Você está na página 1de 6

Por que Deus não muda os

seus planos?
Por que Deus não muda os seus planos? Primeiro, porque a sua
sabedoria é perfeita. Isso quer dizer que Deus não pode cometer erros.
Segundo, porque seu poder é infinito. Isso quer dizer que Ele cumprirá
tudo o que planejou. Deus não pode ser frustrado em seus planos:
“Então, respondeu Jó ao Senhor: Bem sei que tudo podes, e nenhum
dos teus planos pode ser frustrado.” (Jó 42.1-2).

Seus planos e propósitos irão se cumprir:

Lembrai-vos das coisas passadas da antiguidade: que eu sou Deus, e


não há outro, eu sou Deus, e não há outro além de mim; que desde o
princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade, as coisas
que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho permanecerá de
pé, farei toda a minha vontade. (Is 46.9-10)

Receber notícias entregue por email

Sendo assim, ainda que os homens façam planos no seu coração, o que
vai prevalecer são os planos de Deus:

Muitos propósitos há no coração do homem, mas o desígnio do Senhor


permanecerá. (Pv 19.21).

É um erro pensar que Deus faz um plano hoje e que o homem atrapalha
esse plano e obriga Deus a fazer novos planos amanhã:

O conselho do Senhor dura para sempre; os desígnios do seu coração,


por todas as gerações. (Sl 33.11).

Ora, o que Deus nos prometeu é certo que Ele fará, pois Ele não mente,
nem se arrepende:
Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se
arrependa. Porventura, tendo ele prometido, não o fará? Ou, tendo
falado, não o cumprirá? (Nm 23.19).

Também a Glória de Israel não mente, nem se arrepende, porquanto


não é homem, para que se arrependa. (1Sm 15.29)

DEUS É IMUTÁVEL EM SUAS PROMESSAS:

A imutabilidade de Deus nos assegura que aquilo que Ele nos prometeu,
certamente, nós receberemos da sua mão, porque Deus é fiel e não
pode negar-se a si mesmo.

Bendito seja o Senhor, que deu repouso ao seu povo de Israel, segundo
tudo o que prometera; nem uma só palavra falhou de todas as suas
boas promessas, feitas por intermédio de Moisés, seu servo. (1Rs 8.56)

Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nEle o sim;


porquanto também por Ele é o amém para glória de Deus, por nosso
intermédio. (2Co 1.20)

[Abraão] não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas,


pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus, estando plenamente convicto
de que ele era poderoso para cumprir o que prometera. (Rm 4.20-21)

DEUS É IMUTÁVEL EM SUAS VIRTUDES

“Porque eu, o Senhor, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois
consumidos.” (Ml 3.6)

Seu conhecimento, seu poder, sua bondade, misericórdia, justiça e as


demais virtudes nunca podem ser maiores ou menores. Deus não está
sujeito a nenhum tipo de evolução. Ele é sempre o mesmo.

• DEUS É IMUTÁVEL EM SEU AMOR:


De longe se me deixou ver o Senhor, dizendo: Com amor eterno eu te
amei; por isso, com benignidade te atraí. (Jr 31.3)

Ora, antes da Festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua
hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que
estavam no mundo, amou-os até ao fim. (Jo 13.1)

• DEUS É IMUTÁVEL EM SUA JUSTIÇA:

Longe de ti o fazeres tal coisa, matares o justo com o ímpio, como


se o justo fosse igual ao ímpio; longe de ti. Não fará justiça o Juiz
de toda a terra? (Gn 18.25)

Bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade contra os


que praticam tais coisas (Rm 2.2) [coisas condenadas por Deus].

