenta e faz o enrolamento fazendo que fique
afastada e o próprio peso ajude.
Cuidado coma manipulação em excesso.
A laminite, a medida que passa o tempo que a plcenta
não é liberada. Pode gerar uma laminite, por causa da
rentação da planccenta ou ate um seguimento dela.
Quando se ultrapassa o período fisiológico de 3h se
usa ocitoxina endógena. Através de agua morna e limpa
dentro do útero, gerando um estimulo de circulação
sanguínea, aumentando ocitocina e a potencia das
contração do útero.
Com o passar do tempo se usa ocitosinos junto com
sol. Fisiológico. Se usa ocitocino
sintético,ocorrendo contração duradoura. Usa
antibiótico e antiflamatorio para evitar as
laminites.
Lavagem uterina também, para tirar fatores que
poderiam ser absorvidos, se faz uma infusão aquecida,
coloca no útero com sonda e recole ate que a solução
venha limpa.
Quando não se tem sucesso com tudo isso. A placenta
pode ser torcida de forma circular, evitar a tração
para não ter a inversão do corno uterino. E se o
útero não estiver viavem pode causar um colapso
uterino.
Em ultimo caso se introduz a mão e faz o
descolamento, mas prejutica a capacidade reprodutiva
do animal.

Prestar atenção quando nasce um potro grande, pois


pode ocorrer laceração da cérvix e vestíbulo vaginal.
É bom fazer uma avaliação para realizar hemostasia e
reconstruir as estruturas para que não tenha
cicatrição por segunda intensão, compromentendo a
cérvix de fechar o canal cervical.
Importante fazer o registro do animal, o desenho do
relógio.
Fortes contração pode afetar laceração como o do
perioneo, 1-3 graus, causando um vistula reto
vaginal, prejudicando estrutura anatômica, e
contaminação com fezes, tem que realizar em etapas.
Não se faz em uma so vez, pq é muito frequente que
acha uma cicatrização da parte externa e descencia de
ponto na parte interna. Sempre vir reconstruindo de
maneira que ciatrize em etapas.
Casos em que o feto fica retido e provoca a redução
da circulação sanguínea, necrosando a vulva e
vestíbulo.devido a sensibilidade tecidual que
apresentam. Tem que ser atendido rápido em casoa de
distorcias.
Prestar atenção em como estar o tecido e melhor com
massagem para melhorar circulação. Dependo da
extenção se tem a falta de tecido para reconstrulçao
da região.
Em distorcia, tem que fazer intervenção. O segundo
estagio do parto tem que ser curto, em se faz rápido
e com segurança. A placenta da égua tem um período
curto de ligação para manter as trocas gasosas com a
femea e o potro.
Quando estiver com dificuldade, as leis de ouro.
Além do animal ter uma força grande não gosta de se
sentir preso. Pode causar dano pra ele.usar anteparo
e cuidado com coice. Garantir que se segure a cabeça
do animal.
Depois de contigo se faz o exam. Clin geral e
especifico. Se realiza a bandagem da cauda, limpa a
região perivulvar.
Cuidado com a queda do animal, em relação ao local.
Usar bastante lubrificante, evitar muita
movimentação, evitar abração da cérvix.pq pode
descamar e gerar aderências prejudicando a vida
reprodutiva.

Parto vagina>
-tração simples
-correção de estática
-episiotomia
-fetotomia
parcial ou total

