Você está na página 1de 12

You Can Trust

catálogo 102AP

Controladores de Potência
K
N
LA
B
Controladores de Potência
SOLIDVAR

SOLIDVAR
Controladores de
• Tipos: Trifásicos,
bifásicos e mono- Potência são usa-
fásicos. dos basicamente
• Construção:
compacta. para controle de
• Tensões: 220, 380 temperatura, po-
e 440 VAC
• Alimentação: rém podem ser
CONTROLADORES E ACESSÓRIOS MODULO DE CONTROLE 110/220 VAC. aplicados em ou-
• Módulo controle:
plug-in, encapsu- tros processos.
Os Controladores de Potência Varix es- rar em “malha aberta” ou “malha fechada”. lado, único para
tão disponíveis em duas versões : Com No modo malha fechada o controlador tenta toda a gama. Pode-se optar
proteções incorporadas (Plus) e sem pro- manter constante a corrente na carga, mes- • Disparo tiristo-
res: isolação óti- por controle por
teções (Normal). mo com variações de tensão da rede e
O Controlador de Potência Varix é um equi- impedância da carga. ca / encapsulados. Ângulo de Fase
pamento destinado ao controle de nível de O sistema “Trem de Impulsos” não provo- • Ambiente: Su-
porta ambientes (tipo Dimer) ou
energia entregue a uma carga, para proces- ca ruídos e geração de harmônicas na rede,
sos em geral, envolvendo cargas resistivas porém não deve ser usado em iluminação agressivos. por Trem de Im-
e indutivas, monofásicas, bifásicas ou ou sistemas que necessitem de fornecimen- • Modo: Trem de
Impulsos ou Ân- pulsos.
trifásicas, podendo ser empregado em con- to contínuo de energia, já que o controla-
trole de temperatura em geral, iluminação, dor fornece pacotes de energia à carga, em gulo de fase
fornos industriais, estufas, injetoras, intervalo de tempo, cuja duração (razão de • Controle: Malha Ambos podem
extrusoras, primário de transformador, etc. permanência) depende do sinal de entrada. aberta ou Corren-
ser utilizados em
O controlador recebe sinal de entrada É o sistema preferível para aquecimento por te constante.
analógico, proveniente de um controlador resistências. Além do controle por tensão • Isolação: (entre malha aberta ou
de processos (exemplo: controlador de tem- (0 a 5V / 0 a 10V) e corrente (4 a 20mA / 0 comando e potên-
malha fechada
peratura) ou potenciômetro ou CLP, e em a 20mA), pode-se utilizar também um sim- cia): >2500V.
função do sinal, modula o tempo de con- ples potenciômetro para controlar o nível • Proteções (mode- local, com cor-
dução dos tiristores. Desta forma a carga de potência na carga, já que o módulo pos- lo Plus): Curto-
rente constante.
recebe energia, cujo valor médio é propor- sui saída 5V ou 10V auxiliar. circuito, Falta de
cional ao nível de sinal de entrada. Com este fase/Quebra de
resistência, So- São fornecidos
sistema consegue-se obter excelente esta- Controladores com proteções incorpora-
bilidade na temperatura controlada, quan- das (Modelo Plus) : Nesta versão além das bre-temperatura, em duas Opções:
do comparado com sistemas “On/Off”. funções descritas acima , o controlador (o Falha de sinal de
controle, Limite Sem proteções ou
O sistema possui dois tipos de controle: qual possui 3 mini transformadores de cor-
“Trem de Impulso” e “Ângulo de Fase”. rente incorporados), incorpora as seguin- de corrente atingi- com várias pro-
O sistema de controle “Trem de Impulsos” tes proteções: Falta de Fase na entrada e do.
• Sinalizações: To- teções incorpora-
modula a largura dos impulsos, proporci- na saída do controlador/Quebra de resis-
onalmente ao sinal de entrada, sendo tam- tência de carga, Curto-circuito, Sobre-tem- das as falhas, das (Plus).
bém associado ao sistema “Zero Crossing”, peratura, Limitador de Corrente/Corrente Controle ligado,
que sincroniza o disparo dos tiristores com constante, Saída Analógica de 0 a 5V para Potência ligada,
Limite de corren- Com o uso de um
a passagem da senóide por zero volts, evi- amperímetro ou CLP e relê de indicação
tando assim, o surgimento de transientes de falha, alem das sinalizações (leds): Con- te atingido, Modo controlador de
indesejáveis no circuito. trole Ligado, Potência Ligada, Limitador de operação.
• Saída: Relê de fa- temperatura,
No sistema “Ângulo de Fase” o controle de Corrente / Corrente Constante, Falta de
de potência é executado a cada semi-ciclo Fase/Quebra de resistência, Curto-circuito, lha (SPDT), 0 a opera-se o pro-
da rede. O disparo dos tiristores se dá quan- Falha no sinal de controle e Sobre-tempe- 5 V.
• Sinal Controle: cesso em tempe-
do a forma de onda atinge o ângulo de fase ratura no módulo. O modelo Plus possui
determinado pelo sinal de controle na en- ainda saída de 0 - 5 Vcc proporcional a cor- Potenciômetro, 4 ratura constante.
trada, enviando para a carga parte de cada rente. a 20 mA, 0 a 5 V,
semi-ciclo. No modelo plus pode-se ope- 0 a 10 V.

