Você está na página 1de 22

IDENTIDADES – ITINERÁRIO LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS

1
2
3
4

Identidades:
Espelho, espelho
meu!
5
6

1
IDENTIDADES – ITINERÁRIO LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS

1 Apresentação
2

3 Identidades podem ser entendidas como traços Sumário


4 característicos de sujeitos que, na expressão de sua Texto Introdutório ........................................................... 2
5 individualidade, ao mesmo tempo se constituem e se
Ementa .......................................................................... 2
6 constroem ao longo de estórias e de uma história pessoal de
7 vida, perpassando por lugares socialmente relacionáveis, de Estrutura Geral dos Objetos de Conhecimento: ............ 6
8 partilhas e na convivência coletiva. A forma como vemos o Unidades Curriculares ................................................... 7
9 “mundo exterior” (público) e nos posicionamos a ele, revela
Módulo Básico: Imaginários e Memórias .................... 7
10 como mobilizamos nosso “mundo interior” (pessoal) a partir
11 de um conjunto de sentidos e significados para nós Módulo Intermediário:Sentidos e Significados ........... 11
12 importantes que possibilitam uma expressão do existir e de
Módulo Avançado: Partilhas e Pertencimentos .......... 14
13 pertencer no mundo. Nesse sentido, o Itinerário Formativo
14 Identidades: Espelho, espelho meu, propõe-se a desenvolver
Referências .................................................................. 18

15 nos/as estudantes uma capacidade consciente e crítico


16 argumentativa de si, considerando que pela mobilização de
17 linguagens: artística, corporal e/ou linguísticas, potencializar-
18 se-á seu enfrentamento sobre as dinâmicas da realidade ao
19 perpassar pelo diálogo com sua formação humana, com o
20 exercício da cidadania e sua inserção futura no mundo do trabalho.

2
IDENTIDADES – ITINERÁRIO LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS

1 Mobiliza Conceitos das áreas 25 espaço-tempo, para o aprimoramento de uma ação consciente
26 ao comunicar-se na sociedade;
2 Linguagens e Suas Tecnologias
27 *Mobilizar processos criativos sob as mais diversas formas
3 Perfil do/a Egresso/a
28 representativas: artística, corporal e/ou linguística, articulando
4 Os/as egressos/as do Itinerário Formativo Identidades: 29 aspectos referentes à comunicação e expressão, para sua
5 Espelho, Espelho meu, deverão estar aptos/as ao 30 aplicabilidade no contexto sócio-histórico-cultural pertencente
6 desenvolvimento, por meio de unidades curriculares, de todo 31 de maneira transformadora;
7 um conjunto das práticas de linguagem: artística, corporal e/ou
32 * Avaliar possibilidades de mediação e intervenção
8 linguística, aprimorando sua capacidade crítico-reflexiva de
33 sociocultural pela criticidade de opiniões, relações de poder e
9 (auto) reconhecimento acerca de processos de constituição
34 posicionamentos no campo das linguagens: artística, corporal
10 e/ou construção identitária para potencializar o enfrentamento
35 e/ou linguística, construindo um processo dialógico coletivo,
11 de questões presentes no cotidiano de sua formação humana,
36 para contribuir em seu aprimoramento individual e/ou coletivo;
12 no exercício de sua cidadania e ainda em suas futuras relações
13 com o mundo do trabalho. 37 * Criar produções diversas por meio de práticas: artísticas,
38 corporais e/ou linguísticas, realizando de maneira
14 Cursos que têm relação com as competências propostas
39 empreendedora diferentes formas de comunicação e
15 pelo Itinerário
40 expressão, para significar a realidade no aprofundamento de
16 Arte (Artes Visuais, Dança, Música ou Teatro), Design, 41 suas conexões.
17 Comunicação Social (Jornalismo, Relações Públicas,
42 Relação das competências do Itinerário com as
18 Publicidade e Propaganda), Educação Física, Marketing,
43 competências das áreas da BNCC
19 Letras (Espanhol, Inglês e Português), Pedagogia, dentre
20 outras áreas afins. 44 *Competências Gerais da BNCC: 01, 02, 03, 04, 05, 06, 07, 08,
45 09 e 10.
21 Competências Específicas do Itinerário
46 Competências da Área de Linguagens e Suas Tecnologias: 01,
22 *Desenvolver investigação científica sobre os diferentes
47 02, 03, 04, 05, 06 e 07.
23 discursos: artístico, corporal e/ou linguístico, analisando-os na
24 diversidade de relações que consideram sua dinâmica de 48 Carga Horária:

3
IDENTIDADES – ITINERÁRIO LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS

1 Unidades Curriculares 28 das linguagens e que criam as condições simbólicas e


29 necessárias para que haja o surgimento e uma assumidade de
2 O Itinerário Formativo “Identidades” estará organizado em três
30 certo papel identitário social.
3 módulos. Cada módulo se estrutura conceitualmente a partir de
4 uma unidade curricular geral, integrando as diferentes 31 -Módulo Avançado: Tem como eixo estruturante tanto a
5 linguagens por conexões que direcionarão suas práticas no 32 mediação e intervenção sociocultural quanto ao
6 entendimento de que um ou dois eixos estruturantes 33 empreendedorismo, se aprofundaria naquilo que fora discutido
7 constituem ainda a base de seu funcionamento. 34 nos módulos anteriores, verticalizando ainda mais a discussão
35 em razão da ideia de partilhas e de pertencimentos sócio-
8 -Módulo Básico: A partir da investigação científica, aqui 36 histórico-culturais. Porém, agora conectado ao projeto de vida
9 definida como eixo estruturante, busca fornecer elementos 37 na ideia de se provocar momentos de posicionamentos entre
10 gerais observados nas práticas de linguagens: artística, 38 os/as estudantes que, orientados por professores /as, se
11 corporal e/ou linguística, para a compreensão de constituições 39 dariam numa das três práticas de linguagens: artística, corporal
12 identitárias no mundo. Ao centralizar-se nos sujeitos e em suas 40 ou linguística. Como módulo final, contribuindo para a
13 múltiplas relações que perpassam pelos (não) lugares de 41 educação e a formação integral dos/as estudantes,
14 imaginários e de memórias individuais vivenciadas ao longo de 42 materializariam-se no conjunto das práticas, tudo o que pudera
15 sua existência, permite que os/as estudantes reconheçam a si, 43 ser desenvolvido em relação à discussão a respeito de
16 em si e nos outros, a partir da ideia central de que há uma 44 identidades. Seria, portanto, o momento dos/as estudantes
17 identidade cultural transitória e especificamente constituída 45 apresentarem seus entendimentos sobre a proposta do
18 dada a articulação entre trajetos e linguagens. 46 itinerário formativo correlacionando-o à sua vida pessoal,
19 -Módulo Intermediário: Estruturado em torno de processos 47 coletiva imediata e futura. É importante enfatizar que os
20 criativos como eixo, traz na especificidade das práticas de 48 módulos e as unidades curriculares poderão ser desenvolvidos
21 linguagens: artísticas, corporais e/ou linguísticas, outros 49 de forma transversal por docentes de diversas áreas do
22 elementos que ajudariam na compreensão da dinâmica de 50 conhecimento, bastando distribuir as habilidades sugeridas
23 relações que dão sentidos e significados identitários desse 51 nas áreas e nos componentes curriculares existentes.
24 existir. Significaria dizer, em outras palavras, que todo um
52 Modalidades: Todos os módulos deverão ocorrer na
25 conjunto de elementos são construídos nesse sistema de
53 modalidade presencial.
26 relações no campo da cultura e que nele configuram-se
27 movimentos e representações que se estabelecem no campo

4
IDENTIDADES – ITINERÁRIO LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS

1 Pré-requisito: Nenhuma unidade tem pré-requisito, ainda que 7 organizá-las de acordo com seus objetivos e/ou em parceria
2 a organização em módulos seja sugerida como progressão. 8 com outras instituições.

3 Oferta das unidades pela escola: As unidades curriculares 9 Relação com outros itinerários: Este itinerário dialoga com
4 recomendadas neste itinerário podem ser ofertadas de acordo 10 o itinerário formativo: Comunicação: Movimentos, Práticas e
5 com a proposta pedagógica da unidade escolar. Embora 11 Sentidos do Existir”.
6 estejam alocadas em módulos, cada instituição poderá
12

5
IDENTIDADES – ITINERÁRIO LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS

1 Estrutura Geral dos Objetos de Conhecimento:


21 • Possibilidades identitárias: sentidos e significados
2 É importante frisar que os módulos e as unidades curriculares 22 constitutivos;
3 poderão ser desenvolvidos de forma transversal por docentes 23 • As diversas formas representativas de uma mesma e/ou de
24 várias identidades;
4 de diversas áreas do conhecimento, bastando distribuir as
25 • As linguagens e seu papel processual de construção
5 habilidades sugeridas nas áreas e nos componentes 26 identitária;
6 curriculares existentes. 27 • Práticas artísticas, corporais e linguísticas: maneiras de se
28 fazer existir e de se materializar uma exteriorização de si.
7 1. Módulo Básico: Imaginários e Memórias
29 3. Módulo Avançado: Partilhas e Pertencimentos*
8 Eixo Estruturante: Investigação Científica
30 Eixos Estruturantes: Mediação e Intervenção Sociocultural
9 Conexões: Trajetos e Linguagens
31 e Empreendedorismo
10 • Sujeitos: somos um conjunto de imaginários e de memórias
11 histórico-sociais em movimento? 32 Conexão: Trabalho, Comunicação e Linguagens
12 • Trajetos percorridos, trilhas e constituições identitárias: a 33 • Sociedade: um (não) lugar de possibilidades identitárias;
13 história de vida e as formas de existir de cada um; 34 • Posicionamentos sobre a configuração da realidade: o
14 • As linguagens como um caminho e suas contribuições no 35 mundo real e o mundo virtual;
15 processo de construção das identidades; 36 • Identidades, ações e momentos de partilhas sócio-histórico-
16 • Identidade cultural: o que poderia unificar e diferenciar os/as 37 culturais;
17 estudantes em níveis local/regional, nacional e global? 38 • As linguagens como expressão e o diálogo sobre as diversas
39 possibilidades de condição do pertencimento da juventude.
18 2. Módulo Intermediário: Sentidos e Significados 40 * Sob orientação docente e articulado ao desenvolvimento de seu
41 projeto de vida, o/a estudante optará no módulo avançado pela
19 Eixo Estruturante: Processos Criativos
42 finalização de suas unidades curriculares numa das três práticas
20 Conexão: Representações e Linguagens 43 de linguagem: artística, corporal ou linguística.