cesariana, considerar o tempo de distorcia, verificar


o aspecto do útero,
tempo, condição clincia, grau de lesão da via fetal,
valor do animal e o local que ira executar.
Considerar ocorrecia de alterações de membros dos
animais, se for antes do parto, é necessário eu faça
uma eutanásia, segurando a égua na reprodução.
Membro por cima da cabeça pode perfurar as vias
vaginais, gerando fistulas, reduzir as contração e
suspender a cabeça do feto.
A tração assistida, se fixa a corda ou muleta,
cuidado com o volumente da laçada, sempre em posição
dorsal do membro, tração em forma alternada,sempre
mantendo a curvatura do parto, em direção ao solo.
Excesso de tração pode romper a artéria da linha
media, formando coagulo extenso podendo levar a
morte.
Reduzir a pressoa sobre a pelve no animal em estação,
a pelve altera sua conformação, animal tem que estar
anestesiado em decbito dorsal.
Membros próximo do focinho é pq estão flexionado, se
fixa uma corda para facilitar o processo.
Felxao lateral da cabeça, se fixa o membro e faz a
externçao da cabeça com o uso da mao e protegendo a
mao, ou corda e muleta obstrica, o mais rápido
possível e o mínimo de movimento.
Em perda de potro, quando não alcança a extremidade
da cabeça. Se usa um ganho para segurar o potro. E
realizar uma fetotomia.
Cuidado com a prejuticação da via fetal mole, não
pode fazer a tração pq é mais frágil.
TÓPICO 10
Ovinos.
Diagnóstico transretal e transretal-contagem de
embriões- aparti de 42 dias fetos. Estaram mais
aprofundado na cavidade abdominal, diagnóstico
melhor na transabdominal próximo da virilha com
um transdutor linear ou convexo. Irá observar os
placentoneos.
Terço final da gestação:
Coleta de sangue para Níveis de:
Uréia
Albumina
B-hidroxibutirato
Para Ajustar dieta.
Animais com complicações metabólicas ou
gemelares , importante mudar o manejo em forma
de lotes. Forçar os animais com gestação gemelar
para reduzir os problemas
Toxemia da gestação: cetose, importante na hora
de fazer o exame, o animal terá mudança no
alimento, comer muito, quando reduz a alimentação
irá agravar os sintomas. Se tiver patologias
associadas tipo uma foot rot, será mais grave,
pois o animal vai restrigir movimentação
dificultando na alimentação. Essa reduz o aporte,
fará que mobiliza ainda mais suas reservas,
agravando os níveis de corpos cetonicos
circulantes. Sintomas nervosos: pressionar a
cabeça,roteio de cabeça.
Nas fases iniciais se estimula a alimentação e
faz tratamento sintomático.
Glicerol-PO- prova efeito de pico de glicemia,
difícil manter
Insulina longa duração- não é o caso para maioria
das dituações
Glicose/Dextrose 50% - IV (*efeito refratário)em
relação ao aproveitamento do açúcar
Propileno glicol-PO (100ml/dia- neoglicogenico
de longa duração, liberação de glicose no sangue
lenta e duradoura
Transfaunação- de um sadio para um doente.
Boroglouconato de Cálcio
Indução do parto= 15-20mg dexametasona- se não
tiver em condição, quando apresentam um condição
corporal muito alta, principalmente. Terá animais
gestando gêmeos. E se tiver condição, se faz
desxa, e acaba expulsando o feto, que são a fonte
do problema que a femea ta apresentando em
relação a perca de energia.
No inicio do parto:
Vitaminas complexo B (B12, biotina)
ATB para prevenir agente infeccioso
Cesária de emergência -avalia se tiver em
condição- ultima tentativa para salvar a femea,
não pensa em feto viável, remove o feto que é
fonte do problema.
Feto entram em autólise e liberam fatores que
interferem na integridade da femea.
Diagnostico da toximia da gestação, deve ter o
controle e previsão de manejo para não ocorrer
novos casos.
Manejo de estação de monta:
Se faz uma programação de estro, impedir que
sofram hiportermia colocando uma capa no animal
para reduzir perca de calor.
Fazer toalet próximo do periordo do parto na
região perivulvar e glândula mamaria para evitar
que fique aderido na lã e impeça a aparecimento
de miiase e dificultando na hora da amamentação
do neonato, principalmente no momento do
colostro.
No trabalho de parto: femea se isola dos outros
animais na primeira etapa do parto. O animal
deita par fazer contração mais rigorosas e também
pode estar em estação, os membros se encontram na
altura do focinho.
Em fema ovina no segundo estagio do parto, a fema
deita com a cabeça elevada.
Em caso de gestação gemelar, cuidado com o local
pra não abandonar o primeiro, em caso de um
terreno inclinado. Após o nascimento o animal
consome a placenta no terceiro estagio do parto.
Se estiver muito contaminada não consome.
Em casos de muitos animais parindo, tem que fazer
a separação, as mais velhas podem separar a mais
jovem, usar estruturas para limitar os espaços.
Casos de dificuldades do parto: redução de
contração, ingestão de mecônio, femea entra em
fadiga.
Anamnese: no animal para levar materrial
Inspeção
Contenção
Clinico geral: se tem alguma alteração
Clinico especifico
- higiene- limpeza a seco, remover a la na
região perivulvar
-lubrificação: para identificar grau de
dilatação da cérvix.
Segurança: não produz risco físico e sanitário,
raro zoonose.
Colocar o animal de cabeça para baixo para
manobra de repulsão.
Ou com o anterior pra cima para ajudar no
processo.
Se manter o neonato com a cabeça para baico
por muito tempo, corre o risco de comprimir os
pulmões.