B3
SOLIDVAR Controladores de Potência

SELEÇÃO DE TIPO E sp ecifica çõ es C o n tro la d o res de P otê ncia M o n o fá sico s


E létricas M o d elo S V M M ...
Para selecionar um modelo adequado a
sua aplicação basta seguir algumas re- M o d elo C o rren te C o rren te C o rren te P o tên cia M áx im a em K W
gras simples: S V M M ... N o m in al M á x im a d e S u rto C ateg o ria A C 1
( M é d ia ) (3 0 seg .) (1 0 m S ) (C a rg as R esistiv as)
• Caso sua carga seja puramente resistiva (A) (A) (A) 220 V 380 V 440 V
pode-se utilizar qualquer um dos dois
10A 10 16 125 2,2 3,8 4,4
tipos: Ângulo de Fase ou Trem de Im-
15A 15 20 150 3,3 5,7 6,6
pulsos. Este último é preferível na mai-
20A 20 25 175 4,4 7,6 8,8
oria dos casos, pois não gera harmôni-
25A 25 30 290 5,5 9,5 11
cos e nem ruídos na rede melhora o
30A 30 40 350 6,6 11 ,4 13
cosseno de quando alimentado por
transformador. 40A 40 70 470 8,8 15 17
50A 50 105 700 11 19 22
• Se sua carga incluir lâmpadas, deve- 75A 75 155 148 0 16 28 32
se utilizar o tipo Ângulo de Fase, para 100 A 100 195 190 0 22 38 44
que as mesmas não funcionem piscan- 125 A 125 195 190 0 27 47 27
do. 150 A 150 305 360 0 33 57 66
• Caso o controlador seja aplicado no 200 A 200 330 520 0 44 76 88
primário de um transformador, deve- 250 a 10 00 C onsultar - - - - -
se preferir o tipo Ângulo de Fase, para
evitar a “Inrush Currente” a cada pul-
so, devido a corrente de magnetização E sp ecifica çõ es C o n tro la d o res d e P o tê n c ia B ifá sic o s e Trifá sico s
do trafo.
E létric a s M o d elo s S V M B ... e S V M T...
• Deve-se considerar o seguinte: No caso P o tê n cia M á x im a e m K W
M o d elo s C o rre n te C o rre n te C o rre n te
do tipo Trem de Impulsos não são ge- N o m in a l M á x im a S u rto C a te g o ria A C 1 - (C a rg a R e sistiv a )
rados ruídos e nem harmônicos na rede, S V M B ...
( M é d ia ) ( 3 0 se g . ) ( 10 m S )
pois o corte é sempre no zero da S V M T... 220 V 380 V 440V
( A m p. ) ( A m p. ) ( A m p. )
senóide. Neste caso só será possível ler 10A 10 16 12 5 3,8 6,5 7,5
a corrente média da carga através da 15A 15 20 15 0 6 10 12
tensão proporcional de um integrador 20A 20 25 17 5 8 13 16
opcional ( o modelo Plus já possui o 25A 25 40 35 0 10 16 20
30A 30 40 35 0 12 20 24
mesmo incorporado). No caso do mo- 40A 40 70 47 0 15 26 30
delo Normal a Varix pode fornecer o 50A 50 10 5 70 0 19 33 38
mesmo a parte. Com o modelo Ângulo 75A 75 15 5 14 80 29 49 58
de Fase pode-se utilizar um 100A 10 0 19 5 19 00 38 65 75
125A 12 5 19 5 19 00 48 82 96
amperímetro ou transformador de cor-
150A 15 0 30 5 36 00 58 98 11 5
rente diretamente em série com a car- 200A 20 0 33 0 52 00 75 13 0 15 0
ga. 250A 25 0 33 0 52 00 95 16 0 19 0
300A 30 0 50 0 66 00 11 5 20 0 23 0
• Se o processo for importante, no qual 400A 40 0 58 0 80 00 15 0 26 0 30 0
a detecção de queima de resistência de 500A 50 0 58 0 80 00 19 0 33 0 38 0
carga, por exemplo, deva ser detecta- 650A 65 0 93 0 57 00 25 0 43 0 50 0
da ou para controladores de alta cor- 750A 75 0 12 00 80 00 28 5 49 0 57 0
1000A 10 00 15 60 11 50 0 38 0 66 0 76 0
rente, para o qual o custo adicional será
1250A 12 50 18 00 15 00 0 47 5 82 0 95 0
pequeno, prefira o modelo com prote- 1500A 15 00 21 20 19 00 0 57 0 99 0 11 40
ções incorporadas (Plus). 1750A 17 50 21 20 19 00 0 64 5 11 20 12 90
2000A 20 00 24 50 30 00 0 76 0 13 15 15 20
• Uma vez definido o tipo, falta dimen-
sionar o controlador pela corrente no-
minal do mesmo. Veja na próxima pá-
gina como dimensionar o controlador.