44

45 6
IDENTIDADES – ITINERÁRIO LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS

1 Unidades Curriculares
2 Módulo Básico: Imaginários e Memórias
3 Conexão: Trajetos e Linguagens
4 Perfil do docente: Licenciado/a em: 10 Recursos Necessários: 16 filmes, vídeoaulas, simulados, materiais
5 Arte (Artes Visuais, Dança, Música ou 11 Salas, biblioteca, espaços e ambientes 17 do ENEM elaborado pela SEDUC.
6 Teatro) ou áreas afins; Educação 12 que permitam a realização das práticas 18 Carga horária:
7 Física; Letras: Espanhol, Inglês e 13 artísticas, corporais e/ou linguísticas; 19 Práticas Linguísticas
8 Português com aulas dinâmicas e 14 Caixa de som, projetor, computadores 20 Práticas Corporais
9 conhecimento em informática. 15 com acesso à internet, uso das mídias, 21 Práticas Artísticas
Eixo CH Habilidade Objetos de Conhecimento Práticas Sugeridas (como desenvolver a habilidade)

7
Conhecer as origens do lugar onde vive através de pesquisas na biblioteca local,
órgãos públicos para levantar dados (como surgiu o nome, os primeiros habitantes,
objetos, fotos, utensílios etc. que representam as memórias do lugar), pesquisar que
possam ser trabalhados no decorrer do itinerário.
Fazer uma lista de membros da comunidade (idosos e adultos) que possam ajudar
nessa tarefa de identificar fatos importantes expressando o modo como sentiram e
viveram esses acontecimentos. O que interessa é que as lembranças sejam fortes e
significativas para quem as conta.
Identificar através das leituras de diferentes poetisas, contistas e artistas goianas,
brasileiras, como também, escritoras de língua espanhola e língua inglesa, sua
história, trajetória, reconhecendo costumes, lutas e lugares de uma época, para que
possamos estabelecer um paralelo de vida, das sociedades daquele período com a
sociedade “moderna” atual.
Redigir textos quanto a historicidade da capoeira, reconhecendo-a como expressão
corporal, comunicação e linguagem para construção da autonomia, autoimagem e do
(EMIFLGG01) Investigar e analisar a exercício da cidadania.
organização, o funcionamento e/ou os Identificar através de pesquisas na comunidade escolar, se existem grupos praticantes
Investigação científica

efeitos de sentido de enunciados e Interlocução e contexto, os gêneros do discurso, de capoeira e quais tipos existem na comunidade.
discursos materializados nas diversas memórias (gênero), relato (gênero). Identificar por quais imaginários foram construídas as memórias culturais da
línguas e linguagens (imagens comunidade ou cidade no passado, analisando os elementos artísticos que se
estáticas e em movimento; música; apresentavam na época:
linguagens corporais e do movimento, Conceitos históricos (memórias) da capoeira.
- Investigar bandas, grupos musicais, teatrais, eventos culturais, exposições e artistas.
entre outras), situando-os no contexto - Selecionar materiais e documentos que tratam da temática, realizando diferentes
de um ou mais campos de atuação Métodos de pesquisa, seleção de informações, formas de exposições (mural, seminários, apresentações).
social e considerando dados e Recursos de criação de efeitos de sentido, - Realizar entrevistas com pessoas ou familiares que vivenciaram esta época, como
informações disponíveis em diferentes Processos de criação. forma de conhecer os entremeios históricos.
mídias.
Identificar por quais imaginários são construídas as memórias culturais da comunidade
ou cidade no presente, analisando os elementos artísticos que se apresentam:
- Investigar bandas, grupos musicais, teatrais, eventos culturais, exposições e artistas.
- Selecionar materiais e documentos que tratam da temática, realizando diferentes
formas de exposições (mural, seminários, apresentações).
- Realizar entrevistas com pessoas ou familiares que possuem destaque na atualidade,
como forma de conhecer os entremeios históricos atuais.

Investigar a relação que se estabelece entre memória, manifestações artísticas e


identidade regional, buscando identificar nestes textos como práticas artísticas se
relacionam com os elementos sócio-culturais de sua região.

8
Elaborar um questionário, individualmente ou em grupo para entrevistar os/as
idosos/as e adultos locais, levantando dados como: acontecimentos históricos, festas
tradicionais, tradições rurais e religiosas, lendas, narrativas individuais, os pontos de
encontro da época da juventude etc. Escolher recursos multimídias para auxiliar na
coleta de dados, fotografia, filmagem, gravação etc.
(EMIFLGG02) Levantar e testar
hipóteses sobre a organização, o Realizar a entrevista com os/as idosos/as e adultos locais.
funcionamento e/ou os efeitos de Analisar criticamente as informações disponíveis em diversas fontes de pesquisa
Entrevista, relato.
sentido de enunciados e discursos sobre a capoeira, apontando as possibilidades de sua prática em seu bairro ou
Diferentes estilos da capoeira como expressão
materializados nas diversas línguas e comunidade escolar, avaliando os discursos e suas motivações como direito social.
social (estilos da capoeira)
linguagens (imagens estáticas e em
Preconceitos, ética, comunidade, pertencimento.
movimento; música; linguagens Utilizar informações, conhecimentos e ideias resultantes de investigações científicas,
Métodos de pesquisa, seleção de informações,
corporais e do movimento, entre criando ou propondo soluções para problemas como falta de espaços para a prática
Recursos de criação de efeitos de sentido,
outras), situando-os no contexto de um da capoeira na comunidade e o combate ao preconceito com relação a esta prática
Processos de criação, relato oral, deduções e
ou mais campos de atuação social e corporal.
inferências de informações.
utilizando procedimentos e linguagens Comparar e relacionar quais os elementos artísticos e culturais do passado
adequados à investigação científica. selecionados na atividade anterior, que influenciaram os elementos artísticos atuais:

- Destacar os aspectos (políticos, ideológicos, elementos estruturantes das


linguagens artísticas) de inovação e analisar o movimento de suas modificações.
- Investigar como surgiram e como se firmaram as identidades dos elementos artísticos
destacados.

9
(EMIFLGG03) Selecionar e
sistematizar, com base em estudos
e/ou pesquisas (bibliográfica, Organizar reuniões com o objetivo de discutir sobre o que foi levantado com o
exploratória, de campo, experimental questionário e na pesquisa sobre as memórias do lugar e como os objetos que
etc.) em fontes confiáveis, informações representam as memórias serão usados.
sobre português brasileiro, língua(s) e/ Avaliar as informações colhidas na comunidade local, utilizando como referencial
ou linguagem (ns) específicas, visando textos jornalísticos, entrevistas com pessoas idosas, sobre suas memórias com
Discussão coletiva, exposição e explicação,
fundamentar reflexões e hipóteses relação a prática da capoeira.
tomada de notas, relatório.
sobre a organização, o funcionamento
Conhecer a capoeira,
e/ou os efeitos de sentido de Discutir a capoeira como prática de lazer nas dimensões da estética, comunicação e
Características da capoeira,
enunciados e discursos materializados de entretenimento.
Conhecimento dos instrumentos,
nas diversas línguas e linguagens Identificar elementos que configuram uma identidade regional nas manifestações
Métodos de pesquisa, seleção de informações,
(imagens estáticas e em movimento; artísticas em diversos contextos e períodos: artistas, grupos e companhias e suas
Recursos de criação de efeitos de sentido,
música; linguagens corporais e do produções artísticas.
Processos de criação, relato oral, deduções e
movimento, entre outras), identificando
inferências de informações.
os diversos pontos de vista e Catalogar o repertório das práticas artísticas que constituem o patrimônio material,
posicionando-se mediante imaterial, cultural e artístico do seu contexto local construindo um acervo para futuras
argumentação, com o cuidado de citar pesquisas.
as fontes dos recursos utilizados na
pesquisa e buscando apresentar
conclusões com o uso de diferentes
mídias.

10
IDENTIDADES – ITINERÁRIO LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS

1 Módulo Intermediário:Sentidos e Significados


2 Conexão: Representações e Linguagens
3 Perfil do docente: Licenciado/a em: 9 Recursos Necessários: 15 filmes, vídeoaulas, simulados, materiais
4 Arte (Artes Visuais, Dança, Música ou 10 Salas, biblioteca, espaços e ambientes 16 do ENEM elaborado pela SEDUC.
5 Teatro) ou áreas afins; Educação 11 que permitam a realização das práticas 17 Carga horária:
6 Física; Letras: Espanhol, Inglês e 12 artísticas, corporais e/ou linguísticas; 18 Práticas Linguísticas
7 Português com aulas dinâmicas e 13 Caixa de som, projetor, computadores 19 Práticas Corporais
8 conhecimento em informática. 14 com acesso à internet, uso das mídias, 20 Práticas Artísticas
Eixo CH Habilidade Objetos de Conhecimento Práticas Sugeridas (como desenvolver a habilidade)

11
Fazer a curadoria das informações coletadas. (Catalogar objetos, organizar os dados
em ordem cronológica etc.). Analisar os dados colhidos, levantar pontos positivos e
negativos sobre a sociedade local e avaliar quais têm mais relevância para a partir
deles propor intervenções.

Analisar os significados/sentidos predominantes nos discursos das mídias sobre a


capoeira.
Discussão coletiva, Exposição e Explicação,
Tomada de notas, Relatório, Painel. Participar das atividades de capoeira com todos os colegas, independente das
Processos Criativos

(EMIFLGG04) Reconhecer produtos questões de gênero, biótipo ou rendimento, adotando atitudes solidárias entre as
e/ou processos criativos por meio de Discurso de mídia.
vivências.
fruição, vivências e reflexão crítica
sobre obras ou eventos de diferentes Métodos de pesquisa, seleção de informações, Elaborar formas de registro voltadas as vivências da capoeira: desenho, escrita,
práticas artísticas, culturais e/ou recursos de criação de efeitos de sentido, fotografias, relato oral.
corporais, ampliando o processos de criação, relato oral, deduções e Apreciar diversas manifestações artísticas, considerando os elementos da linguagem
repertório/domínio pessoal sobre o inferências de informações. em Artes Visuais, Dança, Música ou Teatro.
funcionamento e os recursos da(s) Analisar o conjunto de sentidos, significados partilhados e construídos por artistas
língua(s) ou da(s) linguagem(ns). em suas obras e suas práticas.
Promover experiências sensoriais, por meio de uma ou mais linguagem, colocando
em destaque conhecimentos, sensações, lembranças, de experiências anteriores, a
fim de refletir sobre como elas serviram de base para as atuais experiências.