O certo é colocar em decúbito esternal

Parto vaginal
- tração simples: se estiver com uma estática
afetada
-correção de estática- manobra de correção
-episiotomia risco de comprometimento do
perioneo e a vulva pode ser afetada
-fetotoma- realizar cesariana em caso que a
cérvix não dialatou
-parcial- já sugiciente para fazer a
remoção.
Equipamento: deve ser do tamanho do porte do
individuo, sistema de laço ajuda na intervenção, a
parte flexível tem que ter rigidez. Pode usar
pequenos gancho que vão fixar no olho ou no palato,
um tipo de fórceps ajuda na fixação da cabeça do
feto.
Fetotomia usar cureta, ar compriminido,
lamina, Percutanea: espirais de glattli ou reetz,
ajuda tb não tem um diamentro tao grande quanto do
fetotomo.
Parto vaginal: evitar que ocrrar uma fistula
reto vaginal. Auxiliar comprimindo a cabeça do animal
para baixo via retal, reduzindo a pressão sob o
perioneo. Auxiliar a dilatação com os dedos para a
passagem do feto.
Realizar uma episiotomia.
Uma pessoa pode exercer uma força maior que o
fisiológico, pode acontecer fratura, lesão de
vísceras.
Para faer uma manobra em caso de estaticafetal, se
faz uma epidural baixa, espaçsos são pequenos. Usado
em cesariana para evitar expulsão das vísceras e o
efeito de foley no fechamento da cavidade abdominal,
cuidado com o volume,
Lombossacra; mais fácil de encontrar espaço
entrea ultima lombrar e a ultima vertebra sacral
usando agulha longa, animal em posição de
esfinge, se faz a tricotomina na região e se
acalnça o espaço certo quando ocorrer a coleta
de liquor. Deixar uma bolha de ar na seringa
para não tem a compressão de anestésico.
É possível fazer uma cersariana também, o certo
é escolher a via mais correta.
Os cscos na apresentação anterior na altura do
foncinhosignifica uma articulação flexionada, se
faz a repulsão e se faz uma tração alternada.
Em flexão bilateral a cabeçapode estar insinuada
na cavidade pélvica, risco de morte por
compressão da cabeça.
Flexão da cabeça: por conta do seu pescoço
longo, se for fazer repulsão se fixa os membros
e coloca a femea de cabeça para baixo para
facilitar a manobra de repulsão e gerar espaço
para manobra da cabeça.
É mais frequente as gestação gemelar em ovinos,
por conta da sincronização de estro com
gonodrotofrina, pode provocar super ovulações.
Fazer a identificação da situação dos fetos, se
ta trabalhando com qual as extreminades par
remover por via vaginal.
A flexão bilateral na articulação coxo femural,
pode corrir com o deslocamento da exterminadade
do membro, o membro do tarso do jarrete deve ser
colocado em 90 graus.
Em apresentação transversal dorsal com a cabeça
voltada para direita a manobra é a reverção a
ovelha coma cabeça mais baixa ajuda a corrigir
essa apresentação. Pode usar a força dos dedos a
porção cranial do feto e fixar com uma corda os
membros posterior ou a calda, colocando em uma
apresentação posterior e manobra de extenção dos
membros, rotação e depois tração.