B4
Controladores de Potência SOLIDVAR

D im en sões: M on o fásicos S em P roteções D im ensões: M on ofásicos C om proteções DIMENSIONAMENTO

M odelos Ventilação L argura A ltura Profund. M odelos Ventilação Largura A ltura Profund. Uma vez escolhido o tipo a ser utilizado,
SV M M .. Forçada (L ) (A) (P) SV M M .. Forçada (L ) (A) (P) Ângulo de Fase ou Trem de Impulsos,
N atural mm mm mm N atural mm mm mm deve-se dimensionar o controlador, com
10A N 50 12 0 12 0 30A N 200 177 160
15A N 50 12 0 12 0 o auxílio das tabelas, ou pela corrente no-
20A N 50 14 5 12 0 40A N 200 177 160 minal da carga.
25A N 50 14 5 12 0 50A N 200 177 160 · Com a potência da carga em KW e a
30A N 10 0 17 7 16 0
40A N 10 0 17 7 16 0 75A N 200 200 250 tensão basta entrar na tabela de especi-
50A N 10 0 17 7 16 0 100A N 200 200 250 ficação elétrica correspondente para se
75A N 10 0 20 0 25 0 achar a corrente nominal do controla-
N 10 0 20 0 25 0 125A F 240 200 250
100A dor.
125A N 15 0 20 0 25 0 150A F 240 200 250
150A F 15 0 20 0 25 0 · Observe que a tabela fornece além da
200A F 240 200 250
200A F 20 0 20 0 25 0 corrente média (que define o código do
controlador), também a corrente máxi-
ma e a corrente de surto.
D im ensões: B ifásicos sem p roteções D im ensões: B ifásicos com proteções · A corrente máxima não deve ser ultra-
passada e deve-se neste caso conside-
M odelos Ventilação L argura A ltura Profund. M odelos Ventilação L argura A ltura P rofund.
SV M B... Forçada (L) (A) (P)
rar a resistência da carga a frio, que é o
SVM B... F orçada (L) (A) (P)
N atural mm mm mm N atura l mm mm mm
pior caso e verificar que a corrente nes-
10A N 1 00 1 45 1 22 30A N 2 00 1 77 1 70 te caso seja compatível.
15A N 1 00 1 45 1 22 40A N 2 00 1 77 1 70
20A N 1 00 1 45 1 22 · A corrente de surto, (10 mS) é a corren-
50A N 2 00 1 77 1 70
25A N 1 00 1 45 1 22 te que não deve ser ultrapassada em caso
N 1 50 1 77 1 60 75A N 2 00 2 00 2 60
30A de curto circuito na carga. Em geral a
40A N 1 50 1 77 1 60 100A N 2 00 2 00 2 60
N 1 50 1 77 1 60 F 2 00 2 00 2 60
impedância da rede e os fusíveis ultra-
50A 125A
75A N 1 50 2 00 2 50 150A F 2 00 2 00 2 60
rápidos protegem o mesmo adequada-
100A N 1 50 2 00 2 50
200A F 2 50 2 00 2 60
mente. O manual que acompanha o
125A N 1 50 2 00 2 50 equipamento possue informações deta-
150A F 2 00 2 00 2 50 250A F 2 50 2 00 2 60
200A F 2 50 2 00 2 50 300A F 2 51 2 80 2 70 lhadas, como I2T e tabelas de fusível.
250A F 3 00 2 00 2 60 400A F 2 51 2 80 2 70
300A F 2 51 2 80 2 70
• Complete os demais itens do subtipo
500A F 2 51 3 30 2 70
400A F 2 51 2 80 2 70 com o auxílio das Informações de Com-
650A F 2 51 4 30 2 80
500A F 2 51 3 30 2 70 pra, na próxima página.
650A F 2 51 4 30 2 80 750A F 2 51 4 80 2 80
750A F 2 51 4 80 2 80 1000A F 3 70 5 50 2 80
1000A F 3 70 5 50 2 80 1250A F 3 70 6 50 2 80
1250A F 3 70 6 50 2 80 1500A F 3 70 7 50 2 80
1500A F 3 70 7 50 2 80
1700A F 3 70 9 50 2 80
1700A F 3 70 9 50 2 80
2000A F 3 70 1 05 0 2 80 2000A F 3 70 1 05 0 2 80