Relacionar os conhecimentos e elementos destacados nas experiências, aplicando-


os em diferentes composições, a fim de promover as diversas formas representativas
de uma mesma e/ou de várias identidades;

12
Organizar as memórias mais significativas da entrevista em forma de textos
(retextualização), considerando o plano global do gênero discursivo Memórias.

Convidar algum mestre de Capoeira para realizar oficinas com movimentos


Gênero Memórias, pontuação, conectores e específicos dos ritmos fundamentais e básicos.
(EMIFLGG05) Selecionar e mobilizar
relações semânticas. Jogar capoeira na roda procurando demonstrar criatividade nos próprios
intencionalmente, em um ou mais
Movimentos Fundamentais: Ginga movimentos.
campos de atuação social, recursos
Movimentos Básicos: aú, cocorinha e negativa Ampliação do conhecimento técnico e tático da capoeira compreendo-os através de
criativos de diferentes línguas e
Técnica e Tática da capoeira recursos áudio visual.
linguagens (imagens estáticas e em
Métodos de pesquisa, seleção de informações, Criar propostas de ações artísticas (debates, concertos, peças teatrais, vídeos para
movimento; música; linguagens
Recursos de criação de efeitos de sentido, WhatsApp e/ou YouTube, espetáculos em espaços culturais) que representam o
corporais e do movimento, entre
Processos de criação, relato oral, deduções e sujeito em sua trajetória (sujeito: passado - presente e um possível futuro), com o fim
outras), para participar de projetos
inferências de informações. de gerar sentidos e significados, situando-o em diferentes campos de atuação.
e/ou processos criativos.
Mobilizar, a partir da atividade anterior, os elementos estruturantes de uma ou mais
linguagem, de modo a integrá-las, desenvolvendo manifestações artísticas, com o
fim de apresentar diferentes maneiras de se fazer existir e de se materializar uma
exteriorização de si.

13
Planejar os eventos que serão realizados junto com a comunidade escolar e a
comunidade local para discutir as possíveis soluções de problemas encontrados
Elaborar convites, cartazes. através da pesquisa na comunidade: preconceitos, desvalorização da cultura local,
(EMIFLGG06) Propor e testar
Discussão coletiva, exposição e explicação, pertencimento etc. e como as memórias locais podem ser difundidas e valorizadas na
soluções éticas, estéticas, criativas e
tomada de notas, relatório, convite. sociedade local.
inovadoras para problemas reais,
utilizando as diversas línguas e
Publicações, informes, cartazes e reportagens. LE: Pesquisar publicações, informes, cartazes e reportagens, em que as mulheres se
linguagens (imagens estáticas e em
Etimologia dos apelidos na capoeira. destacam como precursoras no cenário esportivo e sua busca ainda hoje por um
movimento; línguas; linguagens
Métodos de pesquisa, seleção de informações, espaço de oportunidade e reconhecimento e igualdade.
corporais e do movimento, entre
recursos de criação de efeitos de sentido, Discutir os termos utilizados na capoeira e suas implicações na linguagem; a
outras), em um ou mais campos de
processos de criação, relato oral, deduções e etimologia dos apelidos (capoeira, por exemplo)
atuação social, combatendo a
inferências de informações, avaliação dos
estereotipia, o lugar comum e o clichê.
efeitos de sentido produzidos. Analisar a aplicar a música como elemento de base para se movimentar na capoeira.
Organizar as memórias em forma de textos, de poemas, sonoridade, expressões
visuais e cênicas, considerando o plano global do gênero discursivo Memórias, a fim
de avaliar as linguagens e seu papel processual de construção identitária.

1
2 )

14
IDENTIDADES – ITINERÁRIO LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS

1 Módulo Avançado: Partilhas e Pertencimentos1


2 Conexão: Posicionamentos e Linguagens
3 Perfil do/a docente: Licenciado/a em: 9 Recursos Necessários: 15 filmes, vídeoaulas, simulados, materiais
4 Arte (Artes Visuais, Dança, Música ou 10 Salas, biblioteca, espaços e ambientes 16 do ENEM elaborado pela SEDUC.
5 Teatro) ou áreas afins; Educação 11 que permitam a realização das práticas 17 Carga horária:
6 Física; Letras: Espanhol, Inglês e 12 artísticas, corporais e/ou linguísticas; 18 Práticas Linguísticas
7 Português com aulas dinâmicas e 13 Caixa de som, projetor, computadores 19 Práticas Corporais
8 conhecimento em informática. 14 com acesso à internet, uso das mídias, 20 Práticas Artísticas
Eixo CH Habilidade Objetos de Conhecimento Práticas Sugeridas (como desenvolver a habilidade)
Mediação e Intervenção Sociocultural

Promover debates na comunidade sobre os problemas levantados a partir das


Debate, pronomes e termos oracionais, Vícios pesquisas.
de linguagem: ambiguidade, cacofonia, Relacionar a capoeira com aspectos religiosos (se existirem) nomes dos golpes,
plebeísmo, tautologia. objetivos, roupas e instrumentos.
(EMIFLGG07) Identificar e explicar
questões socioculturais e ambientais Capoeira e Religião Elaborar formas de participação adaptadas a partir da capoeira facilitando atuação
passíveis de mediação e intervenção Sentido dos instrumentos, vestimentas e dos pessoal e dos colegas nas atividades propostas.
por meio de práticas de linguagem. objetivos utilizados na capoeira. Identificar, a partir das aulas anteriores, elementos como: imaginários, as
Métodos de pesquisa, seleção de informações, manifestações artísticas, memórias culturais da comunidade ou cidade, experiências
recursos de criação de efeitos de sentido, sensoriais sentidos, representações, entrevistas, materiais e documentos
processos de criação, relato oral, deduções e selecionados, entre outros, inter-relacionando com os lugares (mundo real e o mundo
inferências de informações, avaliação dos virtual) que os/as estudantes atuam, a fim de encontrar soluções para questões
efeitos de sentido produzidos. socioculturais, éticas e ambientais.