• DEUS É IMUTÁVEL EM SUA MISERICÓRDIA:

Porque o SENHOR é bom, a sua misericórdia dura para sempre, e, de


geração em geração, a sua fidelidade. (Sl 100.5)

Mas a misericórdia do SENHOR é de eternidade a eternidade, sobre os


que o temem, e a sua justiça, sobre os filhos dos filhos (Sl 103.17)

• DEUS É IMUTÁVEL EM SUA VERDADE

Paulo, servo de Deus e apóstolo de Jesus Cristo, para promover a fé que


é dos eleitos de Deus e o pleno conhecimento da verdade segundo a
piedade, na esperança da vida eterna que o Deus que não pode mentir
prometeu antes dos tempos eternos (Tt 1.1-2)

Seja Deus verdadeiro, e mentiroso, todo homem, segundo está escrito:


Para seres justificado nas tuas palavras e venhas a vencer quando fores
julgado. (Rm 3.4)

• DEUS É IMUTÁVEL EM SUA SANTIDADE


Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não
pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta. (Tg 1.13)

Pelo que vós, homens sensatos, escutai-me: longe de Deus o praticar


ele a perversidade, e do Todo-Poderoso o cometer injustiça. (Jó 34.10)

• DEUS É IMUTÁVEL EM SUA SABEDORIA

O Senhor me possuía no início de sua obra, antes de suas obras mais


antigas. Desde a eternidade fui estabelecida, desde o princípio, antes do
começo da terra. (Pv 8.22)

Resposta a objeções

1. Algumas pessoas dizem que a natureza de Deus mudou com a


encarnação. Isso certamente é falso. A natureza Divina não mudou em
natureza humana, nem as duas se misturaram gerando uma terceira
natureza diferente das outras. Na encarnação Cristo assumiu uma nova
natureza, mas continuou sendo o mesmo Deus. Ele se manifestou de
maneira diferente, não houve mudança na sua Divindade.

2. Algumas pessoas atribuem mudança em Deus pelo seu


arrependimento em Gn 6.6; 1Sm 15.35; Sl 106.45; Am 7.3; Jn 3.10. No
entanto, em Números 23.19 e 1Samuel 15.29 nos ensina que Deus não
se arrepende. Não creio que a Bíblia se contradiz. A explicação para essa
aparente contradição é que o arrependimento para Deus não é a mesma
coisa que o arrependimento para os homens. Há duas razões para o ser
humano mudar de opinião, abandonar seus planos e se arrepender do
que fez: Primeiro, ele não consegue prever com absoluta certeza tudo o
que acontecerá. Segundo, ele não tem poder ilimitado para a execução
dos seus planos. Isso não acontece com Deus, pois Ele sabe de todas as
coisas e tem poder suficiente para executar todos os seus planos.

Precisamos entender que Deus não é imóvel, mas está sempre em ação.
Ele é um Deus que se relaciona conosco e a nossa inconstância leva
Deus a mudar a atitude. Isso nos ensina que Deus se manifesta de
maneira diferente. No entanto não há mudança em seu Ser, nem no Seu
caráter, nem nos Seus planos, nem nas Suas promessas. O mesmo sol
que derrete a manteiga endurece o barro. O sol gera mudança na
manteiga e no barro, mas o inverso não acontece, o sol continua o
mesmo.

3. Alguns dizem que Deus não cumpre as suas promessas. O que


precisamos entender é que existem dois tipos de promessas: A primeira
é absoluta: Deus cumpre independente de qualquer coisa. A segunda
promessa é condicional, só vamos desfrutar dessas se cumprirmos as
exigências de Deus (ver Is 1.19-20).

APLICAÇÃO:

1. A imutabilidade de Deus mostra que podemos confiar nEle.

2. A imutabilidade de Deus nos garante que Ele será fiel independente


do nosso caráter: “se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira
nenhuma pode negar-se a si mesmo” (2Tm 2.13).

3. A imutabilidade de Deus gera terror no coração do pecador que não


se arrepende, pois a ira de Deus sobre ele não mudará.

4. A imutabilidade de Deus gera em nós conforto e consolo.

5. A imutabilidade de Deus nos garante que uma vez que Ele nos
concede a vida eterna não irá tirá-la.

6. A imutabilidade das promessas de Deus nos dá esperança para


aguardarmos a volta de Cristo.

VERSÍCULO PARA MEMORIZAR:

“Porque eu, o Senhor, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó,
não sois consumidos.” (Ml 3.6)

Você também pode gostar