B5
SOLIDVAR Controladores de Potência

MECÂNICA D im ensões: Trifásicos sem proteções D im ensões: Trifásicos com p roteções


Nas tabelas de características mecânicas M odelo Ventilaç ão L arg ura A ltu ra P rofund id . M odelo Ven tilaç ão L argu ra A ltura P rofundid.
pode-se observar quais modelos são re- SV M T... F o rça da (L ) (A) (P) SV M T... F orça da (L ) (A) (P)
N atural mm mm mm N atural mm mm mm
frigerados naturalmente ou quais possu- N 100 145 140
10A 30A N 22 0 17 7 17 0
em refrigeração por ar forçado, com ven- 15A N 100 145 140
40A N 22 0 17 7 17 0
tiladores incorporados. 20A N 100 145 140
25A N 100 145 140 50A N 22 0 20 0 17 0
• Nas tabelas pode-se obter as dimensões 30A N 150 177 160 75A N 22 0 20 0 26 0
dos controladores. 40A N 150 177 160 100A F 22 0 20 0 26 0
50A N 150 200 250 125A F 22 0 20 0 26 0
• É importante observar que o módulo de 75A N 200 200 250
150A F 25 0 20 0 26 0
controle é Plug-in, ficando encaixado na 100A F 200 200 250
125A F 250 200 250 200A F 25 0 20 0 26 0
parte superior do controlador, sendo de 150A F 250 200 250 250A F 24 0 29 1 26 0
fácil acesso, substituição e verificação, 200A F 300 200 250 300A F 25 1 28 0 27 0
sendo que o mesmo, para determinado 250A F 240 291 260 400A F 37 7 28 0 27 0
300A F 251 280 270
tipo escolhido, é o mesmo para toda F 377 280 270 500A F 37 7 33 0 27 0
400A
gama de correntes, até 2000 Ampéres, 500A F 377 330 270 650A F 37 7 43 0 28 0
bastando um módulo de controle no es- 650A F 377 430 280 750A F 37 7 48 0 28 0
toque, para cobrir todos os controlado- 750A F 377 480 280 1000A F 54 0 55 0 28 0
1000A F 540 550 280 1250A F 54 0 65 0 28 0
res do mesmo tipo, instalados (Os mo- 1250A F 540 650 280
delos até 25 ampéres são totalmente 1500A F 54 0 75 0 28 0
1500A F 540 750 280
F 540 950 280 1700A F 54 0 95 0 28 0
encapsulados). 1700A
2000A F 540 1050 280 2000A F 54 0 10 50 28 0
• Os módulos de tiristores são facilmente
substituíveis, retirando-se a tampa su-
perior, sem retirar o controlador do pa-
IN FO R M A Ç Ã O D E C O M P R A
inel.
• Os módulos de disparo, são
encapsulados, sendo um para cada fase, A B C D E F
dispondo de isolação ótica, o que provê
alta confiabilidade e alta isolação entre
comando e potência e entre fases. Estes S V M M = M O N O F Á S IC O
módulos incluem ainda proteção dv/dt A MODELOS S V M B = B IF Á S IC O (S O M E N T E TR E M D E IM P U LS O S )
S V M T = T R IF Á S IC O
(snubber).
10 a 2000A S E M P R O TE Ç Õ ES
B C O R R E N T E 30 a 2000A C O M P R O TE Ç Õ ES
220V
C T E N S Ã O N O M IN A L 380V
440V
107 A LIM E N T. 110 V C A - C O N T. 0 a 5V / 0 a 20 m A / P O T E N C IÔ M E T R O
CON- 207 A LIM E N T. 2 20 V C A - C O N T. 0 a 5V / 0 a 20 m A / P O T E N C IÔ M E T R O
TRO- 147 A LIM E N T. 110 V C A - C O N T. 1 a 5V / 4 a 20 m A / P O T E N C IÔ M E T R O
D 247 A LIM E N T. 2 20 V C A - C O N T. 1 a 5V / 4 a 20 m A / P O T E N C IÔ M E T R O
LES.
117 A LIM E N T. 110 V C A - C O N T. 0 a 10 V / P O T E N C IÔ M E T R O
217 A LIM E N T. 2 20 V C A - C O N T. 0 a 10V / P O T E N C IÔ M ET R O

