Você está na página 1de 6

OBS: These posts are designed to be published in the instagram.

media.Therefore, they are "small pills” of information whose aim is to


call the users attention from instagram to our blog and website
(internet traffic). It’s part of the Oshadhi Brazil communication
strategy, based on the principle that marketing is about “exchanging
seconds for minutes”.

This series of posts covers seven main topics in a certain sequence: 1-


History, 2- Botany, 3- Science, 4- Chemistry, 5- Spirituality, 6- Pain, 7-
Recipe.

History
Sob o sol da Calabria...

A Bergamota (Citrus bergamia) é um fruto cítrico que cresce quase exclusivamente


no sul da Itália, na região de Calabria. A origem do nome Bergamota é matéria de
debate. Algumas fontes apontam que o nome deriva da cidade de Bérgamo,
localizada ao norte da Itália, cidade onde teria ocorrido a primeira comercialização
desta fruta. Outras apontam que o nome deriva da palavra turca "beg-armūdi", que
significa "pera do príncipe", devido à sua semelhança com a chamada pera de
bergamota (Pyrus communis).

Este fruto é considerado o “príncipe dos cítricos”, uma vez que ganhou notoriedade
no mundo da perfumaria graças ao aroma delicado e refrescante de seu Óleo
Essencial. Não por acaso este óleo está entre os ingredientes do perfume
mundialmente famoso, o Eau de Cologne (lit. Água de Colônia). Este perfume foi
criado pelo italiano Johann Maria Farina (1685 – 1766), que o nomeou em
homenagem à cidade onde residia, Colônia (Alemanha). Ao criar a fórmula deste
perfume (1709), Farina escreveu ao seu irmão dizendo “encontrei uma fragrância
que me lembra uma manhã de primavera italiana, de narcisos da montanha e
flores de laranjeira depois da chuva". A Eau de Cologne continha uma base de
etanol diluído (70 a 90%), uma mistura de óleos cítricos (incluindo limão, laranja,
tangerina, clementina, bergamota, limão, toranja, laranja sanguínea e laranja
amarga) e também os óleos de néroli, lavanda, alecrim, tomilho, orégano,
petitgrain (folha de laranjeira), jasmim, azeitona e tabaco.

Outra ilustre presença do óleo de Bergamota é na composição do celebrado chá


Earl Grey, nome dado em homenagem ao primeiro ministro inglês Charles Grey.
Desde 1831 esta infusão, que combina os sabores do chá preto e da Bergamota,
encanta o paladar de muitos amantes do mundo dos chás. Através do encanto dos
perfumes e da refrescância no paladar, o Óleo Essencial de Bergamota tornou-se
célebre no mundo ocidental. Hoje novas faces deste óleo são reveladas, graças
aos estudos da Aromaterapia. Ao longo desta semana falaremos mais a respeito
do óleo de Bergamota e suas importantes propriedades terapêuticas.

E você, já conhece o óleo de Bergamota? Conhece algum perfume que o utiliza


em sua composição? Já utilizou o óleo com finalidade terapêutica?

Botany

Rutaceae: gotas solares

Muitas pessoas confundem a bergamota com a mexerica ou a tangerina. Contudo,


diferente daquelas frutas, a bergamota dificilmente é utilizada na alimentação.
Além disso, possui características bem diversas: sua pele é enrugada e de
coloração verde e seu interior é verde claro. Alguns botânicos consideram a
bergamota um híbrido entre a Citrus aurantium x Citrus Medica, tendo a laranja
amarga (C. aurantium) como mãe e a laranja cidra (C. medica) como pai.

Em todo caso, a bergamota, como muitas outras frutas cítricas, pertence à família
botânica das Rutaceae. Nesta mesma família encontramos algumas outras plantas
aromáticas, das quais obtemos preciosos Óleos Essenciais: a laranja (doce e
amarga), o petitgrain de laranja amarga (óleo obtido através das folhas), o limão
siciliano, o néroli, dentre outros.

De modo geral, as plantas da família Rutaceae crescem em regiões tropicais, onde


são expostas às diferentes gradações da luminosidade solar. Seus frutos são
como pequenos sóis, o que pode ser entendido como uma assinatura
característica a estas plantas. Sendo assim, muitos terapeutas associam a ação
dos óleos cítricos a essa intensa absorção da luz solar, sendo boas opções para
auxiliar o sistema digestivo (ativando o “fogo” da digestão) e também ativando o
sistema nervoso e elevando o humor.

E você, já conhecia a diferença da bergamota para a mexerica? Já experimentou


algum óleo da família das Rutaceae? De que maneira?