Manobras de correção de postura:

O feto com o membro anteiror esquedor carpo e


metacarpo flexionado: Gera espaço com a primeira
força. E a segunda força faz a extenção do membro
flexionado, sempre que posssilvel se faz a repulsão
para gerr espaço, fazar com higiene e lubrificação
para impedir de gerar atrito na mucosa.
Membro flexionado no ponto que não consegue fazer a
manobra de extenção do membro, traciona a cabeça e o
membro extendendido, quando o tamanho do feto não é
muito grande e existe um espaço entra a mao e
cavidade para que ele possa passar, o ideal é fazer
a repulsão e extenção do feto, caso não seja possível
se faz a cesariana e se não estiver vivo se faz a
fetotomia parcial para gerar espaço para passar na
cavidade pélvica.
Flexão lateral de cabeça, quanto menor a mão
melhor, se gera um expaço forcando a articulação
do pescoço segurando a boca. Ou se fixa com o
dedo polegar dentro da boca dentro tra
mandibulara para fazer a extenção da cabeça.

Pode usar o laço que deve ser firme para ele


progredir além do que amao alcança, a volta da
laçada deve ser por tras da nuca do animal,
evitar que o laço machuque o esôfago e
traqueia,impedindo que se feche completamente.
Sempre possível fazer atras da nuca não muito
forte para não fazer uma compressão medular.

Se usa uma corda na mandíbula do animal, que


gera uma força para gerar espaço, usar o
ganhco fixando no espaço conjuntival se coloca o
dedo dentro de um olho para gerar uma segurança
melhor para fixar esse gancho, pode fixar na
boca na regiçao do palato, evitando o uso da
segunda mão.

Em um membro com flexão coxo femural , se


traciona a articulação do tarso e jarrete do
animal,fazendo o deloxamento do casco em região
medial. O jarrete vai pra cima e para fora. As
aticulção vao permitir espaço para que o mebro
possa ser extendindo na pelve.
O membro do lado direito usa a mao direita e
viser visa.

Quando a manobra não for possível, se faz uma


cesariana , em relação ao porte coloca a femea
em acesso mediano ou para mediano.
Quando as femeas jovens tem dificuldade elas
podem abandonar os filhotes. Coloca um
predador , ou prender a femea.