1
Sob orientação docente e articulado ao desenvolvimento de seu projeto de vida, o/a estudante optará neste módulo avançado pela finalização de suas
unidades curriculares numa das três práticas de linguagem: artística, corporal ou linguística.

15
Fazer a curadoria dos dados colhidos nos debates com a comunidade sobre sua
realidade e sobre as possíveis propostas de intervenção para problemas locais.

(EMIFLGG08) Selecionar e mobilizar Investigar as ações de mulheres que desenvolveram práticas que romperam com a
Discussão coletiva, exposição e explicação, quebra de crenças, paradigmas e estereótipos que rodeiam o universo feminino, para
intencionalmente conhecimentos e
tomada de notas, relatório. que os/as estudantes sejam capazes de promover debates, ações e exposições de
recursos das práticas de linguagem
Debates, ações e exposições de conscientização acerca das mulheres do passado e das mulheres do mundo
para propor ações individuais e/ ou
conscientização. contemporâneo.
coletivas de mediação e intervenção
Conceito de violência, lutas e brigas, ética,
sobre formas de interação e de Desenvolver a capacidade de tomadas de decisões, demandadas em situação de
Reflexão sobre o conteúdo, seleção de
atuação social, artístico-cultural ou oposição.
informações, recursos de criação, deduções e
ambiental, visando colaborar para o
inferências de informações, reflexão sobre o
convívio democrático e republicano Propor soluções para conflitos gerados por violência existentes na comunidade,
conteúdo temático.
com a diversidade humana e para o considerando a capoeira como prática de socialização, autocontrole e
cuidado com o meio ambiente. autoconhecimento.
Promover debates na comunidade sobre os problemas levantados a partir das
pesquisas, a fim de criar coparticipações e posicionamentos sobre as diferentes
configurações da realidade sejam eles no mundo real e no mundo virtual.

Criar soluções para os eventuais problemas que possam aparecer após as


investigações realizadas sobre o lugar onde moram, como por exemplo, a falta de
um museu que identifique as histórias do lugar, desvalorização da cultura local, falta
(EMIFLGG09) Propor e testar Discussão coletiva, exposição e explicação, de espaços de cultura (biblioteca, cinema, teatro etc.) hipervalorização da cultura
estratégias de mediação e intervenção tomada de notas, relatório, convite. externa, desrespeito ao/à idoso/a etc.
sociocultural e ambiental, selecionando Planejamento, estratégias, métodos de
adequadamente elementos das pesquisa, projetos de vida, processos de criação Desenvolver planejamentos artísticos e sua aplicabilidade na comunidade como
diferentes linguagens. e recursos de criação e de efeitos de sentido, forma de combate à problemas éticos, valorizando identidades, ações e momentos
avaliação. de partilhas socio-histórico-culturais;

16
Organizar uma exposição de objetos que compõem a identidade da comunidade a
fim de resgatar a história local.
Elaborar texto curatorial que apresenta o acervo em questão ao público, uma espécie
de carta de boas-vindas. Elaborar convites para a exposição.
(EMIFLGG10) Avaliar como Analisar um (não) lugar de possibilidades identitárias; levantar as atividades
oportunidades, conhecimentos e Discussão coletiva, exposição e explicação, produtivas que estes (não) lugares desenvolvem quais as tecnologias que utilizam e
recursos relacionados às várias tomada de notas, relatório. os impactos socioambientais que causam.
linguagens podem ser utilizados na Planejamento, estratégias, seleção de
concretização de projetos pessoais ou informações, recursos de criação, métodos de Montar um organograma, painel, apresentação que situe este não lugar na cidade e
produtivos, considerando as diversas pesquisa, reflexão sobre o conteúdo temático, disponibilizar na escola.
tecnologias disponíveis e os impactos avaliação.
socioambientais. Criar e propor um projeto de ação que explore as linguagens artísticas e corporais a
fim de integrar a comunidade e que possam ser compartilhadas também ideias de
produtos, dentre outras atividades geradoras de consumo consciente e
empreendedor.

Promover rodas de conversas entre os/as jovens da comunidade escolar com os/as
Empreendorismo

idosos/as da comunidade local para que estes ressignifiquem suas memórias por
meio da oralidade.
Organizar um guia cultural artístico local que apresente possibilidades de
desenvolver projetos de ações coletivas que relacionem as práticas de linguagem a
(EMIFLGG11) Selecionar e mobilizar Variedades linguísticas, relato.
atividades empreendedoras para uma comunidade.
intencionalmente conhecimentos e Planejamento, estratégias, seleção de
recursos das práticas de linguagem informações, recursos de criação, métodos de
Elaborar um projeto de ação social empreendedor a ser realizado na escola e
para desenvolver um projeto pessoal pesquisa, reflexão sobre o conteúdo temático,
estender as ações para a comunidade.
ou um empreendimento produtivo. avaliação.
Realizar atividades sociais e oferecer oficinas de artesanato, de culinária, de saúde e
leitura e convidar a comunidade local para participar e também comercializar seus
produtos.