I = TR E M D E IM P U LS O S
E T IP O D E C O N T R O LE F = Â N G U L O D E FA S E

S = S E M P R O T EÇ Õ E S
F PROTEÇÕES
P = COM PROTEÇÕES

E X E M P L O : S V M T -500A -440V -247-F P = C O N T R O L A D O R T R IF Á S IC O , C O R R EN T E N O M IN A L


500A , TE N S Ã O D A R E D E 440V, A L IM E N TA Ç Ã O D O C O N T R O L E 22 0V, S IN A L D E C O N T R O L E 1 a
5 V ou 4 a 20 m A ou PO T E N C IÔ M E T R O EX T E R N O , T IPO Â N G U L O D E FA S E, C O M PR O T EÇ Õ ES .

B6
Controladores de Potência SOLIDVAR

PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO TIPO TREM DE IMPULSOS TIPO ÂNGULO DE FASE

Nos dois tipos de controle, um sinal, que Neste tipo de operação, a comutação é sem- Neste tipo de operação, a comutação é
pode ser manual (potenciômetro) ou pro- pre feita no zero de tensão, para o ligamen- feita ciclo a ciclo da rede, modulando-se
veniente de um controlador de temperatu- to, e no zero de corrente, para o desliga- o ângulo de disparo dos tiristores. O liga-
ra ou de processo, estabelece o ponto de mento. No diagrama estão representadas as mento ocorre no ângulo de disparo esta-
operação e a quantidade de energia entre- curvas para carga resistiva, nas quais a cor- belecido pelo sinal de controle e o desli-
gue à carga. No caso de controlador de ma- rente e tensão estão em fase. gamento ocorre sempre no zero de cor-
lha aberta, o sinal estabelece o nível de ten- Os controladores SOLIDVAR possuem um rente, não provocando transientes.
são média entregue carga e no caso de ma- período de ciclo de 0,5 segundo, no qual a
Neste caso se consegue também um con-
lha fechada local, à corrente constante, o carga pode receber 60 semi-ciclos da rede,
trole linear da potência em relação ao si-
sinal de controle estabelece o nível de cor- sendo que deste modo o controlador pode
nal de controle, quando se trata de
rente na carga, (mantendo a mesma cons- modular a potência fornecida a carga, com
controlador à malha fechada e corrente
tante com variações razoáveis de tensão de resolução de 1/60, ou seja, com degraus de
constante.
rede e impedância da carga. O modelo Plus 1,66% da potência total disponível, conse-
pode operar nos dois modos. guindo-se um controle linear da potência, Este é o tipo de operação mais adequado
O corte de energia é feito no zero de cor- em relação ao sinal de controle. Ver exem- para ser utilizado em primário de trans-
rente. Deste modo como a energia armaze- plos de alguns níveis de controle nas cur- formadores. (Importante: O transforma-
nada num indutor é LI2/2, e como a corren- vas abaixo. dor deve ter no mínimo 30% da carga,
te é zero neste momento, então a energia sempre conectada, para que não ocorra
armazenada no indutor é zero, no momen- instabilidades devido ao fato de que o
to do corte, não provocando transientes ou cosseno de j fica muito baixo com trans-
faiscamentos, como os contatores formadores sem carga).
eletromecânicos.

B7
SOLIDVAR Controladores de Potência

Controlador de potência trifásico sem


proteções (Normal), controlado por
potenciômetro.