Caso não aceite o recém nascido pode colocar a


pele de um cordeiro que morreu em outra mae.
Feto sem viabilidade: pode usar ar comprimido
tb.
A fetotomia per cutânea, menos utilizada que a
parcial, pode usar ar epirais de glanttli ou
reetz, e bisturir. Exem; apresentação
transversal e dorsal, se não for possível fazer
a manobra de reversão de maneira que não tenha
condição de realizar, a espiral de glattli é bom
pq não tem grande volume e melhor para acomodar
dentro da via fetal da femea.
Em caso de lacerção que gera uma eventração,
pode ter morte por causa da peritonite.
Saber a diferença do tendão pre púbico de uma
hernia abdominal-candidada a uma cesariana.
Fazer avaliaão em para verificar mal
formação,atresia anal, fenda palatina, membros
supranumerários, equistossoma reflexo. Menos
frequentequando não a formação do SNC-nesse caso
não tem a sinalização que é o feto se encontra
maduro.
Chance se deselvolver hipotermia é mais fácil,
realizar técnicas de proteção,para impedir que
sofra hipotermina.
Para saber se consumiu o colostro- cordeiro
ficará em depressão- ficando com obrstrução do
teto sempre fazer o movimento de ordenha para
verificar se estar viável. Tedencia que se sugue
com melhor vitalidade. Oferecer colostro na
mamadeira para evitar falsa via-
Sonda
Retal- n20
Foley- n 20 a 22
Se faz o comprimento da sonda, fazendo que ele engula ess
saber se ta na traqueia.
Pega uma seringa com o embolo e se faz uma aspiração.
estamo se forma resistência.
Se fornece 50ml/g por mamada
Se desce por gravidade, se desobstrui a sonda fara faz
evitar falsa via com excesso de alimento.
Glicose- 2g/kg
Ex.: cordeiro 5kg (5x2=10g) por via peritoneal
Glicose 20% (0,2g/ml)- 10g/02g= 50ml
Glcose 50% (0,5g/ml)- 10g/ 0,5g= 20 ml/30ml H20
Após fornecer a fonte de energia se faz o aquecimento do
o hipotérmico se usa a agua a 36 graus e acrescenta a agu
Uso de capa para não molhar
Na femea após o parto pode acontecer prolapso uterino, na
acontecer inercia uterina, por hipocalcemia, pode colocar
maior facilidade.realizar a colocação de agua no útero e
ocitocina.
PROF CARINE
Realizar teste da brucelose em animais que irão par
Negativa dever ter mais de 5g/dl de proteínas totais.
Cadelas subnutridas não devem ir para reproduçãp.
Felinos devem ser FIV e FELV NEGATIVA-
Se a femea apresenta tipo b se acasala com machos tipo b
Se for usado macho tipo A cuidado a usar macho tipo B p
que ocorre em felinos.
Raças importantes:
Inercia uterina: Border terrir, Cocker spaniel, scottish
Pelve materna pequena e cabeça fetal grande: Boston
chihuahua, scottish terrir, sealyham terrier.
Conformação pélvia anormal: dachsund
Morte fetal: greyhound
Feto grande: welsh corgi
Felinos: maior facilidade de parto- norueguês da floresta
birmanes.
Dificuldade de parto: British shorthair, grupo orien
abissínio.
Dianosticr a gestação na cadela
21 dias- relaxina ou ultrassonografia
35 dias- ganho de peso
45 dias- raio x
30 dias- palpação abdominal
40 dias- abdomem volumoso
Final da gestação: período 9 semanas (56 a 75 dias)

Dianosticr a gestação na gata


15 dias ultrassom mamilos aumentados e rosados
35 dias abdomem volumoso
45 dias raio x
Final da gstação período 9 semanas 56 a 75 dias.

Alimentação
Antes; suplementar 35 dias antes acido fólico vitamida
monta, bracicefalicos 5 mg dose única todos os dias.
precisa de vitamida d 40 dias antes de acasalar
Depois: manter a mesma alimentação, incrementar energia,
premior melhor.
Acompanhar quanto deve ganhar de peso. Pode ganhar ate 30
Os gatos exigem suplemnentação de taurina, reduzir at
durante gestação.
Tempo de gestação-
63 dias (57 a 71 dias)
Pico de LH 57-(64 A 66 DIAS)
71- Citologia vaginal (neutrófilos, cel intermediarias) –

Progesterona em cadelas fica alta em diestro e quando r


em 5 dias , e em concentração basais pode acontecer de 12
O declínio da temperatura corporal, um grau a menos partu

Em gatas: a progesterona 4-5 nmg pode acontecer em


acontecer logo.
Parto da cadela precisa de uma caixa maternidade com u
refugio para o neonato, com fácil limpeza, se usa tapete
Check list:
-caixa maternidade
-toalha para secagem
- luz infra vermelha
- ficha de anotações e lápis
-tapete higiênico
- termômetro
-alcool iodado
-aspirador nasal
-tesoura
-luva de procedimento
- lubrificante
-pinça
-mamadeira e suplemento
-fio cirúrgico
- relógio
-balança
-fita de marcação do filhote