Science

O óleo de Bergamota para a depressão

Dificilmente se encontrará um óleo superior ao de Bergamota para acalmar


tensões nervosas, agitação e estresse. Como estas situações muitas vezes estão
por detrás de uma depressão, ele também é um óleo indicado para sintomas
depressivos. Também pode ser uma excelente opção para um ambiente de estudo
ou trabalho, por conta de suas propriedades neurotônicas.
Em um livro de 1994 (Aromas and the Mind), a aromaterapeuta Julia Lawless
resume uma pesquisa conduzida pelo professor Rovesti da Universidade de Milão.
Esta pesquisa teve por objetivo identificar como os óleos essenciais afetam os
padrões de ondas cerebrais do sistema nervoso, medidos através de uma máquina
de EEG (Eletroencefalograma). Diz a aromaterapeuta: “[o prof. Rovesti] mediu o
efeito restaurador de óleos essenciais puros em pacientes que sofrem de histeria
ou depressão nervosa, usando administração oral e inalação. Entre as essências
mais eficazes para aliviar a ansiedade estão: bergamota, limão, néroli, lavanda,
manjerona, folha de violeta, rosa, cipreste.” (Lawless, 1994). Enquanto conduzia
pesquisas em unidades psiquiátricas, Paoli Rovesti descobriu “que o óleo de
bergamota tinha importantes efeitos psicológicos nos pacientes: ajudou a aliviar o
medo e acalmar a ansiedade “(Lawless, 1994)”.

Como sabemos, muitos casos de depressão iniciam com transtornos de


ansiedade, portanto, sendo uma alternativa para lidar melhor com a ansiedade, o
óleo de Bergamota também pode nos auxiliar a evitar casos de depressão.

Em um estudo mais recente (2012), a revista de Terapias Alternativas na Prática


Clínica constatou “resultados positivos com risco mínimo para o uso da
aromaterapia como terapia complementar nas escalas de ansiedade e depressão
com a mulher pós-parto”.

E você, já utilizou o óleo de Bergamota para lidar com o estresse ou a depressão


(ou ambos)? Foi efetivo? De que maneira você utilizou?

Chemistry
As Furocumarinas e o Limoneno

O Óleo Essencial de Bergamota é obtido por um método de prensagem a frio de


suas cascas. Na perfumaria, seu aroma é considerado uma nota de topo, pois seu
óleo é altamente volátil. Quanto à composição química deste óleo maravilhoso,
vamos chamar atenção para dois componentes bem importantes de serem
conhecidos: as furocumarinas (ou furanocumarinas) e o limoneno.

As furocumarinas fazem parte da família química das cumarinas. As moléculas


aromáticas desta família são fotossensibilizantes, isso significa que, ao receberem
raios solares de forma prolongada, estão sujeitas a causar melanogênese,
acarretando vermelhidão da pele e hiperpigmentação cutânea. Portanto, não é
indicada a exposição solar após aplicação de óleos essenciais com cumarinas na
pele. Após o uso externo de um desses óleos, é preciso manter um período
mínimo de seis horas entre o uso e a exposição ao sol. Ao mesmo tempo, essa
capacidade de melanogênese das cumarinas é vista por alguns terapeutas como
uma opção viável para o tratamento de vitiligo.

É possível adquirir o óleo de Bergamota na modalidade LFC (livre de


furocumarinas). A qualidade do Óleo Essencial permanece a mesma, pois as
furocumarinas são retiradas por um método especial sem prejuízo à pureza do
óleo.
O limoneno faz parte da família química dos monoterpenos. De maneira geral,
estes componentes são estimulantes digestivos e também expectorantes. O
limoneno também vem sendo estudado para o tratamento de câncer. Em um
estudo recente (2018), publicado pela Dove Medical Press, os cientistas chegaram
à promissora conclusão: “avaliamos o efeito anticâncer do d-limoneno no câncer
de pulmão in vitro e in vivo. Nossos experimentos mostraram que o d-limoneno
pode suprimir o crescimento do câncer de pulmão e induzir a apoptose por meio de
um mecanismo que envolve a autofagia”.

E você, já conhecia estes dois componentes químicos? Conhece algum outro


componente químico do óleo de Bergamota que mereça destaque?

Spirituality
Alegria solar em uma gota

Em nível emocional e mental, o óleo de Bergamota é um remédio antiestresse e


antidepressivo eficaz, pois ele eleva o espírito, harmoniza uma mente agitada
trazendo de volta à “ordem”, ao foco e paz interna.

O caráter da Bergamota é quente e suavizante. Ele fortalece o fogo interno do


coração e cria ondas de alegria.

Em termos do entendimento antroposófico (Dr. Rudolf Steiner), mas também, de


acordo com princípios Ayurvédicos, as energias térmicas do cosmo (principalmente
a luz solar, mas também a luz da lua e das estrelas) agem primeiro sobre o
“organismo térmico” na fisiologia humana e encontra seu homólogo espiritual no
Eu superior ou “Atma”, a luz interna ou “centro de felicidade” interna, que irradia do
fundo de nosso ser.