Neste exemplo a carga é um banco de re-


sistências ligadas em estrela.
F U S Í V EI S A ligação do sinal de controle está confi-
U LT R A - gurada para potenciômetro. No mesmo con-
R Á PID O S 1 0
trolador pode-se utilizar também, entrada
LIG A / D E SL . de tensão ou corrente.
O valor do potenciômetro pode ser de 1K
A L IM E N Ohms a 10K Ohms. (Ver lista de acessóri-
-TA Ç Ã O
os neste catálogo).
L1 L2 L3 1 2

C O N T R O LA D O R D E P O T ÊN C IA
T R IF Á SI C O

T1 T2 T3 3 4 5 6

+ -

P O T EN -
B ANCO T AM B ÉM PO DE - SE U TILIZ AR :
DE 0 A 5V - 0 A 10V - 4 A 20 M A
R E S IS T Ê N C IA S

Controlador de potência trifásico com


proteções incorporadas (Plus).

Note neste caso a saída de tensão propor-


cional a corrente, nos bornes 7 e 8. Usa-se
para a leitura de corrente, um voltímetro
com escala de corrente ou um CLP.
F US ÍV EIS Note também a saída dos contatos do relê
U LTRA - 1 0 de indicação de falha, nos bornes 10, 11 e
R ÁP ID OS
L IG A / D E S L .
12.
Note ainda o jamper opcional nos bornes 8
A L IM E N
-TA Ç Ã O e 9 que seleciona o modo Corrente Cons-
L L L 2
tante.
1 1 2
C ontrolador
No mesmo controlador pode-se utilizar
C O N T R O LA D O R D E P O T Ê NC IA
de também, sinal de tensão ou potenciômetro
P roce ssos para a entrada de sinal de controle.
T1 T2 T3 3 4 5 6 7 8 9 10 11 1 2 3 4 5 6
+ - RE LE DE IN DICA ÇÃ O D E - +
- + FAL H A

FE CH AR 8 E 9 PAR A
O PER AR E M M O D O
A
CO R REN TE CO NSTAN TE
AB RIR PA R A O PE RA R N O
IN / 5V C C M O D O NO RM AL

L I G A Ç Ã O P A R A 4 A 20 M A
B A N C O D E R E S IS T Ê N C IA S TA M B E M P O D E - S E U T I L I Z A R :
0 A 5V - 0 A 10V - 0 A 20 M A TE R M O PA R

B8
Controladores de Potência SOLIDVAR

CONTROLADOR COM PROTEÇÕES Descrições das funções: Descrição das proteções:


(PLUS).
Modo “Normal” com limitador de corrente Falta de fase e Falha de resistência de car-
Funções: ajustável: Neste modo o controlador trabalha ga: detecta a falta de corrente em uma das fa-
• Modos de operação “Normal” e “Cor- em malha aberta, não recebendo sinal de reali- ses e na carga, quando as outras fases estão
rente Constante”. mentação da corrente, sendo que o sinal de con- em condução. Isto permite perceber, a queima
• Integrador de corrente para amperíme- trole, altera simplesmente o ângulo de condução de resistência de carga de uma das fases, falha
tro e CLP. dos tiristores ou a duração dos pulsos. O no controlador e falta de fase na entrada do
• Limitador de corrente ajustável ( para controlador possui, no módulo de controle, um controlador. Quando atuada, acende o led ver-
o modo normal). trimpot, onde se pode ajustar o valor de corrente melho correspondente e comuta o relê de indi-
Proteções: máxima de trabalho, dentro da faixa de 10% a cação de falha. Em sistemas trifásicos com car-
• Falta de fase na entrada e na saída/ 100% da corrente nominal do mesmo. Durante ga em estrela, caso seja ligado o fechamento
detecção de falha de resistência de car- a operação, se a corrente se elevar até o valor de estrela no neutro, pode-se detectar a falta
ga. correspondente ao programado, a corrente pas- de duas fases ao mesmo tempo. Nos outros
• Curto-circuito na carga. sa a ser limitada, mesmo que o sinal solicite cor- casos, se ocorrer a falta de duas fases simulta-
• Sobre-temperatura no controlador. rente maior. Neste ponto acende o led amarelo, neamente, o sistema não detecta a falha por
• Falha no sinal de controle. marcando “Limite/Corrente constante”. Ao se falta de corrente nas três fases. Isto não causa
• Limite de corrente ajustável. abaixar a corrente, o controlador volta ao modo nenhum problema, já que as correntes vão a
Sinalizações: normal, sem limitação e o led se apaga. zero de qualquer maneira. Esta proteção não
• Controle ligado. inibe o disparo dos tiristores (somente sinali-
• Potência ligada. za), para evitar paradas em processos impor-
• Limite de corrente/ Corrente constan- Modo “Corrente Constante” com malha fe- tantes, por quebra de resistência, as quais po-
te. chada: O modo Corrente Constante é vantajo- dem ser trocadas oportunamente, já que as
• Falta de fase. so para operação manual, e deste modo, a po- resistências das outras fases podem compen-
• Curto-circuito. tência na carga não varia com a eventual varia- sar, eventualmente, a defeituosa.
• Falha do sinal de controle. ção da tensão da rede. O controlador possui in-
• Sobre-temperatura. corporado 3 mini TCs (transformadores de cor- Curto-circuito: esta falha é atuada, caso ocor-
rente), que servem para leitura da corrente mé- ra uma corrente instantânea de valor 4 vezes a
Descrição das Sinalizações: dia nas fases. Neste modo, selecionado nominal do controlador. (Tempo de atuação:
jampeando-se os bornes B8 e B9, a corrente de 5 mSeg). Neste caso acende o led correspon-
Controle ligado: Led verde. Indica módulo saída é mantida constante, no valor correspon- dente, inibe-se os disparos e comuta-se o relê
energizado. dente ao sinal de controle. O led “Limite/cor- de indicação de falha. Importante: Esta pro-
Potência ligada: Led verde. Indica carga rente constante”, permanece aceso. O trimpot de teção não dispensa o uso de fusíveis, os quais
energizada. ajuste de limite de corrente fica sem função. A devem ser do tipo ultra-rápidos, para proteção
Limite de corrente atuado: Led amarelo. No faixa de potência que se consegue neste modo, dos tiristores, já que as condições de curto-cir-
modo “normal”, acende quando atingido o limi- com a variação do sinal de controle, é de 10% a cuito variam, dependendo da impedância da
te de corrente pré programado no trimpot fron- 100%. A corrente na carga permanece constan- rede, podendo atingir valores de corrente ele-
tal. No modo “corrente constante” fica todo o te, para moderadas variações de voltagem da rede vados, da ordem de vários kiloampéres. Neste
tempo aceso. ou de impedância da carga. (Regulação de 5% caso o fusível pode atuar primeiro, protegen-
Falta de fase: Led vermelho. Indica falta de para variação de 50% da carga ou ± 20% da rede, do mais adequadamente os tiristores.
uma fase na entrada ou na saída, ou abertura da desde que ainda dentro da faixa de controle).
carga em uma das fases. Pode-se usar um controlador de processos ou Sobre-temperatura: o controlador possui um
Curto-circuito: Led vermelho. Indica uma controlador de temperatura, para suprir o sinal sensor térmico nos dissipadores de calor dos
sobrecorrente instantânea de 4 vezes ou mais o de controle, obtendo-se assim a segunda malha tiristores. Caso ocorra elevação da temperatu-
valor nominal. de controle. ra acima de 85ºC, ocorrerá a indicação da fa-
Falha de sinal de controle: Led vermelho. In- lha no led vermelho correspondente, inibição
dica quebra da fiação do sinal de controle. Integrador de corrente para amperímetro ou do controlador, e a comutação do relê de indi-
Sobre-temperatura: Led vermelho. Indica que CLP: Um integrador incorporado, integra a cor- cação da falha ( contato SPDT).
a temperatura nos dissipadores ultrapassou 85º. rente das três fases, gerando um sinal analógico
de 0 a 5Vcc, para medição por instrumento ou Falha de sinal de controle: se houver a que-
CLP. Zero volts indica corrente mínima e 5Vcc bra do fio do sinal de controle ocorrerá a indi-
indica que o controlador está com sua corrente cação da falha, no led vermelho corresponden-
nominal. O sinal 0 a 5Vcc é fixo de fábrica de te, inibição do controlador e comutação do relê
acordo com a corrente nominal do controlador de indicação de falha.
(Exemplo: em um controlador de 200A, quan-
do o sinal analógico for 5Vcc, indica que o mes-
mo está com sua corrente máxima, de 200A).