Preparado para gata precisa de um lugar diferente para o


escuro.
Uma semana antes o aumento da vulva pelo aumento de es
vulva. A femea fica inquieta e se isola. Pode reduzir
mantendo sentada.
O leite das que não são primíparas pode acontecer ate 3 s
Primeiro estagio do aprto-
Parto iminente- 6-12 até 36h
Fazer ninho
Reduz apetite, inquieta, procurar lugar tranquilo, d
liquida, vulva aumentada, vomito ocasionalmente.
Parto iminente- 6-12 horas- cérvix fechada, inicio
fluidificação do tampão mucoso, descarga do muco esbranqu
MEDIA)
O SEGUNDO ESTAGIO: espulsao do feto
Dura 6 ate 24h,
Cérvix dilatada, feto se insinuam no canal do parto
expulsão do feto, intervalo do feto pro putro não pode se
Importante: mais de 4 horas entre a ruptura do corioalant
3- Mais de 30min de contração uterina intensa sem ex
4- mais de 2 horas de intervalo entre expulsão de f
5- Qualquer descarga sanguinolenta abundante durante

3 estagio do parto:
Segundo e terceiro junto – 6 -46 horas
Expulsão da placenta, minutos após a saída do feto
- intervalo não superior a 2 horas entre nascimentos.
Pode assumir a posição de cocaras no primeiro estagi
com gestação menor que 60 dias, neonato não esta madu
Intervalo ideial é de 5 a 6 min.

Fatores maternos e fetais da distocia: neonato p


cesariana.
Incidência de distocia: 75,3 % origem materna
24,7 % de origem fetal em caes

Gata: 67,1% origem materna e 29,7 origem fetal


Distocia- origem materna
Inercia uterina primaria e secundaria
-torção uterina
-anormalidade vaginais (estenose) tamanho de bexiga
-anormalidades pélvicas (tamanho pequeno, fratura, ne
-doença sistêmica, infecção
-desnutrição
-tonus muscular abdominal
-genetica (raças terrier)
-medo, estresse.

Disotcia de oriegem fetal- errônea


= apresentação errônea
-malformação fetal
-monstruosidade fetal, anasarcar
-desproporção cefálica
-tamanho da ninhada (síndrome do feto único,muitos fe
- ausência de desencadeamento do parto
-morte fetal- mumificação e anecefalicos

Apresentação anterior ou posterior é normal em pequen

Apresentação posteior com flexão bilateral dos membro


Apresentão transversoventral
Apresentação anteior com desvio da cabeça
Apresentação anteior com flexão bilateral dos membros
Apresentação anterior com desvio dorsolateral da cabe

Sintrome do feto único


Problema em desencadear o parto que vai prolongar a
estresse fetal, pode ganhar massa corporal e peso di
parto, acompanhar por US, interver e ate antecipar pa

Mumificação fetal
Anasarca e hidrocefalia pode causar obstrução. Maiori

Caso cadela 10 dias de gestação com vacina antcio-a


com que a gestação se prolongue por 70 dias, c
progesterona fica muito tempo alta concentração e pod
processo do parto.

Corrimento vaginal esverdeado, descolamento placent


horas.
Corrimento vaginal avermelhado- descolamento placentá
horas.

Histórico- boa anamnese, gestação anteior, contraceptivo,


Exame físico- gestante de fato¿ exame digital vaginal,
dilatação da cérvix
Exames complementares- hemograma, glicose, cálcio, fosfor

Como realizar o melhor atendimento obstétrico¿ neonato


faz movimento de tração pra baixo, palpação vaginal,
dedo, lubrificação, contração, se tem o feto e viabil
lubrificante.
Se tiver a presença do aminio pode ter a presença d
doppler, acompanhar batimentos cardíaco,
Mais de 200bpm ideial, abaixo de 180 morte fetal, pulsaçã
Hernia inguinal com vesícula fetal, não consegue desen
acompanhada ir pra cesariana.
Cadela gestante- ca> 7,0 mg/ml
Glicemia > 90 mg/dl
Parasaber se é diabético o feto vai ser maior por que a
sangue.
Não alimenta fema gestnte com ração de filhote, o
reabsorção fetal.
Pos parto prolapso de útero, se faz uma sutura para evit