Rudolf Steiner e seus discípulos também falaram com frequência sobre a


propriedade intrínseca das frutas cítricas e seus óleos de organizar a vida, ou seja,
de sua capacidade de trazer ordem às tendências entrópicas da natureza –
sempre presente em seu jogo de polaridades. Steiner associou a família cítrica
(Rutaceae), especificamente, com o caráter subtropical do sol, com sua radiação
específica e sua qualidade edificante e revigorante.

Novamente: todos os óleos essenciais são o resultado direto de um processo


energético fortemente harmônico ou equilibrado, que se origina principalmente da
influência cósmica (especialmente a solar) que chega até a planta e se transmite
por via de múltiplos níveis, quando utilizamos esses óleos para tratamentos de
saúde e bem estar.

Óleo de Bergamota: alegria solar em uma gota!


Pain

Depressão: uma epidemia moderna

Existem muitos sinais de depressão, incluindo fadiga, tristeza, baixa de libido, falta
de apetite, sentimentos de desamparo e desinteresse em atividades comuns. Cada
pessoa experimenta essa condição de saúde mental de uma maneira diferente. A
boa notícia é que existem remédios naturais (e eficazes) para lidar com a
depressão. Isso inclui componentes do Óleo Essencial de Bergamota, que
possuem qualidades antidepressivas e estimulantes.

Um estudo realizado em 2011 sugere que a aplicação de Óleos Essenciais ajuda


no tratamento dos sintomas de depressão e ansiedade. Para este estudo, utilizou-
se um blend dos óleos de bergamota e lavanda, e os participantes foram
analisados com base em sua pressão arterial, pulsação cardíaca, frequência
respiratória e temperatura da pele. Além disso, os sujeitos tiveram que avaliar sua
condição emocional em termos de relaxamento, vigor, calma, atenção, humor e
estado de alerta, a fim de avaliar mudanças comportamentais.

Os participantes do grupo experimental aplicaram topicamente a mistura de óleos


essenciais na pele do abdome. Comparado com o placebo, os Óleos Essenciais
misturados causaram diminuições significativas da taxa de pulso e pressão arterial.
No nível emocional, os sujeitos do grupo de Óleos Essenciais se classificaram
como "mais calmos" e "mais relaxados" do que os sujeitos do grupo de controle. A
investigação demonstra o efeito relaxante de uma mistura de óleos de lavanda e
bergamota e fornece evidências para seu uso em medicamentos para o tratamento
de depressão ou ansiedade em humanos.

Outro estudo mais recente (2017) pesquisou o efeito da inalação por 15 min. do
óleo de bergamota em uma sala de espera de um centro de tratamento de saúde
mental. Os pesquisadores descobriram que a exposição ao Óleo Essencial de
bergamota melhorou os sentimentos positivos dos participantes no grupo
experimental.

A depressão é considerada uma epidemia moderna, tamanho o seu crescimento


ao longo dos últimos anos. Tratamentos complementares, como a Aromaterapia,
podem nos auxiliar a lidar de modo mais natural com esses problemas, seja como
protagonista de um tratamento ou como um complemento.
E você, já percebeu o efeito do óleo de bergamota em seu humor? Foi efetivo?

Recipe

Meditação olfativa: o Sol quer brilhar!

A receita desta semana é simples, mas seus efeitos não deixam de ser potentes.
Como sabemos, a inalação de Óleos Essenciais comunica sinais ao sistema
olfatório, estimulando o cérebro a enviar neurotransmissores (como a serotonina e
a dopamina) para regular o humor. É por isso que uma meditação aromática pode
ser uma poderosa estratégia no manejo cotidiano do estresse e até de sentimentos
depressivos.

A meditação não é uma prática exclusiva de alguma religião ou cultura específica,


é uma maneira saudável de reduzir o estresse, diminuir os níveis de respiração e
batimentos cardíacos, normalizar a pressão arterial, retardar o envelhecimento do
corpo, trazer clareza de pensamento, expandir a consciência e pode também ser
uma prática espiritual.

Sente-se em um lugar calmo e tranquilo. Coloque algumas gotas do óleo de


Bergamota em uma vareta de madeira, em um pedaço de tecido ou no seu Colar
Aromático (difusor pessoal). Feche os olhos e se concentre na sua respiração por
um minuto ou mais, acalmando sua mente. Quando você se sentir relaxado,
comece a inspirar o aroma de seu óleo.

Deixe o perfume solar da Bergamota penetrar em si mesmo e observe o que


acontece em seu corpo e em suas emoções. Deixe que seu coração expanda e
aceite a luminosidade deste óleo, como quem reconhece que o sol quer brilhar.

Não busque fazer análises ou julgamentos, apenas viva o momento presente e se


liberte de qualquer coisa. O poder do óleo estará cuidando de você, auxiliando a
liberar o que você precisa e trazendo o poder de cura.

Faça esta meditação por 5 a 10 minutos e descanse.

Esta meditação pode ser feita quantas vezes você desejar, com o mesmo ou com
outro Óleo Essencial.

Você também pode gostar