B9
SOLIDVAR Controladores de Potência

ACESSÓRIOS: SOLUÇÕES COMPLETAS VARIX

• VP1020B :- Painel de Controle: Integra A VARIX pode fornecer sistemas comple-


potenciômetro multi-voltas com escala tos, incluindo painel, disjuntores, fusíveis
digital para ajuste manual, chave Ma- ultra-rápidos, instrumentos, CLP e demais
nual/Automático, chave Normal/Cor- componentes. Os equipamentos podem ser
rente Constante, led On e led Falha. projetados e dimensionados pelo nosso pes-
• VP1020A :- Idem, porém sem chave soal de engenharia, para atender as
Normal/Corrente Constante especificações do cliente.
• VP1020C :- Idem VP1020A porém sem VP 1020B O pacote pode incluir o acompanhamento
led Falha. do Start up pelo nosso pessoal de campo.
• P10D :- Potenciômetro 10K com esca-
la digital e trava.
• Fusíveis ultra-rápidos (consultar). DOCUMENTAÇÃO:
• VIC5- Integrador de corrente para mo-
delo Normal. Cada equipamento, é entregue com manu-
al do usuário, completo, com tabelas, exem-
SOBRESSALENTES: plos, lista de materiais, princípios de ope-
Módulos de controle: ração, tabelas de fusíveis, folha de
• VCxz-107y: Alimentação - 110VCA, customização etc.
Controle - 0 a 5VCC/0 a 20 mA/Pot. Para os Sistemas, projetados especialmente
• VCxz-207y: Alimentação - 220VCA, para o usuário, além do manual completo
Controle - 0 a 5 VCC/0 a 20mA/Pot. do equipamento é fornecido também os
• VCxz-147y: Alimentação - 110VCA, esquemas elétricos completos do painel e
Controle - 1 a 5 VCC/4 a 20mA/Pot. PAINEL COM CONTROLADORES manual do usuário para o painel.
• VCxz-247y: Alimentação - 220VCA,
Controle - 1 a 5 VCC/4 a 20mA/Pot.
• VCxz-117y: Alimentação - 110VCA,
Controle - 0 a 10 VCC/Potenciômetro.
• VCxz-117y: Alimentação - 110VCA,
Controle - 0 a 10 VCC/Potenciômetro.
x= A, para controle tipo Ângulo de fase
x= T, para controle tipoTrem de impulsos
y= S, para controle Normal
y= P, para controle com proteções (Plus)
z= M, B ou T, para monofásico, bifásico
ou trifásico respectivamente.
PAINÉIS COM CONTROLADORES
Módulos de disparo:
• VDT440 :- Para Trem de impulsos.
• VDA-4A :- Para Ângulo de fase.

Diversos:
• TC-1A :- Transformador de corrente
para modelo com proteções até 500 A.
• TC-1B :- Transformador de corrente
para modelo com proteções até 2000 A.
• VV1 e VV2 :- Ventiladores - consulte
folha de customização no manual.
• VRN1 e VRN2 :- Termostatos consul- CONTROLADOR PLUS
te folha de customização, no manual.
• VC6 :- Conector fêmea 12 vias para
módulo de controle normal.
• VC12 :- Idem 12 vias.

B10
K
N
LA
B
Varix Brasil:
Rua Phelipe Zaidan Maluf 1501 - Distrito Industrial Unileste
Piracicaba - SP - CEP13.422.190 - Phone: (55) (19) 3424.4000 - Fax: (55) (19) 3424.4001
www.varix.com.br e-mail: info@varix.com.br

Varix Electronics USA:


10001 NW 50 Th Street - Bldg. 102-A
Fort Lauderdale - Florida - 33351
Tool Free: 1-800-238 6696 - Phone: (954) 572 5535 - Fax: (954) 572 0331

• EXCITATRIZES ESTÁTICAS PARA GERADORES.


• EXCITATRIZES ESTÁTICAS PARA MOTORES SÍNCRONOS.
• AVRS -AUTOMATIC VOLTAGE REGULATORS.
• SOFT STARTERS PARA MOTORES.
• CONTROLADORES DE POTÊNCIA.
• CESS - CONTATORES DE ESTADO SÓLIDO.
• RETIFICADORES CONTROLADOS ATÉ 150.000 A.
• CHOPPERS PARA MOTORES.
• RELÊS DE PROTEÇÃO PARA SISTEMAS DE EXCITAÇÃO.
• RELÊ DIGITAL DE SUPERVISÃO DE DISJUNTORES.
• TRANSMISSORES E TRANSDUTORES.
• CONTROL BOX PARA MOTORES SÍNCRONOS.
• CROWBAR PARA MOTORES SÍNCRONOS.
• CROWBAR PARA PROTEÇÃO CONTRA TRANSIÊNTES.
Sistema de Qualidade • EQUIPAMENTOS DE TESTE AUTOMÁTICO.
Certificado ISO 9002 • EQUIPAMENTOS ESPECIAIS.

Você também pode gostar