Criar documentários, vídeos para WhatsApp e/ou YouTube, blogs, páginas na web,
saraus, ebook para apresentar à comunidade escolar as memórias locais.
(EMIFLGG12) Desenvolver projetos Gêneros digitais, Pronomes, Vícios de Realizar um seminário que contemple saberes dos diferentes componentes da área
pessoais ou produtivos, utilizando as linguagem. das linguagens cuja temática considere como empreender com responsabilidade
práticas de linguagens socialmente Planejamento, estratégias, seleção de socioambiental.
relevantes, em diferentes campos de informações, recursos de criação, métodos de
atuação, para formular propostas pesquisa, processos de criação e recursos de Criar um produto educacional artístico-cultural utilizando as práticas de linguagens
concretas, articuladas com o projeto de criação e de efeitos de sentido, reflexão sobre o para tanto utilizar uma das formas de registro de um estudo de campo pode ser um
vida. conteúdo, avaliação. relato multimidiático, que articule escrita, fotos, depoimentos gravados, mapas,
infográficos etc. e disponibilizar em uma plataforma de compartilhamento gratuita na
internet.

17
1 2

20
2 Referências
3 ALVES, Gislene de Araújo. ENTRE A VIDA E A MÚSICA: A 21
4 CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE PROFISSIONAL 22
5 DOCENTE DE LICENCIANDOS EM MÚSICA DA UFRN. III
23 FREIRE, Madalena. Observação, registro e reflexão. São
6 CONEDU Congresso Nacional de Educação, 2016.
7 AUGÉ, Marc. Não lugares: introdução a uma antropologia da 24 Paulo: Espaço Pedagógico, 1996.

8 supermodernidade. Campinas: Papirus, 1994. 25 GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro:

9 BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins 26 Ed. Guanabara, 1989.

10 Fontes, 1992. 27 ______. O saber local: novos ensaios em antropologia

11 BOSI, Ecléa. “Uma experiência humanizadora”, in: Na Ponta 28 interpretativa. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

12 do Lápis – No túnel do tempo. Fundação Itaú/Cenpec, ano I, nº 29 HALL, S. (2006). A identidade cultural na pós-modernidade

13 - 2, ago./set., 2005. 30 (11ª. Edição). São Paulo: DP&A.

14 CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 31 LAPLATINE, François; TRINDADE, Liana. O que é imaginário.

15 Petrópolis: Vozes, 1998. 32 São Paulo: Editora Brasiliense S/A, 1997. Disponível em: <

16 DUARTE JÚNIOR, João Francisco. O sentido dos sentidos: a 33 http://www.scribd.com/doc/47778902/O-Quee-Imaginario-

17 educação (do) sensível. 2000. Tese (Doutorado em Educação) 34 Francois-Laplantine-Liana-Trindade-Colecao-Primeiros-

18 – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de 35 Passos#scribd > acesso: 10/11/2019.

19 Educação, Campinas, São Paulo, 2000.

2
18
1 Artigo: Visualidades: memória e cultura visual - Disponível em: 21 UNESCO E MINISTÉRIO DA CULTURA. Patrimônio imaterial:
2 http://www.anpap.org.br/anais/2010/pdf/ceav/sainy_coelho_bo 22 política e instrumentos de identificação, documentação e
3 rges_veloso.pdf acesso: 12/11/2019. 23 salvaguarda. Brasília, 2008.
4 24 Revista digital: Do não lugar ao lugar: 03 exemplos que valem
5 25 a pena conhecer - Disponível em: http://www.courb.org/pt/do-
6 MARCUSCHI, Luiz A. Linguística do texto: o que é, como se 26 nao-lugar-ao-lugar-03-exemplos-que-valem-a-pena-conhecer/
7 faz. Recife: UFPE, 1983. 27 acesso: 10/11/2019.
8 —. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São 28 Revista digital: LUMINA - Identidade e memória: um olhar a
9 Paulo: Cortez, 2001. 29 partir dos Estudos Culturais -Disponível em:
10 30 https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/20985
11 SANTAELLA, Lúcia. Linguagens líquidas na era da mobilidade. 31 acesso: 10/11/2019.
12 São Paulo: Paulus, 2007. 32 Artigo: Conflito de não lugares e identidades -
13 SERRES, Michel. Os cinco sentidos: a filosofia dos corpos 33 https://www.uc.pt/fluc/depgeotur/publicacoes/Cadernos_Geog
14 misturados. Trad. Eloá Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand 34 rafia/Numeros_publicados/CadGeo24_25/artigo25 acesso:
15 Brasil, 2001. 35 10/11/2019.
16 . 36 Revista digital: - Revista Brasileira de Literatura Comparada,
17 RIBEIRO, D. O povo brasileiro: a formação e o sentido do 37 2017 - texto: Sujeito e identidade cultural - Disponível em:
18 Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. SANTOS, B. 38 http://revista.abralic.org.br/index.php/revista/article/viewFile/4/
19 de S. Modernidade, identidade e a cultura de fronteira. Revista 39 5
20 Social. São Paulo: USP, 1994, v. 5, n. 1-2, p. 31-52, 1994