Metrorragiaendoparasito cadela velhas- maleato de metil


leve sangramento no loquios, perda sanguínea, uso de vas
graves faz transfusão
Hidrometra, fluido estéril, mucometra, muco esterio.
Piometra aberta ou fechada.
Metrite infecção ascendente, femea prostrada, obesercar
tira os filhotes, uso de antibiótico e prostaglandina e h

Hipocalcemia- eclampsia inquietação, sialorreia, prosta


filhotes mamar.
Agalacti/ galactostasis/ baixaprodução de leite
Estimular sucção
Terapêutica ocitocina, metrocloprmide (antagonista da
prolactina )0,1 0 0,5 mg/kg 8h8h PO (EFEITOS LOCAIS E ALT
DOMPURIDONE PARA PRODUÇÃO DE LEITE 2,2mg/kg 12-12h PO
MASTITE- USA CONTRALAC, COMPRESSA FRIA, METERGOLINA= ANTI

Obstetricia em suínos
Troção uterina: eutanásia ou cesariana.
Atendimento: reduzir taxa de natimortalidade, otimiza
melhorar viabilidade pós natal
Estimativa: um leitão salvo 50kg de ração que a femea con
Limpeza da sala com amônia quartenária. Sala fechada por
(glândula e vulva) em 109-107 dias.
Tempo de gestação 3meses, 3 semanas, 3 dias.
Pour on- controle de ectoparasita.
Tuba uterina pode ter até 3 metros.
Dois leitões podem insinuar simultaneamente no canal do p
FR- aumenta 60-80 m, volta ao nomal 2 horas antes do part
Aumento temperatura- 0,5 graus (normal 39,5)
Edema de vulva
Inquietude: defecar, sentar/levantar
Edema de g.mamaria e secreção de leite
Expulsão de fluidos fecais e mecônio: 2h
Fases do parto:
30min-5horas mais longo em primíparas
1º FASE: dilatação da cérvix, contrações uterinas (5-10
inquietação e dor abdominal.
2º FASE: nascimento- 2 a 3 hors, expulsão dos leitões (1
em decúbito lateral
Primíparas: tônus muscular mais acentuado, interva
comportamento materno instável.
Gestação são nos dois cornos, espaço de 30 cm de cada um.
Pode ser anterior ou posteirior.
3º fase: expulsap dos envoltórios fetais. aproximadament
ultimo leitão atpe eliminação to total da placenta.
Eliminação da placenta em torno de 4 hotas
Imediatamente após cada leitão, após um grupo de leitão o
Eliminação daplacenta: pode ir pra parte anterior da fema

Distocia: femeas jovens, porcas velhas diminuem a contraç


Excesso de alimentos no final de sua gestação e consequen
genéticas Pietran, excesso de calor também pode agravar e
Temperatura ideial da porá 24 graus, leitão 32 graus.
Palpação vaginais: 5 avaliaç~eos: dilatação, contratibili
presente no canal do parto. Se faz massagens na glândul
ocitocina.
Tracionamento de forma retilínea, na posição posterior te
Bexiga cheia diminui a luz do canal do parto.
Femea estressada pode usar Azaperone,
Distocia de parto:
Intervalo entre leitões subsequentes maior do que 15-20 m
Ocitocina: 2ml via intramuscular, nocaso de ausência de
não tiver uma filatação cervical pode acontecer ruptura u
Toque vaginal: primeiro recurso.
-caso ocitocina não funcione- pode faltar calcio
=no caso da porca apresentar contrações mas não conseguir
Pode laçar o animal para tracionar.
Prolapso de útero, se faz a eutanásia depois de retirar l
Se for incial faz uma flessa para segurar e manter o part

Você também pode gostar