19
1 Artigo: O lugar da arte na memória social e na identidade 21 do Chile, de 25 a 30 de setembro de 2005. Claves n. 2 -
2 cultural - 22 Novembro de 2006. Disponível em:
3 https://www.doity.com.br/media/doity/submissoes/artigo- 23 https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/2443/1/2715-4175-1-
4 b7171b9014d9a30a750c03e99896dea5de6658dc-arquivo.pdf 24 PB.pdf Acesso em: 13 nov. 2019.
5 acesso: 10/11/2019. 25 SOUZA, Jusamara. Música, educação e vida cotidiana:
6 Artigo: A ARTE DE REPRESENTAR COMO 26 apontamentos de uma sociografia musical. Educar em Revista,
7 RECONHECIMENTO DO MUNDO: O ESPAÇO 27 Curitiba, Brasil, n. 53, p. 91-111, jul./set. 2014. Editora UFPR.
8 GEOGRÁFICO, O CINEMA E O IMAGINÁRIO SOCIAL - 28 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n53/07.pdf Acesso
9 Disponível em: 29 em: 13 nov. 2019.
10 http://periodicos.uff.br/geographia/article/download/13375/857 30 URIARTE, Mônica Zewe . Música e escola: um diálogo com a
11 5. > acesso: 10/11/2019. 31 diversidade. Educar, Curitiba, n. 24, p. 245-258, 2004. Editora
12 Artigo: Processos de construção de identidades regionais: 32 UFPR. disponível em:
13 cultura imaterial, identidade e desenvolvimento. 33 http://www.scielo.br/pdf/er/n24/n24a13.pdf Acesso em:
14 - Disponível em: 34 RAMOS, Ezequiel . Identidade Cultural pela Vivência Musical.
15 http://www.uricer.edu.br/site/pdfs/perspectiva/148_532.pdf 35 I Simpósio de Educação Musical da UNISO (SEMU) Educação
16 acesso: 12/11/2019. 36 Musical na Atualidade: um olhar sobre a identidade
17 OLIVEIRA, Alda. Educação musical e identidade: mobilizando 37 profissional, 2014. Disponível em:
18 o poder da cultura para uma formação mais musical e um 38 https://uniso.br/publicacoes/anais-semu/pdfs/ramos.pdf
19 mundo mais humano. Conferência apresentada no IV Encontro 39 Acesso em: 13 nov. 2019.
20 Latino-Americano de Educação Musical (ISME) em Santiago

20
1 Disponível em: 21 Culture and Society V. 03, ed. especial, dez., 2017, artigo nº
2 https://editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABA 22 519 | relacult.claec.org | e-ISSN: 2525-7870 Disponível em:
3 LHO_EV056_MD1_SA4_ID58_14072016115520.pdf Acesso 23 file:///C:/Users/ALINE.MONTEIRO/Downloads/Fronteira_Musi
4 em: 13 nov. 2019. 24 ca_e_Identidade_Cultural.pdf Acesso em: 13 nov. 2019.
5 ILARI, Beatriz . Música, identidade e relações humanas em um 25
6 país mestiço: implicações para a educação musical na América 26 LIMA, Cynthia da Silva Lima. MELLO, Leila. Mara. A
7 Latina. Revista da Abem, número 18, outubro de 2007. 27 importância da música no processo de aprendizagem - The
8 Disponível em: 28 concept of music in learning process. Ciência Atual - Revista
9 http://abemeducacaomusical.com.br/revista_abem/ed18/revist 29 Científica Multidisciplinar das Faculdades São José. Ciência
10 a18_artigo5.pdf 30 Atual | Rio de Janeiro | Volume 1, Nº 1 • 2013 |
11 GOMES, Mariana Andrade; LEMOS, Renato de Lyra. O papel 31 inseer.ibict.br/cafsj | Pg. 97-106 Disponível em:
12 da música na construção da identidade. INTERSEMIOSE | 32 file:///C:/Users/ALINE.MONTEIRO/Downloads/12-68-1-PB.pdf
13 Revista Digital | ANO III, N. 05 | Jan/Jun 2014 | ISSN 2316- 33 Acesso em: 13 nov. 2019.
14 316X. Disponível em: http://www.neliufpe.com.br/wp- 34 NERCOLINI, Marildo José . A Música Popular Brasileira
15 content/uploads/2014/08/16.pdf Acesso em: 13 nov. 2019. 35 repensa identidade e nação. Identidade Cultural. Revista
16 CAETANO, João Evanio Borba . MISSIO, Fabrício J. 36 YOKOZAWA, Solange Fiuza Cardoso. “Memória literária e
17 DEFFACCI, Fabrício Antonio. Fronteira, Música e Identidade 37 modernidade: o caso Proust”, in: Temporis(ação), v. 1, nº - 5-
18 Cultural. RELACult – Revista Latino-Americana de Estudos em 38 6, 2002.
19 Cultura e Sociedade Revista Latinoamericana de Estudios en 39
20 Cultura y Sociedad | Latin American Journal of Studies in 40

21
1 5
2 6
3 7
4
8
9
10
11
12

22

Você também pode gostar